Você está na página 1de 14

Faculdade Estácio de Sá Ourinhos (Faeso)

Direito

Ciência Política

Nome: Victor Boldi Moretti Litawer


Professora responsável: Gustavo

Ourinhos 2019
Ciência Politica

Plano de ensino

-1) Sociedade Política e origem do Estado

Política e poder

Linhas teóricas sobre a origem do Estado

-2) Elementos essenciais do estado

2.1 território

2.2 povo

2.3 soberania

-3) Estado e Governo seus tipos clássicos

3.1 formas de estado

3.2 formas de governo

3.3 sistema de governo

3.4 regimes de governo

-4) Política, discurso e estado constitucional

 Referências

Góes, Guilherme Sandoval; Lima; Marcelo M.C. Ciência Política

Dallari, Delmo de abreu. Elementos de Teoria Geral do Estado


Streck, Lerio Luiz; Morais, Goré Luiz Bolzan de Ciência Política e Teoria
Geral do Estado

 Ciência Política é o estudo da política, das estruturas e


dos processos de governo
 A ciência politica se volta para o estudo de qualquer
fenômeno ligado as estruturas politicas de maneira
sistemática, sempre apoiada na observação empírica,
rigorosa e fundamentada em argumentos racionais.
 Jhon Hockins
 Herbert
 Estudo das relações humanas ( Aristóteles )
 Todo ser humano é um animal político
 Estado se limitava a quem era cidadão
 1648
 A ciência Política abrange campos como a teoria e a filosofia
políticas, os sistemas políticos, as ideologias, a economia
política, a geografia política , as políticas públicas, as relações
internacionais, administração pública ,entre outros.
 Metodologias:
- Estruturalismo : abordagem da realidade social baseada na
construção de modelos que expliquem como se dão as relações a
partir das chamadas estruturas.
-Behaviorismo: Também conhecido como comportamentalismo é
uma área da psicologia, que tem o comportamento como objeto de
estudo. Comtempla o comportamento como uma forma funcional e
reacional de organismos.
Racionalismo: só é possível chegar ao conhecimento da verdade
,através da razão do ser humano .
 Enfoque dado pelas ciências sociais para a explicação da sociedade
através de suas instituições.
A sociedade e o estado

Orgânica : Procede do tronco milenar da filosofia Grega,


descendendo de Aristóteles e Platão. Para os organicistas a sociedade
é o valor primário ou fundamental, haja vista ser o homem, um ser
político que não pode viver fora da sociedade.

Teoria

Mecânica: Para os mecanicistas o indivíduo é a unidade


embriogênica, o centro irredutível a toda assimilação
coletiva , o sujeito da ordem social, a unidade que não
criou e nem há de criar nenhuma realidade mais que lhe
sejam superior ou do consentimento.

Rousseau

Contratualista Hobbes

Locke

 Sociedade e comunidade
 Sociedade e Estado

Filosófica
Estado – Acepções Jurídica
Sociológica
Posições direitistas

Organicistas apologia da autoridade

Antidemocráticas

“Para os organicistas o homem jamais nasceu na liberdade, estando


desde o berço sujeito a autoridade”.

Hobbes ( 1588-1679)

Contratualismo Locke (1632- 1704)

Rousseau (1712 - 1778)

Estado de Natureza

Hobbes :

 “Homem é o lobo do homem”.


 Leviatã (estado)
 Autoritarismo

Locke

 Perfeita liberdade e igualdade


 Excluiriam àqueles que não se comportam d forma adequada
 Justaturalistas – abusem do exercício do Direito Natural
 Regras mínimas de controle
 Sustentação a criação do estado liberal (Mínima intervenção do estado)
Rousseau

 “Bom selvagem”
 “O Indivíduo é bom por natureza, porém a sociedade o corrompe”

Sociedade: a sociedade supõe a ação


conjunta dos indivíduos no seio da ordem
jurídica e econômica, havendo entre os
indivíduos solidariedade
mecânica; é uma organização
governada pela razão, por exemplo
, uma sociedade mercantil.
Toemies

Comunidade é anterior a sociedade,


sendo dotada de caráter irracional, primitivo,
munida e fortalecida de solidariedade inconsciente,
feita de afetos, simpatias, emoções, confiança,
laços de dependência,
mútua do individual e do social havendo
entre os indivíduos solidariedade orgânica,
por exemplo, a família.

Para Rousseau a sociedade é o conjunto de grupos fragmentários (


sociedades parciais), onde ,do conflito de interesses reinantes, só se
pode recolher a vontade de todos; já o estado se exprime numa vontade
geral, a única autentica, captada diretamente da relação indivíduo-estado,
sem nenhuma interposição ou desvirtuamento por parte dos interesses
representados nos grupos sociais interpostos.
Aula dia 27/08/19

Conceito de Estado

 Acepção Filosófica : Hegel – “Realização da ideia moral”,


“manifestação visível da divindade” (estado supremo que governaria
nossas ações), (Concretização daquilo que as pessoas idealizavam).
 Acepção Jurídica:
-Kant- Reunião de um multidão de homens vivendo sobre as leis do
Direito ( varias pessoas que aceitam o ordenamento jurídico, impondo o
estado como soberano)
-Del Vecchio- Estado é o laço jurídico ou político que une as pessoas
-Burdeau – Poder assentado numa instituição e não num homem, que
trata todos seus súditos de forma intencional.
 Acepção Sociológico:
-Opeiheimer: Instituição social que um grupo vitorioso imposta um
grupo vencido
-Duguit : Duradoura diferenciação entre fortes e fracos
-Marx: Poder organizado de uma classe para opressão da outra
-Weber: Organização ou institucionalização da violência

 Elementos constitutivos do estado


 1648 – Paz de Vertifália ( Fim à Guerra dos 30 anos).

Sacro Império Romano Cidades Estados Calvinistas


Germânico e luteranas do Norte da
Alemanha,
da Escandinávia e a França

Católicos X Protestantes
 Fim da guerra dos 30 anos
a) Fim do estado medieval feudalismo + domínio da Igreja )
b) Início do absolutismo monárquico

Hans Kelsen – Elemento – Povo


-Território
-Soberania

Território: Espaço pelo qual se estende a soberania o estado,


envolvendo o solo, o subsolo as aguas interiores, o mar territorial, e o
espaço aéreo subjacente.
- Tratado de Montego Bay – Limites de Território
- Mar territorial
- Zona Contígua
- Zona Econômica exclusiva
- Plataloria Continental

Brasil assinou esse tratado em 1982

Decreto 1530/1995

Paulo Bonavides - 4 teorias –

- Natureza Jurídica do Território

1) Teoria do Território Patrimônio

- O território é patrimônio do Estado, não havendo distinção entre propriedade


pública e privada

2) Teoria do Território – espaço

O estado exerce seu poder sobre as pessoas localizadas no território, ou seja,


um poder de impérium, de comandar as pessoas.
3) Teoria do território - objeto

O estado exerce o domínio sobre o território, enquanto o cidadão exerce o


chamado domínio útil do território.

A firmar que duas pessoas podem ser dona de 2 coisas ao mesmo tempo
(ERRO) O território nunca pode ser dono de uma pessoa e de um estado

4) Teoria do Território competência

O território é a extensão da ordem jurídica estatal, pois é no território que o


estado pode aplicar suas leis, sendo a teoria que mais se aproxima da ideia
moderna de estado ( espaço físico onde o estado aplica sua competência/ leis)

Vaticano – 0,44 km2

Mônaco – 2 km2

San Marino – 62 km2

 Estado sem território

Curdos

Tibetanos

Palestina

Ciganos

Bascos

Catalunha
Aula dia 03/09/19

Elementos do estado
 Território
 Povo
 Soberania

Povo
 Povo: elemento humano do estado – Conjuntos de indivíduos que,
tem um dado momento, unem-se para constituir o estado,
estabelecendo, assim um vínculo jurídico de caráter permanente. (
conceito de nacionalidade)
 População: conceito demográfico, numérico – representa todos os
indivíduos que se encontram no território do estado num certo
momento histórico.
 Cidadão: aquele que está apito a exercer seus direitos políticos (Votar e
ser votado).
 Nação: representa indivíduos que se ligam por aspectos linguísticos,
culturais ou espirituais, por interesses, ideais e aspirações comuns.
Vários aspectos podem caracterizar uma nação, como a origem, a
língua, a religião, etc. (pessoas ligadas por laços sentimentais) –
coletividade real.

Várias nações dentro do mesmo território


Espanha – Basco
-Catalunha
-andalzia
Bélgica – Belgas
Flamengos
Soberania
 Internamente, soberania significa a ausência de divisões e a clareza de
quem comanda; externamente significa a não submissão a vontade de
qualquer outra ordem jurídica. (Designa o poder politico no estado
moderno)
 Interno: não divisões de poder, identificando com clareza quem
comanda. Tendo a plenitude da capacidade de Direito em relação aos
demais poderes dentro do estado.
 Externamente: Independência de outro estado soberano. Não ser
submetido as vontades estatais estrangeiras, já que situado em posição
de igualdade para com elas.
 A Soberania consiste na capacidade de subsistência por si da
ordem jurídica.
 Estado dotado de soberania : Distingue todas as outras comunidades
ou pessoas coletivas de Direito interno que, no limite, podem tão
somente ser dotados de autonomia
 Idade Média – Soberania dividida – Temporal – Rei
- Secular – Papa
Tomás de Aquino
 Fim da Idade Média – Absolutismo monárquico

Gean Bodin

Para Bodin a soberania é uma, indivisível, irrevogável, perpétua,


indelegável, sendo pois, um poder supremo que não pode ser desafiado
por qualquer tipo de oposição.

Thomas Hobbes – Direito Natural – Jusnaturalismo

Jhon Locke

Jean Jacques Rousseau

Max Weber – Estado de Direito ou império da lei.


Membros de uma mesma nação que não se encontram no mesmo
território ( conceito de ligação sentimental).
Irã
Iraque
 Curdos (Curdistão) Síria

Turquia

índia

 Caxemiras : Paquistão

China

Aula dia 17/09/19

 Elementos do estado
1) Povo
2) Território
3) Soberania
 Formas de estado
1) Unitário
2) Federados
3) Confederados
1) Unitários
- Caracterizado pela unidade do poder politico, ou seja, existe uma so
fonte normativa para todo território do estado, não existindo de
centralização politica.
- Ausência de descentralização
- Itália, Portugal, Colômbia.
- Apenas um poder legislativo
- Apenas um poder judiciário não há representação regional
- apenas um poder Executivo e local
- estados confessionais – Vaticano
- estados comunistas – China

2) Federados
- forma federativa de Estado
- EUA – Convenção da Filadélfia de 1787
- descentralização do poder politico
- unidades autônomas com poder de auto-organização

Poder legislativo
Poder judiciário

Federalismo centrifugo – adotado no Brasil


Federalismo centrípeto – aparecer do desaparecimento do estado
unitário (EUA)
- Indissolubilidade

 Pacto federativo União


- CF - Competências Estados
Municípios
Freios e contra pesos ( cheks and balances)
- todos os poderes são harmônicos e independes entre si, mas estão
aptos a controlar os abusos uns dos outros. – Montesquieu
3) confederação

No sistema confederativo ocorre a reunião de vários estados livres e


independentes, administrativamente autônomos, constituindo um governo
único, sem a quebra da autonomia por eles mantidas

Você também pode gostar