Você está na página 1de 9

c c 

c

 

    
  

 c    


 — 




    

 
  
 ! "#


$
%&

Conhecer, reconhecer e acima de tudo compreender a


formação humana no planeta, é o motivo da realização deste
trabalho.

A intenção aqui é apresentar como, através dos


tempos as transformações ocorriam no planeta.
Y

Y
Y

O 

A era geológica Arqueozóica é caracterizada pela


formação da crosta terrestre, em que surgiram os escudos
cristalinos e as rochas magmáticas, nos quais encontramos as
mais antigas formações de relevo. Esse período teve início a,
aproximadamente, 4 bilhões de anos atrás.

  

Estima-se que essa era geológica teve início a cerca de


2,5 bilhões de anos atrás e findou-se há 550 milhões de anos.
Durante esse período ocorreu intensa atividade vulcânica, fato que
promoveu o deslocamento do magma do interior da Terra para a
superfície, originando os grandes depósitos de minerais metálicos,
como, por exemplo, ferro, manganês, ouro, etc. Na era geológica
do Proterozóico ocorreu grande acúmulo de oxigênio na
atmosfera. Também ficou caracterizada pelo surgimento das
primeiras formas de vida unicelulares avançadas.



A era Paleozóica prevaleceu de 550 a 250 milhões de


anos atrás. Nesse período a superfície terrestre passou por
grandes transformações, entre eles estão o surgimento de
conjuntos montanhosos como os Alpes Escandinavos (Europa).
Essa era geológica também se caracterizam pela ocorrência de
rochas sedimentares e metamórficas, formação de grandes
florestas, glaciações, surgimento dos primeiros insetos e répteis.
Os dinossauros surgiram na era Mesozóica



A era Mesozóica iniciou-se a cerca de 250 milhões de


anos atrás, ela ficou marcada pelo intenso vulcanismo e
conseqüente derrame de lavas em várias partes do globo.
Também ficou caracterizada pelo processo de sedimentação dos
fundos marinhos, que originou grande parte das jazidas
petrolíferas hoje conhecidas. Outras características dessa era
geológica são: divisão do grande continente da Pangea,
surgimento de grandes répteis, como, por exemplo, o dinossauro,
surgimento de animais mamíferos, desenvolvimento de flores nas
plantas.



Essa era geológica está dividida em dois períodos:


Terciário (aproximadamente 60 milhões de anos atrás) e
Quaternário (1 milhão de anos atrás).
- Terciário: Caracterizado pelo intenso movimento da
crosta terrestre, fato que originou os dobramentos modernos, com
as mais altas cadeias montanhosas da Terra, como os Andes
(América do Sul), os Alpes (Europa) e o Himalaia (Ásia). Nessa era
geológica surgiram aves, várias espécies de mamíferos, além de
primatas.
- Quaternário: Era geológica que teve início há cerca
de 1 milhão de anos e perdura até os dias atuais. As principais
ocorrências nesse período foram: grandes glaciações; atual
formação dos continentes e oceanos; surgimento do homem.

A TERRA PRIMITIVA

Uma vez comprovada a veracidade da biogênese e a


inviabilidade da abiogênese, a ciência depara-se com um novo
problema: se a vida surge de vida preexistente, como e quando
apareceu o primeiro ser vivo ? Na tentativa de responder a essa
questão, surgiram varia hipóteses.

A mais aceita atualmente, a hipótese heterotrófica


supõe que os primeiros seres vivos eram heterótrofos
extremamente simples, que surgiram através da evolução lenta da
matéria bruta, nas condições muito especiais da Terra primitiva.
Observe que, embora tanto a hipótese heterotrófica quanta a da
geração espontânea admitam que a vida pode se originar de
matéria bruta, existem diferenças importantes entre uma e outra.
A geração espontânea admite a transformação súbita
da matéria bruta em vida relativamente complexa, a qualquer
momento; a hipótese heterotrófica supõe uma evolução lenta da
matéria inanimada em vida extremamente simples, sob as
condições especiais da Terra primitiva.

mas a aceitação da hipótese heterotrófica requer uma explicação a


respeito das fontes alimentares utilizadas pelos primeiros seres
vivos, uma vez que os heterotróficos necessitam de alimento pré-
fabricado para garantir sua subsistência. Para todas essas
explicações, devemos considerar as condições reinantes na Terra
Primitiva, antes do aparecimento da vida.

A Terra primitva
Estima-se que os primeiros seres vivos surgiram na Terra
há cerca de 3,5 bilhões de anos e que o nosso planeta tem
aproximadamente 5 bilhões de anos. Portanto, em parte de sua
existência a Terra foi despovoada; nesse período teria tido tempo
suficiente para se "preparar" para abrigar os primeiros seres vivos.
A hipótese heterotrófica considera alguns pontos que são
fundamentais na explicação do aparecimento de vida na Terra. Por
isso, discorreremos sobre as principais evidências das condições
existentes.

Os gases predominantes na atmosfera da Terra


primitiva não eram os mesmo de agora (N2 e O2). Esses gases
seriam principalmente a amônia (NH3), o metano (CH4), o
hidrogênio (H2) e o vapor da água (H2O).
A condensação do vapor de água originava chuvas
que caíam sobre a crosta quente. Assim, a água evaporava -se
rapidamente e novas condensações originavam novas
tempestades, constituindo um ciclo ativo de chuvas, que eram
acompanhadas por inúmeras descargas elétricas (raios).
A ausência de uma camada de ozônio perfeitamente formada
acarretava num verdadeiro "bombardeio" da superfície terrestre
por radiações ultravioleta de alta intensidade.

EXTINÇÃO DOS DINOSSAUROS

Existem várias questões acerca da origem da vida,


sobre os animais do passado e entre outros enigmas que sempre
acompanhou o homem.
Os Dinossauros, que são animais pré-históricos,
instigam vários ramos das ciências que tentam descobrir o que
ocasionou o fim dos Dinossauros.

Foram muitos os direcionamentos, as teorias, as discussões, mas


de forma conjunta os cientistas chegaram a uma conclusão depois
de muito estudar as rochas do período mesozóico. Nesse período
havia caído na terra um meteoro de grande proporção, com
tamanho entre 6 e 14 km, colidindo com a Terra a uma velocidade
aproximada de 72.000 Km/h, isso provocou a abertura de uma
cratera de aproximadamente 200 km de diâmetro Após a colisão,
restou um rasto de destruição na área atingida, sem cont ar que
levantou uma camada de poeira que impediu a entrada de luz
solar, alguns cientistas dizem que essa nuvem de poeira
permaneceu por seis meses na atmosfera, é bom lembrar que o
impacto foi tão forte que alterou o eixo da terra.
A partir daí foram sucessivas perdas, primeiramente a
terra entrou em um processo de resfriamento, como conseqüência
as plantas não puderam realizar a fotossíntese, então os animais
que dependiam das plantas para se alimentar (herbívoro)
acabaram morrendo de fome assim como seus predadores. Essa
é uma das teorias mais aceitas entre os cientistas, mas existem
controvérsias, pois outro grupo acredita que foram as alterações
climáticas, próprias das evoluções da Terra, que levaram o fim dos
Dinossauros.
CONCLUSÃO

Através de pesquisas das rochas e dos fósseis,


cientistas estimam que a Terra tenha aproximadamente 4 bilhões
de anos, durante todo esse período ela passou por grandes
transformações, processo classificado como eras geológicas. As
diferentes eras geológicas correspondem a grandes intervalos de
tempo, divididos em períodos. A alternância das eras geológicas
foi estabelecida através de alterações significativas na crosta
terrestre, sendo, portanto, classificadas em cinco eras geológicas
distintas: Arqueozóica, Proterozóica, Paleozóica, Mesozóica e
Cenozóica.
Aprendemos sobre as eras geológicas, que
demonstram as transformações imitações no planeta acontece
constantemente, minuto a minuto, segundo a segundo.

Compreende se também que hoje, século XXI, o


homem é o grande transformado planetário.

Espera se que a humanidade perceba que a nossa


moradia necessite de uma reforma urgente.
±ibliografia

WWW.±RASILESCOLA.COM/±IOLOGIA.

WWW. WINKIPEDIA.COM. ±R

LIVRO: ±ARSA