Você está na página 1de 4

Eberhart Punho-Cerrado

Humano – Bárbaro 8

Humanoide (Médio)

Dados de Vida: 8d12+24+8 (89 PV)

Iniciativa: +2

Deslocamento: 12 m (8 quadrados), Com Armadura

9m.

Ataque Base/Agarrar: +8/+12

Classe de Armadura: 22 (20)*(+2 Des, +6 Peitoral, +2 escudo, +1 Anel, +1 Sorte), toque 14, surpresa

20;

Ataque: Corpo a corpo: Espada Larga +1 +12 (+14)* (dano: 2d6+7(+10)*, dec.19-20/x2), Distância: Arco Longo Composto (FOR +3) OP +11 (Dano 1d8+3);

Ataque Total: Corpo a corpo: Espada Larga +1 +12/+7 (+14/+9)* (dano: 2d6+7(+10)*, dec.19-20/x2), Distância: Arco Longo Composto (FOR +3) OP +11/+6 (Dano 1d8+3);

Ataques Especiais: -

Qualidades Especiais: Movimento Rápido, Fúria 3/dia, Analfabetismo, Esquiva Sobrenatural Aprimorada, Sentir armadilhas +2, Redução de dano 1/-.

Testes de Resistência: Fort +10(11), Ref +5(6), Von +4(+5)(+6)*(+7)*;

Habilidades: For 18(22)*, Des 14, Con 16(20)*, Int 10, Sab 12, Car 8

Perícias: Cavalgar 7, escalar 11, Observar +6, Ofícios (Armeiro) +11, Ouvir +12, Sobrevivência 12.

Talentos: Sorte dos Heróis, Vitalidade Aprimorada, Defesa Aprimorada Com Broquel, Ataque Poderoso.

Equipamento: Espada Larga +1, Peitoral de Aço +1, Anel de Proteção +1, Arco Longo OP (FOR +3), Manto de Resistência+1, 900PO.

Nível: 8

Tendência: Caótico e Bom.

+1, Arco Longo OP (FOR +3), Manto de Resistência+1, 900PO. Nível: 8 Tendência: Caótico e Bom.

*Fúria(8 rodadas).

História de Eberhart

Nascido e criado nas montanhas frias de Fronteira Branca, situadas ao norte, Eberhart Punho–Cerrado é filho de Eghter Quebra-Lança e sua falecida esposa, Gendra. Seu pai era líder de uma aldeia de bárbaros conhecida como o Clã do Javali. Por essa razão, Eberhart foi, desde cedo, treinado para ser o mais hábil e mais forte dentre todos. Um treinamento severo, feito para prepará-lo para as responsabilidades que teria ao crescer e herdar a liderança do Clã.

Sua mãe morreu quando ele nasceu, mas, algum tempo depois, seu pai se casou com a bela Adelind, da tribo dos Garra-de-Urso. Desta forma, Eberhart sempre acreditou que Adelind fosse sua verdadeira mãe e, por consequência, que os irmãos dela, Alberich, Angus e Aetherwulf, fossem seus verdadeiros tios.

Quando ainda era garoto, Alberich, irmão mais velho de Adalind, e suposto aliado de Eghter, foi expulso da aldeia dos Garras-de-Urso por tentar matar seu pai e tomar seu lugar. Contrariando o bom senso, e acatando um pedido da esposa, Eghter abrigou Alberich em sua aldeia, o que causou um conflito com a tribo dos Garra-de-Urso. Conflito que culminou em uma batalha entre as duas tribos. Ao final do combate, aproveitando-se da confusão, Alberich tentou matar Eghter pelas costas, também para tomar seu lugar, mas foi derrotado em combate e teve um de seus olhos arrancado pelo líder dos Javalis. Em meio ao clamor da batalha ele desapareceu e nunca mais foi visto.

Quando Eberhart estava próximo de ralizar 18 anos, entretanto, isso tudo mudou.

Rumores de que um grupo de exilados de ambos os Clãs estava formando um pequeno exército em regiões remotas de Fronteira Branca começaram a ser ouvidos em toda parte. O que queriam ou quem os estaria liderando era um mistério para todos, até que o terrível plano se revelou: Alberich escapara vivo da luta contra Eghter e agora queira vingança.

Ele juntou os exilados de ambas as aldeias sob seu controle, com a promessa de que eles teriam seu próprio clã, e ganhou poderio militar suficiente para investir contra a aldeia de Eghter. Sua nova força foi suficiente para atrair a aliança de seus dois irmãos que estavam insatisfeitos com o modo que o pai governava a aldeia dos Garra-de-Urso. Juntos eles elaboraram um plano para que cada um ficasse com o controle de um Clã e a primeira etapa deste plano foi derrotar Eghter e seus homens.

Durante a noite, ajudado secretamente por um traidor, eles atacaram a aldeia de surpresa e mataram todos os que eram leais ao pai de Eberhart. Em meio à batalha, Alberich conseguiu enfrentar e derrotar um enfraquecido Eghter diante de toda a aldeia e se tornar o novo líder do Clã do Javali.

Eberhart só conseguiu fugir porque, quando o ataque começou, seu pai o fez prometer que se salvaria para continuar a linhagem da família. Enquanto fugia, de fora da aldeia, em meio às arvores, ele ainda avistou seus três “tios”, enquanto exibiam a cabeça decapitada de seu pai.

Mais do que isso, ele avistou Adalind em meio aos que aclamavam o novo líder e percebeu quem era o traidor que havia entregado a aldeia a eles.

Nos tempos que se seguiram, Eberhart escondeu-se nas montanhas, utilizando-se de sua astúcia, habilidade de caça e perícia em combate para escapar dos homens de Alberich que passaram a procurar por ele desde então.

Ouvindo histórias e rumores, ele descobriu que os três irmãos derrotaram e mataram o antigo líder do Clã dos Garra-de-Urso, e pai deles. Agora, Alberich era líder do Clã do Javali, Aethelwuulf era o líder do Clã dos Garra-de-Urso e Angus, que nuca quis ser líder de nada, tornou-se um saqueador, no comando dos Exilados, mas ainda trabalhando a serviço de Alberich.

Mais do que isso, ele descobriu, horrorizado, que Alberich tomou Adelind como sua esposa e, agora, matriarca do Clã do Javali.

Furioso com tanta traição e covardia, Eberhart passou a emboscar todos os homens de ambos os clãs sempre que podia. Suas ações começavam a enfurecer os três irmãos e era óbvio que uma retaliação em breve ocorreria.

Antes, entretanto, que tivessem tempo de organizarem uma caçada ao filho de Eghter, algo aconteceu que o fez mudar de atitude.

Durante uma de suas emboscadas percebeu que os homens de Alberich traziam consigo uma linda jovem: uma escrava, provavelmente capturada em aldeias vizinhas.

Antes de deixar que fizessem algo horrível com a jovem, ele atacou o grupo, matou alguns

e fugiu com a garota para a floresta.

Nos dias que se seguiram, ele passou a cuidar dela, dando-lhe comida e protegendo-a dos perigos da natureza. A jovem estava traumatizada, de modo que nos primeiro dias nada falava e por mais de uma vez tentou fugir do jovem bárbaro. Este, por sua vez, sempre a buscava e a trazia de volta. À medida que o tempo passava e percebendo que o jovem não queria seu mal, ela começou a se abrir mais com ele, e acabaram criando um laço de afeição muito grande. Seu nome era Griseld e ela era membro do Clã do Cervo, um pacifico clã que vivia ao sopé das montanhas. Os homens de Alberich atacaram

a aldeia para roubar armas e mataram seus pais. Ela agora não tinha ninguém a não ser Eberhart.

Os dias se passaram e a paixão entre os dois cresceu.

Um dia, entretanto, algo imprevisível aconteceu. Enquanto Eberhart saía para caçar, os homens de Alberich encontratam o esconderijo dos dois em meio a um conjunto de cavernas e capturaram a moça. Ficaram de tocaia e armaram uma armadilha para Eberhart. O jovem era experiente e percebeu, ao retornar, que havia algo errado, mas eles haviam capturado a mulher que amava e ele não poderia fugir.

Ele os atacou com força e selvageria. Dos quatro homens que haviam tomado o lugar, apenas dois escaparam vivos, mas tiveram tempo suficiente para ferir, com uma faca, a jovem Griseld.

Eberhart a viu morrer em seus braços sem nada poder fazer.

Após enterra-la decidiu deixar as Montanhas do Norte e partiu pelo mundo, em busca de treinamento. Ele prometeu, diante do túmulo da jovem, que ficaria mais forte e só retornaria para matar sua madrasta e seus “tios”, vingando, assim, sua amada, seu pai e todos os que foram leais a ele e sua família.

Notas:

Significado do nome: Eghter o batizou com Punho-Cerrado porque, quando nasceu, tinha as mãos fechadas, em punho, e era muito forte para um bebê. Seu pai profetizou que, quando crescesse, teria punhos fortes e seria bom de briga.

Hábitos: antes de dormir, Eberhart enumera os nomes das pessoas que, um dia, irá matar, em sua vingança. A lista atual é Adelind, Alberich, Angus e Aetherwulf.

Aparência: Eberhart tem 1,90 metros de altura e cabelos negros longos, que usa soltos, frequentemente cobrindo seu roto. Tem a voz gutural e rouca que raramente é ouvida, visto que é um homem de poucas palavras.

Manias: sempre diz coisas como “Pela Aurora Boreal!”, “Com mil nevascas!” ou “Por Uthgar!”, quando está surpreso.