Você está na página 1de 29

Exercícios resolvidos recomendados para consolidação do estudo:

1. (PUC-SP) A função horária das posições de um móvel sobre uma trajetória retilínea
é S= 10 – 2t (no SI). Pede-se:

b) a posição do móvel no instante 6s.

c) o deslocamento do móvel entre os instantes 1s e 4s.

d) o instante em que o móvel passa pela origem das posições.

2. (EEM-SP) Ao longo de uma pista de corrida de automóveis existem cinco postos de


observação, onde são registrados os instantes em que por eles passam um carro em
treinamento. A distância entre dois postos consecutivos é 500m. Durante um treino
registraram-se os tempos indicados na tabela.

Posto 1 2 3 4 5
Instante da
0 24,2 50,7 71,9 116,1
Passagem(s)

a) Determine a velocidade média desenvolvida pelo carro no trecho compreendido


entre os postos 2 e 4.

b) É possível afirmar que o movimento do carro é uniforme? Justifique a resposta.

3. (UNEMAT-MT-012) Dois objetos têm as seguintes equações horárias: SA= 20+3t (SI) e
SB=100-5t (SI). Então, a distância inicial entre o objeto A e B, o tempo decorrido até o
encontro deles e o local de encontro são, respectivamente:

a) 80m, 20s e 0m
b) 80m, 15s e 65m
c) 80m, 10s e 50m
d) 120m, 20s e 0m
e) 120m, 15s e 65m

1
4. (UFB) Um gato realiza um MUV em trajetória retilínea e horizontal que obedece à
função horária da velocidade V= - 20 + 5t em unidades do SI. Pede-se: a velocidade
inicial e a aceleração, respectivamente.

5. (CFT-CE) Observe o movimento da moto a seguir, supostamente tomada como


partícula.

a) O instante em que sua velocidade será de 20m/s.

b) O deslocamento efetuado até este instante.

6. (ACAFE-SC-012) Para garantir a segurança no trânsito, deve-se reduzir a velocidade


de um veículo em dias de chuva, se não vejamos:

um veículo em uma pista reta, asfaltada e seca, movendo-se com velocidade de


módulo 36 km/h é freado e desloca-se 5,0 m até parar. Nas mesmas circunstâncias, só
que com a pista molhada necessita de 1,0 m a mais para parar.
Considerando a mesma situação (pista seca e molhada) e agora a velocidade do
veículo de módulo 108 km/h, a alternativa correta que indica a distância a mais para
parar, em metros, com a pista molhada em relação à pista seca é:

a) 6
b) 2
c) 1,5
d) 9

2
7. (ACFE-SC-012) A posição em função do tempo de um corpo lançado verticalmente
para cima é descrita pela equação h = h 0 + V0t + gt2/2, onde h0 é a altura inicial, v0 é
a velocidade inicial e g é o valor da aceleração da gravidade. De certo ponto, se
lançam simultaneamente dois corpos com o mesmo valor de velocidade inicial, v 0 =
10m/s, um verticalmente acima e outro verticalmente abaixo.

Desprezando a resistência do ar e considerando g = 10m/s2, a distância, em metros,


que separa esses dois corpos, um segundo após serem lançados é:

a) 10
b) 5
c) 20
d) 15

8. (PUC-RJ-2009) Aristóteles (384 - 322 a.C.) foi para Atenas estudar com Platão e,
durante seus estudos, formulou a tese de que corpos de massas diferentes caem com
tempos diferentes ao serem abandonados de uma mesma altura, sem qualquer tipo de
verificação experimental.
Com o desenvolvimento da Ciência e o início do processo experimental por Galileu
Galilei (1564 - 1642), realizou-se um experimento para comprovar a tese de
Aristóteles. Galileu verificou que soltando dois corpos de massas diferentes, com
volumes e formas iguais, simultaneamente, de uma mesma altura e de um mesmo
local, ambos atingem o solo no mesmo instante.
Com relação ao experimento realizado por Galileu, afirma-se que:

I. a aceleração da gravidade foi considerada a mesma para ambos os corpos


abandonados.

II. os corpos chegaram ao mesmo instante no solo.

III. a resistência do ar não influenciou no resultado obtido por Galileu.

Está CORRETO o que se afirma em

a) I, apenas.
b) I e II, apenas.
c) I e III, apenas.
d) II e III, apenas.
e) I, II e III.

3
9. (FATEC-SP) Um objeto se desloca em uma trajetória retilínea. O gráfico a seguir
descreve as posições do objeto em função do tempo.

Analise as seguintes afirmações a respeito desse movimento:

I. Entre t = 0 e t = 4s o objeto executou um movimento retilíneo uniformemente


acelerado.

II. Entre t = 4s e t = 6s o objeto se deslocou 50m.

III. Entre t = 4s e t = 9s o objeto se deslocou com uma velocidade média de 2m/s.

Deve-se afirmar que apenas:

a) I é correta.
b) II é correta.
c) III é correta.
d) I e II são corretas.
e) II e III são corretas.

10. (UNESP-SP) Considere o gráfico de velocidade em função do tempo de um objeto


que se move em trajetória retilínea.

No intervalo entre 0 a 4 h, o objeto se desloca, em relação ao ponto inicial, de:

a) 0 km.
b) 1 km.
c) 2 km.
d) 4 km.
e) 8 km.

4
11. (UFRRJ) O gráfico a seguir representa os movimentos de dois móveis A e B.

Observando o gráfico, pode-se afirmar que:

a) em t = 2s e t = 9 s a velocidade do móvel A é igual a velocidade do móvel B.


b) a aceleração do móvel A é sempre maior que a do móvel B.
c) a velocidade do móvel B em t = 2 s é nula.
d) a velocidade do móvel A em t = 9 s é 7 m/s.
e) em t = 0 s a aceleração do móvel A é 16 m/s2.

12. (PUC-GO) A figura mostra a posição de um móvel, em movimento uniforme, no


instante t=0.

Sendo 5m/s o módulo de sua velocidade escalar, pede-se:

a) a função horária dos espaços;

b) o instante em que o móvel passa pela origem dos espaços

5
13. (CFT-MG-2008) Duas esferas A e B movem-se ao longo de uma linha reta, com
velocidades constantes e iguais a: 4 cm/s e 2 cm/s. A figura mostra suas posições num
dado instante.

A posição, em cm, em que A alcança B é:

a) 4.
b) 8.
c) 11.
d) 12.

14. (UERJ-RJ-010) Dois automóveis, M e N, inicialmente a 50 km de distância um do


outro, deslocam-se com velocidades constantes na mesma direção e em sentidos
opostos. O valor da velocidade de M, em relação a um ponto fixo da estrada, é igual a
60 km/h.

Após 30 minutos, os automóveis cruzam uma mesma linha da estrada.

Em relação a um ponto fixo da estrada, a velocidade de N tem o seguinte valor, em


quilômetros por hora:

a) 40
b) 50
c) 60
d) 70

6
15. (UERJ-RJ-010) Um foguete persegue um avião, ambos com velocidades constantes
e mesma direção. Enquanto o foguete percorre 4,0 km, o avião percorre apenas 1,0
km.

Admita que, em um instante t1, a distância entre eles é de 4,0 km e que, no instante
t2, o foguete alcança o avião.

No intervalo de tempo t2 – t1, a distância percorrida pelo foguete, em quilômetros,


corresponde aproximadamente a:

a) 4,7
b) 5,3
c) 6,2
d) 8,6

16. (PUC-RJ) Considere o movimento de um caminhante em linha reta. Este


caminhante percorre os 20,0 s iniciais à velocidade constante v 1 = 2,0 m/s.
Em seguida, ele percorre os próximos 8,0 s com aceleração constante a = 1 m/s 2 (a
velocidade inicial é 2,0 m/s). Calcule a velocidade final do caminhante.

17. (UNIFESP-SP) A velocidade em função do tempo de um ponto material em


movimento retilíneo uniformemente variado, expressa em unidades do SI, é v = 50 -
10t. Pode-se afirmar que, no instante t = 5,0 s, esse ponto material tem:

a) A velocidade e aceleração nulas.


b) A velocidade nula e, daí em diante, não se movimenta mais.
c) A velocidade nula e aceleração a = - 10 m/s2.
d) A velocidade nula e a sua aceleração muda de sentido.
e) A aceleração nula e a sua velocidade muda de sentido.

7
18. (UnB-DF) A tabela abaixo indica a velocidade instantânea de um objeto, em
intervalos de um segundo.

Tempo (s) Velocidade (m/s)


0.00 6.20
1.00 8.50
2.00 10.8
3.00 13.1
4.00 15.4
5.00 17.7

As velocidades instantâneas do objeto nos instantes 3,60s e 5,80s são,


respectivamente:

a) 17,5m/s e 20,5m/s
b) 13,8m/s e 22,6m/s
c) 14,5m/s e 19,5m/s
d) 15,5m/s e 22,2m/s
e) 8,20m/s e 12,2m/s

19. (Olimpíada Brasileira de Física) Uma partícula executa um movimento retilíneo


uniformemente variado. Num dado instante a partícula tem velocidade 50m/s e
aceleração negativa de módulo 0,2m/s2. Quanto tempo decorre até a partícula
alcançar a mesma velocidade em sentido contrário?

a) 500s
b) 250s
c) 125s
d) 100s
e) 10s

20. (UFPE-PE-012)
Dois veículos partem simultaneamente do repouso e se movem ao longo da mesma
rodovia reta, um ao encontro do outro, em sentidos opostos.

O veículo A parte com aceleração constante igual a aA = 2,0 m/s2.

O veículo B, distando d = 19,2 km do veículo A, parte com aceleração constante igual


a aB = 4,0 m/s2.

Calcule o intervalo de tempo até o encontro dos veículos, em segundos.

8
21. (PUC-RJ-010) Os vencedores da prova de 100 m rasos são chamados de
homem/mulher mais rápidos do mundo. Em geral, após o disparo e acelerando de
maneira constante, um bom corredor atinge a velocidade máxima de 12,0 m/s a 36,0
m do ponto de partida.

Esta velocidade é mantida por 3,0 s. A partir deste ponto, o corredor desacelera,
também de maneira constante, com a = − 0,5 m/s2, completando a prova em,
aproximadamente, 10 s. É correto afirmar que a aceleração nos primeiros 36,0 m, a
distância percorrida nos 3,0 s seguintes e a velocidade final do corredor ao cruzar a
linha de chegada são, respectivamente:

a) 2,0 m/s2; 36,0 m; 10,8 m/s.


b) 2,0 m/s2; 38,0 m; 21,6 m/s.
c) 2,0 m/2; 72,0 m; 32,4 m/s.
d) 4,0 m/s2; 36,0 m; 10,8 m/s.
e) 4,0 m/s2; 38,0 m; 21,6 m/s.

22. (UERJ-RJ) Um motorista, observa um menino arremessando uma bola para o ar.
Suponha que a altura alcançada por essa bola, a partir do ponto em que é lançada,
seja de 50 cm.
A velocidade, em m/s, com que o menino arremessa essa bola pode ser estimada em
(considere g=10m/s2):

a) 1,4
b) 3,2
c) 5,0
d) 9,8
e) 4,7

23. (Unicamp) Um malabarista de circo deseja ter três bolas no ar em todos os


instantes.
Ele arremessa uma bola a cada 0,40s (considere g= 10m/s²).

a) Quanto tempo cada bola fica no ar?

c) Com que velocidade inicial deve o malabarista atirar cada bola para cima?

d) A que altura se elevará cada bola acima de suas mãos?

9
24.(FGV-SP) Frequentemente, quando estamos por passar sob um viaduto, observamos
uma placa orientando o motorista para que comunique à polícia qualquer atitude
suspeita em cima do viaduto. O alerta serve para deixar o motorista atento a um tipo
de assalto que tem se tornado comum e que segue um procedimento bastante
elaborado. Contando que o motorista passe em determinado trecho da estrada com
velocidade constante, um assaltante, sobre o viaduto, aguarda a passagem do para-
brisa do carro por uma referência previamente marcada na estrada. Nesse momento,
abandona em queda livre uma pedra que cai enquanto o carro se move para debaixo
do viaduto. A pedra atinge o vidro do carro quebrando-o e forçando o motorista a
parar no acostamento mais à frente, onde outro assaltante aguarda para realizar o
furto.

Suponha que, em um desses assaltos, a pedra caia por 7,2 m antes de atingir o para-
brisa de um carro. Nessas condições, desprezando-se a resistência do ar e
considerando a aceleração da gravidade 10 m/s2, a distância d da marca de
referência, relativamente à trajetória vertical que a pedra realizará em sua queda,
para um trecho de estrada onde os carros se movem com velocidade constante de 120
km/h, está a:

a) 22 m.
b) 36 m.
c) 40 m.
d) 64 m.
e) 80 m.

25. (UNESP-SP) Os gráficos na figura representam as posições de dois veículos, A e B,


deslocando-se sobre uma estrada retilínea, em função do tempo.

1
0
A partir desses gráficos, é possível concluir que, no intervalo de 0 a t,

a) a velocidade do veículo A é maior que a do veículo


b) a aceleração do veículo A é maior que a do veículo B.
c) o veículo A está se deslocando à frente do veículo.
d) os veículos A e B estão se deslocando um ao lado do outro.
e) a distância percorrida pelo veículo A é maior que a percorrida pelo veículo B.

26. (Ufpe) A figura mostra um gráfico da velocidade em função do tempo para um


veículo que realiza um movimento composto de movimentos retilíneos uniformes.
Sabendo-se que em t = 0 a posição do veículo é x 0 = + 50 km, calcule a posição do
veículo no instante t = 4,0 h, em km.

27. (UFMG-MG) Um carro está andando ao longo de uma estrada reta e plana. Sua
posição em função do tempo está representada neste gráfico:

Sejam vA, vB e vC os módulos das velocidades do carro, respectivamente, nos pontos


A, B e C, indicados nesse gráfico.

Com base nessas informações, é CORRETO afirmar que:

a) vA < vB < vC
b) vB < vC < vA
c) vA < vC < vB
d) vB < vA < vC

1
1
Raciocínio da Resolução 1:

a) S= 10 – 2t = 10 – 2.6 = 10 – 12, logo: S= -2m

b) Posição em t=1s: S(t = 1s) = 10 – 2.1 = 8m

Posição em t=4s:

S(t = 4s) = 10 – 2.4 = 2m

ΔS= S(t = 4s) – S(t = 1s) = 2 – 8= - 6m

O valor negativo de ΔS indica que o móvel está se movendo no sentido contrário ao


eixo x, sua velocidade é negativa.

c) origem: Na origem do eixo, temos que: S=0

então:
0=10 – 2t
2t = 10
t=10/2 = 5s

Raciocínio da Resolução 2:

Posição dos postos:

P1 = 0 m, P2 = 500 m, P3 = 1000 m, P4 = 1500 m e P5 = 2000 m.

Vm = ∆S/∆t = (1500 – 500)/(71,9 – 24,2) = 1000/47,7 = 21 m/s

Sabemos que o automóvel percorre a mesma distância de um posto a outro.


Assim, para verificarmos se a velocidade é constante, basta encontramos o tempo que
o automóvel leva para ir de posto em posto.

De P1 a P2 = 24,2 s

De P2 a P3 = 26,5 s

Desses dois intervalos de tempo diferentes, para percorrer a mesma distância de 500
m, já podemos dizer que o movimento não é uniforme, pois a velocidade não é
constante.

1
2
Raciocínio da Resolução 3:

Veja na figura a distância inicial entre eles. Ela é dada por:

d= S0B – S0A = 100 – 20=80m

As equações horárias de cada carro, também, podem ser obtidas examinando a figura:

Para SA:

S0A=20 m e VA=3 m/s (valor positivo, pois a velocidade está no sentido do deslocamento).

Então:

SA = 20 + 3.t.

Para SB:

S0B = 100 m e VB = - 5 m/s (valor negativo, pois a velocidade está no sentido contrário ao
deslocamento).

SB = 100 – 5.t

No encontro, temos:
SA = SB
20 + 3t = 100 – 5t
8t = 80
t=10s

Para calcularmos a posição do encontro, basta substituir o tempo do encontro em qualquer


uma das funções horárias.

SA = 20 + 3t = 20 + 3.10 = 50m = SB

Raciocínio da Resolução 4:

Sabemos que a equação horária da velocidade é dada por: V = V0 + at.


Precisamos, apenas, compará-la com a equação do movimento do gato:
V = - 20 + 5t.

Então:

1
3
V0 = - 20 m/s e a = 5 m/s2

Raciocínio da Resolução 5:

a) Para descobrirmos quando a velocidade será de 20 m/s, temos que escrevermos a


equação da velocidade para o movimento:

V = V0 + at

Sabemos o valor de V0 olhando na tabela:

V(t=0s) = V0 = 0 m/s

Podemos calcular a aceleração, também, usando a tabela:

a = ∆V/∆t

Escolhendo dois pontos quaisquer: (v, t): (2, 1) e (8, 4).

a = (8 – 2)/(4 – 1) = 6/3 = 2 m/s2

Montamos a Equação: V = 0 + 2t ou V = 2t

Calculando t para V = 20 m/s:

20 = 2t
t = 20/2 = 10 s

b) Para calcularmos o deslocamento até o instante t = 10 s, temos que usar a equação


horária da posição:

S(t) = S0 + V0t + 1/2at2 ou S - S0 = ∆S = V0t + 1/2at2.

Agora, é só substituirmos os valores de V0 e a.

∆S = V0t + 1/2at2
∆S = 0. t + ½. 2.t2
∆S = 1.t2 = t2

No instante t = 10 s, temos:

∆S = 102 = 100 m.

Raciocínio da Resolução 6:

Neste exercício, não temos informação sobre o tempo. Então, vamos usar a Equação
de Torricelli, pois ela não necessita do tempo.

1
4
Os dados iniciais do nosso problema são:

Primeira condição:

Vf = 0 m/s (o veículo está parado).


V0 = 36 km/h, vamos converter para m/s: 36/3,6 = 10 m/s

Deslocamento na pista seca:

∆S = 5,0 m

Deslocamento na pista molhada:

∆S = 5,0 m + 1,0 m = 6 m

Segunda condição:

Vf = 0 m/s (o veículo está parado).


V0 = 108 km/h, vamos converter para m/s: 108/3,6 = 30 m/s

Objetivo:

(Deslocamento na pista molhada) – (Deslocamento na pista seca) para a segunda


condição.

Da primeira condição, podemos obter a aceleração usada para a pista seca e para a
pista molhada. Como o problema diz que temos a mesma situação, tanto na pista,
quanto na pista molhada, na segunda condição, podemos considerar as mesmas
acelerações para a segunda condição.

Calcular as acelerações da primeira condição:

Cálculo da aceleração do carro com a pista seca:

Pela equação de Torricelli, temos:

V2=V02 + 2.a.∆S

Substituindo os valores:

02 = 102 + 2.a.5
0 = 100 + 10a
10a = - 100
a = - 100/10 = - 10 m/s2, o sinal negativo da aceleração indica que o veículo está
freando.

1
5
Cálculo da aceleração do carro com a pista molhada:

V2=V02 - 2.a.∆S

Substituindo os valores, temos:

02 = 102 - 2.a.6
0 = 100 - 12.a
a = - 100/12 = - 25/3 m/s2

Segunda condição:

Vamos calcular a distância percorrida com a pista seca:

V2 = V02 + 2.a.∆S

Substituindo os valores, temos:

02 = 302 + 2.(-10). ∆S
0 = 900 - 20. ∆S
20. ∆S = 900
∆S = 900/20 = 45 m

Cálculo da distância percorrida com a pista molhada:

V2=V02+ 2.a.∆S

Substituindo os valores

02 = 302 + 2.(-25/3).∆S
0 = 900 - 50/3.∆S
∆S = 900.3/50 = 54 m

A distância a mais será: d = 54 – 45 = 9 m

Raciocínio da Resolução 7:

Vamos colocar a origem do eixo dos espaços no ponto de lançamento (h0=0) e


orientando a trajetória para cima. Assim, no lançamento para baixo, a velocidade e a
aceleração são negativas, dessa forma, a equação ficará:

hb = h0 – v0t - gt2/2

1
6
Substituindo os valores, temos:

hb = 0 – 10t – 10.t2/2
hb = – 10t – 5t2

Em t = 1s, temos:

hb = – 10.1 – 5.12 = - 15 m

No lançamento para cima, a velocidade é positiva, mas, como a aceleração continua


sendo a da gravidade, seu valor é negativo.

hc = h0 + v0t - gt2/2

Substituindo os valores, temos:

hc = 0 + 10t – 10.t2/2
hc = 10t – 5t2

Em t = 1s, temos:

hc = 10.1 – 5.12 = 5 m

Dessa forma, a distância entre os dois corpos será a soma dos módulos das duas
alturas, ou seja, │hb│+ │hc│ = 20 m

Raciocínio da Resolução 8:

I – Está correta, uma vez que a aceleração da gravidade é igual para todos os corpos
próximos a superfície da Terra.

II – Está correta. Os corpos chegaram ao mesmo instante ao solo.

III – Está correta. Os corpos tinham volumes e formas iguais, portanto, a resistência do
ar influencia de forma igual nos dois corpos.

1
7
Assim, a resposta correta é a letra e.
Raciocínio da Resolução 9:

Analisando o gráfico, temos:

I – Está errada – entre 0 e 4s o movimento é uniforme.

II- Está errada – entre 4s e 6s, o objeto fica parado, pois a velocidade é igual a zero.

III- Esta correta – vamos calcular a velocidade média entre 4s e 9s.

Sabemos que a velocidade média é calculada da seguinte forma:

Vm = (Sf – Si)/(tf – ti) – como vimos na Aula 2.

Substituindo, temos:

Vm=(S9 – S4)/(t9 – t4)


Vm=(60 – 50)/(9 – 4)
Vm=10/5 = Vm=2m/s

Raciocínio da Resolução 10:

De 0h a 1h, não houve variação no deslocamento, pois a velocidade é zero.

De 1h a 2h, podemos calcular o deslocamento nesse intervalo de tempo calculando a


área sob o gráfico. A área é: base . altura = 1.4 = 4 km.

De 2h a 3h, podemos calcular o deslocamento nesse intervalo de tempo calculando a


área sob o gráfico. A área é: base . altura = 1.(- 6) = - 6 km.

De 3h a 4h, podemos calcular o deslocamento nesse intervalo de tempo calculando a


área sob o gráfico. A área é: base . altura = 1.6 = 6 km.

A área total, de 0h a 4h, será dada pela soma das áreas parciais, isto é:

4 – 6 + 6 = 4 km

Então, o deslocamento de 0h a 4h é de 4 km. Alternativa D.

Raciocínio da Resolução 11:

A única opção que se pode afirmar com certeza, é a letra b.

O gráfico de A é uma parábola, indicando uma aceleração constante (MRUV)

1
8
O gráfico de B é uma reta, indicando a ausência de aceleração e velocidade constante
(MRU).

Raciocínio da Resolução 12:

a) Observando a figura e sabendo que S0 é a posição em t = 0s, verificamos que:


S0 = 30 m.

A velocidade escalar é dada:

│V│ = 5 m/s

Porém, o móvel se movimenta no sentido contrário ao eixo S(m), então a velocidade


será negativa.

Sabendo que, a equação horária é dada por: S = S 0 + vt. Temos, apenas, que substituir
os valores.

S = 30 – 5t

b) Na origem do eixo, temos que:


S=0, então: 0=30 – 5t
5t = 30

t=30/5 = 6s

Raciocínio da Resolução 13:

Quando A alcança B suas posições devem ser iguais, ou seja:

SA= SB

Temos, então, que escrever a função horária S(t) para as esferas A e B.

Pela figura, temos:

SA=3 + 4t e SB=7 + 2t

Então:

SA =SB, fica:

3 + 4t = 7 + 2t
4t – 2t = 7 – 3
2t = 4
t = 2s.

1
9
Encontramos o tempo gasto até o encontro de A e B.

Agora, para calcularmos a posição do encontro, basta substituir, t = 2s em qualquer


uma das funções horárias.

Escolhemos substituir em A:

SA = 3 + 4.2 = 11 cm.

Raciocínio da Resolução 14:

Considere P o ponto de encontro desses dois automóveis, e observe que do instante


mostrado até o encontro, que ocorreu no ponto P, passaram-se 30 min ou 0,5 h, a
distância percorrida pelo automóvel M vale:

dM = Vm.t=60 x 0,5 = 30km

Nesse mesmo intervalo de tempo, o automóvel N percorreu:

dN = 50 – 30 = 20km, então:
VN = dN/t = 20/0,5 = 40km/h.

Raciocínio da Resolução 15:

A velocidade do foguete (vf) é 4 vezes a velocidade do avião (va).

Então:

vf = 4 va

Equacionando os dois movimentos uniformes, e colocando a origem no ponto onde


está o foguete (instante t1), temos:

Sf = vf.t = 4 va.t e Sa = 4 + va.t

2
0
No encontro eles ocupam a mesma posição no instante t 2, ou seja:

Sf = Sa.

Substituindo as equações, temos:

4Vat2 = 4 + Vat2
4Vat2 - Vat2 = 4
3Vat2 = 4 e t2=4/3Va

Substituindo em Sf, temos:


Sf =4 Va.(4/3Va)
Sf=5,3km

Raciocínio da Resolução 16:

Sabemos que:

V0=2 m/s e a=1m/s2 (dados do problema).

Para calcularmos a velocidade final (velocidade em 8 s), usamos a equação:

V=V0 + at

Substituindo os valores, temos:

V = 2 + 1.8 = 10m/s

Raciocínio da Resolução 17:

Em t = 5s, temos:

v = 50 - 10t = 50 – 10.5 = 50 – 50 = 0 m/s.

Então, a velocidade em t=5s é zero, contudo, como estamos usando a equação horária
do MUV, a aceleração permanece constante, devido à definição do MUV.

Raciocínio da Resolução 18:

Pela tabela, podemos ver que a cada 1 s a velocidade varia em uma taxa de 2,3 m/s2.

2
1
Exemplo:

de t=0 a t= 1s

∆V = 8,50 – 6,20 = 2,3 m/s

t =2s e t = 3s

∆V = 13,1 – 10,8 = 2,3 m/s

Você pode fazer o cálculo para todos os valores e encontrará que:

a = ∆V/∆t = 2,3/1 = 2,3 m/s2

Com a aceleração é constante, temos um MUV. Dessa forma, a equação horária da


velocidade é:

V=V0 + at

Pela tabela, encontramos que V0 = 6,2 m/s. Então, a equação do movimento fica:

V = 6,2 + 2,3t

A velocidade instantânea em t = 3,6s

V = 6,2 + 2,3. 3,6 = 14,48 m/s

A velocidade instantânea em t = 5,8s

V = 6,2 + 2,3. 5,8 = 19,54 m/s

Raciocínio da Resolução 19:

Para encontrarmos o tempo que a partícula leva para chegar a mesma velocidade em
sentido contrário, precisamos saber qual é a velocidade.
A velocidade terá o valor negativo da velocidade de ida, ou seja:

v = - 50m/s

Como o valor da aceleração é negativo, isso indica que temos uma freada e a
partícula vai parar em um determinado instante de tempo.

A partir dai, para que a velocidade assuma o valor de v = - 50 m/s, a partícula deve
inverter seu sentido de movimento.

Você pode entender melhor observando a figura abaixo.

2
2
Então, vamos calcular o tempo que a partícula leva até parar.

V=V0 + at

Substituindo os valores:

0 = 50 – 0,2t
50 = 0,2t
t=250s (ida)

Agora, vamos calcular o tempo que a partícula leva do momento da sua parada até
chegar a v = - 50 m/s.

V=V0 + at

Substituindo os valores V0=0, V=- 50m/s e a = - 0,2 m/s2

- 50 = 0 - 0,2t
50 = 0,2t
t=250s (na volta)

O tempo total é:

(tempo de ida) + (tempo de volta) = 250 + 250 = 500 s

Raciocínio da Resolução 20:

Para encontrarmos o tempo do encontro, temos que escrever a função horária da


posição de cada veículo e igualar suas posições.

Observe na figura abaixo onde a origem da trajetória foi colocada no ponto de partida
do móvel A S0A=0.

2
3
A trajetória foi orientada para a direita, então:

S0B=19200m

Ambos os móveis partiram do repouso, ou seja:

V0A=V0B=0.

A função horária de cada móvel é dada pela equação:

S = S0 + V0t + a.t2/2

Substituindo os valores para os móveis A e B, temos:

SA=S0A + V0At + aA.t2/2


SA=0 + 0 + 2.t2/2
SA= t2

SB=S0B + V0Bt + aB.t2/2


SB=19200 + 0 - 4.t2/2
SB=19200 - 4.t2/2
SB=19200 - 2.t2

Fazendo: SA = SB

t2 = 19200 - 2.t2
t2 + 2t2 = 19200
3t2 = 19200
t2 = 19200/3 = 6400
t = 80 s

Raciocínio da Resolução 21:

Vamos dividir movimento em três etapas:

1ª etapa:

O corredor acelera de v0 = 0 a v = 12 m/s, num deslocamento ∆S1 = 36 m.


Usando a equação de Torricelli, vamos encontrar a aceleração nesse percurso.

V2=V02 + 2aΔS

2
4
Substituindo os valores, temos:

122 = 2 a (36)
144 = 72a
a = 144/72
a=2m/s2

2ª etapa:

O corredor mantém velocidade constante, v = 12 m/s, durante t = 3 s. Seu


deslocamento é dado pela equação horária da posição para o Movimento Uniforme,
uma vez que a velocidade é constante.

∆S = v t = 12.(3) = ∆S = 36 m

3ª etapa:

Ao iniciar essa etapa final, o corredor já percorreu a distância de 36m + 36 m = 72 m

Então, falta percorrer S = 100 – 72 = 28 m.

Essa distância será percorrida com desaceleração constante de a = – 0,5 m/s2, a partir
da velocidade inicial v0 = 12 m/s – que é a velocidade constante da segunda etapa da
corrida.

Usando, novamente, a equação de Torricelli, podemos encontrar a velocidade no final


dos 100 m.

V2=V02 + 2aΔS

Substituindo os valores, temos:

V2 = 122 + 2 (–0,5) (28)


V2 = 144 – 28 = 116
V=√116 = V=10,8m/s

Raciocínio da Resolução 22:

Na altura máxima V=0 e ΔS=hmáximo=50cm.

Transformando cm e m, temos:

h =50 cm = 0,5 m

Usando a equação de Torricelli, temos:

2
5
V2 = V02 + 2.a.ΔS

Substituindo os valores, temos:

02 = V02 - 2.10.0,5
0 = V02 - 10
V0 = √10 = 3,16 m/s

Raciocínio da Resolução 23:

a) Como temos 3 bolas e cada uma delas é arremessada com intervalo de 0,4 s, então, no
tempo t =3.0,4 =1,2s todas as bolas estarão no ar. Isso significa que, cada bola fica no ar 1,2
s.

b) Como cada bola fica no ar 1,2s e o tempo de subida é igual ao tempo de descida, ela
demora t=0,6s para atingir a altura máxima, onde V=0. Usando a equação horária da
velocidade, temos:

V=V0 – g.t

Substituindo os valores:

0=V0 – 10.0,6
V0 = 6m/s

c) A altura máxima é dada quando a velocidade da bola é igual a zero. Do item anterior,
calculamos o tempo que cada bola leva para atingir a altura máxima (t = 0,6 s).

Usando a equação horária da posição, temos:

S = V0t – 1/2at2

Substituindo os valores, temos:

S = 6.0,6 – 5.(0,6)2
S = 3,6 – 5.0,36
S = 3,6 – 1,8 = 1,8 m.

Raciocínio da Resolução 24:

O tempo que a pedra demora a cair é o mesmo que o carro leva para percorrer a
distância d, uma vez, que a pedra atinge seu para-brisa.

Sabendo a altura em que a pedra cai, podemos encontrar o tempo de queda, usando a
equação horária da queda livre: h = ½.gt2

H = 7,2 m, e vamos usar g = 10 m/s2

2
6
Substituindo na equação:

7,2=1/2.10t2
7,2= 5t2
t2 = 7,2/5 = 1,44
t = raiz quadrada (1,44) = 1,2 s
t = 1,2s.

Então, sabemos o tempo em que a pedra cai e o tempo em que o carro percorre a
distância d, pois é o mesmo valor.

Como a velocidade do carro é constante, podemos usar a equação horária da


posição para o movimento uniforme:

S = S0 + vt
S - S0 = vt
d = vt, d = S - S0

Temos a velocidade do automóvel, v = 120 km/h e o tempo que ele levou para
percorre d, t = 1,2 s.

As grandezas v e t estão em sistemas de unidades diferentes, então, precisamos


converter uma das grandezas. Qual será?

Basta olharmos a unidade das respostas. As respostas estão em metros, que unidade
do SI, assim, temos que converter a velocidade de km/h para m/s.

V = 120 km/h = 120/3,6 m/s = 33,4 m/s.

Agora, podemos calcular d:

d = vt = 33,4.1,2 = 40,1 m

Raciocínio da Resolução 25:

Este é um gráfico de posição x tempo para um movimento uniforme, pois, as funções


apresentadas são retas, indicando que a velocidade é constante e dada pela
inclinação das retas.

Neste movimento, não há aceleração.

Pelo gráfico, podemos concluir que a velocidade de A e B é a mesma, pois, as retas


que representam seus movimentos possuem a mesma inclinação.

A parte de uma posição inicial S0 ≠ 0 e B parte de S0 = 0.

2
7
As equações para A e B, são:

SA = S0 + vt

SB = vt

Observando as equações, podemos dizer que, para o mesmo tempo, A estará S 0 na


frente de A.

Com essa análise podemos descartar as respostas:

a – pois, as velocidades são iguais.

b – pois, o movimento é uniforme e não há aceleração.

d – mostramos que o veículo A está na frente de B, em uma distância de S0.

e – a distância percorrida por A e B serão iguais, pois, d = vt. Só que A começou seu
movimento em uma posição (S0) na frente de B e continuará mantendo-se na frente
de B.

Resposta correta: c.

Raciocínio da Resolução 26:

A posição do veículo em t = 4h, pode ser calculada usando a área sob o gráfico da
velocidade, até 4 h e somar com x0 (pois é diferente de zero).

A área do gráfico expressa o valor de v.t.

Vamos ao cálculo!

Primeira área (t = 0 a t = 1 h):

base.altura = 1.15 = 15 km.

Segunda área (t = 2 h a t = 4 h):

base.altura = 2. (- 20) = - 40 km.

Posição do veículo em t = 4h:

X0 + primeira área + segunda área = 50 km + 15 km – 40 km = 25 km.

2
8
Raciocínio da Resolução 27:

Como sabemos, em um gráfico de posição x tempo, a inclinação da reta tangente á


um ponto qualquer no gráfico, indica o valor da velocidade.

Como o que nos interessa colocar as velocidades em ordem crescente, e não os


valores, podemos usar o conceito que nos diz que quanto maior a inclinação da reta
tangente ao ponto, no gráfico posição x tempo, maior será o valor da velocidade.

Assim, observando o gráfico, temos:

VB é zero, pois a reta tangente ao ponto B é paralela ao eixo do tempo.

A inclinação da reta tangente ao ponto C é menor que a inclinação da reta tangente


ao ponto A, com isso:

VB < VC < VA.

2
9