Você está na página 1de 45

REALIDADE DE SAUDE NO

BRASIL
Atenção à Saúde...
Parte I - Realidade de Saúde do Brasil

Muitos Brasis!!!

Grande extensão territorial -


8.515.767km2

Dividido em 05 regiões: Norte,


Nordeste, Centro-Oeste, Sul e
Sudeste
Diferentes realidades
socioeconômicas e culturais...
DESIGUALDADES NO BRASIL

• País continental
• Processo de colonização
• Escravidão – fim tardio; transição para
indigência
• Imigrações
• Industrialização – tardia, dependente
• Urbanização – explosiva
ESCRAVIDÃO MODERNA

O Brasil abriga 155 mil pessoas nessa situação, que abrange desde trabalho forçado ou por
dívidas, tráfico humano ou sexual até casamentos forçados;

FONTE: O relatório da ONG - Walk Free Foundation (novembro de 2014)


DESIGUALDADES NO BRASIL

“APARTHEID” SOCIAL

CIDADES: CRESCIMENTO ACELERADO, BOLSÕES


POBREZA
DESIGUALDADES NO BRASIL

Dados IBGE
DESIGUALDADES NO BRASIL

Dados IBGE
TRANSIÇÃO DEMOGRÁFICA NO BRASIL

Algumas características...

Declínio rápido dos níveis de fecundidade;


Declínio do ritmo de crescimento demográfico;
Alteração da Estrutura da Pirâmide Etária;
Aumento da Expectativa de Vida;
Transição Demográfica no Brasil
Transição epidemiológica

✓ Superposição entre as etapas onde predominam as doenças transmissíveis e


crônico- degenerativas;

✓ Existe um contraste importante entre as situações epidemiológicas das diferentes


regiões do país;

✓ Tripla carga de doenças: uma agenda não concluída de doenças infecciosas e


desnutrição; o desafio das doenças crônicas e seus fatores de risco; crescimento
acelerado das causas externas;
DESIGUALDADES NO BRASIL

Escassez de médicos X Linha da Pobreza


Índice de escassez de médicos em Atenção Primária Proporção de domicílios com renda per capita abaixo da
à Saúde (APS)* linha da pobreza (R$137)

Fonte: Estação de Pesquisa de Sinais de Mercado


(EPSM/NESCON/FM/UFMG).
* Considera o número de médicos equivalente a 40 horas nas
especialidades de clínica médica, saúde da família e pediatria.
Em 2013
1,8 médicos por mil habitantes
Em 2018
2,1 médicos por mil habitantes
Lançado em julho de 2013 para atender demanda histórica de
falta de médicos na Atenção Básica

Municípios de todo o país tem dificuldade de contratar


profissionais, principalmente, para o interior, as periferias e regiões
de vulnerabilidade social
Programa Mais Médicos

EIXOS DO PROGRAMA
Ampliação e Melhoria da Infraestrutura

Formação para o SUS Provimento Emergencial

- Ampliação da Oferta na
Graduação e Residência Médica - Editais de Chamadas Nacional e
- Reorientação da Formação e Internacional
Integração à Carreira
- Mudança no Eixo dos Locais de
- Cooperação internacional
Formação

1
4
Aumento de Consultas
Com o Mais Médicos, o número de consultas médicas na Estratégia de Saúde da Família cresceu
29%
Nos municípios participantes,
o crescimento foi de 33%
Nos municípios sem Mais Médicos, foi menos da metade: 15%

Jan/2013 a
jan/2015
Fonte: Rede Observatório do Programa Mais Médicos
+ Atenção Básica = menos internações
• Os municípios que contam com médicos do Mais Médicos apresentaram uma

redução de 4% das internações (dez/2013 a dez/2014);


• Nos municípios com cobertura do Mais Médicos maior que 36% da
população, a redução no mesmo período chegou a 8,9%;
• Nos municípios que saltaram do percentil de “até 10%” para “50-75%” de cobertura
de médicos na AB a taxa de internação caiu cerca de 20% (comparação 2014 com
2015).

Fonte: Rede Observatório do Programa Mais Médicos


População nota melhoria
do acesso e da qualidade

“Agora tem atendimento “Médicos mais atenciosos


médico todos os dias” com os pacientes”

Para 85%, melhorou a Para 87%, o médico


qualidade do atendimento é mais atencioso

“Médicos mais capacitados


Nota 9
e competentes” 55% deram a nota máxima (10)

Para 82%, melhorou a resolução Amostra >14 mil usuários PMM

dos seus problemas na consulta Fonte: Pesquisa Ipespe/UFMG


Resultados do Programa
Em 2018:

17.584 médicos atuando no PMMB

8.459 brasileiros e

8.557 médicos cubanos, estão

presentes em 3.920 municípios.

34 DSEI com médicos do PMMB


Por que existe um Sistema Único de Saúde?
Constituição Federal de 1988

“Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido


mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco
de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às
ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.”
SUS – Princípios Doutrinários

Universalidade Integralidade
Todo (Holística) – Medicina
Saúde como Direito de
Integral
cidadania e não como Direito
Trabalhista Equidade Tudo (Direito aos três níveis de
Tratamento diferente para se chegar a assistêncIa)
igualdade
Descentralização/Municipalização/Regionalização

Descentralização Gestão mais próxima da população

Municipalização da saúde

Como garantir o direito do cidadão?

Pensar uma rede de assistência onde o cidadão da menor e mais afastada cidade tenha
acesso à tecnologia necessaria para recuperar sua autonomia, em caso de necessidade
de saúde.
Níveis de Assistência – Hierarquização

• Hospitalização, Internação
• Alta Complexidade

Terciária
• Ambulatórios de Especialidades Médicas
• Diagnósticos mais complexos que não demandam
Secundária internação

Atenção Básica
Postos e Centros de Saúde
PSF
Baixa Complexidade

Complexidade Tecnológica
Hierarquização e organização em redes
REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE

Álcool, Crack e Outras

Condições e doenças
Rede de Urgência e
Rede Cegonha
Qualificação/Educação

Emergência

crônicas
Drogas
Informação

Regulação

Promoção e Vigilância à Saúde

ATENÇÃO BÁSICA
Cobertura Saúde da Família
2002 2006 2010

2014

31,8% 46,1% 52,2%

Municípios com ESF 5.460


Nº de Equipes Implantadas 39.228

A cobertura eSF dobrou entre 2002 e 2014


*62,4%

População coberta estimada 121 milhões

Parâmetro de Cobertura de 3.450 habitantes por equipe e como referência a Fonte: Histórico DAB - Dez/2014
população IBGE, 2012.
COBERTURA DA ESF NO BRASIL E PMM

• Depois de 5 anos de estagnação ou baixo crescimento, a partir da


implantação do Programa Mais Médicos, a cobertura da Estratégia Saúde
da Família retoma uma curva de rápido crescimento e ultrapassa 70% de
cobertura em 2015.
• Com a criação do Programa Mais Médicos, a cobertura passou a apresentar
um crescimento médio anual de 5%.

• Quase a metade das 39.125 ESF existentes são do Mais Médicos


Módulo de Acolhimento e Avaliação

Programa Mais Médicos para o Brasil


Objetivos do Módulo
Esse é o primeiro momento formativo do médico intercambista do Programa Mais Médicos
para o Brasil
Regulamentado pela Portaria 01/2014 SGETS (MS)/SESU (MEC);

Artº5.
OBJETIVOS:
I. Capacitar os médicos participantes para que compreendam a atuação do médico generalista na
Atenção Básica no contexto do Sistema Único de Saúde (SUS);

II. Fornecer os conceitos e as ferramentas fundamentais para a operação desta realidade de atuação;
III. Desenvolver habilidades e apresentar conteúdos em língua portuguesa que contribuam para a
compreensão e a expressão do médico intercambista em situações cotidianas da prática médica na Atenção
Básica do SUS; e

IV. Utilizar e aferir a apropriação pelo médico intercambista das recomendações contidas nos protocolos de
atenção básica do Ministério da Saúde e a capacidade de comunicação na prática médica em língua
portuguesa.
Avaliação
• INDIVIDUAL;
• PRINCÍPIOS E DIRETRIZES DO SUS E TRABALHO DAS EQUIPES DE SAÚDE DA
FAMÍLIA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA;
• CASOS CLÍNICOS com base nas aulas;
• OBJETIVOS: Descrever sua análise do caso apresentado, demonstrando seu
raciocínio clinico e seu manejo da situação apresentada;
• CRITÉRIOS AVALIADOS: raciocínio clinico, proposição de conduta, prescrição de
medicamentos e exames e orientações ao paciente;
Avaliação
Análise de Aproveitamento:
•TODOS já tem nota igual a 5 (já foram aprovados no MAAv anterior).
• A análise do aproveitamento dos médicos participantes do Módulo de
Imersão:
•Analisar a capacidade de comunicação Verbal na prática médica em
língua portuguesa – Casos Clínicos
•Analisar a capacidade de comunicação escrita na prática médica em
língua portuguesa utilizando-se para isto os documentos médicos mais
comuns (Atestado médico, D.O., Receituário, etc )
Funcionamento do Programa
Mais Médicos para o Brasil
Etapas do Programa
1) Adesão dos Municípios;
2) Equipes completas: no mínimo Enfermeiro (a); Auxiliar ou Técnico de
Enfermagem e Agentes Comunitários de Saúde;
3) Lotação do Médico do Programa;
4) Curso de Especialização;
5) Visita Mensal da Supervisão – apoio pedagógico;
6) Encontros Locorregionais.
7) Contra-partida dos municípios
• PORTARIA Nº 30, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2014

• Dispõe sobre o cumprimento das obrigações de oferta de moradia,


deslocamento, alimentação e água potável pelo Distrito Federal e
Municípios aos médicos participantes do Projeto Mais Médicos para
o Brasil, nos termos da Portaria Interministerial nº 1.369/MS/MEC,
de 8 de julho de 2013.
• Art. 3º - referência para recurso pecuniário – R$ 500,00 a
R$2.500,00 podendo adotar valores superiores.
ESF e APS
PROGRAMAS E ESTRATÉGIAS TRANSVERSAIS
NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

Financia
mento

UBS
Fluvial

40
Territorialização

41
42
Atributos e Diretrizes na Atenção Básica
• Acessibilidade e Acolhimento (porta de entrada preferencial e porta
aberta);
• Territorialização e Responsabilização Sanitária;

• Vinculo e Adscrição de Clientela;


• Cuidado Longitudinal;

• Coordenação do Cuidado;
• Trabalho em Equipe Multiprofissional;
(PNAB, 2017)
“O homem é do tamanho do seu sonho.”
Fernando Pessoa

Você também pode gostar