Você está na página 1de 4

Elaborado por Débora Reis – especialista em psicologia clínica e facilitadora em

Constelação Familiar e Sistêmica

ALUNO/A:

DATA DE
ENTREGA:

Você deve levar impresso para o curso ou enviar para mim por e-mail até data do próximo
módulo: 26 e 27 de outubro.

*E-mail: ​deborabdreis@gmail.com

Darei feedbacks sobre as respostas no próprio e-mail, bem como informarei dicas de
aprimoramento do pensamento sistêmico. ​EXERCÍCIO: “APRENDENDO A PENSAR

SISTEMICAMENTE”

Escolha um caso em que você tenha constelado e responda as perguntas


abaixo.

Seja o mais sincero possível. Não existem respostas certas ou erradas, mas sim caminhos
diferentes de se pensar sistemicamente a mesma questão.

Bert Hellinger nos diz que cada constelação é única. Então, busque trazer abaixo o que você
observou no campo do cliente.

Pensar sistemicamente = pensar no cliente a partir do ​SISTEMA ​no qual ele está inserido, seja
familiar ou institucional. Ou seja, não é ​INTERPRETAR A LINGUAGEM FALADA DO CLIENTE.

1) Qual o diagnóstico sistêmico? (Por exemplo: compulsão em gastar, ocasionando


perdas financeiras e recorrentes endividamentos. Isto levava a cliente a viver em um
movimento de escassez e falta).

O diagnóstico sistêmico foi dificuldades financeiras vivendo na energia da escassez e dificuldade


em relacionamentos amorosos.

Correto. Muito bom.


​ ) Qual a Investigação sistêmica? (Por exemplo: percebe-se que os avós paternos da cliente
2
tiveram uma perda de terras que levou eles a passarem dificuldades materiais e
financeiras. A cliente relata que foi criada até os 05 anos de idade pelos avós paternos e
que possui um vínculo muito forte com ambos. Sistemicamente, parece ser um
movimento interno de lealdade sistêmica, levando a cliente a repetir o destino de
escassez e falta desses avós).

Percebe-se que a cliente teve uma relação de abandono muito cedo em relação com o
pai, sentia-se rejeitada por ele. Nunca viu o pai como amoroso e presente em sua vida. O
pai não tinha sorte nos negócios e viveu sem muitos recursos, acusando o avô de não
tê-lo ajudado. O pai foi abandonado na infância pelo seu pai, e tinha uma herança que
causou muitas brigas na família.
Sistemicamente parece ser um movimento de lealdade sistêmica com esse pai, repetindo
a mesma rejeição e falta de carinho do pai e avô.

Ótima investigação sistêmica.. É isso mesmo. Continue nesse caminho durante os


atendimentos.

3) Qual o problema sistêmico? (exclusão, inversão de ordem ou desequilíbrio?) O


problema sistêmico foi desequilíbrio e rejeição.

Veja bem: pelo que foi descrito acima, o problema sistêmico que mais se
destacou foi a exclusão (lei do pertencimento). No caso, todas as 03 leis
sistêmicas atuam ao mesmo tempo em nossa vida e nas nossas questões,
porém busque observar qual delas está em maior destaque na questão
trazida para o cliente. Isto te dará maior foco terapêutico e firmeza com o
cliente.

4) Qual a solução sistêmica? (Por exemplo: Trabalhar principalmente a hierarquia,


pedindo a cliente para fechar os olhos e pedir aos avós paternos a liberação e a benção
deles para que ela possa fazer um pouco diferente e viver em abundância. Propus
exercício com fotos).

A cliente teve uma dificuldade em reconhecer o pai. Sugeri que a cliente fechasse os olhos
e honrasse o avô paterno, liberando as questões que ele tinha vivido com o filho. Depois
pedi que visualiza-se seu pai e sentisse a energia dele.
Foi muito difícil para ela. Chorou muito e relutava. Sugeri hooponopono para o pai que fez
com muita dificuldade no início, mas depois foi liberando. Aos poucos conseguiu ver o pai
com mais tranquilidade, honrou a sua parte de 50% da vida dela e conseguiu assim se
liberar dessa questão. Sentiu-se aliviada e encerramos a constelação com indicação de
alguns florais para seu equilíbrio.

Lembre-se só de dizer que o hooponopono e os florais são recursos a parte do trabalho


(acredito que você tenha falado na hora). Só oriento você a escrever aqui que você fez
isso. É bom escrever, para ir tendo cada vez mais clareza sobre o trabalho.
Dica: Nas horas de choro intenso e resistência, normalmente eu peço a pessoa para
respirar profundamente e se entregar ao trabalho, que estou ali para auxiliá-la e sei que é
um momento difícil para ela. Normalmente, isso tem efeito terapêutico e a pessoa se
acalma também.
Exercício baseado nas cartas sistêmicas de Fernando Freitas,
2019.