Você está na página 1de 64

Profa.

Claudia Helena
2011
Relações Humanas

Os grupos e as Relações humanas

Todos vivemos em grupos:


família, trabalho,
diversão, estudos, igreja,
etc.
Relações Humanas

Grupo = interação e unidade.


Os grupos se reúnem por vários motivos:

 por uma razão (objetivo) comum;


 por normas e valores;
 formando uma estrutura organizacional;

No grupo há interação entre as pessoas.


Relações Humanas

Para saber lidar com pessoas precisamos


entender que existem as Relações:
1. Interpessoal
{relações entre pessoas}
2. Intrapessoal
{relações com você mesmo}
Relações Humanas

Pontos que podem prejudicar o relacionamento


interpessoal:
 não ouvir o outro
 interromper o outro quando fala
 falar em tom agressivo
 impor suas idéias sem se preocupar com a idéia
do outro
 não compreender as outras pessoas
 não se colocar no lugar do outro – “empatia”
Relações Humanas

Pontos que favorecem um bom


relacionamento interpessoal:

 ter habilidade / facilidade em compreender


os outros

Obs. Podemos aprender / aperfeiçoar estas


habilidades em compreender o outro e a si
próprio.
Relações Humanas

Como melhorar:
 Melhorar o conhecimento de si próprio
(compreender melhor como eu sou): entender
minhas atitudes, meus
comportamentos, meus sentimentos, meus
objetivos, etc).
 Melhorcompreensão do outro observando seu
comportamento, seus sentimentos, suas ações
e atitudes, no relacionamento com outras
pessoas, dar oportunidade para ele expor
seus pensamentos e sentimentos.
Relações Humanas

 Melhor convivência em grupo (entender que


em cada grupo as pessoas exercem papéis
diferentes): papel de pai, de filho, de aluno, de
professor, de gerente, de empregado, de
amigo, de namorado, etc

Em um grupo pode se notar vários


comportamentos:
 agressividade, pouco
caso, indiferença, esnobismo, formação de
panelinha, etc.
Relações Humanas

Percebendo estes comportamentos e sabendo


como tratá-los, terá condições de perceber
como o grupo funciona e como os indivíduos
interagem, assim fica mais fácil decidir como
agir em diversas situações.

Procurar entender como funciona seu grupo


familiar / seu grupo escolar / seu grupo de
trabalho, etc.

Dessa forma, podemos ter mais condições de


entender / perceber os grupos e ter uma
relação mais amistosa.
Relações Humanas
 Desenvolver aptidões para um relacionamento
mais eficiente com o outro.
Conforme vamos desenvolvendo o nosso auto-
conhecimento e desenvolvendo o conhecimento
do outro, vamos aprendendo e aperfeiçoando
nossa maneira de nos comunicarmos de forma
mais eficaz.
Vamos aperfeiçoando nossas aptidões de:
 como ouvir
 como dialogar
 como informar
 como avaliar
 como elogiar
 como disciplinar
 etc.
Processo através do qual as pessoas
recebem, organizam e interpretam
informações de meio ambiente;

 Maneira como nos


vemos, julgamos, conceituamos, qua
lificamos, tanto nós mesmos -
Percepção pessoal, quanto as
outras pessoas - Percepção
Interpessoal
Relações Humanas

 Percepção

 Primeiro formamos uma impressão – que é a


primeira impressão que temos do outro.

 Depois desenvolvemos a percepção –


observando suas ações, sua voz, seus
gestos, seus movimentos, como reage ao
nosso comportamento, etc.
Relações Humanas

 Quando já temos um maior contato/ uma


convivência com a outra pessoa, fazemos
nosso julgamento através da nossa
percepção.
 Quando a percepção é positiva acontece
uma boa relação interpessoal.
 Quando a percepção é negativa fica mais
difícil estabelecer uma boa relação
interpessoal e a relação fica cheia de
conflitos.
 Muitas vezes a nossa percepção está cheia
de preconceitos. Às vezes julgamos uma
pessoa pela sua classe social, pela sua
raça, pela sua religião, pela maneira de se
vestir, pela cor do cabelo, etc.
Relações Humanas e
Trabalho em Equipe

“Unir-se é um bom começo, manter a união é um


progresso, e trabalhar em conjunto é a vitória.”

Henry Ford
Relações Humanas e
Trabalho em Equipe

A concepção de equipe esta vinculada á de


processo de trabalho e sujeita ás
transformações pelas quais este vem
passando ao logo do tempo.
Relações Humanas e
Trabalho em Equipe
Podemos dizes que a idéia de equipe pode advir:
1. Da necessidade histórica do homem de somar esforços para
alcançar objetivos que, isoladamente, não seriam alcançados
ou seriam de forma mais trabalhosa ou inadequada; e
2. Da impor tânica que o desenvolvimento e a complexidade do
mundo moderno têm imposto aos processo de produção,
gerando relações de dependência e/ou complementaridade
de conhecimentos e habilidades para o alcance dos objetivos.
Relações Humanas e
Trabalho em Equipe

O trabalho em equipe, portanto, pode ser entendido como uma


estratégia, concebida pelo homem, para melhorar a efetividade
do trabalho e elevar o grau de satisfação do trabalhador.
Relações Humanas e
Trabalho em Equipe
Dentro do trabalho em equipe, cada integrante (parte)
possui uma função, é todos juntos fazem com que esse
grupo (todo) funcione em harmonia.
Fazendo uma analogia com o corpo humano, cada órgão
tem a sua tarefa, mas se um órgão para de funcionar
adequadamente, prejudicará a harmonia existente no
corpo, ocorrendo um desequilíbrio em todo o sistema.
Pode-se observar que para trabalhar em equipe ocorre a
interdependência entre os integrantes, sendo importante a
confiança e um bom relacionamento interpessoal.
Relações Humanas e
Trabalho em Equipe
Relações Humanas e
Trabalho em Equipe

Papéis – cada membro do grupo desempenha


diversos papéis conforme funções e atividades
e são esperados comportamentos compatíveis
com esses papéis.
Conflito de Papéis – quando há divergência
entre as expectativas e o papel
desempenhado
Relações Humanas e
Trabalho em Equipe
Fatores presentes na interação das equipes:

Conflito: pode surgir quando os grupos


procuram explorar outros grupos ou
pessoas, quando há fofocas, boatos, estilos
diferentes de personalidade, objetivos
diferentes, busca de poder.
Relações Humanas e
Trabalho em Equipe
Conseqüências do Conflito:

Positivas: rompimento do equilíbrio da rotina,


desafia acomodação de idéias, estimula solução
de forma criativa e outros.

Negativas: quando não se busca soluções e há


interferência nas relações e na concretização
dos objetivos da equipe
Forças que Restringem: Forças que
Impulsionam:
• Vaidade
• Apatia • Empatia
• Dependência • Motivação
• Timidez • Iniciativa
• Manipulação • Competência
• Apoio
 EMPATIA colocar-se no lugar do outro e
entender os motivos que o levaram a agir de
determinada maneira.

 Facilita o diálogo entre as partes para a


resolução do conflito;
 Um julgamento mais justo, sem tanta influência
dos nossos valores individuais;
 Postura flexível, dando possibilidades ao outro
de expressar o que pensa;
 A clareza de que as PESSOAS são diferentes e
únicas;
 Aceitação do FEEDBACK.
Processo de Crescimento e
Integração da Equipe
Podemos observar o crescimento e maturidade
de uma equipe quando existe :

✓ Comprometimento e Responsabilidade

✓ Comunicação entre os membros do grupo;

✓ Liberdade para que todos expressem suas


necessidades, medos, idéias;
Processo de Crescimento e
Integração da Equipe
✓ Persistência nos objetivos
✓ Aceitação de novas pessoas ao grupo
✓ Confiança
✓ Integração satisfatória dos objetivos individuais
✓ Educação entre os membros do grupo
✓ Cooperação
HORA
DO FILME
 O termo assertividade origina-se de asserção.
Fazer asserções quer dizer afirmar, do latim
afirmare, tornar firme, consolidar, declarar
com firmeza... (Martins, 2005)

 Assertividade é o comportamento honesto,


direto e respeitoso. Não é passivo, tampouco,
agressivo, mas expressa claramente a opinião
sobre os fatos, afirmando nosso “eu” sem
invadir o espaço alheio... (Gutierrez, 2010)
 Muitas vezes as pessoas preferem dizer “sim”
para o outro e “não” para si mesmo, o que
caracteriza o comportamento Passivo.

 No ambiente organizacional o funcionário


Passivo acredita que um “não” pode
desagradar as pessoas, e conseqüentemente
acarretar danos para sua carreira.
 A pessoa passiva permite que
constantemente seu espaço seja violado.

 O feedback negativo é praticamente um


crime, pois isso pode abalar sua aceitação e
seus relacionamentos.

 Pensa mais no outro do que em si mesmo, se


auto-agredindo constantemente.
 O sujeito agressivo é aquele que não respeita as
opiniões e comportamentos alheios, sempre tratando
oposições como ameaça e insubordinação.

 O “não” sempre é colocado de maneira autocrática e


inflexível.

 O feedback geralmente é negativo, destruindo


relacionamentos e comprometendo a estima do outro.

 Os opositores de suas idéias são visualizados como


inimigos, sempre transcendendo tais oposições para o
campo pessoal.
 Promove “chantagens emocionais” como
estratégia de conseguir seus objetivos
individuais.
◦ “Isso é o que eu penso – é um absurdo você pensar
diferente”.

◦ “Isso é o que eu sinto – seus sentimentos não importam”

◦ “Isso é o que eu quero – o que você quer não é


importante “

Frustrações acumuladas, medo latente e desejo de


vingança fomentam o comportamento agressivo.
 Comportamento Passivo RESULTADO: Pouquíssimo
respeito dos outros e autoflagelação constante, o que
desgasta a auto estima do sujeito.

 Comportamento Agressivo RESULTADO: As pessoas


passivas temem os agressivos, e no geral os
relacionamentos interpessoais não são sinceros.

 Comportamento Assertivo RESULTADO: Admiração e


respeito por sua postura justa, franca e democrática.
 Expressa seus sentimentos e opiniões de
concordância e discordância com
tranquilidade.

 Tem a humildade de pedir ajuda.

 Exerce com tranquilidade a autoridade.

 Defende-se com maturidade dos excessos de


poder.
✓Processo de transmissão de idéias, pelo qual os
seres humanos afetam os pensamentos, ações e
sentimentos

✓ Pode ser entendida como a ação de partilhar.


✓ Fazer-se entender e entender aos outros de
maneira que todos participem de uma mesma
idéia.
 Função da Comunicação

Aproximar, aumentar a igualdade e a interação


entre as pessoas, para que possam trabalhar
juntas e atingir objetivos comuns.

Podemos influenciar e sermos influenciados pelas


pessoas.
✓ Para haver eficácia na comunicação é necessário
que haja entrosamento e preocupação entre o
emissor e o receptor.

✓ O Emissor deve preocupar-se em saber se a


Pessoa com a qual está se comunicando,
conhece e entende a sua linguagem.
 Linguagem
Conjunto de símbolos ou códigos que permitem
expressão e o relato de experiências através da
troca de informações tanto verbais quanto não
verbais.

 Formas de Comunicação
Verbal Não Verbal Paraverbal
Barreiras da Comunicação
✓ Falta de conhecimento

✓ Erros de linguagem
✓ Tonalidade de voz inadequada

✓ Envolvimento Emocional

✓ Não checar se a mensagem foi recebida


✓ Suposição de que o receptor conhecer o assunto

✓ Competição que leva a um “diálogo de surdos”

✓ Sons diversos de máquinas, motores, vozes,


calor ou frio excessivo. (ruidos)
✓ Padrões Culturais,

✓ Nível de Expectativa
Melhoria na Eficácia da Comunicação
Por exemplo :

✓ Encontrar forma ou local adequado para


comunicar-se
✓ Ouvir atentamente
✓ Observar atentamente gestos, expressões
✓ Procurar conhecer as crenças e valores do
outro e respeitar
✓ Não fazer críticas destrutivas as formas de
comunicação do outro
✓ Procurar conhecer e entender as dificuldades do
outro.
✓ Procurar conhecer e comunicar-se na linguagem
do outro.
✓ Demonstrar sinceridade para que haja
credibilidade.
✓ Demonstrar coerência entre o discurso e a ação
 Pare de falar;
 Coloque-se no lugar de outra pessoa;
 Pergunte;
 Não seja apressado;
 Olhe para a outra pessoa;
 Demonstrar receptividade;
 Evite julgamentos precipitados.
NEGOCIAÇÃO
 Negociação é o processo de comunicação
com o propósito de atingir um acordo
agradável sobre diferentes ideias e
necessidades (Acuff, 1993)

 Negociação é o processo pelo qual as partes


se movem de suas posições iniciais
divergentes ate um ponto no qual o acordo
pode ser obtido (Steele et all 1989)
 Negociação é um negócio que pode afetar
profundamente qualquer tipo de
relacionamento humano e produzir benefícios
duradouros para todos os participantes.
(Nierenberg, 2001)

 A negociação esta incutida em todas as fases


do ser humano,e aprendemos negociar desde
muito cedo (Robbinson, 1996)
 Concentre-se efetivamente no objetivo da
negociação.

 Não envolva diferenças pessoais no objeto da


negociação.

 Quando se misturam as pessoas com o


problema, introduzem-se emoções e as
dificuldades de uma negociação interessante
diminuem sobremodo.
 Faça uma averiguação geral de quais interesses
básicos estão em concordância numa negociação.

 No que tange aos interesses conflitantes, procure


colimar o que cada lado pode ceder para
conseguir uma posição confortável.

 É comum que no inicio das negociações as


pessoas assumam posições rígidas, o que
atrapalha todo processo. Portanto procure
dissipar esta postura.
 Frequentemente pensa-se existir uma única
alternativa para a solução do problema e segue-
se somente neste sentido.

 É relevante utilizar algumas premissas


estratégicas e buscar com criatividade, mitigando
o comodismo soluções diferentes para os
interessados numa negociação.

 Portanto é fundamental encontrar o maior


número possível de soluções dentro de uma
negociação.
 O tempo todo deve-se buscar soluções que
proporcionem ganhos para ambos os lados.

 O padrão decisorial deve ser


justo, independente da vontade pura e
simples de qualquer das partes.

 Para isso pode-se adotar como indicadores:


Opinião especializada no assunto; um
costume para aquela negociação ou uma lei.
 Os lados inseridos no negócio não tem
interesse em chegar a soluções factíveis.

 Nesse contexto nenhuma aspecto é suficiente


importante para que se busque evitar o
conflito e a discórdia.

 Isso sempre leva os participantes a uma


negociação PERDE - PERDE.
 Abre-se mão do resultado em favor da
preservação do relacionamento.

 Um dos lados interessados na negociação


abri mão de suas necessidades para evitar um
conflito.

 Esse tipo de negociação fatalmente levará a


um sistema GANHA - PERDE
 Trata-se do caso em que o negociador busca
ganhar a qualquer custo.

 O egocentrismo é a palavra chave neste tipo


de estratégia.

 Geralmente o resultado deste tipo de


negociação é o GANHA-PERDE.
 Neste contexto os negociadores sobrepujam
as diferenças pessoais e qualquer atitude
egocêntrica ou de passividade com foco no
êxito da negociação.

 Prioriza-se tanto o relacionamento quanto os


resultados, encaminhando a negociação para
satisfazer os dois lados.

 Neste caso a negociação é conduzida para


um GANHA-GANHA.
 Serão exibidos 02 vídeos sobre algumas
negociações.

 Os membros serão divididos em quatro


grupos e farão uma análise CRÍTICA destes
vídeos, detectando as posturas dos
interessados na negociação (OBSERVADAS
NESTA AULA), bem como mencionando
aspectos que poderiam ser trabalhados para
o êxito de tais negociações.

 Facilitador e grupo discutem soluções.


 LAURENT,Louis. Como conduzir discussões e
negociações. São Paulo: Nobel, 1991

 MARTINELLI, Dante P.; ALMEIDA, Ana Paula de.


Negociação e solução de conflitos: do impasse
ao ganha-ganha através do melhor estilo. São
Paulo: Atlas, 2009