Você está na página 1de 40

Conservação e manutenção no serviço de andares

UFCD CONSERVAÇÃO E MANUTENÇÃO NO


3395 SERVIÇO DE ANDARES

Índice

1.Tipos de equipamentos dos alojamentos e áreas comuns, suas finalidades, características,


modos de utilização e condições de conservação…………………………………………………….………..2
2.Características de qualidade e funcionalidade das instalações, móveis e elementos de
adorno…………………………………………………………………………………………………………………………….7
3.Máquinas, aparelhos e utensílios utilizados nos serviços de limpeza e lavandaria, suas
características, exigências de conservação e processos de manutenção……………………………10
4.Características de qualidade e exigências de conservação dos produtos de higiene das casas
de banho e dos utilizados nas limpezas e lavandaria……………………………………………………….19
5.Procedimentos de inspecção – limpeza geral…………………………………………………………………24

0
Conservação e manutenção no serviço de andares

6.Procedimentos de inspecção – arrumação geral…………………………………………………………….26


7.Inspecção de equipamentos…………………………………………………………………………………………29
7.1− Telefone, rádio e televisão………………………………………………………………………….…29
7.2− Lâmpadas e interruptores…………………………………………………………………………..…29
7.3− Estores………………………………………………………………………………………………………..30
7.4− Aquecimento central e de ar condicionado………………………………………………………31
7.5− Botões de chamada e de alarme………………………………………………………………….…31
7.6− Fechaduras………………………………………………………………………………………………….31
7.7− Torneiras e chuveiro……………………………………………………………………………………..32
8.Constate de avarias……………………………………………………………………………………………………..33
9.Requisições de serviços técnicos…………………………………………………………………………………35
10.Procedimentos de substituição de elementos danificados…………………………………………..37
11.Noções de restauro de móveis, revestimentos e outros………………………………………………38
11.1− Arranjos de restauro……………………………………………………………………………………38
11.2− Arranjos de perfeição……………………………………………………………………………….…42

Bibliografia………………………………………………………………………….
………………………………………….44

1.Tipos de equipamentos dos alojamentos e áreas comuns, suas


finalidades, características, modos de utilização e condições de
conservação

Mobiliários e acessórios dos quartos e lavabos

Cama
As camas apresentam-se em diferentes formas e tamanhos, de solteiro e casado. As camas de
um hotel devem ter a melhor qualidade, concebida para suportar a constante utilização e os
diversos utilizadores e confortável. As suas beiras deverão ser firmas pois muitos hóspedes irão
sentar-se aí, mesmo que seja providenciada uma cadeira.

Esta deverá permitir um fácil acesso por baixo para limpeza, não devendo no entanto ser tão
alta que dificulte o seu acesso ou tão baixa que a sua feitura se torne difícil.

As cabeceiras devem estar ligadas ou à cama ou à parede para evitar as desagradáveis marcas
de gordura nas paredes.

Mesinha de cabeceira/ armário/ consola

1
Conservação e manutenção no serviço de andares

Um armário poderá ser combinado com uma consola que abrigará o mecanismo de despertar/
sistema de mensagens e controlo da televisão, rádio, iluminação e ventilação. O topo deverá
coincidir com o da cama para que o hóspede alcance facilmente os seus objectos pessoais. Se o
armário possuir uma porta esta deverá abrir a uma certa distância da cama. As camas de casal
exigem uma mesa-de-cabeceira em cada lado.

Toucador/ secretária e banco


Este mobiliário é muito útil para guardar cosméticos e outros objectos pessoais. Também
contém gavetas ou prateleiras para guardar roupas. Deve existir um espelho bem iluminado por
detrás da mesa.

Num quarto de pequenas dimensões, o toucador poderá também servir de secretária, como tal
deverá ser salvaguardado lugar para papéis e documentos e para se trabalhar. O bar
improvisado será aí mantido.

O banco terá a altura certa e permitirá uma certa postura para que os hóspedes se possam
sentar confortavelmente para se verem ao espelho. Quando o toucador também substituir a
secretária, o banco será substituído por uma cadeira com encosto.

Porta-bagagem
Estes compartimentos evitam a necessidade que os hóspedes têm de deixar as suas malas nas
cadeiras (isto poderá danificar as cadeiras) ou no chão (a limpeza torna-se mais difícil).

O porta-bagagens pode estar fixo na parede ou ser do tipo dobrável. Não deverá ser demasiado
alto em relação ao chão, pois muitas malas são pesadas para serem levantadas.

Espaço para guardar roupas


A qualidade do espaço destinada à roupa depende do tempo que os hóspedes pretendem
permanecer no hotel e o grau de luxo por este proporcionado. Deve permitir a fácil instalação
de peças, sem que estas se amarrotem, em gavetas, prateleiras ou estando penduradas. O
varão para se pendurar as roupas deverá ser forte e guarnecido com cabides suficientes.

Distribuição de lugares sentados


Uma cadeira deve ser proporcionada aos hóspedes, dependendo do tamanho do quarto e da
classificação do hotel. Os maiores quartos geralmente têm duas cadeiras e por vezes um sofá.

Lâmpadas

2
Conservação e manutenção no serviço de andares

A maioria dos hotéis não tem iluminação central. Como tal usam-se lâmpadas pequenas para
proporcionar uma iluminação local: uma perto ou por cima da cama (duas no caso de quarto
duplo), uma lâmpada apropriada para a leitura, uma luz para iluminar o espelho, uma lâmpada
para a secretária, etc.

Espelho grande
Este objecto é necessário porque muitos clientes gostam de se vestir em frente ao espelho e
verificar a sua aparência no final. O espelho poderá estar no guarda-fatos ou por detrás da
porta.

TV
Um aparelho a cores é geralmente colocado em conjunto com um rádio e canais extra para a
passagem de filmes. A TV poderá estar colocada numa das extremidades da cómoda ou numa
mesa, num suporte especial ou aproveitando uma reentrância na parede. Muitos hotéis dispõem
de ecrãs Plasma ou LCD suspensos na parede, em suporte próprio.

Mesa de café
É particularmente útil quando o quarto tem espaço para cadeiras ou sofás onde o serviço de
quartos é proporcionado para merendas e bebidas.

Papeleiros e cinzeiros
Este aspecto não pode ser descurado. Os hóspedes necessitam de um recipiente para
colocarem os resíduos e as pontas de cigarro, a menos que se trate de um quarto para não
fumadores.

Quadros, posters e outros ornamentos


Tem um papel importante na criação de um ambiente agradável. Em alguns hotéis estes
objectos estão fixos na parede para que não sejam roubados, inclusivamente algumas suites de
hotéis de luxo decoram-nas com pinturas valiosas e ornamentos e antiguidades.

Telefone
A maioria dos hotéis tem agora telefones para comunicações internas (por exemplo, pedidos
para serviço de quartos), para receber ou fazer chamadas para o exterior através de um
telefonista. Cada vez mais os hotéis permitem aos clientes fazerem as suas próprias chamadas,
quer locais ou de longa distância.

Mobiliário e acessórios sanitários

3
Conservação e manutenção no serviço de andares

Banho
Incorpora a unidade do chuveiro, permitindo a escolha entre um banho de imersão e duche.

Chuveiro
È utilizado como substituto do banho em quartos de pequenas dimensões. Nas suites dos hotéis
mais luxuosos as casas de banho apresentam unidades para banho e duche em separado.

Sanitas
Poderá ser do tipo pedestal ou presa à parede, deixando o chão livre para uma mais fácil
limpeza.

Bidé
È comum o bidé em hotéis de luxo ou então, um recipiente baixo onde os hóspedes poderão
realizar a sua higiene íntima.

Lavatório
Nas casas de banho modernas geralmente o lavatório é colocado na unidade sob a forma de
banca criando lugar para se colocar os cosméticos, sabonetes, escovas, etc.

Espelho
Um espelho com boa iluminação e uma tomada é de extrema necessidade para as pessoas se
observarem.

Suporte aquecido para as toalhas


È útil na manutenção das toalhas quentes e secas. Também poderá ser usado para secar peças
de roupa interior ou outras peças que os hóspedes desejem lavar.

Lixeiro
Deverão existir dois lixeiros, um para o lixo comum e outro (com tampa) para os toalhetes e
tampões.

Acessórios extras
Dependendo do nível de luxo proporcionado pelo hotel, poderão estar incluídos objectos como
secador de cabelo, suporte para roupa, unidades sanitárias duplas, jacuzzi, etc.

Áreas públicas
As áreas públicas incluem a recepção, salões, restaurantes, bares, salas de leitura, salas de
banquetes e corredores, salas de reuniões e de conferências, áreas de circulação (elevadores,
escadas e corredores) e áreas sanitárias.

4
Conservação e manutenção no serviço de andares

5
Conservação e manutenção no serviço de andares

2.Características de qualidade e funcionalidade das instalações,


móveis e elementos de adorno

A mobília deve estar colocada de forma a facilitar a circulação dos hóspedes dentro do
apartamento.

É muito importante que toda a mobília e decoração dos apartamentos seja de fácil limpeza,
possibilitando agilidade no trabalho das camareiras e maior durabilidade dos móveis, afinal
deverá existir um fluxo muito grande de hóspedes.

Um design bem conseguido depende não só da maneira como o edifício aparenta e o efeito que
exerce no seu utilizador, mas também das condições práticas. Deverá funcionar bem e de modo
a que isso se consiga, há que ter consciência dos seguintes pontos:
 Não esquecer o tipo de estabelecimento que o cliente irá frequentar, pois a cada tipo
correspondem diferentes exigências de funcionalidade;
 Manutenção – por exemplo, não existe nenhuma vantagem ou lógica em instalar
carpetes de pêlo alto num hotel à beira-mar, pois esta não demorará em encher-se de
areia. As texturas são também importantes para a aparência, mas também afectam a
forma como a luz e som são absorvidos e reflectidos;
 Durabilidade – Os bons materiais custam mais de início, mas duram mais do que as
alternativas baratas. Isto é particularmente importante quando falamos em edifícios
públicos, onde os clientes são menos cuidadosos do que em suas casas;
 A conservação de energia é outra consideração capital. Os novos edifícios geralmente
incorporam altos padrões de isolamento nas paredes exteriores, vidros duplos e ainda
sistemas sofisticados de distribuição de calor aproveitando o calor criado na cozinha,
lavandaria e áreas similares para aquecer água. Os prédios mais antigos poderão ser
equipados com isolamento no tecto, instalar mais um vidro, e informatizar o sistema de
aquecimento e iluminação;
 Assegurar a circulação eficiente de pessoal e clientes e de bens e serviços;
 Satisfazer os requisitos sanitários, higiénicos, de incêndio e segurança, quer dos
funcionários quer dos clientes;
 Conforto – O design deve ter sempre em conta o tamanho e forma do utilizador. Uma
cadeira poderá estar muito bem integrada na decoração mas se for muito grande ou
muito pequena irá causar desconforto;

6
Conservação e manutenção no serviço de andares

 Flexibilidade – Se uma área é desenhada para vários utentes, então os acessórios e


arranjos espaciais deverão ser flexíveis para s diferentes necessidades em questão.

Aspectos funcionais do design: check-list

Espaço
 Quanto espaço é necessário para que se possa efectuar o tipo de actividades a que o
quarto se destina?
 Está a ser usado da forma mais económica?

Cor
 As cores escondem a sujidade ou não?
 O esquema cromático é prático, pode ser limpo facilmente?

Materiais e superfícies
 È provável que durem muito?
 São resistentes à sujidade e higiénicos?
 São fáceis, económicos de limpar e de manter?
 São resistentes ao fogo?

Mobiliário
 A disposição do mobiliário é prática? Permite uma fácil circulação e movimentação na
área?
 È funcional, durável, bem construído, de fácil remoção e poderá ser empilhado?
 É confortável e proporcional às dimensões do corpo?

Iluminação
 O nível de iluminação e distribuição de luz é suficiente para as actividades para as quais
o quarto foi concebido?
 A quantidade de luz natural e a direcção das janelas foi considerada?
 O cliente pode controlar a quantidade de luz e essa mesma quantidade pode ser
distribuída por diferentes zonas do quarto?
 A manutenção da luz é fácil?

Aquecimento e ventilação
 Como se faz a dispersão do aquecimento?
 O cliente pode controlar facilmente a temperatura do aquecimento e ligá-lo ou desligá-
lo?
 A ventilação é adequada e fácil de operar e controlar?

Isolamento sonoro

7
Conservação e manutenção no serviço de andares

 O som é transmitido do quarto para outras áreas e de fora para dentro do quarto? De
que forma isso acontece?
 Foram tomadas as precauções para prevenir a transmissão de barulho, tais como o uso
de material isolador, vidros duplos e portas duplas?

8
Conservação e manutenção no serviço de andares

3.Máquinas, aparelhos e utensílios utilizados nos serviços de


limpeza e lavandaria, suas características, exigências de
conservação e processos de manutenção

Todo o equipamento usado na secção de andares tem como finalidade permitir a execução do
processo de limpeza, arrumação e manutenção dos espaços que se encontram sob a
responsabilidade da empregada de andares.

As empregadas de andares têm a responsabilidade de limpar, higienizar e arrumar os seguintes


ambientes no hotel:
 Quartos de hóspedes;
 Corredores;
 Áreas públicas;
 Área de piscina e pátio;
 Escritórios da administração;
 Áreas de armazenamento (com excepção da cozinha);
 Rouparia;
 Lavandaria;
 Vestiários e casas de banho;
 Salões de eventos.

Geralmente, constituem tarefas das empregadas de andares:


 Limpeza de quartos
 Limpeza de áreas públicas
 Trocar o enxoval (roupas da cama e banho)
 Receber e encaminhar roupas dos hóspedes à lavandaria
 Planeamento e controlo de actividades
 Controlo de gastos e utilização de materiais.

Equipamentos mais comuns no departamento de andares

Aspiradores

Os aspiradores são as peças mais importantes no equipamento de limpeza. Poucos ou nenhuns


estabelecimentos passam sem eles.

9
Conservação e manutenção no serviço de andares

Estes aparelhos funcionam através da sucção da sujidade seca, pó ou partículas de lixo através
de um tubo, até um saco, ou, no caso de líquidos, para uma caixa de metal dentro do motor.

Quando o saco estiver cheio pode ser substituído, ou, quando a caixa estiver cheia, pode ser
esvaziada. O ar que é aspirado juntamente com a sujidade passa por vários filtros, que filtram
as pequenas partículas de sujidade e bactérias para que o ar expedido pela máquina seja limpo.

Nos aspiradores deve-se ter em atenção o nível de sujidade/líquidos que se encontra no saco
ou na caixa, pois se estes estiverem muito cheios, os poros ficarão bloqueados, restringindo a
circulação de ar e reduzindo a capacidade de sucção da máquina. Poderá ainda provocar o
excessivo aquecimento do motor.

Os aspiradores estão disponíveis com vários acessórios, como por exemplo:


 Bocal para a limpeza de estofos,
 Bocal pontiagudo para fendas,
 Escova para carpetes,
 Escova para pavimentos e paredes,
 Escova redonda para limpeza de prateleiras e rebordos elevados
 Acessórios com rolos de borracha para a remoção de água,
 Etc.

Máquinas de escovas rotativas para a limpeza de pavimentos


(Encerar/Decapar/Limpar)

Estas máquinas funcionam com uma escova, um disco, ou uma almofada que são rodadas
mecanicamente. Existem diferentes máquinas desenhadas para diferentes utilizações. Uma
máquina pode ser usada para esfregar, polir ou limpar pavimentos difíceis, dependente do
acessório que se coloque a rodar.

Nestas máquinas existe um compartimento para se adicionar detergente para auxiliar a tarefa
(por exemplo, decapante para ajudar a remover a cera)

Na Hoover, por exemplo, os discos podem ainda ser distinguidos pelas cores:
 Disco preto - esfregar
 Disco verde - lavar
 Disco vermelho e disco branco - polir

10
Conservação e manutenção no serviço de andares

Lavadora de alcatifa

Estes aparelhos são concebidos especialmente para a limpeza de alcatifas, sendo eficientes a
tirar nódoas e a conservar em bom estado os tecidos. Com um aspecto semelhante ao de um
aspirador, as lavadoras de alcatifas, antes de aspirar a sujidade, emitem água com detergente e
têm um motor que lava os tecidos. Posteriormente a mistura suja é aspirada, sendo o poder de
sucção tão forte que deixa os tecidos praticamente secos.

O carro de andares
Este objecto é de extrema importância no serviço de andares, sendo crucial para o maior
rendimento do trabalho. A maior parte dos carrinhos tem prateleiras para roupas e produtos em
geral.

O carro de andares deve ser preparado da maneira mais racional possível, de forma a minimizar
idas ao ofício para buscar material. Este deve estar equipado com todo o material necessário
para a limpeza e arrumação do aposento.

Items presentes num carrinho de andares:


 Lençóis e fronhas limpos
 Forro de colchão
 Toalhas de rosto e de banho limpas
 Tapetes limpos para a casa de banho
 Saco de lavandaria para roupa suja
 Sacos de lixo
 Papel higiénico
 Copos limpos
 Amenities, consoante as deliberações do hotel e a respectiva categoria, as quais podem
ser:
o Shampôo
o Gel de banho
o Sabonete
o Loção hidratante
o Cotonetes
o Kit escova dental
o Touca de banho
o Saco higiénico
o Kit de costura
o Polidor de sapatos
 Cinzeiros limpos
 Cesto de mão para transportar pequenos volumes.

11
Conservação e manutenção no serviço de andares

O cesto de mão serve para levar os produtos de limpeza para dentro do quarto, uma vez que o
carrinho fica do lado de fora.

O interior deste cesto pode conter:


 Escova de sanita
 Panos de limpeza
 Escovas/ esponjas de limpeza

Vassouras
As vassouras são utilizadas na recolha de pó e pequenas partículas de sujidade do chão e das
paredes. A parte que entra em contacto com a sujidade (a que varre) e que se encontra no
final do cabo, pode ser feita em nylon, acrílico ou poliéster.

Esfregonas

Existem esfregonas pequenas, e esfregonas grandes, que podem ser separadas do cabo para
serem lavadas. Quando se utiliza uma esfregona, é sempre necessário um balde com um local
para espremer. Estes baldes podem ser feitos de ferro galvanizado, fibra de vidro ou plástico,
ao qual, por vezes se incorporam rodinhas, para serem mais facilmente transportados.

È aconselhável o uso de dois baldes durante a limpeza, para que se esprema a água suja para
um balde e se molhe de novo a esfregona noutro.

Lava e Limpa Vidros

Em termos profissionais, a limpeza de vidros é uma tarefa muito importante e que, sem os
acessórios apropriados, poderá demorar bastante tempo. Assim, para facilitar este serviço
usam-se esponjas próprias para lavar os vidros, sem largar pelos.

Estas esponjas são ensopadas em soluções específicas para limpar e desengordurar cristais, e
depois friccionadas pelos vidros, libertando espuma. Para terminar a tarefa, esta espuma é
recolhida pelo limpa vidros, um acessório com configuração semelhante ao anterior, mas que
termina com uma borracha específica para recolher solução que a esponja espalhou.

Outro Equipamento Manual

Para nos ajudar a executar com eficácia e rapidez as tarefas de limpeza e higienização de
espaços, vários são os utensílios colocados á nossa disposição. A sua utilização depende da

12
Conservação e manutenção no serviço de andares

especificidade da tarefa, e do tamanho do local onde se guardam estes produtos. Além dos
acessórios referidos, no mercado encontramos muitos mais, sendo que, quase diariamente
surgem novos produtos.

Agentes de limpeza

Desinfectantes Químicos
Os desinfectantes químicos são utilizados, frequentemente, para matar bactérias, sendo esta
ideia reforçada constantemente na publicidade. Contudo, na maioria dos casos, os
desinfectantes químicos não são necessários. Se a superfície tiver sido limpa convenientemente,
a maior parte das bactérias terão sido removidas com a sujidade.

Detergentes sintéticos

Os detergentes sintéticos são feitos pela combinação de diferentes químicos, geralmente


derivados do petróleo.

Estes detergentes não formam espuma quando adicionados à água e podem ser de 3 tipos:
1- Detergentes neutros – por vezes designados como para todos os usos, são os mais
comuns. São frequentemente de cor verde ou amarelo-acastanhado e são usados para a
lavagem de pratos, limpeza de pó.
2- Detergentes alcalinos – são também conhecidos como detergentes para superfícies
difíceis, ou desengordurantes, e são utilizados em tarefas mais especializadas e difíceis.
Não devem ser usados em objectos em superfícies delicadas.
3- Detergentes ácidos – são usados geralmente para a limpeza de casas de banho, para a
remoção de estuque e cimento de superfícies novas e para remoção de nódoas
causadas por depósito de cal nas torneiras que pingam. Estes poderão ser fracos ou
fortes, dependendo do tipo de ácido usado. Requerem cuidados de utilização.

Agentes compostos por solventes


Em termos de limpeza, um solvente é um líquido que dissolve depósitos de gorduras e óleos,
que a água não consegue. Assim, um agente de limpeza composto por solventes é uma solução
de um líquido e outros aditivos e á utilizado para a remoção de cera de parques, além de
limpeza a seco e remoção de nódoas.

Agentes abrasivos

13
Conservação e manutenção no serviço de andares

São também conhecidos por agentes erosivos ou para esfregar, sendo muito usados na limpeza
de acessórios sanitários, em loiças ou superfícies esmaltadas.

Podem apresentar forma de pó, pasta, creme ou líquido, e consistem basicamente em minerais
muito moídos (como areias, cinzas em pó, dolomite, pomos e giz) que esfregam toda a
sujidade.

Os abrasivos são classificados numa escala de 1 a 10, em que 1 é o talco e 10 é o diamante.


Em termos de limpeza, os mais usuais são escalonados por volta de 6.

Estes agentes são os mais prejudiciais para as superfícies, sendo que os abrasivos de textura
mais fina são usados na remoção de embaciamento e arranhões em superfícies metálicas,
contudo, o seu uso frequente pode remover a cor metálica da superfície.

Este tipo de agentes não é aconselhado para superfícies que se risquem com facilidade, como é
o caso do plástico. Podem ser prejudiciais para as mãos, e deixam sedimentos.

Detergentes neutros – podem ser usados em todas as superfícies dos sanitários, incluindo o
autoclismo. Removem quase todo o tipo de sujidade e, utilizados regularmente eliminam as
bactérias. Não estragam as superfícies e podem ser utilizados em plásticos.

Detergentes alcalinos (ou de superfícies duras) – são mais eficazes para tratar da sujidade
gordurosa e são usados normalmente para a limpeza de banheiras. O uso prolongado de
detergentes alcalinos não é recomendável pois podem causar danos ás superfícies e à pele. Em
geral devem ser usados uma vez por semana, e a manutenção diária efectuada com
detergentes neutros.

Detergentes ácidos – Estes detergentes incluem a maior parte de marcas de produtos para a
limpeza de sanitas. São extremamente corrosivos e passado tempo acumulam depósitos. Só são
necessários para a limpeza de sanitas muito sujas, de casas de banho publicas que sejam
usadas muitas vezes ou quando há marcas de água na sanita provocadas por pela acumulação
alcalina de urina ou excrementos.

Os detergentes ácidos nunca devem ser misturados com outros detergentes pois podem libertar
gases perigosos. Devem ser manejados com luvas e armazenados no sítio certo, bem tapados.

Equipamentos de lavandaria

14
Conservação e manutenção no serviço de andares

Máquina de Lavar Roupa a Húmido


A máquina de lavar roupa é uma máquina pensada para a limpeza de roupas que consiste
basicamente num recipiente que se enche de água e onde um sistema mecânico agita as peças
de roupa a serem lavadas.

Calandra

É um equipamento indispensável para optimizar o trabalho das unidades hoteleiras, pois


permite a realização rápida de um trabalho perfeito.

Este equipamento é próprio para vários tipos de tecido, uma vez que atinge temperaturas de
passagem variáveis e reguláveis. Nos primeiros minutos de utilização da calandra, os rolos
ainda estão a aquecer pelo que é a altura aconselhável para passar as peças de roupa mais
delicadas.

Ferro de engomar
É um instrumento usado para passar roupa, alisando tecidos, utilizando aquecimento.

Existem 3 tipos de ferros de engomar:


- O ferro vulgar;
- O ferro a vapor;
- O ferro a vapor com pulverizador.

Todos eles possuem um termóstato incorporado, que se regula com um botão para escolher a
temperatura indicada para cada tipo de roupa, de acordo com os diferentes tecidos.

No caso do ferro a vapor, este permite ainda regular a intensidade do vapor. Possui também
uma pequena válvula incorporada permitindo que a água do depósito espirre sobre a superfície
superior da placa quente da base do ferro. A água em contacto com o metal quente, evapora-
se. O vapor depois sai por orifícios ou ranhuras abertos na base do ferro.

Os ferros a vapor são ideias para passar roupa muito seca. Existem ferros a vapor que estão
equipados com um sistema de pulverização que lança para a frente um jacto fino de água ou

15
Conservação e manutenção no serviço de andares

vapor quando se pressiona num botão inserido na pega. Este é complemento útil para eliminar
vincos ou para passar roupa extremamente seca.

16
Conservação e manutenção no serviço de andares

4.Características de qualidade e exigências de conservação dos


produtos de higiene das casas de banho e dos utilizados nas
limpezas e lavandaria

A governanta deve sempre observar junto dos fornecedores: confiança, qualidade dos
produtos, reputação e imagem:
 Os produtos de limpeza nunca devem ser retirados da embalagem original
 Não se devem misturar diferentes produtos de limpeza
 Usar EPI (equipamento de protecção individual) correcto
 Os produtos concentrados apenas devem ser usados sob recomendação

A durabilidade e a eficiência desses equipamentos dependem de um acompanhamento


constante sobre o seu funcionamento ou troca, assim que for detectado algum problema. A
comunicação entre as empregadas de andares e a governanta deve ser rápida, clara e
objectiva.

Manutenção do aspirador
 Retirar o saco do aspirador de acordo com as instruções
 Esvaziar o saco do aspirador dentro da data de lixo
 Verificar o filtro do aspirador
 Verificar a voltagem da tomada antes de utilizá-lo
 Limpar a parte externa do aspirador com um pano húmido
 Desenrolar o fio do aspirador e ligar adequadamente ao aparelho
 Guardar da forma correcta, dentro do armário, com o fio enrolado em 8.
 Verificar os objectos que são aspirados.

Devem ser observados cuidados particulares de limpeza e arrumação das máquinas, de forma a
maximizar a sua durabilidade e eficiência e facilitar o seu uso pelo turno seguinte.

Cuidados gerais com equipamentos eléctricos:

 Desligar sempre o aparelho e tirar a ficha da tomada antes de limpar, tocar ou retirar
acessórios do equipamento.
 Nunca utilizar uma extensão enquanto estiver a ensaboar ou esfregar, a menos que as
ligações eléctricas estejam protegidas de ficarem molhadas.
 Manter as soluções de detergentes bem afastadas das ligações eléctricas.
 Enrolar cuidadosamente os fios eléctricos par que estes não formem nós.
 Se a máquina revelar sinais de mau funcionamento, informar imediatamente e colocar
um rótulo no aparelho a dizer “fora de serviço”.

17
Conservação e manutenção no serviço de andares

Cuidados com os produtos de limpeza

Todos os equipamentos em uso no processo de limpeza devem estar com a melhor


apresentação e em perfeito estado de funcionamento.

O material de limpeza deve ser seleccionado, de boa qualidade e distribuído ou controlado pela
governanta, para evitar uso inadequado ou desperdício.

A escolha criteriosa dos produtos deve ser feita de acordo com a quantidade e a economia,
agregando produtividade aos serviços realizados pelos colaboradores do sector, resultando
numa maior satisfação dos hóspedes.

Existe uma diversidade muito grande de produtos de limpeza no mercado, que deverão ser
escolhidos de forma criteriosa. Antes da escolha deverão ser realizado testes em cada produto.

A governanta deverá estar sempre actualizada no sentido de conhecer todos os novos produtos
e novas tecnologias do mercado, sempre com as portas abertas para receber novos
fornecedores, novas propostas e às vezes renegociando propostas mais antigas, no sentido de
diminuir preços e garantir a qualidade.

È importante seguir as instruções das embalagens, prestando especial atenção à diluição e às


informações das fichas técnicas e das fichas de segurança.

A diluição errada poderá danificar as superfícies, tornar necessária uma segunda enxaguadela –
repetir a limpeza com água -, ou tornar o agente ineficaz.

Deve-se seguir sempre as instruções do fabricante em relação a:


- Como guardar os produtos de limpeza,
- Como os deitar fora,
- Necessidade do uso de roupa protectora.

Regras de utilização de desinfectantes:


 A água deve ser acrescentada de acordo com as indicações do produto.
 Os desinfectantes não devem ser misturados. A mistura provocará reacção química ou
libertação de gazes tóxicos e os produtos perderão a sua eficácia.
 Nenhum desinfectante é eficaz para todo o tipo de bactérias, pelo que este deve ser
escolhido mediante o tipo de bactéria a matar.
 As soluções desinfectantes só devem ser preparadas quando necessárias, pois perdem a
eficácia se forem guardadas algum tempo.

18
Conservação e manutenção no serviço de andares

 Primeiro, as superfícies devem ser limpas.


 Alguns desinfectantes podem perder eficácia em certos tipos de plásticos, cortiça ou
outro tipo de material. Siga as instruções.

Manutenção dos equipamentos de lavandaria

A higienização e manutenção de equipamentos é uma tarefa que deve ser realizada com
alguma frequência e com a máxima atenção, pois um equipamento sujo com vestígios de
roupas anteriores poderá sujar ou mesmo estragar a peça seguinte.

Assim, e sendo que na maior parte das vezes estamos a falar de material eléctrico, devemos
seguir as regras do fabricante em relação à sua limpeza, respeitando as regras especificas para
cada equipamento e marca. A manutenção poderá passar simplesmente pela limpeza ou por
encher com água, ou poderá ser mais profundo, conforme o equipamento.

Cuidados a ter na utilização da máquina de lavar a húmido

 Utilize sempre a carga máxima nas lavagens. Embora a maioria das máquinas de
lavar roupa não possuam sensor de carga para adequar o consumo ao nível de
enchimento da máquina, a diferença é que a plena carga se rentabiliza o processo de
lavagem – para o mesmo consumo de energia duplica-se a quantidade de roupa lavada;
 Utilize precauções anticalcário. A presença de calcário na água (consequência da dureza
da água) pode danificar a resistência eléctrica. Esta resistência é responsável pelo
aquecimento da água. Um mau funcionamento da resistência eléctrica, por acumulação
de calcário, aumenta o consumo eléctrico e pode originar avaria no equipamento;
 Adeque a temperatura e os programas de lavagem ao tipo de roupa e ao seu grau de
sujidade. Em regra, só deverá fazer pré-lavagem quando a roupa estiver muito suja.
Sempre que a roupa não estiver muito suja, use programas a baixa temperatura e, se
existir, seleccione a tecla económica. A temperatura de lavagem depende,
necessariamente, do grau de sujidade da roupa. Para roupa muito suja, utilize a
temperatura máxima de 60ºC. Nas outras circunstâncias, lave a roupa a 30 ou 40ºC: os
detergentes actualmente disponíveis no mercado garantem excelentes resultados de

19
Conservação e manutenção no serviço de andares

lavagem mesmo a baixas temperaturas. Se utilizar preferencialmente 40º C (em vez dos
60ºC), poderá reduzir o consumo em 40%;
 Separe a roupa consoante o tipo de tecido, nível de sujidade e seleccione o programa de
lavagem adequado: se proceder deste modo, utilizará a sua máquina de lavar de uma
forma mais eficiente e consumirá menos energia;
 A limpeza do filtro é essencial para se garantir um consumo energético adequado;
 Não utilize demasiado detergente: uma boa lavagem não depende da quantidade de
detergente utilizada mas sim da utilização correcta da máquina de lavar, do seu
desempenho e da dureza da água (caso seja necessário acrescente um produto anti-
calcário e amaciador da água). Poupar em detergentes significa reduzir a poluição dos
rios e oceanos.

Cuidados a ter na utilização da calandra


 A regulação da calandra é muito importante, e devem estar bem definidos o grau de
humidade, a distância entre os cilindros por onde a roupa vai passar e a temperatura na
superfície destes, que entra em contacto directo com a roupa.
 Para cada tipo de roupa existe uma regulamentação específica, que se não for
respeitada significa perda de qualidade no engomado ou dano;
 A regulamentação deve ter em consideração a espessura do tecido, o grau de
dificuldade em passá-lo, a sua sensibilidade a temperaturas mais elevadas, entre outras
 Como prevenção, deve verificar-se periodicamente o equipamento, abrangendo os items
de lubrificação, ajuste e perfeita rolagem dos cilindros, condutas de vapor, etc.
 Também a limpeza é um factor importante, pois a sujidade da calandra pode invadir
todo o processo de lavagem, ao sujar a roupa.

Cuidados a ter na utilização do ferro de engomar


 Evite ligar o ferro eléctrico quando tiver muitos outros aparelhos ligados nomeadamente
as máquinas de lavar, pois sobrecarrega a rede eléctrica;
 Utilize-o o menos possível, ligando-o apenas quando houver uma grande quantidade de
roupa para passar;
 Para maior economia, separe as roupas de acordo com a composição do tecido (linho,
algodão, lã, seda, fibra sintética) e, no caso de ferro automático, utilize a temperatura

20
Conservação e manutenção no serviço de andares

indicada para cada tipo de tecido. Assim, não corre o risco de desperdiçar energia com
roupas que não necessitam de tanto calor para serem passadas.

21
Conservação e manutenção no serviço de andares

5.Procedimentos de inspecção – limpeza geral

A governanta deve inspeccionar os quartos antes da entrega aos hóspedes e deve garantir que
a sua apresentação esteja de acordo com o que se deseja e estipula na política de qualidade.

Alguns procedimentos de inspecção

Alteração nos tecidos e objectos


 Quando detectar manchas nos tecidos e objectos:
o Identificar o problema.
o Tentar resolver com o produto correcto.
o Caso não seja possível, anotar o apartamento, o que está manchado e pedir
ajuda à supervisão.
 E importante verificar:
o Texturas e asperezas das carpetes.
o Integridade das bancadas de pedra do banheiro.
o Vidros lascados (isso pode causar UM acidente de trabalho ou um dano ao
hóspede).
 Verificar se o apartamento esta em boas condições físicas:
o Notar algum barulho fora do comum.
o Luz queimada.
o Mini-bar quente.
o Torneira solta.
o Porta da casa de banho rangendo.
o Descarga solta.
 O procedimento é sempre o mesmo:
o Anotar todas as imperfeições.
o Informar a manutenção quando necessário

Ordem a ser seguida na limpeza de um quarto:


 1 – Verificar a integridade dos equipamentos do quarto: acender as luzes, ligar a TV,
som, testar o telefone, ligar e desligar o ar condicionado (para verificar se todos os
equipamentos estão a funcionar correctamente)
 2 – Abrir as portas/ janelas e cortinas
 3 – Ajustar o termóstato de acordo com os procedimentos estabelecidos pelo hotel (se o
hóspede já tiver saído)
 4 – Anotar se for verificada alguma discrepância (falta de algum objecto, algum objecto
danificado) e avisar o supervisor

22
Conservação e manutenção no serviço de andares

 5 – Remover e substituir todos os cinzeiros e copos sujos (antes de esvaziar os


cinzeiros, verificar se há algum cigarro aceso)
 6 – Recolocar os fósforos e substituir os cinzeiros
 7 – Esvaziar o lixo e substituir o forro do cesto do lixo (tirar o pó dos cestos de lixo se
houver necessidade; caso o quarto esteja ocupado NUNCA deitar nada fora)
 8 – Retirar pratos sujos e bandejas de room-service, levando-os ao local estabelecido
pelo hotel para o efeito
 9 – Organizar jornais e revistas, sempre em cima de uma mês
 10 – Entregar objectos esquecidos no sector de “perdidos e achados” (caso o hóspede
já tenha saído).

6.Procedimentos de inspecção – arrumação geral

As roupas de cama e banho devem ser mantidas em perfeito estado de uso. Compete à
governanta informar o director sobre a necessidade dessa área, com tempo para fazer as
reposições necessárias.

As empregadas devem tomar cuidado ao colocar as toalhas: verificar se estão cerzidas e com
aspecto feio, se estão correctamente dobradas, se estão com muito uso ou desbotadas.

Escolher sempre para ficarem juntas toalhas iguais, com idêntico uso ou o mesmo desgaste.
Nunca colocar toalhas novas junto com usadas.
As roupas sujas não devem ser atiradas para o chão enquanto aguardam troca.
Não devem ser nunca utilizadas toalhas usadas para limpeza das banheiras, lavatórios ou bidés.

O método exacto de limpeza depende do tipo e quantidade de sujidade existente e da


superfície onde se encontra depositada.

23
Conservação e manutenção no serviço de andares

Política ambiental

A governanta pode e deve contribuir com medidas para melhor preservar o meio ambiente do
local onde trabalha e de seu entorno. Todos os meios de hospedagem utilizam recursos
naturais como a água, por exemplo. O uso indevido desses recursos representa um impacto
ambiental significativo.

As acções do sector de andares podem ajudar a minimizar esses impactos, pois, é o sector
responsável pelos lixos gerados, principalmente nos quartos, e pela escolha de produtos de
limpeza, utilizados na lavagem de roupas e na limpeza pesada, das unidades habitacionais e de
todas as áreas do hotel.

Neste sentido, algumas medidas podem ser tomadas para que o impacto no meio ambiente
seja menos danoso: materiais de limpeza que poluam menos, como os biodegradáveis;
Separar o do lixo por grupos, para facilitar sua reciclagem se for o caso; controle de consumo
de água; controle de consumo de energia.

Algumas atitudes podem ser tomadas:


 Fazer levantamento dos impactos ambientais do hotel e detectar suas origens.
 Estabelecer metas para diminuir o consumo de água e energia;
 Implementar programas de formação e de educação ambiental para a equipa de
trabalho.
 Verificar o tratamento do esgoto e a local onde o mesmo é despejado.
 Aviso nas casas de banho, orientando sobre a importância da economia de agua e luz
na preservação do meio ambiente, alem dos danos que o despejo de produtos químicos
utilizados na lavagem de toalhas a roupas podem causar ao meio ambiente.
 Consciencialização dos funcionários, destacando a importância das iniciativas no
processo de economia de energia e de agua, e, na preserva,"o do meio ambiente, para
que ocorra um retorno favorável ao hotel a ao hóspede.

A governanta é responsável pela supervisão das unidades habitacionais, como dos serviços
realizados pelas camareiras, acompanhamento de todo o trabalho realizado nos andares.

Apresenta-se abaixo um modelo de um check list utilizado pela governanta ou supervisora de


andares.

24
Conservação e manutenção no serviço de andares

Os itens colocados no check list variam de hotel para hotel e sem dúvida nenhuma eles podem
auxiliar muito nos serviços realizados pela camareira e eles também vão garantir que, ao
chegar, o hóspede possa encontrar tudo em perfeitas condições.

25
Conservação e manutenção no serviço de andares

7.Inspecção de equipamentos

7.1− Telefone, rádio e televisão

Todos os equipamentos em uso nos quartos devem estar com a melhor apresentação e em
perfeito estado de funcionamento.

Para evitar situações desagradáveis para os hóspedes, recomenda-se que os rádios e televisões
sejam inspeccionados com frequência.

As etiquetas indicadoras de canais ou outras informações devem ser substituídos sempre que
estiverem sujos ou rasgados, mantendo-os com boa apresentação.

A manutenção da televisão
 Ligar a televisão com o controle para verificar se as pilhas estão boas, e se todos os
canais estão a funcionar.
 Identificar se o aparelho está a funcionar de maneira correcta.
 Passar para a manutenção para corrigir algum problema.

7.2− Lâmpadas e interruptores

O controlo de lâmpadas nos quartos é supervisionado pela governanta.

Deverá ser fornecido um stock permanente de lâmpadas, constituído por:


 Lâmpadas de 40 watts
 Lâmpadas de 60 watts

As empregadas de andares deverão proceder à substituição das lâmpadas fundidas, excepto


das fluorescentes.

As lâmpadas inutilizadas serão devolvidas à governanta que, após conferência, procederá à


requisição de igual número para reposição do stock fixo.

Sistema similar deve ser utilizado pelos electricistas, usando o formulário próprio para manter a
informação do número de lâmpadas queimadas e de sua utilização.

Deve procurar-se uma utilização racional dos sistemas eléctricos instalados e assegurar a
revisão dessa racionalidade.

26
Conservação e manutenção no serviço de andares

Procurar redução de consumo através de:


 Redução da iluminação para níveis adequados
 Apagar a luz em locais não ocupados
 Utilização de interruptores para seccionar o uso da iluminação
 Utilização sempre que possível de luz natural
 Utilização de lâmpadas eficientes, tendo em conta as seguintes características:
o Eficiência luminosa
o Cor aparente da lâmpada
o Reprodução de cores
o Vida útil
 Avaliação dos reactores, no caso de lâmpadas fluorescentes.
 Evitar tanto quanto possível o uso de lâmpadas incandescentes
 Evitar o uso de difusores de luz
 Usar controlos fotoeléctricos em todos os locais onde não seja possível exercer um
controlo efectivo sobre a interrupção da iluminação.

7.3− Estores

Manutenção dos estores


 Abrir os estores (manualmente ou carregando no interruptor eléctrico para o efeito,
conforme o caso)
 Identificar se estes se encontram a funcionar de maneira correcta.
 Passar para a manutenção para corrigir algum problema.

7.4− Aquecimento central e de ar condicionado

Independentemente da manutenção das máquinas ou equipamentos individuais, deve ser feita


uma programação registada para limpeza (pelo menos uma vez por mês) dos filtros individuais
de ar dos aparelhos de ar condicionado, tanto de quartos como de salões e áreas públicas.

7.5− Botões de chamada e de alarme

Todos os circuitos, materiais e equipamentos eléctricos devem merecer muita atenção e ser
alvo de revisões periódicas, para garantir que se encontrem dentro dos padrões ideais de
segurança e confiabilidade.

Esta revisão deverá também incidir sobre a inadequada utilização ou sobrecarga dos circuitos
por parte dos usuários, levando às acções correctivas necessárias.

7.6− Fechaduras

27
Conservação e manutenção no serviço de andares

As portas e fechaduras devem merecer especial atenção, pois são um dos símbolos de
segurança que o hotel pretende garantir aos seus hóspedes.

Deverão ter um bom funcionamento, sem ruídos ou barulhos.

Manutenção das fechaduras de portas electrónicas


 Abrir e fechar a porta para verificar a bate ria das fechaduras.
 Identificar se o aparelho está a funcionar de maneira correcta.
 Passar para a manutenção corrigir algum problema.

A manutenção dos cofres electrónicos


 Abrir e fechar o cofre para verificar o seu bom funcionamento
 Se o encontrar fechado, (após check-out do hospede) solicitar a abertura do mesmo
pela supervisão
 Passar para a manutenção corrigir algum problema.

7.7− Torneiras e chuveiro

As caldeiras dos hotéis devem funcionar bem mas, prevendo alguma paragem eventual, a
governanta e a empregada devem verificar a temperatura da água, sobretudo no inverno ou
quando o hotel está completo, logo de manhã à chegada ou antes de sair.

È muito importante que a ventilação e esgotos das casas de banho sejam incluídos nas rotinas
de manutenção, para evitar os cheiros desagradáveis que se instalam nesses locais, quando
estes items não funcionam.

28
Conservação e manutenção no serviço de andares

8.Constate de avarias

Compete à governanta providenciar a manutenção nos quartos, sempre que necessária, e


supervisionar o funcionamento e o manuseamento de todas as máquinas e equipamentos em
serviço na sua secção.

Deve ser usado um esquema de manutenção preventiva, estabelecido e coordenado em


conjunto pela governanta e chefe de manutenção.

Poderá ser estabelecido um plano de revisão mensal para: tomadas, lâmpadas e outros items
eléctricos, limpeza dos chuveiros e ralos dos quartos de banho, torneiras e tampas de sanita,
aparelhos de TV, rádios, portas de armário e ar condicionado.

Sempre que a empregada de andares abordar a governanta para informar algum problema nos
quartos, deverá ser preenchida a ordem de serviço (pode ser de forma manual ou através de
sistema informatizado), e encaminhada ao pessoal da manutenção, para ser solucionado o
problema.

Porem, existem casos que não conseguem ser solucionados no próprio dia, pois, precisam de
mais tempo para serem resolvidos.

Neste caso, a governanta junto com o Responsável da manutenção, estabelecerão a data em


que o quarto estará pronto para ser alugada novamente (neste caso a governanta fará o
bloqueio com a previsão dos dias estabelecidos no sistema),

Existem também as unidades nas quais precisam ser executados serviços de pintura,
manutenção preventiva e outros, a serem bloqueadas de acordo com a ocupação do hotel.

Neste caso os serviços podem ser realizados num período em que o hotel esteja com a
ocupação mais baixa. A decisão sobre o momento certo de bloquear uma unidade para
manutenção deve ser muito bem planeada, de preferência em conjunto, pela governanta com
O chefe de manutenção, pois antes deve-se verificar se neste momento estarão disponíveis os
profissionais da manutenção, para a realização dos serviços necessários.

A governanta diariamente faz vistoria nas unidades habitacionais, para verificar os reparos
necessários, tanto nos andares como nas áreas sociais. Muitas vezes detecta algum problema,
comum em grande parte das unidades, tais como: necessidade de pintura e manchas. Esses

29
Conservação e manutenção no serviço de andares

problemas podem ser detectados pela empregada de andares, preenchendo o formulário


respectivo.

A governanta tem que fazer um planeamento para a pintura destas unidades, verificando o
período em que a ocupação não esteja tão alta, para que o trabalho possa ser efectuado.

O importante é que todos os apartamentos, prontos para a venda, na recepção, estejam em


perfeito funcionamento para a utilização dos hóspedes. Esta e uma grande responsabilidade
Do sector de andares.

30
Conservação e manutenção no serviço de andares

9.Requisições de serviços técnicos

Os pedidos de manutenção são solicitações de serviço emitidas pelos sectores para as suas
necessidades nesta área. São da responsabilidade dos chefes de sector e devem ser feitos por
escrito.

A manutenção deve providenciar o serviço com a maior rapidez possível (máximo de 24 horas).
Nos quartos, a manutenção deve ser imediata.

As informações básicas previstas nos pedidos de manutenção são:


 Descrição detalhada do serviço solicitado, para que a manutenção não tenha dúvidas ou
perca tempo a verificar o que se pretende
 Justificativa e prioridade do serviço (os quartos são prioridade 1)
 Identificação do centro de custo
 Descrição do equipamento, máquina ou instalação
 Nome ou identificação do requisitante
 Data do pedido

Quando há uma solicitação de manutenção, ela é feita em 3 vias. O original fica no


departamento solicitante, e as outras cópias são enviadas à manutenção.

Assim que a manutenção finaliza a serviço solicitado, anexa uma das duas cópias a via original
e envia ao departamento solicitante. Assim a manutenção tem a registo do que foi solicitado, e
consertado; a governanta também terá um registo.

Mesmo recebendo a "de acordo", de que a manutenção já consertou a apartamento, antes de


disponibiliza-lo a outro hóspede, tem que ser feita uma inspecção, para verificar se realmente
foi executado a serviço e se a apartamento não ficou sujo ou desarrumado.

Caso uma solicitação à manutenção demore mais do que o esperado, a governanta executiva
devera ter a cópia do registo em mãos (a via do departamento) ir pessoalmente falar com o
responsável do departamento para sugerir o acompanhamento dele ou pedir explicações.

Dependendo do procedimento de cada estabelecimento, se caso não for a governanta a dar


seguimento ao caso, ela devera ser correctamente informada, do sucedido e qual será a
previsão de solução.

31
Conservação e manutenção no serviço de andares

Se houver um pedido de emergência, devera ser anotado no caderno de registo e assim que
possível fazer o procedimento das vias. Os procedimentos para este tipo de serviço variam de
acordo com o estabelecimento, existem casos onde a manutenção é acompanhada sempre por
alguns membros da recepção. Informe-se com seu supervisor, qual será o melhor procedimento
a ser realizado.

Caso algum item do apartamento tenha que ser retirado, ele devera ser marcado com uma
etiqueta e no registo deste apartamento devera haver uma nota de que "tal objecto" está em
falta.

32
Conservação e manutenção no serviço de andares

10.Procedimentos de substituição de elementos danificados

A manutenção detém uma posição de relevo dentro do hotel e o seu intercâmbio e relações
com os outros departamentos é de importância vital.

Os objectivos do atendimento da manutenção devem ser:


 Rapidez de atendimento e reposição do equipamento em operação
 Disponibilidade para atender as múltiplas dificuldades do sector
 Altos padrões de confiabilidade
 Preservação do alto nível dos serviços prestados.

Compete ao chefe de manutenção acompanhar os serviços que estejam a ser feitos pelo seu
pessoal ou por terceiros, para garantir que a qualidade final seja satisfatória e corresponda às
necessidades do hotel.

Todos os trabalhos efectuados devem ter como objectivo a durabilidade e a satisfação das
necessidades dos serviços e das necessidades de qualidade do hóspede.

Os roteiros de manutenção ou check-lists são documentos utilizados no acompanhamento do


estado dos equipamentos e das instalações e na organização dos serviços a serem executados
pelas equipas de manutenção.

Eles têm por objectivo concretizar um programa de manutenção.

Os dados essenciais contidos nos roteiros são:


 Tabelas de defeitos/ causas/ providências
 O que fazer – Descrição do serviço a ser executado
 Quando fazer – Periodicidade da intervenção
 Onde fazer – descrição do equipamento sujeito à intervenção
 Outros dados – referências de procedimentos, desenhos auxiliares, etc.
11.Noções de restauro de móveis, revestimentos e outros

11.1− Arranjos de restauro

Refazer o acabamento dos móveis é um trabalho que consome tempo. Antes de retirar o
acabamento antigo de qualquer peça da mobília, verifique isto: um trabalho de restauração
completo pode não ser necessário.

33
Conservação e manutenção no serviço de andares

O primeiro passo é saber que tipo de acabamento foi usado no móvel. Depois decidir como
limpá-lo. Não saber identificar o tipo de acabamento, pode acabar por danificar o trabalho
original.

Em restauração, a única diferença que realmente importa é a que existe entre os três
acabamentos básicos naturais: goma-laca, laca ou verniz. Os acabamentos pigmentados, tais
como tinta ou esmalte, são fáceis de identificar.

Os outros acabamentos que podem ser encontrados são óleo, cera e selantes de penetração,
identificáveis pelo toque e falta de alto brilho. Esses acabamentos podem ser restaurados
apenas com a reaplicação.

Primeiro, teste o acabamento com álcool desnaturado. Esfregue um pouco do álcool numa área
onde não se note. Se o acabamento dissolver, é goma-laca. Se dissolver parcialmente,
provavelmente é uma combinação de goma-laca com laca. Teste novamente com uma mistura
de álcool desnaturado e solvente de laca: isso pode dissolver completamente o acabamento.

Se o álcool não afectar o acabamento, esfregue um pouco de solvente de laca uma ánrea onde
não se note. Se a área ficar dura e depois macia novamente, o acabamento é laca; se o
acabamento enrugar e não ficar macio novamente, então é um tipo de verniz. Se nem o álcool
nem o solvente de laca afectá-lo, o acabamento é de verniz.

Depois de identificar o acabamento, você pode começar a restauração. Se o problema for


sujidade, desbotamento ou desgaste geral, isso geralmente pode ser resolvido seguindo as
técnicas de restauração a seguir.

O processo de restauração mais fácil é a limpeza. Através dos anos, mesmo os móveis que são
bem cuidados podem ficar embaçados devido a camadas de cera e pó. Em muitos casos, essas
camadas podem ser removidas com um lustra-móveis à base de óleo. Esses produtos vão
passar através das camadas de sujidade e cera. Eles estão disponíveis em lojas de móveis,
supermercados e lojas de tintas.

Seguindo as instruções do fabricante, aplique o produto com um pano macio e deixe por 1 ou 2
horas. Então, limpe o produto com outro pano. Repita o processo, usando bastante produto,
até que a madeira esteja limpa e lustrada. Pode-se precisar de quatro a cinco aplicações. Lustre
a madeira limpa levemente para remover o excesso de óleo.

34
Conservação e manutenção no serviço de andares

Se o lustra-móveis não resolver, remova a sujidade com uma solução de água morna e
detergente líquido. Use pouco e trabalhe rapidamente: não ensope a mobília ou despeje a
solução sobre ela. A água pode deixar o acabamento de laca ou goma-laca esbranquiçado (o
mesmo acontece quando um copo deixa uma marca na mesa). Quando o móvel estiver limpo,
enxugue-o com um pouco de água (cuidado para não molhar demais) e depois seque
cuidadosamente a madeira por completo com um pano macio ou uma toalha.

Deixe a madeira secar completamente. Se o acabamento estiver esbranquiçado, passe uma lã


de aço no local e depois lustre a superfície levemente, no sentido do desenho da madeira.
Depois aplique o lustra-móveis e lustre a madeira novamente.

Se a limpeza com o detergente não der certo, use um solvente para limpar a madeira. A
limpeza com solvente é o último recurso a ser considerado porque pode danificar o
acabamento. Use líquidos minerais ou essência de terebintina em qualquer acabamento; use
álcool desnaturado em verniz ou laca. Não use álcool em goma-laca ou em mistura de goma-
laca com laca. Trabalhe em uma área bem ventilada e aplique o solvente com tecido (uma
estopa ou uma toalha velha). Depois retire o limpador de madeira com outro pano. Finalmente,
aplique o lustra-móveis e outra vez lustre levemente a madeira.

A limpeza com detergente e solvente também pode ser usada para rejuvenescer móveis de
vime e palha. Use as mesmas técnicas já mencionadas, mas com cuidado especial para não
usar muita água. Deixe o móvel secar completamente; se possível, no sol. Se o acabamento
estiver muito fino ou gasto, aplique uma ou duas camadas de verniz spray, com cuidado para
cobrir por igual todo o vime ou a palha. Deixe o novo acabamento secar por vários dias antes
de usar o móvel.

Se o acabamento dos móveis estiver rachado ou arranhado, você precisa encontrar uma opção
que o faça ficar parecendo novo.

A reamalgamação é uma boa técnica para dar vida nova aos móveis com acabamento fissurado
ou arranhado. Basicamente, a reamalgamação é uma liquefacção do acabamento estragado,
para que seque sólido e limpo. Ela é fácil de aplicar e pode eliminar a necessidade de refazer o
acabamento.

35
Conservação e manutenção no serviço de andares

Fissurado e rachado são basicamente o mesmo tipo de estrago. São causados tanto pela luz do
sol quanto pela mudança de temperatura e podem ser eliminados pela reamalgamação. O
acabamento fissurado tem linhas irregulares em todas as direcções. O acabamento rachado tem
linhas maiores ou apenas uma linha cruzando a superfície. Acabamentos arranhados podem ser
reamalgamados apenas se os arranhões não estiverem por baixo do acabamento. Se os
arranhões estiverem na própria madeira, você vai precisar refazer o acabamento da área.

O tipo de acabamento no móvel determina o solvente usado para a reamalgamação: a goma-


laca é reamalgamada com álcool desnaturado; laca é reamalgamada com solvente de laca; e a
mistura de laca com goma-laca, com uma mistura de três partes de álcool e uma parte de
solvente de laca. O verniz geralmente não pode ser reamalgamado.

Antes de trabalhar no acabamento, limpe muito bem o móvel com líquido mineral ou essência
de terebintina para remover a cera e a sujeira. Não trabalhe em um dia muito húmido se o
acabamento for goma-laca - o álcool usado para liquefazê-la pode transferir a mistura do ar
para o acabamento, resultando em embranquecimento ou avermelhamento.

O segredo da reamalgamação é trabalhar rápido, especialmente com laca. Comece pelas


pequenas áreas para sentir como é. Uma vez que estiver satisfeito com os resultados, avance
para reamalgamar todo o acabamento. Aplique uma quantidade moderada de solvente com um
pincel novo e de cerdas naturais. Compre um amalgamador. Use álcool desnaturado em goma-
laca; solvente de laca em laca; uma mistura de álcool e solvente de laca em material de goma-
laca e laca.

Para reamalgamar a superfície do acabamento, aplique o solvente no sentido do desenho da


madeira em longas e rápidas pinceladas, trabalhando rápido e não deixando o pincel secar. Não
tente retirar com o pincel os arranhões nessa fase - muitos deles vão desaparecer quando o
acabamento secar. Se você estiver trabalhando muito em marcas individuais, pode estar
removendo o acabamento em vez de liquefazê-lo.

Enquanto o solvente seca, o acabamento vai ficando bem brilhante e, depois de 30 minutos ou
mais, começa a ficar muito embaçado. Se a reamalgamação for bem-sucedida, os arranhões e
entalhes vão desaparecer e o acabamento vai parecer sólido.

36
Conservação e manutenção no serviço de andares

Avermelhar uma descoloração esbranquiçada no acabamento é um problema comum em


móveis com acabamento de goma-laca e pode ser um problema com a madeira laqueada. O
acabamento de verniz não é afectado pelo avermelhamento. O avermelhamento pode ser
causado por uma mistura prolongada de alta humidade, exposição à água ou apenas
envelhecimento. Se o embaçado não estiver muito profundo no acabamento, você pode
removê-lo com lã de aço e óleo ou reamalgamando o acabamento. Avermelhamento muito
profundo, entretanto, pode ser eliminado apenas refazendo o acabamento.

Quando o avermelhamento ocorrer em um acabamento rachado, tente a reamalgamação


primeiro - isso pode remover o avermelhamento e também eliminar as rachaduras. Se a
reamalgamação não remover o avermelhado, use lã de aço para remover a descoloração.

Antes de começar, certifique-se de que a superfície esteja limpa. Remova a cera e a sujidade
com líquido mineral ou essência de terebintina. Depois mergulhe a lã de aço em óleo mineral,
óleo de linhaça ou óleo de salada e esfregue suavemente ao longo do desenho da madeira.
Trabalhe devagar e certifique-se de que a lã de aço esteja sempre bem molhada com óleo.

O abrasivo é removido da parte de cima do acabamento, deixando um acabamento limpo.


Seque a madeira com um pano macio e dê polimento com uma cera em pasta. Se o
avermelhamento for na parte de cima do acabamento – e geralmente é – esfregar com uma lã
de aço resolve o problema. Caso contrário, você vai precisar refazer o acabamento da madeira.

11.2− Arranjos de perfeição

Qualquer material desgasta com o tempo e os móveis de madeira não são uma excepção. Às
vezes, o acabamento inteiro desgasta, às vezes apenas os lugares muito usados. Locais
desgastados são mais comuns em portas e gavetas. Em peças antigas, o desgaste é parte da
patina da peça e determina o valor do móvel, não devendo ser coberto nem restaurado.

O mesmo se aplica a quase todas as peças da mobília: desgastar e rasgar dá uma certa
personalidade. Mas um acabamento fino e antigo pode ser revestido. E quando refazer o
acabamento for a única alternativa, você poderá consertar os locais desgastados.

37
Conservação e manutenção no serviço de andares

Primeiro, limpe a superfície com cuidado com um líquido mineral ou, para laca ou verniz, álcool
desnaturado. Se o acabamento inteiro estiver desgastado, limpe o móvel inteiro: você deve
remover toda a sujeira e a gordura. Depois aplique uma nova camada do acabamento já pronto
na madeira.

Se você estiver retocando os locais desgastados em vez de revestir o acabamento inteiro, limpe
a superfície gasta e lixe o local suavemente com uma lixa fina. Cuidado para não forçar muito.
Em seguida, você pode refazer o acabamento. Se o móvel não tiver coloração, é fácil. Se for
colorido, você vai precisar recolorir para combinar.

Para retocar um local gasto, aplique tinta a óleo na madeira pura com um pincel artístico. Dê o
acabamento à área consertada para combinar com o resto da peça.

Aplique a coloração na área danificada com um pincel artístico ou um pano limpo, cobrindo toda
a área da madeira. Deixe a coloração secar por 15 minutos. Em seguida, limpe com um pano
limpo. Se a cor for muito clara, aplique outra camada de tinta, espere 15 minutos e limpe
novamente. Repita esse procedimento até que você esteja satisfeito com a cor. Deixe a tinta
secar de acordo com as instruções do fabricante.

Lustre levemente a superfície pintada e limpe com um pano macio. Aplique uma nova camada
do mesmo acabamento da superfície – laca, goma-laca, resina penetrante ou verniz – sobre a
área recém-pintada, espalhando o novo acabamento sobre o antigo revestimento.

Deixe o novo acabamento secar por um ou dois dias e lustre levemente as áreas remendadas.
Finalmente, encere toda a superfície com cera em pasta e dê polimento até ficar brilhando.

Bibliografia

Paul, Valerie; Jones, Christine, Manual de operações de alojamento em hotelaria , Edições


Cetop, 1989

38
Conservação e manutenção no serviço de andares

Marques, J. Albano, Manual de Hotelaria – Políticas e procedimentos , Livraria Civilização


Editora, 2003

Marques, J. Albano, Introdução à hotelaria, Livraria Civilização Editora, 2006

Torre, Francisco, Administração hoteleira, Editora Roca, 2001

Webgrafia
Guia da Camareira, Edições SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Pequenas e Médias
Empresas
http://www.biblioteca.sebrae.com.br/

Guia da Governanta, Edições SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Pequenas e Médias


Empresas
http://www.biblioteca.sebrae.com.br/

39