Você está na página 1de 12

 Uma criança cresce em média 25 centímetros (cm)

no primeiro ano de vida.


 No segundo ano de vida, a criança cresce em média
12 cm de altura.
 A partir do terceiro ano de vida ela cresce de 5 a 7
cm por ano.
 O cérebro da criança ao nascer pesa em média 400
gramas e ao final do primeiro ano de vida pesa em
média 1 quilo (kg), crescendo 600 gramas durante este
período.
 Do primeiro ano até a vida adulta o cérebro crescerá
apenas mais 400 gramas, chegando a pesar 1,4 kg na
vida adulta.
 Associadas ao crescimento físico, a criança vai
adquirindo capacidades que podem ser observadas a
cada mês. Por volta dos 3 meses de idade a criança já
sustenta a cabeça e aos 7 meses já consegue sentar
sem apoio.
 As deficiências nutricionais ou práticas alimentares
inadequadas, além de causar prejuízos imediatos à
saúde das crianças, podem deixar seqüelas futuras
como retardo do crescimento, atraso escolar e
desenvolvimento de doenças como diabetes, pressão
alta, doenças do coração e obesidade, entre outras.
 O leite materno é forte e
adequado para o bebê, que
não vai necessitar de outro
alimento até os 6 meses de
idade.

 Depois dessa idade o ato


de amamentar deve ser
mantido, mas acompanhado
com os demais alimentos
habituais da família.
 O leite materno é o alimento mais completo que existe
para o bebê até o sexto mês. Por isso não é preciso
completar com outros leites, mingaus ou suquinhos,
fazendo economia para o orçamento familiar;
 O leite materno é muito fácil de digerir e não
sobrecarrega o intestino e os rins do bebê. Isso explica
porque as fezes do bebê são aguadas (amarelas ou
verdes), e que a urina se apresente bem clarinha e
abundante;
 Ele protege o bebê da maioria das doenças;
 É prático, não precisa ferver, misturar, coar, dissolver
ou esfriar;
 Está sempre pronto, a qualquer hora ou lugar;
 Transmite amor e carinho, fortalecendo os laços entre
a mãe e o bebê;
 Protege a mãe da perda de sangue em grande
quantidade depois do parto;
 Também protege a mãe da anemia porque impede a
menstruação;
 A amamentação diminui as chances de a mãe ter
câncer de mama e de ovário;
 Não. O leite nunca é fraco. A
aparência do leite muda conforme a
fase da amamentação: nos primeiros
dias o leite é geralmente em
pequena quantidade. É o colostro,
um leite concentrado, nutritivo e com
muitos anticorpos. É a primeira
vacina do bebê. No começo da vida
é muito importante que ele receba o
colostro a toda hora. Além de dar
proteção, ajuda a treinar o jeito de
mamar. Com o passar do tempo, o
peito produz um leite adequado às
necessidades e à idade do bebê,
mudando de aparência conforme a
duração da mamada. No início ele é
mais aguado e ao final da mamada é
mais gorduroso.
 E agora?
Agora você deve começar, aos poucos, a introdução
de outros alimentos, mantendo o leite materno até os
2 anos de idade ou mais.

 Por que?
Porque a introdução adequada dos alimentos
complementares nesta fase da vida auxilia na
prevenção de doenças como desnutrição, anemia,
obesidade, pressão alta e diabetes, entre outras
doenças.
 Usar alimentos caseiros da época, utilizados pela
família. As papas de fruta amassada ou raspada devem
ser usadas para os horários de lanche. Para fazer a
papa salgada use sempre um cereal ou tubérculo (arroz,
batata, mandioca, cará, inhame, milho, farinhas, batata
doce), um tipo de carne ou gema de ovo (carne
vermelha, frango, peixe, miúdos), ou um tipo de grão
(feijão, lentilha, soja, grão de bico, ervilha seca) e um
tipo de verdura de folha (chicória, alface, couve,
espinafre) e legumes (cenoura, abóbora, abobrinha,
beterraba), variados e coloridos.
 Usar, sempre que possível, alimentos verde-
escuros (chicória, couve, brócolis, espinafre...),
amarelo-alaranjados (cenoura, mamão, laranja,
manga, abóbora...), carnes, feijões, além de água
filtrada ou fervida e leite materno. Quanto mais
variada e colorida, mais nutritiva e estimulante se
torna a alimentação da criança.
X Refrigerantes, sucos industrializados, doces em
geral, balas, chocolate, sorvetes, biscoitos recheados,
salgadinhos, enlatados, embutidos (salsicha, lingüiça,
mortadela, presunto...), frituras, café, chá mate, chá
preto ou mel não devem ser oferecidos à criança.
Estes alimentos são ricos em gorduras, açúcar,
conservantes ou corantes e podem comprometer o
crescimento e desenvolvimento, além de aumentarem
o risco de doenças como alergias, obesidade e
carências de vitaminas e minerais.
 A criança aceitar os
alimentos?
Estimulando sabores, variando
os alimentos, consistência ou
formas de preparo. É importante
que a criança possa pegar
pequenos pedaços de alimentos,
como tirinhas de legumes, carnes
ou frutas, despertando nelas a
curiosidade e o desejo de levá-
los à boca.
Nunca force a criança a comer e
procure criar uma atmosfera
agradável.
MINISTÉRIO DA SAÚDE (BR). Secretaria de Política de
Saúde. Organização Pan-Americana da Saúde. Guia
Alimentar para Crianças Menores de Dois Anos. Brasília
(DF): 2002.

MINISTÉRIO DA SAÚDE (BR). Manejo e Promoção do


Aleitamento Materno Curso de 18 horas para equipes
de maternidades. Brasília (DF):2003.

BRASIL.MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de


Políticas de Saúde. Guia alimentar
para crianças menores de 2 anos. Brasília, 2002.

BRASIL.MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de


Políticas de Saúde. Dez passos para
uma alimentação saudável - Guia alimentar para
crianças menores de 2 anos. Brasília,
2002.

CTENAS, M.L.B.; VITOLO, M. R. Crescendo com


Saúde: o guia do crescimento da
criança. C2 Editora e Consultoria em Nutrição. São
Paulo, 1999.