Você está na página 1de 9

Coach: o que é e quais são as

funções?
Coach é o profissional que utiliza das ferramentas presentes na
metodologia de desenvolvimento e maximização de performance
humana, conhecida como Coaching.

O papel do coach poderá auxiliar o cliente (também conhecido


como coachee) durante o processo de Coaching para que possa
alcançar as metas determinadas por ele, desde o início do projeto.

Quando falamos da metodologia, tudo aquilo que envolve o passado


não pode e nem deve ser considerado durante as sessões. O coach
avalia o estado atual do indivíduo para que ele chegue ao estado
desejado, além disso trabalha a inteligência emocional das pessoas.

A palavra coach significa treinador. Essa metodologia surgiu por meio


do esporte, através do conhecimento dos coaches esportivos que
trabalham focados no desenvolvimento humano e de em alta
performance do atleta.

COACH E SUA ETIMOLOGIA


Existem diversas teorias sobre a origem do termo coach no contexto do
desenvolvimento de pessoas. Alguns estudos indicam que a origem da palavra está no
verbo inglês coax, que significa persuadir ou aliciar. O termo foi disseminado pelo
esporte, em especial, o futebol, e contempla o tipo de profissional que, no Brasil,
chama-se técnico.

Nos países de língua inglesa, porém, o coach, mesmo no esporte, sempre, teve uma
conotação mais relacionada à atuação no sentido do aspecto psicológico dos atletas e da
construção de estratégias e táticas do que propriamente ao aperfeiçoamento de técnicas.

Portanto, a definição possível para coach, nesse contexto, é do profissional que atua
como um estimulador externo, que desperta o potencial interno de outras pessoas, para
tanto, usando uma combinação de flexibilidade, insight, perseverança, estratégias,
ferramentas e métodos. O coach está incumbido de acessar os recursos internos
(emoções, valores, talentos, etc.) e externos (força, habilidades mecânicas, carisma, etc.)
do coachee (aluno) e, com isso, melhorar seu desempenho.

O INÍCIO DA PROFISSÃO COACH


Com a desaceleração da economia na década de 1990, quando as organizações que
apoiavam longos "programas abertos" descobriram que não podiam mais se dar ao luxo
de percorrer esse caminho dispendioso e, assim, começaram a exigir soluções mais
personalizadas de quem fornecia treinamento.

Ao mesmo tempo, tanto as organizações como seus gerentes começaram a verificar os


benefícios de uma abordagem mais individualizada do desenvolvimento pessoal. As
pessoas precisavam de algo que permitisse que as questões fossem discutidas em
profundidade e as soluções obtidas pelo debate, pela reflexão e pela descoberta ao longo
de um período de tempo.

Levando esse cenário em conta, no final da década de 1990 um dos principais coaches
executivos, foi questionado sobre o que ele fazia para ganhar a vida. Ele respondeu,
com algum orgulho, que era um treinador executivo. No entanto, o questionador, um
profissional sênior de RH, ficou sem entender que profissão era aquela que o coach se
referia.

SURGIMENTO DO COACHING
EXECUTIVO
Bem-aceito e cada vez mais divulgado, o processo ganhou uma vertente específica para
aplicação em organizações: o Coaching Executivo. Atendendo, inicialmente, grandes
empresas por meio da preparação de executivos, presidentes, diretores e gerentes, o
Coaching foi expandindo-se para o mercado de médias e até pequenas empresas.

Os resultados dos processos de Coaching ganham destaque porque têm sido


comprovados. Como a profissão, também, entrou definitivamente para o mercado de
pequenas e médias empresas. O modelo padrão de Coaching com foco no
desenvolvimento de competências tornou-se um excelente modelo de desenvolvimento
com o principal objetivo de profissionalizar empresas de menor porte.

Atualmente, muitas pessoas procuram um coach como uma espécie de personal trainer
mental, para si mesmas e seus colaboradores. A partir daí surgiu a separação entre o
Coaching de Vida e o Coaching Executivo. Surgiram também os processos de Leader
Coach e Team Coaching, segmentos das vertentes supracitadas.

PAPÉIS DO COACH
Entre os papéis de um coach está o apoio ao cliente. Com a utilização de técnicas e
ferramentas, o profissional auxilia o coachee (cliente) na conquista de habilidades,
competências ou recursos pessoais, dando suporte nas diretrizes de desenvolvimento
para assegurar que o objetivo do cliente seja atendido.

O profissional deve apoiar as pessoas para identificarem metas específicas e a alcançá-


las mais rápido e facilmente. Fornece ao coachee as ferramentas, as perspectivas e as
estruturas necessárias para realizar mais.
O coach não dá soluções prontas, mas oferece instrumentos ao coachee (cliente) para ele
descobrir suas próprias respostas. Essa autodescoberta é o que dá vida e poder ao
processo decisório. Se os clientes querem saber o que devem fazer com suas vidas, é
fundamental que essas respostas venham deles próprios.

Coaching como uma profissão é algo relativamente novo que sintetizou o que existe de
mais eficiente na gestão estratégica e de negócios, bem como em aspectos advindos da
filosofia, da psicologia positiva, da terapia cognitiva e de outras áreas do saber.

Sua utilização visa a beneficiar a todos que desejam processos de otimização de


performance de uma maneira pragmática, estruturada e com foco no alcance de metas e
objetivos, sejam estes pessoais ou profissionais.

COMO ATUAM OS COACHES EM


CADA SEGMENTO

COACHING
DE VIDA
Ao trabalhar com um coach de vida, os clientes também se concentram no que querem
focalizar e aprendem a trabalhar e construir uma estrutura a partir disso. Se eles não
sabem o que querem em suas vidas, por consequência, não saberão aonde chegar nem se
chegaram, se é que vão chegar. Por sua vez, se eles sabem o que querem, já começam a
fazer novas escolhas e criar novos hábitos comportamentais, reduzindo e, em alguns
casos, eliminando a paralisia comportamental.

COACHING
EXECUTIVO
O coach que trabalha nessa área dá suporte para resultados comerciais factíveis,
ampliando o volume de negócios, produtividade, aumentando a satisfação no trabalho e
o valor da organização. A empresa pode acompanhar os resultados desse processo,
fazendo avaliação antes e depois da realização do Coaching Executivo, para mensurar o
retorno sobre o investimento (ROI). Um coach executivo também pode apoiar,
organizar e implementar o Leader Coaching, um programa que inspira gestores a
tornarem-se líderes de sucesso.

PARA SER ESTRATÉGICO BASTA


TER ENTENDIMENTO TÁTICO
É difícil ser estratégico entendimento tático. Quanto mais elevado é o nível do diálogo,
mais profundo será seu impacto sobre o indivíduo. Fora da cadeia do diálogo, situa-se a
conversa normal de interação, predominante na maioria dos contatos no ambiente de
trabalho.

O coach eficiente precisa entender o nível de diálogo que é apropriado ao papel


específico e ter consciência de sua própria capacidade de trabalhar em cada aspecto.
Não surpreende que seja relativamente pequena a quantidade de profissionais de
Coaching que trabalha com competência no âmbito integrativo.

Um problema para a execução do Coaching é que, enquanto o coach precisa, de fato,


funcionar no plano do diálogo integrativo, muitas pessoas que se anunciam como
competentes nesse papel não são verdadeiramente capazes de avançar mais além do
nível tático ou estratégico.

Na base de cada uma das sete camadas da conversa no Coaching estão alguns princípios
básicos, descritos a seguir:

Ouvir para entender, esperando que seus pressupostos e opiniões habituais sejam
desafiados e modificados à medida que sua escuta se aprofunda.
Encorajar os outros a serem explícitos a respeito das ligações entre suas ideias, testando
os pressupostos que aparecem por conta disso.
Fazer abertamente o mesmo com suas próprias ideias.
Desafiar, sendo aberto e franco, e incentivando a outra pessoa a fazer o mesmo;
respeitar o que ela diz quando encara o desafio.
Estar disposto a defender suas próprias opiniões com toda a clareza e também a
despertar a mesma atitude na outra pessoa. Ser indiferente à opinião que ela adote.