Você está na página 1de 4

PALAVRAS 11

Teste de avaliação – 11.º ano novembro 2019

Educação Literária

Grupo I (100 pontos)

A (80 pontos)

Lê atentamente o seguinte texto e consulta as notas apresentadas.

JORGE ― Ora alvíssaras, minha dona sobrinha! Venha-me já abraçar, senhora D. Maria.
(Maria beija-lhe o escapulário; e depois abraçam-se.) Ainda bem que vieste, meu
irmão! Está tudo feito: os governadores deixam cair o caso em esquecimento;
Miguel de Moura já cedeu. O arcebispo foi ontem a Lisboa e volta esta tarde.
Vamos eu e mais quatro religiosos nossos buscá-lo para o acompanhar, e tu hás de
vir connosco para lhe agradecer: que não teve parte no agravo1 que te fizeram, e
foi quem acabou com os outros que se não ressentissem da ofensa ou do que lhes
prouve2 tomar como tal… Deixemos isso. Volta para o convento e quase que vem ser
teu hóspede! É preciso fazer-lhe cumprimento, que no-lo merece.
MANUEL ― Se ele vem só, sem os outros…
JORGE ― Só, só; os outros estão por essas quintas de aquém do Tejo. E nós não chegamos
aqui senão lá por noite.
MANUEL ― Se entendes que posso ir…
JORGE ― Podes e deves.
MANUEL ― Vou, decerto. E até eu preciso de ir a Lisboa: tenho negócio de importância
no Sacramento, no vosso convento novo de freiras abaixo de S. Vicente3; necessito
falar com a abadessa.
MARIA ― Oh! meu pai, meu querido pai: levai-me, por quem sois, convosco! Eu queria ver
a tia Joana de Castro; é o maior gosto que eu posso ter nesta vida. Quero ver
aquele rosto… De mim não se há de tapar…
MANUEL ― E tua mãe?
MARIA ― Minha mãe dá licença, dá. Ela já está boa... oh! e em vos vendo fica boa de todo, e
eu vou.
MANUEL ― E os ares maus4 em Lisboa?

1
não contribuiu para a ofensa.
2
entenderam tomar como tal.
3
referência premonitória, pois foi o convento onde D. Madalena professou.
4
referência à peste.
1
PALAVRAS 11

JORGE ― Isso já acabou de todo; nem sinal de peste. Mas, enfim, a prudência…
MARIA ― A mim não se me pega nada, meu querido pai; vamos, vamos.
MANUEL ― Veremos o que diz tua mãe e como ela está.
Almeida Garrett, Frei Luís de Sousa.

1. Integra o excerto transcrito nas estruturas externa e interna da obra, salientando a sua
importância para o desenvolvimento da ação.
2. Indica o local onde decorrem os acontecimentos e justifica a presença das personagens nesse
mesmo espaço.
3. Indica quatro traços caracterizadores de Maria, comprovando com passagens textuais.
4. Aponta um indício do desenlace funesto da ação apresentado no decorrer do diálogo.

B (20 pontos)

5. “Contento-me para a minha obra com o título modesto de drama; (…) porque se na forma
desmerece da categoria, pela índole há de ficar pertencendo sempre ao antigo género
trágico.”
Almeida Garrett, Memória ao Conservatório Real

Explicita, num texto de oitenta a cento e trinta palavras, exemplificando, a adequação da


afirmação de Garrett, pondo em evidência os elementos que aproximam Frei Luís de Sousa da
tragédia clássica.
OU

B (20 pontos)
Lê o soneto.
Erros meus, má fortuna, amor ardente
em minha perdição se conjuraram;
os erros e a fortuna sobejaram,
que para mim bastava o amor somente.

Tudo passei; mas tenho tão presente


a grande dor das cousas que passaram,
que as magoadas iras me ensinaram
a não querer já nunca ser contente.

Errei todo o discurso de meus anos;


dei causa que [a] Fortuna castigasse
as minhas mal fundadas esperanças.

De amor não vi senão breves enganos.


Oh! quem tanto pudesse que fartasse
este meu duro génio de vinganças!
Luís de Camões, Rimas,

5. Indica o tema e o assunto deste soneto.


6. Identifica o recurso expressivo presente no segundo terceto e comenta o seu valor.

2
PALAVRAS 11

Grupo II (50 pontos)


Leitura | Gramática

Nas respostas aos itens de escolha múltipla, seleciona a opção correta.


Escreve, na folha de respostas, o número do item e a letra que identifica a opção
escolhida.
Tragédia Romântica

1. A expressão “tragédia romântica” (l.1), usada na caracterização de Frei Luís de Sousa quanto
ao género textual em que se integra, põe em evidência
(A) as características meramente trágicas da peça.
(B) o peso do destino na vida das personagens.
(C) o carácter eclético da obra.
(D) a natureza sentimental do texto de Garrett.

2. O complexo verbal “podemos dizer” (l.1) transmite um valor de


(A) possibilidade.
(B) obrigatoriedade.
(C) duração.
(D) certeza.

3. Em “Romântica, porque (…) a escreveu em prosa e em três atos, ainda que obedecendo
aproximadamente às leis das unidades.” (ll.2-4), o constituinte sublinhado é uma oração
subordinada
(A) adverbial final.
(B) adverbial concessiva.
(C) adjetiva relativa restritiva.
(D) adjetiva relativa explicativa.

3
PALAVRAS 11

4. Os termos “Família” (l.12) e “criados” (l.12) são, no contexto,


(A) sinónimos.
(B) hiperónimo e hipónimo, respetivamente.
(C) antónimos.
(D) holónimo e merónimo, respetivamente.

5. O recurso expressivo presente em “as grandes decisões, as grandes ações, as grandes


hesitações, os grandes terrores, os grandes arrependimentos.” (ll.19-20) é
(A) a metáfora.
(B) a enumeração.
(C) a apóstrofe.
(D) o paradoxo.

6. Identifica a função sintática das seguintes expressões.


a) “o gosto pela realidade quotidiana” (ll.10-11).
b) “de locais” (l.11).

7. Indica os mecanismos de coesão presentes nas palavras sublinhadas.


a) “De uma tragédia romântica se trata” (l.1).
b) “romântica ainda porque representa uma atitude romântica perante a História” (ll.4-5).

8. Indica o referente do vocábulo destacado em “que a escreveu em prosa e em três atos” (ll.2-3).

Grupo III (50 pontos)


Escrita

O teatro é fundamental na formação cultural do cidadão.


Tendo em conta a afirmação, redige um texto, com um mínimo de 180 e um máximo de
250 palavras, em que apresentes a tua perspetiva.

Para fundamentares o teu ponto de vista, de forma clara e pertinente, recorre a dois
argumentos, ilustrando cada um deles com um exemplo concreto e significativo.

Bom trabalho!