Você está na página 1de 2

¨Estou mais do que convencido de que o caminho da vida só continua onde está o fluxo

natural. Mas nenhuma energia é produzida onde não houver tensão entre os contrários; por isso,
é preciso encontrar o oposto da atitude consciente...Mas o que é reprimido tem que se tornar
consciente para que se produza a tensão entre os contrários, sem o que a continuação do
movimento é impossível....É no oposto que se acende a chama da vida¨.

No fundo, a terapia só começa realmente quando o paciente vê quem lhe barra o


caminho não é mais pai e mãe, mas sim ele próprio, isto é, uma parte inconsciente de sua
personalidade que continua desempenhando o papel de pai e mãe. Por maior que seja a
utilidade deste conhecimento, ele é negativo, pois diz apenas: 'Reconheço que não são meus
pais que estão contra mim, mas eu mesmo'. Mas quem é que se opõe nele? Que parte
misteriosa de sua personalidade é essa que se escondeu por detrás das imagens de pai e mãe e
que, por tanto tempo, o fez acreditar que a origem do seu mal o atacou de fora? Esta parte é o
oposto da sua atitude consciente, não lhe dará sossego e o perturbará até que seja aceita'.

Toda coerção, desde a mais sútil sugestão, apenas produzem um obstáculo à vivência decisiva,
isto é, o estar só com o Si-mesmo, com a objetividade da alma ou como quer que a chamemos.
O paciente deve estar a sós para descobrir o que o suportar quando ele não está mais em
condições de se suportar a si mesmo. Somente essa experiência dar-lhe-á um alicerce
indestrutível.
Em Psicologia e alquimia volume 12 OC Jung parágrafo 32.

"A união com o Self não está somente no relacionamento entre homem e mulher,mas também em
muitos outros relacionamentos pessoais. A seita gnóstica dos peratas já pregava que "toda criatura escolhe suas
particularidades da substância primordial divina do mundo da água que forma o homem espiritualmente
perfeito",isto é do inconsciente e de seu impulso para a individuação. Elas se atraem "mais do que imã e o ferro".
Isso significa que as ligações com as outras pessoas são produzidas pelo Self e que a intensidade desse
relacionamento é regulada com muita precisão. Cada um reúne em torno de si a sua própria "família de almas":
um grupo de pessoas,unidas ou não por acaso ou por puras motivações egocêntricas,mas por interesses
espirituais mais essenciais e profundos - a individuação recíproca. Enquanto os relacionamentos apoiados em
projeções são caracterizados pelo fascínio e a dependência mágica,essa forma de relacionamento através do
Self tem em si algo rigorosamente objetivo,estranhamente supra pessoal. Ela transmite uma sensação de
"proximidade imediata e intemporal". A ligação sentimental habitual,diz Jung em outra parte,sempre contém
projeções que devem ser retiradas, a fim de se chegar a si mesmo e à objetividade... "A cognição objetiva está
por traz da interligação sentimental e parece ser o mistério central". Nesta esfera do Self se encontram os muitos
dos quais pertencemos,aqueles cujo coração nós tocamos e lá não reina a diferenciação,apenas a presença
imediata. Não existe processo de individuação em que ao mesmo tempo não cria esse tipo de interligação com o
próximo."
Marie Louise Von Franz.
O que na verdade é se render?

Temos

O que é medicina?

Perdão é medicina
Descansar é medicina
Meditação é medicina
Rir é medicina
Seu esporte favorito é medicina
Dançar quando ninguém está vendo é medicina
Sua arte é medicina
Comida é medicina
Água é medicina
Caminhar na natureza é medicina
Gentileza é medicina

O que estamos fazendo no nosso dia-a-dia pode ser a medicina que nos liberta ou a que nos
envenena. Todos os dias, você é quem escolhe.

O que você escolhe?

“Meu único desejo é uma fusão íntima com a natureza, e o único destino que quero é ter
vivido e trabalhado em harmonia com as suas leis.” Oscar-Claude Monet