Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA


DEPARTAMENTO DE QUÍMICA

ENSAIO DE COLORAÇÃO CHAMA

São Cristóvão, SE
2017/2
1- INTRODUÇÃO
Com o teste de chamas, o bico de Bunsen fornece calor ao elemento, por conta dessa
fonte de energia térmica os átomos saltam para uma camada mais energética e com o seu
retorno para a camada de origem (menos energética) há liberação de energia em forma de luz.
No entanto, a energia necessária para excitar um elétron é única para cada elemento. Com isso,
a radiação liberada pelos elementos possui comprimentos de onda distintos, consequentemente,
cores específicas que podem ser correlacionadas, assim, tornando possível identificar o metal
analisado.
Portanto, o objetivo da prática é demonstrar que podemos identificar qual o elemento a
partir da cor da chama, justamente por conta dos níveis de energia, excitação dos elétrons,
comprimento de onda e espectro visível.

2- PARTE EXPERIMENTAL

2.1-Materiais e Reagentes

● Cloreto de Sódio –NaCl (2 mol.L-1)


● Cloreto de Potássio –KCl (2 mol.L-1 )
● Cloreto de Bário –BaCl2 (1,5 mol.L-1)
● Cloreto de Estrôncio–SrCl2 (1,0 mol.L-1)
● Carbonato de Lítio – Li2CO3 (0,1 mol.L-1)
● Ácido clorídrico 50%
● Bico de Bunsen
● Alça de platina

2.2 -Procedimento

Inicialmente, o queimador de gás foi acendido até obter uma chama adequada (azul).
Após isso, a alça de platina foi limpa com o ácido clorídrico 50% e depois mergulhada em uma
das soluções. Em seguida, a alça de platina úmida da solução foi levada à chama. Assim, a
coloração da chama foi observada e registrada correlacionando-a com o metal analisado.
Repetiu-se esse procedimento para todas as soluções.
3- RESULTADOS E DISCUSSÃO

Tabela 01 - Colorações das chamas de acordo com cada metal presente

SOLUÇÃO COR

Cloreto Cálcio (CaCl) LARANJA-AVERMELHADO

Cloreto de Sódio –NaCl (2 mol.L-1) AMARELO

Cloreto de Potássio –KCl (2 mol.L-1 ) VIOLETA

Cloreto de Bário –BaCl2 (1,5 mol.L-1) VERDE

Cloreto de Estrôncio–SrCl2 (1,0 mol.L-1) VERMELHO

Carbonato de Lítio – Li2CO3 (0,1 mol.L-1) ROSA

4- CONCLUSÃO

Atingiu-se o objetivo de identificação dos metais pela coloração das chamas. Para esta
experiência, livros e artigos foram consultados para verificar os dados obtidos.
As cores obtidas corresponderam ao esperado, foi possível observar as diferenças de
coloração conforme a mudança do elemento.

5- PÓS LABORATÓRIO

1) Por que os átomos emitem luz quando submetidos a chama?

Ao receber energia térmica proveniente da chama o átomo salta para uma camada eletrônica
mais energética. No entanto, quando este deixa o estado excitado e retorna para a sua camada
inicial (menos energética), acaba liberando a quantidade de energia adquirida anteriormente
em forma de fóton, assim, emitindo luz.

2) Porque cada amostra emite uma cor diferente na chama?

Cada amostra é de um elemento diferente, com átomos que têm níveis de energia diferente.
Com isso, a luz emitida por cada elemento será de acordo com o comprimento de onda
específico de cada um.
3) Qual a relação entre essa aula e o espectro eletromagnético?

Nessa aula o experimento “Ensaio de coloração chama” foi realizado, este procedimento é
utilizado para detectar a presença de íons metálicos baseado no espectro de emissão distintivo
de cada elemento. A luz liberada por parte dos elementos possui comprimento de onda na faixa
do espectro visível, assim durante o experimento é possível enxergar as diferentes cores e
relacionar essa característica com o elemento. Assim, o identificando.

4) Qual região do espectro foi utilizada nesta aula?


A faixa visível ao olho humano que possuem frequência compreendida entre 4.3 x 1014 e 7.5
x 1014

6-BIBLIOGRAFIA

Você também pode gostar