Você está na página 1de 4

CONSELHO UNIVERSITÁRIO

PLANO DE ENSINO-APRENDIZAGEM
E
PROGRAMAÇÃO DO COMPONENTE CURRICULAR

Plano de Ensino-Aprendizagem do
Componente Curricular
1 IDENTIFICAÇÃO DO COMPONENTE CURRICULAR
Componente Curricular: ESTÉTICAS NEGRODESCENDENTES

TIPO: CCC: Conhecimentos (x) | CCP: Práticas () | CCL: Laboratórios ( ) | CCR: Residência ()
CCE: Estágio () | CCA: Avaliação Autônoma de Aprendizagem () | CCX: Exame ( )

Código do CC; ISC0315

Creditação (Equivalência no Sistema ECTS):

Carga horáriado CC com atividades na meta-


presença da/o docente:
Carga horária do CC em atividades extraclasse (até 20%
do total do Conjunto do CC):
Outros CCs que fazem parte do Conjunto do CC
(preencha com os códigos, denominações e carga
horária):
Carga horária total do Conjunto do CC: 60 horas
Articulador/aintercampi do Conjunto do CC:
Equipe Docente: Pâmela Peregrino e Richard Santos

2 EMENTA DO COMPONENTE CURRICULAR


Estudo das culturas africanas, diaspóricas e do negro no Brasil. Sistema de arte fundados em práticas culturais
negrodescendentes no Brasil. Culturas negras, sistemas de arte ocidentais e autóctones – encontros/confrontos e
desdobramentos artísticos. Leituras e releituras da historiografia produzida pelo eurocentrismo; dos Estudos Colonialistas
aos Estudos Culturais. "Afro-brasilidade" como unidade cultural – da marginalização eurocêntrica à conjuntura política
atual. Arte e cultura: alteridade nas relações entre as matrizes afro-descendentes e outras matrizes culturais presentes no
Brasil.

1
Universidade Federal do Sul da Bahia – Plano de Atividades do Componente Curricular (adaptado pelos docentes Pâmela
Peregrino e Richard Santos
3 OBJETIVO(S) GERAL(IS) DO COMPONENTE CURRICULAR:
O curso buscará estimular o estudo e a produção artística afrorreferenciada. Desse modo, incluiremos leituras sobre as
estéticas negras no Brasil e África, bem como a produção artística atenta a racialização da desigualdade, invisibilidade das
violências e a luta por emancipação política, epistêmica e dos corpos na atualidade. Interdisciplinarmente, como produto
final do componente, estimula a analise e a produção de pesquisas sobre a estruturação do racismo e de sua estética política
na sociedade contemporânea.

3.1 OBJETIVO(S) ESPECÍFICOS DO COMPONENTE CURRICULAR:


Resumo do curso: O curso buscará estimular o estudo e a produção artística afrorreferenciada. Desse modo, incluiremos
leituras sobre as estéticas negras no Brasil e África, bem como a produção artística atenta a racialização da desigualdade,
invisibilidade das violências e a luta por emancipação política, epistêmica e dos corpos na atualidade. Interdisciplinarmente,
como produto final do componente, estimula a analise e a produção de pesquisas sobre a estruturação do racismo e de sua
estética política na sociedade contemporânea.

Unidade 1: Reflexões acerca das ideias de Estéticas e de Negrodescentes

Unidade 2: Racismo, colonialismo e desigualdade racial no Brasil contemporâneo

Unidade 3: Negro e a linguagem: Resistência afrodescendente, arte e cultura

Unidade 4: Religiosidades e cosmovisão afrobrasileras, estética e resistência cultural

4 PROCEDIMENTO PARA AVALIAÇÃO PROCESSUAL OU EXAMINAÇÃO, CONFORME FOR O


CASO, DO COMPONENTE CURRICULAR:
1) Artigo ou peça artística elaborado e/ou aperfeiçoado ao longo do curso – 40% da nota final .
2) Seminário em sala de aula - 30% da nota final
3) Participação – 30% da nota final. (Considera-se para compor a nota de participação a entrega de pelo menos três resumos
comentados dos textos ofertados e a presença e participação em pelo menos três oficinas práticas).
5) Presença em sala de aula obrigatória, conforme regimento da UFSB.
a)

5 BIBLIOGRAFIA BÁSICA DO COMPONENTE CURRICULAR:


ABREU, Marta. Canções escravas. IN: Dicionário da escravidão e liberdade. Pág. 130 a 136.
ALARCON, Daniela. Discurso sobre o colonialismo, de Aimé Cesaire. Um texto de combate.
ALEXANDRE, Marcos Antonio. Marcas da Violência: vozes insurgentes no Teatro Negro Brasileiro
BARBOSA, Fernanda Júlia. Ancestralidade em cena Salvador: Candomblé e teatro na formação de uma
encenadora.
BORGES, Rosane. Mídia, racismos e representações do outro.
CARVALHO, Noel. DOMINGUES, Petrônio. A representação do negro em dois manifestos do cinema brasileiro.
CÉSAIRE, Aimé. Discurso sobre o colonialismo.
FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. (capítulo 01- O negro e a linguagem).
FREITAS, Régia Mabel. A história do teatro negro na Bahia: a força do discurso político-ideológico da negritude em
cena.
GONZALES, Lélia. Racismo e sexismo na cultura brasileira.
GUERREIRO, Goli- Terceira diáspora. Salvador da Bahia e outros portos atlânticos.
GUERREIRO, Goli. Um debate em torno da música baiana.
KILEUY, Odé; OXAGUIÃ, Vera de. O candomblé bem explicado: Noções Bantu, Iorubá e Fon
LOPEZ, Ney Brás. Bantos, Malês e Identidade Negra
MARTINS, Leda. Perfomances da Oralitura: corpo, lugar de memória.
MONTORO, T.; FERREIRA, C. Mulheres negras, religiosidades e protagonismos no cinema brasileiro.
NASCIMENTO, Abdias. Teatro Experimental do Negro:Trajetória e reflexões.
PINHO, Osmundo. Revolução afrodescendente no Séc. XXI.
PÓVOAS, Rui Carmo. Itan dos mais velhos
ROCHA, Marilúcia. JEAN-MICHEL BASQUIAT - Revista Káwè
SANTOS, Richard – Voz ativa. A militância Hip Hop como ação comunicativa da Maioria Minorizada nas periferias
globais.

2
Universidade Federal do Sul da Bahia – Plano de Atividades do Componente Curricular (adaptado pelos docentes Pâmela
Peregrino e Richard Santos
SANTOS, Richard. Do Sujeito Desidentificado a Maioria Minorizada.
SAUÉ, Alberto. ARTE MOCAMBICANA: Pintura, Arquitetura e escultura
TOMÁZ, Alzení de Freitas. O direito e o sagrado no território afro-brasileiro de mãe Edneusa.

CRONOGRAMA:
UNIDADE AULA Tema, textos e Metodologia Estudante
Responsável pela
apresentação do texto
Pâmel Richar Pâmela Richard
a d
Unidade 1 17/09 19/09 Estética? Negrodescente? X X
1: Reflexões ● Apresentação do Curso, da docente e dos estudantes
acerca das ● Debate em torno do que é Estética e o que é Negrodescendente.
ideias de ● EXERCÍCIO CORPORAL: Reconhecimento espacial e
Estéticas e de ancestralidade: A Diáspora em nossos corpos.
Negrodescente ● Debate
s ● Filme – Alma no olho, Dir. Zózimo Bulbul. Dur.
11’.https://www.youtube.com/watch?v=RTQlaxiokBA
● Apresentação dos autores e leituras para o encontro seguinte:
Unidade 2: 2 24/09 26/09 GONZALES, Lélia. Racismo e sexismo na cultura brasileira. Raquel Viviane
Racismo, (aula CÉSAIRE, Aimé. Discurso sobre o colonialismo. Joilton Alessandr
colonialismo e com o
desigualdade prof ALARCON, Daniela. Discurso sobre o colonialismo, de Aimé Cesaire. Sérgio Bruno
racial no Brasil Richar Um texto de combate.
contemporâne d)
o 3 01/10 03/10 BORGES, Rosane. Mídia, racismos e representações do outro. Heictor Lucas
(Ativi SANTOS, Richard. Do Sujeito Desidentificado a Maioria Minorizada Athena Camila
dade SOLICITAR QUE CADA ESTUDANTE LEVE, NA PRÓXIMA AULA, UMA X XX
progra OBRA OU OBJETO QUE O REMETA A "ESTÉTICA
mada) NEGRODESCENDENTE"
Unidade 3: 4 08/10 10/10 APRESENTAÇÂO E DEBATE EM TORNO DAS OBRAS E X
Negro e a OBJETOS de "ESTÉTICA NEGRODESCENDENTE"
linguagem: PINHO, Osmundo. Revolução afrodescendente no Séc. XXI. Filipa Arthur
Resistência GUERREIRO, Goli- Terceira diáspora. Salvador da Bahia e outros Carol Gustavo
afrodescenden portos atlânticos.
tearte e cultura FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. (capítulo 01- O negro e a Kiane Marcelo
linguagem).
5 15/10 17/10 Artes Visuais X X
ABRAS, Benjamin.
https://www.youtube.com/watch?v=BHImNbjOAhU
BASQUIAT, Jean-Michel. (ROCHA, Marilúcia. JEAN-MICHEL Jean Raíssa
BASQUIAT - Revista Káwè)
SAUÉ, Alberto. ARTE MOCAMBICANA: Pintura, Arquitetura e Leonard Mayne
escultura o
EXERCÍCIO DE CRIAÇÃO de IMAGENS: trabalho coletivo com X X
imagens, palavras e produção de murais
Corpo e memória Victor Sthefany
MARTINS, Leda. Perfomances da Oralitura: corpo, lugar de
memória.
PRODUÇÃO POÉTICA: entre o corpo e a escrita: a Memória ancestral nos
corpos negros.
6 22/10 24/10 Música X X
Vídeo documentário –“Novos Quilombos de Zumbi”, Direção e roteiro –
Noel Carvalho.
https://www.youtube.com/watch?v=t4nK2_gUCT0&feature=share
Visualizado em 10/09/2019
ABREU, Marta. Canções escravas. IN: Dicionário da escravidão e Andress Rutiele
liberdade. Pág. 130 a 136. a
SANTOS, Richard – Voz ativa. A militância Hip Hop como ação Carol e Ivanna
comunicativa da Maioria Minorizada nas periferias globais. Jean
GUERREIRO, Goli. Um debate em torno da música baiana. Heictor Marcelo
Doc. Mulheres do samba de roda - X X
https://www.youtube.com/watch?v=Suq9E24YQwI Visualizado em
23/01/2019
7 29/10 31/10 Teatro: Islane
NASCIMENTO, Abdias. Teatro Experimental do Negro:Trajetória e Laura
reflexões.
Doc. TV Senado. Abdias nascimento - X X
https://www.youtube.com/watch?v=sYLzhTyqt2U visualizado em
21/01/2019.
FREITAS, Régia Mabel. A história do teatro negro na Bahia: a força do Fâmela
discurso político-ideológico da negritude em cena.
3
Universidade Federal do Sul da Bahia – Plano de Atividades do Componente Curricular (adaptado pelos docentes Pâmela
Peregrino e Richard Santos
ALEXANDRE, Marcos Antonio. Marcas da Violência: vozes insurgentes Ivanna
no Teatro Negro Brasileiro
BARBOSA, Fernanda Júlia. Ancestralidade em cena Salvador: Victor
Candomblé e teatro na formação de uma encenadora.
8 05/11 07/11 Audiovisual Gabriel Ivanna
MONTORO, T.; FERREIRA, C. Mulheres negras, religiosidades e a
protagonismos no cinema brasileiro.
CARVALHO, Noel. DOMINGUES, Petrônio. A representação do negro Kailane
em dois manifestos do cinema brasileiro.
Filme: Carolina. Dir. Jefferson de. Dur. 14’37”. X X
https://www.youtube.com/watch?v=Chl-lg87LVQ&t=439s Visualizado em
21/01/2019
Manifestações culturais tradicionais: X X
Documentário A Barca: O Turista Aprendiz
https://www.youtube.com/watch?v=8FOpGI45A5s
JOGOS E BRINCARES POPULARES NEGROS: re[existir] no corpo, na
voz e no espaço
Unidade 4: 9 12/11 14/11 - ITAN: CONTAÇÃO E LEITURA DE HISTÓRIAS DE ORIXÁS X X
Religiosidades PEREGRINO, Pâmela. Òpárá de Òsùn: quando tudo nasce. Paulo Afonso,
e cosmovisão 2018. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=G9oueZFnNB8
afrobrasileras, PÓVOAS, Rui Carmo. Itan dos mais velhos Nicolle Marcelo
estética e TOMÁZ, Alzení de Freitas. O direito e o sagrado no território afro- Maynne
resistência brasileiro de mãe Edneusa
cultural LOPEZ, Ney Brás. Bantos, Malês e Identidade Negra Jean Camila
KILEUY, Odé; OXAGUIÃ, Vera de. O candomblé bem explicado: Noções Gabriel Tais
Bantu, Iorubá e Fon a
NOVEMBRO 10 19/11 21/11 X X
NEGRO
AVALIAÇÃO 11 26/11 28/11 X X
DA JORNADA
E DO CC.

AAVALIAÇÃ 12 03/12 05/12 Roda de avaliação do componente X X


O (PAMELA) -
aTIVIDADE
PROGRAMAD
A (RICHARD)
2 chamada 13 10/12 12/12 Segunda Chamada para Apresentação de trabalhos em Sala de aula X X
ÚLTIMO DIA
ENTREGA OU
APRESENTA
ÇÃO DOS
TRABALHOS
(RICHARD).

4
Universidade Federal do Sul da Bahia – Plano de Atividades do Componente Curricular (adaptado pelos docentes Pâmela
Peregrino e Richard Santos

Você também pode gostar