Você está na página 1de 8

Apostila de Biologia

2º ano do Ensino Médio – EJA

Aluno (a): ________________________________________________________________ Turma: __________________

Os Seres Vivos
Todos os seres vivos são formados por células, necessitam de alimento, precisam respirar, são capazes de se
reproduzir e possuem uma composição química formada por substâncias orgânicas e inorgânicas.

As substâncias orgânicas são produzidas somente por seres vivos. São elas: proteínas, lipídeos, carboidratos,
ácidos nucléicos e vitaminas.

As inorgânicas estão presentes na natureza e podem ser encontradas em elementos como o solo, rocha, etc. A
água e os sais minerais (CA, I, Fé, Na, etc.) são excelentes exemplos deste tipo de substância.
A água tem destaque na constituição química de todos os seres vivos, ela representa de 75 a 85% de sua
constituição. Ela é indispensável à vida e sua carência leva a dificuldade e, até mesmo, a impossibilidade do
organismo realizar os transportes necessários ao seu equilíbrio e manutenção.

De acordo com seu tipo de célula, os seres vivos podem ser procariontes (com membrana celular, citoplasma e
nucleóide) ou eucariontes (com membrana celular, citoplasma e núcleo). São seres procariontes: as bactérias, as
algas azuis ou cianofícias. São eucariontes: os fungos, as plantas e os animais.

Quanto a sua classificação, os seres vivos estão atualmente divididos em cinco reinos:

 Reino Animalia: todos os animais desde as esponjas até os mamíferos


 Reino Plantae: desde algas pluricelulares até angiospermas
 Reino Fungi: todos os fungos
 Reino Protista: algas unicelulares e protozoários
 Reino Monera: bactérias e cianobactérias

O sistema dos 5 Reinos foi proposto em 1 969 pelo Biólogo norte-americano R. H. Wittaker e é o utilizado
atualmente.

OBSERVAÇÃO: Os vírus não possuem classificação definida pois passam a realizar funções vitais somente após
invadir a estrutura celular, seqüestrando os componentes que a célula necessita para formar novos vírus.

Divisão atual de classificação dos seres vivos de acordo com Lineu:

REINO FILO CLASSE ORDEM FAMÍLIA GÊNERO ESPÉCIE

Nomenclatura dos Seres Vivos


O sistema atual de nomenclatura segue proposta de Lineu:
 é binomial, isto é, composto por dois nomes escritos em latim, ou latinizados;
 o primeiro nome refere-se ao gênero e deve ter a inicial com letra maiúscula, ex.: Canis
 o segundo nome é o epíteto específico e deve ser escrito com inicial minúscula, ex.: familiaris
 Os dois juntos formam o nome da espécie, ex.: Canis familiaris, que é o cão doméstico.
 Os nomes científicos devem ter grafia diferenciada no texto. Se este for manuscrito, deve-se passar um único
traço embaixo do nome. Se for impresso pode-se, por exemplo, deixar a letra em itálico.
Observe o exemplo abaixo:
Vírus
Os vírus são o limite entre a matéria bruta e a matéria viva. Esses seres são muito especiais, pois não são formados por
células. Seu organismo é formado por proteínas e outras substâncias.

De todas as características dos seres vivos, os vírus apresentam somente duas: a capacidade de se reproduzir e de
sofrer mutações. Por essa razão, os cientistas ainda não chegaram a um acordo se devem ou não classificar esses
seres como organismos vivos. Consequentemente, os vírus não estão agrupados em nenhum reino. Quando as
dúvidas que se tem hoje sobre as características desses seres forem esclarecidas, é provável que eles sejam
classificados em um reino exclusivo deles.

O vírus só consegue sobreviver e se reproduzir no interior das células. Para isso, ele tem que injetar o seu material
genético no interior de uma célula viva. Quando isso ocorre podemos dizer que, de certa forma, o vírus inativa (desliga) o
programa da célula e a obriga a fabricar novos vírus. Esses novos vírus irão contaminar novas células e, se o processo
não for interrompido, ocorre o que chamamos de infecção.

Um ser que vive às custas de outros causando prejuízos denomina-se parasita. O vírus é um parasita intracelular, pois
para se manifestar necessita penetrar numa célula. Ao se reproduzirem no interior dos seres vivos, os vírus desequilibram
o organismo causando o que denominamos doença. Existem vírus que atacam animais e outros que atacam somente
vegetais.

Doenças que são causadas por vírus: a gripe, a caxumba, o sarampo, a hepatite, a febre amarela, a poliomielite (ou
paralisia infantil), a raiva, a rubéola etc..

Quando substâncias estranhas (chamadas antígenos) penetram no nosso organismo (o vírus, por exemplo), existem
células do nosso sangue (certos glóbulos brancos) que são capazes de percebê-las, alertando outras células para o
perigo de uma infecção. As células alertadas, outros glóbulos brancos, fabricam proteínas de defesa chamadas
anticorpos, que inativam os antígenos.

Dessa forma o nosso corpo identifica e neutraliza a ação de certos microorganismos, inclusive os vírus. Essa capacidade
de defesa denomina-se imunização.

Não existem medicamentos para combater os vírus depois que eles passam a parasitar um organismo. Nesse caso o
único procedimento possível é esperar que o organismo reaja e produza anticorpos específicos para destruí-los. É o caso,
por exemplo, da gripe. Não existem remédios para essa doença. O que há são medicamentos para livrar os sintomas
desconfortáveis que ela provoca, como dores de
cabeça, febre etc..

No entanto alguns vírus são responsáveis por


doenças fatais ou que deixam seqüelas graves, é
o caso da AIDS, onde o vírus baixa radicalmente a
resistência do organismo por atacar as células de
defesa. O indivíduo, então, contrai infecções com
mais facilidade e que se tornam graves, podendo
matar a pessoa. A poliomielite é outro exemplo
que pode deixar uma pessoa paralítica ou com
sérios problemas motores.

Contra algumas doenças viróticas existem


vacinas, que são medicamentos preventivos. As
vacinas não curam um organismo já infectado por
vírus. São produzidas a partir de vírus “mortos” ou
enfraquecidos. Uma vez introduzidos num
indivíduo, esses vírus não têm condições de
provocar a doença, mas são capazes de estimular
o organismo a produzir anticorpos, imunizando-o.

Questões para auto-avaliação - Vírus

1) Por que os vírus não são classificados em reinos?


2) Um vírus pode se multiplicar normalmente igual os seres vivos? Por quê?
3) Cite 4 doenças causadas por vírus?
4) Existe tratamento ou prevenção contra os vírus?
Reino Monera
O reino monera é formado por bactérias, cianobactérias e arqueobactérias (também chamadas arqueas), todos seres
muito simples, unicelulares e com célula procariótica (sem núcleo diferenciado). Esses seres microscópios são geralmente
menores do que 8 micrômetros ( 1µm = 0,001 mm).
As bactérias (do grego bakteria: 'bastão') são encontrados em todos os ecossistemas da Terra e são de grande
importância para a saúde, para o ambiente e a economia. As bactérias são encontradas em qualquer tipo de meio: mar,
água doce, solo, ar e, inclusive, no interior de muitos seres vivos.
Exemplos da importância das bactérias:

 na decomposição de matéria orgânica morta. Esse processo é efetuado tanto aeróbia, quanto anaerobiamente;
 agentes que provocam doença no homem;
 em processos industriais, como por exemplo, os lactobacilos, utilizados na indústria de transformação do leite
em coalhada;
 no ciclo do nitrogênio, em que atuam em diversas fases, fazendo com que o nitrogênio atmosférico possa ser
utilizado pelas plantas;
 em Engenharia Genética e Biotecnologia para a síntese de várias substâncias, entre elas a insulina e o
hormônio de crescimento.

Estrutura das Bactérias


Bactérias são microorganismos unicelulares,
procariotos, podendo viver isoladamente ou
construir agrupamentos coloniais de diversos
formatos. A célula bacteriana contém membrana
plasmática, parede celular, cápsula bacteriana,
ribossomos e molécula de DNA e RNA.
A região ocupada pelo cromossomo bacteriano
costuma ser denominada nucleóide. Externamente
à membrana plasmática existe uma parede celular
(membrana esquelética, de composição química
específica de bactérias).
É comum existirem plasmídios - moléculas de DNA
não ligada ao cromossomo bacteriano - espalhados
pelo hialoplasma. Plasmídios costumam conter
genes para resistência a antibióticos.

Principais doenças causadas por bactérias :

Tuberculose: causada pelo bacilo Mycobacterium


tuberculosis.
Hanseníase (lepra): transmitida pelo bacilo de
Hansen (Mycobacterium lepra).
Difteria: provocada pelo bacilo diftérico.
Coqueluche: causada pela bactéria Bordetella pertussis.
Pneumonia bacteriana: provocada pela bactéria Streptococcus
pneumoniae.
Tétano: causado pelo bacilo do tétano (Clostridium tetani).
Leptospirose: causada pela Leptospira interrogans.
Gonorréia ou blenorragia: causada por uma bactéria, o gonococo
(Neisseria gonorrhoeae).
Sífilis: provocada pela bactéria Treponema pallidum.
Cólera: doença causada pela bactéria Vibrio cholerae , o vibrião colérico.

Questões para auto-avaliação - Moneras

1) Quais as principais características dos moneras?


2) Onde podem ser encontradas as bactérias?
3) Cite uma importância das bactérias.
4) Cite 3 doenças causadas por bactérias.
5) Onde são encontradas as cianobactérias?
Reino Protista
Os seres classificados no Reino Protista são unicelulares, microscópicos e suas células são eucarióticas, portanto com
núcleo verdadeiro. Eles podem ser autótrofos (grego autos = por si mesmo; trophé = nutrição) ou heterótrofos. Podemos
dividir o Reino Protista em dois grupos: o das algas e o dos
protozoários.

1 - Algas
Os protistas autótrofos, organismos microscópicos, constituem a
maior parte do plâncton marinho e dulcícola. São de fato os mais
importantes produtores desses ecossistemas, isto é, pela
fotossíntese, produzem os alimentos que direta ou indiretamente
garantem a vida de todos os demais seres. Eles também são
chamados de algas unicelulares.

As algas unicelulares pertencentes ao Reino Protista distribuem-se


por três divisões: Chrysophyta (diatomácias e crisofítas),
Euglenophyta (euglenóides) e Pyrrophyta (dinoflagelados).

2 - Protozoários

A classificação dos protozoários é feita com base nas estruturas de locomoção que apresentam. Os protozoários podem
se locomover por pseudópodos, cílios e flagelos, embora haja também espécies sem locomoção. Os principais Filos
de protozoários são:

 Sarcodina (sarcodíneos): locomovem-se através de pseudópodos. Ex.: as amebas;


 Mastigophora (mastigóforos): locomovem-se através de flagelos. Também conhecidos como flagelados. Ex.:
tripanossomo;
 Ciliophora (ciliados): locomovem-se através de cílios. Ex.: paramécio;
 Sporozoa (esporozoários): não possuem estruturas de locomoção. Ex.: plasmódio.

Os protozoários (grego protos = primeiro; grego zoon = animal) formam um grupo numeroso, com uma grande variedade
de formas, adaptadas aos mais diferentes modos de vida. Eles ocorrem em praticamente em todos os ambientes
aquáticos e terrestres. Existem espécies de vida livre e parasitas.

As células dos protozoários são chamadas de “células-organismo”, pois são capazes de executar todas as funções que os
seres pluricelulares são feitas por células ou órgãos especializados.

Muitos protozoários são parasitas do homem causando diversas doenças. Veja no quadro a seguir as principais:

Espécie Doença Sintomas Transmissão


Entamœba histolytica Amebíase Ulcerações intestinais, diarréia, Ingestão de cistos eliminados com as
enfraquecimento fezes humanas.
Trypanosoma Cruzi Doença de Problemas no coração, inchaço Fezes do inseto barbeiro (Triatoma sp.)
Chagas do baço e fígado, mal estar
Leishmania brasiliensis Úlcera de Ulcerações (feridas que não Picada do mosquito palha (Phlebotomus
Bauru cicatrizam) no rosto, braços e sp.)
pernas
Trichomonas vaginalis Tricomoníase Vaginite, uretrite, corrimento Relação sexual ou toalhas e objetos
úmidos contaminados
Giardia lamblia Giardíase Dores abdominais, diarréia Ingestão de cistos eliminados com fezes
humanas
Plasmodium vivax Malária Febres, anemia, lesões no baço Picada de mosquito-prego (Anopheles
e no fígado sp.).

Questões para auto-avaliação sobre o Reino Protista.

1) Quais as características dos organismos pertencentes ao reino Protista?


2) Qual a importância das algas unicelulares nos ecossistemas aquáticos?
3) Por que as células dos protozoários são chamadas de “células organismos”?
4) Dê exemplos de protozoários.
5) Cite 3 doenças causadas por protozoários.
Reino dos Fungos
Os fungos mais conhecidos são os bolores, fermentos, lêvedos, orelhas de pau, mofos e cogumelos. São todos
organismos eucariontes e heterotróficos. Podem viver livres na água ou no meio terrestre, onde há predominância de
matéria orgânica.

Para poderem absorver a matéria orgânica de que necessitam, os fungos


mantêm três tipos de relacionamentos com outros seres vivos: saprofitismo
(nutrem-se de restos de seres vivos que eles mesmos decompõem),
mutualismo (associação com outro ser onde os dois se beneficiam) e
parasitismo (nutre-se de substâncias orgânicas do corpo de animais ou
plantas vivos).

A maioria dos fungos é constituída por filamentos microscópicos denominados


hifas, que em conjunto formam um emaranhado denominado micélio.

A importância dos fungos

Os fungos desempenham importantíssimo papel na Natureza: são eles que,


juntamente com as bactérias do solo, fazem a decomposição de cadáveres de animais e de plantas. Nesse papel de
decompositores da cadeia alimentar, eles permitem a reciclagem dos elementos químicos que constituem a matéria
orgânica. Se não fosse assim, os elementos se esgotariam para os seres vivos.

Os fungos são antigos aliados da humanidade, utilizados na fermentação do pão e


na produção de bebidas alcoólicas. Além disso eles emprestam um sabor
característico ao queijos tipo roquefort, camembert, gorgonzola e muitos outros,
sem falar na utilização de fungos diretamente na alimentação, como é o caso dos
famosos champignons.

Os fungos têm importância médica, pois podem causar doenças no homem, nos
vegetais e nos animais. As doenças causadas por fungos recebem o nome de
micoses.

As principais micoses humanas são: o sapinho, a frieira e as micoses de pele. Nos


vegetais os fungos podem causar doenças como: as "ferrugens, e os "carvões".

Ainda temos os fungos do gênero Penicillium, que são empregados na fabricação de antibióticos naturais.

Por que cresce a massa do pão?

O fermento biológico é um tipo de fungo utilizado desde a Antigüidade na produção


de pães e bebidas alcoólicas. Somente com o uso do microscópio verificou-se que o
fermento é constituído de seres vivos, unicelulares que se produzem por esporos e
brotamento.

O fermento colocado na massa do pão alimenta-se dela e produz gás carbônico.


Com a formação de bolhas de gás carbônico no interior da massa, esta aumenta de
volume e se torna porosa, originando um pão macio.

A técnica de produção de bebidas alcoólicas é semelhante. O fungo presente no


caldo da cana, no suco da uva ou em outro líquido açucarado utiliza o açúcar como
alimento e realiza sua fermentação. Nesse processo são liberados gás carbônico e
álcool. Assim, do suco de uva produz-se vinho e do caldo de cana produz-se
cachaça.

Questões para auto-avaliação sobre o Reino dos Fungos

1) Quais os fungos mais conhecidos? Cite duas características principais.


2) Onde podem viver os fungos?
3) Quais as relações que os fungos podem manter com outros seres vivos?
$) Como são chamadas as doenças provocadas por fungos?
REINOS DOS ANIMAIS

Atualmente são conhecidas cerca de 1 milhão de espécies pertencentes ao Reino Animal, enquanto outras estão sendo
constantemente identificadas. Esses organismos, chamados genericamente de animais, possuem características comuns:

 São peculiares, eucariontes e heterotróficos (grego hetero = outro, diferente; grego trophé = nutrição). Suas
células não possuem parede celular.
 Como são heterotróficos dependem, para sua nutrição, de outros seres vivos.
 A maioria dos animais é capaz de se locomover. As espécies que não se locomovem são aquáticas e recebem os
alimentos trazidos pela água.
 A maioria dos animais possui sistema nervoso e é capaz de reagir rapidamente a estímulos.
 A reprodução geralmente é sexuada (com troca de gametas).

Tabela 1: Os invertebrados: não possuem coluna vertebral, por isso são chamados de Invertebrados. Além desses filos,
existe o filo dos Cordados. Os representantes desse filo possuem, durante a vida embrionária, três características:
notocorda (eixo esquelético), fendas branquias (perfurações ao lado da faringe) e tubo nervoso dorsal (participa da
formação do sistema nervoso).

Filo Classes Representantes Características


Calcários Esponjas calcárias Aquáticos; Apresentam pontos na parede do
Hexactinélidas Esponjas de vidro corpo. Embora pluricelulares, não formam
1. Poríferos Demospôngias Esponjas de banho tecidos

Hidrozoários Hidra e obélia Aquáticos, formam tecidos, mas não formam


Cifozoários Águas-vivas Corais e anêmonas órgãos. Possuem cnidoblastos
2. Celenterados Astozoários

Turbelários Planária Vermes de corpo achatado


Trematódeos Esquistossomo dorsoventralmente. De vida livre e parasitas
3. Platelmintos Cestóides Cestóideo

Nematódeos Lombriga, ancilóstomo Vermes de corpo cilíndrico. De vida livre e


4. Nematoda parasitas
Oligoquetos Minhocas Vermes anelados. Vida livre em solos
Poliquetos Nereis úmidos, água doce ou salgada.
5. Anelídeos Hirudíneos Sanguessugas

Insetos Moscas, barbeiros, borboletas Corpo com cabeça, tórax e abdômen. Um


par de antenas e três pares de patas.

Crustáceos Camarões, siris, caranguejos Corpo com cefalotórax e abdômen. Dois


pares de antenas e vários pares de patas.
Maioria marinho

6. Artrópodos Aracnídeos Aranhas, escorpiões e carrapatos Corpo com cefalotórax e abdômen. Não
possuem antenas. Quatro pares de patas

Quilópodos Centopéias e lacraias Anelados, um par de patas por anel e com


um par de antenas.

Diplópodos Piolho-de-cobra Anelados, com dois pares de patas por anel

Gastrópodos Caramujos Animais de corpo mole, geralmente com


7. Moluscos Pelecípodos Ostras e mariscos concha calcária. Marinhos, de água doce e
Cefalópodos Lulas e polvos terrestre.
Asteróides Estrelas-do-mar Exclusivamente marinhos. Espinhos na
Ofiuróides Ofiúro superfície do corpo. Esqueleto interno
8. Equinodermos Equinóides Ouriço-do-mar formado por placas calcárias.
Holoturóides Pepino-do-mar
Crinóides Lírio-do-mar
Tabela 2: O filo dos cordados divide-se em 4 subfilos, dos quais veremos apenas o subfilo dos Vertebrados.

Subfilo Classes Representantes Características


Peixes Tubarão, cação, raia, quimera. Esqueleto cartilaginoso. Pecilotérmicos.
cartilaginosos Marinhos e dulcículas

Peixes ósseos Esqueleto ósseo. Pecilotérmicos. Marinhos


Cavalo-marinho, bagre, dourado, e dulcículas.
cavalinha.

Anfíbios Sapos, rãs, pererecas. Na fase larval são aquáticos e, quando


Vertebrados
adultos, terrestres. Pecilotérmicos.

Répteis Cobra, jacaré, tartaruga. Andar rastejante. Pecilotérmicos. Escamas


ou placas córneas, adaptados ao ambiente
terrestre.
Aves Ema, pingüim, tuiuiú, canário. Capazes de voar. Dípedes. Homeotermos.
Possuem bicos e penas.

Mamíferos Baleia, golfinho, morcego, Tetrápodos. Possuem pêlos e glândulas


homem, cachorro, vaca. mamárias. Homeotermos.

Pecilotérmico: Temperatura do corpo varia conforme o ambiente.


Homeotérmico: Temperatura do corpo não varia conforme o ambiente, temperatura do corpo é estável.

Questões para auto-avaliação dos Animais


1) Qual o critério para classificar os dois grandes grupos de animais? Dê exemplos de animais desses grupos.
2) Qual a diferença entre animal vertebrado e invertebrado?
3) Quais são as 5 classes de Cordados?
4) O que é uma ser dípede?
5) o que é um ser tetrápode?
6) Quais são os seres vivos Pecilotérmicos?
7) Quais são os Homeotérmicos?

Reino das Plantas


O Reino Plantae compreende seres eucariontes, pluricelulares, autotróficos, que realizam fotossíntese.

A exemplo dos animais, o organismo vegetal é constituído por células. Contudo, sua organização é bastante diferente. Se
seus órgãos têm funções paralelas às dos sistemas animais, o mesmo não pode se dizer da sua estrutura. Em relação
aos animais falamos em sistemas digestório, respiratório, reprodutor, etc.; no que diz respeito às plantas, tratamos de
órgãos: a raiz, o caule, a folha, a flor, o fruto e a semente.

A classificação dos vegetais possui ligeiras diferenças em relação à classificação animal. Ao invés de usar o termo Filo,
usa-se o termo Divisão.

As plantas são divididas em dois grandes grupos:

 Criptógamas (kripto, escondido): plantas que possuem as estruturas produtoras de gametas pouco evidentes
 Fanerógamas(phanero, evidente):possuem as estruturas produtoras de gametas bem visíveis.

Os órgãos e suas funções:


A raiz tem por função fixar a planta ao solo e retirar dele água e sais minerais, essenciais à vida vegetal. O caule mantém
a planta ereta. Em seu interior encontram-se vasos condutores de seiva. Por seiva entende-se o líquido absorvido pelas
raízes (seiva bruta) e as substâncias produzidas pela fotossíntese (seiva elaborada). Há vegetais que não possuem vasos
condutores (algas e musgos). Nesse caso, a distribuição da seiva se faz de célula a célula. A maioria, porém, é dotada de
vasos condutores. Do caule partem ramos onde se prendem as folhas, levando a seiva bruta e trazendo a seiva
elaborada. As folhas são, portanto, a parte dos vegetais onde ocorre a fotossíntese. A seiva elaborada por ela produzida
é distribuída todas as partes do vegetal, garantindo a sua sobrevivência. Nas folhas também acontecem os processos de
respiração e transpiração vegetal. Flores e sementes são órgãos que se relacionam com a reprodução vegetal.
CRIPTÓGAMAS
As criptógamas podem ser divididas, com base na organização do corpo, em grupos menores:

1 – Talófitas: são plantas cujo corpo é um talo, estrutura não diferenciada em raiz, caule e folha. São as algas
pluricelulares.
A importância das algas: As algas realizam a maior parte da fotossíntese que ocorre no Planeta. São, portanto, os mais
importantes produtores de alimento e energia. Grande quantidade de oxigênio existente na hidrosfera e na atmosfera se
deve à fotossíntese realizada pelas algas. As algas vermelhas são ricas em iodo e constituem uma valiosa de
substâncias como o ágar-ágar (utilizado em laboratório para a cultura de bactérias) e a carragenina (utilizada como
estabilizador de sorvetes, pastas de dentes e doces).

2 – Briófitas: são plantas de pequeno porte, sendo que na maioria não ultrapassa 20 cm de altura. Vivem em ambientes
úmidos e sombreados, uma vez que não são susceptíveis à dessecação. As briófitas apresentam estruturas chamadas
rizóides, caulóides e filóides que desempenham um papel semelhante ao da raiz, caule e
folhas. No entanto, não têm vasos condutores de seiva; tanto a seiva elaborada quanto a
bruta passam diretamente de uma célula para outra, através de suas paredes. O grupo das
briófitas tem os musgos como principal representante.

3 – Pteridófitas: são as primeiras plantas a possuir vasos condutores de seiva. A existência


dos vasos possibilitou às plantas a conquista definitiva do ambiente terrestre. Os vasos
permitem o transporte rápido da água e sais minerais até as folhas e de seiva elaborada para
as demais partes da planta. Os principais representantes do grupo são as
samambaias e as avencas.

FANERÓGAMAS
Nas fanerógamas os óvulos e o pólen são os gametas feminino e masculino,
respectivamente. As fanerógamas são divididas em dois grandes grupos:

1 – Gimnospermas: são as primeiras plantas a produzirem flores


(inflorescências) e sementes, porém não produzem frutos (grego = gymnos = nua, grego = sperma = semente) . As
gimnospermas mais conhecidas são os pinheiros, ciprestes e sequóias. No Brasil uma gimnosperma nativa é a araucária,
também conhecida como pinheiro-do-paraná. As flores da gimnosperma são chamadas de cones ou estróbilos. Essas
flores são de um só sexo, masculino ou feminino.
As gimnospermas estão mais adaptadas às regiões temperadas Chegam a
formar vegetações como as taigas no Hemisfério Norte e a mata de araucária
no sul do Brasil. As sequóias são gimnospermas de grande porte e ocorrem na
Califórnia (Estados Unidos). Essas plantas chegam a atingir 120 metros de
altura e seus troncos podem chegar a ter diâmetro de 12 metros. Estima-se
que as sequóias atuais tenham aproximadamente 4000 anos de idade.

2 – Angiospermas: possuem como característica exclusiva, a semente contida


no interior de um fruto (grego angio = urna; sperma = semente). Por esse motivo
são conhecidas como plantas frutíferas. As angiospermas correspondem ao grupo de plantas com maior número de
espécies sobre a terra. Ocorrem em ampla diversidade de habitat, existindo desde espécies aquáticas até plantas
adaptadas a ambientes áridos, como os cactos. As angiospermas são divididas em dois grandes grupos: o das
monocotiledôneas e o das dicotiledôneas.

São exemplos de monocotiledôneas: alho, cebola, aspargo, abacaxi, bambu, grama, arroz, trigo, aveia, cana-de-açúcar,
milho, gengibre e palmeiras em geral: coco-da-baía, babaçu, etc.
São exemplos de dicotiledôneas: vitória-régia, eucalipto, abacate, rosa, morango, pêra, maçã, feijão, ervilha, goiaba,
jabuticaba, algodão, cacau, limão, maracujá, cacto, mamona, mandioca, seringueira, batata, mate, tomate, jacarandá,
café, abóbora, melancia, etc.

Questões para auto-avaliação sobre o Reino das Plantas

1) Quais os grupos em que se divide o Reino Plantae?


2) Quais os principais órgãos de uma planta e quais as funções?
3) Qual a principal característica das algas e a importância desse grupo de organismos?
4) Como se dá a condução de seiva na briófitas? Dê um exemplo de briófita.
5) Quais as plantas que fazem parte do grupo das pteridófitas?
6) Qual a principal característica das fanerógamas e em quais grupos ela se divide?
7) Como se caracterizam as gimnospermas e as angiospermas? Dê exemplos.
8) Qual o nome das flores das gimnospermas?
9) As angiospermas se subdividem em dois grupos; quais são eles? Dê exemplos.