Você está na página 1de 4

Bibliografia da disciplina eletiva: “O canto na indústria fonográfica latino-

americana”
AGUIAR, Ronaldo Conde. As divas do rádio nacional: as vozes eternas da Era de Ouro.
Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2010.

AKOTIRENE, Carla. O que é interseccionalidade? Belo Horizonte: Letramento, 2018.

ANDRADE, Mário de. “Samba rural paulista”. In: CARNEIRO, Edson (org.). Antologia
do negro brasileiro: de Joaquim Nabuco a Jorge Amado, os textos mais significativos
sobre a presença do negro em nosso país. Rio de Janeiro: Agir, 2005.

BOAL, Augusto. A estética do Oprimido. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

CAMPOS, Augusto de. Balanço da bossa e outras bossas. São Paulo: Perspectiva, 2005.

CARDOSO FILHO, Marcos Edson. “Vozes sem os seus corpos: o som da canção gravada
por cantoras no começo do século XX no Brasil”. Anais do XVII Congresso da
ANPPOM, São Paulo, 2007.

CARVALHO, Dalila Vasconcellos, de. O gênero da música: A construção social da


vocação. São Paulo: Alameda, 2012.

CASTRO, Ruy. Carmen: Uma biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

_____________. A noite do meu bem: A história e as histórias do samba-canção. São


Paulo: Companhia das Letras, 2015.

CAVARERO, Adriana. Vozes plurais: Filosofia da expressão vocal. Belo Horizonte:


Editora UFMG, 2011.

DAVIS, Ângela. Mulheres, raça e classe. São Paulo: Boitempo, 2016.

DUARTE, Heloísa de Araújo. As vozes da canção na mídia. São Paulo: Via


Lettera/FAPESP, 2003.

DUARTE, Paulo Sérgio; SANTUZA, Cambraia Neves (org). Do samba-canção à


tropicália. Rio de Janeiro: Relume Dumará/FAPERJ, 2003.

FORIN JUNIOR, Renato. "Confluências do teatro e da música popular no espetáculo de


Maria Bethânia". Moringa, artes do espetáculo, João Pessoa, v.4, n.2, jul/dez. 2013.
GARCIA, Tânia Costa. “Nova Canção: manifesto e manifestações no cenário político
mundial dos anos 60”. Actas del VI Congreso Latinoamericano de la Asociación
Internacional para Estudio de la Música Popular, v. 4, p. 15-26, 2005.

GONZALEZ, Lelia. “Racismo e sexismo na cultura brasileira”. Revista Ciências Sociais


Hoje, Anpocs, 1984, p. 223-244.

JOYCE. Fotografei você na minha rolleyflex. Rio de Janeiro: Multiletra, 1997.


LEE, Rita. Rita Lee: uma autobiografia. São Paulo: Globo, 2016.

LOBERT, Rosemary. A palavra mágica: a vida cotidiana do Dzi Croquettes. Campinas:


UNICAMP, 2010.

LOPES, Nei. Partido-alto: samba de bamba. Rio de Janeiro: Pallas, 2008.

LOUZEIRO, José. Elza Soares: Cantando para não enlouquecer. São Paulo: Globo,
1997.
LUNARDI, Rafaela. Em busca do "Falso Brilhante": Performance e projeto autoral na
trajetória de Elis Regina (Brasil, 1965-1976). 310 f. Dissertação (Mestrado) –

MACHADO, Regina. Da intenção ao gesto interpretativo: análise semiótica do canto


popular brasileiro. 192 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências
Humanas, Universidade de São Paulo (USP), 2012.

Matos, Cláudia Neiva de; Travassos, Elizabeth; Medeiros, Fernanda Teixeira de (org).
Palavra Cantada: Ensaios sobre Poesia, Música e Voz. Rio de Janeiro: 7Letras, 2008.
Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo (USP),
2011.

MOREIRA, Larissa Ibúmi. Vozes transcendentes: Os novos gêneros na música


brasileira. São Paulo: Hoo Editora, 2018.

MOURA, Roberto M. No princípio, era a roda: um estudo sobre samba, partido-alto e


outros pagodes. Rio de Janeiro: Rocco, 2004.

NAPOLITANO, Marcos. "A música popular brasileira (MPB) dos anos 70: resistência
política e consumo cultural". Anais do IV Congresso de la Rama latinoamericada del
IASPM, Cidade do México, 2002.

NOVAES, Anderson Lucas da Silva; MINUZZI, Marcus. “Música independente e mídias


sociais: produção, promoção e público”. Revista Panorama, Goiás, v.5, n.1, 2015.
OLIVEIRA, Sírley Cristina. “Grupo Opinião: experiência estética e política dos musicais
na década de 1960”. Anais do XIX Encontro Regional de História: Poder, Violência e
Exclusão, São Paulo, 2008.

PRADO, Bruna. Para gritar o céu: O canto como desobediência feminina à cultura dos
homens. Tese (Doutorado) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas
(UNICAMP), 2019.
RAGO, Margareth; MURGEL, Ana Carolina Arruda de Toledo (org.). Paisagens e
tramas: o gênero entre a história e a arte. São Paulo: Intermeios, 2013.

RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala? Belo Horizonte: Letramento, 2017.

RODRIGUES, Graziela. Bailarino-pesquisador-intérprete: processo de formação. Rio


de Janeiro: Funarte, 1997.

SANDRONI, Carlos. Feitiço decente. Transformações do samba no Rio de Janeiro


(1917-1933). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.: Editora UFRJ, 2001.

SANTANA, Marilda (org.). As bambas do samba: mulher e poder na roda. Salvador:


Edufba, 2016.

SODRÉ, Muniz. Samba, o dono do corpo. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.

TATIT, Luiz. O século da Canção. Cotia: Ateliê Editorial, 2004.

TINHORÃO, José Ramos de. História Social da Música Popular Brasileira. São Paulo:
Ed.34, 1998.

ULHÔA, Martha; OCHOA, Ana Maria (org.). Música Popular na América


Latina: Pontos de Escuta. Porto Alegre, RS: UFRGS, 2005.

VICENTE, Eduardo; DE MARCHI, Leonardo. “Por uma história da indústria fonográfica


no Brasil (1900-2010): uma contribuição desde a Comunicação Social”. Música Popular
em Revista, Campinas, ano 3, v.1, 2014.

VELASCO, Fabiola. “La Nueva Canción Latinoamericana: Notas sobre su origen y


definición.” Presente y Pasado. Revista de Historia, 2007.

WARNER, Michael. Públicos y contrapúblicos. Barcelona: Museu d’Art Contemporani


de Barcelona, 2008

ZUMTHOR, Paul. Performance, leitura e recepção. Cosacnaify: São Paulo, 2004