Você está na página 1de 1

O filme Olga, baseado em fatos reais, conta a história de momentos importantes

da vida de Olga Benário, nascida na Alemanha em 1908, filha de pais judeus,


que se tornara uma ativista do comunismo. Olga logo se destaca no Partido
Comunista, onde conhece Luís Carlos Prestes, que viria a se tornar um dos
principais comunistas do Brasil. Depois de algum tempo Prestes é designado
pela Internacional Comunista a retornar ao Brasil para liderar uma revolução
armada e Olga foi destacada para integrar o grupo de estrangeiros que
acompanhariam Prestes para escolta-lo. Durante o período em que Prestes dá
início no plano de derrubar o governo de Getúlio Vargas, a relação amorosa entre
ele e Olga amadurece. O movimento revolucionário de Prestes é derrotado pelas
forças de Vargas, e Olga e Prestes são presos e reclusos separadamente. Olga
descobre que está grávida de sete meses e pede asilo político para permanecer
no Brasil, porém, o governo brasileiro decide deportar os alemães comunistas e
judeus de volta a Alemanha e na prisão alemã, Olga dá à luz a uma menina e a
batiza como Anita Leocádia, em homenagem a Dona Leocádia, mãe de Prestes.
Após o período de amamentação a menina é retirada de Olga e entregue à avó
materna. Após anos de prisão em campos de concentração, durante os quais a
opinião pública internacional fez inúmeras tentativas de libertá-la, Olga é morta
na câmara de gás. Somente anos depois, Prestes e sua filha leriam a última carta
de Olga, onde faz uma comovente despedida.
Podemos concluir que o filme Olga, mostra as perversidades e crueldades do
nazismo, que influenciou e vitimou direta e indiretamente os brasileiros, que na
época liderados por Getúlio Vargas, que simpatizava com o nazismo, tinham
suas leis limitadas, distorcidas e omissas. Também mostra a realidade e
instabilidade das políticas da época que até hoje vemos vestígios, visto que os
governos autoritários do passado ainda nos assombram. E é justamente esses
fatos que fazem com que o trabalho do assistente social nos dias de hoje seja
ainda mais árduo e constante, para que possamos exterminar qualquer ideia,
politica autoritária, exterminar as desigualdades e lutar por um mundo sem
preconceitos.