Você está na página 1de 112

Número: 48534.

001540/2018-00

ACOMPANHAMENTO
DIFERENCIADO DA EXPANSÃO
DA TRANSMISSÃO
Edição | 1/2018

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 1
Número: 48534.001540/2018-00

Catalogação na fonte

Centro de Documentação – CEDOC / ANEEL

Agência Nacional de Energia Elétrica (Brasil)


A265a

Acompanhamento diferenciado da expansão da


transmissão / Agência Nacional de Energia Elétrica. –
Brasília : SFE-ANEEL, 2018.

112 p. : il.

1. Energia elétrica. 2. Energia elétrica - Transmissão.


3. Agência Nacional de Energia Elétrica. I. Título.

CDU: 621.315(81)

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 2
Número: 48534.001540/2018-00

I – Apresentação

Este relatório apresenta informações colhidas pela fiscalização da ANEEL acerca


dos empreendimentos de expansão da Rede Básica considerados prioritários, sob
a ótica de maior risco de impactos a operação do Sistema Interligado Nacional –
SIN, acompanhados no período de 1º de janeiro a 31 de março de 2018.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 3
Número: 48534.001540/2018-00

II – Créditos

O presente relatório é de autoria da Superintendência de Fiscalização dos


Serviços de Eletricidade – SFE, e foi elaborado pelos seguintes profissionais:

Superintendente Sandoval de Araújo Feitosa Neto

Superintendente Adjunto Giácomo Francisco Bassi Almeida

Equipe Anderson Moreira Marinho

André Luiz Borges de Rezende

Assis Francisco Carlos

Euvaldo Marques Lessa Filho

Felipe Gabriel Guimarães de Sousa


Hamurabi Bezerra

Humberto Augusto Viana

Roterdan Siqueira de Abreu

Tito Ricardo Vaz da Costa

Thamyres Nathane Rodrigues de Oliveira

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 4
Número: 48534.001540/2018-00

Sumário
1. Introdução ......................................................................................................................................... 10
2. Objetivos ............................................................................................................................................ 14
3. Visão geral dos empreendimentos de transmissão ........................................................................... 15
4. A execução do acompanhamento diferenciado ................................................................................ 18
4.1. Uso de inteligência analítica no acompanhamento diferenciado............................................. 21
4.1.1. Índice de qualidade na previsão da conclusão (IQPC) ...................................................... 21
4.1.2. Técnicas de Regressão...................................................................................................... 25
4.1.3. Valores Históricos Médios ................................................................................................ 28
4.1.4. Avanço Físico .................................................................................................................... 29
4.1.5. Data de tendência SFE ...................................................................................................... 30
5. Pontos de atenção ............................................................................................................................. 31
5.1. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras Argo Energia ............... 32
5.1.1. Contrato de Concessão nº 009/2016 – ARGO – ARGO Transmissão de Energia S.A. ....... 32
5.2. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras Copel-GT ..................... 33
5.2.1. Contrato de Concessão nº 010/2010 – COPEL-GT – Copel Geração e Transmissão S.A. . 33
5.2.2. Contrato de Concessão nº 001/2014 – GENEBRA – Mata de Santa Genebra Transmissão
S.A 33
5.3. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras CTEEP .......................... 36
5.3.1. Contrato de Concessão nº 046/2017 – IE AGUAPEÍ – Interligação Elétrica Aguapei S.A. 36
5.4. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras Água Azul .................... 37
5.4.1. Contrato de Concessão nº 019/2016 – AGUA AZUL – Subestação Agua Azul SPE S.A ..... 37
5.5. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras ARTEON ...................... 38
5.5.1. Contrato de Concessão nº 029/2017 – ARTEON – Arteon Z1 Energia S.A. ...................... 38
5.6. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras Equatorial Energia ...... 39
5.6.1. Contrato de Concessão nº 012/2017 – EQTLT04 – Equatorial Transmissora 4 SPE S.A. .. 39
5.6.2. Contrato de Concessão nº 013/2017 – EQTLT05 – Equatorial Transmissora 2 SPE S.A. .. 40
5.6.3. Contrato de Concessão nº 007/2017 – EQTLT01 – Equatorial Transmissora 1 SPE S.A. .. 40
5.6.4. Contrato de Concessão nº 008/2017 – EQTLT02 – Equatorial Transmissora 2 SPE S.A. .. 41
5.6.5. Contrato de Concessão nº 010/2017 – EQTLT03 – Equatorial Transmissora 3 SPE S.A. .. 42
5.7. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras Furnas ......................... 43
5.7.1. Contrato de Concessão nº 014/2017 – FURNAS – Furnas Centrais Elétricas S.A. ............ 43
5.7.2. Resolução autorizativa nº 4552/2014 – FURNAS – Furnas Centrais Elétricas S.A. ........... 44
5.7.3. Resolução autorizativa nº 5012/2015 – FURNAS – Furnas Centrais Elétricas S.A. ........... 44
5.8. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras CHESF ......................... 46
5.8.1. Contrato de Concessão nº 014/2008 – CHESF – Companhia Hidroelétrica do São
Francisco. 46

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 5
Número: 48534.001540/2018-00

5.8.2. Contrato de Concessão nº 019/2010 – CHESF – Companhia Hidro Elétrica do São


Francisco. 47
5.8.3. Contrato de Concessão nº 005/2012 – CHESF – Companhia Hidro Elétrica do São
Francisco. 48
5.8.4. Contrato de Concessão nº 017/2012 – CHESF – Companhia Hidro Elétrica do São
Francisco. 49
5.8.5. Contrato de Concessão nº 018/2012 – CHESF – Companhia Hidroelétrica do São
Francisco. 49
5.8.6. Resolução autorizativa nº 5225/2015 – CHESF – Companhia Hidroelétrica do São
Francisco. 50
5.9. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras EDP ............................. 51
5.9.1. Contrato de Concessão nº 028/2017 – MA I – EDP Transmissao MA I S.A. ..................... 51
5.10. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras Fund. Warehouse e
BTG Pactual ............................................................................................................................................ 52
5.10.1. Contrato de Concessão nº 001/2017 – TROPICALIA – Tropicália Transmissora de Energia
S.A. 52
5.11. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras RC Administração e
Participações .......................................................................................................................................... 53
5.11.1. Contrato de Concessão nº 030/2017 – RIALMA I – Rialma Transmissora de Energia I S/A.
53
5.12. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras BRAFER ................... 54
5.12.1. Contrato de Concessão nº 018/2016 – LITORAL SUL – Litoral Sul Transmissora de Energia
LTDA. 54
5.13. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras CEEE-GT .................. 55
5.13.1. Contrato de Concessão nº 001/2011 – TESB – Transmissora de Energia Sul Brasil S.A. .. 55
5.14. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras Eletrosul ................. 60
5.14.1. Contrato de Concessão nº 007/2014- FOTE - Fronteira Oeste Transmissora de Energia
S.A. 60
5.15. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras Cymi ....................... 62
5.15.1. Contrato de Concessão nº 005/2015 – Macedo – Transmissora José Maria de Macedo
de Eletricidade S.A. ............................................................................................................................ 62
5.15.2. Contrato de Concessão nº 005/2016 – MANTIQUEIRA - Mantiqueira Transmissora de
Energia S.A. ........................................................................................................................................ 63
5.15.3. Contrato de Concessão nº 011/2017 – GSTE – Giovanni Sanguinetti Transmissora de
Energia S.A. ........................................................................................................................................ 65
5.15.4. Contrato de Concessão nº 017/2017 – VEREDAS – Veredas Transmissora de Eletricidade
S.A. 66
5.15.5. Contrato de Concessão nº 009/2017 – TSE – Transmissora Sertaneja de Eletricidade S.A.
67
5.16. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras FIP CAIXA MILÃO .... 68

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 6
Número: 48534.001540/2018-00

5.16.1. Contrato de Concessão nº 008/2013 – SÃO JOÃO – São João Transmissora de Energia
S.A. 68
5.16.2. Contrato de Concessão nº 015/2013 – SÃO PEDRO – São Pedro Transmissora de Energia
S.A. 69
5.16.3. Resolução Autorizativa nº 6069/2016 – SÃO PEDRO – São Pedro Transmissora de
Energia S.A. ........................................................................................................................................ 70
5.16.4. Resolução autorizativa nº 5988/2016 – SÃO JOÃO – São João Transmissora de Energia
S.A. 71
5.17. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras MPE Engenharia ..... 72
5.17.1. Contrato de concessão nº 012/2016 – PBTE – Piratininga Bandeirantes Transmissora de
Energia LTDA. ..................................................................................................................................... 72
5.18. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras Neoenergia............. 73
5.18.1. Contrato de concessão nº 040/2017 – EKTT 14 – EKTT 14 A Serviços de Transmissão de
Energia Elétrica SPE S.A. .................................................................................................................... 73
5.19. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras State Grid ............... 74
5.19.1. Resolução autorizativa nº 3588/2012 – ITE – Itumbiara Transmissora de Energia S.A.... 74
5.19.2. Contrato de concessão nº 007/2015 – XRTE – Xingu Rio Transmissora de Energia S.A. .. 74
5.19.3. Contrato de Concessão nº 010/2016 – PRTE – Paranaíta Ribeirãozinho Transmissora de
Energia S.A. ........................................................................................................................................ 78
5.20. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras Alupar ..................... 80
5.20.1. Contrato de concessão nº 013/2016 – ETAP – ETAP Empresa Transmissora Agreste
Potiguar S.A. ...................................................................................................................................... 80
5.20.2. Contrato de concessão nº 002/2017 – TPE – Transmissora Paraiso de Energia S.A ........ 81
5.20.3. Contrato de concessão nº 006/2017 – TCC – Transmissora Caminho do Café S.A. ......... 82
5.21. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras ISOLUX .................... 83
5.21.1. Contrato de concessão nº 020/2011 – LTTE – Linhas de Taubaté Transmissora de Energia
S.A. 83
5.22. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras Sterlite Power Grid . 85
5.22.1. Contrato de concessão nº 031/2017 – VINEYARDS – SE Vineyards Transmissão De
Energia S.A. ........................................................................................................................................ 85
5.23. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras TAESA ..................... 86
5.23.1. Contrato de concessão nº 017/2016 – MIRACEMA – Miracema Transmissora de Energia
Elétrica S/A. ....................................................................................................................................... 86
5.23.2. Contrato de concessão nº 015/2017 – JANAUBA – Janaúba Transmissora De Energia
Elétrica S.A ......................................................................................................................................... 87
5.23.3. Contrato de concessão nº 039/2017 – ALIANÇA – EDP Transmissão Aliança SC S.A ....... 87
6. Considerações Finais.......................................................................................................................... 89
7. Integração de novas instalações no período de janeiro a março de 2018 ........................................ 91
8. Referências Bibliográficas .................................................................................................................. 98
9. Anexo I – Matriz de criticidade dos empreendimentos de expansão da transmissão .................... 100

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 7
Número: 48534.001540/2018-00

Lista de Figuras

Figura 1 – Ações conforme a resposta dos agentes, seguindo a Pirâmide de Conformidade. ................... 11
Figura 2 – Ciclo de Atividades ..................................................................................................................... 11
Figura 3 – Monitoramento da Expansão da Transmissão .......................................................................... 12
Figura 4 – Situação do cronograma dos empreendimentos de transmissão em andamento (ANEEL,
2017)........................................................................................................................................................... 15
Figura 5 – Evolução dos empreendimentos em andamento com previsão de atraso. .............................. 16
Figura 6 – Principais causas de atrasos de empreendimentos de transmissão (2013-2017). .................... 16
Figura 7 – Tempo médio de execução física e de obtenção de uma LI. ..................................................... 17
Figura 8 – Apuração do erro médio de previsão de um empreendimento. ............................................... 23
Figura 9 – Exemplo de aplicação da Curva S. Ordenada representa o avanço físico percentual e a abscissa
representa o período do empreendimento. .............................................................................................. 29
Figura 10 – Curva S do empreendimento T2014-075-A. ............................................................................ 35
Figura 11 – Curva S dos empreendimento T2014-075-F. ........................................................................... 35
Figura 12 – Curvas de avanço do empreendimento T2000-256................................................................. 47
Figura 13 – Curvas S do empreendimento T2011-170-A ............................................................................ 56
Figura 14 – Curvas S do empreendimento T2011-170-B ............................................................................ 57
Figura 15 – Ilustração do andamento das obras: (a) GIS 230 kV montada; (b) GIS 69 kV montada; (c) Sala
de Supervisão e Controle com Painéis instalados e fiação de 69 kV passada; (d) Cabos lançados faltando
finalizar as emendas. .................................................................................................................................. 58
Figura 16 – Curvas S dos empreendimentos T2016-018. ........................................................................... 75
Figura 17 – SE Xingu – Montagem Casa de Valvulas – polo1 ..................................................................... 76
Figura 18 – SE Xingu – Fundação dos transformadores – Polo 2................................................................ 77
Figura 19 – SE Xingu – Fundações dos filtros AC ........................................................................................ 77
Figura 20 – SE Terminal Rio – Montagem casa de válvulas – lado DC – polo1 ........................................... 77
Figura 21 – SE Terminal Rio – Montagem da malha de aterramento do pátio AC ..................................... 78
Figura 22 – Curvas de desenvolvimento físico empreendimentos T2016-103. ......................................... 79

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 8
Número: 48534.001540/2018-00

Lista de Tabelas

Tabela 1 – Relação dos empreendimentos selecionados para o acompanhamento diferenciado em 2018


.................................................................................................................................................................... 18
Tabela 2 – IQPC dos grupos de transmissoras avaliados em dezembro de 2017. ...................................... 24
Tabela 3 – Divisão dos eventos da obra em etapas.................................................................................... 25
Tabela 4 – Coeficiente de determinação associado a cada modelo. .......................................................... 27
Tabela 5 – Principais divergências entre data prevista pelo agente e data projetada pela SFE................. 89
Tabela 6 – Integração de novas instalações. .............................................................................................. 91

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 9
Número: 48534.001540/2018-00

1. Introdução

A atuação da Superintendência de Fiscalização dos Serviços de Eletricidade (SFE), visa


otimizar a utilização de recursos de fiscalização, à avaliação contínua da prestação dos
serviços e o alinhamento dos agentes fiscalizados com os compromissos firmados em
relação à qualidade, para a prevenção de possíveis falhas, para a efetiva correção de
irregularidades identificadas e para a melhoria do desempenho regulatório.
As atividades de fiscalização focam em ações preventivas e de maior efetividade, por
meio da utilização de técnicas de inteligência analítica e do aperfeiçoamento do
planejamento das atividades, em alinhamento às melhores práticas regulatórias
internacionais.

A forma de trabalho consiste na adoção de técnicas de fiscalização embasadas em


referências mundiais, como os relatórios da Organização para a Cooperação e
Desenvolvimento Econômico (OECD, 2014). A estratégia é fortemente calcada na
utilização de inteligência analítica e de técnicas de fiscalização baseada em evidências,
num contexto de regulação responsiva (Responsive Regulation).
Nos termos dos relatórios da OCDE, a abordagem da regulação responsiva sugere que
as atividades de fiscalização devem ser moduladas de acordo com o perfil e o
comportamento de cada agente regulado. Nesse sentido, as agências reguladoras
devem adotar estratégias de incentivo e fiscalização diferenciadas baseadas no
comportamento e no histórico dos agentes. Dessa forma, a regulação responsiva
promove a melhoria do desempenho dos agentes ao reduzir os custos daqueles que
apresentam melhor performance regulatória.

A análise de dados, a utilização de técnicas de inteligência analítica e o monitoramento


da atuação dos agentes permite a avaliação cautelosa do segmento transmissão,
propicia a identificação de problemas a serem resolvidos pelos agentes setoriais e o
levantamento das mudanças necessárias na regulamentação. Além disso, é possível
realizar o planejamento e a preparação de grandes campanhas de fiscalização
organizadas, por exemplo, por temas, por região ou por concessionária.

Neste contexto, as ações adotadas são proporcionais à resposta dos agentes à regulação
e à fiscalização, conforme a teoria de regulação responsiva e seguindo uma filosofia
baseada na Pirâmide de Conformidade, como ilustrado na Figura 1.

Para aqueles agentes que cumprem com suas obrigações contratuais e regulamentares,
caberá apenas a verificação deste comportamento. De outro modo, aos que querem
cumprir, mas por algum motivo não estão atendendo às expectativas do regulador e da
sociedade, caberá à fiscalização diagnosticar os problemas e incentivar sua correção por
meio de diálogo setorial e comprometimento dos agentes. Por fim, as sanções se
destinarão especificamente àqueles entes que insistem em permanecer no

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 10
Número: 48534.001540/2018-00

descumprimento da legislação ou não são capazes de responder satisfatoriamente às


ações preventivas.

Figura 1 – Ações conforme a resposta dos agentes, seguindo a Pirâmide de Conformidade.

Esta forma de atuação mostra-se adequada, pois a aplicação de sanções nem sempre é
o melhor instrumento para resolver todos os problemas setoriais. A organização do
setor, a regulamentação coerente e a publicidade de informações têm sido apontadas
como melhores práticas de fiscalização regulatória, restando para as ações fiscalizadoras
os problemas mais graves ou sem resposta dos agentes.
Para atuar de forma estratégica, A SFE se divide conforme o fluxo de atividades de
fiscalização, dividido em quatro etapas, conforme a Figura 2.

•Usar Inteligência Analítica no •Investigar os indícios de


tratamento de Dados e problemas apontados no
Indicadores. Monitoramento
•Monitorar a evolução dos •Analisar detalhadamente os
Indicadores e emitir Alertas problemas evidenciados
•Divulgar Relatórios de •Elaborar Relatórios
Desempenho Analíticos
Monitoramento Análise

P D
A C

Ação
Acompanhamento
Fiscalizadora
•Acompanhar a resolução dos
•Realizar a Ação Fiscalizadora problemas evidenciados na
(REN 63/2004) Análise
•Instaurar Processo •Divulgar Relatórios de
Administrativo Punitivo Acompanhamento
•Emitir Termos de Notificação •Elaborar Relatórios de
Resultados

Figura 2 – Ciclo de Atividades

A primeira etapa consiste no monitoramento dos serviços de distribuição e transmissão.


O monitoramento tem como objetivos (i) a garantia do recebimento dos dados de fluxo

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 11
Número: 48534.001540/2018-00

contínuo, como indicadores, reclamações, informações de ocorrências, (ii) a verificação


da qualidade dos dados recebidos e (iii) o tratamento dos dados recebidos, com a
geração de gráficos, rankings, linhas de tendências, os quais servirão de base para a
elaboração da Agenda de Trabalho, que apontará empresas ou temas para as fases de
análise, acompanhamento ou ação de fiscalização.
Todos os empreendimentos de expansão da Rede Básica em andamento são
monitorados continuamente pela SFE por meio do Sistema de Gestão da Transmissão –
SIGET (ANEEL, 2018). Esse software é utilizado pela ANEEL como ferramenta para
auxiliar o acompanhamento e diversas outras funcionalidades, conforme ilustra a Figura
3.

• Alertas de Inadimplência
• Solicitação de
Justificativas

• Previsores

SIGET
• Indicadores da Expansão
• Indicadores da Gestão de
Obras

• Matriz de Criticidade
• Acompanhamento
Diferenciado
• Monitora GT

Figura 3 – Monitoramento da Expansão da Transmissão

Após a outorga de um empreendimento, o seu desenvolvimento é acompanhado


continuamente pela equipe de fiscalização. Nesta etapa, os agentes devem encaminhar
mensalmente à ANEEL um arquivo XML contendo as atualizações dos cronogramas dos
marcos intermediários dos empreendimentos (ANEEL, 2006). Essas informações são
divulgadas por meio do relatório ‘Acompanhamento dos Empreendimentos de
Transmissão’(ANEEL, 2018b). Dessa forma, a ANEEL dá publicidade às informações
relacionadas com o andamento de todos os empreendimentos em andamento para a
sociedade em geral.
A partir de uma matriz de criticidade, a SFE identifica, dentre os empreendimentos em
andamento, aqueles que têm maior risco de impactar a operação do Sistema Interligado
Nacional - SIN. Esses são submetidos a um acompanhamento diferenciado e
individualizado. Os empreendimentos identificados por esse critério são agrupados de
acordo com determinadas características e designados para Acompanhamento

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 12
Número: 48534.001540/2018-00

Diferenciado por parte da equipe de Acompanhamento e Ação Fiscalizadora do


segmento de transmissão da SFE.
O acompanhamento diferenciado monitora as obras de forma mais próxima, levantando
dados adicionais junto aos empreendedores. Esse levantamento de dados é feito por
meio de contatos telefônicos, solicitação de relatórios periódicos, reuniões de
acompanhamentos junto aos empreendedores, avaliações de impacto junto ao
Operador Nacional do Sistema Elétrico - ONS e inspeções de campo para os casos mais
críticos identificados. As informações consolidadas nesse trabalho definem as próximas
ações que poderão ser tomadas pela fiscalização.
Este relatório contempla as informações associadas aos empreendimentos submetidos
ao acompanhamento diferenciado. No corpo do documento serão apresentadas de
forma detalhada as informações sobre os empreendimentos associados aos Contratos
de Concessão que provocam maiores impactos no SIN, as informações provenientes do
acompanhamento diferenciado dos empreendimentos associados a Resoluções
Autorizativas serão apresentadas no anexo desse documento.
O documento também traz informações gerais relacionadas à expansão do setor de
transmissão de energia elétrica. Essas informações podem ser utilizadas como
referências para cronogramas de novas outorgas, entre outros.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 13
Número: 48534.001540/2018-00

2. Objetivos

O objetivo do acompanhamento diferenciado é obter informações mais precisas e de


qualidade quanto ao andamento dos empreendimentos selecionados. Isso é possível
por meio da crítica quanto à exequibilidade dos cronogramas declarados mensalmente
no SIGET.
Assim, é possível antever riscos de descasamentos entre cronogramas de
empreendimentos de transmissão e de geração para subsidiar o planejamento quanto
aos prazos de entrada em operação, para a antecipação de providências operativas
eventualmente necessárias. Também com base nessas informações espera-se antecipar
problemas e viabilizar soluções que possibilitem o bom andamento dos
empreendimentos.
O presente relatório apresenta a visão da SFE quanto aos empreendimentos de
expansão da transmissão acompanhados de forma diferenciada no período de janeiro a
março de 2018.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 14
Número: 48534.001540/2018-00

3. Visão geral dos empreendimentos de transmissão

Por meio do SIGET, a SFE monitora atualmente 379 empreendimentos de expansão da


rede básica. A situação desses empreendimentos em relação aos cronogramas previstos
é mostrada na sequência.

Figura 4 – Situação do cronograma dos empreendimentos de transmissão em andamento (ANEEL,


2017).

Considerando todos os empreendimentos em andamento monitorados, em média, são


463 dias de atraso. Atualmente há 160 empreendimentos em andamento com previsão
de atraso (42,2%). O percentual de empreendimentos em andamento com previsão de
atraso vem sofrendo constante redução, conforme ilustra a Figura 5. Essa redução de
empreendimentos com previsão de atraso é resultado de uma série de ações
empreendidas pela ANEEL.
A Figura 5 ilustra que a quantidade total de empreendimentos vem crescendo e a
quantidade de empreendimentos em andamento com previsão de atraso vem
diminuindo. Consequentemente, o percentual de empreendimentos em atraso, que
atingiu um pico de 63,4% em março de 2017, está diminuindo e atualmente representa
42,2%.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 15
Número: 48534.001540/2018-00

450 70,0%
63,4%
400
60,0%

350
50,0%
42,2%
300

250 40,0%

200 30,0%

150
20,0%
100

10,0%
50

0 0,0%
março-16 junho-16 setembro-16 dezembro-16 março-17 junho-17 setembro-17 dezembro-17 março-18
Qtd Total Qtd Atrasado % Atraso

Figura 5 – Evolução dos empreendimentos em andamento com previsão de atraso.

As causas dos atrasos, declarados pelos agentes de transmissão estão ilustrados na


Figura 6. Para construção desse gráfico foram considerados os empreendimentos que
foram concluídos nos últimos 5 anos civis completos.

60,92%

53,99%

47,57% 46,83%

Projetos e Contratos Licenciamento Ambiental Compra de Materiais Execução Física da Obra


(CCT, CCI, CPST) (até LI)

Figura 6 – Principais causas de atrasos de empreendimentos de transmissão (2013-2017).

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 16
Número: 48534.001540/2018-00

Diversos empreendimentos possuem mais de um fator de atraso, daí a soma dos


percentuais não ser igual a 100%. A compra de materiais, a confecção de projetos e
assinatura de contratos são atividades paralelas ao licenciamento ambiental. Assim, um
atraso no licenciamento ambiental de um empreendimento pode provocar uma
redução no ritmo das demais atividades associadas.
A Figura 7 representa o tempo médio dos empreendimentos, destacando o tempo
médio de execução física e o tempo médio de obtenção de uma Licença de Instalação
(LI).

Figura 7 – Tempo médio de execução física e de obtenção de uma LI.

Ao longo dos últimos 5 anos percebe-se que houve uma oscilação no tempo de execução
física das obras, chegando ao valor médio de 516 dias em 2017. O tempo necessário
para obter uma Licença de Instalação – LI em empreendimentos de transmissão variou
bastante no período e atingiu a média de 493 dias no ano de 2017. O tempo total médio
de execução dos empreendimentos vem crescendo de forma consistente e atingiu a
marca de 1215 dias em 2017.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 17
Número: 48534.001540/2018-00

4. A execução do acompanhamento diferenciado

Os empreendimentos em andamento foram classificados conforme sua criticidade,


seguinte metodologia específica descrita na Nota Técnica nº 211/201-SFE/ANEEL. A
partir da classificação foi construída uma matriz de criticidade (Anexo I – Matriz de
criticidade dos empreendimentos de expansão da transmissão ). Essa matriz utiliza
dados de porte (número de módulos), atraso previsto, importância sistêmica
(abrangência na operação do SIN e não conformidade a ser corrigida), necessidade de
licenciamento ambiental e geração associada - Potência Total Geração, Número de
Agentes Geração e Descasamento, para ponderar a importância de um
empreendimento em andamento para a Rede Básica.
Com base na matriz de criticidade é possível construir um ranking de empreendimentos
prioritários. Esses empreendimentos compõe o conjunto para o acompanhamento
diferenciado.

Atualmente 78 empreendimentos de ampliação e reforços da Rede Básica que compõe


o grupo submetido ao acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Esses
empreendimentos estão distribuídos em 48 Contratos de Concessão e 23 Grupos de
Transmissoras. A Tabela 1 apresenta a relação dos empreendimentos selecionados para
o acompanhamento diferenciado.

Tabela 1 – Relação dos empreendimentos selecionados para o acompanhamento diferenciado em 2018

Grupo de
Transmissora Código Nome do Empreendimento Ato Legal
Transmissoras
Instalações de Transmissão Contrato 009/2016
Argo Energia ARGO T2016-093 CC 009/2016
nos estados CE, PI e MA.
LT Araraquara 2 - Taubaté, CS, em 500 KV -
Copel-GT COPEL-GT T2010-077-A CC 010/2010
Subestações
LT Araraquara 2 - Taubaté, CS, em 500 KV -
Copel-GT COPEL-GT T2010-077-B CC 010/2010
Linha de Transmissão
Copel-GT GENEBRA T2014-075-A LT 500 kV Araraquara 2/Itatiba C-1 SP CC 001/2014
Copel-GT GENEBRA T2014-075-B CE 300/-300 Mvar Itatiba CE1 SP CC 001/2014
Copel-GT GENEBRA T2014-075-C CE 300/-300 MVAr Santa Barbara CE1 SP CC 001/2014
SE Fernão Dias 500/440 kV 1200 MVA, LT 500kV
Copel-GT GENEBRA T2014-075-D CC 001/2014
Araraquara 2 - Fernão Dias C1 SP
Copel-GT GENEBRA T2014-075-E LT 500 kV Itatiba/Bateias C-1 SP/PR CC 001/2014
SE Fernão Dias 500/440 kV - 2400 MVA (2° e 3°
Copel-GT GENEBRA T2014-075-F CC 001/2014
banco de autotransformadores)
CTEEP IE AGUAPEÍ T2017-051-A SE 440/138 kV Alta Paulista CC 046/2017
CTEEP IE AGUAPEÍ T2017-051-B SE 440/138 kV Baguaçu CC 046/2017
Agua Azul AGUA AZUL T2016-080 Agua Azul - Subestacao Agua Azul 440/138 kV CC 019/2016
ARTEON ARTEON T2017-053 SE 500/138 kV Resende CC 029/2017

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 18
Número: 48534.001540/2018-00

Grupo de
Transmissora Código Nome do Empreendimento Ato Legal
Transmissoras
LT 500 kV Igaporã III - Janaúba 3 C1, LT 500 kV
Equatorial
EQTLT04 T2017-023 Janaúba 3 - P. Juscelino C1 e SE 500 kV Janaúba CC 012/2017
Energia
3
Equatorial
EQTLT05 T2017-024 LT 500 kV Igaporã III - Janaúba 3 C2 CC 013/2017
Energia
Equatorial
EQTLT01 T2017-038 LT 500kV Rio das Éguas - Barreiras II C2 CC 007/2017
Energia
Equatorial LT 500kV Barreiras II - Buritirama C1, SE 500kV
EQTLT02 T2017-039 CC 008/2017
Energia Buritirama e secc LT Gilbués II - G.do Ouro II
Equatorial
EQTLT03 T2017-041 LT 500kV Buritirama - Queimada Nova II C2 CC 010/2017
Energia
FURNAS FURNAS T2012-036 LT 230 kV Xavantes - Pirineus C2 CC 014/2011
SE Grajaú - Construção de novo pátio 138 kV, a REA
FURNAS FURNAS T2014-012
SF6, em substituição ao pátio existente. 4552/2014
SE FOZ DO IGUAÇU - 5º Banco de
REA
FURNAS FURNAS T2014-094 autotransformadores 765/500 kV, 3x550 MVA e
5012/2015
conexões.
LT Eunápolis / Teixeira de Freitas II e SE Teixeira
CHESF CHESF T2000-256 CC 014/2008
de Freitas II 230/138 kV
CHESF CHESF T2010-090-B LT 230 kV Paraiso / Açu / Mossoró CC 019/2010
LT Messias - Maceio II 230 kV CD e SE Maceio II
CHESF CHESF T2012-057-A CC 005/2012
230/69 kV
LT 230 kV Jardim - N.S. do Socorro e.SE 230/69
CHESF CHESF T2012-057-B CC 005/2012
KV N. S. do Socorro
CHESF CHESF T2012-057-C SE 230/138 KV POÇÕES II CC 005/2012
CHESF CHESF T2012-060-B SE Jaboatão II 230/69 kV CC 017/2012
CHESF CHESF T2012-114-C LT 230 kV Russas II /Banabuiú CC 018/2012
Subestação Jardim - 3º Banco de REA
CHESF CHESF T2015-028
Autotransformadores 500/230 kV - 3X200 MVA 5225/2015
LT 500kV São Luís II - São Luís IV, CD; SE
EDP MA I T2017-052-B CC 028/2017
500/230/69 kV São Luís IV
FUND
WAREHOUSE e TROPICALIA T2017-029 LT 500 kV Sapeaçu - Poções III C1 CC 001/2017
BTG PACTUAL
RC
LT 230 kV Lagoa Nova II - Currais Novos II, CD e
Administração RIALMA I T2017-088 CC 030/2017
SE 230/69 kV Lagoa nova II
e Participações
LT 230 kV Atlântida 2 - Torres 2 - Forquilhinha e
BRAFER LITORAL SUL T2016-079-A CC 018/2016
SE Torres 2
BRAFER LITORAL SUL T2016-079-B SE Tubarão Sul 230/138 kV CC 018/2016
CEEE-GT TESB T2011-170-A LT 230 kV Porto Alegre 9 - Porto Alegre 8 CC 001/2011
CEEE-GT TESB T2011-170-B LT 230 kV Porto Alegre 9 - Nova Santa Rita CC 001/2011
CEEE-GT TESB T2011-170-C LT 230 kV Campo Bom - Taquara CC 001/2011
SE 230/69 kV Jardim Botânico compacta (ex-
CEEE-GT TESB T2011-170-D CC 001/2011
Porto Alegre 12)
CEEE-GT TESB T2011-170-F SE 230/69 kV Candelária 2 CC 001/2011
SE 230/69kV Restinga, LT 230kV Restinga-
CEEE-GT TESB T2011-170-G CC 001/2011
PortoAlegre13 e LT 230kV Restinga-Viamão3
Eletrosul FOTE T2014-021-A LT 230kV Santo Ângelo - Maçambará CC 007/2014
SE 230/138kV Pinhalzinho (ampliação) e LT
Eletrosul FOTE T2014-021-C CC 007/2014
230kV Foz do Chapecó - Pinhalzinho C2

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 19
Número: 48534.001540/2018-00

Grupo de
Transmissora Código Nome do Empreendimento Ato Legal
Transmissoras
SEs Gentio do Ouro II e Ourolândia II e linhas
Cymi Macedo T2015-036-A CC 005/2015
para escoamento de energia eólica.
Cymi Macedo T2015-036-B LT Igaporã III - Pindaí II C2/C3 CC 005/2015
LT 345 kV Jeceaba - Itutinga, C1; LT 345 kV
Cymi MANTIQUEIRA T2016-075-A CC 005/2016
Itabirito 2 - Jeceaba, C2
SE Itabira 5 500/230 kV
Cymi MANTIQUEIRA T2016-075-B CC 005/2016
LT 230 kV Itabira 2 - Itabira 5
Cymi MANTIQUEIRA T2016-075-C LT 230 kV Irapé – Araçuaí 2 C2 CC 005/2016
Cymi MANTIQUEIRA T2016-075-D SE João Monlevade 4 230/69 kV CC 005/2016
SE Janaúba 3 230/138 kV
Cymi MANTIQUEIRA T2016-075-E CC 005/2016
LT 230 kV Irapé - Janaúba 3 - C1
Cymi MANTIQUEIRA T2016-075-F SE Braúnas 230/138 kV CC 005/2016
Cymi MANTIQUEIRA T2016-075-G SE Timóteo 2 230/138 kV CC 005/2016
SE Presidente Juscelino 500/345 kV; SE Sarzedo
Cymi MANTIQUEIRA T2016-075-H CC 005/2016
345 kV e SE Betim 6 e LTs 345 e 500 kV.
SE Presidente Juscelino - Instalação do 2º banco
Cymi MANTIQUEIRA T2016-075-I CC 005/2016
de Reatores de Barra 500 kV - 150 Mvar
SE Itabira 5 - Instalação do 2º banco de
Cymi MANTIQUEIRA T2016-075-J CC 005/2016
Transformação 500/230 kV
Cymi MANTIQUEIRA T2016-075-K SE Varginha 4 345/138 kV CC 005/2016
LT 500kV João Câmara III - Açu III C2 e LT 500kV
Cymi GSTE T2016-113 CC 011/2017
Açu III - Milagres II C2
LT 500 kV Rio das Éguas - Arinos 2 C1, LT 500 kV
Cymi VEREDAS T2017-028 CC 017/2017
Arinos 2 - Pirapora 2 C1 e SE 500 kV Arinos 2
LTs Buritirama - Queimada Nova II - Curral Novo
Cymi TSE T2017-040 CC 009/2017
do Piauí II (C1) e SE Queimada Nova II
FIP CAIXA
SÃO JOÃO T2013-045 LT 500 kV Gilbués II - São João do Piauí C1 CC 008/2013
MILÂO
FIP CAIXA Suprimento ao Oeste da Bahia - LTs entre a SE
SÃO PEDRO T2014-014-A CC 015/2013
MILÂO Rio Grande II e as SEs Barreiras I e II
FIP CAIXA Suprimento ao Oeste da Bahia - LTs entre SE Rio
SÃO PEDRO T2014-014-B CC 015/2013
MILÂO Grande II e SEs Barreiras I e II
FIP CAIXA Subestação Gilbués II - Adequação do módulo REA
SÃO PEDRO T2016-049
MILÂO geral para conexão da São João Transmissora. 6069/2016
FIP CAIXA SE São João do Piauí - Adequação do módulo REA
SÃO JOÃO T2016-053
MILÂO geral para conexão da São João Transmissora 5988/2016
MPE LT 345 kV Bandeirantes - Piratininga II C1 e C2
PBTE T2016-104 CC 012/2016
ENGENHARIA (subterrânea)
SE 525 kV Biguaçu - Compensador Estático 525
NEOENERGIA EKTT 14 T2017-050 CC 040/2017
kV (-100/+300) Mvar
SE Rio Verde Norte - Banco de capacitores série REA
State Grid ITE T2012-061
em 500 kV, 390 Mvar. 3588/2012
LT 800 kV Xingu/Terminal Rio PA/RJ e estações
State Grid XRTE T2016-018 CC 007/2015
conversoras CA/CC 800 KV
LT 500 kV Paranaíta - Cláudia - Paranatinga -
State Grid PRTE T2016-103 CC 010/2016
Ribeirãozinho C3
LT 230kV João Câmara II - João Câmara III CD e
Alupar ETAP T2016-112 SE João Câmara III (novo setor 230kV) 500/230- CC 013/2016
13,8kV

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 20
Número: 48534.001540/2018-00

Grupo de
Transmissora Código Nome do Empreendimento Ato Legal
Transmissoras
LT 500kV Poções III-P.Paraíso 2-G.Valadares 6
Alupar TPE T2017-030 C1, SE 500kV P.Paraíso 2, SE 500/230kV CC 002/2017
G.Valadares 6
LT 500 kV Governador Valadares 6 - Mutum
Alupar TCC T2017-035 C1LT 500 kV Mutum - Rio Novo do Sul C1SE CC 006/2017
Mutum (Compensad
LT 500 kV Taubaté - Nova Iguaçu e SE Nova
ISOLUX LTTE T2012-040 CC 020/2011
Iguaçu 500/345/138 kV
STERLITE LT 230 kV Garibaldi - Lajeado 3, LT 230 kV
VINEYARDS T2017-059-A CC 031/2017
POWER GRID Lajeado 2 - Lajeado 3 e SE Lajeado 3 230/69 kV
STERLITE
VINEYARDS T2017-059-B LT 230 kV Candiota 2 - Bagé 2 CC 031/2017
POWER GRID
STERLITE
VINEYARDS T2017-059-C SE 230/69 kV Vinhedos CC 031/2017
POWER GRID
LT 500kV Miracema-Lajeado C2, LT 230kV
TAESA MIRACEMA T2016-056 Lajeado-Palmas CD, SE Lajeado e SE 230/138kV CC 017/2016
Palmas
LT 500 kV B. J. da Lapa II - Janaúba 3 C1, LT 500
TAESA JANAUBA T2017-026 kV Janaúba 3 - Pirapora 2 C1 e SE 500 kV CC 015/2017
Janaúba 3
Obras de Atendimento ao Estado de Santa
TAESA ALIANÇA T2017-067 CC 039/2017
Catariana: Regiões Sul e Extremo Sul

A documentação referente ao acompanhamento está disponível no Processo nº


48500.005652/2014-30 e em processos específicos para o acompanhamento de cada
grupo de transmissoras.

No período de janeiro a março de 2018 foram realizados acompanhamentos,


participação em reuniões de gestão de contratos, interações com o ONS, reuniões com
os agentes do setor, órgãos públicos e demais unidades organizacionais da Aneel
impactadas pelo cronograma de execução das obras.

4.1. Uso de inteligência analítica no acompanhamento diferenciado

A seguir discutiremos a metodologia utilizada pela SFE para analisar os


empreendimentos de transmissão que fazem parte do acompanhamento diferenciado
e estipular as datas de referência consideradas pela SFE para a suas conclusões.

4.1.1. Índice de qualidade na previsão da conclusão (IQPC)

A Nota Técnica nº 211/201-SFE/ANEEL definiu os procedimentos relacionados a


metodologia para o monitoramento da execução das obras de expansão do sistema de
transmissão de energia elétrica. No documento foram definidos indicadores de

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 21
Número: 48534.001540/2018-00

desempenho dos grupos de transmissoras. Dentre esses, foi definido o Índice de


Qualidade na Previsão de Conclusão – IQPC.
O IQPC é calculado a partir do erro médio de previsão dos empreendimentos concluídos
no período de avaliação ou que deveriam ter sido concluídos até o final do mesmo
período.
O período de avaliação é composto pelos últimos doze meses anteriores à data de
cálculo do indicador. Por exemplo, um IQPC calculado em outubro de 2017 teria como
período de avaliação a janela entre 1º outubro de 2016 e 30 de setembro de 2017.
Assim, neste exemplo, seriam considerados os erros médios de previsão de todos os
empreendimentos concluídos entre 1º outubro de 2016 e 30 de setembro de 2017 e dos
empreendimentos em andamento que deveriam ter sido concluídos até 30 de setembro
de 2017.

O erro médio de previsão de um empreendimento é dado pela distância média, em dias,


entre a data efetiva de conclusão do empreendimento e as previsões de conclusão
informadas periodicamente pela transmissora, conforme demonstra a equação (1) a
seguir:
𝑌1 + 𝑌2 + ⋯ + 𝑌𝑛 (1)
𝐸𝑃 =
𝑛

Onde:

EP – Erro médio de previsão do


empreendimento;
Yn – Distância em dias entre a data efetiva de
conclusão do empreendimento e a previsão
informada no mês de referência;
n – Número de previsões avaliadas.

Em outras palavras, o erro médio de previsão é a média dos erros de previsão, calculados
pela diferença entre a data de conclusão do empreendimento e as datas de previsão
informadas pela transmissora. A Figura 8 ilustra a apuração do erro médio de previsão
de um empreendimento.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 22
Número: 48534.001540/2018-00

Figura 8 – Apuração do erro médio de previsão de um empreendimento.

Para os empreendimentos em andamento avaliados, o erro de previsão é calculado pela


diferença entre a última data de previsão de conclusão informada pela transmissora e
as datas de previsão informadas anteriormente, ou seja, representa o erro médio de
previsão acumulado até o final do período de avaliação.

O erro médio de previsão de uma transmissora ou de um grupo de transmissoras é dado


pela média dos erros médios de previsão dos empreendimentos do conjunto avaliado,
conforme equação (2).

𝐸𝑃1 + 𝐸𝑃2 + ⋯ + 𝐸𝑃𝑛 (2)


𝐸𝑀𝑃 =
𝑛

Onde:
EMP – Erro médio de previsão do conjunto de
n empreendimentos;
EPn – Erro médio de previsão do
empreendimento n;
n – Número de empreendimentos avaliados.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 23
Número: 48534.001540/2018-00

Dado o erro médio de previsão de conclusão dos empreendimentos, o IQPC é calculado


de modo a indicar o grau de qualidade da previsão de conclusão dos empreendimentos
de transmissão. Para isto, o erro médio de previsão é normalizado, de modo que o IQPC
varie numa escala de 0 a 100, onde o valor 100 indica que os empreendimentos foram
concluídos conforme o previsto pela transmissora ou pelo grupo de transmissoras. O
valor de IQPC igual a zero indica que a transmissora ou o grupo de transmissoras obteve
o pior desempenho no conjunto avaliado, os seja, os seus empreendimentos tiveram a
pior previsão de conclusão do período de avaliação.
Considerando a metodologia descrita, em dezembro de 2017 o IPQC dos grupos de
transmissoras foi calculado. A Tabela 2 relaciona apenas os grupos de transmissoras com
empreendimentos concluídos ou com previsão de conclusão em 2017.
Tabela 2 – IQPC dos grupos de transmissoras
avaliados em dezembro de 2017.

IQPC
Grupo de Transmissoras
(Qualidade)

COBRA 99,3
CYMI 92,6
CELEO 87,8
ELETROSUL 80,1
CTEEP 75,7
TAESA 62,3
COPEL-GT 73,1
FIP CAIXA MILÃO 66,3
ELETRONORTE 66,7
STATE GRID 71,9
CELG-G&T 62,6
ISOLUX 52,4
ALUPAR 31,6
FURNAS 46,6
CHESF 32,8
CEEE-GT 40,5
TDG 19,3
CEMIG-GT 0,0
ORTENG 15,8

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 24
Número: 48534.001540/2018-00

Tendo por base a Tabela 2, a fiscalização considera satisfatórias as previsões de


conclusão dos grupos de transmissoras com IQPC maior ou igual a 90.

4.1.2. Técnicas de Regressão

Para o grupo de empreendimentos sob acompanhamento diferenciado, a SFE utiliza


ferramentas estatísticas para um melhor tratamento das informações. Por meio do
SIGET, a SFE conta com uma base de dados de 970 empreendimentos já concluídos nos
últimos dez anos. Essa base de informações foi utilizada para a construção de previsores
estatísticos (Costa, Silva, Filho, Santos, & Lima, 2013) que permitem estimar um
intervalo de datas onde um determinado empreendimento será concluído. Esses
previsores utilizam a técnica de regressão múltipla ou de regressão linear e simulam
diferentes cenários com base na evolução dos cronogramas de obras analisados.

As informações dos marcos intermediários dos cronogramas de implantação constantes


no SIGET foram organizadas em quatro grupos distintos, representando as diferentes
etapas do empreendimento: projetos e contratos, licenciamento ambiental, compra de
materiais e execução da obra. A Tabela 3 mostra como foi feita a divisão.
Tabela 3 – Divisão dos eventos da obra em etapas.
Etapa Eventos parciais
Projeto Básico
Estudos, projetos, construção
Assinatura de contratos
Projeto e
Contrato de Conexão de Transmissão CCT
contratos
Contrato de Compartilhamento de Instalação CCI
Contrato de Prestação de Serviço de Transmissão CPST
Declaração de Utilidade Pública DUP
Termo de Referência TR
Licenciamento EIA/RIMA ou RAS
ambiental Licença Prévia LP
Licença de Instalação LI
Aquisição de Equipamentos e Materiais
Pedido de Compra
Estruturas
Compra de
Cabos e Condutores
materiais
Equipamentos Principais (TR e CR)
Demais Equipamentos (Dj, Secc, TC, TP, PR)
Painel de Proteção, controle e automação
Obras Civis
Canteiro de Obras
Fundações
Montagem
Execução da
Estruturas
obra
Cabos e Condutores
Equipamentos Principais
Demais Equipamentos
Painel de Proteção, controle e automação

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 25
Número: 48534.001540/2018-00

Etapa Eventos parciais


Comissionamento
Desenvolvimento Físico
Desenvolvimento Geral
Operação Comercial

A partir das etapas compostas pelos grupos de eventos parciais, foram construídos
modelos previsores para estimar a duração da execução de empreendimentos. Um
modelo previsor é aquele no qual o comportamento de uma variável pode ser descrito
em função de outra variável (Cordeiro & Paula, 1989). A variável a ser prevista é
dependente e a variável previsora deve ser independente. Nos modelos de previsão
apresentados foi considerada a duração total da obra como variável dependente e as
demais variáveis, projetos e contratos, licenciamento ambiental, compra de materiais e
execução da obra, tais como, variáveis previsoras ou independentes.
Como existe uma variável dependente, real e contínua e quatro variáveis previsoras
(independentes) reais e contínuas, o modelo previsor indicado é a regressão múltipla
(Field, 2009). Contudo, para efeito de comparação, foram construídos também modelos
utilizando apenas uma variável previsora, correspondentes a uma regressão simples.

Em um modelo de regressão múltipla, a variável a ser prevista e as variáveis previsoras


se relacionam conforme a equação (3) a seguir:
𝑦 = 𝐾 + 𝑏1 𝑥1 + 𝑏2 𝑥2 + ⋯ + 𝑏𝑛 𝑥𝑛 (3)

Na equação (3), y representa a variável dependente, 𝑥𝑛 representam as variáveis


previsoras, 𝑏𝑛 representam os coeficientes associados aos previsores e K é a constante
associada à equação.
O interesse é obter um modelo com precisão razoável e que possa fornecer uma
previsão do tempo de duração de um determinado empreendimento. Nesse contexto,
é importante ressaltar que nos modelos adotados, a etapa de execução da obra foi
considerada até a conclusão do evento parcial de ‘Canteiro de Obras’ ou até a conclusão
do evento parcial ‘Fundações’. Isso foi feito, uma vez que ao final da execução do
empreendimento, a previsão da data de conclusão não é uma informação relevante e
não seria necessário um previsor.
A etapa licenciamento ambiental também precisou ser tratada de maneira diferenciada.
Geralmente, a execução da obra é deflagrada com emissão da Licença de Instalação - LI.
A conclusão do processo de licenciamento ocorre com a emissão da Licença de
Operação - LO. Entretanto, a emissão da LO normalmente ocorre em data próxima da
conclusão da obra, o que pode tornar esta variável pouco significativa para explicação
do modelo de previsão. Assim, no caso da etapa de licenciamento ambiental, a análise
foi feita considerando cenários com o tempo de obtenção LI.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 26
Número: 48534.001540/2018-00

Considerando as condições explanadas, foram construídos modelos estatísticos


utilizando a plataforma SAS Enterprise Guide, com objetivo de estimar a duração de
empreendimentos. Para comparação entre os modelos, foi utilizado o R2 – coeficiente
de determinação – que é a medida da quantidade de variação em uma variável que é
explicada pela variação outra. Quanto mais próximo o R2 estiver de 1, mais precisos e
confiáveis serão os dados gerados pelo modelo.
A Tabela 4 apresenta os valores de R2 de acordo com o modelo utilizado e conforme o
tipo de outorga, Resolução Autorizativa - REA e Contrato de Concessão – CC e os valores
dos coeficientes associados aos previsores (𝑏𝑛 ). A partir do estágio das obras e das
etapas concluídas, escolhe-se o modelo de regressão que possui o maior coeficiente de
determinação e aplica-se a equação (1) para estimativa do tempo de duração do
empreendimento.
Em relação aos modelos até então utilizados, foram criados novos cenários
considerando a etapa de execução da obra até a conclusão dos eventos parciais
‘Canteiro de Obras’ ou ‘Fundações’. Foram também descartados modelos cujo R2 foi
inferior a 0,5 e cujo número de amostras foi inferior a 15. Além disso, foram
considerados diferentes períodos de observação para os diferentes modelos e para os
diferentes tipos de outorga (REA e CC).
As restrições quanto ao R2 mínimo garantem uma melhor qualidade de previsões. Como
regra prática, para cada previsor da equação (3) são recomendados 15 casos de dados
para análise.
Os modelos com maiores R2 devem ser utilizados prioritariamente. Contudo,
dependendo do estágio das obras, nem sempre os parâmetros necessários para o
melhor modelo estarão disponíveis. Nesses casos, teremos que optar pelo melhor
modelo, dado os parâmetros disponíveis.

Tabela 4 – Coeficiente de determinação associado a cada modelo.

Variáveis previsoras da regressão

Cenário Outorga R2 Amostras Lic. Compra


Projetos e Execução
Ambiental de K
contratos da obra
(até LI) materiais
1 REA 0,816 29 0,866 0,000 0,000 0,000 281,619
1 CC - - - - - - -
2 REA - - - - - - -
2 CC 0,787 24 -0,001 1,127 0,000 0,000 539,806
3 REA - - - - - - -
3 CC 0,864 23 -0,131 0,660 0,531 0,000 497,556
4 REA 0,940 23 0,529 0,000 0,722 0,000 125,828
4 CC 0,800 35 0,166 0,000 0,751 0,000 496,718

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 27
Número: 48534.001540/2018-00

Variáveis previsoras da regressão

Cenário Outorga R2 Amostras Lic. Compra


Projetos e Execução
Ambiental de K
contratos da obra
(até LI) materiais
5 REA - - - - - - -
5 CC 0,810 27 0,000 1,210 0,000 0,000 519,841
6 REA - - - - - - -
6 CC 0,863 26 0,000 0,723 0,456 0,000 455,638
7 REA 0,876 60 0,000 0,000 1,055 0,000 107,843
7 CC 0,734 50 0,000 0,000 0,891 0,000 490,579
8 REA - - - - - - -
8 CC 0,874 23 -0,168 0,615 0,595 0,249 437,673
9 REA - - - - - - -
9 CC 0,877 26 0,000 0,660 0,473 0,240 404,531
10 REA 0,955 20 0,533 0,000 0,735 -0,588 145,204
10 CC 0,850 29 0,084 0,000 0,766 0,060 527,882
11 REA 0,781 32 0,000 0,000 1,356 -0,148 4,224
11 CC 0,813 34 0,000 0,000 0,839 0,038 579,118
12 REA - - - - - - -
12 CC 0,909 23 -0,055 0,561 0,494 0,406 325,703
13 REA - - - - - - -
13 CC 0,915 26 0,000 0,599 0,441 0,400 313,170
14 REA 0,944 23 0,532 0,000 0,723 -0,315 166,160
14 CC 0,868 34 0,208 0,000 0,644 0,324 357,640
15 REA 0,840 50 0,000 0,000 1,249 -0,154 61,583
15 CC 0,810 47 0,000 0,000 0,797 0,307 385,871

A Nota Técnica nº 06/2018-SFE/ANEEL documentou a atualização dos modelos


estatísticos utilizados pela SFE para previsão de duração dos empreendimentos de
expansão da rede básica. Os modelos atualizados foram utilizados na estimativa da data
de referência utilizada pela fiscalização para conclusão dos empreendimentos sob
acompanhamento diferenciado.

4.1.3. Valores Históricos Médios

Há casos de empreendimentos cujas etapas preliminares ainda não foram concluídas ou


cujo comportamento configura valor atípico. Esses casos não podem ser tratados por
meio da técnica de regressão.

Para essa condição é utilizado o valor médio de duração dos empreendimentos como
estimador de duração de empreendimentos.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 28
Número: 48534.001540/2018-00

4.1.4. Avanço Físico

Outra técnica de inteligência analítica utilizada é a análise da ‘curvas S’ dos


empreendimentos. Esse é um eficiente instrumento gerencial de acompanhamento de
projetos. Por sua concepção é possível identificar claramente os desvios entre o
planejado e o realizado, de forma rápida e precisa. Pelo histórico e o status atual
podemos visualizar tendências, uma vez que seus resultados contemplam todo o ciclo
de vida do projeto.

A construção da ‘curva S’ é simples e considera a previsão do avanço a ser alcançado


pelo empreendimento, comparando-a com o progresso real do empreendimento
(Torres & Lélis, 2009).

A SFE dispõe das informações de avanços físicos dos marcos intermediários dos
cronogramas dos empreendimentos de transmissão mês a mês no SIGET. Por outro lado,
os marcos intermediários dos cronogramas de execução dos empreendimentos são
fixados nos contratos de concessão. Com base nesses dados, são construídas ‘curvas S’
individualizadas por empreendimento conforme demonstra a Figura 9 a seguir.

Figura 9 – Exemplo de aplicação da Curva S. Ordenada representa o avanço físico percentual e a abscissa
representa o período do empreendimento.

A ‘curva S’ referência é construída com base nas informações da outorga e tem início na
data programada para início da execução física e término na data fixada no contrato de
concessão. A ‘curva S’ real considera as informações de avanços físicos declaradas
mensalmente pelos agentes via sistema SIGET.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 29
Número: 48534.001540/2018-00

A partir da comparação entre as ‘curvas S’ real e de referência, é possível aferir o ritmo


da obra e sua expectativa de conclusão. Essa informação é também utilizada para
estimação da duração de um empreendimento.

4.1.5. Data de tendência SFE

A partir das ferramentas descritas e do conhecimento situacional dos


empreendimentos, obtido por meio de inspeções de campo e interações diversas com
os agentes, a SFE consegue criticar as previsões de conclusão dos empreendimentos
informados via sistema SIGET. A informação criticada é denominada ‘Data projetada
pela SFE’ e corresponde a data esperada pela fiscalização para conclusão de um
determinado empreendimento.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 30
Número: 48534.001540/2018-00

5. Pontos de atenção

Nesta parte do relatório, serão apresentados os pontos de maior atenção considerados


pela SFE como fundamentais para o acompanhamento diferenciado. Aqui serão
abordados de forma mais elucidativa as considerações desta Superintendência sobre os
empreendimentos de maior interferência no Sistema Interligado Nacional – SIN, sendo
apresentadas aqui observações obtidas ao longo dos meses de janeiro a março de 2018
para os referidos casos.

As informações são apresentadas por grupos de transmissoras, seguindo a divisão


demonstrada na Tabela 1 deste documento.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 31
Número: 48534.001540/2018-00

5.1. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras Argo


Energia

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras Argo Energia. No período apenas um
empreendimento do grupo foi selecionado para o acompanhamento diferenciado.

5.1.1. Contrato de Concessão nº 009/2016 – ARGO – ARGO Transmissão de Energia


S.A.

Justificativa do empreendimento: Verificou-se que o crescimento do aproveitamento


do potencial de energia eólica, com significativa predominância na região do Nordeste
brasileiro, torna necessário o adequado dimensionamento da Rede Básica dessa região
a fim de escoar a energia das usinas já licitadas e provimento de folga ao sistema elétrico
de transmissão para conexão de novos empreendimentos.

Quadro resumo do empreendimento


Data Data
Código Descrição do Avanço
estimada Projetada
SIGET Empreendimento Físico
pelo agente pela SFE

Instalações de Transmissão
T2016-093 Contrato 009/2016 nos 27/6/2021 27/6/2021 0%
estados CE, PI e MA

Observações
Empreendimento incluído no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido a
necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Não obstante, constata-se que o empreendimento possui
LI e ASV desde 24/1/2018, entretanto, não possui avanço físico declarado.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 32
Número: 48534.001540/2018-00

5.2. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras Copel-


GT

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras Copel-GT. No período, oito
empreendimentos do grupo foram selecionados para o acompanhamento diferenciado.

5.2.1. Contrato de Concessão nº 010/2010 – COPEL-GT – Copel Geração e


Transmissão S.A.

Justificativa do empreendimento: Possibilitar o escoamento pleno da energia


proveniente das usinas do Rio Madeira até os principais centros de carga na região
Sudeste.
Quadro resumo do empreendimento
Data Data
Código Descrição do Avanço
estimada Projetada
SIGET Empreendimento Físico
pelo agente pela SFE

LT Araraquara 2 - Taubaté,
T2010-077-A CS, em 500 KV - Linha de 30/4/2018 15/6/2018 99%
Transmissão
LT Araraquara 2 - Taubaté,
T2010-077-B CS, em 500 KV - Linha de 30/4/2018 15/6/2018 94%
Transmissão

Observações
Empreendimento em fase final de construção. Atualmente há impedimento fundiário
para conclusão da linha de transmissão. Restam trechos da linha de transmissão com
necessidade de lançamento de cabos. Órgão executivo licenciador condiciona a emissão
da Licença de Operação (LO) ao lançamento de cabos. Falta a conclusão do
comissionamento do empreendimento.

5.2.2. Contrato de Concessão nº 001/2014 – GENEBRA – Mata de Santa Genebra


Transmissão S.A

Justificativa do empreendimento: Eliminar limitações de despacho de geração nas


usinas do Madeira e Teles Pires e viabilizar o aumento do intercâmbio orientado para a
região Sul, além de eliminar sobrecargas inadmissíveis na transformação de Campinas
345/138 kV na contingência da LT 500 kV Campinas – Itatiba.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 33
Número: 48534.001540/2018-00

Quadro resumo do empreendimento


Data Data
Código Descrição do Avanço
estimada Projetada
SIGET Empreendimento Físico
pelo agente pela SFE

LT 500 kV ARARAQUARA 2
T2014-075-A 14/11/2018 1/12/2018 58%
/ITATIBA C-1 SP
CE 300/-300 Mvar ITATIBA
T2014-075-B 14/7/2018 1/3/2019 41%
CE1 SP
CE 300/-300 MVAr SANTA
T2014-075-C 14/4/2018 3/8/2018 84%
BARBARA CE1 SP
SE FERNAO DIAS 500/440
kV 1200 MVA, LT 500kV
T2014-075-D 14/11/2018 31/12/2018 55%
Araraquara 2 - Fernão Dias
C1 SP
LT 500 kV ITATIBA /BATEIAS
T2014-075-E 14/11/2018 14/11/2018 65%
C-1 SP/PR
SE Fernão Dias 500/440 kV
T2014-075-F - 2400 MVA (2° e 3° banco 14/11/2018 27/9/2019 35%
de autotransformadores)

Observações

Após a primeira liberação de recursos ocorrida em 20/12/2017, as obras de uma


maneira geral, foram retomadas havendo um aumento de 100 % na contratação de
postos de trabalho, ainda aquém das necessidades do empreendimento, mas com
previsão de normalidade a curto prazo, e foi dado prioridade nos trabalhos para a
conclusão da instalação dos Compensadores Estáticos nas SE Santa Bárbara d’Oeste e
Itatiba, bem como o seccionamento da linha de 500 kV Cachoeira Paulista – Campinas,
seccionamento esse que possibilitará o escoamento da energia do complexo do Rio
Madeira.
As datas projetadas pela SFE para conclusão dos empreendimentos foram obtidas a
partir do ritmo físico dos empreendimentos, evidenciados por meio da Figura 10

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 34
Número: 48534.001540/2018-00

Figura 10 – Curva S do empreendimento T2014-075-A.

Figura 11 – Curva S dos empreendimento T2014-075-F.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 35
Número: 48534.001540/2018-00

5.3. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras CTEEP

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras CTEEP. No período, dois
empreendimentos do grupo foram selecionados para o acompanhamento diferenciado.

5.3.1. Contrato de Concessão nº 046/2017 – IE AGUAPEÍ – Interligação Elétrica


Aguapei S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para atendimento elétrico das


regiões de Araçatuba e Presidente Prudente e seus entornos, com o objetivo de eliminar
a degradação do perfil de tensão por conta do elevado carregamento na extensa malha
de DIT de 138 kV, que apresenta graves problemas de subtensão, tanto em
contingências quanto em condição normal de operação, não sendo capaz de atender ao
critério N-1 (ONS, 2017).

Quadro resumo do empreendimento


Data Data
Código Descrição do Avanço
estimada Projetada
SIGET Empreendimento Físico
pelo agente pela SFE

T2017-051-A SE 440/138 kV Alta Paulista 11/8/2021 11/8/2021 0%

T2017-051-B SE 440/138 kV Baguaçu 11/8/2021 11/8/2021 0%

Observações
Empreendimento incluído no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido a
necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Não obstante, constata-se que os empreendimentos se
encontram em processo de licenciamento ambiental. A concessionária protocolou o
pedido de Licença Prévia (LP) para construção da SE 440/138 kV Alta Paulista oito meses
antes do prazo previsto no cronograma contratual. No caso da SE 440/138 kV Baguaçu,
o pedido de LP foi protocolado dez meses antes do prazo previsto no cronograma
contratual.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 36
Número: 48534.001540/2018-00

5.4. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras Água


Azul

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras Água Azul. No período apenas um
empreendimento do grupo foi selecionado para o acompanhamento diferenciado.

5.4.1. Contrato de Concessão nº 019/2016 – AGUA AZUL – Subestação Agua Azul


SPE S.A

Justificativa do empreendimento: Reforço necessário para o suprimento de energia


elétrica às cargas das regiões de Mairiporã, Santo Ângelo, Bragança Paulista e
Guarulhos, com atendimento ao critério (N-1)

Quadro resumo do empreendimento


Data Data
Código Descrição do Avanço
estimada Projetada
SIGET Empreendimento Físico
pelo agente pela SFE

Agua Azul - Subestação


T2016-080 27/6/2019 26/7/2019 4%
Agua Azul 440/138 kV

Observações
A Licença de Instalação (LI) e a Autorização de Supressão Vegetal (ASV) foram emitidas
em dezembro/2017. Os canteiros de obras estão com 75% de avanço. O
empreendimento se encontra na fase de construção, obras civis, bases de equipamentos
e drenagem.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 37
Número: 48534.001540/2018-00

5.5. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras


ARTEON

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras ARTEON. No período apenas um
empreendimento do grupo foi selecionado para o acompanhamento diferenciado.

5.5.1. Contrato de Concessão nº 029/2017 – ARTEON – Arteon Z1 Energia S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para melhoria na qualidade do


suprimento e atendimento da expansão das cargas prevista na região de Resende.

Quadro resumo do empreendimento


Data Data
Código Descrição do Avanço
estimada Projetada
SIGET Empreendimento Físico
pelo agente pela SFE

T2017-053 SE 500/138 kV Resende 11/8/2020 11/8/2020 0%

Observações
O projeto básico do empreendimento foi entregue a ANEEL em 17/1/2018 e ao ONS em
18/1/2018.

Em 8/3/2018 foi mobilizada equipe para execução de topografia e sondagem, cujas


atividades foram concluídas em 21/3/18. Empreendimento em fase de licenciamento
ambiental. Licença Prévia (LP) prevista para agosto/2018.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 38
Número: 48534.001540/2018-00

5.6. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras


Equatorial Energia

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras Equatorial Energia. No período,
cinco empreendimentos do grupo foram selecionados para o acompanhamento
diferenciado.

5.6.1. Contrato de Concessão nº 012/2017 – EQTLT04 – Equatorial Transmissora 4


SPE S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para o aumento da capacidade de


transmissão da interligação Nordeste - Sudeste, visando o adequado escoamento dos
atuais e futuros empreendimentos de geração previstos para serem implantados na
região Nordeste, LER 2013, A-5 2013, A-3 2013 e A-5 2013, diante do excedente de
oferta de energia elétrica em certos cenários de geração maximizada, bem como os
reforços necessários no sistema receptor nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo.
Proporciona ainda rota paralela ao sistema existente da interligação Norte-Nordeste/
Sudeste, trazendo maior confiabilidade.

Quadro resumo do empreendimento


Data Data
Código Descrição do Avanço
estimada Projetada
SIGET Empreendimento Físico
pelo agente pela SFE

LT 500 kV Igaporã III -


Janaúba 3 C1, LT 500 kV
T2017-023 1/6/2021 1/6/2021 0%
Janaúba 3 - P. Juscelino C1
e SE 500 kV Janaúba 3

Observações

Empreendimento incluído no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido a


necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Não obstante, constata-se que o empreendimento se
encontra em processo de licenciamento ambiental. Embora a concessionária declare
haver avanço físico de 21% no empreendimento, trata-se de erro material, tendo em
vista a ausência de Licença de Instalação para o empreendimento.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 39
Número: 48534.001540/2018-00

5.6.2. Contrato de Concessão nº 013/2017 – EQTLT05 – Equatorial Transmissora 2


SPE S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para o aumento da capacidade de


transmissão da interligação Nordeste - Sudeste, visando o adequado escoamento dos
atuais e futuros empreendimentos de geração previstos para serem implantados na
região Nordeste, LER 2013, A-5 2013, A-3 2013 e A-5 2013, diante do excedente de
oferta de energia elétrica em certos cenários de geração maximizada, bem como os
reforços necessários no sistema receptor nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo.
Proporciona ainda rota paralela ao sistema existente da interligação Norte-Nordeste/
Sudeste, trazendo maior confiabilidade.

Quadro resumo do empreendimento


Data Data
Código Descrição do Avanço
estimada Projetada
SIGET Empreendimento Físico
pelo agente pela SFE

LT 500 kV Igaporã III -


T2017-024 1/6/2021 1/6/2021 0%
Janaúba 3 C2

Observações
Empreendimento incluído no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido a
necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Não obstante, constata-se que o empreendimento se
encontra em processo de licenciamento ambiental. Embora a concessionária declare
haver avanço físico de 21% no empreendimento, trata-se de erro material, tendo em
vista a ausência de Licença de Instalação para o empreendimento.

5.6.3. Contrato de Concessão nº 007/2017 – EQTLT01 – Equatorial Transmissora 1


SPE S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para expansão da Rede Básica da


Área Leste da região Nordeste para o escoamento do potencial eólico dessa região,
desde o estado do Rio Grande do Norte até a Bahia, permitindo ainda aumentar o
intercâmbio entre as regiões Nordeste e Sudeste.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 40
Número: 48534.001540/2018-00

Quadro resumo do empreendimento


Data Data
Código Descrição do Avanço
estimada Projetada
SIGET Empreendimento Físico
pelo agente pela SFE

LT 500kV Rio das Éguas -


T2017-038 1/6/2021 1/6/2021 0%
Barreiras II C2

Observações
Empreendimento incluído no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido a
necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Não obstante, constata-se que o empreendimento se
encontra em processo de licenciamento ambiental. Embora a concessionária declare
haver avanço físico de 18% no empreendimento, trata-se de erro material, tendo em
vista a ausência de Licença de Instalação para o empreendimento.

5.6.4. Contrato de Concessão nº 008/2017 – EQTLT02 – Equatorial Transmissora 2


SPE S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para expansão da Rede Básica da


Área Leste da região Nordeste para escoamento do potencial eólico dessa região, desde
o estado do Rio Grande do Norte até a Bahia.

Quadro resumo do empreendimento


Data Data
Código Descrição do Avanço
estimada Projetada
SIGET Empreendimento Físico
pelo agente pela SFE

LT 500kV Barreiras II -
Buritirama C1, SE 500kV
T2017-039 1/6/2021 1/6/2021 0%
Buritirama e secc LT
Gilbués II - G.do Ouro II

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 41
Número: 48534.001540/2018-00

Observações
Empreendimento incluído no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido a
necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Não obstante, constata-se que o empreendimento se
encontra em processo de licenciamento ambiental. Embora a concessionária declare
haver avanço físico de 18% no empreendimento, trata-se de erro material, tendo em
vista a ausência de Licença de Instalação para o empreendimento.

5.6.5. Contrato de Concessão nº 010/2017 – EQTLT03 – Equatorial Transmissora 3


SPE S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para expansão da Rede Básica da


Área Leste da região Nordeste para escoamento do potencial eólico dessa região, desde
o estado do Rio Grande do Norte até a Bahia.

Quadro resumo do empreendimento


Data Data
Código Descrição do Avanço
estimada Projetada
SIGET Empreendimento Físico
pelo agente pela SFE

LT 500kV Buritirama -
T2017-041 1/6/2021 1/6/2021 0%
Queimada Nova II C2

Observações
Empreendimento incluído no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido a
necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Não obstante, constata-se que o empreendimento se
encontra em processo de licenciamento ambiental. Embora a concessionária declare
haver avanço físico de 17% no empreendimento, trata-se de erro material, tendo em
vista a ausência de Licença de Instalação para o empreendimento.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 42
Número: 48534.001540/2018-00

5.7. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras Furnas

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras Furnas. No período, três
empreendimentos do grupo foram selecionados para o acompanhamento diferenciado.

5.7.1. Contrato de Concessão nº 014/2017 – FURNAS – Furnas Centrais Elétricas


S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução de planejamento de longo prazo para


eliminar problemas de sobrecarga em linhas de 230 kV da região de Goiânia, de
esgotamento da transformação de Bandeirantes 345/230 kV e de esgotamento dos
recursos de controle de tensão da região de Goiânia em cenários de elevado intercâmbio
entre as regiões Norte/Nordeste e Sudeste/Centro-Oeste, acarretando melhor
atendimento a essa região. No entanto, a solução só poderá ser considerada como
completa após a instalação de compensação reativa capacitiva pela Celg.

Quadro resumo do empreendimento


Data Data
Código Descrição do Avanço
estimada Projetada
SIGET Empreendimento Físico
pelo agente pela SFE

LT 230 kV Xavantes -
T2012-036 27/5/2018 15/6/2018 75%
Pirineus C2

Observações
O contrato por Empreitada Integral, para a execução das obras das subestações, foi
assinado em 31/03/2017, o qual possui prazo de execução de 13 meses. Com isso a nova
data prevista para Operação Comercial passou para 01/05/2018.
De acordo com a última atualização de FURNAS, a CELG solicitou a alteração do arranjo
dos barramentos principais na SE Xavantes (acréscimo de duas colunas e duas vigas no
pórtico). Em função da necessidade adicional de fornecimentos para essa alteração o
novo prazo previsto para a entrada em operação passou a ser 28/05/2018.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 43
Número: 48534.001540/2018-00

5.7.2. Resolução autorizativa nº 4552/2014 – FURNAS – Furnas Centrais Elétricas


S.A.

Quadro resumo do empreendimento


Data Data
Código Descrição do Avanço
estimada Projetada
SIGET Empreendimento Físico
pelo agente pela SFE

SE Grajaú - Construção de
novo pátio 138 kV, a SF6,
T2014-012 27/4/2018 27/4/2018 98%
em substituição ao pátio
existente.

Observações
Equipamentos energizados:

• LT Grajau- Frei Caneca 3 (5/7/2017), LT Grajau- Frei Caneca 4 (18/6/2017) e


transformador TR56 (29/6/2017);
• Módulo de entrada de linha em 138 kV, arranjo barra dupla a três chaves, para
conexão da Linha de Transmissão 138 kV Frei Caneca - Grajaú C1 (25/7/2017) e
módulo de entrada de linha em 138 kV, arranjo barra dupla a três chaves, para
conexão da Linha de Transmissão 138 kV Frei Caneca - Grajaú C2 (14/7/2017);
• Módulo de conexão de transformador em 138 kV, arranjo barra dupla com
disjuntor duplo, destinado à conexão com o banco de autotransformadores TR54
500/138 kV (17/09/2017) e módulo de entrada de linha em 138 kV, arranjo barra
dupla a três chaves, para conexão da Linha de Transmissão 138 kV Terminal Sul
- Grajaú C2 (19/9/2017);
• Módulo de manobra - Entrada de Linha (EL) 138 kV Terminal Sul C4, Entrada de
Linha (EL) 138 kV Cascadura C2 e Entrada de Linha (EL) 138 kV Terminal Sul C3.

A alteração da data se justifica em função do indeferimento pelo ONS para os


desligamentos planejados e conseguinte simultaneidade com o desligamento da LT
500KV Angra-São José.
Licença Municipal de Instalação com Pré-Operação Nº 1826/2018 recebida em
06/03/2018.

5.7.3. Resolução autorizativa nº 5012/2015 – FURNAS – Furnas Centrais Elétricas


S.A.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 44
Número: 48534.001540/2018-00

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

SE FOZ DO IGUAÇU - 5º
Banco de
T2014-094 autotransformadores 27/3/2019 27/3/2019 0%
765/500 kV, 3x550 MVA e
conexões.

Observações
Contrato com empreiteira assinado em 27/12/2017 e iniciado, em fase de instalação de
canteiro, elaboração de projeto executivo e aquisição dos equipamentos.
Cronograma apresentado prevê a conclusão para março de 2019.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 45
Número: 48534.001540/2018-00

5.8. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras CHESF

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras Chesf. No período, oito
empreendimentos do grupo foram selecionados para o acompanhamento diferenciado.
Importante destacar que o grupo de concessionárias vem evoluindo no Índice de
Qualidade na Previsão da Conclusão (IQPC) dos seus empreendimentos, atingindo o
valor de 62,48 em abril/2018 numa escala de 0 a 100.

5.8.1. Contrato de Concessão nº 014/2008 – CHESF – Companhia Hidroelétrica do


São Francisco.

Justificativa do empreendimento: Para tornar adequado o atendimento às cargas


localizadas no extremo sul da Bahia, atualmente efetuado na tensão de 138 kV a partir
da subestação de Eunápolis de propriedade da Chesf, é indicada a implantação da futura
SE Teixeira de Freitas 230/138 kV, na sua configuração inicial com um AT de 100 MVA,
conectando-se à SE Eunápolis 230/138 kV, de propriedade da Chesf, através de uma
linha de transmissão em 230 kV, com 152 km de extensão. A Coelba solicitou
acesso à rede básica na SE Teixeira de Freitas 230/138 kV para dezembro de 2009.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT Eunápolis / Teixeira de
T2000-256 Freitas II e SE Teixeira de 19/4/2019 19/4/2019 54%
Freitas II 230/138 kV

Observações

Cronograma de conclusão está de acordo com o novo plano de obras 2018-2022 da


Chesf. Empreendimento retomado com avanço físico declarado de 12% no último mês,
conforme Figura 12.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 46
Número: 48534.001540/2018-00

Figura 12 – Curvas de avanço do empreendimento T2000-256.

5.8.2. Contrato de Concessão nº 019/2010 – CHESF – Companhia Hidro Elétrica do


São Francisco.

Justificativa do empreendimento: Permitir o escoamento da energia proveniente das


diversas usinas eólicas, que serão instaladas na região do Rio Grande do Norte.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 230 kV Paraiso / Açu /


T2010-090-B 29/5/2019 29/5/2019 20%
Mossoró

Observações
Concessionária declara que o empreendimento está em fase de planejamento e
priorização e que o cronograma de conclusão está de acordo com o novo plano de obras

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 47
Número: 48534.001540/2018-00

2018-2022. No entanto, percebe-se que não há avanço físico declarado para o


empreendimento nos últimos 4 meses.

5.8.3. Contrato de Concessão nº 005/2012 – CHESF – Companhia Hidro Elétrica do


São Francisco.

Justificativa do empreendimento: Evitar sobrecarga nos transformadores


remanescentes na perda de uma das unidades 230/69 kV da SE Maceió. Verificam-se
também carregamentos elevados nos TRs da SE Maceió em condição normal de
operação. Destaca-se que a capacidade de transformação 230/69 kV desta SE se
encontra esgotada. Além disso, a perda do circuito duplo 230 kV Messias - Maceió
poderá provocar corte temporário de toda a carga de Maceió.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT Messias - Maceio II 230


T2012-057-A kV CD e SE Maceio II 20/12/2018 20/12/2018 70%
230/69 kV
LT 230 kV Jardim - N.S. do
T2012-057-B Socorro e.SE 230/69 KV N. 30/06/2018 30/06/2018 80%
S. do Socorro

T2012-057-C SE 230/138 KV POÇÕES II 30/06/2018 30/11/2018 85%

Observações

T2012-057-A: Concessionária declara que o empreendimento está em fase de


planejamento e priorização e que o cronograma de conclusão está de acordo com o
novo plano de obras 2018-2022.
T2012-057-B: Concessionária declara que o empreendimento foi postergado em função
da negociação para retomada das obras pela contratada. No entanto, este
empreendimento foi priorizado pela Diretoria Executiva da Chesf.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 48
Número: 48534.001540/2018-00

T2012-057-C: Concessionária declara que o empreendimento está em fase de


negociação entre a CHESF/ABB/AFLUENTE, ainda não concluída. Previsão de conclusão
deverá ocorrer em até cinco meses após a conclusão total dessas negociações. Por este
motivo a conclusão deste empreendimento foi estimada para 30/11/2018.

5.8.4. Contrato de Concessão nº 017/2012 – CHESF – Companhia Hidro Elétrica do


São Francisco.

Justificativa do empreendimento: Novo ponto de suprimento para atendimento do


suprimento à área sul da Região Metropolitana do Recife, equacionando o esgotamento
da capacidade de transformação da SE Bongi, que já não está atendendo ao critério de
contingência (N-1).

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

T2012-060-B SE Jaboatão II 230/69 kV 31/3/2018 30/4/2018 85%

Observações
Empreendimento em fase de comissionamento. Previsão de conclusão ainda no mês de
abril/2018.

5.8.5. Contrato de Concessão nº 018/2012 – CHESF – Companhia Hidroelétrica do


São Francisco.

Justificativa do empreendimento: Expansão da Rede Básica necessária para inserir a


nova subestação Coletora Touros associada à ICG para o escoamento da geração eólica
proveniente do leilão de energia de reserva de fonte alternativa de 2011, localizados
nos municípios de São Miguel do Gostoso e Touros, no Rio Grande do Norte.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 49
Número: 48534.001540/2018-00

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 230 kV Russas II
T2012-114-C 16/12/2018 31/1/2019 47%
/Banabuiú

Observações
Concessionária declara que o empreendimento está em fase de planejamento e
priorização e que o cronograma de conclusão está de acordo com o novo plano de obras
2018-2022.

5.8.6. Resolução autorizativa nº 5225/2015 – CHESF – Companhia Hidroelétrica do


São Francisco.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

Subestação Jardim - 3º
Banco de Empreendimento concluído em
T2015-028
Autotransformadores 17/12/2017
500/230 kV - 3X200 MVA

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 50
Número: 48534.001540/2018-00

5.9. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras EDP

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras EDP. No período apenas um
empreendimento do grupo foi selecionado para o acompanhamento diferenciado.

5.9.1. Contrato de Concessão nº 028/2017 – MA I – EDP Transmissao MA I S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para solucionar o problema


causado pela oxidação nas LT 500 kV Miranda II - São Luís II C1 e C2, que poderá levar a
desligamentos nos circuitos para troca de componentes e permitir a ampliação da Rede
Básica na ilha de São Luís de forma a atender às cargas da região metropolitana,
especialmente a região portuária e industrial, e aliviar o carregamento na transformação
da SE São Luís I, que apresenta limitações físicas de expansão.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 500kV São Luís II - São


Não
T2017-052-B Luís IV, CD; SE 500/230/69 11/8/2022 0%
Informado
kV São Luís IV

Observações
Empreendimento incluído no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido a
necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017).

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 51
Número: 48534.001540/2018-00

5.10. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras Fund.


Warehouse e BTG Pactual

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras Fund. Warehouse e BTG Pactual. No
período apenas um empreendimento do grupo foi selecionado para o acompanhamento
diferenciado.

5.10.1. Contrato de Concessão nº 001/2017 – TROPICALIA – Tropicália


Transmissora de Energia S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para o aumento da capacidade de


transmissão da interligação Nordeste - Sudeste, visando o adequado escoamento dos
atuais e futuros empreendimentos de geração previstos para serem implantados na
região Nordeste, LER 2013, A-5 2013, A-3 2013 e A-5 2013, diante do excedente de
oferta de energia elétrica em certos cenários de geração maximizada, bem como os
reforços necessários no sistema receptor nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo.
Proporciona ainda rota paralela ao sistema existente da interligação Norte-
Nordeste/Sudeste, trazendo maior confiabilidade.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 500 kV Sapeaçu -
T2017-029 9/2/2022 9/2/2022 0%
Poções III C1

Observações

Empreendimento incluído no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido a


necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Não obstante, o empreendimento possui avanço geral de
18% e foi obtida a Licença de Instalação (LI) em 5/12/2017, mais de um ano antes do
previsto. A SFE entende ser bastante viável a antecipação deste empreendimento.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 52
Número: 48534.001540/2018-00

5.11. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras RC


Administração e Participações

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras RC Administração e Participações.
No período apenas um empreendimento do grupo foi selecionado para o
acompanhamento diferenciado.

5.11.1. Contrato de Concessão nº 030/2017 – RIALMA I – Rialma Transmissora de


Energia I S/A.

Justificativa do empreendimento: Atendimento a carga da Distribuidora COSERN.


Solução estrutural para o esgotamento do sistema de transmissão associado ao eixo de
138 kV entre Açu II e Campina Grande II, frente ao crescimento do mercado de energia
elétrica previsto para a região, já que as atuais SEs em 138 kV em operação na região
não atendem aos requisitos de confiabilidade e viabilidade de expansão,
comprometendo a qualidade de Suprimento a região.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 230 kV Lagoa Nova II -


T2017-088 Currais Novos II, CD e SE 11/8/2021 11/8/2021 0%
230/69 kV Lagoa nova II

Observações

Empreendimento incluído no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido a


necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Não obstante, o empreendimento possui avanço geral de
22% e foi obtida a Licença de Instalação (LI) em 28/3/2018, mais 28 (vinte e oito) meses
antes do previsto. Também consta no SIGET que a implantação do canteiro do
empreendimento já se iniciou. A SFE entende ser bastante viável a antecipação deste
empreendimento.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 53
Número: 48534.001540/2018-00

5.12. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras


BRAFER

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras BRAFER. No período, dois
empreendimentos do grupo foram selecionados para o acompanhamento diferenciado.

5.12.1. Contrato de Concessão nº 018/2016 – LITORAL SUL – Litoral Sul


Transmissora de Energia LTDA.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para as instalações de


transmissão, de fronteira e de distribuição para aumentar a confiabilidade do sistema
de transmissão garantindo o atendimento ao crescimento do mercado da região do
litoral norte do estado do Rio Grande do Sul. Essa região possui sua economia
preponderantemente associada à atividade turística de veraneio e à rizicultura,
conferindo uma grande variação sazonal no atendimento à demanda. Essa variação
impõe sobrecargas em transformações de fronteira em condição normal de operação,
além de problemas de tensão e sobrecargas ainda mais severas em condições de
emergência (ONS, 2017).

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 230 kV Atlântida 2 -
T2016-079-A Torres 2 - Forquilhinha e 27/6/2020 27/6/2020 0%
SE Torres 2

SE Tubarão Sul 230/138


T2016-079-B 27/6/2020 27/6/2020 0%
kV

Observações

Empreendimentos incluídos no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido


a necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Empreendimentos em fase de licenciamento ambiental.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 54
Número: 48534.001540/2018-00

5.13. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras CEEE-


GT

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras CEEE-GT. No período, seis
empreendimentos do grupo foram selecionados para o acompanhamento diferenciado.

5.13.1. Contrato de Concessão nº 001/2011 – TESB – Transmissora de Energia Sul


Brasil S.A.

Justificativa do empreendimento: A partir da implantação da SE 230/69 kV Porto Alegre


8 até a entrada em operação da LT 230 kV Porto Alegre 9 - Porto Alegre 8, a SE 230/69
kV Porto Alegre 8 será atendida radialmente em 230 kV a partir da SE 230/69 kV Gravataí
2. Portanto, a contingência da LT 230 kV Gravataí 2 - Porto Alegre 8 implicará em corte
total da carga atendida pela SE Porto Alegre 8.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 230 kV Porto Alegre 9 -


T2011-170-A 11/1/2019 15/3/2019 11%
Porto Alegre 8

LT 230 kV Porto Alegre 9 -


T2011-170-B 8/8/2018 16/9/2018 54%
Nova Santa Rita

LT 230 kV Campo Bom -


T2011-170-C 11/1/2019 11/1/2019 2%
Taquara

SE 230/69 kV Jardim
T2011-170-D Botânico compacta (ex- 2/7/2018 2/7/2018 76%
Porto Alegre 12)

T2011-170-F SE 230/69 kV Candelária 2 22/8/2018 19/11/2018 15%

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 55
Número: 48534.001540/2018-00

Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

SE 230/69kV Restinga, LT
230kV Restinga-
T2011-170-G 20/6/2018 20/6/2018 92%
PortoAlegre13 e LT 230kV
Restinga-Viamão3

Observações

Estes empreendimentos foram fiscalizados pela equipe da SFE em dezembro de 2017 e


o relatório consta no processo de acompanhamento número 48500.000736/2017-20.

T2011-170-A: Obra prevista para ser concluída com mais de 5 (cinco) anos de atraso de
acordo com a Concessionária. Grande parte dos materiais previstos já foram comprados,
com parte da obra civil já iniciada. Continua o estudo para um novo traçado de trecho
da linha devido as obras viárias na região pela P.M. Porto Alegre (região do aeroporto
Salgado Filho). O processo de liberação fundiária continua em andamento. Obras civis
do bay de saída da linha na SE PAL 9 praticamente finalizadas e em fase final a montagem
eletromecânica dos equipamentos de pátio e lançamento de cabos de controle. Painel
de proteção instalado na casa de comando da SE PAL 9. Obras civis do bay de saída da
linha na SE PAL 8 em estágio inicial. Data projetada pela SFE com base no avanço físico
do empreendimento (Figura 13).

Figura 13 – Curvas S do empreendimento T2011-170-A

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 56
Número: 48534.001540/2018-00

T2011-170-B: Obra prevista para ser concluída com mais de 5 (cinco) anos de atraso de
acordo com a Concessionária. A totalidade dos materiais previstos já foram comprados.
Construção de fundações e montagem de estruturas em andamento. Está ocorrendo a
análise de alteração de projeto em trecho da LT de estrutura metálica para postes
devido a área alagada durante construção da Rodovia do Parque (BR-448/RS). Obras
civis concluídas do bay de chegada da linha na SE PAL 9 e em fase final a montagem
eletromecânica dos equipamentos de pátio (caixas e fiação). Painel de proteção
instalado na casa de comando. Data projetada pela SFE com base no avanço físico do
empreendimento (Figura 14).

Figura 14 – Curvas S do empreendimento T2011-170-B

T2011-170-C: Obra prevista para ser concluída com mais de 5 (cinco) anos de atraso de
acordo com a Concessionária. Grande parte dos materiais previstos já foram comprados.
O processo de liberação fundiária continua em andamento. O TAF dos painéis nas
subestações Campo Bom e Taquara em programação.

T2011-170-D: Obra prevista para ser concluída com quase 5 (cinco) anos de atraso de
acordo com a Concessionária. Projeto executivo finalizado. Todos os materiais previstos
já foram comprados. Obras civis e acessos concluídos. Concluída a montagem dos
transformadores e dos módulos de GIS 230kV e 69kV. Painéis elétricos instalados na
casa de comando. Em andamento o lançamento e conectorização dos cabos de controle
entre os módulos GIS e LCC (Setor de 230 kV concluído). Ensaios de High Volt e Descargas
Parciais dos módulos GIS e dos Transformadores a realizar. Dutos subterrâneos
concluídos, sendo terminada a passagem de dutos da travessia da Av. Ipiranga. Faltando
finalizar as emendas dos cabos subterrâneos.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 57
Número: 48534.001540/2018-00

(a) (b)

(c) (d)

Figura 15 – Ilustração do andamento das obras: (a) GIS 230 kV montada; (b) GIS 69 kV montada; (c) Sala
de Supervisão e Controle com Painéis instalados e fiação de 69 kV passada; (d) Cabos lançados faltando
finalizar as emendas.

T2011-170-F: Obra prevista para ser concluída com mais de 5 (cinco) anos de atraso de
acordo com a Concessionária. A totalidade dos materiais previstos já foram comprados.
Finalizada a terraplenagem e a macrodrenagem da SE. Iniciado as obras civis na
subestação (base de equipamentos e pórticos). As obras foram paralisadas pelo IPHAN
em 08/08/17 até a conclusão da prospecção arqueológica, sendo que em 25/09/17 o
IPHAN liberou a continuidade dos serviços, estando aguardando a liberação da FEPAM.
Liberação fundiária do ramal Candelária 2 concluída. Aguardando a emissão pelo IPHAN
de resolução referente a aprovação do projeto de prospecção interventiva arqueológica.

T2011-170-G: Obra prevista para ser concluída com mais de 4 (quatro) anos e meio de
atraso de acordo com a Concessionária. Projeto executivo finalizado e a totalidade dos
materiais previstos já comprados. Na SE Restinga, a subestação está pronta para
energização e entrada em operação dos transformadores de força de 230/69 kV e dos
módulos GIS 230 kV e 69 kV. Na SE PAL 13 foi realizado o desligamento em 21 de janeiro

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 58
Número: 48534.001540/2018-00

para a adequação dos barramentos e instalação dos equipamentos. Os painéis elétricos


da casa de comando e o lançamento de cabos de controle foram concluídos. Em
programação montagem dos serviços auxiliares e instalação do GMG. No primeiro
trecho da LT 230 kV Restinga - Porto Alegre 13, todas as torres estão montadas e foi
concluído o lançamento de cabos condutores, para-raios e OPGW. Comissionamento
finalizado. No segundo trecho da LT 230 kV Restinga - Porto Alegre 13, segue o processo
de liberação continuando a negociação com os proprietários no trecho compartilhado
com estruturas da CEEE-GT. Das 6 estruturas que serão implantadas 4 foram liberadas.
Na LT 230 kV Restinga - Viamão 3, foi concluída a montagem das 54 estruturas da linha.
Lançamento de cabos condutores e para-raios concluídos.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 59
Número: 48534.001540/2018-00

5.14. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras


Eletrosul

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras Eletrosul. No período, dois
empreendimentos do grupo foram selecionados para o acompanhamento diferenciado.

5.14.1. Contrato de Concessão nº 007/2014 – FOTE – Fronteira Oeste Transmissora


de Energia S.A.

Justificativa do empreendimento: Evita baixo perfil de tensão nas SEs São Borja 2,
Maçambará, Uruguaiana, Uruguaiana 5 e Alegrete 2, com a UTE Uruguaiana fora de
operação, em contingências de linhas de 230kV na região oeste do Rio Grande do Sul,
mesmo após a entrada de compensação capacitiva prevista para a região.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 230kV Santo Ângelo -


T2014-021-A 31/3/2019 31/3/2019 25%
Maçambará

SE 230/138kV Pinhalzinho
(ampliação) e LT 230kV
T2014-021-C 30/11/2019 30/11/2019 19%
Foz do Chapecó -
Pinhalzinho C2

Observações

T2014-021-A: Obra prevista para ser concluída com mais de 2 (dois) anos e meio de
atraso de acordo com a Concessionária. Nas SEs Santo Ângelo e Maçambara, o projeto
Executivo e o fornecimento dos equipamentos principais estão concluídos. As obras
estão finalizadas, restando o comissionamento. A Licença de Instalação foi finalmente
emitida em 15 de janeiro de 2018.
T2014-021-C: Obra prevista para ser concluída com mais de 1 (um) ano e meio de atraso
de acordo com a Concessionária. Previsão de emissão da Licença de Instalação (LI) para
fevereiro de 2019 não concretizada. Em continuação os processos de licitação para

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 60
Número: 48534.001540/2018-00

contratação de serviços para o licenciamento ambiental, para prospecção arqueológica


e para levantamento topocadastral. Finalizados os processos referentes aos Contratos
de Compartilhamento de Instalação - CCI. Painel de Proteção e Controle montado e
finalizado.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 61
Número: 48534.001540/2018-00

5.15. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras Cymi

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras Cymi. No período, dezesseis
empreendimentos do grupo foram selecionados para o acompanhamento diferenciado.

5.15.1. Contrato de Concessão nº 005/2015 – Macedo – Transmissora José Maria de


Macedo de Eletricidade S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para expansão do sistema da


região central da Bahia, visando o adequado escoamento dos futuros parques de
geração eólica da região que venderam energia nos Leilões de 2013, com folga para
ainda conexão de novos empreendimentos.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

SEs Gentio do Ouro II e


Ourolândia II e linhas para
T2015-036-A 27/3/2018 27/3/2018 100%
escoamento de energia
eólica.

LT Igaporã III - Pindaí II


T2015-036-B 15/5/2018 15/5/2018 34%
C2/C3

Observações

T2015-036-A: Conforme informado no SIGET o empreendimento já está com 100% de


desenvolvimento físico. Emissão da Licença de Operação (LO) junto ao IBAMA prevista
para 27/4/18, permitindo a entrada em operação comercial das Instalações. Carta ONS-
0244/DTA/2018 de 16/03/2018; Carta ONS-0267/DTA/2018 de 29/03/2018 e Carta
ONS-0310/DTA/2018 de 04/04/2018 emitindo TLT para diversos módulos do
empreendimento.

T2015-036-B: Empreendimento sem Licença de Instalação (LI). Protocolo do relatório de


solicitação da LI em 07/12/2017 (INEMA é o órgão licenciador)

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 62
Número: 48534.001540/2018-00

5.15.2. Contrato de Concessão nº 005/2016 – MANTIQUEIRA - Mantiqueira


Transmissora de Energia S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para eliminar sobrecarga no


transformador remanescente da SE Itutinga 345/138 kV na contingência de uma das
duas unidades, eliminar sobrecarga na LT 138 kV Saramenha - Ouro Preto na
contingência da LT 345 kV Jeceaba - Itabirito 2 C1 e eliminar sobrecarga na LT 138 kV
Itutinga - São João DEl Rey na contingência da LT 345 kV Itutinga - Juiz de Fora.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 345 kV Jeceaba -
T2016-075-A Itutinga, C1; LT 345 kV 04/03/2021 04/03/2021 0%
Itabirito 2 - Jeceaba, C2

SE Itabira 5 500/230 kV
T2016-075-B LT 230 kV Itabira 2 - 04/03/2021 04/03/2021 0%
Itabira 5

LT 230 kV Irapé – Araçuaí


T2016-075-C 04/03/2021 04/03/2021 0%
2 C2

SE João Monlevade 4
T2016-075-D 04/03/2021 04/03/2021 0%
230/69 kV

SE Janaúba 3 230/138 kV
T2016-075-E LT 230 kV Irapé - Janaúba 04/03/2021 04/03/2021 0%
3 - C1

T2016-075-F SE Braúnas 230/138 kV 04/03/2021 04/03/2021 0%

T2016-075-G SE Timóteo 2 230/138 kV 04/03/2021 04/03/2021 0%

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 63
Número: 48534.001540/2018-00

Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

SE Presidente Juscelino
500/345 kV; SE Sarzedo
T2016-075-H 04/03/2021 04/03/2021 0%
345 kV e SE Betim 6 e LTs
345 e 500 kV.

SE Presidente Juscelino -
Instalação do 2º banco de
T2016-075-I 04/03/2021 04/03/2021 0%
Reatores de Barra 500 kV
- 150 Mvar

SE Itabira 5 - Instalação do
2º banco de
T2016-075-J
Transformação 500/230 04/03/2021 04/03/2021 0%
kV

T2016-075-K SE Varginha 4 345/138 kV 04/03/2021 04/03/2021 0%

Observações

Empreendimentos incluídos no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido


a necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Empreendimentos em fase de licenciamento ambiental.
Conforme detalhamento a seguir.
T2016-075-A: Conforme informações do SIGET, empreendimento sem Licença Prévia
(LP). Previsão para 10/07/2018.
T2016-075-B: Conforme informações do SIGET, empreendimento sem LP. Previsão para
01/05/2018.
T2016-075-C: Conforme informações do SIGET, LP obtida em 21/08/2017.
Empreendimento sem Licença de Instalação (LI). Previsão para 15/05/2018.
T2016-075-D: Conforme informações do SIGET, LP obtida em 24/01/2018.
Empreendimento sem LI. Previsão para 20/09/2018.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 64
Número: 48534.001540/2018-00

T2016-075-E:Conforme informações do SIGET, LP obtida em 21/08/2017.


Empreendimento sem LI. Previsão para 15/05/2018.
T2016-075-F: Conforme informações do SIGET, LP obtida em 24/01/2018.
Empreendimento sem LI. Previsão para 20/08/2018.
T2016-075-G:Conforme informações do SIGET, LP obtida em 24/01/2018.
Empreendimento sem LI. Previsão para 20/07/2018.
T2016-075-H: Conforme informações do SIGET, empreendimento sem LP. Previsão para
01/05/2018.

T2016-075-I: Conforme informações do SIGET, empreendimento sem LP. Previsão para


01/05/2018.

T2016-075-J: Conforme informações do SIGET, empreendimento sem LP. Previsão para


01/05/2018.

T2016-075-K: Conforme informações do SIGET, LP obtida em 24/01/2018.


Empreendimento sem LI. Previsão para 20/11/2018.

5.15.3. Contrato de Concessão nº 011/2017 – GSTE – Giovanni Sanguinetti


Transmissora de Energia S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para expansão da Rede Básica da


Área Leste da região Nordeste para escoamento do potencial eólico dessa região, desde
o estado do Rio Grande do Norte até a Bahia.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 500kV João Câmara III -


T2016-113 Açu III C2 e LT 500kV Açu 9/2/2022 9/2/2022 0%
III - Milagres II C2

Observações

Empreendimentos incluídos no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido


a necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 65
Número: 48534.001540/2018-00

Desempenho (ANEEL, 2017). Empreendimentos em fase de licenciamento ambiental.


Conforme informações do SIGET, empreendimento sem Licença Prévia (LP). Previsão
para obtenção da LP em 1/2/2019. Não obstante, o pedido de LP se deu dez meses antes
do previsto, indicando potencial para antecipação de cronograma. Empreendimento
com desenvolvimento geral de 30%.

5.15.4. Contrato de Concessão nº 017/2017 – VEREDAS – Veredas Transmissora de


Eletricidade S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para o aumento da capacidade de


transmissão da interligação Nordeste - Sudeste, visando o adequado escoamento dos
atuais e futuros empreendimentos de geração previstos para serem implantados na
região Nordeste, LER 2013, A-5 2013, A-3 2013 e A-5 2013, diante do excedente de
oferta de energia elétrica em certos cenários de geração maximizada, bem como os
reforços necessários no sistema receptor nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo.
Proporciona ainda rota paralela ao sistema existente da interligação Norte-Nordeste/
Sudeste, trazendo maior confiabilidade.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 500kV João Câmara III -


T2017-028 Açu III C2 e LT 500kV Açu 9/2/2021 9/2/2021 0%
III - Milagres II C2

Observações
Empreendimentos incluídos no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido
a necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Empreendimentos em fase de licenciamento ambiental.
Conforme informações do SIGET, empreendimento sem Licença Prévia (LP). Previsão de
LP para 10/02/2019. Não obstante, o pedido de LP se deu oito meses antes do previsto,
indicando potencial para antecipação de cronograma. Empreendimento com
desenvolvimento geral de 31%.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 66
Número: 48534.001540/2018-00

5.15.5. Contrato de Concessão nº 009/2017 – TSE – Transmissora Sertaneja de


Eletricidade S.A.

Justificativa do empreendimento: Estação Conversora CA/CC, ±800 kV, 4.000 MW,


junto à SE 500 kV Xingu; Estação Conversora CA/CC, ±800 kV, 3.850 MW, junto à SE 500
kV Estreito; Linha de Transmissão em Corrente Contínua de ±800 kV Xingu - Estreito.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LTs Buritirama - Queimada


Nova II - Curral Novo do
T2017-040 9/2/2022 9/2/2022 0%
Piauí II (C1) e SE Queimada
Nova II

Observações
Empreendimentos incluídos no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido
a necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Empreendimentos em fase de licenciamento ambiental.
Conforme informações do SIGET, empreendimento sem Licença Prévia (LP). Previsão
para 10/02/2019. Não obstante, o pedido de LP se deu dez meses antes do previsto,
indicando potencial para antecipação de cronograma. Empreendimento com
desenvolvimento geral de 28%.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 67
Número: 48534.001540/2018-00

5.16. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras FIP


CAIXA MILÃO

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras FIP Caixa Milão. No período, cinco
empreendimentos do grupo foram selecionados para o acompanhamento diferenciado.

5.16.1. Contrato de Concessão nº 008/2013 – SÃO JOÃO – São João Transmissora


de Energia S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para expansão da Rede Básica da


Área Leste da região Nordeste para escoamento do potencial eólico dessa região, desde
o estado do Rio Grande do Norte até a Bahia.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 500 kV Gilbués II - São


T2013-045 10/10/2016 10/10/2016 100%
João do Piauí C1

Observações
A transmissora informou que concluiu todas as atividades possíveis relativas ao seu
contrato e existe pendência impeditiva de terceiros para a conclusão total e entrega
para o SIN. Porém foram constatadas pela fiscalização pendências impeditivas próprias
que estão sendo apuradas em processo de fiscalização. A adequação na SE São João do
Piauí foi autorizada para a concessionária por meio da REA 5988/2016, cujo prazo
previsto para conclusão informado pela transmissora é 30/06/2018, e ainda dependerá
da conclusão da obras na SE Gilbués II autorizadas para a São Pedro transmissora, cuja
data prevista de conclusão informada pela transmissora é 30/4/2018.

Em 28 de março de 2017 a ANEEL emitiu a Resolução Autorizativa – REA n° 6.260,


publicada no D.O em 31 de março de 2017, que autorizou a São João Transmissora de
Energia S.A – SJT, a implantar reforços na subestação São João do Piauí e estabeleceu os
valores das correspondentes parcelas da RAP, tendo também anulado a REA nº 5.988,
de 16 de agosto de 2016 (por vício de legalidade: Processo administrativo n°
48500.002556/2016-00. Por não ter oportunizado à ATE XIX a possibilidade de participar

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 68
Número: 48534.001540/2018-00

do processo que resultou na REA nº 5.988, de 2016, implicando em lesão ao devido


processo legal e, nos termos do art. 53 da Lei n° 9.784, de 29 de janeiro de 1999, a
referida Resolução foi anulada.). O prazo para implantação do reforço foi fixado em 7
meses a partir da publicação da REA n° 6.260, de 2017, ou seja, até 31 de outubro de
2017.

5.16.2. Contrato de Concessão nº 015/2013 – SÃO PEDRO – São Pedro Transmissora


de Energia S.A.

Justificativa do empreendimento: Evitar afundamento de tensão nas SEs São João do


Piauí, Eliseu Martins, Picos e Tauá II na perda do único AT 500/230 kV da SE São João do
Piauí ou na contingência de LTs 230 kV no eixo São João do Piauí - Picos - Tauá II -
Milagres. Evitar sobrecarga no transformador remanescente da SE Eliseu Martins na
perda de uma das duas unidades dessa SE. Solicitação de acesso da E.D. Piauí.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

Suprimento ao Oeste da
Bahia - LTs entre SE Rio
T2014-014-A 7/10/2016 30/4/2018 100%
Grande II e SEs Barreiras I
e II

Subestação Gilbués II -
Adequação do módulo
T2014-014-B 7/10/2016 7/10/2016 100%
geral para conexão da São
João Transmissora.

Observações
T2014-014-A: Foram emitidos pelo ONS os TLTs em 29/3/2018 para várias FTs do
contrato 015/2016, apesar de já estarem em operação desde o dia 21/02/2018
conforme informado no IPDO do ONS. A esse respeito cabe informar que, a não
conclusão das obras sob responsabilidade da ATE XVI via o Contrato de Concessão
001/2013-ANEEL, o qual teve a sua caducidade declarada na Portaria do MME nº 373,

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 69
Número: 48534.001540/2018-00

de 19.09.2017, motivou a definição de uma configuração provisória do sistema elétrico


local para possibilitar a energização das instalações de 230 kV e 69 kV da SPTE.
Adicionalmente, a adequação do módulo geral da Subestação Gilbués II para possibilitar
a conexão em 500 kV da São João Transmissora de Energia S.A. nessa subestação, passou
a ser também de sua responsabilidade, conforme Resolução Autorizativa ANEEL nº
6069/2016. Sendo assim, o Contrato de Concessão N° 015/2013 – Lote C2 não será
totalmente entregue à operação, pois depende da conclusão das obras da REA
6069/2016 que tem previsão para 30/04/2018.
T2014-014-B: Falta o seccionamento da LT 230kV Bom Jesus da Lapa - barreiras na SE
Barreiras II, que depende do acerto de desligamentos entre SPT, CHESF, ONS, COELBA e
Enel Green Power, sem prazo definido para solução. O restante do empreendimento
está em operação. Houve uma reunião em 13/4/2018 sobre esse assunto na ANEEL.

Para a subestação Gilbués II, foi autorizada à São Pedro Transmissora de Energia S.A. –
SPT, por meio da REA nº 6.069, de 4 de outubro de 2016, publicada no D.O em 7 de
outubro de 2016, posteriormente alterada pela REA nº 6.266, de 4 de abril de 2017,
publicada no D.O em 11 de abril de 2017, a implantação de reforços. Tais obras incluíam
a adequação do módulo geral da subestação para possibilitar a conexão da SJT, com
execução de terraplenagem, drenagem, embritamento e arruamento, implantação de
iluminação, malha de terra, canaletas, cercas e muros, bem como a instalação dos
pórticos, cabos, 2 transformadores de potencial 500 kV para sincronismo e aquisição de
2 unidades centrais de proteção de barra 500 kV, além da ampliação dos serviços
auxiliares da subestação. A REA nº 6.266, de 2017, no entanto, não modificou o prazo
para conclusão do empreendimento previsto na REA nº 6.069, que era de 10 meses a
partir da publicação dessa última, portanto, até 7 de agosto de 2017.

5.16.3. Resolução Autorizativa nº 6069/2016 – SÃO PEDRO – São Pedro


Transmissora de Energia S.A.

Justificativa do empreendimento: Evitar afundamento de tensão nas SEs São João do


Piauí, Eliseu Martins, Picos e Tauá II na perda do único AT 500/230 kV da SE São João do
Piauí ou na contingência de LTs 230 kV no eixo São João do Piauí - Picos - Tauá II -
Milagres. Evitar sobrecarga no transformador remanescente da SE Eliseu Martins na
perda de uma das duas unidades dessa SE. Solicitação de acesso da E.D. Piauí.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 70
Número: 48534.001540/2018-00

Quadro resumo do empreendimento

Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

Subestação Gilbués II -
Adequação do módulo
T2016-049 30/4/2018 30/4/2018 0%
geral para conexão da São
João Transmissão

Observações
Conforme observações do item 5.16.2 deste relatório.

5.16.4. Resolução autorizativa nº 5988/2016 – SÃO JOÃO – São João Transmissora


de Energia S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para expansão da Rede Básica da


Área Leste da região Nordeste para escoamento do potencial eólico dessa região, desde
o estado do Rio Grande do Norte até a Bahia.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

SE São João do Piauí -


Adequação do módulo
T2016-053 30/6/2018 30/6/2018 0%
geral para conexão da São
João Transmissora

Observações
Conforme observações do item 5.16.1 deste relatório.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 71
Número: 48534.001540/2018-00

5.17. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras MPE


Engenharia

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras MPE Engenharia. No período apenas
um empreendimento do grupo foi selecionado para o acompanhamento diferenciado.

5.17.1. Contrato de concessão nº 012/2016 – PBTE – Piratininga Bandeirantes


Transmissora de Energia LTDA.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para evitar sobrecargas na LT 345


kV Xavantes - Bandeirantes na contingência de um dos cabos subterrâneos dessa LT.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 345 kV Bandeirantes -
T2016-104 Piratininga II C1 e C2 30/6/2046 27/6/2020 0%
(subterrânea)

Observações

Empreendimentos incluídos no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido


a necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Empreendimentos em fase de licenciamento ambiental.
Conforme informações do SIGET, empreendimento sem Licença Prévia (LP). Previsão
não realizada para 5/3/2018. Não obstante, o pedido de LP se deu dois meses após o
previsto, o que nos permite estimar que a LP seja emitida em maio/2018.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 72
Número: 48534.001540/2018-00

5.18. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras


Neoenergia

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras Neoenergia. No período apenas um
empreendimento do grupo foi selecionado para o acompanhamento diferenciado.

5.18.1. Contrato de concessão nº 040/2017 – EKTT 14 – EKTT 14 A Serviços de


Transmissão de Energia Elétrica SPE S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para resolver problemas de


controle de tensão na SE Biguaçu na contingência da LT 525 kV Campos Novos - Biguaçu,
agravados ao se considerar a UTE Jorge Lacerda desligada. Observa-se também o
esgotamento das transformações de fronteira na região.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

SE 525 kV Biguaçu -
T2017-050 Compensador Estático 525 31/1/2021 31/1/2021 0%
kV (-100/+300) Mvar

Observações
Empreendimentos incluídos no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido
a necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Empreendimentos em fase de licenciamento ambiental.
Conforme informações do SIGET, empreendimento teve a Licença Prévia (LP) emitida
em 31/10/2017, quatorze meses antes da data prevista. Os pedidos de Licença de
Instalação (LI) e Autorização de Supressão Vegetal (ASV) foram feitos em 29/11/2017. A
aquisição de materiais para o empreendimento encontra-se em ritmo acelerado. Há
potencial de antecipação do cronograma do empreendimento.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 73
Número: 48534.001540/2018-00

5.19. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras State


Grid

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras State Grid. No período, três
empreendimentos do grupo foram selecionados para o acompanhamento diferenciado.

5.19.1. Resolução autorizativa nº 3588/2012 – ITE – Itumbiara Transmissora de


Energia S.A.

Justificativa do empreendimento: LT 500 kV RIBEIRAOZINHO/R.VERDE NORTE C-1


MT/GO. Obra associada ao sistema de transmissão de integração das usinas da bacia do
rio Teles Pires.
Quadro resumo do empreendimento
Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

SE Rio Verde Norte - Banco


T2012-061 de capacitores série em 16/7/2017 - 96%
500 kV, 390 Mvar.

Observações
Conforme SIGET a obra possui um desenvolvimento físico de 96%. A ITE informou que o
banco de capacitores se encontra em operação desde segundo semestre de 2017,
porém há algumas pendências no sequencial de eventos SOE para o ONS, e está em fase
de solicitação do TLP.

5.19.2. Contrato de concessão nº 007/2015 – XRTE – Xingu Rio Transmissora de


Energia S.A.

Justificativa do empreendimento: Escoamento da geração da UHE Belo Monte do


Norte para o Sudeste.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 74
Número: 48534.001540/2018-00

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 800 kV Xingu/Terminal
T2016-018 Rio PA/RJ e estações 2/12/2019 2/12/2019 32%
conversoras CA/CC 800 KV

Observações

Empreendimento na etapa de desenvolvimento físico, com 70% das fundações já


construídas e 19% das estruturas montadas, conforme ilustra a Figura 22.

Figura 16 – Curvas S dos empreendimentos T2016-018.

Em 31/1/2017 a XRTE solicitou LI para os demais componentes faltantes da LI 1180/2017


que são: (i) as linhas de 500kV entre SE Terminal Rio e Nova Iguaçu; (ii) eletrodos de
terra e respectivas linhas dos eletrodos; e (iii) seccionamento das linhas 500kV
Adrianópolis –Resende e Adrianópolis –Cachoeira paulista na SE Terminal Rio. Foi
definido pela ANEEL, que a XRTE poderá fazer o circuito duplo de 500kV entre as SE
Terminal Rio e Nova Iguaçu, porém com redução de RAP.
A seguir os avanços físicos por etapa do empreendimento:

• SE Xingu - progresso geral de 22,25%

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 75
Número: 48534.001540/2018-00

• SE Terminal Rio - 19,39%


• LT 800kV CC - 42%
• Torres liberadas - 94%
• Fundação - 68%
• Montagem - 20%
• Lançamento de cabos - 0,2%

Os pontos críticos do projeto, segundo a transmissora são:

• Emissão da LI para Construção da LT CA 500kV e seccionamentos associados, LT´s


e eletrodos Xingu e Rio;
• Emissão das DUPs: LT CA 500kV, Área do Eletrodo de Xingu, LTs dos eletrodos de
Xingu e Rio, Repetidoras e Atualizações da LT CC 800kV;
• Impedimentos fundiários na LT CC
• Fazenda Santa Barbara (apesar de decisão judicial os embargos acontecem com
frequência)
• Município de Iguatama/MG
o Negociações fundiárias na faixa da LT CA
o Aprovação das travessias com os órgãos relacionados, principalmente da
grande travessia do Rio Araguaia com a Capitania dos Portos (análise de
navegabilidade foi solicitada);
• Adoção de medidas mitigadoras dos desafios sociais encontrados.

Figura 17 – SE Xingu – Montagem Casa de Valvulas – polo1

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 76
Número: 48534.001540/2018-00

Figura 18 – SE Xingu – Fundação dos transformadores – Polo 2

Figura 19 – SE Xingu – Fundações dos filtros AC

Figura 20 – SE Terminal Rio – Montagem casa de válvulas – lado DC – polo1

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 77
Número: 48534.001540/2018-00

Figura 21 – SE Terminal Rio – Montagem da malha de aterramento do pátio AC

5.19.3. Contrato de Concessão nº 010/2016 – PRTE – Paranaíta Ribeirãozinho


Transmissora de Energia S.A.

Justificativa do empreendimento: Sistema de transmissão de integração das usinas da


bacia do rio Teles Pires.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 500 kV Paranaíta -
T2016-103 Cláudia - Paranatinga - 28/2/2019 28/2/2019 50%
Ribeirãozinho C3

Observações
Empreendimento na etapa de desenvolvimento físico, com 73% das fundações já
construídas e 35% das estruturas montadas. Empreendimento com avanço físico de
50%, em bom ritmo de execução, conforme ilustra a Figura 22.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 78
Número: 48534.001540/2018-00

Figura 22 – Curvas de desenvolvimento físico empreendimentos T2016-103.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 79
Número: 48534.001540/2018-00

5.20. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras Alupar

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras State Grid. No período, três
empreendimentos do grupo foram selecionados para o acompanhamento diferenciado.

5.20.1. Contrato de concessão nº 013/2016 – ETAP – ETAP Empresa Transmissora


Agreste Potiguar S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para expansão da Rede Básica da


Área Leste da região Nordeste para escoamento do potencial eólico dessa região, desde
o estado do Rio Grande do Norte até a Bahia.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 230kV João Câmara II -


João Câmara III CD e SE
T2016-112
João Câmara III (novo setor 27/12/2019 27/12/2019 0%
230kV) 500/230-13,8kV

Observações
Empreendimentos incluídos no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido
a necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Empreendimentos com de Licença de Instalação (LI) e
Autorização de Supressão Vegetal (ASV) emitidas em 20/9/2017, cerca de doze meses
antes do prazo contratual. Não obstante, após vencida a fase de licenciamento, não há
qualquer desenvolvimento físico declarado para o empreendimento.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 80
Número: 48534.001540/2018-00

5.20.2. Contrato de concessão nº 002/2017 – TPE – Transmissora Paraiso de Energia


S.A

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para o aumento da capacidade de


transmissão da interligação Nordeste - Sudeste, visando o adequado escoamento dos
atuais e futuros empreendimentos de geração previstos para serem implantados na
região Nordeste, LER 2013, A-5 2013, A-3 2013 e A-5 2013, diante do excedente de
oferta de energia elétrica em certos cenários de geração maximizada, bem como os
reforços necessários no sistema receptor nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo.
Proporciona ainda rota paralela ao sistema existente da interligação Norte-
Nordeste/Sudeste, trazendo maior confiabilidade.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 500kV Poções III-


P.Paraíso 2-G.Valadares 6
T2017-030 C1, SE 500kV P.Paraíso 2, 9/2/2022 9/2/2022 0%
SE 500/230kV G.Valadares
6

Observações
Empreendimentos incluídos no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido
a necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Empreendimentos em fase de licenciamento ambiental.
Conforme informações do SIGET, empreendimento sem Licença Prévia (LP). Previsão
para emissão da LP em 9/2/2019. Não obstante, o pedido de LP se deu sete meses antes
do previsto, indicando que há potencial para antecipação do cronograma.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 81
Número: 48534.001540/2018-00

5.20.3. Contrato de concessão nº 006/2017 – TCC – Transmissora Caminho do Café


S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para o aumento da capacidade de


transmissão da interligação Nordeste - Sudeste, visando o adequado escoamento dos
atuais e futuros empreendimentos de geração previstos para serem implantados na
região Nordeste, LER 2013, A-5 2013, A-3 2013 e A-5 2013.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 500 kV Governador
Valadares 6 - Mutum C1LT
T2017-035 9/2/2022 9/2/2022 0%
500 kV Mutum - Rio Novo
do Sul C1SE Mutum

Observações

Empreendimentos incluídos no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido


a necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Empreendimentos em fase de licenciamento ambiental.
Conforme informações do SIGET, empreendimento sem Licença Prévia (LP). Previsão
para emissão da LP em 9/2/2019. Não obstante, o pedido de LP se deu nove meses antes
do previsto, indicando que há potencial para antecipação do cronograma.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 82
Número: 48534.001540/2018-00

5.21. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras


ISOLUX

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras Isolux. No período apenas um
empreendimento do grupo foi selecionado para o acompanhamento diferenciado.

5.21.1. Contrato de concessão nº 020/2011 – LTTE – Linhas de Taubaté Transmissora


de Energia S.A.

Justificativa do empreendimento: Reforço estrutural para escoamento da geração das


usinas do rio Madeira. Novo terminal de atendimento à área Rio de Janeiro, eliminando
sobrecargas nas transformações das SEs São José 500/138 kV e Jacarepaguá 345/138
kV.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 500 kV Taubaté - Nova


T2012-040 Iguaçu e SE Nova Iguaçu 30/8/2018 30/8/2018 92%
500/345/138 kV

Observações
A Subestação 500/345/138 kV Nova Iguaçu está com os setores de 138 kV, 345 kV e 500
kV concluídos. Já a s obras de acesso à Subestação Taubaté estão com 99% das obras
civis concluídas. A LT 500 kV Taubaté – Nova Iguaçu apresenta percentual de 99% na
execução dos lançamentos de cabos.
Quanto ao seccionamento de 345 kV, tem-se apenas 1% de evolução nas obras civis.
Contudo os embargos que paralisavam o empreendimento foram superados, o que
possibilita a retomada das obras. Em 02/10/2017 foi concluído o seccionamento da LT
500kV Grajau – Zona Oeste, permitindo a energização do modulo geral da subestação
Nova Iguaçu, do transformador 500/345kV e do transformador 500/138kV, com isso
estando o setor de 138kV liberado para assumir as cargas da Distribuidora Light.
Modulo Geral de 500kV da ampliação da SE Taubaté - Programada a conclusão da
segunda barra para o dia 14 e 15/abril. Com isso, fica possível a energização da

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 83
Número: 48534.001540/2018-00

ampliação da SE Taubaté. Trecho de 5,5km de LT em Circuito Duplo – 100% concluído.


Energização da SE Taubaté: acordado com o ONS a data do dia 22/04/2018 para início
dos testes de energização. O empreendimento foi fiscalizado de acordo com o que
consta no processo nº 48500.001846/2015-47.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 84
Número: 48534.001540/2018-00

5.22. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras


Sterlite Power Grid

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras Sterlite Power Grid. No período, três
empreendimentos do grupo foram selecionados para o acompanhamento diferenciado.

5.22.1. Contrato de concessão nº 031/2017 – VINEYARDS – SE Vineyards


Transmissão De Energia S.A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para o problema de atendimento


à região de Lajeado, a partir do aumento previsto de mercado, devido à dificuldade de
expansão física da SE Lajeado 2.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 230 kV Garibaldi -
Lajeado 3, LT 230 kV
T2017-059-A 30/07/2022 30/07/2022 0%
Lajeado 2 - Lajeado 3 e SE
Lajeado 3 230/69 kV

LT 230 kV Candiota 2 -
T2017-059-B 30/07/2022 30/07/2022 0%
Bagé 2

T2017-059-C SE 230/69 kV Vinhedos 30/07/2022 30/07/2022 0%

Observações

Empreendimentos incluídos no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido


a necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Empreendimentos em fase de licenciamento ambiental.
Conforme informações do SIGET, empreendimentos sem Licença Prévia (LP). Previsão
para emissão da LP em 30/7/2019.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 85
Número: 48534.001540/2018-00

5.23. Empreendimentos sob responsabilidade do Grupo de Transmissoras TAESA

A seguir abordaremos as questões relacionadas com os empreendimentos de


transmissão associados ao Grupo de Transmissoras TAESA. No período, três
empreendimentos do grupo foram selecionados para o acompanhamento diferenciado.

5.23.1. Contrato de concessão nº 017/2016 – MIRACEMA – Miracema Transmissora


de Energia Elétrica S/A.

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para expansão do atendimento às


cargas da região de Palmas, via Rede Básica, atualmente supridas através de sistema de
distribuição em 138 kV, devido ao significativo crescimento do mercado consumidor da
capital do TO.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 500kV Miracema-
Lajeado C2, LT 230kV
T2016-056 Lajeado-Palmas CD, SE 27/12/2019 27/12/2019 0%
Lajeado e SE 230/138kV
Palmas

Observações
Empreendimento incluído no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido a
necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Empreendimento em fase de licenciamento ambiental.
Conforme informações do SIGET, empreendimento sem Licença de Instalação (LI).
Previsão para emissão da LI em 27/4/2018.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 86
Número: 48534.001540/2018-00

5.23.2. Contrato de concessão nº 015/2017 – JANAUBA – Janaúba Transmissora De


Energia Elétrica S.A

Justificativa do empreendimento: Solução estrutural para o aumento da capacidade de


transmissão da interligação Nordeste - Sudeste, visando o adequado escoamento dos
atuais e futuros empreendimentos de geração previstos para serem implantados na
região Nordeste, LER 2013, A-5 2013, A-3 2013 e A-5 2013, diante do excedente de
oferta de energia elétrica em certos cenários de geração maximizada, bem como os
reforços necessários no sistema receptor nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo.
Proporciona ainda rota paralela ao sistema existente da interligação Norte-Nordeste/
Sudeste, trazendo maior confiabilidade.

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

LT 500 kV B. J. da Lapa II -
Janaúba 3 C1, LT 500 kV
T2017-026 9/2/2022 9/2/2022 0%
Janaúba 3 - Pirapora 2 C1 e
SE 500 kV Janaúba 3

Observações

Empreendimento incluído no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido a


necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Empreendimento em fase de licenciamento ambiental.
Conforme informações do SIGET, empreendimentos sem Licença Prévia (LP). Previsão
para emissão da LP em 20/10/2018.

5.23.3. Contrato de concessão nº 039/2017 – ALIANÇA – EDP Transmissão Aliança


SC S.A

Justificativa do empreendimento: Viabilizar o atendimento elétrico ao mercado local


conforme os requisitos de qualidade e confiabilidade requeridos no Sistema Interligado
Nacional (SIN), assim como atenuar a dependência da malha de transmissão da região
sul do país em relação à operação da UTE Jorge Lacerda, de forma a viabilizar o seu
desligamento até mesmo em cenários mais críticos de contingências.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 87
Número: 48534.001540/2018-00

Quadro resumo do empreendimento


Data
Data
Código Descrição do estimada Avanço
Projetada
SIGET Empreendimento pelo Físico
pela SFE
agente

Obras de Atendimento ao
T2017-067 Estado de Santa Catariana: 11/8/2022 11/8/2022 0%
Regiões Sul e Extremo Sul

Observações
Empreendimento incluído no acompanhamento diferenciado no ano de 2018. Devido a
necessidade de readequação de planejamento operacional, até o fechamento deste
relatório não haviam informações adicionais àquelas publicadas nos Painéis de
Desempenho (ANEEL, 2017). Empreendimento em fase de licenciamento ambiental.
Conforme informações do SIGET, empreendimentos sem Licença Prévia (LP). Previsão
para emissão da LP em 11/4/2018.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 88
Número: 48534.001540/2018-00

6. Considerações Finais

Por meio do presente relatório a SFE apresenta a situação detalhada dos principais
empreendimentos de expansão da rede básica submetidos ao acompanhamento
diferenciado no período de análise.

A partir da utilização de técnicas analíticas, foi verificado para cada um dos


empreendimentos, a viabilidade de cumprimento das datas de conclusões declaradas
pelos agentes. A Tabela 5 apresenta um resumo das principais divergências de
cronogramas considerando as datas previstas pelos agentes e as datas projetadas pela
SFE, analisando os empreendimentos que ainda não foram citados no decorrer do
relatório.

Tabela 5 – Principais divergências entre data prevista pelo agente e data projetada pela SFE.

Data
Código Conclusão
Transmissora Nome do Empreendimento Projetada
SIGET Previsão
SFE

LT Araraquara 2 - Taubaté,
COPEL-GT T2010-077-B CS, em 500 KV - Linha de 30/04/2018 15/06/2018
Transmissão

CE 300/-300 Mvar Itatiba


GENEBRA T2014-075-B 14/07/2018 01/03/2019
CE1 SP

CE 300/-300 MVAr Santa


GENEBRA T2014-075-C 14/04/2018 03/08/2018
Barbara CE1 SP

SE Fernão Dias 500/440 kV


GENEBRA T2014-075-F - 2400 MVA (2° e 3° banco 14/11/2018 29/07/2019
de autotransformadores)

TESB T2011-170-F SE 230/69 kV Candelária 2 22/08/2018 19/11/2018

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 89
Número: 48534.001540/2018-00

É importante destacar que as datas projetadas pela SFE refletem uma expectativa da
fiscalização e não podem ser interpretadas como uma previsão de conclusão dos
empreendimentos. É possível que um dado empreendimento sofra alteração de ritmo
de trabalho e divirja significativamente das projeções aqui expostas.

Os empreendimentos com informações conflitantes estão sendo observados pela SFE.


Os agentes responsáveis por esses empreendimentos poderão ser provocados a
apresentar explicações quanto as divergências identificadas.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 90
Número: 48534.001540/2018-00

7. Integração de novas instalações no período de janeiro a março de 2018

Tabela 6 – Integração de novas instalações.

Transmissora Instalação Data Reflexo para o SIN

A inserção desse equipamento


Transformador TF-3 230 / aumenta a confiabilidade no
Eletronorte 69 kV - 30 MVA da SE 17/12/2017 atendimento às cargas da região de
Sorriso. Sorriso, no norte do estado de Mato
Grosso.

A inserção desse equipamento


Terceiro Transformador
aumenta a confiabilidade no
CHESF 05TR-8 500 / 230 kV - 600 17/12/2017
atendimento às cargas dos estados
MVA da SE Jardim.
de Sergipe e Alagoas.

A inserção desse equipamento


permite um melhor controle de
Guaraciaba Compensador estático CE
tensão quando do pleno escoamento
Transmissora 1 -200/+300 MVAr da SE 21/12/2017
da geração das UHEs Teles Pires e
de Energia Rio Verde Norte.
Colider, localizadas no norte do
estado de Mato Grosso.

A inserção desse equipamento


aumenta a confiabilidade no
LT 230 kV Morro do
atendimento às cargas do oeste da
CHESF Chapéu II / Irecê C S5, 21/12/2017
Bahia, bem como permite o
com extensão de 65 km.
escoamento da geração eólica da
região

A inserção desse equipamento ao SIN


aumenta a confiabilidade no
Transformador TR 230/69
atendimento às cargas da região,
CHESF kV, 100 MVA, SE 29/12/2017
alimentadas pela transformação 230
COTEGIPE TR5.
/ 69 kV da SE COTEGIPE, em condição
normal de operação.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 91
Número: 48534.001540/2018-00

Transmissora Instalação Data Reflexo para o SIN

A inserção desse equipamento ao SIN


aumenta a confiabilidade no
Transformador TR 230/69
atendimento às cargas da região em
CHESF kV, 100 MVA, SE BOM 29/12/2017
condição normal de operação.
NOME TR1.
(obs.:Transformador substituindo o
anterior que era de 33 MVA)

Matrinchã A inserção desse equipamento ao SIN


Reator RT 9RBIII , 500 kV,
Transmissora 08/01/2018 melhora no controle de tensão na
136 Mvar na SE Paranaíta.
de Energia S.A. região.
EBT - Empresa
A inserção desse equipamento ao SIN
Brasileira de Reator RT - 06 , 230 kV, 20
18/01/2018 melhora no controle de tensão na
Transmissão de Mvar na SE Juína.
região.
Energia S.A.
LTCM - Linhas A inserção desse equipamento
Transformador ATR-2,
de Transmissão melhora a confiabilidade na
500/345 kV, 560 MVA na 21/01/2018
de Montes integração entre as redes de 500 e
SE Itabirito 2 .
Claros LTDA 345 kV de Minas Gerais.

A inserção desse equipamento


TSLE - elimina a violação de tensão na
Transformador ATR-2,
Transmissora região sul do Estado do Rio Grande
525/230 kV, 672 MVA na 21/01/2018
Sul Litorânea do Sul quando da contingência do
SE Povo Novo.
Energia S.A. único transformador existente nesta
subestação.

Banco de capacitores BC A inserção desse equipamento ao SIN


ELETROSUL 01, 230 kV, 50 MVAr da SE 25/01/2018 melhora no contrrole de tensão na
Tapera 2. região.
A inserção desse equipamento
Transformador TR 04T2 -
Parque Eólico permitirá o escoamento da geração
230 / 34,5 kV - 160 MVA 31/01/2018
Assuruá II S.A. dos empreendimentos eólios da
na SE Gentio Ouro I
região.
SE Pinhalzinho 2 , sendo
interligada através da LT Estes empreendimentos reduzem o
230 kV Foz do Chapecó / carregamento da transformação 230
Fronteira Oeste
Pinhalzinho 2 e, os / 138 kV da SE Xanxerê, bem como
Transmissora 03/02/2018
transformadores TF -1, TF- melhoram as condições de
de Energia S.A.
2 e TF -3 230 / 138 kV - atendimento às cargas da região
150 MVA cada, desta oeste de Santa Catarina.
nova SE.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 92
Número: 48534.001540/2018-00

Transmissora Instalação Data Reflexo para o SIN

Cantareira LTs 500 kV C 1 e C 2 A inserção dessas LT's contribuem


Transmissora Estreito / Fernão Dias , 03/02/2018 para o escoamento da geração do
de Energia S.A. com extensão de 328 km. submercado Norte.
A inserção desse equipamento evita
Eletrosul Terceiro transformador sobrecarga no transformador
Centrais ATF1 525 / 230 kV - 672 04/02/2018 remanescente quando da
Elétricas S.A. MVA da SE Santo Ângelo. indisponibilidade de um dos dois
transformadores existentes nesta SE.
Transformador 04T2 - 230
A inserção desse equipamento
/ 69 kV - 100 MVA na SE
aumenta a confiabilidade no
CHESF Bom Nome, em 08/02/2018
atendimento às cargas da região em
substituição ao de 33
condição normal de operação.
MVA.

Banco de capacitor série A inserção desse equipamento ao SIN


CHESF 04H3, 230 kV, 15 MVAr da 09/02/2018 melhora no controle de tensão na
SE Picos. região.

SE Brasília Leste, sendo


A nova SE Brasília Leste, quando da
interligada através das
Vale do São conclusão das obras nas linhas de
novas LTs 500 kV C.1 e C.2
Bartolomeu transmissão em 138 kV, passará a ser
Luziânia / Brasília Leste,
Transmissora 18/02/2018 uma nova fonte de alimentação às
com 67 km de extensão e
de Energia - cargas do Distrito Federal e reduzirá
o novo transformador
VSBTE o carregamento das transformações
AT01 500 / 138 kV - 540
das SEs Samambaia e Brasília Sul.
MVA.

SE Giubués II, sendo


interligada através da
nova LT 230 kV 04C1 Bom
São Pedro A entrada destes novos
Jesus II / Gilbués II, com
Transmissora equipamentos ao SIN aumenta a
139 km de extensão, 21/02/2018
de Energia S.A. confiabilidade às cargas na região sul
incluindo dois novos
- SPEDRO do estado do Piauí.
transformadores T1 e T2,
230 / 69 kV - 50 MVA
cada.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 93
Número: 48534.001540/2018-00

Transmissora Instalação Data Reflexo para o SIN

SE Bom Jesus II, sendo


interligada através da
nova LT 230 kV 04M3
São Pedro A entrada destes novos
Eliseu Martins / Bom
Transmissora equipamentos ao SIN aumenta a
Jesus II, com 134 km de 21/02/2018
de Energia S.A. confiabilidade às cargas na região sul
extensão, incluindo dois
- SPEDRO do estado do Piauí.
novos transformadores
AT601 e AT602, 230 / 69
kV - 50 MVA cada.

A inserção desse transformador


permitirá maior confiabilidade no
atendimento às cargas na região
metropolita da cidade do Rio de
Linhas de
Transformador AT08, Janeiro. Obs: no dia 02/10/17 este
Traubaté
500/138 kV, 900 MVA na 23/02/2018 trafo foi disponibilizado para a
Transmissora
SE Nova Iguaçu. operação comercial somente pelo
de Energia S.A.
lado de alta tensão, aguardando as
modificações para a configuração de
138 kV da SE Cascadura (LIGHT) e no
ECE da área Rio/Espírito Santo

Fronteira Oeste LT 230 kV Foz do Chapecó A inserção desta linha melhora as


Transmissora / Pinhalzinho 2 com 40 km 01/03/2018 condições de atendimento às cargas
de Energia S.A. de extensão. da região oeste de Santa Catarina.

A inserção deste equipamento reduz


o carregamento da transformação
Fronteira Oeste Transformador TF-1,
230/138 kV da SE Xanxerê, bem
Transmissora 230/138 kV, 150 MVA da 01/03/2018
como melhoram as condições de
de Energia S.A. SE Pinhalzinho 2 .
atendimento às cargas da região
oeste de Santa Catarina.

A inserção deste equipamento reduz


o carregamento da transformação
Fronteira Oeste Transformador TF-2,
230/138 kV da SE Xanxerê, bem
Transmissora 230/138 kV, 150 MVA da 01/03/2018
como melhoram as condições de
de Energia S.A. SE Pinhalzinho 2 .
atendimento às cargas da região
oeste de Santa Catarina.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 94
Número: 48534.001540/2018-00

Transmissora Instalação Data Reflexo para o SIN

A inserção deste equipamento reduz


o carregamento da transformação
Fronteira Oeste Transformador TF-3,
230/138 kV da SE Xanxerê, bem
Transmissora 230/138 kV, 150 MVA da 01/03/2018
como melhoram as condições de
de Energia S.A. SE Pinhalzinho 2 .
atendimento às cargas da região
oeste de Santa Catarina

A entrada desse equipamento


Transformador TR-3,
elimina o risco de sobrecarga quando
Eletronorte 230/69 kV, 60 MVA da SE 04/03/2018
em contingência simples de um dos
Ariquemes.
transformadores existentes nesta SE.

Este transformador será usado como


uma reserva quente dos demais
Transformador TRD-4,
trafos devido a impossibilidade de
CELG GT 230/13,8 kV, 50 MVA da 04/03/2018
fechamento do barramento
SE Goiânia Leste
secundário dessa SE em função do
nível de curto circuito.

Transformador 04T1, A inserção desse equipamento


230/69 kV, 100 MVA da aumenta a confiabilidade no
CHESF 06/03/2018
SE Picos, em substituição atendimento às cargas da região em
ao de 33 MVA. condição normal de operação.

A inserção desse equipamento


Esperanza LT Quixadá / Açu 500 kV, contribui para o escoamento da
Transmissora III 05V2, com 229 km de 07/03/2018 geração eólica dos empreendimentos
de Energia S.A. extensão. derivados da região de João Câmara
no estado do Rio Grande do Norte.

A inserção desse equipamento


Esperanza contribui para o escoamento da
Reator E3 500 kV, 180
Transmissora 07/03/2018 geração eólica dos empreendimentos
MVAr da SE Quixadá.
de Energia S.A. derivados da região de João Câmara
no estado do Rio Grande do Norte

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 95
Número: 48534.001540/2018-00

Transmissora Instalação Data Reflexo para o SIN

São Pedro A entrada desse equipamento


Transformador 04T3,
Transmissora aumenta a confiabilidade no
230/6,6 kV, 40 MVA da SE 10/03/2018
de Energia S.A. atendimento às cargas na região sul
Eliseu Martins.
- SPEDRO do estado do Piauí.
São Pedro A entrada desse equipamento
Compensador estático
Transmissora aumenta a confiabilidade no controle
06Q1, -20 /+30 MVAr da 10/03/2018
de Energia S.A. de tensão na malha de 230 kV na
SE Giubués II.
- SPEDRO região sul do estado do Piauí.
Vale do São A inserção deste equipamento,
Bartolomeu Transformador AT02, quando da conclusão das obras no
Transmissora 500/138 kV, 540 MVA da 11/03/2018 setor de 138 kV, aliviará o
de Energia - SE Brasília Leste carregamento nas transformações
VSBTE das SE's Samambaia e Brasília Sul

Cataventos A inserção desse equipamento


Acaraú - Transformador 04T5, contribui para o escoamento da
Geração de 230/34,5 kV, 75 MVA da 17/03/2018 geração eólica dos empreendimentos
Energias SE Acaraú II. derivados da região de Acaraú no
Renováveis S.A. estado do Ceará.

A inserção desse equipamento


Transformador 04T4, elimina a possibilidade de corte
CHESF 230/69 kV, 50 MVA da SE 17/03/2018 temporário de toda a carga em caso
Cícero Dantas. de contingência de um dos
transformadores dessa subestação.
A inserção desse equipamento evita
Transformador TR3,
a interrupção de carga quando da
CHESF 230/69 kV, 150 MVA da 21/03/2018
perda simples de um dos
SE Natal III.
transformadores dessa SE.

A entrada desse equipamento


Odoya Transformador 04T3,
aumenta a confiabilidade no
Transmissora 230/69 kV, 100 MVA da 05/04/2018
atendimento às cargas na região de
de Energia S.A. SE Juazeiro III.
Juazeiro, interior do estado do Piauí.

A entrada desse equipamento


Odoya Transformador 04T4,
aumenta a confiabilidade no
Transmissora 230/69 kV, 100 MVA da 05/04/2018
atendimento às cargas na região de
de Energia S.A. SE Juazeiro III.
Juazeiro, interior do estado do Piauí.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 96
Número: 48534.001540/2018-00

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 97
Número: 48534.001540/2018-00

8. Referências Bibliográficas

Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL. (2006). Guia de Elaboração de arquivo


XML - Acompanhamento de Progresso de Empreendimento. Brasília: ANEEL.
Retrieved from
http://www.aneel.gov.br/documents/656808/0/Guia+de+Elaboração+XML+-
+SIGET/68733776-3bae-401d-b8e5-1a69bf04b872
Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL. (2017). Painéis de Desempenho da
Transmissão - Conteúdos de Fiscalização da Transmissão. Retrieved April 11,
2018, from http://www.aneel.gov.br/fiscalizacao-da-transmissao-conteudos/-
/asset_publisher/agghF8WsCRNq/content/paineis-de-desempenho-da-
transmissao/656808?inheritRedirect=false&redirect=http%253A%252F%252Fww
w.aneel.gov.br%252Ffiscalizacao-da-transmissao-conteudos%253Fp_p_id%25
Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL. (2018a). Acompanhamento dos
Empreendimentos de Transmissão. Brasília. Retrieved from
http://www.aneel.gov.br/documents/656808/0/Relatório+de+Monitoramento+d
e+Empreendimentos+de+Transmissão/4e3403a7-44bd-4d6f-bad1-4e9fea56f79d
Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL. (2018b). Entenda a Expansão da
Transmissão - Expansão da Transmissão - ANEEL. Retrieved April 11, 2018, from
http://www.aneel.gov.br/expansao-da-transmissao/-
/asset_publisher/2ggRKcvhuMaw/content/entenda-a-expansao-da-
transmissao/656808?inheritRedirect=false&redirect=http%3A%2F%2Fwww.aneel.
gov.br%2Fexpansao-da-
transmissao%3Fp_p_id%3D101_INSTANCE_2ggRKcvhuMaw%26p
Cordeiro, G. M., & Paula, G. A. (1989). Modelos de regressao para análise de dados
univariados. In 17o Coloquio Brasilero de Matemática. Rio de Janeiro: Instituto de
Matemática Pura e Aplicada - IMPA.
Costa, T. R. V. da, Silva, E. M., Filho, I. S. G., Santos, E. C. dos, & Lima, C. M. (2013). Um
panorama sobre as obras de transmissão de energia elétrica no Brasil. In XXII
SNPTEE - Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica (p. 9).
Brasília: Cigré.
Field, A. . (2009). Descobrindo a Estatística usando o SPSS. Descobrindo a Estatística
usando o SPSS (2nd ed.). Porto Alegre: Artmed.
OECD. (2014). Regulatory Enforcement and Inspections. OECD Publishing.
https://doi.org/10.1787/9789264208117-en
Operador Nacional do Sistema Elétrico - ONS. (2017). Relatório de novas instalações da
Rede Básica – Acompanhamento Geral - Re.ONS – 2.1 - 062/2007 - Rev. 111. Rio
de Janeiro. Retrieved from
http://sindat.ons.org.br/SINDAT/Home/ControleSistema

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 98
Número: 48534.001540/2018-00

Torres, C., & Lélis, J. C. (2009). Garantia de Sucesso em Gestão de Projetos (1st ed.).
São Paulo: Brasport. Retrieved from http://www.brasport.com.br/gerenciamento-
de-projetos/desempenho-gerencial/garantia-de-sucesso-em-gestao-de-projetos/

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 99
Número: 48534.001540/2018-00

9. Anexo I – Matriz de criticidade dos empreendimentos de expansão da


transmissão

Ordem Transmissora Código SIGET Nome do Empreendimento Média


LT 800 kV XINGU/ESTREITO C-1 PA/MG E ESTAÇÕES
1 BMTE T2014-071 6,090
CONVERSORAS CA/CC 800 KV JUNTO ÀS SES XINGU E ESTREITO
Instalações de Transmissão Contrato 009/2016 nos estados CE, PI
2 ARGO T2016-093 4,562
e MA.
3 PBTE T2016-104 LT 345 kV Bandeirantes - Piratininga II C1 e C2 (subterrânea) 4,288
LT 500 kV Eng Lechuga - Equador - Boa Vista, SE Equador e SE Boa
4 TRANSNORTE T2012-033-A 4,283
Vista
5 LITORAL SUL T2016-079-B SE Tubarão Sul 230/138 kV 4,233
6 ELETROSUL T2015-052-F Escoamento de eólicas no RS - LT 525 kV Guaiba 3 /Candiota 2 RS 4,180
LT 230 kV Rio Branco - Feijó e Feijó - Cruzeiro do Sul - SEs Feijó e
7 ELETRONORTE T2014-020 4,091
Cruzeiro do Sul 230/69 kV
SE Presidente Juscelino 500/345 kV; SE Sarzedo 345 kV e SE Betim
8 MANTIQUEIRA T2016-075-H 3,994
6 e LTs 345 e 500 kV.
9 CEMIG-GT T2015-037 Ampliação da transformação na Subestação Neves 1 3,939
LTs Buritirama - Queimada Nova II - Curral Novo do Piauí II (C1) e
10 TSE T2017-040 3,933
SE Queimada Nova II
11 CHESF T2012-057-A LT Messias - Maceio II 230 kV CD e SE Maceio II 230/69 kV 3,915
SE 230/69kV Restinga, LT 230kV Restinga-PortoAlegre13 e LT
12 TESB T2011-170-G 3,884
230kV Restinga-Viamão3
13 CHESF T2012-039-A LT 500 kV Camaçari IV - Sapeaçu 3,837
LT 800 kV XINGU/TERMINAL RIO PA/RJ E ESTACOES
14 XRTE T2016-018 3,824
CONVERSORAS CA/CC 800 KV
LT 500kV Poções III-P.Paraíso 2-G.Valadares 6 C1, SE 500kV
15 TPE T2017-030 3,824
P.Paraíso 2, SE 500/230kV G.Valadares 6
16 CHESF T2010-090-B LT 230 kV Paraiso / Açu / Mossoró 3,784
SE FOZ DO IGUAÇU - 5º Banco de autotransformadores 765/500
17 FURNAS T2014-094 3,756
kV, 3x550 MVA e conexões.
18 CHESF T2012-114-C LT 230 kV Russas II /Banabuiu 3,678
19 CHESF T2012-038 LT 500 kV Recife II - Suape II C2 3,673
20 FURNAS T2012-036 LT 230 kV Xavantes - Pirineus C2 3,666
Obras de Atendimento ao Estado de Santa Catariana: Regiões Sul
21 ALIANÇA T2017-067 3,663
e Extremo Sul
22 CHESF T2009-225-A LT 230 kV Pau Ferro – Santa Rita II e SE 230/69 kV Santa Rita II 3,660
LT´s 500 kV RIBEIRÃOZINHO – RIO VERDE N. C3, RIO VERDE N. –
23 TP SUL T2012-113 3,647
MARIMBONDO II CD, SE MARIMBONDO II
24 TESB T2011-170-F SE 230/69 kV Candelária 2 3,645
25 CHESF T2012-114-B LT 230 kV Mossoró IV /Mossoró II 3,606
LT Eunápolis / Teixeira de Freitas II e SE Teixeira de Freitas II
26 CHESF T2000-256 3,572
230/138 kV
LT 500 kV Governador Valadares 6 - Mutum C1LT 500 kV Mutum -
27 TCC T2017-035 3,571
Rio Novo do Sul C1SE Mutum (Compensad
LT 500 kV Taubaté - Nova Iguaçu e SE Nova Iguaçu 500/345/138
28 LTTE T2012-040 3,544
kV
29 ITACAIÚNAS T2013-042 LT 500 kV Tucuruí II - Itacaiúnas e LT 500 kV Itacaiúnas - Colinas C2 3,535

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 100


Número: 48534.001540/2018-00

Ordem Transmissora Código SIGET Nome do Empreendimento Média


30 AGUA AZUL T2016-080 AGUA AZUL - SUBESTACAO AGUA AZUL 440/138 kV 3,528
LT 500 kV Igaporã III - Janaúba 3 C1, LT 500 kV Janaúba 3 - P.
31 EQTLT04 T2017-023 3,523
Juscelino C1 e SE 500 kV Janaúba 3
Instalação de 2 bancos de capacitores 230 kV, 2x150 Mvar e
32 FURNAS T2014-066 3,495
conexões na SE Serra da Mesa
LT 500 kV B. J. da Lapa II - Janaúba 3 C1, LT 500 kV Janaúba 3 -
33 JANAUBA T2017-026 3,463
Pirapora 2 C1 e SE 500 kV Janaúba 3
34 ELETROSUL T2015-052-A Escoamento de eólicas no RS - SE Capivari do Sul 3,459
35 TESB T2011-170-B LT 230 kV Porto Alegre 9 - Nova Santa Rita 3,430
SEs Gentio do Ouro II e Ourolândia II e linhas para escoamento de
36 Macedo T2015-036-A 3,428
energia eólica.
LT 500 kV Rio das Éguas - Arinos 2 C1, LT 500 kV Arinos 2 -
37 VEREDAS T2017-028 3,427
Pirapora 2 C1 e SE 500 kV Arinos 2
LT 500kV João Câmara III - Açu III C2 e LT 500kV Açu III - Milagres II
38 GSTE T2016-113 3,427
C2
39 COPEL-GT T2010-077-A LT Araraquara 2 - Taubaté, CS, em 500 KV - Subestações 3,423
LT 230kV João Câmara II - João Câmara III CD e SE João Câmara III
40 ETAP T2016-112 3,415
(novo setor 230kV) 500/230-13,8kV
41 CHESF T2012-053-A SE Pirajá 230/69 kV - 360 MVA 3,387
42 COPEL-GT T2010-077-B LT Araraquara 2 - Taubaté, CS, em 500 KV - Linha de Transmissão 3,374
43 CHESF T2012-060-B SE JABOATÃO II 230/69 kV 3,374
LT 230 kV JARDIM - NOSSA SENHORA DO SOCORRO; SE 230/69 KV
44 CHESF T2012-057-B 3,364
NOSSA SENHORA DO SOCORRO
Escoamento de eólicas no RS - LT 230 kV Livramento 3 /Alegrete 2
45 ELETROSUL T2015-052-E 3,363
RS
46 TESB T2011-170-D SE 230/69 kV Jardim Botânico compacta (ex-Porto Alegre 12) 3,363
LT 500kV Barreiras II - Buritirama C1, SE 500kV Buritirama e secc
47 EQTLT02 T2017-039 3,355
LT Gilbués II - G.do Ouro II
Instalação do 4º Banco de Autotransformador monofásico (3+1R)
48 FURNAS T2014-067 3,327
345/138 kV na SE Viana
LT 500kV Miracema-Lajeado C2, LT 230kV Lajeado-Palmas CD, SE
49 MIRACEMA T2016-056 3,321
Lajeado e SE 230/138kV Palmas
SE Grajaú - Contrução de novo pátio 138 kV, a SF6, em
50 FURNAS T2014-012 3,299
substituição ao pátio existente.
51 IE AGUAPEÍ T2017-051-A SE 440/138 kV Alta Paulista 3,296
52 IE AGUAPEÍ T2017-051-B SE 440/138 kV Baguaçu 3,289
53 EQTLT01 T2017-038 LT 500kV Rio das Éguas - Barreiras II C2 3,283
54 VINEYARDS T2017-059-C SE 230/69 kV Vinhedos 3,281
55 GENEBRA T2014-075-E LT 500 kV ITATIBA /BATEIAS C-1 SP/PR 3,269
56 ESPERANZA T2014-087-A LT 500kV Quixadá - Açu III 3,268
SE BRASÍLIA GERAL - Construção de novo pátio 34,5 kV para
57 FURNAS T2014-095 3,268
substituição do pátio existente.
58 PRTE T2016-103 LT 500 kV Paranaíta - Cláudia - Paranatinga - Ribeirãozinho C3 3,260
59 EQTLT05 T2017-024 LT 500 kV Igaporã III - Janaúba 3 C2 3,259
60 TDG T2010-058-A LT 230 kV São Luís II - São Luís III C2 3,254

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 101


Número: 48534.001540/2018-00

Ordem Transmissora Código SIGET Nome do Empreendimento Média


SE Rio Verde Norte - Banco de capacitores série em 500 kV, 390
61 ITE T2012-061 3,252
Mvar.
LT 230 kV Lagoa Nova II - Currais Novos II, CD e SE 230/69 kV
62 RIALMA I T2017-088 3,248
Lagoa nova II
63 ARTEON T2017-053 SE 500/138 kV Resende 3,245
SE FERNAO DIAS 500/440 kV 1200 MVA, LT 500kV Araraquara 2 -
64 GENEBRA T2014-075-D 3,241
Fernão Dias C1 SP
65 TROPICALIA T2017-029 LT 500 kV Sapeaçu - Poções III C1 3,235
SE 525 kV Biguaçu - Compensador Estático 525 kV (-100/+300)
66 T2017-050 3,233
Mvar
67 MA I T2017-052-B LT 500kV São Luís II - São Luís IV, CD; SE 500/230/69 kV São Luís IV 3,230
Subestação Jardim - 3º Banco de Autotransformadores 500/230
68 CHESF T2015-028 3,227
kV - 3X200 MVA
SE Brasília Leste 500/138 KV - 720 MVA e LT 500 kV Luziânia -
69 VSB T2014-015-A 3,225
Brasília Leste - C1
70 EQTLT03 T2017-041 LT 500kV Buritirama - Queimada Nova II C2 3,211
71 EQTLT06 T2017-025 LT 500 kV Janaúba 3 - Presidente Juscelino C2 3,211
72 IE PARAGUAÇU T2017-043 LT 500kV Poções III - Padre Paraíso 2 C2 3,211
73 IE AIMORÉS T2017-042 LT 500 kV Padre Paraíso 2 - Governador Valadares 6 C2 3,211
74 RIALMA III T2017-065 LT 500kV Queimada Nova II - Milagres II C1 3,211
LT 230 kV Henry Borden - Manoel da Nóbrega - CD e SE Manoel da
75 ELTE T2014-080-A 3,209
Nóbrega 230/88 kV e 230/138 kV
Escoamento de eólicas no RS - LT 230 kV Porto Alegre 8 / Porto
76 ELETROSUL T2015-052-B 3,207
Alegre 1 RS
77 TESB T2011-170-A LT 230 kV Porto Alegre 9 - Porto Alegre 8 3,207
SE Goiânia Leste – 4º TR 230/138 kV, 50 MVA, e adequação dos
78 CELG G&T T2013-066 3,179
barramentos em 230 kV para BD4.
79 CAMPITIBA T2016-078 LT 500 kV Campinas - Itatiba C2 3,175
SE 500 kV Janaúba 3 - Compensadores Síncronos - 2 x (-90/+150)
80 ARGO II T2017-027 3,175
Mvar.
81 ELETROSUL T2015-052-C Escoamento de eólicas no RS - SE Vila Maria 3,171
LT 230 kV Morro do Chapéu II - Irecê e SE 230/69 kV Morro do
82 CHESF T2012-031 3,170
Chapéu II
LT 230 kV Sarandi - Paranavaí Norte - CD e SE 230/138 kV
83 T2017-063-E 3,147
Paranavaí Norte
LT 230 kV Uberaba - Curitiba Centro C1 e C2 (Subterrânea)SE
84 COPEL-GT T2016-106-B 3,140
230/138 kV Curitiba Centro (SF6) - 230/
85 ELTE T2014-080-B SE 345/138 kV Domênico Rangoni - (6+1R) x 133 MVA 3,136
86 CTEEP T2000-224 Secc. LT Embu Guaçu - Baixada Santista 345 kV 3,136
87 CELG G&T T2016-028 SE 500 kV Luziânia - Compensador Estático 500 kV 3,130
88 EQTLT07 T2017-032-A LT 500 kV Vila do Conde - Marituba C1 e SE 500/230 kV Marituba. 3,128
Instalação na SE Aquiraz II do 4º Transformador Trifásico e do 2º
89 TDG T2014-061 3,128
Transformador de Aterramento
SE Presidente Juscelino - Instalação do 2º banco de Reatores de
90 MANTIQUEIRA T2016-075-I 3,127
Barra 500 kV - 150 Mvar
PARANAITA - SETOR NOVO 500/138 kV DA SUBESTACAO
91 PARANAITA T2016-081 3,115
PARANAITA 500 kV

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 102


Número: 48534.001540/2018-00

Ordem Transmissora Código SIGET Nome do Empreendimento Média


92 CANTAREIRA T2014-078 LT 500 kV Estreito - Fernao Dias CD 3,115
SE PIRAJÁ - instalação do 3º transformador 230/69 kV - 180 MVA
93 CHESF T2015-009 3,115
e conexões.
SE 230/138 kV Londrina Sul e Secc. Da LT 230 kV Londrina -
94 GUAIRA T2017-062-B 3,099
Apucarana C1
95 ETEPA T2017-085 LT 230 kV Vila do Conde - Tomé Açu e SE 230/138 kV Tomé Açu 3,097
SE Brasília Leste 500/138 kV 540 MVA e LT 500 kV Luziânia -
96 VSB T2014-015-B 3,093
Brasília Leste - C2
97 MARIANA T2014-054 LT 500 kV Itabirito 2 / Vespasiano 2 C1 3,085
98 CHESF T2012-039-B LT 230 kV Sapeaçu - Santo Antônio de Jesus C3 3,068
SE Itabira 5 500/230 kV
99 MANTIQUEIRA T2016-075-B 3,064
LT 230 kV Itabira 2 - Itabira 5
100 GENEBRA T2014-075-A LT 500 kV ARARAQUARA 2 /ITATIBA C-1 SP 3,060
LT 345 kV Viana 2 - João Neiva 2SE 345/138 kV João Neiva 2 (9+1)
101 IE ITAUNAS T2017-036 3,052
x 133 MVA e Compensador Estático 3
SE TERESINA III - instalação do 3º transformador 230/69 kV - 200
102 CHESF T2015-010 3,049
MVA e conexões
103 EQTLT07 T2017-032-D SE 230/69 kV Marituba (setor 69 kV e Transformação 230/69 kV) 3,044
104 CASTANHAL T2017-090 SE 230/138kV Castanhal 3,037
105 SP-MG T2017-089 LT 500kV Estreito - Cachoeira Paulista C1/C2 3,032
106 Timóteo-Mesquita T2012-030 LT 230 kV Mesquita-Timóteo 2 e SE 230 kV Timóteo 2 3,031
107 ETC T2016-101 SE Rio Novo do Sul 345/138 kV 3,028
SE 500 kV Padre Paraíso 2 - Compensador Estático 500 kV (-
108 ECB ME T2017-022 3,024
150/+300) Mvar
SE GOIANINHA - Instalação do 4º Transformador 230/69 kV - 100
109 CHESF T2016-007 3,015
MVA
110 ELETROSUL T2015-052-D Escoamento de eólicas no RS - LT 230 kV Osorio 3 /Gravatai 3 RS 3,015
111 MANTIQUEIRA T2016-075-K SE Varginha 4 345/138 kV 3,004
SE Fernão Dias 500/440 kV - 2400 MVA (2° e 3° banco de
112 GENEBRA T2014-075-F 3,003
autotransformadores)
Subestação Igaporã III - Instalação do 4º banco de ATR 500/230,
113 CHESF T2015-017 3,002
de 3x250 MVA, e conexões.
114 Santa Lucia T2016-077 LT 500 kV Jauru - Cuiabá - C2 3,000
115 Santa Maria T2016-033 LT 230 kV Santa Maria 3 - Santo Ângelo 2, C1 CS 158km 2,996
116 MA I T2017-052-A LT 500 kV Miranda II - São Luís II C3 2,996
117 TSM T2017-083 LT 500 kV Fernão Dias - Terminal Rio 2,996
118 T2017-063-C LT 525 kV Sarandi - Londrina (Eletrosul) - CD 2,990
119 RIALMA II T2017-058 LT 500 kV Campina Grande III - Pau Ferro 2,978
120 EQTLT07 T2017-032-B LT 230kV Marituba - Castanhal C1 2,972
LT 138kV ANGRA/ANGRA (AMPLA) - Reconstrução do circuito
121 FURNAS T2015-048 2,960
simples, substituindo cabo 397MCM por 954MCM
122 GUAPORÉ T2017-081-D SE 230/69 kV Coletora Porto Velho 2,954
123 COPEL-GT T2016-106-C SE 230/138 kV Medianeira (novo pátio 230 kV) - 2 x 150 MVA 2,948
124 ESTE T2017-031 LT 500 kV Mesquita - João Neiva 2, SE 500/345 kV João Neiva 2. 2,944

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 103


Número: 48534.001540/2018-00

Ordem Transmissora Código SIGET Nome do Empreendimento Média


LT 230 kV Mascarenhas - Linhares; SE Linhares 230/138 kV - 150
125 FURNAS T2010-060 2,943
MVA
Instalação de Banco de Autotransformadores 525/230 kV, 3x224
126 ELETROSUL T2015-073 2,942
Mvar na Subestação Santo Ângelo
127 T2017-048 SE 500 kV Fernão Dias - Compensador Estático 500 kV 2,941
128 T2017-064 SE Sobral III CE 2,941
129 MANTIQUEIRA T2016-075-D SE João Monlevade 4 230/69 kV 2,932
SE Paranaíta - Banco de reatores de barra monofásicos, 3x45,3
130 TP NORTE T2015-049 2,919
Mvar, e conexões, 500 kV.
131 CASTANHAL T2017-086 SE 230/138 kV Castanhal 2,917
SE 230/138 kV São Mateus 2 (nova) - (3+1R)x50 MVALT 230 kV
132 EDP T2017-037 2,908
Linhares 2 - São Mateus 2
133 BRLIG T2017-066 LT 230kV Marituba - Utinga C3/C4 CD 2,905
134 FOTE T2014-021-A LT 230kV Santo Ângelo - Maçambará 2,905
SE GURUPI - Substituição do Banco de Capacitores série, na LT 500
135 TAESA T2017-017 2,901
KV Gurupi – Serra da Mesa C2
SE SERRA DA MESA - Substituição do Banco de Capacitores série,
136 TAESA T2017-018 2,901
da LT 500 KV Gurupi – S. da Mesa C2
137 CHESF T2012-057-C SE 230/138 KV POÇÕES II 2,894
SE Juazeiro da Bahia III 230/69 kV (novo pátio em 69 kV e
138 ODOYÁ T2014-076-C 2,872
transformação 230/69 kV)
139 T2017-063-A SE Guaíra 525 kV e LT 525 kV Guaíra - Foz do Iguaçu - CD 2,868
140 CHESF T2009-224 LT Eunápolis / Teixeira de Freitas II C2 2,867
LT 230 kV Samuel - Ariquemes C4 e LT 230 kV Ariquemes - Ji-
141 GUAPORÉ T2017-081-A 2,864
Paraná C4
SE Porto Colômbia - Banco de Autotransformadores 345/138 kV,
142 FURNAS T2016-061 2,860
(3+1)x133,3 MVA e outras obras
143 MANTIQUEIRA T2016-075-A LT 345 kV Jeceaba - Itutinga, C1; LT 345 kV Itabirito 2 - Jeceaba, C2 2,860
LT 230 kV Garibaldi - Lajeado 3, LT 230 kV Lajeado 2 - Lajeado 3 e
144 VINEYARDS T2017-059-A 2,853
SE Lajeado 3 230/69 kV
LT 500 kV Juazeiro III - Ourolândia II C1LT 500 kV Bom Jesus da
145 BJL T2016-111 2,838
Lapa II - Gentio do Ouro II C1
146 LEST T2017-054-B LT 500 kV Paulo Afonso IV - Luiz Gonzaga C2 2,828
147 IE ITAPURA T2017-084 SE 440 kV Bauru - Compensador Estático 2,816
148 GUAPORÉ T2017-081-B SE 230 kV Ariquemes - Compensador Síncrono - (-90/+150) Mvar. 2,816
149 GUAPORÉ T2017-081-C SE 230 kV Ji-Paraná - Compensador Síncrono - (-90/+150) Mvar. 2,816
SE Itabirito 2 - 2º Banco de Autotransformadores Monofásicos
150 MONTESCLAROS T2014-082 2,815
500/345 kV, de 3x186,6 MVA
151 COPEL-GT T2016-106-A LT 525 kV Curitiba Leste - Blumenau C1 2,812
LT 500kV Ibicoara-Poções III, LT 230kV Poções III-Poções II CD e SE
152 IBSPE T2016-105 2,811
500/230 kV Poções III
153 SPTE T2014-093 SE Pirapora II - Reatores de Barra 345kV, 3x26,6MVAr e Conexões. 2,793
154 GENEBRA T2014-075-C CE 300/-300 MVAr SANTA BARBARA CE1 SP 2,786
155 ELETROSUL T2016-058 SE NOVA PETRÓPOLIS - 2º Transformador 230/69 kV - 83 MVA 2,776
SE Itabira 5 - Instalação do 2º banco de Transformação 500/230
156 MANTIQUEIRA T2016-075-J 2,776
kV

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 104


Número: 48534.001540/2018-00

Ordem Transmissora Código SIGET Nome do Empreendimento Média


157 GENEBRA T2014-075-B CE 300/-300 Mvar ITATIBA CE1 SP 2,774
158 COPEL-GT T2016-106-D LT 230 kV Baixo Iguaçu - Realeza 2,764
ANHANGUERA - 2º Banco de transformadores 230/69/13,8 kV -
159 CELG G&T T2014-026 2,741
3x16,67 MVA e conexões associadas
SE 230/138kV Pinhalzinho e LT 230kV Foz do Chapecó -
160 FOTE T2014-021-B 2,737
Pinhalzinho C1
161 MANTIQUEIRA T2016-075-F SE Braúnas 230/138 kV 2,736
LT 230 kV Xinguara II - Santana do Araguaia C1/C2, CD e SE
162 ENERGISA PARÁ I T2017-061 2,729
230/138 kV Santana do Araguaia
163 LITORAL SUL T2016-079-A LT 230 kV Atlântida 2 - Torres 2 - Forquilhinha e SE Torres 2 2,724
164 T2017-063-D SE Sarandi 525 kV 2,724
165 T2017-063-B LT 525 kV Guaíra - Sarandi - CD 2,712
166 LEST T2017-054-A LT 500 kV Xingó - Jardim C2 2,709
SE MIRACEMA - Substituição do Banco de Capacitores Série da LT
167 ELETRONORTE T2017-046 2,704
500 kV Miracema - Gurupi C1
LT 230kV Paranatinga - Canarana, Pátio Novo de 230 kV na SE
168 CANARANA T2016-102 2,704
Paranatinga e SE 230/138 kV Canarana
SE PARANAÍBA - 3º Transformador 230/69/13,8 kV - 50 MVA e
169 CELG G&T T2014-028 2,690
conexões. Adequação de arranjo em 230 kV.
170 MA II T2017-074A SE 230/69kV Chapadinha II 2,688
171 ETENE T2017-055 LT 230 kV Nossa Senhora do Socorro - Penedo C2 2,685
SE PALMEIRAS - 3º Transformador 230/69/13,8 kV - 50 MVA e
172 CELG G&T T2014-027 2,685
conexões associadas
LT 230 kV Rio Brilhante - Dourados 2 C1, LT 230kV Dourados 2-
173 T2017-087-E 2,681
Dourados C2 e Se 230/138 kV Dourados 2
SE XAVANTES - 4º Banco de Autotransformadores 230/138 kV -
174 CELG G&T T2014-029 2,680
3x50 MVA e conexões associadas
SE FUNIL - expansão do setor 230 kV para reencabeçamento da LT
175 AFLUENTE T T2016-069 2,673
230 kV Funil - Poções II.
SE 230/138kV Pinhalzinho (ampliação) e LT 230kV Foz do Chapecó
176 FOTE T2014-021-C 2,664
- Pinhalzinho C2
SE Janaúba 3 230/138 kV
177 MANTIQUEIRA T2016-075-E 2,664
LT 230 kV Irapé - Janaúba 3 - C1
178 VINEYARDS T2017-059-B LT 230 kV Candiota 2 - Bagé 2 2,661
179 IE TIBAGI T2017-094 LT 230kV Nova Porto Primavera - Rosana C1/C2 2,657
SE PICOS substituição do TR 230/69kV de 39 para 100 MVA e
180 CHESF T2015-008 2,652
instalação do BC 3 230kV - 15 Mvar
181 EQTLT08 T2017-057-A LT 230 kV Transamazônica - Tapajós C1 e SE 230/138 kV Tapajós 2,645
182 ARCOVERDE T2017-056-A LT 230 kV Garanhuns II - Arcoverde II e SE 230/69 kV Arcoverde II 2,633
LT 230 kV Paraíso 2 - Chapadão; SE 230/138 kV Paraíso 2; Sec. LT
183 Paraíso T2015-041-B 2,632
Campo Grande 2 - Chapadão
184 COPEL-GT T2016-106-E SE 230/138 kV Andirá Leste - 2 x 150 MVA 2,622
185 Z2 T2017-076A SE Caxias II e seccionamento da LT 230 kV Peritoró-Coelho Neto 2,621
OURILANDIA DO
186 T2016-100 SE 230/138 kV Onça Puma 2,617
NORTE
SE Cícero Dantas - 3º transformador trifásico 230/69 kV, de 50
187 CHESF T2015-019 2,617
MVA, incluindo conexões.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 105


Número: 48534.001540/2018-00

Ordem Transmissora Código SIGET Nome do Empreendimento Média


LT 230 kV Rio Verde Norte - Jataí - C1 e C2 e SE 500/230 kV Rio
188 ENERGISA GOIÁS I T2017-082 2,609
Verde Norte
189 Z2 T2017-076B SE Boa Esperança II 2,609
SE COXIPO - FASE 1 - instalação de Autotransformador 230/138 kV
190 ELETRONORTE T2015-042 2,588
- 150 MVA e conexões.
191 Macedo T2015-036-B LT Igaporã III - Pindaí II C2/C3 2,587
192 ARCOVERDE T2017-056-B SE 230/69 kV Garanhuns II 2,585
LT Funil – Poções II alteração da tensão de op. da linha para 230
193 AFLUENTE T T2011-192 2,579
kV.
194 MANTIQUEIRA T2016-075-G SE Timóteo 2 230/138 kV 2,579
195 ITE T2016-066 SE Ribeirãozinho - Banco de Reatores de Barra 500 kV 2,578
196 CHESF T2010-086 Seccionamento LT 230 kV Banabuiu-Fortaleza na SE Aquiraz II 2,577
197 Z2 T2017-076C SE Teresina II 2,573
LT 138 kV Bariri/ Barra Bonita - CD - Reconstrução com cabo 636
198 CTEEP T2014-010 2,567
MCM, 26 km de extensão
Instalação de Banco de Capacitores 230 kV, 50 Mvar na
199 ELETROSUL T2015-061 2,555
Subestação Tapera 2
200 MANTIQUEIRA T2016-075-C LT 230 kV Irapé – Araçuaí 2 C2 2,555
201 GUAIRA T2017-062-A LT 230 kV Umuarama Sul - Guaíra C2, CS 2,555
202 Paraíso T2015-041-A LT 230 kV Paraíso 2 - Campo Grande 2 C2 2,538
203 Firminópolis T2016-051 LT 230 kV TRINDADE/FIRMINÓPOLIS C-1 GO 2,526
204 GUAPORÉ T2017-081-E SE 230/138 kV Jaru 2,501
205 T2017-087-A LT 230 kV Nova Porto Primavera - Rio Brilhante, C2, CS 2,477
206 T2017-087-C LT 230 kV Rio Brilhante - Campo Grande 2 C1, CS 2,477
207 MA II T2017-074B LT 230kV Coelho Neto - Chapadinha II C1 2,477
208 T2017-087-B LT 230 kV Nova Porto Primavera - Ivinhema 2 C2, CS 2,474
209 T2017-087-D LT 230 kV Campo Grande 2 - Imbirussu C2, CS 2,453
210 ARCOVERDE T2017-056-C LT 230 kV Caetés II - Arcoverde II e SE 230 kV Caetés II 2,453
211 MA II T2017-074C LT 230KV Chapadinha II - Miranda II C1 2,453
212 CHESF T2010-049 SE Natal III - 3º transformador trifásico 230/69 kV – 150 MVA 2,442
213 EQTLT08 T2017-057-B SE Rurópolis - Compensador Síncrono 2,441
SE SANTA MARTA - Instalação do 2º Transformador Trifásico
214 CEEE-GT T2015-022 2,438
230/69/13,8 kV - 83 MVA e conexões.
Seccionamentos das LTs 230 kV Guamá - Utinga C1/C2 CD na SE
215 EQTLT07 T2017-032-C 2,407
Marituba
SE Itabaianinha - Instalação do Banco de Capacitores 230 kV 50
216 CHESF T2015-029 2,342
MVAr
217 LARANJAL T2015-064 LT 230 kV JURUPARI LARANJAL C3 2,304
218 TESB T2011-170-C LT 230 kV Campo Bom - Taquara 2,283
219 EQTLT08 T2017-057-D LT 230 kV Altamira - Transamazônica, C2 2,268
Seccionamento da LT Banabuiú - Fortaleza I na SE Aquiraz II,
220 CHESF T2012-075 2,262
adequações e recapacitação da LT.
221 EQTLT08 T2017-057-C LT 230 kV Xingu - Altamira C1 2,244

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 106


Número: 48534.001540/2018-00

Ordem Transmissora Código SIGET Nome do Empreendimento Média


222 CHESF T2011-030 SE Penedo (BC 230 kV - 15 Mvar) 2,222
LT 230 kV BANABUIÚ – RUSSAS II - recapacitação para elevar
223 CHESF T2009-155 2,206
limite de carregamento
224 COPEL-GT T2011-103 LT 500 kV Araraquara 2 - Taubaté (Trecho em circuito duplo) 2,099
225 Iracema T2012-044 SE Milagres - Banco de Capacitores série 500 kV, 240 Mvar 2,072
226 FURNAS T2013-030 SE Angra (TRD2 138/138 kV - 400 MVA) 2,070
LT 230 kV ACU II – ACU III C1 - Recapacitação de curta duração de
227 CHESF T2013-068 2,052
300 MVA para 380 MVA.
228 FURNAS T2000-198 SE Mascarenhas de Moraes 2,047
229 CHESF T2000-110 LT Funil / Itapebi 2,045
230 CHESF T2013-097 SE Igaporã III - 3º ATR 500/230 kV, conexões, e banco de reatores. 2,037
231 CHESF T2009-124 SE TEIXEIRA DE FREITAS II - 2º TR 230/138 kV – 100 MVA 2,034
232 FURNAS T2009-174 SE MASCARENHAS DE MORAES - 2º banco de AT de 3 x 133,3 MVA 2,019
LT 230 kV PIRIPIRI / SOBRAL - recapacitação da capacidade de
233 CHESF T2016-048 2,017
curta duração de 595 A para 630 A.
SE LESTE - instalação de transformador monofásico 345/88kV-
234 CTEEP T2016-003 1,999
133MVA e proteção das barras 345 e 88 kV
Secc.LT 230 kV Goianinha/Mirueira na SE Pau Ferro e adequações
235 CHESF T2012-062 1,980
para conexão da SE Mirueira II.
236 CHESF T2012-053-B LT 230 kV Camaçari IV - Pirajá e LT 230 kV Pituaçu - Pirajá 1,975
237 CTEEP T2016-063 SE Norte - 5° TR 345/88 kV - 400 MVA 1,974
SE XINGU - Adequação do Setor de 230 kV e Interligação de
238 Xingu T2015-004 1,966
Barras.
239 ELETROSUL T2011-025 LT Palhoça / Jorge Lacerda A (Secc. na SE Garopaba) 1,960
240 CEEE-GT T2000-289 Secc. Eldorado do Sul (Porto Alegre 9 / Camaquã) 1,931
SE Peixe 2 - Substituição de banco de capacitores série 500 kV e
241 INTESA T2016-041 1,889
outras adequações.
242 FURNAS T2013-094 SE Campos - 4º Banco de ATR 345/138 kV e adequações. 1,829
LT 230 kV ACU II – ACU III C2 - Recapacitação de curta duração de
243 CHESF T2013-069 1,825
300 MVA para 380 MVA.
INSTALAÇÃO DO SEGUNDO TRANSFORMADOR 230/69 kV, 100
244 CHESF T2016-025 1,824
MVA, NA SE BANABUIÚ
SE Rio Verde Norte - Banco de capacitores série em 500 kV, 480
245 CATXERÊ T2012-096 1,795
Mvar.
SE São José: Substituição dos autotransformadores 500/138 kV -
246 FURNAS T2014-035 1,789
200 MVA TR14, TR13 e reserva.
LT 230 kV CATU -ITABAIANINHA - Recap. de curta duração de 174
247 CHESF T2013-070 1,785
MVA para 247 MVA.
COXIPÓ - FASE COMPLEMENTAR - substituir chaves e disjuntor
248 ELETRONORTE T2015-054 1,772
138 kV
PORTO ALEGRE 13 - complementação dos módulos de conexão
249 CEEE-GT T2011-149 1,755
dos transformadores 230/13,8 kV
LT 230 kV B. J. Lapa I – Barreiras I – Remanejamento de reatores
250 CHESF T2015-076 1,748
de linha.
SE Campo Grande 2 - 3º autotransformador trifásico 230/138 kV,
251 PANTANAL T2016-014 1,742
150 MVA, e conexões associadas.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 107


Número: 48534.001540/2018-00

Ordem Transmissora Código SIGET Nome do Empreendimento Média


SE JORGE TEIXEIRA - 4º Autotransformador Trifásico 230/138/13,8
252 AMAZONAS GT T2017-001 1,734
kV – 150 MVA e conexões.
SE BIGUAÇU - Instalação de Banco de Capacitores 230 kV - 100
253 ELETROSUL T2016-072 1,722
Mvar e conexão
SE João Camara III - Instalar 5º Banco de Autotransformadores
254 ETN T2015-060 1,716
500/138 kV - 3 x 150 MVA e conexões
SE 500 kV Araraquara 2 - 3 x Compensadores Síncronos 500 kV (-
255 IE ITAQUERÊ T2017-049 1,711
180/+300) Mvar
SE Tacaimbó- Instalação do 4° Transformador trifásico 230/69 kV,
256 CHESF T2015-063 1,708
100 MVA.
257 ELETRONORTE T2015-079 SE RIO BRANCO I - BANCO DE CAPACITORES 4x30 MVAr, 230KV 1,708
SE BAGÉ 2 – Instalação do 3º Transformador Trifásico 230/69/13,8
258 CEEE-GT T2015-021 1,695
kV – 50 MVA e conexões.
259 CHESF T2011-151 LT Campina Grande II / Natal III (Secc. Extremoz II) 1,694
SE Bateias - Banco de Reatores de Barras Monofásico 525 kV
260 COPEL-GT T2016-039 1,663
(3+1)x66,6 Mvar e outros
261 CEMIG-GT T2015-038 Ampliação da Transformação na SE Ipatinga 1,657
262 CHESF T2010-048 SE BANABUIÚ - 1º transformador trifásico 230/69 kV – 100 MVA 1,656
SE GUAÍBA 2 – Instalação do 3º Transformador Trifásico
263 CEEE-GT T2015-023 1,642
230/69/13,8 kV – 50 MVA e conexões.
SE Ouro Preto 2 – Individualizar vãos dos TR3 e TR4 e adequação
264 CEMIG-GT T2016-086 1,640
da proteção em 500, 345 e 138 kV.
LT 230 kV CATU – GOVERNADOR MANGABEIRA - recapacitação
265 CHESF T2009-156 1,639
para elevar limite de carregamento
266 CHESF T2009-120 SE ITABAIANA - 3º TR 230/69 kV – 100 MVA 1,621
Subestação Ibicoara - Instalação do 2º banco de ATR 500/230 kV,
267 CHESF T2015-018 1,620
de 3 x 100 MVA, e conexões.
268 CEEE-GT T2000-197 SE Scharlau (CEEE) 1,602
Instalação de Banco de Reatores de Barra (3+1)x60Mvar, 500kV, e
269 CEMIG-GT T2015-071 1,598
adequações. SE São Gonçalo do Pará
SE BOM NOME substituição dos TR 230/69kV de 33 para 100 MVA
270 CHESF T2015-006 1,589
e adequação dos barramentos 230 e 69 kV
SE COTEGIPE - instalação do 4º transformador 230/69 kV - 100
271 CHESF T2015-007 1,567
MVA e conexões
SE SANTA ROSA I – Instalação do 3º Transformador Trifásico
272 CEEE-GT T2015-024 1,562
230/69/13,8 kV – 83 MVA e conexões.
SE Rio Branco I - 4º transformador trifásico 230/69/13,8 kV, 100
273 ELETRONORTE T2016-015 1,556
MVA, e conexões associadas.
LT 230 kV GRAVATAÍ 3 – GRAVATAÍ 2 C2 – Recondutorar 13,5 km
274 CEEE-GT T2015-025 1,547
da linha de transm. p/ 1x715,5 KCMIL.
275 CHESF T2012-106 SE Ribeirão: Secc. LT 230 kV, Const. LT 230 kV e Inst. 2 EL 230 kV 1,534
276 CHESF T2016-002 TR3 230/69 kV, 100 MVA, SE Zebu II 1,529
277 CHESF T2011-031 SE Cauípe (3° TR 230/69 kV) 1,526
Instalação do 3° banco de autotransformadores 500/230-13,8 kV,
278 CHESF T2015-066 1,521
3x200 MVA, na subestação Suape II.
SE Mongagua - Adequação da SE para conexão em duplo secc. da
279 CTEEP T2014-043 1,520
LT 138 kV Embu Guaçu - Peruíbe
SE São Simão – Instalação de secionadoras em EL e adequação da
280 CEMIG-GT T2016-084 1,516
proteção em 500 kV.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 108


Número: 48534.001540/2018-00

Ordem Transmissora Código SIGET Nome do Empreendimento Média


SE Canoinhas - Substituição do atual transformador TR-3 230/138
281 ELETROSUL T2014-050 1,514
kV, 75 MVA, por outro de 150 MVA
SE IMPERATRIZ - Revitalização do 1º compensador síncrono de
282 ELETRONORTE T2015-005 1,514
Imperatriz
SE Jaguara - 1 AT 500/345 kV trifásico de 400 MVA - unidade
283 CEMIG-GT T2016-009 1,503
reserva e adequações.
284 CHESF T2016-005 TR2 TR3 e TA2 para SE Polo 1,497
SE Bom Jesus da Lapa- SUBSTITUIÇÃO DE TRANSFORMADOR
285 CHESF T2016-065 1,490
230/69 KV, DE 33 MVA, POR TRAFO DE 100 MVA
SE EDÉIA - Instalação do 2º Transformador Trífásico 230/138/13,8
286 TER T2015-059 1,490
kV 150 MVA e conexões.
287 CEMIG-GT T2015-039 Ampliação da Transformação na SE Barbacena 2 1,488
SE Pau Ferro - instalação do quarto transformador 230/69 kV, 100
288 CHESF T2016-073 1,469
MVA
SE Barra do Peixe instalação de dois autotransformadores
289 ELETRONORTE T2015-078 1,456
trifásicos
SE Povo Novo - 2º banco de autotransformadores 525/230 kV -
290 TSLE T2014-077 1,438
3x224 MVA e conexões
Subestação Ariquemes - Instalação do 3º Transformador 230/69
291 ELETRONORTE T2015-062 1,437
kV - 60 MVA, e conexões.
SE VENDA DAS PEDRAS - TERCEIRO BANCO DE
292 PEDRAS T2016-044 1,432
AUTOTRANSFORMADOR 345/138 kV
293 CHESF T2016-062 SE Fortaleza - instalação do quinto transformador 230/69 kV 1,430
SE VITÓRIA - Instalação do 5º Banco Autotransformador 345/138
294 FURNAS T2016-055 1,425
– (3+1) x 133 MVA, e conexões.
SE Miracema - Instalação de banco de capacitores série de 361,5
295 TAESA T2017-002 1,425
Mvar em substituição ao existente.
296 CHESF T2016-020 LT 500kV Luiz Gonzaga - Paulo Afonso IV 1,422
297 CHESF T2016-068 Subestação Pici II - 5º transformador trifásico 230/69 kV 1,415
LT Vilhena - Jauru - C3 - Instalação de Capacitor Série 50%, em 230
298 ELETRONORTE T2016-036-A 1,413
kV, na Subestação Vilhena.
299 ELETRONORTE T2016-096 SE Miranda II - Instalação do Segundo Autotransformador 1,413
300 CELG G&T T2017-019 LT 230 kV Itumbiara - Parnaíba - C2 1,408
SE Dourados - Bancos de capacitores 230 kV 2x50 Mvar e
301 ELETROSUL T2016-008 1,402
conexões e adequações.
SE Gurupi - Instal. de banco de capacitores série em 500 kV 361,5
302 TAESA T2017-004 1,401
Mvar em substituição ao existente.
SE Xingu - Complemento de Infraestrutura em 500 kV para a
303 BMTE T2016-046 1,401
conexão do 1º Bipolo CC Xingu-Estreito
304 ELETRONORTE T2016-013 SE Sorriso - 3º TR 230/69 kV 30 MVA trifásico e conexões 1,399
SE Senhor do Bonfim - instalação do terceiro transformador
305 CHESF T2016-064 1,389
230/138 kV
306 CHESF T2016-097 Recapacitação da LT 230 kV Camaçari II - Cotegipe 1,389
SE Samambaia - Instalação de banco de capacitores série de 558
307 FURNAS T2017-007 1,389
Mvar em subst. ao existente (BC1).
SE Samambaia - Instalação de banco de capacitores série de 381
308 FURNAS T2017-008 1,389
Mvar em subst. ao existente (BC2).
SE Samambaia - Instalação de banco de capacitores série de 381
309 FURNAS T2017-009 1,389
Mvar em subst. ao existente (BC3).

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 109


Número: 48534.001540/2018-00

Ordem Transmissora Código SIGET Nome do Empreendimento Média


310 EBTE T2016-037 SE Juina - Reator de Barras trifásico 230 kV - 20 Mvar 1,389
SE LAGOA VERMELHA 2 - INSTALAÇÃO DE BANCO DE
311 ETAUSA T2016-023 1,389
CAPACITORES
312 FURNAS T2017-014 SE Gurupi - BCS 500 kV IN=2250A P=361MVAr 1,389
313 FURNAS T2017-015 SE Gurupi - BCS 500 kV IN=2000 A P=286 MVAr 1,389
314 FURNAS T2017-016 Substituição de BCS na SE Serra da Mesa 500 kV 1,389
315 CHESF T2011-147 SE Piripiri (2º BC 230 kV - 30 Mvar) 1,388
316 FURNAS T2016-029 Instalação na SE Itaberá de um banco de reatores de barra, 765 kV 1,385
317 ATLÂNTICO T2014-007 SE Xinguara 2 - 2º AT 230/138 kV, 150 MVA. 1,379
318 FURNAS T2016-092 SE Serra da Mesa - Seccionamento de barra 500 kV 1,377
SE ABUNÃ - Instalação de Reator Trifásico 230 kV 30 Mvar, reserva
319 ELETRONORTE T2015-058 1,369
fria de reator de linha.
Adequação do módulo de interligação de barras, em 230 kV, na
320 ELETRONORTE T2016-036-B 1,365
Subestação Vilhena.
321 CTEEP T2013-057 Reconstrução de 52,8 km da LT 138 kV Barra Bonita - Rio Claro I 1,353
LT 138 kV Barra Bonita/ Botucatu - CD - Reconstrução com cabo
322 CTEEP T2014-009 1,345
636 MCM, 50 km de extensão.
SE São João do Piauí - Adequação do módulo geral para conexão
323 SÃO JOÃO T2016-053 1,320
da São João Transmissora
SE COXIPO - FASE 3 - instalação de Autotransformador 230/138 kV
324 ELETRONORTE T2015-044 1,320
- 150 MVA e conexões.
Subestação Gilbués II - Adequação do módulo geral para conexão
325 SÃO PEDRO T2016-049 1,304
da São João Transmissora.
SE COXIPO - FASE 4 - instalação de Autotransformador 230/138 kV
326 ELETRONORTE T2015-045 1,295
- 150 MVA Reserva.
SE COXIPO - FASE 2 - instalação de Autotransformador 230/138 kV
327 ELETRONORTE T2015-043 1,283
- 150 MVA e conexões.
328 CHESF T2013-082 SE João Câmara II - 2 bancos de capacitores e conexões. 1,266
329 CHESF T2011-029 LT Jacaracanga / Cotegipe (Recap.) 1,255
LT 230kV CATU - CAMAÇARI IV - C1/C2: recapacitação da
330 CHESF T2016-006 1,254
capacidade de curta duração de 631A para 795A.
LT 230 kV PRESIDENTE MÉDICI–CANDIOTA 2 – Recondutorar
331 CEEE-GT T2015-026 1,238
trecho linha de transmissão para 2x636 KCMIL.
BAGE 2 e ELDORADO DO SUL - instalação de módulos de
332 CEEE-GT T2011-150 1,219
interligação de barramentos.
333 CHESF T2013-019 SE Irecê (TR8 230/138 kV - 55 MVA) 1,153
334 CHESF T2013-020 SE Irecê (TR6 230/69 kV - 39 MVA) 1,153
SE Jurupari - 3° Banco de autotransformadores 500/230 kV, 3X150
335 Xingu T2014-096 1,135
MVA e conexões.
SE Campinas - 2 bancos de capacitores 345 kV, 2 x 100 Mvar e
336 FURNAS T2014-085 1,134
conexões.
Adequações nas SEs Henry Borden e Piratininga em função de
337 CTEEP T2017-020 1,091
transferência de ativos.
338 ELETRONORTE T2016-057 Retensionamento do cabo da LT 230 kV Utinga - Castanhal 0,948
339 CHESF T2016-019 LT 230 kV Campina Grande II - Goianinha RECAPACITAÇÃO 0,842
SE Curral Novo do Piauí II - Instalação do 1º banco de reatores de
340 Iracema T2015-065 0,703
barra em 500 kV, de 3 x 60 Mvar

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 110


Número: 48534.001540/2018-00

Ordem Transmissora Código SIGET Nome do Empreendimento Média


SE Marimbondo II - Seccionamento da LT 500 kV S. Simão –
341 RPTE T2014-044 0,699
Marimbondo, CS, 3 x 900 kcmil.
SE Taquaril - Bancos de capacitores em derivação 138 kV, 2x50
342 CEMIG-GT T2016-001 0,645
Mvar, e conexões e adequações.
SE Juiz de Fora 1 – Seccionamento da barra de 138 kV e instalação
343 CEMIG-GT T2011-045 0,490
de um IB 138 kV BPT.
SE Santana do Matos II - 1º e 2º transformadores 138/13,8/69 kV
344 CHESF T2013-079 0,461
– 50 MVA
SE Santa Cruz II - Transferência do 1º e instalação do 2° e 3° TR
345 CHESF T2013-080 0,455
138/69/13,8 kV, 50 MVA
Instalação na SE Três Irmãos do 2º Banco de Transformadores
346 CTEEP T2016-045 0,451
440-138 kV, 3x100 MVA
SE Santa Marta - Adeq. da proteção da LT 138kV Santa Marta -
347 CEEE-GT T2009-040 0,450
Passo Fundo 1
SE Ijuí - Novo barramento de 23kV, adequações e ampliação de
348 CEEE-GT T2011-121 0,445
módulo geral.
SE Emborcação – Individualizar vãos dos TR6 e TR7, adequação da
349 CEMIG-GT T2016-085 0,439
proteção em 500 kV.
SE Montes Claros 2 - Substituição dos transformadores 138/13,8
350 CEMIG-GT T2016-030 0,420
kV
351 CHESF T2010-073 LT 69 kV Pituaçu - Matatu C1/C2 - seccionamento na SE Narandiba 0,420
SE São Gotardo 2 - Banco de reatores de barra monofásicos 500
352 CEMIG-GT T2015-056 0,397
kV e conexões e adequações.
Seccionamento da LT Triunfo - UTE S.Jerônimo 69kV na nova SE
353 CEEE-GT T2011-117 0,387
S.Jerônimo(CEEE-D).
SE Bauru - Substituição dos três bancos 440/138 kV - (9+1)x50
354 CTEEP T2015-050 0,355
MVA por (9+1)x100 MVA e adequações.
LT 230 kV Garanhuns II – Angelim C1 e C2 - Aumento do limite de
355 CHESF T2015-075 0,349
curta duração de 437 A para 621 A.
SE Planalto - Instalação de Trafo 230/69/13,8 kV - 50 MVA,
356 CELG G&T T2014-101 0,319
ativação do trafo reserva e conexões.
SE Eldorado do Sul Banco de capacitores 23kV - 3,6Mvar e
357 CEEE-GT T2011-110 0,317
conexão.
SE São Vicente - Instalação de um TR 69/23 kV, 25 MVA, em
358 CEEE-GT T2013-086 0,312
substituição ao existente
LT 230 kV Paulo Afonso - Angelim C4 - substituição de cabos para
359 CHESF T2015-068 0,296
raios.
SE Barbacena 2 - Instalação do 2° TR 138/13,8 kV, de 1 BC138 kV e
360 CEMIG-GT T2016-031 0,283
de 2 BC 13,8 kV
SE Firminopolis - Instalação banco autotransformador
361 CELG G&T T2015-002 0,281
230/138/13,8 kV – 3x50 MVA e conexões.
SE Jacarepaguá - Substituição de 10 disjuntores e equipamentos
362 FURNAS T2016-011 0,271
para 63 kA.
SE Nova Iguaçu - 2º banco de autotransformadores 500/138/13,8
363 LTTE T2014-079 0,259
kV, 3x300 MVA, e conexões.
LT 138 kV VIC. CARVALHO-BERTIOGA II - Reconstrução de trechos
364 CTEEP T2014-045 0,256
entre SEs Guarujá I e II
SE Jardim Botânico - Instalação do 3º transformador trifásico
365 TESB T2014-088 0,255
230/69 kV, de 83 MVA, e conexões.
SE GARIBALDI - SUBSTITUIÇÃO DE DOIS TRANSFORMADORES
366 CEEE-GT T2016-060 0,247
230/69 KV, DE 83 MVA, POR DOIS
SE Anhanguera - Inst. de 2 Autotrafos 230/138/13,8 kV (6x75
367 CELG G&T T2014-102 0,247
MVA) e conexões substituindo os atuais.

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 111


Número: 48534.001540/2018-00

Ordem Transmissora Código SIGET Nome do Empreendimento Média


LT 230 kV Itaúba – Nova Santa Rita - Instalação de 214,4 km de
368 CEEE-GT T2013-090 0,235
cabo OPGW com 24 fibras
SE BRASÍLIA GERAL - Dois módulos de interligação de barras em
369 FURNAS T2012-111 0,228
34,5 kV, arranjo BPT.
Uruguaiana 5 - Instalar Banco Capacitor 230 kV 30 Mvar e
370 CEEE-GT T2017-021 0,210
conexão e proteção diferencial adaptativa.
SE Votuporanga II 2° autotransformador trifásico 138/69 kV, 25
371 CTEEP T2016-012 0,175
Mvar, e conexões
372 FURNAS T2016-042 SE Itutinga - segundo banco de reatores 345 kV 0,175
SE FIGUEIRA - INSTALAÇÃO DE BANCO DE CAPACITORES DE 15
373 COPEL-GT T2015-077 0,174
MVAr, 138 kV
SE Sarandi - 2º autotransformador trifásico 230/138 kV, 150 MVA,
374 COPEL-GT T2015-057 0,163
e conexões associadas .
SE MANAUS - 4º Banco de Transformadores Monofásicos
375 AMAZONAS GT T2017-003 0,163
230/69/13,8 kV – 3x50 MVA e conexões.
SE Recife II - Remanejamento de fase monofásica 500/230/13,8
376 CHESF T2014-005 0,160
kV kV, 200 MVA, da SE Sobral III
377 COPEL-GT T2016-021 SE APUCARANA - BANCO DE CAPACITORES DE 30 Mvar EM 138 kV 0,155
SE Nordeste - Bancos de capacitores em derivação 88 kV, 2x28,8
378 CTEEP T2016-016 0,151
Mvar, e conexões.
SE JORGE TEIXEIRA - Instalar o 3º Autotransformador Trifásico
379 AMAZONAS GT T2017-006 0,151
230/138/13,8 kV – 150 MVA e conexões.
SE PRES. FIGUEIREDO - Inst. provisória Autotrafo Trifásico
380 AMAZONAS GT T2017-044 0,151
230/13,8 kV 62,5 MVA, cedido pela ELN.
LT 230 kV Paulo Afonso III – Angelim C1 - Aumento capacidade de
381 CHESF T2015-074 0,142
curta duração de 516 A para 621 A.
Substituição do autotransformador ATR-1, 440/230 kV, 750 MVA,
382 CTEEP T2016-082 0,139
na SE Cabreúva
383 INTESA T2017-010 SE Miracema - instalação de BCS 361,5 Mvar 0,139
LT 500 kV Garanhuns II - Angelim II C1 - Substituição do cabo para
384 CHESF T2015-069 0,138
raios convencional
LT 500 kV Angelim - Recife II C2 - Substituição do cabo para raios
385 CHESF T2015-070 0,131
convencional
Substituição de dois Transformadores de Potência 69/13,8 kV da
386 CHESF T2016-095B 0,127
SE PIRIPIRI
387 INTESA T2017-011 SE Miracema 500 kV - reator reserva de barra 0,127
Instalação de 2ºTransformador de Potência 69/13,8 kV de 12
388 CHESF T2016-094 0,115
MVA na SE XINGÓ
Substituição de um Transformador de Potência 69/13,8 kV da SE
389 CHESF T2016-095A 0,115
PIRIPIRI
390 INTESA T2017-012 SE Gurupi - instalação de BCS de 361,5 Mvar 0,109
391 INTESA T2017-013 SE Gurupi - instalação de BCS de 203,51 Mvar 0,109
392 TAESA T2017-045 Instalação de Reator de Barra na SE Rio das Éguas 0,048
LTs 230 kV Manaus - Lechuga II, C1 e C2, eliminação do fator
393 AMAZONAS GT T2017-005 0,024
limitante ativo

ACOMPANHAMENTO DIFERENCIADO 112