Você está na página 1de 2

12/11/2019 Lucas 15 — Comentário de Matthew Henry - Estudos Bíblicos e Comentários

Lucas 15 — Comentário de Matthew Henry

Lucas 15
Versículos 1-10: Parábolas da ovelha e da peça de prata que foram perdidas; 11-16. O filho pródigo - sua
maldade e angústia; 17-24: Arrependimento e perdão; 25-32: O irmão mais velho ofendido.

Vv. 1-10. A parábola da ovelha perdida é muito aplicável à grande obra da redenção do homem. A
ovelha representa o pecador separado de Deus e exposto à ruína segura, se não for levado de volta a
Ele, mesmo que não deseje regressar. Cristo é fervoroso quando se trata de levar os pecadores de volta
para o lar.

Na parábola da peça de prata perdida, o que está perdido é uma peça de pequeno valor, comparada
como restante. Porém, a mulher procura diligentemente até encontrá-la. Isto representa os variados
meios e métodos que Deus utiliza para levar almas perdidas ao lar, a si mesmo, e o gozo do Salvador
por causa do regresso deles. Quão cuidadosos devemos ser então com o nosso arrependimento; que
este seja para a nossa salvação!

Vv. 11-16. A parábola do filho pródigo mostra a natureza do arrependimento e a imediata disposição do
Senhor para acolher bem e abençoar todos aqueles que se voltam a Ele. Expõe plenamente as riquezas
da graça do Evangelho; assim tem sido e será enquanto o mundo durar. É de utilidade indescritível para
os pobres pecadores, para dirigi-los e alentá-los a arrependerem-se e a regressarem a Deus.

É mau, e o pior começo possível, quando os homens consideram os dons de Deus como dívida. O modo
completamente néscio como agem os pecadores, e o que os arruína, é estarem contentes por
receberem as suas coisas boas durante a sua vida. os nossos antepassados, ou os nossos primeiros
patriarcas, destruíram a si mesmos e a toda a raça humana, por causa da néscia ambição de serem
independentes, e isto está no fundo da persistência dos pecadores em seus pecados.

Todos nós podemos discernir alguns traços de nosso caráter no filho pródigo. Um estado pecaminoso é
um estado de separação e afastamento de Deus e de desperdício. Os pecadores voluntários empregam
mal os seus pensamentos e os poderes de sua alma, gastam mal o seu próprio tempo, e desperdiçam as
suas oportunidades. Um estado pecaminoso é um estado de necessidade. Os pecadores têm falta
daquilo que é necessário para a sua alma; não têm comida nem roupa para si mesmos, nem alguma
provisão para o porvir. Um estado pecaminoso é um estado de vil escravidão. A atividade dos servos do
demônio é fazer provisão para a carne e satisfazer a luxúria desta, e isto não é melhor do que alimentar
os porcos. Um estado pecaminoso é um estado de constante descontentamento. A riqueza do mundo e
os prazeres dos sentidos não são capazes de sequer satisfazer os nossos corpos, muito menos às
nossas almas! Um estado pecaminoso é um estado em que o pecador não pode buscar alívio em
nenhuma outra criatura. Em vão rogamos ao mundo ou à carne. Estes têm aquilo que envenena a alma,
porém não têm nada que a alimente e nutra. Um estado pecaminoso é um estado de morte. O pecador
está morto em delitos e pecados, desprovido de vida espiritual. Um estado pecaminoso é um estado
perdido. As almas que estão separadas de Deus, sem a sua misericórdia, não são capazes de evitá-lo,
mas logo estarão perdidas para sempre. o estado de desgraça do filho pródigo, é somente uma pálida
sombra da horrorosa ruína do homem por causa do pecado; quão poucos são sensíveis ao seu próprio
estado e caráter!

Vv. 17-24. Tendo visto o filho pródigo em seu abominável estado de miséria, temos de considerar em
seguida a sua recuperação. Isto tem início quando ele volta a si. Este é um ponto de retorno na
conversão do pecador. O Senhor abre os olhos deste e convence-o de que tem pecados. Então, vê-se a
si mesmo e a todo o objeto sob uma luz diferente daquela que via anteriormente.

Assim, os pecadores convictos percebem que o servo mais pobre de Deus é mais feliz do que eles.
Contemplar a Deus como seu Pai e nosso Pai, será algo muito útil para o nosso arrependimento e
regresso a Ele. o filho pródigo levantou-se e não se deteve até que chegou à sua casa. Assim, o pecador
arrependido deixa de modo resoluto as ataduras de Satanás e as suas luxúrias, e regressa a Deus por
meio da oração, apesar de seus temores e desalentos. O Senhor sai ao seu encontro com
demonstrações inesperadas de seu amor perdoador. Novamente, a recepção do pecador humilhado é
https://bibliotecabiblica.blogspot.com/2015/10/lucas-15-comentario-de-matthew-henry.html 1/2
12/11/2019 Lucas 15 — Comentário de Matthew Henry - Estudos Bíblicos e Comentários

como a recepção do filho pródigo. É vestido com o manto de justiça do Redentor, é feito participante do
Espírito de adoção, preparado pela paz de consciência e pela graça do Evangelho para andar nos
caminhos da piedade, e festejado com consolações divinas. os princípios da graça e da santidade
trabalham nEle, para querer e para realizar.

Vv. 25-32. Na última parte desta parábola temos o caráter dos fariseus. São vistas a bondade do Senhor,
que lhes é concedida pela graça, e a soberba com que a recebem. Os judeus, de modo geral, mostraram
o mesmo espírito para com os gentios convertidos; e muitos deles, ao longo de todas as épocas, têm
colocado objeções ao Evangelho e aos seus pregadores, sobre a mesma base de argumentos. Como
será este temperamento, que incita os homens a desprezarem e aborrecerem aquEle Salvador que por
eles derramou o seu precioso sangue? Como ainda faz com que aborreçam àqueles que lhes pregam a
Palavra, que foram escolhidos pelo Pai e que são templos do Espírito Santo? Esta atitude brota do
orgulho, da preferência por si mesmo e da própria ignorância do coração humano.

A misericórdia e a graça de nosso Deus em Cristo, brilham quase com tanto fulgor em sua terna e gentil
tolerância para com os santos que estão em guerra, quanto para receber os pecadores pródigos que se
arrependem. A felicidade inexprimível de cada filho de Deus, que se mantêm próximos à casa de seu
Pai, é que estejam e estarão para sempre com Ele. Haverá grande felicidade para todos aqueles que,
agradecidos, aceitarem o convite do Senhor Jesus Cristo.

https://bibliotecabiblica.blogspot.com/2015/10/lucas-15-comentario-de-matthew-henry.html 2/2