Você está na página 1de 2

MECÂNICA DOS FLUÍDOS

Professor: Thiago Fontes

Experimento Número de Reynolds

Autores: Andreza Bitencourt dos Santos, Joseilto Magalhães.

Palavras Chave: experimento, fluído e Reynold.

Introdução Para realizar seu experimento Reynolds teve como


base a seguinte forma, ele injetou dentro de um
O número de Reynolds (Re) é um número tubo transparente contendo água em movimento e
adimensional usado em mecânica dos fluidos para um pouco de corante, que a corrente estava fina e
o cálculo do regime de escoamento (regime que com um determinado peso especifico igual ao da
pode ser: Laminar ou Turbulento) de um água e observou que a certa velocidade a corrente
determinado fluido, podendo ser esse de água com o corante seguia uma linha reta ao
escoamento: dentro de uma tubulação ou sobre longo do tudo, sendo assim, classificou o
uma superfície. O número o de Reynolds, embora comportamento como laminar. Ao aumentar a
introduzido conceitualmente em 1851 por um velocidade, notou que a linha desenhada pelo
cientista da época, tornou- se popularizado na corante fazia oscilações até o corante sumir
mecânica dos fluidos pelo engenheiro hidráulico e completamente, esse fluxo ele determinou como
físico Irlandês, Osborne Reynolds em 1883. fluxo turbulento. Por fim ele observou que a
transição entre os dois fluxos denominou de fluxo
No ano de 1833, Reynolds demonstrou através de intermediário, pois ocorreu no experimento ter
experiências a diferença qualitativa entre o duas forças ocorrendo no percurso e postulou uma
escoamento laminar e o turbulento, considerando equação relacionada as duas classificando-as qual
o escoamento de transição. Além de descobrir a o tipo de fluxo que elas são. A equação de
diferença entre esses escoamentos, Reynolds Reynolds é a relação entre a força de inércia e a
realizou várias experiências com os fluidos viscosos força da viscosidade, sendo V a velocidade do fluxo
em movimento para condições escoamento em que o fluido de encontra, D o diâmetro do tubo, p
turbulência. O experimento de Número de a massa especifica e μ a viscosidade cinemática do
Reynolds relaciona a força da inércia com a fluido. Reynolds determinou que, quando o
viscosidade, por exemplo, V.D/n. Uma investigação número do fluido esta abaixo de 2000, o fluxo é
experimental das circunstâncias que determinam laminar, entre 2000 e 2300 o fluxo é de transição e
se o movimento da água deve ser direto ou acima de 2300 classificamos como fluxo
sinuoso, e da lei de resistência em canais paralelos. turbulento. Reynolds observou que o fenômeno
O numero de Re, reflete os efeitos dos fluidos, e ensaiado, dependia das seguintes variáveis.
não considerando tais fluidos como rugosidade das
paredes da tubulação, obstruções e as curvas da
Figura 2 - Equação do Número de Reynolds.
tubulação. A relação de duas quantidades de
trabalho feita pelo o atrito significa que a energia
cinética pode se predominar. Já o fluido com a
viscosidade sem atrito possui Re infinito.

Figura 1 - Experimento do Número de Reynolds. ρ - massa específica do fluido;


v - velocidade média do escoamento;
D - diâmetro interno da tubulação;
μ - viscosidade do fluido.

Resultados e Discussão
O experimento foi executado manuseando um
tubo de vidro transparente pelo qual a água
escoava, originando-se de um reservatório onde se
encontrava a nível constante. Um filete de corante
foi injetado na corrente de água, possibilitando a
MECÂNICA DOS FLUÍDOS
Professor: Thiago Fontes

visualização do regime de escoamento através do 1000𝑥0,54𝑥33𝑥10−3


𝑅𝑒 = = 17766
comportamento do filete de corante. 1,0030𝑥10−3

O processo para efetuação do experimento foi


baseado nas medições da água por intervalo de 0,1
Qv = = 0,049𝑥10−3
tempo. Ao abrir a válvula do fluxo de água, as 02,04
medições foram iniciadas. Foram claramente 0,049x10−3 1,48m
observadas as mudanças da água com o corante de v= =
33x10−3 s
acordo com o que a válvula foi aberta. Logo em
1000𝑥1,48𝑥33𝑥10−3
seguida com um cronometro o grupo calculou o 𝑅𝑒 = = 48639
1,0030𝑥10−3
tempo que o fluido enchia a bureta ate os níveis de
volume que a equipe dava e depois de serem
calculados, foi observado se o fluxo do escoamento
da água é laminar, turbulento ou transição com os Considerações Finais
volumes determinados.
Por meio de experimento realizado foi possível
Abaixo está uma tabela preenchida para obtenção observar o comportamento entre escoamento
os números de Reynolds. laminar e turbulência em um tubo contínuo.
Te
Analisando a equação de Reynolds, verifica-se que
Tipo de m o escoamento tem caráter laminar quando o
Escoam
Volume Tempo
po Velocidad Número de número de Reynolds é baixo, quando o fluxo é
ento m e Reynolds turbulento, as forças de inércia estão governando
édi
o
o fluido e o Reynolds tem seu numero elevado. A
100 ml T¹: 00 24.03 turbulência é provocada por flutuações locais na
00.12.75 .1 velocidade das partículas de fluido, que têm causas
100 ml T²: 2. 791276 diversas; por exemplo, irregularidades na
Laminar
00.13.01 61
superfície interna do tubo. A viscosidade do fluido
100 ml T³:
00.12.08 permite-lhe absorver essas flutuações de
100 ml T¹ 00 velocidade. É por isso que líquidos com maior
00.05.68 .0 0.54 viscosidade cinemática mantêm escoamento
Transiçã 100 ml T² 5. 17766 laminar a maiores velocidades que líquidos menos
o 00.05.56 55
100 ml T³
viscosos.
00.05.42
100 ml T¹ 00 1.48
00.02.68 .0
Turbule 100 ml T² 2. 48639 Referências
nto 00.01.76 04
100ml T³
00.01.70 JULIANA. Experimento de Reynolds. Disponível
em:
<https://www.passeidireto.com/arquivo/6005607
0,1 7/trabalho-de-experimento-de-reynolds>. Acesso
Qv = = 7,930x10−3 em 23 de Outubro de 2019
12,61
7,930x10−3 24,03m
v= = COELHO, Pedro. Numero de Reynolds. Disponível
33x10−3 s
em:
1000𝑥24,05𝑥33𝑥10−3 <https://www.engquimicasantossp.com.br/2013/1
𝑅𝑒 = = 791276
1,0030𝑥10−3 0/numero-de-reynolds.html>. Acesso em: Acesso
em 23 de Outubro de 2019
0,1
Qv = = 0,018𝑥10−3
05,55
0,018x10−3 0,54m
v= =
33x10−3 s

Você também pode gostar