Você está na página 1de 77

Disciplina: Metodologia da Pesquisa

Prof. Eduardo Bezerra


edu10puntos@gmail.com
1. Objetivo da aula
Compreender os passos necessários para a
elaboração de texto científico, visando à redação
de um artigo científico;

Refletir sobre o plágio;

Exercitar a prática de uma citação indireta;

Refletir sobre o tema que será desenvolvido no


artigo científico.
2. CONCEITO DE ARTIGO CIENTÍFICO

“Publicação com autoria declarada, que


apresenta e discute ideias, métodos,
técnicas, processos e resultados nas áreas do
diversas conhecimento.”

ABNT (NBR 6022, 2003, p.2)


Quais temas podemos pensar
para produção de um artigo?
Agora, vamos
problematizar?

E qual seria o objetivo?


Que caminhos metodológicos
poderíamos utilizar para pesquisar
esse assunto?
Agora é hora de
escrever!
4. Características básicas para a produção de um artigo
O QUE É METODOLOGIA?

O QUE É QUAIS OS TIPOS


MÉTODO ? DE PESQUISA?

O QUE É
CONHECIMENTO?
1. Objetivo
Identificar os passos necessários
para a elaboração do texto
científico, visando à redação do
seu TCC e/ou Artigo científico.
1. DEFININDO CONHECIMENTO

O QUE É
CONHECER?
1. DEFININDO CONHECIMENTO
Segundo BELLO (2005, p.10): “Conhecer é incorporar um
conceito novo, ou original, sobre um fato ou fenômeno
qualquer. O conhecimento não nasce do vazio e sim das
experiências que acumulamos em nossa vida cotidiana, através
de experiências, dos relacionamentos interpessoais, das leituras
de livros e artigos diversos”.
1. DEFININDO CONHECIMENTO
Finalidade do Conhecimento
O fim do conhecimento é alcançar uma verdade objetiva. Ao
produzi-lo, o homem assimila o mundo ao derredor, através
de um processo dialético baseado na contemplação, sensação,
percepção e representação.
O QUE É PESQUISA?
A pesquisa é um processo de construção do
conhecimento que tem como metas principais gerar
novo conhecimento e/ou corroborar ou refutar
algum conhecimento preexistente. É basicamente
um processo de aprendizagem do indivíduo.
As bases para a realização da pesquisa foram
instituídas por Galileu Galilei, Francis Bacon e René
Descartes, no século XVI.

“A pesquisa é um trabalho capaz de avançar o


conhecimento” (Goldenberg, 1993).

“Descobrir algo que ainda não foi dito” (Eco3, 1989).


Como o Homem
MÍTICA CRENÇAS NOS DEUSES, RITUAIS, ORIGEM DIVINA,
entra em contato
CRENÇAS MÍTICAS, TUDO SE FAZ POR MAGIA.
com o Mundo?
APOIA-SE EM DOUTRINAS SAGRADAS,
RELIGIOSA SISTEMÁTICO, A VERDADE É INDISCUTIVEL.

CIENTÍFICA EXPERIMENTAÇÃO, REGULARIDADES, MÉTODOS, LEIS GERAIS,


TEORIAS DE FENÔNEMOS OBSERVÁVEIS. GALILEU XVII

EMPÍRICO, EXPERIÊNCIAS DE UM GRUPO SOCIAL,


APOIA-SE NA INTUIÇÃO E NA EMOÇÃO, FRAGMENTÁRIO, AMETÓDICO, ASSISTEMÁTICO.
ARTÍSTICA
INESGOTÁVEL, ÍNTRISECO.

VISÃO DE CONJUNTO, PERSPECTIVA DE TOTALIDADE, RESGATE


FILOSÓFICA DA UNICIDADE, REFLEXÃO CRÍTICA E GLOBAL DOS SENSO COMUM
FUNDAMENTOS DO CONHECIMENTO E DAS AÇÕES HUMANAS.
1. DEFININDO MÉTODO E METODOLOGIA
O Que é Método?
A palavra método vem do grego méthodos, que significa caminho para
chegar a um fim.
O Que é Metodologia?
Metodologia significa estudo dos métodos ou da forma, ou dos instrumentos
necessários para a construção de uma pesquisa científica; é uma disciplina a
serviço da Ciência. O conhecimento dos métodos que auxiliam na elaboração
do trabalho científico.
3. Tipos de Pesquisas
Os tipos de pesquisas podem ser classificados de várias formas, segundo critérios diversos, que adotam
diferentes pontos de vista e são eles:

TEÓRICA Dedicada a estudar teorias

PESQUISA-AÇÃO Voltada para intervir na realidade social

METODOLÓGICA Se ocupa dos modos de fazer ciência

EMPÍRICA Dedicada a codificar a parte mensurável da realidade


3. Qual a finalidade de uma Pesquisa?
A pesquisa tem por finalidade descobrir respostas para questões, mediante a aplicação
de métodos científicos (LAKATOS, 2002).

PRINCIPAIS REQUISITOS PARA A PESQUISA


a) a existência de uma pergunta que se deseja responder;
b) a elaboração de um conjunto de passos (métodos) que permitam chegar à
resposta;
c) a indicação do grau de confiabilidade na resposta obtida;
4. Primeiros passos
Ao iniciar o TCC – é importante relembrar alguns procedimentos que você já conhece, mas que deve ter sempre em mente, de agora em diante.
Inicialmente, vamos deixar claras algumas definições:

O que é Trabalho de Conclusão do Curso – TCC?


[...] Trabalho de conclusão de curso (TCC) ou monografia é um trabalho científico apresentado ao final de um curso de graduação
ou de especialização que representa a síntese da formação universitária. Trata-se de uma forma de avaliar o conjunto de
conhecimentos adquiridos durante o curso [...].(PACIEVITCH, T.)

O que é monografia?
Trata-se de um “documento que apresenta a descrição exaustiva de determinada matéria, abordando aspectos científicos, históricos,
técnicos, econômicos, artísticos etc.” (ABNT - P-TB-49, 1967).

O que é artigo científico?


Artigo cientifico é “parte de uma publicação com autoria declarada, que apresenta e discute ideias, métodos, técnicas, processos e
resultados nas diversas áreas do conhecimento” (ABNT - NBR 6022, 2003, p.2).
ETAPAS DA PESQUISA
ETAPAS DA PESQUISA
TIPOS DE TRABALHOS ACADÊMICOS
Documento Caracterização
Artigo Texto com autoria declarada que apresenta e discute ideias, métodos
técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento,
destinado à divulgação, através de períodos.
Artigo Trata de determinado assunto resultante de pesquisa científica, destinado a
científico divulgação através de uma publicação científica, sujeita a sua aprovação por
julgamento.

Dissertação Documento que representa o resultado de um trabalho experimental ou


exposição de um estudo recapitulativo, de tema único e bem delimitado em
sua extensão, com o objetivo de reunir, analisar e interpretar informações.
Deve evidenciar o conhecimento da literatura existente sobre o assunto e a
capacidade de sistematização do candidato. É feito sob a orientação de um
pesquisador, visando a obtenção de um título de Mestre.
(Mattar et al. 1996).
TIPOS DE TRABALHOS ACADÊMICOS
Monografia Tipo de trabalho científico abordando um único assunto,
(Severino, problema e/ou tratamento especificado.
2000)
Projeto de Documento que descreve os planos, fases e procedimentos de
pesquisa um processo de investigação científica a ser realizado.
Relatório Documento que relata formalmente os resultados ou
técnico progressos obtidos em investigação de pesquisa e
científico desenvolvimento ou que descreve a situação de uma questão
técnica ou científica.
Resenha É uma comunicação de pequeno porte relatando o resultado
da avaliação sobre uma nova publicação (livro ou revista).
(Mattar et al. 1996).
TIPOS DE TRABALHOS ACADÊMICOS
Tese Documento que representa o resultado de um trabalho
experimental ou teórico de tema específico e bem delimitado.
Dever ser elaborado com base em investigação original, a partir de
hipóteses constituindo-se numa real contribuição para a
especialidade em questão.
Visa a obtenção do título de Doutor (sob a orientação de um
pesquisador) ou de Livre docente.
Trabalho Pequenos textos exigidos nos curso de graduação, sobre estudos
didático realizados pelos alunos, com o objetivo de induzir e fixar o
aprendizado.
As monografias devem apresentar uma organização estrutural
inteligível, uma construção lógica e concatenada de modo a fazer
sentido/compreensão para um leitor que não tenha participado da sua
construção. (Mattar et al. 1996).
FOCCUS - A MONOGRAFIA

A MONOGRAFIA é uma documentação que


apresenta a descrição de determinada
matéria/tema abordando aspectos científicos,
históricos, técnicos, econômicos, artísticos
etc.”

(ABNT, P-TB-49/67 apud OLIVEIRA, 2001, p. 235)


A MONOGRAFIA
Deve ter unidade, objetividade
e coerência e tratar o tema
escolhido.

Apresentar as ideias em uma 4.2 A


sequência lógica e ordenada, MONOGRAFIA
mantendo os objetivos.

Argumentar com fundamentos


em dados e pesquisas.
O PLÁGIO

Fonte: Disponível em:


<Disponível em:<
https://www.google.com.br
/search?q=pl%C3%A1gio&e
s_sm=122&source=lnms&tb
m=isch&sa=X&ei=x0niVOT...
>. Acesso em: set. de 2015.
ARTIGO DE PERIÓDICO
LEIS
ARTIGO
VERBETE DE
ENCICLOPÉDIA
ELETRÔNICA

ARTIGO DE
TESE JORNAL
DOUTORADO

TRABALHOS DE
LIVROS
JORNAL
INTERNE
RESUMOS CONCLUSÃO DE
CURSO

REVISTAS ANAIS
ELETRÔNICAS TRABALHO PUBLICADO EM ANAIS DE CONGRESSO

<http://www.leffa.pro.br/textos/abnt.htm>
Fonte: Escola Presbiteriana Mackenzie
Exemplos:

Fonte: Escola Presbiteriana Mackenzie


INCLUIR ENTRE PARÊNTESES O SOBRENOME DO AUTOR+ANO=PÁGINA DA OBRA CITADA
Fontes: Escola Presbiteriana Mackenzie
Fontes: Escola Presbiteriana Mackenzie
Fontes: Escola Presbiteriana Mackenzie
“Parafrasear é, pois, traduzir as palavras de um
texto por outras de sentido equivalente, mantendo,
porém, as ideias originais. A paráfrase inclui o
desenvolvimento de um texto, o comentário, a
explicitação.” (MEDEIROS, 2003, p. 182)
Modelos
Pignatari (1983, p. 135) O primeiro dado é de que os textos
esclarece: originais contém informações
[...]informações de primeiro complexas, que podem apresentar
grau são informações dificuldades de entendimento. Assim, a
complexas a que poucos tem paráfrase tem como objetivo traduzir
acesso; para que cheguem a um texto complexo em linguagem mais
um número maior de
pessoas, é preciso diluí-las,
acessível. A tradução, no entanto,
trocá-las em miúdo, embora acarreta a diluição do conhecimento,
com alguma perda. É uma da informação nova, e isto provoca
forma de tradução, é uma alguma perda. Não obstante isso,
forma de degrau para a revela- se útil, porque é um degrau que
informação superior. se sobe para atingir a informação
(PIGNATARI, 1983, p. 135)
superior. (PIGNATARI, 1983, p. 135)
CITAÇÃO PARÁFRASE
VAMOS EXERCITAR?
Análise os trechos a seguir e classifique-os em:
citação direta, citação indireta ou paráfrase.

TRECHO 1
No que se refere à pesquisa bibliográfica, Antonio Gil considera que:
A pesquisa bibliográfica é desenvolvida a partir de material já
elaborado, construído principalmente de livros e artigos científicos.
Embora em quase todos os estudos seja exigido algum tipo de trabalho
desta natureza, há pesquisas desenvolvidas exclusivamente a partir de
fontes bibliográficas. Parte dos estudos exploratórios podem ser
definidos como pesquisas bibliográficas, assim como certo número de
pesquisas desenvolvidas a partir da técnica de análise de
conteúdo.(GIL, 2009, p.44)
TRECHO 2
“A pesquisa documental assemelha-se muito à pesquisa bibliográfica, a
diferença essencial entre ambas está na natureza das fontes.” (GIL, 2009,
p.45)

TRECHO 3
A noção de violência é por princípio, ambígua. Não existe uma violência, mas
multiplicidade de atos violentos, cujas significações devem ser analisadas a partir de
normas, das condições e dos contextos sociais, variando de um período histórico a outro.
A violência é um dos eternos problemas da teoria social e da prática política. Na História
da Humanidade, tem se revelado em manifestações individuais e coletivas (CHESNAIS,
1981). Apresenta as múltiplas formas de violência registradas em diferentes épocas e
sociedades, privadas e coletivamente. Distingue desde a violência sexual ata criminal, os
conflitos de autoridade e lutas pelo poder estatal. (WAISELFISZ, 1988, p.144-145).
Redação do Desenvolvimento da Monografia
É a “parte principal da monografia, que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto tratado. Divide-se em seções e
subseções, conforme a NBR 6024, que variam em função da abordagem do tema e do método.”

No desenvolvimento, também chamado corpo do trabalho relatam-se o resultado da pesquisa, qualquer que seja sua natureza e abordagem.
A apresentação dos dados coletados e dos resultados obtidos deverá ser feita de modo que o leitor possa acompanhar os passos do estudo e
o raciocínio do autor.

É importante lembrar que a linguagem científica baseia-se em dupla exigência: de clareza e de precisão.

O desenvolvimento é, na verdade, um conjunto de itens. Ressalte-se que as divisões deste, em seções e subseções devem decorrer de
exigências lógicas e não de critérios de espaço. É também a lógica interna do discurso que deverá presidir ao arranjo e sequenciação do
artigo. Estes devem conter, exclusivamente, o material relativo ao tema em estudo, evitando-se digressões e citações bibliográficas não
pertinentes.
A clareza de expressão decorre de uma clareza de pensamento e de uma compreensão abrangente do tema tratado.
Resumo, Palavras-chave e Considerações Finais
Segundo a NBR 6028, da ABNT, resumo é uma “apresentação concisa dos pontos relevantes de um documento”.
No caso de uma monografia, trata-se de um resumo informativo, isto é, que “informa ao leitor finalidades, metodologia, resultados e conclusões
do documento, de tal forma que este possa, inclusive, dispensar a consulta ao original”.
O Resumo deve ser "Redigido pelo próprio autor do TCC, o resumo - síntese dos pontos relevantes do texto, em linguagem clara, concisa,
direta, com o máximo de 500 palavras.
Deve conter uma breve descrição do trabalho, com: tema, objetivos, metodologia e referencial teórico, assim como os resultados obtidos e
discutidos, encerrando-se com as considerações finais. Não deve apresentar citação bibliográfica.
No resumo, evite expressões redundantes, como “essa monografia aborda...”. Procure iniciar pelo verbo – “reflete-se sobre a formação...” e não
repetir informações do título ou do subtítulo.

A NBR 6028, da ABNT, recomenda ainda:


O resumo deve ser composto de uma sequência de frases concisas, afirmativas e não de enumeração de tópicos.
A primeira frase deve ser significativa, explicando o tema principal do documento. A seguir, deve-se indicar a informação sobre a categoria do
tratamento (memória, estudo de caso, análise da situação etc.).
Deve-se usar o verbo na voz ativa e na terceira pessoa do singular.
Palavras-chave
Segundo a NBR 6028, da ABNT, palavra-chave é uma “palavra representativa do conteúdo do documento, escolhida, preferentemente,
em vocabulário controlado.” As palavras-chave devem figurar logo abaixo do resumo, antecedidas da expressão Palavras-chave, separadas
entre si por ponto e finalizadas também por ponto.
Por exemplo: Palavras-chave: Formação de professores. Alfabetização. Emília Ferreiro.
O objetivo de utilizar palavras-chave ou descritores é a indexação da monografia, ou seja, a organização para que o trabalho possa ser
encontrado em pesquisas nas bibliotecas ou pelos mecanismos de busca na internet.

Considerações finais
As considerações finais representam a síntese para a qual o trabalho se encaminha; constitui o fecho do trabalho, reafirmando a ideia
principal discutida no desenvolvimento. Para lá convergem os passos da análise e da discussão e nela se procede a um balanço
interpretativo dos resultados obtidos, bem como indicam-se que caminhos ainda podem ser percorridos, e que futuras pesquisas ainda
precisam ser feitas.
Considerações finais
As considerações finais podem significar um avanço na possível superação do problema levantado ou abrir caminho para
novas pesquisas.
Utiliza-se a expressão “considerações finais” ao invés de “conclusão” quando o trabalho não for conclusivo, o que é mais
comum na pesquisa no campo da Educação, onde se os objetivos são mais reflexivos do que puramente baseados em dados
numéricos – quando isso ocorre, o que importa essencialmente é a discussão desses dados.

Nas considerações finais deve-se:


Retomar a Introdução, patenteando assim, a organicidade do trabalho.
Oferecer um resumo sintético, mas abrangente, do desenvolvimento.
Representar a avaliação do trabalho realizado.
Externar com maior evidência as opiniões do autor, suas críticas, sugestões e contribuições ao assunto abordado.
5- Exercício Reflexivo
1- Observe com atenção o dia a dia da escola onde você trabalha. Reflita sobre o
que está acontecendo nas salas de aula, na sala dos professores, nos momentos
de planejamento com os professores, nas relações entre a escola e as famílias,
nas relações entre os profissionais da escola, no seu próprio trabalho etc.
2- Preocupe-se e dirija sua atenção não para qualquer acontecimento, mas para
aquilo que, de algum modo, esteja relacionado com o ato de educar e que, por
alguma razão está te incomodando, porque, no seu modo de entender, poderia estar
melhor e você gostaria de promover essa melhora. Anote suas reflexões num
caderno, dedicando algumas páginas para descrever cada situação.
3- Escolha uma situação e pense no que poderia
explicar o que você descreveu. Isto é, pense no que
você considera importante saber para compreender
melhor uma dada situação. Anote.
4- Com base em suas anotações estabeleça o(s) tema(s) que envolve(m) as situações
descritas. Será que elas têm relação com o currículo? Com a avaliação em larga
escala, ou a avaliação do aluno? Com a (in)disciplina? Será que se relacionam com
a aprendizagem dos alunos? Serão os recursos educativos? As relações da escola com
as famílias? As relações interpessoais no interior da escola? Estarão relacionadas com
o planejamento escolar?
5- Tendo o(s) tema(s) em consideração, escreva algumas questões (faça perguntas)
para as quais você acha importante buscar as respostas.

6- É hora de procurar na literatura disponível o que já se


escreveu sobre o tema problematizado por você e conhecer as
respostas disponíveis.
“Parafrasear é, pois, traduzir as palavras de
um texto por outras de
sentido equivalente, mantendo, porém, as
ideias originais. A paráfrase inclui o
desenvolvimento
de um texto, o comentário, a explicitação.”
(MEDEIROS, 2003,
p. 182)
CITAÇÃO PARÁFRASE

O primeiro dado é de que os


Pignatari (1983, p.
textos originais contém
135) esclarece: informações complexas, que
[...]informações de podem apresentar dificuldades
primeiro grau são de entendimento. Assim, a
informações complexas
a que poucos tem paráfrase tem como objetivo traduzir
acesso; para que um texto complexo em linguagem mais
cheguem a um número maior de acessível. A tradução, no entanto,
pessoas, é preciso diluí-las, acarreta a diluição do conhecimento, da
trocá- las em miúdo, embora
com alguma perda. É
informação nova, e isto
uma forma de provoca alguma perda. Não
tradução, é uma forma obstante isso, revela- se útil,
de degrau para a porque é um degrau que se
informação superior. sobe para atingir a informação superior.
(PIGNATARI, 1983, p.
135) (PIGNATARI, 1983,
p. 135)
VAMOS EXERCITAR!
Leia o trecho a seguir e reescreva como uma
paráfrase, uma citação indireta:
1.“Ensinar não é transferir conhecimento, mas
criar as possibilidades para a sua produção ou
a sua construção” (FREIRE, 1996, p. 21).
FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia:
saberes necessários à prática educativa. São
Paulo: Paz e Terra, 1996.
VAMOS EXERCITAR!
Leia o trecho a seguir e reescreva como uma
paráfrase, uma citação indireta:
1. “Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua produção ou
a sua construção” (FREIRE, 1996, p. 21).
FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz
e Terra, 1996.

Segundo Paulo Freire (1996), o docente deve transmitir o conhecimento buscando proporcionar
ao discente a compreensão do que foi exposto e, a partir daí, permitir que o mesmo dê um novo
sentido, quer dizer, a ideia é não dar respostas prontas, mas criar possibilidades, abrir
oportunidades de indagações e sugestões, de raciocínio, de opiniões diversas entre outras.
Jamais impedir as interações, as opiniões, os erros e os acertos, isto é, todos esses elementos
permitirão que o aluno alcance o real conhecimento e continue a buscá-lo incessantemente de
forma autônoma e prazerosa.
ATIVIDADE
Curso: Aproveitamento em Estudos Disciplina:
Artigo Científico Professora: Andréa Gonçalves
Data:

A introdução apresenta o assunto e delimita o tema, analisando a problemática


que será investigada, definindo conceitos e especificando os termos adotados a fim
de esclarecer o assunto. Devem constar os objetivos da pesquisa, o problema e as
hipóteses de trabalho ou as questões norteadoras (quando for o caso), a justificativa
da sua escolha e a metodologia utilizada, com base no referencial teórico
pesquisado (GONÇALVES, 2004). A introdução deve criar uma expectativa positiva e
o interesse do leitor para a continuação da análise de todo artigo.

Produza a introdução do seu trabalho...


DICAS PARA PESQUISAS
Google Acadêmico http://scholar.google.com.br
SciELO http://www.scielo.br
Portal de Periódicos da Capes http://www.periodicos.capes.gov.br
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP http://www.teses.usp.br
Domínio Público http://www.dominiopublico.gov.br
- IBICT – Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia
- BDTD (Biblioteca Digital de Teses e Dissertações
- Banco da Capes (está em manutenção desde novembro)
-Biblioteca de IES, ex.: USP; UNICAMP; UNESP; PUCCAMP; PUCSP.
-Revista Brasileira de Pesquisa sobre formação de professores
-Cadernos de Pesquisa
-Educação e Sociedade
-Revista Brasileira de Educação
-Revista Brasileira de Formação de Professores
-Revista Portuguesa de Formação de Professores
-Revista Eletrônica de Educação
-Educação em Revista
-Revista da Faculdade de Educação
- Anais ANPEd
- Anais do Endipe
-FCC (Fundação Carlos Chagas)
-Fundação Victor Civita – Estudos e Pesquisa -Scielo
ETAPAS PARA ELABORAÇÃO DE UM PROJETO DE PESQUISA
PROJETO DE PESQUISA
O projeto é uma das etapas componentes do processo de elaboração, execução e apresentação da pesquisa. Em uma
pesquisa, nada se faz ao acaso. Desde a escolha do tema, fixação dos objetivos,
determinação da metodologia, coleta dos dados, sua análise e interpretação para a elaboração do relatório final
(monografia, dissertação e tese), tudo é previsto no projeto de pesquisa.
Tema/Assunto

 Escolhe e estabelece a perspectiva em que o assunto será tratado.


 Selecionar em função das razões, motivos, demandas.
 Delimitar espaço e tempo.
 Ter relevância, originalidade.
 Estar ligado à área de atuação profissional ou que faça parte da sua experiência.
Objetivos/Para quê?
Justificativa/Por Quê?
 Demonstrar a necessidade e a importância do trabalho.
 Destacar a relevância social, humana, contemporânea e científica.
 Especificar sua viabilidade e as contribuições que o trabalho pode trazer.
Formulação do Problema
“Todo discurso científico, busca demonstrar (defender) uma posição (a do autor) sobre o tema
problematizado.”

“[...] todo raciocínio desenvolvido num trabalho logicamente construído é uma demonstração que
visa solucionar um determinado problema” (SEVERINO, 1986).

“A pesquisa científica começa pelo problema. [...] E problema é dúvida, é dificuldade, é quebra-
cabeça, é curiosidade, é mistério, é assombro”. (SALOMON, 1997).
Formulação do Problema
Hipóteses
As hipóteses constituem “respostas” supostas e provisórias ao problema. A principal resposta é denominada hipótese básica, podendo ser
complementada por outras, que recebem a denominação de secundárias.

 Suposição que se faz na tentativa de explicar o problema.


 Deve ser testável e responder ao problema.
 Guia na pesquisa para verificar sua validade.
 Com a pesquisa ela pode ser confirmada ou negada.
Metodologia = como?
Classificação das Pesquisas
Classificação das Pesquisas
Classificação das Pesquisas
Referências Bibliográficas
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724: informação e documentação,
trabalhos.
ANDRADE, M. M. de. Introdução à metodologia do trabalho científico: elaboração de trabalhos na
graduação. 4 ed. São Paulo: Atlas, 1998.
____________. Como preparar trabalhos para cursos de pós-graduação. São Paulo: Atlas, 1995.
BARUFFI, H. Metodologia da pesquisa: manual para elaboração de monografia. Dourados (MS):
HBedit, 2004.
GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2006.
GRESSLER, L. A. Introdução à pesquisa: projetos e relatórios. São Paulo: Edições Loyola, 2003.
MEDEIROS, J. B. Redação científica: a prática de fichamentos, resumos, resenhas. 9 ed. São Paulo:
Atlas, 2007.
MIRANDA, J. L. C.; GUSMÃO, H. R. Os caminhos do trabalho científico: orientação para não perder o
rumo. Brasília: Briquet de Lemos, 2003.
PÁDUA, E. M. M. O trabalho monográfico como iniciação à pesquisa científica. In: CARVALHO, M. C. M.
(org.). Construindo o saber. Campinas: Papirus, 1991.
SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. rev. e atual. São Paulo: Cortez, 2009.
SALOMOM, D. V. Como fazer uma monografia. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.