Você está na página 1de 11

CURSO

FORMAÇÃO DE DAYTRADERS

ÍNDICE FUTURO

MERCADO FUTURO
MATERIAL DE NIVELAMENTO – MÓDULO V - CARACTERÍSTICAS DO ÍNDICE FUTURO

Este material é exclusivo para uso pessoal e foi desenvolvido para orientar você nos estudos durante
sua formação de TRADER. Nos importamos em proporcionar conteúdo autoral exclusivo e a guiá-lo
na busca de conhecimento, evitando confusões causadas pelo excesso de material obsoleto ou inútil
disponíveis na internet.

PAG 2 MATERIAL DE NIVELAMENTO | MESTERlab.com


MATERIAL DE NIVELAMENTO – MÓDULO V - CARACTERÍSTICAS DO ÍNDICE FUTURO

MÓDULO IV - CARACTERÍSTICAS DO MERCADO FUTURO

1 – ÍNDICE FUTURO:

O Índice Futuro Bovespa é o contrato futuro derivativo do Índice Bovespa. Por possuir grande
liquidez e movimentos rápidos o índice futuro é muito utilizado por investidores que buscam
volatilidade e alavancagem, devido as muitas oportunidades de daytrade. E semelhante a todos os
mercados futuros, o Índice Futuro é precificado sobre o valor do ativo à vista somado aos juros (até
o vencimento do contrato) e mais um componente de expectativa (também chamado de custo de
carregamento).

Muitos fundos de ações utilizam o Ibovespa como Benchmark (objetivo a ser superado), o que
faz o Índice Futuro ser utilizado pelos fundos de investimento como HEDGE.
O Índice Bovespa é o índice das ações mais negociadas no mercado à vista (hoje composta por
65 Ações). Ao negociar o Índice, o investidor evita de ter de negociar todos os ativos da carteira IBOV.

Caso você tenha curiosidade de saber quais as ações compõem o Ibovespa, pode fazer por meio
do LINK:

http://bvmf.bmfbovespa.com.br/indices/ResumoCarteiraQuadrimestre.aspx?Indice=IBOV&idio
ma=pt-br

PAG 3 MATERIAL DE NIVELAMENTO | MESTERlab.com


MATERIAL DE NIVELAMENTO – MÓDULO V - CARACTERÍSTICAS DO ÍNDICE FUTURO

Algumas características do Índice futuro:

• Horário de Pregão das 9h às 18h

 Vencimento BIMESTRAL

O contrato vence na quarta-feira mais próxima ao dia 15 do mês de vencimento.

PAG 4 MATERIAL DE NIVELAMENTO | MESTERlab.com


MATERIAL DE NIVELAMENTO – MÓDULO V - CARACTERÍSTICAS DO ÍNDICE FUTURO

 Cálculo do ganho e da perda no Índice

É importante lembrar que no Índice Futuro o MINICONTRATO é muito representativo, pois


possui muito volume de entrada no fluxo, enquanto que o CONTRATO PADRÃO possui entrada de
ordens grandes que são impactantes no preço. Por isso, temos de acompanhar o movimento dos dois
enquanto operamos.

MERCADO ATUAL

O Índice Futuro é caracterizado, historicamente, por ter menos lotes em cada nível de preço - se
comparado com o Dólar Futuro - o que impacta na percepção de fluxo. Isso porque em mercados
com poucos lotes por nível de preço, a nossa percepção de fluxo se dá dentro de uma FAIXA DE
PREÇO e não em um PREÇO ÚNICO. Ou seja, você nunca deve olhar uma agressão isolada, porque
provavelmente, isso quase nunca vai dizer algo em termos de informação, você vai precisar avaliar
as agressões (e todas as ferramentas ensinadas) dentro de uma faixa de preço.
O Índice futuro normalmente tende a se comportar como um mercado direcional,
permanecendo em canal ou formando tendências. Ele não costuma ser tão errático quanto ao dólar
por exemplo. Esta característica ocorre por vários fatores:
Existem menos players e, consequentemente, menos divergência de opinião.
No índice futuro a maior parte dos players são especuladores, isso faz com que o número de
ordens grandes e recorrentes sejam menores. Além disso, a forte presença de robôs em momentos
de baixa liquidez (por exemplo, faixas onde o preço não é atraente para os especuladores) podem
gerar oscilações no vazio.
Diferentemente do dólar futuro, no Índice existem poucos hedgers. Essa é uma diferença crucial
para você entender que a "necessidade" dos players operarem é diferente em cada mercado. Em
mercados com mais hedgers, como no dólar, muitas vezes o player "precisa" executar
instantaneamente e acaba aceitando negociar (ou agredir) a qualquer preço. Em mercados com
menos hedgers, essa "necessidade" acaba sendo menor e, portanto, a "execução piorada" é menos
frequente.
PAG 5 MATERIAL DE NIVELAMENTO | MESTERlab.com
MATERIAL DE NIVELAMENTO – MÓDULO V - CARACTERÍSTICAS DO ÍNDICE FUTURO

AJUSTE DIÁRIO

O preço de ajuste do Índice Futuro é calculado pela média ponderada dos negócios realizados
no próprio Índice, no intervalo entre as 17h e 17h15min. A única exceção é no último dia de
negociação de cada contrato de Índice Futuro, nesse dia o ajuste é definido pela média ponderada
das últimas 3 horas do lbovespa à vista. Esse mecanismo garante a convergência de preços entre o
futuro e o à vista. Lembrando que a diferença entre o preço futuro e o preço à vista decresce a cada
dia, justamente porque a cada dia que passa, é um dia a menos de juros. Ao chegar no dia do
vencimento, o juro é zero.

Lembrando que quando se "passa posicionado", sua posição no próximo dia será no ajuste e,
portanto, dependendo da sua posição, no momento do fechamento do mercado você precisará pagar
ou receber.

Operações frequentemente realizadas pelos grandes Players

Direcional - Fluxo persistente (pode ser no intraday ou posição, não temos como saber), também
pode ser realizada por robôs.

Hedge - Geralmente feita por gestores de fundo se defendendo contra possíveis oscilações de
preço em suas carteiras de ações (lembrando novamente que existem poucos hedgers se comparado
ao número de hedgers no dólar, por exemplo).

Arbitragem - Arbitragem de risco entre mini e padrão ou entre ambos e o ETF (bova11), esta
operação é dominada quase que exclusivamente pelos HFTs.

Cash and Carry – Esta operação é normalmente realizada por grandes fundos e pode ser tanto
de financiamento (que consiste em comprar todas as ações do IBOV na exata proporção e vender
Índice Futuro - nesse caso o operador ganha juros) ou de reversão (que consiste em vender as ações
PAG 6 MATERIAL DE NIVELAMENTO | MESTERlab.com
MATERIAL DE NIVELAMENTO – MÓDULO V - CARACTERÍSTICAS DO ÍNDICE FUTURO

do lbov na exata proporção da carteira e comprar Índice Futuro - nesse caso o operador pega dinheiro
emprestado à taxa de juros da operação).

Embora giradores, HFTs e arbitradores estejam fortemente presentes no Índice Futuro, estes só
definem a faixa de negociação. Porém as mudanças de patamar no preço não ocorrem por ações
desses players, essa mudança só ocorre quando existe a presença de um fluxo real.
Esse fluxo pode entrar através do Índice padrão, do mini ou até das ações - pelo fato de o Índice
Futuro ser referenciado sobre o lbovespa à vista (cesta de ações), e essas ações, sem dúvida,
influenciam na direção do índice. É muito complicado afirmar quem sai na frente, se é o índice (mini
ou padrão) ou ações. Cada caso é um caso, e você deverá perceber isso com tempo de tela.

DICA: No Índice Futuro (padrão), é muito comum que os players (que geram esse fluxo real)
comprem ou vendam ao longo do dia todo através de algoritmos Low Frequency (TWAP, VWAP, POV,
MOC, IS). Ou seja, os players grandes não costumam “dar a cara no Book de Ofertas", o que significa
que a percepção do fluxo real (compra ou venda persistente) é mais visível através do Times and
Trades (TT) e da aba "evolução no tempo" dentro do Times and Trades do Profit Chart. Uma boa dica
é olhar o TT ordem original, obviamente junto com o Book de Ofertas.
O fluxo que devemos buscar para sabermos quando operar é o persistente. Isso fica claro pela
repetição das ordens de compra no Times and Trades e pela evolução progressiva e direcional da
corretora através da qual o player está comprando ou vendendo (aba "evolução no tempo" dentro
do Times and Trades). Como você verá mais para frente, cada tipo de operação é pautado em uma
ineficiência que os grandes players deixam ao atuarem.

Ferramenta evolução no tempo:

PAG 7 MATERIAL DE NIVELAMENTO | MESTERlab.com


MATERIAL DE NIVELAMENTO – MÓDULO V - CARACTERÍSTICAS DO ÍNDICE FUTURO

CORRETORAS E ATUAÇÕES DE SEUS CLIENTES

Na ferramenta “Evolução no Tempo” do Profit Chart é possível perceber o impacto que cada
corretora teve no preço em determinado momento. Além disso é fácil perceber em um determinado
dia qual é a atuação predominante de clientes em cada corretora.
Embora nem todos se encaixem nessa descrição, os players das corretoras tendem a esse perfil:

Há 3 pontos que você deve observar:

Primeiro ponto: Devido à escassez de lotes no Índice PADRÃO, o seu operacional deverá ser mais
ativo, ou seja, você vai agredir mais para entrar e para sair do mercado. Já no MINI índice, devido à
alta volatilidade, o seu operacional deverá ser mais passivo, ou seja, para entrar ou sair da operação
você irá pendurar as ordens.
Segundo: Seu operacional deverá tender ser mais "a favor do movimento". E buscando sempre
operações alongadas, ou seja, trades de qualidade. Justamente porque o Índice é um mercado com
menos inflexões. (As possíveis estratégias desse tipo de operacional ficarão mais claras para frente).
E por fim: recomendamos um filtro de 20 lotes no Índice Padrão (na ordem original) para facilitar
a leitura do fluxo real.
Nem sempre a posição de estrangeiros é a que dita a direção do mercado. Embora na maior
parte das vezes isso aconteça, você deve ficar atento para o tipo de participante que está impactando
o preço num período. Portanto, NUNCA TIRE CONCLUSÕES OLHANDO APENAS UM DIA! Você deve
olhar a variação dos contratos todos os dias tentando avaliar se a alta ou baixa do dia anterior (caso
exista) foi causada por algum grupo de participantes importantes. O que define se um grupo é
importante é justamente se ele tem sido o causador dos movimentos de períodos anteriores.
Outra informação relevante é quando o acumulado de algum participante atinge patamares
elevados (100.000, por exemplo).
Nota: além de olhar o ramo de atuação de cada corretora, de tempos em tempos, você pode
comparar o saldo das corretoras no final do dia com a posição sobre a variação da posição dos grupos
que a bolsa publica na manhã do dia seguinte, classificados pela BMF. É preciso fazer a comparação
da última publicação com o dia anterior para ver se cada grupo aumentou ou reduziu a exposição.

Você pode fazer essa comparação pelo LINK:


http://www.bmfbovespa.com.br/pt_br/servicos/market-data/consultas/mercado-de-
derivativos/contratos-em-aberto/por-tipo-de-participante
PAG 8 MATERIAL DE NIVELAMENTO | MESTERlab.com
MATERIAL DE NIVELAMENTO – MÓDULO V - CARACTERÍSTICAS DO ÍNDICE FUTURO

CORRELAÇÕES ATUAIS:

As correlações apresentadas são apenas referenciais. Lembre-se sempre somos traders e


reagimos ao movimento, por isto, não devemos criar viés com nada do mercado, apenas usamos
como referências para algum tipo de tendência, nunca como sinais operacionais.
Com exceção das ações, as demais correlações têm risco de serem quebradas (exemplo SP500.
EWZ e petróleo). Por isso, sugerimos que você foque na leitura do fluxo do ativo ao invés de tentar
achar outra variável para antecipar uma possível alta/baixa.
• S&P mini -: https://br.investing.com/indices/us-spx-500-futures
• EWZ – ETF do INDFUT -: https://br.investing.com/etfs/ishares-brazil-index
• BXT – IBOV EM TEMPO REAL -: https://br.investing.com/indices/bovespa
PAPEIS por SETORES (Alguns exemplos):
• BANCOS - ITUB4, BBDC4, BBAS3
• SERVIÇOS FINANCEIROS - ITSA4, CIEL3, BBSE3, BVMF3• CONSUMO - ABEV3, BRFS3, JBSS3
• COMMODITIES - PETR4, VALE5

Veja os demais setores no LINK:


http://www.bmfbovespa.com.br/pt_br/produtos/listados-a-vista-e-derivativos/renda-
variavel/acoes/classificacao-setorial/

PAG 9 MATERIAL DE NIVELAMENTO | MESTERlab.com


MATERIAL DE NIVELAMENTO – MÓDULO V - CARACTERÍSTICAS DO ÍNDICE FUTURO

FREQUÊNCIA DE MERCADO
Para acompanhar a frequência de mercado utilize um gráfico de pontos com 10% de diferença
da máxima menos a mínima de um período. Como você verá mais para a frente, a frequência de
mercado é uma variável chave não só para definir o gráfico de pontos, mas também para ajustar seu
ganho no SCALPING (embora o SCALPING não funcione bem no índice) e principalmente para
entradas e balanço em TRADE LOCATION.
A frequência muda de tempos em tempos, e você não deve decorar os números. Você deve
pensar em frequência como um conceito e estar sempre ajustando quando o mercado muda o
CENÁRIO.

PAG 10 MATERIAL DE NIVELAMENTO | MESTERlab.com


MATERIAL DE NIVELAMENTO – MÓDULO V - CARACTERÍSTICAS DO ÍNDICE FUTURO

ROLAGEM DO CONTRATO:

No caso do Índice o dia de rolagem não é muito diferente dos outros dias, porque as posições
não são muito grandes como no dólar e porque todo dia, praticamente, temos muito movimento. O
fluxo mostra uma direção e normalmente persiste nela neste dia. Se um player continua apostando
na alta ou queda do ativo, ele vai manter sua posição do contrato atual para o próximo. Ele pode
fazer isto de 2 maneiras:
Manual: sai da posição curta e entra na longa manualmente, ou seja, operando nos 2 contratos,
compra no curto e vende no longo ou vice-versa.
Automático: Através do Código de Rolagem da Bolsa IR1V18X18 o player rola a posição, a Bolsa
já abre 2 posições, uma em cada vencimento.
Pode também acontecer dos grandes players saírem posicionando no novo contrato e deixarem
o contrato curto vencer, isto gera um fluxo momentâneo e errático. Por tudo isto, no último dia do
contrato curto devemos operar o longo, onde o volume e a liquidez vão estar presente.

Índice Futuro é diferente do Dólar Futuro em se tratando da razão pela qual o ativo existe. O
dólar é um ativo criado para dar saída para operações e câmbio de empresas comerciais
IMPORTADORAS E EXPORTADORAS, que precisam se proteger de variações cambiais que, por sua
vez, são ligadas diretamente à atividade econômica. O índice futuro, em sua essência, serve para
proteger a carteira de ações do IBOVESPA. Em termos de números, existem muito mais potenciais
HEDGERS para dólar do que para índice, e isso faz com que a composição dos players seja diferente
entre os DOIS ATIVOS. Isso, por si só, já é suficiente para que o preço "se movimente" de forma
distinta.

PAG 11 MATERIAL DE NIVELAMENTO | MESTERlab.com