Você está na página 1de 4

1

Instituto Superior Politécnico de Songo

Terceiro Teste Curso: Engenharia Hidráulica H11


Disciplina: Análise Matemática II Duração: 120 min
Data: 17.11.2018 Ano: Primeiro

Docente: Nabote António Magaia

Nome do aluno:
Atenção!! Resolva os exercı́cios que lhe são colocados e apresente, sempre, todos os passos de
resolução.
É permitido, somente, o uso de material de escrita e a calculadora. Durante a realização do
Teste, o estudante está proibido de falar com os colegas ou pedir emprestado qualquer material.
BOM TRABALHO!

Correcção


dS
1. (2.5 Valores) Calcule a integral √ , onde C é o segmento de recta que une os
x2 + y2 + 4
C
pontos O(0; 0) e A(1; 2).

Resolução

A expressão analı́tica do segmento da recta C que une os pontos O(0; 0) e A(1; 2) é dada
por y = 2x, 0 ≤ x ≤ 1.
√ √
A partir de y = 2x =⇒ y ′ (x) = 2 e, portanto, dS = 1 + [y ′ (x)]2 dx = 5dx.
√ √ 1
∫ ∫1 ∫1 4 3 + √5
dS 5dx dx
√ = √ = √ = ln x + x2 + = ln 
x2 + y 2 + 4 x2 + (2x)2 + 4 x2 + 4 5 2
C 0 0 5 0


2. (2.5 Valores) Calcule a integral y 2 dx + x2 dy , onde C é a metade superior da elipse
C
x = a cos t e y = b sin t, percorrida no sentido dos ponteiros de relógio.

Resolução

A partir das condições do exercı́cio, temos

∫ ∫0 ∫0
2
y dx + x dy = 2 2 2 2
b sin td(a cos t) + a cos td(b sin t) = ab 2 2
(1 − cos2 t)d cos t+
C π π
∫0 ( ) 0 ( ) 0
cos3 t sin3 t 4b2 a
+ba2 (1 − sin t)d sin t = ab cos t −
2 2
+ ba sin t −
2
= 
3 3 3
π π π
2

∫∫
3. (3.5 Valores) Calcule a integral (x2 + y 2 )dS,
S

onde S é uma superfı́cie fechada limitada por z = a2 − x2 − y 2 e z = 0 (a ∈ R+ ).

Resolução
∫∫ ∫∫ ∫∫
2 2
(x + y )dS = 2 2
(x + y )dS1 + (x2 + y 2 )dS2 , considerando que S = S1 ∪ S2 ,
S
{ S1

S2
}
tal que S1 = (x, y, z) ∈ R : z = a2 − x2 − y 2 , x2 + y 2 ≤ a2 e
3

{ }
S2 = (x, y, z) ∈ R3 : z = 0, x2 + y 2 ≤ a2 .
{ }
A projecção de S1 sobre o plano XOY é a região Dxy = (x, y) ∈ R2 : x2 + y 2 ≤ a2 .

∂z √ x
As derivadas parciais de z(x, y) = = −√ a2 − x2 − y 2 são:
e
∂x a2 − x2 − y 2
√ ( )2 ( )2
∂z y ∂z ∂z adxdy
= −√ =⇒ dS1 = 1 + + dxdy = √
∂y a2 − x 2 − y 2 ∂x ∂y a2 − x 2 − y 2
∫∫ ∫∫
x2 + y 2
Assim, (x2 + y 2 )dS1 = a √ dxdy
a2 − x 2 − y 2
S1 Dxy

Passando a integral anterior às coordenadas polares, temos:

∫∫ ∫2π ∫a ∫a
ρ3 ρ3
2 2
(x + y )dS1 = a dθ √ dρ = 2πa √ dρ
a 2 − ρ2 a 2 − ρ2
S1 0 0 0

Seja t2 = a2 − ρ2 ⇐⇒ ρ2 = a2 − t2 =⇒ ρdρ = −tdt


{
se ρ = 0 =⇒ t = a
A partir da mudança de variável t = a − ρ , temos: 2 2 2
se ρ = a =⇒ t = 0
Substituindo estes resultados na integral anterior, logramos
∫∫ ∫a ∫a ( ) a
3
ρ3 t 4πa4
(x2 + y 2 )dS1 = 2πa √ dρ = 2πa (a2 − t2 )dt = 2aπ a2 t − =
a2 − ρ2 3 3
S1 0 0 0

Relativamente à superfı́cie S2 , temos que dS2 = dxdy e, portanto, obtemos

∫∫ ∫∫ ∫2π ∫a
2 2 2 2 πa4
(x + y )dS2 = (x + y )dxdy = dθ ρ3 dρ =
2
S2 D xy 0 0

Deste modo, o valor da integral dada é


∫∫ ∫∫ ∫∫
11πa4
(x2 + y 2 )dS = (x2 + y 2 )dS1 + (x2 + y 2 )dS2 = 
6
S S1 S2
3

4. (2.0 Valores) Verifique se a função y = x2 ex é solução da equação y ′′ − 2y ′ + y = 0.

Resolução

Derivando duas vezes a função y = x2 ex , alcançamos o seguinte:

y ′ = 2xex + x2 ex = ex (x2 + 2x) e y ′′ = ex (x2 + 2x) + (2x + 2)ex = ex (x2 + 4x + 2)

Substituindo os resultados de y, y ′ e y ′′ na equação dada, obtemos

y ′′ − 2y ′ + y = ex (x2 + 4x + 2 − 2x2 − 4x + x2 ) = 2ex ̸= 0, ∀x ∈ R.

Portanto, a função y = x2 ex não é solução da equação diferencial dada 

5. (2.5 Valores) Resolva a equação 2x2 yy ′ + y 2 = 2.

Resolução
∫ ∫
′ 2ydy dx 2y dx
2x yy + y = 2 ⇐⇒
2 2
= 2 ⇐⇒ dy = + C ⇐⇒
2 − y2 x 2 − y2 x2
∫ ∫
d(2 − y 2 ) dx 1 1
⇐⇒ − dy = + C ⇐⇒ ln |2 − y 2 | = + C ⇐⇒ y 2 + Ce x = 2 
2−y 2 x2 x

6. Considere a equação 2(x + 2 sin y)dx − (x2 + 1) · cot ydy = 0

(a) (1.0 Valores) Prove que a equação dada não é exacta.


(b) (1.0 Valores) Determine o factor integrante.
(c) (1.5 Valores) Usando o resultado encontrado na alı́nea anterior, resolva a equação dada.

Resolução

∂P ∂Q
(a) Considerando que − = 4 cos y + 2x cot y = 2(x + 2 sin y) cot y ̸= 0, concluı́mos
∂y ∂x
que a equação dada não é exacta.

( ) ∫
1 ∂P ∂Q 1
(b) − = cot y =⇒ ρ(y) = e− cot ydy
=
P ∂y ∂x sin y

1
(c) Multiplicando por ρ(y) = , em ambos membros da equação dada, obtemos:
sin y

2(x + 2 sin y) (x2 + 1) · cot y


dx − dy = 0
sin y sin y

∂P ∂Q 2x cos y 2x cot y
Agora observe que − =− + = 0.
∂y ∂x sin2 y sin y
4

2(x + 2 sin y) (x2 + 1) · cot y


Portanto, ∃u(x, y) tal que du = dx − dy
sin y sin y
( π)
Considerando o ponto 0, arbitrário, logramos a expressão analı́tica de u(x, y), isto é,
2
∫x ∫y
d sin y x2 + 1
u(x, y) = 2(x + 2)dx − (x + 1)
2
dy = + 4x − 1.
sin2 y sin y
0 π
2

x2 + 1
Deste modo, a solução da equação dada é + 4x = C 
sin y

x2 · sin4 x
7. (3.5 Valores) Resolva a equação de Bernoulli seguinte y ′ − y · cot x = − .
y2
Resolução

Multiplicando por y 2 , em ambos membros da equação dada, obtemos uma equação linear
da primeira ordem, isto é,

y 2 y ′ − y 3 · cot x = −x2 · sin4 x (∗)

z′
Seja z(x) = y 3 =⇒ z ′ = 3y 2 y ′ ⇐⇒ y 2 y ′ =
3
Substituindo o último resultado em (∗), temos

z′
− z · cot x = −x2 · sin4 x ⇐⇒ z ′ − 3z · cot x = −3x2 sin4 x (∗∗)
3
∫ ∫ d sin x 1
Seja ρ(x) = e−3 cot xdx = e−3 sin x =
sin3 x
1
Multiplicando em ambos membros da equação (∗∗) pelo factor integrante ρ(x) = ,
sin3 x
obtemos:
( )
1 1 d 1
z′ · − 3z · cot x · = −3x 2
sin x ⇐⇒ z · = −3x2 sin x ⇐⇒
sin3 x sin3 x dx sin3 x
( ) ( ∫ )
1
⇐⇒ d z · = −3x sin xdx ⇐⇒ z = sin x · −3 x sin xdx + C
2 3 2
(∗ ∗ ∗)
sin3 x
Aplicando a integração por partes, calculemos a integral do segundo membro da equação (∗∗∗)
∫ ∫ ∫ ∫
−3 x sin xdx = 3 x d cos x = 3(x cos x − 2 x cos xdx) = 3(x cos x − 2 xd sin x) =
2 2 2 2


= 3(x2 cos x − 2x sin x − 2 cos x) ⇐⇒ −3 x2 sin xdx = 3(x2 cos x − 2x sin x − 2 cos x).

Considerando que z = y 3 , concluı́mos que a solução da equação dada é

y 3 = 3 sin3 x · (x2 cos x − 2x sin x − 2 cos x + C) 

Typeset by LATEX 2ε