Você está na página 1de 29

Pompoarismo Masculino

EXERCÍCIOS PARA : FORTALECER A EREÇÃO, CONTROLAR A EJACULAÇÃO, PROLONGAR A DURAÇÃO DO


ATO SEXUAL, AUMENTAR SEU PRAZER, EXPERIMENTAR ORGASMOS MÚLTIPLOS

Estes exercícios ajudarão a trazer mais consciência, vida e energia para seus órgãos sexuais, e com
maior consciência, você saberá exatamente quando parar de se estimular, antes daquele ponto sem
retorno.

Isto é a chave para os prazeres ilimitados. Uma nova dimensão espera por você.

Seja paciente e gentil com você mesmo, alguns exercícios podem ser combinados com outras atividades
diárias, como; dirigir, no escritório, assistindo TV, e é claro, quando você faz amor.

Em primeiro lugar, vamos preparar o corpo para poder receber estes prazeres.

Faça isso todo dia, pelos próximos trinta dias e você verá resultados fantásticos.

Os primeiros dois passos são:

A respiração

O exercício de alguns músculos

Você já notou sua respiração enquanto está muito excitado? Você respira pela boca e enche o peito de
ar, criando tensões desnecessárias ao seu corpo.

A respiração natural é o primeiro segredo para expandir e prolongar seu prazer sexual.

É a chave para gerar altos níveis de excitação, conter essa energia no corpo e relaxar.

A respiração natural e consciente ajuda você a ficar mais presente, prolongando seu prazer sexual,
expandindo toda a carga erótica pelo seu corpo, e desta maneira você poderá ter mais e mais prazer.

Escolha um lugar tranqüilo, calmo, onde ninguém o perturbe. Vista roupas bem confortáveis, ou fique
nu como você se sentir melhor.

Sente-se confortável, com a coluna reta, e simplesmente comece a notar sua respiração, sem querer
mudar nada, veja se é profunda ou rasa, se você respira no peito ou na barriga, se é rápida ou lenta. A
respiração é a nossa mais íntima conexão com a vida.

Agora inspire profundamente pelo nariz, relaxe os músculos abdominais, e enquanto você inala, deixe
que seu abdômen se expanda. Agora exale, soltando o ar pelo nariz.

Fique consciente do intervalo natural entre inalar e exalar

Isso, repita, inale e deixe seu abdômen se expandir, enquanto você enche seu pulmão de ar, agora
exale, continue respirando, inale e exale, sinta o ar entrar e sair.

Esta é a respiração natural. E através da respiração natural seu corpo se torna mais saudável e sensível
para o prazer.

Agora vamos para o segundo passo: exercitando alguns músculos.

Você sabia que tem em seu corpo alguns músculos que usados devidamente, pode aumentar sua
excitação, manter sua ereção mais forte e por mais tempo, controlar sua ejaculação e prolongar seu
prazer?

Mas simplesmente saber desses músculos não é o suficiente, temos que exercitá-los.

Estes músculos são chamados de pubocoxígeno e músculos do esfíncter anal.

Vamos começar com o primeiro, o pubocoxígeno. Onde está ele?

Músculo pubocoxígeno é aquele músculo situado no períneo (região entre o órgão genital e o ânus) que
entra em ação quando interrompemos o fluxo da urina.
Para você poder localizá-lo e familiarizar-se com ele, quando você for urinar, interrompa o fluxo
algumas vezes, você vai saber exatamente qual é e onde ele está.(coloque a mão para senti-lo)

Depois que você localizou este músculo, vamos iniciar os exercícios.

Primeiro exercício:Toda vez que você for urinar, interrompa o fluxo da urina por varias vezes, você pode
começar este exercício pela manhã, quando acorda naturalmente com a bexiga cheia.

Segundo exercício: Sente-se confortavelmente com a coluna reta, comece a contrair o músculo
pubocoxígeno (MPC) em rápidas e curtas contrações (10 a 30 vezes), coloque toda a atenção nesta área,
até se sentir bem com isso, você sentirá seu pênis se mover enquanto contrai o MPC.

Agora vamos fazer isto junto com a respiração Enquanto você inala, contraia o MPC, segure (conte até
seis) exale, solte e relaxe o MPC, lembre-se relaxar este músculo é tão importante quanto contraí-lo.
(faça isto de 30 a 100 vezes). Sinta se existe alguma sensação na sua área genital.

No começo deste exercício é normal que você contraia a barriga e o músculo anal.Com a prática você
vai conseguir isolar e exercitar somente o MPC.

Ok, vamos agora para o último exercício do MPC, para este exercício você deve estar despido e em pé
diante do espelho.

Comece contraindo e relaxando o MPC, faça isso por 20 a 50 vezes, olhe seu pênis se movendo, pra cima
e pra baixo, olhe os movimentos, assim, a medida que os músculos ficam mais fortes, os movimentos
serão mais vigorosos.

Estes são os três exercícios do MPC.

Os benefícios de um MPC fortalecido são; melhora no seu desempenho sexual aumentando a


sensibilidade, melhora na duração e no poder do orgasmo, e com o tempo e prática conseguir conter a
ejaculação.

Agora vamos começar a trabalhar outros músculos; os músculos do esfíncter anal.

Primeiro exercício: contração anal.

Sente-se em uma posição confortável pra você, comece a tomar consciência de sua região anal, coloque
o foco de sua atenção exatamente no ânus.

A tendência natural é contrairmos as nádegas, a barriga e as coxas. A única contração necessária e a do


ânus, o resto do corpo fica totalmente relaxado.

Para você poder identificar este músculo, lembre-se de alguma vez em que você teve dor de barriga e
teve que segurar, pois é exatamente este músculo.

Contraia e solte, note se você esta contraindo outros músculos, mantenha sua barriga relaxada,
continue contraindo e soltando até você poder identificar bem este músculo.

Muito bem, agora inale e contraia o músculo anal, segure assim pelo tempo que for confortável para
você.

Exale e relaxe o ânus. Relaxe seu corpo e sinta as sensações que isto provoca; sensações de calor, frio,
formigamento são sinais de que o músculo esta trabalhando.

Faça este exercício por pelo menos 30 dias, começando com 25 repetições, aumentando gradualmente
para 50 repetições, três vezes ao dia.

Lembre-se, isto requer prática, não se desencoraje, com o tempo você vai fazer este exercício
perfeitamente.

No começo talvez você não consiga contrair e segurar por muito tempo, não se preocupe, pratique.

Este exercício tem benefício direto sobre a próstata, que controla a ejaculação, fazendo com que a
ereção tenha muito mais vigor e libera você de tensões na área genital, que geralmente bloqueiam o
fluxo de energia sexual.

As contrações do músculo anal com certeza vão aumentar sua excitação sexual, use isso enquanto você
faz amor.
Segundo exercício: Movimentando a pélvis.

O propósito deste exercício é aprender o movimento correto da pélvis, combinado com a respiração
natural.

Estes movimentos são essenciais para o ato sexual. Muitas pessoas não conseguem isolar e mover a
pélvis.

Este método é muito simples e eficiente.

Deite-se de costas em uma superfície firme.

Dobre seus joelhos, até que seu calcanhar fique debaixo dos joelhos, mantenha a sola do pé totalmente
apoiada nesta superfície.

O espaço entre os joelhos deve ter a largura de seus quadris.

Deixe suas mãos apoiadas ao lado de seu corpo.

Exale e levante sua pélvis, fazendo um arco com as costas, e quando inalar, volte a posição anterior.

Repita este movimento de 3 a 5 minutos, todo dia.

Deixe a parte superior do seu corpo totalmente relaxada, e faça os movimentos como se fossem ondas
em sua espinha.

Estes movimentos soltam seu corpo, e ajudam a despertar o movimento natural do orgasmo.

Depois que você estiver familiarizado e com prática deste movimento, acrescente mais intensidade,
fazendo junto contrações dos músculos que você exercitou antes; O músculo anal e o MPC (músculo
pubocoxígeno).

Quando exalar, levante a pélvis contraindo o músculo anal e o pubocoxígeno, inale, relaxe os músculos e
volte a posição anterior.

Outra variação deste exercício é fazê-lo de pé; abra suas pernas até que seus pés fiquem na largura dos
ombros, dobre um pouco seus joelhos e faça os mesmos movimentos do exercício anterior.

Terceiro exercício: respiração, contração anal, do MPC , ponto de pressão da próstata, que fica
localizado no períneo e conexão com o chakra do coração.

Massagear o períneo freqüentemente é ótimo para dores e desconforto nos testículos, especialmente
depois de ter prolongado por muito tempo a masturbação ou o ato sexual, aliviando as tensões
acumuladas nesta área.

O ponto da próstata fica exatamente no meio do caminho entre o ânus e os testículos, e é importante
que você aprenda através de sua própria experiência qual é a pressão certa a ser aplicada neste ponto
tão logo você sinta que a ejaculação está para acontecer, ou seja, um pouco antes do ponto sem
retorno. Você pode usar esta técnica também quando estiver em uma relação sexual.

Neste exercício você estará praticando basicamente o controle da ejaculação, aprendendo a retardá-la
e manter seu nível de excitação, mas lembre-se isso tem que ser feito um pouco antes que a ejaculação
comece, porque uma vez começada, esta técnica não fará efeito.

Reserve um tempo só para isso, escolha um lugar que você se sinta confortável e que ninguém o
incomode.

Comece a masturbar-se e estimular-se do seu jeito, como você costuma fazer.

Vá até aquele ponto um pouco antes do orgasmo e pare com toda a estimulação. Inale devagar e
profundamente pelo nariz, retenha o ar (pelo tempo que for confortável para você). Simultaneamente
contraia o músculo anal, o MPC e coloque seus dedos (três dedos do meio) no ponto de pressão da
próstata e faça uma pressão firme. (segure assim até você exalar)

Exale, retire os dedos, solte os músculos e relaxe. Coloque sua mão direita sobre os genitais e a
esquerda sobre seu coração e imagine, dirija e sinta essa energia do seu centro sexual movendo-se para
cima, em direção ao seu coração.
Espere por alguns momentos, simplesmente sentindo as sensações.

Comece a se estimular novamente e repita os passos acima, faça isso várias vezes.(faça no mínimo
quatro vezes, e no máximo o quanto você achar confortável e prazeroso).

Atenção: se você tem problemas na próstata, não aplique a pressão do períneo. A retenção de ar
também e contra indicada para pessoas que tenham problemas cardíacos, úlceras e problemas de
pulmão.

Se depois de tudo isso você quiser ter um orgasmo, ok, mas dirija-o do seu centro sexual para cima, da
mesma maneira que você fez no exercício (esqueça as contrações, simplesmente sinta essa energia se
movendo para cima), se não, fique com as sensações de sua experiência.

Lembre-se, esta pode ser uma experiência nova para você, portanto não fique muito preocupado com
resultados imediatos, eles podem ou não acontecer logo de início.

O que vai determinar quando eles acontecerão são basicamente; o seu momento, a prática, sua entrega
e abertura para novas experiências.

Obs: No começo você pode se distrair e perder a coordenação com a auto estimulação, respiração e as
contrações, isso é normal, mas não desanime, com a prática isso deixará de te atrapalhar.

Os homens podem se valer do momento em que urinam para entender como se dá a


contração de sua região íntima. Eles podem contrair tanto quanto as mulheres imaginando
que estão sugando algo com o pênis, segundo a especialista em pompoarismo Regina
Racco. “Lógico que é pura imaginação, mas pensar nesse movimento hipotético faz com
que o homem entenda claramente o movimento elevatório dos músculos pélvicos”, afirma
ela, que dá dois exemplos de exercícios básicos:

1º exercício
Duas vezes ao dia, quando for urinar, segure o jato de urina, conte até dez e solte. Faça
três repetições desse exercício. Preste atenção, porque os músculos capazes de segurar o
jato urinário (PC) são os mesmos usados para segurar a ejaculação. Depois de um tempo
será possível efetuar este movimento fora da hora do xixi. Prestar atenção na sua região
pélvica é fundamental para entender o processo.

2º exercício
Contraia rapidamente 30 vezes, descanse e repita três vezes. Isso aumenta a irrigação
sanguínea e a resposta erógena. Também faça contrações lentas, repetindo 30 vezes e
descanse. Alterne uma série e outra. (Renata Rode)

Cantinho da Éris
Exercícios Pompoar para Homens
83 Votos

Cada dia surgem novidades a respeito da sexualidade feminina e masculina, o que é bom, pois estamos evoluindo
- a pequenos passos, mas estamos – e devido a procura massiva por exercícios para fortalecer os músculos
pélvicos do homem, resolvi trazer alguns básicos, e aproveito para mostrar os benefícios que esses exercícios
proporcionam.
Apesar do Pompoar ser uma arte milenar feminina, hoje encontramos especialistas em pompoarismo masculino,
que não são mais do que exercícios e técnicas utilizadas para fortalecer a genitália masculina e prolongar seu
prazer, bem como o da parceira. Vale salientar que esses exercícios e técnicas de movimentos são similares ou
copiados do Tantra (filosofia hindu milenar de cunho comportamental – físico, psíquico, espiritual), sendo que
simplificados e adaptados ao homem ocidental, aproveitando o nome pompoarismo que já está em ‘moda’ pelo
Ocidente.
Os objetivos do pompoar masculino são fortalecer a região pélvica, fazendo com que haja mais circulação
sanguínea, permitindo assim que o homem consiga fazer sexo por horas, mantendo a ereção e controlando a
ejaculação, e proporcionar maior sensibilidade, levando o homem a ter, inclusive, orgasmos múltiplos. Ótimo
também para ajudar com problemas de ejaculação precoce, impotência, incontinência urinária e prevenção do
câncer da próstata.
Os músculos que devem ser trabalhados são o pubocoxígeno – que fica situado no períneo, região entre o órgão
genital e o ânus – e os músculos do esfíncter anal.

Exercícios para o Pubocoxígeno.


Primeiro exercício – também conhecido como exercício de Kegel. Quando estiver urinando, contraia a
musculatura e pare o fluxo da urina, repita isso várias vezes. É normal não conseguir nsa primeiras tentativas, e
sentir uma queimação nos primeiros dias que conseguir interromper o fluxo.
Segundo exercício – sentado em local confortável e com a coluna ereta, tente contrair o músculo que usou para
parar o jato de urina. Concentre-se nessa região e faça contrações curtas e rápidas, comece com 10 repetições e vá
aumentando gradativamente. Observe que seu pênis irá se mover durante as contrações. É normal que no início
você contraia a barriga e os músculos anais, porém, com o tempo, deverá conseguir contrair somente esse
músculo.
Terceiro exercício – em pé e despido a frente de um espelho, contraia o pubocoxígeno diversas vezes e observe os
movimentos do pênis. Quanto mais fortalecido estiver o músculo, mas vigorosos serão os moviementos penianos.
Exercícios os músculos do Esfíncter anal.
Primeiro exercício – contração anal. Sente-se em local confortável e concentre-se na região anal, especificamente
no ânus. Tente contrair o ânus sem mexer junto a barriga, nádegas e coxa, concentre-se até conseguir contrair
somente o ânus, mesmo que leve algum tempo para se habituar a contrair somente o ânus, não desiste. Após isso,
contraia o ânus e segure, depois relaxe. Repita por 10 vezes e vá aumentando gradativamente. É normal sentir
queimação na região – a mesma de uma musculação. O ideal é repitir a série pelo menos três vezes ao dia.
Este exercício atinge diretamente a próstata e ajuda a controlar a ejaculação e aumenta o prazer quando
contraído durante a relação sexual.
Segundo exercício – para controlar o movimento da pélvis. Deite-se de costas em uma superfície firme. Dobre os
joelhos até que o calcanhar fique debaixo do joelho, com a sola do pé totalmente apoiada no chão. As pernas
devem estar um pouco afastadas, a largura do quadril. Exale e levante a pélvis, fazendo um arco com as costas,
depois inale e desça as costas ao chão. Repita este moviemento de 3 a 5 minutos diariamente.
Depois que tiver assimilado este exercício, passe a fazê-lo incluíndo os outros exercícios aprendidos – do
pubocoxígeno e contração anal.
Avalie seu desempenho sexual antes e depois dos exercícios e verifique se houve melhora. Se sim, conte sua
experiência para incentivar outros homens a praticá-lo.

Orgasmos Múltiplos Masculino


Publicado em outubro 19, 2008 por Daniela
24

12 Votos

Um ‘fenômeno’, conhecido há mais de três mil anos no oriente, ainda é novo, e até um tabu, para os homens do
ocidente, mas existe e é possível alcança-los desde que haja uma certa dedicação dos homens a esse objetivo.
Muitos estudiosos garantem que o homem que conseguir os orgasmos múltiplos dará um giro em sua vida e
saúde sexuais.
Antes de chegar nos múltiplos devo falar sobre a diferença entre orgasmo e ejaculação, um pode ocorrer sem o
outro, apesar de geralmente acontecerem simultaneamente, o que faz a maioria das pessoas acreditar que um não
existe sem o outro, mas eu pergunto aos homens: já aconteceu de você ejacular e achar que não foi bom, que ficou
faltando algo? Isso ocorreu porque você ejaculou mas não teve um orgasmo…

O orgasmo é a intensa sensação do prazer, o clímax.


Ejaculação é a liberação do esperma através do pênis.

É mais fácil acontecer a ejaculação sem orgasmo do que o orgasmo sem a ejaculação, porém é exatamente
oorgasmo sem a ejaculação que é o ‘ideal’ para o homem, pois a ejaculação que dá ao homem a sensação de
cansaço, fraqueza e o período refratário(tempo que o homem necessita para poder ter uma nova ereção), já o
orgasmo sem ejaculação permite que a sensação de prazer se estenda por mais tempo, reduz ou acaba com a
ejaculação precoce, e aumenta o prazer da mulher.
Os praticantes do Tao e do Tantro conhecem exercícios que permitem ao homem chegar a esse ideal, a separação
da ejaculação e orgasmo e, consequentemente, levá-los ao ‘orgasmos múltiplos’, que nada mais é do que a
sequência ineterrupta de vários orgasmos.
Primeiro passo: fortalecer os músculos da pélvis.
- parar o fluxo da urina (quando estiver urinando, pare o jato e libere o jato por várias vezes).
- fazer movimentos de subir e descer com o pênis ereto, somente através dos músculos da pélvis.
- contrair todos os músculos pélvicos, inclusive o ânus. Deixá-los contraído por uns 20 segundos e depois relaxá-los por 1
minuto. Repetir essa série por dez, vinte, trinta vezes, ou a maior quantidade de vezes possível.
- contrair toda a musculatura pélvica o máximo de tempo possível, algo em torno de três a cinco minutos, ou o quanto for
possível.
Estes são alguns exercício práticos e conhecidos, que podem ser feitos em qualquer local e hora, e diariamente. O
desenvolvimento é gradual, e o homem sentirá efeitos de uma musculação comum como tremedeiras, queimação, etc. Só
com o tempo, e com a prática, que serão observadas as melhoras.
Observação: os exercícios e a relação sexual não devem ser executados quando a bexiga estiver cheia, pois isso facilita a
ejaculação.
É importante fortalecer a musculatura pélvica, principalmente entre os testículos e o ânus, pois é por ali que passa o esperma
durante a ejaculação, e, se o músculo estiver forte e contraído, a passagem será bloqueada, não havendo ejaculação, no
entanto, sem bloquear o orgasmo, ocasionando prazer e, ao final, não havendo necessidade do tempo refratário, podendo o
homem seguir com o coito.
Após os exercícios, vem o segundo passo: o treino.
O treino deve ser feito inicialmente com a masturbação.
Os homens ao ser masturbarem já devem ter percebido que às vezes ejaculam quase sem sentirem tesão, e em outras, o tesão
vem segundos antes da ejaculação, e é aí que está o principal, saber fazer com que esses segundos de tesão aumentem
gradualmente, até que não haja mais ejaculação.
O treino consistirá em duas etapas: a primeira será em segurar ao máximo o tempo de tesão sem ejacular, porém não
havendo orgasmo também; a segunda será em expandir a musculatura pélvica, evitando a ejaculação e tendo o orgasmo.
Primeira etapa
Em uma posição e local que te deixem relaxado, masturbe-se até o ponto em que sentir-se próximo ao orgasmo,nesse
momento pare a masturbação e contraia a musculatura, da maneira em que aprendeu com os exercícios, após perceber que
não irá mais ejacular, volte a se masturbar, repita isso quantas vezes puder até que, na última, não contraia os músculos e
goze.
Alguns homens garantem que só com isso o prazer é maior do que se fosse logo na primeira sensação de gozo.

Segunda etapa
A mais complicada, e a que poucos homens ocidentais conseguem fazer.
Nessa etapa, quando sentir-se próximo ao orgasmo e contrair a musculatura, continue a masturbação ao mesmo tempo em
que para de contrair a musculatura, e passe a expandir os músculos da mesma forma em que faz para liberar a urina(lembre-
se de estar com a bexiga vazia), e não ‘segure’ a sensação do gozo, nem pare de se masturbar. Isso fará com que a próstata
não fique pressionada permitindo que não haja pressão para a saída do sêmem, mas você terá as sensações do clímax.
Leva-se tempo para conseguir fazer todo o processo com êxito, pois é preciso de muito treino para se ter o equilíbrio dos
momentos de contrair e expandir a musculatura, obtendo o orgasmo sem a ejaculação.

Sexo Anal I – História e Anatomia


Publicado em setembro 28, 2008 por Daniela
2

1 Votos

Foto: Homem romano com rapaz tendo sexo anal.


copo em prata, século I DC; Encontrado em Bittir, Palestina.
Em resposta aos votos da enquete que fiz, no qual a maioria votou em sexo anal, trago-lhes uma matéria sobre o
assunto, que pretendo dividir em algumas partes para que não fique enfadonho. Nesta primeira abordagem,
gostaria de falar sobre o sexo anal na história, e mostrar a anatomia anal para que seja possível explicar melhor
sobre o tema. Não achei documentos que comprovem datas, mas sim livros, revistas e sites que afirmam
existirem documentos, registros históricos, sobre o coito anal. Eis o que descobri a respeito.
A História do Sexo Anal no Mundo.

Foto: Cerâmica da Grécia Antiga representando uma prostituta e seu cliente (o dinheiro está no saco
pendurado na parede). ca. 480-470 DC; depositado em uma coleção privada em München.
Alguns estudiosos afirmam que há cinco mil anos a prática do sexo anal era natural na Mesopotâmia, inclusive
fazia parte dos cultos religiosos dos Assírios. Registros mostram, também, que na Antiguidade, alguns casais
usavam o sexo anal como método anticoncepcional. Na Roma antiga, na noite de núpcias, os homens se
abstinham de tirar a virgindade da noiva em consideração à sua timidez, entretanto, praticavam sexo anal com
ela.

Foto: Alguns estudiosos dizem que o sexo anal na Grécia Antiga não apresentava um aspecto pecaminoso como
na visão cristã, 470 DC; depositado na coleção do Museo Nacional de Tarquinia.
Na Grécia Antiga não existia os termos ‘homossexual’ e ‘heterossexual’, bem como não havia um identidade
sexual como há hoje. Um homem poderia ter relações sexuais com homens e mulheres, tudo dependia da beleza.
Os jovens masculinos despertavam mais desejos nos homens mais velhos, pois a virilidade e o rigor do corpo
jovem eram qualidades que iriam defini-lo mais tarde, ao tornar-se homem, como um excelente guerreiro. E os
jovens viam nos mais velhos o conhecimento, a experiência, e a partir daí existia o ato sexual, no qual o mais
sábio, ensinava, dominava o mais jovem, sendo então este o passivo. A passividade era ridicularizada, mas
somente por denotar inexperiência, e por acreditarem também que mostrava que o indivíduo era
intelectualmente inferior ao ativo, o dominador do ato, aquele que sodomizava. Apesar do coito anal existir aqui,
os gregos também praticavam a cópula intercrustal, traduzida para o termo ‘entre-coxas’, em que o ‘ativo’
colocava o pênis entre as coxas do ‘passivo’, próximo aos seus testículos, não havendo penetração anal. Outra
prática comum entre os homens era a masturbação mútua. Porém, em algumas civilizações o coito anal era
considerado crime. Na França, antes da revolução, essa prática era passível de condenação à morte na guilhotina
e na Inglaterra, no século 17, era considerada crime contra a natureza, com penas de morte e prisão perpétua.
Para o Cristianismo, e outras religiões, a sodomia era pecado grave, devendo ser pago com a vida. A Inquisição
Católica, em vários países, levou muitos homens às forcas e fogueiras por este crime religioso, conhecido como a
‘sodomia perfeita’ (cópula anal homossexual com ejaculação interna), sendo este o único ‘crime’ que chegava a tal
ponto, os demais crimes religiosos geravam castigos ou torturas, a prática do sexo anal heteressexual também era
considerado crime religioso, mas acarretava castigos ou torturas. Alguns documentos mostram, também, que a
relação anal era comum na África, tanto com mulheres e homens, e que alguns negros escravizados foram
escolhidos por colonizadores com intuito sexual anal. Os senhores que fossem denunciados, descobertos, em tal
prática era julgado, chegando a ser condenado a morte ou não, dependia do tribunal católico e seus interesses. Na
Rússia, muitos homens também foram presos por terem cometido o crime da sodomia.
Através deste texto, que resumi, podemos observar que o sexo anal existe há milhares de anos, e que dependia da
religião e da cultura da época para que sua prática fosse considerada errada ou não. Atualmente, apesar de
algumas culturas e religiões ainda considerarem como crime e/ou pecado, há uma aceitação mundial cada vez
maior à está prática, e junto de filmes pornográficos, reportagens e debates sobre o assunto, os casais, heteros ou
homos, a introduzem cada vez mais às suas vidas sexuais, porém muitos ainda encontraram tabus, mitos e
preconceitos quanto ao tema, e é sobre isso que também falaremos aqui, aguarde.
Anatomia Humana – Anal

A anatomia da região anal mostra no ânus dois esfíncteres musculares em forma de anel que circundam o
canal anal e que funcionam de forma independente, onde o esfíncter externo é voluntário – você tem controle
dele – e o interno é involuntário – você não tem controle de sua contração, por isso é importante existir um
preliminar antes da penetração.
Médicos afirmam que o ânus é rico em terminações nervosas e que é possível sim sentir prazer no coito anal, e
que o psíquico contribui muito para o orgasmo através do ato também.
Fontes: Wikipédia, Cama na Rede, Ibrasexo, Kamasutra, outros.

Sexo Anal II – Anatomia e Psique


Publicado em fevereiro 8, 2010 por Daniela
6
22 Votos

Mais uma vez o sexo anal ganha numa enquete do blog – o que confesso ter me
surpreendido, pois acho um tema corriqueiro comparado ao pompoarismo,
campeão de buscas no blog, ou BDSM que tem despertado cada vez mais
curiosidade nas pessoas. Porém, no final das contas, percebo que justamente
por ser mais comum que tenha mais gente interessada em saber mais, seja
por ter experimentado e querer saber se há novidades, ou por querer
experimentar.
De qualquer forma, espero ajudá-los.
Antes de começarmos, alguns avisos:
1. Peço que leiam o artigo Sexo Anal I – História e Anatomia, se já leu, ótimo!
2. Novamente aviso que não sou formada na área médica. O objetivo deste
artigo é apenas informar e ele saiu após muitas pesquisas em sites, livros,
artigos em diversos idiomas.
3. Na segunda parte do tema falarei mais detalhadamente sobre a anatomia da região anal e, também, sobre os
motivos de uns gostarem enquanto outros detestam só de pensar na prática. Claro que será longo, lamento, e a
parte que muitos querem mesmo, um “guia” de como “iniciar” no sexo anal, ficará na última parte, mas será
postada em breve – já está até pronta, mas acho importante entenderem outros pontos sobre o tema antes de
irem para a “prática”.
4. Vocês encontrarão citações de partes das entrevistas que fiz. Elas servem para que a gente veja como as
pessoas pensam a respeito do tema – sexo anal. O objetivo não é denegrir, ou julgar, e nem serve como pesquisa,
pois apenas 38 pessoas foram entrevistadas (apenas 25 trechos aparecem aqui), a intenção é mostrar como
conceitos antigos ainda vivem. Deixarei a identidade deles no anonimato, como combinado. Obrigada a todos
que participaram e ajudaram a enriquecer este artigo!

Anatomia Anal
Uma sábia pessoa escreveu:
“A anatomia da região anal mostra no ânus dois esfíncteres musculares em
forma de anel que circundam o canal anal e que funcionam de formas
independentes, onde o esfíncter externo é voluntário – você tem controle
dele – e o interno é involuntário – você não tem controle de sua contração;
por isso é importante existir uma preliminar antes da penetração.
Médicos afirmam que o ânus é rico em terminações nervosas e que é possível
sim sentir prazer no coito anal, e que o psíquico contribui muito para o
orgasmo através do ato também.”
Fonte: Sexo Anal I – História e Anatomia por Daniela.
Porém, apesar de correto, faltaram algumas informações importantes que
exporei abaixo.
Em ambos os sexos, 1. o ânus é rico em fibras nervosas (terminações nervosas, como no clitóris da mulher e na
glande do homem), tornando-se uma zona erógena – o que significa que é normal sentir prazer ao ser
estimulado; 2. depois do ânus encontramos os músculos de esfíncter, e os movimentos musculares são os
mesmos – esfíncter interno e externo; 3. o canal anal, que vem depois dos músculos de esfíncter, mede em torno
de 3 a 5 cm, tem sua primeira porção composta pelo mesmo tecido que o ânus, e o restante por uma membrana
mucosa que também é sensível ao toque, e mais sensível à pressão; 4. depois vem o reto, que mede em torno de
12 cm, e é revisto com tecido liso e macio, também suscetível a pressão e penetração, porém, o reto não é reto, ele
tem algumas curvas, por isso que é importante ter paciência na hora da penetração, e é o máximo onde a
penetração alcança; 5. depois do reto vem o cólon, quase ninguém chega nele, e ele não tem qualquer função
sexual, aliás, é nele que fica armazenado as fezes, que só vão para o reto quando você já está pronto para excretá-
las, por isso que é quase impossível de uma pessoa ter fezes no reto, talvez tenha apenas resquícios, o que
também é difícil, normalmente não fica nada no reto após a defecação. E é aqui que terminam as semelhanças
entre ambos os sexo, pois na 6. anatomia anal do homem existe a possibilidade de contato maior com a próstata,
e isso torna a experiência do coito anal diferente para os homens – nas mulheres a próstata se encontra entre a
uretra e a vagina, só podendo, então, ser estimulada pelo atrito ocasionado dentro da vagina num ponto
específico.
Diferentemente da próstata feminina, a masculina é importante para a reprodução humana, pois é responsável
pelo funcionamento de nutrientes para os espermatozóides, e pode ficar doente (câncer de próstata). No entanto,
a próstata masculina é tão sensível ao toque quanto à feminina, podendo ser diretamente estimulada através de
fricções no reto (dentro do ânus) ou através do períneo (que se encontra atrás do escroto, na região sem pelo,
próximo ao ânus) e, por isso, chamam esses pontos, que facilitam o contato direto com a próstata, de “Ponto G
Masculino” – em referência ao Ponto G Feminino.
Durante uma relação sexual convencional, na qual o homem penetra a parceira (ou parceiro), a próstata
masculina é estimulada por contrações do músculo pubococcígeo (que se encontra na parte inferior em ambos os
sexos, tendo importância na relação sexual e na excreção da urina e fezes, existindo, inclusive, exercícios para
fortalecê-lo) e isso gera prazer ao homem, porém, esse prazer é mínimo quando comparado ao que pode ser
sentido quando o homem é estimulado diretamente na próstata (através dos chamados ‘ponto G’).
Portanto, é fato que o sexo anal, fisicamente falando, pode ser prazeroso, para homens ou mulheres, e isso
dependerá de fatores psíquicos e da atenção dada à região antes e durante a penetração. Também fica claro que
não é certo afirmar que o prazer sexual anal está associado à homossexualidade, já que a zona anal é erógena em
ambos os sexos (homem e mulher) e a homossexualidade (atração sexual por pessoas do mesmo sexo) é uma
questão sexual, de preferência sexual ou identidade sexual, e não um fator puramente físico, fisiológico.
Ainda sobre a anatomia da região anal, é importante dizer que o canal anal também é uma região muito
vascularizada (muitos vasos sanguíneos) e, portanto, com grande capacidade de absorção – o que significa que
bactérias, micróbios, vírus e remédios são rapidamente absorvidos pelo sistema quando entram em contato com
o ânus, por isso é muito importante o uso da camisinha no sexo anal – não que no sexo oral ou vaginal não seja
importante, pois é e muito, mas as chances de contaminação por DST’s através da relação sexo anal são maiores
do que nas outras duas práticas. Além disso, por ser uma região vascularizada, o ânus pode sofrer fissuras
facilmente e também ter algum de seus vasos dilatados (doença hemorroidária, vulgarmente conhecida como
hemorróida – sendo que este não é o nome da doença e sim de cada veia do canal anal) que pode ser
acompanhada ou não de inflamação, hemorragia ou trombose (entupir). Contudo, o coito anal não provoca a
doença, mas pode piorar o quadro de uma pessoa que a tenha.
Quando uma pessoa é estimulada em seu ânus (carícias, beijos), quando a pessoa fica excitada e o canal anal
irrigado de sangue, este se distende (dilata-se), por isso, somente quando uma pessoa está excitada e
devidamente estimulada na região anal será capaz de permitir a penetração, pois, caso ela não tenha sido
estimulada, não há a dilatação, dificultando, assim, a penetração e causando dor na tentativa – o que pode deixar
a pessoa ainda mais tensa e impedir que o sexo anal ocorra.
Cuidado: Apesar de a região anal permitir uma dilatação, não chega a ser como a vagina, por isso, não é
aconselhável a introdução de objetos grandes – seja grande em grossura (pois há um limite de dilatação), seja
grande em comprimento (pois podem gerar lesões ou até perfurações no reto, ocasionando a morte do
indivíduo). Essa prática, de introdução de objetos fálicos no ânus, é comum entre os homens, sejam estes
heterossexuais ou homossexuais segundo a Revista Brasileira de Coloproctologia. Há, também, casos
registrados de incontinência anal (dificuldade de retenção das fezes) em ambos os sexos, porém, com homens
homossexuais as ocorrências são maiores. A incontinência anal ocorre devido à perda da sensibilidade por causa
da prática de introdução frequentes de objetos cada vez mais grossos no ânus, esquecendo que esse órgão é como
um anel e que possui um limite de dilatação.

Anatomia Feminina
Anatomia Masculina

Psique Sexual – Comportamento Humano


Bem, com todas as considerações em relação à anatomia da região anal feitas, podemos partir para outro tema
importante relacionado ao sexo anal: a psique sexual, o comportamento das pessoas em relação ao sexo
anal. Talvez isso nos ajude a compreender o porquê de algumas pessoas terem resistência ao coito anal, enquanto
outras possuem fixação pelo tema.
Nós criamos muita expectativa sobre o sexo anal, queríamos muito fazer (…) Fizemos como manda o figurino,
mas nos decepcionamos, não era isso tudo! (…) Preferimos mil vezes a vagina e a masturbação… L., 24 anos,
mulher, heterossexual e R. 25 anos, homem, heterossexual
Segundo Sigmund Freud, os seres humanos descobrem o ânus entre seu primeiro e terceiro ano de vida – muitos
o descobrem antes mesmo de ter consciência de seu órgão sexual (principalmente as mulheres por terem a vagina
“escondida”). A descoberta ocorre quando estamos na fase de aprender a controlar nosso esfíncter externo, e essa
aprendizagem vem associada a intensos impulsos agressivos – em alguns indivíduos pode provocar impulsos
sádicos também, tudo isso por causa da difícil tarefa de dominar as idas ao banheiro, trazendo independência,
porém, ao mesmo tempo e contraditoriamente, causando receio dessa separação com os pais (já que eles trocam
as fraldas). Essa “luta” pelo controle do próprio esfíncter, poder reter as fezes ou expulsá-las, gera uma satisfação
sexual na criança, o que Freud chamou de “erotismo anal”.
Freud também afirmava que alguns comportamentos surgiam na fase anal derivados do erotismo anal e das
defesas contra o mesmo, como, por exemplo, regularidade, teimosia, voluntariedade, frugalidade e parcimônia,
seriam traços de um caráter anal derivados de uma fixação anal, dos que queriam dominar as defesas contra o
erotismo anal. Já nos indivíduos que teriam suas defesas menos eficazes contra o erotismo anal, os traços seriam
de elevada ambivalência, desordem, desafio, cólera e tendências sadomasoquistas. Todos apresentados como
patologia.
Eu acho que quem curte sexo anal é masoquista, tem algum problema psicológico grave. Deve ter comido cocô
quando pequeno, só pode. Jamais farei isso. T., 22 anos, mulher, heterossexual
Não foi apenas Freud que associou o erotismo anal com uma doença ou comportamentos negativos, vários
psiquiatras e estudiosos chegaram a afirmar que o erotismo anal seria um sintoma da esquizofrenia, que homens
que se masturbavam com objetos no ânus sofriam de psicose, e essas teorias ainda são afirmadas por alguns
médicos nos dias atuais.
Meu namorado já me pediu, mas eu acho errado, porque é sujo. Não tenho coragem de fazer isso! (…) Mas se a
pessoa gosta, né? Cada um com sua loucura… F., 27 anos, mulher, heterossexual
As referências negativas ligadas ao ânus não param por aí. Desde pequenos somos educados a achar que nosso
ânus é sujo, que devemos nos envergonhar de nossa condição de “defecadores”. Isso ocorre, principalmente, na
fase do ‘desfraldamento’, quando nossos pais associam nossas fezes a termos ruins ( “que porcaria”, “que sujeira”
,”que nojo”, “olha o que você fez?”) para que assim aprendamos a ir ao banheiro ao invés de defecarmos nas
fraldas – ou na calcinha/cueca, quando ainda se está na fase de aprender a controlar as idas ao banheiro.
Eu nunca quis experimentar o sexo anal, porque sempre considerei algo sujo, pois lá (ânus) é um lugar sujo, de
saída do que não presta no organismo, e não vejo como pode existir gente que sinta qualquer prazer lá…
Jamais pediria para uma namorada me deixar tentar, e jamais farei se uma namorada pedir. B., 23 anos,
homem, heterossexual
Que horror só de imaginar! Não quero nada entrando na minha saída! É nojento! A., 19 anos, mulher,
homossexual
Eu tenho muita vontade de fazer, mas minha namorada não quer, ela acha sujo, eu também acho, mas a
vontade de experimentar é maior. V., 22 anos, homem, heterossexual
Além de pais e médicos com visões negativas a respeito do ânus, temos também na religião uma nova formadora
de resistência quanto ao sexo anal. Através de trechos retirados da Bíblia, muitos pregam (no presente porque
ainda o fazem) que a homossexualidade é pecado, tendo, inclusive, uma história relatada sobre Sodoma e
Gomorra, da qual surgiu o termo sodomia para nomear a prática do sexo anal, que foi queimada devido à prática
de sodomia, entre outras perversidades. Primeiramente a sodomia se referia ao sexo anal apenas entre dois
homens, homossexualismo, porém, mais tarde passou a designar o coito anal entre quaisquer sujeitos que o
praticassem. E assim seguiram-se séculos de perseguição aos homossexuais e também punições, mais brandas,
para casais heterossexuais que fossem descobertos praticando-o, pois de pecado virou crime, no qual em muitos
locais redimia-se apenas com a morte. Mas o que também contribuiu para isso foi o fato de acharem errado
qualquer forma de sexo que não tivesse como objetivo a procriação, como o sexo anal, a masturbação, etc.
É estranho que cada vez mais pessoas se interessem por isso quando sabem que é pecado, está escrito na Bíblia!
Quem acredita na verdade das palavras da Bíblia jamais praticará um ato desses. Espero que as pessoas
vejam isso antes que seja tarde demais. J., 26 anos, homem, heterossexual
Eu sou virgem e acredito na palavra do Senhor, então, mesmo depois de casada, não irei profanar meu corpo
dessa forma, e meu noivo concorda comigo (…) Sexo é para procriação, diferente disso, é pecado. L., 19 anos,
mulher, heterossexual
Acho sexo anal algo depreciativo para mulheres, sabe, a posição, o homem como um animal ali (…) Não tenho
qualquer curiosidade em experimentar. I., 21 anos, mulher, bissexual
Outro fator que contribuiu para que muitos achassem que sexo anal é errado, algo pervertido, foi a nossa cultura
machista. As únicas mulheres que permitiam a prática eram as prostitutas, e ainda assim as mais ousadas, pois
poucas se submetiam à prática, e apenas homens homossexuais que gostavam de ter seu ânus acariciado. Havia
também o pensamento de que as mulheres foram feitas apenas para serem penetradas e os homens para serem os
“penetradores”, devido à supervalorização do pênis – sinal de hombridade e fertilidade, e então se criou a
mentalidade de que os homens jamais poderiam gostar de uma situação tão degradante, a de ser penetrado,
denotando, assim, o que achavam da figura feminina e dos homens homossexuais.
Me desculpe quem goste, mas eu acho mó coisa de puta e de viadinho, eu não como cú e nem deixo mulher
alguma mexer no meu, sério, acho que daria um soco numa mulher que tentasse. F., 29 anos, homem,
heterossexual
Olha, eu acho que é normal fazer isso em mulher e tal, variar, apimentar a relação, mas jamais deixaria
fazerem em mim, isso é coisa de gay (…) nada contra se eles gostam, mas no meu não! R. 19 anos, homem,
heterossexual
A visão de que mulheres apenas serviam para procriação, que seu papel era secundário na sociedade, de que
apenas prostitutas gostavam de sexo e a repressão sexual feminina, também contribuíram, e muito, para que o
sexo, não apenas o anal, fosse um tabu durante muito tempo, e que até hoje, apesar de muitas quebras, ainda o é,
mesmo que em menor grau ou mais ‘na sombra’.
Eu já fiz sexo anal, mas só porque meu namorado queria, e nem doeu como eu achei que doeria, mas não
gostei, me senti estranha fazendo aquilo (…) Só faço quando ele insiste muito para fazermos .. V., 19 anos,
mulher, heterossexual
Também temos o problema da falta de preparo do casal na hora de experimentar o sexo anal, e, assim, causando
dor na parceira (o), fazendo com que esta não queira mais experimentar… mas isso é facilmente contornável,
basta estudar, ter paciência e querer.
Eu já fiz, mas doeu muito! Foi terrível! E nós seguimos as dicas que achamos na internet e de amigos, sabe?
Mas não quero mais não e meu marido já desistiu de tentar. F., 32 anos, mulher, heterossexual
Eu tentei, mas doeu demais, arde muito (…) Mas talvez tenha sido por meu ex-namorado ser meio ogro,
apressado (…) quem sabe tente com um novo namorado, eu queria muito experimentar e gostar! P., 23 anos,
mulher, heterossexual
Apesar de todas as contribuições negativas, algumas pessoas foram quebrando os parâmetros consagrados,
questionando os valores dogmáticos, buscando respostas para os mitos, rebelando-se contra o machismo e o
patriarcado, além dos avanços da ciência, chegando então a uma evolução, até que chegamos ao ponto de que o
sexo anal não é mais um tabu entre casais heterossexuais, não é uma prática de putas, e alguns homens
descobriram que o ânus é uma região que pode lhe dar prazer e que isso não lhe torna homossexual, e a sodomia
deixou de ser crime, apesar de ter gente queimando homossexuais ainda! Claro que são “inícios”, sei que muitas
pessoas não concordarão com esse texto, algumas até acharão ofensivo, pois ainda pensam como há séculos, mas
não vamos falar delas, não quero desrespeitá-las e sim “ajudar” aqueles que têm interesse no tema.
Eu fiz e curti, só o que posso te dizer… T., 34 anos, mulher, heterossexual
Minha namorada e eu já experimentamos e gostamos. No início tínhamos receio, por experiências mal
sucedidas anteriores, mas conseguimos achar nosso jeito e tudo ficou ótimo. A., 25 anos, mulher, homossexual
Talvez agora alguns já tenham entendido por que muitos ainda não suportam a ideia do sexo anal, mas ainda
existe um fator que não mencionei e que é extremamente importante – o mais importante devo dizer: gosto
pessoal. Sim, existem pessoas que não ligam para religiões, são resolvidas sexualmente, até acham legal a prática
anal, mas não gostam de fazer sexo anal. E aqui cabe o respeito, o mesmo de quando não gostamos de algo, pois
forçar ou chantagear para obter sexo anal, ou qualquer coisa, é errado, não é respeito, e eu espero que você se dê
muito mal se tentar forçar alguém ou chantagear para conseguir o que deseja. Você pode dialogar sobre o tema,
tentar mostrar que não é algo sujo, não é errado, não faz mal a saúde, que existem formas de se fazer para que
não doa, no entanto, se ainda assim a pessoa se recusar, respeite-a.
Eu fiz, porque estava muito a fim mesmo, e meu namorado também. (…) A gente leu sobre o tema, perguntei a
minha ginecologista quais cuidados ter e compramos os apetrechos, seguimos todas as dicas dos dedinhos…
Nós fizemos, foi legal, não doeu muito, mas eu não gostei, sei lá, não acho errado, nem dada, queria muito
fazer, e até senti certo prazer, mas não gostei, não faço questão de fazer de novo e me irrita quando meu
namorado fica insistindo… B., 27 anos, mulher, heterossexual
Eu fiz porque meu namorado insistiu em fazer, eu não queria e doeu, mas pelo menos ele não insiste mais… F.,
18 anos, mulher, heterossexual
Não há muito o que buscar sobre o porquê do tema ser tão atraente nos dias atuais, apenas teorizar e escrever o
que escuto/escutei de homens e mulheres com quem conversei sobre o tema, além de médicos e psicólogos, então
lhes deixo alguns pontos que tornam o sexo anal uma prática cada vez mais ‘requisitada’, e não estão em ordem
de maior ou menor motivo:
Eu adoro sexo anal, faço há anos! (…) De início não foi muito agradável, mas depois de um tempo, e de
praticar, passei a adorar… Às vezes acho que prefiro sexo anal ao vaginal… B., 29 anos, mulher, heterossexual
Eu gosto da sensação de estar dominando a mulher, é algo bem selvagem (…) Não há sensação melhor! E., 24
anos, homem, heterossexual
Eu adoro dar prazer ao meu namorado dessa forma (…) Vê-lo se contorcendo embaixo de mim é algo incrível!
(…) Não, eu não curto que ele faça em mim, não gosto de ser passivo…P., 23 anos, homem, homossexual
Eu gosto muito de sexo anal, mas minha namorada não curte tanto e fico frustrado com isso. Já não sei mais o
que fazer ou dizer para que ela perca o receio de fazer (sexo anal) comigo. (…) Às vezes penso em fazê-lo na
rua… A., 20 anos, homem, heterossexual
Durante muitos anos, minha mulher e eu praticamos o sexo anal, nela, até que um dia resolvemos inovar e
inverter os papéis… Eu gostei de ter meu ânus estimulado, é prazeroso, e com o tempo fui derrubando as
barreiras que tinha sobre o tema, até o ponto de tentarmos algo ‘maior’. (…) Acredito que um casal deva se
permitir descobrir coisas novas entre eles. Novas formas de dar e receber prazer. Deve haver essa confiança,
cumplicidade. (…) Tenho certeza que me apaixonei ainda mais por ela, e ela por mim, quando fomos ficando
cada vez mais íntimos e livres das amarras que a nossa cultura nos impõe. H., 39 anos, homem, heterossexual
Na primeira vez em que fiz, eu era novo e o carinha também, então doeu muito, foi sem preparo e estava
nervoso, mas depois de um tempo conheci um outro cara que me preparou antes, e percebi que não mentiam
quando diziam que era bom, pois é muito bom (…) Já gozei apenas com a penetração (…) Hoje prefiro ser o
“passivo” das minha relações, apesar de ser o “ativo” de vez em quando também. R., 20 anos, homem,
homossexual
- Experimentar algo novo;
- Apimentar a relação;
- Sensação de estar quebrando um tabu, fazendo algo proibido;
- Sensação de estar no controle, ter poder sobre a pessoa que está sendo penetrada;
- Sensação de que é “o cara”, ao ser permitido tirar a virgindade anal de uma mulher;
- Adoração pelas nádegas;
- Sente prazer com a estimulação anal;
- Achar que é um sexo mais selvagem;
- Uma prática sexual a mais é sempre bem vinda;
- Experimentou e gostou;
- Transgressão religiosa;
- O ânus é mais apertado que a vagina;
- Premiar o namorado;
- Apenas mais uma forma de dar e sentir prazer;
- Sensação de estar passando para outro nível no relacionamento;
- Uma prática sexual normal que deve ser explorada também;
- Dar prazer a (ao) parceira (o);
- Insistência do parceiro.
Eu curto muito sexo anal, mas meu atual namorado não gosta, aliás, detesta, e eu fico frustrada com isso, ele
diz que não tem nada contra, apenas que não gosta, vai entender.C., 29 anos, mulher, heterossexual
A maioria das mulheres faz sexo anal com parceiro fixo, depois de um bom tempo de relacionamento, e acredita
que está “premiando” o namorado ao lhe permitir ter sexo anal, uma espécie de barganha: “seja bom comigo que
te dou ele”.
Muitas gostam, porém, poucas admitem. Veem como atestado de puta, e por isso não fazem sempre.
Algumas gostam por parecerem transgressoras.
Outras simplesmente experimentaram e gostaram muito.
Muitas, muitas, fazem apenas porque o parceiro quer, e entre estas, a maioria não curte.
Algumas querem fazer o sexo anal, mas não sabem como falar com os namorados, pois ficam com medo de que
interpretem mal.
Muitas mulheres resistem ao sexo anal por medo da dor.
Os homens insistem mais na relação sexual anal. Principalmente por acharem que é um local mais apertado que
a vagina e, portanto, mais prazeroso, pois sentirá mais a pressão na glande. Além disso, eles acreditam que a
namorada ao aceitar fazer sexo anal significa que ela confia, pois ela não faria isso com qualquer um.
Quase todas as relações de sexo anal, numa primeira vez entre um casal, foram iniciadas pelo homem.
Alguns homens homossexuais não curtem que o ânus seja tocado.
Mulheres homossexuais gostam de praticar a masturbação anal.
A maioria dos homens heterossexuais da cultura ocidental acredita que estará sendo “rebaixado” de seu papel de
dominante ao deixar sua parceira acariciar seu ânus. Também acreditam que é uma prática apenas homossexual.
Porém, muitos dos que dizem não gostar já acariciaram o ânus, e até experimentaram colocar um dedo dentro do
ânus, e gostaram da sensação, mas nunca admitiriam.
Já na cultura oriental, a prática de estimulação da próstata pelo ânus é normal.

Sexo Anal III – Cuidados e Dicas


Publicado em abril 27, 2010 por Daniela
18

9 Votos

Depois de ler os artigos Sexo Anal I – História e Anatomia e Sexo Anal II – Anatomia e Psique, fica fácil
compreender as dicas sobre a relação sexual anal, mas ainda assim tentarei deixá-las mastigadinhas.
Cuidados e dicas para todas as relações sexuais anais.
- Use camisinha sempre, pois a região anal é rica em terminações nervosas e absorve tudo mais rapidamente,
portanto, vírus e bactérias chegam mais rápido à corrente sanguínea por esse meio. Além disso, após a relação
sexual anal sem uso da camisinha não é recomendado a relação vaginal, mesmo tendo o parceiro lavado seu
pênis, pois as bactérias ficam na uretra do homem e são transportadas para a vagina podendo ocasionar infecções
sérias.
- Use gel lubrificante à base de água. Já que não estamos falando de um local que contém lubrificação
natural como a vagina, é importante que a região anal seja lubrificada antes de haver a penetração – utilize
produtos específicos para esse fim, são os lubrificantes a base de água, como o KY. Também é importante o uso
do gel lubrificante, pois o atrito sem lubrificação pode ocasionar rompimento do preservativo. Alguns
preservativos vêm com lubrificante, mas ainda assim é recomendado o uso de gel lubrificante.
- Não use anestésicos na região anal, pois dessa forma a pessoa não sentirá nada, nem prazer e nem dor, e,
por isso, não saberá se a força e velocidade empregadas no vai-e-vem estão machucando de forma grave. O
anestésico também pode impedir que a pessoa controle seu esfíncter externo (que temos controle), o que pode
ocasionar acidentes desagradáveis – existem relatos, mas nada cientificamente registrado.
- Não introduza objetos grossos demais. A região anal não é elástica como a vagina, então, cada vez que um
objeto muito grosso é introduzido, o ânus perde sua tonicidade, fazendo com que a pessoa perca o controle da
retenção das fezes. É um processo lento, mas quando uma pessoa passa a necessitar de objetos cada vez mais
grossos para poder sentir prazer, significa que já está com essa tonacidade comprometida.
- Evite movimentos vigorosos demais, ao menos até que a pessoa que é penetrada esteja acostumada e lhe
peça. Dessa forma você pode perder o controle e machucar sua parceira, ou parceiro, portanto, fique atento.
- Jamais force a penetração anal se sua parceira, ou parceiro, disser que não quer. Toda e qualquer
prática sexual deve ser consentida por ambos os parceiros, se um dos dois não se sente à vontade ou não deseja
tal prática, não a faça e não force, pois além de estar desrespeitando o desejo da(o) parceira(o), uma penetração
anal sem o ânus estar devidamente relaxado e preparado pode ocasionar muita dor e até machucar sua parceira,
ou parceiro.
- Se você não quer praticar sexo anal diga ao parceiro, ou parceira. Não há forma mais clara e precisa
de expressar que você não tem interesse na prática anal do que dizendo um “não quero”. Mesmo quando vocês
tiverem o hábito da prática sexual anal, se em um determinado dia, momento, você não estiver com vontade de
fazê-lo, diga não.
- Melhores posições para a relação sexual anal. A melhor posição será a que permitir que a pessoa se sinta
confortável e relaxada, mas as mais indicadas são as em que a pessoa fica de quatro, encostando ou não o tronco
na cama, ou, também, deitada de bruços com travesseiros debaixo da barriga para que o quadril fique levantado,
mas lembre-se que tudo depende e importa mais o que for mais confortável para a pessoa que será penetrada.
Algumas se sentem melhor ao ficarem por cima.
- Antes de penetrar com o pênis, use os dedos ou objetos mais finos. Isso ajuda a deixar a pessoa mais
excitada e preparada para a penetração e seus movimentos. Quando for a primeira vez em que ocorrerá
penetração no ânus (em todas as relações e não apenas quando a pessoa ainda for virgem no ânus), é normal a
pessoa contrair os músculos pélvicos impossibilitando a entrada no canal anal, o que pode causar dor e fazer com
que a pessoa desista da penetração, então, é melhor acariciar, beijar e penetrar com os dedos até que a pessoa
esteja acostumada, relaxada e excitada ao ponto de ter uma penetração sem dor (ou com menos dor possível) e
prazerosa.
- Sexo anal não causa hemorróidas, mas pode agravá-las se a pessoa estiver em crise.
- Não se engravida através da relação anal, porém, se o esperma escorrer para a vagina e a mulher estiver
em seu período fértil, ela engravidará sim. Mas você não terá que se preocupar com isso, não é mesmo? Afinal, já
sabe que tem que usar camisinha em todas as relações anais, certo?
- Sexo anal não é imoral ou perversão. Isso é mito ou crença religiosa. Não há nenhum indício de patologia
na prática sexual anal.
- Sexo anal não faz mal à saúde. Desde que você tome os devidos cuidados, citados acima.
- É possível ter orgasmo na relação anal. Seja ela praticada em homens ou mulheres, pois é uma região
erótica, rica em terminações e causam prazer quando corretamente estimuladas. No entanto, algumas pessoas
precisam de outros pontos de estimulação para atingir o orgasmo, a masturbação.
- Nunca pratique sexo anal se não estiver com tesão, vontade. O ânus pode ser uma ótima fonte de
prazer, mas também pode ser de dor, e para que não haja dor a pessoa tem que estar excitada e relaxada o
máximo possível, por isso, não faça apenas para agradar seu parceiro ou provar algo a alguém.
- Você pode incrementar a relação com brinquedinhos sexuais. Muitas mulheres desejam a penetração
anal ao mesmo tempo da penetração vaginal, então o(a) parceiro(a) pode usar um dildo/vibrador para o auxiliar
e dar prazer em dobro para sua parceira.
- Na primeira vez em que for praticar o ato sexual anal com alguém é importante que se pergunte se a pessoa
deseja a relação, e se for a primeira vez da pessoa na relação anal, relaxe-a ao máximo, abuse do lubrificante e use
primeiro os dedos e, se for possível, faça a pessoa gozar estimulando o ânus e o clitóris (ou pênis) ao mesmo
tempo e deixe nisso, fazendo o mesmo no dia seguinte e experimentando penetrar com o pênis aos poucos, nessa
vez. O primeiro dia será para ganhar a confiança da pessoa, no segundo dia você pode tentar ir à diante, mas pare
se ela(e) assim o pedir.
- Lembre-se que qualquer prática sexual se dá entre duas pessoas (a não ser que seja automasturbação), portanto,
ela deve ser consentida e desejada por ambos os parceiros, então, se algum dos dois tem dúvidas, é melhor adiar
a prática até que estas sejam devidamente sanadas.
Para elucidar qualquer dúvida que tenha permanecido, deixo-lhes o link (não consegui inserir) para um vídeo,
antigo até, em que a sexóloga Carla Cecarello dá dicas sobre o sexo anal. Confiram!
http://www.youtube.com/watch?v=g0CHgbPxZuQ

Homens sentem dor se não fazem sexo regularmente. VERDADE: sim, alguns homens podem sentir um
desconforto na região escrotal se não ejaculam por longo período de tempo. O urologista do Hospital 9 de Julho
Edgar Romanato explica: "Isso está relacionado ao epidídimo, estrutura que fica junto ao testículo e faz a
maturação do espermatozoide. Em alguns homens, o fato de não ejacular com frequência ou mesmo de
interromper uma relação pode causar dor na região. Isso porque o epidídimo dilata". A psiquiatra Carmita Abdo
completa: "Alguns têm dor, às vezes, por não expelirem o esperma, pois a bolsa escrotal fica cheia. Porém, a
dor pode aparecer não por falta de sexo, mas por coincidência, e esconder problemas mais sérios

Leia mais em: http://zip.net/btl1NN


Sexo faz bem para o coração e a pele. VERDADE: "Sexo faz bem para a pele, sim, pois a sensação de
felicidade e bem-estar que ele proporciona libera endorfinas", afirma a dermatologista Daniela Lemes. A
psiquiatra Carmita Abdo concorda: "Sem dúvida. É uma atividade física que gera prazer, combate a ansiedade,
e a liberação de endorfinas reverte para a saúde física e emocional". O ginecologista do Hospital 9 de Julho
José Domingos Borges completa dizendo que a prática sexual é uma atividade que melhora o preparo físico e a
circulação; consequentemente, aprimora o trabalho cardíaco

Leia mais em: http://zip.net/bfl1w4

Homens têm mais desejo sexual que mulheres. MITO: a psiquiatra Carmita Abdo diz que isso acontece mais
quando a mulher entra na menopausa, pois há uma diminuição na lubrificação e o sexo pode passar a ser
desconfortante e o desejo, diminuir. Assim, ela passa a evitar o sexo, diferentemente do homem, que não para
de produzir hormônios. O urologista Edgar Romanato acredita que o fato de o homem ter testosterona em muito
maior quantidade que a mulher faz com que tenha mais desejo sexual. Porém, ele lembra que existem outras
causas envolvidas na libido de cada um e este é apenas um dos fatores. O ginecologista José Domingos
Borges frisa que a excitação masculina é diferente da feminina: "A mulher tem necessidade de mais sofisticação
e cuidados. Isso passa a ideia que o homem tem mais desejo que ela"

Leia mais em: http://zip.net/bbl1GY

Nenhum pênis é grande demais para uma vagina. PARCIALMENTE VERDADE: o urologista do Hospital 9 de
Julho Edgar Romanato diz que pênis com tamanho acima da média podem causar desconfortos durante uma
relação sexual. A psiquiatra da USP, Camita Abdo, completa: "De modo geral, o pênis tem tamanho compatível
com o da vagina, que é elástica. Porém, incursões violentas, como bater a glande no fundo da vagina, podem
machucar, sim"

Leia mais em: http://zip.net/bvl1XR

Tamanho não é importante; mulheres preferem um pênis grosso a um longo. VERDADE: a psiquiatra Carmita
Abdo diz que suas pesquisas com mulheres mostram que é uma regra o pênis fino não agradar: "É uma queixa
mais frequente que a do tamanho. Grossos agradam mais, o que também não quer dizer que o tamanho não
seja importante. A mulher sente menos satisfação porque o atrito com a parede da vagina dá mais prazer e o
pênis mais fino, em suas incursões, não é tão estimulante"

Leia mais em: http://zip.net/brl1TD

Ostra é afrodisíaca. VERDADE: Edgar Romanato, urologista do Hospital 9 de Julho, conta que ostras e outros
frutos do mar são ricos em algumas substâncias, como zinco e ácido D-aspártico, que estão envolvidos com
produção de sêmen e hormônios sexuais. A psiquiatra da USP Carmita Abdo afirma que o zinco, presente na
ostra, é um mineral que, reconhecidamente, melhora o interesse sexual, a ereção e a lubrificação. "Porém, a
ostra sozinha não faz tudo", brinca ela

Leia mais em: http://zip.net/bnl1rc

Fazer sexo na água mata o espermatozoide. MITO: Edgar Romanato, urologista do Hospital 9 de Julho, diz que
pode até ocorrer a morte de alguns espermatozoides em determinado meio e com alteração de temperaturas,
mas esse não é um método anticoncepcional confiável. A psiquiatra da USP Carmita Abdo comenta que a
mulher que termina o ato e vai ao banheiro usar chuveirinho dentro da vagina, por exemplo, teria menos chance
de engravidar que outra que fica deitada aproveitando o momento, mas isso não é garantido

Leia mais em: http://zip.net/bgl1M0


Os seios da mulher aumentam durante as preliminares. VERDADE: o ginecologista do Hospital 9 de Julho José
Domingos Borges diz que pode haver maior intumescimento de mamilos e das glândulas mamárias, sim. A
psiquiatra Carmita Abdo afirma: "Quando a mulher se excita, as extremidades de seu corpo recebem mais
sangue, ficando regurgitadas, turgidas. Então, claro, os seios também aumentam de tamanho"

Leia mais em: http://zip.net/bcl1sj

Excesso de soja altera os níveis de testosterona. INCONCLUSIVO: o urologista Edgar Romanato afirma que
pesquisas recentes mostram que a soja pode alterar níveis de testosterona e influir na libido e na potência. Já a
psiquiatra Carmita Abdo afirma que ainda estão pesquisando se a soja teria a possibilidade de melhorar a
quantidade de estrógeno nas mulheres, o que equivaleria a uma redução na testosterona, mas nada conclusivo
ainda

Leia mais em: http://zip.net/btl1ND

Clima e altitude afetam a vontade de fazer sexo. PARCIALMENTE VERDADE: a psiquiatra Carmita Abdo cita
estudos que demonstraram que os climas mais tropicais são mais propícios ao sexo que lugares muito altos ou
frios, que inibiriam a libido. "Mas tudo é relativo. Se a pessoa é muito sexual, não fará diferença. Já a pouco
ativa pode não se excitar, pois tudo é menos para ela", diz a médica. Para o urologista Edgar Romanato, o sexo
pode ser realizado satisfatoriamente em qualquer condição climática. "Existem fatores muito mais relevantes",
afirma ele

Leia mais em: http://zip.net/bml1rG

Fazer sexo queima calorias. VERDADE: o ginecologista José Domingos Borges diz que a prática sexual
constante e regular é um ótimo exercício físico, que leva a um grande consumo calórico. Opinião igual a da
psiquiatra Carmita Abdo: "Sem dúvida, não deixa de ser exercício; não é como correr uma maratona ou fazer
uma hora de esteira, mas exercita"

Leia mais em: http://zip.net/bbl1GW

A posição que mais facilita o orgasmo feminino é por cima. PARCIALMENTE VERDADE: o urologista Edgar
Romanoto afirma que esta posição tende a facilitar o orgasmo feminino porque promove o contato do genital
masculino com zonas erógenas femininas. Porém, ele lembra que o prazer pode ser atingido nas mais diversas
posições e que cada mulher sabe aquela que mais lhe agrada. A psiquiatra Carmita Abdo frisa que todas as
posições que facilitem que o clitóris seja estimulado são mais propícias a fazerem a mulher atingir o orgasmo e
esta é uma delas

Leia mais em: http://zip.net/bsl1N0

Homens gostam de dormir após o sexo. VERDADE: a psiquiatra Carmita Abdo conta que eles têm um
relaxamento pós-orgasmo e sentem vontade de dormir para recobrar as forças: "Quando se é jovem, essa
recuperação para uma próxima relação é rápida, mas, com a idade, torna-se maior entre os intervalos,
dependendo da disposição e da atração que ele sentir". O urologista Edgar Romanato explica que não é
necessariamente vontade de dormir: "Após a relação, o homem tem o que chamamos de período refratário, no
qual sente alguma necessidade de descanso e muita dificuldade em ter uma nova ereção"

Leia mais em: http://zip.net/bll07Z

Toda mulher sangra e sente dor em sua primeira vez. MITO: o ginecologista José Domingos Borges, do Hospital
9 de Julho, conta que, na primeira relação, o comum é acontecer o rompimento do hímen que, geralmente, leva
ao sangramento. Isso não causa dor intensa necessariamente: "Em geral, causa um desconforto que pode ser
de leve a moderado, de acordo com a mulher". Carmita Abdo é mais enfática: "Não, nem todas as mulheres
sangram, pois nenhum vaso pode ter se rompido. Quanto à dor, há pessoas mais suscetíveis, há aquelas que
relaxam mais e também depende da competência do parceiro. Há também os casos de mulheres com hímen
complacente, que não se rompe da primeira vez"

Leia mais em: http://zip.net/bhl1VK

Sexo durante a gravidez machuca o bebê. MITO: "Não, o bebê não sofre contato durante o ato sexual. A
exceção acontece em casos mais violentos ou exaltados", afirma o ginecologista do Hospital 9 de Julho José
Domingos Borges. A psiquiatra Carmita Abdo diz que o bebê está envolto em bolsas dentro do útero e que isso
o protege. "O sexo só traria riscos ao feto se fosse uma gravidez de risco"

Leia mais em: http://zip.net/bdl1K9

Se o homem não mantém a ereção é porque não está tão interessado. MITO: o urologista Edgar Romanato, do
Hospital 9 de Julho, conta que o homem pode não manter a ereção por diferentes causas, entre elas, orgânicas,
vasculares, neurológicas e hormonais, que são as mais importantes em casos de disfunção erétil. A psiquiatra
Carmita Abdo afirma que pode ser o contrário: ele estar tão interessado, tão envolvido com a possibilidade de
fazer sexo com uma mulher, que acabe perdendo a ereção por excesso de adrenalina. "Além disso, um homem
pode não estar interessado e ter ereção", diz ela

Leia mais em: http://zip.net/bdl1Lb

O casal ter orgasmo simultâneo é algo raro. VERDADE: segundo a psiquiatra Carmita Abdo isso pode
acontecer até num primeiro encontro, quando este for algo excepcional. Porém, ela frisa que o que faz um casal
ter um orgasmo simultâneo é a prática e a sintonia que se adquire com o decorrer do tempo. O urologista do
Hospital 9 de Julho Edgar Romanato completa: "Isso é mais comum de acontecer se o homem esperar a mulher
gozar antes. E isso depende muito da cumplicidade do casal"

Leia mais em: http://zip.net/byl12Z

Tamanho do pênis muda conforme a etnia. VERDADE: a psiquiatra Carmita Abdo diz que, realmente, os
africanos têm predisposição a ter os pênis maiores, mas nada impede que aconteça o contrário. Ela diz que,
segundo pesquisas, a média do brasileiro é 12 cm a 13 cm. O urologista do Hospital 9 de Julho Edgar
Romanato confirma que a etnia é importante em relação ao tamanho do pênis, assim como determina outras
características físicas como cor da pele e cabelo, por exemplo

Leia mais em: http://zip.net/bvl1XQ

A prática de sexo anal provoca fissuras e hemorroidas. PARCIALMENTE VERDADE: segundo especialistas, se
a pessoa tiver predisposição a hemorroidas e não relaxar, pode se machucar. Porém, esse problema surge por
outros motivos e não pelo sexo. Já as fissuras podem aoarecer em certas circunstâncias. O ginecologista José
Domingos Borges explica que se não forem respeitados alguns cuidados, como boa lubrificação e certa cautela
durante a penetração, o sexo anal pode causar, sim, lesões

Leia mais em: http://zip.net/brl1TG

Masturbação provoca espinha. MITO: não há relação alguma entre masturbação e o surgimento de espinhas,
explica Daniela Lemes, dermatologista e diretora médica da Slim Clinique (RJ): "As pessoas fazem essa ligação
porque a época de maior intensidade de masturbação é na puberdade, quando também há uma maior
incidência de espinhas que surgem por causa do aumento das taxas hormonais"
Leia mais em: http://zip.net/bcl1sk

Sexo pode viciar. VERDADE: "Sim, quando se tem uma compulsão que pode, então, passar para dependência.
Daí é preciso procurar tratamento com psiquiatra, medicação e psicoterapia, mas tem cura", conta a psiquiatra
Carmita Abdo. O urologista Edgar Romanato, do Hospital 9 de Julho, lembra que se o problema não for tratado
pode atrapalhar vários aspectos da vida do viciado

Leia mais em: http://zip.net/bxl2n6

Homens sentem dor se não fazem sexo regularmente. VERDADE: sim, alguns homens podem sentir um
desconforto na região escrotal se não ejaculam por longo período de tempo. O urologista do Hospital 9 de Julho
Edgar Romanato explica: "Isso está relacionado ao epidídimo, estrutura que fica junto ao testículo e faz a
maturação do espermatozoide. Em alguns homens, o fato de não ejacular com frequência ou mesmo de
interromper uma relação pode causar dor na região. Isso porque o epidídimo dilata". A psiquiatra Carmita Abdo
completa: "Alguns têm dor, às vezes, por não expelirem o esperma, pois a bolsa escrotal fica cheia. Porém, a
dor pode aparecer não por falta de sexo, mas por coincidência, e esconder problemas mais sérios"

Leia mais em: http://zip.net/btl1NN

Sexo faz bem para o coração e a pele. VERDADE: "Sexo faz bem para a pele, sim, pois a sensação de
felicidade e bem-estar que ele proporciona libera endorfinas", afirma a dermatologista Daniela Lemes. A
psiquiatra Carmita Abdo concorda: "Sem dúvida. É uma atividade física que gera prazer, combate a ansiedade,
e a liberação de endorfinas reverte para a saúde física e emocional". O ginecologista do Hospital 9 de Julho
José Domingos Borges completa dizendo que a prática sexual é uma atividade que melhora o preparo físico e a
circulação; consequentemente, aprimora o trabalho cardíaco

Leia mais em: http://zip.net/bfl1w4

As vaginas tem um tamanho padrão ?


Sim. Quando relaxada, uma vagina varia de 5 a 8 centímetros de
profundidade (da vulva até o colo do útero). Quando excitada,
expande até alcançar de 10 a 15 centímetros. Quanto ao diâmetro,
pode expandir 10 vezes de seu tamanho em repouso. Isso é um
artifício do corpo da mulher para receber diversos tipos de pênis e
facilitar a passagem do feto. Vaginas, assim como pênis e qualquer
outra parte do corpo, variam MUITO de pessoa para pessoa.
Nota: as principais terminações nervosas da vagina estão logo nos
seus 5 centímetros iniciais. É ali que a magia acontece. ;)

Pq homem coça tanto o saco?


Pq coça. Mas claro que essa coceira tem uma explicação FORA a
falta de higiene ou possíveis doenças. Para explicar, vamos nos livrar
de eufemismos e dar nomes aos bois de uma vez, ok?
Dentro da cueca, o dia todo, ficam o saco, as duas bolas e o pinto,
todos amontoados, rodeados por pelos no meio das pernas. Claro que
isso esquenta. E muito calor compromete a produção de sêmem. Por
isso que o cérebro dispara aquela coceirinha: para que o homem
movimente aquelas partes e areje um pouquinho. Mas uma coceirinha
é pouco e a região não demora a reaquecer, logo, o ato precisa ser
repetido várias vezes ao dia. Senão é capaz do conjunto cozinhar ali
mesmo.
Outra causa da coceira é que o saco contrai. Tanto por conta da
variação térmica quanto por que é outro mecanismo do corpo para
que a região tenha algum movimento. Com esses movimentos, os
pelos do saco acabam roçando, disparando a coceira e começa tudo
de novo. E o ato de coçar é tido como uma das melhores
recompensas que corpo pode se proporcionar.
Todavia, não é por isso que tá liberado coçar abertamente, sem se
preocupar com quem está por perto. É socialmente grosseiro. Então
vamos balancear:
Meninas: não façam caretas ou gritem quando ver um amigo coçar o
saco. Não é fácil (nem saudável) resistir.
Meninos: na maioria dos casos, continuem se aliviando com aquela
beliscadinha sutil. ;-)

É normal homens ter o pênis torto ?


Sim. Até 30 graus é muito normal, sendo que 90% dos homens
apresentam essa curvatura natural. Pode ser para qualquer um dos
lados, para cima ou para baixo, dependendo da anatomia do seu
amigo aí de baixo. Mais do que isso já é considerado anormal. Há
ainda casos diagnosticados como doença - a doença de Peyronie. Ela
costuma se manifestar em adultos e deixa o membro torto a cerca de
90 graus, inviabilizando o ato sexual.
Além dessa doença, meninos, é bom se preocuparem com outra
coisa: seu pinto pode quebrar. Não como um braço, pois não tem
ossos, mas ele é composto por tubos (por onde passa o sangue na
ereção) que, se torcidos, podem romper e complicar a sua vida. Além
de doer muito. MUITO. Se isso acontecer, procure um médico
imediatamente!

Qual a origem dos palavrões?


por favor só ler esse post se vc tiver mais de 18 anos, pois contém
palavras inapropriadas.
Os palavrões existem em todas as culturas, em todos os tempos, por
serem as palavras que melhor conseguem exprimir emoções de raiva,
ofensa ou (por que não) humor. Eles são controlados pelo "porão" do
cérebro - o sistema límbico, responsável pela nossa parte mais
primitiva (por isso que os palavrões sempre se referem à base da
existência: sexo e excrementos), e influenciam desde sempre no
nosso relacionamento social. Eles mudam de tempos em tempos,
dependendo da polêmica da época. Na peça Romeu e Julieta, "que a
peste invada a casa de ambos" é usado como ofensa. Hoje não
surtiria muito efeito.
Fizemos um vídeo para falar a origem de alguns dos palavrões mais
usados atualmente.

Por fim - sejam educados e não esqueçam das dicas finais do vídeo.

Pq o pênis cresce quando fica ereto?


Pq quando o homem fica excitado, o pênis fica cheio de sangue. O
processo é parecido com quando enchemos um pequeno balão, que
cresce pq é preenchido pelo ar.
É por isso que homens fumantes têm o pênis ereto até 30% menor do
que poderia ser - fumar entope as artérias e dificulta o bombeamento
do sangue.

O Egg Tenga é um masturbador masculino de silicone que imita um ovo com furo no
meio e se encaixa direitinho no pênis. Por dentro há texturas variadas para estimular o
homem.
8651Curtir
Contrair a região pélvica quando o orgasmo está se aproximando amplifica o prazer do
homem e da mulher.
3410Curtir
Capas para dedos com nódulos estimuladores ou texturas permitem novas sensações
durante a masturbação.
2369Curtir
Não adianta chamar o parceiro para a festa se a lembrança da conta a pagar insiste em
voltar bem na hora em que o fogo pegou. Ele perceberá que você está em outra porque
os movimentos ficam mecânicos.
2112Curtir
Uma pesquisa, publicada no periódico "Hormones and Behaviour" e divulgada no jornal
britânico "The Daily Mail", concluiu que os vegetarianos têm vida sexual mais
satisfatória. Que tal maneirar no consumo de carne?
1522Curtir
Empenhado em ter uma vida saudável. Saiba que uma hora de sexo ininterrupto queima
cerca de 170 calorias.
820Curtir
Masturbar-se enquanto pensa na pessoa amada pode ajudar a compreender melhor o que
gosta, de fato, no sexo.
743Curtir
Em vez de esperar o desejo chegar, faça sexo por obrigação. Uma vez que começarem
as preliminares, a libido vai ficar mais do que atiçada.
644Curtir
O aplicativo Sex Face Reader, disponível gratuitamente na Apple Store, define as
melhores posições sexuais para qualquer pessoa a partir do escaneamento de uma foto.
Dá detalhes ainda sobre preliminares.
594Curtir
Deixe as paranoias em relação à aparência (vergonha da barriga, da celulite ou dos
quilos a mais) bem longe do quarto. O que importa é a vontade de se entregar, não a de
se mostrar.
552Curtir
Nunca pergunte se o sexo foi bom. Quando for, você vai saber.
489Curtir
O Gossip Ring, da Hustler, é um anel de silicone em formato de rosa, com uma cápsula
vibratória movida a bateria, ideal para o clitóris. Bom para brincar só ou a dois.
396Curtir
Uma pesquisa da Universidade de Florença, na Itália, chegou à conclusão de que o
vinho tinto serve como ativador do desejo sexual feminino.
350Curtir
Um pufe inflável com pênis acoplado e alças laterais pode render mil ideias.
293Curtir
Passar a noite toda mudando de posição é cansativo e, em muitos casos, não leva a lugar
algum. Mais vale um papai-mamãe bem feito do que um "Kama Sutra" lido e praticado
às pressas.
283Curtir
Não deixe a falta de tempo ser desculpa para não transar. Invista em uma boa rapidinha
para manter o clima de intimidade com seu par.
266Curtir
Assista a um filme pornô quando estiver só e pause o vídeo para observar bem as
posições que mais lhe interessou.
256Curtir
Intimidade na relação não significa intimidade na cama. Talvez a vida sexual de vocês
esteja estagnada porque simplesmente têm receio de abrir o jogo sobre vontades e
preferências.
246Curtir
Para deixar o canal vaginal mais estreito, tente fazer Exercícios de Kegel (a base do
pompoarismo), que fortalecem a musculatura da região.
225Curtir
Está sem namorado e por isso tem ficado muito em casa? Aproveite a sobra de dinheiro
e invista em um masturbador. Há modelos para homens e mulheres.
221Curtir
Capas extensoras feitas de "cyber skin", material que imita a textura da pele humana,
são um investimento, mais do ponto de vista psicológico, para os homens que acham o
próprio pênis pequeno.
210Curtir
Aproveite um momento a sós para se masturbar. Enquanto se toca, em um local
reservado, preste atenção na intensidade e no tipo de movimentos que lhe dão mais
prazer para depois compartilhar essas informações com seu par.
176Curtir
Pensar em sexo ajuda a preparar o corpo para a hora "h". Deixe a imaginação fluir, sem
censura, para depois aproveitar.
145Curtir
O aplicativo de iPhone My Vibe transforma o celular em um vibrador com mais de cem
opções de velocidade. O melhor: é de graça!
145Curtir
Não deixe que o tempo frio congele a sua libido. Em vez de tirar toda a roupa para
transar, deixe livre somente o necessário e se divirta.
144Curtir
Dois bons motivos para provar a camisinha feminina: ela pode ser colocada bem antes
da relação e, durante o ato, a argola externa fica em contato com o clitóris, o que
aumenta o prazer.
139Curtir
Você pensa na saúde do planeta até nos momentos mais íntimos? Aposte nos acessórios
ecológicos Vitality da coleção Leaf, da BMS Enterprises, com silicone e componentes
biodegradáveis e recicláveis.
128Curtir
Ler sobre sexo antes de dormir ajuda a ter sonhos eróticos.
124Curtir
Tomar um copo de suco de romã pela manhã pode garantir sexo de qualidade à noite.
Segundo estudo da Universidade da Califórnia, nos EUA, a fruta é rica em polifenóis,
que melhoram a circulação sanguínea.
119Curtir
Pesquisas indicam que o vermelho, tanto para peças femininas quanto para masculinas,
é a cor que mais provoca atração. Aposte nela.
118Curtir
Caprichar nas roupas íntimas no dia a dia, mesmo sem a expectativa de rolar algo, ajuda
qualquer pessoa a se sentir mais sensual e autoconfiante.
112Curtir
Cuidado ao dar apelidos íntimos aos órgãos genitais. Palavras muito infantilizadas
podem ser constrangedoras e desanimadoras.
107Curtir
Você é "virgem" em se tratando de vibradores? Ao escolher um, opte por um modelo
mais delicado, de dimensões razoáveis, mas com funções variadas (movimentos
circulares, por exemplo) para que a experiência seja benéfica.
106Curtir
Para instigar a imaginação e aumentar o repertório, pegue na banca de jornal uma
daquelas revistinhas pornôs baratas, nas prateleiras bem altas, com tarja preta.
106Curtir
Vestir roupas de couro e botas criam um bom clima. Experimente.
106Curtir
A culinária japonesa é levinha e muito sexy, principalmente se vocês se sentarem no
chão e usarem as mãos para comer.
105Curtir
Comer uma barra de chocolate ajuda a ganhar energia para um "segundo round".
103Curtir
Segundo pesquisa divulgada pelo jornal americano "Pharmacology Biochemistry and
Behavior", uma xícara de café, 30 minutos antes do sexo, estimula uma parte do cérebro
que provoca empolgação.
102Curtir
Não precisa contar a ninguém, é óbvio, mas pensar no (a) ex durante o sexo com o
parceiro atual pode elevar a libido, desde que as lembranças entre quatro paredes sejam
positivas, naturalmente!
102Curtir
Um estudo de pesquisadores do Hospital Geral de Massachusetts, nos Estados Unidos,
descobriu que ouvir a música favorita estimula exatamente as mesmas regiões do
cérebro envolvidas no sexo.
101Curtir
Pessoas muito organizadas e controladoras não costumam curtir muito surpresinhas
eróticas, não. Caso se relacione com alguém assim e planeje inovar, dê pistas antes
sobre o que pretende