Você está na página 1de 83

AS CATEGORIAS

GEOGRÁFICAS
Considerações Iniciais...
• A Geografia como ciência social
possui em seu arcabouço um
conjunto de categorias que
expressam sua identidade ao discutir
a ação humana no ato de modelar
a superfície terrestre
O que seriam categorias
metodológicas?
•São ferramentas que possibilitam não
apenas pensar uma teoria, mas
“materializar” determinadas
concepções de um determinado
conhecimento cientifico.
•CATEGORIAS
INSTRUMENTOS
METODOLÓGICOS
MÉTODO
• As categorias devem ser consideradas em suas
inter-relações e conexões, dada à dinâmica do
Espaço Geográfico.
•“O espaço geográfico é historicamente
produzido pelo homem, enquanto organiza
econômica e socialmente sua sociedade”
(BRASIL, 2000, p. 109).
• Nesta perspectiva, o espaço geográfico deve
ser entendido como uma totalidade dinâmica
em que interagem fatores naturais,
socioeconômicos e políticos
ESPAÇO
GEOGRÁFICO
Espaço Geográfico
• Engloba os elementos e os aspectos existentes nas
paisagens e as diferentes ações que as pessoas
produzem nas paisagens.

• Essas ações, que envolvem as relações econômicas,


sociais e políticas, são as diversas atividades que a
sociedade realiza.
• “espaço geográfico é a união dos elementos físicos e culturais da
paisagem” (...) “um todo” do qual derivam os demais conceitos e
com o qual eles se relacionam.

Prof. Roberto Lobato

• “espaço geográfico é a natureza socializada, pois, muitos


fenômenos apresentados como se fossem naturais, são, de fato,
sociais” .

“O espaço é um verdadeiro campo de forças cuja formação é


desigual. Eis a razão pela qual a evolução espacial não se apresenta
de igual forma em todos os lugares”.

Prof. Milton Santos


• O espaço deve ser considerado como uma totalidade, a exemplo da própria
sociedade que lhe dá vida (...) o espaço deve ser considerado como um
conjunto de funções e formas que se apresentam por processos do passado
e do presente (...) o espaço se define como um conjunto de formas
representativas de relações sociais do passado e do presente e por uma
estrutura representada por relações sociais que se manifestam através de
processos e funções.

(Por uma Geografia Nova 1978, p. 122).

O espaço é formado por um conjunto indissociável, solidário e também


contraditório, de sistemas de objetos e sistemas de ações, não considerados
isoladamente, mas como o quadro único no qual a história se dá.
Espaço e método (1985)
• "O geógrafo Milton Santos define espaço como
acumulação desigual de tempos.
• Nessa perspectiva, o espaço geográfico é
coagulação do trabalho social, materialização de
ideias e de ações das sociedades sobre a natureza.
• O espaço materializa diferentes tempos sociais; sua
gênese e evolução constituem o objeto da
geografia"
• Seria impossível pensar em evolução do espaço se o tempo não
tivesse existência no tempo histórico, (...) a sociedade evolui no
tempo e no espaço. O espaço é o resultado dessa associação
que se desfaz e se renova continuamente, entre uma sociedade
em movimento permanente e uma paisagem em evolução
permanente. (...) Somente a partir da unidade do espaço e do
tempo, das formas e do seu conteúdo, é que se podem
interpretar as diversas modalidades de organização espacial
Espaço e Sociedade (1979 pp. 42-43)

• Assim, para Milton Santos, o espaço é o resultado do


desenvolvimento das forças produtivas, das relações de
produção e das necessidades de circulação e distribuição
MAS O QUE SERIA “PENSAR
GEOGRAFICAMENTE”?
PRINCÍPIOS
GEOGRÁFICOS
• , é fundamental conseguir responder algumas questões :
• Onde se localiza?
• Por que se localiza?
• Como se distribui?
• Quais são as características socioespaciais?

Essas perguntas possibilitam pensar sobre a localização de objetos e das pessoas no


mundo, permitindo que compreendam seu lugar no mundo.
CATEGORIAS GEOGRÁFICAS
PAISAGEM
Para estudar a paisagem, é
necessário:
• olhar aquilo que é mais familiar, como se estivesse diante de algo
estranho;

• descrever o que é visto, aproximando as


• sensações de familiaridade –
• estranhamento dos elementos móveis e fixos na cena;

• revelar cores, odores, texturas e sons que, misturados, compõem a


morfologia, guiando o olhar a identificar na homogeneidade da cena,
a heterogeneidade das formas.
• Os limites da paisagem são dados pelo olhar e pela localização
do sujeito com relação à linha do horizonte.
• A paisagem assume escalas distintas aos nossos olhos a partir do
ponto em que nos encontramos. O que se revela está de
acordo com a capacidade de perceber, sentir, escutar e tocar.
• Na leitura da paisagem, os sentidos são aguçados para ativar a
percepção, por isso o aparelho cognitivo tem importância
capital, posto que regula e filtra a extensão das sensações para
um campo representacional em que interferem o capital
cognitivo acumulado no processo de formação do sujeito.
No que diz respeito à visão dialética
de Milton Santos:
• A percepção é “um processo seletivo de apreensão da
realidade. Se a realidade é apenas uma, cada pessoa a vê de
forma diferenciada; dessa forma, a visão pelo homem das coisas
materiais é sempre deformada” (SANTOS, 1994, p. 62).

• Assim, para esse teórico, a percepção é apenas o primeiro


dispositivo que nos permite ver a paisagem, não é
conhecimento da mesma.
PERCEPÇÃO
Percepção algumas considerações:
• Ato ou efeito de perceber; combinação dos sentidos no
reconhecimento de um objeto.

• É o processo pelo qual toma-se conhecimento do mundo


externo.

• É a função cerebral que atribui significado a estímulos


sensoriais, a partir de histórias de vivências passadas.
PERCEPÇÃO E REPRESENTAÇÃO ESPACIAL

Representação espacial

o Dotados de informações
perceptivas, as pessoas são
capazes de representar o algo
percebido.
o Através da mente, a
representação dá significado
ao algo percebido.
o A representação ocorre a
partir de uma imagem mental
(Lynch, 1960).
Imagem mental.
http://angelabrook.com
Prof. Lawrence Mayer Malanski 25
TESTE PARA
PERCEPÇÃO
PERCEPÇÃO E REPRESENTAÇÃO ESPACIAL

A imagem mental

o A construção das imagens mentais se faz por


informações dos sentidos.
o Existem várias imagens possíveis de um objeto,
porém todas significam a mesma coisa.

Prof. Lawrence Mayer Malanski 27


•SE VOCÊ
ENCONTRASSE
ESTE HOMEM NA
RUA O QUE
SENTIRIA?
•E SE ELE ESTIVESSE
VESTIDO ASSIM?
Fatores que influenciam a Percepção

• Fatores Externos:
Intensidade – sirene das ambulâncias
Contraste – sinais de trânsito
Movimento – brinquedo para crianças
Incongruência – Vestimenta na praia

• Fatores Internos:
Motivação e interesse
Experiência
Estado emocional
Diferenças Individuais
Preconceito
PERCEPÇÃO E REPRESENTAÇÃO ESPACIAL

Os mapas mentais

o Representam as
experiências, ideias e
imagens espaciais
(Kozel, 2004).
o Se opõem aos mapas
oficiais e não são
sujeitos às convenções
cartográficas.
o São mesclas do geral e
do particular, do social e Exemplo de mapa
mental individual.
do pessoal. http://parquedaciencia.blogspot.co
Prof. Lawrence Mayer Malanski 37
m.br
CONSIDERAÇÕES
PERTINENTES SOBRE A
PAISAGEM:
Para estudar a paisagem, é necessário:
A paisagem em uma dimensão
estética:
• Somente, a partir do século XVII através da pintura, que surge o
valor estético da paisagem. Esta “valor” alimentava-se da
imaginação e da contemplação.
• Com essa ampliação, o inventário das imagens da Terra são
ressignificados, trazendo à tona um vasto quadro que aparece a
partir dos caminhos feitos pelo olhar.
• Até o século XVIII, a percepção estava atrelada à pintura e à arte.
• Tomada pelo individuo, a paisagem é forma e aparência. Seu verdadeiro
conteúdo só se revela por meio das funções sociais que lhe são
constantemente atribuídas no desenrolar da história. Ou melhor:
• Mas a Ciência assume contornos distintos, aprofundando o
racionalismo como meio para se chegar a um conhecimento
verdadeiro. Na Geografia podemos destacar a partir de diferentes
perceptivas ao longo da história desta ciência como:
Em relação à perspectiva cultural
• A paisagem deve ser o objeto da ciência geográfica,
sendo concebida como “uma associação de formas,
físicas e culturais, resultado de um longo processo de
constituição e diferenciação de um espaço” (GOMES,
1996, p, 231).
• Pode ser classificada em paisagem natural e artificial,
na medida em que o homem se defronta com a
natureza, estabelece uma relação cultural, que é
também política e técnica.
• Assim, a paisagem é uma categoria da análise geográfica que
possibilita problematizar o espaço a partir do conjunto de objetos
fixos dinamizados por meio dos fluxos de ideias, percepções, valores,
condutas, usos apropriações que variam no tempo.

• A natureza coloca seus elementos; o homem coloca as suas


técnicas; a paisagem é síntese dessa combinação natureza-técnica,
em que não se pode separar uma da outra sob o risco de cairmos
na armadilha da fragmentação, que isola o homem da natureza, a
partir de conceitos que dificultam a compreensão dos problemas.
Na visão dialética:
• É necessário, para isso, compreender a dinâmica da produção de
uma sociedade historicamente organizada.
• A proposição de Milton Santos está apoiada em uma perspectiva
dialética de leitura do espaço em que a relação homem/natureza
se dá pela mediação da técnica e do trabalho, com a noção de:
• A proposição de Milton Santos está apoiada em uma perspectiva
dialética de leitura do espaço em que a relação homem/natureza
se dá pela mediação da técnica e do trabalho, ainda em Santos
(1994, p. 66):
A paisagem não se cria de uma só vez, mas por
acréscimos e substituições; a lógica pela qual se fez
um objeto no passado era a lógica da produção
daquele momento. Uma paisagem é uma escrita
sobre a outra, é um conjunto de objetos que têm
idades diferentes, é uma herança de muitos
diferentes momentos.
• A paisagem geográfica é a fisionomia que assume a segunda
natureza, marcada pelas contradições sociais, econômicas e
culturais que moldam a sociedade capitalista.
PERSPECTIVA DIALÉTICA PERSPECTIVA FENOMENOLÓGICA

• A produção da paisagem como • A paisagem é o elo de comunicação


resultado dos movimentos estruturantes do sujeito com o mundo. A percepção
da sociedade, como o trabalho, a da forma é condição de objetivação
técnica e as condições de realização de do sujeito no mundo.
dominação do homem sobre a
• Não há, portanto, subordinação entre
natureza, alterando a natureza primeira
as condições subjetivas e objetivas na
em uma segunda natureza.
produção da paisagem, na media em
• A paisagem revela o aspecto imediato que o espaço geográfico é a própria
desse processo, mantendo em sua vivência do homem na Terra.
fisionomia as contradições, • O visível se mistura ao invisível, de
permanências e rupturas que regem a maneira que o que aparece é sempre
sociedade em sua relação com a o resultado de processos de
natureza. experimentação e vivência do homem
na natureza.
PARA REFLETIR...
• “as paisagens não existem a priori, como um dado
da natureza, mas somente em relação à
sociedade. Em diferentes períodos históricos, o
olhar lançado sobre o meio elege e inventa
paisagens em uma construção social que não
cessa” (...) “ver a paisagem é olhar a realidade em
um grande espelho que reflete diversas faces da
própria humanidade.” (LUCHIARI, 2001, p. 20).
Relação entre paisagem e ética
• O sujeito, ao se colocar na paisagem, deve
assumir o compromisso ético e estético com a
mesma. Essa perspectiva exige dele saber olhar,
se posicionar diante do que está sendo visto.
Pense que na paisagem está a História e a
Geografia simultaneamente enlaçadas
PAISAGEM NATURAL X PAISAGEM
TRANSFORMADA:
UMA OPOSIÇÃO POSSÍVEL?
DIFERENÇAS...

• Define-se paisagem natural como resultado de uma


combinação singular de elementos, como relevo, solo e as
formações vegetais. Esses elementos se modificam ao longo do
tempo, em um ritmo lento e quase imperceptível.

• A paisagem humanizada refere-se àquelas formações


resultantes da ação humana ou das sociedades na superfície
terrestre.
• Elas são produtos do trabalho social, isto é, do esforço coletivo e
organizado das gerações que, por meio de técnicas disponíveis,
instalam artefatos os quais são utilizados e recriados a partir das
múltiplas interações que se realizam.
Não se pode mais considerar uma fronteira material entre
o físico e o humano na leitura do espaço.
A fisionomia do espaço assumiu uma feição em que
elementos da natureza se misturam ao humano criando
feições espaciais heterogêneas.
As relações homem-natureza responsáveis pela trama
paisagística combinam ritmos diferenciados, distensões e
próteses.
O natural não é um dado do real, mas uma construção do
real.
• Assim, a paisagem é uma categoria da análise geográfica que
possibilita problematizar o espaço a partir do conjunto de
objetos fixos dinamizados por meio dos fluxos de ideias,
percepções, valores, condutas, usos apropriações que variam
no tempo.
• A natureza coloca seus elementos; o homem coloca as suas
técnicas; a paisagem é síntese dessa combinação natureza-
técnica, em que não se pode separar uma da outra sob o risco
de cairmos na armadilha da fragmentação, que isola o homem
da natureza, a partir de conceitos que dificultam a
compreensão dos problemas.
Por terem sido criadas, modificadas, transformadas pela
ação humana, as paisagens culturais ou humanizadas
refletem:
•As tradições culturais:

Madri - Espanha
•As condições socioeconômicas:
•O período histórico e as evoluções:

Praça Central de Ouro Preto - MG


O que é Lugar?
No dicionário: 1. Espaço ocupado ou que pode ser
ocupado por um corpo; 6. Ponto de observação.

Na Geografia: São os pontos que nos são familiares


e que fazem parte da nossa vida, é a porção do
espaço que é vivido por habitantes, muitas vezes,
este é capaz de criar identidade para indivíduos.

 É o ponto em que o individuo se encontra


ambientado, que esta integrado e que tem
significância para o ele.
 Compreender os lugares em que
vivemos nos permite conhecer a
história e conseguir entender tudo o
que ali acontece.
 O lugar pode ser analisado desde uma
forma simples até uma forma mais
complexa. Um lugar pode ser desde
uma região metropolitana ate um
cômodo da sua casa, pode variar de
um país ate um pequeno sitio.

Porque falar sobre


lugar?
O quarto é um lugar dentro
da casa

A casa é um lugar dentro da


cidade

Exemplos de Lugar
A universidade é um lugar
dentro da cidade A sala de aula é um lugar
dentro da universidade

Exemplos de Lugar
AINDA SEGUNDO CARLOS( OP. CIT, P.23)

O lugar permitiria entender a produção do


espaço atual uma vez que aponta a
perspectiva de se pensar seu processo de
mundialização. Ao mesmo tempo que o
lugar se coloca enquanto parcela do
espaço, construção social. O lugar abre a
perspectiva para se pensar o viver e o
habitar, o uso e o consumo, os processos de
apropriação do espaço. Ao mesmo tempo,
posto que preenchido por múltiplas coações,
expõe as pressões que se exercem em todos
os níveis.
Segundo Milton Santos,Santos
Para Milton cada
lugar é, ao mesmo tempo,
objeto de uma razão global
e de uma razão local
convivendo dialeticamente.
PERCEPÇÃO E REPRESENTAÇÃO ESPACIAL

Percepção espacial

o Contudo, a forma
como se percebe o
espaço varia entre
pessoas, grupos
culturais e condições
sociais.
o Da relação entre
pessoas e espaços
emergem conceitos e
sentimentos como Largo da Ordem, Curitiba.
paisagem, lugar, http://paranaextra.com.br

topofilia, topofobia e
apinhamento. Prof. Lawrence Mayer Malanski 72
PERCEPÇÃO E REPRESENTAÇÃO ESPACIAL

A paisagem

o Compreendida como
a fração do espaço
percebida pelos
sentidos humanos.
o Ela pode ser visual,
tátil, sonora, olfativa,
gustativa.
o Possui atributos
estéticos.
REPAR, Araucária.
www.odebrechtonline.com.br
Prof. Lawrence Mayer Malanski 73
PERCEPÇÃO E REPRESENTAÇÃO ESPACIAL

O lugar

o A ideia de lugar é
subjetiva e perpassa
pelos significados
atribuídos pelas pessoas
a uma fração do espaço.
o Tais significados podem
revelar topofilia
(afeição) ou topofobia
(rejeição).
Prof. Lawrence Mayer Malanski Lar. Curitiba. 74
http://4.bp.blogspot.com
REGIÃO
entende-se uma porção territorial que
apresenta características que lhe
permita uma individualidade em
comparação com outra porção espacial,
podendo ser considerado na analise
elementos de origem natural (relevo,
clima, hidrografia), bem como aspectos
socioeconômicos e culturais.
Conceito de
Região
• Diferenciação de áreas.
Este é um conceito de cunho político e geopolítico,
pois é definido como a RELAÇÃO DE PODER sobre
um espaço.

Pode ser usado em relação ao espaço ocupado


por uma nação, um estado, ou mesmo de uma
propriedade menor, como uma casa.
São recursos utilizados para
delimitar áreas de territórios,
podendo ser:

Fronteiras Naturais: ocorrem quando


são usados elementos naturais para
delimitar os territórios, como um rio
ou o topo de uma montanha.
Fronteiras Artificiais:
ocorrem quando
são usados
elementos
construídos pelo
homem para
delimitar os
territórios, como
um muro ou uma
cerca.

Fronteira Israel – Faixa de Gaza


1 – Região Norte

2 – Região Centro-Sul

3 – Região Nordeste