Você está na página 1de 12

IMPACTO AMBIENTAL- conceito

Resolução CONAMA n 001/1986. Art. 1o :

... “Considera-se impacto ambiental qualquer


Avaliação dos Impactos alteração das propriedades físicas, químicas e
biológicas do meio ambiente, causada por
Ambientais qualquer forma de matéria orgânica ou energia
resultante das atividades humanas que, direta
ou indiretamente afetam:
I- a saúde, a segurança e o bem-estar da
Diogo Barradas Braz população;
diogo@essenciadaterra.eng.br II- as atividades sociais e econômicas;
III- a biota;
IV- as condições estéticas do meio ambiente;
1 2 V- a qualidade dos recursos ambientais.”

Legislação Atual
Impacto Ambiental O capítulo sobre meio ambiente da Constituição de
Embora Impacto Ambiental seja sempre 1988 é considerado um dos mais avançados do
referido a uma ação do homem, pode, mundo.
também, resultar de fenômenos naturais. Inclui o meio ambiente ecologicamente equilibrado
Podem ser negativos ou positivos, ou entre os direitos do cidadão e da sociedade e
seja, ser beneficos ao homem e ao meio ou considera sua defesa e preservação como dever
causar-lhes danos. do Estado e da coletividade.
É necessário que esses impactos sejam Determina que o poder público deve preservar e
identificados e avaliados antes que as
restaurar os processos ecológicos essenciais, dar
intervenções do homem no meio ocorram,
para que sejam adotadas medidas visando a condições para o manejo ecológico das espécies
minimiza-los ou a evitá-los. e ecossistemas, preservar a diversidade biológica
e a integridade do patrimônio genético.
3 4

Legislação Atual Legislação dos Estudos de


impactos Ambientais
-RESOLUÇÃO CONAMA No 001/86
Definições
Responsabilidades
O governo deve exigir relatório de impacto Critérios básicos
ambiental para a instalação de qualquer obra ou Diretrizes Gerais
atividade potencialmente causadora de degradação -RESOLUÇÃO CONAMA No 237/87
ambiental e tem o dever de controlar a produção, Regulamenta normas sobre o licenciamento ambiental.
comercialização e emprego de métodos e
substâncias potencialmente nocivas à preservação -DECRETO ESTADUAL No 8468/76
-DECRETO ESTADUAL No 47397/02
do equilíbrio do meio ambiente. Regulamenta a Lei Estadual n 997/76
Dispõe sobre:
LP-Licença Prévia
LI- Licença de Instalação
5 6 LO- Licença de Operação

1
Resolução Conama 237/97 Resolução Conama 237/97
- Definiu novos instrumentos de licenciamento
ambiental (relatório ambiental, plano e projeto de
controle ambiental, relatório ambiental preliminar, - Explicitou as competências relativas ao
diagnóstico ambiental, plano de manejo, plano de licenciamento nas esferas federal, estadual e
recuperação de área degradada e análise preliminar municipal;
de risco);
- Fixou os procedimentos e prazos de licenciamento
- Reafirmou a diretriz expressa na Constituição ambiental; e
Federal - CF, vinculando à apresentação de EIA
apenas para empreendimentos e atividades - Retirou a obrigatoriedade de que o EIA fosse
consideradas efetiva ou potencialmente causadoras elaborado por equipe independente do
de significativa degradação do meio, cabe ao órgão empreendedor.
ambiental competente definir os estudos ambientais
7 necessários a cada licenciamento; 8

EIA EIA - Conteúdo


- Contemplar todas as alternativas tecnológicas e de
localização do projeto, confrontando-as com a
“Documento ou relatório que reúne a análise das
informações, incluindo a monitorização e as hipótese de não-execução do projeto;
atividades de acompanhamento, através da qual a - Diagnóstico ambiental da área de influência do
avaliação de impacto ambiental é levada a cabo" projeto, antes de sua implantação, considerando os
(Kennedy apud Ronza, 1998)
meios físico, biológico e sócio- econômico ;

9 10

- Planos e programas existentes na área de interesse; -


- Definição das medidas mitigadoras dos impactos
análise dos impactos ambientais do projeto e de suas
negativos, entre elas os equipamentos de controle
alternativas, através de identificação, previsão de
e sistemas de tratamento de despejos, avaliando a
magnitude e interpretação da importância dos
eficiência de cada uma delas;
prováveis impactos relevantes, discriminando: os
- Elaboração do programa de acompanhamento e
impactos positivos e negativos(benéficos e adversos),
monitoramento dos impactos positivos e negativos,
diretos e indiretos, imediatos e a médio e longo
indicando os fatores e parâmetros a serem
prazos, temporários e permanentes; seu grau de
considerados.
reversibilidade; suas propriedades cumulativas e
O primeiro EIA realizado no Brasil foi o da
sinérgicas; a distribuição dos Ônus e benefícios Barragem e Usina Hidrelétrica de Sobradinho, em
sociais; 1972.
11 12

2
AIA AIA - Características
A Avaliação dos Impactos Ambientais foi - Amplia as percepções sobre o projeto e seus
inicialmente introduzida nos EUA, com a publicação impactos ambientais;
da National Environmental Policy Act a 1 de janeiro de - Permite administrar, antecipadamente e com maior
1970. eficácia, futuros conflitos com a sociedade;
É um processo que envolve dimensões jurídicas, - Transparência ;
técnico-científicas e políticas, o que a torna capaz de - Aprimoramento do projeto, aceitação, evita
identificar, prever, avaliar e dar publicidade aos
questionamentos futuros pela via judicial ou política;
impactos ambientais e às medidas adequadas à
mitigação dos impactos decorrentes da implantação - Participação pública complexidade e morosidade.
de políticas, planos ou projetos
13 14

RIMA RIMA
O relatório de impacto ambiental é o documento
que apresenta os resultados dos estudos técnicos e É o documento que se destina à comunidade,
científicos de avaliação de impacto ambiental. devendo ser elaborado em linguagem acessível,
Constitui um documento do processo de avaliação ilustrado por mapas, cartas, etc, de modo que se
de impacto ambiental e deve esclarecer todos os possam entender, claramente, as possíveis
elementos da proposta em estudo, de modo que conseqüências ambientais do projeto e suas
possam ser divulgados e apreciados pelos grupos alternativas, comparando as vantagens e
sociais interessados e por todas as instituições, na desvantagens de cada uma delas, refletindo as
tomada de decisão. conclusões do estudo de impacto ambiental

15 16

Métodos de Avaliação de
Impactos Ambientais - AIA Métodos de AIA
Matrizes de interação – permitem associar as ações de
Os principais métodos de AIA são: -
um empreendimento às características ambientais de
- “ad hoc” – consiste em realizar reuniões com um grupo de sua área de influência, através de uma listagem
especialistas, com formação variadas, escolhidos de acordo bidimensional, em um dos eixos, são relacionados as
com o tipo de projeto a ser analisado; características do ambiente e, no outro, as ações do
projeto, em suas diversas fases;
- Listagem de controle(checklist) – apresenta uma relação dos
impactos mais relevantes de um empreendimento, podendo - Redes de interação – através destas é possível
relacionar uma sequência de impactos, a partir de
associá-los às características ambientais afetadas e as ações
determinada ação, são utilizados neste método
que os provocam; diagramas, gráficos ou fluxogramas, mostrando as
cadeias de modificação que ocorrem;

17 18

3
Os Impactos
Métodos de AIA
Meio Físico Biótico
- Superposição de cartas – consiste na elaboração de vários (fauna e flora)
mapas de uma mesma área, cada um destacando um aspecto (ar, água e solo)
ambiental da mesma, através da superposição dos mapas,
pode-se identificar as áreas de maior valor ambiental, nas
quais os impactos são mais significativos;
- Método de simulação – os modelos matemáticos são utilizados
para simular o comportamento de determinado sistema
Antrópico
ambiental, após uma ou mais modificações provocadas no
mesmo.

19 20

Impactos Poluição do ar
-Chuva Ácida; Emissões de dióxido de enxofre, monóxido de carbono, óxido e
dióxido de nitrogênio e de material particulado, como poeira,
-Inversão Térmica;
fumaça e fuligem, contribuem para a poluição atmosférica.
-Acumulação de dióxido de carbono e o efeito estufa;
-Ozônio;
-Eutrofização da água por excesso de nutrientes;
ALTERAÇÕES DA QUALIDADE
-Resíduos químicos tóxicos; AR
-Resíduos sólidos; GERAÇÃO DE RUÍDOS
-Canalização e drenagem;
-Erosão do solo.
21 22

O EFEITO ESTUFA – AQUECIMENTO GLOBAL OS IMPACTOS DO EFEITO ESTUFA


DERRETIMENTO DAS GELEIRAS ESTIAGEM/INCÊNDIOS

É o processo físico pelo qual a


presença de gases
atmosféricos faz com que a
Terra mantenha uma
temperatura de equilíbrio
maior do que teria caso estes
gases estivessem ausentes.
ENCHENTES
Se não fosse pelo efeito ONDAS DE CALOR
estufa, a vida como a
conhecemos nunca teria
surgido na Terra. Estima-se
que a temperatura do planeta
estaria entre -32 ºC a -23 ºC
23 se estes gases não existissem. 24

4
Inversão Térmica
Chuva Ácida

25 26

Prejuízos para o homem da chuva Impactos para o meio ambiente da


ácida chuva ácida
- Lagos: Os lagos podem ficar totalmente acidificados perdendo
- Saúde: A chuva ácida libera metais tóxicos que estavam no solo. toda a sua vida;
Esses metais podem alcançar rios e serem utilizados pelo - Desmatamentos: A chuva ácida faz clareiras, matando árvores;
homem causando sérios problemas de saúde;
- Agricultura: A chuva ácida afeta as plantações quase do mesmo
- Prédios, casas, arquiteturas: ajuda a corroer os materiais jeito que das florestas, só que é destruída mais rápido já que as
usados nas construções como casas, edifícios e arquitetura, plantas são do mesmo tamanho, tendo assim mais áreas
destruindo represas, turbinas hidrelétricas etc. atingidas.

27 28

Águas contaminadas Poluição do mar

Praticamente todas as grandes e médias cidades Dejetos industriais e orgânicos são jogados em vários
brasileiras têm suas águas contaminadas por esgotos, lixo pontos do litoral. Vazamentos de petróleo em poços das
urbano, metais pesados e outras substâncias tóxicas.
plataformas submarinas e acidentes em terminais
ALTERAÇÕES NA QUALIDADE
portuários e navios-tanques têm provocado graves
desastres ecológicos

ÁGUA ALTERAÇÕES NA MORFOLOGIA E


DAS DRENAGENS

TRANSPORTE DE SEDIMENTOS

29 30

5
Degradação do Solo

ALTERAÇÃO NA QUALIDADE Procedimentos para licenciamento


SOLO ALTERAÇÃO DE USO
com
Avaliação de Impacto Ambiental –
EROSÃO
AIA
ASSOREAMENTO
(Resolução SMA 42/94)

31 32

1. Interessado requer a Licença Ambiental Prévia com Relatório Ambiental


Preliminar RAP (3 vias do Relatório Ambiental Preliminar - RAP, conforme
roteiro de RAP estabelecido, em papel e em meio digital (Portaria CPRN
18/98), para as atividades previstas no art. 2o da Resolução Conama 001.86.)

- Anotação de Responsabilidade Técnica – ART Reunião Técnica Informativa (Res.SMA 11/98)


- Certidão da Prefeitura Municipal relativa ao uso do solo
• 30 dias a partir da data da publicação do pedido da licença para
- Exame Técnico do órgão ambiental municipal conforme disposto
manifestações por escrito. A SMA/Daia decidirá sobre
no Art.5o, parágrafo único, da Resolução Conama 237/97
convocação de Reunião Técnica Informativa.
- Formulário “informações cadastrais”preenchido
• Reunião aberta a todos os interessados.
- Manifestação do Instituto Brasileiro de Recursos Naturais
• obrigatória a presença do empreendedor, de seus assessores
Renováveis – Ibama, quando houver intervenção em Área de
técnicos e dos servidores vinculados à SMA responsáveis pelo
Preservação Permanente – APP, conforme disposto no Art. 1o §
processo de licenciamento.
1o da Medida Provisória 1.736-34/99
Reunião será anunciada por meio de jornal de grande circulação,
- Outros documentos, específicos, relacionados no roteiro de RAP
correndo todas as despesas de seu anúncio e de sua realização
• O interessado publicará o pedido de licença no Diário Oficial - DO,
por conta do empreendedor.
no primeiro caderno de jornal de grande circulação e em jornal após a reunião - prazo de 10 dias, para nova manifestação dos
local, e encaminhará cópia da publicação à SMA/Daia. (Deliberação interessados.
Consema 08/99 e Portaria CPRN 04/99)

33 34

4. Interessado torna público prazo de 45 dias para solicitação de Audiência


2. SMA/Daia, analisa o RAP e sua Complementação, quando houver, Pública (Deliberação Consema 08/99 e Portaria CPRN 04/99)
considerando as manifestações da sociedade e dos órgãos envolvidos.
5. Interessado apresenta Plano de Trabalho para elaboração do EIA e Rima, em
SMA /Daia publica indeferimento SMA/Daia publica dispensa duas vias.
no D O no DO e emite LP
6. SMA/Daia informa ao Consema o recebimento do Plano de Trabalho.
NÃO NÃO
-Consema pode avocar a análise do Plano de Trabalho em razão da magnitude e
complexidade dos impactos ambientais do empreendimento.
Empreendimento Exige EIA e
passível de L P? RIMA? -A SMA realizará Audiência Pública para debater o licenciamento ambiental de um
empreendimento sempre que julgar necessário, ou quando for fundamentalmente
solicitada:
SIM -pelo Poder Público Estadual ou Municipal do Estado de São Paulo;
-pelo Consema – Conselho Estadual do Meio Ambiente;
-pelo Ministério Público Federal ou do Estado de São Paulo;
3. SMA/Daia publica a exigência do EIA e Rima no D.O, e dá prazo de 180 -por entidade civil sem fins lucrativos, constituída há mais de um ano e que tenha por
dias para apresentação do Plano de Trabalho finalidade social a defesa de interesse econômico, social, cultural ou ambiental, que possa
ser afetado pela obra ou atividade, objeto de respectivo EIA e Rima;
-por 50 (cinqüenta) ou mais cidadãos que tenham legítimo interesse que possa ser afetado
pela obra ou atividade.

35 36

6
Audiência Pública (Deliberação Consema n. 50/92) 8. Interessado apresenta EIA e Rima

proponente apresenta o projeto para manifestação de entidades ambientalistas, EIA, com o Termo de Referência incluso, em 6 vias em papel e uma em meio
entidades da sociedade civil, membros do Consema, população presente, dos digital, o Rima em 19 vias em papel e uma em meio digital ( Deliberação
Parlamentares, dos Prefeitos e Secretários de Estado. Consema 08/99, Portaria CPRN 18/98). Os EIAs serão assim distribuidos:
documentos apresentados à Mesa, mediante protocolo, são anexados ao Daia - 4, biblioteca SMA –1 e Consema- 1. Os Rimas serão assim distribuidos:
processo técnico-administrativo de licenciamento. Daia – 1, Câmaras Técnicas envolvidas - 14, biblioteca SMA- 1, Consema –1;
despesas com a realização da Audiência Pública serão custeadas pelo quando solicitados, os Rimas deverão ser entregues pelo empreendedor à (o):
empreendedor. Assembléia Legislativa - 1, Comdema ou órgão ambiental municipal -1.
mesmos documentos mencionados no RAP exceto ficha cadastral.
7. SMA/Daia define Termo de Referência para elaboração do EIA e Rima, com
base no Plano de Trabalho e publica no D.O. prazo para elaboração do EIA e
Rima.
9. SMA/Daia anunciará no Diário Oficial e jornais de grande circulação o
Caso necessário o interessado poderá solicitar prorrogação do prazo de recebimento do EIA e Rima, e o prazo para solicitação de Audiência Pública
entrega do EIA e Rima. Em caso de aceite a SMA/Daia publicará o novo prazo (mínimo de 45 dias). (Deliberação Consema 50/92)
mesmo procedimento para a realização a Audiência Pública.(Deliberação
Consema 50/92)

37 38

10. SMA/Daia analisa o EIA; quando necessário solicita complementação.


A análise do empreendimento será feita pelo Plenário do Consema quando
SMA/Daia analisa EIA, Rima e eventual Complementação (Portaria CPRN avocada por ¼ de seus membros ou por deliberação específica
14/98), considerando manifestações encaminhadas por escrito ou apresentadas
em Audiência Pública, e emite Parecer Técnico e Súmula, referente à viabilidade não tendo sido avocada a análise do empreendimento será feita pela Câmara
ambiental do empreendimento. Técnica pertinente (Deliberação Consema 01/99)

NÃO SMA/Daia encaminha Parecer


SMA/Daia Consema aprova Consema publica no DO e
Técnico ao interessado
aprova oEIA ? o NÃO informa empreendedor
empreendimento
? SIM
SIM

11. SMA/Daia emite Parecer Técnico com as condições para as Licença de 13. Consema emite deliberação aprovando o empreendimento e encaminha à
Instalação LI e Licença de Operação LO. SMA/Daia.
etapas do licenciamento e encaminha junto com Súmula ao Consema
14. SMA emite a Licença Prévia, fixando seu prazo de validade; publica no
12. Consema publica Súmula no Diário Oficial e encaminha cópias aos DO
conselheiros, até oito (08) dias antes da reunião plenária subseqüente
(Deliberação Consema 01/99)

39 40

15. Interessado requer a Licença de Instalação - LI PROPOSTA

NÃO SMA exige a complementação ETAPAS INICIAIS


Interessado das exigências. PODE CAUSAR IMPACTOS SIGNIFICATIVOS?
cumpriu
exigências ? NÃO TALVEZ SIM
SIM
AVALIAÇÃO INICIAL
16. SMA/Daia emite Parecer Técnico e encaminha cópia ao Consema; emite
LICENCIAMENTO AMBIENTAL PROCESSO COMPLETO DE AVALIAÇÃO
Licença de Instalação com prazo de validade, publica no DO. SIMPLES DE IMPACTO AMBIENTAL

17. Interessado requer a Licença de Operação - LO ANÁLISE DETALHADA


TERMOS DE REFERÊNCIA

NÃO SMA exige a complementação ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL E


Interessado das exigências. ANÁLISE TÉCNICA RELATÓRIO DE IMPACTO AMBIENTAL
cumpriu
exigências ? SIM REPROVAÇÃO DECISÃO CONSULTA PÚBLICA

18. SMA/Daia emite Parecer Técnico e encaminha cópia ao Consema; emite APROVAÇÃO
Licença de Operação com prazo de validade, e publica no DO. ETAPA PÓS-APROVAÇÃO

•empreendimento fonte de poluição (Decreto 8468/76) a Cetesb emite LI e LF MONITORAMENTO GESTÃO AMBIENTAL E AUDITORIA
•LI e LO são comunicadas ao Consema, somente nos casos de EIA/Rima.

41 42

7
NORMA OBJETO EXEMPLOS DE CRITÉRIOS DE EXIGÊNCIA NORMA OBJETO EXEMPLOS DE CRITÉRIOS DE EXIGÊNCIA
Aterros sanitários e
–até 10 t/dia, desde que não estejam localizados
Sistemas de usinas de reciclagem
Para resíduos sólidos domiciliares inertes: em área de interesse ambiental — dispensa de LP
disposição de e compostagem de
Deliberação resíduos sólidos -até 25 t/dia— dispensa de EIA/Rima; Resolução SMA e RAP;
resíduos sólidos
Consema no domiciliares, -de 25 a 100 t/dia ou quando estiver em área –de 10 a 25 t/dia — exigência ou dispensa de LP e
no 50/97 domésticos
20/90 industriais e de de interesse ambiental — avaliação ambiental RAP decidida caso a caso pelo Daia;
preliminar operados por
serviços de saúde –acima de 25 t/dia — avaliação ambiental
acima de 100 t/dia — exigência de EIA/Rima municípios.
preliminar.
-municípios com população urbana de até 5000
habitantes — dispensa de LP; -determinadas substâncias minerais de pequeno
-municípios com população urbana de 5000 a porte (5.000 m3/mês de produção e com poligonal
Resolução SMA Sistemas urbanos 30.000 habitantes — dispensa de LP condicionada Resolução SMA Empreendimentos inferior a 100 ha) em situações definidas -
no 19/96 de esgotamento ao não-enquadramento em situações listadas na no 04/99 Minerários dispensadas de LP
sanitário. norma; -demais sujeitos a RAP
–municípios com população urbana superior a
-EIA para aqueles com impacto ambiental
30.000 habitantes — avaliação ambiental
preliminar significativo

Resolução SMA Parques Temáticos empreendimentos com capacidade de atendimento


situados em zonas aptas à mineração definidas
no 77/97 superior a 10.000 pessoas/dia — exigência ou Resolução SMA Empreendimentos
através de zoneamento minerário - dispensadas
dispensa de EIA/Rima baseada em avaliação no 03/99 Minerários
de EIA
ambiental preliminar.
43 fonte: Dias, 2001 44 fonte: Dias, 2001

Union Carbide (Dow Química)


- Índia 1984
Fábrica de agrotóxico – vazamento de gases letais
8 mil pessoas mortas devido exposição direta
Sobreviventes: doenças crônicas, e uma segunda geração de
Estudo de casos crianças continua a sofrer os efeitos da herança tóxica

45 46

Union Carbide (Dow Química) Union Carbide (Dow Química)


Na madrugada de 02 de dezembro de 1984, 40 A empresa abandonou a área após o
ton de gases letais vazaram da fábrica. Este foi o acidente sem se responsabilizar pelas mortes.
maior desastre químico da história. Gases tóxicos Além disso, deixou para trás uma grande
como o isocianato de metila e o hidrocianeto
escaparam de um tanque da empresa durante
quantidade de produtos químicos tóxicos
operações de rotina, os dispositivos de segurança perigosos.
apresentavam problemas ou estavam desligados. Hoje, mais de 150 mil sobreviventes com
A empresa negou-se a fornecer informações doenças crônicas ainda necessitam de cuidados
detalhadas do produto, e como consequência, os médicos e uma segunda geração de crianças
médicos não tiveram condições de tratar continua a sofrer os efeitos da herança tóxica
adequadamente os individuos expostos. Até hoje
não se conseguiu obter informações detalhadas do
deixada pela indústria
produto e seus efeitos sobre a saúde humana.
47 48

8
Industria Cataguases - MG
Union Carbide (Dow Química) -Rompimento do reservatório de resíduos químicos usados na produção de celulose
-Interrompimento do abastecimento de água em várias cidades
-Morte de peixes
Após o vazamento a Union Carbide -Contaminação solo e água subterrânea
declarou, que foi realizado pela empresa de
consultoria de engenharia Arthur D. Leite uma
investigação minuciosa, tendo como conclusão
que o vazamento de gás apenas poderia ter
sido causado por sabotagem deliberada,
alguém intencionamente colocou água no
tanque de armazenagem de gás, causando uma
reação química de imensa proporções. Havia
sistemas de segurança de processo instalados,
que teriam impedido a entrada de água no
tanque por acidente
49 50

Galícia – Espanha 2002


Galícia – Espanha 2002

Os prejuízos ambientais e econômicos causados


pelo petroleiro Prestige persistem oito meses depois de
seu afundamento, e reverter pode custar dez bilhões de
euros, sendo considerado o acidente mais caro da
história.
O navio avariado, que transportava 70 mil toneladas
de combustível, foi rebocado para alto mar e afundou
em frente ao cabo de Finisterre, imediatamente
espalhou 20 mil toneladas de combustível.
Após oito meses do acidente foram extraídos 75 mil
ton de resíduos, entre combustível, areia, algas
marinhas e animais mortos.

51 52

Vazamento da Baía de Guanabara Vazamento da Baía de Guanabara


O oleoduto procedente da Refinaria Duque de Caxias,
sentido Terminal da Ilha d'Água, rompeu devido à corrosão, Estudos concluiram que a degradação do
no interior do manguezal, liberando 1.300 m³ do produto. Os ecossistema de manguezal, onde estava assentado o
operadores demoraram muito tempo para paralisar o duto influenciou o descobrimento da tubulação expondo
bombeamento e identificar o local do vazamento. Enquanto à corrosão e ao "serpenteamento", gerando o seu
isso, as manchas de óleo formadas, espalharam-se pela rompimento. A grande dimensão dos danos ambientais
Baía de Guanabara, no sentido horário, por ação da maré poderia ter sido minimizada, caso o bombeamento
enchente. Como resultado, foram impactadas extensas áreas tivesse sido rapidamente interrompido e prontamente
de praias, costões rochosos, manguezais, ilhas, obra do contido. A pressão exercida pela mídia e por várias
patrimônio histórico (porto de Visconde de Mauá), pontos organizações governamentais e não governamentais,
turísticos (como a Ilha de Paquetá), materiais de pesca influenciou negativamente os processos de limpeza das
(redes, cercos, embarcações, remos, etc) e também áreas afetadas, agravando o impacto já provocado pelo
morreram dezenas de aves aquáticas. próprio óleo e gerando uma quantia de resíduos oleosos
Este vazamento ocorreu em janeiro de 2000, na Baía de muito grande.
53 Guanabara, Rio de Janeiro. 54

9
Operação Billings II Operação Vila Socó
Uma das linhas que interliga a Refinaria Presidente
O duto de interligação da Refinaria Presidente
Bernardes, em Cubatão, ao Porto de Alemoa, em Santos,
Bernardes, em Cubatão (RPBC) ao Terminal de rompeu devido à uma corrosão associado à falha operacional,
Utinga, da PETROBRAS, em São Caetano do Sul, houve o vazamento de gasolina. Esta tubulação se
rompeu por corrosão, causando o vazamento de encontrava em região alagadiça de manguezal, onde estavam
gasolina, nas proximidades da Represa Billings, assentadas várias famílias em construções do tipo palafitas. A
contaminando este importante manancial. Em liberação de um produto inflamável se espalhou com a
agosto de 1982, a represa também foi afetada por movimentação das marés e houve ignição seguido de incêndio
uma vazamento de óleo combustível, causado de grandes proporções, causando a morte de 38 pessoas e
também por corrosão em oleoduto, mas o volume 53 vítimas além de cerca de quinhentos desabrigados, pânico
não foi estimado. na comunidade da própria cidade, nas cidades vizinhas e
interdição da Rodovia Anchieta, situada paralelamente à linha
55 56do duto e contaminação de extensa área de manguezal.

Operação 303/98 Operação 345/98


O oleoduto do Sistema OSVAT rompeu por Em função do vazamento em um dos
corrosão, no interior das instalações da gasodutos da COMGAS, em São Paulo,
Refinaria do Vale do Paraíba (REVAP), em São houve liberação de gás natural, o qual se
José dos Campos, causando um grande
vazamento de óleo que atingiu áreas alagadas infiltrou no solo e cujos vapores passaram
como charcos e brejos, lagoa e o córrego para o interior de uma residência, mais
Lambari, gerando um grave impacto ambiental. precisamente nas instalações do
Este acidente foi uma reincidência. Em 1994, a banheiro. A seguir houve uma explosão
mesma linha gerou o vazamento de 1.200 m³ do causando ferimentos e queimaduras de
mesmo produto, também por corrosão, afetando primeiro grau no morador.
as mesmas áreas sensíveis.
57 58

Operação 035/00 - Serra do Mar Operação Barueri/GLP


O oleoduto do Sistema OSSP, da PETROBRAS, localizado
Durante as obras de construção do complexo rodoviário
nas encostas da Serra do Mar, próximo à Via Anchieta,
Rodoanel Mário Covas, junto à Rodovia Castelo Branco,
procedente da Refinaria Presidente Bernardes em Cubatão,
próximo ao km 20, um "bate-estacas" perfurou o gasoduto do
sentido ao planalto, rompeu em função de um pequeno ponto
Sistema OBATI da PETROBRAS, causando a liberação de gás
de corrosão. Devido à forte pressão com que o produto era
liquefeito de petroleo em grande quantidade, o qual
bombeado, o jato de óleo atingiu área significativa de
rapidamente se dispersou pelas imediações. Como
vegetação da Mata Atlântica e todos os esforços de combate
conseqüência, foi necessário proceder a evacuação de duas mil
foram dimensionados no intuito de conter rapidamente o
pessoas, residentes nas proximidades, devido ao alto teor de
vazamento, evitando que mais áreas fossem atingidas, trabalho
este muito dificultado pela grande inclinação do terreno. explosividade presente no local.

59 60

10
Operação 182/02 Operação OSBAT - Guaecá
O oleoduto do Sistema OSSP, da PETROBRAS,
localizado nas encostas da Serra do Mar, próximo à Na manhã do dia 18 de fevereiro de 2004 foi constatado
Via Anchieta, procedente da Refinaria Presidente afloramento de petróleo e contaminação do rio Guaecá na
Bernardes em Cubatão, sentido ao planalto, rompeu região da Praia de Guaecá, em São Sebastião. A
PETROBRAS/TRANSPETRO identificou a causa do
em função de um pequeno ponto de corrosão.
vazamento como sendo uma fenda longitudinal no oleoduto
Devido à forte pressão com que o produto era
OSBAT 24´´, km 3 + 143m, quota 219 m. O vazamento
bombeado, o jato de óleo atingiu área significativa ocorreu dentro de Unidade de Conservação (área do Parque
de vegetação da Mata Atlântica e todos os esforços Estadual da Serra do Mar - Núcleo São Sebastião), atingindo
de combate foram dimensionados no intuito de o rio Guaecá, corpo d’água classe 1, afetando severamente a
conter rapidamente o vazamento, evitando que mais biota aquática e associada ao mesmo.
áreas fossem atingidas, trabalho este muito
dificultado pela grande inclinação do terreno.
61 62

Duplicação da Rodovia
Operação OSBAT - Guaecá Fernão Dias
Empreendedor: DER/SP
Foram atingidos também a praia de Guaecá e outros Licenciamento independente em cada um dos estados (SP e MG)
ambientes como a Mata Atlântica / mata ciliar (área de Etapas iniciais:
preservação permanente), indiretamente afetados pelas Consulta do DER/SP à SMA Vistoria DAIA/FEAM/DER

ações de emergência e remediação implantadas. A


operação de emergência envolveu mais de 600 pessoas
e intensa logística. O evento teve intensa repercussão Termo de Referência
na mídia, estimulada ainda pela proximidade do
carnaval. Houve impacto sócio econômico no turismo
local e nas atividades de subsistência (comércio
informal) da praia de Guaecá. Reuniões de acompanhamento durante a
elaboração do EIA
EIA apresentado em jan/1993
Não houve pedidos de complementação

63 64

● Conteúdo da manifestação dos órgãos que participaram da análise


Principais interferências ambientais da obra proposta do EIA
diversas críticas quanto ao conteúdo e metodologia
APAs de Jundiai, Piracicaba e Atibaia CPLA
Necessidade de reassentamento de populaçãoo na faixa de domínio do DER
Instituto Interceptação do Parque Estadual da Cantareira
Parque Estadual da Cantareira (área tombada) Florestal e
Condephaat Interceptação de Área de Manaciais das Bacias do Piracicaba, Juqueri e
Sapucai
Incorreções no diagnóstico ambiental de meio biótico
Possível indução de ocupação, inclusive sobre os reservatórios do Sistema
Cantareira
Supressão de vegetação em Áreas de Preservação • DEPRN e Ibama
Permanente Audiência Pública
Área de Proteção de Mananciais DUSM Consema decidiu pela suspensão do prazo regimental de 20 dias úteis
entre a convocação e sua realização - 05/05/1993
realizada em 12/05/1993, quatro dias após a publicação de sua
convocação
tranqüila e sem polêmicas
65 66

11
Ação Civil Pública
análise do EIA e das manifestações dos órgãos da SMA
entidades ambientalistas enviaram protestos e pedindo nova Audiência
Pública e comunicando a realização em 15/07/1993 de reunião pública falta de modelos de desenvolvimento urbano-industrial ao longo da
rodovia
protestos ignorados pela SMA falta de fiscalização do processo de conurbação SP/MG na Cantareira
elaboração de Parecer Técnico pelo DAIA complexidade do empreendimento

solicita-se providências ao Ministério Público

Ação Civil Pública - art. 129 inciso III da Constituição

DAIA Parecer Técnico sugerindo a expedição da LP


03/09/1993 pedido de liminar do
exigências: MPF contra o DNER e a Fazenda do liminar aceita
projeto básico e executivo das obras Estado de São Paulo
declara nulos o EIA e a LP
planos e programas referentes às medidas mitigadoras e compensatórias
o DER tem obrigação de fazer novo EIA
criação de equipe interinstitucional para acompanhar o processo de
licenciamento multa diária no caso de descumprimento
condeção dos réus ao pagamento dos custos
67 68

Ação Civil Pública


Outros aspectos
sucedem-se pedidos de esclarecimentos sobre o andamento do
DAIA instrui a defesa da PGE (discutindo todas as críticas quanto às falhas
licenciamento e denúncias de irregularidades de Prefeituras e da
do EIA e declara que a competência legal para analisar o EIA é do DAIA -
sociedade civil
Resolução SMA 02, de 20.03.92)
liminar cassada - 19.4.94 os órgãos da SMA manifestam-se sobre pendências das exigências
definidas na LP
mandato de segurança contra a cassação da liminar na instância
superior sucedem-se vistorias do DAIA e DEPRN apontando problemas de
manutenção nos bota-foras e áreas de empréstimo
aguarda julgamento prosseguem as obras
firmam-se os convênios com o Instituto Florestal e a CPLA

Outros aspectos set/96 - o DER solicita LI para novo trecho


26/04/94 - Parecer Técnico do DAIA define que LI será em módulos
encaminha-se o processo para nova avaliação do Consema uma vez que não
constitui-se um grupo interinstitucional para acompanhamento do foi atendida exigência de assentamento da população, sendo acatado novo
licenciamento e, após protesto de conselheiros ambientalistas do Consema entendimento
há ampliação do mesmo
out/96 - concedida nova LI

69 70

Outros aspectos

DER solicita LI de novo trecho para atendimento das exigências do BID

embora existissem pedências de exigências, assina-se um Termo de


Ajustamento de Conduta e é concedida nova LI

prosseguem vistorias de acompanhamento

71

12

Você também pode gostar