Você está na página 1de 5

À medida que ele for aspirando o ar contido no canudinho, o refrigerante irá subindo ao longo do duto, em-

purrado pelas forças devidas à pressão atmosférica.


A subida do refrigerante, entretanto, cessará quando o garoto tiver retirado todo o ar do canudinho (supondo
que isso seja possível), provocando praticamente o vácuo entre sua boca e a superfície livre do líquido já elevado.
Chamemos de p1 e p2 as pressões totais nos pontos 1 e 2 indicados na figura. Essas pressões ficam deter-
minadas por:
p1 5 µ g h e p2 5 p0 em que m é a massa es-
pecífica do refrigerante (1,0 g/cm3);
g é a intensidade da aceleração da gravidade
(10 m/s2); e
p0 é a pressão atmosférica local (1,0 ? 105 Pa).
Como os pontos 1 e 2 pertencem ao mesmo nível
horizontal (mesma região isobárica), suportam pres-
sões iguais.
Assim: p1 5 p2 ⇒ m g h 5 p0
Substituindo os dados numéricos apresentados,
calculemos a altura máxima h procurada:
1,0 ? 103 ? 10 ? h 5 1,0 ? 105 ⇒ h 5 10 m
Concluímos, então, que o garoto conseguiria ele- h
var o refrigerante, no máximo, até uma altura de 10 m a
contar da superfície livre do líquido no recipiente.
Bombas hidráulicas que eventualmente recalcam
água de poços com profundidades maiores que 10 m não
desempenham essa tarefa por simples sucção, já que
isso seria impossível, como acabamos de demonstrar.
Para isso há um compressor que aumenta a pressão do (1) (2)
ar sobre a água a ser elevada, favorecendo a operação.
Nota: Em situações reais, uma pessoa, por melhor que fosse
sua capacidade de sucção, jamais conseguiria elevar, por meio
de um canudinho, líquidos aquosos a alturas próximas de 10 m.

Exercícios nível 1

16. (Ufop-MG) Considere o reservatório hermeticamente fecha- a) p 5 d c) p 5 h e) p 5 d h


do esquematizado na figura: P D P H P DH
b) p 5 D d) p 5 H
Vácuo P d P h

17. (Unesp-SP) Um vaso de flores,


Mercúrio h cuja forma está representada na figura,
H 1
está cheio de água. Três posições, A, B
D A
d e C, estão indicadas na figura.
Registro A relação entre as pressões pA, pB e pC,
fechado
Registro exercidas pela água respectivamente C B
fechado 2
nos pontos A, B e C, pode ser descrita
No equilíbrio hidrostático, determine a relação entre as pressões como:
p e P, respectivamente, na entrada dos tubos 1 (diâmetro d) e a) pA����B����C c) pA 5 pB����C e) pA < pB 5 pC
2 (diâmetro D): b) pA����B 5 pC d) pA 5 pB < pC

Tópico 2 – Estática dos fluidos 447

TF1-436_485_P3T2.indd 447 16/08/12 17:21


18. Considere os recipientes A, B e C da figura, cujas áreas das
paredes do fundo são iguais. Os recipientes contêm o mesmo lí- 2,0 cm
quido homogêneo em equilíbrio, e em todos eles o nível livre do
líquido atinge a altura h. 4,0 cm

h 6,0 cm

A B C

Sejam pA , pB e pC e FA , FB e FC, respectivamente, as pressões e as 21. E.R. Um longo tubo de vidro, fechado em sua extremida-
intensidades das forças exercidas pelo líquido nas paredes do de superior, é cuidadosamente mergulhado nas águas de um
fundo dos recipientes A, B e C. Compare: lago (µágua 5 1,0 ? 103 kg/m3) com seu eixo longitudinal coin-
a) pA , pB e pC b) FA , FB e FC. cidente com a direção vertical, conforme representa a figura.

Ar
19. E.R. O tanque representado na figura seguinte contém
água (μ 5 1,0 g/cm3) em equilíbrio sob a ação da gravidade
(g 5 10 m/s2):
h

A
3,0 m
B 2,0 m
1,0 m No local, a pressão atmosférica vale p0 5 1,0 atm e adota-se
g 5 10 m/s2.
Determine, em unidades do Sistema Internacional: Se o nível da água no interior do tubo sobe até uma profun-
a) a diferença de pressão entre os pontos B e A indicados; didade h 5 5,0 m, medida em relação à superfície livre do
b) a intensidade da força resultante devido à água na parede lago, qual é a pressão do ar contido no interior do tubo?
do fundo do tanque, cuja área vale 2,0 m2.
Resolução:
Resolução: Ar
a) A diferença de pressão entre os pontos B e A pode ser cal- 0
culada pelo Teorema de Stevin: pB – pA 5 µ g h
Fazendo pB – pA 5 Δp, vem: Δp 5 µ g h h
Sendo µ 5 1,0 g/cm3 5 1,0 ? 103 kg/m3, g 5 10 m/s2 e 1 2
h 5 2,0 m – 1,0 m 5 1,0 m, calculemos Δp:
Δp 5 1,0 ? 103 ? 10 ? 1,0 (N/m2)

Δp 5 1,0 ? 10 4 N/m2 Aplicando o Teorema de Stevin aos pontos 0 e 1, temos:


p1 – p0 5 μágua g h ⇒ p1 5 μágua g h 1 p0
b) A intensidade F da força resultante que a água exerce na
parede do fundo do tanque é dada por: Concluímos, então, que a pressão total no ponto 1 é consti-
F 5 pfundo A 5 µ g H A tuída por duas parcelas:
μágua g h, que é a pressão efetiva exercida pela água, e p0, que
Sendo H 5 3,0 m e A 5 2,0 m2, vem: é a pressão atmosférica.
F 5 1,0 ? 103 ? 10 ? 3,0 ? 2,0 (N) É importante notar que a pressão atmosférica manifesta-se não
apenas na superfície livre da água, mas também em todos os
F 5 6,0 ? 10 4 N pontos do seu interior, como será demonstrado no item 13.
No ponto 2, temos: p2 5 par
Como os pontos 1 e 2 pertencem à água e estão situados no
20. (PUC-RJ) Em um vaso em forma de cone truncado, são mesmo nível horizontal (mesma região isobárica), suportam
colocados três líquidos imiscíveis. O menos denso ocupa um pressões iguais. Assim:
volume cuja altura vale 2,0 cm; o de densidade intermediária p2 5 p1 ⇒ par 5 µágua g h 1 p0
ocupa um volume de altura igual a 4,0 cm, e o mais denso ocupa
um volume de altura igual a 6,0 cm. Supondo que as densidades Sendo μágua 5 1,0 ? 103 kg/m3, g 5 10 m/s2, h 5 5,0 m e
dos líquidos sejam 1,5 g/cm3, 2,0 g/cm3 e 4,0 g/cm3, respectiva-
p0 5 1,0 atm > 1,0 ? 105 Pa, calculemos par:
mente, responda: qual é a força extra exercida sobre o fundo do
vaso devido à presença dos líquidos? A área da superfície infe- par 5 (1,0 ? 103 ? 10 ? 5,0 1 1,0 ? 105) Pa
rior do vaso é 20 cm2 e a área da superfície livre do líquido que
está na primeira camada superior vale 40 cm2. A aceleração par 5 1,5 ? 105 Pa > 1,5 atm
gravitacional local é 10 m/s2.

448 Parte III – Estática

TF1-436_485_P3T2.indd 448 16/08/12 17:21


22. (Unesp-SP) Emborca-se um Ar Sabendo que a pressão exercida pelo gás, lida no medidor, é
tubo de ensaio em uma vasilha de 136 cm Hg, determine o valor da pressão atmosférica no
com água, conforme a figura. local.
Com respeito à pressão nos pon- 1 2
tos 1, 2, 3, 4, 5 e 6, qual das op- 24. (Faap-SP) Manômetro é um instrumento utilizado para
ções abaixo é válida? 3 4
medir pressões. A figura a seguir ilustra um tipo de manôme-
a) p1 5 p4 d) p3 5 p2 5 6 tro, que consiste em um tubo em forma de U, contendo mer-
b) p1 5 p2 e) p3 5 p6 cúrio (Hg), que está sendo utilizado para medir a pressão do
c) p5 5 p4 Água
gás dentro do botijão.
23. A medição da pressão atmosférica reinante no interior de um Ar
laboratório de Física foi realizada utilizando-se o dispositivo re- Gás
presentado na figura:
50 cm
Medidor de
pressão
absoluta A B

131 cm
Mercúrio
Hg
Gás 55 cm
Se a pressão atmosférica local é igual a 72 cm Hg, qual é a pres-
são exercida pelo gás?

Exercícios nível 2

25. (UFRJ) A figura ao l ll Para uma pessoa saudável, a pressão arterial máxima equilibra a colu-
lado ilustra dois reci- na de mercúrio a uma altura máxima de 120 mm e a pressão arterial
pientes de formas dife- mínima equilibra a coluna de mercúrio a uma altura mínima de 80 mm.
rentes, mas de volumes h Se o esfigmomanômetro de Riva-Rocci utilizasse água ao invés
iguais, abertos e apoia- de mercúrio, quais seriam as alturas máxima e mínima, em milí-
dos em uma mesa hori- metros, da coluna de água que seria equilibrada pelos valores
zontal. Os dois recipien- máximos e mínimos da pressão arterial de uma pessoa saudável?
tes têm a mesma altura h e estão cheios, até a borda, com água. Considere que a densidade do mercúrio é 13 vezes a da água.
Calcule a razão |f1|/|f2| entre os módulos das forças exercidas pela a) Hmín 5 1 040 mm ; Hmáx 5 1 560 mm
água sobre o fundo do recipiente I (f1) e sobre o fundo do reci- b) Hmín 5 80 mm ; Hmáx 5 120 mm
piente II (f2), sabendo que as áreas das bases dos recipientes I e
c) Hmín 5 6,2 mm ; Hmáx 5 9,2 mm
II valem, respectivamente, A e 4A.
d) Hmín 5 1 040 mm ; Hmáx 5 2 080 mm
26. (UFRJ) Um recipien- e) Hmín 5 860 mm ; Hmáx 5 1 560 mm
te cilíndrico contém água
em equilíbrio hidrostático
(figura 1). Introduz-se na 28. E.R. Se o experimento de Torricelli para a determinação da
água uma esfera metálica pressão atmosférica (p0) fosse realizado com água (µH O 5
2
maciça de volume igual a 5 1,0 g/cm3) no lugar de mercúrio, que altura da coluna de água no
5,0 ? 10 –5 m3, suspensa, tubo (em relação ao nível livre da água na cuba) faria o equilíbrio hi-
por um fio ideal de volu- drostático ser estabelecido no barômetro? Desprezar a pressão exer-
Figura 1 Figura 2
me desprezível, de um cida pelo vapor d’água e adotar, nos cálculos, g 5 10 m/s2. A pressão
suporte externo. A esfera fica totalmente submersa na água sem atmosférica local vale p0 5 1,0 atm.
tocar as paredes do recipiente (figura 2).
Resolução: Vácuo
Restabelecido o equilíbrio hidrostático, verifica-se que a introdução Na figura ao lado, está represen-
da esfera na água provocou um acréscimo de pressão Δp no fundo tado o barômetro de Torricelli.
do recipiente. A densidade da água é igual a 1,0 ? 103 kg/m3 e a área Tendo em conta o equilíbrio hi- h
da base do recipiente é igual a 2,0 ? 10 –3 m2. Considere g 5 10 m/s2. drostático do sistema, podemos
Calcule o acréscimo de pressão Δp. afirmar que a pressão exercida
pela coluna de água de altura h
27. (Unesp-SP) O esfigmomanômetro de Riva-Rocci foi um dos em sua base (pH O) é igual à
2
primeiros aparelhos desenvolvidos para se medir a pressão arte-
rial. Atualmente, em razão do mercúrio presente nesses apare- pressão atmosférica (p0).
lhos, eles vêm sendo substituídos por esfigmomanônetros ele- pH 5 p0 ⇒ µH g h 5 p0
2O 2O
trônicos, sem mercúrio, para reduzir impactos ambientais.

Tópico 2 – Estática dos fluidos 449

TF1-436_485_P3T2.indd 449 16/08/12 17:21


Figura 2: A garrafa é emborcada em um recipiente contendo água
Em que: p0
h5 e a rolha é retirada.
mH O g
2

Sendo p0 5 1,0 atm > 1,0 ? 105 Pa, µH O 5 1,0 ? 103 kg/m3 e A
2
g 5 10 m/s2, calculemos a altura h: B
1,0 ? 105
h 5 (m) ⇒ h 5 10 m C
1,0 ? 103 ? 10 D
Bomba
de vácuo E

29. Numa região ao nível Vácuo Figura 1 Figura 2


1
do mar, a pressão atmosfé- Dados: pressão atmosférica 5 1,0 atm; densidade absoluta da
rica vale 1,01 ? 105 N/m2 e α L água 5 1,0 g/cm3; intensidade da aceleração da gravidade 5 10 m/s2
g 5 9,81 m/s2. Repete-se o Atmosfera Qual o nível da água na garrafa, depois de estabelecido o equilí-
experimento de Torricelli, 2
brio hidrostático?
dispondo-se o tubo do ba- a) A b) B c) C d) D e) E
rômetro conforme repre-
Mercúrio
senta a figura. 32. Os três aparelhos abaixo estão situados no interior da mes-
A distância L entre os pontos 1 e 2 vale 151 cm e a massa específica ma sala:
do mercúrio é µ 5 13,6 g/cm3. Estando o sistema em equilíbrio, Vácuo Vácuo
calcule o valor aproximado do ângulo α que o tubo forma com a
direção vertical. 70 cm
20 cm
30. (Cesgranrio-RJ) Um rapaz aspira ao mesmo tempo água e
óleo, por meio de dois canudos de refrigerante, como mostra a M N Hg
figura. Ele consegue equilibrar os líquidos nos canudos com uma Hg Hg
altura de 8,0 cm de água e de 10,0 cm de óleo.
Fundamentado nas indicações das figuras, determine as pres-
sões exercidas pelos gases contidos em M e N.

33. O sistema da figura encontra-se em equilíbrio sob a ação da


gravidade, cuja intensidade vale 10 m/s2:

8,0 cm 10,0 cm

Gás
h
Água Óleo
Qual a relação entre as massas específicas do óleo e da água? Mercúrio

31. Considere o experimento descrito a seguir: Dados: pressão atmosférica p0 5 1,0 atm; massa específica do
Figura 1: Uma garrafa de vidro de altura igual a 40 cm é conectada mercúrio µ 5 13,6 g/cm3; h 5 50 cm.
a uma bomba de vácuo, que suga todo o ar do seu interior. Uma Considerando 1,0 atm 5 1,0 ? 105 N/m2, calcule, em atm, a pres-
rolha de borracha obtura o gargalo, impedindo a entrada de ar. são do gás contido no reservatório.

Bloco 3
12. O Teorema de Pascal Demonstração:
Consideremos o cilindro da figura a seguir, que
A Blaise Pascal devemos o teorema enunciado a contém um líquido homogêneo, incompressível e em
seguir, que encontra várias aplicações práticas.
equilíbrio sob a ação da gravidade. O líquido encontra-
-se aprisionado por um êmbolo livre, de peso P. Con-
Um incremento de pressão comunicado a sideremos dois pontos no líquido: o ponto 1, situado
um ponto qualquer de um líquido incompressível imediatamente sob o êmbolo, e o ponto 2, situado a
em equilíbrio transmite-se integralmente a uma profundidade h em relação a 1.
todos os demais pontos do líquido, bem como às Aplicando o Teorema de Stevin aos pontos 1 e
paredes do recipiente.
2, temos: p2 2 p1 5 µ g h

450 Parte III – Estática

TF1-436_485_P3T2.indd 450 16/08/12 17:22


80. 72 cm 24. 122 cm Hg 57. a) 6,3 N 87. b
81. 2 , e 32 ,, respectivamente. f b) Glicerina 88. c
82. 200 kgf em cada roda 25. 1 � 1 58. e
f 4 89. a) 50 N/m
dianteira; 2
26. 2,5 · 102 Pa 59. 3 b) 30 N
400 kgf em cada roda tra- 4 c) 107,5 cm
seira. 27. a 60. a) 0,80 N 90. c
83. a) 2,4 m 29. α ù 60° b) 60%
30. 0,80 91. a) 1,5 cm
b) 3,0 m 61. a) Para cima
31. a b) 2,2 · 10�2 N
84. 153 cm b) 1,0 · 102 cm3
32. Gás M: 90 cm Hg; 92. h’ � h, pois o volume imer-
85. b � 2µe h 62. a) 30 N
 a cos � � h sen �  gás N: 20 cm Hg so é o mesmo em ambos os
b) 12 N
86. a) F � P  33. 0,32 atm casos.
2  a sen � � h cos �  c) 2,0 kg
34. a 63. a) 3,0 N 93. c
b) θE � arc tg a 35. a) 30 m b) 1,0 m/s 94. b
h b) 1,0 · 104 kg/m3
87. c 36. 13,6 g/cm3 95. d
64. a) 10 N
88. n 37. 24,0 cm b) 5,0 cm 96. 3,0 cm3
D � L � ∑ 1 e D6 � 49 � L 38. 80 N 65. d 67. e 68. b 69. b 97. 15 kg
2 i�1 i 40
39. a) 1,0 atm ou 1,0 · 105 Pa 70. c 71. c 73. c 74. d 98. n � 10 barras
89. 9
m g (b � � h) b) 76. A indicação de (B) aumen- 99. a) 17,6 kgf; 42,4 kgf
90. a) 0 � F �
a tará, enquanto a indicação b) 60,0 kgf
b) b p (atm)
h de (b) diminuirá. 100. d
4,0
c) zero 77. a 101. 50 cm/s
91. a 78. 5,0 s
1,0 102. a) 1,0 · 103 kg/m3
92. 2,7 m/s2 79. a) 20 m b) 4 2 s b) Líquido 1: 2
0 30 h (m) 80. c Líquido 2: 1
Tópico 2 40. c 81. a) A partir do instante 103. b
41. b t � 10 s.
Estática dos fluidos 104. b
42. x � 8 h b) 60 N/m2
3 105. Fio 1: T1 � 0,2 ρAhg
1. d 43. a) 2,0 · 102 cm3 82. e
Fio 2: T2 � 0,3 ρAhg
2. a) 1,0 g/cm3 b) 83. 0,75 N
b) 1,0 · 104 N/m3 y � 0,6 h
84. a)
3. 1,26 106. c
p (103 Pa)
p (105Pa) 107. b
5. a) 2,0 · 104 N/m2 β
3,0
b) 4,0 · 105 N/m2 1,05 2,0
1,04 β
6. c 1,03 1,0
Apêndice
1,02
8. c 1,01
1,00
α β

9. d 0 20 t (min)
Hidrodinâmica
1 x (cm) b) Parede do fundo:
110
130
150
10
30
50
70
90

10. 2. 72 s ou 1 min 12 s
2 3,0 · 103 N
100
120
140
160
20
40
60
80

11. b paredes laterais: 3. d 4. e


p 44. 786 mm Hg 5. c 7. b
12. A � 1 46. e
4,5 · 102 N
pB 3 85. 1,2 g/cm3 8. d
p2 1 47. a) 1,0 · 103 N 9. a) 1,5 · 103 N/m2
13. � 86. a) 6,0 · 102 kg/m3
p1 2 b) Os dois trabalhos valem b) 810 toneladas
b)
14. 1,2 . 104 N/m2 ou, aproxi- 3,0 · 104 J. c) Aproximadamente
P (105 N/m2)
madamente, 0,12 atm. 48. e 100 km/h
1,07
15. a) 1,8 · 103 N 49. b
1,06 10. Princípio de Bernoulli e apro-
b) 1,0 · 106 Pa 50. b
1,05 ximadamente 79,6 N/m2
16. c 52. a) L � 10 cm; 1,036
1,04 11. 4,2 · 105 Pa
17. e A � 20 cm
1,03 12. a 14. 1,1 · 104 N/m2
18. a) pA � pB � pC b) 2,0 g/cm3
1,02 16. a) v � 2g (H � h)
b) FA � FB � FC 53. a) 0,40 N
1,01
20. 7,0 N b) 8,0 · 102 kg/m3 b) D � 2 g (H � h)h
22. d 54. d –80 – 40 20 60 cm 17. c
23. 60 cm Hg 56. 90% –60 –20 40 80 18. a

Respostas 495

TF1-486_496_Respostas.indd 495 16/08/12 18:22