Você está na página 1de 1

Não sei se descobriste

Abertura

Letra: Dom Carlos Alberto Navarro Música: Waldeci Farias

A E A 1.Não sei, se des - co - bris- te_a_en- can - ta
A
E
A
1.Não
sei,
se des - co - bris- te_a_en- can - ta
-
do
-
ra
luz,
no_o - lhar
da
mãe
fe-
B7
E
D
A
liz, que_em- ba -
la_o
no
-
vo
ser.
Nos
bra
-
ços
le
-
va_al
guém,
em
E7
A
D
E
for
- ma
de_ou - tro
eu,
vi
-
ven - do,_a- go - ra,_em
dois,
se
sen
-
te
re
-
nas
-
A
F#m
D
A
cer.
Refrão:
A
mãe
se
-
ca
-
paz
de
se_es - que
-
cer
D
B7
E
A
E
F#m
 

ou

dei- xar

de_a

-

mar

al- gum

dos

fi - lhos, que

ge

-

rou?

 

E

se

-

e

-

xis

-

tir,

a-

D

 

A

D

E

A

 
               
 
               
   
               
 
               
     
                 
                               
                 

     

 
 

                 

   

 

   

 

   
       
 
 

ca

-

so, tal

mu

-

lher,

 

Deus

se lem-

bra

-

 

de

nós

em

seu

 

a

-

mor!

 

1. Não sei se descobriste a encantadora luz No olhar da mãe feliz, que embala o novo ser. Nos braços leva alguém, em forma de outro eu, Vivendo, agora, em dois, se sente renascer.

A mãe será capaz de se esquecer Ou deixar de amar algum dos filhos que gerou? E se existir, acaso, tal mulher, Deus se lembrará de nós em seu amor!

2. O amor de mãe recorda o amor do nosso Deus:

Tomou seu povo ao colo, quis nos atrair. Até a ingratidão inflama seu amor Um Deus apaixonado busca a mim e a ti!