Você está na página 1de 13

Olá, você sabia que é possível reduzir os acidentes de trabalho a ZERO? E que a ferramenta para o ajudar nesta missão custa menos que uma pizza? Acesse o link e descubra!

Acesse o link e descubra! https://go.hotmart.com/J14605895D Desde 18/08/2009 Nesta edição: 13 páginas Norminha

Desde 18/08/2009 Nesta edição:

13 páginas

Norminha

Revista Digital Semanal

Toda quinta-feira grátis no seu e-mail

Diretor Responsável: Maioli, WC - Comendador de Honra ao Mérito da SST - Mte 51/09860-8 - Ano 11 - 08 de agosto de 2019 - Nº 531

contato@norminha.net.br - assinatura@norminha.net.br www.norminha.net.br

 

ENETEST será nesta sexta

Aos

Profissionais de SST

Norminha, 08/08/2019

 

Norminha, 08/08/2019

tando técnicas e ferramentas comprova- das de mentoring e coaching dentro do mesmo relacionamento de

tando técnicas e ferramentas comprova- das de mentoring e coaching dentro do mesmo relacionamento de aprendiza-

O ENETEST - Encontro Estadual dos Técnicos de Segurança do Trabalho e comemoração ao dia do SESMT, pro- movido pelo SINTESP - Sindicato dos Técnicos de Segurança do Trabalho no Estado de São Paulo será realizado nes- ta sexta-feira, 09 de agosto de 2019 a partir das 9 horas no Auditório Vila Ma- ria, junto à ExpoProteção, no Expo Cen- ter Norte, São Paulo. O tema principal “Impacto das Alte- rações das Normas de SST” será apre- sentado por Joaquim Gomes Pereira, auditor fiscal do trabalho aposentado. Terá debate, sorteio de brindes e bolo em comemoração ao dia do SESMT. A participação será gratuita. Participe! N

Somos aproximadamente 600 mil profissionais, tais como Engenheiros, Técnicos, Médicos, Enfermeiros e Téc- nicos de Enfermagem do Trabalho. A categoria tem força própria; e uni- da, conseguirá fazer com que as NRs sejam atualizadas preservando a verda- deira prevenção de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho! Acesse o site participa.br e participe identificando-se como profissional do ramo, cidade e estado, junto a sua pro- posta. Ou e-mail: cprt@cbic.org.br Lembrando que temos até o dia 30 para sugerir alterações nas NRs 04, 05 e 18. N

gem. Este método é aplicável e ada- ptável a qualquer sistema de gestão já existente. O treinamento será dividido em cin- co módulos (veja imagem ao lado). To- dos liberados dentro do mês de agosto. 100% online para você assistir quando e quantas vezes desejar. Vale ressaltar que será utilizada uma excelente ferramenta norte americana chamada C-VAT Valores Pessoais, que irá despertar em você muitos insights

Pessoais, que irá despertar em você muitos insights para uma nova gestão de SSMA, centra- da

para uma nova gestão de SSMA, centra- da em pessoas.

 

treinamento será realizado pelo

Eng. de Segurança do Trabalho, Alan Silvério - Trainer de Desenvolvimento Humano e Inovação. Coach e Mentor. Esteja preparado! Seja um líder de impacto!

O

SINTESP recadastra técnicos na Expo

SINTESP recadastra técnicos na Expo

As

vagas são limitadas.

CLIQUE AQUI ou acesse o link e compre agora mesmo!

OBS: Adquirindo o Programa Men- tor - Coach Conect SSM você estará co- laborando com a sustentabilidade de Norminha. Grato. N

Centenas de visitantes passaram no Estande do Sintesp na Feira Expo Proteção nesta Quarta-Feira, onde está sendo feito o recadastramento Nacional dos Técnicos de Segurança. Na foto os Diretores da Fenatest Heitor, Marcos, Armando e Salva- dor. N

 
 
 

Desenvolvimento de Líderes de Impacto em SSMA

Norminha, 08/08/2019

Você provavelmente tem buscado algum diferencial, talvez alguma vanta- gem competitiva para alcançar resulta- dos extraordinários na gestão de segu- rança. Já chegou à conclusão que uma gestão forte não está alicerçada sim- plesmente em conformidades legais e normativas. Talvez os seus resultados sejam semelhantes a uma montanha russa, completamente voláteis. Você deve estar vivenciando horas e mais horas de treinamentos internos e exter- nos, além das consultorias e interminá- veis reuniões, que também não surti- ram os efeitos esperados.

reuniões, que também não surti- ram os efeitos esperados. Se você se identificou com pelo me-

Se você se identificou com pelo me- nos um dos exemplos acima, e entende que a excelência operacional e de segu- rança acontecem somente através de relacionamentos estruturados entre li- derança e funcionários, gostaria de te a- presentar uma solução. O treinamento Mentor - Coach Con- nect SSMA foi desenvolvido especial- mente para você, com objetivo principal de desenvolver e aperfeiçoar habilida- des e competências de Mentoring e Co- aching, de profissionais e líderes de SS MA (Segurança do Trabalho, Saúde e Meio Ambiente). Também ensinará passo a passo, como desenvolver, implementar e man- ter um Programa de Desenvolvimento Organizacional - Mentor Coach, conec-

Retificações da NR 12 e NR 1 foram publicadas

Norminha, 08/08/2019

O Ministério da Economia, por meio da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, publicou no dia 5 de agosto, no Diário Oficial da União, as retifica- ções das portarias publicadas na sema- na passada que apresentam os novos textos da NR 1 (Disposições Gerais) e NR 12 (Segurança no Trabalho em Má- quinas e Equipamentos). Referente a Portaria nº 915, de 30 de julho de 2019, que destaca a NR 1, a- presentou-se mudanças em trechos dos textos do Anexo I e II. Já, na Por-taria nº 916, de 30 de julho de 2019, alterou-se o texto dos itens gerais 12.3.1 e 12.7.8, além disto, houve mu-danças na redação de alguns itens nos Anexos III, IV, V, XI e XII. N

de alguns itens nos Anexos III, IV, V, XI e XII. N Distribuição gratuita. Permitido imprimir
de alguns itens nos Anexos III, IV, V, XI e XII. N Distribuição gratuita. Permitido imprimir
de alguns itens nos Anexos III, IV, V, XI e XII. N Distribuição gratuita. Permitido imprimir

Página 02/13 - Norminha - Nº 531 - 08/08/2019 - ANO 11 - DESDE 18/08/2009 - Diretor Responsável: Maioli, WC - Comendador de Honra ao Mérito da SST - Mte 51/09860

Nota Técnica 15/2019 marca o início da primeira fase da modernização do eSocial

o início da primeira fase da modernização do eSocial Modificações trazidas pela Nota Técnica trazem

Modificações trazidas pela Nota Técnica trazem simplificações para o sistema. Dentre as mudanças, estão a dispensa de informação de diversos eventos, campos e a flexibilização de regras.

Norminha, 08/08/2019

A Nota Técnica 15/2019 trouxe modificações à versão 2.5 do leiaute do eSocial. A v.2.5 (rev) do leiaute é pro- duto do trabalho de simplificação e mo- dernização do eSocial e foi criada como uma primeira fase no processo, con- forme divulgado. Diversas alterações que serão implementadas no novo sis- tema já serão implantadas desde logo, antecipando as mudanças. Como premissa, está a preservação da estrutura atual, com mudanças que não impactarão os desenvolvedores e usuários, mas já representam facilita- dores no processo de trabalho. A prin- cipal mudança é a alteração de diversos grupos e campos de "OC" (Obrigatórios na Condição) para "F" (Facultativos). É

o caso, por exemplo, do grupo {docu-

mentos} do evento de admissão (S- 2200). Na prática, o grupo não precisa mais ser preenchido, mesmo que o tra- balhador possua qualquer dos docu- mentos antes exigidos. Além dos diversos campos e grupos cujo preenchimento se tornou desne- cessário, eventos inteiros foram dis- pensados, conforme Nota Orientativa 19/2019. A partir desta versão revisada, não será mais necessário o envio dos seguintes eventos:

S-1300 - Contribuição Sindical Pa-

tronal;

S-2260 - Convocação para Trabalho

Intermitente;

S-2250 - Aviso Prévio S-1070 - Tabela de Processos Adm./Judiciais (dispensada quando a matéria do processo for autorização de trabalho de menor, dispensa de con-

tratação de PCD ou aprendiz, segurança

e saúde no trabalho, conversão de li-

cença saúde em acidente do trabalho. Será obrigatória apenas quando a maté- ria do processo for tributária, FGTS ou Contribuição Sindical). Houve, também, uma flexibilização na regra de afastamentos, inclusive fé- rias: será possível informar o fim de um afastamento antecipadamente, o que fa- cilita a organização do trabalho nos ca- sos de términos já conhecidos, como

licença maternidade. Embora esta Nota Técnica já traga diversas simplificações, ela não é o re- sultado final do trabalho de moderni- zação. Uma construção bem maior está em desenvolvimento pela equipe técni- ca e será divulgada assim que estiver consolidada.

ria patronal (desoneração de folha da Lei nº 12.546/11), e é enviado a cada fechamento de folha. Os dados cons-

cas padrão para qualquer empresa - as empresas poderão, se assim deseja- rem, utilizar a tabela padrão de rubricas do sistema, em vez de enviar o evento de rubricas (S-1010). Desta forma, a- lém de poder eliminar a etapa de ca- dastramento da sua tabela de rubricas,

tantes no evento passarão a constar do cadastro da empresa (evento S-1000) e em grupos específicos no próprio e- vento de fechamento da folha (S-1299).

-

S-1300 - Contribuição Sindical

terão mais segurança jurídica na ques- tão das incidências tributárias, uma vez que a tabela já traz as incidências de acordo com o entendimento dos entes. Mesmo as que optarem por utilizar a ta- bela própria terão a referência “oficial” sobre as incidências. Unificação de prazos para envio dos eventos - todos os eventos terão prazo unificado, coincidente com o prazo de fechamento da folha de pagamento, que foi prorrogado para o dia 15 do mês se- guinte, exceto eventos que produzem e-

A

segunda fase trará as seguintes

Patronal - as informações de contribui-

simplificações para o eSocial:

ção sindical eram previstas na RAIS. Como, a partir de agora, deixarão de

compor a RAIS, não serão necessárias

Eliminação completa dos seguintes eventos:

S-1030 - Tabela de Cargos/Empre-

gos Públicos - os dados referentes a cargos/empregos públicos serão inse- ridos diretamente no evento de admis-

-

para a substituição desta obrigação e, portanto, o evento perde sua função.

-

S-2221 - Exame Toxicológico do

Motorista Profissional - a portaria que

são, e de forma simplificada.

exigiu a informação referente ao exame

-

S-1040 - Tabela de Funções/Car-

toxicológico no CAGED será revogada

gos em Comissão - da mesma forma da tabela de cargos/empregos públicos, as funções serão informadas diretamente na admissão, quando for o caso, sendo desnecessário o trabalho em duplicida- de de criar um item de tabela para re- ferenciá-lo no evento de admissão.

sendo desnecessário o trabalho em duplicida- de de criar um item de tabela para re- ferenciá-lo

e, portanto, o evento perderá sua fun- ção.

-

S-2250 - Aviso Prévio - as infor-

feitos imediatos (admissão, CAT, afas- tamento que gera direito a auxílio-do- ença e desligamento por motivo que gera direito a saque do FGTS/seguro- desemprego).

que gera direito a auxílio-do- ença e desligamento por motivo que gera direito a saque do

mações do aviso prévio passarão a compor um grupo do próprio evento de desligamento (S-2299). Além de não ser necessário o envio de um evento a mais, todas as informações pertinentes ao desligamento serão informadas uma

única vez, sem prejuízo para os efeitos nos recolhimentos de contribuição pre- videnciária e FGTS.

-

S-2260 - Convocação para Traba-

lho Intermitente - uma vez que nenhu-

S-1050 - Tabela de Horários/Tur-

nos de Trabalho - a forma de informa- ção do horário de trabalho, em geral, era vista como um complicador, dada a pluralidade de situações possíveis. A solução encontrada foi informar apenas os dados necessários à substituição do registro do trabalhador em um campo texto descritivo diretamente no evento de admissão (S-2200), complementado por outros campos parametrizados.

-

ma obrigação será substituída com ba-

se neste evento, ele será excluído. As informações do contrato de trabalho intermitente já fazem parte do evento de admissão (S-2200) e as informações de remuneração já compõem o evento de remuneração (S-1200). Eliminação de mais de 500 campos do leiaute - além dos eventos elimina- dos, serão excluídos os campos cuja informação é considerada redundante,

Simplificação dos eventos de remu- neração (S-1200) e pagamentos (S- 1210) - as informações da folha de pa- gamento, que na versão atual, são des- membradas em dois eventos interde- pendentes - evento de remuneração (S- 1200) e de pagamento (S-1210) se- rão, a partir da implantação do novo sistema, informadas apenas no evento S-1200. O evento S-1210 será restrito à informação da data de pagamento e,

-

S-1060 - Tabela de Ambientes de

desnecessária para a substituição de

 

Trabalho - foi proposto que as informa- ções de exercício de atividade em am-

obrigações ou que já conste de base de dados já povoada. Eliminação do NIS (Número de Identificação Social) como identifica- ção do trabalhador - os trabalhadores serão identificados exclusivamente por CPF, não havendo referência a NIS (PIS, PASEP ou NIT), mitigando os pro- blemas na qualificação cadastral dos

trabalhadores, na rejeição de eventos

biente do próprio empregador ou de ter- ceiro não precisam constar de tabela (como dito, para evitar duplicidade de trabalho) e podem migrar para o evento S-2240 - Condições Ambientais do Trabalho - Fatores de Risco que, por sua vez, também será simplificado.

S-1080 - Tabela de Operadores

-

Portuários - as informações constantes na tabela serão informadas como forma de Lotação Tributária. A medida racio- naliza a forma de prestação da informa- ção, evitando o envio de mais um e- vento com informações já abrangidas pela Lotação Tributária.

S-1280 - Informações Comple-

-

por alteração do NIS ao longo do con- trato de trabalho e no recebimento de benefícios previdenciários e de FGTS por problemas cadastrais do trabalha- dor. Eliminação de informações de ban- co de horas - serão eliminadas as natu-

rezas de rubrica de crédito e débito de

mentares aos Eventos Periódicos - esse evento traz informações referentes à su- bstituição da contribuição previdenciá-

banco de horas, e o controle deixará de ser informado no eSocial. Disponibilização de tabela de rubri-

quando houver, ajuste nos valores de retenção de imposto de renda ou pen- são alimentícia. Não exigência de dados já cons- tantes em outras bases - algumas in- formações foram consideradas redun- dantes, por já constarem em bases de dados do governo, como a razão social da empresa e as alíquotas FAP e RAT. Assim, os dados não serão solicitados ao usuário (salvo quando houver modi- ficação individualizada - um caso de processo judicial que altere FAP/RAT, por exemplo). Simplificação das informações de Segurança e Saúde no Trabalho - SST - além da redução do número de eventos de SST de seis para quatro, os eventos que serão mantidos sofrerão uma sim- plificação robusta. Foram mantidas as informações necessárias apenas para a substituição da Comunicação de Aci- dente de Trabalho - CAT e Perfil Profis- siográfico Previdenciário - PPP. A tabe- la de riscos, que antes possuía mais de 1200 itens, será reduzida para algo em torno de 300. Implantação do módulo Web Sim- plificado para micro e pequenas em- presas - será disponibilizado um módu- lo simplificado para ME e EPP, nos mesmos moldes dos módulos Empre- gador Doméstico, MEI e Segurado Es- pecial. Os módulos simplificados pas- sarão a contar com ferramentas de au- xílio na inserção dos dados e auto- matizações, de forma a apoiar o usuário, facilitando o cumprimento das suas o- brigações.

N

o cumprimento das suas o- brigações. N Portal eSocial Distribuição gratuita. Permitido imprimir no formato A3
o cumprimento das suas o- brigações. N Portal eSocial Distribuição gratuita. Permitido imprimir no formato A3

Página 03/13 - Norminha - Nº 531 - 08/08/2019 - ANO 11 - DESDE 18/08/2009 - Diretor Responsável: Maioli, WC - Comendador de Honra ao Mérito da SST - Mte 51/09860

Engenheiro destaca a importância da análise de acidentes

Engenheiro destaca a importância da análise de acidentes Metodologia promove a prevenção de acidentes e doenças

Metodologia promove a prevenção de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho

Norminha, 08/08/2019

Por Fundacentro/ACS - Débora Maria Santo A Fundacentro (Centro Estadual do Rio Grande do Sul) convida o engenheiro de segurança do trabalho Álvaro Cesar Ruas, da Fundacentro de Campinas, para ministrar o curso Aportes para A- nálise de Acidentes do Trabalho. O cur- so está inserido na proposta dentro do sistema de Gestão de Projeto e Ativida- des, coordenado pela pesquisadora Maria Muccillo, do CERS, para atender as demandas que se referem à análise de Acidente de Trabalho (AT), as quais foram observadas durante as visitas técnicas e acesso a documentação for- necida pela empresa. Além disso, Maria destaca que as a- nálises de AT são realizadas sem meto- dologia e, isto, dificulta chegar às cau- sas básicas e na elaboração de planos

de intervenção desses acidentes. Álvaro Ruas em sua aula aborda conteúdos que englobaram gestão da produção versus gestão de SST, bem como análise em uma visão sistêmica e método da árvore de causas. O acidente de trabalho, como foi explicado pelo docente, é a ocorrência não planejada que resulta em dano à saúde ou inte- gridade física do trabalhador. Ruas também informa a importância de reduzir os riscos e proteger vidas, para isso é fundamental que os dis- centes saibam o que pode ocorrer em um sistema produtivo. Compreenden- do, assim, os riscos e a forma de efetuar boas práticas de análises. Como tam-

e a forma de efetuar boas práticas de análises. Como tam- bém seguir as normas de

bém seguir as normas de segurança e saúde no trabalho, implantar sistemas de gestão e promover condições de tra- balho digno. De acordo com o Guia de Análise de Acidente do Trabalho, os acidentes e doenças relacionadas ao trabalho cau- sam sofrimento e problemas para as pessoas e, também, para a empresa, sobretudo no que tange custo elevado para o empregador e para a sociedade. Segundo dados do Observatório Di- gital de Saúde e Segurança do Traba- lho, de 2012 a 2018, o Brasil registrou 16.455 mortes e 4.5 milhões acidentes. Além disso, no mesmo período, foram gastos R$79 bilhões (setenta e nove

mesmo período, foram gastos R$79 bilhões (setenta e nove bilhões) da Previdência com Benefícios Acidentários.

bilhões) da Previdência com Benefícios Acidentários. Foram perdidos 351.7 milhões dias de trabalho com afasta- mentos previdenciários e acidentários. É importante salientar que o acidente

e o incidente de trabalho, embora sejam

quase parecidos por se tratarem de o- corrências de eventos durante a jornada de trabalho, o incidente se diferencia por não ser totalmente prejudicial. No entanto, o servidor observa que algumas alterações como substituição do operador de uma máquina por traba- lhador sem experiência, improvisação, supressão de procedimentos, avaria ou retirada da proteção de uma máquina, matéria prima e peça ou máquina com

supressão de procedimentos, avaria ou retirada da proteção de uma máquina, matéria prima e peça ou
de uma máquina, matéria prima e peça ou máquina com Engenheiro destaca a importância da análise

Engenheiro destaca a importância da análise de acidentes

defeito são algumas das ferramentas para desencadear acidentes e doenças relacionadas ao trabalho.

A Fundacentro instalada de norte a

sul do país tem como missão promover ações e atividades que possibilitem im- plantar a cultura de segurança e saúde no trabalho. Por esta razão, Álvaro Ruas informa que a gestão de SST é um investimento para o empregador, pois atua na prevenção de acidentes de tra- balho, no bem estar coletivo. Principal- mente, na diminuição de gastos com ações trabalhistas, pagamentos de in- denização e multas. Com relação ao método de árvore de causas, o engenheiro informa que é preciso aplicar de forma eficaz a meto- dologia de análise de acidentes para que se possa apontar os futuros fatores causais de acidentes de trabalho. N

Entenda o impacto da reforma previdência na Aposentadoria especial dos médicos

Norminha, 08/08/2019

Por Andrea Martins*

A aposentadoria especial é o benefício concedido pela previdência social aos trabalhadores expostos a algum agente nocivo (ruído, calor, agentes químicos e biológicos) em seu ambiente laboral, permitindo que estas pessoas se apo- sentem após 15, 20 e 25 anos de con- tribuição, conforme o grau de nocivida- de do agente. Para os profissionais da área da saúde (médicos e enfermeiros, radiologistas, devido a exposição aos agentes biológicos), são exigidos 25 anos de contribuição. A vantagem deste benefício na legis- lação atual é o recebimento da renda sem a incidência de fator previdenciário e sem exigência de requisito etário. Dessa forma desde que o profissional complete 25 anos de trabalho na ativi- dade especial, em exposição ao agente biológico(bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários, vírus, entre ou- tros) nocivo a sua saúde e integridade física, terá este trabalhador direito ao benefício de aposentadoria especial com a renda calculada de 100% sobre a média de 80% dos maiores salários de contribuição realizados a partir de

07/1994, independente da sua idade. Após a reforma , e a sua regula- mentação, teremos duas importantes alterações:

O acréscimo de um novo requisito, o

sistema de pontos, que envolve a soma da idade e do tempo de contribuição, para os segurados que desejarem re- querer uma aposentadoria especial será 86 pontos, obtidos através da soma do

tempo de contribuição e a idade inclu- indo as frações (meses e dias), e a partir de 1º de janeiro de 2020, as pontuações serão acrescidas de um ponto a cada ano para o homem e para a mulher, até atingir, noventa e nove pontos, para ambos os sexos.

E a alteração da fórmula utilizada no

calculo da renda, o qual passará a ser calculado com a média aritmética de todos os salários de contribuição de 07/94, mais 2% para cada ano que ex- ceder os 20 anos trabalhados, dessa forma, um médico após 25 anos de trabalho na nova regra teria direito a um benefício de 70%( soma dos 60% da renda pelos 20 anos somados e mais 10% devido aos 5 anos [dos 21 aos 25] anos de trabalho na atividade), com uma redução na renda final de 30%, pa

ra o mesmo tempo contribuído na legis- lação atual. Outro prejuízo trazido pela Reforma como se apresenta até esta data, é a ve-

dação após a promulgação da Emenda Constitucional da conversão do tempo especial em comum, isto é, da bonifi- cação do tempo de exercício de ativi- dade especial quando convertido em tempo comum. Atualmente esse pro- cesso garante um acréscimo de 20% para as mulheres e 40% para os ho- mens, dessa forma não terá mais o di- reito a contagem especial do tempo tra- balhado em ambiente insalubre quando este for utilizado para aposentadoria por tempo de contribuição. Contudo, mesmo sendo vantajoso tal benefício, alguns trabalhadores dei- xam de requerê-lo, por desconheci- mento sobre a sua existência e a forma de sua obtenção, ou devido ao impedi- mento da continuidade do exercício da atividade/profissão após a obtenção do benefício. Para se ter uma ideia, um profissio- nal que sempre ganhou mais que o teto da previdência, teria direito a uma apo- sentadoria especial no valor aproxima- do de R$5.600,00, que é o valor médio

recebido por segurados que ganham mais que o teto, com o valor líquido de R$4.060,00 após o desconto do IR, para se ter uma renda passiva do mesmo va- lor é necessário ter um aplicação na ca- derneta de poupança, de mais de R$1. 093.000,00, segundo o rendimento da caderneta de poupança em 06/2019 que foi de 0,3715. Com relação ao impedimento da continuidade do exercício da atividade insalubre, deve ser considerado incons-

titucional, pois, consiste em supressão do direito ao livre exercício do trabalho,

a qual é vedado pela Constituição Fede-

ral. Note-se que deve ser pleiteado o a- fastamento da incidência do art. 57, § 8º, da Lei nº8.213/91(este é o artigo que veda a continuidade na mesma ativi- dade que originou a aposentadoria es- pecial), sendo dessa forma solicitada junto ao Judiciário, sendo este o enten- dimento que vem sendo construído pe- rante os Tribunais Regionais Federais e no presente momento em discussão no STF, em sede de Repercussão Geral, sendo conhecido como Tema 709. Outra alteração que também afetará estes profissionais é a criação de faixas de alíquotas de contribuição para o se-

tor privado, onde a proposta é alterar para 7,5% para quem recebe até um salário mínimo, 9% para quem recebe até R$ 2.000,00, 12% para quem recebe até R$ 3.000,00 e 14% para quem rece-

be o teto da previdência (R$ 5.839,45).

E, o que é necessário para obtenção

deste benefício? Apresentar no ato do requerimento de aposentadoria especial todos documentos que comprovem a exposição aos agentes biológicos, o fa- moso formulário PPP-Perfil Profissio- gráfico Previdenciário, o qual deve o empregador, com base no registro am- biental da empresa, Laudo Técnico das Condições do Ambiente de Trabalho (LTCAT), Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) e Programa

de Controle Médico de Saúde Ocupa- cional (PCSMO).

de Controle Médico de Saúde Ocupa- cional (PCSMO). Andrea Martins - Advocagada

Andrea Martins - Advocagada andrea@andreamartinsadvogados.com.br

Martins - Advocagada andrea@andreamartinsadvogados.com.br Distribuição gratuita. Permitido imprimir no formato A3

Página 04/13 - Norminha - Nº 531 - 08/08/2019 - ANO 11 - DESDE 18/08/2009 - Diretor Responsável: Maioli, WC - Comendador de Honra ao Mérito da SST - Mte 51/09860

Será que tenho direito ao Seguro-Desemprego?

Norminha, 08/08/2019

O Seguro-Desemprego é um benefício que oferece auxílio em dinheiro por um tempo determinado, podendo variar de

3 (três) a 5 (cinco) parcelas, sendo rea- lizado de forma contínua ou alternada, dependendo do tempo trabalhado.

O prazo para requerer o benefício

pode variar de acordo com o tipo do trabalhador. O empregado formal (a- quele que tem Carteira de Trabalho as- sinada) tem o prazo de 7 a 120 dias contados da data de dispensa. No que

diz respeito ao empregado doméstico, o prazo é de 7 a 90 dias contados da data de dispensa.

As condições para que o trabalhador

formal receba o benefício são:

a) ter sido dispensado sem justa

causa;

b) estar desempregado;

c) não possuir renda própria para o

seu sustento e de sua família;

d) não estar recebendo nenhum be-

nefício previdenciário de prestação continuada, salvo auxílio-acidente e

de prestação continuada, salvo auxílio-acidente e pensão por morte; de FGTS;     d) estar
pensão por morte;

pensão por morte;

de FGTS;

 
 

d)

estar inscrito como Contribuinte

Individual da Previdência Social, com

pelo menos 15 contribuições ao INSS;

 

e)

não possuir renda própria para o

seu sustento e de sua família; f) não estar recebendo nenhum be- nefício previdenciário de prestação

e)

ter recebido salários relativos a

con-tinuada, salvo auxílio-acidente e pensão por morte. Vale lembrar, que o valor das par- celas do benefício para o trabalhador formal é a média dos salários dos últimos 3 meses anteriores à dispensa,

já para o empregado doméstico, o valor

pelo menos 12 meses nos últimos 18 meses imediatamente anteriores à data de dispensa (na 1ª solicitação); 9 me- ses nos últimos 12 meses imediata- mente anteriores à data de dispensa (na 2ª solicitação); e cada um dos 6 meses nas demais solicitações imediatamente

Norminha, 08/08/2019

Entre 01/08/19 e 01/09/19, todos os municípios brasileiros com população superior a 20 mil habitantes poderão se inscrever gratuitamente no edital Cidade+Recicleiros. A segunda edição do edital, uma parceria entre o Instituto

é

de 1 salário mínimo.

anteriores à data de dispensa (a partir da 3ª solicitação). As condições para que o empregado doméstico receba o benefício são:

trabalhador pode solicitar o bene-

fício nas Superintendências Regionais do Trabalho, SINE e postos credencia- dos pelo Ministério do Trabalho. N Fonte: www.caixa.gov.br

O

Recicleiros e a empresa SIG Combi- bloc, contemplará até 12 cidades com assessoria técnica especializada para o desenvolvimento e implantação de seus programas de coleta seletiva de resí- duos. As cidades que se destacarem nessa fase poderão ainda receber Unidades de Processamento de Materiais Reciclá- veis (UPMR), assessoria técnica de lon- go prazo, campanhas de conscientiza- ção para os moradores, e os recursos necessários para que os Programas de Coleta Seletiva funcionem de forma qualificada, independente, sustentável e economicamente viável. O objetivo é contribuir para o avanço da coleta seletiva e reciclagem de resí- duos pós-consumo em todo Brasil, por meio da implementação e disseminação

modelos inovadores e de alta eficiên-

de

a)

ter sido dispensado sem justa

causa;

Paulo Chacon Especialista em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho

b)

ter trabalhado pelo período míni-

mo de 15 meses nos últimos 24 meses antes da dispensa;

 

c) ter pelo menos 15 recolhimentos

 
 

so, Luiz Fux, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Alexandre de Moraes. Ficaram vencidos os ministros Marco Aurélio Mello, Edson Fachin, Ricardo Lewan- dowski, Cármen Lúcia e Rosa Weber. Ao final do julgamento, os ministros estabeleceram uma tese de repercussão geral, que deve servir de parâmetro para todos os casos similares na Justiça, se-

estabeleceram uma tese de repercussão geral, que deve servir de parâmetro para todos os casos similares

cia em algumas regiões, pois para vem-

mo acolher o recurso da fundação. N

gundo a qual deve ser observada a ati- vidade exercida por qualquer fundação para se definir se a entidade está sujeita aos regimes de direito público ou priva- do.

No caso concreto, foi negada a es- tabilidade a um empregado que foi de- mitido sem justa causa em 2005, após mais de 20 anos na Padre Anchieta. Ele havia conseguido a reintegração no Tri- bunal Superior do Trabalho, decisão que ficou agora revertida após o Supre-

26º Encontro

Brasileiro de Higienistas Ocupacionais

26º Encontro Brasileiro de Higienistas Ocupacionais Norminha, 08/08/2019

Norminha, 08/08/2019

cer o desafio do lixo em nível nacional é preciso começar localmente.

Coleta seletiva Erich Burger, sócio fundador da ON

Recicleiros, ressalta que as cidades

não têm custo para receber e imple- mentar o Programa. "O compromisso dos municípios será com a regula- mentação da coleta seletiva por meio do plano que desenvolveremos em parce- ria com a administração municipal, e a realização da coleta e transporte dos re- síduos descartados até a Unidade de

G

 

Processamento de Materiais Reciclá- veis. Burger também explica a origem dos recursos financeiros necessários ao sucesso da iniciativa. "Eles vêm de um fundo formado pelo Instituto Recicleiros

A Associação Brasileira de Higienistas Ocupacionais (ABHO) está organizando

o

26º Encontro Brasileiro de Higienistas

Ocupacionais e o 13º Congresso Brasi- leiro de Higiene Ocupacional e a Feira

Ocupacionais e o 13º Congresso Brasi- leiro de Higiene Ocupacional e a Feira

de Produtos e Serviços de Higiene Ocu- pacional. Realizados, simultaneamente, entre os dias 19 a 21 de agosto de 2019 em São Paulo SP, no Hotel Holiday Inn Parque Anhembi, localizado na Rua Prof Milton Rodrigues n° 100, Parque Anhembi, SP.

 

O

tema abordado será: Novas Fron-

teiras para a Higiene Ocupacional Aos 25 Anos da ABHO e do PPRA. Higienistas ocupacionais brasileiros

e

estrangeiros estarão presentes.

Além das palestras e conferências, serão oferecidos cursos de atualização em temas de Higiene Ocupacional e a Feira de Produtos e Serviços. N Inscrições:

 

Edital Cidade+Recicleiros abre inscrições para municípios mudarem a realidade do lixo

com recursos captados em diversas

fontes, como empresas que investem no Cidade+Recicleiros para cumprir com as metas de Logística Reversa das em- balagens que colocam no mercado", ex- plica. Entre as mais de 700 empresas que

já aderiram ao Cidade+Recicleiros estão

BASF, Cargil, Royal Canin, Red Bull, Colgate Palmolive, Aurora, Mars, Gua- bí, Ceratti e JBS.

Colgate Palmolive, Aurora, Mars, Gua- bí, Ceratti e JBS. Os investimentos aportados no pro- grama Cidade+Recicleiros

Os investimentos aportados no pro-

grama Cidade+Recicleiros não são re- passados ao município, mas direciona- dos à implementação da UPMR (obras

e equipamentos); 60 meses de asses-

soria técnica e apoio à gestão do Pro- grama (prefeitura e cooperativa); forma- ção e capacitação de cooperativa de tra- balho para executar os serviços de se- paração, beneficiamento e destinação do material reciclável; e ações de comu- nicação para engajar e orientar a popu-

lação sobre o descarte seletivo. A sele- ção dos contemplados, baseada em cri- térios técnicos, será conduzida por um comitê de avaliação composto por es- pecialistas do Instituto Recicleiros e pe- los parceiros do edital. Etapas O edital Cidade+Recicleiros 2019 a- contecerá em quatro etapas vale lem- brar que a participação no edital é vo- luntária e gratuita, e não haverá cobran- ça de qualquer taxa antes, durante ou a- pós o processo de seleção:

• 01/08/19 a 01/09/2019 – Inscri- ções (formulário disponível em

• Até 20/09/2019 – Envio da docu-

mentação (obrigatória e complementar) em arquivos digitalizados os originais

deverão ser enviados ao Instituto caso o município seja selecionado;

• 30/09/2019 a 18/10/2019 – En-

trevistas e reuniões entre a equipe Reci- cleiros e o grupo de trabalho dos muni-

cípios pré-selecionados; • 28/10/2019 – Divulgação dos municípios contemplados e publicação da agenda de trabalho. Mais informações acesse o canal Ecowords: www.ecowords.com.br N

acesse o canal Ecowords: www.ecowords.com.br N Empregados da TV Cultura não têm estabilidade de servidor,

Empregados da TV Cultura não têm estabilidade de servidor, decide STF

Norminha, 08/08/2019

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (7), por 6 a 5, que os funcionários da Fundação Pa- dre Anchieta, que administra a TV Cul- tura, em São Paulo, não têm direito à mesma estabilidade no emprego garan- tida por dispositivo constitucional aos servidores públicos civis.

A maioria dos ministros entendeu

que a atividade exercida pela Padre An- chieta a promoção de atividades edu- cativas e culturais por meio de rádio, TV e outras mídias não é tipicamente es- tatal, motivo pela qual a fundação en- contra-se sujeita a um regime jurídico de direito privado, que não garante a estabilidade, mesmo que a instituição seja mantida com recursos públicos. Votaram nesse sentido os ministros Dias Toffoli, relator, Luís Roberto Barro

os ministros Dias Toffoli, relator, Luís Roberto Bar ro Distribuição gratuita. Permitido imprimir no formato A3

Página 05/13 - Norminha - Nº 531 - 08/08/2019 - ANO 11 - DESDE 18/08/2009 - Diretor Responsável: Maioli, WC - Comendador de Honra ao Mérito da SST - Mte 51/09860

RCE realiza Workshop da Segurança em Araçatuba, Bauru, Itapira e São José do Rio Preto

em Araçatuba, Bauru, Itapira e São José do Rio Preto     Norminha, 08/08/2019 A Renascer
 
   
 

Norminha, 08/08/2019

A Renascer Construções Elétricas que presta serviços para as concessionárias CPFL e Energisa no estado de São Pau- lo, realizou no mês de julho, mais um Workshop sobre Segurança no Traba- lho, envolvendo trabalhadores das regi- onais de Araçatuba, Bauru, Itapira e São José do Rio Preto.

de Araçatuba, Bauru, Itapira e São José do Rio Preto. O evento, voltado para a segurança

O evento, voltado para a segurança demostrou através do seu Diretor os in- vestimento na área de segurança com aquisição de novos veículos e equipa- mentos de última geração, palestras va- riadas com os profissionais de segu- rança e convidados das concessioná- rias de energia (CPFL e Energisa).

das concessioná- rias de energia (CPFL e Energisa). Após o almoço foi a vez do pales-
das concessioná- rias de energia (CPFL e Energisa). Após o almoço foi a vez do pales-
das concessioná- rias de energia (CPFL e Energisa). Após o almoço foi a vez do pales-

Após o almoço foi a vez do pales- trante e magico Jhungors abordando segurança sem truques. Todo este investimento foi voltado para a conscientização da importância do trabalho seguro no setor elétrico vi- sando o acidente Zero.

foi voltado para a conscientização da importância do trabalho seguro no setor elétrico vi- sando o
 
voltado para a conscientização da importância do trabalho seguro no setor elétrico vi- sando o acidente
voltado para a conscientização da importância do trabalho seguro no setor elétrico vi- sando o acidente
voltado para a conscientização da importância do trabalho seguro no setor elétrico vi- sando o acidente
voltado para a conscientização da importância do trabalho seguro no setor elétrico vi- sando o acidente
no setor elétrico vi- sando o acidente Zero.   Bauru (SP) Evento em Araçatuba (SP) Itapira

Bauru (SP)

Evento em Araçatuba (SP)

Zero.   Bauru (SP) Evento em Araçatuba (SP) Itapira (SP) São José do Rio Preto (SP)
Zero.   Bauru (SP) Evento em Araçatuba (SP) Itapira (SP) São José do Rio Preto (SP)
Zero.   Bauru (SP) Evento em Araçatuba (SP) Itapira (SP) São José do Rio Preto (SP)
Zero.   Bauru (SP) Evento em Araçatuba (SP) Itapira (SP) São José do Rio Preto (SP)

Itapira (SP)

  Bauru (SP) Evento em Araçatuba (SP) Itapira (SP) São José do Rio Preto (SP) Distribuição
  Bauru (SP) Evento em Araçatuba (SP) Itapira (SP) São José do Rio Preto (SP) Distribuição

São José do Rio Preto (SP)

em Araçatuba (SP) Itapira (SP) São José do Rio Preto (SP) Distribuição gratuita. Permitido imprimir no
em Araçatuba (SP) Itapira (SP) São José do Rio Preto (SP) Distribuição gratuita. Permitido imprimir no

Página 06/13 - Norminha - Nº 531 - 08/08/2019 - ANO 11 - DESDE 18/08/2009 - Diretor Responsável: Maioli, WC - Comendador de Honra ao Mérito da SST - Mte 51/09860

Área de tecnologia da informação deve crescer 10,5% em 2019

Mudanças na segurança do trabalho aumentam riscos para funcionários?

sam ser revistas e atualizadas, mas faz uma ressalva: "Não podemos desprote- ger o trabalhador, que é a parte mais

frágil da relação." Sem obrigação de novo treinamento Além da revogação da NR 2, duas

outras normas foram alteradas: NR 1 e NR 12. A primeira trata de regras gerais

de saúde e segurança no trabalho. Uma

das alterações retira a obrigatoriedade de que o trabalhador realize novo trei- namento ao mudar de emprego --desde

que permaneça na mesma atividade. Outra mudança na NR1 retira a obri- gatoriedade de microempresas e pe- quenas empresas que desempenham a-

tividades consideradas de baixo risco elaborarem programas de prevenção de riscos ambientais e de controle médico de saúde ocupacional. Robinson Leme relata que, num pri- meiro momento, a bancada dos traba- lhadores se opôs a essa alteração, mas foi vencida na negociação. "O MPT entende que seria impor-

tante manter como estava [a NR 1], mas, por uma decisão tripartite, essa al- teração foi aprovada", disse o procu- rador Osório. "Continua sendo uma norma que, se for bem observada, per- manecerá trazendo segurança para o trabalho em geral", afirmou. Segundo a Secretaria de Política E- conômica, ao longo de dez anos essa alteração gera uma economia de R$ 25 bilhões para a indústria e de R$ 1,5 bi- lhão para o setor comércio e serviços. Flexibilização no uso de máquinas

A NR 12 estabelecia alguns parâme-

tros para garantir a segurança de tra- balhadores e prevenir acidentes no uso de máquinas e equipamentos. Com a mudança, houve uma flexibi- lização para que a proteção seja de a- cordo com a avaliação de riscos de ca- da equipamento. De acordo com os cál- culos da Secretaria de Política Econô- mica, a redução de custos para o total da indústria poder chegar a R$ 43,3 bi- lhões em dez anos. "Ela [NR 12] continua sendo uma boa norma. Se for bem aplicada e fiscalizada, se for bem observada pelos empregadores continua sendo uma boa norma", disse Osório.

continua sendo uma boa norma", disse Osório. Proteção contra máquinas foi exi- gência de

Proteção contra máquinas foi exi- gência de trabalhadores

O professor Heleno Correa Filho, da

Faculdade de Ciências da Saúde, da Universidade de Brasília (UnB), lembra que essas regras foram resultado de reivindicações de sindicatos. "A NR 12, sobre o trabalho com má- quinas, só foi colocada em vigência de- pois que os movimentos sindicais dos trabalhadores metalúrgicos do ABC paulista e do interior de São Paulo re- clamaram de prensas, tornos e máqui- nas que arrancavam mãos e braços. E a reação dos trabalhadores foi exigir dos governos que protegessem o trabalho com normas." Continua na página abaixo 07/13

 

conhecimento técnico e trabalhar indi- vidualmente era suficiente. Hoje, é ne- cessário atuar de maneira mais estra- tégica e consultiva. Trabalhar em equi- pe e ser proativo são também pontos- chaves para ganhar destaque na car- reira”. O segmento também fomentou o crescimento do empreendedorismo no setor. “Para pequenas empresas, o cus- to/benefício de se ter um funcionário contratado para lidar com TI não é po- sitivo. Isso abriu precedentes para que os profissionais se tornassem peças- chave para o bom funcionamento das empresas e prestem serviços remota- mente ou com visitas esporádicas. Por- tanto, o avanço tecnológico permitiu que os regimes de CLT fossem quebra- dos para essa categoria”, explica Rena- ta.

Para quem deseja ingressar ou se a- primorar no universo da TI, o Senac Já- boticabal oferece opções como Forma- ção Editorial photoshop, Illustrator e InDesign; Introdução à Prática da Pro- gramação, Operador de Computador e Programador de Dispositivos Móveis. A unidade conta com laboratórios com- pletos com 26 máquinas e periféricos indispensáveis para a montagem de um equipamento completo, recursos ne- cessários para cursos de rede (Swith), avançada tecnologia de computadores Intel Core i7 3,40 ghz e com Windows 8.1 Enterprise. Mais informações sobre cursos, tur- mas disponíveis e estrutura, basta a- cessar o Portal Senac:

(www.sp.senac.br/jaboticabal) ou ir pessoalmente na unidade. N

Norminha, 08/08/2019 Luma Poletti

RESUMO DA NOTÍCIA

 

-

O governo anunciou pacote de mu-

danças de normas de saúde e segurança

do trabalho;

 

-

Especialistas discutem se as regras

eram só burocracia desnecessária ou realmente protegiam os trabalhadores;

 

-

Governo calcula que as alterações

podem render uma economia de R$ 68 bilhões em dez anos para as empresas;

 

-

Entre as mudanças, está o fim da

obrigatoriedade da inspeção de um es-

tabelecimento por um fiscal do trabalho antes mesmo de sua abertura;

modelos antigos, sistemas manuais e não digitais. Ou seja, é uma área pro- missora, com amplo campo de atuação e rentável para se ingressar”, explica. No entanto, Renata alerta que uma carreira de sucesso nessa área depende muito das constantes atualizações do profissional. “As empresas estão inves- tindo em sistemas de informação, ino- vações tecnológicas, aplicativos, banco de dados, entre outros. As demandas do mundo do trabalho mudam constante- mente e, para atendê-las, é preciso bus- car conhecimento contínuo, ser flexível, estar conectado com o universo digital e preparado para as oportunidades”, complementa.

 

-

Outra alteração foram os parâme-

tros para garantir a segurança de traba-

lhadores e prevenir acidentes no uso de máquinas e equipamentos. O governo anunciou seu primeiro pacote de mudanças de normas de saú- de e segurança do trabalho. As regras precisavam mesmo ser atualizadas? E- ram só burocracia desnecessária ou re- almente protegiam os trabalhadores? O governo calcula que as alterações po- dem render uma economia de R$ 68 bi- lhões em dez anos para as empresas. Veja o que dizem especialistas:

Norma existia, mas não era usada na prática Entre as mudanças anunciadas, está

Nas grandes corporações, as espe-

Nas grandes corporações, as espe-

a

revogação da Norma Regulamentado-

ra 2 (NR 2). Ela estabelecia a obrigato- riedade da inspeção de um estabeleci- mento por um fiscal do trabalho antes mesmo de sua abertura. Para o procura-

dor Leonardo Osório, do Ministério Pú- blico do Trabalho (MPT), a regra era re- levante, mas não vinha sendo observa- da.

cialidades mais procuradas e que estão em falta, de acordo com a docente, são habilidades em vídeos, em nuvem, mo- bilidade, Data Center e virtualização, Big Data, segurança cibernética, desen- volvimento de software, além da Inter- net das coisas, conceito que se refere à interconexão digital de objetos do dia a dia com a rede de computadores. A docente também ressalta que, no Brasil, a evolução da tecnologia modifi- cou os pré-requisitos básicos para tra- balhar na área. “Antigamente ter apenas

para tra- balhar na área. “Antigamente ter apenas "A norma era importante, mas ao mesmo tempo

"A norma era importante, mas ao mesmo tempo não tinha aplicabilidade, não acontecia esse tipo de atuação. Estou no MP há 13 anos, e nunca vimos

o

Ministério do Trabalho fazer essa ati-

vidade, porque ao longo dos anos a fis- calização do trabalho tem passado por uma

vidade, porque ao longo dos anos a fis- calização do trabalho tem passado por uma redução gradativa de sua mão de obra", disse o procurador. "Em que pese ela ser importante, ela já não era aplica- da. Existia de direito, mas não existia de fato."

O representante da bancada dos tra- balhadores na comissão que discute as alterações das normas, Robinson Leme, da Nova Central Sindical dos Trabalha-

 

Olá, você sabia que é possível reduzir os acidentes de trabalho a ZERO? E que a ferramenta para o ajudar nesta missão custa menos que uma pizza?

 
 

Acesse o link e descubra!

dores, concorda. "Isso daí não era feito mesmo, eles não fiscalizavam. Eu parti- cularmente não vi problema na revoga- ção da NR 2 porque o Ministério do Tra- balho não fiscalizava". Governo deveria fazer norma funcio-

nar

"Por que não se coloca pessoal para realizar a fiscalização, em vez de revogar

a

norma?", disse a psicóloga Vera Ro-

esler, especializada em psicologia do trabalho. "Quando você revoga a NR 2, você está dizendo: tudo é possível. Você po- de abrir um negócio em condições pre- cárias. Vira terra de ninguém, é o traba- lhador cada vez mais desprotegido", declarou.

   

Ela concorda que as normas preci-

    Ela concorda que as normas preci- A expectativa positiva torna o mercado mais atrativo

A expectativa positiva torna o mercado mais atrativo para os profissionais; especialista do Senac Jaboticabal comenta habilidades necessárias para trilhar carreira de sucesso

Norminha, 08/08/2019

No dia 15 de agosto, o universo da

tecnologia celebra o Dia da Informática.

A data remete à apresentação do pri-

meiro computador ao mundo, feita pe- los norte-americanos, em 1943, duran-

te a Segunda Guerra Mundial.

“Foi um dos starts para o desen- volvimento de uma das áreas mais pro- missoras na economia, a Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). As e- voluções ocorridas, desse momento em diante, impactaram nas relações inter- pessoais no mundo do trabalho e prin- cipalmente nas profissões”, afirma Re- nata Nanzer, docente da área de tec- nologia da informação do Senac Jabo- ticabal. O estudo IDC Predictions Brazil 2019, realizado pela IDC Brasil, líder em inteligência de mercado, serviços de consultoria e conferências com as

indústrias de Tecnologia da Informação

e Telecomunicações, mostra que os

investimentos em TIC devem crescer, este ano, 4,9%, refletindo o otimismo do mercado. O maior crescimento está

em tecnologia da informação, com 10, 5%, devido aos processos de transfor- mação digital. Segundo Renata, o cenário é positi-

vo para quem deseja ingressar no ramo.

“O mercado de TI foi pouco afetado pela

crise política e econômica que o Brasil atravessa. Além disso, vivemos conec- tados 24 horas por dia, o que gera de- manda suficiente para profissionais. A- té porque, dificilmente conseguimos encontrar empresas que trabalham com

conseguimos encontrar empresas que trabalham com Distribuição gratuita. Permitido imprimir no formato A3

Página 07/13 - Norminha - Nº 531 - 08/08/2019 - ANO 11 - DESDE 18/08/2009 - Diretor Responsável: Maioli, WC - Comendador de Honra ao Mérito da SST - Mte 51/09860

 

Continuação da pagina 06/13:

emprego e renda e assegure atingir o

Mudanças na segurança do trabalho aumentam riscos para funcionários? Brasil era campeão de acidentes de trabalho Ao todo, 36 Normas Reguladoras se aplicam a diferentes áreas e setores da economia. "Essas normas começaram a ser feitas na década de 1970, quando o Brasil foi denunciado internacional- mente por ser campeão em acidentes e mortes no trabalho", disse Correa Filho. Ele conta que as medidas foram criadas para dar uma resposta às denúncias in- ternacionais e como forma de atender a interesses econômicos. Governo diz que ideia é modernizar Quando a revisão da NR 1 começou a ser discutida, em junho, organizações

objetivo final de todo o sistema proteti- vo do trabalho: adotar medidas de pre- venção dos acidentes de trabalho".

  A pasta ressalta que as alterações da
 

A

pasta ressalta que as alterações da

NR 1 e da NR 12 e a revogação da NR 2

"foram aprovadas por consenso entre todos os representantes da comissão,

na qual a discussão técnica é realizada". "Certamente a revisão das NRs pro- vocará a ira de alguns que vendem difi- culdades e faturam alto sem nada pro- duzir de efetivo pela redução de aci- dentes. Reforçamos mais uma vez que estamos comprometidos com normas modernas e com a proteção do traba- lhador, e que não hesitaremos em fazer

que é tecnicamente correto", diz a no- ta.

o

como Associação Brasileira de Saúde Coletiva, Centro Brasileiro de Estudos

de Saúde e Federação Nacional dos Farmacêuticos condenaram a iniciativa de alterar e revogar NRs. "A eliminação da regulamentação do trabalho implica reestabelecer a selva- geria como regra na relação trabalhista dos setores de mineração, produção in- dustrial e serviços", diz a nota. Em nota, a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho disse que o ob- jetivo das mudanças é "alcançar um sistema normativo moderno, alinhado com os melhores padrões técnicos in- ternacionais, que favoreça a geração de

Procurada, a Confederação Nacional das Indústrias não quis se manifestar sobre as mudanças nas normas. Mais mudanças à vista

dicas importantes:

Evite a LER

Respeite a interjornada De acordo com a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), o trabalhador precisa de 11 horas consecutivas de descanso. Procure respeitar esse limite. Além de ser um direito seu, esse pode ser um bom momento para se desligar completamente dos assuntos do traba- lho. Aproveite pra dormir e relaxar.

esse pode ser um bom momento para se desligar completamente dos assuntos do traba- lho. Aproveite

Ler Lesão por Esforço Repetitivo

também é um velho conhecido das clí- nicas médicas do trabalho. Ela ocorre muito frequentemente em quem traba- lha com digitação ou trabalhos manu- ais. A Ler causa dores fortes e pode te impossibilitar de trabalhar definitiva- mente. Por isso, no decorrer do dia, fa- ça pausas e, nesses momentos, busque levantar, andar um pouco e alongar os músculos. Procure fazer isso ao menos duas vezes ao dia, com intervalos de 20 min cada parada.

A

Procure fazer isso ao menos duas vezes ao dia, com intervalos de 20 min cada parada.

Saúde de dentro para fora

 

O

governo planeja realizar mais mu-

danças nas normas de saúde e segu- rança do trabalho. No dia 31 de julho,

foi publicada no Diário Oficial da União

a

abertura de consulta pública para dis-

cutir as NR 4 e 5 e 18. Elas tratam de Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Traba- lho (Sesmt), Comissão Interna de Pre- venção de Acidentes (Cipa) e Condi- ções e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção. N Economia UOL

Se alimente bem

O

corpo humano precisa de com-

bustível. Se você ficar sem comer pode- rá perder rendimento, e isso não é algo

Olá, você sabia que é possível reduzir os acidentes de trabalho a ZERO? E que

Olá, você sabia que é possível reduzir os acidentes de trabalho a ZERO? E que a ferramenta para o ajudar nesta missão custa menos que uma pizza? Acesse o link e descubra!

que você queira. Beba bastante água e não deixe de ter um momento para um almoço ou lanche. Isso ajuda a aliviar a tensão diária. Observe a postura

ouviu falar em Dort? Os Distúr-

O

ambiente de trabalho acaba sendo

bios Osteomoleculares relacionados ao Trabalho são resultados de posturas inadequadas ou anti-ergonômicas, e eles são mais comuns do que se ima- gina. Portanto, procure se informar so- bre qual é a posição adequada para a atividade que você exerce. Se envolver um computador, verifique se o monitor está na altura dos olhos, se a cadeira está ajustada ao corpo, de forma a dei- xar a coluna ereta, e se os pés estão to- cando o chão.

uma extensão da vida das pessoas. Afi- nal, tem gente que passa mais tempo no trabalho, com os colegas, do que em casa, com familiares e amigos. São 8 horas, e em alguns casos, até 12 horas de convivência. Por isso, tente manter o clima de harmonia nesse local. Uma at- mosfera de tensão e conflitos pode afe- tar sua saúde. Busque estar disposta, procure uma atividade física, não leve seus problemas para o trabalho, e pro-

cure sempre agir com calma e educa- ção, ouvindo as pessoas e respeitando os seus espaços.

cure sempre agir com calma e educa- ção, ouvindo as pessoas e respeitando os seus espaços.
R$800,00 por pessoa em até 12X no cartão Ou pagamento antecipado até 10/08/2019 R$680,00 ou

R$800,00 por pessoa em até 12X no cartão Ou pagamento antecipado até 10/08/2019 R$680,00 ou no Cartão em até 12X

 

Sugira melhorias Uma informação importante: existe uma Norma Regulamentadora, a NR17 que trata justamente das condições am- bientais mínimas para gerar conforto e segurança ao trabalhador. Ela deve ser cumprida por todas as empresas, que podem aliar os cuidados com o am- biente: iluminação, temperatura, salu- bridade, mobiliário, ao da saúde: pos- tura, carga manual suportada, progra- mas de ginástica laboral. Portanto, fi- que atento. Se na sua empresa não tem funcionado, seja o primeiro a conversar com seu superior e sugira melhorias.

N

R$800,00 por pessoa em até 12X no cartão Ou pagamento até 10/08/2019 - R$600,00 De

R$800,00 por pessoa em até 12X no cartão Ou pagamento até 10/08/2019 - R$600,00 De 11 a 31/08 R$680,00 ou em até 12X Cartão

Saúde do trabalhador: dicas para uma rotina de trabalho saudável

Norminha, 08/08/2019

Você trabalha sentado em frente ao computador e, durante aquelas oito ho- ras do turno, não se levanta nem para ir ao banheiro? As horas passam e os seus olhos não saem da planilha, a pausa para o almoço acontece ali mes- mo no seu posto e a comida é consu- mida sobre o teclado? Então saiba que assim como você, essa também é a realidade de muitos trabalhadores brasileiros. Isso porque a intensa rotina de cobrança e a alta com- petitividade do mercado exigem cada vez mais deles. Sem falar na celeridade com que tudo acontece: uma realidade ditada pela instantaneidade da comuni- cação e das tecnologias da informação. Sim, a Era da Informação trouxe mais horas de trabalho e uma expecta- tiva de atendimento de demandas que, muitas vezes, se sobrepõe às capacida- des humanas. Só se esqueceram de programar o corpo para dar conta de tu- do isso ao mesmo tempo.

o corpo para dar conta de tu- do isso ao mesmo tempo. Felizmente ou infelizmente, a

Felizmente ou infelizmente, a má- quina humana não é como um sistema de computador, que se atualiza de a- cordo com a entrega. O tempo passa e os problemas de saúde decorrentes desse movimento começam a aparecer. E aos poucos e inevitavelmente, o cor- po e a mente logo dão sinais de que está na hora de rever seus hábitos no trabalho. Dados do Ministério do Trabalho e Emprego comprovam que entre 2009 e 2015 mais de 97 mil trabalhadores fo- ram aposentados por invalidez, em ra- zão de transtornos mentais e emocio- nais. Isso sem contar os afastamentos por questões físicas. E para evitar que você passe por isso, vamos a algumas

E para evitar que você passe por isso, vamos a algumas http://bit.ly/Adesão35diasgratís Distribuição gratuita.

Página 08/13 - Norminha - Nº 531 - 08/08/2019 - ANO 11 - DESDE 18/08/2009 - Diretor Responsável: Maioli, WC - Comendador de Honra ao Mérito da SST - Mte 51/09860

WC - Comendador de Honra ao Mérito da SST - Mte 51/09860   Também não é
 

Também não é aconselhável que o profissional “se meta” em outras fun- ções, pois deve estar totalmente focado

MRV já investiu R$ 120 milhões em obras de infraestrutura em 2019

dedicado em realizar o seu trabalho. Passar muito tempo longe do chão de fábrica Para um Profissional de SST da in- dústria, a fábrica é o ambiente de tra-

e

balho mais importante, pois é lá em que se concentram os maiores riscos e grande parte dos funcionários. A parte burocrática e documental também é importante, mas o Engenhei-

Construtora avança no investimento nas cidades onde atua, só no estado de São Paulo foram

Construtora avança no investimento nas cidades onde atua, só no estado de São Paulo foram R$ 43 milhões em infraestrutura

Norminha, 08/08/2019

Pelo quarto ano seguido a MRV bateu recorde de investimentos nas cidades de atuação em um mesmo período. O fechamento deste valor no primeiro se- mestre apontou R$ 120 milhões distri- buídos nas mais de 160 cidades brasi- leiras em que há operação da maior construtora da América Latina. Somente no estado de São Paulo foram investi-dos R$ 43 milhões. Este montante se refere a melhorias em ruas, parques, praças, construção e reformas de equipamentos públicos e infraestrutura urbana em geral, de acor- do com a demanda de cada município e acordos de contrapartida com as admi- nistrações locais por implantação de empreendimentos. As obras de urbanização são realiza- das juntamente com a construção dos condomínios para beneficiar não só os clientes como todos os moradores das regiões em que a MRV está presente. Estas melhorias promovem a infra- estrutura dos bairros, valorizam imó- veis e atividades econômicas de comér-

ro

ou Técnico de Segurança do Traba-

lho deve saber dosar o tempo que se

dedica ao escritório e ao chão de fábri- ca, pois é lá onde as coisas acontecem

e

sempre há necessidade de super-

visão. Não dar atenção à CIPA

Profissional de SST deve entender

que a CIPA (Comissão Interna de Pre-

O

 

lhe longe da exposição a Alta Tempera-

venção de Acidentes) é seu braço direi-

tura!

 

to

no ofício de suas funções. Conforme

 

Não se comunicar com a equipe

mencionado, segurança no trabalho

O

Profissional de SST está acostu-

é

um ramo complexo e que exige per-

mado a falar e chamar a atenção. Mas também deve saber ouvir, afinal de con- tas, uma comunicação completa só o- corre quando emissor e receptor da mensagem trocam informações. Em uma grande companhia, há mui- tos detalhes que podem passar desper- cebidos pelo Profissional de SST, então manter conversa constante com outros funcionários é fundamental. Pesquisas apontam que em alguns casos os tra- balhadores deixam de usar os Equipa- mentos de Proteção Individual pelo desconforto causado por eles. É impor-

tante, nesses casos, entender se a quei-

feccionismo na sua execução. Não cui- dar corretamente da CIPA ou deixar de ouvir suas opiniões pode comprometer

o

bom exercício da função.

opiniões pode comprometer o bom exercício da função. Levar uma vida desregrada Pode parecer um conselho

Levar uma vida desregrada Pode parecer um conselho careta ou invasivo, mas a verdade é que é impor- tante para a função que o Profissional

xa

é de um colaborador em particular ou

de SST tenha maior controle sobre sua própria vida, pelo menos durante seus dias úteis. Nas folgas, pode aproveitar como quiser. Mas durante a semana de

se

o produto comprado pela empresa

não é de qualidade inferior.

Se acomodar diante das dificuldades

 

A

complexidade e os desafios que a

trabalho, é aconselhável que não.

segurança no trabalho exige muitas ve-

 

A

razão para isso é simples: um tra-

cio e serviços. O diretor executivo de produção Homero Paiva destaca este investimento. “Construir de forma consciente é o nosso propósito. Quere- mos realizar o sonho da casa própria com uma habitação sustentável que transforme o mundo de todos, clientes e comunidade em geral”, explicou. N

zes desmotiva o Profissional, que passa

balhador que cuida da segurança de outros precisa estar impecável. É ne- cessário que tenha tido uma boa noite de sono e que esteja sempre bem de saúde, para que o cansaço e outros pro- blemas não atrapalhem nas verifica- ções.

de sono e que esteja sempre bem de saúde, para que o cansaço e outros pro-

a

ser menos criterioso nas verificações

e

em certas ocasiões chega a resumir

suas funções na entrega dos EPIs para

Alta Temperatura aos colegas. Caso se sinta desmotivado, é impor-

tantíssimo que o Engenheiro ou Técnico

de

Segurança do Trabalho procure a di-

reção para uma conversa. A situação precisa ser contornada, pois se trata de uma função na qual o operador deve estar permanentemente alerta e dispo- sto a realizar seu trabalho com eficiên- cia.

Desvalorizar o próprio trabalho

Olá, você sabia que é possível reduzir os acidentes de trabalho a ZERO? E que

Olá, você sabia que é possível reduzir os acidentes de trabalho a ZERO? E que a ferramenta para o ajudar nesta missão custa menos que uma pizza? Acesse o link e descubra!

Se o próprio Profissional não acre- dita na função que realiza, quem vai a- creditar? E em se tratando de segu- rança, esse é um erro que um Profis- sional de SST não pode cometer, pois não deve permitir que sua equipe mini- mize a importância dos protocolos e medidas que servem para sua própria proteção. Aceitar desvio de função ou se meter em trabalhos que não são de sua alçada

Não cuidar da própria segurança Esse erro tem certa ligação com o

primeiro da lista. Por ser treinado no assunto e estar atento aos colegas e ao ambiente em que trabalha, muitas vezes

o

Profissional de SST acaba esquecen-

do alguém: ele mesmo.

Talvez, por estar acostumado a cha- mar atenção dos outros, o Técnico ache que está por cima dessas falhas. Mas, como já foi dito, o excesso de confiança pode levar ao relaxamento e é aí que

 
 

A

carga horária do Profissional de

mora o perigo. De tanto cumprir certas tarefas no modo automático, vez por outra pode esquecer alguma medida de segurança. Portanto, atenção dobrada consigo mesmo, sempre!

SST, definida por lei, é de oito horas di- árias e é importante que seja obedecida.

O

Engenheiro de Segurança do Tra-

balho precisa respeitar seu tempo de

descanso para não comprometer suas capacidades no dia seguinte.

 

N

Conhece o IVO?

Norminha, 08/08/2019

Professor, não sei se o senhor lembra, mas faz alguns meses conversamos so- bre o uso de valores de limiar de odor como forma de complementar o contro- le para agentes químicos. Sim, meu filho lembro que disse não ser uma metodologia tão boa em função da variabilidade de percepção dos tra- balhadores expostos.

O senhor tem uma ótima memória,

foi exatamente o que você falou. Mas por que você está falando sobre isso? Fiquei pensando que o limiar de o- dor é um critério fácil, mas fiquei com medo de usar devido à questão da varia-

bilidade. No entanto, semana passada, lendo um material da Fundación Luis Fernández Velasco achei o Índice de Valoración Olfativa (IVO). Não conheço, como este índice pode ajudar?

O IVO relaciona o Limite de Percep-

ção Olfativa (LPO) dos agentes quími- cos com os seus limites de tolerância.

Por meio de um critério matemático in- dica quais temos mais facilidade de per- cepção daqueles em que o odor não se- ria um bom critério.

A equação a ser utilizada é a se- guinte:

Os principais erros que um Profissional de SST não pode cometer

erros que um Profissional de SST não pode cometer Norminha, 08/08/2019 Errar é humano, já diz

Norminha, 08/08/2019

Errar é humano, já diz o velho ditado. Seja na vida pessoal, na relação com outras pessoas ou mesmo no trabalho, todo mundo comete erros. Alguns tra- balhadores, no entanto, não podem se dar a esse luxo, pois lidam diretamente com a saúde e as vidas de colegas, e certos equívocos podem ter conse- quências graves. É nessa categoria que se encaixam os Profissionais de SST. Conheça os principais erros que um profissional não pode cometer se qui- ser ser um bom profissional. Acreditar que sabe tudo Um bom Engenheiro ou Técnico de Segurança do Trabalho deve ser sem- pre precavido e desconfiado. Precisa questionar tudo, inclusive a si mesmo, suas opiniões e suas certezas. Quem acha que sabe demais, muitas vezes re- laxa e baixa a guarda. Isso pode ser fatal em um ambiente de trabalho de alto risco. Também deve se levar em conta que

a segurança no trabalho é muito com- plexa. Além de se manter constante- mente atualizado, o Engenheiro de Se- gurança do Trabalho deve estar atento aos relatos, testemunhos e experiências de seus colegas.

aos relatos, testemunhos e experiências de seus colegas. Não conhecer a empresa onde tra- balha Consegue

Não conhecer a empresa onde tra-

balha Consegue imaginar um comandante que não conheça bem o seu avião? Não.

E é exatamente assim que deve ser o

Técnico de Segurança do Trabalho em uma empresa. Conhecer bem todos os setores, co- mo eles funcionam e quem trabalha na- quela função é fundamental para que os protocolos e medidas de segurança se- jam elaborados corretamente. A melhor forma de prevenir acidentes é sabendo onde e como eles podem acontecer. Além do mais, para determinar os EPIs mais indicados para cada função é preciso estar ciente dos procedimentos realizados pelos funcionários. Não dá para indicar um Capuz Forneiro, por e-

xemplo, para um colaborador que traba

IVO = 10 log (LT / LPO)

Onde:

LT = Limite de Tolerância LPO = Limite de Percepção Olfativa Com base no resultado irá agrupar os contaminantes em três grupos:

Primeiro Grupo: IVO > 5 (o LPO é confiável e avisa a presença do agente muito antes do trabalhador estar expos- to ao risco) Segundo Grupo: 0 > IVO > 5 (o LPO só irá avisar a presença do agente pou- co antes do trabalhador estar exposto ao risco) Terceiro Grupo: IVO < 0 (o LPO não é confiável e não avisa a presença do a- gente a tempo do trabalhador ser ex- posto ao risco). Vejamos um exemplo com o Triclo- roetileno (TLV = 10 ppm/ LPO =28 ppm) e o Tolueno (TLV= 50 ppm / UPO = 2,9 ppm). Após fazermos os cálculos obtere- mos o seguinte:

IVOTricloroetileno = 10 . log 10/28 = -

4,47

IVOTolueno = 10 . log 50/2,9 = 12,36 Ou seja, o IVO do Tricloroetileno é menor do que zero não sendo um bom critério utilizar o limiar de odor para sua percepção, diferente do Tolueno que possui IVO > 5. N Autor: Mário Sobral Júnior Engenheiro de Segurança do Trabalho Leia mais no SEGURITO 155

de Segurança do Trabalho Leia mais n o SEGURITO 155 Distribuição gratuita. Permitido imprimir no formato

Página 09/13 - Norminha - Nº 531 - 08/08/2019 - ANO 11 - DESDE 18/08/2009 - Diretor Responsável: Maioli, WC - Comendador de Honra ao Mérito da SST - Mte 51/09860

LTCAT e PPP podem reduzir o tempo para a aposentadoria

SST não é só obrigação de eSocial, é Necessidade Cultural!

não é só obrigação de eSocial, é Necessidade Cultural! Norminha, 08/08/2019 Quem exerce funções consideradas

Norminha, 08/08/2019

Quem exerce funções consideradas perigosas ou atua em ambientes noci- vos à saúde pode se aposentar com me- nos tempo de contribuição, se compa- rado a um trabalhador comum. A regra equivale para a chamada aposentadoria especial e necessita de comprovação da exposição contínua e ininterrupta a a- gentes nocivos ao longo da jornada de trabalho. São várias as ocupações que se en- quadram no regime de aposentadoria especial, a maioria possui um acentua- do nível de periculosidade ou é consi- derada insalubre pela CLT. No site da Secretaria do Trabalho, do Ministério

da Economia, é possível acessar a lista atual de critérios da NR 15, que trata exatamente sobre atividades e opera- ções insalubres. Quais os requisitos para pedir apo- sentadoria especial? No próprio site do INSS é possível encontrar uma lista com as exigências necessárias para redução do tempo de contribuição do trabalhador, mas sepa- ramos os principais requisitos para es- sa solicitação:

- 15, 20 ou 25 anos de contribuição, dependendo do caso, com exposição ao risco ou agente nocivo;

- exposição contínua e ininterrupta durante a jornada de trabalho;

- para fins de carência, mínimo de 180 meses de efetiva atividade;

- documentos que comprovem a ex-

posição a agentes nocivos: como o Per- fil Profissiográfico Previdenciário (PP P).

O que é e para que serve o PPP? É provável que você ainda não tenha ouvido falar no PPP, o Perfil Profissio- gráfico Previdenciário, mas ele é um documento fundamental para quem de- seja atribuir a condição de insalu- bridade à sua função e, com isso, re- duzir o tempo de serviço prestado. O PPP é um documento com o his- tórico laboral do trabalhador. Nele, es- tão contidas informações detalhadas sobre as atividades exercidas, os resul- tados de exames médicos, os registros de comunicação de acidente de trab- alho, entre outros dados de caráter ad- ministrativo. Segundo o artigo 271, da Instrução Normativa INSS/PRES nº 45, de 06 de agosto de 2010, o Perfil Profissiográ- fico Previdenciário serve para:

- comprovar as condições para ha-

bilitação de benefícios e serviços previ- denciários, em especial, o benefício de auxílio-doença;

- prover o trabalhador de meios de

prova produzidos pelo empregador pe- rante a Previdência Social, a outros ór-

 
  função do eSocial”, comentou o diretor. Assim, ainda que seja simplificado, ainda que mude, ainda

função do eSocial”, comentou o diretor. Assim, ainda que seja simplificado, ainda que mude, ainda que seja encer- rado com a nomenclatura atual (pois is- to é o máximo que vai acontecer, ou se- ja, o eSocial NÃO VAI acabar), este sis- tema não prevê dificultar a vida das empresas com obrigações a cumprir, mas sim facilitar o envio dos dados. Só que para isto ser, de fato, sim- ples, é preciso estar preparado. E este preparo tem um nome só: gestão. Gestão de SST não é adereço. Ela tem de estar diretamente atrelada à ges- tão dos negócios, de forma macro e bem compreendida. O Engenheiro informou, ainda, que é preciso haver uma conciliação de tare-

Norminha, 08/08/2019

Investir em Segurança e Saúde do Trabalho não deve ser uma obrigação para cumprir “o prazo do eSocial”, e

sim uma cultura de gestão, adotada pa- ra aplicar recursos diretamente à me- lhoria das condições de trabalho e das operações da empresa. Ambientes seguros e sadios, práti- cas em compliance, tudo isso reverte em mais produtividade e satisfação no âmbito corporativo.

gãos públicos e aos sindicatos, de for-

ma a garantir todo direito decorrente da relação de trabalho, seja ele individual, ou difuso e coletivo; - prover a empresa de meios de pro- va produzidos em tempo real, de modo

organizar e a individualizar as infor-

mações contidas em seus diversos se- tores ao longo dos anos, possibilitando que a empresa evite ações judiciais in- devidas relativas a seus trabalhadores;

possibilitar aos administradores

a

-

O

tema foi abordado pelo Engenhei-

fas e comprometimento por parte dos profissionais de Engenharia, Medicina e Segurança do Trabalho, para que a dis- puta médico x engenheiro encerre e, principalmente, para que ambos traba- lhem juntos na conscientização geral das organizações. “O ponto principal é ver a Segurança

Saúde do Trabalho como a fundação,

e

ro Rogério Balbinot, diretor da RSData,

públicos e privados acessos a bases de informações fidedignas, como fonte

em sua palestra na programação de Se- gurança e Saúde do Trabalho da Pre- vest, 30/07, na FIERGS, em Porto Ale- gre-RS. Segundo o Engenheiro, a questão não deve ser somente se preparar para o eSocial embora esta preparação se- ja, também, fundamental. Mas o ponto principal é: mudar a cultura de gestão de pessoas e ambientes, criar uma conscientização nos trabalhadores e nos gestores de que Segurança e Saúde do Trabalho não são “regras chatas” que você tem que seguir. Ao contrário, são recomendações, práticas, que têm de virar rotina, visando ao benefício de todos. “Se o eSocial é importante? Sim, claro que é. Mas devemos lembrar que trata-se de um sistema que somente simplifica a entrega das informações ao governo. A legislação a seguir é a mes- ma, e não sofre modificação alguma em

primária de informação estatística, para desenvolvimento de vigilância sanitária

epidemiológica, bem como definição de políticas em saúde coletiva.

e

Quem deve elaborar o PPP?

Quem deve elaborar o PPP?

o

alicerce, de um ambiente de trabalho

favorável. Vamos fazer uma analogia: ao comprar um apartamento, você olha pri- meiro a localização, iluminação, venti- lação, ou a fundação e estudo do solo?”, comentou. “Se sua resposta foram os primeiros itens, e a da maioria é assim, saiba que você estará assumindo um risco. O apartamento pode ser lindo, o sonho da sua vida… e depois virar um pesadelo como o Palace II (quem não lembra do desastre com os prédios do condomínio carioca que ruíram por falta de condições estruturais na década de 90, deixando dezenas de famílias a ver

navios?)”, complementou.

Está previsto em lei a necessidade de qualquer empresa, independente do

número de funcionários, que exerça ati-

vidades insalubres deve elaborar e for- necer o PPP ao trabalhador, no ato da rescisão do contrato de trabalho, sob

pena da multa prevista no art. 283. Além do mais, os dados fornecidos

durante o preenchimento do PPP de- vem estar de acordo com a realidade

 

das condições de trabalho na empresa,

implicando em notificações por parte da Previdência Social em caso de descum- primento ou falsidade dos dados apre- sentados.

O roubo de 718,9 kg de ouro por criminosos no Aeroporto Internacional de São Paulo repercutiu em todo mun- do, sendo considerado um “roubo es- petacular” e especulado como um dos maiores do mundo. Dois minutos e

meio foi o necessário para que os la- drões abordassem os funcionários de forma indefensável e transferissem a pi- lhagem de ouro para um carro disfar- çado de automóvel da Polícia Federal.

estratégia acertada, mais do que

utilizar disfarces, nenhum tiro dispara-

A

ções sobre quem era o encarregado do despacho (supervisor de logística) e o mantiveram refém, com sua família, na noite anterior. A partir desta informação, escalonaram a mais informações preci- osas e privilegiadas, ou seja, informa- ções sobre as cargas, quando chega- riam, pessoas que ficam no local, dentre outros dados que imaginamos mínima- mente necessários para a abordagem. Inexigibilidade de conduta diversa

do colaborador constrangido? Pense- mos. Um ativo é tudo aquilo que tenha valor e necessite de algum tipo de pro- teção por causa disso. A identificação de um ativo e a necessidade de protegê- lo é o primeiro passo em qualquer es- truturação mínima de segurança da in- formação. Qual a proteção que este pro- cesso e empregados ligados no trans- porte destes valores deveriam ter? A se- paração de funções é uma prática em segurança que prega que devemos se- parar diversos passos de um processo, de maneira que para comprometê-lo, seria necessário acessar dados com inúmeras pessoas e não apenas um en- carregado. Seria esta prática aplicada?

 

O

parágrafo 10, do art. 272, da Ins-

trução Normativa INSS/PRES nº 45, de 06 de agosto de 2010, estabelece ainda

que:

 

“Após a implantação do PPP em meio magnético pela Previdência So- cial, este documento será exigido para

todos os segurados, independentemen-

do ramo de atividade da empresa e da

exposição a agentes nocivos, e deverá abranger também informações relativas aos fatores de riscos ergonômicos e mecânicos”. Quais informações necessárias para preenchimento do PPP? De acordo com o parágrafo 1, do art. 58, da lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, o Perfil Profissiográfico Previ- denciário deve utilizar como base um

te

outro documento, o Laudo Técnico de Condições Ambientais do Trabalho, ou LTCAT, expedido por um Médico do

do e se valer de réplicas perfeitas que exploraram vulnerabilidades de checa- gem da identidade, sem contar o arma- mento pesado, expõe de forma inegável um fator determinante para o sucesso da operação: a informação, ou a sua in- segurança. Não precisa ser um especialista em GRC ou segurança da informação para se inferir os cuidados que deveriam ser aplicados em operações desta natureza, que não é novidade no Aeroporto. Re- pete-se a história da ação orientada a eventos danosos. Os criminosos conseguiram informa

Trabalho ou Engenheiro de Segurança

do Trabalho.

 

N

Voltando para as empresas, a lógica é a mesma: Segurança e Saúde do Tra- balho não podem ser secundários, nem tão pouco vistos como custos. Na ver- dade, são condições básicas para o bom funcionamento de uma organiza- ção. E, em se tratando de eSocial e obri- gações afins, esta base, esta fundação, é o alicerce fundamental para que as empresas não caiam na ruína da não conformidade, que poderá ter custos altos em penalizações, multas e outras consequências. “SST é comprometimento de longo prazo. Não é o medo da punição que deve resolver este problema, e sim a conscientização de que Segurança e Saúde do Trabalho são necessárias, imprescindíveis”, finalizou Balbinot. N

imprescindíveis”, finalizou Balbinot. N RSDATA O que o Roubo de Ouro no Aeroporto de Guarulhos nos

O que o Roubo de Ouro no Aeroporto de Guarulhos nos ensina sobre segurança e proteção de dados?

Pelo vídeo, descobrimos a fragili- dade das proteções em uma operação sensível, no caso, envolvendo 110 mi- lhões de reais. Vulnerabilidades que criam situa- ções como esta, exploradas por uma a- meaça precisa, munida de notória es- tratégia informacional. Mas a simples exposição do cargo que uma pessoa o- cupa poderia conduzir até mesmo a um roubo bem-sucedido? Como classifica- ríamos esta informação? Como contro- lar sua exposição? A vulnerabilidade em casos como o presente pode estar em diversos pontos, inclusive nas pes-soas que atuam nestas operações, que podem, inadvertidamente, fornecer in- puts úteis até mesmo em redes sociais, alimentando o footprint do crime, que hoje está atento à dados úteis em tais ambientes. Quantos colaboradores, das centenas de milhares de empresas do Brasil, expõe seus cargos e funções em tais ambientes? Quando não, quantas empresas assim o fazem? N

José Antonio Milagre é advogado, perito digital especialista em Crimes Cibernéticos consultor@josemilagre.com.br (11) 98105-

6959

Página 10/13 - Norminha - Nº 531 - 08/08/2019 - ANO 11 - DESDE 18/08/2009 - Diretor Responsável: Maioli, WC - Comendador de Honra ao Mérito da SST - Mte 51/09860

Incidente versus Acidente

Norminha, 08/08/2019

Já faz tempo a notoriedade transparente de que, as ocorrências de acidentes de trabalho custam caro para as organizações e, ainda, em pleno século XXI, observa- mos os Gestores Administrativos preocupados apenas com os custos imediatos, como:

a)

- perda de dias de trabalho do acidentado;

b)

discussões informais sobre o acidente de trabalho;

d)

perda de trabalho dos seus colegas;

e)

tempo gasto na investigação;

f)

-perda de horas de trabalho do supervisor no envolvimento do acidente;

g)

-perda em geral (produção, lentidão dos colaboradores no trabalho devido ao

reflexo do acidente);

h) -perda com assistência médica entre outros.

Não há uma percepção voltada para os custos “invisíveis” acumulados e direcio- nados para as possíveis ações de prevenção e controle de perdas em tempo hábil, ou seja, antes da lesão no trabalhador, resultado do acidente de trabalho. Fato comprobatório ocorrido em 23.12.1984, em Bhopal, Índia, quando às 23h e 30m, um operador detectou vazamento de água para um tanque que continha metil isocianato e estes reagiram violentamente provocando a liberação de uma grande quantidade de gases tóxicos para a atmosfera. Este evento causou a morte de +- 4.000 pessoas e 400.000 feridos sem contar no valor da indenização. Nada foi feito nada pelos envolvidos, para controle da situação quando na presença de diversos sinais e alarmes da possibilidade da tragédia crítica.

Near Miss, Quase Acidente, Incidente são expressões comuns na área de Enge- nharia de Segurança e Medicina do Trabalho indicando ter havido uma intercor-

rência no processo produtivo, provocando a sua interrupção, mas não causando nenhuma lesão física no trabalhador e, portanto, diferenciado do Acidente de Traba- lho, caracterizado pela presença da lesão, tendo ela a dimensão que se apresente para gerar uma Comunicação de Acidente de Trabalho-CAT, no prazo máximo de 24 horas para o INSS. Estudos desenvolvidos por Bird e Germain (Bird; Germain 1996) abordaram uma análise completa sobre as ocorrências de acidentes no local de trabalho nos Esta- dos Unidos da América, baseados em mais de 1.750.00 ocorrências em 21 indús- trias Americanas de diversos segmentos, quando ficou revelado que a lesões gra- ves, lesões leves, acidente com dano à propriedade segue a proporção de 1-10-30- 600, indicando que para cada lesão de maior gravidade, ocorrem 600 “Quase Aci- dentes”, criando uma enorme oportunidade para ações corretivas e preventivas em tempo hábil. Aqui está verdadeiro “Programa de Prevenção” para as organizações. Cabe salientar fortemente que, a palavra Incidente é também utilizada com o sig- nificado semelhante a Quase Acidente e estes são entendidos como sinais iminen- tes de um acidente, pois são precursores de potenciais acidentes se nada for feito pró-ativamente.

a) Acidentes com perda de tempo (CTP) são os acidentes que resultam em danos

às pessoas e que impedem o acidentado de voltar ao trabalho, em suas funções normais, após o dia seguinte ao acidente, no horário normal de trabalho, ou que resulta em perda de vida, incapacidade parcial ou incapacidade temporária total, exigindo na sua ocorrência primeiros socorros ou atendimento médico de emergên- cia.

b) Acidentes sem perda de tempo (SPT) são acidente com lesão, que resultam

em danos às pessoas que não impede o acidentado de voltar ao trabalho após o dia seguinte ao acidente, no horário normal de trabalho, no entanto, na sua ocorrência exigem primeiros socorros ou atendimento médico de urgência. Qualquer evento inesperado, que venha interromper ou que tenha o potencial de interromper o fluxo de trabalho em um processo produtivo, deve ser considerado e tratado como um “Alerta” prevendo uma ocorrência potencializada de acidente de trabalho e, desta forma denominaremos este evento de “Near Miss”, “Quase Aci- dente” ou “Incidente”. Assim entendidos, a coleta destas informações para análise, podem contribuir para a identificação dos riscos associados aos processos de produção antes mesmo que se potencializem em acidente de trabalho. As Taxas de Frequência e de Gravidade de acidente de trabalho é o caráter reati- vos dos indicadores para a prevenção, visto que estas são geradas a partir da ocor- rência de acidentes de trabalho com afastamento, em relação às horas trabalhadas no período de análise. Assim, partirá deste índice a necessidade de planos de tra- balho para observação e controle das anomalias existentes durante o processo pro- dutivo. A utilização dos dados das ocorrências dos acidentes de trabalho sem as opor- tunidades das informações anteriores passa a desperdiçar momentos de identifica- ção de erros e falhas no processo e na rotina dos sistemas de gestão em engenharia de segurança e medicina do trabalho. Colocando a organização em posição vulne- rável de reincidência em relação as anomalias e, naturalmente, em direção ao fra- casso. O estudo e implantação Programas de “Quase Acidente ou Incidente”, representa uma possibilidade de antecipação à ocorrência de eventos de maior gravidade, por- que através da observação, relato, análise e identificação de suas causas, passamos para um estágio de tomada de ações preventivas e corretivas e controle das mês- mas, possibilitando adotar um caráter proativo. E, o mais importante, permitirá a participação de todos os envolvidos para resolução de problemas ainda em fase

nascente. N Jorge Gomes - Auditor Interno e Especialista em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho

Caixa divulga calendário de saques do FGTS

Crédito será automático para cerca de 33 milhões de correntistas

Crédito será automático para cerca de 33 milhões de correntistas

Veja como foi a transmissão da di- vulgação do calendário de saque do FGTS:

Segundo a Caixa, cerca de 33 mi-

lhões de trabalhadores receberão o cré- dito automático na conta poupança. Ca- so o trabalhador não queira retirar o re- curso, será necessário informar a deci- são em um dos canais divulgados pelo banco, até 30 de abril de 2020. Desta forma, os valores não sacados serão devolvidos à conta vinculada ao FGTS. De acordo com a Caixa, o crédito automático só será realizado para quem abriu conta poupança até o dia 24 de julho de 2019.

Norminha, 08/08/2019

A Caixa Econômica Federal inicia, em setembro, o pagamento de até R$ 500

por conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Os repasses serão feitos até 31 de março de 2020, conforme a data de nascimento dos be- neficiários.

O

pagamento aos não correntistas da

O

valor será depositado automatica-

Caixa seguirá o seguinte cronograma:

mente, no dia 13 de setembro, para pessoas nascidas em janeiro, fevereiro, março e abril, que têm conta poupança na Caixa. Aqueles com data de aniversário em maio, junho, julho e agosto, recebem a partir do dia 27 de setembro de 2019. Para trabalhadores nascidos em setem- bro, outubro, novembro e dezembro, o pagamento será feito a partir do dia 9 de outubro de 2019.

Tabela do PIS para não correntistas - Arte EBC

Tabela do PIS para não correntistas - Arte EBC

ABMT comemora 75 anos de história com congresso no Rio de Janeiro

Norminha, 08/08/2019 A Associação Brasileira de Medicina do Trabalho (ABMT), federada da ANAMT no Rio

Norminha, 08/08/2019

A Associação Brasileira de Medicina do Trabalho (ABMT), federada da ANAMT no Rio de Janeiro, comemora seus 75 anos de história como a primeira asso- ciação de Medicina do Trabalho do Bra- sil e embrião da especialidade no país. Há mais de sete décadas, a entidade promove desenvolvimento técnico e científico em prol da saúde do traba- lhador aliada à educação continuada dos Médicos do Trabalho.

A

Caixa informou ainda que os as-

ques de até R$ 100 poderão ser reali- zados em casas lotéricas, com apresen- tação de documento de identidade ori- ginal com foto e número do CPF. Será feita a leitura da digital no momento do saque. Para quem possui cartão Cidadão e senha, o saque poderá ser feito nos ter- minais de autoatendimento, em unida- des lotéricas ou correspondentes Caixa Aqui. Quem não tem o cartão Cidadão, de- ve procurar uma agência da Caixa. Saque aniversário. A partir de abril de 2020, terá início o saque anual de percentual do saldo do FGTS.

terá início o saque anual de percentual do saldo do FGTS. Cronograma de saque anual de

Cronograma de saque anual de percentual do FGTS/ Arte EBC - Arte EBC

O

Congresso terá os enfoques da E-

quidade com a proposta de diminuir desigualdades e da Integralidade que considera as pessoas como um to- do, atendendo a todas as suas neces-

sidades. Estes temas serão trabalhados sob o olhar do Médico do Trabalho e sua relação com a função de forma ho- lística. O evento reunirá profissionais de segurança e saúde para troca de expe- riências e conhecimentos dentro das competências da especialidade e pro- fissionais de segurança e saúde que trabalhem em prol da saúde do traba- lhador. E também será uma oportunida- de para construção e fortalecimento da

 

rede de contatos profissionais. N

Os trabalhadores interessados em migrar para a sistemática do saque a- niversário poderão comunicar à Caixa,

a partir de 1º de outubro de 2019. Ao

confirmar esta opção em um dos canais divulgados pelo banco, o trabalhador deixará de efetuar o saque em caso de rescisão de contrato de trabalho. Quem realizar a mudança, só poderá retornar à modalidade anterior após dois anos da data da solicitação à Caixa. Caso o trabalhador não comunique

o interesse no tipo de saque, a regra da

rescisão será mantida. A decisão de migrar para a modali-

dade do saque aniversário, não anula a multa de 40% em caso de demissão sem justa causa. Cota do PIS Não há prazo para a retirada de re- cursos do programas de Integração So- cial (PIS) para cadastrados até 4 de ou- tubro de 1988.

So- cial (PIS) para cadastrados até 4 de ou- tubro de 1988. Segundo a Caixa, 10,4
So- cial (PIS) para cadastrados até 4 de ou- tubro de 1988. Segundo a Caixa, 10,4

Segundo a Caixa, 10,4 milhões de tra-lhadores têm direito ao saque das cotas. Os pagamentos que podem movi- mentar R$ 18,3 bilhões podem ser fei- tos por crédito em conta na Caixa ou

por meio do Cartão Cidadão com se- nha, em lotéricas, nas unidades do Cai- xa Aqui, em terminais de autoaten- dimento ou nas agências da Caixa. Canais de informação Para acompanhar as informações sobre o FGTS, a Caixa lançou um apli- cativo disponível para download nas lo- jas App Store e Google Play. Outras in- formações podem ser acessadas no site criado pelo banco ou pela central de informações: 0800 724 2019. Para os trabalhadores com direito ao saque do PIS, foram criados o aplica- tivo Caixa Trabalhador e a página na in- ternet www.caixa.gov.br/cotaspis. As agências da Caixa abrirão duas horas mais cedo e aos sábados sub- sequentes às datas de início do crono- grama de saques do FGTS. Caso a de- manda aumente, as agências poderão ser abertas em outros sábados. O site do FGTS da Caixa reunirá informações sobre datas, unidades e horários dife- renciados de abertura das agências.

N

dife- renciados de abertura das agências. N Agência Brasil Distribuição gratuita. Permitido imprimir no formato A3

Página 11/13 - Norminha - Nº 531 - 08/08/2019 - ANO 11 - DESDE 18/08/2009 - Diretor Responsável: Maioli, WC - Comendador de Honra ao Mérito da SST - Mte 51/09860

Eventos discutem a segurança e evolução de leis do trânsito em setembro

Dia Nacional da Saúde:

nascimento de Oswaldo Cruz marca 5 de agosto

XIII Congresso Brasileiro de Medicina de Tráfego e o II Congresso Brasileiro de Psicologia de
XIII Congresso Brasileiro de Medicina de Tráfego e o II Congresso Brasileiro de Psicologia de

XIII Congresso Brasileiro de Medicina de Tráfego e o II Congresso Brasileiro de Psicologia de Tráfego, marcados para setembro, discutem a manutenção e evolução de leis com base em conhecimento técnico e científico

tes, fazem parte dos já inscritos para es- te evento.

Para o coordenador científico do congresso e também diretor científico da Abramet, Dr. Ricardo Hegele, o e- vento será um marco histórico para o trânsito brasileiro. Segundo ele, a reu- nião dos mais renomados especialistas dos diversos setores que compõem a complexa área de tráfego, analisando, planejando e apontado novos rumos na preservação da vida no trânsito, preven- ção e redução de acidentes e, conse-

quentemente de feridos, sequelados e mortos, deve mostrar para o país que

temos que avançar e evoluir em edu- cação, prevenção e cuidados com a saúde dos condutores. “Temos que mostrar a todos que se

preserva vidas e se faz prevenção de a- cidentes com estudos epidemiológicos, conhecimento técnico e ciência! Opini- ões e vivências pessoais do passado, empíricas e desprovidas de lógica e racionalidade não podem se sobrepor

Norminha, 08/08/2019

Em 1905, construiu na Fazenda da Manguinhos um castelo com o que ha- via de mais moderno em termos de pes- quisa experimental. Contratou grandes pesquisadores brasileiros e estrangei- ros e criou cursos de especialização. Poucos brasileiros foram tão caricatura- dos quanto ele foi no início do século XX. A ironia da imprensa traduzia o sen- timento popular negativo, na época da Revolta da Vacina, e positivo, quando já colhia os louros de suas conquistas sa- nitaristas. Saúde do trabalhador A data serve de alerta também no ambiente de trabalho. Segundo a Orga- nização Mundial da Saúde (OMS), o conceito de saúde pode ser definido co- mo “um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não consiste a- penas na ausência de doença ou de en- fermidade”. Entre os diversos fatores que devem propiciar isso às pessoas, está a atenção à saúde dos trabalha- dores dentro dos seus ambientes de tra- balho. Como entidade representativa da es- pecialidade, a ANAMT reitera a impor- tância dos Médicos do Trabalho nesse contexto e das discussões acerca da saúde da população. N

Agosto começa com uma data importante para todos: o Dia Nacional da Saúde. Celebrado em 5 de agosto, o momento é propício para despertar na população o valor da saúde, dos hábitos saudáveis e da educação sanitária. A data foi escolhida para lembrar o nasci- mento do sanitarista Oswaldo Cruz, um dos principais responsáveis pelo com- bate de epidemias que acometiam o Brasil no começo do Século XX, como peste bubônica (doença pulmonar), fe- bre amarela e varíola. Ele nasceu em 1872 e foi pioneiro no estudo de moléstias tropicais no Brasil. Quase 100 anos depois de sua morte, em 1917, pesquisas o apontam como símbolo do cientista brasileiro. Em 1900, fundou o Instituto Soroterápico Nacional, em Manguinhos, hoje Fio- cruz. Sua trajetória se confunde com a história da saúde pública brasileira. Em 1903, foi nomeado Diretor-Geral de Saúde Pública, cargo que corresponde atualmente ao de Ministro da Saúde. Sua luta contra a febre amarela, peste bubônica e a varíola não foi entendida pela população, culminando na Revolta da Vacina em 1904.

ao

conhecimento científico e à Medici-

na e Psicologia baseada em evidências.

na

e Psicologia baseada em evidências.

A

presença de todos os interessados

em discutir o trânsito no Brasil é fun- damental” destaca Hegele. Mais informações e inscrições para

evento podem ser feitas pelo site www.congressoabramet.com.br. N

o

 

(Fonte: Abramet)

 

to circuito, o que libera uma grande quantidade de energia num curto inter- valo de tempo e ainda é capaz de pro- vocar a fusão de metais componentes dos equipamentos, tendo chance de se- rem lançados contra pessoas e objetos que estejam nas proximidades e, assim,

causar queimaduras e combustão. Já a Energia Incidente resulta do contato de parte do arco elétrico ou fogo

tem, como um Capuz Balaclava que po-

de

ser usado em incêndios.

Diante de tudo isso, o mais indicado para impedir um acidente de Arcos Elé- tricos e energias incidentes é a pre-

venção e utilização dos equipamentos de segurança tanto individuais quanto coletivos, além de cumprir as exigên- cias de segurança presentes na NR 10. Qual o papel da NR 10 e das Medi- das de Segurança?

 

É

     

repentino que atinge determinado pon- to, o que costuma ser o trabalhador. Como o cálculo é feito?

 

importante entender que acidentes

determinado pon- to, o que costuma ser o trabalhador. Como o cálculo é feito?   importante

ocasionados por eletricidades geram

O

cálculo da Energia Incidente é feito

queimaduras sérias e podem até oca-

usando o Arco Elétrico. Existem alguns parâmetros para isso, alguns deles são:

sionar a necessidade de amputação de um membro em casos mais graves.

-

diagrama unifilar da instalação elé-

A

NR 10 traz tabelas sobre as zonas

trica;

de risco, controlada e livre, divididas

-

tensão de alimentação;

em tensão nominal da instalação elé-

-

correntes de curto circuito;

trica, raios e metros para minimizar

possíveis acidentes. Ainda assim, é im-

prescindível a utilização de EPIs e EPCs

tempo de atuação da proteção das instalações elétricas;

-

22 a 24 de agosto de 2019 somente em Araçatuba (SP) Pagamento até 10 de agosto: R$300,00 Após: R$350,00 Ou no cartão com pequeno acréscimo

-

posição que o trabalhador estava

no

trabalho com eletricidade.

Whats 18 99765-2705

no acidente. Já para o cálculo do fogo repentino, que é mais fácil de ser realizado, é pre- ciso saber o poder calorífico do material envolvido, ou seja, se o material conduz bem calor ou não, além de saber o tem- po de atuação da chama e, novamente, a posição do trabalhador, de posse dis- so tudo se calcula o calor irradiado. Todas essas informações são funda- mentais para a determinação mais ade- quada possível da capacidade de prote- ção que as vestimentas especiais permi

O

estudo da ATPV está presente no

Prontuário de Instalações Elétricas (PIE), realizado nas análises requisita- das e exigidas na NR 10. E cada EPI apresenta um Certificado de Aprovação (CA), assim como os EPIs para Alta Temperatura, emitido para comprovar sua qualidade e possuem especifica- ções de gramatura e presença de teci- dos especiais.

emitido para comprovar sua qualidade e possuem especifica- ções de gramatura e presença de teci- dos
 

N

Norminha, 08/08/2019

Com o objetivo de discutir amplamente as recentes propostas de modificação na legislação de trânsito brasileira, a Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) e a Associação Bra- sileira de Psicologia do Tráfego (Abra- psit) realizam, de 12 a 15 de setembro, no Centro Internacional de Convenções

no Brasil CIBB, na capital federal, o

XIII Congresso Brasileiro de Medicina

de Tráfego e o II Congresso Brasileiro de Psicologia de Tráfego. Representantes do governo federal, deputados, senadores e especialistas

em trânsito são esperados para debater atualizações, ideias e projetos, vislum- brando o futuro do trânsito no Brasil

nas áreas de prevenção de acidentes, a-

valiação de condutores, riscos para di-

reção veicular e outros temas impor- tantes que estarão em pauta no evento. Está confirmada a presença de vá-

rios profissionais de destaque nacional

e internacional que, além de minis-

trarem palestras, estarão participando

dos debates e de todas as atividades do

Congresso. A manutenção e valoriza-

ção

do trabalho dos especialistas médi-

cos

e psicólogos de tráfego será um

dos temas centrais da programação,

que conta com o apoio das mais im-

portantes entidades médicas e psicoló-

gicas do Brasil. Médicos, psicólogos, pesquisadores, engenheiros, educado-

res, militares, políticos e entidades li-

gadas ao segmento, além de estudan-

Como é realizado o cálculo e qual é a origem do ATPV?

Norminha, 08/08/2019

Arch Thermal Performance Value (ATPV) é o valor em calorias (cal) por centímetro quadrado (cm²) da proteção

conferida pelo tecido ao efeito térmico proveniente de um arco elétrico. Basi- camente, serve para garantir que os EPIs sejam bons o suficiente para cum-

prir sua função.

Um exemplo dessa funcionalidade é que, se um local faz muito calor, o AT PV vai indicar uma estimativa da bar- reira que o tecido oferece, embora, de modo geral, quanto maior a gramatura do tecido maior a sua proteção. Fazendo uma comparação a grosso modo para um melhor entendimento, O

ATPV funciona como o fator de prote-

ção que um protetor solar tem, depen-

dendo dos riscos de exposição, ele va- ria de um nível leve a mais intenso.

Mas, vamos explicar o que é o Arco Elétrico para que você possa entender melhor.

O que é Arco Elétrico e Energia Inci- dente? Arco Elétrico, de acordo com o Mi- nistério do Trabalho e Emprego (MTE), é gerado por um processo químico de ionização de gás como consequência

de uma conexão elétrica entre dois ele-

trodos de diferentes potências (positivo

e negativo), diferentes fases ou entre um eletrodo e um circuito de terra. Costuma ser gerado devido à falha

de equipamentos, ocasionando um cur-

Página 12/13 - Norminha - Nº 531 - 08/08/2019 - ANO 11 - DESDE 18/08/2009 - Diretor Responsável: Maioli, WC - Comendador de Honra ao Mérito da SST - Mte 51/09860

Congresso Portuário e Aquaviário reúne 900 participantes de 20 estados do Brasil

Aquaviário reúne 900 participantes de 20 estados do Brasil Conteúdos debatidos e sucesso de público motivam

Conteúdos debatidos e sucesso de público motivam candidaturas de Fortaleza/CE e Manaus/AM para a sexta edição do evento

Norminha, 08/08/2019

Por Fundacentro/ACS - Cristiane Reimberg Durante três dias, especialistas em SST, trabalhadores e empregadores do setor portuário e aquaviário, auditores fiscais e procuradores do Trabalho, re- presentantes da Marinha, entre outros, reuniram-se em Recife/PE para o V Congresso Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho Portuário e Aqua- viário. No total, foram 900 participantes de 20 estados do Brasil. A riqueza dos debates e a intensa participação do pú- blico fez com que, antes mesmo do fim dessa edição, duas cidades manifestas- sem interesse em abrigar o VI Con- gresso: Fortaleza/CE, por meio do Mi- nistério Público do Trabalho MPT, e Manaus/AM, através do Departamento de Turismo do Amazonas.

Manaus/AM, através do Departamento de Turismo do Amazonas. Esse resultado só foi alcançado pe- las parcerias

Esse resultado só foi alcançado pe- las parcerias locais, viabilizadas pelo Centro Regional da Fundacentro em Pernambuco, pelas ações da Comissão Técnica, coordenada pelo tecnologista

e chefe da área técnica do CRPE, Luiz

Antonio de Melo, e o apoio da Comis- são Executiva, coordenada pelo diretor técnico Robson Spinelli, de caráter tri- partite, com representantes do Gover- no, Empregadores e Trabalhadores. “Nós tivemos que dar as mãos. Sozi- nha, a Fundacentro não realizaria”, ava- liou Maurício Viana, chefe da unidade e coordenador geral do evento. O traba- lho dos servidores José Hélio Lopes Batista, Marcelo Vasconcelos e Roberto Dantas também foi fundamental para os resultados alcançados.

“O conjunto de trabalhadores nos a- tendeu e está aqui presente para debater os assuntos que são muito importantes. Os congressos foram importantes para

a

diminuição dos acidentes do trabalho

e

para a aplicação da NR 29. Mas ape-

sar de todo trabalho realizado ainda o- correm mortes”, avaliou o presidente da Federação Nacional dos Estivadores, José Adilson Pereira, na mesa de aber- tura. O evento contou com 4 conferên-

cias. Na abertura, o tecnologista da Fundacentro (Centro Estadual do Espí- rito Santo), Antonio Carlos Garcia Ju- nior, abordou questões emergentes so- bre a segurança e saúde no trabalho portuário. Já o procurador do Trabalho da 2ª Região/SP, Augusto Meirinho, a-

presentou os aspectos mais relevantes da SST no setor aquaviário. Segundo Antonio Carlos, a operação com contêineres abrange a maior ocor- rência de acidentes na área portuária. É importante olhar para os riscos ambien- tais e para os ergonômicos. “É um tra- balho que tem um custo humano muito

grande”, explica. Para cada tipo de car-

ga a ser movimentada, por exemplo, de- ve haver um protocolo de segurança fei- to pelo Serviço Especializado em Segu- rança e Saúde do Trabalhador Portuário

Sesstp, instituído pela NR 29, e pelos trabalhadores.

em Segu- rança e Saúde do Trabalhador Portuário Sesstp, instituído pela NR 29, e pelos trabalhadores.
Sesstp, instituído pela NR 29, e pelos trabalhadores. – nop, Sergio Perucci, que falou sobre a

nop, Sergio Perucci, que falou sobre a importância da capacitação e qualifica- ção dos trabalhadores portuários. O de- bate foi mediado pelo presidente da Fe- deração Nacional dos Conferentes e Consertadores de Carga e Descarga, Vi- gias Portuários, Trabalhadores de Blo- co, Arrumadores e Amarradores de Na- vios nas Atividades Portuárias/DF, Ma- rio Teixeira.

Mesa de abertura do V Congresso Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho Portuário e Aquaviário conformação do mercado de trabalho brasileiro: desafios e perspectivas”. Além das 4 conferências, durante os três dias do V Congresso Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho Portuá-

rio e Aquaviário, foram realizadas 16 palestras, com diferentes especialistas,

 

A

Lei 12.815/13 estabelece que o O-

gmo é o responsável pelo treinamento e

habilitação do trabalhador portuário, seja avulso ou vinculado. Também foi

apresentado projeto de lei que propõe a criação do Sistema Nacional de Apren- dizagem Portuária Senap e o Sistema Social Portuário Sesp, e a implan- tação ficaria a cargo da Fenop. Um dos pontos debatidos foi o de que não se pode pensar em modernizar o porto sem

a apresentação de 26 trabalhos orais. Os servidores da Fundacentro Antonio

e

Carlos Garcia Junior, de Espírito Santo,

e

Daniel Pires Bitencourt, de Santa Ca-

tarina, apresentaram os temas – “De- pleção de oxigênio e formação de gases tóxicos em porões que transportam ma- deira” e “Exposição ocupacional ao ca- lor em oito cidades portuárias do Bra- sil”, respectivamente – em 12 de junho. No dia 13, o técnico Gerikson Beserra Nunes mostrou o “Estudo sobre novas tendências no setor de transportes: im- pactos e perspectivas no trabalho no setor hidroviário e ferroviário”. No final do evento, a médica do tra- balho, Jandira Dantas, de 87 anos, foi homenageada. Vivendo em Pernambu- co há 84 anos, ela trabalhou no Centro Regional da Fundacentro em Pernam- buco, além de ter atuado como auditora fiscal do Trabalho e no Serviço Social da Indústria - Sesi. Também doou re- centemente seu acervo de 2.300 livros para Fundacentro/PE. “Importante tecermos o saber. Mi- nha maior dificuldade quando era pe- quena foi estudar. Não tinha dinheiro para comprar livro. Só quero que vocês levem uma mensagem: estudem. E que felicidade Jandira pequenina teve. Ins- talou o primeiro curso de segurança do trabalho em Pernambuco em 1975. Eu só queria poder abraçá-los, todos de uma vez e sentir o que queremos e pre- cisamos – educação e saber”, afirmou

médica Jandira Dantas. Trabalhador envolvido Ainda no primeiro dia do evento, em 11 de junho, foram realizadas três me- sas. O engenheio de segurança do Og- mo Santos, Ricardo Carvalhal, minis- trou a palestra “Aplicação da realidade virtual nos treinamentos dos trabalha- dores portuários”. O debatedor foi Jo- sué King, da Federação Nacional dos Portuários/DF. Um dos recursos utilizados no Porto de Santos, apresentado por Carvalhal, é um sistema automático de agendamen- to de exames médico, que controla a validade do Atestado de Saúde Ocupa- cional ASO, e envia alertas ao traba- lhador 45 dias antes do vencimento. Também identifica os exames necessá- rios e realiza o agendamento de modo que os resultados fiquem prontos antes do vencimento. A segunda mesa contou com pales- tra do presidente da Federação Nacio- nal dos Operadores Portuários/DF Fe

a

participação dos trabalhadores. Por fim, a última mesa do dia trouxe o tema “Gerenciamento de riscos ope- racionais em terminais de contêineres”, apresentado por Hemerson Braga, pre- sidente do Comitê Técnico Permanente

a

Antônio Carlos

O tecnologista da Fundacentro reco- menda que se faça a Análise Ergonô- mica do Trabalho AET de todas as ta- refas, observando-se as condições dife- renciadas de trabalho. Todo porto deve- ria ter um Plano de Controle de Emer- gência PCE e um Plano de Ajuda Mú- tua PAM, que atua quando o PCE de uma empresa não consegue com seus recursos realizar o controle da emer- gência. Também é importante avaliar o risco e fazer o efetivo controle das fon- tes e da exposição dos trabalhadores. “Na maioria das vezes, infelizmente, combatemos os riscos para minimizar seus efeitos. Há também os riscos invi- síveis, geralmente são os ergonômicos

e

Segurança , Saúde Ocupacional e Me-

io Ambiente da Fenop. O debatedor foi Alfredo Guilherme Netto. Hemerson destacou a importância de se envolver o trabalhador no geren- ciamento de riscos. “Se você tratar o trabalhador a distância, não terá a ade- são dele”, apontou. “A segurança é um trabalho conjunto”, completou Netto.

“A segurança é um trabalho conjunto”, completou Netto. Da esq. p/ a dir. Hélio Lopes, Robson

Da esq. p/ a dir. Hélio Lopes, Robson Spinelli, Marcelo Vasconcelos, Maurício Viana, Luiz Melo e Marina Battilani Políticas públicas

e

os ambientais”, afirma o tecnologista

da Fundacentro. “Um trabalho de gestão dos riscos bem feito com a participação de todos os atores envolvidos gerará uma cultura de Segurança e Saúde no Trabalho, que irá garantir não só o bem estar dos tra- balhadores, mas também a produtivida- de e a a continuidade da atividade eco- nômica das empresas”, completa. Já o procurador Augusto Meirinho, coordenador da Coordenadoria Nacio- nal do Trabalho Portuário e Aquaviário do Ministério Público do Trabalho MPT, destacou a necessidade de um o- lhar especial para esses setores. Algu- mas características desse tipo de tra- balho podem ser: confinamento por longos períodos, isolamento do conví- vio familiar e social, convívio entre dife- rentes equipes durante os períodos de embarque, variações climáticas, trepi- dações e ruídos da propulsão do navio, períodos de descansos fluídos devido à necessidade de estado de prontidão. As outras duas conferências ocorre- ram no encerramento. O diretor técnico da Fundacentro, Robson Spinelli, tra- çou um panorama da SST com a te- mática: Estado da Arte da Segurança e Saúde do Trabalhador no Brasil. Já o consultor técnico da Coordenação-ge- ral de Saúde do Trabalhador, da Secre- taria de Vigilância em Saúde, do Minis- tério da Saúde, José Maria Viana dos Santos, apresentou “A saúde do traba-

lhador portuário e aquaviário na atual

 

O

segundo dia do evento, 12 de ju-

nho, trouxe 7 mesas, além das apresen- tações de trabalhos orais, que também tinham ocorrido no dia anterior. O au- ditor fiscal do Trabalho, Cláudio Tarifa,

coordenador da então Comissão Per- manente Nacional Portuária CPNP, falou sobre o processo de elaboração da NR 29. Também apresentou as pautas em andamento: declaração de mercado- rias perigosas, ancoragem em navios e trabalho em altura, espaço confinado em navios, amarração de navios, guin- dastes de bordo, cabos de aço e aces- sórios. Já os servidores da Fundacentro - a tecnologista Doracy Moraes (Centro Es-

 
- a tecnologista Doracy Moraes (Centro Es-   Público na sala Manuel Bandeira tadual do Pará)

Público na sala Manuel Bandeira tadual do Pará) e o pesquisador Álvaro Ruas (Escritório Regional de Campi- nas) - apresentaram o tema “Acidentes por Escalpelamento: enfrentamento e superação de um drama social nos rios da Amazônia”.

e superação de um drama social nos rios da Amazônia”. Ruas falou sobre o projeto desen-

Ruas falou sobre o projeto desen- volvido pela Fundacntro para desenvol- ver a proteção do volante e do eixo car- dã dos motores das embarcações, que utilizou a fibra de vidro e foi distribuída para órgãos interessados. Já Doracy faz parte da Comissão Es- tadual de Enfrentamento aos Acidentes com Escalpelamento no Pará. A Fun- dacentro participa das principais ativi- dades desenvolvidas sobre o tema no estado, como campanhas em portos para a prevenção de acidentes, que o- correm em municípios como Anajás, Bagre, Gurupá e Breves. “Antes achávamos que bastava co- brir o eixo, mas o grande desafio é al- cançar as pessoas agarapés a dentro. São municípios com índices de Desen- volvimento Humano baixos, famílias extensas. A criança é demandada para retirar a água, para que a embarcação não naufrague. As embarcações são meios de transporte para a vida. As construções feitas artesanalmente. Os eixos são encomendaos em oficinas próximas aos portos e que não pos-

suem a proteção de eixo. Se a proteção fosse oferecida nessas oficinas, o a- cesso seria mais fácil”, analisou a tec- nologista da Fundacentro.

mais fácil”, analisou a tec - nologista da Fundacentro. Da esq. p/ a dir. Doracy Moraes

Da esq. p/ a dir. Doracy Moraes de Souza, Luiz Antonio de Melo e Alvaro Cesar Ruas

Continua na página abaixo

13/13

de Melo e Alvaro Cesar Ruas Continua na página abaixo 13/13 Distribuição gratuita. Permitido imprimir no

Página 13/13 - Norminha - Nº 531 - 08/08/2019 - ANO 11 - DESDE 18/08/2009 - Diretor Responsável: Maioli, WC - Comendador de Honra ao Mérito da SST - Mte 51/09860

Congresso Portuário e Aquaviário reúne 900 participantes de 20 estados do Brasil Continuação da Pag. 12/13

de 20 estados do Brasil – Continuação da Pag. 12/13 Da esqu. p/ a dir. Doracy

Da esqu. p/ a dir. Doracy Moraes, Daniel Bitencourt, Luiz Melo, Robson Spinelli, Alvaro Ruas e Roberto Dantas Outro importante tema discutido foi a “Proteção do meio ambiente no trans- porte aquaviário planos de emergên- cia integrados”, apresentado pela espe- cialista da Gerência de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Agência Nacional de Transportes Aquaviários/DF, Maria Luiza Gusmão. Maria Luiza explicou que para mini- mizar as consequências dos vazamento de petróleo e derivados ao meio ambi- ente e saúde e segurança dos trabalha- dores, os planos das instalações preci- sam estar aprovados e dialogar entre si. “A prática de simulados envolvendo combate a emergências ambientais de- vem incorporar as situações de resgate de trabalhadores acidentados no com- bate a incêndios, controle de derrames de produtos perigosos e retirada e dis- posição final de resíduos”, completou. “É importante investir na prevenção, na preparação e na resposta rápida, com equipes capacitadas e bem treina- das, dispondo de equipamentos e mate-riais apropriados tanto para conter e recolher as manchas de óleo, combater incêndios e outros acidentes, como garantir a saúde e segurança das diversas categorias de trabalhadores envolvidos em um cenário de emergên- cia”, finalizou a especialista. Já o capitão de Mar e Guerra, Mauro de Araújo, e o capitão de fragata, Álvaro de Carvalho, apresentaram “A contri- buição normativa da marinha do Brasil para a segurança e saúde no trabalho a- quaviário. Eles apresentaram as princi-

Daniel Pires Bitencourt pais convenções internacionais (Safety of Life at Sea – Solas, Standards of

Daniel Pires Bitencourt pais convenções internacionais (Safety of Life at Sea Solas, Standards of Training, Certification and Watchkee- ping for Seafarers STCW e Prevention of Pollution from Ships Marpol) e a legislação nacional, como a Lei de Se- gurança do Tráfego Aquaviário Lesta. Essa lei discrimina as atribuições e as medidas administrativas que podem

ser adotadas pela Autoridade Marítima, que deve assegurar a salvaguarda da vi- da humana, a segurança da navegação e a prevenção da poluição ambiental por embasracações, plataformas ou suas instalações de apoio.

A ação do Ministério Público do

Trabalho também foi apresentada pelo procurador Maurício Coentro de Melo, da 1ª Região/RJ, que apresentou a pa- lestra “A Convenção Marítima do Tra- balho (MLC 2006) e o Trabalho em Na- vios de Cruzeiros: Perspectiva do Meio Ambiente de Trabalho”.

“Apesar da MLC não ter sido ratifi- cada, defendemos que é a melhor a ser observada, por ser a mesma norma para toda tripulação e evitar a discriminação de trabalhadores”, explicou o procura- dor. “O MPT entende que a MLC 2006 é a norma viável, mas a questão não es- tá pacificada pelo TST”, completou.

O segundo dia do V Congresso ain-

da contou com palestras de Luiz Alves Netto, diretor da Federação Nacional dos Trabalhadores em Transportes A- quaviários e Afins/RJ, sobre segurança nas hidrovias, e de João Gilberto Cam- pos, presidente do Incatep (Santos/SP),

que tratou da uniformização e atualiza- ção das cargas perigosas. Momentos finais

O último dia do V Congresso, em 13

de junho, trouxe mais seis palestras, a-

V Congresso, em 13 de junho, trouxe mais seis palestras, a- Gerikson Beserra Nunes lém dos

Gerikson Beserra Nunes lém dos trabalhos orais e as já citadas conferências de encerramento. O audi- tor fiscal do Trabalho, do Rio de Janei- ro/RJ, Mauro Costa Cavalcante Filho, apresentou a temática: “A atuação da auditoria fiscal do Trabalho na fiscali- zação do trabalho portuário e aquaviá- rio a Comissão Permanente Nacional Aquaviária e a aplicabilidade da NR 30”. Cavalcante Filho explicou como se dava a atuação da CPNAq, de forma harmoniosa e técnica, buscando efeti- vamente condições mais seguras. Ou- tro auditor fiscal do Trabalho (SC) a participar do evento como palestrante

foi Brunno Manfrin Dallossi, que falou sobre os acidentes do trabalho no setor pesqueiro. O advogado do Sindicato dos Esti- vadores nos Portos do Estado de Per- nambuco, Jonhnathas Santiago, por sua vez, abordou os aspectos legais re- ferentes à aposentadoria especial dos trabalhadores portuários. Já o coorde- nador geral do Sindicato dos Petrolei- ros do Norte Fluminense, Tezeu Bezer- ra, falou sobre a saúde e segurança entre trabalhadores nas plataformas de petróleo, ressaltando o direito de recu- sa em determinadas situações de risco. As condições de trabalho nas ativi-

dades da pesca e mergulho foram apre- sentadas pelo procurador do Trabalho da 7ª Região/CE, Nicodemos Maia, e pelo professor dos Cursos de Pesca e Construção Naval do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, João Vicente Mendes Santana. Maia destacou que o Brasil tem 8,5 mil km de mar e é o 19° país em pro- dução de pescado. “Os pequenos pes-

cadores acabam trabalhando não para si, mas para os grandes produtores”, re

não para si, mas para os grandes produtores”, r e Doutora Jandira Dantas fletiu. Eles são

Doutora Jandira Dantas fletiu. Eles são segurados especiais porque ficam 6 meses parados, quando não podem pescar. Segundo a Orga- nização Internacional do Trabalho OIT, o mundo tem 58 milhões de pes- cadores, e a pesca é uma atividade ár- dua e perigosa, repleta de numerosos riscos. Os momentos finais ainda trouxe- ram uma palestra sobre organização do trabalho e sofrimento psíquico, que despertou bastante interesse dos parti- cipantes. O tema foi abordado pela pro- fessora com pós-doutorado em Ciên- cias Sociais, Petilda Serva Vazquez. A categoria trabalho foi apresentada co-

mo prazer, mas também como espaço de loucura. O trabalho capitalista, para

a historiadora, está relacionado com a pulsão de morte e em tensão com a pulsão de vida. Há um mundo de subjetividade, que

é o mundo invisível, presente no tra-

balho. “A violência no trabalho, por e- xemplo, não é só o assédio moral, que

é o campo visível. Mas elementos de

dores e singularidades que são invisí- veis”, explicou Petilda. Para ela, o assé- dio moral é uma violência programada como gestão de pessoas e faz parte da realidade organizativa. Uma prática que

atinge a subjetividade e seus aspectos, pega a alma. Vive-se a ideologia da competência num cenário de capitalismo flexível, em que a competência está atrelada ao que

o trabalhador pode suportar. O sofri-

mento psíquico ocorre, mas é negado a si mesmo. Há um sequestro do outro, que tem sua essência capturada. Ne- gam-se os riscos para suportar o sofri- mento. “Você se cobra dos erros do seu cansaço. Você cobra de seus colegas a

dos erros do seu cansaço. Você cobra de seus colegas a Mesa de encerramento do V

Mesa de encerramento do V Congresso Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho Portuário e Aquaviário eficiência”, alertou. É a cultura da ex- celência, em que o sujeito cobra a si próprio. “Uma pessoa com transtorno psíqui- co não consegue criar uma narrativa porque está desestruturada. Ouvindo um trabalhador por 6 meses com escuta psicanalítica consegui dizer onde aque- le sujeito foi quebrado”, exemplificou. “Nós somos seres históricos e cul- turais, não somos apenas biológicos. A angustia é um sentimento bom, porque esse vazio é criativo e você tem que se responsabilizar por suas dores. O su- jeito que viveu a dor tem que ser ou- vido”, completou. As conferências finais, de Robson Spinelli, da Fundacentro, e de José dos Santos, do Ministério da Saúde, tiveram a coordenação do presidente do Com- plexo Portuário de Suape, Leonardo Monteiro. Para Monteiro, “a realização do Congresso é muito importante prin- cipalmente num momento em que se discute a flexibilização da normatização trabalhista”. O presidente do Complexo Portuário de Suape ainda falou sobre a impor- tância da Segurança e Saúde no Traba- lho se consolidar nas empresas. “O gestor tem que se colocar numa posição de que qualquer problema que acon- teça, ele tenha a responsabilidade do processo. Ainda que eventualmente o- corra um acidente, cabe ao gestor olhar como pode evitar esse tipo de falha”, finalizou Leonardo Monteiro. N

Gasto médio do brasileiro com carnes deve subir 8% ao ano até 2023

do brasileiro com carnes deve subir 8% ao ano até 2023 Norminha, 08/08/2019 Por Anna Flávia

Norminha, 08/08/2019 Por Anna Flávia Rochas

O gasto per capita do brasileiro com carnes deverá subir em média 8% ao ano até 2023, enquanto as carnes conti- nuam a responder por mais de um terço dos gastos dos brasileiros com comida, estima a Fitch Solutions Macro Resear- ch em relatório. Em 2019, o gasto médio per capita do brasileiro com carnes é estimado em R$ 1.421, chegando a R$ 1.906 em

2023.

Cerca de 48% do gasto per capita do brasileiro com carnes em 2019 será direcionado à carne bovina, seguido da

carne de frango, com 26%, e da carne

suína, com 4%.

O consumo per capita de carne bo-

vina do Brasil é um dos maiores da A- mérica Latina, após Argentina e Uru- guai, devendo ficar em 38,7 kg em 2019, enquanto a média para a região é de 18,9 kg. O consumo de carne bovina do brasileiro deve subir para 40,3 kg per capita em 2023.

do brasileiro deve subir para 40,3 kg per capita em 2023. No caso da carne de

No caso da carne de frango, o con- sumo per capita do brasileiro em 2019 deve ser de cerca de 46,1 kg, o mesmo que na Argentina. O consumo brasileiro de frango também está acima da média para a região da América Latina, que é

de 31,9 kg, segundo a Fitch Solutions.

As estimativas foram divulgadas no

relatório em que a Fitch Solutions ava-

lia as tendências nos gastos com ali- mentos dos brasileiros, considerando as quatro principais categorias: carnes, lácteos, pães e bolos, arroz e cereais. Juntas, essas categorias representam 80,6% dos gastos dos brasileiros com alimentação.

80,6% dos gastos dos brasileiros com alimentação. A Fitch Solutions identifica uma ten- dência de aumento

A Fitch Solutions identifica uma ten- dência de aumento nos gastos valori- zando conveniência, com expectativa de crescimento na demanda por mas- sas.

N

de crescimento na demanda por mas- sas. N CARNETEC Distribuição gratuita. Permitido imprimir no formato A3

Interesses relacionados