Você está na página 1de 14

FICHA DE LEITURA

Nome: Isaias Bartolomeu Sambga

Tipos de Redes de Computadores

Antigamente, os computadores eram conectados em distâncias curtas, sendo conhecidas como


redes locais. Mas, com a evolução das redes de computadores, foi necessário aumentar a distância
da troca de informações entre as pessoas. As redes podem ser classificadas de acordo com sua
arquitectura (Arcnet, Ethernet, DSL, Token ring, etc.), a extensão geográfica (LAN, PAN,
MAN, WLAN, etc.), a topologia (anel, barramento, estrela, ponto-a-ponto, etc.) e o meio de
transmissão (redes por cabo de fibra óptica, trançado, via rádio, etc.). Veja alguns tipos de redes:

LAN – Rede Local

As chamadas Local Area Networks, ou Redes Locais, interligam computadores presentes dentro
de um mesmo espaço físico. Isso pode acontecer dentro de uma empresa, de uma escola ou dentro
da sua própria casa, sendo possível a troca de informações e recursos entre os dispositivos
participantes.

MAN – Rede Metropolitana

Imaginemos, por exemplo, que uma empresa possui dois escritórios em uma mesma cidade e
deseja que os computadores permaneçam interligados. Para isso existe a Metropolitan Area
Network, ou Rede Metropolitana, que conecta diversas Redes Locais dentro de algumas dezenas
de quilômetros.

WAN – Rede de Longa Distância

A Wide Area Network, ou Rede de Longa Distância, vai um pouco além da MAN e consegue
abranger uma área maior, como um país ou até mesmo um continente.
WLAN – Rede Local Sem Fio

Para quem quer acabar com os cabos, a WLAN, ou Rede Local Sem Fio, pode ser uma opção.
Esse tipo de rede conecta-se à internet e é bastante usado tanto em ambientes residenciais quanto
em empresas e em lugares públicos.

WMAN – Rede Metropolitana Sem Fio

Esta é a versão sem fio da MAN, com um alcance de dezenas de quilômetros, sendo possível
conectar redes de escritórios de uma mesma empresa ou de campus de universidades.

WWAN – Rede de Longa Distância Sem Fio

Com um alcance ainda maior, a WWAN, ou Rede de Longa Distância Sem Fio, alcança diversas
partes do mundo. Justamente por isso, a WWAN está mais sujeita a ruídos.

SAN – Rede de Área de Armazenamento

As SANs, ou Redes de Área de Armazenamento, são utilizadas para fazer a comunicação de um


servidor e outros computadores, ficando restritas a isso.

PAN – Rede de Área Pessoal

As redes do tipo PAN, ou Redes de Área Pessoal, são usadas para que dispositivos se
comuniquem dentro de uma distância bastante limitada. Um exemplo disso são as redes Bluetooth
e UWB.

Topologia de Fisica

As topologias das redes de computadores são as estruturas físicas dos cabos, computadores e
componentes. Existem as topologias físicas, que são mapas que mostram a localização de cada
componente da rede que serão tratadas a seguir. e as lógicas, representada pelo modo que os
dados trafegam na rede:

· Topologia Ponto-a-ponto – quando as máquinas estão interconectadas por pares através


de um roteamento de dados;
· Topologia de Estrela – modelo em que existe um ponto central (concentrador) para a
conexão, geralmente um hub ou switch;
· Topologia de Anel – modelo atualmente utilizado em automação industrial e na década de
1980 pelas redes Token Ring da IBM. Nesse caso, todos os computadores são
interligados formando uma anel e os dados são transmitidos de computador à
computador até a máquina de origem;
· Topologia de Barramento – modelo utilizado nas primeiras conexões feitas pelas redes
Ethernet, se trata de computadores conectados em formato linear, cujo cabo é feito em
sequência;
· Redes de Difusão (Broadcast) – quando as máquinas estão interconectadas por um
mesmo canal através de pacotes endereçados (unicast, broadcast e multicast).

Meio De Transmissão

Asseguram a transmissão física entre o emissor e o receptor

• Meios guiados e não guiados (sem fios)

– Guiados: par trançado, cabo coaxial, fibra óptica

– Não guiados: Micro-ondas (terrestres e via satélite), radiodifusão, infravermelhos

• As características e a qualidade da transmissão são determinadas pelo meio e pelo sinal

• Em meios guiados as ondas electromagnéticas são “guiadas” através de um meio sólido

• Em meios não guiados as ondas electromagnéticas propagam-se mais ou menos livremente


através da atmosfera, a tabela a seguir ilustra as deferências de meio de transmissão .

O topologia física de uma rede de computadores varia de acordo com o tipo de conexão. Assim
são formados por cabos, placas de redes, roteador, hubs e outros componentes.

Cabos

Os cabos fazem parte da estrutura física utilizada para conectar computadores em rede, estando
relacionados a largura de banda, a taxa de transmissão, padrões internacionais, etc. Há vantagens e
desvantagens para a conexão feita por meio de cabo o. Os mais utilizados são:

· Cabos de Par Trançado – cabos caracterizados por sua velocidade, pode ser feito sob
medida, comprados em lojas de informática ou produzidos pelo usuário;
· Cabos Coaxiais – cabos que permitem uma distância maior na transmissão de dados,
apesar de serem flexíveis, são caros e frágeis. Eles necessitam de barramento ISA,
suporte não encontrado em computadores mais novos;
· Cabos de Fibra Óptica – cabos complexos, caros e de difícil instalação. São velozes e
imunes a interferências electromagnéticas.

Após montar o cabo de rede é necessário realizar um teste através dos testadores de cabos,
adquirido em lojas especializadas. Apesar de testar o funcionamento, ele não detecta se existem
ligações incorrectas. É preciso que um técnico veja se os fios dos cabos estão na posição certa

Sistema de Cabo Estruturado

Para que essa conexão não atrapalhe o ambiente de trabalho, se feito em uma grande empresa, são
necessárias várias conexões e muitos cabos, assim surgiu o cabo estruturado.

Através dele, um técnico irá poupar trabalho e tempo, tanto para fazer a instalação, quanto a
remoção da rede. Ele é feito através das tomadas RJ-45 que possibilitam que vários conectores
possam ser encaixados num mesmo local, sem a necessidade de serem conectados directamente no
hub.

Além disso, o sistema de cabo estruturado possui um painel de conexões, em inglês Patch Panel,
onde os cabos das tomadas RJ-45 são conectados, sendo um concentrador de tomadas, facilitando
a manutenção das redes. Eles são adaptados e construídos para serem inseridos em um rack.

Todo esse planeamento deve fazer parte do projecto do cabo de rede, em que a conexão da rede é
pensada de forma a realizar a sua expansão.

Repetidores

Dispositivo capaz de expandir o cabo de rede. Ele poderá transformar os sinais recebidos e enviá-
los para outros pontos da rede. Apesar de serem transmissores de informações para outros pontos,
eles também diminuirão o desempenho da rede, havendo colisões entre os dados à medida que são
inseridas outras máquinas. Esse equipamento, geralmente, localiza-se dentro do hub.

Hubs

Dispositivos capazes de receber e concentrar todos os dados da rede e distribuí-los entre as outras
estações (máquinas). Nesse momento nenhuma outra máquina consegue enviar um determinado
sinal até que os dados sejam distribuídos completamente. Eles são utilizados em redes domésticas
e podem ter 8, 16, 24 e 32 portas, dependendo do fabricante. Existem os Hubs Passivos, Activos,
Inteligentes e Empilháveis.

Bridges

É um repetidor inteligente que funciona como uma ponte. Ele lê e analisa os dados da rede, além
de interligar arquitecturas diferentes.

Switches

Tipo de aparelho semelhante a um hub, mas que funciona como uma ponte: ele envia os dados
apenas para a máquina que o solicitou. Ele possui muitas portas de entrada e melhor desempenho,
podendo ser utilizado para redes maiores.

Roteadores

Dispositivo utilizado para conectar redes e arquitecturas diferentes e de grande porte. Ele funciona
como um tipo de ponte na camada de rede do modelo OSI (Open Systens Interconnection -
protocolo de interconexão de sistemas abertos para conectar máquinas com fabricantes
diferentes), identificando e definindo um IP para cada computador que se conecta com a rede.

Sua função principal é organizar o tráfego de dados na rede e seleccionar o melhor caminho.
Existem os roteadores estáticos, capaz de encontrar o menor caminho para tráfego de dados,
mesmo se a rede estiver congestionada; e os roteadores dinâmicos que encontram caminhos mais
rápidos e menos congestionados para o tráfego.

Modem

Dispositivo responsável por transformar a onda analógica que será transmitida por meio da linha
telefónica, convertendo-o em sinal digital original.

Servidor

Sistema que oferece serviço para as redes de computadores, como por exemplo, envio de arquivos
ou e-mail. Os computadores que acessam determinado servidor são conhecidos como clientes.
Placa de Rede

Dispositivo que garante a comunicação entre os computadores da rede. Cada arquitectura de rede
depende de um tipo de placa específica. As mais utilizadas são as do tipo Ethernet e Token Ring
(rede em anel).

Topologia Lógica De Rede

As redes de computadores possuem vários componentes, quer sejam físicos ou lógicos baseadas
em camadas e protocolos. A esse conjunto dá se o nome de arquitectura de rede. Cada sistema
operacional possuem características específicas que oferecem suporte.

A maioria das redes se organiza em camadas ou níveis (hierarquia), que são colocadas
sobrepostas, sendo que cada uma tem a sua função específica, oferecendo suporte as camadas
superiores. Para estabelecerem comunicação entre camadas de máquinas diferentes existem os
protocolos da camada n.

Protocolos

Protocolos são códigos ou padrões específicos emitidos por meio de um sistema de pergunta e
resposta, utilizado entre dispositivos diferentes. Esses padrões permitem que haja uma interação
entre software e hardware. Além disso, eles são regras de comunicação.

Existem vários tipos de protocolos para situações específicas. Por exemplo, um protocolo de rede
é executado quando digitamos o endereço de uma página da web. O computador envia uma
mensagem pedindo a conexão com um servidor remoto, este irá responder positivamente à
mensagem, quando essa conexão é feita, a página digitada pelo usuário é encontrada e o servidor
envia o arquivo correspondente.

Os protocolos de comunicação em rede para internet conhecidos são:

· Protocolo TCP/IP (Transmission Control Protocol/ Internet Protocol) – tipo de protocolo


de aplicação de rede para internet. Ele organiza a transmissão de informações e
estabelece o tipo de endereçamento e envio de dados;
· Protocolo UDP (User Datagram Protocol) – protocolo não tão confiável e rápido. É
utilizado para o transporte de informações, sem garantia da entrega dos dados;
· Protocolo TCP (Transmission Control Protocol)– realiza a transferência de dados de
modo seguro e full-duplex (é preciso haver conexão antes da transferência dos dados);
· Protocolo HTTP (Hypertext Transfer Protocol) - faz a transferência do hipertexto, áudio,
vídeo, textos, etc. para que haja comunicação entre as páginas da internet e os usuários;
· Protocolo FTP (File Transfer Protocol) – protocolo utilizado para a transmissão de
arquivos entre computadores portáteis e locais, na realização de download e upload;
· Protocolo SMTP (Simple Mail Transfer Protocol) – é um protocolo essencial para a
trocas de mensagens eletrônicas. Ele utiliza o serviço do TCP, ideal para a segurança na
transferência de e-mail entre o remetente e o destinatário, entre outros.
Roteador da Cisco
Configuração Básica De Roteador

Router>enableAlterar o modo do usuário para o modo privilegiadoRouter# clock set 18:30:00


18 September 2019Configuração de data e horaRouter#configure terminalActiva o modo de
configuração globalRouter(config)#hostname Maputo-cidadeAtribuir nome ao roteadorMaputo-
cidade( config)# no ip domain-lookupDesabilita a tentativa de resolução automática

de nome para comandos não reconhecidos.Maputo-cidade( config)#banner motd #Roteador


Maputo-cidade#Configura uma mensagem. De entrada Maputo-cidade( config)#enable secret
ciscoConfigura senha encriptada para o comando

enable.Maputo-cidade( config)#service password-encryptionActiva encriptação de


senhas.Maputo-cidade( config)#line console 0Activa configuração da porta console 0.Maputo-
cidade( config-line)#logging synchronousAs informações enviadas pelo roteador não

interrompem a digitação de comandos.Maputo-cidade( config-line)#password consoleConfigura


senha para a porta console 0.Maputo-cidade( config-line)#loginActiva a verificação da
senha.Maputo-cidade( config-line)# line vty 0 4Activa configuração dos terminais virtuais de 0

até 4.Maputo-cidade( config-line)#password telnetConfigura senha para os terminais virtuais de

0 até 4.Maputo-cidade( config-line)#loginActiva a verificação da senha.Maputo-cidade( config-


line)#line aux 0Activa configuração da porta auxiliar 0.Maputo-cidade( config-line)#password
backdoorConfigura senha para porta auxiliar 0.Maputo-cidade( config-line)#loginActiva a
verificação da senha.Maputo-cidade( config-line)#exitRetorna ao modo de configuração
global.Maputo-cidade( config)#no service password-

encryptionDesactiva encriptação de senhas.Maputo-cidade( config)#interface fastethernet


0/0Selecciona a interface fast ethernet 0/0.Maputo-cidade( config-if)#description Rede
10.0/24Configura uma descrição para a interface.Maputo-cidade( config-if)#ip address
172.16.20.1

255.255.255.252Configura o endereço IP da interface.Maputo-cidade( config-if)#no


shutdownActiva a interface.Maputo-cidade( config-if)#interface serial 0/0Selecciona a interface
serial 0/0/0.Maputo-cidade( config-if)#description Rede 20.0/30Configura uma descrição para a
interface.Maputo-cidade( config-if)#ip address 172.16.20.1

255.255.255.252Configura o endereço IP da interface.Maputo-cidade( config-if)#clock rate


56000Configura o clock rate da interfaceMaputo-cidade( config-if)#no shutdownActiva a
interface.Maputo-cidade( config-if)#exitRetorna ao modo de configuração global.Maputo-cidade(
config)#ip host Maputo 172.16.20.2Atribui um nome para o endereço IP informado.Maputo-
cidade( config)#exitRetorna ao modo privilegiado.Maputo-cidade#copy running-config startup-
configSalva a configuração actual na memória NVRAM
Configuração De Rotas Estática
Maputo-cidade>enableAltera do modo usuário para o modo privilegiado.Maputo-
cidade#configure terminalActiva o modo de configuração global.Maputo-cidade(config)#ip
route 172.16.30.0

255.255.255.0 172.16.20.2Indica que para atingir a rede de destino

172.16.30.0, máscara 255.255.255.0, os

pacotes devem ser enviados para o endereço

IP 172.16.10.2Maputo-cidade(config)#ip route 172.16.40.0

255.255.255.0 172.16.20.2Indica que para atingir a rede de destino

172.16.40.0, máscara 255.255.255.0, os

pacotes devem ser enviados para o endereço

IP 172.16.10.2Maputo-cidade(config)#ip route 172.16.50.0

255.255.255.0 172.16.20.2Indica que para atingir a rede de destino

172.16.50.0, máscara 255.255.255.0, os

pacotes devem ser enviados para o endereço

IP 172.16.10.2Maputo-cidade(config)#exitRetorna ao modo privilegiado.Maputo-cidade#copy


running-config startup-configSalva a configuração actual na memória NVRAM.

Ver as configurações de rede


As configurações de rede, como o IP, máscara da sub-rede e etc, podem ser vistos de varias
formas. O modo mais simples são com os seguintes comandos (todos executados em privileged
mode):
show interface - mostra as configurações de todas as interfaces disponíveis;
show ip interface - mostra as informações referentes a camada 3 das interfaces;
show ip route - mostra a tabela de roteamento
Vendo o arquivo de configuração
O roteador tem dois tipos de configuração. A salva na memória (NVRAM) e a volátil (que se
perde quando o sistema é desligado). Uma é conhecida como running-config e a outra por startup-
config (a que vai iniciar com a máquina). precisa estar em privileged mode para executar esse
comando. Para vê-las, digite: show running-config ou show startup-config.
Exemplo De Rota Estática
Tabela calculo de rede
RedeDispositivosEndereço de redeEndereço do 10 HostUltimo Endereço do HostEndereço
de BroadcastMascara de sub-
redeFCNM30172.24.16.128172.24.16.129172.24.16.1.158172.24.16.159/27ESTEC67172.24.16.
1.0172.24.16.1172.24.16.1.126172.24.16.127/25LAN2172.24.16.160172.24.16.161172.24.16.16
2172.24.16.163/30

Tabela de roteamento estático


DispositivoInterfacesEndereço IPMascaraGatewayR1S0/0/0172.24.16.161/30------------
GE0/0172.24.16.129/27-----------
PC1ETH0172.24.16.130172.24.16.129PC2ETH0172.24.16.131172.24.16.129R2S0/0/0172.24.1
6.162/30---------------GE0/0172.24.16.1/25----------------
PC3ETH0172.24.16.2/25172.24.16.1PC4ETH0172.24.16.3/25172.24.16.1

Configuração de rota estática


R1- ip route 172.24.16.0 255.255.255.128 172.24.16.162
R2- ip route 172.24.16.128 255.255.255.224 172.24.16.1
RIP

O RIP (protocolo de informações de roteamento) é um protocolo de roteamento intradomínio


usado dentro de um sistema autônomo. Trata-se de um protocolo muito simples baseado no
roteamento vetor distância. Ele implementa diretamente o roteamento vetor distância com
algumas considerações:

·Em um sistema autônomo, estamos lidando com roteadores e redes (enlaces). Os roteadores têm
tabelas de roteamento; as redes não.

· O destino em uma tabela de roteamento é uma rede, significando que a primeira coluna define
um endereço de rede.

·A métrica usada pelo RIP é muito simples; a distância é definida como o número de enlaces
(redes) para alcançar o destino. Por essa razão, a métrica no RIP é denominada contagem de nós.

· O valor infinito é definido igual a 16, significando que qualquer rota em um sistema autônomo
usando o RIP não pode ter mais que 15 nós.

·A coluna próximo salto estabelece o endereço do roteador para o qual o pacote deve ser enviado
a fim de atingir seu destino

Configuracao do RIP

Route(config)#route ripHabilita o protocolo de roteamento RIP.Route(config)#no route


ripDesabilita o protocolo de roteamento RIP.Route(config-router)#network 172.16.0.0Define o
endereço de rede que será publicadoRoute(config-router)#no network 172.16.0.0Remove o
endereço de rede.
Só é necessário publicar o endereço de rede classful e não de todas as sub-redes, ou seja:
Router(config-router)#network 172.16.0.0 e não Router(config-router)#network 172.16.10.0.
Habilitando RIP versão 2
Route(config-router)#version 2Habilita o envio e o recebimento de pacotes

RIP versão 2.
O padrão dos roteadores Cisco é receber pacotes das versões 1 e 2 do RIP e somente enviar
pacotes da versão 1. O comando version 2 impõem que o roteador somente envie e receba
pacotes da versão2 do RIP.

Verificando RIP

Router#show ip route ripMostra as rotas do RIP na tabela de roteamento.Route#show ip rip


databaseMostra o conteúdo da base de dados do protocoloRIP.

Comandos para resolução de problemas

Route#debug ip ripMostra todas as atividades do protocolo RIP.


Neste exemplo todos os roteadores já estão configurados conforme o exemplo 1 e serão
apresentadas apenas as configurações relativas ao protocolo RIP.
Configuração do roteador R1.
R1>enableAltera do modo usuário para o modo privilegiado.R1#configure terminalAtiva o
modo de configuração global.R1(config)#route ripHabilita o protocolo de roteamento
RIP.R1(config-router)#version 2Habilita RIP versão 2.R1(config-router)#network
172.24.0.0172.16.0.0 é o endereço da rede (classful) que

será publicado.R1(config-router)#exitRetorna ao modo de configuração


global.R1(config)#exitRetorna ao modo privilegiado.R1#copy running-config startup-
configSalva a configuração atual na memória NVRAM.