Você está na página 1de 13

PE SOLAR

Manual para Projetos de Micro e


Minigeração de Energia Solar
PE Sustentável. Um programa que mira o futuro. Programa PE Solar. Nova energia para os pequenos negócios.

O Programa visa estimular a micro e a minigeração de energia solar para as micro,


O PE Sustentável nasceu com o leilão, inédito no Brasil, de 92 megawatts (MW) de
pequenas e médias empresas locais. A esse público é destinada uma linha de
energia solar, realizado no final de 2013 pelo Governo de Pernambuco. Desde então, financiamento específica para a instalação de painéis fotovoltaicos, bem como o
somaram-se à iniciativa novas ações, planejadas e executadas pela Secretaria de contato com uma rede estruturada de fornecedores de produtos e serviços.
Desenvolvimento Econômico (SDEC), por meio da Secretaria Executiva de Energia.
Em todas, o objetivo é consolidar o Estado como gerador de energia limpa e polo Capitaneado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDEC), em parceria com a
Secretaria de Micro e Pequena Empresa, Trabalho e Qualificação (SEMPETQ), o PE Solar
produtivo de equipamentos, tecnologia e conhecimento no setor.
é financiado pela Agência de Fomento do Estado de Pernambuco (Agefepe). Caberá à
Agência operar os financiamentos com os recursos do Banco do Nordeste (BNB), em um
O leilão abriu caminho para a criação da empresa comercializadora de energia, no total disponível de R$ 5 milhões para a primeira fase do Programa.
mercado livre, na Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD
Diper), que foi associada à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) A microgeração é estratégica para a redução nos custos com energia das empresas
pernambucanas, tornando-as competitivas e mais sustentáveis, por utilizarem a fonte solar.
em março de 2015.

Para fazer parte do Programa, é permitido produzir até 1.000 kilowatt (kW) ou 1 megawatt
Em 2012, a instituição de um marco regulatório no País, visando estimular a (MW). A energia produzida será injetada na rede elétrica da distribuidora local, a
microgeração de energia solar por residências e pequenas e médias empresas, Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), e por meio de um sistema de compensação
não alcançou resultados significativos. Após ampla análise dos entraves para esse irá gerar um crédito a ser abatido na conta dentro de um prazo de até 36 meses.

mercado, o Governo de Pernambuco traçou uma política sólida que inclui linha
O financiamento estruturado para o PE Solar prevê prazos de amortização de até
de financiamento, operada pela Agência de Fomento do Estado de Pernambuco oito anos (96 meses), com até seis meses de carência, e cobrança de juros baixos, de
(Agefepe), com juros competitivos, e disponibilização de cadastro de empresas até 8,24% ao ano para as micro, pequenas e médias empresas, e de 7,65% ao ano para
provedoras de projetos, instalação e assistência técnica de painéis solares. O as cooperativas e os cooperados do setor rural. O pagamento em dia vai gerar bônus de
resultado é o Programa PE Solar. adimplência, que reduzirá os juros para 7% e 6,5%, respectivamente.

Até 80% dos custos do projeto poderão ser cobertos pelo financiamento, com limite
Derrubando paradigmas de que não seria destino viável para a geração de energia de até R$ 300 mil. Os recursos iniciais do Programa virão do Fundo Constitucional de
eólica, Pernambuco conta, hoje, com um potencial de 1.000GW dessa matriz Financiamento do Nordeste (FNE).
energética e ainda outros 3.300GW de energia solar. As áreas mais promissoras
estão catalogadas no Atlas Solar e Eólico de Pernambuco, publicação destinada aos A linha de crédito atende às empresas do setor industrial, agroindustrial, comercial
e de serviços, aos produtores rurais cooperados, às cooperativas e às associações. As
investidores do setor.
indústrias de alimentos, moveleira, da cadeia têxtil e de confecções estão entre os Arranjos
Produtivos Locais (APLs) considerados prioritários para a adesão ao PE Solar.
Outro mapeamento estratégico focou órgãos, empresas e autarquias que podem
adquirir energia no mercado livre e, com isso, dotar de maior eficiência energética os Para que a iniciativa seja melhor sucedida em Pernambuco, foi destravada uma série
imóveis em que estão instalados. O estudo mostrou que podem destinar 40% de seus de empecilhos por meio de medidas como:
• Equacionamento das questões tributárias da energia a ser gerada.
consumos às energias renováveis.
• Ampliação do conhecimento dos benefícios da microgeração solar para os negócios.
• Disponibilização de uma rede de projetistas, fornecedores de equipamentos e
assistência técnica, devidamente registrados e de qualidade.
• Criação de linha de financiamento.
Procedimentos para aprovação de projetos de micro e 3.2) Acessada
minigeradores de energia elétrica. Distribuidora de energia elétrica, no caso a Celpe, detentora das instalações às quais
o acessante conecta a sua instalação própria.
1) OBJETIVO
3.3) Acessante
A geração de energia elétrica, a partir de fontes renováveis, vem crescendo em Consumidor cuja instalação se conecte ao sistema elétrico de distribuição, no
vários países. O Brasil está inserido nesse contexto como um dos mais promissores caso da Celpe, individualmente ou associado a outros. Nesse caso, o termo acessante
países com potencialidades de geração de energia com modalidade em fonte solar. se restringe aos consumidores que possuam geração de energia e que façam a
adesão ao sistema de compensação de energia.
Este manual serve como orientação básica para a implantação de conexões de micro
e minigeração fotovoltaicas, bem como para a adesão ao sistema de compensação de 3.4) Acesso
energia junto à concessionária Celpe, conforme resolução ANEEL n° 482/2012 e as Disponibilização do sistema elétrico de distribuição para a conexão de instalação de
suas atualizações. unidade consumidora, individualmente ou associados, mediante o ressarcimento dos
custos de uso e, quando aplicável, da conexão.
2) LIMITES DE MICRO E DE MINIGERAÇÃO DISTRIBUÍDAS
3.5) Acordo Operativo
Microgeração Documento celebrado entre as partes que descreve as atribuições e as relações
Central geradora de energia elétrica, com potência instalada menor ou igual de operação entre as mesmas para fins da conexão e da operação normal
a 100kW e que utilize fonte com base em energia solar conforme resolução da ANEEL quando interligadas as instalações do acessante com a acessada, observada
n° 482/2012 e as suas atualizações, conectada na rede de distribuição por meio de a legislação vigente e os procedimentos da Celpe. No caso de microgeração, é
instalação de unidade consumidora. titulado Relacionamento Operacional e, quando da minigeração, é titulado o Acordo
Operacional.
Minigeração
Central geradora de energia elétrica, com potência instalada superior a 100kW 3.6) Comissionamento
e menor ou igual a 1.000kW (1MW), para a fonte com base em energia solar, Ato de submeter equipamentos, instalações e sistemas a testes e a ensaios
conforme resolução da ANEEL n° 482/2012 e as suas atualizações conectadas na especificados, antes da entrada em operação.
rede de distribuição por meio de instalações de unidades consumidoras.
3.7) Condições de acesso
3) PRINCIPAIS CONCEITOS Condições adequadas para o acesso e quando for o caso, compreendem ampliações,
reforços e/ou melhorias necessários às redes ou às linhas de distribuição da Celpe,
3.1) Unidade consumidora bem como os requisitos técnicos e de projeto, procedimentos de solicitação e de
Conjunto de instalações e de equipamentos elétricos caracterizados pelo prazos estabelecidos nos procedimentos da empresa distribuidora – Celpe, para que
recebimento de energia elétrica em um ponto de conexão, com medição se possa efetivar a conexão.
individualizada e correspondente a um único consumidor.
3.8) Condições de conexão 4) ETAPAS DO PROCESSO DE ELABORAÇÃO E DE APROVAÇÃO DE
Requisitos que o acessante obriga-se a atender para que possa efetivar a PROJETOS PARA A IMPLANTAÇÃO DE MICRO E DE MINIGERAÇÃO
conexão de sua instalação ao sistema elétrico da Celpe. DISTRIBUÍDAS NA CELPE

3.9) Geração distribuída 1ª Etapa


ACESSO
Central geradora de energia elétrica que utilize fonte com base em energia solar,
O interessado acessa o site www.energia.pe.gov.br, consulta as informações e os
conforme regulamentação da ANEEL, conectada na rede de distribuição por meio de procedimentos do Programa PE Solar, preenche o identificador de interesse, cujo
instalações de unidades consumidoras. formulário é encontrado na aba “passo a passo”, e procede a escolha de uma das
empresas que atuam no setor de geração solar fotovoltaica do mercado brasileiro
para a elaboração do projeto nas suas instalações, cuja lista pode ser acessada na
3.10) Inversor
aba “fornecedores” do site.
Conversor estático de potência que converte a corrente contínua do gerador Tempo estimado: um dia útil.
fotovoltaico em corrente alternada apropriada para a utilização pela rede elétrica. Responsável: consumidor.

2ª Etapa
3.11) Microgeração em baixa tensão
LEVANTAMENTO DE DADOS
Para a conexão de microgeração em baixa tensão, o limite de potência instalada é Visita técnica de análise da área disponível para a implantação do sistema de
menor ou igual a 15kW para as unidades consumidoras monofásicas e entre 15kW e geração (painéis), levando em consideração sombreamentos, local de instalação do
equipamento inversor de potência e definição de estrutura e de ângulo de instalação dos
75kW para as unidades consumidoras trifásicas com fontes renováveis
painéis, visando o maior aproveitamento de incidência dos raios solares.
solares. Tempo estimado: três dias úteis.
Responsável: empresa escolhida para a elaboração do projeto.
3.12) Microgeração em média tensão
3ª Etapa
Para a conexão de microgeração maior que 75kW até 100kW, inclusive com
ANÁLISE DOS DADOS
fornecimento em tensão igual ou superior a 2,3kV, ou atendidas a partir de sistema Análise dos levantamentos realizados no campo pela empresa escolhida, com
subterrâneo de distribuição em tensão secundária. simulação e definição de potência a ser instalada e perspectiva de benefício/retorno
do investimento.
Tempo estimado: até cinco dias úteis.
3.13) Sistema de compensação de energia elétrica
Responsável: empresa escolhida para a elaboração do projeto.
Sistema no qual a energia ativa gerada por unidade consumidora com microgeração
ou minigeração distribuídas é injetada na rede e tem característica de cessão por 4ª Etapa
meio de empréstimo gratuito à Celpe e, posteriormente, compensada com o consumo CARTA-CONSULTA E INSCRIÇÃO NO PE SOLAR
O consumidor com a empresa contratada elaboram a carta-consulta com os dados
de energia elétrica ativa dessa mesma unidade consumidora ou outra unidade
técnicos e financeiros do projeto e submete à Agefepe a análise de viabilidade de
consumidora de mesma titularidade da unidade consumidora em que os créditos financiamento às condições cadastral, econômico-financeira e de regularidade fiscal
foram gerados, desde que possua o mesmo Cadastro de Pessoa Física (CPF) ou do consumidor, anexando documentos relativos à sua identificação comercial e
legais, certidões de regularidade fiscal, balanços e referências econômico-financeiras.
Cadastro de Pessoa Jurídica (CNPJ) junto ao Ministério da Fazenda.
Tempo estimado: dez dias úteis.
Responsável: consumidor através da empresa contratada.
5ª Etapa 10ª Etapa
ELABORAÇÃO DE PROJETOS E DE DOCUMENTAÇÃO ACORDO OPERATIVO
Caso a Agefepe sinalize positivamente pelo financiamento, inicia-se o desenvolvimento Celebração do acordo conforme Anexo III para a microgeração ou Anexo IV para
do projeto de geração e de conexão com a rede de distribuição, elaboração de memorial a minigeração, a ser emitido pela Celpe e com o prazo máximo de assinatura pelo
descritivo, diagrama unifilar, cópias de manuais dos equipamentos relés e inversores, ARTs, consumidor.
certificados de homologação, tudo em conformidade com as normas para a apresentação à Tempo estimado: o Acordo Operativo é emitido logo após o parecer de acesso. O
concessionária de energia Celpe. prazo para a assinatura do acordo pelo consumidor e a devolução do documento à
Tempo estimado: dez dias úteis. Celpe é de até 90 dias.
Responsável: empresa contratada para a elaboração do projeto. Responsáveis: Celpe e consumidor através da empresa contratada para o projeto.

6ª Etapa 11ª Etapa


SOLICITAÇÃO DE ACESSO RELATÓRIO DE VISTORIA
Através da empresa contratada, o consumidor preenche um formulário, conforme Visita de funcionário da concessionária, no local da obra, para a emissão do relatório
modelo do Anexo I, e entrega-o nas agências de atendimento Celpe junto com toda a de vistoria.
documentação relativa à etapa anterior (5ª), para a emissão do parecer de acesso. Tempo estimado: até 30 dias após a formalização do pedido.
Tempo estimado: um dia útil. Responsável: Celpe.
Responsável: consumidor através da empresa contratada para a elaboração do projeto.
12ª Etapa
7ª Etapa CORREÇÕES, ADEQUAÇÕES E PEDIDO DE APROVAÇÃO DO PONTO DE
EMISSÃO DO PARECER DE ACESSO CONEXÃO
Emissão do parecer de acesso pela Celpe em que são apresentadas as condições Caso a vistoria da 11ª etapa detecte a necessidade de correções/adequações ou
técnicas e comerciais que permitem a conexão das instalações do acessante. acréscimos, após a execução das adequações dos consumidores e/ou obras no
Tempo estimado: até 30 dias. Porém, se houver a necessidade de reforço ou de sistema de distribuição, é feito o pedido de aprovação do ponto de conexão através
ampliação do sistema Celpe o tempo previsto é de até 60 dias. de documento entregue nas agências ou nos postos de atendimento da Celpe; caso
Responsável: Celpe. a vistoria libere a instalação, o pedido de aprovação do ponto de conexão é feito de
imediato.
8ª Etapa Tempo estimado: sete dias.
INSTALAÇÃO DO PROJETO Responsável: consumidor através da empresa contratada para o projeto.
O consumidor, através da empresa contratada, ao receber o Parecer de Acesso da
Celpe, caso aprovado, autoriza a instalação do projeto pela empresa contratada. 13ª Etapa
Tempo estimado: até 90 dias (prazo definido pelo tempo necessário para o APROVAÇÃO DO PONTO DE CONEXÃO
fornecimento e a construção da obra pela empresa contratada). Após a vistoria nas instalações do consumidor, será emitido o parecer de aprovação
Responsáveis: consumidor e empresa contratada para o fornecimento do ponto de conexão pela Celpe e liberado o financiamento pela Agefepe.
e a instalação do projeto. Tempo estimado: sete dias após a solicitação.
Responsáveis: Celpe e a Agefepe.
9ª Etapa
PEDIDO DE VISTORIA 14ª Etapa
Através da empresa contratada o consumidor solicita à Celpe vistoriar as instalações REGISTRO DA GERAÇÃO NA ANEEL
após a conclusão das obras. O consumidor deve pagar a diferença da adequação do medidor de energia para a
Tempo estimado: dois dias úteis. Celpe, o que permitirá à Celpe registrar, na ANEEL, a incorporação dessa geração no
Responsável: consumidor através da empresa contratada. sistema.
Tempo estimado: três dias úteis.
Responsáveis: consumidor e a Celpe.
MARCOS PRINCIPAIS DO PROCESSO * Para os casos de não utilização do inversor com sistema de proteção e de controle
integrados, deverá ser instalado um sistema digital de proteção e de controle com o
respectivo projeto, a documentação e o estudo de parametrização correspondentes;
* Projeto de instalações de conexão, localização e arranjo físico;
* Relação de toda a carga instalada na unidade consumidora indicando as potências
e os quantitativos de energia.

6) MEDIÇÃO

De 30 a 60 dias
O sistema de medição utilizado poderá ser composto de dois medidores para
Emissão do parecer
Solicitação de de acesso e Pedido de
Até 30 dias a medição, sendo um de medição de fluxo direto e o outro de medição de fluxo
acesso avaliação da carta vistoria
consulta inverso a ser instalado pela Celpe, ou poderá ser utilizado um único medidor
bidirecional substituindo o original de fluxo direto.

Celebração Emissão do
Até 15 dias
Acordo relatório da vistoria 7) SINALIZAÇÃO
Até 90 dias Operativo /
Instalação do
projeto
Placa de sinalização que será fixada no PDE (Painel de Distribuição de Energia)
Aprovação do
ponto de conexão
Até 7 dias do edifício. Deverá ser confeccionada em alumínio e pintada, instalada na caixa de
e liberação do
financiamento DSV (Dispositivo de Seccionamento Visível), com a seguinte informação:
“CUIDADO – RISCO DE CHOQUE ELÉTRICO – GERAÇÃO PRÓPRIA”.

5) DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA A SOLICITAÇÃO DE ACESSO À


8) ANÁLISE DO PROJETO PELA CELPE
MICRO E À MINIGERAÇÃO NA CONCESSIONÁRIA CELPE

O responsável técnico e a empresa contratada pelo consumidor para o projeto deverão


Os documentos necessários para a aprovação do projeto de geração distribuída
acompanhar a análise do projeto junto à Celpe e fazer as devidas alterações quando
são constituídos de:
solicitados pela concessionária de energia. O prazo para a emissão do parecer de acesso
pela Celpe é de 30 dias, podendo chegar a 60 dias em caso de exigência de execução de
* Memorial descritivo;
obras de reforço ou de ampliação do sistema de distribuição.
* Diagrama unifilar;
* ART do projeto e da construção da obra assinados pelo responsável técnico e o
9) PARECER DE ACESSO E DE RELACIONAMENTO OPERACIONAL
acessante;
* Cópias dos manuais técnicos dos relés, inversores e placas geradoras;
Após a emissão do parecer de acesso emitido pela Celpe deverá ser assinado o
* Certificados de homologação do inversor emitido por laboratório acreditado pelo
relacionamento operacional para o caso da microgeração (Anexo III) ou o acordo
Inmetro ou de laboratórios referenciais;
operacional para a minigeração (Anexo IV) no prazo máximo de 90 dias pelo acessante.
10) OBRAS ANEXO 1
Formulário para solicitação de acesso, fornecido pela Superintendência
São de responsabilidade do acessante as obras de conexão de uso restrito e as Comercial e de Mercado da Companhia Energética de Pernambuco (CELPE):
instalações do ponto de conexão. A sua execução deverá ser iniciada após a
aprovação e a liberação do projeto pela Celpe. Cabe à Celpe a execução de obras de
ANEXO I
reforço ou a ampliação do sistema de distribuição, e realizar visitas de vistoria nas SOLICITAÇÃO DE ACESSO
instalações de conexão do acessante para a emissão de relatórios. INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA CONEXÃO DE MICROGERAÇÃO AO SISTEMA
DE DISTRIBUIÇÃO DE BAIXA TENSÃO - USINA
A FOTOVOLTAICA
SUPERINTENDÊNCIA COMERCIAL E DE MERCADO
11) ENERGIZAÇÃO E ACOMPANHAMENTO UNIDADE CONSUMIDORA
Nome: CPF/CNPJ:
Endereço: CEP: Município: UF: PE
A equipe de fiscalização da Celpe deverá verificar os valores parametrizados para o
Telefone: ( ) Celular: () e-mail:
controle e a proteção do sistema, quer esteja instalado fora do inversor, quer esteja Nº da Conta Contrato (Unidade Geradora): Nº da Instalação (Unidade Geradora):

integrado a esse equipamento. Após a energização dos equipamentos, o sistema deverá Tipo de Ligação: Monofásica Trifásica Carga total instalada da UC (kW
kW
k ):
Observ
r ação: CONSUMO MÉDIO 6 meses :
rv (kW
k h).
kW
ser acompanhado com anotações em planilhas e a notificação de qualquer anormalidade Ramo de Atividade (descrição):

no funcionamento para a posterior análise e a solução dos problemas apresentados. Definir por ordem de prioridade quais os contratos das unidades part
r icipantes do sistema de compensação:
rt
1º - Número da conta contrato:
2º - Número da conta contrato:
12) ANEXOS 3º - Número da conta contrato:

CARACTERISTICAS TÉCNICAS DO EMPREENDIMENTO


RESPONSÁVE
Á L TÉCNICO:
ÁVE
Anexo I - Requerimento para a solicitação de acesso;
Nº CREA: Nº DA ART:
Anexo II - Diagramas orientativos de conexão; Nome do Contato Operacional:

Anexo III – Modelo de relacionamento operacional para a microgeração; Telefone: ( XX ) Celular: ( XX ) e-mail:
DADOS DOS GERADORES
Anexo IV – Modelo de acordo operacional para a minigeração.
Geração Híbrida? Não Possui Possui (Especificar quais):
UG/Arranjos (Observr ação):
rv 1 2 3 4 5 6
Nº de Módulos por Arranjo:
Fabricante(s) dos Módulos:
Área do Arranjo (m²):
Potência de Pico do Arranjo (kW
k p):
kW
Observr ação: Uma unidade geradora fotovoltaica é definida por arranjo de módulos fotovoltaicos associados/conectados a um inversor
rv
de frequência, de modo que, o número de unidades geradoras da central é igual ao número de inversores que nela operarão.
DADOS DOS INVERSORES
Quantidade de inversores 1 2 3 4 5 6
Fabricante:
Modelo:
Potência de pico (kW
k p):
kW
Faixa de tensão de operação (V):
Corrente Máxima (A):
Fator de potência:
Rendimento (%)
DADOS COMPLEMENTARES
É obrigatório o preenchimento integral deste fo
f rmulário

Anexar o proj
o eto das instalações de conexão, incluindo memorial descritivo, localização, arranjo físico e diagramas
oj
Declaro que as informações prestadas neste documento correspondem ao empreendimento em referência e estão de acordo com a legislação
aplicável, em especial com o disposto nas Resoluções da ANEEL que tratam sobre a outorga de empreendimentos de geração. Estou ciente de
que declarações falsas ou inexatas caracterizam crime de fa
f lsidade ideológica (art
r . 299 do Código Penal).
rt
Local e data: Assinatura do Cliente:
Nº do Protocolo:
ANEXO II Carga
Painel de Proteção

Diagramas orientativos de conexão:


50/51
N
CELPE Acessante Carga
50/51

Medição CELPE Acessante


Caixa de Dispositivo de 78
Disjuntor de Seccionamento Visivel Disjuntor do
Inversor 81/
MT (DSV) Inversor Caixa de Medição Caixa de Medição Caixa de Dispositivo de U
(Medidor de Fluxo (Medidor de Fluxo Seccionamento Visivel
81/
M Direto) Reverso) (DSV) O Inversor com proteção
59
CA 25
G Gerador 25
CC CA
M M G Gerador
CC
RD 15 kV

Legenda:

Chave Fusível M Medidor Disjuntor Termomagnético


Legenda: PADRÃO DE ENTRADA
CA
Transformador Transformador de Corrente (TC) Inversor M Medidor
CC Chave Seccionamento Visível

Disjuntor Termomagnético Disjuntor


Transformador de Potencia (TP) Disjuntor de MT Chave Seccionamento Visível

Figura 1 - Diagrama de conexão do acessante superior a 300kVA (através de inversor) à rede de MT da Celpe. Figura 4 - Diagrama de conexão para os acessantes de baixa tensão com a utilização de relé eletrônico para a proteção.

Carga
CELPE Acessante

Caixa de
Medição Caixa de Caixa de Dispositivo de
Disjuntor Seccionamento Visivel Disjuntor do
Inversor
Geral (DSV) Inversor

CA
G Gerador
CC
RD 15 kV

Legenda:

Chave Fusível M Medidor Disjuntor Termomagnético

CA
Transformador Transformador de Corrente (TC) CC
Inversor

Chave Seccionamento Visível

Figura 2 - Diagrama de conexão do acessante até 300kVA (através de inversor) à rede de MT da Celpe. Medidor de Fluxo
Direto
Medidor de Fluxo
Reverso
Carga
CELPE Acessante

Caixa de Medição Caixa de Medição Caixa de Dispositivo de Caixa do


(Medidor de Fluxo (Medidor de Fluxo Seccionamento Visivel Disjuntor Disjuntor do
Inversor com proteção
Direto) Reverso) (DSV) Geral Inversor

1,60 metros
CA Disjuntor Geral
M M G
Gerador DSV
CC

Legenda: PADRÃO DE ENTRADA

M Medidor
CA
Inversor
CC

Disjuntor Termomagnético Chave Seccionamento Visível

Figura 3 - Diagrama de conexão para os acessantes de baixa tensão com a utilização de inversores de potência. Figura 5 – Ilustração com instalação de dois medidores de energia de fluxo direto e fluxo reverso.
ANEXO III consumidora, este será compensado na fatura de energia elétrica da conta contrato

n° xxxx, instalação nº xxx, localizada na (endereço da 2º UC em nome do

Modelo de relacionamento operacional para a microgeração: microgerador), ambas as unidades informadas pelo MICROGERADOR.

1.3 Para os efeitos deste Relacionamento Operacional são adotadas as definições

MODELO DO DOCUMENTO DE RELACIONAMENTO OPERACIONAL contidas nas Resoluções Normativas nº 414, de 9 de setembro de 2010, e nº 482, de

PARA CONEXÃO DA MICROGERAÇÃO DISTRIBUÍDA AO SISTEMA DE 17 de abril de 2012.

COMPENSAÇÃO DE ENERGIA CELEBRADO ENTRE CELPE E CLIENTE:

A COMPANHIA ENERGÉTICA DE PERNAMBUCO (Celpe), concessionária do 2. CLÁUSULA SEGUNDA: DO PRAZO DE VIGÊNCIA

serviço público de distribuição de energia elétrica no Estado de Pernambuco, 2.1 Conforme Contrato de Fornecimento, Contrato de Uso do Sistema de Distribuição

com sede à Av. João de Barros, 111, Boa Vista, na cidade do Recife, Estado de ou Contrato de Adesão disciplinado pela resolução nº 414/2010.

Pernambuco, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 10.835.932/0001-08 e Inscrição Estadual


nº 0005943-93, doravante denominada DISTRIBUIDORA, neste ato representada 3. CLÁUSULA TERCEIRA: DA ABRANGÊNCIA

na forma de seu Estatuto, de outro lado o proprietário da microgeração, Sr. 3.1 Este Relacionamento Operacional aplica-se à interconexão da microgeração

XXXXX inscrito no CPF/MF sob o nº XXXX, situado na (endereço), doravante distribuída aos sistemas de distribuição.

denominado simplesmente MICROGERADOR, denominadas PARTES, resolvem 3.2 Entende-se por microgeração distribuída a central geradora de energia elétrica

celebrar o presente instrumento, contendo as principais condições referentes com potência instalada menor ou igual a 75kW e que utilize fontes com base em

ao RELACIONAMENTO OPERACIONAL entre a DISTRIBUIDORA e o energia hidráulica, solar, eólica, biomassa ou cogeração qualificada, conforme

MICROGERADOR, responsável pela unidade consumidora que adere ao Sistema regulamentação da ANEEL, conectada na rede de distribuição por meio de

de Compensação de Energia que se regerá com base nas cláusulas e condições instalações de unidades consumidoras.

seguintes:
4. CLÁUSULA QUARTA: DA ESTRUTURA DE RELACIONAMENTO

1. CLÁUSULA PRIMEIRA: DO OBJETO OPERACIONAL

1.1 Prevê a operação segura e ordenada das instalações elétricas interligando a 4.1 A estrutura responsável pela execução da coordenação, supervisão, controle e

instalação de microgeração, situado (endereço da microgeração), ao sistema de comando das instalações de conexão é composta por:

distribuição de energia elétrica da Celpe. a) Pela Celpe: 0800.281.2236 e 0800.081.0120

1.2 Prevê que a compensação do montante de energia deverá ocorrer primeiramente b) Pelo MICROGERADOR: xxx

na fatura de energia elétrica conta contrato n° xxxx, instalação nº xxx, localizada na

(endereço da UC com microgeradora). 5. CLÁUSULA QUINTA: DAS INSTALAÇÕES DO MICROGERADOR

Havendo excedente de energia após a compensação na referida unidade 5.1 As instalações de microgeração compreendem: gerador (tipo da fonte); com

capacidade instalada de xx kWp;


(monofásico ou trifásico) conectado diretamente na unidade consumidora, em baixa 7.3 É vedada ao MICROGERADOR qualquer intervenção no sistema elétrico da

tensão, e estas ao sistema de distribuição da Celpe. Celpe, incluindo-se o ponto de entrega, o sistema de medição e o sistema de proteção.

5.2 O acesso ao ponto de conexão do MICROGERADOR deverá atender ao disposto


8. CLÁUSULA OITAVA: DO DESLIGAMENTO DA INTERCONEXÃO
na Resolução Normativa nº 414/2010, Resolução Normativa nº 482/2012 e a Norma de
8.1 A Celpe poderá desconectar a unidade consumidora possuidora de microgeração
Distribuição Celpe V02.00-00004 (Norma Conexão de Microgeradores ao Sistema de
de seu sistema elétrico nos casos em que: (i) a qualidade da energia elétrica fornecida
Distribuição de Baixa Tensão).
pelo (proprietário do microgerador) não obedecer aos padrões de qualidade dispostos

no Parecer de Acesso; e (ii) quando a operação da microgeração representar perigo à


6. CLÁUSULA SEXTA: DAS RESPONSABILIDADES NO RELACIONAMENTO
vida e às instalações da Celpe, neste caso, sem aviso prévio.
OPERACIONAL
8.2 Em quaisquer dos casos, o (proprietário do MICROGERADOR) deve ser
6.1 A área responsável da Celpe orientará o MICROGERADOR sobre as atividades de
notificado para a execução de ações corretivas com vistas ao restabelecimento da
coordenação e supervisão da operação, sobre possíveis intervenções e desligamentos
conexão de acordo com o disposto na Resolução Normativa nº 414/2010.
envolvendo os equipamentos e as instalações do sistema de distribuição, incluídas as
8.3 No caso de dano ao sistema elétrico da Celpe comprovadamente ocasionado pelo
instalações de conexão.
MICROGERADOR, aplica-se o estabelecido no caput e no inciso II do art. 164 da
6.2 Caso necessitem de intervenção ou desligamento, ambas as partes se obrigam a
Resolução Normativa nº 414, de 9 de setembro de 2010.
fornecer com o máximo de antecedência possível um plano para minimizar o tempo
8.4 Caso seja comprovado que houve irregularidade na unidade consumidora, nos
de interrupção que, em casos de emergência, não sendo possíveis tais informações,
termos do art. 170 da Resolução Normativa nº 414, de 9 de setembro de 2010, os
as interrupções serão coordenadas pelos encarregados das respectivas instalações.
créditos de energia ativa gerados no respectivo período não poderão ser utilizados no
6.3 As partes se obrigam a efetuar comunicação formal sobre quaisquer alterações
sistema de compensação de energia elétrica.
nas instalações do MICROGERADOR e da Celpe.

9. CLÁUSULA NONA - DISPOSIÇÕES GERAIS


7. CLÁUSULA SÉTIMA: DAS CONDIÇÕES DE SEGURANÇA
9.1 Fica eleito o foro da cidade do Recife para a solução de quaisquer questões
7.1 A área responsável da Celpe orientará o MICROGERADOR sobre os aspectos
decorrentes deste RELACIONAMENTO, com expressa renúncia a qualquer outro, por
de segurança do pessoal durante a execução dos serviços com equipamento
mais privilegiado que seja.
desenergizado, relacionando e anexando as normas e/ou instruções de segurança e
9.2 E, por estarem assim justas e contratadas, as PARTES celebram o presente
outros procedimentos a serem seguidos para garantir a segurança do pessoal e de
Instrumento em 2 (duas) vias de igual teor e eficácia.
terceiros durante a execução dos serviços em equipamento desenergizado.

7.2 As intervenções de qualquer natureza em equipamentos do sistema ou da Recife, _____ de ___________________ de 20__.

instalação de conexão, só podem ser liberadas com a prévia autorização do Centro de


Pela concessionária Celpe:
Operação da Celpe.
____________________________________________
_________________________________________
Pelo proprietário do Microgerador:
____________________________________________
ANEXO IV 4. RESPONSABILIDADES
4.1 Manutenção e operação
Modelo de acordo operacional para a minigeração: 4.1.1 A manutenção preventiva e corretiva, bem como a operacionalização de todo o
sistema elétrico até o ponto de conexão, inclusive ele, é de responsabilidade da Celpe.
MODELO DO DOCUMENTO DE ACORDO OPERATIVO PARA CONEXÃO DA A manutenção e a inspeção do conjunto de medição de faturamento, instalado na área
MINIGERAÇÃO DISTRIBUÍDA AO SISTEMA DE COMPENSAÇÃO DE ENERGIA de responsabilidade do ACESSANTE são de inteira responsabilidade da Celpe.
CELEBRADO ENTRE CELPE E CLIENTE 4.1.2 A manutenção preventiva e corretiva do sistema elétrico instalado após o ponto
de conexão, ou seja, no interior das instalações da unidade consumidora, é de inteira
De um lado, a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), concessionária responsabilidade do ACESSANTE.
de serviço público de energia elétrica, pessoa jurídica com delegação do poder 4.1.3 A implantação dos ajustes de proteção do disjuntor de entrada da subestação do
concedente, firmada através de Contrato de Concessão de nº 26/2000, para a ACESSANTE é de sua inteira responsabilidade, após consenso com a área de estudos
exploração dos serviços públicos de distribuição de energia elétrica, inscrita no da proteção da Celpe.
Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas do Ministério da Fazenda – CNPJ/MF sob o 4.1.4 A instalação, coleta de dados e manutenção dos equipamentos de qualimetria,
nº 10.835.932/0001-08, neste ato representada na forma do seu Estatuto Social quando instalados na unidade geradora do ACESSANTE, é de inteira responsabilidade
doravante denominada simplesmente DISTRIBUIDORA. da Celpe.
Do outro lado, XXX, com sede na XXX, inscrito no CNPJ/MF, nº neste ato representado 4.1.5 É completamente vedada a alimentação pelo ACESSANTE de cargas de outras
por XXX, CPF nº e XXX, CPF nº, conforme seu Estatuto Social, doravante denominada unidades consumidoras atendidas pela Celpe, ficando este limitado ao atendimento da
simplesmente de ACESSANTE, quando em conjunto, denominadas PARTES. sua própria unidade consumidora.
4.1.6 A operação do dispositivo de seccionamento visível são de inteira
1. OBJETIVO responsabilidade da Celpe, mesmo sendo a instalação do mesmo de responsabilidade
Resolvem as PARTES celebrar o presente ACORDO OPERATIVO, em conformidade do ACESSANTE.
com as cláusulas a seguir aduzidas com o objetivo de definir atribuições,
responsabilidades e normas, bem como estabelecer procedimentos necessários ao 5. PROTEÇÃO
relacionamento operacional entre a DISTRIBUIDORA e o ACESSANTE, autorizado a O sistema de proteção das instalações do ACESSANTE deve ser compatível com os
injetar energia elétrica no sistema de distribuição da DISTRIBUIDORA. requisitos de proteção da DISTRIBUIDORA. Este sistema deve está dimensionado
para as correntes de curto-circuito no ponto de conexão atual e prevista para
2. ÁREA DE APLICAÇÃO o horizonte de planejamento, isolando os defeitos no tempo estabelecido pela
Este acordo operativo aplica-se única e exclusivamente ao sistema elétrico de conexão DISTRIBUIDORA.
ao complexo compreendido pela Central de Minigeração Distribuída do ACESSANTE,
atendido em 13,8kV referente à conta contrato nº XXX. 6. PROCEDIMENTOS PARA DESLIGAMENTOS
6.1 Procedimentos para desligamentos programados
6.1.1 As solicitações de desligamentos programados oriundas do ACESSANTE
3. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA SUPRIDOR, DO ACESSANTE E LIMITES DE que determinem a suspensão do fornecimento de energia para as suas instalações
COMPETÊNCIA deverão ser formalizadas por escrito, via fax ou correio eletrônico, respeitando a
3.1 Configuração do Sistema antecedência mínima de XX dias úteis de antecedência em relação à data prevista para
3.1.1 O ACESSANTE é suprido em (220/380/13,8kV), na configuração normal, através o desligamento, contendo os seguintes dados:
do alimentador 01XX, sendo monitorado pelo religador 21XX na SE XXX – Celpe. - Nome do responsável e telefone de contato.
3.1.2 O ponto de conexão do USUÁRIO no sistema elétrico da DISTRIBUIDORA é - Equipamento operacional ou linha desejada que sofra intervenção, com a respectiva
através da linha de 13,8kV cuja codificação operacional 02XX – SE XXX, com km de codificação operacional.
extensão de propriedade da DISTRIBUIDORA. - Descrição sumária dos trabalhos e o tipo de intervenção.
3.2 Configuração do Acessante - Prazo de execução com o início e o término pretendidos, contendo dia e horário.
As instalações do acessante que utilizam a geração distribuída por MINIGERADOR
compreendem: (fonte) com capacidade instalada de kW; trifásico; conectado
diretamente na unidade consumidora, em média tensão, e esta ao sistema de
distribuição da DISTRIBUIDORA.
6.1.2 A resposta a uma solicitação de desligamento deverá ser efetuada pela 9. DESLIGAMENTO DA INTERCONEXÃO
DISTRIBUIDORA através de fax ou correio eletrônico dirigido ao ACESSANTE, 9.1 A Celpe poderá desconectar a unidade consumidora possuidora de minigeração
constando o seu parecer e incluindo os seguintes informes: de seu sistema elétrico nos casos em que: (i) a qualidade da energia elétrica fornecida
- Prazo de execução com o início e o término, contendo dia e horário. pelo ACESSANTE não obedecer aos padrões de qualidade dispostos no Parecer
- Equipamento operacional ou linha desejada que sofra intervenção, com a respectiva de Acesso; e (ii) quando a operação da minigeração representar perigo à vida e às
codificação operacional. instalações da Celpe, neste caso, sem aviso prévio.
- Sugestão de nova data e horário, informando o motivo, em caso de não confirmação. 9.2 Em quaisquer dos casos, o (proprietário do minigerador) deve ser notificado para
6.1.3 As intervenções programadas no sistema elétrico da DISTRIBUIDORA com a execução de ações corretivas com vistas ao restabelecimento da conexão de acordo
suspensão da conexão, sempre que possível, serão realizadas como aproveitamento com o disposto na Resolução Normativa nº 414/2010.
dos desligamentos programados solicitados pelo ACESSANTE.
6.2 Procedimento para desligamentos intempestivos 10. AJUSTE DE HORÁRIO
Quando da ocorrência de desligamentos intempestivos, ocasionados por desarme Por ocasião de qualquer ocorrência que envolva o fornecimento de energia elétrica ao
automático da proteção, deverão ser adotados os seguintes procedimentos, conforme o ACESSANTE, deverá haver ajuste de horário entre os relógios da DISTRIBUIDORA e
caso: do ACESSANTE, prevalecendo como horário padrão o da DISTRIBUIDORA.
6.2.1 Perda de geração do ACESSANTE:
6.2.1.1 Quando da suspensão do fornecimento de energia elétrica, ocasionada 11. ANEXOS
por perda de geração, o operador do ACESSANTE deverá de imediato informar a ANEXO I - Diagrama unifilar simplificado.
interrupção na geração de energia elétrica.
6.2.2 Perda de Conexão com a DISTRIBUIDORA: 12. REVISÃO DO ACORDO OPERATIVO
6.2.2.1 Em caso de ilhamento, o sistema de geração distribuída conectado à rede O ACORDO OPERATIVO será revisado sempre que ocorrer solicitação formal por uma
deve cessar o fornecimento de energia, independentemente das cargas ligadas a das PARTES e concordância da outra PARTE. A revisão do ACORDO OPERATIVO
outros geradores distribuídos ou não, em até 2 (dois) segundos após a interrupção do requer a aprovação dos representantes das PARTES com as respectivas assinaturas,
fornecimento de energia. O ACESSANTE deverá informar a desconexão do sistema pressupondo, portanto, uma negociação e a anuência de ambas as PARTES.
elétrico da DISTRIBUIDORA. E, por estarem assim justas e acordadas, as PARTES celebram o presente instrumento
6.2.2.2 Depois de uma “desconexão” devido a uma condição anormal da rede, o em 02 (duas) vias de igual teor, na presença de duas testemunhas assinadas.
sistema de geração distribuída não pode retomar o fornecimento de energia à rede
elétrica (reconexão) por um período mínimo de 180 segundos (3 minutos) após a Recife, __ de _____________ de 20___.
retomada das condições normais de tensão e de frequência do sistema elétrico.
Pela concessionária Celpe:
7. PROCEDIMENTOS PARA DESLIGAMENTO DE EMERGÊNCIA/URGÊNCIA ________________________________
Caso se caracterize a necessidade de uma intervenção de Urgência ou Emergência no Pelo Acessante:
sistema elétrico de distribuição, sob pena de comprometer a segurança pessoal e/ou ________________________________
equipamentos, a Celpe, deverá efetuar o desligamento, sem a necessidade de informar
previamente ao ACESSANTE. TESTEMUNHAS
________________________________
8. COMUNICAÇÃO Pela DISTRIBUIDORA:
Para eventos intempestivos, os quais afetem o fornecimento de energia, a comunicação
entre DISTRIBUIDORA e ACESSANTE deverá ser feita através dos Centros de _________________________________
Operações, através de um dos meios citados a seguir, por ordem de prioridade.
- Telefone estritamente operacional (USO EXCLUSIVO); Pelo CLIENTE:
- Telefone celular; ________________________________
- Email.
Nome:
Função:
CPF: