Você está na página 1de 2

DHCP

Definição: Conhecido como DHCP o Dynamic Host Configuration Protocol é


um Protocolo de Configuração Dinâmica de Cliente, ou seja com este protocolo
é possível fornecer de maneira automática, dinâmica ou manual. IP’s para
equipamentos conectados à rede do servidor DHCP, sendo esses as três
maneiras de Operação deste protocolo.
Alocação automática é usada pelo servidor para configurar um equipamento
com um IP de maneira permanente, ou seja mesmo que o equipamento não
esteja mais utilizando este IP, este IP ficara inutilizável.
Alocação Dinâmica é a maneira que dá nome ao protocolo já que com ela o
servidor consegue fornecer um IP para o equipamento por um período de
tempo, caso o cliente não o esteja usando mais o servidor consegue fornecer
este IP par um novo equipamento, caso o primeiro equipamento ainda esteja
usando o IP o protocolo fornece uma prorrogação do tempo.
Com a Alocação manual o servidor DHCP somente entrega o IP que o
administrador da rede já deixou pre configurado para aquele equipamento que
está solicitando IP (este método é muito usado quando é necessário um
gerenciamento e controle para determinado equipamento que precisa de um
endereço fixo ou para impossibilitar que equipamentos não autorizados se
conectem à rede).
Histórico:
O protocolo DHCP é tido como uma espécie de evolução de um antigo
protocolo chamado BOOTP. Muito utilizado em sistemas Unix, o BOOTP
permitia a configuração automática de impressoras e máquinas clientes em
uma rede. Esse processo era feito associando um número MAC - já explicado
acima - a um endereço IP (ou a outro parâmetro).

Com o passar do tempo, o BOOTP se mostrava cada vez mais limitado,


principalmente porque não era muito eficiente na configuração de redes
grandes. Devido a isso, no início da década de 1990, o grupo IETF (Internet
Engineering Task Force) trabalhou no desenvolvimento de um protocolo
substituto, que fosse capaz de superar as limitações do BOOTP e que
adicionasse recursos novos. Surgia então o DHCP.

Diferença do método de atribuição manual: Com o DHCP existe um melhor


aproveitamento para as necessidades na rede, permitindo usar mais que um
dos modos de alocação citados no tópico “Definição“, se comparado com a
maneira estática de configurar onde é necessário a configuração de todos os
equipamentos da rede independentemente da quantidade, configurar um a um
levaria um tempo desnecessário. Com o DHCP é possível configurar o
servidor para fornecer um IP fixo para determinados servidores, roteadores na
mesma rede, e deixar o restante dos IP’s para ser configurado de maneira
dinâmica ganhando eficiência e tempo no processo.

Como o cliente consegue um IP?


Para adquirir um IP os equipamentos clientes envia um pacote DHCP do tipo
DHCPDISCOVER. Este pacote é identificado como um pacote de descoberta
sendo enviado ao endereço 255.255.255.255 ou seja o broadcast da rede zero
ou seja 0.0.0.0.
Caso o servidor DHCP esteja na mesma rede (física) que o cliente ele recebe
este pacote e retorna um pacote do tipo DHCPOFFER sendo considerado um
pacote de oferta para o cliente que solicitou. Onde oferta e reserva um IP da
lista de IP’s disponíveis para este cliente.
Após receber o pacote DHCPOFFER o cliente envia um pacote do tipo
DHCPREQUEST que pede uma confirmação para começar a usar o IP
oferecido. Este pacote também é enviado pelo broadcast da rede zero para
informar a outros servidores DHCP na rede, que possam liberar o IP que
reservaram e ofertaram a este cliente.
E por fim o servidor DHCP envia uma pacote DHCPACK, dando permissão ao
cliente à usar o IP reservado.
Outros pacotes que podem ser enviados são DHCPNAK que é enviada
quando o tempo de uso do IP foi inspirado, DHCPDECLINE que informa ao
servidor que o endereço já está sendo usado , DHCPRELEASE é enviado
quando o cliente renuncia ao IP que está usando e pede que o servidor
coloque o na lista de IPS disponíveis para outros clientes, e o DHCPINFORM
usado quando o cliente solicita apenas configurações de parâmetros, já que o
cliente já foi configurado com um IP.