Você está na página 1de 4

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SERTÃ

TESTE DE AVALIAÇÃO

Ano letivo
Agrupamento de Escolas da Sertã Filosofia | 10º A
2019/2020
Nome do Aluno: Turma N.º Data / /

Professor: Classificação

GRUPO I

1. Indique, para cada questão que se segue, a opção correta. (50)

1.1. Qual dos seguintes problemas não é um problema filosófico:

A. “A pena de morte é Moralmente legitima?”


B. “Como deve ser distribuída a riqueza para que uma sociedade seja justa?”
C. “Será que somos livres?”
D. “Será que os programas de televisão violentos provocam o aumento da
agressividade do comportamento das crianças que ele assistem?”

1.2. A filosofia não é uma ciência:


A. Porque a filosofia consiste na procura do conhecimento factual.
B. Porque os problemas e métodos da filosofia são diferentes dos problemas e
métodos das ciências.
C. Porque a filosofia baseia-se na razão e as ciências unicamente na experiência.
D. Porque a experiência é a única fonte de conhecimento.

1.3. Os problemas filosóficos:

A. “Dizem essencialmente respeito a ideias.”


B. ”Dizem essencialmente respeito a factos.”
C. “São problemas empíricos.”
D. “São problemas metafísicos.”

1.4 A validade é:

A. Condição suficiente para que um argumento seja válido/sólido.


B. Condição necessária mas não suficiente para que um argumento seja
válido/sólido.
C. Uma característica das proposições dos argumentos válidos.
D. Uma característica que depende da solidez de uma argumento.
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SERTÃ

1.5. Só há fogo se houver oxigénio


Na lua não há oxigénio
Logo, na lua não pode haver fogo.

Este argumento é:
A. Inválido
B. Sólido
C. Válido, mas com uma premissa falsa.
D. Inválido, apesar de todas as proposições verdadeiras.

1.6. Os números divisíveis por 4 são pares.


9 não é divisível por 4.
logo, 9 não é par.

Este argumento é:
A. Inválido
B. Sólido
C. Válido, mas com uma premissa falsa.
D. Inválido, apesar de todas as proposições verdadeiras.

1.7. A proposição expressa pela frase “O sol brilha” é considerada uma


proposição:

A. Composta.
B. Simples.
C. Complexa.
D. Imperativa.

1.8. A condicional é falsa se o antecedente:

A. For verdadeiro e o consequente também.


B. For falso e o consequente também.
C. For verdadeiro e o consequente falso.
D. For falso e o consequente também.

1.9. Se avida é sagrada, então o aborto é imoral. A vida não é sagrada. A


conclusão deste argumento será?

A. O aborto é um crime.
B. O aborto não é moral.
C. A vida não é sagrada.
D. O aborto é permissível.

1.10. Um argumento:

A. Não pode ser verdadeiro, mas pode ser falso.


B. Pode ser verdadeiro.
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SERTÃ

C. Não pode ser verdadeiro nem falso.


D. Pode ser falso.

GRUPO II

1.Das afirmações seguintes, identifique aquelas que são proposições


simples e quais as complexas. (30)

a) Se corro, então tornar-me-ei um grande atleta.


b) Os computadores não são realidades simples.
c) O conhecimento é uma crença verdadeira e justificada.
d) Eu trabalho.
e) Maria é cozinheira ou agricultora.
f) Chove e está frio.

2. Atente nos presentes enunciados e traduza as presentes fórmulas em


linguagem natural: P: João é estudioso; Q: Maria é alegre; R: Abel é
aventureiro; S. Rute é simpática(30)

a) S Λ [¬R → (P Λ Q)]

b) (P → ¬ Q) ↔ (R V S)

3. Aplicando o método das tabelas de verdade às expressões seguintes,


classifique-as de acordo com o resultado final e justifique. (30)

a) ¬ [(P Λ Q) → P]
b) ¬ [(P V Q) ↔ (¬ P Λ ¬Q)]
c) [P → (Q V ¬ P)] → P

4. Tendo em conta o significado de P, Q, R e S formaliza as seguintes


proposições: (20)

P: Joao está certo; Q: A moralidade de um ato depende exclusivamente da


intenção;
R: Miguel está certo; S: O valor de um ato moral depende apenas dos seus
resultados.

4.1 Ou a moralidade de um ato depende exclusivamente da intenção e João está


certo ou o valor de um ato moral depende apenas dos seus resultados e Kant está
certo.
4.2 Se Jão e Miguel estiverem errados, nem a intenção nem os resultados são
importantes para avaliar a moralidade de um ato.

4.3 João está certo se e só se não for verdade que a moralidade de um ato
dependa exclusivamente dos resultados e não das intenções.
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SERTÃ

4.4 Se a moralidade de um ato depende exclusivamente ou das intenções ou dos


resultados, então ou João está certo e Miguel errado ou Miguel está certo e João
está errado.

Grupo II

5. Determine a validade do seguinte argumento, mediante a construção e


análise da respetiva tabela de verdade.
A análise de cada argumento deve ser precedida da sua tradução em
linguagem simbólica, como a indicação do respetivo dicionário. (40)

“ Se Deus for sumamente bom, não existe mal no mundo. Se Deus for omnipotente,
não existe mal no mundo. Deus é sumamente bom e omnipotente. Logo, não há mal
no mundo.

Total: 200

A professora:
Andreia Sousa

Você também pode gostar