Você está na página 1de 64

Transferência de Calor e

Massa
Tópicos Iniciais

• Equação da taxa da Condução;


• Condutividade térmica;
• Difusividade térmica;
• Equação da difusão de calor;
• Condições de contorno e inicial.
Equação da taxa da Condução

T
qx  A
x
Observações realizadas em A lei de Fourier é
experimento fenomenológica.
Equação da taxa da Condução

Fluxo térmico é
Grandeza direcional

dT
qx  kA
dx
dT
q  k
"
x
dx

A relação entre o
sistema de coordenadas,
o sentido do fluxo de
calor e o gradiente de
temperatura numa
dimensão.
Equação da taxa da Condução
Sendo o fluxo térmico uma grandeza direcional,
podemos escrever uma equação geral para a taxa de
condução:
 
q  k  T
"
x
Onde, é o operador gradiente tridimensional e T(x,y,z) é o campo escalar de
temperaturas.

Coordenadas cartesianas: T(x,y,z)



T  T  T 
q  k
"
ik j k k
x y z
" " "
q x q y q z
O vetor fluxo térmico encontra-se numa direção
perpendicular às superfícies isotérmicas.
T
qn  k
n

O vetor fluxo térmico normal a uma isoterma num sistema de coordenadas 2D.
O vetor fluxo térmico pode ser decomposto, de
tal forma que, em coordenadas cartesianas, a
expressão geral para q" é

q  i qx  j qy  k qz

sendo que
T T T
qx  k qy  k qz  k
x y z

7
Equação da taxa da Condução

Coordenadas cilíndricas: T(r,ϕ,z)


T  k T  T 
q  k
"
i j k k
r r  z
" " "
q r q q z
Equação da taxa da Condução

Coordenadas esféricas: T(r,ϕ,ϴ)


T  k T  k T 
q  k
"
i j k
r r  rsen 

q "
r q" q"
• Considerações finais sobre a Lei de Fourier
– É fenomenológica baseada em evidências experimentais
ao invés de ter sido derivada a partir de princípios
fundamentais;
– Define uma importante propriedade dos materiais, a
condutividade térmica, k;
– É uma expressão vetorial, indicando que o fluxo térmico é
normal a uma isoterma e no sentido da diminuição das
temperaturas;
– É aplicada a toda matéria, independente de seu estado
físico (sólido, líquido ou gás).
– .

10
Condutividade Térmica

Esta importante propriedade do material é


classificada como uma propriedade de
transporte e fornece uma indicação da taxa na
qual a energia é transferida pelo processo de
difusão.

Ela depende da estrutura física da matéria,


atômica e molecular, que está relacionada ao
estado da matéria
11
A partir da Lei de Fourier, a condutividade térmica associada
à condução na direção x é definida como

qx
kx  
 T 
 
 x 

Definições similares são associadas às condutividades


térmicas nas direções y e z (ky e kz), porém para um
material isotrópico a condutividade térmica é
independente da direção de transferência, kx = ky = kz ≡ k.

12
Propriedades termofísicas

• Condutividade térmica: É uma medida da capacidade do


material transferir energia térmica por condução.

– Isotrópica
– Anisotrópica (ex.: grafite flexível, rochas, etc.)

 Um sólido pode ser composto por elétrons


livres e átomos ligados em um arranjo
periódico – Lattice

 Transporte de energia
 Migração de elétrons livres

 Ondas vibracionais
Propriedades termofísicas
• Condução pode ser vista como uma consequência da movimentaçãode portador
de energia (elétron ou phonon).

• Expressão para a condutividade térmica:


Calor específico do
elétron por unidade
de volume

1
k  Cc lpm
3
Livre percurso médio
do elétron
Velocidade média do
elétron
Propriedades termofísicas

Faixas de condutividade térmica de vários estados da matéria a temperaturas e pressões normais.


Propriedades termofísicas
Propriedades termofísicas
Difusividade térmica α [m2/s]: É uma medida da
capacidade do material de conduzir energia térmica em
relação a sua capacidade de armazena-la.
k
 Capacidade calorífica volumétrica -
cp Mede a capacidade do material
armazenar energia térmica

Capacidade Calorífica Volumétrica, C [J/(m3K)]: Mede a


capacidade de um material de armazenar energia térmica.

C   cp
Outras Propriedades Relevantes
• Propriedades de Transporte (coeficientes das
taxas de difusão)
– Condutividade térmica, k
– Viscosidade cinemática, v

• Propriedades Termodinâmica (estado de


equilíbrio)
– Massa específica, ρ
– Calor específico, cp
18
A Equação da
Difusão de Calor
(Difusão Térmica)
19
Um dos objetivos principais da análise da
condução de calor é determinar o campo de
temperaturas (distribuição de temperaturas)
num meio resultante das condições impostas em
suas fronteiras.

Uma vez conhecida esta distribuição, o fluxo de


calor por condução em qualquer ponto do meio
ou na sua superfície pode ser determinado
através da Lei de Fourier.

20
Objetivo: uma equação diferencial cuja solução,
para condições de contorno especificadas,
forneça a distribuição de temperaturas no meio.

Metodologia: aplicação da conservação da energia,


ou seja, define-se um volume de controle
diferencial, identificam-se os processos de
transferência de energia relevantes e substituem-
se as equações das taxas de transferência de
calor apropriadas.

21
Equação da difusão de calor

Na análise da condução de calor o objetivo é determinar o campo de


temperaturas em um meio, que representa a resultante de todas as
condições impostas em sua fronteira.

Conhecer como a temperatura varia com a posição no meio.


Equação da difusão de calor

Como a distribuição de temperatura pode ser determinada ?


Equação da difusão de calor

Como a distribuição de temperatura pode ser determinada ?

Realiza-se um balanço de energia em um volume de controle


diferencial, identificam-se os processos de transferência de energia
relevantes as equações das taxas de transferência de calor são
substituídas de forma apropriada.

O resultado é uma equação diferencial cuja solução, para condições


de contorno especificadas, fornece a distribuição de temperaturas no
meio.
Equação da difusão de calor
Coordenadas cartesianas
E ent  E g  E sai  E acu

  T    T    T   T
k  k  k   q  cp
x  x  y  y  z  z  t
Equação da difusão de calor
Coordenadas cartesianas
Em qualquer ponto do meio, a taxa líquida de transferência
de energia por condução no interior de um volume unitário
somada à taxa volumétrica de geração de energia térmica deve
ser igual à taxa de variação da energia térmica acumulada no
interior deste volume.

  T    T    T   T
k  k  k   q  cp
x  x  y  y  z  z  t

Geração de energia
térmica
Variação na
Fluxo líquido de calor para o interior do quantidade de
volume de controle na direção x energia armazenada
Equação da difusão de calor

• Coordenadas Cartesianas: T  x, y , z 
 T  T  T 
q  k i k jk k
x y z
qx qy qz

• Coordenadas Cilíndricas: T  r,  , z 
 T  T  T 
q  k i k jk k
r r z
qr q qz

•Coordenadas Esféricas T  r,  , 
 T  T  T 

q  k i k jk k
r r r sin  
qr q q
Equação da difusão de calor

• Equação de Calor para condução radial em uma dimensão


para um cilindro ou uma esfera

– Cilindro

qr  Ar qr  2 rLqr
ou,

qr  Ar qr  2 rqr


– Esfera

qr  Ar qr  4 r 2 qr
Equação da difusão de calor

Coordenadas cilíndricas:

1   T  1   T    T   T
 kr  2 k  k   q  cp
r r  r  r     z  z  t
Equação da difusão de calor

Coordenadas esféricas:

1   2 T  1   T  1   T   T
 kr    k    ksen   q   c
r 2 r  r  r 2 sen 2     r 2 sen     t
p
Condições de Contorno
e Inicial

31
Para determinação da distribuição de temperaturas e
resolução das equações de difusão do calor
devemos considerar:

Tal solução depende das condições físicas existentes


nas fronteiras do meio (condições de contorno), e, se
a situação variar com o tempo (processo transiente),
a solução também depende das condições existentes
no meio em algum instante inicial.

32
Condição Inicial:

Para condução transiente, a equação de calor é de primeira


ordem no tempo, o que requer a especificação da
temperatura no instante inicial:
T  x, t t 0  T  x,0 

Condições na Fronteira (Condições de Contorno):


há várias possibilidades comuns que são expressas de maneira
simples em forma matemática. Como a Equação do Calor é de
segunda ordem em relação às coordenadas espaciais, duas
condições de contorno devem ser fornecidas para cada
coordenada espacial necessária para descrever o problema.

33
Condições de contorno e iniciais
Temperatura da superfície constante Condição de convecção

T  0, t   Ts

T
k |x 0  h T  T  0, t 
Fluxo térmico diferente de zero x

Superfície adiabática

T
k |x 0  qs T
x | x 0  0
x
Tópicos
• A parede plana
• Resistência térmica
• Parede composta
– Resistência de contato
• Sistemas radiais
• Condução com geração de energia térmica
Metodologia para analise da condução de calor

• Especificar a forma apropriada da equação de calor;

• Resolver a equação de calor para a distribuição da temperaturas;

• Aplicar a Lei de Fourier para determinar o fluxo de calor;

Caso mais simples: Unidimensional, condução em estado estacionário sem geração


de energia térmica.

• Geometrias mais comuns:

– Parede plana: Coordenada retangular. Área perpendicular a direção da transferência de


calor;

– Parede de um tubo: Condução radial através da parede do tubo


A parede plana
• Na condução
unidimensional em
uma parede plana, a
temperatura é uma
função somente da Condução
coordenada x.
Convecção
Convecção

Parede separada por dois fluidos


A parede plana
• A distribuição de temperaturas pode ser determinada pela
solução da equação de calor:
d  dT 
 0
dx  dx 

Integrando temos

T  x   C1x  C2 Solução geral

Fluxo térmico  qx  é independente de x.


A parede plana
• Condições de contorno:
T  0   Ts,1, T  L   Ts,2
• Distribuição de Temperaturas para k
constante:

Ts ,2  Ts ,1 c2  Ts ,1
c1 
L

T  x   Ts ,2  Ts ,1   Ts ,1
x
L

A temperatura varia linearmente


com x
A parede plana
A partir da distribuição de temperaturas pode-se
calcular a taxa de transferência de calor pela lei de
Fourier:
T  x   Ts ,1  Ts ,2  Ts ,1 
x
L

 Ts ,1  Ts ,2 
dT kA
qx   kA
dx L

 Ts ,1  Ts ,2 
qx k
Fluxo térmico
"
qx 
A L
• Procedimento Padrão para solução de
problemas de condução.
1) Solução geral para a distribuição de temperaturas é
obtida através da resolução da forma apropriada da
Equação do Calor.

2) As condições de contorno são utilizadas para


obtenção da solução particular

3) Lei de Fourier é utilizada para determinação da taxa


de transferência de calor.
Resistência térmica
Caso especial da transferência de calor 1D sem geração
interna de energia e com propriedades constantes.
Analogia entre as difusões de calor e de carga elétrica.
Da mesma forma que uma resistência elétrica está
associada à condução de eletricidade, uma
resistência térmica está associada à condução de
calor.
Definição: razão entre um potencial motriz e a
correspondente taxa de transferência.
Resistência térmica

• Circuito térmico equivalente para a parede plana


com condições de convecção nas superfícies.

T ,1  Ts ,1 Ts ,1  Ts ,2 T  T ,2
qx    s ,2
 1   L   1 
     
 h1 A   kA   h2 A 

qx pode ser determinada pela consideração em


separado de cada elemento da rede (qx é constante
ao longo da rede) 43
Resistência térmica

 Ts ,1  Ts ,2 
dT kA
qx   kA
dx L

Ts,1  Ts,2 L
Rt ,cond  
Resistência térmica qx kA
Associada a condução de calor Similaridade
Es,1  Es,2 L
R  
Resistência elétrica e
Associada a condução de eletricidade
I A
Resistência térmica
O mesmo ocorre para a resistência térmica para convecção e
radiação;

Ts  T 1
Rt ,conv  
qx hA

Ts  Tviz 1
Rt ,rad  
qrad hr A

Coeficiente de transferência de calor por


radiação
Resistência térmica
Representação na
forma de circuitos
Convecção
Convecção
Condução

qx é constante ao longo da rede


Resistência térmica
Circuito térmico equivalente
com condição de convecção
nas duas superfícies.

1 L 1
Rtotal   
h1 A kA h2 A

Onde a taxa de transferência


de calor é:

T,1  T,2
qx 
Rtot
Em termos de temperatura
global
Parede composta
Parede composta
Os circuitos térmicos
equivalentes podem ser
usados para resolver
problemas mais complexos –
Parede composta.
T,1  T,4
qx 
 Rt

Camadas com diferentes


1  1 LA LB LC 1  materiais
 Rt  Rtot       
A  h1 k A k B kC h4 
Parede composta
Neste tipo de sistema é
frequente a utilização de um
coeficiente global de
transferência de calor, U.

qx  UAT

1 1
U 
Rtot A  1 LA LB LC 1 
     
 h1 k A k B kC h4 
T 1
De forma geral  Rt  Rtot  
q UA
Resistência de contato
A queda de temperatura entre as interfaces dos sistemas compostos pode ser
considerável, neste caso, considera-se a resistência térmica de contato;

Os valores dependem dos materiais A e B, acabamento superficial, condições


dos espaços intersticiais e pressão de contato;

TA  TB
, 
Rtc
qx
Sistemas radiais
Sistemas radiais
Para condições de estado estacionário sem geração de calor a
equação de calor se torna:
Resolvendo esta equação
1 d  dT  para determinar a
 kr 0
r dr  dr  distribuição de temperaturas
no cilindro:

T(r)  C1lnr  C2
Sistemas radiais
• Aplicação das condições de contorno:
T(r1 )  Ts ,1 T(r2 )  Ts ,2

Ts ,1  Ts ,2 r
T(r)  ln  Ts ,2
ln(r1 / r2 ) r2

A distribuição de temperaturas associadas a condução


radial através da parede cilíndrica é logarítmica.
Sistemas radiais
A taxa de transferência de calor pode ser determinada por:

2 Lk (Ts ,1  Ts ,2 )
qr 
ln(r2 / r1 )

A resistência térmica:

ln(r2 / r1 )
Rt ,cond 
2 Lk
Sistemas radiais

Em termos do coeficiente global


de transferência de calor:

T,1  T,4
qr   UA T,1  T,4 
Rtot
Condução com geração de calor
Parede plana
Condução com geração de energia térmica
Parede plana

T q
2
 0
x 2
k

A solução geral:
 q• 
T  x      x 2  C1 x  C2
 2k 
 
Condução com geração de energia térmica
Parede plana
Aplicando as condições de contorno:
T   L   Ts ,1 T  L   Ts ,2

Distribuição de temperaturas:

q L2  x 2  Ts ,2  Ts ,1 x Ts ,1  Ts ,2
T  x   1 2   
2k  L  2 L 2

Note que com geração de energia o fluxo


térmico não é mais independente de x.
Condução com geração de energia térmica
Parede plana
Podemos simplificar a equação anterior
se considerarmos um plano de simetria:


q L2  x 2 
T  x   1  2   Ts
2k  L 

Note que apenas para condições simétricas


pode-se utilizar a equação simplificada


q L2
Ponto máximo T0   Ts
2k
Condução com geração de energia térmica
Parede plana


q L2  x 2 
T  x   1  2   Ts
2k  L 

Ts é obtido pelo balanço de energia na


superfície
• •
 E sai  E g  0 •
• qL
hAs Ts  T   q As L  0 Ts  T 
h
Condução com geração de calor
Sistemas radiais
Condução com geração de energia térmica
Sistemas radiais
Para determinar a distribuição de temperaturas no cilindro
resolvemos a equação do calor apropriada:

1 d  dT  q
r   0
r dr  dr  k

A solução geral:

q 2
T r   r  C1 ln r  C2
4k
Condução com geração de energia térmica
Sistemas radiais
Após a aplicação das condições de
contorno adequadas:


q r02  r 2 
T  x  1  2   Ts
4k  r0 

Ts é obtido pelo balanço de energia na


superfície

• • •
 E sai  E g  0 q r0
Ts  T 
2h