Você está na página 1de 18

CENTRO UNIVERSITÁRIO FEI

ANTONIO VITOR GROSSI BASSI


DANILO CORREIA LIMA

Sensor de temperatura

São Bernardo do Campo


2019
ANTONIO VITOR GROSSI BASSI
DANILO CORREIA LIMA

Sensor de temperatura

Relatório de projeto da disciplina eletrônica III,


apresentado no centro de laboratórios elétricos
do Centro Universitário FEI. Orientado pelo
Prof. Aparecido Sirley Nicolett.

São Bernardo do Campo


14/11/2019
RESUMO

Em projetos em larga escala, a necessidade de se controlar as diversas variáveis que podem vir
a afetar a performance de um sistema é de grande interesse para a engenharia. Sensores são
componentes que fornecem a leitura dessas variáveis a partir da instrumentalização de
grandezas físicas e as convertendo através de transdutores. Neste projeto, será estudado e
construído um sensor de temperatura capaz de fornecer uma leitura entre 20 e 75 graus celsius.

Palavras-chave: Sensor. Temperatura. Termômetro.


LISTA DE ILUSTRAÇÕES

Figura 1 - Diagrama de blocos do sistema. ................................................................................ 2


Figura 2 - Módulo do circuito projetado. ................................................................................... 3
Figura 3 - Amplificador não inversor de ganho 10. .................................................................. 4
Figura 4 - Esquema de resistências utilizadas . ......................................................................... 5
Figura 5 - Circuito Comparador . ............................................................................................... 6
Figura 6 - Circuito Completo . ................................................................................................... 7
Figura 7 – Fonte Simétrica . ....................................................................................................... 8
Figura 8 – Montagem do amplificador . ..................................................................................... 9
Figura 9 - Montagem dos resistores . ........................................................................................ 9
Figura 10 - Montagem dos comparadores................................................................................10
Figura 11 - Montagem dos led´s..............................................................................................10
Figura 12 - Resultado Final......................................................................................................11
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ..................................................................................................................... 1
2 METODOLOGIA.................................................................................................................. 2
2.1 MODELAGEM DO SISTEMA .................................................................................. 2
3 SIMULAÇÃO ........................................................................................................................ 4
3.1 AMPLIFICADOR........................................................................................................4
3.2 RESITÊNCIAS............................................................................................................5
3.3 COMPARADOR.........................................................................................................6
3.4 CIRCUITO COMPLETO............................................................................................6
4 MONTAGEM ........................................................................................................................ 7
4.1 FONTE SIMÉTRICA..................................................................................................8
4.2 AMPLIFICADOR........................................................................................................8
4.3 RESISTORES..............................................................................................................9
4.4 COMAPARADORES..................................................................................................9
4.5 LED´S........................................................................................................................10
5 RESULTADO FINAL EXPERIMENTAL ....................................................................... 11
6 CONCLUSÕES.................................................................................................................... 12
7 REFERÊNCIAS .................................................................................................................. 13
1 INTRODUÇÃO

A leitura das variáveis de controle em um sistema é um fator de extrema importância,


pois através delas é possível ter um melhor panorama em como o sistema está atuando e
monitorar a ocorrência de situações críticas. Para a eletrônica, a temperatura é uma variável de
importância pois ela afeta drasticamente a dinâmica de dispositivos semicondutores. Tendo em
vista a necessidade de se monitorar as condições térmicas, elaborou-se um sistema capaz de
mensurar a temperatura e informa-la através de um indicador de LEDS. A eletrônica envolvida
consiste em comparadores de tensão LM339n, um amplificador de FET’S de junção TL082, e
um sensor de temperatura LM35CZ de 10mV/°C, associados em uma placa de circuito.

1
2 METODOLOGIA

A ideia principal neste projeto é criar um dispositivo sensor de temperatura que opere
com a tensão de rede de 127 Volts e 60 Hertz, para tal tarefa necessita-se de um transformador
e uma fonte simétrica capaz de transportar AC para DC para que seja possível alimentar a
eletrônica responsável por transmitir a temperatura para o usuário. A partir das necessidades
comentadas estabeleceu-se etapas para a construção do sensor e serão discutidas na seção
subsequente.

2.1 MODELAGEM DO SISTEMA

Figura 1 - Diagrama de blocos do sistema.

Para que o sistema possa atuar, é necessária uma alimentação em tensão contínua, para
tal tarefa utiliza-se uma fonte simétrica, representada pelos blocos transformador, retificador de
onda completa e regulação de tensão. A fonte simétrica foi construída para que seja capaz de
transformar a tensão de rede para 36 Volts, retificar a forma de onda, filtrá-la e por fim regular
para 12 Volts. Para regular a tensão, utilizou-se 2 reguladores positivo e negativo, para que seja
possível fornecer duas saídas de tensão totalizando em um fornecimento de 24 Volts em tensão
contínua. Para o terminal de referência do circuito, utiliza-se uma derivação central do
transformador, a qual gera um terceiro terminal na fonte simétrica, totalizando assim em 3
terminais: 12 Volts positivo, 0 Volts e 12 Volts negativo.

2
Com as saídas da fonte simétrica, polariza-se o circuito amplificador TL082 e o sensor
de temperatura LM35CZ. Ambos são conectados de tal forma que o TL082 seja capaz de
amplificar a saída do sensor e transmiti-la aos comparadores. Optou-se pelo amplificador
TL082 de FET de Junção pelo fato de possuir uma tensão de offset baixa, o que viabiliza a
precisão na medida sem a necessidade de um circuito para correção. O sensor LM35CZ fornece
10 mV (milivolts) para cada grau celsius, ou seja, para uma temperatura de 20 graus, temos
uma saída de 200 mV.
Os comparadores diferenciais quádruplos, atuam no barramento de LEDS, controlando
a iluminação, a saída fornecida pelo TL082 é conectada ao terminal inversor do circuito,
enquanto a tensão de referência é conectada ao terminal não-inversor. A partir do momento que
a saída do amplificador ultrapassar a tensão de referência, o comparador irá polarizar o circuito
com o LED permitindo o fluxo de corrente.
O sistema será capaz de mensurar temperaturas entre 20°C e 75°C e para exibição
utiliza-se um barramento de 12 LEDS, os quais estão conectados a 3 circuitos integrados
contendo os comparadores diferenciais. Seguindo o modelo abaixo:

Figura 2 - Módulo do circuito projetado.

Foram utilizados 3 circuitos integrados LM339n, o que contém 12 comparadores


diferenciais que polarizam cada LED. As tensões de referência de cada comparador são obtidas
através de um barramento de resistores, dessa maneira, é possível derivar do barramento as
referências desejadas para o nivelamento de temperatura.

3
3 SIMULAÇÃO

Após o entendimento do funcionamento, o próximo passo seria projetar a melhor


maneira para que chegássemos no objetivo final, o sensor de temperatura. Para mensurar os
valores dos componentes, quantidade e resultado teórico, precisamos simular o circuito do
sensor de temperatura. Como ferramenta de simulação utilizamos o MultiSim, pois foi o que
nos é familiar, devido as aulas de eletrônica ministradas através dele.

3.1. AMPLIFICADOR

Como o LM35 não é um componente padrão do MultiSim, o substituímos por uma fonte
DC, cujo valor alternamos em consonância a temperatura que seria simulada. Primeiramente
projetamos um amplificador não inversor de ganho 10, através da formula:

𝑅39
𝐴𝑣 = 1 +
𝑅40

Para se obter o ganho 10, precisamos obter uma razão entre R39 e R40 de 9. Para valores
comerciais, os valores escolhidos foram de 2KΩ e 18KΩ. A figura a seguir mostra o bloco de
simulação, e os respectivos resultados para uma temperatura de 40º C:

Figura 3 – Amplificador não inversor de ganho 10

4
3.2 RESISTORES

Projetado o amplificador, o próximo passo foi modelar as tensões de referência de cada


comparador. Para isso, a estratégia foi usar as quedas de tensões constantes em uma fileira de
resistores em série e de mesmo valor. Como queríamos uma sensibilidade de 5º C, o circuito
foi projetado para que a tensão em cada tensão fosse de 0,5 V. Para calcular a quantidade
resistores que iriamos usar foi feito o cálculo:

12
𝑁𝑢𝑚𝑒𝑟𝑜 𝑑𝑒 𝑟𝑒𝑠𝑖𝑠𝑡𝑜𝑟𝑒𝑠 = = 24 𝑟𝑒𝑠𝑖𝑠𝑡𝑜𝑟𝑒𝑠
0,5
Como a queda de tensão independe dos valores de resistores adotados, optamos por usar
a resistência de 10KΩ, pois, é de fácil acesso no mercado e nos proporciona um baixo consumo
de potência.
O bloco das resistências simulado no MultiSim foi:

Figura 4 – Esquema de resistências utilizadas

5
3.3 COMPARADOR

Após definida as tensões de referência, o que vem a seguir é definição do circuito


comparador que utiliza as tensões de referência, derivada da fileira de resistências e
estabelecidas em projeto. Na saída de cada comparador foi alocado um led com uma resistência
de 1KΩ que serve para o controle da corrente de polarização do LED. Quando a tensão de saída
do LM35 atinge ou ultrapassa a referência, o led na saída do mesmo acende indicando que a
temperatura foi atingida.
O circuito comparador foi projetado da seguinte maneira:

Figura 5 – Circuito comparador

3.4. CIRCUITO COMPLETO

Após a finalização de cada bloco separadamente, juntamos todos em um só circuito e


fizemos simulações que remetessem a situações empíricas. A simulação de uma temperatura
de 60º foi a seguinte:

6
Figura 6 – Circuito completo

4. MONTAGEM

Feita as simulações, o próximo passo foi a montagem do circuito. A principio a ideia foi
a montagem do circuito em uma placa de circuito impressa, porem devido ao tempo e pouca
experiencia do grupo com o assunto, não foi possível essa ideia. Então a segunda opção foi usar
a placa de fenolite e soldar as conexões manualmente.
Outra ideia do grupo foi inserção de alarme sonoro de temperatura máxima, mas
novamente devido ao tempo escasso e falta experiencia, não foi possível para o presente projeto.

7
4.1 FONTE SIMÉTRICA

Para a alimentação do circuito, foi decido que seria feita uma simétrica. A montagem
da mesma foi de feita de forma eficiente divido a conhecimentos adquiridos previamente nas
matérias da disciplina de eletrônica.
O resultado da montagem foi:

Figura 7 – Fonte Simétrica

4.2 AMPLIFICADOR

A montagem do amplificador também ocorreu sem problemas, com o seu


funcionamento sendo bem fiel ao simulado no software de simulação. O grupo acho esse
circuito o mais simples de ser montado, pois, a matéria de eletrônica 2 nos deu bastante
experiencia sobre esse tipo de montagem.

8
O resultado da montagem foi:

Figura 8 – Montagem do amplificador

4.3 RESISTORES

Outra montagem simples, pois se trata de uma ligação em serie de resistores, o que
deixa o processo de soldagem um pouco mais fácil.
O resultado da montagem dos resistores foi:

Figura 9 – Montagem dos resistores

4.4 COMPARADORES

Esse foi o circuito mais complexo, na opinião do grupo, de ser montado na pratica, pois,
devido a muitas conexões e todas próximas umas das outras, a montagem torna-se minuciosa e
demorada. Acabamos tendo uma ocorrência nessa parte da montagem, pois, um dos circuitos
integrados estava apresentando funcionamento diferente do normal, acarretando no atraso no
processo de soldagem, logo, atrasando o desenvolvimento do projeto. O problema foi
solucionado trocando o CI defeituoso.

9
O resultado da montagem foi:

Figura 10 – Montagem dos comparadores

4.5 LED´S

Nesse bloco tivemos o cuidado de testar todos os LEDs individualmente, para que
tivéssemos a certeza de estar usando algum queimado ou com algum defeito. A placa de
fenolite aonde foi depositado os Led´s foi serrado após a montagem para deixar com uma
aparência melhor e também facilitou o manuseio da mesma. Aqui também adicionamos
bornes de conexão para os sinais vindo dos comparadores, o que dimunuiu o risco de
rompimento de jumpers ou até mesmo curtos-circuitos.
O resultado da montagem foi:

Figura 11 – Montagem dos Led´s

10
5. RESULTADO FINAL EXPERIMENTAL

Após a montagem de cada bloco individualmente, juntamos todos para que nosso sensor
de temperatura pudesse ser testado e entrar em funcionamento. Nos primeiros testes, alguns
Led´s apresentaram mal funcionamento, devido a um dos CI´s disponibilizados estar com um
de seus 4 amp-ops queimado. O problema foi rapidamente resolvido com a troca de CI, e o
sensor de temperatura tornou a funcionar muito bem.
Ao final dos testes, acomodamos com cola quente os blocos do circuito, juntos em uma
placa de madeira, apoiados por uma tira para que não force os jumpers de conexões, evitando
curtos-circuitos e rompimento de ligações.
O resultado final da montagem pode ser observado na imagem a seguir:

Figura 12 – Resultado Final

11
6. CONCLUSÕES

Podemos tirar algumas conclusões após a conclusão do projeto descrito da melhor forma
possível nesse documento, para que nos possam fornecer um Nohall para tarefas semelhantes
em nosso ramo de atuação.
Uma característica que fica evidente nesse circuito proposto, é a dificuldade de ser
implementado em componentes discretos e de forma manual, pois, devido há diversos fatores
que vão de alta variação nas características dos componentes (resistores, circuitos integrados,
capacitores, etc..) utilizados no processo de montagem, a variações ambientais externas e que
fogem do controle. Devido a essa volatilidade dos componentes utilizados, muitas ocorrem
erros de valor final que não podem ser desprezados e acabam afetando a qualidade do sistema.
Apesar do desafio que é a implementação desse circuito manualmente e componentes
voláteis, o nosso grupo ficou com a sensação de que após a finalização desse projeto, estamos
preparados para muitos dos desafios que nos aguardam na carreira profissional, pois, as
dificuldades que esse tipo de trabalho nos impõem, fazendo que cada um do grupo se supere a
cada dia que passa, acaba nos trazendo uma bagagem que se fosse por um método diferente
levaria muito mais tempo para ser adquirida.

12
7. REFERÊNCIAS

 https://www.alldatasheet.com/datasheet-pdf/pdf/84700/TI/LM339N.html
 https://www.alldatasheet.com/datasheet-pdf/pdf/28777/TI/TL082.html
 https://www.alldatasheet.com/datasheet-pdf/pdf/557986/TI1/LM35CZ.html

13