Você está na página 1de 8

Ano letivo 2019/ 2020

Prova escrita de Português - 8º ano

Grupo I - COMPREENSÃO DO ORAL

Para responderes aos itens que se seguem, vais visionar uma reportagem sobre um livro relacionado
com Anne Frank, a menina judia que escreveu um diário mundialmente famoso.

https://www.youtube.com/watch?v=nSXrduZujqo

Antes de iniciares, lê as questões. Em seguida, ouve, atentamente, duas vezes e responde ao que é
pedido.

1. Para cada item, seleciona a opção que completa a frase, de acordo com o sentido do texto.

1.1. A reportagem fala de um diário gráfico que conta a vida de Anne Frank
(A) que foi lançado mundialmente há 70 anos.
(B) que a família só agora divulgou ao mundo.
(C) que foi lançado mundialmente em Paris.

1.2. Os autores que desenharam e recontaram o diário de Anne Frank são


(A) um ilustrador e um cineasta ucranianos.
(B) um cineasta judeu e um ilustrador ucraniano.
(C) um cineasta ucraniano e um ilustrador judeu.

1.3. Toda a ação do livro se desenrola num anexo


(A) onde os judeus viveram durante três anos.
(B) onde os judeus viveram até este ter sido vendido.
(C) que só foi descoberto devido a uma denúncia.

1.4. A morte de Anne Frank teve lugar


(A) na cidade onde se lançou o diário gráfico.
(B) em 1945, tendo sido vítima do Holocausto.
(C) em 1945, tendo ela deixado um diário gráfico.
Leitura e Educação Literária

Grupo II – Texto A

Lê, com atenção, o texto relativo a livros escritos por Mia Couto.

VOZES ANOITECIDAS 1.ª edição 1986


Em 12 pequenos contos, um rol de personagens O FIO DAS MISSANGAS 1.ª edição 2003
esfarrapadas e alheias ao palco principal dos
acontecimentos narra, de seu ponto de vista Os contos de O fio das missangas adentram
marginal, histórias que jogam com o mágico e o universo feminino, dando voz e tessitura a
com o absurdo sem, no entanto, desviar-se almas condenadas à não existência, ao
completamente do plano factual. esquecimento. Como objetos descartados, uma
TERRA SONÂMBULA 1.ª edição 1992 vez esgotado o seu valor de uso, as mulheres
são aqui equiparadas ora a uma saia velha, ora
Neste romance, um autocarro incendiado numa a um cesto de comida, ora, justamente, a um fio
estrada poeirenta serve de abrigo ao velho Tuahir de missangas. Os neologismos do autor, para
e ao menino Muidinga, em fuga da guerra civil além de mera experimentação formalista,
devastadora que grassa por toda a parte em revelam-se chaves fundamentais de
Moçambique. O veículo está cheio de corpos interpretação da leitura.
carbonizados. E, na beira da estrada, um outro JESUSALÉM 1.ª edição 2009
corpo está junto a uma mala que abriga os
“cadernos de Kindzu”, o longo diário do morto em Romance que apresenta Jesusalém, ermo
questão. As duas histórias são narradas encravado na savana, em Moçambique, que
paralelamente – a viagem de Tuahir e Muidinga e, abriga cinco almas apartadas das gentes e
em flashback, o percurso de Kindzu em busca dos cidades do mundo. Ali, ensaiam um arremedo de
naparamas, guerreiros tradicionais, abençoados vida
pelos feiticeiros, que são, aos olhos do garoto, a – Silvestre e seus dois filhos, Mwanito e Ntunzi,
única esperança contra os senhores da guerra. mais o Tio Aproximado e o serviçal Zacaria. O
passado para eles é pura negação recortada em
ESTÓRIAS ABENSONHADAS 1.ª edição 1994 torno da figura da mãe morta em circunstâncias
Depois de quase 30 anos de guerra, Moçambique misteriosas. E o futuro afigura-se inexistente.
vive um período de paz. Nestes contos, Mia Couto A CONFISSÃ O DA LEOA 1.ª edição 2012
busca captar um país em transição. Numa prosa Neste romance de Mia Couto, uma aldeia
poética e carregada das tradições orais africanas, moçambicana é alvo de ataques mortais de
o autor tece pequenas fábulas e registos que leões provenientes da savana. O alarme chega à
capturam os movimentos dessa passagem. capital do país, e um experimentado caçador,
Fantasia e realidade entrelaçam-se e impõem-se Arcanjo Baleiro, é enviado à região. Chegando
uma à outra, como num reflexo do próprio lá, porém, ele vê-se emaranhado numa teia de
continente africano. relações complexas e enigmáticas, em que os
factos, as lendas e os mitos se misturam.

https://www.fronteiras.com/ativemanager/uploads/arquivos/produtos_culturais/49d377500041d04c2bc8eaaa0bb34fd3.p
df (adaptado)
1. Associa cada elemento da coluna A ao único elemento da coluna B que lhe corresponde, de
acordo com o sentido do texto.
Escreve as letras e os números correspondentes. Utiliza cada letra e cada número apenas uma
vez.

COLUNA A COLUNA B
a) Romance inspirado num dos períodos
mais negros da história de Moçambique, 1) Vozes anoitecidas
não esquecendo as tradições do país.

b) Obra-prima que parte de um problema 2) Terra Sonâmbula


de origem animal, em que uma das
personagens se vê enredada em lendas,
3) Estórias Abensonhadas
mitos e factos.

c) Narrativa que se circunscreve a um local 4) O Fio das Missangas


e sobre a vivência de cinco personagens.

d) Narrativas que refletem o universo 5) Jesusalém


africano, no período pós-guerra,
efabulando histórias únicas. 6) A Confissão da Leoa

2. Seleciona, para responderes a cada item (2.1. a 2.4.), a única opção que permite obter uma
afirmação adequada ao sentido do texto.
Escreve o número do item e a letra que identifica a opção escolhida.

2.1. Os textos apresentados a propósito das obras de Mia Couto têm em comum o facto de todos
incluírem
(A) a data de publicação da obra e o nome da personagem principal.
(B) o nome do autor e as datas dos livros.
(C) o título, data e a referência ao número de edição.
(D) a data de publicação da obra referida e o seu título.

2.2. Das seis obras apresentadas, aquela que destaca a mulher como objeto é
(A) A Confissão da Leoa.
(B) Estórias Abensonhadas.
(C) A Confissão da Leoa.
(D) O Fio das Missangas.
2.3. A palavra “porém” (sublinhada no texto) pode ser substituída por
(A) além disso.
(B) todavia.
(C) portanto.
(D) por isso.

2.4. O antecedente do pronome relativo “que” (linha 4) é


(A) “histórias”.
(B) ”personagens”.
(C) “ponto de vista marginal”.
(D) “personagens esfarrapados”.
Texto B

Diário da Anne Frank polaca é lançado este mês

O diário inédito de Renia Spiegel esteve quase 70 anos guardado num cofre de um banco
em Nova Iorque e vai agora ser publicado em inglês. São cerca de 700 páginas escritas pela
adolescente judia que descrevem os horrores que viveu durante a ocupação nazi na Polónia. Aos
18 anos foi morta pelos nazis.
5 Com cerca de 700 páginas, este diário inédito, que está a ser comparado com O diário de
Anne Frank, esteve quase 70 anos guardado num banco de Nova Iorque. Relata a vida de Reina
Spiegel, dos 15 aos 18 anos, entre janeiro de 1939 e 30 de julho de 1942, quando é encontrada
e morta a tiro pelos nazis.
As últimas palavras no diário foram escritas pelo namorado, Zygmunt Schwarzer, que
10 sobreviveu ao Holocausto. “Três tiros! Três vidas perdidas! Tudo o que consigo ouvir são tiros,
tiros”. Soldados nazis encontraram Reina Spiegel escondida, juntamente com os pais de
Schwarzer. Foram os três mortos a tiro.
O relato de Renia Spiegel, quer em prosa quer sob a forma de poemas, começa em janeiro de
1939, nove meses antes do início da invasão alemã da Polónia, que marcou o início da Segunda
15 Guerra Mundial. As palavras da jovem judia foram publicadas pela primeira em inglês em
novembro de 2018, com a divulgações de excertos do seu diário na revista Smithsonian,
publicação oficial do Instituto de Investigação de Washington, EUA. Agora chega o livro.

Namorado sobreviveu ao holocausto e guardou o diário


À semelhança do famoso O diário de Anne Frank, a jovem judia alemã vítima do regime nazi,
20 um dos mais importantes livros sobre o Holocausto que foi declarado Património da
Humanidade pela ONU, as palavras de Reina Spiegel contam na primeira pessoa a realidade da
guerra, o dia a dia no gueto, mas também a vida de uma adolescente.
A jovem polaca deseja o reencontro com a família, nomeadamente com a mãe, o fim da
guerra, mas escreve igualmente sobre aspetos próprios da idade, como a sua imagem, os
25 amigos, a escola e quando se apaixonou por Zygmunt Schwarzer, o namorado que sobreviveu
ao Holocausto. Aliás, foi ele quem guardou o diário da sua amada, tendo depois dado à mãe e
irmã de Reina Spiegel já nos EUA, onde as duas vivem.
Reina Spiegel deixou o seu diário secreto com o namorado que escreveu as trágicas últimas
linhas. Schwarzer entregou-o a outra pessoa antes de ser deportado para o campo de
30 concentração de Auschwitz. Sobreviveu. Mudou-se para os EUA e em 1950 conseguiu encontrar
a família da namorada, Elizabeth, a irmã de Reina, e Róza, a mãe, que viviam em Nova Iorque, e
entregou-lhes o diário.

Irmã de Reina ainda não leu o diário na íntegra por ser “muito doloroso”
Elizabeth, que agora tem 87 anos, não conseguiu ler as palavras escritas pela irmã e decidiu
35 depositar o diário num cofre de um banco.
Em 2012, Alexandra Bellak, a filha de Elizabeth, insistiu para que o diário fosse traduzido para
inglês, de modo a que pudesse ler – não sabe polaco –, assim como todas as pessoas do mundo.
“Fiquei curiosa sobre o meu passado, a minha herança”, disse em entrevista à CNN. “[A minha
mãe] Nunca leu porque era muito doloroso”, afirmou.
In https://www.dn.pt, edição de 12 de setembro de 2019 [texto adaptado e com supressões].

1. Cada um dos tópicos seguintes sintetiza uma parte do texto. Ordena os tópicos, de 1 a 5, de
acordo com a ordem pela qual as informações sobre o diário são apresentadas no texto. O
primeiro tópico já se encontra numerado.

(A) O diário foi guardado pelo namorado de Reina, que, mais tarde, o entregou à família.
(B) O livro termina referindo a forma como Reina foi morta.
(C) O diário conta a vida da jovem durante cerca de quatro anos, até à sua morte. 1
(D) No seu diário, Reina relata aspetos da sua vida pessoal e da vida no gueto.
(E) A tradução do diário para inglês deveu-se à persistência de uma sobrinha de Reina.

2. Para cada item, escolhe a opção que completa corretamente as afirmações que se seguem, de
acordo com o texto.
2.1. Reina começou a escrever um diário

(A) quando começou a viver em situação de guerra.


(B) quando soube que de Anne Frank escrevia um diário.
(C) antes do início da Segunda Guerra Mundial.
(D) depois de ser ter apaixonado, para desabafar.

2.2. O diário de Reina não se perdeu porque

(A) ficou guardado, durante a guerra, num cofre secreto.


(B) uma pessoa o guardou quando Zygmunt Schwarzer foi deportado.
(C) a sobrinha o escondeu de possíveis interessados em destrui-lo.
(D) a irmã o escondeu por não o conseguir ler na íntegra.

3. Completa a afirmação seguinte, que apresenta as ideias finais do texto, usando três das
expressões apresentadas abaixo.
Escreve, em cada espaço, a letra correspondente à expressão selecionada.

O diário de Reina foi mantido num cofre pela sua irmã Elisabeth dada ____________.
A sua divulgação ficou a dever-se a Alexandra, que manifestou a sua vontade de
________________. Na sequência deste acontecimento, pôde dar-se ____________.

(A) a tradução do diário para polaco (D) a sua incapacidade para o ler

(B) divulgação do sofrimento de Reina (E) conhecimento do seu conteúdo

(C) a natureza dos segredos que continha (F) a divulgação do diário ao mundo

GRAMÁTICA

1. Associa as palavras sublinhadas na coluna A à sua classe e subclasse na coluna B.


Coluna A Coluna B

A. Anne escreve sobre as atrocidades da


guerra. 1. Pronome pessoal
2. Verbo principal
B. Ela destaca a violência contra os 3. Conjunção coordenativa
judeus. 4. Conjunção subordinativa
5. Preposição
C. Se pudesse, Anne fugiria de tudo. 6. Nome comum
7. Verbo copulativo
D. O diário tornou-se o seu confidente.

2. Identifica a opção que completa corretamente cada afirmação.


2.1. A única palavra que não é formada por composição é

(A) esfomeados
(B) contrarrelógio
(C) antissemita
(D) sexta-feira

2.2. A única palavra derivada apenas por prefixação é

(A) gaseados
(B) terrivelmente
(C) nacionalidade
(D) impossível

3. Completa as frases com as formas dos verbos nos tempos do modo indicativo indicados entre
parênteses.
a) No dia anterior, Anne não __________________ (escrever, pretérito mais-que-perfeito
composto) no seu diário.

b) Durante a guerra, poucos _____________________ (ser, pretérito perfeito) os judeus que


________________________ (conseguir, pretérito perfeito) sobreviver nos campos de
concentração.

c) As palavras de Anne _____________________ (servir, futuro) sempre de testemunho de uma


época.

d) Os amigos de Anne _________________________ (intervir, pretérito perfeito) para a tentar


salvar.
Grupo IV - Escrita

“Não há solidão mais triste do que a do homem sem amizades. A falta de amigos faz com
que o mundo pareça um deserto.”
Francis Bacon
Escreve um texto no qual expresses a tua opinião sobre a importância dos amigos na
nossa vida, apresentando razões que sustentem o teu ponto de vista e exemplos
ilustrativos.

Deves escrever entre 160 e 240 palavras.