Você está na página 1de 198

Color Illustrations

1
3
Histórias 2 e 3 traduzidas por Thiago para:
https://saolightnovel.wordpress.com/
https://www.facebook.com/SwordArtOnlineAliciationPT/
Histórias 1 e 4 traduzidas por:
Light Novel Project
Não coloquei links, pois, se eu não me engano, o site fechou.
2 Sword Art Online – Aincrad

Sumário
Capítulo 1 – O espadachim negro (Andar 35, Fevereiro de 2024) ........................................................ 3
Parte 1 ................................................................................................................................................. 4
Parte 2 ............................................................................................................................................... 11
Parte 3 ............................................................................................................................................... 24
Capítulo 2 – O calor do coração (Andar 48, junho de 2024) .......................................................... 43
Parte 1 ............................................................................................................................................... 44
Parte 2 ............................................................................................................................................... 53
Parte 3 ............................................................................................................................................... 70
Parte 4 ............................................................................................................................................... 91
Capítulo 3 – A garota do orvalho da manhã (Andar 22, outubro de 2024) ........................................ 95
Parte 1 ............................................................................................................................................... 95
Parte 2 ............................................................................................................................................. 109
Parte 3 ............................................................................................................................................. 136
Parte 4 ............................................................................................................................................. 160
Capítulo 4 – Rena do nariz vermelho (Andar 46, dezembro de 2023) .............................................. 164
Parte 1 ............................................................................................................................................. 164
Parte 2 ............................................................................................................................................. 171
Parte 3 ............................................................................................................................................. 182
Parte 4 ............................................................................................................................................. 187

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


3 Sword Art Online – Aincrad

Capítulo 1 – O espadachim negro (Andar 35, fevereiro do 2024)


“Por favor... não me abandone... Pina…”
Duas lágrimas escorreram pelas bochechas de Silica conforme as partículas de luz se dispersavam
da grande pena no chão.
Aquela pena azul-claro era tudo que ficou de sua única amiga e parceira de muito tempo, o
familiar Pina. Alguns minutos antes, Pina morreu protegendo Silica. Recebendo uma ferida mortal
da arma do monstro, ela soltou um triste gemido antes de se quebrar como gelo. Deixando
apenas a longa pena de sua cauda, que balançava alegremente sempre que seu nome era
chamado...

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


4 Sword Art Online – Aincrad

Parte 1
Silica era uma das raras dominadoras de feras em SAO, ou seria mais preciso dizer foi. Seu
familiar, o símbolo de uma domadora de feras, já não estava mais lá.
Domador de feras não era uma classe ou habilidade dada pelo sistema, mas um termo que os
jogadores usavam.
Em raras ocasiões, monstros agressivos mostrariam interesse em jogadores. Se você não perdesse
a chance, poderia dominar o monstro dando-lhe algo para comer. O monstro se tornaria o
Familiar do jogador e serviria como um valioso aliado que apoiaria o jogador de várias formas. Os
jogadores chamavam os que conseguiam fazer isso de domadores de feras, com uma mistura de
louvor e inveja.
Mas nem todos os monstros podem virar familiares, é claro. Apenas uma pequena variedade de
monstros menores podia. As condições para o evento iniciar não eram muito claras, mas a única
de que todos estavam certos era de que o evento não ocorreria se o jogador matasse muitos
monstros daquela raça.
Parando para pensar, era uma condição difícil. Mesmo se alguém tentasse conseguir um familiar
os encontrando repetidas vezes, os monstros eram agressivos e o jogador não tinha como evitar
engajar-se em uma luta. Em outras palavras, se alguém quisesse se tornar um domador de feras,
teria que continuar se encontrando com o monstro e continuar fugindo enquanto o evento não
ocorresse. Não era difícil imaginar a irritação que isso causava.
Pode-se dizer que Silica teve muita sorte nisso.
Sem qualquer conhecimento dos fatos citados anteriormente, ela entrou sem nenhum motivo em
uma floresta de um andar que visitara apenas porque sentiu vontade. O primeiro monstro que ela
encontrou não a atacou, mas simplesmente se aproximou dela. Então ela lhe deu um amendoim
que tinha comprado aleatoriamente no dia anterior e que era, por coincidência, a comida que o
monstro gostava.
O monstro era um Dragão Emplumado. Seu corpo todo era coberto em macias penas azul-claro, e
tinha duas penas longas em vez de uma cauda. O pequeno dragão era um monstro bem raro de se
encontrar. Talvez Silica fosse a primeira a conseguir domá-lo com sucesso, já que ele se tornou
assunto de muito interesse quando ela voltou para sua cidade natal, Friben, no oitavo andar com
o dragão sentado em seu ombro. No dia seguinte, incontáveis jogadores tentaram domar um
Dragão Emplumado após escutar a informação de Silica, mas sem sucesso.
Silica nomeou o pequeno dragão de Pina. O mesmo nome de seu gato no mundo real.
Familiares eram conhecidos por ter atributos baixos para combates de verdade, e Pina não era
diferente. Mas eles tinham algumas habilidades especiais para compensar: uma habilidade de
examinar, que avisava o jogador de monstros se aproximando, uma habilidade que curava um
pouco o jogador, entre outras. Eram muito úteis e facilitavam muito a caçada diária. Mas o que
mais alegrava Silica eram o calor e conforto que a própria existência de Pina trazia.
A inteligência artificial de um familiar não era lá grande coisa. Ele não podia falar, obviamente, e
só conseguia compreender uma dezena de comandos. Mas, para Silica, que entrara no jogo com
apenas doze anos e que estava sendo oprimida pelo medo e nervosismo, Pina a salvou de tal

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


5 Sword Art Online – Aincrad

forma que era difícil descrever em palavras. Não era exagero dizer que a Aventura de Silica, na
verdade sua Vida aqui, tinha começado com a captura de Pina.
Depois de um ano, Silica e Pina evoluíram em um ritmo tranquilo e constante, e suas habilidades
como usuária de adaga melhoraram e a deram uma certa fama entre jogadores de níveis
medianos como uma das melhores.
Mas é claro, ela ainda estava muito distante dos guerreiros mais fortes que lutavam nas linhas de
frente, mas de algum modo essas poucas centenas de jogadores dedicados em completar o jogo
entre todos os sete mil jogadores presos lá eram ainda mais difíceis de se ver do que domadores
de feras. Portanto, ficar famosa entre os jogadores medianos era bem como se tornar uma idol no
jogo.
Como jogadoras eram raras, especialmente com aquela idade, não demorou para Silica, a Mestra
de Dragões se tornar uma jogadora famosa com vários fãs. Ela recebeu convites sem fim de
grupos e guilds que queriam uma idol e foi inevitável que uma garota de treze anos deixasse isso
subir à cabeça. Mas, no fim, esse orgulho a fez cometer um erro sério, e ela não podia desfazê-lo,
não importa o quanto se arrependesse.
Uma briga por um detalhe sem importância começou tudo.
Silica estava em uma vasta floresta ao norte do andar 35, conhecida como Floresta da
Perambulação, com um grupo que conhecera duas semanas antes. Naquela época, as linhas de
frente já estavam longe, no andar 55, então o andar 35 já havia sido conquistado. Mas os
guerreiros das linhas de frente não ligavam para nada exceto zerar o labirinto, então semi
calabouços como a Floresta da Perambulação eram populares entre jogadores medianos.
Como o grupo de seis jogadores à qual Silica se juntou tinha guerreiros habilidosos, eles lutaram
desde cedo e encontraram vários itens, incluindo alguns baús de tesouro. Mas quando o sol
começou a se pôr e todos estavam ficando sem poções de cura, eles começaram a voltar para a
área habitável. Então uma esguia usuária de lança disse algo, talvez para colocar Silica em seu
lugar.
"Vamos repartir os itens após voltarmos. Mas como seu lagarto com asas te cura, você não vai
precisar dos cristais de cura, não é?”
Sentindo-se ofendida, Silica retrucou:
“Você nem vai para frente, só fica na parte de trás do grupo. Nem precisa dos cristais.”
Após isso, a discussão se intensificou, e as tentativas do líder do time, um usuário de espada e
escudo, de pará-las foram totalmente ignoradas. No fim, Silica disse, brava:
“Não preciso dos itens. Nunca me juntarei a um grupo com você novamente. Tem muita gente
que quer fazer um grupo comigo afinal!”
Ignorando a sugestão do líder de ao menos ficar com o grupo até saírem da floresta e voltarem
para a área habitável, ela deixou o grupo e caminhou sem rumo por uma pequena trilha.
Mesmo sozinha, ela já havia dominado setenta por cento de sua habilidade com adaga e também
tinha Pina para ajudá-la, por isso, os monstros no andar 35 não eram um problema para ela. Ela
conseguiria atravessar a floresta e voltar para a área habitável sem qualquer problema. Isto é, se
não tivesse se perdido.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


6 Sword Art Online – Aincrad

A floresta não tinha o nome de Floresta da Perambulação sem motivo.


A grande floresta estava cheia de árvores altas e dividida em áreas como um tabuleiro de xadrez,
um minuto após pisar numa área, você seria enviado por teletransporte para uma área
completamente nova. Se quisesse sair da floresta, você tinha que atravessar cada uma das áreas
em um minuto ou comprar um mapa caro de uma loja na área habitável que informava a quais
áreas a sua área estava conectada enquanto você passa pela floresta.
Mas a única pessoa que tinha um mapa era o líder. E como usar um cristal de teletransporte
dentro da Floresta da Perambulação só o transportaria para outra área na floresta em vez de levá-
lo de volta à cidade, Silica tentou atravessar todas as áreas com as quais cruzou. Mas correr pelas
imensas raízes de árvore e seguir a sempre ziguezagueante trilha provou ser mais difícil do que ela
havia pensado.
Silica decidiu seguir na direção norte, mas o tempo de um minuto continuava passando pouco
antes de ela conseguir alcançar o fim da área, e ela acabava sendo enviada para alguma área
aleatória de novo e de novo. Ela logo chegou ao ponto de quase desmaiar de cansaço. A
iluminação avermelhada indicando o pôr do sol ficou mais forte e ela sentiu uma ansiedade
crescente enquanto os céus escureciam e suas chances de sair da floresta diminuíam cada vez
mais.
Silica eventualmente desistiu de correr e começou a caminhar, esperando que acabasse em uma
área na borda da floresta por sorte. Mas a sorte não estava do seu lado, e vários monstros a
atacaram quando ela tropeçou. Mesmo com a grande vantagem de seu nível, como o dia
escurecia, ela não podia mais enxergar perfeitamente as coisas ao seu redor. Embora Pina
estivesse lá para ajudá-la, ela não era capaz de escapar ilesa de todas as lutas e acabou não só
usando todas as poções que lhe restavam, mas também seus cristais de cura para situações de
emergência.
Como se sentisse o nervosismo de Silica, Pina acariciou a bochecha dela enquanto ronronava em
seu ombro. Silica se arrependeu de sua imprudência e orgulho, que a colocaram nessa situação,
enquanto acariciava o longo pescoço de sua parceira para confortá-la.
Ela murmurou para seus botões enquanto caminhava:
“Desculpa. Não me achar especial de novo. Por isso, por favor, me deixe sair dessa floresta no
próximo teletransporte.”
Ela pisou em outra zona distorcida de teletransporte enquanto rezava. Após uma breve onda de
tontura, o que apareceu perante ela foi a mesma floresta profunda que viu em todas as outras
zonas. Não havia dica alguma das planícies nas trevas além das altas árvores.
Assim que a desapontada Silica retomou a caminhada, Pina levantou sua cabeça rapidamente e
soltou um gemido agudo. Era um aviso. Silica puxou sua adaga imediatamente e as levantou na
direção à qual Pina olhava.
Poucos segundos depois, um grande rugido pôde ser ouvido atrás de uma grande árvore coberta
por musgo. Conforme Silica focava seu olhar, um cursor amarelo apareceu. Tinha alguns deles.
Dois, não... três. O nome do monstro era Símio Ébrio. Era um dos monstros mais fortes na Floresta
da Perambulação. Silica mordeu os lábios.
Mesmo se for esse o caso…

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


7 Sword Art Online – Aincrad

Eles não eram tão perigosos assim se você só olhasse o nível.


Quando jogadores medianos, como Silica, iam aos calabouços, era senso comum estar vários
níveis acima dos monstros que apareciam. Normalmente, eles precisariam estar em um nível
elevado o suficiente para derrotar cinco monstros sozinhos e sem quaisquer itens de cura.
A razão disso era que, diferente dos guerreiros mais fortes nas linhas de frente, os jogadores
medianos se aventuravam para conseguir o col necessário para viver e experiência o bastante
para ficar na linha mediana de nível, e, por fim, para simplesmente matar o tédio. Não valia a pena
arriscar sua vida por nenhum desses motivos. Na verdade, ainda havia uns mil jogadores na
Cidade Inicial que se recusavam a aumentar suas chances de morrer nem que só um pouquinho.
Mas era preciso de uma fonte regular de dinheiro para sobreviver. Além do mais, todos os
jogadores de MMORPG possuíam essa doença que os deixava inseguros se não estivessem pelo
menos no nível mediano. Graças a isso, um ano e meio depois do início do jogo, o grupo principal
de jogadores agora percorria os calabouços com uma grande vantagem de nível para apreciar as
aventuras deste mundo.
Portanto, os Símios Ébrios, vangloriando-se de serem o monstro mais forte do andar 35, não eram
realmente um desafio para Silica, não deveriam, ao menos.
Silica levantou sua adaga enquanto forçava sua mente a se focar. Pina também começou a voar,
preparada para a batalha.
Os monstros que surgiram por trás da árvore eram antropoides cobertos por pelo vermelho-
escuro. Segurando um porrete rude na mão direita e um tipo de cabaça com uma corda amarrado
envolta na outra mão.
Assim que os símios levantaram seus porretes e mostraram as presas para rugir, Silica correu na
direção do símio na frente para dar o primeiro golpe. Ela conseguiu um golpe perfeito e tirou um
belo naco do HP do monstro com Mordida Ligeira, uma técnica mediana do tipo investida com
adaga, então começou uma série de combos em alta velocidade, uma das maiores vantagens de
se lutar com uma adaga.
Os Símios Ébrios usavam técnicas de baixo nível com clava e, embora cada golpe tivesse um poder
formidável, não possuíam velocidade e combos de vários hits. Silica lançou uma chuva de ataques
no Símio Ébrio e depois recuou rapidamente só para se lançar novamente em uma nova investida.
Após várias investidas, o HP do Símio Ébrio sofreu uma grande queda em um curto período de
tempo. De vez em quando Pina usava seu ataque de soprar bolhas para confundir o oponente.
Porém, no instante em que estava prestes a lançar sua quarta habilidade, Lâmina Extravagante, e
matar o primeiro Símio...
Um novo oponente apareceu por trás dele, trocando com o primeiro símio durante o breve
intervalo. Silica não teve outra escolha além de trocar seu alvo e começar a atacar o segundo
Símio. O primeiro recuou e inclinou a cabaça com sua mão esquerda...
Silica ficou chocada quando viu a barra de HP do primeiro Símio Ébrio sendo preenchida a uma
velocidade inacreditável. Parecia que a cabaça continha algum líquido de cura.
Ela já havia encarado Símios Ébrios no andar 35 antes, mas naquela vez só foi uma dupla, e ela os
eliminara antes que tivessem a chance de trocar, por isso ela não tinha conhecimento desta

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


8 Sword Art Online – Aincrad

habilidade especial. Silica rangeu os dentes e se concentrou em destruir completamente o


segundo.
Mas assim que ela fez o HP do segundo cair na zona vermelha e se afastou um pouco para
começar seu último ataque, houve mais uma troca de símios. Era o terceiro Símio Ébrio. Naquela
altura, o primeiro já quase recuperara completamente seu HP.
Se esse joguinho continuasse, a luta nunca terminaria. Sua boca ficou seca de ansiedade.
Para começar, Silica mal tinha experiência lutando solo. Sua vantagem esmagadora de nível era
apenas um número, suas verdadeiras habilidades já eram outros quinhentos. A ansiedade que
surgiu na mente de Silica começou a se transformar em confusão. Ela começou a errar mais
ataques, que abriam brechas para seu inimigo contra-atacar.
Quando ela conseguiu deixar o HP do terceiro Símio Ébrio pela metade, sua tentativa de continuar
fazendo combos a fez ir além da conta. O Símio não perdeu aquela chance e contra-atacou, dando
um golpe crítico.
O porrete de madeira era grosseiramente feito, mas seu peso combinado com o atributo de força
do Símio Ébrio gerou um golpe potente que diminuiu o HP de Silica em quase 30%. Ela sentiu um
calafrio descer por sua espinha.
Para piorar seu nervosismo, ela estava sem poções de cura. O sopro de Pina recuperava
aproximadamente 10% de seu HP, mas não era algo que Pina podia usar com muita frequência.
Mesmo assim, se ela levasse mais três golpes desse tipo era morte certa.
Morte. Silica congelou no instante em que essa possibilidade passou por sua mente. Seus braços e
pernas não se moviam.
Todas as lutas que ela teve até o momento foram excitantes, mas sempre estavam longe de
apresentarem um real risco de vida. Nunca antes ela havia assimilado que sua Morte neste jogo
seria sua Morte na vida real...
Congelada na frente do Símio Ébrio que rugia e levantava seu porrete para atacar novamente,
Silica entendeu pela primeira vez o que realmente significava lutar contra monstros em SAO. Era
uma contradição, SAO era um jogo que não devia ser simplesmente jogado.
O porrete cortou o ar com um fraco som e a atingiu enquanto ela continuava parada lá, sem sinal
de se mover. Não suportando o impacto, ela desabou ao chão. O ataque tirou muito de seu HP,
agora já na área laranja.
Ela não podia pensar em nada. Fugir. Usar um cristal de teletransporte. Havia mais opções além
dessas, mas ela simplesmente olhava para o porrete sendo levantado pela terceira vez.
A arma rude soltou um brilho vermelho, e quando ela estava prestes a fechar seus olhos por
reflexo...
Um vulto pequeno pulou no espaço entre ela e o porrete. Um som pesado e aterrorizante de
impacto ecoou. Penas azul-celeste se espalharam em um instante conforme a pequena barra de
HP despencava para zero.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


9 Sword Art Online – Aincrad

Pina direcionou um olhar para Silica com seus redondos olhos azuis após cair no chão. Soltou um
fraco gemido e então se dispersou em incontáveis polígonos brilhantes. Uma longa pena de sua
cauda flutuou para baixo como se dançasse.
Algo dentro de Silica se rompeu. A linha que a mantinha sã desaparecera. Antes que a tristeza
viesse, ela ficou furiosa. Furiosa consigo mesma por ser incapaz de se mover após ser atingida
uma única vez, e, antes disso, furiosa consigo mesma por se achar boa o bastante para tentar
atravessar a floresta sozinha só por ter ficado irritada com uma briguinha besta.
Silica recuou com um movimento ágil, desviando do golpe que o monstro havia lançado em sua
direção. Ela então deu uma investida gritando. A adaga em sua mão direita lampejava, chovendo
golpes contra o Símio.
Ela nem tentou desviar do porrete do Símio que trocou com seu colega após o HP deste último ter
decaído, mas em vez disso o bloqueou com sua mão esquerda. Seu HP diminuiu, embora não
tanto quanto um golpe direto. Mas ela ignorou isso e foi atrás do terceiro Símio, o que matara
Pina.
Ela usou sua baixa estatura como vantagem, foi direto para o Símio e enfiou sua adaga no peito
dele com toda sua força. Com um cintilante efeito de golpe crítico, o HP do inimigo foi reduzido a
nada. Primeiro um grito e em seguida o som de vidro se estilhaçando.
Em meio aos polígonos que se dispersavam, Silica se virou e investiu contra um novo alvo. Sua
barra de HP já estava na zona vermelha, mas ela não dava mais a mínima para isso. Tudo que
enxergava era o inimigo que precisava matar, como se ele tivesse crescido de tal forma que
preenchesse todo seu campo visual.
Ela até esqueceu seu medo da morte e estava prestes a tentar uma investida suicida sob o porrete
em movimento.
Uma luz branco-puro cortou os dois Símios Ébrios, que estavam um do lado do outro por trás.
Os dois corpos foram partidos ao meio em um instante e então se despedaçaram e
desapareceram.
Silica, paralisada pelo que acabara de assistir, viu um jogador logo atrás do nevoeiro de
fragmentos se dispersando. Com cabelos escuros e usando um sobretudo preto. Ele não era tão
alto, mas uma presença imponente emanava dele. Silica recuou por causa do medo instintivo que
sentiu. Seus olhares se encontraram.
Mas os olhos dele eram silenciosos e mais profundos que a própria escuridão. O garoto guardou
sua espada de uma mão de volta na bainha em suas costas com um tinido e então abriu a boca.
“Sinto muito por não ter conseguido salvar seu companheiro.”
Ela perdeu todas as forças de seu corpo ao escutar isso. Silica não conseguia parar as lágrimas
correndo por suas bochechas. Não conseguia nem controlar sua adaga escorregando de sua mão e
caindo. Assim que viu a pena azul no chão, ela caiu de joelhos perante ela.
Conforme sua raiva desaparecia, tristeza e sensação de perda incontroláveis tomaram seu lugar na
forma de lágrimas caindo sem parar por suas bochechas.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


10 Sword Art Online – Aincrad

Familiares não estavam programados para bloquear um ataque em seu comportamento normal.
Pina correu para frente do ataque por vontade própria. Pode-se chamar isso de resultado de seu
amor por Silica, com quem havia passado o último ano junto.
Enquanto Silica se segurava, ela murmurou, chorando.
“Por favor... Não me abandone... Pina…”
Mas a pena azul não deu qualquer sinal de que fosse responder.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


11 Sword Art Online – Aincrad

Parte 2
“Me desculpe…”
O jovem vestido em preto repetiu. Silica balançou a cabeça e tentou parar suas lágrimas
desesperadamente.
“Não… Eu… fui… idiota… Obrigada… por me… salvar…”
Ela conseguiu soltar essas palavras enquanto controlava o choro.
O garoto caminhou até ela lentamente e se ajoelhou no chão em frente de Silica antes de
perguntar, hesitante:
“…Por algum acaso, essa pena não teria um nome de item?”
Surpresa com a inesperada pergunta, Silica levantou a cabeça. Ela secou as lágrimas e virou seu
olhar para a pena.
Parando para pensar, era realmente estranho que a pena não tivesse desaparecido. Aqueles que
residem nesse mundo não deixam nada para trás após morrerem, nem seu equipamento, seja
monstro ou humano. Silica estendeu sua mão e clicou na superfície da pena com seu dedo
indicador direito. Uma janela semitransparente apareceu, mostrando nome e peso do item.
Alma da Pina
O garoto impediu Silica de começar outro berreiro após ver isso.
“C-Calma. É possível reviver um familiar se eles deixarem um item de alma após morrerem.”
“O quê?!”
Silica levantou a cabeça rapidamente e encarou de queixo caído o rosto do jovem.
“Não foi descoberto há muito tempo, então muita gente não sabe sobre isso ainda. Tem um
calabouço na região norte do andar 47 chamado Monte das Lembranças. Apesar do nome, é bem
difícil... mas dizem que a flor no topo daquele morro é um item que revive fami...”
“S-Sério!?”
Silica se levantou num pulo e gritou antes que o jovem terminasse sua frase. Era como se
esperança tivesse inundado seu peito. Mas...
“...O andar 47...”
Ela murmurou, e seus ombros caíram. Aquilo era doze andares acima do andar atual, o andar 35.
Definitivamente não era um local seguro para ela.
No momento em que seus olhos abatidos alcançaram o chão.
“Hum...”
O garoto perante ela disse com uma voz preocupada.
“Eu poderia ir lá pegar para você em troca de um pagamento mais os custos necessários, mas
dizem que a flor só aparece se o domador que perdeu o familiar estiver presente...”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


12 Sword Art Online – Aincrad

Silica sorriu para o surpreendentemente gentil espadachim e disse:


“Não... já estou feliz com essa informação. Se eu me esforçar e subir muito meu nível, algum dia
conseguirei...”
“Não vai dar. Dizem que você só consegue reviver o familiar no período de quatro dias após a
morte dele. Depois disso, o nome do item vai mudar de Alma para Restos Mortais...”
“Como assim...!?”
Silica não conseguiu impedir o grito.
Ela estava no nível 44 agora. Se SAO fosse um RPG normal, o andar do calabouço seria de uma
dificuldade adequada para um jogador do mesmo nível. Mas como SAO era um jogo insano de
morte, a área de segurança seria por volta de uns dez níveis abaixo do nível do jogador.
Resumindo, ela precisaria estar, no mínimo, no nível 55 para explorar o andar 47. Mas não
importa como pensasse nisso, era impossível upar dez níveis em três dias... não, dois, se levasse
em conta o tempo que precisaria para zerar o calabouço. Ela mal conseguiu chegar onde estava
agora se aventurando com cautela.
Silica deixou a cabeça cair quando o desespero a assolou novamente. Ela pegou a pena de Pina do
chão e segurou-a gentilmente contra o peito. Lágrimas apareceram enquanto ela se ressentia de
sua estupidez e impotência.
Ela reparou o jovem se levantar e pensou que ele estava indo embora e que ela deveria se
despedir ao menos, mas não lhe restava energia parar falar mais nada...
Mas, de repente, uma janela de sistema semitransparente apareceu na frente dela. Era uma janela
de troca. Quando levantou a cabeça, ela viu o jovem manipulando outra janela. Itens começaram
a aparecer um atrás do outro na seção de troca. Armadura de Couro Prateada, Adagas-Ébano...
eram todos equipamentos que ela nunca vira antes.
“Erm...”
Quando ela abriu a boca hesitantemente, o jovem explicou de forma casual:
“Esses equipamentos devem valer por uns cinco ou seis níveis. Se eu for com você, acho que não
vai ter problema.”
“Hã...?”
Silica ficou parada, de queixo caído. Ela não entendia o que o jovem estava pensando, então olhou
diretamente para seu rosto. Mas, por causa da interface sistema de SAO, tudo que pôde ver foi a
barra de HP dele; ela não conseguiu descobrir nem seu nome muito menos seu nível.
Era difícil dizer qual era a idade dele. Seu equipamento era todo preto. A força e tranquilidade que
ele irradiava davam a impressão de que era muito mais velho que ela, mas os olhos cobertos por
suas longas franjas aparentavam ser bem inocentes, e as linhas faciais femininas o davam um ar
meio afeminado. Silica perguntou, cautelosa:
“Por quê... você está sendo tão gentil...?”
Para falar a verdade, ela estava mais alerta que qualquer outra coisa.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


13 Sword Art Online – Aincrad

Até agora, muitos jogadores bem mais velhos que ela tentaram ganhar seu amor; ela até chegou a
receber uma proposta certa vez. Para Silica, de só treze anos, essas experiências eram
simplesmente assustadoras. Ela nunca havia recebido uma única confissão na vida real.
Inevitavelmente, Silica começou a evitar os jogadores que pareciam ter esses interesses. Além
disso, sempre há segundas intenções por trás de palavras doces era senso comum em Aincrad.
O jovem coçou a cabeça novamente, como se não tivesse resposta. Ele abriu sua boca para dizer
algo, mas então a fechou novamente. Depois disso, ele desviou o olhar e murmurou baixinho:
“Bem, isso aqui não é um mangá... prometa que não vai rir.”
“Prometo.”
“É porque... você se parece com minha irmã.”
Silica não conseguiu controlar o riso após escutar uma resposta saída direto de um mangá. Ela
tapou a boca com a mão, mas não conseguiu impedir o riso que escapava.
“V-você prometeu que não iria rir...”
O jovem estava com uma expressão magoada em seu rosto e deixou os ombros caírem enquanto
fazia biquinho. Isso a fez rir ainda mais.
“…Ele não é uma pessoa ruim.”
Enquanto ria, Silica decidiu confiar na gentileza deste garoto. Ela já havia abraçado a morte antes.
Se fosse para salvar Pina, não havia motivo para ela hesitar.
Silica assentiu com a cabeça e disse:
“Espero que sejamos amigos. Você me salvou e até se ofereceu para fazer algo assim por mim..."

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


14 Sword Art Online – Aincrad

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


15 Sword Art Online – Aincrad

Ela olhou para a janela de troca e então colocou todo o col que tinha. O jovem a ofereceu mais de
dez equipamentos e todos pareciam ser itens raros que você não conseguia comprar em lojas.
“Bem... acho que não chega nem perto, mas...”
“Não, você não precisa me pagar. Eram reservas, e isso coincidiu com a razão para eu ter vindo até
aqui de qualquer forma...”
Enquanto ele falava sobre algo que ela não compreendia, o jovem pressionou o botão de OK sem
receber qualquer dinheiro em troca.
“Muito obrigada, mesmo. Ah, me chamo Silica.”
Ao se apresentar, ela meio que esperava que o jovem ficasse surpreso ao descobrir sua
identidade, mas parecia que ele não a conhecia por sua fama. Ela ficou irritada por um segundo,
mas se lembrou de que foi esse tipo de atitude que a fez acabar assim.
O garoto assentiu levemente e ofereceu sua mão direita.
“Sou Kirito. Espero que corra tudo certo.”
Eles apertaram as mãos.
O jogador chamado Kirito pegou um mapa da Floresta da Perambulação da bolsa em seu cinto. Ele
procurou por uma área que estivesse conectada à entrada e então começou a caminhar.
Enquanto o seguia, Silica colocou a pena de Pina contra seus lábios e murmurou em sua mente.
“Aguente firme, Pina. Vou revivê-la logo…”

A área de habitação do andar 35 passava uma sensação de campo e fazenda com suas construções
brancas e telhados vermelhos. O próprio vilarejo não era tão grande, mas era a área principal de
aventura para jogadores de nível mediano no momento, então tinha uma boa quantidade de
pessoas caminhando por ali.
A cidade onde Silica morava era o Vilarejo Friben, situado no andar 8, mas, como ela não havia
comprado uma casa, ficar em qualquer pousada qualquer em qualquer vilarejo não fazia muita
diferença. O mais importante era o gosto da comida que serviam. Silica gostava do cheesecake
que o NPC cozinheiro daqui fazia, então ela ficou nesta pousada nas duas últimas semanas, desde
que começou a se aventurar na Floresta da Perambulação.
Enquanto liderava Kirito, que olhava as coisas em volta como se tudo o fascinasse, um bando de
jogadores que ela reconheceu começou a conversar com ela. Eles tentavam fazer Silica se juntar
ao grupo deles após escutar o boato de que ela saiu de seu antigo grupo.
“Erm, bem... agradeço a oferta, mas...”
Ela fez uma referência enquanto recusava as ofertas para não deixá-los tristes. E então olhou para
Kirito, parado ao lado dela, e continuou:
“...Formarei um grupo com essa pessoa por um tempo.”
“ Hein?! Sério isso!?”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


16 Sword Art Online – Aincrad

As pessoas cercando Silica gritaram do nada e encararam Kirito com suspeitas.


Silica tinha visto um pouco da habilidade de Kirito, mas só olhando para o espadachim vestido em
preto apenas parado ali, ele não passava a impressão de ser tão forte assim.
Ele não usava qualquer equipamento caro, não usava armadura e só tinha um longo sobretudo
surrado por cima de sua camisa; ele portava apenas uma simples espada de uma mão. Nem
escudo ele tinha.
“Ei, você...”
O rapaz alto, usuário de espada de duas mãos que deu tudo de si para fazer Silica se juntar ao seu
grupo, caminhou até Kirito. Ele abriu sua boca enquanto desprezava Kirito:
“Você é carne nova por aqui e não deveria furar fila. Estávamos de olho na Silica por um tempinho
já.”
“Ah, eu não sabia. As coisas meio que acabaram assim...”
Kirito coçou a cabeça com cara de quem estava incomodado.
“Ele podia pelo menos discutir um pouco, não?” Silica pensou um pouco descontente, e então
falou com o usuário da espada de duas mãos:
“Erm, foi pedido meu, então me desculpe!”
Silica fez uma última reverência e se afastou puxando Kirito pelo casaco.
“Te mando uma mensagem na próxima.”
Silica caminhou rapidamente, querendo se afastar o mais rápido possível da multidão que ainda
não havia desistido completamente dela. Ela cruzou a praça central e entrou na rua principal.
Quando finalmente perderam os jogadores de vista, Silica suspirou e olhou para Kirito.
“D-desculpa te fazer passar por essa confusão toda...”
“De boa.”
Kirito respondeu com um sorrisinho como se aquilo não fosse nada para ele.
“Silica-san é muito popular.”
“Me chame só de Silica, por favor... não é porque sou popular, eles só querem que eu seja tipo
uma mascote do grupo deles. Sério! Mas... eu pensei que era especial... e entrei na floresta
sozinha... e acabei...”
Lágrimas começaram a aparecer naturalmente quando ela pensou em Pina.
“Tudo bem.”
Kirito disse com uma voz calma.
“Tenho certeza de que conseguiremos reviver a Pina, não se preocupe.”
Silica secou suas lágrimas e sorriu para Kirito. Por mais estranho que soasse, ela sentia que podia
confiar nas palavras daquela pessoa.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


17 Sword Art Online – Aincrad

E eles finalmente conseguiam ver um prédio de dois andares à direita deles. Era a pousada que
Silica usava com frequência: Taberna Cata-Vento. Após chegarem, Silica notou que trouxera Kirito
até aqui sem explicar nada.
“Ah, e a sua casa, Kirito-san?”
“Oh, ela fica no andar 50... Mas seria um saco ir pra lá agora, então acho que vou ficar aqui esta
noite.”
“Ah, certo!”
Silica ficou excitada por algum motivo e bateu as mãos juntas.
“O cheesecake daqui é uma delícia”.
No momento em que ela levaria Kirito para dentro da pousada puxando seu casaco, quatro
jogadores saíram da loja ao lado deles. Eram os membros do grupo do qual ela foi integrante nas
duas últimas semanas. Os primeiros jogadores a aparecer não viram Silica e simplesmente foram
para a praça, mas a jogadora no final do grupo olhou novamente, e Silica trocou um olhar com ela
por reflexo.
Aquele era o último rosto que ela queria ver no momento. Era a lanceira que começou a briga que
fez Silica sair do grupo. Ela iria apenas entrar na pousada com a cabeça abaixada, mas...
“Ah, mas não é a Silica?”
A lanceira falou alto, então Silica não teve outra escolha além de parar de caminhar.
“ ...Oi.”
“Ahh, você conseguiu sair da floresta de algum jeito. Que alívio.”
A jogadora chamada Rosalia, dona de rebeldes cachos ruivos, disse com um sorriso torto.
“Mas chegou tarde. Já distribuímos os itens.”
“Já falei que não preciso deles! Estou ocupada agora, então até mais!”
Silica tentou encerrar a conversa, mas parece que a outra não tinha qualquer intenção de
cooperar.
“Sério isso? E onde está aquele lagarto?”
Silica mordeu o lábio. Não se podia colocar familiares no inventário ou confiá-los à outra pessoa.
Resumindo, só tinha uma razão para Pina não estar lá. Rosalia provavelmente já sabia disso, mas
continuou com um sorriso fútil.
“Ah, será que...?”
“Ela morreu… Mas...!”
Silica encarou a lanceira.
“Eu vou reviver a Pina!”
Rosalia, que sorria com grande satisfação, arregalou os olhos. E até soltou um assobio baixinho.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


18 Sword Art Online – Aincrad

“Oh, então você vai para o Monte das Lembranças? Mas consegue chegar lá no seu nível atual?”
“Ela consegue sim.”
Kirito declarou antes que Silica pudesse responder e escondeu Silica atrás de si, como que para
protegê-la.
Não é um calabouço tão difícil assim.
Rosalia analisou Kirito de cima a baixo com um olhar contundente e então zombou dele:
“É outro que caiu no charme dela? Parece ser mais um fracote.”
Silica começou a tremer de fúria. Ela olhou para baixo enquanto tentava segurar as lágrimas.
“Vamos indo.”
Kirito colocou uma mão no ombro dela, e Silica começou a caminhar em direção à pousada.
“Boa sorte então.”
O riso de Rosalia ecoava por trás, mas ela não se virou para encará-la.

O primeiro andar da Taberna Cata-Vento era um grande restaurante. Kirito fez Silica se sentar em
uma mesa e então caminhou até o balcão onde o NPC esperava. Após terminar seu check in, ele
clicou no menu no balcão e então voltou rapidamente.
Assim que Kirito se sentou do outro lado, Silica abriu a boca para pedir desculpas por fazê-lo
passar por uma situação tão desconfortável por culpa dela. Mas Kirito a parou levantando a mão e
sorrindo.
“Vamos comer antes.”
O garçom trouxe duas canecas fumegantes bem na hora. Um aroma misterioso emanava dos
copos cheios com um líquido vermelho diante eles.
“Para comemorar a formação do nosso grupo.”
Eles bateram suas canecas com o brinde de Kirito. Silica tomou um gole do líquido quente.
“...Que delícia.”
O cheiro e gosto amargo lembrava o vinho que seu pai a deixara experimentar há muito tempo.
Silica já provara todas as bebidas oferecidas neste restaurante nas últimas duas semanas, mas ela
não se recordava de ter provado desta.
“Erm, isto é...?”
Kirito sorriu antes de responder:
“Você pode trazer bebidas engarrafadas consigo para restaurantes de NPCs. É um item que eu
tinha chamado por Icor-Rubi. Cada copo aumenta sua destreza em um ponto.
“É-é realmente valioso...!”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


19 Sword Art Online – Aincrad

“Bem, não é como se o álcool ficasse melhor se eu guardá-lo no meu inventário, e não conheço
tanta gente assim, daí não tenho muita chance de beber...”
Kirito deu uma humilde encolhida de ombros. Silica riu e então tomou outro gole. O gosto um
tanto nostálgico amoleceu seu coração, que se encontrava duro por causa de todas as coisas
tristes que ela sofrera aquele dia.
Após terminar a bebida, Silica segurou o copo contra o peito como se ainda desejasse seu calor.
Ela então desviou seu olhar para baixo, em direção à mesa, e murmurou:
“Por quê... eles têm que dizer coisas tão cruéis...”
Kirito ficou com uma expressão séria enquanto abaixava seu copo e então abriu a boca.
“SAO é seu primeiro MMORPG?”
“Sim, é meu primeiro.”
“Tá certo. Em todos os jogos online existem jogadores que mudam de personalidade quando
vestem a máscara de seu avatar. Há aqueles que ficam gentis, assim como aqueles que se tornam
cruéis... chamavam isso de roleplaying no passado, mas acho que é diferente em SAO.”
O olhar de Kirito ficou mais afiado.
“Mesmo estando em uma situação tão difícil... bem, é impossível que todos cooperem para zerar
o jogo. Mas tem muitas pessoas que gostam de ver os outros sofrerem, roubam itens e até pior...
matam outros jogadores.”
Kirito olhou direto nos olhos de Silica. Parecia existir uma profunda tristeza atrás de sua raiva.
“Acho que os criminosos daqui também são lixos totais no mundo real.”
Ele quase colocou isso para fora. Mas então notou que Silica se encolheu um pouco, sorriu e se
desculpou:
“Foi mal... nem tenho moral para falar dos outros. Raramente ajudo alguém. Eu até...
fiz meus companheiros morrerem…”
“Kirito-san...”
Silica notou que o espadachim negro sentado à frente dela guardava cicatrizes dentro de si. Ela
queria consolá-lo, mas temia que suas palavras fossem vazias demais para transmitir o que ela
queria dizer. Em vez disso, ela inconscientemente segurou a mão de Kirito, que estava fechada
sobre a mesa, com suas duas mãos.
“Kirito-san é uma boa pessoa. Você me salvou.”
A princípio Kirito ficou surpreso e tentou puxar sua mão de volta, mas logo relaxou.
Um sorriso suave apareceu em seus lábios.
“...Parece que eu acabei sendo confortado. Obrigado, Silica.”
Então, Silica sentiu algo doloroso dentro de si, como se seu coração estivesse apertado.
Sua pulsação acelerou sem motivo, e ela sentiu seu rosto ficar quente.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


20 Sword Art Online – Aincrad

Ela retirou suas mãos e as pressionou apressadamente contra o peito. Mas a dor não sumiu.
“Tudo bem...?”
Kirito se inclinou por sobre a mesa, então Silica balançou a cabeça e tentou sorrir.
“N-não é nada! Ah, que fome!”

Já passava das oito quando eles terminaram de comer o cozido com pão e um cheesecake de
sobremesa. Os dois decidiram ir dormir cedo para estarem bem preparados para a aventura no
andar 47 do dia seguinte, subiram as escadas até o segundo andar da pousada, onde havia
incontáveis quartos nos dois lados do longo corredor.
O quarto que Kirito alugou era, por coincidência, ao lado do de Silica. Eles deram boa noite um ao
outro com um sorriso.
Assim que entrou no quarto, Silica decidiu que antes de trocar de roupa, ela praticaria alguns
combos para se familiarizar com a nova adaga que Kirito lhe deu. Ela tentou se concentrar na
arma, que era levemente mais pesada do que a que ela estava acostumada a usar, mas a dor em
seu peito dificultou o ato.
Após ela conseguir de alguma forma executar um combo de cinco golpes, Silica abriu a janela,
desequipou sua armadura e fui para cama só de roupa íntima. Então tocou a parede para chamar
o menu e apagou as luzes.
Ela sentia uma fadiga pesada no corpo todo, então pensou que conseguiria pegar no sono
facilmente. Mas, por algum motivo, ela estava bem menos sonolenta que o normal.
Desde o dia em que se tornaram amigas, ela sempre foi dormir com o macio corpo de Pina em
seus braços, então a larga cama parecia um tanto vazia. Ela ficou se virando para lá e para cá antes
de desistir de dormir e se sentar. Continuou olhando para sua esquerda, onde a parede que
conectava o seu quarto com o quarto de Kirito estava.
Ela queria conversar mais com ele.
Ela ficou surpresa consigo mesma quando pensou isso. Ele era um jogador que ela conhecera
ainda naquele dia. Ela havia evitado jogadores do sexo masculino até aquele momento, mas por
que este espadachim sobre quem ela nada conhecia continuava aparecendo em sua mente?
Ela não conseguia explicar seus próprios sentimentos. Quando olhou para o relógio no canto de
sua visão, já eram dez da noite. Ela não conseguia ouvir os passos de outros jogadores do lado de
fora da janela mais, só o som de latidos à distância.
“Isso não faz sentido algum, só quero dormir.”
Ela pensou. Mas, por um motivo desconhecido, ela saiu da cama e pisou levemente no chão. Após
dizer a si mesma que só iria bater e acenar com a mão, ela abriu o menu, escolheu a camisola mais
fofa que tinha e se vestiu.
Ela deu alguns passos no corredor à luz de velas. Então, após hesitar por vários segundos na frente
da porta, bateu duas vezes nela.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


21 Sword Art Online – Aincrad

Normalmente, todas as portas deveriam ser a prova de som, impedindo que as vozes em
conversas internas vazassem para fora. No entanto, havia uma exceção a essa restrição só para
batidas na porta, por trinta segundos; Kirito respondeu imediatamente e abriu a porta.
Kirito, usando uma camisa simples e sem seu equipamento, olhou para Silica e falou com um leve
olhar de dúvida.
“Sim? Qual o problema?”
“Bem...”
Só agora Silica notou que não preparou uma desculpa razoável para vir e ficou afobada.
“Eu só queria conversar” parecia ser infantil demais.
“Tipo, bem, hum... ah, eu queria saber mais sobre o andar 47!”
Por sorte, Kirito não suspeitou de nada e apenas concordou.
“Tá bom. Vamos lá pra baixo?”
“Não, hum... se não tiver problema, pode ser no seu quarto...?”
Ela respondeu sem pensar e adicionou rapidamente depois:
“P-Por que não podemos deixar que ninguém escute informações importantes!”
“Erm... bem... tá, você tá certa. Mas...”
Kirito coçou a cabeça com uma expressão um pouco desconfortável, então...
“Bem, acho que não tem problema.”
Ele murmurou, abrindo totalmente a porta e dando um passo para fora.
E é claro, o quarto dele era idêntico ao dela: uma cama na esquerda, uma mesa de café e uma
cadeira mais afastados da cama. E só. Uma lanterna posta na parede esquerda emitia um brilho
laranja.
Kirito ofereceu a cadeira antes de sentar na cama e abrir uma janela. Ele a manipulou
rapidamente e conjurou uma caixinha.
A caixa, que fora colocada na mesa, tinha uma pequena bola de cristal dentro, refletindo a luz da
lanterna.
“Que lindo... O que é?”
“É um item chamado Esfera da Ilusão.”
Quando Kirito clicou na esfera, uma janela de menu apareceu. Ele a manipulou rapidamente e
pressionou o botão OK.
Assim que terminou, a esfera começou a projetar um intenso brilho azul, e um grande holograma
esférico apareceu. A imagem parecia ser todo um andar de Aincrad. Mostrava os vilarejos e todas
as árvores em grandes detalhes e era completamente diferente do mapa simples que podia ser
encontrado no menu do sistema.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


22 Sword Art Online – Aincrad

“Nossa...!”
Silica encarou aturdida o mapa semitransparente. Ele dava a sensação de que poderia mostrar
pessoas caminhando nele se ela continuasse olhando.
“Essa é a área habitacional, e este é o Monte das Lembranças. Você tem que passar por aqui,
mas... tem alguns monstros fortes mais ou menos por aqui...”
Kirito apontava aqui e ali enquanto explicava a geografia do andar 47 sem pausar.
Silica se sentiu confortável só escutando aquela voz calma.
“E se cruzar essa ponte, você pode ver...”
Kirito parou de falar do nada.
“Kirito-san...?”
“Shh...”
Quando ela levantou a cabeça, viu que Kirito estava com uma expressão dura e que tinha um dedo
em seus lábios. Ele olhou para a porta com olhos estreitos.
Kirito agiu velozmente. Pulou da cama na velocidade da luz e abriu a porta.
“Quem está aí...!?”
Silica pôde escutar o som de alguém correndo. Ela foi até a porta e olhou para fora por trás do
corpo de Kirito, quando viu a sombra de alguém correndo pelas escadas.
“O-o que foi isso!?”
“...Acho que ele estava ouvindo por trás da porta.”
“Hã...? Mas é impossível escutar através de paredes, não é?”
“É possível, se sua habilidade de escuta for alta o suficiente. Embora... não tenham... muitas
pessoas que treinariam essa habilidade...”
Kirito fechou a porta e voltou para o quarto. Ele sentou na cama e ficou refletindo.
Silica sentou ao lado dele e se abraçou; ela se sentia oprimida por um medo inexplicável.
“Por que alguém escutaria nossa conversa...?”
“Descobriremos logo. Preciso enviar uma mensagem, poderia esperar um pouco?”
Kirito sorriu levemente antes de colocar o mapa de cristal de lado e abrir uma janela.
Ele começou a mover seus dedos sobre o teclado holográfico.
Silica se encolheu na cama. Uma memória distante do mundo real voltou à sua mente. Seu pai era
um repórter. Ele sempre estava na frente de um computador velho, digitando algo com uma
expressão séria no rosto. Silica gostava de olhar para as costas de seu pai enquanto ele trabalhava.
Ela não estava mais assustada. Era como se fosse envolta por uma sensação calorosa, da qual ela
já havia se esquecido fazia muito tempo, enquanto olhava para as costas de Kirito.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


23 Sword Art Online – Aincrad

Antes que soubesse, seus olhos já estavam fechados.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


24 Sword Art Online – Aincrad

Parte 3
Silica acordou com um barulho de sinos em sua orelha. Era um despertador que só ela podia
escutar. Estava marcado para as sete da manhã.
Ela tirou o cobertor de cima de si e se sentou. Geralmente era difícil levantar cedo, mas hoje ela
conseguiu abrir os olhos de bom humor. Sua cabeça estava fresca, como se tudo tivesse ido
embora após uma boa noite de sono.
Após se espreguiçar, Silica estava prestes a sair da cama quando congelou.
A luz do sol matutino que atravessava a janela caiu sob uma sombra dormindo com as costas
voltadas para a cama. Assim que Silica inspirou ar para gritar, pensando que era um intruso, ela se
lembrou de onde caíra no sono na noite passada.
“No quarto do Kirito-san…”
No momento em que percebeu isso, seu rosto ficou quente, como se ela tivesse sido atingida por
um ataque de sopro flamejante. Como emoções eram bem exageradas em SAO, ela podia estar
soltando vapor neste exato instante. Pelo visto, Kirito deixou Silica dormir na cama e foi dormir no
chão. Silica gemeu enquanto cobria o rosto envergonhada e arrependida.
Depois de alguns segundos que ela usou para se acalmar, Silica saiu da cama silenciosamente e se
levantou. Então caminhou até Kirito com passos silenciosos e olhou para seu rosto.
O rosto adormecido do espadachim negro parecia tão inocente que Silica não pôde conter seu
sorriso. Ela pensou que ele era muito mais velho por causa de seus olhos profundos.
Mas, surpreendentemente, agora que ela o viu assim, ele não parecia muito diferente dela.
Era divertido assistir o rosto adormecido dele, mas Silica não podia continuar assim para sempre.
Ela cutucou levemente o ombro do espadachim negro e falou para ele.
“Kirito-san, já amanheceu.”
Kirito abriu bem os olhos e piscou várias vezes enquanto olhava inexpressivamente para o rosto
de Silica por um tempo. Então ele rapidamente fez um rosto embaraçado.
“Ah... D-Desculpa!”
Ele abaixou a cabeça de repente.
“Pensei em acordá-la... mas você estava dormindo tão profundamente... e não consegui abrir a
porta para o seu quarto, daí...”
Explicando: o sistema tornava os quartos alugados por jogadores impenetráveis, então você só
podia entrar se fosse um amigo do jogador. Silica rapidamente acenou com a mão e disse:
“Não mesmo. Quem tem que se desculpar sou eu! Por tomar sua cama assim...”
“Não, sem problema. É impossível conseguir dores musculares aqui, não importa em que posição
você durma.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


25 Sword Art Online – Aincrad

Depois de se levantar, Kirito alongou seu pescoço, que estalou um pouco, contrariando o que ele
acabara de dizer. E então levantou os braços e os alongou. Ele olhou para Silica como se tivesse
acabado de pensar em algo antes de abrir sua boca:
“...Ah, e bom dia.”
“B-bom dia.”
Eles trocaram olhares e sorriram.

Já estava claro quando eles colocaram os pés fora da pousada. Eles tomaram um café da manhã
substancioso como preparação para o Monte das Lembranças no andar 47. Jogadores se
preparando para um novo dia e jogadores que acabaram de voltar de suas aventuras noturnas iam
e vinham com expressões variadas.
Após reabastecer seus estoques de poções na loja próxima à pousada, os dois foram para a praça
principal. Felizmente, eles conseguiram chegar ao portão de teletransporte antes de encontrarem
mais pessoas que queriam chamar Silica para seu grupo como ontem. Na hora em que ela ia
correr para a brilhante área de teletransporte, Silica parou.
“Ah... não sei o nome do vilarejo no andar 47...”
No momento em que ela ia conferir o mapa atrás do nome, Kirito ofereceu sua mão direita.
“Tudo bem. Eu dou as coordenadas.”
Silica se sentiu grata ao segurar a mão dele.
“Teletransporte! Floria!”
Assim que Kirito falou isso, uma luz ofuscante cobriu ambos.
Após a luz sumir, a sensação de teletransporte seguida de incontáveis cores explodiu na visão de
Silica.
“Uau...”
Ela soltou sem pensar.
A praça principal do andar 47 era transbordante de flores. Dois caminhos estreitos cruzavam a
praça na forma de uma cruz. Além disso, o resto do espaço estava totalmente tomado por campos
floridos, cada um deles cercado por tijolos vermelhos e cheios de flores que ela não conhecia.
“Incrível...”
“Esse andar é conhecido como Jardim das Flores, já que não só o vilarejo, mas todo o chão é
coberto de flores. Se tivéssemos tempo, também poderíamos ir na Floresta das Flores Gigantescas
ao norte...”
“Aguardarei ansiosa por isso numa próxima vez.”
Silica sorriu para Kirito antes de se abaixar diante de um canteiro de flores. Ela aproximou o rosto
de uma flor azulada que era parecida com uma escovinha e a cheirou.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


26 Sword Art Online – Aincrad

A flor era feita com detalhes impressionantes: desde suas nervuras até as cinco pétalas, o estame
branco e o pedúnculo verde.
É claro que nem tudo em Aincrad, incluindo este campo florido e outras plantas e prédios, existia
de forma tão detalhada o tempo todo. Se fosse assim, até o computador principal de SAO, mesmo
com a grande capacidade que possui, encararia uma falta de recursos de sistema.
Para evitar isso e ainda dar um ambiente altamente detalhado o mais próximo possível da
realidade para os jogadores, SAO usava o Sistema de Foco Digital. Era um sistema que mostrava
todos os detalhes do objeto só quando um jogador demonstrava interesse e se focava no mesmo.
Depois de aprender sobre este sistema, Silica ficou com medo que mostrar interesse pelas coisas
fosse sobrecarregar o sistema, mas ela não conseguiu se segurar naquele momento e continuou
olhando para várias flores.
Quando finalmente conseguiu se controlar e parar de caminhar inconscientemente enquanto
apreciava as fragrâncias, Silica olhou em volta.
A maioria das pessoas presentes eram casais. Todos estavam conversando alegremente entre si,
de mãos dadas ou com os braços entrelaçados. Parece que esse lugar havia se tornado um ponto
de encontro para casais. Silica olhou para Kirito, que estava parado ao lado dela como se não
tivesse notado nada disso.
“Nós parecemos um casal também…?”
Após pensar isso, Silica falou alto para esconder seu rosto corado.
“V-vamos para o campo logo!”
“Hum? Ah, beleza.”
Kirito ficou parado piscando por um segundo antes de concordar e começar a caminhar ao lado de
Silica.
Eles deixaram a praça central só para descobrirem que até a rua principal do vilarejo estava
coberta por flores. Enquanto os dois caminhavam lado a lado, Silica pensou em quando eles se
conheceram. Ela não podia acreditar que foi ainda ontem. O espadachim já ocupava uma
presença significativa em seu coração.
Ela olhou para ele e se perguntou quais eram seus sentimentos, mas Kirito ainda tinha um ar
misterioso em volta de si que tornava difícil dizer no que ele estava pensando. Silica hesitou um
pouco se preparando e abriu a boca:
“Erm... Kirito-san. Você poderia me falar sobre sua irmã...”
“E-essa pergunta veio do nada, hein.”
“Você falou que se lembrou dela ao me ver. Então fiquei curiosa.”
Falar sobre o mundo real era um dos maiores tabus em Aincrad. Havia vários motivos, mas o
maior de todos era que a ideia de que este mundo é virtual e que, portanto, é falso se fixou com
força na mente dos jogadores, então eles não conseguiam aceitar que a sua morte em SAO
significava sua morte na vida real.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


27 Sword Art Online – Aincrad

Mas ela queria perguntar sobre a irmãzinha de Kirito, que ele disse ser parecida com ela. Silica
queria saber se Kirito queria algo dela como irmã.
“...Não éramos... tão próximos assim…”
Kirito começou a falar.
“Falei que ela era minha irmã, mas na verdade somos primos. Sempre vivemos juntos desde que
nascemos por causa de algumas circunstâncias, então ela não deve saber da verdade. Bem, talvez
seja por causa disso... mas continuei me distanciando dela sem realmente querer. Até evitava
cruzar com ela em casa.”
Kirito soltou um pequeno suspiro.
“...E pra piorar, tivemos um avô rígido. Ele me forçou a ir num dojo de kendo com oito anos, mas
eu realmente não gostava muito e parei depois de dois anos. Meu avô me deu uma bela surra...
mas quando ele fez isso, minha irmã começou a chorar e me protegeu, dizendo que praticaria por
mim se ele parasse de me bater. Após isso, comecei a jogar no PC e me perdi naquilo, mas minha
irmã realmente se devotou ao kendo e foi bem longe nos campeonatos nacionais antes de nosso
avô falecer. Foi o suficiente para agradá-lo... mas eu me senti mal, sempre me perguntei se ela
realmente queria fazer isso e se ela guardava rancor de mim. Continuei evitando-a por causa
disso... e acabamos assim.”
Kirito parou de falar e olhou para o rosto de Silica.
“Posso só ter te salvado para me satisfazer e pagar por meu passado... me desculpe.”
Silica era filha única, então ela não conseguiu entender completamente o que Kirito disse. Mas por
algum motivo, ela sentiu que podia entender a irmã dele.
“...Acho que sua irmã não guarda rancor, Kirito-san. Se ela não gostasse, então ela não teria
conseguido se esforçar tanto. Provavelmente ela gostava muito do kendo.”
Silica disse isso, escolhendo as palavras cuidadosamente, e Kirito sorriu.
“Parece que sou eu que continuo sendo consolado... é realmente assim? Seria legal se fosse...”
Silica sentiu algo quente se espalhar em seu coração. Ela ficou feliz que Kirito se abriu para ela.
Os dois logo chegaram à entrada norte do vilarejo. Várias flores brancas cresciam de trepadeiras
enroladas em volta do fino arco de metal prateado. A rua principal atravessava o arco e se
estendia, formando uma estrada cercada de colinas verdes antes de desaparecer à distância.
“Bom... Nossa aventura começa agora.”
“É...”
Silica se afastou do braço de Kirito, fixou sua expressão e assentiu.
“Com seu nível e equipamento, os monstros daqui não devem ser muito difíceis para você. Mas...”
Enquanto dizia isso, Kirito inspecionava a bolsa em seu cinto. Ele tirou dela um cristal azul-celeste
e o colocou na mão de Silica. Era um cristal de teletransporte.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


28 Sword Art Online – Aincrad

“Nunca se sabe o que pode acontecer em campo. Então mantenha isso em mente. Se algo
inesperado acontecer e eu mandar você fugir, use este cristal para escapar. Qualquer vilarejo
serve. Não precisa se preocupar comigo.”
“M-mas...”
“Prometa. Eu já... destruí um grupo todo antes e não quero repetir o mesmo erro.”
A expressão de Kirito ficou tão séria que Silica não pôde fazer nada além de concordar.
Depois de receber a resposta dela, Kirito sorriu aliviado.
“Então, bora lá!”
“Sim!”
Silica apertou a adaga para se certificar de sua presença e se decidiu. Ela pelo menos não ficaria
confusa como ontem e lutaria com o melhor de si. Mas…
“Kyaaaaah! O que é isso...?! É... é horroroso!”
Eles encontraram o primeiro monstro poucos minutos após começarem a caminhar para o norte
em direção aos campos do andar 47.
“A-argh! Some daqui!”
A coisa que apareceu e andava pelos arbustos tinha uma forma que Silica nunca imaginaria. Uma
Flor Ambulante»seria a melhor descrição. O pedúnculo verde-escuro era tão grosso quanto um
braço humano, e ela se mantinha em pé usando suas raízes, divididas em várias partes. O caule
suportava uma grande flor amarela parecia com um girassol. Estava com a boca aberta, com dez
dentes saindo dela, revelando tons de vermelho em seu interior.
Tinha duas vinhas que se estendiam até o meio do pedúnculo, que lembrava os braços de um
animal. Parecia que aqueles braços e sua boca eram as partes do corpo que ela usava para atacar.
A planta comedora de gente correu em direção a Silica com um sorriso na boca enquanto
balançava seus braços em forma de tentáculos. Aquela coisa que se parecia com uma criatura
grotesca deixou Silica enojada.
“Eu disse some daqui...!”
Silica balançou sua adaga aleatoriamente com os olhos quase fechados. Kirito, ao lado dela, disse
com uma voz preocupada.
“C-calma. Esse monstro é um fracote. Se você mirar na parte branca pouco abaixo da flor, pode
vencê-lo...”
“M-mas ele é nojento...!”
“Se você acha ele nojento, então vai ser complicado. Tem um monstro com muitas flores, um que
se parece com uma planta carnívora, e até tem um com vários tentáculos grudentos...”
“Kyaa...!”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


29 Sword Art Online – Aincrad

Enquanto gritava para Kirito, Silica ativou uma habilidade, mas, é claro, ela só cortou o ar. Durante
o curto tempo de recarga após a técnica, os dois tentáculos envolveram as duas pernas de Silica e
a levantaram com uma força surpreendente.
“Aaah!?”
Silica se viu pendurada de cabeça para baixo com sua visão invertida enquanto sua saia, fiel à lei
da gravidade, mesmo que virtual, caia.
“Heeein!?”
Ela rapidamente pressionou a barra de sua saia e tentou cortar a vinha. Mas como ela estava em
uma posição estranha, não deu muito certo. Silica gritou com o rosto enrubescido:
“K-Kirito-san, socorro! Me ajude, mas não olhe!”
“I-Isso é um tanto complicado.”
Com sua mão esquerda cobrindo seus olhos, Kirito respondeu com uma expressão desconfortável
enquanto a grande flor continuava a balançar Silica de um lado para o outro.
“Para!”
Silica não teve escolha além de soltar sua saia, agarrar na videira e cortá-la. A parte de trás do
cabo da flor chegou ao seu alcance enquanto caia, e ela iniciou uma habilidade. Desta vez acertou
na mosca, e a cabeça da flor caiu, seu corpo todo explodiu e desapareceu. Silica aterrissou
levemente no meio da chuva de polígonos fragmentados e perguntou para Kirito assim que se
virou.
“...Você viu?”
O espadachim preto olhou para Silica pelas frestas entre seus dedos e respondeu:

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


30 Sword Art Online – Aincrad

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


31 Sword Art Online – Aincrad

“...Não vi.”

Eles passaram por mais cinco batalhas para se acostumarem com os monstros antes de
acelerarem o ritmo, embora ela tenha quase desmaiado quando um monstro que se parecia com
uma anêmona do mar agarrou-a com seus tentáculos grudentos.
Kirito não participou muito das batalhas e na maior parte só serviu de suporte pra Silica,
ocasionalmente bloqueando ataques quando Silica se encontrava em perigo. A experiência do
grupo era dividido segundo o dano que cada membro dava ao monstro. Como ela estava
derrotando monstros de nível mais alto, também ganhou pontos de experiência muito mais rápido
que o normal e subiu para o próximo nível rapidamente.
Enquanto eles continuavam seguindo a estrada de tijolos vermelhos sem fim, uma ponte que
cruzava um pequeno córrego apareceu. Além dela, dava para ver uma grande colina, e o caminho
parecia levar a seu topo.
“Esse é o Monte das Memórias.”
“Não parece ter nenhuma bifurcação.”
“Sim. Só temos que continuar, então sem preocupações sobre se perder. Mas dizem que tem
vários monstros. Vamos com cuidado.”
“Tá bom! “
“Logo, logo poderei reviver Pina.” Quando pensou isso, ela apressou os passos automaticamente.
Quando começaram a subir o caminho cheio de flores, eles se depararam com mais monstros,
como Kirito havia dito. Monstros do tipo flor eram gigantescos, mas a adaga negra de Silica era
muito mais forte do que ela imaginara, permitindo-a derrotá-los com um só combo.
Mas a habilidade de Kirito era ainda mais surpreendente.
Ela tinha pensado que ele era um espadachim de nível bastante alto após vê-lo derrotar dois
Símios Ébrios com só um ataque de sua espada. Mas mesmo após subir vinte andares, ele ainda
não havia perdido sua compostura uma única vez. Quando um grande número de monstros
aparecia, ele ajudava Silica destruindo quase todos os monstros, deixando apenas um para ela.
Enquanto continuavam, Silica não pôde evitar se perguntar o que um jogador tão forte fazia no
andar 35.
Baseado no que ele disse, parecia que ele tinha algo para fazer na Floresta da Perambulação. Mas
ela não sabia da existência de qualquer item raro ou monstros fortes lá.
“Vou perguntar a ele depois dessa aventura.” Silica pensou enquanto balançava sua adaga; mas,
mesmo após fazer isso, o estreito caminho começou a ficar gradualmente mais íngreme.
Conforme eles derrotavam os cada vez mais agressivos monstros e atravessavam a densa área
florestal...
Eles chegaram ao topo do monte.
“Ahh...!”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


32 Sword Art Online – Aincrad

Silica se segurou enquanto avançava alguns passos e exclamou.


Jardim Celeste… era um lugar que realmente fazia jus ao nome. A clareira cercada por uma densa
floresta estava cheia de flores disputando espaço entre si conforme floresciam.
"Finalmente chegamos.”
Kirito disse enquanto caminhava até Silica e guardava sua espada.
“A flor... está aqui...?”
"Sim. Tem uma pedra no meio e em cima dela...”
Silica já estava correndo antes de Kirito terminar de falar. Ela definitivamente podia ver uma pedra
branca brilhando no meio dos canteiros de flores. Ela correu em direção a ela, arfando, e então
examinou cuidadosamente a face da pedra que chegava até seu peito.
“Hã...?”
Mas não tinha nada lá. Só tinha um pequeno tanto de grama no meio de uma reentrância da
pedra, não tinha nada que pudéssemos chamar de flor.
“N...não está aqui, Kirito-san!”
Ela gritou para Kirito, que correu até ela. Lágrimas começaram aparecer em seus olhos.
“Não tem como... Ah, olha.”
Silica seguiu o olhar de Kirito e olhou para a pedra. Então...
“Ah...”
Um pequeno broto cresceu no meio da grama macia. Enquanto ela olhava para ele, o sistema de
foco se ativou e o broto ficou mais detalhado. Duas folhas brancas se abriram e um botão e
pedúnculo saíram de dentro.
O pedúnculo cresceu num piscar de olhos, como naquele vídeo que ela assistiu durante uma aula
de ciência anos atrás, e então, um pequeno botão apareceu no fim dele. O pequeno botão em
forma de gota de chuva emitiu um brilho branco de dentro.
Enquanto Kirito e Silica assistiam quase sem respirar, o fim do botão começou a se abrir e então,
com um som de sino, abriu completamente. Uma pequena luz dançou pelo ar.
Os dois simplesmente assistiram a flor branca crescer sem mover um fio de cabelo. Sete pétalas
surgiram com o esplendor de uma estrela, e uma luz brilhou levemente do centro da flor,
misturando-se com a do céu.
Silica olhou para Kirito, sentindo que não deveria tocar na flor. Kirito deu um leve sorriso e
assentiu.
Silica assentiu em resposta e então estendeu a mão direita para a flor. No momento que ela a
tocou, o pedúnculo, que parecia ser tão fino quanto um fio de seda, se quebrou como se fosse
feito de gelo, e só a flor restou em sua mão direita. Ela tocou gentilmente nela enquanto respirava
devagar. Uma janela de nome apareceu sem fazer som algum, nela estava escrito Flor do Sopro
Vital.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


33 Sword Art Online – Aincrad

“Agora... podemos reviver Pina...”


“Sim. Você só tem que derrubar a gotícula de água dentro flor sob o item da alma da Pina. Mas
tem muitos monstros fortes aqui, então seria melhor fazer isso após voltarmos para o vilarejo.
Vamos esperar mais um pouco e voltar.”
“Tá!”
Silica assentiu e abriu a janela principal antes de colocar a flor nela. Ela conferiu que estava em seu
inventário antes de fechar a janela.
Na verdade, Silica queria usar o cristal de teletransporte e voltar imediatamente, mas se segurou e
começou a caminhar. Era praticamente uma regra: nunca use o caro cristal de teletransporte a
menos que esteja em uma situação real de perigo.
Por sorte, eles não se depararam com tantos monstros na volta e logo chegaram ao córrego após
descer em um ritmo acelerado.
“Poderei rever a Pina em uma hora no máximo...”
Ela abraçou seu peito, que parecia que iria explodir, e quando estava para cruzar a ponte...
Kirito agarrou o ombro dela de repente. Ela olhou de volta, seu coração batia rápido, e ela viu
Kirito encarando o denso grupo de árvores sob a ponte com uma expressão assustadora.
Ele então abriu sua boca e falou em uma voz baixa e tensa.
“Ei, vocês esperando para dar uma emboscada, apareçam imediatamente.”
“Como...!?”
Silica olhou rapidamente para o outro lado, mas não pôde ver ninguém. Após alguns segundos
tensos se passarem, as folhas começaram a se mover com um som de farfalhar. Cursores
representando jogadores apareceram. Eles estavam verdes, então não eram criminosos.
E, para sua surpresa, Silica conhecia a pessoa que apareceu do outro lado da pequena ponte.
Com cabelos e lábios vermelho fogo, a lanceira vestia uma armadura preta que brilhava como
esmalte e segurava uma lança em forma de cruz.
“R-Rosalia-san...?! Por que você está...”
Rosalia deu um sorriso torto e ignorou a pergunta de Silica que estava com os olhos arregalados
de surpresa.
“E pensar que você descobriria meu esconderijo; parece que sua habilidade de escanear é bem
alta, espadachim. Será que o subestimei um pouco?”
Então ela se virou para Silica.
“Parece que você conseguiu a Flor do Sopro de Vida. Parabéns, Silica.”
Silica recuou alguns passos; ela não conseguia entender as verdadeiras intenções de Rosalia. Ela
tinha um péssimo pressentimento sobre tudo isso.
Rosalia não traiu suas expectativas e começou a falar logo em seguida:

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


34 Sword Art Online – Aincrad

“Entregue a flor agora.”


Silica não sabia como responder.
“Hã...?! Como... como assim...?”
Então, Kirito, que estava quieto até agora, deu um passo para frente e abriu a boca:
Não posso permitir, Rosalia-san. Não... devo chamá-la de líder da guilda laranja Punho do Titã.
As sobrancelhas de Rosalia se contorceram, e o sorriso desapareceu de seu rosto.
Em SAO, jogadores que cometem atos julgados como criminosos, como roubar, ferir outros
jogadores ou matá-los, tem seus cursores com a cor mudada de verde para laranja. Portanto,
pessoas se referem a esses criminosos como jogadores laranja e uma guilda formada só por
jogadores assim como guilda laranja. Silica sabia disso, mas ela nunca os vira antes.
Porém, o cursor de Rosalia, que estava bem na frente de seus olhos, era verde, não importa o
quanto ela olhasse para ele. Silica olhou para Kirito, ao lado dela, e perguntou em uma voz seca:
“Ei... mas... veja... o cursor dela tá verde...”
“Tem muitas ocasiões em que nem todos os jogadores de uma guilda podem ser laranja. Os
membros verdes procuram a presa e se escondem em seus grupos antes de enganá-los para trazê-
los ao ponto de emboscada. A pessoa que estava nos escutando ontem deve ser um membro do
grupo dela também.
“O-o quê...”
Silica olhou para Rosalia com choque e asco.
“E-então o motivo pelo qual ela esteve num grupo conosco nas últimas duas semanas foi...”
Rosalia sorriu venenosamente outra vez e falou.
“Bingo. Para conferir a força do grupo e ao mesmo tempo esperar que eles fiquem cheios da grana
que conseguirem com suas aventuras. Na verdade, eu ia dar conta deles hoje.”
Ela lambeu os lábios enquanto olhava pra Silica.
“Fiquei imaginando por que a presa que eu mais queria caçar fugiu do nada, quando soube que
você ia atrás de um item raro. Flor do Sopro de Vida é bem cara hoje em dia. Reunir informação é
importante, sabe.”
Então ela parou de falar por um instante, olhou para Kirito e deu de ombros.
“Mas ei, espadachim, você estava brincando com ela mesmo sabendo disso? É um cabeça oca,
hein? Ou você se apaixonou por ela pra valer?”
O rosto de Silica ficou vermelho de fúria com os insultos de Rosalia. A mão dela se moveu para a
adaga, mas Kirito agarrou seu ombro.
“Não, nada disso.”
Kirito disse com uma voz fria.
“Eu estava procurando por você, Rosalia-san.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


35 Sword Art Online – Aincrad

“...Como assim?”
“Você atacou a guild Estandarte Prateado há dez dias no andar 38, não foi?
Aquela onde quatro membros morreram e só o líder sobreviveu.
“Ah, aqueles pedintes?”
Rosalia nem piscou enquanto assentia.
“Aquele líder... estava chorando o dia todo atrás de alguém para vingar seu time na praça central
das linhas de frente.”
Uma frieza aterradora podia ser sentida das palavras de Kirito. Era como uma lâmina de gelo
sendo afiada para cortar tudo que se aproximava.
“Mas quando escutei o pedido dele, descobri que ele não queria matar você. Só queria que eu
jogasse todos vocês na prisão do Castelo de Ferro Negro... você consegue entender como ele se
sentiu?”
“Nem.”
Rosalia respondeu como se não desse a mínima.
“O que foi? Qual é a da cara séria? Você é retardado? Não existe evidência de que quem morre
aqui morre na vida real. Além do mais, isso não quer dizer que seremos considerados criminosos
quando voltarmos para o mundo real. Nem sabemos se voltaremos, e você está aqui falando
sobre justiça e regras. Sem graça. Odeio caras que nem você mais do que tudo. Pessoas que
trouxeram consigo alguma lógica estranha quando vieram para este mundo.”
Os olhos de Rosalia se encheram de fúria.
“E você está falando que levou mesmo a sério as palavras de um carinha que não consegue nem
cair morto direito e veio procurar a gente? Mas você é um desocupado, viu. Bem, reconheço que
caí na isca. Mas... acha mesmo que pode fazer algo só com vocês dois?”
Um sorriso sádico apareceu em seu rosto, e ela acenou com a mão duas vezes.
Naquele momento, as árvores em ambos lados do caminho que levava direto para a ponte
balançaram violentamente e mais pessoas saíram delas. Cursores surgiam um atrás do outro no
campo visual de Silica. A maior parte era laranja. Os números chegavam a dez. Se eles tivessem
cruzado a ponte sem notar a emboscada, então estariam cercados. Tinha um outro verde entre os
laranjas... seu cabelo espetado deixou claro que era o cara que eles viram ontem na pousada.
Todos os bandidos que apareceram eram jogadores masculinos usando roupas espalhafatosas.
Todos tinham acessórios prateados e equipamentos secundários presos pelo corpo todo.
Silica se escondeu atrás do sobretudo de Kirito conforme sentia desgosto. Ela sussurrou
silenciosamente:
“K-Kirito-san... eles são muitos. Temos que fugir...!”
“Está tudo bem. Apenas deixe seu cristal preparado até eu te mandar fugir.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


36 Sword Art Online – Aincrad

Kirito respondeu com uma voz calma, acariciou o cabelo de Silica e então caminhou para o outro
lado da ponte. Silica ficou parada lá, chocada. Era imprudência demais. Ela pensou nisso e o
chamou:
“Kirito-san...!”
Assim que a voz dela ecoou pelo campo…
“Kirito...?”
Um dos bandidos murmurou. Seu sorriso sumiu, e ele franziu o cenho, seus olhos se moveram de
um lado para o outro, como se tentasse se lembrar de algo.
“Essas roupas... a espada de uma mão e sem escudo... o Espadachim Negro...?
Seu rosto ficou pálido conforme ele deu um passo para trás.
“Isso é sério, Rosalia-san! Esse maldito... é um beater e... um clearer!”
Com as palavras dele, a expressão de todos os outros membros ficou dura com o choque. Silica
também ficou surpresa. Totalmente surpresa, ela só olhava para as costas de Kirito, sem ação.
Ela soube que ele era um jogador de alto nível após assisti-lo lutar. Mas nunca nem sonhou que
ele era um dos Clearers, o grupo de elite formado por jogadores top de linha que iam aos
calabouços da linha de frente, onde ninguém nunca colocara os pés antes, e até derrotavam
chefes. Ela sabia que eles se concentravam somente em zerar SAO, e era difícil sequer vê-los nos
andares medianos...
Até Rosalia ficou com sua boca aberta por alguns segundos antes de voltar a si e gritar:
“P-por que diábos um clearer estaria por aqui?! Ele provavelmente só se chamou disso pra nos
assustar! Ele só tá fazendo cosplay. E... mesmo se realmente fosse o Espadachim Negro, deveria
ser moleza derrotá-lo com esse tanto de gente!
Como se suas energias tivessem voltado com esse comentário, o grande usuário de machado na
frente dos jogadores laranja gritou:
“I-isso aí! Se ele for um clearer, então deve ter muitos itens e dinheiro também, né?! Ganhamos
na loteria!”
Todos os bandidos concordaram e puxaram suas armas. Os metais brilhavam com uma luz
abominável.
“Kirito-san... é impossível vencer, fuja!”
Silica gritou desesperada com o cristal firmemente apertado em sua mão. Como Rosalia disse, ele
não conseguiria vencer contra tantos inimigos, não importa o quão forte fosse. Mas Kirito não se
moveu, ele nem puxou sua lâmina.
Eles pareceram ter tomado isso como uma forma de renúncia; os nove jogadores, tirando Rosalia
e os outros jogadores verdes, todos puxaram suas armas e correram disputando para alcançar
Kirito primeiro. Eles cruzaram a pequena ponte e então...
“Aaaah!”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


37 Sword Art Online – Aincrad

“Morraaaa!”
Cercaram Kirito, que estava com a cabeça abaixada, em um meio círculo antes de todos atingirem-
no com suas armas. O corpo de Kirito balançou violentamente com a força dos nove ataques.
“Não...!”
Silica gritou enquanto cobria seu rosto com as mãos.
“Não! Parem! Kirito-san vai… m-morrer!”
Mas eles não escutaram.
Alguns riram maniacamente, enquanto outros continuaram xingando enquanto atacavam Kirito
como se estivessem intoxicados pela violência. Rosalia, parada no meio da ponte, não pôde
controlar sua excitação enquanto via a tragédia e lambia seu dedo.
Silica secou suas lágrimas e pegou o punho da adaga. Ela sabia que não poderia fazer nada mesmo
se caísse dentro, mas não podia só ficar lá parada assistindo também. Então, quando ela ia dar um
passo em direção a Kirito, ela notou algo e parou.
A barra de HP de Kirito não estava diminuindo.
Ou melhor, estava meramente caindo um tiquinho, apesar dos golpes que choviam. E mesmo
assim ela se enchia de volta após alguns segundos.
Os bandidos finalmente notaram que o espadachim negro perante eles não mostrava sinal de cair
e ficaram confusos.
“O que vocês estão fazendo!? Matem-no!”
Os golpes continuaram vindo por mais alguns segundos com a ordem ansiosa de Rosalia. Mas
nada mudou.
“Ei... que diábos é isso?”
Uma pessoa fez um rosto como se tivesse visto algo sobrenatural antes de parar de se mover e
recuou. Sua surpresa se espalhou rapidamente para os outros oito, que pararam de atacar e
aumentaram distância entre eles e Kirito.
O silêncio reinou e, no meio de tudo, Kirito levantou a cabeça lentamente. Uma voz quieta ecoou.
“Aproximadamente 400 a cada 10 segundos? Isso é tudo que vocês nove conseguem fazer em
mim. Estou no nível 78 e meu HP é de 14.500... soma-se a isso que eu recupero 600 pontos a cada
10 segundos com a Cura de Batalha. Vocês todos não conseguiriam me vencer nem se continuasse
atacando por horas.”
Os bandidos ficaram lá parados, com os queixos caídos, em choque. Eventualmente, o espadachim
de duas mãos, que parecia ser o vice-líder, disse com uma voz seca.
“Is... isso é permitido...? Não faz sentido algum, droga...”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


38 Sword Art Online – Aincrad

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


39 Sword Art Online – Aincrad

“Né.”
Kirito começou.
“Apenas uma diferença de números cria uma disparidade absurda de força, essa é a parte
irracional do sistema de níveis em MMORPGs!”
Os bandidos recuaram, como se tivessem sido intimidados pela voz de Kirito, que parecia
esconder algo. Seus rostos surpresos foram substituídos por olhares de terror.
“Tch.”
Rosalia cuspiu e pegou um cristal de teletransporte do seu quadril. Ela o levantou alto e abriu sua
boca:
“Teletransporte...”
Antes que conseguisse terminar a frase, o ar pareceu vibrar por uma fração de segundo, e Kirito
estava parado em frente a ela.
“Argh...”
Enquanto Rosalia estava paralisada, Kirito pegou o cristal de suas mãos, agarrou-a pelo colarinho e
arrastou-a para junto dos outros bandidos.
“M-me solta! O que você quer, seu maldito!”
Kirito jogou-a em direção ao grupo de bandidos, que só estava parado lá aturdido, e começou a
inspecionar sua bolsa sem dizer nada. O cristal que ele tirou também era azul. Mas a cor era muito
mais intensa que a de um cristal de teletransporte.
“A pessoa que me pediu para fazer isso comprou este cristal de passagem com todo o dinheiro
que tinha. Ele disse que marcou a área da prisão do Castelo de Ferro Negro como a saída. Então
transportarei vocês todos para a prisão, e o Exército poderá assumir a partir de lá.
Rosalia, que estava sentada no chão, ficou quieta por um tempo antes de sorrir como se fosse um
blefe.
“E se eu disser que não quero?”
“Então vou matar cada um de vocês.”
O sorriso dela congelou ao escutar a resposta curta de Kirito.
“...É o que eu gostaria de dizer, mas se for o caso, vou simplesmente usar isto.”
Kirito pegou uma pequena adaga de dentro de seu sobre tudo. Dava para ver um líquido
vagamente verde na superfície da lâmina se a examinasse cuidadosamente.
“Veneno paralítico. É um veneno de nível cinco, então vocês não serão capazes de se mover por
uns dez minutos. Será o bastante para jogar todo mundo na passagem... vá de livre e espontânea
vontade ou envenenado e forçado a ir. Pode escolher.”
Ninguém estava blefando. Após ver todos abaixarem suas cabeças em silêncio, Kirito abaixou a
faca, levantou seu cristal azul escuro para cima e então gritou.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


40 Sword Art Online – Aincrad

“Abrir passagem!”
O cristal se partiu em um instante, e um redemoinho de luz apareceu.
“Merda...”
O rapaz alto usuário do machado caminhou para a passagem com seus ombros tremendo. O resto
dos jogadores laranja desapareceu dentro da luz um a um, alguns quietos, outros xingavam alto
enquanto entravam. Após os jogadores verdes que reuniam informação os seguirem, a única
pessoa que restou foi Rosalia.
A bandida ruiva nem tentou se mover após todos os seus companheiros desaparecerem no
corredor. Ela se sentou com as pernas cruzadas e olhou para Kirito, como se o desafiasse.
“Pois bem. Pode vir se quiser. Você vai virar laranja se ferir um verde...”
Kirito agarrou o colarinho dela antes da mulher terminar de falar.
“Já vou dizendo: Sou um jogador solo. Ficar com o cursor laranja por um dia ou dois não significa
nada pra mim.”
Kirito jogou friamente na cara dela antes de arrastá-la para a passagem. Rosalia resistiu enquanto
agitava os braços e pernas.
“Espera, para, por favor! Me perdoa! Hein?! …Ah, é, você… não quer trabalhar comigo? Podemos
acabar com qualquer guilda com suas habilidades...”
Ela nunca terminou sua frase. Kirito jogou Rosalia de cabeça na passagem. Após desaparecer, a
passagem brilhou com força por um instante e desapareceu.
Tudo ficou calmo novamente.
O campo de flores que era cheio de sons naturais, o chiar dos pássaros e o barulho da água
correndo, ficou tudo quieto novamente, como se nada tivesse ocorrido. Mas Silica não podia se
mover. A surpresa que a verdadeira identidade de Kirito a causou, seu alívio no desaparecimento
dos bandidos, todas essas emoções vieram de uma vez, deixando-a incapaz de abrir a boca.
Kirito inclinou a cabeça e silenciosamente assistiu Silica por um tempo, antes de finalmente falar
algo, quase sussurrando:
“…Desculpe, Silica. Parece que acabei te usando como isca. Considerei contar isso de antemão
para você... mas pensei que você ficaria assustada, então não o fiz.”
Silica tentou desesperadamente balançar a cabeça, mas não conseguiu. Incontáveis ideias
passavam por sua mente ao mesmo tempo, deixando-a sem ação.
“Vou levá-la até o vilarejo.”
Kirito disse isso e começou a caminhar. Silica conseguiu de algum jeito se forçar a falar para as
costas dele.
“Minhas... minhas pernas não se movem...
Kirito olhou para trás e ofereceu sua mão direita com um sorriso, Silica só pode finalmente sorrir
quando segurou a mão dele.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


41 Sword Art Online – Aincrad

Os dois continuaram em silêncio quase total até chegarem à Taberna Cata-Vento no andar 35.
Silica queria dizer muita coisa, mas não conseguia falar, como se tivesse algo prendendo sua voz.
Quando eles subiram até o segundo andar e entraram no quarto de Kirito, a luz vermelha do pôr-
do-sol já entrava pela janela. Silica finalmente conseguiu falar com uma voz trêmula com Kirito,
que parecia ter virado um vulto preto por causa da luz.
“Kirito-san... você vai embora...?”
Após um longo silêncio, o vulto assentiu.
“Sim... já me afastei das linhas de frente por cinco dias contando com hoje. Preciso voltar para
ajudar a zerar o jogo o mais rápido possível.”
“Acho que é isso mesmo, né...”
Na verdade, Silica queria lhe pedir que a levasse com ele.
Mas ela não podia.
Kirito estava no nível 78. Ela estava no nível 45. A diferença de 33 níveis estava dolorosamente
clara. Se ela seguisse Kirito até as linhas de frente, Silica só seria fatiada em um instante. Embora
eles tenham entrado no mesmo jogo, uma parede mais alta que qualquer coisa no mundo real os
separava em realidades diferentes.
“E-eu...”
Silica mordeu o lábio e tentou desesperadamente segurar as emoções que ameaçavam
transbordar; duas lágrimas, representando esses sentimentos, se formaram e caíram por suas
bochechas.
De repente, ela sentiu Kirito colocar as mãos em seus ombros. Uma voz baixa e gentil sussurrou ao
lado dela:
“Níveis são apenas números. A força neste mundo não é nada mais do que uma ilusão. Tem coisas
bem mais importantes do que isso. Então, vamos nos encontrar novamente no mundo real. Se
conseguirmos, seremos amigos de novo.”
Silica na verdade queria se inclinar contra o peito negro à sua frente. Mas enquanto sentia as
palavras de Kirito aquecerem seu coração quase explodindo, notou que não deveria esperar mais
nada dele. Ela fechou os olhos e murmurou:
“Tá bom. É-é uma promessa.”
Ela se separou de Kirito, olhou para seu rosto e finalmente conseguiu sorrir de verdade. Kirito
sorriu também e disse:
“Vamos reviver a Pina.”
“Sim!”
Silica concordou e acenou sua mão direita para chamar a janela principal. Ela rolou os dedos pelos
itens no inventário e pegou a «Alma de Pina».

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


42 Sword Art Online – Aincrad

Ela colocou a pena azul que apareceu da janela na mesa de café e tirou a Flor do Sopro de Vida
também.
Com a flor branco-pérola em sua mão, ela fechou a janela e olhou para Kirito.
“Tudo que você tem que fazer é derrubar a gotícula d’água da flor sobre a pena. Assim que o fizer,
Pina voltará.”
“Certo...”
Enquanto olhava a pena azul-celeste, Silica sussurrou em sua mente.
“Pina… tenho muita coisa pra contar. Sobre a incrível aventura que tive hoje... e sobre
a pessoa que salvou você, que se tornou meu irmão mais velho só por um dia.”
Com lágrimas nos olhos, Silica inclinou a flor em sua mão direita para a pena.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


43 Sword Art Online – Aincrad

Capítulo 2 – O calor do coração (Andar 48, junho de 2024)


A gigante roda de água girava levemente, enchendo a loja com um som calmo.
Apesar de esta ser só uma pequena casa para a classe-suporte entre as casas exclusivas de
jogadores, ela custou bastante por causa da roda de água. Quando eu achei essa casa no distrito
principal do andar 48, Lindus, meu pensamento repentino foi “é essa”, justamente antes do seu
preço me horrorizar.
Desde aquele momento, eu comecei a trabalhar como louca, pedi dinheiro emprestado várias
vezes, e consegui acumular três milhões de Col com somente dois meses. Se esse fosse o mundo
real, meu corpo estaria coberto de músculos por todas as vezes que tive que balançar meu
martelo e minha mão direita estaria cheia de calos.
Porém tudo isso valeu a pena, pela razão de dar um passa à frente dos meus competidores e abrir
a Loja de armas especiais Lisbeth nessa casa com a roda de água. Se passaram três meses desde a
fresca primavera.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


44 Sword Art Online – Aincrad

Parte 1
Depois de rapidamente beber meu café – Obrigada Deus, isso é Aincrad – enquanto escutava a
roda de água como se seus sons fossem um som de fundo, eu coloquei meu uniforme de ferreiro e
observei minha imagem completa no espelho que estava na parede.
Apesar de ter chamado de um uniforme de ferreiro, não era nada parecido com um macacão, mas
na verdade, era mais como um uniforme de garçonete: um top vermelho escuro com mangas
inchadas e saia alargada da mesma cor, mais um avental branco puro sobre tudo isso e uma fita
vermelha para o meu peito.
Não fui eu quem escolheu essas roupas; na verdade foi uma amiga minha que também era uma
cliente regular. Ela me disse: “Você tem um rosto de bebê, roupas tão rígidas não vão lhe cair
bem.”
Bem, isso foi o que ela disse, e eu retruquei com: “Cuida da sua própria vida!”, mas as vendas
duplicaram depois que eu comecei a usar esse uniforme, então eu não tive escolha a não ser usa-
lo.
O conselho dela não parou nas minhas roupas, mas fui ao meu cabelo também; agora era uma
personalização para eu ser extremamente rosa e fofa. Mas, baseado nas respostas dos clientes,
parecia que esse visual me caiu bem.
Eu, o ferreiro Lisbeth, tinha quinze anos quando entrei pela primeira vez em SAO. Eu ouvia no
mundo real que eu parecia mais jovem do que eu realmente era, mas isso se tornou ainda mais
frequente neste mundo. Quando olhei meus cabelos cor de rosa, olhos azuis grandes e pequenos
lábios combinados com o avental antiquado, meu reflexo no espelho parecia quase com uma
boneca.
Desde que eu era uma estudante do ensino médio no outro mundo eu não tinha interesse na
moda, e isso cresceu ainda mais. De alguma forma, eu tinha me acostumado com a minha
aparência, mas como minha personalidade não muda tão facilmente, eu assustei alguns clientes
com minhas explosões de vez em quando.
Eu chequei se tinha alguma coisa que eu esqueci de equipar antes de ir para a frente da loja e virar
o letreiro de Fechado. Olhei para os poucos jogadores que estavam esperando a loja abrir, então
mostrei meu melhor sorriso e os cumprimentei.
“Bom dia! Sejam bem-vindos!”
Na realidade, não fazia muito tempo desde que eu era capaz de fazer isso com naturalidade.
Dirigir uma loja havia sido um antigo sonho meu, mas fazê-lo em um jogo era bem diferente de
fazê-lo no mundo real. Eu experimentei em primeira mão o quão difícil era a recepção e serviço
quando comecei como uma vendedora ambulante com uma pousada como minha base.
Como manter um sorriso era muito difícil, decidi ganhar através da qualidade, e parece que subir o
nível das minhas habilidades de ferreiro como louca foi a resposta, já que muitos dos meus
clientes frequentes continuaram comprando minhas armas, incluindo depois de eu abrir esta loja.
Depois de eu terminar de cumprimenta-los, eu deixei a recepção com minha empregada NPC e
voltei para a oficina que ficava junta da loja. Haviam cerca de 10 itens que precisavam ser feitos
para os pedidos de hoje.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


45 Sword Art Online – Aincrad

Assim que eu puxei a alavanca na parede, os foles começaram a usar o poder mecânico da roda de
água para soprar ar no forno e o polidor começou a girar. Eu peguei um item de metal caríssimo
no meu inventário e o coloquei no forno, que havia começado a esquentar. Depois de esquentar o
metal o suficiente, eu o movi para a bigorna com um par de pinças. Eu me ajoelhei em um joelho e
peguei meu martelo, então chamei o menu e escolhi o item que eu queria fazer. Agora tudo que
eu tinha que fazer era golpear o pedaço de metal pelo designado número de vezes e o objeto
seria forjado. Isso não requeria técnica alguma e a qualidade da arma resultante era aleatória;
mas eu achava que o resultado final dependia do quanto eu me concentrava, então eu enrijeci
todos os meus músculos e levantei o martelo lentamente. Então, justo quando eu estava pronta
para golpear o metal...
“Ei, liz!”
“Ahh!”
A porta da oficina se abriu ruidosamente e eu falhei: no lugar do metal, golpeei a bigorna com um
patético ruído metálico e um monte de faíscas voaram.
Quando levantei minha cabeça, a intrusa estava coçando sua cabeça sorrindo com sua língua para
fora.
“Desculpa, serei cuidadosa na próxima vez.”
“Me pergunto quantas vezes eu já escutei isso... bem, pelo menos foi antes de eu começar.”
Me levantei com um suspiro e coloquei a peça de metal de volta no forno, antes de colocar
minhas mãos em meu quadril e me virar. Então eu olhei para a garota que era um pouco mais alta
que eu.
“...Oi Asuna.”
Minha amiga e cliente regular, a esgrimista Asuna, cruzou o quarto caminhando em minha direção
e se sentou no banco de madeira. Ela então puxou o seu longo cabelo castanho-dourado que
havia passado sobre seu ombro com sua mão. Todos os seus movimentos pareciam brilhar, como
se ela fosse uma estrela do cinema, e isso ainda me assustava, mesmo que eu a conhecesse a
muito tempo.
Também me sentei na cadeira em frente à bigorna e apoiei meu martelo contra a parede.
“Então, do que se trata hoje? Você está aqui bem cedo.”
“Ah, eu quero que você cuide disso.”
Asuna pegou seu florete, com a lamina ainda na bainha, e então o jogou. Eu peguei com uma mão
e o puxei para fora. O florete estava um pouco desgastado pelo longo tempo de uso, mas não
estava ruim o suficiente para a lâmina ter dificuldades em cortar.
“Não está tão ruim, não é mesmo? É um pouco cedo para polir ele.”
“Sim, você está certa. Mas eu quero que tudo esteja brilhando.”
“Hmmm?”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


46 Sword Art Online – Aincrad

Eu olhei para a Asuna atentamente. Seu equipamento de cavaleiro com as cruzes vermelhas sobre
branco e sua mini-saia eram os mesmos de sempre, mas suas botas brilhavam como se fossem
novas e ela até usava um par de brincos de prata.
“Você está agindo estranho... agora que eu penso nisso, hoje é um dia de semana. E quanto a cota
de contribuição da sua guild? Você não disse que vocês estavam levando um grande tempo com o
sexagésimo-terceiro andar?”
Depois de eu dizer isso, Asuna deu um sorriso embaraçado:
“Sim... consegui um dia livre hoje... porque eu tenho uma promessa com alguém hoje mais
tarde...”
“Ohh...!”
Eu cheguei mais perto de Asuna enquanto ainda estava em minha cadeira.
“Me conte mais. Com que você está se encontrando?”
“S-segredo!”
Asuna corou e evitou o meu olhar. Eu cruzei meus braços, assenti, e então falei.
“Ah, eu achei que você estava estranhamente mais brilhante esses dias. Então você finalmente
arranjou um namorado.”
“N-não é bem assim.”
As bochechas dela passaram para um vermelho mais intenso. Ela tossiu e então perguntou me
olhando levemente:
“...Eu estou realmente diferente esses dias?”
“Claro... quando eu conheci você, você só se concentrava em limpar calabouços! Eu pensei que
você era muito rígida, mas então, começando essa primavera, você começou a mudar um pouco;
como descansar da limpeza do jogo em um dia de semana... É uma coisa que você jamais faria
antigamente.”
“C-certo... talvez eu realmente tenha sido afetada...”
“Então, quem é? Alguém que eu conheça?”
“Eu... acho que não... muito provavelmente.”
“Traga ele na próxima vez.”
“Realmente não é assim! Ainda é... bem... algo em um só sentido...”
“Hmm...?”
Nesta hora eu estava realmente surpresa. Asuna era a sub-líder da guild mais forte, KoB, e uma
das cinco garotas mais bonitas em Aincrad. Tinham tantos garotos que queriam a atenção de
Asuna quanto estrelas no céu, mas nunca pensei que o oposto existisse.
“Bem, sabe, ele é realmente uma pessoa estranha.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


47 Sword Art Online – Aincrad

Asuna disse isso com um olhar distante. Ela tinha um sorriso suave em seus lábios. Se isso fosse
um mangá de romance, haveriam pétalas de rosas voando ao fundo exatamente agora.
“Eu diria que ele é imprevisível, ou que ele só faz todas as coisas no seu próprio tempo... apesar de
tudo isso, ele é realmente forte.”
“Oh, mais forte que você?”
“Sim, com certeza. Se nós duelássemos, eu não duraria um minuto.”
“Ohh...! Eu poderia contar o número de pessoas que podem fazer isso com meus dedos.”
Assim que eu comecei a pensar na lista dos membros da vanguarda em minha cabeça, Asuna
começou a balançar seus braços.
“Ah, não imagine ele...!”
“Bem, eu espero ansiosa para vê-lo em breve. E se esse for o caso... eu vou confiar em você para
me trazer publicidade também.”
“Você nunca perde uma chance. Eu vou apresentá-lo... ah, oh! Você deve polir isso logo.”
“Certo, certo. Eu vou deixa-lo pronto agora mesmo, então espere só um momento.”
Eu me levantei com o florete de Asuna em minha mão e caminhei até o polidor giratório no canto
do quarto.
Eu removi a lâmina fina da bainha vermelha. A arma era categorizada como florete com o nome
único Lambent Light. Esta era uma das melhores espadas que eu já fiz. Até se eu usar as melhores
matérias primas, o melhor martelo, a melhor bigorna, e todas as melhores coisas, a qualidade da
arma ainda diferiria por causa do fator aleatório. Assim sendo, eu só seria capaz de fazer uma
espada dessa qualidade a cada três meses ou mais.
Eu lentamente segurei a espada contra o polidor com ambas as mãos. Não havia técnica envolvida
em polir armas também, mas eu não tinha intenção de faltar com atenção.
Eu deslizei a lâmina pelo polidor desde o punho até a ponta da espada. Voaram faíscas enquanto
um som metálico ressoava ao redor, e em pouco tempo, o brilho cintilante voltou à lâmina.
Quando o processo acabou, o florete retornou à sua limpa aparência metálica, brilhando com a luz
do sol da manhã.
Eu cobri a lâmina novamente e joguei de volta para Asuna. Então eu peguei os 100 Col em moedas
de prata que ela me lançou ao mesmo tempo com a ponta dos meus dedos.
“Obrigada!”
“Eu vou lhe pedir para reparar minha armadura depois também... mas eu estou correndo contra o
tempo agora, então tchau!”
Asuna se levantou e colocou o florete em seu cinto de espada ao seu lado.
“Eu quero saber como ele é... talvez eu deva ir junto.”
“Ehh, n-não!”
“Hahaha, eu estou brincando. Mas traga ele junto na próxima vez.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


48 Sword Art Online – Aincrad

“E-em breve.”
Asuna acenou com sua mão e saiu da oficina como se estivesse fugindo. Eu deixei um suspiro
profundo escapar e desmoronei na minha cadeira novamente.
“...Deve ser bom.”
Eu sorri um pouco amargamente pelas palavras que saíram da minha boca.
Um ano e meio se passou desde que eu vim para esse mundo. Por causa da minha personalidade,
eu não perdi tempo, e em vez disso, me dediquei em fazer minha loja florescer; que foi o que me
trouxe tão longe. Mas agora que estabeleci minha loja e já completei minhas habilidades de
ferreiro, eu estava começando a sentir falta da companhia de pessoas de novo, muito
provavelmente porque eu não tinha um objetivo claro.
E como não haviam muitas garotas em Aincrad, alguns rapazes tentaram se aproximar de mim,
mas por alguma razão eu nunca me senti realmente com vontade de responder. Então, quando se
tratava desse assunto, eu sentia inveja de Asuna.
“Me pergunto se uma missão de um Encontro fabuloso virá para mim também...”
Eu resmunguei, então sacudi minha cabeça para me livrar desses estranhos pensamentos e me
levantei. Eu tirei a peça de metal - que estava vermelha de quente agora – para fora da fornalha e
coloquei de volta na bigorna. Eu supus que esse metal seria meu companheiro pelo momento.
Com esses pensamentos me circulando, levantei meu martelo e o deixei cair sobre o metal.
“Hiiyaa.”
O ritmo do som do metal através da oficina usualmente limparia minha mente, mas hoje, por
alguma razão, o peso em meu coração não se foi.
Então, já era a tarde do dia seguinte quando ele visitou minha loja.

Eu terminei todos os pedidos de armas ontem e estava cochilando na cadeira de pedra no terraço
em frente à loja.
Eu estava sonhando. Era um sonho sobre quando eu ainda estava na escola primária. Eu era uma
criança calma e calada, mas eu tinha esse costume de adormecer durante a primeira aula da
tarde. O professor me repreendia por ter a mente nas nuvens.
Naquela época, eu olhava para esse jovem professor que acabara de se graduar na universidade.
Eu ainda me sentia embaraçada por se reprimida, mas, por alguma razão, eu realmente gostava de
como ele me acordava. Ele sacudiria levemente o meu ombro e dizer em uma baixa e calma voz...
“Erm, me desculpe, mas...”
“S-sim, me desculpe!”
“Woah?!”
Eu gritei e pulei. Em minha frente estava um jogador com uma expressão surpresa em seu rosto.
“Hum...?”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


49 Sword Art Online – Aincrad

Eu olhei em volta, nos meus arredores. Não era a sala de aula com filas de cadeiras. As árvores
plantadas ao longo da rua, o canal de água que corria ao lado da grande rua de pedra, a quadra
que estava coberta com grama; era minha segunda casa, Lindus.
Parecia que essa foi a primeira vez que eu tinha sonhado acordada por um tempo. Eu tossi para
afastar meu constrangimento e cumprimentar a pessoa que parecia ser um cliente.
“B-bem-vindo! Você está procurando por uma arma?”
“Bem, sim.”
O garoto assentiu.
Ele não aparentava ser uma pessoa em um nível realmente alto. Ele aparentava ser um pouco
mais velho que eu; cabelo preto com uma camisa simples, calças e botas. O único armamento que
ele tinha era uma espada de uma mão em suas costas. As armas em minha loja requeriam status
alto e eu estava preocupada sobre se ele estava em um nível alto o suficiente, mas eu não deixei
isso transparecer e conduzi ele para a loja.
“O display de espadas de uma mão está aqui.”
Quando eu apontei para o caso das armas básicas, ele sorriu um pouco estranhamente e falou:
“Ah, bem, eu quero pedir uma customizada...”
Eu fiquei ainda mais preocupada. Até a mais barata das armas customizadas, que precisavam de
ingredientes especiais para ser forjada, estava em torno de cem mil Col. Se ele se assustasse com
o preço, então eu também ficaria embaraçada, então eu tentei evitar a situação.
“Os preços dos metais estão um pouco caros agora, então eu acho que isso poderia ser um pouco
caro...”
Eu disse a ele, mas ele disse uma coisa totalmente inacreditável com uma expressão
despreocupada.
“Você não deve se preocupar com o preço. Por favor, só forje a melhor espada que você pode
forjar agora.”
“...”
Eu só olhei para o rosto daquela pessoa por um momento e então de alguma forma consegui abrir
minha boca.
“...Bem, mesmo que você diga isso... eu tenho que ter uma ideia da qualidade...”
Meu tom estava um pouco mais rude que o usual, mas ele não pareceu se importar e
simplesmente assentiu.
“Bem, eu suponho que seja verdade. Então...”
Ele puxou a espada em suas costas, ainda embainhada, e me entregou.
“Que tal uma espada com uma qualidade similar ou melhor que a dessa?”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


50 Sword Art Online – Aincrad

Não parecia com uma espada muito impressionante. Uma espada de um punho com couro preto
enrolada ao redor dele; o punho tinha a mesma cor. Mas quando eu peguei ela com minha mão
direita...
“É pesada!!”
Eu quase deixei cair. O status pré-requerido de força era incrivelmente alto. Como ferreiro e
portadora de clavas, eu estava muito confiante em meu status de força. Mas eu nunca seria capaz
de empunhar essa espada.
Eu hesitantemente puxei ela de sua bainha e a lâmina quase tão negra quanto carbono brilhou. Eu
poderia dizer que ela era uma espada de alta qualidade só com um olhar. Eu cliquei nela com meu
dedo para chamar o menu: categoria Espada longa/Uma mão, nome único Elucidator. Ela não
tinha um nome de fabricante, o que significava que ela não foi resultado do trabalho de um colega
ferreiro.
Você pode separar todas as armas em Aincrad em dois grupos.
Um é Feito por um jogador, que são armas feitas por nós ferreiros. O outro incluía armas que que
alguém ganhou como Recompensa de monstro em uma aventura. É desnecessário dizer, mas
ferreiros não gostão muito de armas de recompensas. Eu nem poderia começar a contar todos os
nomes como Sem nome ou Sem marca que se dava a elas.
Mas essa espada parecia ser um item muito raro entre as recompensas dos monstros. Se você
comparasse a qualidade média de armas feitas por jogadores e recompensas de monstros, o
anterior seria melhor. Mas de vez em quando, Espadas demoníacas, como essa, apareciam... foi o
que eu escutei.
De qualquer forma, meu orgulho agora estava em jogo. Como um ferreiro, não havia como eu
perder para uma recompensa de monstro.
Eu devolvi a espada pesada e trouxe uma longa espada que estava pendurada na parede de trás
da loja. Eu tinha forjado essa espada um mês atrás e ela era a melhor espada que eu tinha feito
até agora. A lâmina que eu puxei da bainha tinha um tom avermelhado, que a fazia parecer ser
coberta por fogo.
“Esta é a melhor espada em minha loja no momento. Ela muito provavelmente não perde para a
sua.”
Ele pegou-a caladamente, balançou ela com uma mão, e então inclinou a cabeça.
“Ela é um pouco leve.”
“...Eu usei um metal de tipo velocidade para ela...”
“Hmm...”
Ele fez uma expressão duvidosa e balançou a espada um pouco mais antes de virar seu olhar para
mim e perguntar.
“Posso testá-la um pouco?”
“Testar o que...?”
“Sua durabilidade.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


51 Sword Art Online – Aincrad

Ele puxou sua espada, que ele esteve segurando em sua mão esquerda, e colocou em cima do
balcão. Ele então ficou de pé diante dela e então lentamente levantou a espada vermelha com seu
braço direito.
Eu entendi o que ele estava prestes a fazer e tentei pará-lo.
“E-espere! Se você fizer isso sua espada vai quebrar!”
“Se ela é uma espada que se quebra tão facilmente então ela é inútil. Se isso acontecer eu vou ter
que lidar com isso então.”
“Isso é...”
Isso é um ato totalmente louco, é o que eu iria dizer, mas eu me parei. Ele segurou a espada acima
da própria cabeça e seus olhos brilharam vivamente.
Logo em seguida, a espada começou a brilhar com uma luz azul.
“Haaah!”
Com um grito, ele baixou a espada com uma velocidade incrível. As duas lâminas se chocaram uma
contra a outra antes mesmo de eu ter tempo para piscar e o impacto rangeu altamente pela loja.
Pelo fato do flash ter sido muito brilhante, eu pisquei os olhos para dar uma olhada, e então
involuntariamente dei um passo para trás...
A lâmina foi quebrada nitidamente em duas e estava completamente destruída.
...A lâmina do meu melhor trabalho.
“AHHHHHHH!!”
Eu gritei e corri para sua mão direita. Eu peguei a metade restando e atentamente examinei ela
por vários ângulos.
...Reparar... era impossível.
Assim que eu cheguei à conclusão e deixei meus ombros caírem, a metade restante se espalhou e
se tornou fragmentos de polígonos. Depois de alguns segundos de silêncio passados, eu
lentamente levantei minha cabeça.
“O q... o q...”
Eu agarrei o garoto pelo colarinho com meus lábios tremendo.
“O que você vai fazer...!? Ela está quebrada...!!”
“M-me desculpe! Eu nunca imaginei que a espada que eu empunhei quebraria...”
...Eu trinquei meus dentes.
“Em outras palavras, você quer dizer que minha espada era mais fraca do que você pensou, é
isso?”
“Eeeh... hummmm... bem, sim.”
“Ah!! Agora você está sendo direto!?”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


52 Sword Art Online – Aincrad

Eu soltei seu colarinho, coloquei minhas mãos em meu quadril, e endireitei meu peito.
“Eu... eu estou lhe dizendo...! Se eu tivesse os materiais certos eu poderia fabricar armas que
quebrariam sua espada quando eu quisesse.”
“...Oh?”
Ele sorriu com as palavras que eu disse pela raiva.
“Então eu realmente gostaria de te pedir para fabricar uma dessas; algo que poderia quebrar essa
espada tão facilmente.”
Ele pegou a espada do balcão e a embainhou. O sangue finalmente correu em minha cabeça e...
“Então é assim que vai ser!? Tudo bem. Então você ajuda também! Comece me ajudando a
conseguir os ingredientes!”
Eu sabia que eu havia cometido um erro, mas não adianta chorar pelo leite derramado. Não havia
como eu voltar agora. Ele ainda não ficou abalado e me analisou rudemente.
“...Bem, eu não me importo, mas não seria melhor se eu fosse só? Seria um problema se você
ficasse no meu caminho.”
“Argh...!!”
E pensar que realmente existia alguém tão bom em mexer com os nervos das pessoas. Eu balancei
meus braços abertamente e protestei como uma criancinha.
“N-não me subestime! Mesmo não parecendo eu sou uma usuária mestre de clavas!”
“Uau!”
Ele assobiou. Agora ele estava só se divertindo às minhas custas.
“Certo então, esperarei ansioso por isso. De qualquer forma, eu vou lhe pagar pela espada que eu
quebrei.”
“Não há necessidade de fazer isso! Só se lembre que se eu fabricar uma espada que seja melhor
que a sua, vou lhe fazer pagar caro!”
“Bem, tanto quanto você quiser... Eu sou Kirito. Eu espero que nós nos dêmos bem juntos até a
espada estar pronta.”
Eu cruzei meus braços e desviei o olhar.
“Espero que nós nos dêmos bem também, Kirito”
“Uah, você já está me chamando pelo meu nome assim? Certo, eu estou bem com isso. Espero
que nos dêmos bem, Lisbeth.”
“Kaaah...!!”
...Essa foi a pior primeira impressão para formar um grupo.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


53 Sword Art Online – Aincrad

Parte 2
Rumores sobre O Metal começaram a circular entre os ferreiros há cerca de 10 dias. Claramente, o
objetivo final de SAO era alcançar o último andar e finalizar o jogo. Mas além disso, tinham
também uma variedade de outras missões: missões de NPCs, missões de guarda, caça de tesouros
e mais. Mas, pelo fato de que recompensa geralmente incluía equipamento desabilitado, muitas
missões tinham um tempo de espera depois de serem completadas antes de voltarem a estar
disponíveis novamente. Tinham até missões que só poderiam ser finalizadas uma única vez, que
realmente chamavam a atenção dos jogadores.
Uma dessas missões foi achada em uma aldeia no canto do quinquagésimo-quinto andar. Um
certo NPC de barba branca, líder da aldeia, diria “Tinha um dragão branco que vivia nas
montanhas do oeste, que comia cristais a cada dia como seu alimento e estocava grandes
quantidades deles para criar um metal extremamente valioso e raro em seu estômago.”. Essa era
obviamente uma missão que premiava materiais incríveis, então, um grande número de pessoas
imediatamente formou um grupo de assalto que seria capaz de facilmente deter o dragão. Mas
eles não ganharam nada. O dragão soltou somente uma pequena quantidade de Col e algum
equipamento de qualidade pobre, que nem sequer reembolsava o custo das poções de vida e
cristais usados.
Depois disso, todos pensaram que o metal tinha apenas uma chance de cair, portanto, muitos
grupos falaram com o ancião e então derrotaram o dragão, mas ninguém encontrou o metal
ainda. Com uma semana, incontáveis dragões brancos foram mortos, mas nem mesmo um único
grupo conseguiu encontrar o metal. Alguém finalmente sugeriu que deveriam haver condições
especiais que eles deveriam saber, então agora todos estavam tentando duramente descobrir o
que eram elas.
Depois de escutar minha explicação, o cara chamado Kirito, quem tomou do chá que eu não
queria fazer, quem sentou em minha cadeira da oficina com suas pernas casualmente cruzadas,
respondeu “Ah...” e assentiu levemente.
“Eu escutei sobre isso também. Parece ter uma chance de adquirir ingredientes raros. Mas até
agora ninguém conseguiu nada, certo? Nós realmente conseguiremos alguma coisa se nós formos
agora?”
“Entre todas as teorias circulando, uma delas diz que O grupo deve ter incluso um ferreiro, porque
não tem muitos ferreiros que tem suas habilidades de combate devidamente treinadas.”
“Então é por isso; na verdade isso soa como se estivesse correto... Se esse é o caso, então nós
deveríamos começar logo.”
“...”
Eu olhei para o rosto de Kirito com raiva.
“Eu estou surpresa por você ter conseguido viver até hoje com tal falta de senso comum. Essa não
é uma caçada de goblins! Nós temos que formar um bom grupo e...”
“Mas se nós fizermos isso, então quando o material cair, tem uma chance de nós não o
ganharmos, certo? Em qual andar o dragão branco fica?”
“...Quinquagésimo-quinto andar.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


54 Sword Art Online – Aincrad

“Heh... Então eu deveria ir só; você não precisa ajudar.”


“...Você é insanamente forte, ou insanamente estúpido? Tanto faz, eu não me importo, a vista de
você chorando enquanto se teleporta deve ser bem interessante.”
Kirito simplesmente riu, terminou o seu chá sem responder e colocou o copo na mesa.
“Eu estou pronto pra sair a qualquer hora; e você, Lisbeth?”
“Ah... esquece, já que de qualquer forma você não vai adicionar um honorífico, só me chame de
Liz... A montanha do dragão branco é muito grande, então nós deveríamos estrar abeis a voltar
hoje. Me deixe fazer algumas preparações simples.”
Depois de abrir uma janela do sistema, eu primeiro coloquei uma simples armadura sobre minha
saia, então confirmei que minha clava estava em meu inventário e tive certeza que eu tinha
poções e cristais o suficiente.
Eu fechei a janela e disse “ok”, então Kirito se levantou. Por sorte, não haviam clientes à vista
quando nós fomos da oficina para a entrada da loja. Eu rapidamente virei a placa da porta.
Eu levantei minha cabeça e olhei para fora; a luz do sol ainda estava forte, então ainda tínhamos
muito tempo antes de escurecer. Se nós trouxéssemos o metal ou não – o último sendo mais
provável, não importa como eu pensasse nisso – eu não queria voltar muito tarde.
Tendo dito isso...
“Como eu vim parar nesta situação estranha...?”
Depois de sair da loja, eu caminhei em direção da praça do portal enquanto pensava
profundamente.
Eu definitivamente tinha uma má impressão do cara vestido de preto andando vagamente ao meu
lado – como deveria ser. Não apenas tudo que ele dizia me deixava brava, ele também era um
megalomaníaco arrogante, e acima de tudo, ele quebrou minha obra-prima.
Mas ainda assim, eu estava caminhado ao lado de um cara que eu acabara de conhecer. Nós até
formamos um grupo e nos preparamos para caçar monstros em outro andar; era como... como
um namo...
Chegando a isso, eu imediatamente me forcei a parar esses pensamentos. Eu nunca tinha
experimentado nada assim até agora. Embora eu estivesse sempre bem perto de jogadores
homens, eu sempre dei desculpas para não sair com eles com em apenas duas pessoas. Eu queria
ter certeza que a primeira pessoa com quem eu me emparelhasse fosse alguém que eu realmente
gostasse, ou foi o que pensei.
Mas quando eu voltei aos meus sensos, eu já estava com esse cara esquisito...
“Como isso foi acabar assim!?”
Completamente consciente do meu conflito interno, Kirito viu um vendedor de alimentos perto da
praça do portal e apressou-se até lá. Quando ele se virou, um cachorro quente enorme já estava
em sua boca. Então ele me perguntou de boca cheia:

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


55 Sword Art Online – Aincrad

“Vosse qué un tamben?”


...Meus pensamentos interiores foram instantaneamente preenchidos com uma sensação de
impotência e eu me senti uma idiota por ser a única a me preocupar com isso. Então eu gritei de
volta:
“Quero!”

O gosto nítido do cachorro quente - mais precisamente, um misterioso alimento com gosto de
cachorro quente – ainda estava em minha boca quando nós alcançamos a aldeia dos rumores no
andar 55.
Nós também não tivemos nenhum problema com os monstros no campo.
Considerando que a linha de frente estava no andar 63 neste momento, os monstros aqui eram
bem fortes. Mas meu nível era quase 65, e aquele fanfarrão do Kirito deveria ser bem forte, então
nós passamos por muito poucas batalhas e quase completamente ilesos.
O único erro foi devido ao tema desse andar envolver campos de neve e gelo...
“Atchim!”
Eu espirrei altamente assim que entramos na pequena vila e relaxei. Pelo fato de todos os outros
andares estarem no início da primavera, eu me tornei muito descuidada. Não somente havia uma
camada de neve no chão daqui, mas todas as construções possuíam grandes caramujos
pendurados nos telhados.
Esse frio de inverno de congelar os ossos fez meu corpo todo tremer como louco. Kirito que estava
parado ao meu lado, colocou uma expressão exasperada no rosto e disse:
“Você não trouxe nenhuma outra roupa?”
“...Não.”
Então, o aparentemente levemente vestido Kirito operou sua janela. Uma capa de couro preto se
materializou, a qual ele colocou sobre minha cabeça.
“...Está tudo bem para você?”
“É tudo questão de força de vontade.”
Cada coisa que esse cara dizia me dava nos nervos. Mas a capa forrada de pelos parecia bem
quente, então eu não poderia resistir e rapidamente a coloquei. Eu deixei sair um suspiro de alívio
quando a dor do frio imediatamente desapareceu.
“Humm... qual você acha que é a do ancião?
Quando Kirito disse isso, eu olhei ao redor da minúscula vila e achai uma casa especialmente larga
através da praça central.
“Deveria ser aquela, certo?”
“Certo.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


56 Sword Art Online – Aincrad

Nos dois assentimos e começamos a caminhar.

Alguns minutos depois...


Como nós previmos, nós encontramos o ancião NPC de barba branca e iniciamos com sucesso a
conversa. Sua história era cheia de detalhes inúteis que começaram com a história da sua infância
chata, depois sua adolescência, e então seus dias difíceis na idade adulta, e então ele
abruptamente mencionou um dragão branco nas montanhas do Oeste. Quando ele finalmente
terminou, a luz laranja do pôr do sol já havia coberto a vila inteira.
Nós deixamos a casa do ancião nos sentindo completamente esgotados. A neve que cobria as
casas estava com um tom laranja pela luz do pôr do sol. Era uma vista incomparavelmente bonita,
e ainda assim...
“...Nunca pensei que apenas receber a missão gastaria tanto tempo...”
“Inacreditável... bem, e agora? Nós deveríamos esperar até amanhã?”
Eu virei minha cabeça e olhei para Kirito.
“Hmmm... eu escutei que o dragão branco é noturno. Essa é a montanha?”
Olhando para a direção que Kirito apontou, eu olhei um pico branco alcançando o céu. Embora eu
diga isso, as limitações estruturais de Aincrad diziam que a altura máxima não pode passar de 100
metros, então escalar a montanha não deveria ser tão difícil.
“Tudo bem, vamos lá então. Eu quero ver seu rosto de choro o quanto antes.”
“Só não fique surpresa com minhas incríveis habilidades de espada.”
Ambos viramos nossos rostos para o outro lado com um “Hmph”. Mas de alguma forma... como
eu deveria dizer? Quando eu estava discutindo com ele, meu coração começava a ficar um pouco
instável...
Eu sacudi minha cabeça fortemente para me livrar desses pensamentos estúpidos e então
comecei a abrir meu caminho através da neve.
Apesar da montanha do dragão branco parecer perigosamente íngreme de longe, nós
descobrimos que ela era na verdade bem fácil de se escalar.
Quando eu pensei sobre isso, vários times improvisados conseguiram realizar isso sem nenhum
problema, então não tinha como isso ser difícil.
Embora já fosse quase noite, o que afeta a força dos monstros que apareciam, o mais forte que
poderia aparecer agora eram esqueletos de gelo chamados Frost Bone. Além disso, monstros do
tipo bone não eram nada para minha clava. Eu simplesmente continuei a esmagar eles com sons
claros e cruéis.
Depois de andar pelos campos cobertos de neve por algumas dezenas de minutos e virar em
direção aos penhascos de gelo, nós havíamos alcançado o topo da montanha.
A parte interior do próximo andar estava extremamente perto. Grandes colunas de pilares de
cristais quebrados se levantavam da espessa camada de gelo. A luz púrpura do pôr do sol refletia

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


57 Sword Art Online – Aincrad

dessas colunas e dispersava as cores do arco-íris do espectro, pintando uma cena que só pode ser
replicada em sonhos.
“Uau...!”
Assim que eu elogiei sem restrições e estava pronta para correr, Kirito agarrou meu colarinho para
me parar.
“Ei... o que você está fazendo!?”
“Ei, fique pronta para usar os cristais primeiro.”
Contra sua expressão extremamente séria, eu só pude assentir mansamente. Eu materializei os
cristais e então coloquei eles no bolso do meu avental.
“E também, isso será perigoso daqui em diante, então seria melhor se eu continuasse só. Quando
o dragão branco aparecer, só se esconda atrás dos pilares de cristal ali e não saia sob hipótese
alguma.”
“...Por quê? Meu nível é bem alto também! Eu quero ajudar também!”
“Não!”
As pupilas negras olhavam fixamente para os meus olhos. No momento em que nossos olhos se
encontraram, eu entendi que essa pessoa estava verdadeiramente preocupada com minha
segurança do fundo do seu coração, então eu deixei sair um grande suspiro e recuei. Eu não disse
nada e simplesmente assenti levemente.
Um sorriso se espalhou através do rosto de Kirito quando ele deu tapinhas de leve em minha
cabeça e disse “Certo, vamos lá.”. Eu só pude permanecer concordando.
Eu senti algo, como se a atmosfera de repente houvesse mudado completamente.
Depois de viajar todo o caminho até aqui com Kirito, poderia ser que meus sentimentos
houvessem mudado? Ou eu fui pega pelo clima...? De qualquer forma, eu completamente não
reconhecia esse encontro como uma ameaça à minha vida.
Mas eu senti que essa pessoa era diferente. Ele tinha um olhar que só alguém que lutou todos os
dias nos lugares mais perigosos poderia ter.
Eu continuei a caminhar com minhas emoções reviradas antes de nós logo chegarmos ao centro
do pico.
Nós rapidamente olhamos em volta, mas não encontramos nenhum sinal do dragão branco. De
qualquer forma, nós olhamos uma área coberta de pilares de cristal...
“Uau...”
Havia um buraco aberto de pelo menos 10 metros de diâmetro. A luz refletida sobre as paredes
alcançava uma certa distância do buraco, enquanto uma escuridão impermeável cobria até as
regiões mais profundas.
“Isso é realmente profundo...”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


58 Sword Art Online – Aincrad

Kirito chutou um pequeno pedaço de cristal dentro do buraco. O cristal caindo brilhou levemente
antes de desaparecer completamente sem nenhum som.”
“Não caia.”
“Como se eu fosse!”
Não muito depois de eu rebater, um grito selvagem e agudo saiu da cratera e se espalhou através
de toda a montanha através do ar que estava manchado de azul pelo sol poente.
“Esconda-se lá!”
Kirito apontou em direção de um gigantesco pilar de cristal perto e falou em um tom de comando.
Eu apressadamente segui suas instruções enquanto acenava exageradamente para a sombra de
Kirito e gritava:
“Ei... os ataques do dragão branco são cortar usando ambas as garras, respiração gélida e ataque
de nevasca... t-tenha cuidado!”
Depois de rapidamente adicionar aquela última frase, eu olhei Kirito, que manteve suas costas em
minha direção pretendendo ser legal e fez um sinal de positivo com seu punho esquerdo. O
espaço em frente dele começou a se agitar e uma grande forma emergiu do buraco.
Vários polígonos enormes apareceram de forma estranha em uma corrente contínua. Quando
aqueles polígonos apareceram... eles começaram a se conectar uns aos outros e a identidade da
grande forma ficou mais evidente. O grito que fazia pessoas tremerem incontrolavelmente
ressoou uma vez mais. Incontáveis fragmentos se espalharam para fora em todas as direções
antes de desaparecer com os raios de luz.
Um dragão branco coberto de fragmentos de gelo com aparência de escamas havia aparecido. Ele
lentamente bateu suas gigantescas asas enquanto estava flutuando nos céus. A situação era
assustadora... ou poderia ser mais apropriadamente descrevida como extremamente linda. Ele
olhou para nós com seus olhos cor de rubi e nos lançou um olhar de desprezo.
Kirito calmamente levou sua mão em direção às suas costas e desembainhou sua espada negra de
uma mão com uma harmonia perfeita. Então, como se o som tivesse enviado um sinal, o dragão
branco abriu sua grande mandíbula... e com um som áspero, borrifou uma onda de gás branco.
“É o sopro! Saia do caminho!”
Apesar de eu ter gritado, Kirito não moveu um dedo. Ele ficou perfeitamente imóvel e se
impulsionou para cima com a espada em sua mão direita.
Não havia modo de tal arma bloquear um ataque de vento...
Assim que eu pensei nisso, a espada começou a girar como um moinho de vento centrado na mão
de Kirito. Em apenas um segundo, a espada atingiu velocidades invisíveis aos olhos humanos e
parecia como se ela tivesse se tornado um escudo de luz.
O sopro de gelo foi diretamente em direção ao escudo de luz que emitia uma atordoante luz
branca, que me forçou a desviar meus olhos. Mas, quando o ar frio bateu na espada-escudo de
Kirito, ele se dispersou como se tivesse evaporado.
Eu rapidamente foquei no corpo de Kirito para confirmar seu HP.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


59 Sword Art Online – Aincrad

Talvez fosse impossível de bloquear completamente o sopro, porque sua barra de vida estava
drenando lentamente. Mas a parte chocante era: o dano recebido havia se recuperado com
apenas alguns segundos. Essa deve ser uma habilidade de um nível bem alto, Cura de Batalha...
mas para conseguir essa habilidade, a pessoa deve receber uma quantidade enorme de dano em
batalha. Considerando os atuais andares, isso era impossível de se fazer sem se pôr em perigo.
“Kirito... quem é ele?”
Só agora eu comecei a pensar seriamente sobre a identidade desse espadachim negro. Seu poder
absurdo fazia ele parecer com um jogador estratégico chave para a vitória. Mas seu nome não
estava entre os nomes na lista da KoB – denominada a aliança dos melhores jogadores.
Nesse momento, Kirito, que precisamente previu o fim do ataque de gelo, fez seu movimento. Ele
estourou através da névoa e saltou em direção ao dragão flutuando no meio do ar.
Normalmente, quando lutando com um inimigo voador, alguém deveria atacar com uma alabarda
ou algum tipo de arma de lançamento; somente depois das armas de longo alcance derrubarem o
inimigo ao nível do chão, os usuários de armas de alcance curto juntariam-se à briga. Mas,
inacreditavelmente, Kirito voou para cima, até ele quase tocar a cabeça do dragão branco, onde
ele iniciou consecutivas combinações de técnicas de espada no meio do ar.
Com um anel afiado, as fortes investidas de Kirito bateram no torso do dragão branco em uma
velocidade mais rápida do que os olhos humanos poderiam acompanhar. Ainda assim o dragão
branco revidou com ambas as suas garras, mas a diferença em suas capacidades era simplesmente
demais.
Quando Kirito desceu lentamente para o solo, a barra de HP do dragão branco já estava abaixo de
um terço.
...Ele estava literalmente solando o dragão. Assistir essa batalha inacreditável fez minha espinha
tremer interminavelmente.
De repente o dragão branco apontou para Kirito, que estava no chão, e soltou sua respiração de
gelo, mas nesse momento Kirito correu para se esquivar do ataque e então ele saltou de volta
para o ar. Com um profundo e pesado som, um único e poderoso ataque atingiu o alvo, e vida do
dragão branco caiu significativamente.
A barra de HP imediatamente mudou do amarelo para o vermelho, e a batalha seria concluída
com um ou dois ataques a mais. Eu decidi que nesse momento eu honestamente elogiaria as
habilidades de Kirito e dei um passo para fora de trás do pilar de cristal.
Nesse momento, como se ele tivesse olhos atrás de sua cabeça, Kirito de repente gritou:
“Idiota! Não saia ainda!”
“O que? Ele está claramente prestes a morrer, não? Só se apresse e termine isso logo...”
Quando eu respondi em voz alta...
O dragão, voando ainda mais alto que antes, expandiu completamente suas asas. Quando suas
asas bateram para frente, a neve diretamente abaixo do dragão veio voando com uma pancada.
“...?”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


60 Sword Art Online – Aincrad

Eu fiquei parada, congelada pelo choque da cena que estava em minha frente. Kirito cravou sua
espada no chão alguns metros em minha frente e moveu sua boca como se ele quisesse dizer
alguma coisa, mas seu perfil estava bloqueado pela neve. Um momento depois uma incrível
pressão, como uma parede de vento, bateu em mim e facilmente me soprou para o ar.
“Droga... o ataque de nevasca!”
Quando eu voei através do ar, eu finalmente relembrei o que eu mesma havia dito sobre os
ataques do dragão branco. Totalmente agradecida, essa habilidade não tinha muito poder de
ataque, então eu praticamente não levei dano. Eu abri ambos meus braços e tomei uma postura
para aterrissar.
Mas quando a neve se dispersou... não havia chão em minha frente.
Era o gigante buraco no topo do pico da montanha. Eu estava estendida no ar diretamente acima
desse enorme buraco.
Meus pensamentos imediatamente pararam; meu corpo inteiro estava completamente
congelado.
“Você só pode estar brincando comigo...”
Com minha mente completamente paralisada, eu só pude soltar essas palavras, enquanto minha
mão direita estava estendida no ar em direção ao vão...
...Uma mão coberta em somente uma luva de couro preto de repente agarrou meus dedos.
Meus olhos desfocados de repente se abriram.
“...!”
Kirito, quem estava confrontando o dragão branco tão longe, correu até aqui em uma velocidade
assustadora e pulou no ar sem hesitação. Ele estendeu sua mão direita para agarrar a minha e
então me puxou para os seus braços. Depois de ele afrouxar seu braço direito para o enrolar ao
redor das minhas costas, ele me abraçou fortemente.
“Segure firme!”
Quando eu escutei a voz de Kirito reverberando ao lada de minha orelha, eu me esqueci de tudo e
abracei fortemente o seu corpo com ambos os meus braços. Nós começamos a cair logo depois.
No centro da abertura do buraco, nós dois caímos diretamente para baixo enquanto nos
segurávamos um ao outro. O vento soprou em nossas orelhas e nossos casacos voaram
violentamente.
Se esse buraco se estendesse para a superfície do andar, então cair dessa altura significava morte
certa. Esses pensamentos de repente passaram através da minha mente, mas eu não senti como
se isso estivesse realmente acontecendo agora. Tudo que eu poderia fazer era permanecer
olhando fixamente para o círculo de luz branca desparecendo.
De repente, a espada empunhada no braço direito de Kirito começou a se mover. Ele levantou a
espada fortemente e então balançou ela para frente. Um raio de luz explodiu, acompanhado pelo
‘clang’ do metal se chocando a outra coisa ecoando alto.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


61 Sword Art Online – Aincrad

A forte contra-força mudou nossa trajetória de queda, nos puxando em direção das paredes do
buraco. As paredes de gelo azul gradualmente se aproximaram, e isso não ajudaria, mas eu
trinquei meus dentes.
“Nós vamos colidir...!”
Quando nós estávamos prestes a colidir com a parede, Kirito ergueu a espada em sua mão direita
mais uma vez e a apunhalou contra a parede com poder máximo. Faíscas ardentes explodiram
para fora como se a arma tivesse atingido uma pedra de proteção. O ataque repentino atrasou
nossa velocidade de queda, mas não foi capaz de parar completamente nossa decida.
O som gritante do metal cortando continuou enquanto a espada de Kirito permaneceu cortando a
parede de gelo. Eu virei meu pescoço para olhar para baixo e percebi que nós já podíamos ver o
inferior branco coberto de neve do buraco. Eu assisti ele ficar mais perto e mais perto, até que
haviam apenas alguns segundos faltando antes de nós nos chocarmos com o chão. Eu queria pelo
menos me impedir de gritar, então eu mordi os meus lábios e segurei fortemente em Kirito.
Kirito soltou da sua espada, usou ambos os braços para me segurar fortemente e girou seu corpo,
de modo que ele ficou virado para o chão. Então...
Um impacto. Um forte som.
Os flocos de neve que haviam explodido no ar pela força da nossa queda começaram a pousar
levemente em minhas bochechas antes de derreter.
A sensação de frio dispersou meus pensamentos. Eu abri meus olhos e meu olhar se encontrou
com as pupilas negras de Kirito que estava extremamente perto de mim.
Kirito ainda estava me abraçando fortemente; ele levantou o lado da sua boca e sorriu
fracamente.
“...Ainda vivos?”
Eu assenti fracamente e respondi:
“Sim, ainda vivos.”
Por algumas dezenas de segundos – ou talvez alguns minutos – nós simplesmente ficamos parados
imóveis nessa posição. O calor do corpo de Kirito permitiu a mim mesma ficar relaxada e minha
mente ficar completamente em branco.
Depois de um tempo, Kirito soltou meu braço e lentamente se levantou. Ele primeiro pegou a
espada que caiu perto e retornou-a para o seu inventário, e então, tirou de seu bolso na cintura
uma garrafa que era provavelmente uma poção de recuperação de alta classe, assim como outra
garrafa para mim.
“De qualquer forma, só beba isso.”
“...Certo.”
Eu assenti e me sentei para receber a poção enquanto checava minha própria barra de HP. Eu
ainda tinha cerca de um terço restante, mas Kirito, que se chocou com o chão diretamente, já
estava na zona vermelha.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


62 Sword Art Online – Aincrad

Eu puxei a rolha e engoli o doce liquido de uma só vez, então me virei em direção de Kirito.
Permanecendo em minha posição relaxada, eu comecei a mover os meus lábios que tinham tanta
dificuldade para dizer coisas legais.
“Hummm... O-obrigada por me salvar...”
Kirito fracamente mostrou seu usual sorriso sarcástico e respondeu:
“Ainda é cedo para me agradecer.”
Ele rapidamente olhou em direção ao céu.
“...Obrigado deus, o dragão branco não correu atrás de nós... mas agora, como nós vamos sair
daqui...?”
“Eh... não podemos simplesmente nos teleportar?”
Eu alcancei meu bolso no avental e peguei um cristal azul para mostrar para Kirito. Mas...
“Isso provavelmente não vai funcionar; já que essa é uma armadilha feita especialmente para
jogadores, eu duvido que nós seremos capazes de sair tão facilmente.”
“Como isso poderia...”
Kirito me sugeriu com seus olhos para tentar, então eu segurei o cristal fortemente e dei o
comando:
“Teleportar! Lindus!”
...Meu grito ecoou fracamente pelas paredes congeladas, antes de finalmente desaparecer. O
cristal simplesmente continuou a brilhar silenciosamente.
Kirito apertou meu ombro levemente sem fazer nenhum som.
“Se eu pensasse que nós poderíamos usar cristais, então eu já os teria usado enquanto estávamos
caindo. Mas não o fiz porque senti que esse lugar seria uma zona anti-cristais...”
“...”
Eu deixei minha cabeça cair de desespero; Kirito colocou sua mão em minha cabeça com uma
palmadinha e despenteou meu cabelo.
“Está tudo bem, não chore. Se nós não podemos usar cristais, então deve haver outra forma de
sair daqui.”
“...Talvez não, talvez esse seja um abismo sem escapatória com garantia de morte... ou eu deveria
dizer, nós já estamos mortos.”
“Hmmm, talvez você esteja certa.”
Ver Kirito assentir em concordância me fez perder toda a energia em meu corpo novamente.
“Que... que tipo de atitude é essa!? Você não pode ser um pouco mais positivo?”
Depois de eu ter repentinamente gritado, Kirito sorriu e disse:
“Essa expressão zangada faz muito mais o seu tipo; mantenha ela.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


63 Sword Art Online – Aincrad

“O q...”
Minhas bochechas coraram e meu corpo congelou. Kirito então tirou sua mão da minha cabeça e
voltou a ficar parado.
“Bem, vamos tentar qualquer coisa. Alguma ideia?”
“...”
Eu sorri amargamente para Kirito, que claramente não foi afetado pela situação em que
estávamos e mantinha sua usual atitude. Sentindo-me um pouco mais animada, eu bati em
minhas bochechas com ambas as mãos e me levantei.
Eu avaliei meus arredores; o fundo do buraco tinha uma superfície plana de gelo com um pouco
de neve. O diâmetro deveria ser de cerca de 10 metros como a abertura. As paredes de gelo perto
do topo continuavam a refletir raios de luz do sol poente, mas esse lugar em breve estaria
completamente engolido pela escuridão.
Eu olhei ao redor, mas não havia saída visível em qualquer lugar das paredes ou do chão. Eu
coloquei ambas minhas mãos em meu quadril, coloquei meu cérebro em capacidade máxima e
disse à Kirito a primeira coisa que me veio a mente.
“Hmm... nós podemos pedir pela ajuda de alguém?”
Kirito negou imediatamente:
“Hum... eu acho que esse lugar é considerado um calabouço.”
Jogadores registrados como Amigos, como Asuna no meu caso, podem se comunicar através de
um tipo de e-mail chamado Mensagem Privada. De qualquer forma, essa função não podia ser
usada em um calabouço, nem mesmo a Marca do Sistema poderia ser usada para localizá-los.
Eu abri a janela de mensagens em uma falsa esperança, mas como Kirito disse, estava indisponível.
“Bem... que tal nós gritarmos para outros jogadores que venham caçar o dragão?”
“Eu acho que nós estamos a cerca de 80 metros de distância do topo, então meu palpite é que
nossas vozes não vão chegar tão longe.”
“Também acho... Espere! Você me deu uma ideia agora!”
Quando eu retruquei para Kirito, chateada por ele sempre colocar minhas ideias por água abaixo,
ele respondeu com uma coisa absurda:
“Podemos subir correndo pela parede.”
“...Você é um idiota?”
“Bem, vamos descobrir.”
Enquanto eu observava ele com uma expressão estupefata, Kirito correu para um lado do buraco
e começou a correr em direção da parede do lado oposto com uma velocidade sobrenatural. A
neve explodiu para fora do chão e um vendaval esmagou meu rosto. Quando ele estava prestes a
bater na parede, Kirito se agachou e saltou para cima com uma força explosiva. Ele pisou na
parede em uma altura inacreditável e então começou a correr diagonalmente pela parede.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


64 Sword Art Online – Aincrad

“Ó meu deus...”
Enquanto eu assistia espantada, Kirito já estava bem longe acima de mim e correndo para cima
em uma espiral pela parede como um daqueles ninjas de um filme de terceira categoria. Sua
silhueta ficou menor e menor...
Então, quando só lhe faltava um terço do caminho, ele repentinamente escorregou.
“Ahhhhhhhh!!!”
Kirito debateu-se enquanto caia em direção a minha cabeça.
“Kyaaaaa!!!”
Quando eu recuei gritando, um buraco em forma de humano apareceu onde eu estava parada.
Um minuto mais tarde, depois de Kirito terminar sua segunda poção de vida, eu sentei próxima a
ele e suspirei.
“Eu já pensava que você era um idiota, mas nunca pensei que fosse tão estúpido.”
“Eu teria conseguido se a distância inicial fosse mais larga.”
“Sem chance!”
Eu exclamei suavemente.
Kirito ignorou minhas palavras e retornou o pote de poção vazio para sua bolsa. Depois de alongar
seus braços, ele disse:
“Bem, está ficando muito escuro, então vamos acampar aqui. Felizmente, eu não acho que
qualquer monstro vá aparecer nesse buraco.”
O sol já havia se posto e o chão do buraco estava ficando muito escuro.
“Também acho...”
“Bem, então...”
Kirito abriu uma janela e materializou algumas coisas. Um fogareiro, um pote, alguns pequenos
sacos que eu não poderia dizer para que serviam, e duas canecas.
“...Você sempre carrega essas coisas?”
“Eu costumo acampar nos campos frequentemente.”
Ele disse isso com uma expressão seria, então não achei que ele estava brincando.
Ele clicou no fogareiro; ele acendeu com um ‘Fwoosh’ e iluminou o lugar com uma luz laranja
suave. Kirito colocou um pote sobre o fogareiro, então jogou um pequeno pedaço de neve dentro,
antes de derramar o conteúdo dos pequenos sacos. Ele fechou o pote com uma tampa e clicou
duas vezes nele; então uma janela temporizadora para cozinhar apareceu.
Rapidamente eu comecei a sentir um aroma de ervas. Agora que eu pensei sobre isso, eu não
tinha comido nada desde aquele cachorro quente de manhã. Meu estômago de repente exigiu por
comida altamente como se ele tivesse acabado de se lembrar que estava morto de fome.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


65 Sword Art Online – Aincrad

O temporizador desapareceu com um ‘pin pon’, e então Kirito dividiu o conteúdo do pote nas duas
canecas.
“Não espere muito, minha proficiência em cozinhar é zero.”
“Obrigada...”
O calor se transferiu para minhas mãos através da caneca que Kirito me entregou. Era uma
simples sopa de carne seca e ervas, mas o nível dos itens ingredientes pareciam ser bem altos e
isso estava mais que delicioso. O calor também se espalhou para o meu corpo frio.
“Que sensação misteriosa... nunca senti nada assim na vida real.”
Murmurei enquanto tomava a sopa.
“Quero dizer, essa situação, acampar em uma área inexplorada e tendo uma refeição com um
estranho...”
“Ah, suponho que sim... já que você é uma artesã. Eu faço grupos com jogadores aleatórios e
acampo com eles frequentemente.”
“Hmm, sério? ...me conte mais, sobre os calabouços e tudo mais.”
“Hum? Hm... certo. Não acho que seja tão interessante... oh, espere, antes de eu começar...”
Kirito coletou as canecas vazias e o pote e os retornou ao seu inventário. Ele abriu o painel de
novo e materializou o que pareciam ser dois pedaços de roupas enroladas.
Depois que ele as desdobrou, eles se revelaram sacos de dormir. Eles pareciam similares aos
equivalentes do mundo real, somente significativamente mais largos.
“Esses são itens de alta categoria. Preservação de calor perfeita, mais um efeito de se esconder de
monstros agressivos.”
Ele me jogou um enquanto ele sorria. Quando eu o deitei na neve, pareceu que ele tinha
capacidade para três pessoas do meu tamanho. Estupefata pelo tamanho disso, eu falei para
Kirito:
“É impressionante que você leve essas coisas para todo lugar, e especialmente dois deles...”
“Bem, eu deveria utilizar meu espaço de inventário para alguma coisa.”
Kirito rapidamente desequipou seu equipamento e se deitou no saco de dormir na esquerda. Eu
também desequipei minha capa e minha clava e me enrolei dentro do saco de dormir. Era
certamente um item de alta classe; dentro era muito quente, e muito mais fofo do que parecia.
Nós estávamos separados a um metro com o fogareiro entre nós. Mas eu ainda estava me
sentindo um pouco... embaraçada... então eu falei novamente para me livrar do silêncio:
“Hmm... sim, continue com a história...”
“Oh, claro...”
Kirito lentamente começou a falar depois que ele deitou sua cabeça em suas mãos. Ele me contou
sobre quando ele foi emboscado por MPKs – Mob Player Killers, criminosos que propositalmente
reuniam monstros para emboscar outros jogadores – e sobre a vez que em um calabouço lutou

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


66 Sword Art Online – Aincrad

contra um chefe com um dano baixo mas uma quantidade de vida para dois dias inteiros, tendo
que trocar de turno com outros jogadores para poder dormir. Havia também a vez que jogou
dados com outros 100 jogadores por um item raro. Todas essas histórias eram emocionantes,
deliciosas e um tanto engraçadas. Suas histórias também deixavam uma coisa clara... ele fazia
parte do grupo de vanguarda, aqueles que arriscavam suas vidas na linha de frente. Mas também
significava que essa pessoa era sobrecarregada com o destino de milhares de jogadores. Ele não
era o tipo de pessoa que deveria arriscar sua vida só para me salvar.
Eu me virei em direção a Kirito e olhei para o seu rosto. Seus olhos negros estavam refletindo a luz
do fogareiro.
“Ei... Kirito, posso te perguntar uma coisa...?”
“...Por que ficou tão séria de repente?”
“Por que você me salvou naquele momento...? Não havia garantia de que você teria sucesso. Bem,
era mais provável que você morreria comigo, então... por quê...?
A expressão de Kirito endureceu por um segundo, mas ele imediatamente retornou para sua usual
face e me respondeu com uma voz calma:
“...Eu preferiria morrer junto dele do que assistir alguém morrer sem fazer nada. Especialmente se
esse alguém for uma garota como você, Liz.”
“...Você realmente é um idiota. Você é provavelmente o único que diria tais coisas.”
Apesar de ter retrucado sarcasticamente, meus olhos só poderiam evitar o choro. Uma parte de
meu coração doeu e eu tentei fortemente controla-lo e esconder isso. Eu não tinha escutado
palavras tão obstinadas, honestas e quentes desde que eu vim para esse mundo. Não, eu nunca
escutei tais palavras nem mesmo no mundo real.
Os sentimentos dolorosos de solidão e desejo de interagir com outros que esteve mais que
enterrado profundamente em um canto do meu coração, de repente queimou e me engoliu como
uma tempestade. Eu queria o calor de Kirito perto o bastante do meu coração para senti-lo...
Sem perceber, as palavras saíram pela minha boca:
“Você poderia... segurar minha mão?”
Eu me virei em direção de Kirito, coloquei meu braço direito para fora do saco de dormir e
estiquei-o para minha esquerda.
Os olhos de Kirito se alargaram um pouco, mas ele disse “Sim.” em voz baixa e estendeu sua mão
esquerda. Quando nossos dedos me tocaram, ambos afastamos nossas mãos por um momento,
mas então esticamos nossos braços novamente para apertar nossas mãos juntas.
Eu segurei fortemente a mão de Kirito, que estava muito mais quente que a sopa que eu comi.
Apesar das costas da minha mão ainda estarem deitadas sobre o gelo, eu não sentia nada frio. Eu
sentia calor humano. Eu sentia como se eu tivesse finalmente descoberto o que era a ânsia que
tinha se estabelecido em um canto do meu coração desde que eu entrei nesse mundo.
Porque eu estava com medo de me tornar consciente do fato de que esse mundo era uma ilusão...
que meu corpo real estava em algum lugar muito longe, inacessível não importa o quão duro eu
tentasse, eu continuei a estabelecer objetivos para mim e foquei tudo em meu trabalho. Eu

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


67 Sword Art Online – Aincrad

convenci a mim mesma que aumentar o nível das minhas habilidades de ferreiro e expandir minha
loja era a minha realidade.
Mas alguma parte de mim sempre soube que isso era tudo falso, nada mais que simples dados. O
que eu ansiava era por um verdadeiro calor humano.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


68 Sword Art Online – Aincrad

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


69 Sword Art Online – Aincrad

Claro, o corpo de Kirito também eram dados. O calor que eu sentia eram apenas sinais elétricos
que passavam pelo meu cérebro. Mas eu finalmente me dei conta de que isso não importa. Eu
podia sentir seu coração... sendo no mundo real ou nesse mundo simulado, essa era a única
verdade.
Quando eu segurei a mão de Kirito firmemente, eu sorri e fechei meus olhos. Apesar de que meu
coração estava batendo mais rápido que nunca, o sono me veio lamentavelmente rápido e
afastou minha consciência pela agradável escuridão.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


70 Sword Art Online – Aincrad

Parte 3
Um refrescante aroma doce gradualmente passou pelo meu nariz; eu lentamente abri meus olhos
e olhei o mundo inteiro envolvido por uma neve branca. A luz do amanhecer, que já estava sendo
refletida várias vezes nas paredes de gelo, fazia a neve no chão do buraco brilhar.
Eu virei meus olhos e percebi um bule de chá em cima da lanterna, com um vapor flutuando
acima. Parecia que era dali que o cheiro estava vindo. Em frente da lanterna estava sentada uma
pessoa em roupas negras de que o rosto eu só podia ver o lado. Mas assim que eu vi aquela figura,
um pequeno fogo pareceu acender em meu coração.
Kirito virou sua cabeça, revelando um pequeno sorriso e disse:
“Bom dia.”
“...Bom dia.”
Eu respondi. Quando eu me preparei para me levantar, eu percebi que minha mão direita, que
deveria estar pendurada para fora quando eu fui dormir, foi nitidamente colocada de volta no
saco de dormir. Eu trouxe o calor que ficou naquela palma para meus lábios, e então
repentinamente me levantei.
Kirito entregou uma caneca fumegante para mim, quem tinha acabado de sair rastejando sobre a
neve. Depois de agradecê-lo, eu aceitei a caneca e sentei ao lado dele. Na caneca tinha um tipo de
chá florido com um aroma de hortelã que eu nunca tinha provado antes. Então eu lentamente
bebi o chá de gole em gole, deixando ele suavemente descer pelo meu corpo. Meu coração se
aqueceu agradecido.
Eu virei meu corpo, inclinando-o em direção à Kirito. Quando eu virei minha cabeça, nossos olhos
se encontraram por um instante antes de rapidamente se separarem. Por um curto momento, só
os sons de duas pessoas bebendo chá poderiam ser ouvidos.
“Ei...”
Finalmente eu murmurei com uma voz baixa enquanto meus olhos continuaram fixados em meu
copo.
“Hmmm?”
“...Se nós realmente não podemos sair daqui, então o que nós deveríamos fazer?”
“Passar cada dia dormindo.”
“Essa com certeza foi uma resposta rápida. Pense sobre isso um pouco mais!”
Eu sorri quando eu golpeei o braço de Kirito com meu cotovelo.
“...De qualquer forma, isso não seria ruim também...”
Depois de dizer isso, eu comecei a inclinar minha cabeça em direção do ombro de Kirito...
“Ah...!?”
Kirito repentinamente gritou e se inclinou para frente. Eu, perdendo meu suporte, acabei caindo
no chão com um ‘plop’.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


71 Sword Art Online – Aincrad

“Céus... e por que isso?”


Eu me queixei bravamente enquanto endireitava meu torso de volta, mas Kirito permaneceu sem
olhar de volta. Em seguida, ele correu em direção ao centro do poço circular.
Cheia de dúvidas, também me levantei e segui ele.
“O que é isso?”
“Oh, espere um pouco...”
Kirito ajoelhou-se no chão e começou a cavar a neve, acumulada no chão, com ambas as mãos. Ele
rapidamente cavou um buraco profundo enquanto um som raspante reverberava. E então...
“Ah!?”
Um feixe de luz metálica de repente reluziu em meus olhos. Alguma coisa enterrada
profundamente na neve estava refletindo a luz do sol da manhã.
Kirito desenterrou aquela coisa, agarrou-a com ambas as mãos e então se levantou. Incapaz de
esconder minha curiosidade, eu olhei aquilo em uma distância extremamente pequena.
Era um objeto um tanto transparente, branco metálico e retangular. Levemente maior que ambas
as mãos de Kirito. Era de um formato familiar, com um tamanho familiar... um material metálico.
Mas eu nunca vi um dessa cor.
Eu toquei o material levemente com meus dedos da mão direita. Uma janela automática
imediatamente apareceu. O objeto era chamado de Lingote de cristal.
“Isso... Isso não é...?”
Quando eu olhei em direção do rosto de Kirito, ele igualmente assentiu com uma expressão
confusa.
“Sim... esse é o metal que nós estávamos procurando... eu imagino o porquê de ele estar aqui...”
“Mas, por que ele estava enterrado aqui?”
“Hmm...”
Kirito continuou a observar para o lingote agarrado em sua mão direita enquanto ele pensava
sobre isso, antes de deixar escapar um breve “Ah...”
“...O dragão branco come cristais... que são refinados em seu estômago para se tornar... Hehe,
então é assim que funciona!”
Ele pareceu ter descoberto e começou a mostrar um sorriso, então jogou o lingote de metal em
minha direção. Eu peguei-o apressadamente com ambas as mãos e o segurei perto dos meus
peitos.
“Ei, o que é isso! Não pare depois de descobrir!”
“Esse buraco não é uma armadilha. É o ninho do dragão.”
“H-hein?”
“Em outras palavras, esse lingote é a excreção do dragão. Suas fezes.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


72 Sword Art Online – Aincrad

“Fe...”
Enquanto minhas bochechas tremiam com nervosismo, eu olhei de relance para o lingote em
meus peitos.
“Kyaaaa.”
Sem pensar, eu o joguei de volta para Kirito.
“Woah.”
Aquilo foi repelido de volta por Kirito habilmente com as pontas de seus dedos. Depois de
infantilmente joga-lo de um para o outro repetidamente, finalmente terminou com Kirito fazendo
um trabalho rápido de expandir uma janela e armazenar o lingote.
“Bem, de qualquer forma, nós realizamos nosso objetivo. Agora, tudo que falta é...”
“Se nós podemos sair daqui sozinhos...”
Ambos suspiramos quando nós trocamos olhares.
“Por enquanto, não há escolha a não ser tentar todas as coisas que nos ocorra.”
“Concordo. Ah, se nós tivéssemos asas como o dragão...”
Ocorreu depois que eu disse aquilo. Percebendo algo, eu fiquei boquiaberta, incapaz de dizer
palavras.
“O que foi Liz?”
Olhando em direção de Kirito, que estava me observando com sua cabeça inclinada para o lado...
“Ei. Você disse que esse lugar era o ninho do dragão, certo?”
“Ah. Já que há excremento, isso é...”
“Isso não é importante! Dragões são noturnos, agora que é manhã, ele não deveria estar
retornando para seu ninho...?”
“...”
Por um curto momento, meu olhar encontrou com o de Kirito, que ficou calado, e então ambos
olhamos para o céu, para a entrada do buraco. Exatamente nesse momento...
Bem acima, bem auto no ar, dentro do corte circular de luz branca, uma sombra escura e borrada
tinha aparecido. Aquela sombra cresceu cada ver mais enquanto nós a observávamos. Levou só
um instante até que eu pudesse ver um par de asas, um longo rabo e quatro patas armadas com
garras.
“É... é o...”
Nós recuamos juntos. Contudo, com toda certeza, não havia nenhum lugar para escapar.
“Está aqui...”
Ambos gritamos enquanto sacamos nossas respectivas armas.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


73 Sword Art Online – Aincrad

O dragão branco, que desceu pelo buraco, notou nossa presença e lançou um grito alto, parando
antes de atingir o chão. Seus olhos vermelhos com pupilas verticais estavam preenchidos com
clara hostilidade para os intrusos em seu ninho. Contudo, não havia lugar para nos esconder no
chão limitado do buraco. Eu preparei minha clava enquanto suprimia meu nervosismo.
Similarmente, Kirito preparou sua espada de uma mão e se moveu para minha frente,
rapidamente dizendo.
“Escute, fique atrás de mim. Beba a poção imediatamente depois de perder HP, mesmo que seja
pouco.”
“S-sim...”
Eu só assenti obedientemente dessa vez.
O dragão abriu sua vasta boca e rugiu novamente. Suas asas criaram uma rajada de vento, que fez
a neve girar no ar.
O longo rabo do dragão estava batendo no chão, cada golpe cavando um profundo buraco na
superfície nevada.
Brandindo a espada em sua mão direita sem pausa, a fim de ganhar a iniciativa, Kirito de repente
cessou seu movimento logo quando ele estava pronto para correr adiante.
“...Ah... talvez...”
Ele deixou escapar em uma voz baixa.
“Q-qual o problema?”
“Não...”
Sem responder a minha questão, Kirito colocou sua espada em sua bainha, virou-se abruptamente
e me agarrou firmemente com seu braço esquerdo.
“Hein!?”
Sem entender nada, eu entrei em pânico e fui colocada sobre o ombro de Kirito.
“Ei, o que você está... Wahh!!”
Um som cortante soou com o impacto, e junto daquilo, o cenário dos arredores ficou embaçado.
Kirito correu em direção à parede com uma força violenta. Antes de bater, ele deu um pulo
perfeito e como na tentativa de escapar do dia anterior, ele começou a correr em curva na
superfície da parede. Contudo, como se não houvesse intenção de subir, ele continuou em orbita
na mesma altura. A cabeça do dragão virou e continuou nos almejando, contudo Kirito continuou
correndo em uma velocidade que excedia o que o dragão poderia seguir.
Alguns segundos depois, quando Kirito finalmente pousou no chão do buraco, meus olhos
estavam girando completamente. Finalmente abrindo meus olhos depois pisca-los incontáveis
vezes, atrás de mim estava a parte de trás do dragão. Ele tinha perdido sua vista de nós e estava
inquietamente balançando sua cabeça da esquerda para a direita.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


74 Sword Art Online – Aincrad

Logo quando eu pensei que Kirito estava planejando ataca-lo por trás, ele surpreendentemente se
aproximou calmamente do dragão... com sua mão direita esticada, ele agarrou fortemente a
ponta do rabo do dragão que estava balançando.
Nesse momento, o dragão soltou um grito agudo. Um grito de surpresa... ou talvez aquilo foi só
minha imaginação. Sendo cada vez mais incapaz de compreender as intenções de Kirito, eu estava
prestes a gritar também.
De repente, o dragão branco abriu ambas as suas asas e começou uma ascensão afiada com uma
velocidade incrível.
‘Oof!’
O ar atingiu meu rosto. Sem nem mesmo tempo para pensar sobre isso, nossos corpos voaram no
meio do ar com uma força similar à de ser disparado por um arco. Enquanto nós segurávamos no
rabo do dragão, ele balançou da esquerda para a direita enquanto o dragão voava para fora do
buraco.
“Liz! Segure firme!”
Em resposta para a voz de Kirito, eu agarrei em sua cabeça em transe. A luz do sol que brilhava
nos arredores dos cumes de gelo foi ficando constantemente mais forte com o tom do som dos
ventos cortantes mudando sutilmente... no momento em que eu pensei que o mundo tinha
explodido em um brilho branco, nós estávamos fora do buraco.
No momento que eu abri meus olhos loucos, uma vista aérea do vasto andar 55 se espalhava
abaixo de mim.
Diretamente abaixo de mim estava uma linda montanha nevada em formato de cone. Um pouco
mais longe, uma pequena vila. Além do vasto campo de gelo e da espessa floresta, os telhados
pontiagudos de cada casa do distrito principal estavam juntos. A cena onde tudo estava brilhando,
atingido pela radiante luz do sol, até me fez esquecer do terror e eu exclamei não
intencionalmente:
“Uau...”
“Sim...!!”
Kirito também gritou altamente e soltou sua mão direita do rabo do dragão. Ele me carregou
como uma criança e se deixou levar pela inércia, dançando no ar.
O voo durou somente por alguns segundos, e ainda assim, pareceu que foram dezenas de vezes
mais. Eu acredito que eu estava sorrindo. A luz intensa e os ventos estavam varrendo através do
meu coração. Minhas emoções estavam sendo sublimadas.
“Kirito... sabe?”
Eu gritei com todo meu coração.
“O que?”
“Eu... eu gosto de você!!”
“Fala de novo? Eu não escutei!!”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


75 Sword Art Online – Aincrad

“Não é nada!!”
Agarrando-me firmemente a sua cabeça, eu explodi em risadas. Eventualmente, esse momento,
que parecia quase um milagre, acabou, e nós acabamos no chão. Girando para dar uma última
volta, Kirito abriu amplamente suas pernas e assumiu uma postura de pouso.
A neve fez um som nítido enquanto ela voava pelo ar. Um longo deslize. Abrimos nosso caminho
nos empurrando através dos cristais brancos como um limpa-neve enquanto nós desaceleramos,
e então nós finalmente paramos perto do cume da montanha.
“...Rumpf.”
Kirito respirou fundo e me largou no solo. Com relutância, eu virei minha cabeça e desatei meus
braços dele.
Ambos olhamos em direção do grande buraco juntos; o dragão que parecia ter perdido a vista de
nós voou lentamente em círculos pelos céus.
Kirito colocou sua mão na espada em suas costas, desembainhando a lâmina suavemente, mas
imediatamente depois, ele retornou-a para sua bainha com um som de aperto. Com um sorriso
leve em seu rosto, ele observou o dragão e disse suavemente.
“...Você deve ter estado com problemas por todos aqueles que apareceram para caçar você até
agora. Uma vez que o método de conseguir o item é espalhado, a pessoa que vir para matar você
deveria ir também. Então de agora em diante, viva sem preocupações.”
...Observando um monstro, que só se movia de acordo com o algoritmo configurado do sistema e
fazendo tal coisa; aquilo era uma coisa que eu teria pensado como estupidez até ontem. Mas por
alguma razão, eu de alguma forma senti que eu poderia mansamente dar boas-vindas as palavras
de Kirito em meu coração. Esticando minha mão direita, eu gentilmente apertei a mão esquerda
de Kirito.
Ambos assistimos a cena silenciosamente enquanto o dragão branco virava sua cabeça, antes de
dar um único grito agudo e descer para o seu ninho. O silêncio chegou.
Logo depois, Kirito olhou e minha direção e falou:
“Bem, então, vamos voltar?”
“Acho que sim...”
“Quer ir usando o cristal?”
“...Não, vamos caminhar de volta.”
Eu respondi enquanto sorria e caminhei para frente segurando a mão de Kirito. Eu então notei
alguma coisa e olhei para o rosto de Kirito.
“Ah... a lanterna, os sacos de dormir e as outras coisas, nós deixamos eles lá atrás, não é mesmo?”
“Agora que você mencionou... Bem, está tudo certo. Alguém pode fazer uso deles.”
Nós trocamos olhares e sorrimos, dessa vez com certeza, nós começamos a lentamente caminhar
pela trilha da montanha, seguindo o caminho de casa. Eu dei uma rápida olhada aos meus
arredores, o céu estava limpo, sem uma única nuvem no céu.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


76 Sword Art Online – Aincrad

***
“Estou de volta!”
Eu abri vigorosamente a porta da minha querida loja.
“Bem-vinda de volta.”
Apesar da atendente NPC da loja estar parada no balcão apenas dando uma resposta educada à
minha saudação, eu acenei com a mão e me virei, olhando ao redor da minha loja. Eu tinha estado
fora por apenas um mero dia, mas estranhamente, ela parecia fresca.
Kirito, quem havia comprado comida da mesma barraca de ontem, entrou na loja depois de mim,
com um cachorro quente em sua boca.
“Já é quase meio-dia apesar de tudo, então você deveria ter comido isso naquela barraca.”
Como eu expressei minhas queixas, Kirito sorriu enquanto ele levantava sua mão esquerda,
abrindo uma janela.
“Antes disso, vamos fazer isso logo, a espada.”
Habilmente manipulando o inventário, ele materializou o lingote de metal. Cuidadosamente
pegando-o – ignorando a origem do item pelo momento, – eu assenti.
“Tudo certo, vamos fazer isso. Venha para a oficina.”
Abrindo a porta atrás do balcão, o ruído da roda de água se tornou perceptivelmente mais alto.
Abaixando a alavanca na parede, os foles começaram a se mover, transmitindo ar. A fornalha
imediatamente começou a brilhar com um vermelho vivo.
Eu suavemente coloquei o lingote na fornalha, e me voltei em direção de Kirito.
“Uma espada reta de uma única mão, certo?”
“Sim. Estou contando com você.”
Kirito assentiu quando ele sentou no banco redondo feito para visitantes.
“Entendido. Só uma pequena advertência, mas o resultado final tem um aspecto de aleatoriedade
para isso, então não espere tanto disso, certo?”
“Nós podemos pega-lo de novo se falhar. Dessa vez com uma corda.”
“...Sim, uma bem grande.”
Lembrando daquela grande queda, eu inconscientemente deixei um sorriso escapar. Descendo
minha visão para a fornalha, eu notei que o lingote parecia ter queimado suficientemente.
Retirando-o com alicates, eu o coloquei sobre a bigorna.
Eu peguei meu martelo de ferreiro favorito da parede, fiz a configuração no menu e dei outra
olhada em direção do rosto de Kirito. Em resposta ao seu assentimento silencioso, eu sorri e
gradualmente levantei o martelo sobre minha cabeça.
Eu esqueci meu espírito enquanto eu golpeava o metal que tinha um brilho carmesim; junto com
o claro som de ‘Kang!’, faíscas brilhantes se espalharam generosamente.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


77 Sword Art Online – Aincrad

Na sessão dos ferreiros Reference Help, sobre o processo de criação, ‘De acordo com o tipo de
arma sendo criada, e o nível do metal usado, o lingote precisará ser acertado um certo número de
vezes.’. Isso era tudo que era usado para descrever o processo.
Em outras palavras, durante o ato de acertar o metal com o martelo, não havia possibilidade para
as habilidades dos jogadores afetar nada; isso deveria ser feito como isso deveria ser lido, mas
tinham vários tipos de rumores e teorias ocultas flutuando sobre SAO, de que a precisão do ritmo
dos ataques e o espírito batalhador do ferreiro é capaz de manipular o resultado, assim sendo,
opiniões diferentes eram firmemente enraizadas.
Eu penso em mim mesma como uma pessoa racional, mas eu apenas boto fé nessa teoria pelo
meu longo tempo de experiência. Assim sendo, eu perderia qualquer excesso de pensamentos
enquanto estava produzindo armas, concentrando minha consciência com a mão direita descendo
o martelo, atingindo o metal sem parar com minha mente em branco... isso é o que eu acredito.
Contudo...
Enquanto golpeava o lingote, produzindo sons refrescantes, vários pensamentos giraram em
minha mente agora e eu fui incapaz de para-los.
Se a espada fosse feita com sucesso e o pedido finalizado... Kirito naturalmente retornaria para as
linhas de frente e lá não deveria haver muitas chances de eu encontra-lo. Mesmo se ele viesse
fazer a manutenção da espada, isso seria uma vez a cada dez dias ou mais.
“Algo assim... eu não quero algo assim.”. Eu senti uma voz gritando bem dentro de mim.
Enquanto ansiava pelo calor de outro... não, foi por isso, essa era a razão pela qual eu hesitava em
diminuir a distância com qualquer jogador homem em particular até agora. Eu estava com medo
do inverno solitário dentro de mim mudar completamente com amor. Isso não era amor de
verdade, só uma desilusão criada por um mundo ilusório; isso era o que eu pensava.
Mas na última noite, enquanto sentia o calor das mãos de Kirito, eu percebi que aqueles
sentimentos de hesitação eram os espinhos que me prendiam. Eu sou eu mesma... O ferreiro,
Lisbeth, e ao mesmo tempo, Shinozaki Rika. Com Kirito era o mesmo. Não um personagem de um
jogo, mas um atual ser humano vivo. Consequentemente, meu amor por ele... esses sentimentos
são reais também.
“Se eu conseguir fazer uma espada que lhe satisfaça, eu confessarei meus sentimentos para ele.
Que eu quero que ele esteja ao meu lado, que eu quero que ele venha para essa loja depois dos
labirintos, todos os dias, isso é que eu direi para ele.”
No momento em que o lingote foi forjado, com seu brilho radiante cada vez mais brilhante, os
sentimentos dentro de mim também pareciam ter sido firmados. Eu senti meus sentimentos
fluindo pela minha mão direita, sendo transmitidos para a arma através do martelo.
...E então, o momento finalmente chegou.
Eu não sabia quantas vezes eu já tinha golpeado o metal até agora... provavelmente algo entre
100 e 150 vezes... imediatamente seguindo o som do martelo, o lingote soltou um perceptível e
deslumbrante brilho branco.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


78 Sword Art Online – Aincrad

O objeto retangular mudou seu formato de pouco em pouco enquanto ele brilhava. Ele começou a
crescer palidamente de seu cabo e ponta, e depois, uma protuberância que se assemelhava a um
punho inchado saiu para fora.
“Ohh...”
Deixando sair murmúrios de admiração em um tom baixo, Kirito se levantou da cadeira e se
aproximou. Enquanto nós assistíamos lado a lado, a geração do objeto foi completada em alguns
segundos, finalmente revelando sua forma como uma única e longa espada.
Linda; era uma espada verdadeiramente linda. Como uma longa espada de uma mão, ela era
muito linda. A lâmina era pálida e apesar de não ter a extensão de um florete, era fina. Como se
ela tivesse herdado a propriedade do lingote, ela poderia ser vista com uma transparência
extremamente leve. A lâmina era colorida com um branco deslumbrante. O punho era prateado,
com um leve tom de azul.
‘Um mundo onde a espada simboliza o jogador’; como se cumprisse essa frase promissora, a
variedade de armas existentes em SAO era escandalosamente numerosa. Se alguém fosse listar os
nomes peculiares para as armas incluídas em cada categoria desde o início, ele provavelmente iria
listar milhares de longas linhas.
Ao contrário de um RPG normal, a diversidade daqueles nomes distintos ficava ainda maior
quando a classificação das armas aumentava. Armas de classificação menor, por exemplo, tinham
nomes como Bronze Sword ou Steel Sword; existiam incontáveis números de espadas com tais
nomes tediosos nesse mundo; mas para as armas de classificação alta - tal como a presente aqui
agora -, pegando alguma como a Lambent Light de Asuna por exemplo, havia provavelmente só
uma no mundo, literalmente um objeto único.
Claro, floretes com o mesmo nível de habilidade, independente de eles serem armas feitas por um
jogador ou uma recompensa de monstros, provavelmente existem. Mais mesmo assim elas têm
um nome diferente, possuindo aparências divergentes. E com relação a essas, armas de nível alto,
elas têm um certo charme, tornando-as algo como um parceiro com qual você compartilha seu
espírito.
Como o nome da arma e a aparência são decididos pelo sistema, até nós, os fabricantes, não
compreendemos isso completamente. Eu levantei a espada brilhando em cima da bigorna... ou
pelo menos eu tentei; eu estava surpresa com o peso, inadequado para sua aparência elegante.
Ela tinha um requerimento de força física que não era inferior à da espada negra que Kirito
segurava, Elucidator. Esticando minhas costas, eu a trouxe para cima diante do meu peito com um
grito.
Alcançando a base da lâmina da espada com um dedo em minha mão direita, eu dei um único
clique. Eu olhei a janela que apareceu em sua superfície.
“Bem, seu nome parece ser Dark Repulser. É a primeira vez que eu ouço isso, então eu não creio
que esteja mencionado na lista de informações neste momento. Aqui, experimente.”
“Aah”
Kirito assentiu e levantando sua mão direita, segurou o cabo da espada. Ele levantou-a com
movimentos que pareciam não ser afetados pelo peso. Balançando sua mão esquerda para
chamar o menu principal, ele manipulou a figura do equipamento, alvejando a espada branca.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


79 Sword Art Online – Aincrad

Com isso, a espada seria equipada por Kirito no sistema, permitindo seu potencial numérico ser
confirmado.
Mas Kirito imediatamente fechou o menu e tendo dado alguns passos para trás, ele transferiu-a
para sua mão esquerda, balançando algumas vezes com sons de vento.
“...Como foi?”
Eu perguntei sem espera. Kirito olhou para a lâmina por um curto momento em silêncio, mas...
depois, ele soltou um amplo sorrido.
“Com certeza é pesada. É uma boa espada.”
“Sério!? Que bom!!”
Eu assumi uma pose triunfante com minha mão direita sem pensar. Com aquela mão levantada,
eu a bati contra a mão direita de Kirito primeiro.
Havia tempo desde que eu tinha me sentido assim.
Muito tempo atrás... durante o tempo em que eu vendia em uma barraca de rua na rua principal
do décimo andar, eu senti isso quando minhas armas imprudentemente feitas foram aprovadas
pelos clientes. “Eu estou feliz por ter me tornado um ferreiro”, aquilo foi o que eu honestamente
senti do fundo do meu coração por aquele momento. Quando eu continuei a aumentar minhas
habilidades e seguir em frente para fazer negócios só com os jogadores de nível alto, eu tinha
esquecido sobre esses sentimentos antes de me dar conta.
“... É um problema com meu coração, hum... tudo isso...”
Em resposta as palavras que eu soltei casualmente, Kirito inclinou sua cabeça com um olhar
curioso.
“N-não, não é nada. Deixando isso de lado, vamos beber alguma coisa em algum lugar. Eu estou
com fome.”
Aumentando minha voz para esconder meu constrangimento, eu empurrei os ombros de Kirito
por trás. Eu pensei em sair da oficina naquele momento, mas... uma questão repentinamente veio
a mim.
“...Ei.”
“Hmm?”
Kirito olhou para trás por cima de seu ombro. Aquilo pendia em suas costas; a espada de uma mão
negra.
“Falando nisso... no início, você disse, uma espada igual a essa, não foi? Essa espada branca
certamente é uma boa espada, mas eu não acho que tenha muita diferença da outra. Por que
você precisaria de duas espadas parecidas?
“Aah...”
Kirito se virou, me observando com uma expressão que mostrava que ele estava hesitante sobre
alguma coisa.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


80 Sword Art Online – Aincrad

“Bem, eu não posso explicar tudo. Se você não for perguntar nada mais do que isso, eu posso te
dizer.”
“O que há com isso? Isso está ficando interessante.”
“Se afaste um pouco.”
Depois de eu me afastar para as paredes da oficina, com a espada branca ainda equipada, Kirito
puxou a espada negra das suas costas com sua mão direita com um som agudo.
“...?”
Eu não pude entender suas intenções. Depois de ter manipulado a figura do equipamento, com o
sistema atual, seu status equipado deveria ser somente a espada em sua mão esquerda; segurar a
outra arma com sua mão direita não deveria servir para qualquer uso. No contrário, com algo que
é considerado um equipamento de status irregular como aquilo, não seria possível de ativar
habilidades de espada.
Olhando em direção ao meu rosto confuso por um mero instante, Kirito calmamente assumiu uma
postura com a espada da esquerda e com a da direita. A espada da direita na frente, a da
esquerda atrás. Abaixou seu quadril levemente e, com isso, no instante seguinte...
Um efeito de luz escarlate explodiu, tingindo a oficina com sua cor.
As espadas nas mãos de Kirito alternavam, atacando sua frente com uma velocidade que não
poderia ser seguida pela vista. ‘Kyubababa!’, esses sons exerceram pressão no próprio ar, e apesar
de na verdade não ter atingido nada, os objetos dentro da sala chacoalharam.
Isso foi obviamente uma técnica de espada preparada pelo sistema. Mas... eu nunca escutei de
nada como uma habilidade que usasse duas espadas!
Em minha frente, parado sem se mover enquanto eu recuperava minha respiração, Kirito
silenciosamente levantou seu corpo, tendo finalizado a técnica de ataques consecutivos que
provavelmente alcançou dez ataques interligados.
Despejando ambas as espadas - retornando apenas a espada em sua mão direita para suas costas
– ele olhou para o meu rosto e disse:
“E bem, é assim que isso funciona. Eu vou precisar de uma bainha para essa espada. Eu posso
escolher uma?”
“Ah... s-sim.”
Quantas vezes eu já fui impressionada por Kirito? Contudo, eu deveria estar acostumada, mas pelo
momento, eu decidi segurar minhas dúvidas, levando minha mão em direção da parede, exibindo
o menu inicial.
Rolando a tela de armazenamento, eu olhei através do resumo dos estoques de bainhas que eu
coletei de artesãos que eu estava perto. Pegando uma bastante similar à que estava equipada nas
costas de Kirito, feita em couro preto, eu a materializei. Depois de eu colocar em um pequeno
logotipo da minha loja, eu entreguei-a para Kirito. Kirito, tendo guardado a espada branca dentro
da bainha com um som curto, abriu uma janela e a escondeu. Eu pensei que ele equiparia ambas
as espadas em suas costas, mas esse não pareceu ser o caso.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


81 Sword Art Online – Aincrad

“...Então é um segredo? Aquilo que aconteceu?”


“Hmm, bem, sim. Não diga nada sobre isso a ninguém, certo?”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


82 Sword Art Online – Aincrad

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


83 Sword Art Online – Aincrad

“Entendi.”
Informações de habilidades são a maior linha de vida, então se ele me pediu para não perguntar,
eu não tocaria no assunto. Por outro lado, eu estava feliz por ele até me permitir dar uma olhada
em seu segredo e assentiu com um pequeno sorriso.
“...Tudo bem então.”
Kirito colocou suas mãos em sua cintura e sua expressão mudou.
“Esse seria o fim do meu pedido. Eu vou estar pagando pela espada. Quanto ficou?”
“Aah, isso é...”
Eu mordi meus lábios por um momento... eu verbalizei a resposta que esteve sempre fervendo
dentro de mim.
“Eu não precisarei de nenhum pagamento.”
“...Hein?”
“Em retorno por isso, eu quero me tornar seu ferreiro exclusivo, Kirito.”
Os olhos de Kirito mostraram leves sinais de surpresa.
“...O que exatamente... você quer dizer com isso...?”
“Sempre que você completar suas missões, venha aqui e me deixe fazer manutenção no seu
equipamento... Todos os dias, de agora em diante, sem falta.”
Meus batimentos cardíacos aumentaram sem limites. Se esse era um sentimento do meu corpo
virtual, ou possivelmente meu coração de verdade, igualmente, estava pulsando da mesma forma
também... eu pensei sobre isso em um lugar da minha mente. Minhas bochechas estavam
pegando fogo. Cada parte do meu rosto deve ter ficado completamente vermelha nesse
momento.
Até Kirito, quem sempre mantinha seu rosto impassível, parecia ter percebido o significado por
trás das minhas palavras e forçou sua face vermelha para baixo de timidez. Eu sempre pensei nele
como mais velho, mas depois de vê-lo naquele estado, pereceu que ele era da mesma geração, ou
possivelmente até mais jovem que eu.
Eu reuni toda a minha coragem e dei um passo à frente, segurando em seu braço.
“Kirito... eu...”
Eu gritei aquelas palavras tão alto quanto quando nós escapamos do ninho do dragão, mas
quando eu falava disso agora, minha língua se recusava a mover-se. Eu permaneci olhando nas
pupilas negras de Kirito, desejando que alguma palavra fosse dita de uma forma ou de outra. E
então...
A porta da oficina foi fortemente aberta. Eu larguei a mão de Kirito por reflexo e me afastei.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


84 Sword Art Online – Aincrad

“Liz! Eu estava tão preocupada!!”


A pessoa, quem correu pela direita depois daquele instante me abraçou com a mesma força de
um golpe de corpo enquanto gritava em voz alta. Aquele longo cabelo de cor castanha
suavemente dançou no ar.
“Ah, Asuna...”
Asuna continuou falando sem pausa, olhando bem perto do meu rosto, travada em uma
expressão estupefata o tempo inteiro.
“Mensagens não podiam te alcançar; sua posição no mapa também não podia ser traçada; sem
mencionar que seus clientes regulares não sabiam nada sobre isso, então onde você foi noite
passada? Eu de toda forma até fui ao Black Iron Castle para checar... você sabe!”
“M-me desculpe! Eu só fiquei presa em um calabouço por um pequeno...”
“Um calabouço!? Liz, você foi só!?”
“Não, com essa pessoa...”
Eu apontei diagonalmente na direção atrás de Asuna com meu olhar.
Asuna se virou e depois de perceber aquele espadachim vestido em roupas pretas, parecendo
entediado, ela congelou com seus olhos e sua boca abriu. Seguido daquilo, em uma voz uma
oitava maior...
“Ki-kirito-kun!?”
“Hein!?”
Nessa hora foi minha vez de ficar surpresa. Eu olhei para Kirito, quem estava parado, como Asuna.
Ele deu um pequeno tossido e falou enquanto ele levantava sua mão direita.
“Bem, Asuna, já faz um tempo... ou não, eu suponho. Um par de dias?”
“S-sim. Que surpresa. Entendo, então você veio aqui cedo. Se você tivesse me contado, eu poderia
ter vindo junto.”
Asuna escondeu suas palmas atrás dela e sorriu timidamente, tocando o chão repetidamente com
os calcanhares de suas botas. Eu vi aquelas bochechas levemente tingidas com uma sombra da cor
de uma flor de cerejeira rosa.
Eu entendi a situação toda.
Não foi por coincidência que Kirito veio para essa loja. Mantendo aquela promessa comigo, Asuna
recomendou esse lugar... para a pessoa em seu coração.
“...O que eu deveria fazer... O que eu deveria fazer...”
Tudo que girava em círculos dentro da minha mente eram aquelas palavras. Eu senti como se o
calor do meu corpo inteiro estivesse lentamente saindo pelas pontas dos meus pés. “Eu não posso
sentir nenhuma força. Eu não posso respirar.”. As emoções se acumularam, sem nenhuma forma
de me livrar delas...

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


85 Sword Art Online – Aincrad

Virando-se para encarar o meu eu rígido, Asuna falou casualmente.


“Esse cara, ele disse alguma coisa rude para você? Ele provavelmente te pediu alguma coisa ou
outra absurda, certo?”
E com aquilo, ela inclinou levemente sua cabeça para o lado.
“Eh... mas, isso significaria que você esteve com Kirito-kun noite passada?”
“B... Bem...”
Eu dei um passo adiante naquele momento, segurei a mão direita de Asuna e abri a porta da
oficina. Eu olhei em direção de Kirito por um momento e rapidamente falei enquanto eu tentava
não olhar em seu rosto.
“Por favor, espere um pouco. Nós logo voltaremos, então...”
Eu puxei a mão de Asuna dessa maneira, saindo através do balcão. Fechando a porta, nós fomos
para fora da loja através do espaço entre as janelas de exibição.
“Espere, espere, Liz, qual é o problema?”
Apesar de escutar a voz de interrogação de Asuna, eu silenciosamente segui em direção da rua
principal, continuando a caminhar em um passo rápido. Eu não poderia suportar falar em frente
de Kirito. Se eu não escapasse, parecia que eu teria chegado à conclusão de que eu tinha perdido
meu caminho.
Como se ela tivesse percebido meu estado anormal, Asuna seguiu silenciosamente sem dizer
qualquer palavra. Eu gentilmente soltei o braço dela.
Nós entramos na rua lateral virada para o leste, caminhamos por um curto período e encontramos
um pequeno café de calçada que parecia que estava sendo escondido pelo alto muro de pedra.
Não havia um único cliente. Eu escolhi uma mesa no canto e sentei em uma cadeira branca.
Asuna olhou para meu rosto quando ela sentou no lado oposto, sem dar nenhuma impressão de
seus pensamentos.
“...Qual o problema Liz...?
Eu me esforcei para juntar o máximo de vigor que eu pude, colocando um largo sorriso em meu
rosto. O mesmo sorriso de sempre, o único desde os tempos em que nós trocávamos fofocas
alegremente.
“...Bem, é aquela pessoa, não é?”
Cruzando meus braços, eu me inclinei para olhar o rosto de Asuna.
“H-hein?”
“A pessoa que você gosta!”
“Ah...”
Asuna abaixou seus olhos, seus ombros pareceram se estreitar. Ela assentiu com suas bochechas
coradas.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


86 Sword Art Online – Aincrad

“...Sim.”
Um forte latejo... quando eu ignorei a dor afiada que se pôs em meu peito, eu mostrei um largo
sorriso de novo.
“Bem, ele certamente é uma pessoa estranha; alguém realmente estranho.”
“Kirito-kun fez alguma coisa...?”
Eu coletei toda minha força e respondi assentindo para o olhar preocupado de Asuna.
“Ele só veio e quebrou a melhor espada em minha loja de repente.”
“Wah... M-me desculpe por isso...”
“Não é realmente algo de que você tenha que se desculpar.”
Olhando para Asuna que estava cruzando suas mãos como se ela mesma tivesse feito a ação,
alguma coisa profunda dentro do meu peito palpitou ainda mais.
“Só um pouco mais... É só um pouco mais , continue indo, Lisbeth.”
Sussurrando comigo mesma em meu coração, eu de alguma forma consegui manter meu sorriso.
“Bem, de qualquer forma, criar o tipo de espada requerida por aquela pessoa, acabou por um
metal raro ser necessário, então nós fomos para os andares mais altos para consegui-lo. E durante
isso, nós fomos pegos em uma armadilha menor, você sabe; nós tivemos problemas para escapar,
esse é o porquê de eu não ter voltado.”
“Então foi isso... você poderia ter chamado por mim. Ah... mensagens não podiam ser enviadas
também, hum...?”
“Eu deveria ter te chamado também, me desculpe por isso.”
“Não, a guild estava terminando as atividades ontem, então... Então, você fez a espada?”
“Ah, sim. Céus, não gostaria de fazer parte de um trabalho tão problemático de novo.”
“Você deveria definitivamente cobra-lo um preço bem alto por isso.”
Nós nos olhamos rindo no mesmo tempo.
Eu permaneci com um pequeno sorriso em meu rosto e mencionei um comentário final.
“Bem, ele é esquisito, mas certamente não é uma pessoa ruim. Eu estarei torcendo por você,
então, faça o seu melhor Asuna.”
Esse foi o limite. O fim das minhas palavras tremulas.
“S-sim, obrigada...!”
Quando Asuna assentiu, ela inclinou sua cabeça para o lado e olhou em meu rosto. Antes que ela
pudesse ver o que estava escondido sob minhas pálpebras, eu me levantei bruscamente e falei.
“Ah, oh, não! Eu... eu tinha um compromisso arranjado para comprar alguns materiais. Eu estarei
saindo por um tempo!”
“Eh, na loja... e sobre Kirito-kun?”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


87 Sword Art Online – Aincrad

“Vá fazer companhia para ele Asuna! Estarei contando com você!”
Eu me virei e comecei a correr. Eu olhei para Asuna atrás de minhas costas e acenei rapidamente
minha mão para ela. Não havia como eu voltar.
Depois de eu correr em direção à praça do portal, faltava apenas encontrar um lugar onde eu não
pudesse ver aquele café ao ar livre, então eu tomei a primeira curva, dobrando em direção ao sul.
Eu continuei pela beira da cidade, almejando as áreas sem jogadores, correndo sozinha sem
pausa.
Quando minha vista distorceu eu sequei meus olhos com minha mão direita. Secando eles de novo
e de novo enquanto eu corria.
Quando eu percebi, eu tinha alcançado todo o caminho antes das paredes do castelo que
cercavam a cidade. Ante às paredes gentilmente curvadas se alongando, largas árvores estavam
plantadas em espaços regulares de uma para a outra. Eu entrei nas sombras de uma delas, parada
com minha mão em seu tronco.
“Uguu... Uu...”
Minha voz vazou pela minha garganta, sem a menor tentativa de silencia-la. As lágrimas que eu
tinha desesperadamente segurado, saíram uma após outra, desaparecendo enquanto elas
escorriam pelas minhas bochechas.
Essa era a segunda vez que eu tinha chorado desde que eu vim para esse mundo. Na vez que eu
entrei em pânico e chorei no primeiro dia em que eu entrei, eu convenci a mim mesma que eu
não choraria mais. Eu pensei que eu não precisava dessas lágrimas, fortemente caindo devido ao
sistema de expressão de emoções. Mas eu nunca senti lágrimas mais febris nem mais dolorosas
que as que estavam descendo pelas minhas bochechas agora, nem mesmo aquelas que fluíam no
mundo real.
Quando eu estava conversando com Asuna, havia uma coisa que não consegui dizer. “Eu gosto
daquela pessoa também.”, essas palavras já me vieram incontáveis vezes. Contudo, não havia
como eu dizê-las para Asuna.
Na oficina, no momento em que eu vi Kirito e Asuna conversando um com o outro, eu entendi que
que não havia lugar para mim ao lado de Kirito. Isso é porque... na montanha de neve, eu tinha
exposto a vida de Kirito ao perigo. Ninguém pode estar ao lado daquela pessoa, a não ser alguém
que possuísse aquele mesmo forte coração. Isso é justamente... como por exemplo, alguém como
Asuna...
Os dois estavam conectados por uma poderosa força pulsante, bem como o emparelhamento
entre uma espada e uma bainha meticulosamente feitas. Aquilo foi o que eu fortemente senti. E
além de tudo, Asuna tinha estado constantemente pensando em Kirito por incontáveis meses, e
com seu duro trabalho, ela teve que reduzir o espaço entre eles pouco a pouco, dia após dia, não
havia como eu simplesmente fazer algo como me intrometer naquele relacionamento de repente.
É isso... eu tinha conhecido Kirito a não mais que um único dia. Indo em uma aventura da qual eu
estava desacostumada de ir com pessoas não familiares... meu coração deve ter ficado surpreso
com aquilo. Esses não eram meus sentimentos verdadeiros. Se eu estivesse me apaixonado, eu
não me apressaria; lentamente pensando nisso... eu deveria ter sempre, sempre pensado assim.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


88 Sword Art Online – Aincrad

Mas mesmo assim, por que essas lágrimas ainda estavam escorrendo?
A voz de Kirito, suas ações, todas aquelas expressões que ele tinha mostrado naquelas 24 horas,
flutuavam em minhas pálpebras fechadas uma após outra. As sensações dele despenteando meu
cabelo, segurando meu braço, sua mão apertando a minha. Seu calor, o calor daquele coração
batendo... Quando essas lembranças ferventes passaram através de mim, uma dor afiada ressoava
profundamente dentro do meu peito.
“Esqueça isso. É tudo um sonho. Leve tudo para longe com essas lágrimas.”
Segurando fortemente no tronco de uma árvore ao lado da estrada, eu chorei. Olhando para baixo
enquanto sufocava minha voz, eu continuei chorando. Essas lágrimas teriam cessado mais cedo ou
mais tarde no mundo real, mas parecia que esses líquidos escaldantes escorrendo pelos meus
olhos não tinham intensão de parar de escorrer nunca.
E então... aquela voz veio por trás de mim.
“Lisbeth.”
Meu corpo inteiro tremeu quando meu nome foi chamado. Aquele discurso, voz gentil, ainda
deixou ecos de seu original tom juvenil.
Isso devia ser um sonho. Não havia como ele estar aqui. Pensando naquilo, eu virei meu rosto para
cima, sem nem me incomodar em limpar minhas lágrimas.
Ele estava lá. Os olhos dentro daqueles cabelos negos, mostrando dor por uma tristeza única dele,
olharam para mim. Eu brevemente olhei de volta para aqueles olhos e então murmurei com um
tremor em minha voz.
“...Isso não é bom, vir aqui agora. Eu teria retornado para a usual Lisbeth energética em só um
pouco de tempo mais.”
“...”
Kirito silenciosamente deu um passo à frente; ele tentou me alcançar com sua mão direita. Eu
balancei minha cabeça levemente, parando-o.
“...Como você encontrou esse lugar?”
Ao escutar aquilo, Kirito pensou e apontou em direção ao meio da torre.
“Por alí...”
Para onde aquele dedo apontou, bem longe daqui, o pináculo da igreja - construído em oposição à
praça do portal - surgiu acima das ondulações das construções.
“Eu observei por toda parte pela torre e encontrei você.”
“He, he.”
Minhas lágrimas silenciosamente continuaram escorrendo como antes, mas depois de escutar a
resposta de Kirito, um sorriso oscilou em minha boca.
“Tão ridículo quanto sempre, hum?”
Até aquela parte dele... eu gostava dela. Para uma extensão sem esperança.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


89 Sword Art Online – Aincrad

Eu senti ainda outro aumento de soluços dentro de mim. Eu freneticamente segurei isso.
“Me desculpe, eu estou... bem, você sabe. Se apresse e volte para Asuna logo.”
No momento em que eu consegui falar e estava pronta para me virar, Kirito continuou suas
palavras.
“Eu... eu queria te agradecer, Liz.”
“Hein...?”
Atordoada pelo inesperado comentário, eu olhei para seu rosto.
“...Eu, no passado, houve um tempo em que meus companheiros de uma guild foram
aniquilados... Com isso, eu decidi nunca me aproximar de outros novamente.”
Kirito assumiu uma expressão franzida, mordendo seus lábios.
“Isso é o porquê de eu usualmente evitar formar grupos com qualquer pessoa. Contudo, ontem,
no momento que você me convidou para fazer uma missão, me senti bem por alguma razão. Eu
fiquei pensando que isso era estranho ao longo do dia. Por que eu estava caminhando ao lado
daquela pessoa...?”
Eu esqueci a dor em meu peito por um momento, olhando para Kirito.
Isso significava... isso significava, que foi eu...
“Até agora, não importava quem pedisse, eu rejeitei todos eles. Quando aqueles que eu
conhecia... não, até por aqueles que os nomes eu não sabia, só de vê-los em batalha, eu ficava
congelado pelo medo. Eu não podia ajuda-los, então só queria correr. Isso era em sua maioria
porque eu tinha sempre me isolado no lugar mais escondidos, a linha de frente, onde as pessoas
raramente vão. Quando nós caímos naquele buraco, eu até pensei que seria melhor morrer junto
de alguém do que ser o único que restasse; isso definitivamente não é uma mentira.”
Ele mostrou um sorriso fraco. Parecia que uma quantidade ilimitada de auto-condenação jazia
profundamente dentro dele, tirando o meu fôlego.
“Mas você sobreviveu. Isso foi inesperado, mas o fato de que eu fui capaz de sobreviver com você,
Liz, me deixou realmente feliz. E, naquela noite... quando você me entregou sua mão, tudo fez
sentido. Sua mão era quente... ‘essa pessoa ainda está viva.’, isso foi o que eu pensei. Eu e todas
as outras pessoas também, nós definitivamente não existimos só esperando pela morte que virá
algum dia; eu acredito que nós vivemos pelo dia em que nos libertaremos. Então... obrigado, Liz!”
“...”
Nesse momento, um sorriso verdadeiro se levantou do fundo do meu coração. Dirigida por uma
misteriosa emoção forte, eu abri minha boca.
“Comigo era... o mesmo; eu estive sempre procurando por isso. Por alguma coisa especial de
verdade neste mundo. Para mim, isso foi o calor da sua mão.”
De repente, aquele espinho de gelo preso profundamente dentro do meu coração gentilmente
derreteu, é similar ao que isso parecia. Minhas lágrimas também tinham cessado algum tempo
atrás. Por um curto período de tempo, nós observamos um ao outro em silencio. Aquela sensação

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


90 Sword Art Online – Aincrad

que apareceu durante o tempo em que nós voamos fez suas entradas novamente, escovando-se
contra meu coração e desapareceu.
Eu fui recompensada. Foi o que eu acreditei.
As palavras de Kirito que engoliram os fragmentos quebrados do meu amor que tinha se quebrado
e eu senti eles afundando para algum lugar bem fundo dentro de mim.
Eu suavemente pisquei meus olhos uma vez, sacudindo pequenas gotas e abri minha boca para
falar com um sorriso.
“Aquelas palavras da agora a pouco, tenha certeza de deixar Asuna escuta-las também. Aquela
garota está sofrendo também. Ela que seu calor, acima de tudo.”
“Liz...”
“Eu estou bem.”
Eu assenti suavemente, segurando em meu peito com minhas mãos.
“Esse sentimento vai permanecer por só um pouco mais. Então... por favor, Kirito, acabe esse
mundo. Eu estarei trabalhando duro até lá. Mas, quando nós retornarmos para o mundo real...”
Eu sorri com um sorriso travesso.
“Nós iremos direto ao round 2 com isso.”
“...”
Kirito sorriu também, assentindo profundamente. Logo, ele balançou sua mão esquerda, abrindo
uma janela. Logo quando eu pensei no que ele estava fazendo, a Elucidator foi removida de suas
costas, voltando para o inventário. Seguido daquilo, ele manipulou sua figura de equipamento,
materializando uma nova espada em seu lugar. Dark Repulser, a espada branca preenchida com
minhas emoções.
“Deste dia em diante, essa espada será minha parceira. A fatura será... resolvida no outro mundo.”
“Oh, agora você falou e disse. Vai custar caro.”
Quando nós compartilhamos risos, nós batemos nossas mãos direitas outra vez.
“Bem, vamos voltar para a loja. Asuna deve estar cansada de esperar... de qualquer forma, eu
estou ficando com fome também.”
Eu disse aquilo e comecei a caminhar depois de me levantar em frente de Kirito. Por uma última
vez, eu limpei firmemente meus olhos, secando as últimas lágrimas que ainda estavam nos cantos
dos meus olhos e elas desapareceram em gotas de luz.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


91 Sword Art Online – Aincrad

Parte 4
O frio estava notavelmente forte hoje.
Eu entrei em minha oficina enquanto esfregava minhas mãos uma contra a outra. Puxando a
alavanca na parede, eu aqueci minhas mãos sobre a fornalha que acendeu imediatamente,
queimando com um fogo vermelho. O som da roda de água pelo menos permanecia o mesmo,
mas o início do inverno já estava frio. Eu estava preocupada sobre o que aconteceria comigo se o
meio-inverno chegasse e o pequeno rio na parte de trás congelasse.
Eu pensei duramente por um curto tempo antes de voltar ao meu senso com um susto e consultar
meu agendador. Haviam ainda oito itens empilhados na lista das entregas que venciam hoje. “O
dia em breve vai ter um fim se eu não me apressar e resolve-los.”
O primeiro pedido era uma espada reta do tipo leve de uma mão. Eu olhei através da minha lista
de lingotes, pegando um que era um bom em relação ao orçamento e o rendimento e o coloquei
dentro da fornalha.
Neste momento, meu domínio do martelo havia sido aumentado e eu até coloquei minhas mãos
em alguns novos metais, então eu fui capaz de constantemente criar armas de alto nível.
Selecionando um ponto onde o fogo estava aquecido em uma temperatura adequada, eu retirei o
lingote e o coloquei sobre a bigorna. Levantando o martelo, eu o balancei para baixo com alto
vigor.
Mas, quando falando sobre espadas retas de uma mão... nem uma única espada era capaz de
exceder a força daquela espada em particular que eu forjei no verão desse ano. Esse fato é
frustrante, e mesmo assim um alívio.
Aquela espada que tinha ocultado os fragmentos do meu coração, estava provavelmente
arrasando energeticamente com tudo através da muito distante linha de frente agora mesmo.
Apesar de periodicamente cuidar dela nessa pedra de amolar em frente aos meus olhos, ao
contrário de armas comuns, a transparência de sua lâmina parecia aumentar com o uso. Por
alguma razão, ela parecia contrariar o consumo numérico que acabava mais cedo ou mais tarde;
parecia que ela quebraria apenas uma vez que seu dever fosse cumprido... isso foi o que eu previ.
Mas bem, provavelmente esse momento não chegaria em um futuro tão breve. A linha de frente
estava agora mesmo no septuagésimo-quinto andar. Aquela espada ainda teria que trabalhar por
muito tempo ainda. Dentro do punho direito daquela pessoa... Kirito.
Quando eu percebi, parecia que eu já tinha finalizado de golpear o lingote pelo número de vezes
requeridos; o lingote começou a mudar sua forma quando ele brilhou com luz vermelha. Eu assisti
esse instante mágico passar segurando minha respiração e peguei a espada que rapidamente
apareceu para examina-la.
“...Mediana, eu acho.”
Murmurando isso, eu coloquei ela sobre a mesa de trabalho. Sem espera, eu comecei a pegar o
próximo lingote. Agora era um machado de duas mãos, com o foco em seu alcance...

Depois de longo tempo após o começo do meio-dia, eu de alguma forma consegui finalizar todos
os pedidos e me levantei. Movendo minha cabeça em círculos, eu estiquei meu corpo

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


92 Sword Art Online – Aincrad

vigorosamente. Quando eu respirei de alívio, uma pequena foto suspensa na parede entrou em
minha visão.
Fazendo sinais de paz enquanto estávamos juntas, Asuna e eu. Ao lado de Asuna, parado meio
passo abaixo, Kirito com um sorriso torto. Ela foi tirada na frente dessa construção. Cerca de meio
mês atrás... quando os dois novos casados vieram aqui.
Não importa a quem você perguntasse, os dois certamente se adequam, mas até Asuna realizar
aquele objetivo, eventualmente levou a metade de um ano inteira. Eu estava ficando impaciente e
tentei colocar meu nariz na relação deles de várias formas e quando eu finalmente fui informada
de que eles se casaram por fim, eu fiquei realmente feliz por eles. Mas ainda assim... eu senti uma
pequena dor.
Eu ainda vejo o que aconteceu naquela noite em meus sonhos. Relembrando aquela única noite
de sonhos que brilhou como uma joia modesta dentro desses dois anos com apenas altos-e-
baixos. Até mesmo agora, depois de três meses já terem passado, isso ainda esquentava meu
coração como brasas brilhantes.
“...Mesmo assim...”
“Isso certamente foi incrível.”, eu murmurei isso em meu coração e suavemente tracei a foto com
meus dedos. Apesar de eu me considerar ser uma pessoa racional e realista, pensar que eu tinha
um caráter tão pouco reservado era algo que eu sequer havia notado.
“Eu sempre amei você, até o fim.”
Dando um toque firme em um certo local da foto, eu mudei meus pensamentos. Pensando se eu
deveria fazer uma simples refeição para meu almoço, ou talvez comer fora pela primeira vez em um
longo tempo, eu então saí da minha oficina... e então aconteceu.
Um efeito de som que eu nunca havia escutado até agora ressoou altamente de cima. ‘Ding, ding’, um
som parecido com um alarme de sino... eu imediatamente olhei para o teto, mas parecia que o som
estava vindo de um lugar ainda mais alto, reverberando pela direção dos andares mais altos.
Eu estava pronta para correr apressadamente, quando algo que me surpreendeu ainda mais
aconteceu. Embora a razão por trás disso seja óbvia, o NPC que cuida da loja, que ficava no balcão, sem
precisar de um único dia de descanso desde a abertura da loja, de repente desapareceu sem um único
som.
“...!?”
Eu pisquei meus olhos e olhei para o lugar onde a garota ficou até mais cedo, mas não havia sinal dela
ter retornado. A situação estava ficando mais e mais enrolada.
Para mim, que tropecei no meu caminho, uma experiencia ainda mais surpreendente me fez levantar
em um salto.
No fundo do andar superior que se estendia, cem metros acima, justo antes desse teto cinza... letras
vermelhas gigantes estavam suspensas, firmemente juntas. Meu olhar foi absorvido por elas; as duas
linhas em inglês, “Warning” e “System Announcement” (Atenção e Anúncio do Sistema), estavam
arranjadas em um padrão quadrado.
“Anúncio... do sistema...”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


93 Sword Art Online – Aincrad

Era uma cena que eu já tinha visto antes. Não havia como eu esquecer isso. Dois anos atrás, naquele
dia quando o jogo da morte começou, o mesmo espetáculo apareceu exatamente atrás daquele avatar
vazio que anunciou a mudança das regras para os dez mil jogadores.
Finalmente olhando os meus arredores depois de ficar congelada por aqueles poucos segundos, eu
avistei vários outros jogadores, parados enquanto olhavam diretamente para cima, para o andar
superior, justamente igual a mim. Franzindo a testa enquanto eu sentia algo sobre essa cena, a razão
imediatamente veio a minha mente.
Usualmente, enquanto caminhava através das ruas, haveriam NPCs vendendo suas mercadorias; não
havia um único nos arredores. Eu acredito que eles provavelmente desapareceram ao mesmo tempo
como a balconista em minha loja fez, mas... por que...
De repente, o som do alarme tocando parou. Depois de um momento de silêncio, dessa vez, o que veio
abaixo foi uma voz feminina, naquele mesmo som alto.
“Agora nós vamos anunciar uma notícia urgente para todos os jogadores.”
Isso era completamente diferente da voz do Game Master, Kayaba Akihiko, de dois anos atrás, sendo
uma voz artificial sintática com o som do ruído eletrônico incluído. Esse era obviamente um anúncio
feito através do sistema do jogo, mas sem a presença da administração em SAO, essa era a primeira
vez que eu escutei de um anúncio feito por esses meios. Eu apurei meus ouvidos para escutar
enquanto segurava minha respiração.
“O jogo estará entrando em modo de administração à força agora. Todos os monstros e recompensas
dos mesmos serão suspensos. Todos os NPCs serão demitidos. Os pontos de vida de todos os
jogadores serão fixados no valor máximo.”
“Um erro do sistema? Algum erro fatal apareceu?”
Aquilo foi o que eu pensei por um instante. Meu coração estava agarrado a um desconforto. Mas no
momento seguinte...
“Horário padrão de Aincrad, sete de Novembro, 14:55, o jogo foi finalizado.”
...E a voz do sistema reportou aquilo.
O jogo foi finalizado.
Eu não pude entender o significado daquelas palavras por alguns segundos. Os outros jogadores em
volta também estavam assim, ainda parados com suas expressões congeladas. De qualquer forma, ao
ouvir a linha seguinte, todos saltaram.
“Todos os jogadores serão liberados em sequência. Espere compreensivamente em sua localização
atual. Eu repito...”
De repente, gritos e aplausos de alegria surgiram. O solo, ou melhor, todo o Castelo Flutuante de
Aincrad tremeu. Todos estavam abraçando uns aos outros, rolando sobre o solo ou gritando alto
com suas mãos levantadas para o céu.
Eu não me movi, não disse uma palavra, simplesmente permaneci parada em frente da minha loja.
Eu de alguma forma consegui levantar minhas mãos e cobrir minha boca.
“Então ele conseguiu. Ele... Kirito fez isso. Com sua usual imprudência...”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


94 Sword Art Online – Aincrad

Foi o que eu acreditei. Depois de tudo, a primeira linha de frente ainda estava no septuagésimo-
quinto andar, mas com o jogo sendo finalizado assim, esse absurdo, impensável, ato de
insensatez, foi definitivamente uma ação de Kirito.
Eu senti como se eu escutasse murmúrios perto dos meus ouvidos.
“...Eu... mantive minha palavra...”
“Sim... sim... Finalmente, você fez isso...”
Com isso, lágrimas quentes escorreram pelos meus olhos. Sem me incomodar em limpa-las, eu
impulsionei minha mão direita para cima com toda minha força, balançando-a sem parar.
“O... Oh!!”
Colocando minhas mãos em minha boca, para alcança-lo, quem deveria estar nos andares mais
altos bem longe, eu gritei o mais alto que eu pude.
“Nós definitivamente vamos nos encontrar de novo Kirito...!! ...Eu amo você!!”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


95 Sword Art Online – Aincrad

Capítulo 3 – A garota do orvalho da manhã (Andar 22, outubro de 2024)


Parte 1
Asuna sempre coloca seu alarme da manhã para despertar às 7:50.
Se você fosse perguntar o porquê de ser em um horário tão vago, é porque o alarme matinal de
Kirito desperta às 8:00. Acordar dez minutos mais cedo e olhar para ele, dormindo ao lado dela
enquanto ela ainda está na cama, é um hobby dela.
Nesta manhã, Asuna mais uma vez acordou com o som suave de instrumentos de sopro e
continuou deitada, observando o rosto adormecido de Kirito enquanto repousava sua cabeça em
suas mãos.
Ela se apaixonou por ele há meio ano atrás. Eles se tornaram parceiros de grupo há duas semanas
atrás. E apenas meros seis dias haviam se passado desde que eles se casaram e se mudaram para
cá, dentro da floresta do vigésimo-segundo andar. Apesar de ser seu maior amado, ela
certamente ainda tinha dúvidas sobre muitas coisas relacionadas a Kirito. Por exemplo, quando
ela olhava para o seu rosto adormecido, ela gradualmente ficava menos segura sobre sua idade.
Justamente a pouco tempo atrás, devido à sua despreocupação e natureza incomum, ela tinha
figurado que ele deveria ser um pouco mais velho que ela. Contudo, a vista de Kirito em sono
profundo exprimia tal inocência e ingenuidade que ele só poderia parecer com um garoto jovem,
nem um pouco mais velho que ela.
Perguntar por alguma coisa como sua idade... provavelmente não seria um problema. Contudo,
falar de coisas do mundo real não era aprovável, e além disso, os dois já eram marido e mulher.
Em vez de perguntar sobre sua idade, trocar informações dos seus nomes e endereços reais para
poderem se se encontrar novamente quando retornarem ao mundo real seria muito mais correto.
Contudo, Asuna não estava pronta para dizer aquilo em voz alta.
Ela estava com medo de depois de falar de coisas importantes do mundo real, essa vida de
casados não se parecesse com nada mais além de um produto de sua imaginação. Para a atual
Asuna, sua única e mais importante realidade eram esses dias gentis nessa casa na floresta, até
mesmo se fosse impossível de se escapar deste mundo, com seus corpos reais morrendo, ela
ainda estaria satisfeita, sendo capaz de continuar vivendo dessa forma até o fim, vivendo sem
arrependimentos.
Isso era porque ela não acordaria desse sonho ainda... pensando assim, Asuna suavemente esticou
sua mão e acariciou o rosto adormecido de Kirito.
Ainda assim, esse com certeza era um rosto de sono infantil.
Certamente não havia necessidade de duvidar da força de Kirito naquele momento. Ele tinha uma
extraordinária quantidade de experiência acumulada por jogar pelo período de teste beta, bem
como os status numéricos adquiridos através de lutas constantes, usando-os efetivamente, sem
falar de seu julgamento e determinação. Ele podia ter perdido para a habilidade Holy Sword do
líder dos Cavaleiros do Pacto de Sangue, Heathcliff, mas Asuna sabia que Kirito era o jogador mais
forte. Independentemente do quão sombrio o campo de batalha pode ser, ela nunca sentiria
nervosismo enquanto ele estivesse ao seu lado.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


96 Sword Art Online – Aincrad

Contudo, quando ela olhou para Kirito deitado e enrolado sob o pano, de alguma forma, o
sentimento de que ele parecia uma criança ingênua e frágil que ferveu dentro dela, lutou para
explodir para fora de seu peito. O sentimento de que ela deve protegê-lo.
Respirando gentilmente, Asuna se inclinou, cobrindo o corpo de Kirito com seu braço. Ela
sussurrou suavemente:
“Kirito-kun... eu amo você. Fique comigo para sempre, certo?”
Nesse momento, Kirito tremeu fracamente, lentamente abrindo suas pálpebras. Ambos trocaram
olhares, com suas faces próximas uma da outra.
“Waa!!”
Asuna se afastou freneticamente. Mudando para uma postura diferente, ajoelhada sobre a cama,
ela disse com seu rosto corado:
“B-bom dia, Kirito-kun. Você... escutou isso de agora...?”
“Bom dia. De agora...? Eh, alguma coisa aconteceu?”
Olhando para Kirito, quem se sentou na cama e respondeu enquanto sufocava um bocejo, Asuna
desesperadamente balançou suas mãos de um lado para o outro.
“N-não, nada aconteceu!”
Terminado com um café da manhã de ovos ensolarados com pão integral, salada e café e
arrumando a mesa em um par de segundo, Asuna bateu suas mãos juntas.
“Muito bem!! Onde nós devemos passear hoje?”
“Oh, você...”
E Kirito deu um sorriso torto.
“Não fale uma coisa dessas tão descuidadamente.”
“Mas todos os dias tem sido muito divertidos, você sabe.”
Esses eram os reais e puros pensamentos de Asuna.
Só pensar já traziam memórias dolorosas, mas durante esse um ano e meio, durante o tempo em
que ela se tornou uma prisioneira de SAO até ela se apaixonar por Kirito, Asuna tinha forjado e
endurecido o seu coração.
Sacrificar o sono para fortalecer o nível de suas habilidades, sendo escolhida como a sub-líder da
guild de vanguarda, Cavaleiros do Pacto de Sangue, ela tinha mergulhado nos labirintos com um
ritmo rápido o suficiente para fazer com que até membros da guild desistissem as vezes.
Tudo que estava em seu coração era unicamente terminar o jogo e escapar; portanto, ela concluiu
que todas as outras atividades que não tinham relação com a causa eram inúteis.
Com esses pensamentos correndo através de sua mente, Asuna não poderia evitar de se
arrepender por não ser capaz de ter tido chance com Kirito antes. Os dias depois de conhece-lo
foram tão melhores, tão preenchidos com surpresas, que superavam até sua vida anterior no

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


97 Sword Art Online – Aincrad

mundo real. Se fossem com ele, todos os dias perdido aqui poderiam ser considerados como
experiencias raras.
Isso era porque, para Asuna, finalmente sendo capaz de ter um dia onde ambos pudessem passar
um tempo juntos, cada segundo poderia ser considerado como uma preciosa joia para ela. Ela
queria ir, como um casal, para mais e mais lugares juntos e conversar sobre várias coisas
diferentes.
Asuna colocou suas mãos em sua cintura e falou enquanto segurava um pote.
“Então Kirito-kun não quer sair para algum lugar para passear?”
Em resposta a isso, Kirito sorriu amplamente e balançou sua mão esquerda, chamando um mapa.
Mudando-o para seu modo visível, ele mostrou-o para Asuna. O arranjo da floresta do andar e os
lagos eram mostrados no mapa.
“Bem aqui.”
O que estava sendo apontado era um canto de uma floresta, não muito distante de sua casa.
Sendo um dos andares mais baixos, o vigésimo-segundo andar era naturalmente bastante largo. O
diâmetro de toda a área era possivelmente algo como 8 quilômetros. Um lago gigantesco existia
no meio e na costa sul da torre principal, a vila Coral. Na costa norte estava o labirinto. O resto da
área era coberta por uma linda floresta de coníferas. A pequena casa pertencente à Asuna e Kirito
ficava em uma área na beira sul do andar e o lugar ao qual Kirito estava apontando era para o
nordeste, mais ou menos a dois quilômetros de distância.
“Bem, é sobre um rumor que eu escutei na vila ontem... nesta parte, onde a floresta aumenta...
ela aparece.”
“Hah?”
Em resposta ao súbito sorriso de Kirito, Asuna perguntou duvidosamente.
“O que é?”
“...Um fantasma.”
Ficando sem palavras por um momento, ela perguntou timidamente.
“...Isso quer dizer, um monstro de tipo Astral? Algo como um fantasma ou uma alma penada?”
“Não, é um fantasma de verdade. Um jogador... isso é, um espírito humano. Aparentemente uma
menina.”
“Aah...”
Asuna estremeceu involuntariamente. Sobre assuntos como esse, Asuna era confiante de que ela
era mais afetada que pessoas normais. Ela era ruim o suficiente com eles para pensar em
desculpas aleatórias para abandonar o antigo castelo labirinto, esticado sobre os sexagésimo-
quinto e sexagésimo sexto andares, renomado por seu tema de terror.
“M-mas você sabe, esse é o mundo virtual de um jogo. Algo como... um fantasma aparecer, algo
assim nunca poderia acontecer.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


98 Sword Art Online – Aincrad

Forçando seu próprio sorriso, ela observou protestando veementemente.


“O quão isso é verdade, eu me pergunto...”
Mas Kirito, que sabia que Asuna era fraca contra fantasmas, entusiasticamente continuou.
“Por exemplo... um jogador que morreu com arrependimentos, possui o Nerve Gear que ainda
não desligou e com ele ainda ligado... vaga através dos campos, noite após noite...”
“Pare com essas co...!”
“Wahaha, me desculpe por isso, foi só uma brincadeira de mau gosto. Bem, eu duvido que um
espirito vai realmente aparecer, mas se nós vamos para algum lugar, é melhor ir para um lugar
com uma chance maior de alguma coisa interessante acontecer, certo?”
“Aaah...”
Apesar de o inverno estar próximo de chegar, o clima com certeza estava bom. A luz do sol parecia
quente e gentil, escorrendo pela grama do jardim. Um tempo muito inadequado para tais eventos
como a aparição de um fantasma. Devido à como Aincrad foi estruturado, apesar de ser
impossível ver o sol diretamente - exceto durante o começo da manhã e tarde - graças a luz
ambiente adequada, o campo estava vividamente iluminado.
Asuna se virou em direção à Kirito e respondeu, com sua cabeça erguida.
“Certo, vamos lá. Provar que não há como algo como um fantasma poder existir de verdade.”
“É isso aí. Se nós não encontrarmos ele hoje, nós vamos no meio da noite na próxima vez, certo?”
“De jeito nenhum!! ...Eu não estarei fazendo nenhuma comida para um fanfarrão como esse.”
“Ahh, esquece isso. Você não escutou nada.”
Dando uma última careta para Kirito, Asuna não aguentou e riu com um amplo sorriso.
“Bem, vamos terminar as preparações. Eu vou estar grelhando o peixe, então Kirito-kun, corte o
pão, certo?”

Rapidamente enchendo uma caixa de almoço com hambúrgueres de peixe, já eram nove em
ponto quando eles saíram de casa.
Pisando na grama do jardim, Asuna se virou para Kirito e disse.
“Ei, me deixe passear nos seus ombros.”
“Deixar você passear nos meus ombros!?”
Kirito respondeu surpreso, retornado a pergunta.
“Você sabe, olhar sempre pela mesmo altura fica meio chato. Deve ser moleza pra você com seu
status de força física, certo?”
“Bem, isso deve ser verdade... Céus, quantos anos você tem...?”
“Idade não tem nada a ver com isso! Não está bem? Não é como se alguém fosse nos ver.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


99 Sword Art Online – Aincrad

“C-certo, eu acho...”
Embaraçado, Kirito se agachou e virou suas costas para Asuna enquanto sua cabeça tremia.
Erguendo sua saia, ela ergueu suas pernas sobre os ombros de Kirito.
“Lá vamos nós. Mas com certeza vou bater em você se você olhar para trás, certo?”
“Você não está sendo irracional...?”
Resmungando sobre a situação, Kirito se levantou rapidamente, resultando em uma elevação
instantânea do ponto de vista de Asuna.
“Waa! Olhe, você já pode ver o lago daqui!”
“Eu não consigo vê-lo!!”
“Então eu vou carregar você depois também.”
“...”
Colocando suas mãos na cabeça de Kirito, quem estava decaído pelo esgotamento dos eventos
atuais, Asuna disse.
“Agora, é hora de partir! Definir um curso, do norte para nordeste!”
Rindo alegremente a bordo dos ombros de Kirito, que estava caminhando firmemente para frente,
Asuna foi capaz de compreender o quão preciosos esses dias eram, eles sendo capazes de viver
juntos. Ela poderia acreditar de todo o seu coração que esse era o tempo em que ela tinha se
sentido mais viva em todos os dezessete anos de sua vida.

Caminhando ao longo do caminho – bem, Kirito era o único que estava verdadeiramente gastando
esforços, mas – depois de cerca de dez minutos, um dos numerosos lagos pontilhando o vigésimo-
segundo andar finalmente entrou em vista. Possivelmente tentados pelo clima gentil, haviam
alguns jogadores que estavam lá desde manhã, atirados no lago, iscas flutuando na água. O
caminho continuava ao redor do lago, indo para cima, a uma certa distância da costa do lago. Mas
quando Kirito e Asuna se aproximaram, os jogadores que os notaram se viraram em direção deles
e acenaram. Parecia que cada um deles olhava e sorria para eles e alguns estavam até rindo alto.
“...Isso não é como se ninguém estivesse nos assistindo!!”
“Ahaha, então haviam pessoas aqui... Ei, Kirito-kun, acene de volta para eles também.”
“De jeito nenhum eu vou fazer isso.”
Apesar de suas queixas, Kirito não mostrou sinal de esperar para deixar Asuna descer. Asuna
entendeu que ele estava na verdade divertido pela virada dos eventos.
O caminho logo se inclinou para baixo, em direção da direita, indo para a profunda floresta.
Tecendo o espaço entre as enormes coníferas parecidas com cedros, dominando tudo, eles
passearam lentamente. O barulho das folhas, o murmúrio de um pequeno córrego, o gorjear de
pequenos pássaros. Todos esses sons servidos como um complemento para o cenário da floresta,
tingida com as cores do outono.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


100 Sword Art Online – Aincrad

Asuna virou seus olhos em direção das copas das árvores, que estavam mais perto dela do que
usualmente.
“As árvores são realmente grandes... Ei, você acha que consegue escala-las?”
“Hmm... Mm...”
Em resposta à pergunta de Asuna, Kirito pensou sobre isso por um momento.
“Provavelmente está dentro dos limites do sistema... Quer tentar?”
“Não, vamos deixar isso para a próxima. Agora que eu pensei sobre escalar.”
Asuna esticou seu corpo enquanto montava nos ombros de Kirito e olhou a borda exterior de
Aincrad, através das lacunas entre as árvores.
“Aquelas coisas ao redor da borda, as que parecem com suportes, elas estão todas conectadas ao
caminho do próximo andar, certo? Eu me pergunto... o que aconteceria se nós escalássemos
aquelas coisas?”
“Ah, eu já tentei fazer isso antes.”
“Hein!?”
Dobrando seu corpo, ela se virou e olhou para Kirito.
“Por que você nunca me convidou também?”
“Bem, isso foi quando nós não nos conhecíamos tão bem ainda.”
“O que? Isso é só porque você ficava fugindo de mim.”
“E-eu realmente fazia isso?”
“Com certeza. Eu sempre tentei convidar você, mas você não estava nem mesmo disposto para
me acompanhar para um chá.”
“I-isso é... B-bem, esqueça isso.”
Dirigindo a conversa que tinha começado a ganhar um caminho diferente do assunto original,
Kirito continuou.
“Se você julgar baseado puramente nos resultados, foi um fracasso. Escalar pelas partes onde as
pedras eram mais ásperas era surpreendentemente fácil, mas depois de escalar por cerca de oito
metros, uma mensagem de erro aparece, dizendo, ‘Você não pode ir além dessa área.’ e me
irritando.”
“Ahaha, então como esperado, não dá para trapacear, hum?”
“Isso não é motivo de risos. Minhas mãos escorregaram pelo choque e eu cai de forma
esplendida...”
“H-hein!? Você não morreria por algo assim?”
“Sim. Eu pensei que eu estava condenado. Se eu tivesse demorado três segundos a mais com
aquele Cristal de Teleporte, eu teria me tornado um novo recruta na lista de jogadores mortos em
ação.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


101 Sword Art Online – Aincrad

“Céus, isso foi perigoso. Tenha certeza de que você nunca repetirá isso, certo?”
“Isso é o que eu queria dizer!”
Passeando enquanto eles trocavam sua conversa sem objetivos, a floresta gradualmente se tornou
mais densa. Até mesmo os gritos dos pássaros ao redor, assim como a luz do sol, vazando através
das copas das árvores, começaram a desaparecer.
Quando Asuna observou os arredores mais uma vez, ela perguntou à Kirito.
“Ei, aquele lugar... o lugar do rumor, onde ele fica mesmo?”
“Bem, isso é...”
Kirito balançou sua mão, checando sua posição no mapa.
“Ah, nós estamos bem pertos dele. Nós vamos alcança-lo em poucos minutos.”
“Hmm... Ei, sobre esse caso, havia algum detalhe sobre ele?”
Ela não queria realmente escutar sobre essas coisas, mas não saber nada fazia ela se sentir
desconfortável, instigando-a a perguntar.
“Bem, cerca de uma semana atrás, um jogador artesão parece ter vindo aqui para reunir lenha. A
madeira que pode ser recolhida aqui é de uma qualidade relativamente boa e enquanto o jogador
estava concentrado em sua tarefa, o tempo ficou escuro... o jogador se apressou em retornar,
mas coberta pelas sombras das árvores... havia uma visão embaçada de algo branco.”
“...”
Esse já era o limite para Asuna, mas Kirito continuou impiedosamente.
“O jogador ficou nervoso pensando que aquilo era um monstro, mas aparentemente, aquilo não
era um. Era um humano, ou melhor, uma pequena garota, como o jogador havia mencionado. Um
cabelo preto grande, em roupas brancas. Lentamente caminhando em direção à um bosque de
árvores. Se não era um monstro, só poderia ser um jogador, o jogador pensou, olhando para ela.”
“...”
“...Não havia um cursor sobre ela.”
“Ee...”
Um leve grito escapou não intencionalmente da garganta de Asuna.
“Não há como isso ser possível. Apesar de pensar isso, o jogador chegou mais perto. E então
chamou ela. Ao fazer isso, a garota cessou todos os seus movimentos... ela gradualmente se virou
em direção dele...”
“I-isso j-já é s-sufi...”
“Então, o jogador finalmente percebeu. A garota, quando a luz da tarde brilhou em suas roupas
brancas, as árvores próximas dela... podiam ser vistas através dela.”
“...!!”
Sufocando um grito, Asuna se agarrou fortemente ao cabelo de Kirito.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


102 Sword Art Online – Aincrad

“Vai ser o meu fim se ela se virar, ele pensou e fugiu. Finalmente chegando em um lugar distante
suficiente para conseguir ver a luz do vilarejo, ele figurou que ele estava a salvo e parou...
arquejando, ele virou para olhar atrás dele...”
“...!?”
“E não havia ninguém lá. E ele viveu feliz para sempre.”
“...K-k-kirito-kun, seu idiota...!!”
Saltando de seus ombros, ela se levantou, seriamente pronta para dar um soco em suas costas...
mas naquele mesmo momento...
Dentro das profundezas da floresta, nas sombras, apesar de ainda ser meio dia, em uma certa
distância do casal, alguma coisa branca olhou para eles ao lado do tronco de uma conífera.
Dominada por uma aura sinistra, Asuna ficou congelada pelo medo. Mesmo que não fossem tanto
quanto as de Kirito, as habilidades de percepção de Asuna também eram bastante melhoradas
através de experiencia adquirida em missões. Passivamente ativando o uso da habilidade, ela
poderia aumentar a claridade de qualquer coisa que ela focasse com seu olhar.
Alguma coisa branca parecia estar flutuando no ar. Não era uma planta. Nem uma pedra. Era um
tecido. Ou melhor, colocando em detalhes, era uma peça de um vestido com linhas distintas.
Olhando para a base do vestido haviam duas finas e longas... pernas.
A garota parou. Quase igual ao que Kirito tinha descrevido, ela era uma garota jovem vestida em
uma peça branca de um vestido, imóvel, silenciosamente fitando o casal.
Sentindo-se débil enquanto ela inconscientemente se afastava, Asuna de alguma forma conseguiu
abrir sua boca. Ela deixou um sussurro rouco escapar.
“Ki... Kirito-kun, bem alí.”
Kirito rapidamente seguiu o olhar de Asuna. Ele imediatamente congelou também.
“I-isso tem que ser mentira...”
A garota não se moveu. Em pé a mais ou menos dez metros de distância do casal, seu olhar estava
fixado neles. Naquele mesmo momento, Asuna se preparou, pensando que ela definitivamente
iria desmaiar se a garota chegasse mais perto.
O corpo da garota tremia... inconstantemente. Como uma boneca mecânica que tinha ficado sem
energia, ela caiu sobre o chão, com um movimento diferente do de um ser vivo. Um baque leve
gentilmente ressoou.
“Não há como...”
Nesse momento, Kirito estreitou os seus olhos.
“Não há como uma coisa dessas ser um fantasma!!”
E então ele correu depois de gritar aquilo.
“E-espere, Kirito-kun!”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


103 Sword Art Online – Aincrad

Apesar do pedido de Asuna que estava atrás dele chegar até ele, Kirito correu em direção da
garota caída, sem nem mesmo olhar para trás.
“Céus!!”
Asuna se levantou relutantemente e seguiu ele. Apesar de seu coração ainda estar desregulado,
ela nunca tinha escutado de um fantasma que poderia enfraquecer e cair. Aquilo não poderia ser
nada mais do que um jogador.
Depois de alguns segundos, depois de alcançar a sombra sob a conífera, ela encontrou a garota já
nos braços de Kirito. Ela ainda estava inconsciente. Seus olhos, cobertos por longos cílios, ainda
estavam fechados, com seus braços fracamente pendurados para baixo. Olhando seriamente para
sua figura, embrulhada em uma única peça de vestido, Asuna reconfirmou se ela não estava
transparente em algum lugar.
“E-ela está bem?”
“Hmm... Bem, para ser franco... não há necessidade de respirar nesse mundo, nem do coração
bater...”
Dentro de SAO, muitas funções psicológicas humanas podem ser não apenas reproduzidas, mas
também omitidas. É possível respirar deliberadamente, junto com as sensações do ar fluindo
através de suas vias respiratórias, mas o avatar não necessita de respirar subconscientemente
para fazer isso. Da mesma forma, para os batimentos do coração, apesar da sensação dos
batimentos aumentar sob tensão ou excitação, não há como sentir isso nos outros.
“Mas ela ainda não desapareceu... então ela ainda deve estar viva, eu acho. Mas isso...
certamente é estranho...”
Terminado esse comentário, Kirito inclinou sua cabeça para o lado.
“O que é estranho?”
“Ela não pode ser um fantasma, já que eu posso tocar ela assim. Mas ainda assim, o cursor... não
está aparecendo...”
“Ah...”
Asuna concentrou novamente a sua visão no formato da garota. De alguma forma, o cursor
colorido que definitivamente apareceria sobre objetos dinâmicos em Aincrad, como um jogador,
monstros ou até mesmo NPCs, não apareceu nesse caso. Isso era um fenômeno que nunca tinha
acontecido até agora.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


104 Sword Art Online – Aincrad

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


105 Sword Art Online – Aincrad

“Isso é provavelmente um bug, ou algo assim?”


“Isso é provável. Em uma situação assim, alguém usualmente chamaria por um Game Master em
um jogo normal, mas não existem Game Masters em SAO... Mas ainda assim, não é só o cursor.
Para uma jogadora, ela parece muito jovem.”
Isso era verdade. O corpo suportado pelas mãos de Kirito era incomumente pequeno. Ela nem
mesmo parecia ter uma idade maior que dez anos. Havia uma restrição de idade enquanto
configurava-se o Nerve Gear antes de ser capaz de entrar no jogo, proibindo crianças,
provavelmente abaixo da idade de treze anos, de serem capazes de usá-lo.
Asuna esticou levemente sua mão, acariciando a testa da garota. Parecia estar levemente fria a e
suave ao toque.
“Por que... há uma garota tão jovem aqui, em SAO...?”
Mordendo firmemente seus lábios, Kirito falou quando ele se levantou.
“Por enquanto, nós só não podemos deixa-la só. Nós deveríamos ser capazes de descobrir algo
quando ela acordar. Vamos leva-la conosco.”
“Sim, está certo.”
Kirito se levantou enquanto ele segurava a garota em seus braços. Asuna casualmente olhou para
os arredores, mas sendo incapaz de achar qualquer coisa além de um tronco apodrecendo, ela
não conseguiu achar a razão para a presença da garota na área.

Eles correram por quase todo o caminho, mas a garota não recuperou a consciência, nem mesmo
depois deles saírem da floresta e chegar de volta em casa. Deitando a garota na cama de Asuna e
cobrindo-a com um cobertor, o casal se sentou lado a lado na outra cama, pertencente à Kirito.
Havia uma quietude momentânea no ar, antes de Kirito indiferentemente quebrar o silêncio.
“Bem, se há uma coisa que nós podemos ter certeza é que ela não é um NPC já que nós
conseguimos trazer ela até aqui.”
“Sim... isso é verdade.”
NPCs sob o controle do sistema tem suas posições fixadas dentro de certos intervalos de
coordenadas e, portanto, não podem se mover de acordo com o desejo dos jogadores. Se eles
fossem tentar tocar ou segurar os NPCs, a janela de reporte de assédio seria desencadeada dentro
de segundos, dando a eles um choque doloroso e os mandaria pelos ares.
Assentindo levemente para a concordância de Asuna, Kirito continuou com suas deduções.
“E também, nenhuma janela de nenhuma missão foi aberta. Se esse fosse o caso, a janela da
missão deveria ter aparecido no momento em que nós tocamos ela. Em outras palavras, essa
criança deve ser uma jogadora que se perdeu... ou pelo menos, essa deveria ser a conclusão mais
sensata.”
Rapidamente mudando seu olhar em direção da cama, ele continuou.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


106 Sword Art Online – Aincrad

“Não ter um cristal em mão, possivelmente nem mesmo ser consciente dos métodos de se
deslocar... eu acredito que ela nunca tinha se aventurado no campo e só ficou dentro da Cidade
Inicial. Eu não sei por que ela veio todo esse caminho para um lugar como esse, mas na Cidade
Inicial, nós devemos encontra alguém que conheça ela... talvez até os seus parentes ou
responsáveis devem estar lá.”
“Sim. Eu também acho. Eu não acho que uma criança tão jovem como essa pôde entrar aqui
sozinha. Ela deveria ter vindo com sua família ou alguém assim... eu realmente espero que eles
estejam à salvo também.”
Aparentemente tendo lutado contra aquela última frase, Asuna virou e olhou para Kirito.
“Ei, ela deve se recuperar, certo?”
“Ah. Se ela não desapareceu ainda ela ainda deve estar conectada ao Nerve Gear. Ela deve estar
apenas dormindo. Por isso, mais cedo ou mais tarde, ela vai acordar... é o que eu acredito.”
Vigorosamente assentindo sua cabeça, as palavras de Kirito estavam tingidas com esperança.
Quando Asuna se levantou, ela se ajoelhou na frente da cama na qual a garota estava dormindo e
a alcançou com sua mão direita. Ela gentilmente acariciou a cabeça da garota.
Ela certamente era uma garota bonita. Bem mais que uma criança humana, sua presença poderia
ser dita como mais próxima a uma fada. Sua aparência era similar à composição de um alabastro,
delicada e branca como a neve. Seu longo cabelo negro brilhava elegantemente e com sua
aparência exótica, seria, sem sombra de dúvidas, encantador se ela abrisse seus olhos e sorrisse.
Kirito chegou mais perto também, abaixando seu corpo ao lado de Asuna. Hesitantemente
esticando sua mão direita, ele acariciou o cabelo da garota.
“Ela não parece ter dez... talvez cerca de oito?”
“Deve ser mais ou menos isso... ela é a jogadora mais jovem que eu já encontrei.”
“Verdade. Eu encontrei uma jogadora domadora de feras antes, mas até mesmo ela tinha cerca de
treze anos.”
Instintivamente reagindo a algo que ela nunca tinha escutado antes, Asuna olhou para Kirito.
“Hmm, então você tinha amigas fofas assim, hum?”
“Ah, nós só trocamos mensagens de vez em quando... n-não, isso é tudo, não há mais nada além
disso!”
“Eu imagino. Kirito-kun é uma pessoa maçante afinal de contas.”
E então ela se virou bruscamente.
Como se ele sentisse a conversa rumando à uma direção esquisita, Kirito se levantou e falou.
“Ah, já está tarde. Vamos comer alguma coisa.”
“Sobre essa história, eu vou ter certeza de que você vai me explicar todos os detalhes claramente
mais tarde, certo?”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


107 Sword Art Online – Aincrad

Olhando para Kirito novamente, Asuna também se levantou, rindo quando decidiu deixar o
assunto de lado por um tempo.
“Bem, vamos comer a marmita. Eu vou fazer um chá.”

A tarde de outono passou pacificamente e até mesmo quando o tempo, inundado pela luz
carmesim em frente do sol do lado exterior, se desvaneceu, a garota ainda não tinha saído de seu
sono.
Quando as cortinas foram fechadas e a luminária na parede acendeu, Kirito retornou de sua
viajem ao vilarejo. Silenciosamente balançando sua cabeça, ele transmitiu o seu fracasso em
encontrar qualquer pista sobre a garota.
Nem mesmo com ânimo para desfrutar de um jantar animado, o casal optou por uma simples
refeição de sopa e pão e Kirito começou seu empenho depois de olhar para os vários tipos de
jornais que ele tinha comprado.
Apesar deste ser referido como um jornal, é bem diferente daqueles do mundo real, que são
pedaços de papel unidos, mas em vez disso, são simplesmente um único pedaço de folha, com o
tamanho similar ao de uma revista. Sendo representado de uma maneira igual à da janela do
sistema e editado no formato de um site, ele pode ser usado para organizar e exibir informações
acumuladas.
O conteúdo também é idêntico ao de um site do detonado de um jogo dirigido por jogadores,
composto por vários tópicos: Novidades, um manual para iniciantes, perguntas frequentes, uma
lista de itens, etc. Dentro deles, haviam também um Achados e Perdidos e uma seção de
perguntas e respostas, onde o casal colocou os seus olhos. Eles pensaram que havia uma
possibilidade de que alguém estivesse procurando pela garota. Porém...
“...Nada, eh...”
“Nada, huh...”
Perdendo dezenas de minutos para ler todo o jornal, os dois trocaram olhares e afrouxaram a
sensação de tensão em seus ombros. Não havia nada mais que eles pudessem fazer a não ser
esperar pela garota finalmente despertar e explicar as circunstâncias.
Em uma noite normal, os dois ficariam acordados até tarde conversando sobre qualquer coisa,
jogando jogos simples, às vezes até fazendo um passeio noturno, mas nenhum deles estava com
disposição para isso essa noite.
“Vamos dormir então.”
“Hmm. Concordo.”
Asuna aceitou as palavras de Kirito assentindo.
Desligando as luzes na sala de estar, eles se dirigiram ao quarto. Como a garota estava ocupando
uma das camas, eles teriam que dormir juntos - bem, esse já era o caso em todas as outras noites
– então eles trocaram suas roupas de dormir rapidamente.
A lamparina no quarto também foi apagada e o casal se deitou na cama.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


108 Sword Art Online – Aincrad

Kirito certamente possuía várias habilidades únicas e estranhas; e assim sendo, parecia que dormir
facilmente também estava incluído entre elas. Quando Asuna ganhou ânimo para conversar e se
virou, já havia o som estável da respiração durante o sono.
“Céus.”
Levemente murmurando sua desaprovação, ela se virou para o outro lado, olhando a cama em
que a garota estava dormindo. Na pálida escuridão azul, a garota de cabelo negro ainda estava
dormindo profundamente como antes. Apesar dela nunca ter se esforçado para pensar sobre o
passado da garota, seus pensamentos gradualmente viraram nessa direção enquanto ela
continuou observando.
Se ela estava vivendo até agora com um guardião, como seus pais ou irmãos, isso seria bom.
Contudo, no caso dela ter vindo para esse mundo sozinha e perdido esses dois anos com medo e
isolação... para uma mera criança de oito ou nove anos de idade, esses dias devem ter sido
insuportáveis. Se ela esteve nessa situação, ela provavelmente seria incapaz de retornar a sua
sanidade.
“Isso poderia ser...” Asuna chegou na pior conclusão possível. Talvez, a razão pela qual ela estava
perambulando naquela floresta e ficado inconsciente era devido à algum problema causado pela
condição de sua mente. Com certeza, não haviam psiquiatras em Aincrad; nem haviam
administradores do sistema para se procurar ajuda. A predição mais otimista para o fim deste jogo
ainda era cerca de meio ano pelo menos e nada poderia ser realizado meramente com o esforço
de Asuna e Kirito de qualquer forma. Devido ao fato de que ambos estavam atualmente ausentes
das linhas de frente, o número de jogadores com níveis iguais aos seus seria reduzido em dois, e
criar um grupo balanceado seria mais difícil.
Independentemente do quão profundamente a garota estivesse sofrendo, Asuna não tinha a
capacidade para salva-la... percebendo isso, ela ficou incomodada com uma dor agonizante em
seu peito. Ela inconscientemente saiu da cama e se moveu para o lado da garota adormecida.
Acariciando o cabelo da garota por um curto momento, Asuna levemente virou os cobertores e se
deitou ao lado dela. Com ambos os braços, ela abraçou firmemente o pequeno corpo da garota.
Apesar da garota não mover nem mesmo um único dedo, sua expressão pareceu ter ficado um
pouco mais suave e Asuna sussurrou silenciosamente.
“Boa noite. Seria muito bom se você acordasse amanhã...”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


109 Sword Art Online – Aincrad

Parte 2
Banhada na luz branca da manhã, uma melodia suave fluiu na consciência sonolenta de Asuna. Era
seu alarme matinal com o som de um instrumento de sopro tocando. Envolta na sensação de
deriva ao despertar, Asuna mergulhou na melodia, de alguma forma sentindo nostalgia. Bem
antes dos ecos refrescantes de instrumentos de corda e o ritmo principal do clarinete seguido
pelos outros, havia uma fraca voz humana...
...cantarolando?
Ela não era a única cantando. Asuna abriu seus olhos.
Dentro de seus braços, a garota de cabelo negro tinha suas pálpebras fechadas... cantarolando
com a melodia do alarme matinal de Asuna.
A garota não errou nem uma única nota. Contudo, aquilo era impossível. Como Asuna configurou
o alarme para ser audível apenas para ela mesma, não havia como aquela pessoa pudesse
alcançar um feito como cartar junto da melodia dentro de sua mente.
De qualquer forma, Asuna decidiu colocar aquela dúvida de lado pelo momento. Ao invés disso...
“Ki-kirito-kun, céus, Kirito-kun!!”
Sem mover um dedo, ela chamou por Kirito, que dormia na cama ao lado. Logo houveram sinais
de Kirito murmurando levemente quando ele acordou.
“...Bom dia. Alguma coisa aconteceu?”
“Rápido, venha cá!”
O assoalho grunhiu. Mudando seu olhar de Asuna para a cama, Kirito arregalou seus olhos
também.
“Ela está cantando...!?”
“S-sim...”
Asuna sacudiu levemente a garota dentro de suas mãos e chamou-a.
“Ei, acorde... abra seus olhos.”
A garota parou de mover seus lábios. E então, seus longos cílios tremeram levemente e ela
lentamente se levantou.
Com olhos negros nebulosos, ela olhou diretamente para os olhos de Asuna, logo antes dela.
Piscando algumas vezes, ela abriu só a menor parte de seus lábios quase sem cor.
“Aa... uu...”
A voz da garota soou, como as vibrações delicadas de talheres, um som fugazmente bonito. Asuna
se sentou, ainda abraçando a garota.
“...Obrigada deus, você acordou. Você sabe algo sobre... bem, sobre o que aconteceu com você?”
Quando Asuna disse isso, a garota ficou em silêncio por alguns segundos, balançando sua cabeça
um pouco, com movimentos curtos.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


110 Sword Art Online – Aincrad

“Entendo... Qual é o seu nome? Você consegue dizê-lo?”


“N... ome... M... eu... nome...”
Quando a garota inclinou sua cabeça, um fio do seu cabelo brilhoso caiu sobre sua bochecha.
“Yu... i. Yui. Esse é... meu nome...”
“Então, Yui-chan? É um nome bonito. Eu sou Asuna. E esse é Kirito.”
Quando Asuna virou, a garota que se chamava Yui seguiu seu exemplo e virou sua visão. Olhando
entre Asuna e Kirito, que estava meio curvado para a frente, ela abriu sua boca.
“A... una. Ki... to.”
Com seus lábios hesitantes, ela falou com sons desarticulados. Asuna sentiu seus medos da noite
anterior retornando. A aparência exterior da garota era de pelo menos oito anos de idade; se você
fosse considerar o tempo que havia se passado desde que ela entrou no jogo pela primeira vez,
sua idade verdadeira deveria ter alcançado cerca de dez anos agora. Mas as palavras instáveis da
garota... era como se elas viessem de uma criança que tinha acabado de ganhar consciência.
“Ei, Yui-chan. Por que você estava andando pelo vigésimo-segundo andar? Seu pai ou sua mãe
talvez estão em algum lugar perto daqui?”
Yui moveu seus olhos para baixo e ficou em silêncio. Permanecendo quieta por um momento, ela
balançou sua cabeça de um lado ao outro.
“Eu não... sei... Eu não... sei nada...”

Depois de ser colocada em uma postura sentada na cadeira da mesa de jantar e receber a oferta
um leite quente, a garota segurou o copo em seu peito com ambas as mãos e começou a beber.
Assistindo-a pelo canto de seu olho, Asuna decidiu debater a situação com Kirito à uma certa
distância da garota.
“Ei, Kirito-kun. O que você acha...?”
Kirito mordeu seus lábios com uma expressão séria, mas então falou, com uma expressão
desanimada.
“Ela não parece... ter suas memórias. Mas, com aquelas reações... isso é como se sua mente
tivesse sido danificada ou...”
“Sim... então você também pensou nisso, hum...?”
“Droga.”
O rosto de Kirito se distorceu, aparentemente à beira das lágrimas.
“Nesse mundo... eu já vi várias coisas horríveis... mas essa é... a pior. Isso é tão cruel...”
Vendo seus olhos ficarem aguados, Asuna também sentiu algo estourando para fora de seu peito.
Envolvendo seus braços ao redor de Kirito, ela falou.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


111 Sword Art Online – Aincrad

“Vai ficar tudo bem, Kirito-kun. Se formos nós, há definitivamente alguma coisa... que nós
podemos fazer.”
“...Sim. Está certo...”
Kirito levantou sua cabeça e sorriu fracamente, colocando sua mão no ombro de Asuna, e
retornou para a mesa de jantar. Asuna o seguiu.
Movendo uma cadeira com um pouco de barulho, Kirito se sentou ao lado de Yui e começou a
falar com uma voz clara.
“Aah, Yui-chan. Eu posso chamar você só de Yui?”
Tirando seu rosto do copo, Yui assentiu.
“Entendi. Então, você pode me chamar só de Kirito.”
“Ki... to.”
“É Kirito. Ki-ri-to.”
“...”
Yui assumiu uma expressão complexa e ficou quieta por um momento.
“...Kiito.”
Kirito soltou um riso e colocou sua mão na cabeça de Yui.
“Talvez seja um pouco difícil. Você pode me chamar por qualquer outro nome mais fácil que você
quiser.”
Yui pensou por um instante novamente. Ela não mexeu um dedo, nem mesmo quando Asuna
pegou o copo da mesa e o reencheu de leite.
E então, Yui lentamente levantou seu rosto e olhou para Kirito, e timidamente, ela abriu sua boca.
“...Papai.”
Depois ela se virou para Asuna e falou.
“Auna é a... mamãe.”
Asuna tremeu incontrolavelmente. Ela não sabia se a garota tinha meramente os confundido com
seus pais de verdade, ou talvez... que seus parentes não existissem nesse mundo e ela queria eles
dois como seus pais; mas antes de lidar com essa dúvida, Asuna tentou freneticamente restringir
os sentimentos descendo por seu coração e lutou para se soltar e assentir com um sorriso.
“Está certo... Eu sou a mamãe, Yui-chan.”
Escutando isso, Yui sorriu pela primeira vez. Sob sua longa franja, seus olhos anteriormente sem
expressão brilharam com uma feição de boneca.
“...Mamãe!”
Olhando para os braços estendidos em direção dela, Asuna sentiu uma violenta dor se agitando
dentro de seu coração.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


112 Sword Art Online – Aincrad

“Uu...”
Fervorosamente segurando as lágrimas que ameaçavam transbordar, ela de alguma forma
conseguiu preservar seu sorriso. Ela levantou a pequena figura de Yui da cadeira, e quando ela
abraçou-a firmemente, Asuna sentiu uma única lagrima sair com uma confusão de diferentes
emoções e escorrer por sua bochecha.

Terminando de beber seu leite quente e comer um pequeno pão, Yui parecia ter ficado com sono
novamente, com sua cabeça começando a balançar levemente enquanto estava sentada na
cadeira.
Olhando para o perfil da garota enquanto estava sentada no lado oposto da mesa, Asuna limpou
seus olhos com uma mão tremula e olhou em direção à Kirito, ao lado dela.
“E-eu...”
Apesar de abrir sua boca, ela era incapaz de formar as palavras que ela queria adequadamente.
“Me desculpe, eu só não tenho ideia sobre o que nós deveríamos fazer...”
Kirito olhou para Asuna com um olhar simpático, mas logo falou depois de suspirar.
“...Até essa criança recuperar suas memorias, você quer ficar aqui e cuidar dela, certo? Eu
entendo... esses sentimentos. Eu sinto o mesmo. Mas ainda assim... é um dilema real... se nós
fizermos isso, nós não vamos poder retornar para completar o jogo por um tempo, e com isso, o
tempo preciso para libertar essa criança desse mundo também será adiado...”
“Sim... isso é verdade, apesar de tudo...”
Colocando-se um pouco de lado, Asuna começou a pensar. Sem exagerar, mas a presença de Kirito
como um jogador na linha de frente era mais importante do que a da maioria dos outros
jogadores, provendo mapas das áreas de travessia dos labirintos, com quantidades além até
mesmo de muitas guilds proeminentes, mesmo sendo um jogador solo. Apesar de planejar isso
como apenas meras duas semanas de vida de recém-casados, pegar Kirito apenas para ela assim
era o suficiente para fazê-la sentir vestígios de culpa.
“Por enquanto, vamos apenar fazer o que pudermos.”
Olhando para Yui, quem tinha dormido, Kirito continuou suas palavras.
“Primeiramente, vamos nos dirigir para a Cidade Inicial e ver se podemos encontrar os pais ou
irmãos dessa criança. Com ela se destacando tanto como uma jogadora, eu acredito que deva
haver até mesmo recompensa para quem reconhecê-la pelo menos.”
“...”
Era uma conclusão natural. Mas Asuna notou seus sentimentos de não querer se separar da
garota dentro dela. Essa era a vida onde ela poderia estar sozinha com Kirito, a vida da qual ela
tinha até mesmo sonhado anteriormente; mas de alguma forma, ela não tinha objeções contra
essa se tornar uma família de três. Isso devia ser porque ela sentia como se Yui fosse ser como a
filha de Kirito e dela... Chegando a essa linha de pensamentos, Asuna ficou assustada e voltou aos
seus sensos, com suas orelhas ficando vermelhas.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


113 Sword Art Online – Aincrad

“...? Qual o problema?”


“N-não é nada!!”
Asuna se virou para Kirito, que olhava suspeito, e balançou sua cabeça para frente e para trás.
“E-está certo. Quando Yui-chan acordar, vamos para a Cidade Inicial. Nós podemos colocar alguma
coisa na aba das Perguntas e Respostas do jornal pelo caminho também.”
Ainda incapaz de olhar no rosto de Kirito, Asuna falou rapidamente enquanto arrumava a mesa
com pressa. Quando ela olhou para Yui, em sono profundo na cadeira, talvez fosse sua
imaginação, mas seu rosto adormecido parecia diferente do dia anterior, parecendo mais
tranquilo.
Sendo movida para a cama, Yui dormiu pelo dia inteiro, e se perguntando se ela tinha entrado em
coma novamente, Asuna ficou extremamente preocupada; mas felizmente, ela acordou justo
quando as preparações para o almoço estavam completas.
Apesar de cozinhar uma torta de frutas - que ela raramente fazia - por causa de Yui, quando Yui
pegou seu prato da mesa, ao invés da torta, ela mostrou mais interesse em um sanduíche, cheio
com mostarda, que Kirito estava mordendo com entusiasmo, impressionando o casal.
“Ah, Yui, esse está realmente apimentado.”
“Uu... Eu quero comer o mesmo que o Papai.”
“Entendo. Eu não vou te impedir se você já se decidiu. Tudo é uma experiência.”
Pegando um sanduíche, Yui abriu sua pequena boca com toda sua força e mordeu sem nem
mesmo um único traço de hesitação.
O casal segurou sua respiração enquanto eles assistiram ela, Yui, mastigando a comida com uma
expressão complicada, finalmente engolindo o alimento que desceu por sua garganta com um
único gole e então ela sorriu alegremente.
“É gostoso.”
“Ela tem coragem.”
Kirito também sorriu enquanto ele acariciava a cabeça de Yui.
“Vamos nos desafiar com um jantar completo bem apimentado.”
“Céus, não se deixe levar. Não há como eu fazer uma coisa dessas.”
Mas se eles encontrassem os guardiões de Yui na Cidade Inicial, os únicos a retornar para cá
seriam apenas eles dois. Pensando nisso, Asuna sentiu uma pequena solidão retornando para seu
coração.
Asuna olhou para Yui, quem decidiu finalizar o resto do sanduíche e bebeu o chá com leite com
um olhar satisfeito, antes de falar.
“Oh, Yui-chan, vamos sair por um tempo de tarde.”
“Sair?”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


114 Sword Art Online – Aincrad

Olhando diretamente para o rosto confuso de Yui, ela parou, pensando em como explicar quando
Kirito tomou a frente.
“Nós vamos procurar seus amigos.”
“Amigos... quem são esses?”
Reagindo aquela resposta, os dois instintivamente trocaram olhares. Haviam vários traços
peculiares da síndrome de Yui. Diferentemente de meramente sua idade mental retroceder, era
algo mais próximo de pedaços e peças de sua memória terem desvanecendo.
“O melhor a se fazer para melhorar sua condição seria achar seus guardiões de verdade...”
Dizendo isso a si mesma, Asuna olhou para Yui e respondeu.
“Bem, amigos são as pessoas que são capazes de ajudar você, Yui-chan. Agora, vamos nos
preparar.”
A expressão de Yui ainda mostrava sinais de dúvida, mas ela assentiu e se levantou.
A única peça de vestido usado pela garota, tendo mangas de sopro e feito por um material fino,
parecia que causaria frio na garota se ela saísse vestida assim, logo no começo do inverno. Com
certeza, sentir frio, ou talvez até pegar um resfriado, sofrendo dano, coisas assim não
aconteceriam – bem, seria uma história diferente se você estivesse sem roupas e fosse para uma
área gélida – mas, o fato de que a pessoa usualmente sentiria um mal-estar não mudava.
Asuna desceu pela sua lista de itens, materializando roupas de frio, uma após a outra, e quando
ela finalmente achou um agasalho que se adequava à garota, ela parou de repente.
Normalmente, quando se equipavam roupas, alguém deveria manipular a figura de equipamento
pela janela do perfil. Pano, líquidos e outros objetos suaves não eram difíceis de se reproduzir em
SAO e, portanto, diferente de um objeto independente separado, roupas eram tratadas como
uma parte do corpo ao invés disso.
Tomando nota da hesitação de Asuna, Kirito perguntou à Yui.
“Yui, sobre sua janela, você consegue abri-la?”
Como esperado, a garota inclinou sua cabeça para o lado sem entender.
“Bem, então, tente mover seus dedos na sua mão direita. Assim.”
Kirito moveu seus dedos e uma janela retangular purpura apareceu sob sua mão. Olhando aquilo,
Yui imitou o movimento com uma mão trêmula, mas a janela não abriu.
“...Como eu pensei, há algumas partes do sistema que estão danificadas. Mas ainda assim, não ser
capaz de abrir seu perfil é um problema sério... Você não pode fazer nada desse jeito.”
Logo quando Kirito mordeu seus lábios, naquele instante... ficando irritada, Yui, quem estava
balançando seus dedos de sua mão direita, balançou sua mão esquerda dessa vez. Logo nesse
instante, uma janela purpura brilhante foi exibida sob sua mão.
“Apareceu.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


115 Sword Art Online – Aincrad

Um pouco acima de Yui, quem estava rindo com alegria, Asuna trocou olhares com Kirito, que
estava surpreso. Ela não tinha ideia do que estava acontecendo.
“Yui-chan, deixe-me dar uma olhada.”
Asuna se inclinou e olhou para a janela da garota. De alguma forma, o perfil estava usualmente
escondido à todos, exceto ao proprietário, e tudo que ela conseguiu vislumbrar foi uma simples
tela vazia.
“Me desculpe, deixe-me segurar sua mão.”
Asuna segurou a mão de Yui, movendo seu dedo indicador e clicando onde ela achava que o botão
do modo de visibilidade estava por intuição.
Sua mira foi certeira e as informações da tela logo apareceram com um curto efeito de som.
Tipicamente, como roubar a vista do perfil de outro era considerado uma alta violação de
etiqueta, apesar das circunstâncias incomuns, Asuna tentou com tudo de si permanecer olhando
para a tela e agilmente abrir apenas o inventário, mas...
“O-o que há com isso!?”
No segundo em que ela olhou através da sessão do topo da tela, ela ficou espantada.
A tela do topo da janela do menu era normalmente separada em três áreas. O arranjo era o que
ficava na sessão mais alta, o nome era mostrado em caracteres em inglês juntamente com as
longas e finas barras de HP e EXP, e abaixo disso, na metade direita, seria a figura de
equipamento, enquanto a metade da esquerda seria o sumário de botões de comando. Haviam
incontáveis simples desenhos para customizar os ícones e coisas semelhantes, mas o layout
padrão não podia ser mudado. Por outro lado, na sessão mais alta da janela de Yui, somente o
estranho nome mostrado, “Yui-MHCP001” existia, sem nenhuma barra de HP ou barra de EXP,
nem mesmo nível. Apesar da figura de equipamento estar lá, o amontoado de botões de comando
era drasticamente menor que o usual, com apenas Itens e Opções lá.
Encontrando Asuna congelada, Kirito se inclinou e espiou a janela também, perdendo sua
respiração. Yui, não entendendo o significado por trás das anormalidades de sua janela, olhou
para o casal curiosamente.
“Isso também é... uma falha no sistema...?”
Asuna murmurou e um gemido profundo escapou pela boca de Kirito.
“Por alguma razão... diferentemente de uma falha, parece mais que isso foi projetado desde o
início do jogo... droga, eu não acho que eu já estive mais irritado por não haverem Game Masters
aqui mais do que eu estou hoje.”
“Normalmente, em SAO, não há realmente nenhuma falha ou travamento para relatar, então
realmente não há nenhuma necessidade de haver Game Masters... Não há motivo para pensar
nisso ainda mais, eu acho...”
Encolhendo seus ombros, Asuna moveu os dedos de Yui novamente, abrindo o inventário.
Colocando o suéter que ela pegou da mesa, o item foi armazenado na janela com um brilho de luz.
Logo após, ela arrastou o nome do suéter em direção da figura de equipamento, soltando-o lá.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


116 Sword Art Online – Aincrad

Junto com um efeito de som parecido com o de um sino, o copo de Yui foi envolvido em partículas
de luz imediatamente, aplicando o suéter rosa-claro como um objeto real nela.
“Waah...”
Assumindo uma expressão surpresa, Yui esticou suas mãos e olhou para seu próprio corpo. Asuna
continuou pegando uma saia de uma cor similar com meias pretas, sapatos vermelhos e
equipando os itens, um após o outro, e finalmente tendo retornado a peça única de vestido de
volta para o inventário, ela fechou a janela.
Finalmente vestida, Yui parecia encantada, arrastando sua bochecha vermelha contra a textura
fofa do suéter e acariciando a saia.
“Agora vamos indo então.”
“Hum. Papai, me carregue.”
Em resposta à Yui esticando ambas as suas mãos sem cautela, Kirito timidamente deu um sorriso
torto quando ele levantou o corpo da garota. Enquanto fazia isso, ele olhou para Asuna e falou.
“Asuna, apenas no caso de acontecer, mas esteja preparada para batalhar a qualquer momento.
Nós não devemos sair da cidade, mas... aquele é o território do Exército, apesar de tudo...”
“Hm... é melhor não deixar nossa guarda baixa.”
Assentindo, Asuna olhou através de seu inventário e caminhou em direção da porta junto com
Kirito. Seria bom se os guardiões da garota fossem encontrados; aqueles realmente eram seus
sentimentos honestos, mas imaginar se separar de Yui fazia-a ficar inconfortável. Elas se
conheceram há apenas um único dia, mas Yui parecia ter assumido completamente uma parte
frágil do coração de Asuna.

Na verdade, haviam alguns meses desde que Asuna desceu ao primeiro andar, a Cidade Inicial.
Sentindo emoções complexas dentro dela, Asuna ficou parada perto da saída do portão de
teleporte, observando a grande praça a as ruas estendidas para além dali.
Com certeza, como essa era a maior cidade de Aincrad, comparando o número de instalações
essenciais para viver aqui com aquelas outras cidades, não havia competição de qualquer forma.
Os preços eram geralmente baixos e todos os tipos de pousadas poderiam ser encontradas aqui.
Julgando em termos de eficiência, esse era um lugar muito adequado para ser usado como uma
cidade-base.
De qualquer forma, se você fosse pelos contatos de Asuna, nem mesmo um único jogador de alto
nível tinha estado na Cidade Inicial até agora de qualquer forma. A opressão do Exército era uma
das razões, mas isso era devido principalmente ao fato de que quando parado na praça central e
olhando em direção ao céu, ninguém poderia evitar relembrar o que tinha acontecido a muito
tempo atrás.
O começo de tudo isso foi meramente um capricho.
Nascida através da relação entre um pai empresário e uma mãe estudiosa, Asuna... Yuuki Asuna
foi criada submetida as expectativas de seus pais desde que ela ganhou consciência. Ambos de

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


117 Sword Art Online – Aincrad

seus pais eram pessoas que estavam impiedosamente firmes consigo mesmos, embora sendo
gentis com Asuna, e devido a isso, ela tinha medo de como eles reagiriam se ela não vivesse de
acordo com suas expectativas.
Provavelmente era o mesmo com seu irmão. Tanto Asuna quanto seu irmão foram para escolas
particulares escolhidas por seus pais, e sem dificuldades, constantemente mantiveram seus
excelentes resultados. Quando seu irmão finalmente atingiu a idade para ser admitido em uma
universidade e saiu de casa, ela não tinha nada em sua mente, a não ser viver pelas expectativas
de seus pais. Aprendendo lições por múltiplas atividades, se socializando apenas com amigos
aprovados por seus pais, como ela passou sua vida assim, Asuna eventualmente sentiu seu mundo
encolher, como se ele estivesse descongelando constantemente. Se ela continuasse nesse
caminho predeterminado... prosseguindo para o ensino médio e uma universidade escolhida por
seus pais, se casando com um parceiro escolhido por seus pais, ela acreditava que ela
definitivamente seria presa dentro de uma concha extraordinariamente dura, até menor do que
ela própria era, e ficaria para sempre incapaz de escapar dela; esses eram os medos quem sempre
lhe causaram sofrimento.
Isso tudo aconteceu porque, quando seu irmão foi empregado pela companhia dirigida por seu pai
e voltou para casa, falando tão espirituosamente com um Nerve Gear e uma cópia de SAO que ela
tinha obtido através de suas conexões, sobre o que se tornaria o primeiro mundo de VRMMO, até
Asuna que nunca tinha tocado nem mesmo em um console de mesa anteriormente, sentiu um
pequeno traço de interesse sobre aquele estranho novo mundo.
Com certeza, se seu irmão fosse usá-lo em seu próprio quarto, ela provavelmente logo teria
esquecido e não se incomodaria com coisas como o tal Nerve Gear. Contudo, graças ao tempo
ruim, seu irmão teve que ir em uma viagem de negócios no exterior no dia de lançamento dos
serviços de SAO, e então, Asuna acabou pedindo-o emprestado ao seu irmão, por apenas um
único dia por um mero capricho. Sentir o desejo de espreitar um mundo que ela nunca tinha visto
antes, era tudo que isso era...
E então, tudo mudou.
Até agora, ela ainda podia recordar a excitação daquele dia, quando ela mudou de Asuna para A
Asuna, encontrando em si mesma um lado desconhecido, entre pessoas desconhecidas dela.
Mas imediatamente depois disso, quando aquele deus vazio desceu e anunciou esse jogo da
morte, sem meios de fuga desse mundo, a primeira coisa que Asuna pensou foi o trabalho de
matemática que ela ainda não terminou.
Se ela não se apressasse para voltar e termina-lo, ela seria repreendida por seu professor na lição
do dia seguinte. Pela vida que Asuna tinha levado até agora, isso seria uma falha que ela não
permitiria... mas com certeza, a gravidade da situação não era de tal grau.
Uma semana, duas semanas, até quando os dias eram passados ociosamente, não haviam sinais
de ajuda do lado de fora. Isolando-se dentro de um dos quartos de uma instalação da Cidade
Inicial, encolhendo-se sobre a cama, Asuna constantemente experimentava um ridículo montante
de pânico. Sempre gritando de tempos em tempos, até batendo nas paredes enquanto ela
chorava. Era o inverno do seu nono ano escolar. Logo seriam seus exames, e depois disso, ela
estaria entrando no ensino médio. Ser desviada desse caminho era considerado o mesmo que a
devastação de sua vida para Asuna.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


118 Sword Art Online – Aincrad

Asuna passou cada dia em meio de ataques de ansiedade, abraçando convicções profundas e
obsenas.
Ao invés de estarem preocupados com o corpo de sua filha, seus parentes definitivamente
estavam ocupados estando extremamente desapontados pela filha que falhou em seus exames
devido a um console de jogos. Seus amigos, enquanto ela estava sofrendo por alguma dor ou
tristeza, estavam provavelmente com dó daquela que abandonou seu grupo, ou talvez zombando
disso.
Quando ela passou de seu ponto crítico com aqueles pensamentos obscuros, Asuna finalmente
tomou uma decisão... deixar a pousada. Não esperar ser resgatada, mas escapar daqui com sua
própria força. Se tornar a salvadora que colocaria um fim a esse incidente. Se ela não tomasse
esse caminho, ela muito provavelmente não mais teria sido capaz de manter sua presença dentro
das mentes das pessoas ao seu redor.
Asuna preparou algum equipamento, memorizou o manual de referência inteiro e se dirigiu para o
campo. Seu tempo de sono a cada dia era restrito a duas ou três horas e o resto de seu tempo era
todo usado para treinar e melhorar seu nível. Como resultado de focar toda sua sabedoria natural
e força de vontade em limpar o jogo, não demorou muito antes de ela ser capaz de entrar para a
lista dos jogadores de níveis mais refinados. Assim foi como nasceu a espadachim ardente, Asuna
o Flash.

Voltando ao presente... dois anos se passaram e a atual Asuna, em seus dezessete anos de idade,
olhou para trás, para o seu eu daquele tempo, com sentimentos amargos. Não, não só no período
logo após o começo do jogo. Em direção de tudo aquilo que tinha acontecido antes disso, aquele
eu que vivia dentro daquele mundo sólido derretendo também, ela se lembrou daquela parte do
seu passado com uma miserável e dolorosa tristeza.
Ela não entendia o significado do que era viver. Tudo que ela fez foi pensar em nada além de um
futuro ideal, sacrificando o presente no processo. O agora era nada além de meios para promover
o futuro perfeito e consequentemente, com sua morte, não restaria nada além de desaparecer
em meio do nada.
Não era bom com apenas um ou outro. Supervisionando o mundo de SAO, ela portanto concluiu
seriamente.
Alguém que persegue o futuro seria alguém como o que ela uma vez foi, fanaticamente
avançando em direção de limpar o jogo, enquanto alguém agarrado apenas ao passado ainda
estaria encolhido em um quarto de pousada. E aquele que vive apenas pelo presente procuraria
prazer passageiro como um criminoso de tempos em tempos.
Mas apesar de estarem nesse mundo, haviam pessoas que aproveitavam o presente, criando
lembranças, uma após outra, enquanto trabalham duro para terminar o jogo. Aquele que ensinou
isso a ela foi o espadachim de cabelo negro que ela conheceu há um ano e meio atrás. O desejo
por seu modo de viver... a partir do momento em que entrou em sua mente, o tom do seu dia-a-
dia mudou.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


119 Sword Art Online – Aincrad

Agora, mesmo se fosse no mundo real, ele sentiu que ela seria capaz de quebrar aquela concha.
Ela acreditou que ela seria capaz de viver por sua própria causa. Enquanto essa pessoa ficasse ao
seu lado...
Asuna gentilmente se aproximou de Kirito, que estava abraçando seus próprios sentimentos
profundos enquanto ele olhava para as ruas. A dor que ela sentiu novamente quando ela olhou
para a cobertura de pedra no céu enfraqueceu.

Balançando sua cabeça uma vez como se ela estivesse tentando se livrar dos seus sentimentos,
Asuna olhou para o rosto de Yui, ainda sendo carregada por Kirito.
“Yui-chan, você tem alguma memória de quaisquer construções ou coisas assim?”
“Humm...”
Com uma expressão complexa, Yui olhou ao redor, para as estruturas de pedra estendidas para
fora da praça, antes de finalmente balançar sua cabeça.
“Eu não sei...”
“Bem, a Cidade Inicial é bem grande, acima de tudo.”
Kirito falou enquanto acariciava a cabeça de Yui.
“Bom, provavelmente vai tocar um sino mais cedo ou mais tarde se nós continuarmos
caminhando por aqui. Vamos só checar o mercado central por enquanto.”
“Acho que você está certo.”
Assentindo em concordância, o casal começou a caminhar em direção da rua principal no sul.
Mas ainda assim... enquanto ela caminhava, Asuna olhou ao redor da praça novamente com
alguma dúvida. Havia um inesperado pequeno número de pessoas ao redor.
A praça do portal da Cidade Inicial era grande como esperado, sendo capaz de caber ali todos os
dez mil jogadores dois anos atrás, no dia da abertura do servidor. No meio de todo aquele espaço
pavimentado de pedra na forma de um círculo perfeito, ficava uma torre de relógio bem alta, com
o portal de teleporte tremulando em azul em sua seção inferior. Canteiros de flores se estendiam,
arranjados em círculos concentrados ao redor da torre, com múltiplos e elegantes bancos brancos
alinhados entre eles. Não seria estranho se todos eles estivessem lotados com pessoas
procurando um momento de descanso em uma tarde legal; mas todas as figuras humanas ao
redor estavam perto do portão ou rumando em direção da saída da praça, com quase ninguém
andando ao redor ao sentado nos bancos.
As ruas principais dos andares superiores, e principalmente a praça do portal, estariam sempre em
desordem com um monte de jogadores fofocando, procurando por pessoas para formar grupos,
dirigindo modestas barracas de rua; e como resultado de tantas pessoas perambulando, até
mesmo caminhar era difícil, mas...
“Ei, Kirito-kun.”
“Hm?”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


120 Sword Art Online – Aincrad

Asuna perguntou quando Kirito se virou.


“Cerca de quantas pessoas vivem aqui atualmente?”
“Hmm, bem... O número de jogadores ainda vivos é de cerca de seis mil e mais ou menos trinta
por cento deles ainda vivem na Cidade Inicial se nós incluirmos o Exército; então seria um pouco
abaixo de dois mil jogadores, certo?”
“Considerando isso, você não acha que há muitas poucas pessoas em vista?”
“Quando você coloca dessa forma... Talvez elas estejam acumuladas no mercado?”
Contudo, entrando na rua principal da praça, até quando eles passaram perto da área do mercado
com lojas e carrinhos alinhados, as ruas pereciam quietas. O ânimo aleatório dos energéticos NPCs
comerciantes ecoava futilmente através das ruas.
Apesar disso, eles foram capazes de encontrar um homem sentado sob uma larga árvore no meio
da rua, então Asuna se aproximou e tentou chama-lo.
“Ah, com licença.”
O homem, olhando para cima em direção das copas das árvores com uma expressão
estranhamente séria, falou como se fosse um incômodo, sem ajustar sua visão.
“O que foi?”
“Bem... ao redor dessa área, há algum lugar que funciona como um espaço para procurar por
pessoas?”
Escutando essas palavras, o homem finalmente virou sua visão para Asuna. Ele examinou o rosto
de Asuna sem reserva.
“O que? Então você não é daqui?”
“Ah, sim. Bem... nós estamos tentando achar os guardiões dessa criança...”
Ela apontou para Yui, cochilando enquanto segurava os braços de Kirito, atrás dela.
Vestido em um uniforme liso que fazia ser difícil determinar sua classe, o homem alargou seus
olhos levemente quando ele deu um olhar fugaz para Yui, mas ele logo moveu sua visão de volta
para as copas das árvores.
“...Uma criança perdida, hum? Isso é raro... Na igreja ao lado do rio do sétimo distrito no leste, há
um monte de jogadores crianças reunidos vivendo lá, então tente lá.
“O-obrigada.”
Tendo obtido uma informação surpreendentemente promissora, Asuna rapidamente curvou sua
cabeça. Tendo feito isso, ela tentou fazer outra pergunta.
“Ahh... O que você está fazendo por aqui? E também, por que há tantas poucas pessoas em
volta?”
Assim que o homem fez uma careta, ele respondeu, aparentemente não tão incomodado quanto
ele pôde parecer.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


121 Sword Art Online – Aincrad

“Se não fosse classificado como um segredo, então eu gostaria de dizer. Bem, já que vocês não são
daqui... olhe, você consegue ver, certo? Aquele galho alto bem ali.”
Asuna seguiu o caminho do dedo esticado do homem. Os galhos pendentes das árvores
consideradas parte da rua estavam vividamente tingidos nas cores do outono, mas se você focasse
e os observasse, você poderia localizar algumas frutas amarelas, brotando nas sombras das folhas.
“Com certeza, como as árvores nas estradas são objetos indestrutíveis, mesmo se você as
escalasse, você ainda não seria capaz de arrancar uma única folha.”
O homem continuou suas palavras.
“Todo dia, há algumas vezes quando aquela fruta cai... Há apenas alguns minutos antes dela
queimar e desaparecer, mas se você não perder essa chance e conseguir pegá-la, você pode
vende-la para o NPC por um bom preço. Sem mencionar o seu gosto muito bom.”
“Ohhh.”
Para Asuna, quem tinha maximizado suas habilidades de cozinhar, discussões sobre itens
ingredientes eram notavelmente interessantes.
“Ela vale em torno de quanto?”
“...Não espalhe isso. Cinco Col para cada uma delas.”
“...”
Olhando para a expressão orgulhosa do homem, Asuna ficou, não intencionalmente, sem palavras.
Ela ficou surpresa pelo quão pequeno o preço era. Nesse caso, trabalhar pregado à essa árvore
pelo dia inteiro não dariam bons resultados.
“Ah, bem... Nesse caso, não vale a pena, ou melhor... se você derrotasse uma única minhoca no
campo, você ganharia trinta Col.”
No momento que ela disse isso, o homem olhou surpreso dessa vez. Ele não a acusou de não estar
bem da cabeça, mas se virou em direção de Asuna com uma expressão que mostrava o quão
absurdo ele pensava que isso era.
“Você está falando sério? Se você sair e lutar contra monstros no campo... você poderia morrer de
verdade, não é?”
“...”
Asuna não podia pensar em uma resposta. Era como o homem tinha dito: sempre havia o risco de
morrer enquanto se lutava contra monstros. Mas com a mentalidade atual de Asuna, era como se
preocupar sobre sofrer um acidente de transito enquanto se atravessava uma rua no mundo real
todos os dias e noites; não adiantava se preocupar com isso.
Se seu próprio senso de morte em SAO tinha desaparecido ou se o homem estava sendo
preocupado em excesso, sendo incapaz de julgar isso por um instante, Asuna permaneceu imóvel.
Provavelmente nenhum deles poderia ser considerado como correto. Na Cidade Inicial, o que o
homem tinha dito era definitivamente um senso comum.
Sem perceber o complicado estado mental de Asuna, o homem continuou falando.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


122 Sword Art Online – Aincrad

“E... o que era mesmo? A razão pela qual não há ninguém por aqui? Não é que eles não estejam
aqui. Todos estão trancados em seus quartos de pousada. Eles poderiam encontrar-se com a
coleta de impostos feita à força do Exército durante o dia, apesar de tudo.”
“Co-coleta de impostos... o que você quer com isso?”
“É só a forma educada de dizer extorsão. Fique atenta; aqueles caras não vão poupar vocês,
mesmo vocês não sendo daqui. Oh, olhe como uma está para cair... esse é o fim dessa conversa.”
Fechando sua boca, o homem começou a olhar para os céus seriamente. Asuna curvou-se
rapidamente e notando que Kirito tinha ficado em silêncio durante toda a conversa, ela se virou.
Naquele ponto, a figura de Kirito estava olhando a fruta amarela com um olhar sério, não
deferente daquele usado no meio de um combate. Parecia que ele pretendia pegar a próxima
fruta que caísse.
“Céus, pare com isso agora.”
“M-mas você sabe, não te incomoda?”
Agarrando Kirito pela sua nuca, Asuna começou a caminhar enquanto o arrastava.
“Ah, ahh... parecia bom também...”
Puxando Kirito por suas orelhas, com seus arrependimentos ainda persistindo, ela forçou-o a
retornar.
“Ao contrário disso, onde fica o sétimo distrito do leste? Parece que jogadores jovens então
vivendo juntos lá, então vamos tentar ir para lá.”
“...Sim.”
Pegando Yui, quem tinha adormecido completamente, e segurando-a firmemente, Asuna
observou o mapa enquanto permanecia andando ao lado de Kirito.
Como Yui tinha a forma externa de alguém com cerca de dez anos de idade, fazer algo assim no
mundo real faria seus braços falharem em apenas alguns segundos, mas graças à compensação
dos seus parâmetros de força física, Asuna sentia o peso de nada mais que uma almofada cheia de
penas.
Caminhando em direção do sudoeste através das espaçosas ruas por dez minutos, mal passando
por pessoas, assim como antes, eles finalmente se aproximaram de uma vasta área como um
jardim. A floresta de árvores de folhas largas com suas cores mudando estava balançando
abatidamente com os ventos frios do começo do inverno.
“Vejamos, esse é mostrado como o sétimo distrito do leste no mapa, mas... eu me pergunto onde
fica essa igreja.”
“Ah, não fica por aqui?”
Além da floresta, esticando-se ao lado direito da rua, Asuna viu um pináculo distintivamente alto e
ajustou sua vista naquela direção. No cume da torre cinza e azul, um metal em formato de cruz
formado pela combinação de um cruciforme com um círculo estava brilhando. Era sem erros a
marca de uma igreja, da qual pelo menos uma existia em cada cidade. E através do altar de
dentro, tarefas como remover o ataque exclusivo para monstros, Maldição, e a bênção de armas

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


123 Sword Art Online – Aincrad

para lutar contra monstros mortos-vivos, era possível. Em SAO, onde componentes baseados em
mágica não existiam, esse poderia ser considerado um lugar bem misterioso. Também, enquanto
Col fosse regularmente oferecido, um pequeno quarto dentro da igreja poderia ser emprestado e
usado como um substituto para uma pousada.
“E-espere um momento.”
Asuna involuntariamente fez Kirito parar, justo quando ele estava planejando caminhar em
direção da igreja.
“Hm? O que foi?”
“Ah, não... bem... se acontecer de nós encontrarmos os guardiões da Yui-chan lá, nós vamos...
deixa-la lá, certo...?”
Os olhos negros de Kirito suavizaram com simpatia para Asuna. Ele trouxe seus braços para perto,
gentilmente abraçando o corpo de Asuna com a adormecida Yui.
“Eu não quero me separar dela também. Como eu posso dizer isso...? Com a presença dela, aquela
casa na floresta realmente pareceu ter se tornado um lar de verdade... bem, isso foi o que eu
senti... Mas, não é como se vocês nunca mais fossem se encontrar. Se Yui recuperar suas
memórias, ela definitivamente voltará para nos visitar de novo.”
“Sim... está certo.”
Assentindo levemente, Asuna trouxe Yui, ainda em seus braços, para mais perto e lentamente
arrastou seu rosto contra a bochecha dela, antes de caminhar adiante, tendo acalmado os seus
sentimentos.
A construção da igreja era insignificante quando comparada com a escala da cidade. Era uma
construção de dois andares, com apenas um único pináculo que agia como seu símbolo. Mas
ainda assim, haviam múltiplas igrejas dentro da Cidade Inicial e a única perto da praça do portal
era essa ao lado de um pequeno castelo.
Alcançando as grandes portas duplas na frente da igreja, Asuna puxou uma delas com sua mão
direita. Sendo um lugar de facilidade pública, naturalmente não estava trancado. O interior era
escuro, e apenas as chamas das velas, decorando o altar na frente, queimava, iluminando
fracamente o chão pavimentado de pedra. Não haviam sinais de vida à primeira vista.
Estendendo apenas a parte superior de seu corpo através da entrada, Asuna chamou.
“Ahh, há alguém aqui?”
Até quando o som de sua voz se arrastou com um efeito de eco, ninguém pareceu ter aparecido.
“Não há ninguém aqui...?”
Quando ela inclinou sua cabeça para o lado, Kirito refutou-a em uma voz baixa.
“Não, há pessoas. Três no quarto da direita, quatro no da esquerda... e mais de dez no segundo
andar.”
“...Com as habilidades de detecção, você é capaz até de dizer o número de pessoas além das
paredes?”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


124 Sword Art Online – Aincrad

“Com a habilidade em proficiência de novecentos e oitenta isso é possível. É bastante útil, então
você deveria melhora-la também.”
“De jeito nenhum, treinar é tão chato que eu só ficaria louca... Deixando isso de lado, eu me
pergunto o porquê de eles estarem escondidos...”
Asuna pisou levemente no interior da igreja. Os arredores estavam engolidos por um silêncio
mortal, mas ela de alguma forma sentiu a presença de pessoas ocultando suas respirações.
“Ah, com licença, nós estamos procurando por alguém!”
Ela tentou falar em uma voz mais alta. Com isso... a porta no lado direito abriu, só a menor parte,
e uma fraca voz feminina ressoou de lá.
“...Vocês não são do Exército, são?”
“Não somos. Nós viemos aqui dos andares mais altos.”
Ambos, Asuna e Kirito, não tinham suas espadas, ou até mesmo uma única peça de armadura para
combate equipadas. Jogadores pertencentes ao Exército usavam um uniforme de armadura
pesada o tempo todo, então qualquer um poderia ser capaz de dizer que eles não tinham relação
com o Exército somente através de suas aparências.
Logo a porta abriu chiando e uma única jogadora se mostrou timidamente.
Uma cabeça com um curto cabelo azul, com um largo par de óculos com aros negros, e dentro
deles, profundos olhos verdes foram abertos, cheios com apreensão. Vestida em um simples
vestido fino de cor azul escuro, ela tinha um punhal em sua bainha na sua mão.
“Vocês realmente... não são do grupo de coleta de impostos do Exército, certo...?”
Asuna deu um sorriso tranquilizador para a mulher e assentiu.
“Sim, nós estamos procurando por alguém e nós acabamos de chegar de cima aqui hoje. Nós não
temos absolutamente nenhuma relação com o Exército.”
Nesse instante...
“De cima!? Você quer dizer que vocês são espadachins de verdade!?”
Junto com um grito juvenil agudo, a porta atrás da mulher se abriu e algumas figuras humanas
saíram desordenadamente. Logo depois disso, a porta no lado esquerdo do altar foi aberta
também, e similarmente, algumas pessoas saíram.
Surpreendidos, enquanto Asuna e Kirito assistiam a cena sem falar nada, as pessoas que saíram
das portas e se alinharam em sequência em ambos os lados da mulher com óculos eram todos
jogadores jovens que poderiam ser considerados como meninos e meninas jovens. O mais jovem
provavelmente tinha doze anos, enquanto o mais velho tinha cerca de quatorze. Todos eles
estavam em um estado de interesse sobre Asuna e Kirito, contando todos eles.
“Ei, todos vocês, eu disse para ficarem escondidos no quarto, não disse!?”
Apenas a mulher, puxando as crianças de volta com barulho, poderia ser vista como tendo cerca
de vinte anos de idade. Dito isso, nem uma única criança estava seguindo suas ordens.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


125 Sword Art Online – Aincrad

Mas logo após isso, o primeiro que correu para fora do quarto, um garoto com um cabelo curto,
vermelho e eriçado, por fim gritou em um tom desapontado.
“O que há com isso? Vocês nem estão segurando uma única espada. Ei, você não veio de cima?
Você não deveria ter uma arma pelo menos?”
A última metade daquelas palavras foram direcionadas à Kirito.
“N-não, não é que nós não tenhamos nenhuma, mas...”
Kirito respondeu quando ele alargou seus olhos com surpresa e os rostos das crianças
instantaneamente se iluminaram novamente. “Me deixa ver, me deixa ver.” Todos eles pediram
insistentemente.
“Olhem aqui agora, vocês não podem só ir falando com tamanha falta de educação com pessoas
que vocês acabaram de conhecer. Me desculpem, nós raramente recebemos convidados, então...”
Observando o olhar verdadeiramente preocupado da mulher de óculos se curvando, Asuna falou
com pressa.
“N-não, não é um problema. Ei, Kirito-kun, eu acho que você ainda tem algumas sobrando em seu
inventário, então, por que você não os deixar ver um pouco?”
“S-sim.”
Assentindo para a proposta de Asuna, Kirito abriu uma janela e moveu seus dedos, transformando
cerca de dez itens de tipo arma em objetos ao mesmo tempo e empilhou-os sobre a longa mesa
mais próxima. Eles eram itens caídos de monstros durante uma aventura recente que ficaram
sobrando já que ele não teve tempo para vendê-los ainda.
Kirito fechou a janela, com todos os itens excedentes, exceto o equipamento próprio que o casal
não estava usando atualmente, e as crianças aplaudiram altamente e se amontoaram ao redor das
armas. Pegando as poucas espadas, clavas e o resto, uma após outra, gritos de “Pesado!” e
“Legal!” logo ressoaram. Era uma cena que faria qualquer pai super-protetor desmaiar, mas não
importa como as armas fossem manipuladas dentro das cidades, era impossível as crianças
sofrerem dano.
“...Eu realmente sinto muito...”
Apesar da mulher de óculos curvar sua cabeça incomodada, um sorriso veio ao seu rosto com a
vista das crianças animadas e então ela falou.
“...Ah, venham por aqui. Eu vou preparar um chá, então...”
Guiados para o pequeno quarto, Asuna e Kirito tomaram um gole do chá quente oferecido para
eles e deixaram sair um suspiro aliviado.
“Então... vocês mencionaram que vocês vieram procurar por alguém...?”
A jogadora de óculos sentada na cadeira oposta perguntou, com a cabeça levemente inclinada.
“Ah, sim. Eh... Eu sou Asuna e ele se chama Kirito.”
“Ahh, me desculpe, eu ainda não lhes dei o meu nome. Eu sou Sasha.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


126 Sword Art Online – Aincrad

E então ela rapidamente se curvou com sua introdução.


“E essa criança é Yui.”
Enquanto acariciava o cabelo da ainda adormecida Yui em seu colo, Asuna continuou.
“Essa criança se perdeu no meio da floresta no vigésimo segundo andar. Ela... parece ter perdido
suas memórias, então...”
“Meu de...”
A mulher que se chamava Sasha estendeu seus largos e profundos olhos verdes, escondidos atrás
de seus óculos.
“Ela não tinha nada além da sua roupa equipada também, então ela não parecia ter vivido nos
andares superiores... E então, talvez seus guardiões estão na Cidade Inicial... ou talvez pessoas que
conheçam essa criança devem estar por aqui, nós pensamos; por isso, nós viemos aqui para
encontra-los. Portanto, quando nós escutamos que as crianças estavam acumuladas nessa
igreja...”
“Então é isso...”
Sasha apertou o copo dentro de suas mãos e deixou seu olhar cair em direção da mesa.
“...Nesse momento, há vinte crianças vivendo aqui nessa igreja, crianças que estariam em seu
sétimo ano escolar a crianças que estariam em seu nono ano escolar se não fosse pelo jogo. Eu
acredito que deveriam ser, provavelmente, todos os jogadores crianças ao redor dessa cidade.
Desde o tempo em que esse jogo começou...”
Sasha começou a falar em um tom baixo, porém claro.
“Quase todas as crianças entraram em pânico e essencialmente sofreram problemas mentais.
Claro, houveram crianças que que se acostumaram com o jogo e deixaram a cidade, mas eu
acredito que elas sejam as exceções.”
Era algo que Asuna experimentou também, em seu nono ano escolar naquele tempo. Quando ela
se isolou em um quarto de pousada, ela acreditava que ela certamente sentia sua mente
desvanecendo, quase conduzida a um beco sem saída.
“É apenas por estar esperando; eles ainda estavam na idade de quando eles queriam ser mimados
por seus pais. Ser repentinamente avisados de algo como eles serem incapazes de sair daqui,
talvez até nunca retornar ao mundo real... essas crianças na maioria das vezes demoliram e dentro
delas... parece que haviam alguns que perderam suas conexões emocionais com isso.”
A boca de Sasha endureceu firmemente.
“Por um mês ou um pouco mais depois desse jogo ter começado, visando o término do jogo, eu
fui treinar no campo, mas... um dia, eu vi uma dessas crianças em uma esquina e eu não poderia
deixa-la sozinha; então eu trouxe a criança comigo e comecei a viver junto dela em uma pousada.
E então, quando eu pensei em todas as outras crianças que ainda estavam por aí como aquela
criança, eu comecei a sair pela cidade, assim comecei a chamar crianças por elas mesmas. Antes
que eu percebesse, acabou dessa forma. Isso porque, de alguma forma... apesar de haver pessoas
lutando nos andares superiores como vocês dois, pensar que eu desisti, parece algo imperdoável.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


127 Sword Art Online – Aincrad

“Isso... isso não é...”


Enquanto balançava sua cabeça, Asuna lutou com toda a sua força para encontrar as palavras
apropriadas, mas sua voz ficou presa em sua garganta. Pegando a dianteira, Kirito falou.
“Isso não é verdade. Você está lutando valentemente... muito mais do que alguém como eu está.”
“Muito obrigada. Mas eu não estou fazendo isso como um senso de dever. Está sendo muito
divertido viver com essas crianças.”
Sasha sorriu docemente e olhou para a adormecida Yui preocupada.
“Isso é porque... por quase dois anos diretos, nós fomos por todas as construções em uma área a
cada dia, checando se haviam quaisquer crianças que precisassem de ajuda. Se houvesse até uma
pequena criança sobrando ali, nós definitivamente teríamos notado. Me desculpem por dizer
isso... mas em relação a essa criança, eu não acho que ela esteve vivendo na Cidade Inicial.”
“Então...”
Asuna abaixou sua cabeça, abraçando Yui fortemente. Ela puxou-a para perto e olhou para Sasha.
“Er, parece que eu estaria invadindo sua privacidade, mas como você cuida de suas despesas
diárias e etc?”
“Ah, para isso, ao meu lado, há algumas crianças mais velhas protegendo esse lugar... eles estão
em um nível que garante sua segurança completa enquanto eles continuarem dentro dos campos
ao redor da cidade, então nós ainda podemos fazer alguma coisa sobre nosso fornecimento de
alimentos. Nós não podemos viver de forma luxuosa.”
“Oh, isso é incrível... julgando pelo que eu escutei mais cedo na cidade, algo como caçar monstros
no campo é considerado um ato suicida que vai contra o senso comum.”
Sasha assentiu para as palavras de Kirito.
“Basicamente, eu acho que isso é o que todos os jogadores que deixaram a Cidade Inicial pensam.
Eu não vou negar essa ideia; realmente não há ajuda, quando você considera que há risco de
morte... Contudo, essa também poderia ser a razão pela qual nós estamos ganhando mais
dinheiro quando comparado aos jogadores médios nessa cidade.”
Isso certamente era verdade; para regularmente reservar os quartos de hospedes nessa igreja,
cem Col provavelmente seria requerido todo dia. Era um montante que excedia em muito a renda
daquele caçador de frutas de mais cedo.
“É por isso que eu estive fixando meus olhos neles recentemente...”
“...Em quem?”
Os gentis olhos de Sasha ficaram rígidos por um instante. Logo quando ela abriu sua boca para
continuar suas palavras, nesse momento...
“Sensei! Sasha-sensei! Isso e horrível!!”
A porta do quarto se abriu e algumas crianças se acumularam como uma avalanche.
“Ei, vocês estão sendo rudes com nossos convidados!”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


128 Sword Art Online – Aincrad

“Essa não é a questão aqui!!”


O jovem de cabelo vermelho de mais cedo gritou, com lágrimas ameaçando escorrer de seus
olhos.
“O mano Gin e os outros foram capturados pelo Exército!”
“...Onde!?”
Levantando-se de uma maneira bem decidida que fazia ela parecer outra pessoa, Sasha perguntou
para o jovem garoto.
“Na terra vaga atrás da loja de itens usados no quinto distrito do leste. O Exército está bloqueando
o caminho de passagem com dez pessoas ou mais. Kotta foi o único que conseguiu fugir.”
“Entendi, eu irei imediatamente. Me desculpem, mas...”
Virando-se para olhar para Asuna e Kirito, Sasha curvou levemente sua cabeça.
“Eu não posso apenas ignorar as crianças. Nós continuamos a conversa depois ou...”
“Nós também vamos, sensei!!”
Quando o garoto de cabelo vermelho gritou, toda a multidão de crianças atrás também gritou em
concordância. Correndo para próximo de Kirito, o garoto tinha uma expressão desesperada
quando ele falou.
“Mano, nos deixe usar as armas de mais cedo por enquanto! Se nós usarmos elas, até aqueles
caras do Exército vão sair correndo!”
“Eu não posso aceitar isso!”
Sasha deixou sua rejeição escapar.
“Todos vocês vão esperar aqui!”
Nesse momento, Kirito, que esteve assistindo o desenvolvimento silenciosamente, balançou sua
mão direita para acalmar as crianças. Ele raramente lia a pressão ambiente ou entendia a
extensão de uma conversa direito, mas apenas em horas como essa, ele exibia uma presença
misteriosa, rapidamente silenciando as crianças.
“...É uma pena, porém...”
Kirito começou a falar em um tom calmo.
“Os parâmetros requeridos para essas armas são bem altos, então vocês não vão ser capazes de
equipa-las. Nós vamos ajudar vocês. Mesmo ela tendo essa aparência, essa mana aqui é
inexplicavelmente forte.”
Olhando para Kirito, Asuna também assentiu firmemente em retorno. Levantando-se, ela se virou
para Sasha e abriu sua boca.
“Por favor, nos permita ajudar também. Ter mais ajudantes deveria ser o melhor.”
“...Obrigada, estarei contando com vocês.”
Sasha se curvou profundamente, firmemente puxando seus óculos e falou.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


129 Sword Art Online – Aincrad

“Então está certo, me perdoem mas, vamos correr!”

Correndo para fora da igreja, Sasha começou a correr diretamente para frente com seu punhal
balançando em sua cintura. Segurando Yui, Asuna também segui atrás dela junto com Kirito.
Quando Asuna olhou para trás enquanto corria, ela encontrou um grande grupo de crianças
seguindo-os atrás, mas não parecia que Sasha tinha qualquer intenção de envia-los de volta.
Abrindo caminho através dos bosques, eles entraram no sexto distrito do leste e mergulharam
através dos becos escuros. Parecia que eles estavam pegando atalhos pela distância mais curta o
possível, e quando eles passaram através das frentes das lojas dos NPCs, jardins pertencentes à
casas privadas e etc, eles avistaram um grupo bloqueando o beco fino em frente. Haviam
provavelmente pelo menos dez pessoas. Vestidos em uniformes verde e cinza e equipamento de
aço preto, eles eram sem dúvidas membros do Exército.
Quando Sasha, que estava correndo através dos becos sem hesitação parou, ela chamou a
atenção dos jogadores do Exército e eles se viraram com um amplo riso.
“Oh, a babá está aqui.”
“...Por favor, devolvam as crianças.”
Sasha falou com uma voz decidida.
“Não vamos manchar nossa reputação assim. Nós vamos devolvê-los depois, nós só estamos
ensinando algumas etiquetas sociais para eles.”
“Sim, sim. Além do mais, as pessoas da cidade tem suas responsabilidades de pagar seus
impostos.”
Os homens começaram a sorrir, deixando escapar risos estridentes. O punho fortemente fechado
de Sasha tremeu.
“Gin! Kain! Todos vocês! Vocês estão aí!?”
Quando Sasha gritou em direção dos homens, uma assustada voz de menina logo soou em
resposta.
“Sensei! Sensei... nos ajude!”
“Não se preocupem com o dinheiro, só dê para eles!”
“Sensei... nós não podemos...!”
Dessa vez, foi uma voz tensa de menino.
“Ha, ha, ha.”
Um dos homens bloqueando a rua deu uma risada que se assemelhava à espasmo.
“Bem, é tudo porque vocês não estiveram pagando todos os impostos... Essa quantidade de
dinheiro não é suficiente, hein?”
“Está certo, está certo. Nós vamos precisar que vocês deixem seu equipamento aqui também.
Todas as suas armaduras também... cada único pedaço restante.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


130 Sword Art Online – Aincrad

Olhando para os sorrisos vulgares dos homens, Asuna instantaneamente adivinhou o que
realmente estava acontecendo naquele beco. Essa coleta de impostos a força estava sem dúvidas
exigindo que o grupo de crianças, que incluía uma garota, tirassem todas as suas roupas também.
Uma grande sede de sangue começou a crescer dentro de Asuna.
Sasha que parecia ter chegado a mesma conclusão, se aproximou dos homens, cheia de
hostilidade.
“Saiam... saiam do meu caminho! Caso contrário...”
“Caso contrário o que vai acontecer, babá? Você vai pagar a taxa no lugar deles?”
Os homens sorridentes nem se esforçaram para mover nada.
Dentro das cidades, ou dentro das fronteiras dos limites das cidades, por assim dizer, como o
programa trabalhava com o Código de Proteção Contra Crimes sempre ativo, tentar infligir dano,
assim como tentar mover outros jogadores contra sua vontade seria completamente impossível.
Mas em retorno, jogadores maliciosos bloqueando caminhos não poderiam ser eliminados. Selar a
estrada parados lá, para bloquear; até conseguir fazer várias pessoas cercarem o alvo diretamente
para imobilizar a vítima, para a caixa; a existência desses métodos de assédio antiéticos acabou
por ser permitida.
Dito isso, esses atos eram apenas efetivos em casos onde alguém estava se movendo no chão,
apesar de tudo. Asuna olhou para Kirito e falou.
“Vamos, Kirito-kun.”
“Sim.”
Assentindo em concordância, eles casualmente saltaram do chão.
Sasha e os membros do Exército puderam apenas olhar estupefatos em direção do casal pulando
usando toda sua destreza e força enquanto eles voavam sobre eles facilmente, aterrissando no
espaço que estava fechado para todos os lados.
“Woah!?”
Alguns homens recuaram assustados por aquele salto.
No canto da área, dois garotos e uma menina em sua primeira dezena de idade estavam
agrupados firmemente juntos. Suas armaduras já haviam sido removidas, vestidos apenas em
simples roupa íntima. Asuna mordeu seus lábios, se aproximou das crianças e falou com um
sorriso.
“Está tudo bem agora. Vocês podem recolocar seu equipamento.”
Os jovens imediatamente assentiram com olhos cheios, pegando a armadura em frente aos seus
pés freneticamente e começaram a operar suas janelas.
“Ei... Ei, ei, ei!!”
Nesse momento, um jogado do Exército finalmente voltou aos seus sensos e gritou alto.
“O que diabos há com vocês!? Não ousem obstruir o trabalho do Exército!!”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


131 Sword Art Online – Aincrad

“Calma, espere um pouco.”


Parando-o, um homem com uma armadura notavelmente mais pesada parou em frente deles. Ele
parecia ser o líder do grupo.
“Nós nunca os vimos por aqui, mas vocês sabem o que significa ir contra a Força de Libertação? Se
vocês ainda pretenderam, nós até podemos ouvir seu caso em detalhes no quartel general.”
Os finos olhos verdes do líder brilharam com uma luz perversa. Puxando para fora uma larga
espada de sua cintura, ele deu um passo à frente enquanto repetidamente batia na lâmina com
sua palma, como se fosse intencional. A superfície da espada brilhava com a luz do baixo sol
poente. Um brilho raso típico de uma arma que nunca tinha experimentado uma batalha ou sido
reparada por dano nem uma única vez.
“Ou você quer trazer isso para fora das fronteiras para mim liquidá-la lá? Hein!?”
No momento em que ela escutou essa única frase...
O aperto dos dentes de Asuna ressoou. Ela pensou que seria melhor resolver o problema
amigavelmente, mas quando ela viu os jovens tremendo com medo, sua fúria já havia passado do
limite.
“...Kirito-kun, eu vou deixar a Yui-chan com você.
Yui foi segurada por Kirito e antes de alguém entender o que estava acontecendo, ele já tinha
jogado o florete materializado de Asuna com uma única mão. Desembainhando a espada quando
ela a recebeu, Asuna se moveu agilmente em direção do líder.
“H... Hein...?”
Olhando o homem, ainda incapaz de acompanhar a situação com sua boca deixada meio aberta,
Asuna de repente liberou todo seu poder em um único ataque de uma mão.
Os arredores foram tingidos por um flash de luz violeta. O olhar ameaçador do homem foi atingido
e ele caiu para trás com um deslize, com seus olhos ainda abertos.
“Se você quer tanto batalhar, não há necessidade de irmos para os campos.”
Caminhando até o homem, Asuna brandiu novamente sua mão direita. O flash se repetiu e um
som ensurdecedor ressoou. O líder caiu para trás assim que foi atingido.
“Não se preocupe, seu HP não vai descer, apesar de tudo. Bem, entretanto, graças a isso eu não
tenho que parar também.”
Olhando para a figura de Asuna se aproximando com passos firmes com os lábios tremendo, o
líder finalmente entendeu o que ela quis dizer.
Dentro do alcance do Código de Prevenção Contra Crimes, mesmo se os ataques de armas fossem
direcionados à jogadores, eles seriam parados por uma barreira invisível e dano não seria infligido.
Mas essa regra também tinha uma significância alternativa: que o agressor não teria
preocupações de ser corrompido com as cores de cursor reservadas para criminosos.
Um exemplo que usa esse fato seriam as Batalhas Dentro das Fronteiras, usualmente feita como
uma batalha simulada usada para praticar. Contudo, com o aumento das habilidades e status do
atacante, o barulho do impacto e a luminosidade da cor criada pelo sistema, no momento em que

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


132 Sword Art Online – Aincrad

o Código fosse ativo, seria intensificado adequadamente; e além disso, com o poder da habilidade
de espada usada, embora leve, um efeito de um duro golpe seria produzido também. Pelas
pessoas não se acostumarem a isso, não era uma coisa fácil de se suportar, mesmo elas tendo
consciência que seu HP não estar sendo reduzido.
“Eeh... p-pa...”
Derrubado no chão pelo ataque da espada de Asuna, o líder gritou.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


133 Sword Art Online – Aincrad

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


134 Sword Art Online – Aincrad

“Vocês... não fiquem só assistindo... façam alguma coisa...!!”


Finalmente voltando aos seus sensos com a voz do líder, os membros do Exercíto
desembainharam suas armas uma após outra.
O bloqueio de jogadores, que sentiu a anormalidade da situação, correu também, pelas ruas norte
e sul.
Rodeada pelos homens na forma de um semicírculo, Asuna observou-os com seus olhos brilhando
intensamente, como se ela tivesse retornado ao tempo em que ela era um ardente guerreiro.
Saindo do chão sem uma palavra, ela atacou as tropas perto dela.
Em só um instante, o espaço limitado foi enchido com consecutivos rugidos estrondosos e
barulhento.
Cerca de três minutos depois...
Quando Asuna, tendo retornado aos seus sensos, parou de se mover e abaixou sua espada, tudo
que se encontrava dentro dessa área eram os corpos derrubados dos jogadores do Exército
espalhados ao redor. Os únicos restantes pareciam ter desertado de seu líder e escapado.
“Huuf...”
Inspirando uma larga quantidade de ar, ela embainhou seu florete em sua bainha e se virou... tudo
que ela viu foram as figuras de Sasha e as crianças da igreja, ainda parados, sem palavras.
“Ah...”
Asuna deu um passo para trás enquanto ela segurava sua respiração. Ele acreditou que ela tinha
definitivamente assustado as crianças quando ele abandonou sua consciência pela fúria e atacou
os jogadores antes, e então abaixou seus olhos com desânimo.
Mas nesse momento, o habitual garoto que era o cabeça das crianças, com seu cabelo vermelho
penteado para trás, gritou com seus olhos faiscando.
“Incrível... isso foi incrível mana!! Essa foi a primeira vez que eu vi algo assim!!”
“Eu te disse que essa grande mana era inexplicavelmente forte, não disse?”
Kirito andou para frente com um largo sorriso. Ele segurava Yui com sua mão esquerda e uma
espada estava pendurada em sua mão direita. Parecia que ele tinha enfrentado alguns outros.
“...A-Ahaha.”
Asuna riu, sentindo-se inquieta, e as crianças de repente deram alguns vivas altamente e saltaram
em direção dela.
Sasha apertou suas duas mãos fortemente em frente ao seu peito, sorrindo com olhos que
pareciam estar segurando lágrimas.
“Os corações... Os corações de todos estão...”
Uma voz fraca, porém clara, ressoou. Asuna virou seu rosto, assustada. Dentro dos braços de
Kirito, Yui, quem havia despertado sem ninguém notar, olhou em direção do ar e tentou alcança-
lo com sua mão direita.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


135 Sword Art Online – Aincrad

Asuna olhou para aquela direção agitada, mas não havia nada lá.
“Os corações de todos... estão...”
“Yui! Qual o problema? Yui!!”
Kirito gritou e Yui piscou três ou quatro vezes, olhando com uma expressão vazia. Asuna também
correu confusa, apertando a mão de Yui.
“Yui-chan... você se lembrou de alguma coisa!?”
“...Eu... Eu...”
Franzindo as sobrancelhas, ela abaixou sua cabeça.
“Eu... não estava aqui... Eu sempre estive sozinha na escuridão...”
Franzindo a testa como se ela tivesse relembrado algo, ela mordeu seus lábios. E então, nesse
momento...
“Wa... aa... aaah!!”
Lançando sua cabeça para trás, um grito agudo surgiu de sua garganta.
“...!?”
Um som similar à um barulho eletrônico reverberou dentro dos ouvidos de Asuna pela primeira
vez desde que ela entrou em SAO. Imediatamente depois disso, o corpo petrificado de Yui
começou a tremer aqui e ali, como se ele estivesse enfraquecendo.
“Yu... Yui-chan...!”
Asuna gritou e envolveu sua mão ao redor daquele corpo freneticamente.
“Mamãe... isso é assustador... mamãe...!!”
Pegando a fraca Yui lamentando dos braços de Kirito, Asuna abraçou-a fortemente dentro de seu
peito. Alguns segundos depois, o misterioso fenômeno se erradicou e a força escapou do rígido
corpo de Yui.
“O que... aconteceu aqui...?”
O murmúrio vazio de Kirito fluiu fracamente pelo espaço vazio consumido pelo silêncio.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


136 Sword Art Online – Aincrad

Parte 3
“Todo mundo, peguem um pedaço de pão para cada!”
“Ei, vai derramar se você não prestar atenção!”
“Aah, sensei! Gin roubou meu ovo frito!”
“Eu te dei minhas cenouras em troca, não foi!?”
“Isso é... bem impressionante...”
“Sim, é...”
Kirito e Asuna olharam para a cena de um café da manhã, semelhante à um campo de batalha
abrindo-se em frente aos seus olhos e murmuraram um para o outro admirados.
A Cidade Inicial, o quarto de hóspedes dentro da igreja do sétimo distrito do leste. Largos pratos
de ovos, salsichas, saladas de vegetais e outras coisas estavam alinhadas em um par de grandes e
largas mesas, quase transbordando, e foram saqueadas por vinte crianças ou mais com um grande
tumulto.
“Mas ainda assim, parece que eles estão realmente se divertindo.”
Em uma mesa circular um pouco distante, Asuna sentou com Kirito, Yui e Sasha, sorrindo
enquanto ela trazia um copo de chá para seus lábios.
“É assim todo dia. Não importa quantas vezes você os mandar se comportar.”
Tendo dito isso, Sasha contraiu seus olhos cheios com amor do fundo de seu coração quando ela
olhou para as crianças.
“Você realmente gosta de crianças, não?”
Asuna falou e Sasha sorriu envergonhada.
“No outro lado, eu estava estudando para me tornar uma professora em uma universidade. Você
sabe, o caos da sala de aula tem sempre sido um problema, não é? A chance de ser capaz de guiar
crianças; eu sempre me animei com isso. Mas quando eu vim para cá, quando eu comecei a viver
com essas crianças, tudo era bem diferente do que eu pensava... parecia que era eu quem tinha
que contar com elas ao invés disso; que eles estavam me suportando mais que eu os suportava.
Mas, bem, isso poderia ser bom também... eu comecei a acreditar que era meramente um
resultado natural.”
“Bem, eu acho que eu entendo, de certa forma.”
Asuna assentiu, acariciando levemente a cabeça de Yui, que estava seriamente colocando uma
colher em sua boca ao lado dela. O calor trago pela presença de Yui a surpreendia. Era diferente
do amor arrebatador que ela sentia em seu peito e que se apertava quando ela era tocada por
Kirito; era como estar mergulhada em penas invisíveis, antes de ser coberta novamente; uma
grande serenidade.
Ontem, desmaiando após um misterioso ataque, Yui felizmente voltou a si depois de alguns
minutos. Contudo, como Asuna não queria fazer nenhuma longa viagem agora ou usar o portal de

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


137 Sword Art Online – Aincrad

teleporte, e também, em parte devido ao interessante convite de Sasha, eles acabaram pedindo
um dos quartos disponíveis emprestado por aquela noite.
A condição de Yui parecia boa desde a manhã, então Asuna e Kirito estavam despreocupados pelo
momento, mas suas circunstâncias originais não tinham mudado. De acordo com as fracas
memórias que pareciam ter retornado para Yui, ela parecia nunca ter vindo à Cidade Inicial, e em
primeiro lugar, ela não esteve vivendo com um guardião. Nesse caso, a origem do defeito na
memória de Yui, o sintoma de sua regressão para uma idade infantil, era absolutamente
desconhecido, e eles estavam sem saber o que eles deveriam fazer a seguir.
Mas Asuna tinha temperado os sentimentos no fundo de seu coração.
De agora em diante também, ela continuaria vivendo junto com Yui até o dia em que suas
memórias retornassem. Mesmo se sua folga acabasse e ela tivesse que retornar para as linhas de
frente, deveria haver uma forma de...
Quando Asuna ficou perdida em sua ansiedade enquanto acariciava o cabelo de Yui, Kirito colocou
seu copo sobre a mesa e começou a falar.
“Sasha-san...”
“Sim?”
“...Bem, é sobre o Exército. Pela extensão do meu conhecimento, apesar da esmagadora tirania
daqueles caras, eles ainda eram determinados a manter o público em ordem. Mas pensando
naqueles caras de ontem, era como se eles fossem criminosos... desde quando isso tem sido
assim?”
Sasha tencionou sua boca e respondeu.
“Eu senti eles mudarem em objetivos... deve ter sido cerca de meio ano atrás... Haviam alguns que
cometeram atos de extorsão sob o nome da coleta de impostos, assim como outros que, por
outro lado, os reprimiam. Eu também tenho testemunhado cenas de próprios membros do
Exército se confrontando algumas vezes. De acordo com rumores, parece que haviam lutas de
poder entre os membros de maior nível ou algo assim...”
“Sim... Bem, eles ainda são uma enorme organização com cerca de mil membros nesse momento,
apesar de tudo. Não há como eles serem monolíticos portanto... Mas ainda assim, se o que
aconteceu ontem foi um caso que acontece diariamente, eles não deveriam apenas deixa-los
sozinhos... Asuna?”
“O que?”
“Aquele cara sabe dessa situação?”
Adivinhando à quem Kirito se referia com aquelas palavras ditas relutantemente, Aquele cara,
Asuna disse enquanto ela manteve um sorriso.
“Bem, eu acho que ele saberia... O líder Heathcliff é bem informado, mesmo sobre os movimentos
do Exército, apesar de tudo. Mas sobre ele... como eu deveria dizer isso? Ele não parece ter muito
interesse em qualquer um que não seja um membro de alto nível da vanguarda... Ele perguntou
várias coisas sobre Kirito-kun no passado, mas na hora de subjugar a guild de assassinos, Caixão
Sorridente, ele só nos deixou uma única frase, ‘Eu deixarei isso com vocês.’. Por isso, eu acredito

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


138 Sword Art Online – Aincrad

que ele provavelmente não mobilizaria o grupo de vanguarda por motivos como a influência do
Exército.”
“Bem, parece que é possível que quando você considera aquele cara... Mas nesse caso, nós não
podemos realmente fazer muito com apenas nós dois aqui.”
Torcendo suas sobrancelhas enquanto ele bebia seu chá, Kirito de repente levantou seu rosto e
olhou para a entrada da igreja.
“Alguém está aqui. Uma única pessoa...”
“Eh... poderia ser outro convidado...?”
Como se para enfatizar as palavras de Sasha, uma batida forte ressoou por toda a construção.
Aquela que entrou na sala de jantar com Sasha, que tinha uma adaga presa em sua cintura, e
Kirito, que a seguiu para ter certeza, era uma jogadora feminina de alta estatura.
Um longo cabelo prateado estava amarrado em um rabo de cavalo... sua aparência dava a
impressão de ela ser inteligente e seus olhos azul-celeste brilhavam intensamente com a luz em
seu rosto afiado e bem caracterizado.
Penteado, cor de cabelo e até a cor das pupilas dos olhos podem ser customizados de acordo com
sua vontade em SAO, mas como a maioria do sistema trabalhava com japoneses, jogadores que se
adequavam a tons fortes de cores como essa poderiam ser considerados bem raros. Asuna
também tinha tentado pintar seu cabelo de rosa cereja uma vez; era um passado do qual ela não
mencionava em que ela retornou para o marrom desapontada.
Ela era uma pessoa bonita, e tendo ganhado uma primeira impressão que incluía algum anseio
pela sua imagem adulta, Asuna abaixou seu olhar novamente, em direção do equipamento da
mulher, e seu corpo enrijeceu por reflexo.
Apesar de estar escondida por uma capa de ferro cinza em seu corpo, ela usava um casaco verde
escuro com calças bem ajustadas nas coxas; a armadura de metal com um brilho maçante era sem
dúvidas o uniforme do Exército. No lado direito de sua cintura estava uma espada curta e um
chicote enrolado estava no lado esquerdo.
As crianças que tinham notado a aparência da mulher imediatamente ficaram em silêncio total e
pararam de se mover com seus olhos em modo de vigilância. Contudo, Sasha sorriu para as
crianças e falou como se ela estivesse aliviando sua desconfiança.
“Todos vocês, está tudo bem, não se preocupem com essa senhorita. Continuem sua refeição.”
As crianças lançaram um olhar questionável, mas com essas palavras de Sasha, em quem eles
tinham colocado toda sua confiança, todos diminuíram a tenção em seus ombros se sentindo
aliviados e a gritaria imediatamente retornou à sala de jantar. A jogadora que caminhou todo o
caminho até a mesa circular no meio, pegou uma cadeira oferecida por Sasha e se sentou
curvando-se brevemente.
Não entendendo a situação, Asuna olhou para Kirito com um olhar questionador e ele, que se
sentou em uma cadeira também, inclinou sua cabeça para o lado quando ele olhou Asuna e disse.
“Er, bem, essa pessoa é Yuriel-san. Parece que ela tem algo à nos dizer.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


139 Sword Art Online – Aincrad

A usuária de chicote de cabelo prateado que foi apresentada como Yuriel olhou diretamente para
Asuna por um momento, antes de rapidamente curvar sua cabeça e abrir sua boca.
“Prazer em conhecê-la, eu sou Yuriel. Eu pertenço a guild FLA.”
“FLA?”
Asuna perguntou em retorno ao nome que ela tinha escutado pela primeira vez, instigando Yuriel
a curvar levemente sua cabeça.
“Ah, me desculpe. Isso seria a abreviação para Força de Libertação de Aincrad. Eu não gosto muito
no nome oficial, então...”
Sua voz era composta por um som elegante. Sentimentos de inveja ficaram ainda maiores dentro
de Asuna, que tinha sempre pensado em sua própria voz como infantil, quando ela retornou as
saudações.
“Prazer em conhecê-la. Eu sou da guild Cavaleiros do Pacto de Sangue... ah, não, eu atualmente
estou de folga por um tempo, mas você pode me chamar de Asuna. E essa criança é Yui.”
Tendo esvaziado a porção de sopa no tempo passado e no presente provando o suco de fruta, Yui
de repente levantou seu rosto, observando Yuriel atentamente. Ela inclinou fracamente sua
cabeça, mas logo deu um doce sorriso, recuando seu olhar.
No momento em que o nome dos Cavaleiros do Pacto de Sangue alcançou os ouvidos de Yuriel,
ela abriu seus olhos celestes amplamente.
“Cavaleiros do Pacto de Sangue... Entendi, nesse caso, não é surpresa que aqueles caras foram tão
facilmente derrotados.”
Asuna, que adivinhou que com aqueles caras ela se referia ao grupo de assalto e extorsão de
ontem, aumentou sua cautela quando ela falou.
“...Em outras palavras, você está aqui para questionar sobre o incidente de ontem, é isso?”
“Não, não, não é isso. É o oposto; é mais como se eu quisesse expressar meu agradecimento por
vocês terem feito um bom trabalho.”
“...”
Olhando para Kirito e Asuna, que estavam em silêncio enquanto eles tentavam entender a
situação, Yuriel se levantou.
“Hoje, eu vim aqui com um pedido para vocês dois.”
“U-um pedido...?”
Assentindo enquanto seu cabelo de prata balançava, a espadachim do Exército continuou.
“Sim. Então eu vou começar as explicações desde o início. O que hoje é conhecido como o
Exército, não era nomeado assim há muito tempo atrás... A razão pela qual a FLA assumiu o atual
nome de Exército, é devido ao fato de que um antigo sub-líder, um homem chamado Kibaou, que
é atualmente a cabeça influente, tomou controle dela. Inicialmente, a guild tinha o nome de
MTD... Vocês já escutaram isso?”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


140 Sword Art Online – Aincrad

Asuna não se lembrava de ter escutado isso, mas Kirito deu uma resposta imediata.
“Essa é provavelmente a abreviação para MMO Today. Quando SAO começou, era o maior site de
coleta de informações de jogos online no Japão. Aquele que formou a guild deveria ter sido o
administrador do site. Se eu não estou errado, o seu nome era...”
“Sinker.”
No momento em quem o nome foi dito, o rosto de Yuriel se contorceu levemente.
“Ele... definitivamente não estava tentando fazer uma organização hipócrita como é agora. Tudo
que ele queria era compartilhar igualmente informações e recursos alimentares entre tantos
jogadores quanto possível...”
Até Asuna sabia tudo sobre os ideais e colapso do Exército durante aquele tempo através de
boatos. O ideal de caçar monstros com várias pessoas, abaixando o nível do perigo tanto quanto
eles pudessem, através do qual eles foram capazes de ganhar uma renda estável e dividi-la
igualmente, não era falho. Mas a essência de MMORPGs era a luta por recursos dos jogadores por
eles mesmo, e isso não tinha mudado, mesmo com as estranhas, para não mencionar, estremas
condições associadas a um jogo tal como SAO. Não, na verdade, poderia ser dito que essas
condições reforçavam essa suposição ao invés disso.
Portanto, um plano pragmático e forte liderança para a organização eram cruciais para realizar
esses ideais, e além disso, o Exército era muito grande. O consentimento dos itens adquiridos foi
desenfreado, golpes e revoltas aconteceram uma após a outra e os líderes gradualmente
perderam seu controle sobre a guild.
“E aquele que então ganhou o poder sobre a guild foi o homem chamado Kibaou.”
Yuriel falou em um tom antipático.
“Ele apoiou o conceito de individualismo de Sinker, começou a fortalecer a estrutura da
organização com jogadores de nível mais alto e com visualizações similares e mudou o nome da
guild para Força de Libertação de Aincrad. Em adição, ele dirigiu a caçada de criminosos e
monopolização dos campos com aumentos efetivos, através do uso de uma polícia oficial. Ele
tinha pelo menos considerado amizade com outras guilds defendendo a etiqueta em áreas de
caça até então, mas depois disso, ele manteve a monopolização por um longo período de tempo
através de múltiplas exibições de poder, aumentando fortemente os lucros da guild e fez com que
os adeptos de Kibaou acabassem por ganhar poder político rapidamente. Recentemente, Sinker
tem sido cada vez mais resignado para o mero perfil de uma mera figura de proa... enquanto os
jogadores do lado Kibaou tem se deixado levar, começando atos de extorsão sob a máscara da
coleta de impostos, até dentro dos limites das cidades. Ontem, aqueles que causaram à vocês
aquele encontro angustiante eram parte daqueles caras dessa facção.”
Yuriel respirou profundamente, bebeu o chá que Sasha fez e continuou.
“Contudo, mesmo o grupo de Kibaou tem uma fraqueza. Isso é, eles são viciados em nada além de
acumulação de riquezas, mal continuando com o término do jogo. A crença de que eles estão
confundindo a causa com o fim está se tornando popular entre a maioria dos jogadores... para
restringir essa insatisfação, Kibaou recentemente fez uma jogada arriscada. Dentre seus
subordinados, ele montou um grupo com dez dos jogadores de nível mais alto, enviando-os para
finalizar o chefe da linha de frente.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


141 Sword Art Online – Aincrad

Asuna, não intencionalmente, trocou olhares com Kirito. O caso do jogador do Exército, Colbert,
que desafiou o chefe do andar 74, The Gleam Eyes, sem nem mesmo preparações adequadas e
sofreu uma morte trágica, entregando um novo detalhe para adicionar-se à memória de Asuna.
“Independentemente do quão alto seus níveis podem ter sido, desde o início, quando comparados
àqueles do grupo de vanguarda, nós não podemos negar nossa falta de competência. No fim, o
grupo foi eliminado, e com o pior resultado possível com a morte do comandante oficial. Kibaou
foi fortemente culpado por essa exibição de irresponsabilidade. Nós estávamos a apenas um
passo de conseguir exilá-lo, mas...”
Rugas dobraram-se na ponta do nariz alto de Yuriel e ela mordeu seus lábios.
“Três dias atrás, Kibaou tomou medidas drásticas quando ele foi caçado, armando uma armadilha
para Sinker. Ele usou um cristal do corredor, ajustou-o para o fundo de dentro do calabouço, na
saída, e Sinker acabou sendo expulso do teleporte. Naquela hora, Sinker foi sem o seu
equipamento, acreditando nas palavras de Kibaou, ‘Vamos conversar desarmados.’ e acabou em
um estado que garantia que ninguém seria capaz de quebrar a multidão de monstros da sessão
mais profunda do calabouço e retornar sozinho. Parecia que ele nem carregou um cristal de
teleporte com ele...”
“T-três dias já se passaram...!? Nesse caso, Sinker-san está...?”
Para Asuna, que respondeu com uma pergunta, Yuriel assentiu levemente.
“Seu nome no Monumento da Vida ainda está inalterado, então parece que ele de alguma forma
conseguiu fazer todo o caminho até a zona segura. Contudo, como a localização ainda está em
uma porção interna de um calabouço de um nível consideravelmente alto, nós parecemos ser
incapazes de fazer qualquer coisa... Como você sabe, mensagens não podem ser enviadas dentro
de calabouços e o armazenamento da guild não pode ser acessado de dentro, então nós não
podemos nem enviar um cristal de teleporte também.”
Já que usar um cristal do corredor para conduzir alguém direto para um destino de morte é uma
técnica básica conhecida como Portal PK, ou Portal Player Kill, Sinker naturalmente deveria saber
disso. Contudo, ele provavelmente nem mesmo considerou que um sub-líder da mesma guild iria
tão longe, mesmo com a amargura entre eles. Ou talvez, ele só não quis acreditar nisso, apesar de
tudo.
Assim que ela leu os pensamentos de Asuna, Yuriel murmurou, “Ele só é uma pessoa boa demais.”
com um suspiro e continuou.
“...Os únicos capazes de manipular a prova de um líder de guild, a Lista de Contratos, são Sinker e
Kibaou, e nesse ritmo, com Sinker sem retornar, as gestões pessoais da guild e tudo mais, até as
finanças... vão todas voltar ao controle de Kibaou. A responsabilidade de prevenir Sinker de cair
em armadilhas é de seu assistente, que seria eu, e eu não tenho escolha a não ser ir e resgatá-lo.
Mas eu não tenho chances de atravessar o calabouço onde ele está confinado com meu nível; eu
nem sequer posso chamar pelo suporte dos jogadores do Exército.”
Ela mordeu seus lábios fortemente, antes de olhar diretamente para Kirito, e então para Asuna.
“E agora, eu recebi notícias de que um casal incrivelmente poderoso apareceu na cidade, por isso
eu vim aqui com a intenção de pedir por ajuda, como eu não poderia apenas ignorar a situação e
não fazer nada. Kirito-san... Asuna-san.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


142 Sword Art Online – Aincrad

Yuriel curvou-se profundamente e falou.


“Eu acredito que seja extremamente imprudente de minha parte pedir isso quando nós acabamos
de nos conhecer, mas por favor, vocês me ajudariam a salvar Sinker?”
Asuna olhou atentamente para Yuriel, quem tinha terminado sua longa história e fechou sua boca.
Pode ser depressível dizer isso, mas dentro de SAO, não se pode acreditar nas palavras de outros
tão facilmente. Mesmo em um caso assim, a possibilidade de ser uma conspiração para atrair
Kirito e Asuna para fora da área da cidade, assim como infligir dano neles, não podia ser
abandonada ainda. Normalmente, enquanto houvesse conhecimento suficiente sobre o jogo,
alguém seria capaz de achar os buracos nas histórias de possíveis mentirosos, mas infelizmente,
Asuna e sua companhia são muito ignorantes sobre o verdadeiro estado do Exército.
Trocando um olhar com Kirito, Asuna abriu sua boca para falar com cautela.
“...Se houver algo que nós possamos fazer, nós deveríamos oferecer nossa força... é o que eu
acredito. Mas para isso acontecer, nós teríamos que primeiro fazer uma pesquisa pelo menos,
para confirmar sua história...”
“Isso é... o esperado, eu suponho...”
Yuriel assentiu levemente.
“Eu até reconheço que esse é um pedido sem razão... Contudo, não seria impensável que uma
linha horizontal pode ser gravada sobre o nome de Sinker no Monumento da Vida do Castelo de
Ferro Negro a qualquer momento...”
Os olhos firmes da usuária de chicote de cabelo prateado pareceram ficar nublados, dominando os
sentimentos de Asuna. Ela sentiu vontade de acreditar em Yuriel. Mas ao mesmo tempo, a
experiência que ela tinha reunido durante esses dois anos neste mundo alertavam ela, sobre o
perigo de se deixar levar por suas emoções.
Dando uma olhada em Kirito, ele também parecia estar perdido em seus pensamentos
novamente. Aqueles olhos negros atentamente olhando dessa forma refletiam a indecisão em seu
coração, entre a vontade de ajudar Yuriel e a preocupação com a segurança de Asuna.
...Então aconteceu. Yui, quem esteve em silêncio até então, levantou sua cabeça abruptamente de
seu copo e falou.
“Está tudo bem mamãe. Essa pessoa não está mentindo.”
Asuna ficou surpresa e olhou diretamente para Yui. Colocando de lado o conteúdo de seu
discurso, era um japonês excelente, como se a forma como ela falhava com suas palavras até
ontem fosse uma mentira.
“Yu... Yui-chan, você é capaz de entender algo assim...?”
Recebendo a pergunta enquanto Asuna olhava em sua face, Yui assentiu.
“Humm. Eu não consigo... realmente colocar em palavras, mas eu entendo...”
Escutando essas palavras, Kirito esticou sua mão direita, acariciando a cabeça de Yui. Ele olhou
para Asuna e sorriu.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


143 Sword Art Online – Aincrad

“É melhor nos arrepender por acreditar nela do que nos arrepender por não ter acreditado nela.
Vamos lá. Nós vamos lidar com isso de alguma forma.”
“Tão despreocupado quanto sempre, hum?”
Balançando sua cabeça enquanto respondia, Asuna também esticou sua mão para a cabeça de Yui.
“Me desculpe por isso, Yui-chan. Nós atrasaremos a busca por seus amigos por um dia, mas nos
perdoe.”
Ela sussurrou em uma voz baixa, como se ela estivesse incerta sobre se Yui realmente entendia
isso. Yui sorriu amplamente e assentiu. Acariciando seu liso cabelo preto novamente, Asuna se
virou para Yuriel e falou sorrindo.
“...Nós podemos não ser de muita ajuda, mas nos permita ajudá-la. O desejo de ajudar alguém
importante para você; eu também entendo esse sentimento...”
Quando lágrimas brotaram nos olhos azuis-celeste de Yuriel, ela se curvou profundamente.
“Obrigada... Muito obrigada...
“Diga isso depois de nós termos resgatado Sinker-san.”
Asuna sorriu ainda outra vez, e Sasha, que estava olhando para a situação em silêncio até agora,
bateu suas mãos juntas.
“Nesse caso, tenham certeza de estarem cheios! Ainda há mais sobrando, então coma também,
Yuriel-san.”

A fraca luz do sol da chegada do inverno vazava através das copas das árvores da entrada da rua,
girando com um profundo carmesim, lançando sombras acima do pavimento de pedra. Pessoas
mal passavam pelos becos da Cidade Inicial, e ligado com as ruas que se esticavam infinitamente,
a impressão sombria que elas passavam era inegável.
Asuna, devidamente armada com seu equipamento, apressou-se pelas ruas junta de Kirito,
carregando Yui, sob a orientação de Yuriel.
Asuna naturalmente tentou deixar Yui para trás aos cuidados de Sasha, mas como Yui insistiu
teimosamente em ir junto, ela acabou relutantemente trazendo-a junto. Claro, um cristal de
teleporte estava preparado para ela em seu bolso. Caso fosse preciso – embora isso perturbasse
Sasha – Asuna planejava deixar Yui regredir de lá usando o cristal.
“Ah, agora que eu penso sobre isso, você ainda não mencionou algo importante.”
Kirito chamou por Yuriel, que estava caminhando na frente.
“Em qual andar é o calabouço em questão?”
Yuriel deu uma resposta simples.
“É aqui.”
“...?”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


144 Sword Art Online – Aincrad

Asuna instintivamente inclinou sua cabeça para o lado.


“Aqui... Hein?”
“Isso é, bem, nessa Cidade Inicial... há um longo calabouço no subsolo do parque central dela.
Sinker está... provavelmente na parte mais profunda do...”
“Sério?”
Kirito falou como se estivesse se lamentando.
“Não havia nada assim durante o teste beta. Que falta...”
“A entrada para o calabouço fica no Castelo de Aço Negro... em outras palavras, é no quartel
general do Exército. Parece que é o tipo de calabouço que abre com a limpeza dos andares
superiores, e só foi achado no tempo em que Kibaou veio ao poder, com eles planejando
monopolizá-lo para seu próprio grupo. Isso permaneceu em segredo por bastante tempo, até
mesmo para Sinker, e claro, eu também...”
“Então é isso. Há um monte de itens raros que aparecem apenas em calabouços inexplorados,
apesar de tudo. Eles devem ter feito bastante lucros.”
“Bem, isso não é totalmente verdade.”
O tom da voz de Yuriel estava tingido com leves traços de satisfação.
“Apesar do calabouço estar no andar base, o grau de dificuldade desse calabouço era
terrivelmente alto... Mesmo entre os monstros básicos lá, seus níveis são perto daqueles que
rodeiam o sexagésimo andar. Parece que até mesmo o grupo de avanço liderado pelo próprio
Kibaou foi destruído e perseguido, se teleportando mal escapando com suas vidas. Graças aos
cristais imprudentemente usados, eles acabaram com prejuízos ao invés de lucros.”
“Hahaha, entendo.”
Yuriel respondeu para a risada de Kirito com um sorriso, mas logo mergulhou em tristeza.
“Contudo, agora mesmo, essa é a razão pela qual salvar Sinker é tão difícil. O cristal do corredor
que Kibaou usou foi feito marcando o ponto mais profundo que ele conseguiu enquanto ele corria
se desviando de monstros... Sinker provavelmente está na extremidade daquele local marcado.
Não é totalmente impossível para mim lidar com os monstros de lá se for em um duelo um-
contra-um, mas batalhas consecutivas seriam totalmente impossíveis. Me desculpem, mas vocês
dois vão...”
“Ah, bem, se eles estão em cerca do nível do sexagésimo andar...”
“Nós deveríamos ser capazes de lidar com eles, seja como for.”
Seguindo a afirmação de Kirito, Asuna assentiu. Nos calabouços do sexagésimo andar, alguém de
nível 70 necessitaria de aumentar seu nível, mas Asuna tinha atualmente alcançado o nível 87,
enquanto Kirito tinha facilmente excedido o nível 90. Com isso, deveria ser possível atravessar o
calabouço mesmo enquanto protegessem Yui, então ela liberou a tenção em seus ombros com
alívio. Contudo, Yuriel continuou seu discurso sem mudar sua expressão ansiosa.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


145 Sword Art Online – Aincrad

“...Além disso, têm outra questão que me preocupa. É informação adquirida pelos jogadores que
participaram do grupo de avanço, mas no fundo do calabouço... um monstro enorme foi avistado;
algo no nível de um chefe...”
“...”
Asuna trocou olhares com Kirito.
“O chefe poderia ser aquele do sexagésimo andar... Como era o chefe de lá mesmo?”
“Eh, bem, eu acho... era algo como um guerreiro blindado feito de pedra.”
“Ah, aquele, hum? Ele não foi muito difícil, se eu não estou errada...”
Olhando para Yuriel, ela assentiu novamente.
“Bem, quanto a isso, nós deveríamos provavelmente ser capazes de lidar com ele também.”
“Nesse caso, eu fico aliviada!”
Yuriel finalmente afrouxou o maxilar e continuou suas palavras enquanto apertou os olhos, como
se ela estivesse olhando algo deslumbrante.
“Está certo... ambos vocês sempre tiveram experiência com batalhas contra chefes... me
desculpem por tomar seu precioso tempo...”
“Não, nós estamos de folga agora, apesar de tudo.”
Asuna se agitou, balançando suas mãos.
Enquanto eles trocavam conversas, a forma de uma grande construção, brilhando com um brilho
negro, começou a aparecer nas ruas além deles. Era o maior estabelecimento da Cidade Inicial, o
Castelo de Aço Negro. No salão logo após a entrada através do portão principal, o Monumento da
Vida, com os nomes de cada jogador listado nele, estava erguido, e apesar de que qualquer um
podia entrar até aquele ponto, a maior parte das partes mais profundas estavam completamente
sob o controle do Exército.
Yuriel não se dirigiu para a entrada principal do castelo, movendo-se para a parte de trás. As altas
paredes do castelo e o fosso profundo cercando-os, negando intrusos, continuava infinitamente.
Não havia absolutamente nenhum humano trafegando.
Depois de caminhar por alguns minutos, o lugar onde Yuriel parou era uma escada que descia pelo
caminho, para algum lugar perto da superfície de água do fosso. Olhando para dentro, havia uma
passagem escura aberta no lado direito da ponta da escada.
“Nós vamos entrar nos esgotos do castelo por aqui e nos dirigir para a entrada do calabouço. Pode
ser um pouco escuro e estreito, entretanto...”
Yuriel cortou suas palavras ali, olhando para Yui, dentro dos braços de Kirito, com preocupação.
Com isso, Yui franziu as sobrancelhas como se ela estivesse chateada, e então insistiu.
“Yui não está com medo!”
Um sorriso não intencional escapou de Asuna, enquanto ela observava a situação.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


146 Sword Art Online – Aincrad

Para Yuriel, Yui foi explicada com nada mais que um, “Nós estamos vivendo juntos.”. Ela não
tentou se intrometer em nada além disso, mas ela provavelmente tinha reservas sobre trazer Yui
junta para o calabouço, como esperado.
Asuna falou para aliviar suas preocupações.
“Está tudo bem... essa criança é muito mais esperta do que ela parece, apesar de tudo.”
“Sim. Ela definitivamente se tornará uma ótima espadachim no futuro.”
Com o comentário de Kirito, Asuna trocou olhares com ele e sorriu, então Yuriel assentiu
profundamente.
“Tudo bem, então, vamos!”

“Nuooooo”
E a espada agarrada pela mão direita cortou o monstro com um golpe.
“Haaaaa”
E a espada agarrada pela mão esquerda lançou-os com um estrondo.
Equipando as duas espadas pela primeira vez depois de um tempo, Kirito liberou toda a energia
acumulada em sua folga, desperdiçando-a na multidão de inimigos sem pausa, um após outro.
Asuna, segurando a mão de Yui, e Yuriel, segurando seu chicote de metal, não tinham chance de
fazer nada. Cada vez que os grupos de inimigos, constituídos de enormes monstros de tipo de rã
cobertos de lodo, monstros do tipo lagosta carregando pinças de um brilho negro e quaisquer
outros que aparecessem, o que os destruía com uma fúria imprudente eram as espadas da direita
e da esquerda, rasgando através de tudo ao redor delas, finalizando os inimigos.
O pensamento de Asuna foi, “Oh, céus.”, mas Yuriel olhava para o estilo berserker de Kirito
admirada e boquiaberta. Era provavelmente um espetáculo muito diferente do seu conhecimento
de batalha. Com Yui aplaudindo com um inocente “Papai, faça o seu melhor.”, a tensão no ar
evaporou ainda mais rápido.
Dezenas de minutos haviam se passado desde que eles se dirigiram para o escuro e úmido
abastecimento de água subterrâneo, até invadirem esse calabouço feito de pedras negras. Era
mais amplo, profundo e cheio de monstros que o esperado, mas com Kirito quebrando o balanço
do jogo, balançando seu par de espadas de um lado ao outro com vigor, as duas espadachins
sofreram quase zero de fadiga.
“B... Bem, eu sinto por isso, deixar tudo com vocês...”
Para Yuriel, que tinha um olhar de culpa e estava com sua cabeça curvada, Asuna respondeu com
um sorriso torto.
“Não, esse cara está se divertindo, apesar de tudo... está bem em só deixa-lo fazer tudo.”
“Ei, o que há com isso, isso é cruel.”
Kirito, de trás do grupo devastado, se irritou quando as palavras de Asuna chegaram aos seus
ouvidos.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


147 Sword Art Online – Aincrad

“Quer trocar então?”


“...S-só um pouco mais.”
Asuna e Yuriel sorriram quando o olhar delas se encontrou.
Depois da usuária de chicotes de cabelo prata balançar sua mão esquerda, exibindo o mapa, ela
apontou para o ponto brilhante que representava um amigo marcado, mostrando a atual posição
de Sinker. Como ela não tinha o mapa do calabouço, o caminho para o ponto brilhante estava em
branco, mas eles já tinham encurtado setenta por cento da distância total.
“A posição de Sinker não se moveu por alguns dias. Eu acredito que ele deve provavelmente estar
em uma área segura. Se nós formos capazes de alcançar todo o caminho até lá, nós podemos só
usar cristais para nos retirar, então... me desculpem, vou continuar com vocês por um pouco
mais.”
Yuriel abaixou sua cabeça e Kirito freneticamente balançou suas mãos.
“N-não, nós estamos fazendo isso porque nós queremos e há itens caindo também, então...”
“Oh?”
Asuna perguntou em retorno por reflexo.
“Alguma coisa boa caiu?”
“Siiim.”
Kirito manipulou agilmente a janela e uma carne vermelho escuro apareceu de sua superfície com
um som crocante. O rosto de Asuna congelou, pensando sobre o quão grotesco deveria ser o
gosto disso.
“O qu... só me diga o que é isso?”
“Carne de rã! Você definitivamente vai dizer que seu gosto é tão bom quanto sua aparência é
estranha, então tenha certeza de cozinha-la depois.”
“Eu... jamais... farei isso!!”
Asuna gritou e abriu sua janela também. Acessando o inventário compartilhado com Kirito, ela
selecionou a pilha de itens Scavenger Meat x24 e impiedosamente arrastou-a para a lixeira.
“Ah! Aaaaaa...”
Observando o olhar completamente deprimido de Kirito falando em um tom amargo, Yuriel não
pode segurar seu riso, segurando seu estômago, mesmo enquanto ela tentava segurá-lo. E nesse
momento...
“Mana, você finalmente riu!”
Yui gritou alegremente. Yuriel também sorriu amplamente.
Olhando para isso, Asuna se surpreendeu... lembrando o que aconteceu naquela vez. O dia
anterior, a vez que Yui entrou em convulsões, também foi logo depois de todas as crianças rirem
juntas, tendo repelido aqueles caras do Exército. Parecia que a garota tinha uma única
sensibilidade para os sorrisos das pessoas ao redor dela. Se essa fosse a personalidade que ela

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


148 Sword Art Online – Aincrad

teve desde que nasceu, ou talvez devido a todos os sentimentos dolorosos que ela tinha sofrido
até agora... Asuna instintivamente segurou Yui em seus braços, abraçando-a firmemente. Ela
jurou em seu coração que ela sempre sorriria quando estivesse ao lado dessa criança.
“Bem, vamos continuar!”
Com a voz de Asuna, o grupo caminhou adiante, rumando ainda mais rápido para o fundo do
calabouço.
Os grupos de monstros que eram constituídos principalmente de criaturas aquáticas desde o
tempo em que eles entraram no calabouço mudaram para aqueles da família de espectros, tais
como mortos-vivos e fantasmas, quando eles desceram as escadas, enviando intensos calafrios
pelo coração de Asuna, mas o par de espadas de Kirito continuou abatendo os inimigos que
apareciam em poucos instantes, sem mostrar o menor vestígio de hesitação.
Normalmente, não é aconselhável para um jogador de alto nível ficar selvagem em uma caçada
em campos muito abaixo do seu, mas não havia necessidade de pensar sobre isso agora, já que
não havia mais ninguém ali. Se houvesse tempo disponível, seria uma chance de trabalhar para
subir o nível de Yuriel, que estava apenas sendo o suporte, mas resgatar Sinker exigia precedência
no momento.
Nas duas horas que se passaram em um piscar de olhos, a distância entre a atual posição exibida
no mapa, e o lugar onde Sinker estava, aparentemente uma zona segura, diminuiu de forma
constante.
Era completamente desconhecido o quanto eles já tinham descido, enquanto as espadas de Kirito
explodiam aquele esqueleto espadachim negro em pedaços, e eles finalmente ganharam vista de
uma passagem brilhando com uma luz quente logo além deles.
“Ah, é a zona segura!”
Quando Asuna falou, Kirito assentiu também, tendo confirmado com sua habilidade de detecção.
“Há um jogador sozinho lá dentro. Ele está seguro.”
“Sinker.”
Yuriel gritou e correu com sua armadura de metal tilintando, incapaz de se segurar. Kirito abaixou
suas espadas e correu atrás dela, junto com Asuna que estava segurando Yui.
Eles correram em direção da luz. Enquanto eles iam através do caminho que se curvava para a
direita por alguns segundos, uma larga bifurcação no caminho e além disso, uma pequena sala,
logo entrou em vista.
Para seus olhos, já acostumados à escuridão, a sala estava cheia com uma luz brilhante o
suficiente para cegá-los, e um único homem estava parado na estrada da sala. Seu rosto estava
com sobras devido a luz atrás dele, mas ele estava descontroladamente balançando seus braços
em direção do grupo.
“Yurieeel!!”
No momento em que ele confirmou as figuras, o homem gritou o nome dela. Yuriel balançou sua
mão esquerda também, correndo ainda mais rápido.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


149 Sword Art Online – Aincrad

“Sinkerrr!!”
Como se sua voz estivesse misturada com lágrimas, o grito do homem veio...
“Não chegue mais peeerto!! Esse caminho é...!!”
Ao escutar isso, Asuna diminuiu o seu ritmo, assustada. Mas isso não parecia ter alcançado os
ouvidos de Yuriel. Ela estava correndo diretamente em direção da sala.
E nesse momento...
Alguns metros antes da sala, no ponto brilhante no lado direito, no caminho intersectando a
estrada em que os três estavam correndo, um inesperado e único cursor amarelo apareceu. Asuna
imediatamente checou o nome. O que foi mostrado era The Fatal-Scythe...
Como uma foice que decide o destino, tinha a definição The junta ao nome. A prova de que era
um chefe.
“Não!! Yuriel-san, volte!!”
Asuna gritou. O cursor amarelo levemente se moveu para a esquerda, se aproximando da
intersecção da encruzilhada. Nesse caso, Yuriel correria em direção dele no cruzamento. Não
havia tempo restando.
“Kugh...!!”
De repente, Kirito que esteve correndo na esquerda de Asuna pareceu... ter sumido. Na realidade,
ele tinha corrido em uma velocidade extraordinária. As paredes ao redor tremeram com o som do
impacto.
Ele viajou vários metros com uma força em nível de um teleporte, e quando Kirito segurou Yuriel
pelas costas com sua mão direita, ele impulsionou a espada em sua mão esquerda contra o chão
com toda sua força. Um tremendo som metálico ressoou. Incontáveis faíscas. Realizando um freio
urgente que foi capaz de queimar o próprio ar, no espaço em frente aos dois que mal conseguiram
parar antes da encruzilhada, o solo rugiu enquanto tremia, enquanto uma gigantesca sombra
negra surgia.
O cursor amarelo que apareceu e pulou da passagem na esquerda, parou depois de cerca de dez
metros. O monstro de estatura desconhecida, friamente mudou sua direção e apareceu para
investir novamente.
Kirito soltou Yuriel, e retirando a espada que ele usou para perfurar o chão, pulou na passagem da
esquerda. Asuna freneticamente o seguiu.
Sacudindo Yuriel, que tinha caído devido ao choque, de volta aos seus sensos, ela puxou-a para o
lado oposto da passagem. Deixando Yui descer de seus braços e confiando-a à Yuriel, Asuna falou
rapidamente.
“Por favor, volte para a área segura com essa criança!”
A usuária de chicotes assentiu com seu rosto branco, e tendo confirmado que ela levou Yui para a
sala, Asuna desembainhou seu florete enquanto se virava para a esquerda.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


150 Sword Art Online – Aincrad

A vista das costas de Kirito, ainda parado em postura ofensiva com suas duas lâminas, entrou em
sua visão. O que estava mais à frente... era um ser de dois metros e meio, uma silhueta
humanoide vestida em um oscilante manto negro.
Dentro do manto, os braços que saiam das mangas eram escuros, corpóreos e torciam-se como se
eles se enrolassem. Dentro do seu rosto sombrio, tudo que o ocupava era um par de globos
oculares energéticos, com suas vias sanguíneas visíveis, olhando para o casal. Ele empunhava uma
grande foice negra em sua mão direita. No limite daquela lâmina curvada cruelmente, um liquido
vermelho viscoso escorria, gota após gota. Como um todo, ele tinha uma figura igual a de um deus
da morte.
Os globos oculares do deus da morte giraram e olharam diretamente para Asuna. Nesse
momento, calafrios correram através de todo o seu corpo, como se seu coração tivesse parado
por puro medo.
Mas seu nível não deveria estar de acordo com sua aparência.
Com esses pensamentos em sua cabeça, no momento em que ela preparava seu florete
novamente, Kirito falou asperamente, se colocando em frente dela.
“Asuna, leve esses três para a zona segura e escape com o cristal agora.”
“Hein...?”
“Esse cara é forte. Mesmo minha habilidade de identificação não pôde achar dados nele. Em
termos de poder, ele provavelmente está classificado como um monstro do nonagésimo andar.”
“...?”
Asuna perdeu sua respiração e enrijeceu também. Logo nesse momento, o deus da morte
gradualmente se moveu pelo ar, se aproximando do casal.
“Eu vou segura-lo por um tempo, então se apresse e saia daqui!!”
“K-kirito kun também, nós deveríamos ir jun...”
“Eu vou depois de você. Rápido...”
Apesar de o cristal de teleporte ser uma medida de último recurso para fugir, ele não é uma
ferramenta totalmente poderosa. Até segurar o cristal, definir a localização, e verdadeiramente
completar o teleporte, havia um tempo de espera de alguns segundos. Se alguém recebesse um
ataque de um monstro nesse período, o teleporte seria cancelado. Quando a cadeia de comando
da equipe se rompe, com pessoas retirando-se puramente para agradar seu próprio eu, a razão do
porque o resto se tornam vítimas, incapazes de sequer parar por tempo suficiente para se
teleportar, é devido a isso.
Asuna estava perdida. Mesmo se eles quatro se teleportassem primeiro, com a habilidade de
correr de Kirito, ele poderia ser capaz de passar pelo chefe e alcançar a zona segura. Contudo, a
velocidade mostrada pelo chefe mais cedo era realmente aterrorizante. Se talvez... ela escapasse
primeiro e depois disso ele não retornasse... esse era um pensamento que ela não poderia
suportar.
Asuna deu uma olhada para as profundezas do caminho à direita.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


151 Sword Art Online – Aincrad

“Me desculpe, Yui-chan. Apesar de eu ter dito que nós ficaríamos juntas...”
Sussurrando isso dentro de seu coração, ela gritou.
“Yuriel-san, eu deixarei Yui com você! Por favor, fujam juntos, vocês três!”
Yuriel balançou sua cabeça, com sua expressão congelada.
“Eu não permitirei isso... algo assim...”
“Rápido!!”
Foi logo após... O deus da morte, balançando sua foice empunhada, começou a mudar com um
vigor surpreendente, com maisma vazando pelas bordas de suas vestes.
Kirito cruzou as duas espadas em suas mãos, assumindo uma postura imponente em frente de
Asuna. Asuna freneticamente se agarrou aquelas costas, encontrando as duas espadas de Kirito
com aquela em sua mão direita. O deus da morte, sem se preocupar com as três espadas, abaixou
a foice, almejando acertar as cebeças do casal.
Um flesh vermelho. Um impacto.
Asuna sentiu seu corpo girar várias vezes. Primeiro, ela foi arremessada ao chão, então ela bateu
no teto pelo impacto, antes de cair de costas no chão novamente. Sua respiração parou e seu
campo de visão começou a escurecer.
Com sua consciência vaga, ela checou as barras de HP de Kirito e a sua própria, ambos perderam
metade da vida em um único ataque. O impiedoso indicador amarelo conduziu-se para o próximo
ataque que certamente os mataria. Ela tinha que se levantar. Isso foi o que ela pensou, mas seu
corpo não se movia...
...E então, nesse momento.
Curto passo após curto passo, ela escutou esses suaves sons de passos perto de seus ouvidos.
Deslocando sua visão, desnorteada, passos de criança, como aqueles de um gatinho, avançando
adiante sem nenhuma preocupação pelo perigo iminente, e então ela entrou em sua visão.
Mãos e pés finos. Cabelo longo e preto. Era Yui, que deveria estar na zona segura. Possuindo um
olhar sem o mínimo traço de medo, ela olhou diretamente para o gigante deus da morte.
“Idiota, se apresse e saia daí!!”
Freneticamente se esforçando para levantar seu corpo, Kirito gritou. O deus da morte segurou sua
foice no ar com movimentos deliberados novamente. Se ela fosse acertada com um ataque
daquela distância, a barra de HP de Yui certamente esvaziaria. Asuna também tentou mover sua
boca. Mas com seus lábios se enrijecendo, ela era incapaz de exprimir uma única palavra.
Mas no momento seguinte, algo inacreditável aconteceu.
“Está tudo bem, papai, mamãe.”
Junto com essas palavras, o corpo de Yui gentilmente flutuou no ar.
Não foi um pulo. Se movendo como se ela agitasse asas invisíveis, ela parou completamente em
uma altura de dois metros. Ela suavemente ergueu sua pequena mão direita no ar.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


152 Sword Art Online – Aincrad

“Não...! Fuja!! Fuja daqui, Yui-chan!!”


Como se para limpar os gritos de Asuna, a foice do deus da morte estava descendo
impiedosamente, desenhando uma linha de luz vermelho-escuro. A cruel ponta afiada veio ao
alcance da pura e branca palma de Yui...
Logo antes da lâmina entrar em contato com ela, a foice foi parada por uma barreira de uma cor
purpura e afastou a lâmina com um grande barulho. O rótulo do sistema que flutuou acima da
palma de Yui fez Asuna olhar perplexa.
Objeto Imortal, isso era certamente o que estava escrito lá. Imortalidade... um atributo que
nenhum jogador deveria possuir.
O deus da morte negro girou seus globos oculares, como se ele estivesse desnorteado.
Imediatamente depois disso, mais um fenômeno que surpreendeu Asuna aconteceu.
‘Gouuff!!’, junto com esse som, chamas carmesim vieram adiante, enrolando-se ao redor de Yui,
com sua mão direita como seu centro. As chamas espalharam-se vastamente por um instante,
antes de imediatamente se condensar e começarem a se unir juntas em uma cumprida e fina
forma. Quando alguém olhava, a figura mudava para aquela de uma grande espada. Uma lâmina,
brilhando nas sombras de uma labareda, emergiu de dentro das chamas, estendendo-se
interminavelmente.
A vasta espada que apareceu na mão direita de Yui era de uma extensão que facilmente excedia a
altura da garota. O resplendor de metal, que parecia estar à beira de derreter, iluminou a
passagem. Como se despertando as chamas da espada, as longas roupas de inverno usadas pela
forma de Yui queimaram em um instante. Por baixo delas, a peça única de vestido que a garota
usava na primeira vez apareceu. Estranhamente, mesmo com as chamas que se envolvendo ao
redor da peça única de vestido, assim como aquele longo cabelo negro, os mesmos pareciam não
sofrer absolutamente nenhum efeito.
Ela casualmente girou a espada que excedia sua altura, uma vez...
Sem mostrar um traço de hesitação, Yui desafiou o deus da morte enquanto ela investia com
ataques de chamas.
Apesar de suas ações serem governadas por nada mais que um simples algoritmo do sistema,
dentro dos olhos cheios de sangue do chefe, Asuna acreditou tê-los visto tingidos por uma distinta
cor de medo.
Vestida nos redemoinhos de chamas, Yui se precipitou pelo ar com um rugido ensurdecedor. O
deus da morte ergueu a foice sobre ele e assumiu uma posição defensiva, como se ele estivesse
com medo da garota, bem menor que ele. E movendo-se adiante, Yui brandiu a longa e brilhante
espada diretamente para baixo com toda sua força.
A lâmina, exprimindo chamas intensas, colidiu com o cabo horizontal da foice. Por um instante, os
movimentos dos dois cessaram.
Sem nem mesmo tempo para pensar, a espada coberta de fogo de Yui se moveu novamente.
Como o metal estava flamejando com quantidades altas de calor, a lâmina radiante atravessou o
cabo da foice de pouco a pouco. Com força suficiente para rasgar qualquer coisa, exceto o longo
cabelo de Yui e sua peça única de vestido, assim como o manto do deus da morte, aquilo

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


153 Sword Art Online – Aincrad

flamejava, produzindo longas faíscas em tempos, iluminando o interior do calabouço e tingindo a


área de laranja.
Logo depois...
Junto com um som explosivo, a foice do deus da morte foi finalmente partida em duas.
Imediatamente seguido disso, como se a energia acumulada até agora fosse solta de uma única
vez, a longa espada se tornou um pilar de chamas, atingindo diretamente no meio da face do
chefe.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


154 Sword Art Online – Aincrad

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


155 Sword Art Online – Aincrad

“...Eh...!!”
Asuna e Kirito apertaram seus olhos e protegeram seus rostos por reflexo, reagindo à força
excessivamente forte de uma bola de fogo escaldante que apareceu naquele momento. Ao
mesmo tempo em que Yui brandiu sua espada diretamente para baixo, a bola de fogo explodiu,
engolindo a forma do deus da morte em redemoinhos carmesim enquanto ele era transmitido
para mais fundo na passagem. Escondido dentro desse rugido estrondoso, um grito fraco de
morte e agonia ecoou.
Quando eles abriram seus olhos, eles imediatamente os fecharam por um instante devido ao quão
deslumbrante as chamas eram. A figura do chefe não estava mais ali. Pequenas chamas
balançavam, deixadas para trás aqui e ali no caminho, fazendo ruídos. E no centro disso tudo, Yui
ficou parada sozinha, olhando desanimada. A espada brilhante que estava no chão dissolveu-se e
se desintegrou em nada enquanto exalava chamas, assim como quando ela foi materializada.
Asuna se levantou, finalmente recuperando a força em seu corpo, lentamente se levantando
usando seu florete como um suporte. Kirito também se levantou brevemente depois. O casal se
aproximou da garota com passos instáveis.
“Yui... chan...”
Asuna gritou com uma voz áspera e a garota se virou sem fazer um único som. Seus pequenos
lábios mostraram um sorriso, mas naqueles largos olhos negros, muitas lágrimas estavam
brotando.
Yui olhou para Asuna e Kirito enquanto ela falava silenciosamente.
“Papai... mamãe... eu me lembro de tudo agora...”

A zona segura da parte mais profunda do labirinto subterrâneo do Castelo de Aço Negro tinha a
forma de um quadrado perfeito. Havia apenas uma única entrada, e no meio dela, um cubo de
pedra liso, brilhante e negro, agindo como uma mesa, estava posicionado.
Asuna e Kirito olharam para Yui, sentada na mesa de pedra, olhando calma e quieta, em silêncio.
Yuriel e Sinker tinham pedido para escapar primeiro, então os três estavam sozinhos agora.
“Minhas memórias retornaram.”
Depois dessas palavras, Yui passou vários minutos sem falar nada. Aquela expressão parecia triste
de alguma forma, como se ela estivesse hesitando em falar, mas Asuna reuniu sua coragem e
perguntou.
“Yui-chan... Você se lembra...? De tudo até agora...”
Yui ainda continuou olhando desanimada, mas finalmente assentiu. Com uma expressão que
misturava sorriso e choro, ela abriu seus pequenos lábios.
“Sim... eu vou explicar tudo... Kirito-san, Asuna-san.”
No momento em que ela escutou essa forma educada de falar, o peito de Asuna apertou com
expectativas desoladas. Uma sufocante crença de que algo iria acabar.
Dentro da sala quadrada, as palavras de Yui começaram a gentilmente fluir.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


156 Sword Art Online – Aincrad

“Esse mundo chamado de Sword Art Online é controlado por um único e gigantesco sistema. O
nome desse sistema é Cardinal. Isso é, a forma como esse mundo é controlado é baseado em seus
julgamentos. Em primeiro lugar, Cardinal foi designado para não requerer da manutenção de
humanos. Com dois programas núcleos fazendo correções de erros mútuos um no outro, e em
adição, incontáveis números de pacotes de programas mais baixos, eles regulam tudo desse
mundo... A inteligência artificial para monstros e NPCs, o balanceamento das taxas dos itens e o
dinheiro, qualquer coisa e cada coisa é controlada pelo grupo de programas sob o comando de
Cardinal. Contudo, havia uma coisa que não poderia ser confiada a nada além de humanos.
Problemas originados no estado mental dos jogadores; essa era a única coisa que não poderia ser
resolvida por ninguém mais além dos próprios humanos... e por esse propósito, dezenas de
funcionários deveriam ter sido preparados.”
“Game masters...”
Kirito falou com um suspiro.
“Yui, em resumo, você está dizendo que você é um Game Master...? Um funcionário da Argus...?”
Depois de permanecer alguns segundos em silencio, Yui balançou suavemente sua cabeça.
“...Quando os desenvolvedores de Cardinal confiaram até os cuidados dos jogadores ao sistema,
eles executaram uma tentativa de um certo programa. Usando uma característica única do Nerve
Gear, o programa monitorava as emoções dos jogadores em detalhes e aparecia ao lado de
jogadores dos quais ele encontrava problemas para ouvi-los... Saúde mental / Programa de
Conselhos, MHCP – Mental Heath / Counselling Program - versão 1, nome do código, Yui. Essa
seria eu.”
A respiração de Asuna fugiu pelo quão grande esse choque foi. Ela era incapaz de entender o que
havia sido dito agora.
“Programa...? Você quer dizer uma IA...?”
Ela perguntou em uma voz baixa. Yui assentiu, um sorriso deprimido em seu rosto.
“Então, para não desconfortar os jogadores, eu recebi uma função que imita emoções. Isso é falso,
tudo isso... até essas lágrimas... me desculpe, Asuna-san...”
Grandes lágrimas escorriam pelos olhos de Yui, se tornando partículas de luz e dissolvendo-se.
Asuna deu um único e suave passo em direção de Yui. Ela esticou sua mão, mas Yui balançou sua
cabeça fracamente. Como se... ela fosse desqualificada para receber o abraço de Asuna.
Ainda incapaz de acreditar na situação, Asuna forçou suas palavras.
“Mas... e perder suas memórias...? Algo assim pode acontecer com uma IA...?”
“...Dois anos atrás... O dia oficial de abertura do servidor...”
Yui abaixou os seus olhos e continuou sua explicação.
“Apesar de eu ser ignorante quanto aos detalhes completos do que exatamente aconteceu
também, Cardinal me entregou uma ordem fora dos planos. Uma completa proibição de interferir
com qualquer jogador... Sem permissão para fazer qualquer contato tangível com eles, eu
relutantemente continuei fazendo nada mais além de monitorar a saúde mental dos jogadores.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


157 Sword Art Online – Aincrad

Asuna reagiu de forma reflexível; ela achou que essa ordem fora dos planos era devido a
manipulação feita pelo único Game Master de SAO, Kayaba Akihiko. Yui, que provavelmente não o
conhecia, moveu seus lábios novamente, seu rosto distorcido por tristeza.
“Essa situação... foi simplesmente a pior... Praticamente todos os jogadores estavam cobertos por
emoções negativas, tais como o medo, desespero e ódio na maioria do tempo; às vezes, haviam
até alguns que se sentiam loucos. Eu continuei olhando nos corações daquelas pessoas.
Originalmente, eu não teria sido capaz de me impedir de ir diretamente até aqueles jogadores,
escutar suas histórias e resolver seus problemas... mas não haviam meios de entrar em contato
com eles da minha posição... Com essa contradição de ter o senso de dever, e ainda assim a falta
da autoridade para fazê-lo, eu fui gradualmente coberta de erros e desmoronei...”
A delicada voz de Yui ecoou pelo chão do silencioso labirinto subterrâneo, como um fio de prata
tremendo. Asuna e Kirito não puderam fazer nada além de escutar atenciosamente sem
pronunciar uma única palavra.
“Um dia, quando eu fiz meu usual monitoramento, eu percebi um casal com parâmetros mentais
que divergiam grandemente daqueles de outros jogadores. Eu nunca havia encontrado padrões
cerebrais como esses até então. Felicidade... paz... mas não apenas isso... O que são essas
emoções? Pensando nisso, eu continuei a monitorar aqueles dois. Desejos misteriosos brotaram
dentro de mim, enquanto eu observava suas conversas e ações. Nenhuma rotina deveria ter
existido, mas... eu queria me aproximar daqueles dois... em um ambiente íntimo, eu queria
conversar com eles diretamente... Com o desejo de estar mais próxima, mesmo que fosse só um
pouco mais, eu vaguei diariamente, me manifestando pelo console do sistema o mais próximo da
casa de jogador da qual o casal vivia. Eu acredito que eu devo ter estado consideravelmente
esgotada naquele tempo...”
“E isso é, a floresta do vigésimo-segundo andar...?”
Yui assentiu gentilmente.
“Sim. Kirito-san, Asuna-san... eu sempre quis… me encontrar com vocês dois... Naquela floresta,
no momento em que eu vi vocês dois... eu me senti extremamente feliz... Isso era estranho; não
era possível que eu pudesse pensar em algo assim... Eu não sou nada além de um mero
programa...”
Transbordando lágrimas, Yui fechou sua boca. Asuna estava arrasada com sentimentos
indescritíveis, agarrando suas mãos fortemente em frente ao seu peito.
“Yui-chan... você é uma verdadeira IA, não é? Então você possui inteligência de verdade, não...?”
Quando ela disse isso sussurrando, Yui inclinou sua cabeça levemente e respondeu.
“Eu... não entendo... exatamente, o que aconteceu comigo...”
Nesse momento, Kirito, que tinha permanecido em silêncio até agora, deu um passo à frente.
“Yui não é mais um programa operado pelo sistema. Por isso, você deve ser capaz de dizer os seus
próprios desejos.”
Ele falou em um tom suave.
“O que você quer, Yui?”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


158 Sword Art Online – Aincrad

“Eu... eu quero...”
Yui esticou seus braços finos para o casal fortemente.
“Estar sempre com vocês... Papai... mamãe...!”
Sem nem mesmo limpar as lágrimas escorrendo em seu rosto, Asuna correu até Yui, abraçando
fortemente seu pequeno corpo.
“Nós vamos estar sempre juntos, Yui-chan.”
Logo depois, Kirito também envolveu seus braços ao redor de Yui e Asuna.
“Aah... Yui é nossa filha. Vamos para casa. Nós vamos viver juntos... para sempre...”
Contudo... do peito de Asuna, Yui balançou sua cabeça suavemente.
“Hein...?”
“É... tarde demais...”
Kirito perguntou, perplexo.
“Por que isso... o que é tarde demais...?”
“A razão pela qual eu recuperei minha memória... é porque eu toquei nessa pedra.”
Yui olhou para o centro da sala, apontando para o cubo negro armazenado lá com sua pequena
mão.
“Quando Asuna-san me mandou para essa zona segura mais cedo, eu toquei nessa pedra por
coincidência e entendi. Esse não é só um objeto decorativo... É um console instalado aqui no caso
de um Game Master precisar de um acesso urgente.”
Como se houvesse uma ordem de algum gênero nas palavras de Yui, algumas linhas de luz
estouraram em direção da pedra negra. Imediatamente, com um som profundo, um pálido
teclado azul brotou em sua superfície.
“Eu acredito que o chefe de mais cedo foi estacionado aqui para manter os jogadores longe. Eu
acessei o sistema usando esse console e eliminei o monstro com a invocação da Limpeza de
Objetos. Nesse momento, com a habilidade de correções de erros de Cardinal, minha linguagem
danificada foi restaurada, mas... ao mesmo tempo, Cardinal também me achou, que fui deixada
sozinha até agora. Agora mesmo, o sistema principal está analisando o meu programa. Ele vai
acabar chegando a resposta de que eu sou uma entidade estrangeira, e eu provavelmente serei
apagada. Eu já... não tenho muito tempo sobrando...”
“Isso... isso é...”
“Nada pode ser feito sobre isso? Se nós fugirmos desse lugar...”
Yui meramente deu um sorriso torto para as palavras do casal. Lágrimas escorreram pelas
bochechas brancas de Yui novamente.
“Papai, mamãe, obrigada! Esse será o nosso adeus.”
“De forma alguma! Eu não quero algo assim!!”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


159 Sword Art Online – Aincrad

Asuna gritou desesperadamente.


“Esse é só o começo!! De agora em diante, vivendo juntos e felizes... vivendo em paz, juntos...”
“Na escuridão... durante aquele longo sofrimento do qual eu nem mesmo sabia quando acabaria,
a existência de papai e mamãe era meu único consolo.”
Yui olhou diretamente para Asuna. Uma fraca luz começou a envolver seu corpo.
“Yui, não vá!!”
Kirito segurou na mão de Yui. Os pequenos dedos de Yui gentilmente seguraram os de Kirito.
“Quando estão com papai e mamãe, todos conseguem sorrir... eu estava muito feliz por isso. Esse
é o meu pedido; de agora em diante... em meu lugar... ajudem as pessoas... deixem-nos felizes...”
O cabelo negro de Yui e sua peça única de vestido começaram a se desintegrar rapidamente
dispersando partículas de luz, como o orvalho da manhã. O rosto sorridente de Yui lentamente se
tornou transparente. Sua presença se afastando.
“Não! Eu não quero isso!! Se Yui-chan não estiver aqui eu não serei capaz de sorrir!!”
Coberta pela luz se expandindo, Yui sorriu docemente. Ela acariciou a bochecha de Asuna com sua
mão, à beira de desaparecer.
“Mamãe, sorria...”
Quando uma fraca voz reverberou na mente de Asuna, uma esmagadora e deslumbrante luz se
espalhou; quando a luz desapareceu, não havia nada dentro dos braços de Asuna.
“Uwaaaaa!!”
Erguendo sua voz incontrolavelmente, Asuna caiu sobre seus joelhos. Ajoelhando-se sobre o
pavimento de pedra, ela chorava altamente como uma criança. As lágrimas caiam sobre o chão,
uma por uma, misturadas com os grãos de luz deixados para trás por Yui, se desvanecendo.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


160 Sword Art Online – Aincrad

Parte 4
Como se o frio de ontem fosse uma mentira, uma brisa quente e gentil soprava sobre o gramado.
Talvez atraídos pela diversão, alguns pequenos pássaros desciam de um ramo da árvore de jardim,
parecendo olhar os humanos com grande interesse.
Uma festa no jardim foi hospedada sem cuidados na sessão do vasto quintal da igreja de Sasha,
com a grande mesa da sala de jantar movida e colocada ali. Comida foi retirada de um grande
chapa como mágica, levantando um grande rugido de alegria das crianças.
“Pensar que algo tão bom... na verdade estava nesse mundo.”
O chefe executivo do Exército que foi resgatado na noite passada, Sinker, mordeu o churrasco que
Asuna preparou usando todo o seu talento, enquanto ele falava com admiração. Ao lado dele,
Yuriel olhou para a situação com um sorriso. Ela tinha a aparência de uma guerreira gélida à
primeira impressão, mas quando ela estava ao lado de Sinker, ela lembrava nada mais que uma
jovem esposa animada.
E no caso de Sinker, apesar de que não houve muito tempo para ter uma boa impressão dele
ontem, quando sentado na mesma mesa, ao invés disso, ele tinha um caráter que exprimia uma
aura de gentileza, muito diferente do que o que era esperado do líder de uma grande organização.
Com uma estatura de um grau levemente mais alto que a de Asuna, ele era evidentemente menor
que Yuriel. Seu corpo um pouco pesado estava revestido em roupas claras e ele não tinha uma
única arma em mão. Ao lado dele, Yuriel também não estava em seu uniforme do Exército hoje.
Sinker aceitou a garrafa de vinho que Kirito ofereceu em seu copo e, aparentemente não pela
primeira vez, ele se curvou firmemente.
“Asuna-san, Kirito-san. Nós estamos verdadeiramente agradecidos por vocês. Como eu posso
agradecê-los...?”
“Não, eu estou em dívidas com o MMO Today no outro lado, apesar de tudo.”
Kirito respondeu enquanto sorria.
“Esse é um nome nostálgico.”
Um amplo sorriso apareceu no rosto de Sinker ao ouvir isso.
“Naquele tempo, com o peso que eu tinha diariamente, eu pensei que eu não deveria nem me
preocupar em fazer um site de novidades, mas quando comparado a ser o líder de uma guild,
certamente era levemente mais fácil. Eu teria sido melhor dirigindo um jornal aqui também,
hum?”
Risada gentis foram transmitidas pela mesa.
“E bem... como foram as coisas com o Exército...?”
Asuna perguntou e Sinker mudou sua expressão.
“Kibaou e seus seguidores foram expulsos. Eu realmente teria feito isso muito mais cedo... Com
minha personalidade de ser mau com argumentos, a situação permaneceu piorando... Eu ainda
penso sobre dissolver o Exército.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


161 Sword Art Online – Aincrad

Asuna e Kirito rapidamente abriram seus olhos com surpresa.


“Você... deve ter pensado bastante sobre isso.”
“O Exército se tornou muito grande... Eu vou desmanchar a guild e com isso, criar uma
organização mais pacifica para a ajuda mútua novamente. Desmancha-la e abandonar tudo é
apenas irresponsabilidade, apesar de tudo.”
Yuriel segurou suavemente a mão de Sinker e continuou em seu lugar.
“...Nós pensamos em distribuir os espólios que o Exército tinha acumulado até agora para não só
os membros, mas igualmente entre todos os habitantes da cidade também. Nós causamos vários
problemas até agora, acima de tudo... Sasha-san, nós realmente sentimos muito.”
Yuriel e Sinker repentinamente se curvaram profundamente, fazendo os olhos de Sasha brilharem
com surpresa dentro de seus óculos. Ela balançou suas mãos freneticamente em frente de seu
rosto.
“Não, isso não é nada. As crianças tem recebido ajuda da parte boa do Exército no campo
também, apesar de tudo.”
Com a sincera recusa de Sasha, o lugar ficou cheio com risos gentis novamente.
“Bem, colocando isso de lado...”
Inclinando sua cabeça, Yuriel falou.
“A garota de ontem, Yui-chan... como ela tem estado...?”
Asuna encontrou seu próprio olhar com o de Kirito e respondeu com um sorriso.
“Yui... retornou para sua casa...”
Ela suavemente moveu o dedo em sua mão direita para o seu peito. Lá, um colar fino, que não
tinha estado ali até ontem, brilhou. Na ponta da delicada corrente de prata, um pingente, de prata
também, estava pendurado, com uma clara e larga joia brilhando dentro dele. Acariciando
gentilmente a joia no formato de uma lágrima, um leve calor pareceu ter se espalhado pelas
pontas de seus dedos.

Naquele momento...
Depois de Yui ser coberta em luz e se desvanecer, ao lado de Asuna, com suas lágrimas caindo
interminavelmente enquanto ela permanecia sobre o pavimento de pedra, Kirito gritou
repentinamente.
“Cardinal!!”
Erguendo o seu rosto molhado pelas lágrimas, Kirito olhou para o teto da sala e gritou,
“Não se atreva a pensar que será sempre... como você quer!!”
Firmemente puxando-se, ele pulou abruptamente no console negro no centro da sala. Ele atingiu
agilmente o teclado pálido ainda exibido. Sua surpresa afastou sua tristeza por um instante,
fazendo Asuna gritar enquanto ela olhava surpresa.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


162 Sword Art Online – Aincrad

“Ki-kirito-kun... O que você est...!?”


“Se ainda... se ainda for agora, eu posso ser capaz de invadir o sistema com uma conta de Game
Master...”
Em frente aos olhos de Kirito, continuando a atingir as teclas enquanto ele murmurava, uma
grande janela apareceu com um som e a luz das linhas de caracteres rapidamente descendo
iluminaram a sala. Enquanto Asuna assistia-o estupefata, Kirito entrou em série em vários
comandos mais. Uma pequena janela com uma barra de progresso apareceu, e no momento em
que a barra alcançou o fim...
Todo o console feito de pedra negra repentinamente brilhou com uma luz azul-claro, e
imediatamente seguido disso, Kirito foi jogado ao ar com um som explosivo.
“Ki-kirito-kun!!”
Entrando em pânico, ela avançou até ele, que estava caído no chão.
Balançando sua cabeça enquanto ele levantava o seu corpo, Kirito deu um sorriso fino dentro de
sua expressão abatida; ele olhou para Asuna e estendeu sua mão direita fechada. Não
entendendo o que estava acontecendo, Asuna seguiu o exemplo, abrindo sua mão.
O que caiu da mão de Kirito na mão de Asuna era um grande cristal feito no formato de uma
lágrima. No meio da pedra muito bem lapidada, uma luz branca estava brilhando.
“I-isso é...?”
“Antes da autorização base ativada por Yui ser apagada, eu desesperadamente tentei desconectar
o programa fonte de Yui do sistema e o converti em um objeto... Dentro dele, está o coração de
Yui...”
Depois de ter dito isso, Kirito caiu no chão, como se ele tivesse perdido as energias, e fechou seus
olhos.
“Yui-chan... você está... aí, hum...? Minha... Yui-chan...”
Novamente, suas lágrimas derramaram interminavelmente. Dentro daquela luz borrada, como se
respondesse Asuna, no centro do cristal, ele brilhou com uma única e forte batida.

Relutantemente acenando para Sasha, Yuriel, Sinker e as crianças, e o vento frio, preenchido com
o cheiro da floresta, Asuna e Kirito retornaram ao vigésimo-segundo andar pelo portal de
teleporte. Mesmo que fossem apenas meros três dias de viagem, parecia que tinham sido bem
mais que isso, então Asuna respirou profundamente.
“Que mundo vasto...”
Asuna pensou sobre esse misterioso mundo flutuante novamente. Em toda e cada uma dessas
incontáveis camadas, haviam pessoas vivendo nelas, passando cada dia com lágrimas e risos. Não,
eventos dolorosos provavelmente eram mais comuns para a maioria das pessoas. Mas ainda
assim, todos continuavam lutando suas próprias batalhas dia após dia.
“O lugar onde eu deveria estar...”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


163 Sword Art Online – Aincrad

Asuna olhou para o caminho que seguia em direção da casa deles, então olhou para a base do
andar superior.
“...Vamos retornar para as linhas de frente...”
Asuna pensou repentinamente.
“Em um futuro próximo, eu não posso fazer nada além de pegar minha espada novamente e
retornar ao meu próprio campo de batalha. Eu não sei quanto tempo mais isso vai levar, mas eu
vou lutar até esse mundo acabar, para deixar todos mostrarem seus verdadeiros sorrisos
novamente. Conceder felicidade à todos... Isso foi o que Yui pediu.”
“Ei, Kirito-kun.”
“Hmm?”
“Se esse jogo acabar e esse mundo se for, o que vai acontecer com Yui-chan?”
“Aah... Bem, isso poderia estar forçando a capacidade do console um pouco, mas... eu converti ela
para uma parte dos dados ambientais do programa do cliente e salvei ela na memória local do
meu Nerve Gear. Por outro lado, poderia ser difícil descompactar o programa de Yui... mas isso
deve ser possível de alguma forma.”
“Entendo.”
Asuna virou seu corpo e abraçou Kirito fortemente.
“Bem, então, nós com certeza vamos nos encontrar com Yui-chan novamente no outro lado.
Nossa primeira filha.”
“Sim. Definitivamente.”
Asuna olhou para o cristal brilhante entre seus peitos. “Mamãe, faça o seu melhor...” Ela pensou
ter escutado uma fraca voz no fundo de seus ouvidos.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


164 Sword Art Online – Aincrad

Capítulo 4 – Rena do nariz vermelho (Andar 46, dezembro de 2023)


Parte 1
O brilho da Vorpal Strike atravessou a escuridão, e com o brilhante sangue colorido de dois
monstros insetos gigantescos, o HP deles chegou a zero.
Confirmando com minha visão periférica que os polígonos estavam se partindo, saquei minha
espada bem no instante em que me descongelava, virando para bloquear o ataque de uma
mandíbula grande e afiada. Então usei a mesma Sword Skill para acabar com ele, que gritou um
Giii antes de cair para trás e morrer.
Essa habilidade de ataque com uma única espada apareceu na minha lista a três dias atrás,
quando minha Sword Skill de mão única chegou ao 950 e mostrou-se bastante conveniente.
Mesmo ela sendo uma habilidade que demora para recarregar e deixa o jogador congelado por
alguns segundos, ele consegue atingir o dobro da lâmina; e o fato de seu poder pode ser
comparado ao de uma lança blindada de duas mãos, que é mais do que suficiente para compensar
suas deficiências. É claro, se eu usá-la em uma batalha contra outros jogadores, eles podem ler o
timing imediatamente, mas os simples movimentos são coisas que a IA dos monstros não podem
contar. Você pode simplesmente apagar um exército de inimigos com seus fios de luz vermelha.
Tendo dito isso, depois de lutar continuamente por uma hora sobre a fraca luz de uma tocha, senti
que minha concentração estava diminuindo. Eu não podia mais reagir e contra-atacar aquelas
mandíbulas gigantescas ou o ácido mucoso tão bem quanto antes. Apesar de atacarem em grande
número, esses monstros não são moleza. Eles habitam apenas três andares abaixo das linhas de
frente no andar 49 e são muito poderosos. Mesmo tendo uma certa margem de segurança,
considerando nossos níveis, se um grupo muito grande aparecer e me cercar, meu HP
rapidamente chegará a zona amarela.
Para encarar esses perigos e vir a um andar que já está concluído, só há um motivo. Esse lugar é o
modo mais eficiente para adquirir pontos de experiência em comparação a todos os outros locais
de treinamento. Esses insetos gigantes vêm das cavernas perto de um morro e tem um alto poder
de ataque, mas o HP e a defesa são ambos baixos. Enquanto você puder evitar seus ataques, você
pode rapidamente derrubar muitos desses inimigos. Mas como eu mencionei antes, uma vez que
eles atacam e te cercam, você pode acabar não sendo capaz de se controlar e isso vai te levar a
morte, então essa área não é adequada para jogadores solo. Por ser um lugar tão popular, é
permitido aos grupos caçarem apenas por uma hora. Eu era o único jogador solo aqui. Mesmo
agora, há muitos rostos familiares de várias guildas se amontoando na entrada do vale. Eles
devem estar com expressões bastante entediadas, como se tivessem sido carimbadas assim. Se
fosse apenas impaciência tudo bem, mas os jogadores mais espirituosos de alguns grupos fortes
pensavam de mim como O mais forte idiota ou Beater Anômico... mas, é claro que eu não ligo
para isso.
Meu contador no lado direito mostrava 57 minutos. Eu decidi acabar após derrotar a próxima leva
de monstros. Respirei fundo e esperei, para conseguir reunir o pouco que restava da minha
concentração.
As formigas se aproximavam, tanto da esquerda quanto da direita, eu avancei contra a que estava
na minha direita e então joguei uma adaga para parar o movimento e então matar a que estava na
minha esquerda com um ataque triplo.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


165 Sword Art Online – Aincrad

Sharpnail. E quando me virei, usei Vorpal Strike para cortar as mandíbulas gigantes de outra
formiga. Durante o congelamento da minha habilidade, eu usei a luva da minha mão esquerda
para me proteger do ácido verde que me atingiu. Com o som de um jiyuu minha barra de HP
diminuiu um pouco, então eu saltei do chão para o alto. No ar, eu cortei as partes mais fracas da
barriga da formiga e a matei. Para as últimas duas, eu usei metade da maior sequência de ataques
que eu tenho, derrotando-as. Antes que a próxima leva de formigas surgisse, eu subitamente
corri.
Depois de correr trinta metros no vale das formigas em cinco segundos, eu rolei para dentro de
uma entrada e finalmente liberei minha respiração. Respirando ar fresco, eu me perguntei se a
dor era apenas mental ou se meu corpo real tinha mesmo parado de respirar. De todo modo, meu
estômago estava revirado e eu era incapaz de segurar a náusea, cai então no chão congelado do
inverno.
O som de muitos passos chegou aos meus ouvidos quando eu deitei no chão, mesmo sendo
pessoas que eu conheço, eu não podia dizer oi a elas. Acenei de forma débil com minha mão
direita dizendo que eles podiam ir em frente, e ouvi uma voz rouca e então um grande suspiro.
“Já há uma diferença de nível entre eu e vocês, então não vou me juntar a ação hoje. Escutem.
Não deixem essa formação em círculo cair e prestem muita atenção as pessoas ao seu redor. Não
seja tímido se encontrar alguma coisa perigosa, apenas grite por ajuda. E também, corra
imediatamente se a rainha sair.”
Depois de ouvir as instruções de seu líder, seis ou sete pessoas responderam com um Sim! ou Ho!
e os passos desapareceram aos poucos. Eu respirei pesadamente por alguns instantes, até voltar a
ter controle da minha respiração. Eu apoiei minha mão direita numa árvore próxima.
“Pega!”
Peguei a poção de cura agradecidamente, usei meu polegar para arrancar a rolha e então bebi
vorazmente. Mesmo que o gosto fosse apenas parecido com suco de limão, eu achei delicioso.
Joguei a garrafa vazia no chão e assisti enquanto ela emitia uma luz vermelha e desaparecia. Então
olhei para cima.
Klein, o líder da guilda Fuurinkazan que eu havia conhecido no começo desse jogo da morte, que
continuava usando aquela sua bandana vulgar, abriu a boca um pouco acima da barba mal
aparada e disse:
“Kirito, não importa como explique, isso é mais do que um pouco absurdo. Que horas você chegou
aqui hoje?”
“Eh... Mais ou menos às 8 da noite.”
Depois de eu responder com minha voz rouca, Klein mostrou uma expressão exagerada de
insatisfação.
“Ei, ei, já são duas da manhã, você esteve aqui por seis horas seguidas. Nessas áreas de treino
perigosas, se você se descuidar será morte instantânea.”
“Está tudo bem. Eu posso descansar por duas horas enquanto espero.”
“Se ninguém vier, então você pensa em continuar lutando!”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


166 Sword Art Online – Aincrad

“É exatamente por isso que eu escolhi essa hora para vir. Se eu vier durante o dia, eu vou ter que
esperar por cinco ou seis horas.”
Klein misturou seu som de espanto com a frase “Seu idiota”. Ele então soltou sua katana da
cintura e se sentou na minha frente.
“... Bem, eu conheço sua força desde o primeiro dia no SAO e compreendo-a sem dúvidas... Qual o
seu nível agora?”
Manter em segredo seus status bem como seu nível eram parte da vida de um jogador. Nem
preciso dizer que esta é uma regra não declarada do SAO, mas até agora não houve uma razão
para eu esconder de Klein, então respondi honestamente.
“Hoje eu cheguei no nível 69.”
A mão passando por seu queixo parou subitamente e seus olhos semi-cobertos pela bandana se
abriram em choque.
“... Ei, isso é sério? Desde que você estivesse ao menos dez níveis na minha frente – e, eu não
entendo. Ultimamente seu nível de evolução anda bastante incomum. Você está treinando
mesmo durante o dia, quando as áreas de treino estão lotadas de jogadores. Por que você está
indo tão longe? Eu não quero ouvir outro disso de... ‘Para terminar o jogo’. Mesmo que você se
torne forte sozinho, abrir os caminhos continua a ser determinado pelas guildas fortes como a
KoB.”
“Não ligue para isso. Eu já estou no nível de viciado por níveis. Só pegar pontos de experiência me
faz sentir bem.”
Vendo que eu havia dito isso com um pequeno sorriso, Klein contra-argumentou com uma
expressão séria.
“Pare com isso... Mesmo eu sei o quanto é exaustivo fazer esse tipo de coisa. Jogar sozinho é
muito penoso para a mente... Mesmo com o seu nível chegando ao 70, ficar sozinho nessa área
não é seguro. Você quer assumir riscos, mas você deve ter um limite também. Qual é a razão de
você evoluir em um lugar como esse, onde você pode morrer a qualquer momento?”
Fuurinkazan é a guilda cujo núcleo são os amigos que o Klein tinha antes do SAO. Seus membros
não gostavam de intromissões desnecessárias, e, seu líder, Klein, não era uma exceção.
Esse cara é uma boa pessoa, mas para sua gentileza e preocupação se estenderem a um beater
anômico como eu, temo que seja algo necessário para ele, não sei até onde eu posso entender
suas razões. Para ajudar Klein, que não é muito bom com as palavras, eu abri minha boca com um
sorriso.
“Está tudo bem, você não precisa ficar mais preocupado. Você quer saber se meu alvo é o Flag
Mob, certo?”
Flag Mobs são um tipo de monstro feito para competições e eventos. Eles geralmente aparecem
por poucos dias ou as vezes por horas, mas a aparição de uma única unidade é como a de um
Chefe, então é claro que sua força não é nenhuma piada. Então, para derrotá-los, jogadores se
juntam em grupos tão grandes quanto os de contra chefes.
Klein disse sem hesitar e com uma expressão dura e coçando o queixo.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


167 Sword Art Online – Aincrad

“... Eu não estava tentando descobrir...”


“Você não precisa esconder. O fato é que você comprou informações sobre eu ter comprado
informações sobre o chefe de Natal da Argo... Essa informação eu também comprei dela.”
“Você o que?!”
Klein abriu muito seus olhos e ficou sem fala.
“Aquela garota... Seu apelido de Rata não é apenas brincadeira.”
“Essa garota vende qualquer informação, até sobre o seu próprio status. Enfim, nós sabemos que
o nosso alvo é o chefe de natal e eu já comprei toda a informação que podia ser adquirida por
NPCs. Então, você deve saber que eu vou adquirir pontos de experiência até cansar e não importa
que conselho você dê, eu não terei uma razão para parar.”
“Ah... Foi mal. Isso é algo que eu iria rejeitar também.”
Klein moveu sua mão do queixo para a cabeça, continuando.
“Faltam cinco dias para o Natal... Todas as guildas estão procurando a mesma coisa, todos querem
aumentar suas habilidades de combate antes de aparecer o chefe, mesmo que um pouco. Mas em
uma noite fria como essa, idiotas que se trancam em áreas de treinamento são raros. Mas... Por
sorte, nossa guilda tem quase dez pessoas, então temos boas chances caso encontremos o chefe.
Você sabe, como é um Flag Mob que aparece Uma vez por ano, não é algo que você possa caçar
sozinho.
“...”
Incapaz de fazer uma objeção, eu olhei para baixo, para o capim marrom seco.
Um ano depois de SAO começar, antes do segundo natal, um rumor começou a se espalhar por
Aincrad. Um mês atrás, NPCs de todos os andares começaram a falar da mesma quest.
Eles diziam que durante o Mês Sagrado, na virada da noite de 24 de Dezembro para 25 de
Dezembro, em uma floresta, debaixo de uma grande árvore, o monstro lendário Nicholas o
Renegado irá aparecer. Se você derrotá-lo, irá receber os tesouros da grande sacola que ele
carrega em suas costas.
Mesmo para as guildas mais fortes, que iam apenas nos calabouços, houve um momento de
grande interesse. Eles entenderam que esse tesouro, dinheiro ou armas raras, iriam ajudar muito
nas lutas contra chefes de andares. Se nós podemos dizer que esse é o sistema de SAO, que
sempre esteve tirando as coisas dos jogadores e do nada está dando presentes de natal, como
alguém poderia não aceitar?
Mas um jogador solo como eu, a primeiro momento, não tinha interesse nesse rumor. Mesmo que
Klein tivesse dito, eu já sabia que esse tipo de oponente não era para um jogador solo. E além
disso, com o dinheiro que eu tenho, se eu quisesse, eu poderia comprar uma casa. Mais
importante, eu não quero. Pois como resultado de lutar contra o Flag Mob que todo mundo quer
lutar, você se torna famoso e atrai atenção desnecessária.
Mas duas semanas atrás- meus sentimentos giraram em 180 graus quando eu ouvi a informação
de um NPC. Depois disso, eu vim para esse lugar de caçadas todos os dias, sob a risada dos outros
e evolui como um louco.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


168 Sword Art Online – Aincrad

Klein, que estava quieto ao meu lado, disse com a voz baixa:
“Então está relacionado a aquela informação... O Item de Ressureição.”
“... Ah.”
Agora que a conversa chegou a esse ponto, não há mais motivos para esconder. Depois de
calmamente admitir, eu suspirei várias vezes sem poder fazer coisa alguma, completamente sem
palavras.
“Eu entendo seus sentimentos... Eu nunca pensei que poderia existir um item tão maravilhoso. A
sacola de Nicholas contém o item lendário que permite trazer os mortos de volta a vida... Mas...
Como a maioria das pessoas, eu acho que isso é apenas uma mentira. Quero dizer, isso deve ser
uma fala programada dos NPCs de quando SAO era um VRMMO qualquer... Isso era,
originalmente, um item que poderia reviver as pessoas sem as condições da Death Penalty. Mas,
como o SAO de agora não é mais assim. Existe apenas uma penalidade, que é a vida do jogador.
Eu não quero lembrar desse momento, mas isso foi dito claramente por aquele cara, o Kayaba.”
Lembrei-me do tutorial estabelecido no primeiro dia do incidente pelo falso GM Akihiko e era
claro o que ele havia dito. Quando um jogador tivesse seu HP reduzido a zero, ele iria desaparecer
do servidor, sem nunca mais poder voltar ao seu corpo físico.
Eu não acho que o que ele disse foi uma mentira, mas.. mesmo assim...
“Não há ninguém que possa confirmar, que a morte nesse mundo equivale a algo real.”
Eu disse essas apalavras como se eu quisesse brigar, mas então, Klein torceu o nariz e pôs abaixo
minhas palavras:
“Nós vamos morrer e voltar para o outro lado vivos e Kayaba vai nos encarar e dizer Eu menti?
Pare com isso, essa pergunta foi resolvida a um ano. Isso não é uma piada doentia, por que se
fosse, bastaria tirar os Nerve Gears de todos os jogadores que o incidente estaria terminado. Já
que nós não podemos fazer isso, significa que esse jogo da morte é sério. Quando o HP chegar a
zero, o Nerve Gear vai criar uma micro-onda e fritar seu cérebro. Se não fosse isso, então todas
aquelas pessoas que morreram por causa desses desgraçados ou monstros, que gritaram Eu não
quero morrer enquanto desapareciam, o que tudo isso significa então?”
“Cala a boca!”
Gritando isso alto o suficiente para surpreender até a mim, eu interrompi a fala de Klein.

“Se você acha que eu não consigo entender isso, então eu não tenho nada para falar com você...
Mesmo assim, Kayaba disse isso no primeiro dia, mas, um pouco atrás, mesmo o líder daqueles
que estão tentando terminar esse jogo nas linhas de frente, o líder da KoB, Heathcliff disse:
Enquanto houver ao menos um por cento de chance de salvar a vida de um camarada, nós
faremos o melhor para alcançar essa chance e aqueles que não o podem não merecem formar
nenhum grupo. Mesmo eu não gostando daquele homem, o que ele disse está certo. Eu estou
perseguindo essa chance. Supondo que aqueles que morreram não voltarem ao mundo real e
nem morrerem de verdade, mas forem transferidos para uma área reservada, esperando o fim
desse jogo. Então, nós temos uma razão para o Item de Ressurição.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


169 Sword Art Online – Aincrad

Com uma raríssima fala longa minha, eu coloquei todos os meus esforços apenas para criar um
cenário que dá base para minhas ideias. Klein libertou-se de sua raiva e passou a olhar para mim
com pena.
“É isso mesmo?”
O som que ele emitiu naquele instante era diferente de todos os de antes, muito sereno.
“Kirito... Você ainda não esqueceu não foi, huh, aquela sua última guild... Está quase completando
meio ano desde então...”
Eu virei meu rosto, e falei algumas palavras para me defender.
“Deve ser isso mesmo. Como eu poderia esquecer quando se passou apenas meio ano... Todos
morreram, menos eu...”
“Se chamava Black Cats of the Full Moon não é? Eles não eram uma guild que buscava a conclusão
do jogo, mas ainda assim eles estavam em um lugar muito perto da linha de frente e no final de
contas, alguns ladrões dispararam o alarme. Isso não foi culpa sua e ninguém culpa você por aqui.
Ao invés disso, você deveria agradecer por ter sobrevivido.”
“Não foi assim... É minha culpa. Eu poderia ter impedido que ele fossem a linha de frente, dito a
eles para que ignorassem o tesouro, ter certeza de que todos escapassem quando o alarme soou;
tudo isso são coisas que eu devia ter feito.”
—Se eu não tivesse escondido meu nível de habilidade dos meus companheiros. A dor que me
atingiu por não falar a verdade a Klein, atingiu sem piedade o meu peito. Antes que o mestre da
katana falasse palavras de conforto que não são características dele, eu forcei a mim mesmo a
terminar:
“Ainda assim, deve haver ao menos um por cento de chance. Não importa se a possibilidade de
encontrar o chefe de Natal, derrotar ele sozinho, que o item de ressureição exista, ou de que a
consciência dos mortos tenha sido preservada... Tudo isso é como encontrar um grão de areia no
deserto. Porém... Porém não é zero. E enquanto não for zero, eu tenho que dar o meu melhor.
Além disso... Klein, não tem como você estar nessa apenas por dinheiro, certo? Então, você
também quer ele por uma razão como eu, certo?”
Em resposta a minha pergunta, Klein bufou, respondendo enquanto mantinha a bainha sobre o
chão:
“Eu não sou um sonhador como você, apenas que... Antes, eu também tinha um amigo que foi
eliminado. Se eu não fizer tudo que eu puder por ele, então não vou conseguir dormir de noite...”
Olhando para Klein que se levantou, eu dei um leve sorriso.
“Então é a mesma coisa.”
“Não é a mesma coisa. Nossos objetivos continuam sendo o tesouro, o que nós acabamos de
conversar aqui... Com esse grupo de pessoas, vai ser ruim se algum grandão aparecer. Eu vou indo
e dar uma olhada na situação.”
“Ah, ah.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


170 Sword Art Online – Aincrad

Eu suspirei enquanto assentia. Fechei meus olhos e me Inclinei contra o tronco de um árvore. Os
sussurros do guerreiro da katana flutuaram até mim.
“E, eu estou preocupado com você. Não estou apenas juntando informação, seu babaca. Se você
morrer tentando ser corajoso em um lugar com esse, eu certamente não irei usar o item de
ressureição em você!”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


171 Sword Art Online – Aincrad

Parte 2
“Obrigado por sua preocupação. Deixe que nós respeitosamente agradeçamos. Por favor, proteja-
nos até chegarmos a saída.”
Essa foi a primeira sentença que o líder da Black Cats of the Full Moon, Keita, disse a mim.
Cinco meses haviam se passado desde aquela primavera quando o jogo da morte conhecido como
SAO começou. Para conseguir material para armas, eu me aventurei em um labirinto dez andares
abaixo da atual linha de frente.
Como um Beater, eu estive a frente desde o começo, utilizando minha experiência como beta
tester. Adotando uma filosofia de jogador solo, fui capaz de conseguir pontos de experiência de
modo muito eficiente. Isso chegou ao ponto em que eu posso derrotar até mesmo monstros na
linha de frente sozinho. Por causa disso, caçar com o meu nível atual se tornou tão fácil e
relaxante que ao final, virou uma coisa chata. Evitando outros jogadores, eu fui capaz de obter o
conjunto de materiais necessários em duas horas. Quando eu estava me preparando para ir até a
saída, eu encontrei um grupo em fuga e um grande número de monstros os perseguindo.
Como jogador solo, eu imediatamente tive a opinião de que aquele grupo era totalmente
desbalanceado. Com cinco jogadores, o único que assumia a linha de frente era um cara
segurando uma maça e um escudo. Os outros eram apenas um ladrão com uma adaga, um
usuário de cajados carregando um cajado de duas mãos e dois usuários de lanças longas.
Entretanto, quando o HP do cara usuário da maça reduziu a um nível drástico, eles não tinham
ninguém que pudesse substituí-lo. Como resultado, esse tipo de grupo só consegue fugir
lentamente.
Para terminar o status de todos, eu chequei seus HPs. Aparentemente, era mais do que o
suficiente para todos escaparem em segurança. Entretanto, isso não se aplica mais quando eles
encontram um outro grupo de monstros no meio dessa fuga. Depois de um momento de
hesitação, eu disparei para fora do local onde eu estava escondido e falei com usuário de cajado
que parecia ser o líder.
“Você gostaria que eu ajudasse na linha de frente?”
O usuário de cajado olhou para mim com seus olhos bem abertos então assentiu com a cabeça,
depois de outro momento de hesitação.
“Então, desculpe por estar causando problemas, mas por favor, saia daqui imediatamente se ficar
muito perigoso.”
Eu assenti com minha cabeça, dizendo que entendia, e puxei minha espada das costas antes de
passar por trás do usuário da maça e trocar de lugar com ele. Então, eu estava bem no meio do
ataque dos monstros.
Os inimigos eram um grupo de goblins que eu havia derrotado algumas vezes quando eu estava
caçando sozinho aqui. Esses monstros podiam ser rapidamente derrotados se eu usasse todas as
minhas sword skills. Mesmo se estivesse incapaz de me defender dos ataques, eu seria capaz de
resistir por um bom tempo por causa da minha battle healing uma habilidade que permitia que eu
recuperasse meu HP. Entretanto, naquele instante eu estava preocupado. Apesar de eu não temer
os goblins, eu estava muito preocupado com os pensamentos daqueles que estavam atrás de
mim.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


172 Sword Art Online – Aincrad

Normalmente, jogadores de alto nível atrapalham muito o treinamento de pessoas com níveis
mais baixos e isso é considerado falta de educação. Se isso persistir por um tempo, o jogador pode
fazer um pedido para que uma guild com outros jogadores de alto níveis possam resolver. O
jogador vai acabar sendo exposto no jornal em uma lista de jogadores sem educação e sujeitos a
diversas punições. Apesar de que isso não se aplicar aqui, já que eu considerava uma situação
emergencial, ainda me deixava preocupado. Se eu não cuidar disso da maneira correta, eles vão
me taxar de Beater ao invés de me agradecerem.
Com isso, eu intencionalmente prolonguei o tempo necessário para derrotar o grupo de goblins
usando minhas swords skills de modo limitado. Naquele momento, eu ainda não sabia que essa
minha decisão se tornaria um erro irreparável.
O grupo inteiro dos goblins foi finalmente derrotado depois de algumas trocas com o usuário da
maça, que estava constantemente recuperando seu HP com remédios. Eu fiquei espantado
quando o grupo desconhecido de cinco jogadores começaram a aplaudir alto. Eles estavam então
trocando high-fives, comemorando suas vitórias.
Apesar de me sentir um tanto perdido, eu coloquei um sorriso desacostumado no rosto enquanto
trocava cumprimentos com todo mundo. A única garota do grupo, uma usuária de lança, segurou
minha mão com as suas duas e repetidamente me dizia em lágrimas:
“Obrigada... Muito obrigada. Eu estava mesmo com medo... Quando você veio ao nosso resgate,
eu fiquei muito feliz. Eu realmente agradeço por sua ajuda.”
Ouvindo aquelas palavras em meio a lágrimas, uma emoção indiscritível atingiu meu peito. Eu
lembrei do momento em que estava ajudando eles, e me senti bem por ser tão forte a ponto de
poder ser capaz de fazê-lo.
Apesar de eu ser um jogador solo desde o começo, não é a primeira vez que eu ajudo um outro
time nas linhas de frente. Vendo isso de um ponto de vista estratégico, é compreensível que nós
nos ajudemos no campo de batalha, supondo que haverá um dia em que precisaremos dessa
ajuda em retribuição, eu decidi ajudar os outros sem esperar nada em troca. Além disso, esses
sempre me davam apenas alguns breves agradecimentos em retribuição. Essa era melhor forma
de acabar com o silêncio do pós-batalha. É algo racional que existe para manter o foco em
continuar tornando-se mais forte de modo eficiente.
Entretanto, eles... a Black Cats of the Full Moon era diferente. O grupo inteiro estava feliz por
apenas uma simples vitória e estavam elogiando os esforços de cada um. Aquilo parecia com o
som triunfal de quando se vence em um RPG comum. Propus acompanhá-los até a saída, isso
provavelmente foi influência da atmosfera familiar que eles tinham, eu senti como se na verdade
eles não estivessem ali naquele jogo louco chamado SAO.
“Eu estou um pouco preocupado com a quantidade de remédio que sobrou... Se você não se
importa, vamos ir até a saída juntos.”
Keita assentiu enquanto dava uma grande risada sem perceber a minha mentira.
“Muito obrigado por sua preocupação.”
Não, quando eu finalmente percebi que apenas eu estava tendo uma experiência agradável, já
havia se passado seis meses desde o desaparecimento da Black Cats of the Full Moon. Sendo
alguém que segue irrestritamente a política de ser um jogador solo para acumular experiência,

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


173 Sword Art Online – Aincrad

proteger alguém mais fraco me dava um sentimento de prazer similar ao de ser protegido. Era
assim que as coisas eram.
Quando atravessamos o corredor principal da área e deixamos o labirinto, eu aceitei o convite de
Keita para ir à uma cervejaria, a gosto deles. Assim, nós acabamos celebrando com vinho tinto que
eles consideraram caro. Quando a minha apresentação terminou, Keita hesitantemente
perguntou sobre meu nível atual em um sussurro depois que os ânimos se acalmaram.
Eu já havia mais ou mesmo previsto que essa pergunta seria feita. E como tal, eu já tinha um
número falso adequado. O número que eu disse a eles era cerca de três níveis acima do nível
médio... Mas, na verdade ele estava vinte níveis abaixo do meu verdadeiro nível.
“Huh! Você pode solar esse lugar nesse nível?”
Meu rosto ficou amargo quando a resposta de Keita me surpreendeu.
“Não precisa colocar desse modo... Mesmo sendo solo, eu basicamente seleciono apenas inimigos
isolados e ataco-os enquanto evito ser detectado. Entretanto, em termos de eficiência, não é
muito.”
“Oh..... Entendo, então.... Apesar disso ser meio súbito...... Acho que algumas guilds já te
convidaram para se juntar a elas antes.... Se você quiser, gostaria de se juntar a nossa guild?”
“Huh...?”
Vendo que eu estava um tanto inseguro em como responder, o rosto de Keita ficou totalmente
vermelho, ficando mais excitado enquanto falava.
“Olha, baseado no nosso nível atual, nós podemos treinar em segurança nos labirintos anteriores.
Mas para nossas habilidades melhorarem... Você já deve ter percebido nossas circunstâncias
atuais. O único que assume a posição de frente é o Tetsuo, não importa o quanto tentemos, a
recuperação dele é incapaz de suprir os danos causados. E nesse rumo, as condições de batalha
estão ficando cada vez piores. Se nós tivemos mais um companheiro, as coisas vão ficar mais
fáceis. Além disso... Sachi, venha aqui um instante.
Keita levantou sua mão e chamou pela lanceira de cabelos negros. A garota bonita chamada Sachi
veio até nós segurando um copo de vinho tinto enquanto timidamente assentia para mim. Keita
colocou sua mão sobre a cabeça de Sachi e disse:
“A habilidade primária dessa garota, como você pode ver, é a lança de duas mãos. Mas a
habilidade dela é um tanto baixa comparada a do outro lanceiro. Por isso, eu gostaria de
aproveitar essa oportunidade e torná-la uma guerreira de espada e escudo. Mas acontece que
nunca tivemos a oportunidade de tentar antes. Além disso, nós não estamos acostumados a
espadas de uma mão. Se você não se importa, poderia treiná-la?”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


174 Sword Art Online – Aincrad

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


175 Sword Art Online – Aincrad

“Como assim! Está me tratando como uma criança!”


Sachi levantou seu rosto e mostrou sua língua rapidamente enquanto sorria dizendo:
“Isso é por que eu sempre fui responsável por atacar os inimigos de longe. Se você quer que eu do
nada vá para frente enfrentar os inimigos a curta distância, eu vou ficar com medo.”
“Vai ficar tudo bem se você se proteger atrás do escudo. Quantas vezes eu vou precisar repetir até
que você entenda... Sério. Você se assusta muito fácil a muito tempo.”
Eu estava pensando em como as linhas de frente de SAO eram lugares cheios de assassinatos.
Não, na minha opinião os jogadores competem por recursos nos MMORPG. E dessa forma, suas
interações envolviam tanto interesse quanto fascínio. Quando Keita percebeu que eu olhava para
ele, timidamente ele sorriu e disse.
“Ah... Os membros da nossa guilda são todos membros de um clube de pesquisas do computador
da mesma escola no mundo real. Na verdade, ela vive bem perto de mim... Ah, por favor, não se
preocupe, pois todo mundo aqui é bem legal. Você vai definitivamente se tornar próximo de todo
mundo bem rápído.”
Todos naquele grupo, incluindo Keita, eram boas pessoas. Isso era algo que eu sabia desde que o
momento em que aceitei me aventurar junto a eles no labirinto. Me senti culpado por estar
enganando aquele grupo, mas ainda assim me forcei a sorrir e assentir.
“Então... Por favor, permita-me juntar-me a vocês. Aliás, eu gostaria do seu auxílio.”

Com o passar de segundos, o equilíbrio da Black Cats aumentou drasticamente.


Não, se algum deles tivesse prestado atenção, teriam percebido que meu HP não dimnuia por
alguma razão. Entretanto, esses amigos gentis acreditavam em minhas palavras, de que eu estava
usando alguns materiais raros, e isso não era uma mentira afinal... e eles nunca duvidaram de
mim.
Durante as batalhas em grupo, eu estava em cargo da defesa e deixava que os outros membros
atrás de mim vencessem os inimigos e ganhassem experiência. Keita e o resto do grupo evoluiram
bem rápido e depois de uma semana, nós estávamos no local principal de caçadas, que era um
andar acima.
Nós nos sentamos na área segura do calabouço. Keita comia um bento que Sachi tinha feito
enquanto ele me falava de seu sonho:
“É claro, a segurança de nossos aliados é o mais importante. Mas... Se, se nós só quisermos
segurança, nós deveríamos então ter nos trancado na cidade desde o começo. Já que nós
estávamos treinando e aumentando nossos níveis, nós esperamos ao menos chegar até o grupo
de conclusão. Mesmo sabendo que as linhas de frente estão bem distantes de nós, podemos
deixar que as guildas de elite como a Knights of the Blood e a Sacred Dragon Alliance cuidem
disso... Eh, Kirito, qual é a diferença entre eles e nós?”
“Eh... Hum, informação. Esses caras tem informações de quais áreas são melhores para
treinamento e como conseguir as armas mais fortes do jogo.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


176 Sword Art Online – Aincrad

Essa era a razão do por que eu estava no esquadrão de ataque, mas Keita não parecia feliz com
essa resposta.
“Isso... É uma razão muito óbvia. Mas eu acho que é a força de vontade. O desejo de proteger seus
amigos que faz com que todos os jogadores sejam fortes. Por causa desse poder que eles são
capazes de vencer as perigosas batalhas contra chefes. Nós somos aqueles que estão sendo
protegidos, mas nós não queremos perder para eles. Então... Eu sinto que se nós trabalharmos
duro, nós poderemos alcançá-los.”
“É... Você está certo.”
Apesar de eu ter respondido isso, eu sentia que não havia nenhuma razão impressionante como
essa. A razão de termos grupos de conclusão é que eles sempre precisarão de espadachins de elite
que estejam acima de milhares de jogadores. A prova de que se nós estivéssemos mesmo
buscando terminar o SAO para proteger os jogadores, então esses jogadores de elite já teriam
entregue todas as informações e equipamentos aos que estão nos níveis médio. Então eles
poderiam aumentar o nível geral de todos os jogadores e consequentemente, aumentar o grupo
de conclusão.
A razão do por que deles fazerem isso é por que eles desejam ser fortes. É claro, esse também era
meu caso. Naquele mesmo instante, eu podia sair desse nosso local seguro e ir nas linhas de
frente e continuar a evoluir. Esse ato mostraria toda a diferença de nível que eu tinha dos
membros da Black Cats. Mas apesar de eu saber no que isso resultaria, eu continuei a trai-los.
Mas naquele momento, eu mais ou menos acreditava que se o nível da Black Cats aumentasse,
nós poderíamos ser capazes de lutar nas linhas de frente. Naquele momento, eu pensei que os
ideias de Keita haviam mudado a natureza dos grupos de conclusão.
De fato, os Black Cats estavam evoluindo em um nível que podia ser considerado anormal. As
áreas de treinamento que eles passaram a usar eram os que eu usava quando essas eram as linhas
de frente. Eu sabia tudo sobre o lugar, incluindo quais eram os locais perigosos e quais eram os
eficientes. Eu continuei a guiá-los como se isso não fosse nada, continuei a dá-los planos e
estratégias mais eficientes, fazendo com que o nível mediano da guild Black Cats subisse e
ultrapassasse a maioria dos jogadores. Quando eu me juntei, eles estavam ainda a dez níveis das
linhas de frente e logo isso foi cortado para cinco. Nós continuamos a ganhar experiência e col e
parecia que logo nós teríamos o suficiente para comprar uma casa para ser nossa sede.
Entretanto, ainda havia um problema. A transformação de Sachi em uma espadachim não podia
continuar.
Não havia o que fazer. Quando você está encarando monstros selvagens de frente, a coisa mais
importante que o nível é a coragem de resistir ao medo e lutar até o fim. Assim que SAO começou,
muitos jogadores morreram porque eles entravam em pânico e mergulhavam no caos. Se eu
pudesse mesmo dizer, eu diria que Sachi era mesmo uma covarde quieta e que ela não deveria
estar na frente.
Eu sentia que não havia necessidade de Sachi mudar seu estilo porque eu tinha um status que
excedida a necessidade de um escudo. Porém, os outros membros não pensavam da mesma
forma. Ou melhor, eles pareciam um tanto tristes por eu ser o único na frente, o que era
extremamente maçante. Mesmo não dizendo nada, pois a moral do grupo era boa, Sachi sentia
que a pressão se tornava cada vez maior.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


177 Sword Art Online – Aincrad

Uma noite, Sachi desapareceu do local de descanso.


Todos pensaram que a razão de não conseguirem localizá-la pela lista de membros da guilda era
que ela estava sozinha no calabouço. Isso fez com que Keita e os outros membros entrassem em
pânico e eles imediatamente saíram para procurá-la.
Entretanto, eu fui o único que insistiu em procurar fora do calabouço. A razão aparenta era por
que havia muitos locais em que não se deixavam rastros, mas na verdade, eu já tinha a habilidade
de rastrear quase no máximo e que me permitia procurar por inimigos. É claro, eu não pude
explicar isso aos meus aliados.
Quando Keita e os demais correram para o calabouço daquele nível, eu fui até o quarto de Sachi,
ativei o rastrear e segui as pegadas iluminadas em verde que apareceram.
As pequenas pegadas de todos, incluindo as minhas, estavam em todos os lugares. Ela havia
desaparecido, atravessado a escuridão para longe da estrada principal. Eu abaixei minha cabeça e
fui naquela direção, e vi que bem na escuridão, onde havia uma fonte, Sachi estava sentada, de
cócoras, com um manto sobre a cabeça. Ela tinha acabado de chegar e estava na função invisível.

“… Sachi.”
Uma vez dito isso, ela balançou os ombros, movendo seu cabelo negro e olhou para cima,
murmurando surpresa.
“Kirito... Como você sabia que eu estava aqui?”
Eu hesitei em como responder, então finalmente disse.
“Instinto.”
“... Entendo.”
Sachi sorriu e de novo, colocou seu rosto entre os joelhos que ela abraçava. Eu tentei ao máximo
penar em algumas palavras e acabei falando algo com completa ausência de criatividade.
“... Todo mundo está preocupado com você. Eles até foram para o calabouço procurar. Vamos
voltar.”
Dessa vez, houve um longo silêncio. Depois de um minuto ou dois, eu quis dizer a mesma coisa de
novo, mas a voz fraca de Sachi veio enquanto ela abaixava sua cabeça,
“Ei, Kirito, vamos fugir.”
Eu perguntei instintivamente.
“Fugir... Para onde?”
“Desse lugar, de todos da Black Cats, dos monstros... De SAO.”
Eu não estava acostumado com garotas... nem mesmo humanos. Então não pude responder
imediatamente, e depois de um longo tempo, eu timidamente perguntei: “Você... Pretende
cometer suicídio coletivo?” Depois de um curto silêncio Sachi sorriu.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


178 Sword Art Online – Aincrad

“Fufu... Isso aí, vai ficar tudo bem... Não, desculpe. Eu menti. Eu não tenho coragem para cometer
suicídio. Eu não deveria ter me escondido nessa cidade... Não fique aí. Sente-se também.”
Eu não sabia o que fazer, então eu me sentei ao lado de Sachi naquele chão de pedra. Daquele
semi-círculo próximo a fonte, eu pude ver as luzes da cidade tão pequenas como estrelas.
“... Eu estou com medo de morrer. Por causa desse medo, eu praticamente não consigo dormir à
noite.”
Finalmente, Sachi murmurou.
“Por que isso teve que acontecer? Por que não podemos sair desse jogo? Por que nós devemos
morrer se é apenas um jogo? O que o Kayaba ganha fazendo isso? O que tudo isso significa...”
Na verdade, eu podia dar a resposta para todas as cinco perguntas. Mas mesmo eu sabia que
Sachi não estava procurando por respostas. Eu dei o meu melhor e disse:
“Eu acho que, não há sentido... E que ninguém se beneficia com isso. No momento que esse
mundo se tornou isso, todos perderam o que tinham de mais precioso.”
Eu resisti as minhas lágrimas e disse uma grande mentira a aquela garota. Isso por que eu menti
para me tornar mais forte e me senti satisfeito em segredo quando entrei no grupo da Black Cats.
Nesse sentido, eu obviamente fiz tudo para meu próprio benefício.
Naquele momento eu devia ter dito tudo a Sachi. Se eu tivesse tido ao menos um pouco de
sinceridade, eu teria revelado o meu eu feio. Sachi teria ficado menos estressada e teria ao menos
relaxado um pouco.
Entretanto, tudo o que eu fiz foi mentir ainda mais para mim mesmo.
“... Você não vai morrer.”
“Por que você diz isso?”
“... Mesmo no nosso estado atual, a Black Cats continua sendo uma guilda forte. Nós alcançamos
uma margem de segurança também. Se você ficar nessa guilda, poderá continuar a viver em
segurança. Aliás, eu não acho que você precise virar uma espadachim.”
Sachi levantou sua cabeça e me mostrou uma expressão aliviada. Entretanto, eu não pude
continuar a olhar aqueles olhos e abaixei minha cabeça.
“... Mesmo? Eu poderei viver até o fim? De volta a realidade?”
“Ah... Você não vai morrer. Você vai ver até o dia em que esse jogo for terminado.”
Essas palavras não eram convincentes nem tinham qualquer peso nelas. Mesmo assim, Sachi
aproximou-se de mim, colocando seu rosto ao meu ombro esquerdo e chorou por um tempo.

Depois disso, eu enviei uma mensagem para o Keita e o resto do grupo e trouxe Sachi de volta ao
nosso hotel. Sachi voltou ao seu quarto para descansar, enquanto eu esperava no primeiro andar
do bar por Keita e o resto do pessoal. Eu disse a eles algumas coisas... Que Sachi precisava de
muito tempo para se tornar uma espadachim e que se possível, ela deveria continuar a ser uma
lanceira. E também que eu deveria continuar na frente.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


179 Sword Art Online – Aincrad

Keita e o resto do pessoal se perguntavam o que aconteceu entre Sachi e eu, mas eles
alegremente aceitaram minha proposta. Eu suspirei em alivio, mas isso não apagava o verdadeiro
problema.
Daquela noite em diante, Sachi veio sempre dormir no meu quarto. Ela dizia que se ela
continuasse comigo e ouvisse que ela não iria morrer, ela poderia dormir em paz. Agora eu não
podia mais sair à noite e conseguir experiência. Mesmo assim, isso não fez com que a culpa de
estar mentido para Sachi e os demais desaparecesse.
Por alguma razão, a memória é como uma bola de neve, então eu não consigo lembrar muito.
Uma coisa que é certa, é que eu e Sachi não tivemos um relacionamento romântico. Nós nunca
dormimos na mesma cama, nunca nos abraçamos, falando de amor olhando um para o outro.
Nosso relacionamento era como de dois gatos vadios que lambiam as feridas um do outro. Sachi
esquecia do seu medo por causa das minhas palavras e eu consegui esquecer por um tempo a
minha culpa por ser um beater.
Isso mesmo... por eu ter negligenciado os problemas de Sachi que eu descobri esse elemento do
incidente SAO pela primeira vez. Antes disso, eu provavelmente nunca tinha sentido o verdadeiro
terror que SAO causava por ser esse jogo da morte. Eu sistematicamente acabava com os
monstros de baixo nível que eu havia abatido no beta test, continuava a evoluir mantendo uma
margem de segurança. Eu não era o paladino Heathcliff, mas nas minhas memórias, minha vida
nunca tinha chegado a uma zona que pudesse ser considerada perigosa.
Eu dependia dos vastos recursos que eu tinha. Eu já sabia... que muitos jogadores tinham medo da
morte, mas eu finalmente havia encontrado um modo de superar essa minha culpa. É claro, esse
método era continuar a proteger Sachi e os Black Cats.
Para minha própria satisfação, eu me esqueci que estava escondendo meu nível quando entrei
nessa guild, esqueci da lembrança de que eu era o que estava protegendo a todos, fazendo-os
desejar alcançar o topo das guilds. Todas as noites, na minha cama ao lado, eu estava confortando
a Sachi, que estava coberta por sua própria ansiedade, dizendo a ela ‘você não vai morrer, você
não vai morrer, você vai viver’ como se fosse um mantra. Depois de dizer isso, Sachi mostrava um
sorriso escondido pelo cobertor e então me olhava, enquanto entrava em um sono leve.

Porém, no final das contas, Sachi morreu.


Menos de um mês após aquela noite na fonte, ela foi cortada por um monstro bem na minha
frente, enquanto seu corpo e sua alma se despedaçavam.

Naquele dia, Keita queira comprar uma casa para ser a sede da nossa guilda, nós finalmente a
compramos com dinheiro economizado após negociarmos com os jogadores donos da
propriedade. Sachi, eu e os outros membros estávamos rindo enquanto olhávamos para coluna de
itens que não possuíam item nenhum e esperávamos Keita voltar. Mas depois de um tempo, o
cara da maça, Tetsuo, disse:
“Vamos para o calabouço antes que o Keita volte e assustar aquele cara.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


180 Sword Art Online – Aincrad

Nós cinco entramos em um calabouço que nunca havíamos entrado, um que ficava apenas a três
níveis da linha frente. É claro, eu já havia lutado nesse lugar e sabia que era um lugar bom para
conseguir dinheiro, mas tinha muitas armadilhas. Entretanto, eu não disse isso a eles.
Naquele calabouço, nós estávamos próximos de uma área segura, então nossa caçada procedia
normalmente. Depois de uma hora, nós havíamos conseguido muito dinheiro e quando estávamos
prestes a voltar e comprar coisas, o membro que era um ladrão descobriu um baú de tesouros.
Naquele momento, eu falei firmemente para ignorá-lo. Mas uma vez que eu fui questionado da
razão, eu não pude dizer que a dificuldade daquela armadilha era acima do nível dele, então eu
apenas enfatizei que aquilo parecia perigoso.
O alarme da armadilha soou alto e os monstros cercaram toda a sala. Imediatamente reconheci
que a situação era muito perigosa e falei para que todos usassem o cristal para escapar.
Entretanto, o lugar era uma área onde os cristais eram inúteis... e quando percebemos, todos,
incluindo eu, entramos em pânico em maior e em menor escala.
O primeiro a morrer foi o ladrão que ativou o alarme. Depois, o usuário de Maças, Tetsuo e o
lanceiro que morreu atrás de mim.
Em pânico, eu continuei a atacar com as swords skills de alto nível que eu escondia, matando
ondas de inimigos. Mas eram muitos e eu não tive a chance de destruir o baú que continuava a
soar com seu alarme.
Quando o HP da Sachi desapareceu completamente após ser cercada pelos monstros, sua mão
direita me alcançou como se ela quisesse me dizer algo. Aqueles seus olhos muito abertos falavam
que ela acreditava em mim, como todas aquelas noites, e aquilo foi muito doloroso.

Não me lembro como eu consegui sobreviver. Quando eu me recuperei, todos os monstros e os


meus quatro aliados não estavam no quarto. Mas mesmo nessa situação, meu HP tinha diminuído
apenas a metade.
Incapaz de pensar, eu voltei para o hotel.
Keita, que estava esperando com a chave da nossa nova sede na mesa me escutou... como os
quatro haviam morrido, como eu tinha sobrevivido, e me encarou sem nenhuma expressão no
rosto. Ele disse algo sobre como beaters como eu não tinham o direito de se juntar a eles.

Ele então fugiu daquela cidade em Aincrad e saltou para o vazio sem nenhuma hesitação,
enquanto eu seguia ele, em direção do vácuo sem fim.
O que o Keita havia dito era verdade. Isso não pode sequer ser debatido. Foi minha arrogância que
matou os quatro membros da Black Cats of the Full Moon... não, 5. Se eles nunca tivessem me
conhecido, eles teriam continuado naquela zona média segura, sem nunca ter ativado aquela
armadilha.
Para sobreviver no SAO, o que eles precisavam não eram de reflexos nem de valores numéricos
em seus níveis, mas muita informação. Eu podia aumentar seus níveis de modo eficiente, mas não

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


181 Sword Art Online – Aincrad

dei a eles informação. Essa foi a tragédia que eu causei com minhas duas mãos, eu matei a Sachi
pessoalmente, aquela que jurei proteger.
Se o que ela queria era me amaldiçoar em seus momentos finais, eu teria de suportar. Essa era a
razão do porquê de eu continuar procurando por esse item de ressureição. Apenas para ouvir
aquelas palavras.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


182 Sword Art Online – Aincrad

Parte 3
Durante os quatro dias restantes até o natal, meu nível chegou até o 70.
Durante esse tempo eu não dormi. Esse seria o preço. Algumas vezes eu tinha dores de cabeça
muito dolorosas, como se ela estivesse sendo atravessada por pregos, mas eu acho que mesmo se
eu deitar, não serei capaz de dormir.
Desde o meu encontro com Klein, a guild Fuurinkazan não apareceu mais no vale das formigas. Eu
continuei a compartilhar aquele território com outras guilds, caçando aquelas formigas mecânicas
sozinho. A expressão nos rostos daqueles jogadores que olhavam nos meus olhos, finalmente
passou do desdém para a repulsa. Apesar de algumas vezes um ou outro falar comigo, assim que
eles chegavam ao meu campo de visão, seus rostos se desviavam imediatamente.
Entre todos os grupos de jogadores que desejavam o presente de natal, a maior pergunta era
onde ficava exatamente a árvore em que Nicholas o Renegado iria aparecer... e para essa
pergunta, depois de usar como vantagem o tempo em que eu ficava naquele vale, obtive uma
resposta promissora.
Eu fui para as coordenadas onde comprei de vários serviços de inteligência, mas mesmo que no
exterior delas elas parecessem com árvores de natal, elas não eram abetos, mas pinheiros. As
pontas dos pinheiros não são as mesmas. Os finais das pontas dos abetos são finos e ovais. Eu sei
disso por que no mundo real essas duas árvores estão no meu quintal.
Há um mês atrás, eu estava na área de treinamento do trigésimo quinto andar onde há uma área
aleatória naquela região chamada Floresta Perdida. Naquele canto em particular eu encontrei
uma gigantesca árvore curvada. Eu pensei que havia um significado oculto naquilo, talvez algo
para iniciar uma missão desconhecida então investiguei cuidadosamente, mas nada apareceu. Em
retrospecto, essa árvore gigante era um abeto. No Natal... isso é, hoje à noite, um monstro
especial chamado Nicholas o Renegado vai aparecer nessa árvore.
Eu ouvi o som indicando que eu estava agora no nível 70 sem nenhum sentimento, e depois de
acabar com a formigada na minha frente, tirei do meu bolso um cristal de teleporte. Sem falar
nada aos jogadores ali, eu parti em direção do andar em que eu estava, atravessando a rua
principal da atual linha de frente, o quadragésimo nono andar.
Eu levantei minha cabeça e olhei para o relógio que estava marcando as horas na praça, para ver
que faltavam três horas para a meia noite. Provavelmente por que queria passar a Noite de Natal
juntos, toda a praça estava cheia de casais. Eu rapidamente passei por eles em direção do hotel.
Chegando ao meu quarto no hotel, eu imediatamente abri o armazém instalado no quarto,
pegando da janela de item tudo que sugeria restauração, cristais de desintoxicação e todo tipo de
poção. Como eu só poderia contar com minha própria força, eu não irei me importar se todos
esses itens forem utilizados.
Assim que eu peguei a espada de uma mão da minha coleção, eu confirmei sua durabilidade, tirei
a espada que estava nas minhas costas que havia sido usada para lutar contra as formigas e as
troquei. Então eu troquei também minha jaqueta leve e minha armadura, tudo por itens novos.
Quando terminei, eu estava prestes a fechar a janela, quando eu vi algo no meu inventário e parei
minha mão.
Havia algo ao lado da barra escrito Self, era outra barra onde se lia o nome Sachi.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


183 Sword Art Online – Aincrad

Esse era o resultado de um bom relacionamento entre dois jogadores, mas que não evoluiu para
um Casamento... alguns jogadores fazem com que haja uma lista de itens em comum em suas
janelas. É diferente do casamento quando todos os itens são compartilhados, apenas esses itens
colocados nessa janela específica serão compartilhados.
Sachi, a quem eu nunca havia feito uma confissão nem andado de mão dadas antes, pediu um
pouco antes da sua morte para abrir essa janela. Eu perguntei a razão e ela me deu uma resposta
difícil de aceitar, que era para facilitar a troca de poções de cura e itens similares— se esse era o
propósito, então já havia a janela de guild para isso. Mas eu aceitei sem falar nada e abri uma
janela de compartilhamento entre Sachi e eu.
Apesar de Sachi ter morrido, a janela continuava. É claro, o nome de Sachi ainda estava na lista de
amigos, mas agora estava em cinza, dizendo que não podia ser contatada. Algumas poções de
cura ainda estavam no inventário compartilhado, essas que não fora nem usadas. Mesmo depois
de um ano, mesmo com a deleção da página da guild, eu fui incapaz de remover a da Sachi. É
claro... essa não é a razão pela qual acredito que ela possa estar viva... eu apenas não posso
perdoar o eu que se sentiria melhor se eu deletasse seu nome.
Eu me recuperei e fechei a janela depois de olhar para o nome de Sachi por dez minutos. Faltavam
duas horas para a meia noite.
Enquanto eu andava para fora do quarto em direção dos portões de teletransporte, continuei
pensando sobre a expressão de Sachi em seus momentos finais, o que ela estava pensando e o
que exatamente ela queria dizer.
Indo para os portões do trigésimo-quinto andar, eu fui parar em uma praça completamente
diferente da linha de frente, que estava muito quieta. Talvez porque ela ainda esteja a uma
distância do campo de batalha principal dos jogadores intermediários. A rua principal estava
completamente deserta, mas ainda assim, eu coloquei o capuz da jaqueta para evitar ser
observado pelos jogadores da área e sai rapidamente da rua.
Evitando gastar tempo lutando contra os inimigos, eu comecei a correr enquanto checava se
ninguém estava me seguindo. Com o nível que eu consegui nesse mês, minha agilidade aumentou
muito e meus pés, ao tocarem o chão coberto pela neve, pareciam tão leves quanto penas. A dor
na minha cabeça nunca desapareceu completamente, mas isso também impedia minha mente de
dormir.
Depois de dez minutos correndo, eu cheguei à entrada da floresta. O campo daquele calabouço
era separado por quatro setores, todos conectados entre si, tornando impossível atravessá-lo sem
um mapa.
Depois de abrir o mapa, eu olhei para as áreas marcadas e corri. Depois de criar o caminho na
mente, eu corri pela floresta silenciosa.
Depois de duas batalhas que não pude evitar, entrei na área em frente a todas árvores que
cobriam meu objetivo sem nenhuma dificuldade. Ainda havia trinta minutos.
Então, eu irei lutar contra um chefe sozinho e isso é como tentar tirar minha própria vida— Havia
uma grande chance disso ocorrer. Mas eu não sentia medo. Ou melhor, eu talvez estivesse
esperando por isso. Morrer em uma batalha tentando reviver a Sachi deve ser o único modo que
eu posso aceitar a morte—

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


184 Sword Art Online – Aincrad

Eu não quero dizer nada heroico como Eu estou procurando meu local de descanso.. Eu fiz com
que Sachi e meus outros quatro aliados morressem sem motivo, então eu não tenho o direito de
procurar um significado na minha própria morte.
Qual o sentido em fazer isso? Sachi uma vez me perguntou. E eu respondia a ela que não havia
nenhum.
Agora, eu posso tornar minhas palavras realidade. Sem nenhum motivo, Sachi morreu nesse jogo
sem sentido da morte chamado SAO, criado pelo gênio louco chamado Kayaba Akihiko. Com isso,
vou morrer em um lugar onde ninguém vai perceber, sem ser lembrado por ninguém, também em
uma morte sem sentido.
Se eu vencer o chefe e sobreviver, o item de ressureição vai passar de rumor para realidade. Foi
isso que eu pensei. A alma de Sachi vai voltar da estrada dos mortos ou do rio Styx e eu finalmente
poderei ouvir suas últimas palavras. Finalmente... finalmente, deixarei de esperar por esse
momento...
Bem no instante em que eu estava prestes a andar os últimos metros, alguns jogadores
apareceram em algum ponto atrás de mim. Eu saltei em choque, pegando a espada em minhas
costas.
O que tinha aparecido era um grupo de dez pessoas e bem no meio deles estava um samurai com
uma armadura leve, katana na cintura e um lenço na cabeça... Klein.
Os membros principais da Fuurinkazan pareciam apreensivos, enquanto eles se aproximavam do
local que estava atrás de mim. Eu continuei a olhar para o rosto de Klein e falei com a voz rouca.
“... Vocês estavam me seguindo.”
Klein pegou no seu cabelo preso a bandana e assentiu.
“Sim. Nós temos um cara com uma habilidade de rastreamento muito boa.”
“Por que eu?”
“Porque eu comprei informações de que você comprou todas as três coordenadas e para uma
medida de segurança, eu fiquei de olho no portão do andar 49, mas então percebemos que você
estava indo em direção a um andar do qual não tinhamos informações. Eu sinto que suas
habilidades e seus instintos de jogo são fortes, são os mais fortes de todo o grupo de conclusão...
superiores até mesmo aos de Heathcliff. Então... Kirito, você não pode morrer em um lugar assim.
Klein levantou sua mão direita, apontando seu dedo em minha direção e gritou:
“Desista desse ataque idiota e junte-se a nós! Vamos deixar que a pessoa que pegue o item de
ressureição fique com ele, certo!?”
“... Nesse caso...”
Eu não pude sentir que o que Klein havia dito era por que ele era meu amigo e estava preocupado
comigo.
“Nesse caso, não faz sentido.... Eu tenho que atacar sozinho...”
Eu puxei minha espada de leve, minha mente queimava e de alguma forma, um pensamento louco
me veio em mente.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


185 Sword Art Online – Aincrad

“Vamos matar todo mundo.”


No passado, quando esse jogo da morte começou, eu abandonei Klein, o novato que não sabia de
nada, e parti em direção da próxima cidade. Eu me senti arrependido por isso durante um longo
tempo, mas fiquei aliviado em saber que Klein conseguiu viver e sobreviver.
Naquele momento, eu estava me perguntando seriamente; se para eu alcançar o que estou
almejando, eu preciso matar meus poucos amigos e cair ao nível de um jogador vermelho? Meu
coração começou a gritar que tudo isso era sem sentido. Porém, o outro lado dizia que eu deveria
morrer, em um rugido estrondoso.
Eu realmente acredito que se eu puxasse aquela espada mais um pouco, eu não seria capaz de
parar depois. E Klein me olhava triste, enquanto minha mão teimava em com continuar tremendo.
Naquele instante, um terceiro grupo de intrusos chegou.
Esse grupo não eram dez, mas três vezes aquele grupo. Eu olhei para o enorme grupo e murmurei
para Klein, que se virou da mesma maneira, chocado.
“Parece que alguns caras te seguiram também, Klein.”
“... Ahh, parece que sim...”
Dali, eles pareciam estar a cinquenta metros de distância. Eles eram as pessoas que eu tinha visto
recentemente na zona das formigas, observando a Fuurinkazan e eu sem dizer uma palavra. O
espadachim da Fuurinkazan que estava do lado de Klein aproximou-se do rosto do líder e
sussurrou:
“Esses caras são da Sacred Dragon Alliance, um grupo que ficou laranja apenas para atacar o flag
boss.”
Eu já tinha ouvido aquele nome antes. Eles eram tão famosos quanto os Knights of the Blood, a
maior guilda do grupo de conclusão. Esses caras devem estar alguns níveis abaixo de mim, mas eu
não acredito que eu possa vencer tantas pessoas.
Mas... talvez desse modo seja a mesma coisa.
Subitamente, eu senti que tanto fazia se eu fosse morto por um chefe ou por uma guild, tudo isso
seria irrelevante. Mas, mesmo assim, seria uma escolha melhor do que ter de lutar contra o Klein,
certo?
Eu decidi puxar minha espada das costas. Eu estava lento até mesmo para pensar. Eu só preciso
ser como um robô e focar-me em atacar, destruindo tudo na minha frente até meu colapso.
Entretanto, o grito de Klein fez com que minha mão parasse.
“Maldição! Esses desgraçados...!”
O usuário da katana puxou sua arma da cintura mais rápido que eu, colocando-se à minha frente.
“Cai fora daqui, Kirito! Deixe isso comigo! Vá acabar com o chefe! Eu não vou permitir que você
morra! Eu não vou te perdoar se você ousar morrer na minha frente! Nunca!”
“...”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


186 Sword Art Online – Aincrad

Não havia muito tempo sobrando. Eu me virei para Klein e entrei no último local sem dizer
obrigado.
As grandes árvores de abeto, o local que eu havia memorizado, as suas curvas, tudo estava no
mais absoluto silêncio. Não parecia nem um pouco diferente das outras quatro áreas, um terreno
baldio coberto pela neve branca, onde toda a vida parecia extinta.
Quando o contador no canto do meu campo de visão chegou a zero, um alarme soou de algum
lugar. Eu levantei minha cabeça e olhei para a copa das árvores.
O céu noturno estava muito escuro, e esse era o plano de fundo. Linhas de luz começaram a
passar pelo céu até chegar ao local onde eu estava. Olhando mais atentamente, eu percebi que
era um estranho monstro que arrastava um trenó.
Quando essa coisa chegou na copa das árvores, uma sombra negra saltou do trenó e fez com que
eu desse alguns passos para trás.
Aquilo que havia pousado de forma brusca na neve era um monstro três vezes maior que eu.
Apesar de sua aparência humana, seus braços eram muito grandes e como seu corpo era curvado
para frente, esses braços quase tocavam o chão. Os pequenos olhos vermelhos cresciam em
direção da testa. Abaixo do seu rosto estava uma barba cinzenta, tão grande que alcançava sua
cintura.
O mais bizarro era que esse monstro vestia uma camisa vermelha e branca e um chapéu em forma
de cone da mesma cor, carregava um machado na mão direita e um grande saco cheio de coisas
na esquerda. O designer que criou esse cara devia estar provavelmente tentando fazer com que
os jogadores ficassem tão assustados quanto chocados quando vissem essa versão grotesca do
Papai Noel. Mas para mim, que estava encarando Nicholas o Renegado sozinho, a sua aparência
não importava.
Nicholas iria falar algumas frases por causa da missão e já começava a mover sua barba.
“Cala boca!”
Eu murmurei isso, puxei minha espada e saltei.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


187 Sword Art Online – Aincrad

Parte 4
Já havia mais de um ano que eu estava jogando SAO, mas essa foi a primeira vez que a minha
barra de HP ficou vermelha.
Os polígonos do meu alvo se dividiam, deixando apenas aquele saco para trás. Não havia mais
nenhum único cristal de cura no meu inventário, eu nunca estive tão perto da morte como dessa
vez. Mesmo tendo sobrevivido, não havia felicidade ou conforto para o meu coração. Na verdade,
eu sentia algo muito perto da decepção. Por que eu sobrevivi?
Quando eu devolvi minha espada a bainha, o saco brilhou e então desapareceu. Todos os itens
que foram deixados pelo alvo haviam sido registrados pelo meu inventário. Respirando fundo, eu
levantei minha mão trêmula e chamei pelo menu do inventário.
O inventário estava tão cheio de abas que causaria irritação para a maioria dos jogadores. Armas e
Armaduras, Jóias, Cristais e até mesmo Ingredientes para Comida, eu abaixei toda aquela janela
até encontrar um único item.
Depois de alguns segundos, o item que eu estava procurando apareceu.
Se chamava Pedra Sagrada do Retorna da Alma.
Meu coração começou a bater freneticamente, eu senti que o sangue que eu havia mantido
congelado por todos aqueles dias por tantos meses, finalmente se espalhava pelo meu corpo.
Eu... eu posso reviver a Sachi? Se isso for possível, isso quer dizer que, Keita, Tetsuo e todas as
almas dos jogadores que perderam suas vidas no SAO desde o princípio não foram perdidas...?
Essa deve ser minha única chance de ver Sachi de novo. Só de pensar nisso faz meu coração
acelerar. Não importa quais fossem seus clamores ou maldições que ela iria falar para mim ou
quaisquer consequências que me sejam aplicadas por causa das minhas mentiras, dessa vez eu a
abraçaria com minhas duas mãos e olharia em seus olhos negros e diria as verdadeiras palavras
que estavam no meu coração. Não era que você nunca iria morrer, mas que eu iria proteger você.
Para manter essa minha promessa, eu trabalharia duro para ficar mais forte.
Depois de várias tentativas falhas de selecionar a pedra no menu com minhas mãos trêmulas, eu
finalmente consegui materializar a Pedra Sagrada do Retorna da Alma. Flutuando abaixo do
inventário com uma cor arco-íris, a pedra tinha o formato de um ovo, tão bonito que era
impossível descrever em palavras.
“Sachi... Sachi...”
Chamando seu nome, eu golpeei a jóia, então cliquei no menu de ajuda da janela aberta,
instruções simples apareceram no painel.

[Esse item pode ser usado no menu de atalho do jogador ou segurando o item materializado e
dizer Reviver ... Nome do Jogador, o efeito só vai funcionar, revivendo o jogador derrotado no
momento entre a morte do jogador e o desaparecimento do item em aproximadamente 10
segundos]
Aproximadamente 10 segundos.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


188 Sword Art Online – Aincrad

Essa frase parecia ter sido adicionada intencionalmente, anunciando com clareza que Sachi nunca
será ressuscitada.
Aproximadamente 10 segundos. Esse era o tempo entre o HP chegar a zero e o corpo se
despedaçar em polígonos, o tempo para que o Nerve Gear envie sinais elétricos para fritar o
cérebro do jogador no mundo real. Eu não consigo imaginar o que Sachi deve ter sentido durante
esses 10 segundos, com seu corpo desaparecendo enquanto o Nerve Gear fritava seu cérebro.
Deve ter sido extremamente doloroso para ela. Apenas nesses 10 segundos, no que ela estava
pensando? Eu comecei a me amaldiçoar repetidamente....
“Ugg... Ahhhhhh. Ahhhhhhhhhhhhhhhh...”
Eu gritei de forma animalesca.
Segurando o maldito cristal que estava flutuando em cima do inventário, eu arremessei com toda
a minha força no chão coberto pela neve.
“Ahh... Ahhhhhhhhhhhhhhhhhh!”
Pisei no cristal com meu sapato furioso, enquanto continuava a gritar. Entretanto, o cristal
continuou a brilhar sem sentir qualquer efeito de estar sendo pisado, nem um único arranhão,
muito menos se partindo. Eu gritei o máximo que podia, batendo minhas mãos no chão,
golpeando a neve acumulada, por fim, continuei com meus gritos enquanto rolava na neve.
Isso é irrelevante. Nada faz sentido. Não importa se a Sachi morreu em meio a dor e o desespero
ou eu ter desafiado o chefe de natal, NÃO, viver nesse mundo ou o fato de 10,000 jogadores
estarem presos aqui não faz sentido. Eu finalmente entendi. Essa é a única verdade.
Não sei por quanto tempo eu continuei assim, não importa o quanto eu gritasse, eu não sentia
nenhum desejo de chorar. Será que meu corpo havia perdido essa função? Finalmente, eu me
levantei, pegando o cristal que estava enterrado na neve e segui em direção do portal que me
levaria a área anterior a esse calabouço.
Apenas Klein e os membros da Fuurinkazan que estavam na floresta. Os membros da Sacred
Dragon Alliance não estavam em lugar nenhum. Eu andei em direção do usuário da katana que
estava sentado no chão, e verifiquei que não haviam baixas.
Era óbvio que Klein era o único cansado ali, mas não tanto quanto eu. Eu creio que ele negociou
com a Sacred Dragon Alliance e lutou em um duelo. Entretanto, meu coração não se sentia grato.
O guerreiro me viu se aproximar, sua expressão estava leve. Porém, seus lábios se abaixaram
quando ele viu a minha expressão.
“...Kirito...”
Eu deixei cair o cristal sobre o joelho de Klein que estava chamando meu nome com sua voz rouca
e baixa.
“Esse é o item de ressureição, mas não pode ser usado em pessoas que morreram há muito
tempo. Pegue e salve a próxima pessoa que você ver morrendo na sua frente.”
Quando eu estava prestes a seguir em direção da saída, Klein segurou minha jaqueta.
“Kirito... Kirito...”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


189 Sword Art Online – Aincrad

Foi um choque para mim perceber que lágrimas estavam escorrendo pelas suas bochechas.
“Kirito... Você... Você precisa sobreviver... Por todos os que pereceram... Você precisa sobreviver
no final...”
Eu puxei a ponta da minha jaqueta das mãos de Klein, que estava chorando enquanto continuava
a pedir para que eu continuasse vivendo.
“Adeus.”
Depois disso, eu fui embora da floresta com minha mente em branco.

Quando eu finalmente acordei e olhei ao meu redor, eu estava de volta ao quarto de hotel no 49º
andar sem saber como eu havia chegado aqui.
Eram 3 da manhã.
Eu comecei a pensar no que eu deveria fazer de aqui em diante. Nesse último mês, o item de
ressureição havia sido minha motivação para continuar sobrevivendo. Apesar dele existir, não era
o item que eu queria.
Depois de pensar por um tempo, eu decidi ir lutar contra o chefe desse nível. Se eu acabar com
ele, eu vou continuar e acabar com o do andar 50, então, eu vou continuar até o 51.
Eu não conseguia pensar em nenhum outro modo para pôr fim a esse idiota. Depois de tomar
minha decisão, consegui relaxar, então me sentei na cadeira. Sem ver nada, sem pensar em nada,
apenes esperando a manhã chegar.
A luz do luar que atravessava a janela mudou sua posição pouco a pouco e finalmente, foi
substituída pelo cinza do começo do dia. Eu não sei por quantas horas eu não dormi, mas eu me
senti bem pelo fim da pior de todas as noites.
Quando o relógio na parede anunciou que eram 7 da manhã, eu me preparei para levantar da
cadeira, quando um estranho alarme soou em meus ouvidos.
Olhei ao meu redor, e não vi nada que pudesse estar causando esse barulho. Finalmente, vi no
canto do meu campo de visão que um sinal roxo estava brilhando na janela principal, o que fez
com que eu movesse meus dedos.
O que brilhava era aquele menu de itens que eu compartilhava com Sachi. Havia um item de uso
limitado. Eu abaixei a tela, bastante confuso e encontrei um cristal de gravação de mensagens
com o timer ativado.
Eu peguei o cristal e sai do menu, colocando-o sobre a mesma.
Depois de clicar no cristal brilhante, escutei a voz nostálgica de Sachi.

“Kirito, feliz natal.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


190 Sword Art Online – Aincrad

Se você estiver escutando essa mensagem, significa que eu provavelmente morri. Isso por que se
eu estou viva, eu decidiria remover esse cristal do nosso inventário compartilhado e na noite de
Natal dizer a você isso pessoalmente.
Então... deixe-me explicar por que eu gravei essa mensagem.
Eu, provavelmente, não vou viver muito. É claro, eu não duvido da sua capacidade nem da Black
Cats of the Full Moon. Isso por que o Kirito é muito forte e o resto dos membros estão ficando cada
vez mais fortes, dia após dia.
Como eu posso explicar... uma amiga minha de outra guild perdeu sua vida. Ela era uma pessoa
tímida como eu e só caçava em áreas seguras, mas por azar, ela acabou sendo morta por
monstros quando estava voltando para casa. Depois disso eu comecei a pensar em um monte de
coisas e cheguei a uma conclusão. Para continuar vivendo nesse mundo, não importa o quanto
seus companheiros sejam fortes, se você não tem vontade de viver ou determinação para
sobreviver a qualquer custo, a morte chegará.
Para mim... na verdade, desde o início, quando eu estava naquela área para iniciantes, eu fiquei
com medo. Sendo sincera, eu nunca pretendia deixar a Cidade Inicial. Apesar de eu ser muito
próxima dos membros da Black Cats of the Full Moon no mundo real e gostar do tempo que
passamos juntos, eu realmente odeio batalhas. Eu provavelmente vou morrer se eu continuar
agindo assim. Não é culpa de ninguém, o problema sou eu.
Desde aquela noite, você vem falando que está tudo bem e que eu não vou morrer. Isso por que de
algum modo eu morrer, você vai acabar se culpando e não vai se perdoar. Essa também é a razão
de eu estar gravando essa mensagem. Eu quero te dizer, Kirito, que não é culpa sua. Se há um
problema, esse problema sou eu. A data que eu marquei foi o Natal por que eu gostaria de ao
menos sobreviver até lá e andar pelas ruas cheias de neve com você.
Na verdade... eu sei o quanto você é forte. Uma vez, eu acordei bem cedo e acidentalmente acabei
vendo seu nível quando você abriu o menu.
Mesmo após pensar muito, eu não consegui encontrar uma razão para que você estivesse
escondendo seu verdadeiro nível e se unido a nós. Mas eu não falei nada aos outros membros,
então acredito que um dia você irá dizer a razão pessoalmente... eu fiquei muito feliz quando
descobri o quanto você é forte. Depois disso, eu consegui dormir em paz por que eu estava ao seu
lado. Talvez estando junto com você faça com que eu seja mais importante para você. E isso
também me faz ficar feliz. Se for esse o caso, então a final de contas, houve sentido em uma
pessoa tímida como eu ter vindo aos andares superiores.
Isso... O que eu estou tentando dizer é que, mesmo se eu morrer, você deve sobreviver. Sobreviva e
assista ao fim deste mundo, por favor, me ajude a encontrar a razão deste mundo ter sido criado,
a razão para uma pessoa tímida estar nesse mundo, o significado do nosso encontro. Esse é meu
desejo.
Ah... parece que ainda tem tempo sobrando. Esse cristal pode mesmo gravar um monte de coisas.
Hmmm, então, já que o Natal é uma ocasião especial, eu vou cantar uma canção natalina. Eu
tenho um pouco de confiança na minha voz. Acho que vou tentar ‘Rudolph, the red-nosed
reindeer’. Na verdade, eu preferiria cantar músicas como ‘Winter Wonderland’, ‘White Christmas’
que são bem mais conhecidas, mas infelizmente eu só posso cantar a letra dessa música.

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


191 Sword Art Online – Aincrad

Por que eu lembro apenas de ‘Rudolph, the red-nosed reindeer’? Bem, é que ontem à noite, você
me disse que ‘Não importa quem você seja, você pode fazer a diferença na vida de uma pessoa.’.
Dizer isso para mim, fez com que eu sentisse que havia um lugar a qual eu pertencia. Depois de
ouvir essas palavras, eu fiquei muito grata e me lembrei dessa música. Eu não sei por que, mas eu
penso em mim como sendo o Rudolph e você sendo o Papai Noel... se eu puder colocar em
palavras, eu diria que você me deu um afeto paternal. Meu pai me deixou quando eu era muito
pequena e por causa disso toda noite eu durmo do seu lado, me perguntando se esse era o
sentimento que meu pai me daria. Ah, certo, eu vou começar a cantar.”

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


192 Sword Art Online – Aincrad

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2


193 Sword Art Online – Aincrad

“Rudolph do nariz vermelho tinha um nariz muito brilhante.


Todas as outras renas riam dele e o davam apelidos.
Na noite de natal
Papai Noel veio e disse:
‘Rudolph, com seu nariz tão brilhante, por que você não me guia esta noite?’ Rudolph, que estava
sempre chorando, começou a sorrir no mesmo instante.”

“...Para mim, você sempre será como uma estrela brilhante que me guia em meio a escuridão.
Adeus, Kirito. Eu tive mesmo muita sorte em ter conhecido e estado com você.”
“Obrigada. Adeus.”

[Fim!]

SWORD ART ONLINE – AINCRAD | Volume 2