Você está na página 1de 65

Universidade Federal do Rio Grande

Escola de Engenharia
Sistemas de Refrigeração e Climatização

Psicrometria
Definição

O estudo detalhado da mistura ar seco – vapor d’água é de tal

importância que constitui uma ciência a parte, a Psicrometria.

O conhecimento das condições de umidade e temperatura do

ar é de grande importância:

• conforto térmico;

• conservação de produtos alimentícios  ressecamento e

perda de peso.
Ar

O ar atmosférico é constituído de uma mistura de gases,


vapor d’água e contaminantes (fumaça, poeira, poluentes
gasosos) presentes normalmente em locais distantes das
fontes poluidoras.

Ar seco:

Por definição, é a mistura dos gases que constituem o ar


atmosférico com exclusão do vapor d’água, ou seja, quando
todo o vapor d’água e contaminantes são removidos do ar
atmosférico.
Ar

Composição do ar seco ao nível do mar


Ar

• A massa molecular aparente do ar seco é 28,9645 kg/kg-

mol e a do vapor d’água é de 18,01528 kg/kg-mol.

• A contante dos gases para o ar seco, baseada na escala do

carbono 12 é Ra = 287,055 J/kg.K.

• A mistura de ar seco e vapor d’água é denominada ar

úmido ou mistura binária de ar seco e vapor d’água.


Ar

A quantidade de vapor d’água presente na mistura de zero


até o valor correspondente à condição de saturação 
quantidade máxima de vapor d’água que o ar pode suportar
em determinada condição de temperatura.

Ar Saturado:

Mistura de ar seco e vapor d’água saturado. Mais


precisamente, é o vapor d’água que está saturado e não o ar.

Ar não saturado:

Mistura de ar seco e vapor d’água superaquecido.


Lei de Dalton

“A pressão total de uma mistura de gases é igual a soma das

pressões parciais de cada componente na mesma

temperatura da mistura”.

Define-se pressão parcial de cada componente como a

pressão que ele exerceria se ocupasse sozinho o volume da

mistura, na temperatura da mistura.


Lei de Dalton

PA, PB e PC são respectivamente as pressões parciais dos


gases A, B e C.
Lei de Dalton

Para o caso do ar úmido:

P = PA + PV

Onde:

P = pressão atmosférica

PA = pressão parcial do ar seco

PV = pressão parcial do vapor d’água.


Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido

Associadas a temperatura:

• Temperatura de bulbo seco (tbs)

• Temperatura de bulbo úmido (tbu)

• Temperatura de ponto de orvalho (to)

Associadas a quantidade de vapor d’água presente no ar:

• Pressão de Vapor (PV)

• Razão de Umidade (x)

• Umidade relativa (φ)


Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido

Outras propriedades de vital importância relacionadas com o

volume ocupado pelo ar e com a energia do ar:

• Volume específico (v)

• Entalpia (h)

A entalpia e o volume específico são propriedades da mistura

ar seco – vapor d’água, mas por conveniência, são expressas

como base em uma unidade de massa de ar seco.


Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido

Temperatura de bulbo seco (tbs)

Temperatura indicada por um termômetro comum, não


exposto a radiação, podendo ser chamada de apenas
temperatura do ar, por se tratar de ser a real temperatura do
ar úmido.

Temperatura de bulbo úmido (tbu)

Temperatura indicada por um termômetro cujo bulbo foi


previamente envolto por algodão úmido, tão logo seja atingido
o equilíbrio térmico  mistura de ar seco e vapor d’água sofre
um processo de resfriamento adiabático  evaporação da
água do algodão no ar  mantendo-se a pressão constante.
Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido

Psicrômetro

Dispositivo composto por 2 termômetros, um deles envolto


por um tecido constantemente umedecido (termômetro de
bulbo úmido) e o outro, ao lado, em equilíbrio térmico com o
ar úmido (termômetro de bulbo seco).

O termômetro de bulbo úmido recebe um fluxo de ar


constante com velocidade entre 3 m/s e 5 m/s por meio de um
sistema de ventilação  evaporação da umidade retira
energia do bulbo úmido  queda da temperatura até estado
de equilíbrio  fluxo de energia do ar para o bulbo = energia
necessária para evaporação da umidade.
Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido

Psicrômetros de aspiração (sistema ASSMANN)


Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido

Temperatura de Orvalho (to)

É a temperatura na qual o vapor se condensa ou solidifica


quando resfriado a pressão constante e umidade constante.

Estado 1: mistura
gasosa no estado de
vapor superaquecido
com pressão parcial de
vapor Pv.
Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido

Temperatura de Orvalho (to)

Se a mistura for resfriada

com pressão total P e

umidade x constantes, Pv

será constante e o ponto 2

será alcançado, dando

início a condensação.
Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido

Pressão de Vapor (Pv)

É a pressão parcial exercida pelas moléculas de vapor


d’água presentes no ar úmido.

Em uma condição de equilíbrio:


Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido

Pressão de Vapor (Pv)

A constante psicrométrica a1 da temperatura, geometria do


bulbo do termômetro e velocidade do ar.

Valores obtidos empiricamente:

Psicrômetros com movimentação de ar tipo ASSMANN e


velocidade do ar maior que 3 m/s
Psicrômetros sem sistema de movimentação de ar instalado
em abrigo meteorológico e velocidade do ar de aprox. 1 m/s

Psicrômetros não ventilados (ar em repouso).


Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido

Pressão de Vapor Saturado (Pvs)

Ocorre quando o ar está totalmente saturado de vapor


d’água.

Considerando que o estado


do ar no diagrama T-s é
representado pelo ponto 1,
Ps corresponde a pressão de
vapor saturado do ponto em
questão.
Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido

Razão de Umidade ou Umidade Absoluta (x ou w)

É definida como a razão entre a massa de vapor d’água e a


massa de ar seco em um dado volume de mistura.

Em termos das pressões parciais:


Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido

Umidade Relativa (φ)

É definida como a relação entre a pressão parcial do vapor


d’água na mistura (Pv) e a pressão de saturação
correspondente a temperatura de bulbo seco da mistura
(Pvs).
Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido

Volume Específico (v)

É definido como o volume ocupado pela mistura ar seco –

vapor d’água por unidade de massa de ar seco.

A massa específica do ar úmido não é igual ao recíproco de

seu volume específico. Esta deve ser determinada através

da razão entre a massa total da mistura e o volume ocupado

por ela.
Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido

Entalpia do Ar Úmido (h)

É a energia do ar úmido por unidade de massa de ar seco,


acima de uma temperatura de referência.

A entalpia do ar úmido é a soma das entalpias de seus


componentes:

A entalpia específica (h) é sempre referida a massa de ar


seco:
Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido

Entalpia do Ar Úmido (h)

Para o ar:

Para o vapor:
Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido
Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido

Pressão Atmostérica (P)

A temperatura e a pressão barométrica do ar atmosférico


varia consideravelmente com a altitude e com as condições
climáticas e geográficas do local  atmosfera padrão é
referência para estimar propriedades do ar úmido a várias
altitudes.

Ao nível do mar, a temperatura e a pressão padrão são


respectivamente 15°C e 101,325 kPa.
Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido

Pressão Atmostérica (P)

A pressão atmosférica pode ser calculada através da


equação

Onde Z corresponde a altura em relação ao nível do mar em


metros.
Propriedades Termodinâmicas do Ar Úmido

Atmosfera padrão para várias altitudes


Diagrama Psicrométrico

As propriedades termodinâmicas da mistura ar seco – vapor


d’água que constituem o ar atmosférico podem ser
convenientemente apresentadas em forma de diagramas 
Diagramas Psicrométricos ou Cartas Psicrométricas.

Diagrama de Carrier  mais utilizado nas Américas  razão


de umidade e/ou pressão de vapor são traçadas em conjunto
com temperatura de bulbo seco e outra coordenada oblíqua, a
entalpia.

Diagrama de Mollier  mais utilizado na Europa  razão de


umidade e entalpia como coordenadas.
Diagrama Psicrométrico

Diagrama de Carrier – Propriedades Termodinâmicas


Diagrama Psicrométrico

Diagrama de Mollier – Propriedades Termodinâmicas


Diagrama Psicrométrico

Diagrama de Carrier – Propriedades Termodinâmicas


Diagrama Psicrométrico
Diagrama Psicrométrico

Determinação de Propriedades Termodinâmicas

Exemplo:

Determinar as propriedades do ar utilizando o diagrama


psicrométrico de Carrier, sabendo que as temperaturas
obtidas através de um psicrômetro são tbs=25 °C e tbu=21 °C,
sabendo que o mesmo encontra-se ao nível do mar.

Solução:
Diagrama Psicrométrico
Lei da Linha Reta

A lei da linha reta estabelece:

“Os estados pelos quais passa o ar em seu contato com a

superfície molhada se encontram sobre uma linha reta na

Carta Psicrométrica, tendendo a aproximarem do estado

saturado à temperatura da superfície”.


Lei da Linha Reta

Ar de entrada: Temperatura te e umidade absoluta We, trocando calor e


massa com a superfície coberta de uma camada de água - tp.
Superfície: ar e água em equilíbrio  estado saturado à temperatura tp e
umidade absoluta Wp.
• te < tp  Transferência de Calor (torres de
Potencial entálpico resfriamento).
• Pressão parcial do vapor depende
linearmente da umidade absoluta, logo We <
Wp  Potencial de pressões parciais 
transferência de massa.
Lei da Linha Reta
Processos Psicrométricos

• Mistura adiabática de duas quantidades de ar úmido;

• Aquecimento sensível (aquecimento seco);

• Resfriamento sem desumidificação (resfriamento seco);

• Resfriamento com desumidificação;

• Resfriamento e umidificação;

• Aquecimento e umidificação.
Processos Psicrométricos

Mistura adiabática de duas quantidades de ar úmido

Processo muito utilizado em sistemas de climatização 


obtenção das características adequadas do ar através da
mistura do ar interno (retorno do ambiente climatizado) com
uma parte do ar externo (ar de renovação).
Processos Psicrométricos

Mistura adiabática de duas quantidades de ar úmido


Processos Psicrométricos

Mistura adiabática de duas quantidades de ar úmido

• Entalpia final: média ponderada das entalpias das correntes


que se misturam.

• Umidade absoluta final: média ponderada das umidades


absolutas das correntes que se misturam

Uma aproximação freqüentemente utilizada é que temperatura


resultante é a média ponderada das temperaturas de entrada
 localização do estado final da corrente de ar na carta sobre
o segmento que une os pontos dos estados das correntes de
entrada.
Processos Psicrométricos

Aquecimento Sensível ou Aquecimento Seco

Fornecimento de energia ao ar  aumento da temperatura


com razão de umidade constante  sem variação na
quantidade de umidade na mistura  representação no
diagrama psicrométrico por meio de linhas horizontais.
Processos Psicrométricos

Resfriamento sem Desumidificação ou Resfriamento Seco

Retirada de energia do ar  redução da temperatura com


razão de umidade constante  sem variação na quantidade
de umidade na mistura  representação no diagrama
psicrométrico por meio de linhas horizontais.

Água gelada com temperatura maior ou igual a


temperatura de ponto de orvalho do ar
Processos Psicrométricos

Resfriamento com Desumidificação

No resfriamento do ar, quando se atinge a curva de umidade


relativa máxima  ponto de orvalho.

O resfriamento do ar moverá o ponto de estado sobre a linha


de saturação  condensação de parte do vapor d’água
presente no ar  redução da umidade absoluta.
Processos Psicrométricos

Resfriamento com Desumidificação

Supondo que somente parte do


ar tem contato com a serpentina
 trajetória ACD 
desumidificação em CD

Restante do ar não entra em


contato com serpentina
(simplificação)  não sofre
transformação  saída da
serpentina com mistura do ar
nas condições D e A  ponto E.
Processos Psicrométricos

Resfriamento com Desumidificação

Fração de ar que não toca a


serpentina  “ar de by-pass”

Calor total retirado pela


serpentina:
Processos Psicrométricos

Resfriamento com Desumidificação

Fator de by-pass:

É definido como a relação entre a massa de ar de by-pass e a

massa total de ar que passa pelo trocador de calor.

O fator de by-pass depende sobretudo do n° de filas e da

velocidade frontal do ar do trocador.


Processos Psicrométricos

Resfriamento com Desumidificação

Fator de by-pass de serpentinas de resfriamento

Diâmetro externo do tubo = 16 mm


315 aletas onduladas por metro linear
Relação entre superfícies externa e interna = 12,3
Processos Psicrométricos

Resfriamento com Desumidificação

Fator de by-pass de serpentinas de resfriamento

Diâmetro externo do tubo = 16 mm


552 aletas onduladas por metro linear
Relação entre superfícies externa e interna = 21,5
Processos Psicrométricos

Resfriamento com Desumidificação


Fator de Calor Sensível (R)

É a relação entre o calor sensível e o calor total.


Processos Psicrométricos

Resfriamento com Desumidificação


Fator de Calor Sensível (R)

Exemplo:

Para manter um ambiente a 26°C e com 50% de umidade


relativa é necessário retirar do mesmo 20.000 kcal/h de calor
sensível e 10.000 kcal/h de calor latente. A temperatura de
bulbo seco do ar insuflado no ambiente é fixada
arbitrariamente de 20, 15 e 10°C. Determinar a vazão de ar
necessária nos três casos.
Processos Psicrométricos

Fator de Calor Sensível (R)


Solução:

tA = temperatura do ambiente

tI = temperatura do ar insuflado

A vazão de ar pode ser calculada da seguinte forma:


Processos Psicrométricos

Fator de Calor Sensível (R)


Solução:
Para que esta vazão possa neutralizar o calor latente do
ambiente  umidade absoluta deve ser suficientemente
inferior à do ambiente  consultando carta psicrométrica

Supondo que o calor latente de evaporação da água é de 0,6


kcal/g verifica-se que um calor latente de 10.000 kcal/h
corresponde a 10.000 / 0,6 = 16.666 gramas de água que
devem ser retirados do ambiente.
Processos Psicrométricos

Fator de Calor Sensível (R)


Solução:

Chamando de ∆x (gvapor/ kgar) a diferença de umidade


específica entre o ar ambiente e o ar insuflado, tem-se:

O ponto indicado, na carta psicrométrica, é o correspondente a


letra C.
Processos Psicrométricos

Fator de Calor Sensível (R)


Solução:
Processos Psicrométricos

Fator de Calor Sensível (R)


Solução:

Repetindo o mesmo procedimento para as temperaturas de 15


e 10°C:
Processos Psicrométricos

Fator de Calor Sensível (R)


Conclusões:
• A inclinação do segmento de reta AB corresponde ao Fator
de calor sensível (R)  característica do ambiente e definido
como Fator Térmico do Ambiente.
• A vazão de ar será mínima se o ar for introduzido nas
condições do ponto B.
• Todos os pontos representativos das diferentes condições
capazes de neutralizar as cargas sensíveis e latentes se
encontram sobre o segmento AB
• Se o ar é insuflado na quantidade que corresponderia ao
ponto C mas na condição F  resultaria no ponto G.
Processos Psicrométricos

Resfriamento e Umidificação
Adição de umidade no ar sem que se acrescente energia 
ponto de estado se move sobre linha isoentálpica 
temperatura de bulbo úmido praticamente constante
Processos Psicrométricos

Resfriamento e Umidificação
Eficiência de Saturação (ES):
Processos Psicrométricos

Aquecimento e Umidificação
O ar pode ser aquecido e umidificado se o mesmo passar por
um condicionador que contenha pulverização de água quente
ou injeção direta de vapor.
Processos Psicrométricos

Aquecimento e Umidificação

Processo caracterizado
pelo aumento da entalpia e
da umidade absoluta  a
temperatura de bulbo seco
final pode ser maior, igual
ou menor a temperatura
inicial  função das
condições do ar e da água
e das vazões.
Referências

ASHRAE HANDBOOK. Fundamentals (SI). American


Society of Heating. Refrigeration and Air-Conditioning
Engineers, 2005.

CREDER, H. Instalações de Ar condicionado. Ed. LTC. São


Paulo: 2004.

MARTINELLI, L. C. J. Refrigeração e Ar-Condicionado –


Parte IV – Psicrometria. DeTEC, 2010.

STOECKER, W.F. e JONES, J.W. Refrigeração e Ar


Condicionado. McGraw-Hill. São Paulo,1985.

Você também pode gostar