Você está na página 1de 77

TRANSFORMADORES

ELÉTRICOS

1º SEMESTRE DE 2016

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA - DEPEL


CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA – COELE

Aula
30/09/2019

Professor: Teresa Cristina Bessa Nogueira Assunção


TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

TRIÂNGULO ABERTO OU CONEXÃO V - V

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

TRIÂNGULO ABERTO OU CONEXÃO V - V

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

BANCO TRIFÁSICO (∆ - ∆)

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

TRIÂNGULO ABERTO OU CONEXÃO V - V

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

TRIÂNGULO ABERTO OU CONEXÃO V - V

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

TRIÂNGULO ABERTO OU CONEXÃO V - V

Ou seja: 8

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

TRIÂNGULO ABERTO OU CONEXÃO V - V

REDUÇÃO EM RELAÇÃO A OPERAÇÃO MONOFÁSICA

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

TRIÂNGULO ABERTO OU CONEXÃO V - V

O que acontece com o restante da potência original do banco?

A conexão V-V é amplamente utilizada em sistemas recém instalados,


sendo transformados em ∆ ∆ quando o aumento da demanda exige. A
introdução de um novo transformador há um aumento de
aproximadamente 73,2% na capacidade de transformação de energia,
com um aumento de custo de apenas 50%.
10

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

EXEMPLO DE APLICAÇÃO: Duas unidades transformadoras monofásicas


de potência individual de 25 kVA são ligadas em conexão V e colocadas
para alimentar uma carga trifásica equilibrada. A) Determine a potência
demandada pela carga e as correntes na linha secundária e nas fases da
carga, sabendo que ela está ligada em ∆ e que a tensão de fase é igual à
tensão de linha do secundário e igual a 220 V. B) Determine a potência
instalada, a potência da carga e a corrente de linha do alimentador do
secundário se um terceiro transformador monofásico, de igual potência é
instalado completando o banco. C) Repita o exercício para uma tensão
de linha igual a 13.220,00 V.

11

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

EXEMPLO DE APLICAÇÃO: Os transformadores de um banco


trifásico ∆ ∆ tem capacidade nominal de 20 kVA, 2300/230 V e a
carga suprida é de 40 kVA com fp = 0,7 atrasado. Se um
transformador é removido calcule:

12

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

EXEMPLO DE APLICAÇÃO: A rede de alimentação é caracterizada por


3ϕ – 380 V – 60 Hz, a carga é um motor trifásico com os seguintes
dados nominais: 380 V – 60 Hz – 50 A – FP = 0,6 e a relação de
transformação é 2:1. Calcular a potência dissipada.

13

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

ESTRELA - DELTA ABERTO

14

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

CONEXÃO T - T

• Os transformadores deverão possuir a mesma RT; 15


• A potência transmitida pela T T é igual a da VV;
• Na TT há a possibilidade da conexão do neutro em ambos os lados.
COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

CONEXÃO T - T

T1 AB L
V2 = V2 = V 0º V
2 AB L
T1
V2 = V2
AB L
= V 0º V
T1 AB L V2 = V2 0º V 2
T2 L
V2 = 0, 866 V2 90º V V1 = V1 = V 0º V
1 BC L
T2 L
V2 = 0, 866 V2 90º V
V2 = V2 - 120º V
L V1L V1
T2 T1
= 0, 866 V1 90º V V1L
V2 = CA L
V2 = V2 120º V L
V =
2
a a
A tensão nominal do transformador principal deverá corresponder
a 115,4% da tensão nominal do transformador de equilíbrio, ou que
a tensão nominal do transformador equilibrador corresponde a 16
86,6% da tensão do transformador principal.
COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
TRANSFORMADORES DE TRÊS ENROLAMENTOS

• Conexão de sistemas operando em níveis de tensão distintos;


• Ligação trifásica com um enrolamento conectado em ∆ para
filtragem de harmônicas;
• Dois enrolamentos isolados entre si suprindo uma mesma carga;
• Pode ser conectado a suporte de fonte reativa (condensador
síncrono);
• Usados em subestações para alimentar cargas da própria
subestação pelo terciário
• Fonte de potência para serviços auxiliares, e também em 17
circuitos eletrônicos.
COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
TRANSFORMADORES DE MÚLTIPLOS ENROLAMENTOS

Parâmetros do circuito equivalente

Impedância vista do primário


com o secundário em curto

Terciário aberto

Vsc / P −S
Z sc / P −S =
I sc / P −S

Z PS = Z P + Z S

18

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
TRANSFORMADORES DE MÚLTIPLOS ENROLAMENTOS

Parâmetros do circuito equivalente

Impedância vista do primário


com o terciário em curto

Vsc / P −T
Z sc / P −T =
I sc / P −T

Z PT = Z P + ZT
19

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
TRANSFORMADORES DE MÚLTIPLOS ENROLAMENTOS

Parâmetros do circuito equivalente

Impedância vista do secundário


com o terciário em curto

Vsc / S −T
Z sc / S −T =
I sc / S −T

Z ST = Z S + ZT
20

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
TRANSFORMADORES DE MÚLTIPLOS ENROLAMENTOS

Parâmetros do circuito equivalente

Portanto:

1
Z P =  Z PS + Z PT − Z ST 
2
1
Z S =  Z PS + Z ST − Z PT 
2
1
ZT =  Z PT + Z ST − Z PS 
2
21

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
TRANSFORMADORES DE MÚLTIPLOS ENROLAMENTOS

CIRCUITO EQUIVALENTE

22

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

TRANSFORMADORES DE MÚLTIPLOS ENROLAMENTOS

Exemplo de Aplicação Transformadores de 3 enrolamentos

Um transformador trifásico de três enrolamentos com tensões


VP/VS/VT kV tem as seguintes reatâncias medidas entre
enrolamentos XPS; XPT, XST em ohms. O enrolamento secundário
alimenta uma carga balanceada com corrente IL A com fator de
potência em atraso de 0,8 e o enrolamento terciário alimenta um
reator j XR Ω/fase conectado em estrela. Mostrar a tensão no
enrolamento primário de modo que a tensão nominal da carga no
enrolamento secundário seja mantida.

23

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
CONEXÃO ∆- ZIG-ZAG

24

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
CONEXÃO ∆- ZIG-ZAG

PRIMÁRIO

VAB = V1
VLINHA = VFASE
I A = 3 I AB
I LINHA = 3 I FASE
Diagrama Fasorial do Primário e do Secundário

25

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
CONEXÃO ZIG-ZAG

26

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
CONEXÃO ∆- ZIG-ZAG

27

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
CONEXÃO ZIG-ZAG

28

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

RAZÕES DO PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

• Necessidade da ampliação da instalação;


• Limitação da potência das unidades transformadoras;
• Confiabilidade;
• Reserva de capacidade;
• Operação mais adequada de carga. 29

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

Para que dois transformadores sejam conectados em paralelo, sob as


mesmas condições de carregamento, tais transformadores devem satisfazer
as seguintes condições:
• Possuir a mesma relação de transformação (RT); essencial
• Mesmo defasamento angular; essencial
• Apresentar a mesma impedância percentual; otimização 30
• Mesma relação entre resistência e reatância equivalente. otimização
COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

31

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

• Mesma Polaridade

Terminais marcados com índice 2 são


convencionados como positivos.

32

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

• Ligação correta

33

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

• Ligação incorreta

34

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

• Mesma RT ou Valores Muito Próximos

Por exemplo: um transformador de 1000V/100V e outro de 100V/10V ?

35

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

Tipicamente, transformadores não devem operar em paralelo


quando as seguintes condições existirem:

• Quando a divisão da carga é tal que, fluindo uma corrente total


igual à soma das correntes nominais dos transformadores, um
deles está sobrecarregado;

• Quando correntes circulantes a vazio em qualquer dos


transformadores exceder 10% da somatória das correntes
nominais;

• Quando a combinação das correntes circulantes com a corrente


de carga exceder os limites de corrente de qualquer um dos
transformadores.

36

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

Circuito equivalente de dois transformadores em paralelo

37

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

• MESMA RT OU VALORES MUITO PRÓXIMOS


• E TENSÕES NOMINAIS IGUAIS

38

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

• RT1 ≠ RT2 – A vazio

Fem resultante da malha.

E2 = E − E'
2
''
2
Icirc = corrente de circulação estabelecida pela malha formada pelos
secundários.

E2 Z 2' = impedância de T1 referida ao secundário;


I circ = ' 39
Z 2 + Z 2'' Z = impedância de T2 referida ao secundário.
''
2

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

Sabendo que:

E1 E1
E2 = E − E'
2
''
2
E =
'
2
RT 1
; E =
''
2
RT 2
Portanto;

 RT 2 − RT 1 
E1  
 RT 1  RT 2 
I circ =
Z 2' + Z 2''

RT = RT 1  RT 2  RT médio

E1  RT 2 − RT 1 
 
RT  RT 
I circ = 40
Z 2' + Z 2''
COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

Sabendo que:

E1
E2 média =  V2 no min al
RT
Portanto;

 RT 2 − RT 1  RT 2 − RT 1
V2 no min al  
I circ =  RT = RT
Z2 + Z2
' ''
Z2 '
Z 2''
+
V2 no min al V2 no min al

RT 2 − RT 1
 100
I circ == RT
Z 2' I 2' no min al 100 Z 2'' I 2' no min al 100
 ' +  '
V2 no min al I 2 no min al V2 no min al I 2 no min al
41

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

Sabendo que:

RT 2 − RT 1
 100 = RT %
RT
Portanto;

RT % I circ % =
I circ
 100 =
RT  100
I circ = `
 I 2` n 
( Z % + Z % )   I 2``n 
`
Z % ` + Z `` % `` I 2n ` ``
I 2n I 2n
Como:

RT  100
I 2` n Sn` I circ % =
= ``  Sn` 
``
I 2 n Sn ( Z % + Z % )   Sn`` 
` ``

42

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

• DEFASAMENTO ou DESLOCAMENTO ANGULAR

Representa a diferença angular entre grupos de ligações de dois


enrolamentos, a partir dos fasores que representam as tensões entre
o ponto neutro e os terminais correspondentes de dois
enrolamentos.

Por exemplo, o grupo vetorial de ligações YΔ1 denota que o


enrolamento de menor tensão ligado em delta (Δ) está atrasado de
30° em relação ao enrolamento de maior tensão (Y).

43

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

• DEFASAMENTO ou DESLOCAMENTO ANGULAR

Deslocamento Angular – Dyn1

• A primeira letra (maiúscula) representa o enrolamento de


tensão mais elevada, sendo utilizadas as seguintes letras D
(Delta), Y (estrela) e Z (Zig-Zag).
• A segunda letra (minúscula) representa o enrolamento de
tensão inferior, sendo utilizadas as seguintes letras d (delta),
y (estrela) e Z (Zig-Zag);
• A letra n indica que o neutro é acessível;
• O número 1 indica as horas do ponteiro de um relógio, ou
seja, cada 30° representa uma hora (30° / 30° = 1 hora).

Deslocamento angular = número (de horas) x 30o 44

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

45

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

• MESMO GRUPO DE DEFASAMENTO

É essencial que a fem resultante seja nula.


'
E 2 E2''
• T1 e T2 subtrativos

46

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

• MESMO GRUPO DE DEFASAMENTO

• T1 subtrativo e T2 aditivo

47

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

• MESMA IMPEDÂNCIA PERCENTUAL OU VALORES MUITO PRÓXIMOS

Com
carga:

V = Z  I Z 2`` I 2`
= ``
` ` `
2 2 2
`
V2`` = Z 2``  I 2`` Z2 I2
`` ` Potência entre os transformadores se
Z % S% distribuem de maneira inversamente
`
= `` proporcional ás correspondentes 48
Z% S % impedâncias percentuais.
COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

• MESMA IMPEDÂNCIA PERCENTUAL OU VALORES MUITO PRÓXIMOS

49

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

• MESMA RELAÇÃO ENTRE RESISTÊNCIA E REATÂNCIA EQUIVALENTE

50

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

• MESMA RELAÇÃO ENTRE RESISTÊNCIA E REATÂNCIA EQUIVALENTE

Do circuito:

Z 2'' Z 2'' e jw ''


I = I2  '
'
= I 2  ' jw '
Z2 + Z2 Z 2 e + Z 2'' e jw ''
2 ''

' ' jw '


Z Z e
I 2'` = I 2  ' 2 '' = I 2  ' jw ' 2 '' jw
Z2 + Z2 Z 2 e + Z 2 e ''
I 2' 51
Como: Z =Z
``
2
`
2 = e jw'
− e jw ''

I 2''
COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

• MESMA RELAÇÃO ENTRE RESISTÊNCIA E REATÂNCIA EQUIVALENTE

Z 2`` = Z 2`  I 2'
I 2''
= e jw'
− e jw ''

Se: Z 2`` = Z 2` As correntes têm o mesmo módulo. Mas, se os


ângulos forem diferentes as correntes não estarão em
fase.

S2` = V2 I 2`*
S2`` = V2 I 2``*
 S =S +S` ``

Valor máximo de potência

As correntes têm o mesmo módulo. Mas, se os


ângulos forem diferentes as correntes não estarão em 52
fase.
COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

Exemplo de aplicação 1: Dois transformadores de 2000 kVA são


conectados em paralelo, cada um com impedâncias de 5,75%, , o
transformador 1 é ajustado com tap de + 2,5% da tensão nominal e o
transformador 2 com tensão nominal. Qual a corrente circulante entre os
transformadores?

53

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES

Exemplo de aplicação 2: Conectando em paralelo dois transformadores de


2000 kVA, impedâncias de 5,75%, relação de transformação iguais, carga
de 4000 kVA, qual a condição de carga de cada transformador?

Exemplo de aplicação 3: Conectando em paralelo dois transformadores


um de 3000 kVA e outro de 1000 kVA, impedâncias de 5,75%, relação de
transformação iguais, carga de 4000 kVA, qual a condição de carga de
cada transformador?

54

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

PARALELISMO DE TRANSFORMADORES
Exemplo de aplicação 4: Conectando em paralelo dois transformadores de
2000 kVA, impedâncias de 5,75% e outro de 4%, relação de transformação
iguais, carga de 3500 kVA, qual a condição de carga de cada
transformador?

Exemplo de aplicação 5: Conectando em paralelo dois transformadores


um de 3000 kVA e outro de 1000 kVA, impedâncias de 5,75% e 4%, relação
de transformação iguais, carga de 3500 kVA, qual a condição de carga de
cada transformador?

55

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

HARMÔNICOS EM TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

A palavra “harmônica” foi originalmente usada na acústica e


corresponde a frequência de vibração de uma corda ou coluna de ar
múltipla de uma básica ou fundamental. A mesma ideia foi
aproveitada em sistemas elétricos para representar uma forma de
onda distorcida de corrente ou tensão; ou seja , a forma de onda pode
ser representada como a soma de uma onda com frequência
fundamental e uma série de outras com frequência múltiplas desta
fundamental (ou harmônica).

Efeitos dos harmônicos nos transformadores

• As correntes harmônicas são responsáveis pelo aumento das


perdas no cobre e das perdas envolvendo fluxos de dispersão,
gerando sobreaquecimento por perdas Joule e no Ferro;
• Maiores solicitações de isolamento devido às sobretensões e
possíveis ressonâncias entre os enrolamentos do transformador e as
capacitâncias das linhas de transmissão. 56

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

HARMÔNICOS

Os transformadores monofásicos quando excitados à tensão nominal,


produzem uma terceira harmônica. Isto se deve a saturação dos núcleos
dos transformadores comerciais, a curva de saturação sobe abruptamente e
satura-se rapidamente, ocasionando uma distorção na corrente de
magnetização. Desse modo, uma tensão senoidal á frequência fundamental
produz uma componente de terceira harmônica. A corrente de
magnetização em transformadores monofásicos é pequena comparada à
corrente de carga, e a sua forma de onda é levemente distorcida.

Em transformadores trifásicos, as três correntes de magnetização


fundamentais são defasadas de 120º e as terceiras harmônicas estão
em fase. Na ausência de um circuito fechado (Y aberta ou malha
aberta), a componente de terceira harmônica induz uma tensão em
cada enrolamento do secundário. Se o circuito for fechado, as
harmônicas são suprimidas e não há distorção na tensão secundária.
57

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

HARMÔNICOS
Quando transformadores trabalham fora da região de saturação, não
existe nenhuma geração de harmônica, porque a corrente varia
linearmente com a tensão. Se por algum motivo, o transformador opera na
região de saturação, a corrente começa a não variar linearmente com a
tensão, o que faz surgir o aparecimento das componentes harmônicas.

Corrente a vazio de um transformador

58

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

HARMÔNICOS

As frequências harmônicas são múltiplos inteiros da frequência


fundamental da fonte de alimentação, isto é, para uma fundamental de 60 Hz
o terceiro harmônico corresponde a 180 Hz e o quinto a 300 Hz (e assim por
diante).

Transformadores são afetados de duas maneiras pelos harmônicos.


Primeiramente, as correntes de magnetização, que representam
cerca de 10% das perdas do transformador a carga plena, crescem
com o quadrado do número do harmônico. O resultado é o 59
sobreaquecimento e a perda da vida útil do transformador.
COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

HARMÔNICOS

VIDA ÚTIL X HARMÔNICOS

60

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

VALORES LIMITES DOS HARMÔNICOS EM TRANSFORMADORES

Algumas normas fornecem sobre os níveis máximos permissíveis de


distorção harmônica total de tensão e corrente que o transformador
pode ser submetido. O IEEE em seu documento nº C57.12.00-1980
sugere os seguintes limites :

Com carga

A vazio

61
n = ordem harmônica, 1 = fundamental (60 Hz)
COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

HARMÔNICOS

Causa: Relação não linear entre o fluxo magnético e a corrente de excitação.

dio d
v1 = r1 io + l1 + N1
dt dt
dio
v1 = r1 io + l1 + e1
dt
d
e2 = N 2
dt

A corrente de magnetização possuirá além


da frequência fundamental , harmônicos
ímpares. Destes harmônicos o terceiro 62
harmônico é o mais importante, pois é cerca
de 30 a 40% do componente fundamental
COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

GERAÇÃO DE HARMÔNICOS EM TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

PRIMÁRIO CONECTADO EM TRIÂNGULO

Correntes de fase e de linha


(magnetização)

63

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

GERAÇÃO DE HARMÔNICOS EM TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

DIAGRAMA FASORIAL PARA COMPONENTES FUNDAMENTAL E 3ª HARMÔNICA

CIRCUITO PARA COMPONENTES DE TERCEIRA HARMÔNICA

I 0 LINHA = 3 I 0 FASE

64

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

GERAÇÃO DE HARMÔNICOS EM TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

TRIÂNGULO

65

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

GERAÇÃO DE HARMÔNICOS EM TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

SECUNDÁRIO CONECTADO EM ESTRELA COM NEUTRO ISOLADO

E3hAB = 0
66

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

GERAÇÃO DE HARMÔNICOS EM TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

INFLUÊNCIA DO ATERRAMENTO DO NEUTRO

Neutro Isolado Neutro


Aterrado

Carga em Carga em estrela


triângulo aterrada

67

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

GERAÇÃO DE HARMÔNICOS EM TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

• Chave 1 e Chave 2 abertas

68

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

GERAÇÃO DE HARMÔNICOS EM TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

• Chave 1 fechada e Chave 2 aberta – Correntes de excitação

69

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

GERAÇÃO DE HARMÔNICOS EM TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

• Chave 1 e Chave 2 abertas


v A = v A1 + v A3
v B = v B1 + v B 3 v AB = v A − vB = v A1 − vB1 + v A3 − vB 3
vC = vC1 + vC 3
Tensões fundamentais e de vA3 − vB 3 = 0
terceiro harmônico
vAB = vA1 − vB1 O que significa?

Tensão induzida no secundário

v 0 = va + vb + vc
v 0 = ( va1 + vb1 + vc1 ) + ( va 3 + vb 3 + vc 3 )
v 0 = va 3 + vb 3 + vc 3
70
v  0 = 3 va 3
COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

GERAÇÃO DE HARMÔNICOS EM TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

• Chave 1 fechada e Chave 2 aberta

iA = I m1 senwt + I m3 sen3wt
iB = I m1 sen ( wt − 1200 ) + I m3 sen 3 ( wt − 1200 )
iC = I m1 sen ( wt − 2400 ) + I m3 sen3 ( wt − 2400 )

Corrente no
neutro
iA + iB + iC = 3 I m3 sen 3wt
Tensão induzida no secundário

v 0 = va + vb + vc = 0
71

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

GERAÇÃO DE HARMÔNICOS EM TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS

Exemplo 1: Fazer análise para Chave 1 Aberta e Chave 2 Fechada.

Exemplo 2: Fazer análise para sistema Y – Y com enrolamento terciário


ligado em triângulo.

72

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
EXERCÍCIOS EXTRAS

1. Dado um banco trifásico de transformadores de 400 kVA e 34.5/13.8


kV, calcule a potência nominal individual de cada transformador (AT, BT,
relação de espiras e potência aparente), se o banco de transformadores
é conectado em estrela-estrela, estrela- triângulo, triângulo-triângulo,
triângulo aberto e estrela aberto-triângulo.

2. Um banco trifásico de transformadores conectado em estrela-


triângulo, 13.8 kV/480V é constituído de três transformadores idênticos
de 100 kVA, 7967/480V. No ensaio de curto-circuito, os valores medidos
e referidos ao lado de AT são:
Vcc = 560 V, Icc = 12,6 A, Pcc = 3300 W.
a) Se o banco está ligado a uma carga de FP = 0,88 atrasado e tensão
nominal, calcular o valor da tensão de linha no primário do banco de
transformadores;
b) Calcular o valor da regulação;
c) Admitindo que a tensão no primário é constante e igual a 13,8 kV,
plote a corrente da tensão do secundário em função da corrente de
carga (operação a vazio à operação nominal). Fazer também para FP =
0,85 atrasado, FP= 1,0 adiantado e FP= 0,85 atrasado.
d) Plote a regulação de tensão deste transformador em função da carga
para correntes variando de operação a vazio à operação nominal. Fazer 73
também para FP = 0,85 atrasado, FP= 1,0 adiantado e FP= 0,85 atrasado.
COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

EXERCÍCIOS EXTRAS

3. Um transformador trifásico de 1000 000 kVA, 230/115kV, triângulo-


triângulo, tem R = 3,17 ohms e reatância 8,728 ohms. O ramo de
magnetização tem R = 15870 ohms, e X = 3174 ohms.
a) Se o transformador alimenta uma carga de 8 0 MVA e FP = 0,85
atrasado, desenhe o diagrama fasorial de fase do transformador.
b) Calcular a regulação de tensão do banco sob estas condições.
c) Desenhe o circuito equivalente referido ao lado de BT de uma
fase deste transformador. Calcule as impedâncias referidas ao lado
de BT.

4. Dado um banco trifásico de transformadores de 400 kVA e


34.5/13.8 kV, calcule a potência nominal individual de cada
transformador (AT, BT, relação de espiras e potência aparente), se o
banco de transformadores é conectado em estrela-estrela, estrela-
triângulo, triângulo-triângulo, triângulo aberto e estrela aberto-
triângulo.
74

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS
5. Um banco trifásico de transformadores conectado em estrela-triângulo, 13.8
kV/480V é constituído de três transformadores idênticos de 100 kVA,
7967/480V. No ensaio de curto-circuito, os valores medidos e referidos ao lado
de AT são: Vcc = 560 V, Icc = 12,6 A, Pcc = 3300 W.
a) Se o banco está ligado a uma carga de FP = 0,88 atrasado e tensão nominal,
calcular o valor da tensão de linha no primário do banco de transformadores;
b) Calcular o valor da regulação;
c) Admitindo que a tensão no primário é constante e igual a 13,8 kV, plote a
corrente da tensão do secundário em função da corrente de carga (operação a
vazio à operação nominal)Fazer também para FP = 0,85 atrasado, FP= 1,0
adiantado e FP= 0,85 atrasado.
d) Plote a regulação de tensão deste transformador em função da carga para
correntes variando de operação a vazio à operação nominal. Fazer também
para FP = 0,85 atrasado, FP= 1,0 adiantado e FP= 0,85 atrasado.

6. Um transformador trifásico de 1000 000 kVA, 230/115kV, triângulo-triângulo,


tem R = 3,17 ohms e reatância 8,728 ohms. O ramo de magnetização tem R =
15870 ohms, e X = 3174 ohms.
a) Se o transformador alimenta uma carga de 8 0 MVA e FP = 0,85 atrasado,
desenhe o diagrama fasorial de fase do transformador.
b) Calcular a regulação de tensão do banco sob estas condições.
c) Desenhe o circuito equivalente referido ao lado de BT de uma fase deste
transformador. Calcule as impedâncias referidas ao lado de BT. 75

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

Exercício Bônus – Sala de Aula

Um transformador trifásico de 200 kVA, 4600/230 V, estrela-triângulo, foi ensaiado e


obtidos os valores apresentados na tabela.

Ensaio Alimentação Tensão Corrente [A] Potência [W]


Aplicada [V]
CC AT 206,6 25,10 2720
Vazio BT 230 12,60 892

Calcular:
• A resistência de perdas no ferro e a reatância de magnetização referidas a AT;
• Impedância equivalente referida a AT;
• A tensão a ser aplicada aos terminais do primário para que seja fornecida 200 kVA
sob 230 V a uma carga de fator de potência 0,8 indutivo;
• A regulação e o rendimento considerando a mesma carga.

76

COELE/DEPEL/UFSJ
TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

Determine a corrente nos disjuntores 1 e 2 em condições nominais de operação.

77

COELE/DEPEL/UFSJ