Você está na página 1de 569

GE Healthcare

Instruções de Uso

Sistema de Ultra-som Voluson i

VOLUSON i

Fabricante:
GE Healthcare Austria Gmbh & Co OG
Tiefenbach 15 4871 Zipf Austria

Distribuidor Internacional:
GE Healthcare Austria Gmbh & Co OG
Tiefenbach 15 4871 Zipf Austria

GE Medical Systems Ultrasound & Primary Care Diagnostics, LLC


PO Box 414, Milwaukee, Wisconsin 53201 EUA

Distribuidor no Brasil:
GE HEALTHCARE CLINICAL SYSTEMS EQUIPAMENTOS MÉDICOS LTDA
Avenida das Nações Unidas, 8501 2º Andar (Parte) Pinheiros
São Paulo CEP: 05425-070
TEL: 11 3067-8000
FAX: 11 3067-8280

Resp. Técnico: Engo. Luciano Oliveira Ferreira CREA/SP 5062100345

Reg. MS: 80035360022

Software: Versão 8.2.x


GE Healthcare

Voluson® i
Manual básico do usuário - Português (Portuguese)

HCAT# H48671HH
Revisão 4
© 2010 pela General Electric
Histórico de revisão

Revisão Data

Versão de validação ME Fevereiro de 2008

Versão de validação MV Abril de 2008

Revisão 1 Setembro de 2008

Revisão 2 Novembro de 2008

Revisão 3 Outubro de 2009

Revisão 4 Agosto de 2010

i-ii Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Índice analítico

Capítulo 1 Geral
Geral
Capítulo 2 Segurança
Segurança
Etiquetas e símbolos- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 2-3
Instruções importantes para segurança - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 2-6
Instalação elétrica- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 2-8
Observações para uma utilização segura - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 2-9
Condições ambientais para a operação - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 2-10
Instruções de uso - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 2-10
Linhas de Biópsia - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 2-11
Limpeza e Manutenção - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 2-11
Teste de segurança - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 2-12
Responsabilidade do fabricante - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 2-13
Documentos do serviço - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 2-13
Interação Básica entre Ultra-som e Matéria- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 2-14
Resolução e Sensibilidade 3D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 2-22
Eliminação - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 2-23
Capítulo 3 Primeiros passos
Primeiros passos
Descrição do Produto - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 3-2
Preparando a unidade para utilização- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 3-3
Design Mecânico - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 3-7
Montagem do Sistema - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 3-8
Conceito de operação - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 3-11
Manual do Usuário Eletrônico (MUE) - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 3-21
Capítulo 4 Operações Básicas de Varredura
Operações de Varredura
Observações gerais - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 4-2
Aviso de Segurança - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 4-2
Mudando On/Off - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 4-2
Desligando a unidade - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 4-3
Conexão do Transdutor - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 4-4
Seleção transdutor/programa- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 4-5
Introduzir dados do paciente - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 4-7
Anotação da imagem - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 4-26
Capítulo 5 Modo 2D
Modo 2D
Menu Principal 2D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 5-2
Operação 2D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 5-3
Visualização XTD - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 5-17
Sub Menu 2D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 5-25
Capítulo 6 Modo M -Modo de Movimento
Modo M
Menu principal M - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 6-3
Operação M - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 6-3
Sub Menu M- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 6-7
Modo MCFM (Modo de Fluxo de Cor M) - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 6-9
Cineloop MCFM - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 6-14

Voluson® i Manual básico do usuário i-iii


H48671HH Revisão 4
Sub Menu MCFM - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 6-14
Capítulo 7 Modo PW - Modo de onda pulsada
Modo PW
Modo PW (Pulsed Wave Doppler) - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 7-2
Menu principal PW - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 7-3
Operação PW- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 7-3
Taxa de Velocidade (PRF)- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 7-8
Rastreamento em tempo real- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 7-8
Congelar - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 7-9
Cineloop PW - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 7-9
Sub Menu PW - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 7-10
PW + 2D + Informação de Cor (Modo Triplex) - - - - - - - - - - - - - - - - - - 7-12
Capítulo 8 Modo de fluxo a cores
Modo CFM (Modo de Fluxo a Cores)
CFM Main Menu - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 8-2
Operação CFM- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 8-3
Sub Menu CFM - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 8-7
CFM + 2D + Spectral Doppler (Triplex Mode) - - - - - - - - - - - - - - - - - - 8-15
Capítulo 9 Modo doppler de potência
Modo PD (Modo doppler de potência)
Menu principal PD - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 9-3
Operação PD - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 9-3
Sub Menu PD- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 9-7
Fluxo HD - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 9-12
Capítulo 10 Volume Mode (Modo volume)
Volume Mode (Modo volume)
Primeiros passos - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 10-2
Modos de captação- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 10-5
Modos de visualização - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 10-30
Modos de exibição e modos de visualização especial - - - - - - - - - - - 10-68
Cines- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 10-81
Volume ultra-som - teoria - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 10-85
Capítulo 11 Utilities (Utilitários)
Utilities (Utilitários)
Mapa cromático de cinzentos- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 11-3
Histograma - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 11-8
Internet - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 11-10
Visualização a Linha-guia da biópsia - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 11-10
Índices Térmicos - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 11-11
Capítulo 12 Medições genéricas
Medições genéricas
Operações básicas - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 12-3
Medições no modo 2D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 12-5
Medições no modo M - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 12-13
Medições no modo D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 12-15
Para Trocar as Aplicações de Medição - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 12-19
Para Ver a Folha de trabalhos genérica - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 12-20
Precisão de medição do sistema - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 12-21
Capítulo 13 Cálculos e folhas de trabalho do paciente
Cálculos e Folhas de Trabalho do Paciente (Relatórios)
Funcionalidade de cálculo básico - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-3
Funções básicas da folha de trabalho do paciente - - - - - - - - - - - - - - - 13-6
Cálculos do abdômen - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-13
Abdômen - Folha de trabalho- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-21
Cálculos das partes pequenas - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-22
Partes Pequenas - Folha de trabalho - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-24
Cálculos obstétricos - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-25
Obstetrícia - Folha de trabalho - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-34

i-iv Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Cálculos cardíacos - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-40
Cardiologia - Folha de trabalho - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-56
Cálculos de urologia - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-57
Urologia - Folha de trabalho- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-59
Cálculos vasculares - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-60
Vascular - Folha de trabalho - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-61
Cálculos ginecológicos - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-62
Ginecologia - Folha de trabalho - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-64
Cálculos pediátricos - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-65
Pediatria - Folha de trabalho - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-67
Cálculos de neurologia - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-68
Neurologia - Folha de trabalho - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13-70
Capítulo 14 SonoView
SonoView
Selecionar exames - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 14-3
Rever imagens - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 14-10
Ferramentas- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 14-14
Capítulo 15 Exportar & Imprimir
Exportar & Imprimir
Teclas programáveis- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 15-2
Imprimir - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 15-4
Salvar - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 15-6
Exportar- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 15-8
Capítulo 16 Configuração do sistema
Configuração do sistema
Introdução - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 16-2
Geral - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 16-4
Configurações do usuário - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 16-8
P1-P2-P3 - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 16-15
Opções - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 16-16
Serviço - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 16-18
Cópia de segurança - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 16-18
Rede - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 16-27
Informações do sistema - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 16-41
Capítulo 17 Configuração da medição
Configuração da medição / Configuração da biópsia
Chamar o procedimento de configuração - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 17-3
Sair da configuração de medição - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 17-4
Páginas da configuração de medição - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 17-4
Configuração da biópsia - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 17-24
Capítulo 18 Sondas e biópsia
Sondas e biópsia
Segurança da sonda - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 18-2
Introdução - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 18-4
Aplicações - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 18-9
modos de imagiologia - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 18-10
Configurações - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 18-11
Uso de transdutor - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 18-12
Instruções de manuseamento especial - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 18-14
Manuseamento de transdutor e controle de infecção - - - - - - - - - - - - 18-15
Cuidados e manutenção - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 18-22
Questões especiais relativas à biópsia - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 18-24
Capítulo 19 Periféricos e itens opcionais
Periféricos e itens opcionais
Como ligar dispositivos auxiliares em segurança - - - - - - - - - - - - - - - - 19-2
Ligar acessórios externos - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 19-3
Ligações internas e externas - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 19-3
Ligação de Periféricos (panorâmica)- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 19-5

Voluson® i Manual básico do usuário i-v


H48671HH Revisão 4
Itens opcionais - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 19-12
Capítulo 20 Dados técnicos
Dados / Informações Técnicas
Dados básicos - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-3
Fonte de alimentação - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-4
Bateria- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-7
Transmissor - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-9
Receptor - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-9
Conversor de exame- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-10
Memória Cine Loop- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-10
Modos de visualização - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-11
Sinal/Processamento de imagem - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-11
Entrada dos dados - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-12
Memória do programa do usuário- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-12
Medições genéricas e cálculos- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-13
Módulo de exame de volume (opcional) - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-20
Doppler-espetral - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-21
Doppler em cores - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-22
Doppler de potência - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-23
Modo de HD-Flow- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-24
Saídas e Entradas Externas (Interfaces) - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-25
Monitor - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-25
Unidades - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-25
Carro de Acoplamento Voluson - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-26
Orientações e declaração do fabricante - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 20-26

i-vi Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Capítulo 1

Geral

Informação geral sobre o Voluson® i

Voluson® i Manual básico do usuário 1-1


H48671HH Revisão 4
Geral

1. Geral

Este Voluson® i é um sistema profissional de diagnóstico por ultra-som que transmite


ondas de ultra-som para os tecidos do corpo e forma imagens a partir da informação
contida nos ecos recebidos.
O Voluson® i é um produto médico de diagnóstico ativo pertencente à classe IIa de
acordo com a norma MDD 93/42/CEE relativa ao uso de pacientes humanos.
O Voluson® i foi desenvolvido e produzido pela empresa GE Medical Systems Kretztechnik
GmbH & Co OHG.
Para mais informações, entre em contato com:
GE Medical Systems Kretztechnik GmbH & Co OHG
Tiefenbach 15 A-4871 Zipf Áustria
Telefone:+43-7682-3800-0
Fax.:+43-7682-3800-47
Site:http://www.gehealthcare.com

Prezado cliente,
Gostaríamos, por meio desta, informá-lo que o Instituto Americano de Ultra-sonografia
em Medicina (AIUM) defende o uso responsável da ultra-sonografia diagnóstica. O AIUM
reprova expressamente o uso não médico de ultra-sonografia para fins psicossociais ou
de entretenimento.
O uso de ultra-sonografia bi-dimensional (2D) ou tri-dimensional (3D) com o único objetivo
de ver o feto, fazer, sem indicação médica, uma foto sua ou determinar seu sexo é
inapropriado e contrário à prática médica responsável.
Embora o uso geral de ultra-sonografia para diagnóstico médico seja considerado seguro,
a energia de ultra-som tem potencial para produzir efeitos biológicos. Os bioefeitos do
ultra-som podem advir da duração prolongada do exame, do uso inapropriado de ultra-
som Doppler pulsado sem indicação médica ou de configurações excessivas de índice
térmico ou mecânico (American Institute of Ultrasound in Medicine: Keepsake Fetal
Imaging; 2005).
Assim sendo, a ultra-sonografia deve ser usada de maneira prudente para proporcionar
benefício médico ao paciente.

1-2 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Capítulo 2

Segurança

Descreve o manuseamento seguro do Voluson® i e os sinais de aviso

Voluson® i Manual básico do usuário 2-1


H48671HH Revisão 4
Segurança

2. Segurança

O sistema de scanner Voluson® i portátil foi concebido para o paciente e para o usuário.
Leia todos os capítulos seguintes antes de ligar o aparelho! O fabricante garante
segurança e confiabilidade do sistema somente quando todas as precauções e
advertências são seguidas.
INDICAÇÕES DE USO
O sistema destina-se a ser utilizado por um médico ou sonógrafo qualificado em
avaliação por ultra-som em

aplicações clínicas: população de pacientes:

Fetal/Obstetrícia Idade: todas as idades (incl. embriões e


Abdominal/GYN (incl. monitorização de fetos)
infertilidade e desenvolvimento de Localização: em todo o mundo
folículos) Sexo: masculino e feminino
Pediátrica Peso: todas as categorias de peso
Órgãos pequenos (mama, testículos,
tiróide, etc.)
Cardíaca (coração do feto)
Vascular periférica
Músculo-esqueleto convencional e
superficial
Transvaginal e Transretal

Finalidade: aquisição de imagens para fins de diagnóstico incl. medições em imagem


adquirida.
Use somente para fins de diagnóstico!
CONTRA-INDICAÇÕES
O sistema Voluson® i não deve ser utilizado para aplicação oftálmica ou para qualquer
outra utilização em que o feixe acústico passe pelo olho.

2-2 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Segurança

2.1 Etiquetas e símbolos

2.1.1 Etiquetas de aviso utilizadas no Manual Básico do Usuário

NOTE: As etiquetas de aviso no manual do usuário devem ser lidas e seguidas antes de continuar!

Aviso:
Descreve as informações importantes que têm de ser lidas antes de operar.

Precaução:
Descreve as precauções gerais necessárias para proteger a saúde e o equipamento.

Risco Biológico:
Descreve as precauções necessárias para evitar o risco de transmissão de doenças ou
infecções.

Perigo Elétrico:
Descreve as precauções necessárias para evitar o risco de ferimentos devido a choques
elétricos.

Perigo de Explosão:
Descreve as precauções necessárias para evitar o risco de ferimentos devido a perigo de
explosão!

Perigo Mecânico:
Descreve as precauções necessárias para evitar o risco de ferimentos devido a perigo
mecânico!

Orientação:
Relaciona todas as principais seções nos capítulos, para orientação.

2.1.2 Símbolos e etiquetas no Sistema

Alguns símbolos utilizados em equipamentos médicos elétricos têm sido aceitos como
padrão pela norma IEC. Eles servem para marcar ligações, acessórios e também como
advertências.

Parte de aplicação de paciente


Interruptor de stand-by do sistema
isolado (Tipo BF)

Esta etiqueta é um marcador usado


Proteção contra os efeitos de
durante a fabricação e não é
imersão (transdutores)
relevante para o uso do dispositivo.

Voluson® i Manual básico do usuário 2-3


H48671HH Revisão 4
Segurança

Cuidado, consulte a
documentação. Este símbolo
chama a atenção para que o
Consulte a documentação. Este
usuário consulte a documentação
símbolo chama a atenção para que
que acompanha o material onde
o usuário consulte a
podem ser obtidas informações
documentação que acompanha o
importantes, tais como
material.
advertências e precauções que não
podem ser apresentadas no
próprio dispositivo.

Este símbolo é seguido do nome e Este símbolo é seguido da data de


do endereço do fabricante. fabricação, no formato AAAA-MM.

Este símbolo é seguido do número


Número do lote
de série do dispositivo.

Eliminação:
Número do catálogo ou do modelo. Veja Eliminação na página 2-23
para mais informações.

Este símbolo indica que, nos


Estados Unidos da América, a lei
Sistema aprovado pelo controle de federal restringe a venda deste
qualidade (opcional) dispositivo permitindo-a somente
por parte de médicos especialistas
ou sob pedido dos mesmos.

Rótulo de classificação da NRTL Rótulo GOST-Rl

Esse produto consiste de


dispositivos que podem conter
Em conformidade CE segundo a
mercúrio, os quais devem ser
Diretiva de Dispositivo Médico 93/
reciclados ou eliminados de acordo
42/EEC.
com as leis locais, estatais ou
0123: Número de identificação do
nacionais. (Neste sistema, as
organismo notificado do serviço do
lâmpadas de retroiluminação na
produto TÜV SÜD
visualização no monitor, contêm
mercúrio.)

Indica que o cabo de alimentação é


de classe hospitalar. O aterramento
seguro só pode ser obtido quando
Este símbolo indica a classificação Ponto verde no o equipamento é conectado a uma
PSE - obrigatória para o mercado plugue do cabo tomada equivalente que indique
japonês. de alimentação Hospital only (Somente hospital)
ou Hospital grade (Classe
hospitalar). Aplicável dependendo
das normas regulamentares locais.

2-4 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Segurança

Este texto indica a tensão para a


qual o dispositivo foi desenvolvido. Indica o consumo máximo de
Este dispositivo requer corrente potência nominal do sistema.
contínua.

Esta etiqueta representa a licença


do sistema operacional usado Indica um conector USB.
neste dispositivo.

Indica um conector de monitor. Indica um conector de rede.

Indica o LED de estado da


Indica o LED de estado da bateria.
alimentação. Veja Tabela de status
Veja Tabela de status do LED na
do LED na página 3-7 para mais
página 3-7 para mais informações.
informações.

Este símbolo indica o conector para Indica um conector de


uma trava de proteção contra acoplamento para conectar o
roubo. sistema à Estação do Voluson.

Contém informações de marketing


Indica o mecanismo de travamento sobre o VolusonClub. Para obter
do conector de transdutor. mais informações, contate o seu
revendedor local.

Este símbolo indica que a fonte de


alimentação foi aprovada pelo
controle de qualidade (opcional).

Esses símbolos indicam que pelo menos uma das seis substâncias perigosas da Diretiva de

10
Etiquetas RoHS da China se encontra acima do limite RoHS. O número dentro do círculo indica
o período de uso sem prejuízo ambiental (Environmental Friendly Use Period - EFUP). Esse
indica o número de anos que o produto, em uso normal, irá permanecer inofensivo para a
saúde dos seres humanos e do ambiente.

20
EFUP = 10 para produtos de pouco uso
EFUP = 20 para produtos de uso médio

Voluson® i Manual básico do usuário 2-5


H48671HH Revisão 4
Segurança

2.2 Instruções importantes para segurança


AS LEIS FEDERAIS RESTRINGEM A VENDA DESTE APARELHO AOS MÉDICOS
ESPECIALISTAS

O uso do sistema fora das condições descritas ou utilização prevista e o não


cumprimento das informações relacionadas com a segurança é considerado utilização
anormal.

Cuidado! Esta máquina deve ser usada em conformidade com a lei. Algumas jurisdições
restringem certas formas de utilização, tais como para a determinação de sexo.

O manual indica os transdutores que podem ser conectados ao aparelho. Pode


acontecer que algumas sondas NÃO estejam disponíveis em alguns países.
Algumas características e opções não estão disponíveis em alguns países.

Todas as referências aos padrões/regulamentações e suas revisões são válidas no


momento de publicação do Manual do usuário.

Os elementos visuais e as ilustrações neste manual são apenas para fins ilustrativos e
pode ser diferentes do que você verá na tela ou no dispositivo.

Este equipamento não pode ser usado em ambiente enriquecido com oxigênio ou na
presença de gases inflamáveis (por exemplo: gases anestésicos) devido ao risco de
explosão.

O sistema deve ser conectado somente a uma tomada principal totalmente intacta com
um fio-terra de segurança por meio de um cabo principal apropriado. O fio terra nunca
deve ser removido ou desconectado.

Os sistemas de ultra-som são instrumentos médicos extremamente sensíveis que podem


facilmente danificar-se se forem incorretamente manuseados. Manuseie-os com
cuidado e proteja-os contra danos também quando não estiverem em uso. NÃO utilize
um sistema de ultra-som danificado ou com defeitos. O não cumprimento destas
precauções pode resultar em lesões graves e em danos para o equipamento.

Não se deve remover nenhuma tampa ou tela do sistema (risco de alta-voltagem).


Somente a equipe técnica autorizada da GE Medical Systems deve prestar serviços
técnicos e realizar reparos. Reparos realizados por amadores invalidam a garantia, são
uma infração aos regulamentos e, por isso, são inadmissíveis de acordo com o IEC
60601-1. Consulte o Manual de assistência e verifique a vida útil estimada para o
equipamento e para os transdutores.

Houve casos de reações alérgicas graves ao látex (borracha natural) do material médico
utilizado. Recomenda-se que os técnicos identifiquem os pacientes com sensibilidade ao
látex e estejam preparados parar tratar as reações alérgicas rapidamente. Vide o Alerta
Médico MDA91-1 do FDA (órgão americano de Administração de Alimentos e Drogas).

2-6 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Segurança

Qualquer fonte de alimentação do equipamento adicional precisa ser confirmado com


IEC60601-1.

Não toque no paciente e nas linhas de entrada/saída de sinal ao mesmo tempo.

Desligue os cabos principais da fonte de alimentação e retire as baterias para deixar o


dispositivo sem corrente de energia.

Em procedimentos cirúrgicos, é necessário o uso de capa de proteção para evitar


contaminações e transferência de materiais contagiosos aos pacientes e à equipe da
área de saúde durante a operação dos sistemas.

Este equipamento não deve ser utilizado durante o transporte (p.ex. em ambulâncias,
aviões).

Use somente para fins de diagnóstico!

Interpretação errônea das imagens do ultrasom pode levar a diagnósticos incorretos.

A qualidade da imagem e a profundidade de penetração podem ser prejudicadas se o


equipamento for usado em tecidos adiposos.

O uso de método de compressão de volume, imagem ou vídeo de maior medida reduz a


qualidade da imagem, que pode levar a um diagnóstico falso.

A luz brilhante pode afetar a leitura no ecrã.

Voluson® i Manual básico do usuário 2-7


H48671HH Revisão 4
Segurança

Antes de instalar novos dispositivos periféricos ou outros itens opcionais no Voluson® i,


verifique se o dispositivo apresenta fendas ou danos. Se um dispositivo estiver danificado
ou apresentar fendas, contate o Serviço de Assistência local ou o OnlineCenter.

Não deixe cair o Voluson® i. Pode provocar danos graves no aparelho.

Não cubra os orifícios de ventilação do Voluson® i.

Não utilize com um desfibrilador. Este equipamento não dispõe de desfibrilador


aprovado.

Use somente com a fonte de alimentação fornecida. Veja Fonte de alimentação na


página 20-4 para mais informações.

2.3 Instalação elétrica


O sistema deve ser instalado exclusivamente em ambientes médicos. O equipamento
atende às regulamentações de segurança elétrica (EN60.601-1 resp. ÖVE-MG/EN60.601-1
e IEC 60601) e à classificação de segurança IIa de acordo com a regulamentação MDD 93/
42/EWG para uso em pacientes humanos. Os transdutores são classificados como Tipo
BF.

Antes de ligar o aparelho pela primeira vez, deve-se checar a voltagem e a freqüência
locais de acordo com os valores indicados no painel detrás do Voluson® i. Somente a
equipe autorizada deve realizar trocas no sistema. Modificações não autorizadas podem
provocar situações de risco.

A instalação mínima exigida é de 10A.

2-8 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Segurança

2.4 Observações para uma utilização segura


Perfil do operador: médicos qualificados e sonógrafos profissionais que possuam pelo
menos conhecimentos básicos em ultra-sons.
Informe-se sobre os transdutores e o sistema de ultra-som: leia todo o manual do
usuário!
Siga as instruções de segurança e também as precauções e medidas de higiene
clinicamente adotadas.
O fabricante não se responsabiliza por danos causados pelo uso incorreto do
aparelho!
Qualquer transdutor de ultra-som (sem restrição de sistema ou design) é sensível a
choques e deve ser manipulado com cuidado. Observe se há rachaduras, que podem
fazer com que fluidos condutivos vazem.
A equipe técnica autorizada deve somente realizar reparos. Nunca tente abrir o
transdutor ou o conector de transdutor. Isso resultaria na perda da garantia!
Evite torcer, dobrar ou entrelaçar os cabos do transdutor e tome cuidado para
protegê-los contra tensões mecânicas (por exemplo, rodas ou saltos).
Os transdutores não devem ser expostos a choques mecânicos (por ex., por
gotejamento). Qualquer dano causado por tal exposição invalida a garantia.
O sistema de scanner e os transdutores devem ser regularmente vistoriados (para
verificar defeitos nos cabos, na caixa, etc.) por uma equipe técnica autorizada!
Danos no transdutor ou no cabo podem conduzir a um risco de segurança, e por isso
devem ser consertados imediatamente!
Antes de ligar ou desligar um transdutor, ative o modo "FREEZE"!
A instalação e a primeira inicialização e verificação do sistema devem ser realizadas
por um especialista familiarizado com o manuseio e o uso do sistema.
O usuário deve ler e entender o manual do usuário antes de utilizar o aparelho. O
sistema deve ser operado somente por uma equipe técnica treinada e qualificada.
Por razões de segurança, evite manipular fluidos nas proximidades do sistema. A
entrada de líquidos na interface do usuário pode danificar o Voluson® i.
Coloque a unidade sempre na posição horizontal.
O manual do usuário deve estar sempre junto do sistema de scanner. É dever do
usuário assegurar isso!
Somente transdutores que estejam de acordo com os regulamentos do tipo BF podem
ser utilizados com o Voluson® i.
Veja o rótulo do transdutor. Em caso de dúvidas, pergunte ao serviço técnico autorizado.
O sistema Voluson® i foi testado para EMC e está em conformidade com o EN 55011
grupo 1 classe A (CISPR 11 emenda 1) e a EN 60601-1-2. O sistema Voluson® i foi
aprovado para o uso numa região residencial. Espera-se que o usuário tenha
experiência médica e leia o manual do usuário com muita atenção.
A qualidade da energia da rede deve ser a mesma utilizada em ambientes comerciais
e/ou hospitalares. Se a fonte de alimentação é suspensa/interrompida quando o
usuário necessita de uma operação contínua, recomenda-se que o sistema seja
conectado a uma fonte de alimentação ininterrupta (UPS).

Voluson® i Manual básico do usuário 2-9


H48671HH Revisão 4
Segurança

2.5 Condições ambientais para a operação

Temperatura: 18ºC a 30ºC resp. 64ºF a 86ºF

Umidade: Umidade Relativa de 30% a 80%, não condensação

700 a 1060 hPa (unidade de medida de pressão


Pressão barométrica:
atmosférica)

Europa: máximo de 2.000 m, de acordo com a


IEC60601-1:2005 3ª edição. Outras partes do mundo:
Altitude máxima de operação:
máximo de 4.000 m, de acordo com a IEC60601-
1:1988+A1:1991+A2:1995 2ª edição.

Grau de poluição: 2

Categoria de sobretensão: II

Grupo de materiais: IIIb

Não opere o sistema próximo a uma fonte de calor, a fortes campos elétricos ou
magnéticos (por ex., transformadores), ou perto de instrumentos que geram sinais de alta
freqüência, como uma cirurgia alta freqüência. Isso pode afetar desfavoravelmente as
imagens de ultra-som.

No caso do equipamento ser transportado de um ambiente frio (depósito, frete por avião)
para uma sala aquecida, antes de ligá-lo pela primeira vez, espere algumas horas para o
equilíbrio de temperatura e condensação da umidade.

2.6 Instruções de uso


Esse equipamento foi testado e está de acordo com os termos para aparelhos médicos da
norma IEC 60601-1-2. Tais termos destinam-se a fornecer proteção razoável contra
interferências prejudiciais em uma instalação médica típica. Esse equipamento gera,
utiliza e pode irradiar energia de freqüência de radio e, se não for instalado e utilizado de
acordo com as instruções, pode causar interferências prejudiciais aos aparelhos próximos.
No entanto, não há garantia de que a interferência não ocorra em uma instalação
particular/isolada. Se esse aparelho causar interferência prejudicial a outros aparelhos, o
que pode ser determinado ligando e desligando o equipamento, o usuário deve tentar
corrigir a interferência por meio de uma ou mais medidas seguintes:
Reoriente ou recoloque o aparelho.
Aumente os espaços em volta do equipamento.
Ligue o equipamento em uma tomada ou circuito em que o(s) outro(s) aparelho(s) não
esteja(m) ligado(s).
Consulte o fabricante ou o serviço técnico para ajuda.

2-10 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Segurança

2.7 Linhas de Biópsia


Para alcançar a melhor exatidão possível da exibição do percurso da agulha, as linhas de
biópsia devem estar programadas para cada transdutor. Leia: Programar Linha de Biópsia
de Ângulo Único Veja Programar Linha de biópsia de ângulo único na página 17-25 para
mais informações.
Para programar uma Linha de Biópsia de Ângulo Múltiplo Veja Programar Linha de biópsia
de ângulo múltiplo na página 17-27 para mais informações.

As linhas de biópsia devem ser programadas uma vez pelo pessoal de assistência ou
pelo usuário. O procedimento deve ser repetido se as sondas e/ou os guias de
biópsia forem trocados.
Antes de realizar a biópsia, certifique-se que a linha de biópsia em exibição coincide
com o percurso da agulha (verifique em um recipiente com água aquecida a
aproximadamente 47ºC).
A agulha utilizada para esta verificação de alinhamento não deve ser utilizada para
o procedimento em si.
Utilize sempre uma agulha direita, nova e esterilizada para cada procedimento de
biópsia.

2.8 Limpeza e Manutenção


Recomenda-se a limpeza diária do scanner, dos transdutores e dos cabos dos
transdutores para remover resíduos de gel, de óleo mineral, etc. Pode-se utilizar pano
úmido e sabão.

Antes de limpar o scanner, desligue-o. Não utilize desinfetante em spray nem


desinfetante a gás. Os componentes elétricos devem ser protegidos da água.
Poeira e sujeira no painel podem causar um funcionamento irregular!
Verifique regularmente os cabos principais, os cabos dos transdutores, os plugues e as
tomadas.

Verifique e faça a manutenção do sistema em intervalos regulares (uma vez por ano) por
meio de uma equipe técnica autorizada. No caso do aparelho não funcionar
completamente, verifique se há corrente elétrica. Faça qualquer observação ou explicite
os indícios de defeito ao serviço técnico.

2.8.1 Nota para a Administração de Dados "Backup Completo" ( Full Backup )

Todas as configurações e dados do paciente criados desde o último backup completo


NÃO possuem cópia de segurança! É altamente recomendado criar um backup completo
das configurações e dos dados do paciente regularmente.

Quando o Backup Completo é salvo na unidade de rede, é aconselhável mover os dados


(por ex., para backup ou manutenção). Para mais detalhes, leia: Salvar Backup Completo
Veja Salvar backup completo na página 16-22 para mais informações.
Para fazer Backup dos Exames Veja Para fazer backup dos exames na página 14-7 para
mais informações.

Voluson® i Manual básico do usuário 2-11


H48671HH Revisão 4
Segurança

A estrutura de diretório dos dados de backup completo é como se segue:

Cada Backup Completo" deve estar em uma subpasta da pasta principal


backup completo na raiz da unidade. Por exemplo: Z:\backupcompleto.
As subpastas chamam-se bcX onde X é o número (por ex.,
Z:\backupcompleto\bc1). Os dados ficam dentro de uma estrutura de
diretório dentro dessas subpastas. É possível mover as subpastas bcX ,
mesmo deixando intervalos na seqüência de numeração. No entanto, NÃO
SE DEVE FAZER mudanças no conteúdo das pastas cbX, caso contrário os
dados do backup não podem ser restaurados!

2.9 Teste de segurança


Limites do tempo de varredura:Referente aos correspondentes regulamentos nacionais e
às recomendações do fabricante para a unidade médico-técnica.
Variação:

Caixa, conexão, elementos de operação,


a) Inspeção visual: recursos de exibição, rótulos, acessórios,
manual do usuário.

Verificação das funções (referentes ao


manual do usuário) e também das
b) Teste funcional:
combinações modulares e operabilidade
comum do sistema e acessórios.

Verificação da segurança elétrica das


combinações do sistema referente a VDE
c) Teste elétrico:
0751 ou respectiva regulamentação
nacional.

Por razões de segurança, evite manipular fluidos nas proximidades do sistema.

Item Teste de segurança Notas

Também depois da
Verificação da corrente manutenção corretiva ou
Anualmente
de fuga do console como exigido pelo seu
programa de GQ.

Também depois da
Verificação da corrente manutenção corretiva ou
Anualmente
de fuga periférica como exigido pelo seu
programa de GQ.

Também depois da
Verificação da corrente
manutenção corretiva ou
de fuga do transdutor Anualmente
como exigido pelo seu
de superfície
programa de GQ.

2-12 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Segurança

Verificação da
Corrente de Fuga do
Anualmente
Transdutor
Endocavitário

2.10 Responsabilidade do fabricante


O fabricante, a montadora, o importador ou o instalador consideram-se responsáveis pela
segurança, confiabilidade e pelo desempenho do instrumento sob as seguintes condições:
quando a montagem do sistema, a adição de opções, novas configurações,
modificações ou reparos são realizados por uma equipe técnica autorizada,
também quando a instalação elétrica local segue os regulamentos nacionais e o
equipamento é utilizado somente de acordo com o Manual do Usuário.

2.11 Documentos do serviço


O Manual de Serviço fornece diagramas de bloco, listas de peças de reposição, de
descrição, instruções de ajustamento ou informação semelhante que ajudam
apropriadamente a equipe técnica qualificada a reparar as peças dos instrumentos que
devem ser definidas como consertáveis pelo fabricante. Se solicitado, o fabricante deve
fornecer o manual de serviço à equipe técnica autorizada.

2.11.1 Software de assistência Acesso remoto

Ao utilizar o recurso de acesso remoto, um engenheiro de campo da GE pode acessar o


sistema de ultra-som por meio de uma conexão moderna. Os engenheiros de campo são
solicitados para apresentar previamente todas as conexões remotas a um sistema,
ligando para o local afetado.
Modo Disruptivo:
Se o engenheiro de campo exige acesso irrestrito ao sistema de ultra-som, ele solicita o
modo disruptivo no sistema. Aparece uma mensagem na tela perguntando por uma
permissão para acionar o modo disruptivo:
é o Serviço da GE solicitando permissão para diagnosticar o sistema remotamente. As
operações normais do sistema podem ser afetadas durante esse período. Clique em
YES/SIM para permitir que o Serviço GE continue o sistema de diagnóstico.
Se o modo disruptivo é aceito, as funções no sistema podem ser afetadas seriamente.
Portanto, não é permitido realizar um exame ou fazer um diagnóstico utilizando o sistema
de ultra-som no modo disruptivo.
NOTE: Uma conexão remota pode afetar o desempenho do sistema (por ex., no modo 3D/4D ou
modo de efeito Doppler). Portanto, recomenda-se interromper o trabalho no sistema assim
que o engenheiro de campo entrar em contato com o local e apresentar a conexão remota.
Segurança de Rede:
Os recursos de acesso remoto capacita os serviços de rede, como o Ftp ou o Telnet, no
sistema de ultra-som depois que uma verificação completa for realizada. Por essa razão, é
aconselhável restringir o acesso de equipes não autorizadas à rede do sistema. É
altamente recomendado o uso de firewalls (dispositivos de segurança instalados no
computador) para restringir o acesso à rede do e a um sistema de ultra-som com o

Voluson® i Manual básico do usuário 2-13


H48671HH Revisão 4
Segurança

recurso de acesso remeto instalado. Aconselham-se outras precauções como uma divisão
de proteção à rede.

Para ligação à Ethernet tem de ser usado um dispositivo de separação.

2.12 Interação Básica entre Ultra-som e Matéria

2.12.1 Bioefeitos

Quando o ultra-som propaga pelo tecido humano, é possível que ocorram danos ao
tecido. Várias pesquisas estão sendo feitas com o objetivo de entender e avaliar o
potencial de lesões teciduais causadas pelo ultra-som . (Medical Ultrasound Safety, 2ª
Edição, AIUM 2009). Mas, Até hoje, não há evidências de que a ultra-sonografia
diagnóstica tenha causado qualquer dano aos seres humanos (incluindo o feto em
desenvolvimento). (Guidelines for the safe use of diagnostic ultrasound equipment, Safety
Group of the British Medical Ultrasound Society 2010).
Apesar disso, cada operador deve estar ciente dos possíveis bioefeitos associados aos
exames de ultra-sonografia. Assim, a seguir é apresentado um breve resumo do princípio
fundamental e dos bioefeitos conhecidos que devem ser considerados para a realização
de varreduras de ultra-sonografia. Para mais detalhes, consulte a literatura citada.
Uso Prudente: Princípio ALARA
Uma abordagem fundamental para o uso seguro da ultra-sonografia diagnóstica é
utilizar a menor potência de saída e o menor tempo de varredura que permitam obter as
informações diagnósticas necessárias. Este é o princípio ALARA (isto é, As Low As
Reasonably Achievable (Tão Reduzidos Quanto Razoavelmente Exeqüível)). Sabe-se que,
em algumas situações, faz sentido usar potências mais altas ou tempos de exame mais
prolongados do que em outras: por exemplo, o risco de não detectar uma anomalia fetal
deve ser ponderado com relação ao risco de danos causados por possíveis bioefeitos.
Conseqüentemente, é essencial que os operadores dos sistemas de ultra-som sejam
devidamente treinados e completamente versados ao tomar decisões dessa natureza .
(Guidelines for the safe use of diagnostic ultrasound equipment, Safety Group of the British
Medical Ultrasound Society 2010)
Com relação ao ALARA, deve-se tomar cuidado especial com exames obstétricos, pois
qualquer possível bioefeito provavelmente terá maior significância no embrião ou feto .
(Guidelines for the safe use of diagnostic ultrasound equipment, Safety Group of the British
Medical Ultrasound Society 2010)
Bioefeitos conhecidos
Efeitos térmicos que se referem ao aquecimento do tecido mole e do osso
O índices térmicos TIS (tecido mole), TIB (osso próximo ao foco) e TIC (osso próximo à
superfície) foram introduzidos para mostrar ao operador o potencial relativo de aumento
da temperatura do tecido. De acordo com o "Standard for Real-time Display of Thermal
and Mechanical Acoustic Output Indices on Diagnostic Ultrasound Equipment" (Padrão de
Exibição em tempo real dos Índices de Potência Acústica Térmica e Mecânica no
Equipamento de Ultra-sonografia Diagnóstica) (2004), esses índices térmicos devem ser
exibidos pelo console do ultra-som. Deve-se observar que um TI igual a 1 não significa que
a temperatura dos tecidos que estão sendo examinados aumentará em 1°C quase todas
as situações de varredura partem das condições do modelo considerado, tais como tipo
de tecido, perfusão do sangue, modo de operação e tempo de exposição real da área
examinada. No entanto, os índices térmicos fornecem informações com relação ao
possível aumento de risco dos possíveis bioefeitos térmicos e fornece sua magnitude
relativa que pode ser usada para implementar o ALARA.

2-14 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Segurança

Efeitos não térmicos que se referem a fenômenos mecânicos tais como a cavitação
Os bioefeitos não térmicos são causados pela interação dos campos do ultra-som com
minúsculos bolsões de gás (corpos gasosos), isto é, a geração, o crescimento, a vibração e
o possível rompimento de microbolhas dentro do tecido. Esse comportamento é chamado
de cavitação (Medical Ultrasound Safety, 2ª Edição, AIUM 2009/American Institute of
Ultrasound in Medicine Consensus Report on Potential Bioeffects of Diagnostic Ultrasound,
AIUM 2008/Guidelines for the safe use of diagnostic ultrasound equipment, Safety Group
of the British Medical Ultrasound Society 2010). A possibilidade de cavitação aumento com
a pressão de rarefação de pico, mas diminui com a freqüência de impulsos. Por isso, o
índice mecânico MI foi introduzido para levar em conta a pressão e a freqüência. Quanto
maior o MI, maior o risco de bioefeitos não térmicos. Se certos tecidos, que naturalmente
contêm corpos gasosos, forem examinados, como os pulmões e os intestinos, a
probabilidade de cavitação aumenta. Este também é o caso do uso de agentes de
contraste para corpos gasosos durante o ultra-som, onde é recomendado um MI igual a
0,4 ou inferior (Medical Ultrasound Safety, 2ª Edição, AIUM 2009/American Institute of
Ultrasound in Medicine Consensus Report on Potential Bioeffects of Diagnostic Ultrasound,
AIUM 2008).

2.12.2 Intensidades Medidas na Água e Recalculadas In Situ

Todos os parâmetros de intensidade são determinados pela medição na água. Como a


água não absorve a energia acústica, essas medições na água apresentam os valores
mais incertos. No entanto, em um tecido biológico, a intensidade acústica é absorvida. O
valor "real" em uma dada posição depende da freqüência do ultra-som e da quantidade e
tipo de tecido pelo qual os feixes de ultra-som passam. O valor no tecido (in situ) pode ser
aproximadamente determinado através da seguinte fórmula:
in situ = água [e -(0,23dlf)]

Considerando
in situ = valor in situ
que:

água = valor na água

e = 2.7183

d = coeficiente de atenuação

distância da superfície da pele à


l =
profundidade de medição (cm)

freqüência principal do padrão de


f = transdutor/sistema/operação de
combinação (MHz)

tecido d (dB/cm/MHz)

cérebro 0.53

coração 0.66

rim 0.79

fígado 0.43

músculo 0.55

Como o feixe de ultra-som geralmente passa pelas camadas de tecido de diferentes


espessuras e tipos em seu percurso pelo corpo durante o exame, é difícil estimar a
intensidade real in situ. Nos relatórios, geralmente adota-se um coeficiente de impedância

Voluson® i Manual básico do usuário 2-15


H48671HH Revisão 4
Segurança

de 0,3 dB/cm/MHz. O valor in situ geralmente indicado nos relatórios é calculado de


acordo com a seguinte fórmula:
in situ (recalculado) = água [e -(0,69lf)]
Como esse valor não deve ser considerado como a real intensidade in situ, o termo
"recalculado" é utilizado abaixo.
Em alguns casos, o valor máximo Recalculado e o Valor máximo na água não ocorre sob
as mesmas condições operacionais. Portanto, os valore máximos na água e os valores
máximos recalculados, mencionada nos relatórios, não podem ser relacionados à formula
acima mencionada. Por exemplo: Uma sonda do arranja com focos múltiplos, da qual os
valores de Intensidade máximos na água situam-se na zona focal mais profunda; para
essa zona, no entanto, o menor fator de recálculo é valido. Com o mesmo transdutor, a
maior intensidade recalculada pode situar-se em uma das zonas de foco mais próximas à
superfície.
O FDA estabeleceu os limites para os valores de intensidade máximos recalculados (veja a
seção seguinte). Portanto, as intensidades recalculadas são levadas a mais alto valor
possível com a ajuda dos controles de sistema quando a potência de saída é testada. Sob
todas as condições de operação, o ponto de máxima intensidade recalculada pode estar
mais próximo ao transdutor do que o ponto de Intensidade máxima na água; nunca
estará distante do transdutor.

2.12.3 Derivação e Significado dos Índices Térmicos e Mecânicos

A publicação "Standard for real-time Display of Thermal and Mechanical Acoustic Output
Indices on Diagnostic Ultrasound Equipment, ©2004" pelo American Institute of
Ultrasound in Medicine (AIUM) e a National Electrical Manufacturers Association (NEMA),
define os índices térmicos e mecânicos da seguinte forma: Utilize esse padrão para mais
informações sobre esse assunto.
O Índice Térmico (TI) é uma quantidade relacionada ao aumento de temperatura
calculado ou estimado sob certos pressupostos definidos. O Índice Térmico é a razão entre
a força acústica total e a força necessária para aumentar a temperatura do tecido em 1ºC
sob os pressupostos definidos. No cálculo de todos os Índices Térmicos no "Standard for
real-time Display of Thermal and Mechanical Acoustic Output Indices on Diagnostic
Ultrasound Equipment" (Padrão de Exibição em tempo real dos Índices de Potência
Acústica Térmica e Mecânica no Equipamento de Ultra-sonografia Diagnóstica), do AIUM e
da NEMA, adota-se, para a atenuação de ultra-sonografia média, 0,1 dB/cm-MHz ao
longo dos eixos dos feixes no corpo.
O Índice Térmico de Tecido Mole (TIS) é o Índice Térmico relacionado aos tecidos moles.
O Índice Térmico do Osso (TIB) é o índice térmico para aplicações tais como fetal
(segundo ou terceiro trimestre) ou craniano neonatal (pela moleira), nas quais o feixe de
ultra-som passa pelo tecido mole e por uma região focal imediatamente adjacente ao
osso.
O Índice Térmico do Osso Craniano (TIC) é o Índice Térmico para aplicações, como por
exemplo cranianas pediátricas e de adultos, nas quais o feixe de ultra-som passa pelo
osso próximo à entrada do feixe no corpo.
A fórmula do Índice Mecânico (MI) é o valor espacial máximo da pressão de rarefação de
pico, corrigido por um fator de 0,1 dB/cm-MHz em cada ponto ao longo do eixo do feixe,
dividido pela raiz quadrada da freqüência central. Para fazer o MI sem unidade, o lado
direito da equação abaixo é multiplicado por [(1 MHz)0,5/(1 Mpa)].
O modo Scanned (auto-varredura) é a emissão eletrônica ou mecânica de sucessivos
pulsos ultra-sônicos ou série de pulsos, em pelo menos duas dimensões.
O modo Unscanned (não auto-varredura) é a emissão de pulsos ultra-sônicos em uma
única direção. Nesse modo, fazer a varredura em mais de uma direção exigiria mover o
transdutor manualmente.

2-16 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Segurança

Nome Fórmula

A. Tecido mole na superfície


TIS (escaneado)
TIB (escaneado)

B. Abertura grande
(Aaprt> 1cm²)
TIS (não escaneado)

C. Abertura pequena
(Aaprt> 1cm²)
TIS (não escaneado)

D. Osso focado
TIB (não escaneado)
onde zB.3 é a profundidade que maximiza
W.3(z)lTA.3(z), ou, de forma equivalente, a
profundidade de lSPTAB.3

E: Osso à superfície
TIC

Nome Fórmula

Aaprt (1cm²) Área de abertura ativa

Diâmetro de feixe equivalente

deq(z) (cm)

Diâmetro de abertura equivalente

Deq (cm)

fc (MHz) Freqüência central

Equivalente à intensidade reduzida média


temporal de pico espacial ((0,6 dB/cm-MHz). (N.B.:
ISPTAB.3 (mW/cm²)
a redução de 0,6 é utilizada para simplicidade de
notação no modelo TIB (não escaneado).

Voluson® i Manual básico do usuário 2-17


H48671HH Revisão 4
Segurança

Nome Fórmula

Intensidade média temporal reduzida à


ITA.3(z) (mW/cm²)
profundidade z

W 0 (mW) Potência acústica de média temporal na fonte

Potência acústica de média temporal na fonte


W 01 (mW) emitida de um centímetro central da abertura
ativa

Potência acústica de média temporal reduzida à


W.3(z) (mW)
profundidade z

- (mW/cm)
Um símbolo que indica a potência acústica por
comprimento de unidade na direção de
escaneamento, por exemplo, de disposição linear

Profundidade da superfície ao longo do eixo do


z (cm)
feixe

Profundidade do ponto do freio (profundidade


zbp (cm) mínima para medições de intensidade para o
modelo TIS (não escaneado))

Profundidade do aumento máximo de


z B.3 (cm)
temperatura no osso no modelo de foco

Referência:Standard for Real Time Display of Thermal and Mechanical Acoustic Output
Indices on Diagnostic Ultrasound Equipment (Padrão de Exibição em tempo real dos
Índices de Potência Acústica Térmica e Mecânica no Equipamento de Ultra-sonografia
Diagnóstica) ©2004 do Instituto Americano de Ultra-sonografia em Medicina (AIUM) e da
Associação Nacional de Fabricantes Elétricos (NEMA) dos Estados Unidos.

2.12.4 Limites estabelecidos pelo FDA para Potência Acústica e Bioefeitos

O órgão americano de Administração de Alimentos e Drogas (American Food and Drug


Administration -FDA) estabeleceu os valores máximos in situ * (recalculado) para
diferentes aplicações clínicas, que são válidas independente do modo de operação (2D, M-
Mode, Doppler). Esses valores não são definidos baseados nos bioefeitos do ultra-som,
mas sim na potência de saída dos instrumentos, que foram fabricados anteriormente à
modificação das Regulamentações do FDA de 1976. As tabelas de potência acústica
anexas contêm os limites recalculados estabelecidos pelo FDA e os valores mencionados
no relatório do AIUM.
Inclui os limites recalculados estabelecidos pelo FDA e os valores mencionados no
relatório do AIUM.
Não foram estabelecidos nenhum limite pelo FDA para medição na água.

2-18 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Segurança

2.12.5 Precisão da Exibição dos Índices

Os índices térmicos e mecânicos são exibidos no lado direito do monitor. Durante a


varredura, observe os números dos índices que você está utilizando e que controles
afetam as leituras. Tente manter os números de índices o mais baixos possíveis, enquanto
mantém a informação de diagnóstico dentro da imagem. Isto é especialmente importante
quando se está a fazer um exame a um feto. A precisão da exibição dos índices mecânicos
e de todos os índices térmicos é de 0,1. Valores abaixo de 0,4 não são exibidos.
Referência: Standard for real-time Display of Thermal and Mechanical Acoustic Output
Indices on Diagnostic Ultrasound Equipment (Padrão de Exibição em tempo real dos
Índices de Potência Acústica Térmica e Mecânica no Equipamento de Ultra-sonografia
Diagnóstica), AIUM/NEMA, Washington, DC, 2004.

2.12.6 Recomendação de Uso e da Necessidade de Seguir o Principio ALARA

A publicação Medical Ultrasound Safety (Segurança de Utra-sonografia Médica) do


AIUM, publicada em 2009 afirma o seguinte sobre o princípio ALARA:
O princípio ALARA significa tão reduzido quanto razoavelmente exeqüível . "Seguir o
princípio ALARA significa manter o tempo de exposição de ultra-som total tão reduzido
quanto razoavelmente exeqüível, enquanto se otimiza a informação diagnóstica.
Com o novo equipamento de ultra-som, a informação exibida nos permite determinar o
nível de exposição com relação ao potencial para bioefeitos...", e "porque o limiar de
bioefeitos de ultra-sonografia diagnóstica é indeterminado, é de nossa responsabilidade
controlar o tempo de exposição total do paciente. O controle da exposição total depende
do tempo de exposição e nível de saída. O nível de saída exigido por um exame depende
do paciente e da necessidade clínica.
Nem todos os exames diagnósticos podem ser realizados a níveis muito baixos. Na
verdade, a utilização de níveis baixos em dados insuficientes e na necessidade de se
repetir o exame. A utilização de um nível alto demais não aumenta a qualidade da
informação, e expõe o paciente a energia de ultra-som desnecessária."
"Em fim, o tempo de exposição depende da pessoa que realiza o exame.
Fundamentalmente, é o nosso treinamento, estudo e experiência que determinam o quão
rápido podemos obter uma imagem útil, e conseqüentemente, a duração do exame e do
tempo de exposição. Então, a pergunta é 'De quanto tempo precisamos para obter a
informação de diagnóstico desejada?' "
O AIUM também apresenta alguns fatores que podem afetar a duração do tempo de
exposição, como por exemplo um feixe estacionário ou em movimento, o tipo de
transdutor escolhido, a característica do corpo do paciente, se o técnico entende os
controles do sistema, e como eles afetam os níveis de saída, se é contínuo ou pulsado, ou
de fluxo colorido Doppler.
"Para alcançar o princípio ALARA, necessitamos de um completo conhecimento sobre o
modo de imagem, as capacidades do transdutor, as configurações do sistema e as
técnicas de varredura do técnico."
A GE Medical Systems-Kretztechnik Ultrasound recomenda portanto um estudo
cuidadoso do manual do sistema para a familiarização com os controles operacionais
e visualização de saída do sistema assim como o cumprimento do princípio ALARA. Isso
pode reduzir o probabilidade de qualquer risco biológico em potencial causados pela
exposição ao ultra-som durante um exame!
Referência:Medical Ultrasound Safety (Segurança de Ultra-sonografia Médica), AIUM 2009
AIUM Executive Office 14750 Sweitzer Lane Suite 100, Laurel MD 20707-5906 EUA

Voluson® i Manual básico do usuário 2-19


H48671HH Revisão 4
Segurança

2.12.7 Notas sobre as Tabelas de Potência Acústica da Seção 3

Condições de Operação:
são o ajuste dos parâmetros de varredura no console do aparelho de ultra-som

MI: é o Índice Mecânico em um modo de auto-varredura.

Varredura TIS: é o Índice Térmico de Tecido Mole em um modo de auto-varredura.

Não- é o Índice Térmico de Tecido Mole em um modo de não auto-


varreduraTIS: varredura.

TIB: é o Índice Térmico de Osso.

TIC: é o Índice Térmico do Osso Craniano.

Aaprt: é a área da abertura ativa (centímetros quadrados).

pr.3: é a Pressão de Rarefação de Pico reduzida (megapascal).

é a força ultra-sônica, exceto para varredura TIS, em que é a força


W0 :
ultra-sônica que passa por uma janela de um centímetro (miliwatts).

W.3(z1): é a força ultra-sônica reduzida à distância axial z1.

é a intensidade de pico espacial, média-temporal reduzida à


ISPTA.3(z1):
distância axial z1 (miliwatts por centímetro quadrado).

é a distância axial correspondente à posição de


z1 :
max[min(W.3(z).ITA.3(z) * 1 cm2)], onde z³zbp (milímetros).

zbp: é 1,69(Aaprt)1/2.

é a distância axial na qual pr.3 é medida; para TIB, zsp é a distância


Para MI, zsp:
axial na qual TIB é máxima (por ex.: zsp = zb.3) (milímetros).

é o diâmetro de feixe equivalente como uma função de distância


deq(z): axial z e é igual a [(4/p)(W0/ITA(z))]1/2, onde ITA(z) é a intensidade
média-temporal como uma função de z (milímetros).

fc: é a freqüência central (megahertz).

são as dimensões de feixe de entrada para os planos azimutal e de


EBD: 1 - 12
elevação (milímetros).

PD: é a duração do pulso (microssegundos).

PRF: é a freqüência de repetição do pulso (kilohertz).

é a pressão de rarefação de pico no ponto onde a intensidade de


pulso de pico espacial de campo livre (megapascal). (Veja a seção 6
do Standard for Real-Time Display of Thermal and Mechanical
pr a Pllmax:
Indices on Diagnostic Ultrasound Equipment, titulado "Measurement
Methodology for Mechanical and Thermal Indices" (Metodologia de
Medição para Índices Térmicos e Mecânicos), § 6.2.6.1.)

é a extensão do foco, de comprimento azimutal ou de elevação, se


FL:
diferente (milímetros).

2-20 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Segurança

ROC: é o raio de curvatura (milímetros).

é o diâmetro de feixe equivalente no ponto onde a integral da


intensidade de pulso de pico espacial de campo livre é máxima
(milímetros). (Veja a seção 6 do Standard for Real-Time Display of
deq a Pllmax: Thermal and Mechanical Indices on Diagnostic Ultrasound
Equipment, titulado "Measurement Methodology for Mechanical and
Thermal Indices" (Metodologia de Medição para Índices Térmicos e
Mecânicos), § 6.2.6.1.)

Referência:Guia de Ultra-sonografia Diagnóstica 510(k) revisado (510(k) Diagnostic


Ultrasound Guidance) em 1993; CDRH, FDA; 17 de fevereiro de 1993

2.12.8 Inconstâncias da Medição Acústica

Inconstâncias Inconstâncias derivadas

Ispta ± 30.0% Isppa ± 30.0%

p+ ± 15.0% TIB ± 30.0%

p- ± 15.0% TIC ± 30.0%

MI ± 15.0% TIS ± 30.0%

Power ± 30.0%

FCC ± 1.0%

2.12.9 Tabelas de Potência Acústica

As Tabelas de Potência Acústica são fornecidas conforme solicitadas no documento de


orientação FDA 510(k), "Information for Manufacturers Seeking Marketing Clearance of
Diagnostic Ultrasound Systems and Transducers", publicado em 9 de setembro de 2008.

Voluson® i Manual básico do usuário 2-21


H48671HH Revisão 4
Segurança

2.13 Resolução e Sensibilidade 3D


Todas as reclamações sobre resolução e sensibilidade são baseadas somente no
teste do espetro (phantom). Essas reclamações não correspondem diretamente ao, ou
implicam no, desempenho clínico.
NOTE: Todas as reclamações sobre o sistema são baseadas no teste feito com o espetro do Dr.
Madsen.
DESCRIÇÃO DO ESPECTRO DO Dr. MADSEN
O espetro é desenhado e construído por Ernest L. Madsen, Ph. D., do Departamento de
Física Médica da Universidade de Wisconsin. Esse espectro de ultra-som 3D contém dois
conjuntos de alvos esféricos. Todos os alvos esféricos de um mesmo conjunto têm centros
coplanares e contraste idêntico acima de 15cm de profundidade. A separação do centro
ao centro entre esferas adjacentes é de 0,5 cm no plano vertical e de 1,5 cm no plano
horizontal.

Dimensões (altura x largura x


Especificações: 20 cm x 18 cm x 8 cm
profundidade):

Material de Revestimento: Acrílico

Espessura da Parede: 1cm

Superfícies de Varredura: 1

Material/Dimensão da
Filme plástico 2,5mm
Superfície de Varredura:

Dimensões da Superfície de
15cm x 5cm
Varredura:

Podemos reconstruir imagens esféricas de alto contraste de diâmetro de 3 a 5mm em 3


planos ortogonais somente para alvos que tenham contraste negativo de prova dispersa
(backscatter) de pelo menos -17dB (para 3mm e 4mm) / -14dB (para 5mm) referente ao
nível de segundo plano (background) (baseado no espetro do Dr. Madsen). Isso porque os
níveis de contraste de -17dB / -14dB foram os únicos níveis de alto contraste testados.
Podemos detectar alvos extensos, por exemplo, esferas de 3, 4, e 5mm de diâmetro.
Isso refere-se somente a alvos extensos de alto contraste (por exemplo, contraste de -
17dB / -14dB ou mais).
Podemos detectar alvos extensos, por exemplo, esfera de 5mm ou mais de diâmetro.
Isso refere-se somente a alvos extensos de baixo contraste (por exemplo, contraste de
pelo menos +3dB).
NOTE: A resolução em ortogonal, plano reconstruído é consideravelmente mais baixo do que o
plano de varredura primário. A resolução do sistema é particularmente mais baixa para
alvos de baixo contraste no plano ortogonal reconstruído.
Significantes artefatos de sistema podem existir no plano ortogonal paralelo à face da
sonda.
a Definição de coeficiente de prova dispersa (backscatter) do material formador das
lesões a ser Bl e que o material de segundo plano (background) a ser Bbg, o contraste é
definido (em dB) como 10 log10 (Bl / Bbg).

2-22 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Segurança

2.14 Eliminação

Esse símbolo indica que os resíduos dos equipamentos elétricos e eletrônicos não devem
ser descartados como lixo não selecionado, devendo ser recolhidos separadamente. Entre
em contato com o fabricante ou outra empresa de descarte autorizada para desativar seu
equipamento de acordo com as regulamentações locais.

Uma bateria de lítio está incluída neste aparelho. Não perfure, quebre ou aqueça a
bateria. Reponha bateria somente do tipo recomendado pelo fabricante. O descarte de
bateria usada deve ser feito de acordo com as instruções do fabricante e conforme às
regulamentações locais.

Voluson® i Manual básico do usuário 2-23


H48671HH Revisão 4
Segurança

Esta página foi deixada intencionalmente em branco.

2-24 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Capítulo 3

Primeiros passos

Descreve a utilização do Voluson® i, o design mecânico, a utilização geral do


software e o manual eletrônico do usuário.

Voluson® i Manual básico do usuário 3-1


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

3. Primeiros passos

3.1 Descrição do Produto


O Voluson® ié um profissional e inovador sistema de varredura, o mais versátil em tempo
real. Ele apresenta novas possibilidades de sonografia com as técnicas de varredura de
VOLUME 3D/4D. O vasto arranjo de transdutores faz com que ele seja adequado para
muitas aplicações.
O sistema oferece as seguintes possibilidades de diagnóstico:
Modo 2D
Modo M, MCFM (M+Modo de Fluxo Colorido/Color Flow Mode)
Doppler Espectral (Onda Pulsada/PW)
Doppler Colorido (Visualização de Potência e Velocidade)
Modo Volume (análise de imagem seccional em 3D, execução em 3D interativo e 4D
em tempo real)
Indicações de uso:
Obstetrícia
Ginecologia e Fertilidade
Cardiologia
Urologia
Oncologia
MSK
Pediatria
Pequenas partes
Vascular Periférica
NOTE: Os campos de aplicação dependem da sonda escolhida.
O sistema foi desenhado para expansão subseqüente.
Transdutores operáveis:
Sondas de multi-elementos (arranjo linear e arranjo curvado)
Transdutores de Volume 4D em Tempo Real
A operação está destinada para as necessidades clínicas específicas e assegura um
manuseamento simples e eficiente. Uma vasta variação de programas de medição e
avaliação, assim como muitas funções especiais possibilitam um confortável trabalho. A
interface com software de interface proporciona um rápido arquivamento digital de
imagens e/ou de dados no suporte de armazenamento em massa. Uma interface de rede
(Ethernet) possibilita a documentação em padrão DICOM.

3-2 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

3.2 Preparando a unidade para utilização


A unidade de ultra-som Voluson® i deverá ser utilizada dentro de um ambiente apropriado
e de acordo com os requisitos descritos nesta seção. Antes de utilizar o sistema,
certifique-se de que os requisitos estão sendo cumpridos.

3.2.1 Requerimentos de energia

A unidade de ultra-som Voluson® i é alimentada pela sua bateria interna ou por uma
unidade adaptadora de fornecimento de energia ligada a uma saída de corrente
separada para qualquer gama de:
Adaptador da fonte de alimentação:
Entrada CA: 100 250 VAC, 3-1,5 A, 47 63 Hz.
Saída CC: 20 VDC, 6A

3.2.2 Interferências eletromagnéticas

Certifique-se de que a unidade está protegida contra interferências eletromagnéticas,


como se segue:
Opere a unidade a pelo menos 4,5metros de distância de equipamentos que emitem
forte radiação eletromagnética.
Proteja a unidade ao operá-la perto de instalações de rádio, como equipamentos de
irradiação, se necessário.

3.2.3 Conectando a unidade

A instalação inicial do sistema deve ser realizada por um profissional qualificado da GE.
Conectar a unidade e ultra-som Voluson® i envolve verificações preliminares da unidade
adaptadora de energia e do cabo, nível de voltagem e cumprimento dos requisitos para
segurança elétrica. Utilize somente fios, cabos e plugues fornecidos ou indicados pela GE
Medical Systems. Certifique-se de que o fio e o plugue estão intactos e se o plugue da
fonte é do tipo apropriado para utilização em hospitais (quando exigido). Quando as
tomadas principais estiverem em uso, a unidade deverá ser ligada a uma tomada de
estável de fio de terra. Nunca utilize extensão ou adaptador de plugue (benjamim).

A não utilização de um circuito de ligação à terra (fio terra) pode causar choques
elétricos, e conseqüentes ferimentos graves.

Verifique a placa no adaptador de energia CA do Voluson® i. Verifique a gama de tensão


indicada na placa:
100 240 V, 1,08 0,45 A, 50/60 Hz

Se a energia fornecida não estiver dentro da variação de voltagem, não ligue a unidade
na fonte de energia. Entre em contacto com o representante para que a voltagem da
unidade seja ajustada.

Voluson® i Manual básico do usuário 3-3


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

3.2.4 Conectando à tomada elétrica.

A energia da unidade deverá ser fornecida por uma tomada separada e apropriada para
evitar risco de incêndio. Consulte os "Requisitos de potência" na página 9 para mais
informações. O cabo da energia não deve, em hipótese alguma, ser alterado para uma
configuração inferior à especificada para a corrente. Não utilize extensão ou adaptador
de plugue (benjamim).
1. Ligue o plugue de saída do adaptador de energia CA na tomada adequada no lado
traseiro do Voluson® i. Certifique-se de que a tomada da parede é apropriada.
Introduza o plugue do aparelho na tomada da parede.

3.2.5 Adaptador CA

Utilize apenas o adaptador de energia CA especial para Voluson® i, especialmente


desenhado e aprovado pela GE. Verifique se não há nada sobre o cabo de energia do
adaptador CA e se o cabo não está onde alguém possa tropeçar nele ou pisá-lo. Coloque
o adaptador de energia CA numa área ventilada, como uma secretária, quando o utilizar
para alimentar o Voluson® i. Não cubra o adaptador de energia AC com papel ou outros
elementos que reduzam a ventilação. Não utilize o adaptador de energia dentro de caixa
para transporte.

3.2.6 Bateria

A bateria de íons de lítio fornece energia quando a fonte de alimentação AC não está
disponível. O Voluson® i inclui uma bateria na respectiva base. A utilidade de uma bateria
totalmente carregada é de uma hora. As baterias de íons de lítio duram mais do que as
baterias convencionais e não exigem reposição freqüente. A tecnologia de íons de lítio
utilizada na bateria do sistema é significativamente menos prejudicial ao meio ambiente
do que a tecnologia de metal de lítio, utilizada em outros tipos de baterias (como a bateria
de relógio). As baterias usadas não devem ser descartadas junto com os resíduos
domésticos comuns. Informe-se sobre o local de coleta de resíduos químicos mais
próximo.
NOTE: A bateria está concebida para funcionar apenas com sistemas Voluson® i . Utilize apenas
baterias recomendadas e autorizadas pela GE.

A bateria apresenta um dispositivo de segurança. Não desmonte nem altere a bateria.


Recarregue as baterias somente quando a temperatura do ambiente for de 0° a 45° C
(32° a 113° F) e descarregue as baterias quando a temperatura for de -10° a 50° C (14° a
122° F). Não conecte diretamente os terminais da bateria direta a objetos metálicos, pois
isso pode provocar um curto-circuito. Não aqueça a bateria nem a jogue no fogo. Não
exponha a bateria a temperaturas superiores a 60° C (140° F) e inferiores a -20°C (-4°F).
Mantenha-a distante do fogo e de outras fontes de calor. Não recarregue a bateria
próxima a uma fonte de calor, como fogo ou aquecedores. Não deixe a bateria ao abrigo
da luz solar direta. Não perfure a bateria com objetos pontiagudos, não a deixe cair e não
a pise. Não utilize bateria danificada. Não solde a bateria. Não coloque a bateria em
contato com uma tomada elétrica.

Use o carregador de bateria separado somente fora do ambiente do paciente.

3-4 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

Se o Voluson® i não for utilizado mensalmente, a bateria necessita de ser removida


durante o período inatividade.

Para evitar que qualquer explosão, combustão ou emissão de gases da bateria cause
danos ao equipamento, tome as seguintes precauções:
Não molhe as baterias nem as coloque na água.
Não coloque a bateria em um forno de microondas ou um recipiente pressurizado.
Se a bateria vazar ou emitir odores, afaste-a de todas as possíveis fontes
inflamáveis.
Se a bateria emitir odor ou calor, deformar-se ou mudar de cor, ou apresentar
alguma anomalia durante o uso, recarga ou armazenamento, remova-a
imediatamente e suspenda seu uso.
Em caso de dúvidas sobre a bateria, consulte a GE ou o seu representante local.
Armazenamento do conjunto de baterias:
A curto prazo (menos de um mês): 0° C (32°F) - 50° C (122°F)
A longo prazo (mais de três meses): 10° C (50° F) - 35° C (95°F).
Utilize apenas baterias recomendadas pela GE.

3.2.7 Símbolos da tela e Estado da bateria

Quando o sistema estiver em funcionamento, os ícones de estado são mostrados na barra


de estado do sistema e indicam o estado atual da bateria.

Ícone Descrição do estado

Alimentação AC ligada; sem bateria

Alimentação AC ligada; bateria carregada

Bateria em uso; bateria quase vazia

Bateria em uso; totalmente carregada

Bateria em uso; parcialmente carregada

Alimentação AC ligada; bateria sendo carregada

Cabo da rede: conectado

Voluson® i Manual básico do usuário 3-5


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

Cabo da rede: desconectado

Cabo da rede: conectado, atividade de serviço remoto detectadas

Impressoras: Botão para acessar a caixa configuração de impressão.

3.2.7.1 Janelas pop- Para obter mais informações sobre os símbolos no ecrã desloque o cursor do mouse para
up com infor- o símbolo pretendido e espere alguns segundos até surgirem as informações.
mações adicionais

3.2.8 Segurança Biológica

Os efeitos biológicos de ultra-som diagnóstico no corpo humano ainda não foram


totalmente pesquisados. Até agora não se sabe de nenhum dano provocado pelo
diagnóstico de ultra-som, no entanto, o instrumento deverá ser utilizado somente por um
médico ou sob sua supervisão.
O exame de ultra-som deverá ser realizado no tempo mais curto possível e com a mais
baixa potência de transmissão disponível, suficiente para obter resultados de diagnóstico
(princípio ALARA - Tão Reduzidos Quanto Razoavelmente Exeqüível).
O Voluson® i controla permanentemente a potência emitida e a limita de acordo com os
valores máximos estabelecidos pelo fabricante (vetor limitante do campo de som). As
intensidades de som dependem dos respectivos transdutores. Os parâmetros de campo
de som conforme a IEC 1157 podem ser solicitados ao fabricante.

3.2.9 Vetores de Limitação

A tabela mostra os limites para o cumprimento dos parâmetros da FDA (órgão americano
de Administração de Alimentos e Drogas) e IEC.

nomeação unidade Limites da FDA

Ispta.3 mW/cm² 720

MI - 1.9

TIB - 4.0

TIS - 4.0

TIC - 4.0

Esses valores são predefinições individuais da FDA ou do IEC e podem ser alterados
apenas na empresa.
Veja também: Observações sobre as Tabelas de Potência Acústica da Seção 3 Veja Notas
sobre as Tabelas de Potência Acústica da Seção 3 na página 2-20 para mais informações.

3.2.10 Bioefeitos

Distinção entre dois mecanismos de ação para o desenvolvimento de Bioefeitos ao expor


o corpo humano às ondas de ultrasom: Geração de calor e Cavitação.

3-6 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

Geração de calor: a energia de ultra-som é absorvida pelo tecido e assim o aquece, a


quantidade de calor depende da potência absorvida e da duração da exposição. Uma
parte do calor é dissipada para a corrente sangüínea.
Cavitação: devido a bolhas de gás de forte pressão negativa. A mudança de estado
permanente entre a fase líquida e gasosa constitui uma forte tensão mecânica local no
tecido. O grau de cavitação é influenciado pelo conteúdo de gás e pela tensão superficial
de resp. do tecido do fluido corporal.

3.3 Design Mecânico

1. Fechos do monitor 2. Monitor LCD

3. Pega 4. Botom On/Off (ligar/desligar)

5. Alavanca de travamento de sonda 6. Conector de sonda

7. Roda de modo ativo e controles TGC 8. Trackball e respectivos botões

9. Teclado funcional 10. Teclado alfanumérico

11. Botões do menu 12. Indicador de potência

3.3.1 Tabela de status do LED

Fonte de alimentação Conectada Não conectada

LED de alimentação/bateria

Modo Standby - - Y G G G G G - - - Y - G - G

Alimentação LIGADA G - G Y G Y G G - - - Y - Y - G

Alimentação DESLIGADA G - G - G - G - - - - Y - - - -
40 - 76 - 40 - 76 -
Nível da bateria 0 - 5% 6 - 39% 75% 100% 0 - 5% 6 - 39% 75% 100%

- ... LED apagado


Y ... LED piscando em amarelo
G ... LED piscando em verde

Voluson® i Manual básico do usuário 3-7


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

Y ... LED amarelo


G ... LED verde

3.4 Montagem do Sistema

3.4.1 Sistema Básico

Consiste na aplicação dos seguintes módulos:


1.Módulo do conector de sonda:
Esse módulo contém o conjunto de eletrônicos para conexão, 1 conector de sonda e o
módulo formador de feixes (eletrônicos transmitidos e recebidos).
2.Console de controle:
O console de controle consiste em teclas de hardware, Menu de controle e mouse
trackball, alto-falantes e alça de sonda.
3.Monitor colorido
4.Módulo Doppler:
O módulo de Doppler Espectral possibilita a avaliação das proporção do fluxo sangüíneo
com ondas pulsadas e contínuas e é construído dentro do módulo eletrônico principal.
O módulo Doppler colorido possibilita uma avaliação de códigos coloridos das condições
do fluxo sangüíneo e é construído dentro do módulo eletrônico principal.

3-8 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

3.4.2 Dispositivos periféricos opcionais

Os periféricos para o Voluson® i incluem:


Gravador de DVD (USB)
Impresso a preto/branco (USB)
Impressora digital colorida (USB)
Impressora de Linha / Impressora com Adaptador Bluetooth
Para mais informações reveja o catálogo de produto do Voluson® i.

A corrente de fuga de todo o sistema que inclui todos os equipamentos auxiliares não
deve exceder os valores limites do EN 60601-1 (IEC 60601-1) referentes a outras normas
nacionais ou internacionais válidas.

Conexão do equipamento auxiliar: Para Conectar Acessórios Internos e Externos Veja


Ligar acessórios externos na página 19-3 para mais informações..

3.4.3 Wireless LAN

Use o cartão de memória USB para LAN sem fio, disponível como opcional, para conexão
a redes e dispositivos sem fio.

Apenas os acessórios claramente reconhecidos pelo fabricante do sistema GE


Medical Systems Kretztechnik GmbH & Co OHG podem ser utilizados em conjunto com
este sistema.

Para conexão, consulte: Veja Cartão USB de LAN sem fio na página 19-7 para mais
informações.
Para o ajuste de uma conexão LAN sem fios, ver:Veja Wireless LAN configuração na
página 16-37 para mais informações.

3.4.4 Módulos Opcionais

Módulos opcionais da lista de preços do Voluson® i.

Voluson® i Manual básico do usuário 3-9


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

3.4.5 Posição das Observações no Monitor

1) Logotipo 14) Área da Imagem

Nome do paciente (último


2) nome, primeiro nome, 15) Resultados da medição
nome do meio)

Número do RG
(identidade) do paciente; Estado do sistema (rede,
3) 16)
Tempo de Gestação (GA - bateria, impressora)
Gestational Age)

Estado da tecla Freeze


4) Transdutor / Aplicação 17)
(congelação da imagem)

Medida da Profundidade/
5) 18) Estado do mouse Trackball
Extensão

Estado dos botões de


6) Índice Mecânico (MI) 19)
controle do Menu

7) Índice Térmico (TI) 20) Área de tecla programável

Nome do Técnico de Bodymarks (Marcadores


8) 21)
Ultra-sonografia anatômicos)

Marcadores da escala de
9) Nome do Hospital 22)
profundidade

10) Data 23) Cunha de escala cinza

11) Tempo 24) Marcador(s) de zona focal

12) Informação da Imagem 25) Marcador de orientação

13) Curva TGC

3-10 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

3.5 Conceito de operação


O centro de controle é a consola com as teclas de hardware, os controle de Menu, o
teclado (com funções de atalho) e o mouse trackball. O console controla freqüentemente
as funções utilizadas, como Congelar/Executar (Freeze/Run) e a mudança de modos.
Funções adicionais são controladas através do mouse trackball.
CONTROLE DO MENU e MOUSE TRACKBALL
As funções ativadas são facilmente controladas por esses comandos. Através da
comutação da resp. rotação, eles emitem pulsos digitais e podem ser selecionados pela
abertura do programa. São exibidos na área de estado pela sua localização, função e
valor de configuração.
FUNÇÕES DE TECLA DE ATALHO DO TECLADO
Os menus disponíveis aparecem na área dos menus no lado esquerdo da tela. A seleção
do menu é realçada.
Role o trackball e a seta se moverá para outra seleção.
As teclas de atalho do teclado correspondentes aparecem à esquerda da função em uso.

Por exemplo:
No Modo estático 3D, pressione a tecla de atalho [U] no teclado para definir o Modo de
apresentação.
NOTE: Ao pressionar a tecla esquerda ou direita do mouse trackball [Set], inicia-se a função do
menu selecionada.

3.5.1 Alteração de Menus

Cada menu tem o seu [Sub-Menu]. Ao selecionar esse item do menu, o menu relacionado
a ele aparece na área de menu no lado esquerdo da tela.
Utilities (Utilitários)
Para exibir o menu Utilitários".
Observação:Se nenhuma sonda for selecionada, a tecla Utilitário ficará inativa.

3.5.2 Layout do Menu principal Modo 2D

Exemplo:

Voluson® i Manual básico do usuário 3-11


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

Observações:
Ao selecionar um novo modo, um novo menu "Principal" aparece com as funções de
operação desse modo. As funções Foco, OTI, Beta View (Visualização Beta), Freqüência,
Ângulo, modo Trapezóide e FFC somente aparece no área e estado de menu se elas estão
disponíveis pra a sonda selecionada.

Informação da
Modo B (2D)
Imagem:

Programa do usuário Nome do programa do usuário

7.5-5.0 Freqüência de Recepção [MHz]

Potência (Pwr) 85 % Potência acústica [%] ou fixa a potência máxima de 100

Gn -12 Rendimento [dB]

Curva dinâmica [número] e mapa de cinzentos (Gray map)


C5 / M7
[número]

P6 / E4 Persistência [número] e Realce de borda [número]

Informação da
Modo M
Imagem:

Gn 10 Rendimento [dB]

EE 1 Realce de borda [número]

Rej 10 Reject (Rejeição) [número]

Informação da
Modo D (PW)
Imagem

Potência (Pwr) 85 % Potência acústica [%] ou fixa a potência máxima

Gn 10 Rendimento [dB]

WMF 230 Hz Filtro de deslocação da parede [Hz]

SV Ângulo 60º Correção de Ângulo

Tamanho 2,0 mm Tamanho do volume da amostra

Média de Freqüência Freqüência transmitida [Dados do transdutor]

PRF 1,2 kHz Faixa de Velocidade [kHz, cm/s, m/s]

3-12 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

Informação da
Modo CFM, Modo PD
Imagem:

Potência (Pwr) 85 % Potência acústica [%] ou fixa a potência máxima de 100

Gn 60 Rendimento [dB]

Média de Freqüência Freqüência transmitida [Dados do transdutor]

Média de Qualidade Qualidade do CFM [mesa]

Média WMF Filtro de deslocação da parede [Hz]

PRF 1,2 kHz Faixa de Velocidade [kHz, cm/s, m/s]

Informação da
Modo 3D/4D
Imagem:

Programa do usuário Nome do programa de usuário 3D/4D

Th26 / Qual alta1 Limiar [número] e Qualidade [mesa]

B68º / V55º Ângulo da Caixa de Volume [grau] e Ângulo do Volume [grau]

Combinação entre os modos de apresentação selecionados


Mix 16/84*
[porcentagem]

SRI II É exibido se o SRI estiver ativado

S.txt / S.sm Modos de apresentação selecionados

Posição do Mapa de Cinzentos [número] e Contraste


M14 / 100
[número]

T10.0 Tempo de Aquisição [segundos]

S10mm Espessura do Corte [centímetros]

Modo Modo de Aquisição selecionado

Observações:
Quando a função de Otimização Automática é ativada, é exibido um asterisco(*
próximo ao número de mapa de cinzentos) na área de informações da imagem no
modo B.
A Informação da Imagem no Modo 3D/4D depende do Modo de Aquisição e
Visualização selecionado.

Voluson® i Manual básico do usuário 3-13


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

3.5.3 Painel de Controle

Controles UI

4) Orientação da
1) Botões Programáveis do 2) Imagiologia
3) Inverter Doppler Imagem Left/Right (para
Menu harmônica (HI)
esquerda/para direita)

5) Orientação da Imagem 3D
Up/Down (para cima/para 6) Botão de potência 7) Botão de ajuda 8) Terminar Exame
baixo)

11) Desconetar o cabo 12) Redução de


9) Aplicação da Sonda 10) Utilitários
USB Potência

13) Aumento de Potência 14) Seta 15) Corpo 16) Texto

20) Controles do
17) Apagar 18) Texto 19) Orientação do Feixe
Interruptor TGC

21) Entrada dos Dados do 24) Doppler de Onda


22) Alt 23) Modo de Movimento
Paciente Pulsada

27) Modo 4D em Tempo


25) Modo de Fluxo a Cores 26) Modo 2D 28) Modo Ativo
Real

3-14 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

Controles UI

29) SonoView 30) Calibre 31) Cálculos 32) Profundidade

34) Formato de Tela 35) Formato de Tela


33) Formato de Tela Dupla 36) Relatório (Planilha)
Quádrupla Única

37) Modo Auto 38) Limpar tudo 39) Teclas P1 P2 P3 40) Sair

42) Tecla esquerda do 44) Tecla superior do


41) Congelar/Executar 43) Ponto
trackball trackball

46) Tecla direita do


45) Zoom 47) Trackball
trackball

3.5.4 Hard Keys

Botão de potência
Pressione esse botão para ligar ou suspender o sistema.

Leitura/Gravação (Congelar/Executar)
O botão fica verde: a imagem é congelada (modo de leitura). O botão fica branco:
digitalização em tempo real (modo de escrita). veja: Para congelar uma imagem Para
congelar uma imagem na página 4-6

P1
Tecla programável P1

Pode ser programada para imprimir, salvar ou exportar dados. Veja Exportar & Imprimir
na página 15-2 para mais informações.

P2
Tecla programável P2

Pode ser programada para imprimir, salvar ou exportar dados. Veja Exportar & Imprimir
na página 15-2 para mais informações.

P3
Tecla programável P3

Pode ser programada para imprimir, salvar ou exportar dados. Veja Exportar & Imprimir
na página 15-2 para mais informações.

Cálculos
permite medição/cálculos em modo 2D/3D, modo M e modo Doppler Espectral, utilizando
vários itens de medidas para diferentes aplicações ver: Planilhas de Cálculos e Paciente
(Relatórios) Veja Cálculos e Folhas de Trabalho do Paciente (Relatórios) na página 13-2
para mais informações.

Voluson® i Manual básico do usuário 3-15


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

Calibre
operação: Medições Genéricas Veja Medições genéricas na página 12-2 para mais
informações.

Limpar tudo
para limpar gráficos, medições e anotações na tela

Seta
operação da seta indicadora do monitor: Indicador Veja Indicador na página 4-29 para
mais informações.

Corpo
operação para colocar os símbolos do marcador anatômico na tela: Pictograma Veja
Bodymarks (Marcadores anatômicos) na página 4-30 para mais informações.

Texto
operação para escrever na tela para documentação: Anotação da Imagem Veja
Anotação da imagem na página 4-26 para mais informações.

Modo Auto
No Modo 2D: ao pressionar esta tecla, ocorrerá a otimização automática da escala de
cinza para melhorar a resolução de contraste. Veja Otimização automática 2D na
página 5-6 para mais informações. No Modo PW: pressione esta tecla para a otimização
automática da PRF e da Linha de base. Veja Otimização automática PW na página 7-5
para mais informações. No Modo 3D/4D: ao pressionar esta tecla, ocorrerá a otimização
automática dos planos seccionais A, B e C. No entanto, a imagem apresentada não será
afetada. Veja Otimização Automática em Modo Volume na página 10-44 para mais
informações.

Modo Ativo
Se as combinações de modo são utilizadas, o modo Ativo alterna entre os controles de
modo e rendimento

Aplicação
Abra o menu Programa de Aplicação de Sondas para mudar a aplicação da sonda. Veja
Seleção transdutor/programa na página 4-5 para mais informações.

Entrada dos Dados do Paciente


operação para iniciar o menu de entrada de dados do paciente (o exame anterior será
fechado): Introduzindo Dados do Paciente Veja Introduzir dados do paciente na
página 4-7 para mais informações.
A tecla também pode ser programada para atuar como uma nova tecla: Veja Para
programar a tecla de hardware do paciente na página 15-3 para mais informações.

3-16 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

Terminar Exame
Os dados do paciente e da medição são guardados no "Data manager" (Gerenciador de
Dados) e todos os dados temporários de paciente e de medição são eliminados.
operação: Terminar Exame Veja Terminar Exame na página 4-8 para mais informações.
Precaução: É absolutamente necessário pressionar esta tecla antes de desligar (OFF) o
sistema. Caso contrário, perdem-se os dados do paciente bem como todas as medições
de seu relatório.

Utilities (Utilitários)
para exibir o menu de Utilitários: Utilitários Veja Utilities (Utilitários) na página 11-2 para
mais informações.

Inverter Doppler
ao pressionar este botão, observa-se a inversão do espectro do Doppler, o modo M é
exibido como também a inversão de Cor no modo Doppler Colorido

Orientação da Imagem 3D Up/Down (para cima/para baixo)


pressione esta tecla para mudar a orientação da imagem 3D ou alternar entre a
orientação para cima e para baixo no Modo 2D.

Orientação da Imagem Left/Right (para esquerda/para direita)


para alternar a orientação da imagem para esquerda e para direita

Teclas de direção do feixe


ao pressionar aparece a função de orientação do feixe (esquerda ou direita), desde que a
sonda ativa o permita

Formato de Tela Única


selecione o formato do monitor (monitor de tela única) no modo de imagem 2D e 3D

Formato de Tela Dual (Dual-Screen) (distribuição vertical)


seleção do formato do monitor (monitor de tela dual) em modo de imagem 2D e 3D:
Formato de Tela Dual Veja Formato de Tela Dupla na página 5-10 para mais
informações.

Formato de Tela Quádrupla


seleção do formato do monitor (monitor de tela quádrupla) em modo de imagem 2D e 3D:
Formato de Tela Quádrupla Veja Formato de Tela Quádrupla na página 5-12 para mais
informações.

Voluson® i Manual básico do usuário 3-17


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

SonoView
pressione esta tecla para acessar imagens na revisão da operação no disco rígido:
SonoView Veja SonoView na página 14-2 para mais informações.

Relatório (Planilha)
pressione esta tecla para ver a planinha do paciente da aplicação selecionada: Planilhas
de Cálculos e de Paciente (Relatório) Veja Cálculos e Folhas de Trabalho do Paciente
(Relatórios) na página 13-2 para mais informações.

Saída
para sair do menu atual

Redução de Potência
para diminuir a potência acústica do sistema: Potência Transmitida Veja Potência de
Emissão na página 5-7 para mais informações.

Aumento de potência
para aumentar a potência acústica do sistema: Potência Transmitida Veja Potência de
Emissão na página 5-7 para mais informações.

Desconecte o cabo USB


Veja ver: Trabalhar com dispositivos USB externos na página 16-25 para mais
informações.

Profundidade
para selecionar a profundidade de exibição da imagem 2D (para cima e para baixo):
Profundidade do Modo 2D Veja Profundidade de Modo 2D na página 5-5 para mais
informações.

Imagiologia Harmônica Codificada


tecla on/off (liga/desliga) para Imagiologia Harmônica Codificada: Imagiologia
Harmônica (HI) Veja Imagiologia harmônica (HI) na página 5-9 para mais informações.

Modo 4D em Tempo Real


ativa o Modo 4D em Tempo Real (varredura contínua de volume) ou Modo estático 3D
Veja Volume Mode (Modo volume) na página 10-2 para mais informações.

3-18 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

Modo de fluxo a cores


tecla on/off (liga/desliga) para Modo de Fluxo Colorido Veja Modo CFM (Modo de Fluxo a
Cores) na página 8-2 para mais informações.

Modo 2D (todos os modos adicionais serão desligados)


Pressionar este controle ativa o Modo 2D. Veja Modo 2D na página 5-2 para mais
informações.

Alt
sem função

Doppler de onda pulsada (on/off - ligado/desligado)


Ao pressionar, inicia o modo de doppler PW desde que a sonda ativa permita essa função.
Veja Modo PW (Pulsed Wave Doppler) na página 7-2 para mais informações.

Modo de Movimento (on/off - ligado/desligado)


Ao pressionar, inicia o modo M desde que a sonda ativa permita essa função. Veja Modo
M na página 6-2 para mais informações.

Botões Programáveis do Menu: Comandos do Menu


4 direções: para cima, para baixo, mais, menos.

Ponto:
Apresenta um cursor para as operações de menu e de imagem.

Zoom:
Modo Zoom Ativado/Desativado

Voluson® i Manual básico do usuário 3-19


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

Delete
Deleta as anotações ou os marcadores na tela

Backspace
Deleta as últimas anotações ou marcadores na tela, dependendo da seta ou texto
ativados

Botão de ajuda
Pressione o botão [?] para iniciar o manual do usuário eletrônico. operação: Manual do
Usuário Eletrônico Veja Manual do Usuário Eletrônico (MUE) na página 3-21 para mais
informações.

3.5.4.1 Função do Em operações gerais nas páginas e janelas de diálogo no desktop do sistema (ex., Entrada
mouse Trackball: dos Dados do Paciente, Uso do EUM, Configuração do Sistema, Configuração de Medida,
nas Páginas de Diál- etc.) são feitas com o mouse trackball e com as teclas do mouse trackball (emulação do
ogo mouse).

Trackball (posição do mouse):


posições do dispositivo indicador (seta) no desktop do monitor

tecla esquerda do trackball (botão esquerdo do mouse): define, fixa marcas e ativa
páginas/botões etc. marcados com o ponteiro

tecla superior do trackball (botão direito do mouse): sem função no ambiente de


trabalho do sistema

tecla direita do trackball (botão esquerdo do mouse): define, fixa marcas e ativa
páginas/botões etc. marcados com o ponteiro

3-20 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

3.6 Manual do Usuário Eletrônico (MUE)


Pressione a tecla [Ajuda] no teclado para iniciar o manual do usuário eletrônico.
A tela do EUM aparece (ex.: Modo 2D)

A tela do Ajuda é dividida em três partes:


1. Ferramentas de Navegação - no lado esquerdo superior. Veja Ferramentas de
Navegação na página 3-21 para mais informações.
2. Guias de Navegação - abaixo das Ferramentas de Navegação. Veja Guias de
Navegação na página 3-23 para mais informações.
3. Painel de Conteúdo - no lado direito da tela onde são mostrados os tópicos de Ajuda

3.6.1 Sair do Manual do Usuário Eletrônico

Pressione a tecla [Exit] (Sair) no painel de controle para sair do manual do usuário
eletrônico.

3.6.2 Ferramentas de Navegação

Item do menu Descrição

[Ocultar] as ferramentas de navegação da janela do Ajuda no


lado esquerdo da tela. Para visualizar o lado esquerdo da tela
novamente, clique no ícone [Mostrar].

Para voltar ao tópico selecionado anteriormente.

Voluson® i Manual básico do usuário 3-21


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

Item do menu Descrição

Para visualizar o tópico que foi exibido antes, clique no botão


[Voltar].

Para imprimir o tópico selecionado ou a caixa selecionada e


todos os sub-tópicos.

Escolha a impressora desejada, selecione a Tipo de Página e clique no botão [Imprimir].


Precaução:
Tome cuidado com mudanças e modificações, que não são relacionadas à instalação de
impressoras e ajuste de configuração de impressora e que podem provocar disfunção do
sistema.
NÃO mude a configuração da "Impressora Predefinida". Isso também mudará a
configuração "Impressora do relatório" na Configuração do Sistema.

Para ajustar funções diferentes (ex., Pesquisa com Realces


LIGADO/DESLIGADO (ON/OFF).

3-22 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

3.6.3 Guias de Navegação

O Ajuda Online esta organizado como um manual, com capítulos, seções e páginas.
Clique nas Guias de Navegação no lado esquerdo da tela:
Para visualizar os Conteúdos Veja Ver os conteúdos na página 3-23 para mais
informações.
Para utilizar o Índice Veja Usar o índice na página 3-23 para mais informações.
Para pesquisar um Tópico Veja Pesquisar um Tópico na página 3-24 para mais
informações.
Para salvar um Tópico Favorito Veja Salvar um Tópico Favorito na página 3-24 para
mais informações.
3.6.3.1 Ver os con- 1. Clique no sinal de [+] próximo ao capítulo desejado para abrir a seção.
teúdos 2. Clique na página para exibi-la no painel de conteúdo.

O texto grifado de azul leva aos tópicos relacionados.


Depois de clicar no texto grifado de azul, a tela apresenta o conteúdo do link. Para
retornar à tela anterior clique em [Voltar]. Para retornar ao link, clique [Seguir].
3.6.3.2 Usar o índice 1. Clique em Índice . É mostrada uma lista de tópicos - organizados em ordem
alfabética.
2. Utilize a barra de paginação para consultar um tópico.
3. Ou clique duas vezes o tópico desejado para visualizá-lo, ou grife o tópico e clique no
botão [Exibir].

Voluson® i Manual básico do usuário 3-23


H48671HH Revisão 4
Primeiros passos

3.6.3.3 Pesquisar um 1. Para pesquisar um tópico específico, clique em Pesquisar .


Tópico 2. Digite no nome do tópico no teclado para encontrar: campo. Aparecem os tópicos com
a palavra ou frase digitada no Tópico de Seleção para exibição: área.
3. Ou clique duas vezes o tópico desejado para visualizá-lo, ou grife o tópico e clique no
botão [Exibir].

3.6.3.4 Salvar um Você descobrirá que há tópicos que você precisa consultar com freqüência. Nesse caso, é
Tópico Favorito uma boa idéia salvar esses tópicos como Favoritos.
1. Para salvar um tópico como favorito, clique em "Favoritos".
2. Grife o tópico no Tópicos: e clique no botão [Adicionar].
Agora você pode acessar este tópico por meio da guia Favoritos.

3-24 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Capítulo 4

Operações Básicas de Varredura

Descreve os primeiros passos desde o arranque do Voluson® i até à varredura


com as sondas.

Voluson® i Manual básico do usuário 4-1


H48671HH Revisão 4
Operações Básicas de Varredura

4. Operações de Varredura

4.1 Observações gerais


A equipe técnica autorizado deve somente realizar a instalação, ligando o aparelho pela
primeira vez e fazendo a verificação do sistema.
O Voluson® ié entregue com as configurações básicas recomendadas. Esses oferecem
condições apropriadas para um grande número de aplicações. Dependendo da
experiência do usuário, essas configurações predefinidas podem ser alteradas e salvas
como novos Programas de Usuários. O salvamento desses programas ou o rápido
carregamento de novos programas de um outro usuário é feito por backups (cópias de
segurança).

4.2 Aviso de Segurança


No caso do equipamento ser transportado de um ambiente frio (depósito, frete por
avião) para uma sala aquecida, antes de ligá-lo pela primeira vez, espere algumas
horas para o equilíbrio de temperatura e condensação da umidade (há risco de fuga
de corrente) .

4.3 Mudando On/Off


Para ligar a unidade:
1. Certifique-se se a bateria está carregada, verificando o indicador de potência LED, ou
conecte a saída do adaptador da fonte de alimentação AC na parte traseira da
unidade. Pressione o botão on/off (liga/desliga) no canto superior direito do painel de
controle.
2. Veja Design Mecânico na página 3-7 para mais informações.
3. ). Depois da inicialização, da tela de varredura predefinida (modo 2D) é exibida,
utilizando a sonda ativa. Se a bateria estiver muito fraca, uma mensagem referente a
isso é exibida na tela.
NOTE: Ao utilizar o Adaptador de Fonte AC, o sistema pode ser utilizado independentemente do
nível da bateria. A bateria é carregada automaticamente quando o sistema opera com o
Adaptador de Fonte AC.

4-2 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Operações de Varredura

4.4 Desligando a unidade


Quando o Voluson® i é desligado, o sistema executa uma seqüência de desconexão
automática. A unidade pode ser desligada em dois modos.
Modo Standby (modo espera): a maior parte do sistema é desligada, mas uma parte
da unidade fica ativa . O modo de espera (Standby) permite uma reinicialização mais
rápida quando o sistema é utilizado diariamente ou movido de um lugar para outro.
Suspensão completa: todo o sistema é suspenso. Recomenda-se a suspensão
completa se o sistema não for utilizado durante todo o dia ou por mais tempo.
Recomenda-se realizar uma suspensão completa pelo menos uma vez por semana.

Para evitar a perda dos dados do paciente e todas as medidas na Planilha do Paciente, é
absolutamente necessário pressionar a tecla [Terminar Exame] no painel de controle
antes de desligar o sistema.
ver: Terminar Exame Veja Terminar Exame na página 4-8 para mais informações. )

Aperte a chave ON/OFF Standby (Ligar/Desligar Espera) no canto superior direito da


interface.
Para localizá-la, veja: Configuração do Sistema Veja Requerimentos de energia na
página 3-3 para mais informações..
Se o exame em execução não estiver terminado, a seguinte mensagem de advertência é
exibida:

Observações:
Após desligar o sistema, espere pelo menos dez segundos para voltar a ligá-lo. O
sistema não estará pronto para inicializar se a potência for reciclada rapidamente.
O ventilador do sistema poderá funcionar depois que o sistema for desligado.
Suspensão completa:
4. Pressione o botão on/off (liga/desliga) no canto superior esquerdo do painel de
controle. A janela de diálogo de Saída (Exit) é mostrada. Selecione Shutdown
(Suspensão). O processo de suspensão demora alguns segundos e é concluído
quando a iluminação do painel de controle se apaga.
Modo Standby (Espera):
5. Pressione o botão on/off (liga/desliga) no canto superior esquerdo do painel de
controle. A janela de diálogo de Saída é mostrada (Figure 1-5). Selecione Standby
(Espera). O sistema entra em modo Standby. O sistema permanece em modo Standby
(Espera) por aproximadamente 1,5 hora utilizando a bateria interna.
NOTE: Se, enquanto o sistema estiver em funcionamento, o cabo de energia for removido da
tomada ou se o adaptador de energia for desconectado do sistema Voluson® i, este
continuará a funcionar com a bateria interna. Quando a carga da bateria é reduzida abaixo
de um determinado nível, o sistema é suspenso automaticamente e entra no modo Standby.

Voluson® i Manual básico do usuário 4-3


H48671HH Revisão 4
Operações Básicas de Varredura

4.5 Conexão do Transdutor


Antes de conectar ou desconectar um transdutor, congele a imagem. É necessário
desligar a unidade. Se uma sonda é desconectada enquanto está sendo utilizada
(modo de escrita), pode-se ocorrer um erro de programa. Neste caso DESLIGUE (OFF) a
unidade e LIGUE (ON) em seguida (reinicialize).

1. Plugue o conector da sonda na tomada da sonda.


2. Introduza o conector cuidadosamente na tomada e coloque o fecho de trava para
cima em posição totalmente horizontal para travar a sonda.
3. Para desplugar um conector de sonda, pressione cuidadosamente o fecho de trava e
remova a sonda.

Conector de sonda: mostra travado.


NOTE: Uma desconexão de uma sonda ativa fica somente no modo de leitura! Somente modo de
leitura!!! Se uma sonda é desconectada enquanto está sendo utilizada (modo de escrita),
pode-se ocorrer um erro de programa!

4-4 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Operações de Varredura

4.6 Seleção transdutor/programa


Este menu mostra as sondas conectadas e as aplicações compatíveis. Selecione uma
sonda e uma aplicação usando o trackball ou a tecla de atalho indicada no teclado. A
aplicação ativa é indicada por um ponto verde.
Depois de selecionar uma Aplicação, aparece um máximo de 7 campos do programa do
usuário no campo [Configurações do Usuário] (User Settings) e uma configuração
predefinida. A configuração PREDEFINIDA não pode ser alterada pelo Usuário. A seleção
Configuração do Usuário (user setting) também é feita com o mouse trackball. Para cada
transdutor, pode-se armazenar até 7 programas. As Configurações do Usuário permitem
um rápido ajuste do sistema para diferentes campos de aplicação. Para salvar uma
configuração em uma aplicação, ver: Configurações do Usuário Veja Configurações do
usuário na página 16-8 para mais informações.

Tecla [Sonda] (tecla de hardware):


Essa tecla ativa e desativa o menu "seleção de sonda".
ver: Conexão do Transdutor Veja Conexão do Transdutor na página 4-4 para mais
informações. )

Menu de seleção de Aplicação de Sonda na tela:

Janela da Sonda:
Mostra todas as sondas conectadas, e a que está ativa é realçada (se alguma estiver ativa)
Janela de Aplicação:
Mostra todas as aplicações para a sonda ativa. A última aplicação ativa é realçada.
Configurações do submenu:
Mostra todas as configurações para a aplicação ativa. A última configuração ativa é
realçada.
Seleção de um transdutor:

Voluson® i Manual básico do usuário 4-5


H48671HH Revisão 4
Operações Básicas de Varredura

Selecione o campo da sonda correspondente utilizando o mouse trackball. Cada campo


mostra o nome e a foto da sonda correspondente. A sonda selecionada é indicada quando
está realçada. Ao mesmo tempo, aparece o campo da aplicação. Depois de selecionar,
pode-se visualizar as configurações do usuário programadas. Com o mouse trackball,
selecione a configuração.

4.6.1 Iniciar o sistema

Ao clicar o botão da aplicação desejada, ela é iniciada.


A sonda é inicializada, o menu principal (modo 2D) e a imagem de ultra-som aparece no
monitor no modo de escrita (visualização em tempo real).

Ao pressionar a tecla [Congelar] (Freeze), a configuração selecionada (realçada) é


acionada.

Regressa ao menu do modo ativo anteriormente utilizado (modo 2D, modo M, .....) sem
qualquer alteração.
NOTE: A tecla [Saída] a tecla [Sonda] produz a mesma função. Você pode sair, clicando uma das
teclas, se não foi feita nenhuma alteração de transdutor ou aplicação. Se tiver sido feita
uma alteração na janela de Aplicação, as teclas ficam escuras (desativadas). Neste caso,
somente é possível sair selecionando [OK].

4.6.2 Para congelar uma imagem

Tecla Congelar/Executar (tecla de hardware) Congele a imagem pressionando a tecla


[Congelar]:
Tecla verde:modo de leitura (a imagem fica congelada, o transdutor fica desativado)
Tecla branca:modo de escrita (tempo real e sonda ativados)

4-6 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Operações de Varredura

4.7 Introduzir dados do paciente


Os Dados do Paciente devem ser introduzidos através de um formulário de dados do
paciente. Essa informação será utilizada em cálculos, planilhas de paciente,
configurações de DICOM e é visualizada na tela para identificar imagens. Cada dado
introduzido no campo é armazenado no banco de dados interno.

Pressione a tecla [Paciente] (tecla de hardware) no painel de controle.


Menu de Identificação do Paciente
se um exame é iniciado;
ver Veja Menu do Paciente na página 4-9 para mais informações.

Informação do Paciente
se nenhum exame é iniciado; ver Veja Informação do Paciente na página 4-10 para mais
informações.
NOTE:
Se a unidade é conectada a um servidor de lista de tarefas (ex. HIS / RIS), um paciente
da lista pode ser selecionado. Operação: Para Recuperar Dados do Paciente via
Servidor de Lista de Tarefas Externo Veja Recuperar Dados do Paciente via Servidor
de Lista de Tarefas Externo na página 4-22 para mais informações. )
Ou utilize o teclado para digitar na tela de Informação do Paciente. Operação: Entrada
Padrão de Dados Veja Entrada de Padrão de Dados na página 4-19 para mais
informações. )

Voluson® i Manual básico do usuário 4-7


H48671HH Revisão 4
Operações Básicas de Varredura

4.7.1 Terminar Exame

[Terminar Exame]: Saia do procedimento do paciente para o estado de operação


anterior.
Os dados do paciente e da medição são armazenados no "Gerenciador de Dados" (Data
manager) e todos os dados temporários de paciente e de medição são eliminados.

É absolutamente necessário pressionar a tecla [Terminar Exame] no painel de controle


antes de DESLIGAR o sistema. Caso contrário, perdem-se os dados do paciente bem
como todas as medições na Planilha do Paciente.
Uma alternativa é selecionar [Terminar/Novo] (End/New) ou [Del/Novo] (Del/New) no
menu de Identificação do Paciente.

Se o campo Terminar Diálogo do Exame na Configuração do Sistema é marcado por um


sinal de conferido o diálogo "Terminar Exame" será exibido no monitor antes de terminar o
exame em execução.
ver: Configurações do Usuário Veja Configurações do usuário na página 16-8 para mais
informações.
1.Existência de Medições Incompletas:
Selecione [Não]:a janela de diálogo desaparece (para estado de operação anterior)
Selecione [Sim]:o comando Terminar Exame é executado e a janela de diálogo
desaparece.
2.Não existe medições incompletas:
Selecione [Não]:a janela de diálogo desaparece (para estado de operação anterior)
Selecione [Sim]:o comando Terminar Exame é executado e a janela de diálogo
desaparece.
Os dados do paciente e da medição são guardados no "Data manager" (Gerenciador
de Dados) e todos os dados temporários de paciente e de medição são eliminados.
Não existe Identificação do Paciente: todos os dados temporários de medição são
eliminados.
NOTE: O comando Terminar Exame também é executado se a tecla/botão [Terminar Exame] é
pressionada novamente enquanto a janela de diálogo aparece.

4-8 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Operações de Varredura

4.7.2 Menu do Paciente

Tela do Menu de Identificação do Paciente (será exibida somente se um exame estiver


ativo e se a tecla [Paciente] estiver selecionada)
NOTE: Se Caixa de Diálogo do Paciente estiver aberta, é possível iniciar e suspender a gravação
pressionando a tecla [VCR].

Iniciar Novo:
Os dados de medições e do paciente são
armazenados no Gerenciador de Dados
(todos os dados temporários de medições
e do paciente são apagados) e a página
de informações do Paciente é exibida.
Exibição: tela Informação de Paciente
Veja Informação do Paciente na
página 4-10 para mais informações. )
Se o MPPS for utilizado, e uma etapa
estiver em andamento, envie a
mensagem completa de MPPS para
concluir a etapa.

Terminar exame:
Os dados de medições e do paciente são
armazenados no Gerenciador de Dados
(todos os dados temporários de medições
e do paciente são apagados) e o sistema
retorna à tela de varredura.
Se o MPPS for utilizado, e uma etapa
estiver em andamento, envie a
mensagem completa de MPPS para
concluir a etapa.

Voluson® i Manual básico do usuário 4-9


H48671HH Revisão 4
Operações Básicas de Varredura

Delete Exame / Nova Identificação (ID):


Todos os dados temporários de medições
e do paciente são apagados e a página
de informações do Paciente é exibida.
Exibição: tela Informação de Paciente
Veja Informação do Paciente na
página 4-10 para mais informações.
Se MPPS for usado, e uma etapa estiver
em andamento, envie uma mensagem de
interrupção ao MPPS para cancelar a
etapa.

Edite a Informação do Paciente:


Exibição: tela Informação de Paciente
Veja Informação do Paciente na
página 4-10 para mais informações. )

Ocultar informações do paciente:


As barras de títulos com o ID e nome do
paciente na tela de varredura são
substituídas por pontos.

NOTE: O número de identificação (ID) não pode ser editado. Se os dados 3D/4D forem carregados
do SonoView de volta para o sistema, não será possível editar (a tecla [Editar] é desativada).

Sair do procedimento do paciente para o estado de operação anterior sem alterações.

4.7.3 Informação do Paciente

4-10 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Operações de Varredura

1. Introduza Dados do Paciente.

Identificação (ID) do
Número do RG do paciente máximo de 32 caracteres
Paciente:

sobrenome: sobrenome do paciente máximo de 32 caracteres

Primeiro Nome: primeiro nome do paciente máximo de 15 caracteres

segundo sobrenome do
Segundo Sobrenome: máximo de 15 caracteres
paciente

Data de Nascimento (DOB data de nascimento do


- Day of Birth) paciente

Idade (age) idade do paciente

Sexo ---- , feminino, masculino (seleção no menu)

NOTE: Ao introduzir a data de nascimento, a idade é calculada e exibida automaticamente.


2. Selecione Aplicação.

Veja Informação do Paciente Abdômen


Abdominal (ABD)
(ABD) na página 4-12 para mais informações.

Veja Informações do Paciente - Obstetrícia


Obstetrícia (OB)
(OB) na página 4-13 para mais informações.

Veja Informações do Paciente Ginecologia


Ginecologia (GYN)
(GYN) na página 4-16 para mais informações.

Veja Informações do Paciente Cardiologia


Cardiologia (CARD) (CARD) na página 4-17 para mais
informações.

Veja Informações do Paciente Urologia


Urologia (URO)
(URO) na página 4-18 para mais informações.

Veja Informações do Paciente Vascular


Vascular (VAS)
(VAS) na página 4-18 para mais informações.

Veja Informações do Paciente Neurologia


Neurologia (NEURO) (NEURO) na página 4-18 para mais
informações.

Veja Informações do Paciente Partes


Pequenas Partes (SM P) Pequenas (SM P) na página 4-18 para mais
informações.

Veja Informações do Paciente Pediatria


Pediatria (PED)
(PED) na página 4-18 para mais informações.

Veja Informações do Paciente Músculo-


Músculo-esquelético (MSK) esquelético (MSK) na página 4-18 para mais
informações.

3. Introduza os Dados da Aplicação exigida para a Aplicação selecionada.

Voluson® i Manual básico do usuário 4-11


H48671HH Revisão 4
Operações Básicas de Varredura

4. Introduza Informação de Estudo adicional

nome do Médico
. Médico: máximo de 32 caracteres
Responsável

nome do Médico
Médico de referência: máximo de 32 caracteres
Solicitante

Técnico da Ultra- nome do técnico da ultra-


máximo de 32 caracteres
sonografia: sonografia

Tipo de Exame: explicação do pedido máximo de 32 caracteres

Número do Exame
número solicitado máximo de 16 caracteres
Solicitado #

Indicação: Indicação máximo de 32 caracteres

campo de entrada
Personalizado 1: máximo de 32 caracteres
personalizado 1

campo de entrada
Personalizado 2: máximo de 32 caracteres
personalizado 2

Ver: Entrada Padrão Veja Entrada de Padrão de Dados na página 4-19 para mais
informações. ou Para pesquisar na Lista de Paciente Veja Procurar na lista do Paciente na
página 4-25 para mais informações.
4.7.3.1 Informação
do Paciente Abdô-
men (ABD)

Dados da Aplicação:

Altura: Introduzir a altura do paciente em uma das unidades (cm ou m).

Peso: Introduzir o peso do paciente em uma das unidades (kg ou gr).

Seleção de Unidades:Posicione o cursor no campo de seleção de unidades utilizando o


trackball e pressione a tecla direita ou esquerda do trackball. As diferentes unidades serão
mostradas (em ordem sucessiva) para seleção.
NOTE: Para mais detalhes, ver tela de "Informações sobre o Paciente" Veja Informação do
Paciente na página 4-10 para mais informações. )

4-12 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Operações de Varredura

4.7.3.2 Informações
do Paciente -
Obstetrícia (OB)

Dados da Aplicação:
LMP
Introduzir o dia do último período menstrual utilizando o formato: dia, mês e ano.
NOTE: O primeiro dia do último período menstrual dever ser introduzido.

DOC Introduza o dia de concepção.

Introduza o dia estimado para o parto. O GA é automaticamente


EDD
calculado.

O GA será automaticamente calculado após a introdução do dia


do último período menstrual (LMP) ou do dia estimado para o
GA
parto (EDD). Quando a idade de gestação (GA) começa, o EDD (e o
DOC) é calculado automaticamente.

Grávida Introduza o histórico (dados) de gravidez da paciente.

Para Introduzir o histórico (dados) de nascimentos com sucesso.

Aborta Introduza o histórico (dados) de abortos.

Gravidez Ectópica Introduza o histórico (dados) de casos de gravidez ectópica.

Introduza o número de fetos (por exemplo, tratando-se de


Número de Fetos
gêmeos = 2).

NOTE:
Ao introduzir o dia do último período menstrual (LMP), a idade de gestação (GA) e o dia
previsto para o parto (EDD), o cálculo dos resultados é apresentado automaticamente.
Ao introduzir o dia de gestação (GA), apenas o dia previsto para o parto (EDD) é
calculado; ao introduzir o dia previsto para o parto (EDD), apenas o dia de gestação
(GA) é calculado.
cálculo dos LMP/GA/EDD

Período de gestação: 280 dias

EDD = LMP + 280d

Voluson® i Manual básico do usuário 4-13


H48671HH Revisão 4
Operações Básicas de Varredura

dia real LMP (dia real = dia of


GA =
Voluson® i)

LMP = EDD 280d

NOTE: Para mais detalhes, ver: tela de "Informações sobre o Paciente" Veja Informação do
Paciente na página 4-10 para mais informações.

Selecione esse botão para exibir a última caixa de diálogo de exame. (Disponível apenas
se o aplicativo for OB)

É possível trocar de tabela de fetos, caso mais de 1 Feto seja inserido na página de diálogo
do paciente.
NOTE: Esta caixa de diálogo é usada para inserir dados de ultra-sons anteriores, realizados em
outros sistemas. Esses dados podem então ser usados para estabelecer tendências fetais
(gráficos).
NOTE: As medidas relacionadas dependem das configurações atuais. Em todas as outras páginas
as colunas de medidas são alteradas, porém a coluna de data do exame continua a mesma.
Se nenhum LMP estiver disponível o sistema utiliza a data atual - a duração da gestação
usada para fins de cálculo.

Este campo mostra as datas iniciais e finais dos Exames.

Crie uma nova entrada ao inserir uma data de exame (é possível usar valores entre a data
real e o LMP).

4-14 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Operações de Varredura

Insira dados de medições de exames realizados anteriormente.

Se houver vários exames listados, use as setas Para cima/Para baixo para navegar na
lista.

Use estes botões para ir para a página anterior ou próxima página de medições.

Use esse botão para excluir a entrada.


A seguinte mensagem aparece:

Selecione [Sim] se quiser excluir o exame, selecione [Não] se quiser continuar.

Utilize essa tecla para voltar a página de diálogo do paciente sem salvar dados.

Utilize essa tecla para voltar a página de diálogo do paciente e salve dados.
NOTE: Apenas os dados que foram inseridos através da caixa de diálogo do último exame são
exibidos. (As medidas de exames realizados nesta máquina não são relacionadas).
NOTE: Os dados inseridos através da página de diálogo do último exame devem ser usados para
tendência fetal, e esses exames também serão relacionados na seção de relatório anterior.
NOTE: Relatório de Resumo - Gráfico na página 13-37

Voluson® i Manual básico do usuário 4-15


H48671HH Revisão 4
Operações Básicas de Varredura

4.7.3.3 Informações
do Paciente Gine-
cologia (GYN)

Dados da Aplicação:

Introduzir o dia do último período menstrual utilizando o


LMP
formato: dia, mês e ano.

Ovul. prev. Dada prevista de ovulação

Dia do ciclo Dia do ciclo

Grávida Introduza o histórico (dados) de gravidez da paciente.

Introduzir o histórico (dados) de nascimentos com


Para
sucesso.

Aborta Introduza o histórico (dados) de abortos.

Introduza o histórico (dados) de casos de gravidez


Gravidez Ectópica
ectópica.

NOTE: Para mais detalhes, ver: tela de "Informações sobre o Paciente" Veja Informação do
Paciente na página 4-10 para mais informações.

4-16 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Operações de Varredura

4.7.3.4 Informações
do Paciente Cardi-
ologia (CARD)

Dados da Aplicação:

Altura: Introduzir a altura do paciente em uma das unidades (cm ou m).

Peso Introduzir o peso do paciente em uma das unidades (kg ou gr).

BSA (Área de
Superfície do
Área de Superfície do Corpo (valor de cálculo, nenhuma entrada)
Corpo) Body
Surface Area

HR Índice de Batimentos Cardíacos

Seleção de Unidades:Posicione o cursor no campo de seleção de unidades utilizando o


trackball e pressione a tecla direita ou esquerda do trackball. As diferentes unidades serão
mostradas (em ordem sucessiva) para seleção.
NOTE: O valor do BSA (Área de Superfície do Corpo) é automaticamente calculado após a
introdução da altura e do peso.
NOTE: Se altura e peso não forem introduzidos em m/cm e kg/gr, faz-se necessária a conversão,
antes do cálculo do BSA.
Fórmula para o cálculo do BSA:

WT [kg]
HT [cm]
BSA [m²]
NOTE: Para mais detalhes, ver tela de "Informações sobre o Paciente" Veja Informação do
Paciente na página 4-10 para mais informações. )

Voluson® i Manual básico do usuário 4-17


H48671HH Revisão 4
Operações Básicas de Varredura

4.7.3.5 Informações
do Paciente Urolo-
gia (URO)

Dados da Aplicação:

PSA Introduzir o valor do Antígeno Prostático Específico

coeficiente 1 PPSA Introduzir o primeiro valor do coeficiente PSA.

coeficiente 2 PPSA Introduzir o segundo valor do coeficiente PSA previsto.

NOTE: O PPSA corresponde a um número de unidades ng/ml/gramas que indica o nível normal de
PSA esperado em um prostático com um certo volume. PSA previsto = Volume (gramas) x
0,15ng/ml/g (o fator coeficiente pode ser ajustado na Configuração de Medidas)
NOTE: Para mais detalhes, ver tela de "Informações sobre o Paciente" Veja Informação do
Paciente na página 4-10 para mais informações. )
4.7.3.6 Informações Não há introdução de dados específicos da aplicação.
do Paciente Vascu-
lar (VAS)
4.7.3.7 Informações Não há introdução de dados específicos da aplicação.
do Paciente Neu-
rologia (NEURO)
4.7.3.8 Informações Não há introdução de dados específicos da aplicação.
do Paciente Partes
Pequenas (SM P)
4.7.3.9 Informações Não há introdução de dados específicos da aplicação.
do Paciente Pedia-
tria (PED)
4.7.3.10 Infor- Não há introdução de dados específicos da aplicação.
mações do Paciente
Músculo-
esquelético (MSK)
NOTE: Para mais detalhes, ver tela de "Informações sobre o Paciente" Veja Informação do
Paciente na página 4-10 para mais informações. )

4-18 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Operações de Varredura

4.7.3.11 Edite a
Informação do
Paciente:
Selecionar o item [Edit] (Editar), disponível no menuIdentificação do Paciente (ID). ver: Veja
Menu do Paciente na página 4-9 para mais informações. )
NOTE: Se os dados 3D/4D forem carregados do SonoView de volta para o sistema, não será
possível editar (a tecla [Editar] é desativada).

Operação:Entrada de Padrão de Dados Veja Entrada de Padrão de Dados na página 4-19


para mais informações. )

Continue com o exame real:


A informação sobre o paciente fica temporariamente
armazenada. O procedimento para editar as informações
sobre o paciente é encerrado e o estado de operação
anterior é acionado.

NOTE: O número de identificação (ID) não pode ser alterado!

4.7.4 Entrada de Padrão de Dados

1.SELECIONE UM DISPOSITIVO DE ENTRADA


Há duas possibilidades para selecionar um dispositivo de entrada:
1.) com o trackball
2.) com o teclado
1.)Para selecionar um dispositivo de entrada:

Trackball: coloque o cursor no dispositivo de entrada


Enter (Introduzir):selecione um dispositivo de entrada e pressione o botão da direita ou
esquerda do trackball.

2.)Para selecionar um dispositivo de entrada:

Voluson® i Manual básico do usuário 4-19


H48671HH Revisão 4
Operações Básicas de Varredura

Pressione a tecla [Enter] ou a tecla [Tab] (os campos de entrada são selecionados em
ordem sucessiva).
2.INTRODUZIR INFORMAÇÕES SOBRE O PACIENTE

Utilize o teclado para digitar as informações do paciente.

Ao pressionar a tecla [Enter]a informação é introduzida e o próximo dispositivo de


entrada é selecionado.

NOTE: Se o campo Letra maiúscula para os nomes dos pacientes" estiver assinalado na
configuração do sistema, a primeira letra no campo Nomes automaticamente será
maiúscula.
NOTE: ver: Configurações do Usuário Veja Configurações do usuário na página 16-8 para mais
informações.
NOTE: O sistema cria automaticamente um número de identificação do paciente (ID).
NOTE: Para criar seu próprio número de identificação, registre o número de identificação (ID)
automático usando o teclado.
NOTE: Os dados do paciente nos diferentes sistemas distinguem-se apenas no campo
Identificação do Paciente!
NOTE: Se não utilizar a ID pré-definida e gerada automaticamente, certifique-se de que esta
identificação (ID) é única em todos os sistemas para o mesmo paciente!

4-20 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Operações de Varredura

3.TECLAS DE CONTROLE DO MENU

Ir do procedimento do paciente para o estado de


operação anterior. As informações sobre o paciente
previamente introduzidas serão apagadas.

Retirar informações sobre o paciente. Deve-se selecionar


o campo de identificação para nova entrada.

A informação sobre o paciente fica temporariamente


armazenada. Encerra-se o procedimento para
introdução de informações e aciona-se o estado de
operação anterior.

Iniciar exame também é possível pressionando a tecla [2D] ou a [Freeze] no painel de


controle.

Se as medições foram feitas antes de preencher a página de Informações do Pacientes,


não haverá ocorrência de salvar/enviar em andamento e a aquisição de início
automático estará desabilitada; o sistema exibirá o diálogo de informação "Iniciar exame
com as medições anteriores e uma imagem de ultra-som antiga? na tela.

Para fechar a caixa de diálogo:


[Sim]: As medições reais destinam-se ao Exame.
[Não]: As medições reais e a tela são desobstruídas e o modo 2D começa.
Encerra-se o procedimento do paciente e aciona-se o estado de operação anterior.
NOTE: Se a função Aquisição de início automático for selecionada, o sistema iniciará
automaticamente uma nova aquisição em Modo 2D quando a função Iniciar exame for
selecionada, sem exibir a caixa de diálogo.
NOTE: Ver: Configurações do Usuário Veja Configurações do usuário na página 16-8 para mais
informações.

Voluson® i Manual básico do usuário 4-21


H48671HH Revisão 4
Operações Básicas de Varredura

Para fechar a caixa de diálogo:


[Sim]:O exame começa com a última imagem exibida.
[Não]:A tela é limpa e o modo 2D é ativado.
A caixa de diálogo Informações do Paciente é fechada e o estado operacional anterior é
ativado.

4.7.5 Recuperar Dados do Paciente via Servidor de Lista de Tarefas Externo

Selecione a tecla [Lista de Tarefas] para ver os Dados disponíveis no Servidor de Lista de
Tarefas Externo. Esta tecla está disponível na tela Informações sobre o paciente" Veja
Informação do Paciente na página 4-10 para mais informações..

Selecione o campo Search (Pesquisar) desejado com o trackball.

4-22 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Operações de Varredura

Clique nesta tecla para pesquisar a entrada correspondente.


NOTE: Caso um procedimento com mais de uma etapa seja recuperado da lista de trabalho,
apenas uma entrada é criada. O número de etapas é dado na coluna S#.
Destaque o resultado utilizando o cursor trackball e a tecla direita ou esquerda do
trackball [Set].

O resultado da pesquisa será copiado para caixa de diálogo do paciente.


As tarefas seguintes são possíveis, caso o servidor MPPS e o procedimento de informações
estejam disponíveis.
1. Destaque uma entrada dessa lista usando o trackball e pressione o botão do meio do
trackball.
Informações detalhadas sobre o DICOM são exibidas:

Selecione um desses botões para navegar pelas informações detalhadas do DICOM das
etapas de procedimento relevantes.

Selecione o botão Close [Fechar] para retornar à lista de trabalho.


2. Destaque uma entrada dessa lista usando o trackball e pressione o botão Select
(Selecionar).
A caixa de diálogo "Procedure Step" (Etapa do procedimento) é exibida:

Voluson® i Manual básico do usuário 4-23


H48671HH Revisão 4
Operações Básicas de Varredura

NOTE: A caixa de diálogo de etapa do procedimento lista todas as etapas de procedimento


pertencentes ao procedimento selecionado.
NOTE: A seção do cabeçalho exibe as informações mais importantes da etapa selecionada.
Destaque uma entrada dessa lista usando o trackball e pressione o botão do meio do
trackball.
Informações detalhadas sobre o DICOM são exibidas.
O status de uma etapa pode ser zero (não iniciada), em andamento, concluída ou
interrompida.

Selecione esse botão para concluir a etapa


enviando uma mensagem completa ao MPPS
(possível apenas se o status da etapa for "in
progress" [em andamento]).

Selecione esse botão para cancelar a etapa


enviando uma mensagem de interrupção ao
MPPS (possível apenas se o status da etapa for
"in progress" [em andamento]).

Selecione esse botão para iniciar o


procedimento, mas não imediatamente, e sim
após pressionar "Start Exam" (Iniciar exame) na
caixa de diálogo do paciente (apenas possível
se nenhuma outra etapa estiver em
andamento e o status da etapa for não
iniciado).

Selecione esse botão para iniciar o exame


imediatamente, sem retornar à caixa de
diálogo do Paciente (apenas possível se
nenhuma outra etapa estiver em andamento e
o status da etapa for não iniciado).

Selecione esse botão para iniciar a etapa


imediatamente (possível apenas se nenhuma
outra etapa estiver "em andamento" [in
progress]).

Selecione esse botão para retornar à lista de


trabalho ou ao menu do paciente (dependendo
de onde foi iniciada a etapa de procedimento).

4-24 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Operações de Varredura

Sair da tela de pesquisa da Lista de Trabalho.


Não haverá cópias de nenhum resultado.

NOTE: O botão [lista de tarefas] só pode ser selecionado se for especificado um endereço DICOM
serviço lista de tarefas nas configurações do sistema. Ver: Especificar um endereço DICOM
Veja Para especificar um Endereço DICOM na página 16-29 para mais informações.

4.7.6 Procurar na lista do Paciente

Selecione a tecla Search (Pesquisar) utilizando o cursor


trackball e introduza via tecla esquerda ou direita do trackball.

Esta tecla está disponível na tela "Informações sobre o Paciente" Veja Informação do
Paciente na página 4-10 para mais informações..
O menu "Search Results Dialog (Pesquisar Resultados na Caixa de Diálogos) aparece na
tela.

Procedimento de Pesquisa:
Introduza dados de identificação no campo de entrada correspondente utilizando os
botões do teclado.
Selecione o resultado utilizando o cursor trackball e a tecla direita ou esquerda do
trackball. Destaca-se o resultado. Ao clicar duas vezes, seleciona-se e copia-se
imediatamente o resultado na tela de "Informações sobre o Paciente".
ou clique no botão Seleta (Selecionar)

O resultado da pesquisa será copiado para caixa de diálogo do


paciente. A tela Informações sobre o Paciente" Veja
Informação do Paciente na página 4-10 para mais
informações. reaparece.

Sair da caixa de diálogo para pesquisa, não haverá cópias de


nenhum resultado. A tela Informações sobre o Paciente" Veja
Informação do Paciente na página 4-10 para mais
informações. reaparece.

Voluson® i Manual básico do usuário 4-25


H48671HH Revisão 4
Operações Básicas de Varredura

4.8 Anotação da imagem

[Texto] - Tecla Texto (tecla de hardware) Pressione esta tecla para iniciar a função de
documentação. Ao pressionar novamente o texto desaparece mas não é eliminado.

Existem duas maneiras de se escrever na tela:


Anotação Veja Anotação na página 4-26 para mais informações.:com os botões do
tecladoAnotação Automática Veja Anotação automática na página 4-26 para mais
informações.:seleção de palavras predefinidas que são apresentadas no menu

4.8.1 Anotação

Essa função possibilita escrever na imagem de ultra-som utilizando o teclado, em modo


de escrita ou de leitura respectivamente. O registro é apagado se um transdutor ou
programa forem selecionados. É impossível registrar fora da área de anotação.
Funcionamento:
1. Ative o modo de anotação com a tecla [Texto].
2. Escreva o texto desejado utilizando os botões do teclado.
Observações:
A posição do cursor "Home" (Página Inicial) pode ser alterada da seguinte forma:
Trackball (Mouse de Bola)
Teclas (esquerda, direita, para cima, para baixo),
Tecla [Enter] (linha seguinte) ou
Tecla Backspace (apaga o último caráter)
As teclas Trackball, Home (página inicial) ou Arrow (setas) podem estabelecer a
margem esquerda da anotação da imagem.

4.8.2 Anotação automática

Essa função é fornecida para inserir rapidamente os termos na visualização da imagem. O


usuário pode programar quarenta palavras para cada aplicação. Para programar a
função TEXT AUTO (texto automático), ver: Configurações do Usuário Veja Configurações
do usuário na página 16-8 para mais informações.

4-26 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Operações de Varredura

Funcionamento:
1. Acione o modo de texto coma tecla Text (Texto). A função texto automático aparece no
menu.
2.Selecione uma palavra com a função navegar e clique nela. A primeira palavra
aparece junto ao cursor. Selecione uma nova palavra (um espaço em branco é introduzido
entre as palavras nova e antiga) ou insira um caráter com os botões do teclado (um
espaço em branco é introduzido entre os caracteres novo e antigo).

Pressione a tecla backspace para excluir a última letra inserida livremente ou uma
palavra de texto automático.

Pressione a tecla [Del] ou a tecla [Clear] no painel de controle para apagar todo texto
inserido.

Ao pressionar novamente o texto desaparece mas não é eliminado. Regressa ao último


menu ativo.

Voluson® i Manual básico do usuário 4-27


H48671HH Revisão 4
Operações Básicas de Varredura

Com esse interruptor pode-se selecionar tanto a


primeira
quanto a segunda página de palavras.

Selecione diferentes termos relacionados à


aplicação.

Após selecionar outra aplicação, o menu volta


ao menu de texto com as palavras de texto
automático da aplicação selecionada.

NOTE: A aplicação principal (selecionada no menu Seleção de transdutores ) não é alterada!


Depois de selecionar o item [aplicação], a área do menu muda para o menu "Aplicação".
Quando for selecionada uma aplicação "principal" no menu Seleção de sondas , a aplicação
de texto é definida (alterada) para esta aplicação.
Observações:
A posição do cursor "Home" (Página Inicial) pode ser alterada da seguinte forma:
Trackball (Mouse de Bola)
Teclas (esquerda, direita, para cima, para baixo),
Tecla [Enter] (linha seguinte) ou
Tecla Backspace (apaga o último caráter)
As teclas Trackball, Home (página inicial) ou Arrow (setas) podem estabelecer a
margem esquerda da anotação da imagem.

4-28 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Operações de Varredura

4.8.3 Indicador

tecla Indicator (Indicador), tecla de hardware. Ao pressionar a tecla[Arrow] a área do


menu muda para Indicator menu (menu indicador). O último indicador utilizado (ou por
convenção, o primeiro indicador no menu) aparece na tela.

Funcionamento:
1.Acione a função Indicator (Indicador) (tecla de hardware). O último indicador selecionado
aparece no meio da área de anotação.
2.Selecione a forma do indicador desejada ou utilize o indicador apresentado.
3.Posicione o indicador com o trackball.
4.Ajuste a direção do indicador (digipot, possível rotação de 360°).
5.Introduza o indicador pressionando a tecla direita ou esquerda do trackball [Set].
6.Repetindo-se os procedimentos, um novo indicador é estabelecido3. por meio de5. Ao
mover o trackball, o próximo indicador é exibido.
Para mover as setas:

A função Indicator (Indicador) é interrompida, porém o indicador inserido anteriormente


permanece. Regressa ao último menu ativo.

Pressione a tecla backspace para excluir o último indicador fixo e os indicadores


subseqüentes a partir deste ponto.

Pressione a tecla [Limpar] ou Del no teclado para excluir tudo, exceto o indicador ativo.

Voluson® i Manual básico do usuário 4-29


H48671HH Revisão 4
Operações Básicas de Varredura

4.8.4 Bodymarks (Marcadores anatômicos)

Apresentação do Pictograma (marcadores anatômicos [bodymarks])


Para documentar a posição do exame do paciente, um conjunto de símbolos gráficos do
corpo (marcadores anatômicos) está disponível. Uma pequena linha iluminada indica a
posição do exame. É possível posicioná-la livremente no símbolo de marcador anatômico.

Ao pressionar a tecla Body (Corpo) a área do menu muda para bodymark menu (menu
de marcadores anatômicos). O último marcador anatômico utilizado é exibido na tela.

Funcionamento:

1. Pressione a tecla de hardware Corpo. O último pictograma selecionado é exibido na


última posição utilizada.
2. Para mudar o pictograma exibido, pressione a tecla do cursor e selecione o
pictograma apropriado.
3. Posicione a linha de identificação da superfície do exame utilizando o trackball.

4. Ajuste a direção da marca utilizando os Botões Programáveis do Menu.


5. Pressione a tecla superior do trackball para alternar entre mover e girar a linha de
identificação do plano de diagnóstico.
6. Pressione a tecla esquerda ou direita do trackball [Set] para estabelecer a linha de
identificação da superfície do exame e voltar ao último menu ativado com o
marcador anatômico apresentado.

4-30 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Operações de Varredura

NOTE: A linha de identificação da superfície do exame é exibida em modo de escrita ou de leitura.

Volte ao último menu ativado com o marcador anatômico apresentado.

Volte ao último menu ativado com o marcador anatômico desligado.

Alterações entre os diferentes marcadores anatômicos relacionados com a aplicação.

Após selecionar outra aplicação, o menu volta para o menu de marcadores anatômicos
(bodymark), com os símbolos dos marcadores da aplicação selecionada.
O menu de marcadores anatômicos (bodymark) reaparece se uma nova aplicação não for
selecionada.
Observação A aplicação principal (escolhida no menu "Seleção de Sonda") não muda!
Após selecionar o item Aplicação, a área do menu muda para "Selecionar Aplicação de
Marcadores Anatômicos". Ao selecionar a aplicação "principal" na "Seleção de Sonda", a
de marcador anatômico (bodymark) fica definida (alterada) para esta aplicação.
NOTE: A linha de identificação da superfície do exame é exibida em modo de escrita ou de leitura.

Voluson® i Manual básico do usuário 4-31


H48671HH Revisão 4
Operações Básicas de Varredura

Esta página foi deixada intencionalmente em branco.

4-32 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Capítulo 5

Modo 2D

Descreve o modo 2D e seus recursos.

Voluson® i Manual básico do usuário 5-1


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

5. Modo 2D

O visor 2D é composto pela imagem de ultra-sons, um marcador de orientação, os dados


do paciente, as informações da imagem, um padrão de escala de cinzentos, uma escala
de profundidade com marcadores de zona de focagem e uma curva TGC real.
A imagem de ultra-sons deriva dos ecos do tecido que voltam à cabeça do aparelho de
exame. São amplificados, convertidos e, depois, mapeados para uma curva de
processamento de imagem que relaciona com uma tonalidade de cinzento a intensidade
de cada eco. Quanto maior for a intensidade do eco, mais viva é a tonalidade do cinzento.
A medida que são recebidos, cada eco é organizado ao longo de uma fila dentro do visor
da imagem de ultra-sons. A localização ao longo da fila apresentada relaciona-se com a
profundidade com que o eco ocorre.
O capítulo sobre o modo 2D está sub-dividido em duas partes, nos quais será mostrado
como usar o modo 2D e como ajustar as definições 2D.
Para utilizar o modo 2D, ver:Menu Principal 2D Veja Menu Principal 2D na página 5-2 para
mais informações.
Para ajustar as definições 2D, ver:Sub-menu 2D Veja Sub Menu 2D na página 5-25 para
mais informações.
Para utilizar a análise de utilitários especial, ver: Utilitários Veja Utilities (Utilitários) na
página 11-2 para mais informações. e Mapa Cromático de cinzentos Veja Mapa cromático
de cinzentos na página 11-3 para mais informações.
Para utilizar os modos e as funções especiais de apresentação 2D, ver:
Harmonic Imaging (HI) (Imagiologia harmônica (HI)) Veja Imagiologia harmônica (HI)
na página 5-9 para mais informações.

5.1 Menu Principal 2D


[Modo 2D] (tecla de hardware)
Pressione esta tecla para mudar da apresentação de qualquer modo para o modo 2D.
Para ajustar as definições 2D, ver:Sub-menu 2D Veja Sub Menu 2D na página 5-25 para
mais informações.
O menu principal 2D parece na tela. (modo de escrita)

5-2 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

Observações:
Alterações dos modos Ângulo, Visualização Beta, Zonas focais, OTI, Freqüência,
Trapezóide (e combinações desses modos) são possíveis somente no modo de tempo
real.
As funções Focal Zones (Zonas Focais), OTI (Imagiologia Otimizada dos Tecidos), Angle
(Ângulo), Frequency (Freqüência), FFC (Composto de focagem e freqüência), CE
(Excitação codificada) e Trapezoid Mode (Modo Trapezóide) aparecem somente
quando disponíveis para a sonda selecionada.
O modo Trapezóide está apenas disponível com transdutores lineares.

5.2 Operação 2D
A operação 2D é composta por:
Amplificação 2D Veja Amplificação 2D na página 5-4 para mais informações.
Profundidade de Modo 2D Veja Profundidade de Modo 2D na página 5-5 para mais
informações.
Ângulo de imagem 2D Veja Ângulo de imagem 2D na página 5-5 para mais informações.
Controles do Interruptor TGC Veja Controles do Interruptor TGC na página 5-6 para mais
informações.
Otimização automática 2D Veja Otimização automática 2D na página 5-6 para mais
informações.
Potência de Transmissão Veja Potência de Emissão na página 5-7 para mais informações.
Foco do Transmissor Veja Foco do Transmissor na página 5-8 para mais informações.
Gama de Freqüência do Receptor Veja Gama de Freqüência do Receptor na página 5-8
para mais informações.
Harmonic Imaging (HI) (Imagiologia harmônica (HI)) Veja Imagiologia harmônica (HI) na
página 5-9 para mais informações.
Composto de focagem e freqüência (FFC) Veja Composto de focagem e freqüência (FFC)
na página 5-28 para mais informações.
Modo Trapezóide Veja Modo trapezóide na página 5-9 para mais informações.
Orientação da Imagem Veja Orientação da Imagem na página 5-10 para mais
informações.
Multi-Formatos Veja Multi Formato na página 5-10 para mais informações.

Voluson® i Manual básico do usuário 5-3


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

Modo Cine Veja Cine Mode na página 5-13 para mais informações.

5.2.1 Amplificação 2D

Com o controle Gain (Amplificação), ajusta-se o brilho geral da imagem 2D. O ajuste do
controle de amplificação determina a quantidade de amplificação aplicada aos ecos
recebidos. Todos os ecos recebidos são amplificados com o mesmo valor de amplificação
independentemente da profundidade.
[Active mode] Modo Ativo tecla gire-a para ajustar a sensibilidade (brilho) da imagem
completa.
Quando o controle GAIN (Amplificação) é girado no sentido horário, a imagem toda fica
mais brilhante. Quando o controle GAIN (Amplificação) é acionado no sentido anti-horário,
a imagem toda fica mais escura.
Observações:
O valor de amplificação atual é apresentado na tela [GN ...].

5-4 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

5.2.2 Profundidade de Modo 2D

Com esta função, ajusta-se a gama de profundidade da imagem de ultra-sons para a


região de interesse. A quantidade de linhas da imagem e sua freqüência são
automaticamente otimizadas. A alteração da profundidade só é possível em tempo real
(modo de escrita).
Quando o controle[Profundidade] é movido para baixo, a gama de profundidade da
imagem 2D aumenta e o tamanho de apresentação da imagem fica reduzido, sendo
possível visualizar toda a gama de profundidade. Quando o controle [Profundidade]é
movido para cima, a gama de profundidade da imagem 2D diminui e o tamanho de
apresentação da imagem aumenta.
Ao alterar a profundidade, ocorrem conseqüentemente mudanças na apresentação da
imagem 2D, na escala de profundidade, nos índices de potência acústica (MI, TIS, TIB, TIC),
na freqüência de imagens e na profundidade focal.

Observações:
As profundidades máxima e mínima dependem da sonda selecionada. A
profundidade real em [cm] é apresentada no Cabeçalho de Informações.
Modo de escrita: A imagem 2D fica novamente posicionada sem haver alteração na
gama de profundidade.

5.2.3 Ângulo de imagem 2D

Utilize o controle Menu (Principal) para selecionar uma zona de interesse da imagem 2D. A
vantagem de se reduzir o campo de visão está em se obter uma maior freqüência de
imagens 2D, devido à menor largura do setor.

Pressione + para aumentar a largura da imagem. Pressione - para diminuir a largura da


imagem.
Observações:
Se a sonda selecionada possibilitar o ajuste do ângulo 2D, seu valor será apresentado
pelo controle Menu.

Voluson® i Manual básico do usuário 5-5


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

5.2.4 Controles do Interruptor TGC

Os Controles do Interruptor TGC variam o ganho em determinadas profundidades da


imagem 2D, permitindo uma compensação exata para a atenuação dos ecos ao longo do
tempo (profundidade).
Controles de Interruptor TGC para ajustar a sensibilidade (brilho) da profundidade do
Interruptor, mova o controle para a esquerda a fim de aumentar ou diminuir a
amplificação da profundidade 2D específica correspondente. Mova o controle de
deslocamento para a direita para aumentar a amplificação na profundidade 2D
específica correspondente.
Observações:
O ajuste padrão das barras de deslocamento é a posição do meio, devido à
compensação da amplificação de tempo presente para cada cabeça do aparelho de
exame.
A definição das barras de deslocamento não é armazenada num programa do
usuário, devido à posição completa das barras.

5.2.5 Otimização automática 2D

Esta função otimiza a resolução do contraste de acordo com o histograma da área de


exame. O formato do ROI dependerá do transdutor, da profundidade do exame e do
ângulo de exame. O resultado principal é um valor para o ponto final da esquerda e da
direita do histograma real.
Ao pressionar a tecla [auto] observa-se a otimização automática da escala de cinzentos
para ampliar a resolução de contraste. Quando a tecla é pressionada novamente, a
otimização segundo o histograma será atualizada e permanecerá ativa.
Pressione a tecla [auto]duas vezes para desligar a Otimização Automática da imagem do
modo 2D .
Observações:
Quando a função de otimização automática estiver ativada, a tecla [auto] fica
bastante iluminada.
Quando a função Otimização Automática estiver ativada, um asterisco (* (próximo do
número do mapa de cinzentos) é exibido na área de informações da imagem do Modo
B. Por exemplo: C5 / M7*
A Otimização Automática também é possível em modo de Doppler de onda pulsada
(PW). ver: Otimização Automática PW Veja Otimização automática PW na página 7-5
para mais informações.
A Otimização Automática também é possível no Modo 3D/4D; ver: Otimização
Automática em Modo Volume Veja Otimização Automática em Modo Volume na
página 10-44 para mais informações.
Em CFM e PD, são mantidas as definições otimizadas para a imagem 2D, mas a
função [auto] fica desativada.

5-6 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

5.2.6 Potência de Emissão

O controle Power (Potência) determina saída acústica do transdutor. Deve ser definido
para o valor mínimo e ainda assim as informações são bastante avaliáveis. Mantenha
sempre o nível de potência e o tempo de exposiçãoOMAISREDUZIDO POSS ÍVEL
CONFORME SEJA POSSÍVEL.
Use a tecla [Potência -] para reduzir e a tecla [Potência +] para aumentar a carga de
saída acústica.
Observações:
O valor real da potência de transmissão é apresentado na área de informações da
imagem do monitor.
Esta função do controle pode possibilitar a redução da máxima saída acústica, caso
determinados valores dos índices mecânicos e térmicos forem ultrapassados.
O ajuste da saída da potência de transmissão também altera o ajuste de saída real de
todos os outros modos.

5.2.7 Composto de Resolução de Imagem (XBeam CRI)

Neste modo 2D especial, os impulsos são transmitidos não apenas na perpendicular para
a janela acústica, mas também são transmitidos em direções oblíquas. 3, 5, 7, 9, ou 11
ângulos estão correlacionados para uma freqüência de imagem. A vantagem da
Imagiologia de resolução de composto CrossBeam (XBeam CRI) é a resolução de contraste
ampliada com uma melhor diferenciação do tecido e limites dos órgãos mais nítidos. Além
disso, as paredes dos vasos e as camadas de tecido são enfatizadas para um
reconhecimento mais fácil.

Interruptor na Função [XBeam CRI] em modo 2D usa o botão na área de menu


Observação:
Se a função [XBeam CRI] estiver ativada em Modo 2D, também é utilizada no modo de
preparação 3D e durante uma captação 3D estática.

5.2.8 Visualização Beta (Visualização b)

Esta função está disponível somente com determinadas sondas 3D. Por favor consulte
Veja modos de imagiologia na página 18-10 para mais informações. para mais
informações.
A função Beta View (visualização Beta) permite o ajuste da posição do Volume do eixo O
das sondas 3D em modo 2D.

A linha verde no símbolo apresentado indica a posição do bloco acústico, a caixa amarela
indica o campo de visão.
O símbolo aparece apenas quando se manipulou o ângulo de Visualização Beta.

Voluson® i Manual básico do usuário 5-7


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

Pressione os botões para cima e para baixo para ajustar a posição do bloco acústico. O
campo de visão pode ser ajustado com os botões + e -.

5.2.9 Foco do Transmissor

A zona focal selecionada determina a gama de profundidade da intensidade otimizada do


feixe de ultra-sons. O campo [Foc Num] na área de estado apresenta o número
determinado de zonas focais para os transdutores que permitem alterar as zonas focais.

Utilize a tecla [Foc Num] para selecionar o número de zonas focais. O número possível de
zonas focais depende do transdutor que está sendo utilizado. Utilize [+] e [-] para alterar o
Foc Num. As setas do lado esquerdo da imagem 2D marcam as zonas focais ativas pela
posição das mesmas.
Utilize o controle Focus Depth (Profundidade do Foco) para selecionar a posição de
profundidade do campo do foco real. Utilize as teclas up (para cima) e down (para baixo)
para alterar a Profundidade do Foco. As setas do marcador determinam a posição da
profundidade da(s) zona(s) focal/ais.
Observações:
Após a seleção das zonas focais, pode-se reduzir a máxima saída acústica possível, de
forma adequada.
Quanto maior a quantidade de zonas focais definidas, menor a freqüência de
imagens.

5.2.10 Gama de Freqüência do Receptor

A função Frequency Range (Gama de freqüência) permite o ajuste rápido de alta


resolução/baixa penetração, média resolução/ média penetração ou baixa resolução/ alta
penetração, para a imagem 2D. Parte da freqüência inicial e da largura de banda inicial
são retiradas da faixa larga do transdutor, sendo posteriormente alteradas de forma
contínua pela profundidade. Todos os transdutores têm um conjunto de três grupos de
recepção fixas, facilmente controlados com o controle [Freq] Frequency.

Utilize o controle [Freq] Frequency para ajustar a gama da freqüência de recepção. São
possíveis três posições: Resolução, Normal e Penetração.

5-8 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

Observações:
Apresenta-se a gama de freqüência selecionada na área de estado.
A gama de freqüência é exibida na segunda linha da área de informações de imagem
do Modo B, por exemplo:7,5 - 5,0Mhz7,5 ...... freqüência inicial 5,0 ...... freqüência final.

5.2.11 Imagiologia harmônica (HI)

O tecido não só dispersa os ecos posteriores com a freqüência nominal transmitida, mas
também com o dobro, triplo, quádruplo - e assim sucessivamente - das freqüências
(harmônicas); resultado de um efeito físico chamado "propagação não linear".
A Imagiologia Harmônica codificada proporciona um melhor contraste de escala de
cinzentos, se comparada com a Imagiologia de ultra-sons padrão. Esta técnica provou ser
especialmente útil em pacientes com dificuldades imagiológicas e, além disso, está menos
sujeita a artefatos.
Ligar / desligar a função [Imagiologia Harmônica] Codificada em modo 2D.

Harmônica ativada (a freqüência recebida é o dobro da


Ligeiramente iluminado:
freqüência transmitida).

Utiliza-se a Harmônica com a sonda selecionada, mas


Pouco iluminado:
não ativada (a última freqüência ajustada fica ativada).

A utilização da Imagiologia Harmônica é impossível com


Sem iluminação:
a sonda selecionada.

Observações:
A definição da freqüência harmônica é apresentada na segunda linha da área de
informação de imagens do Modo B.

5.2.12 Orientação do feixe

Use os botões para alterar a direção da insonificação, tal como indicado na hardkey. Esta
direção é controlada por uma rede faseada em que vários elementos do transdutor são
disparados em alturas ligeiramente diferentes, de forma que o feixe combinado focalize
numa determinada localização. Ao mudar o retardamento de cada elemento, é possível
orientar o feixe de ultra-som de forma a disparar efetivamente em ângulo para o
transdutor, em vez de numa direção ortogonal.
A orientação do feixe ajuda particularmente no imageologia dupla e varredura de partes
do corpo que não permitem a inclinação intensa da sonda (p.ex. garganta).

5.2.13 Modo trapezóide

Vantagem do Trapezoid Mode (Modo Trapezóide): a região de exame fica ampliada em


relação à apresentação linear, movimentando-se as linhas de ultra-sons na margem da
sonda.

Selecione o Trapezoid Mode (Modo Trapezóide) no Menu. O Trapezoid Mode (Modo


Trapezóide) fica iluminado e ativado.

Voluson® i Manual básico do usuário 5-9


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

Observações:
Estes campos de seleção aparecem automaticamente no menu do modo 2D, se a
sonda selecionada puder executar o Trapezoid Mode (Modo Trapezóide).
O Trapezoid Mode (Modo Trapezóide) é possível nos modos Doppler e Color (Cor), sem
restrições.

5.2.14 Orientação da Imagem

Com esta função, alterna-se, para esquerda ou direita, a orientação da imagem


relacionada ao paciente na tela, sem movimentar a cabeça do aparelho do exame
propriamente dita. O marcador da orientação mostra a orientação real. Para saber a
relação entre o marcador e o desenho da sonda, ver: Sondas e Biópsia Veja Sondas e
biópsia na página 18-2 para mais informações..
Pressione as teclas [esquerda/direita] no painel de controle para mudar a orientação da
imagem para esquerda ou direita.

Esquerda/Direita Para cima/Para baixo

Marcador de orientação

Pressione as teclas[para cima/para baixo] no painel de controle para mudar a orientação


da imagem, para cima ou para baixo.
Observações:
O marcador de orientação fica verde quando uma imagem 2D está ativada e, branco,
quando houver uma imagem congelada Dual ou Quad.

5.2.15 Multi Formato

Os controles "Multi-Formatos" [Dual] e [Quad] permitem a visualização simultânea de


diversas imagens de modo 2D na tela. A tecla esquerda do trackball e as próprias teclas de
formato permitem se movimentar entre as imagens.
Existem três formatos de exibição do modo 2D e cada um deles possui um layout de tela
diferente.
Formato de Tela Única
Formato de Tela Dupla (Dual-Screen) Veja Formato de Tela Dupla na página 5-10 para
mais informações.
Formato de Tela Quádrupla (Quad-Screen) Veja Formato de Tela Quádrupla na
página 5-12 para mais informações.
5.2.15.1 Formato de
Tela Dupla

Formato de Tela [Dupla] (tecla de hardware): pressione esta tecla para alterar o modo de
exibição de formato de exibição Única ou Quádrupla para o formato de exibição Dupla.
Modo de tempo real:
Pressionar a tecla de modo de exibição Dupla congela a imagem 2D na posição de
exibição atualmente ativa e ativa a imagem 2D em tempo real na posição de exibição
contrária. Posição seguinte (Dual):1 > 2 >1 e assim sucessivamente

5-10 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

Freeze Mode [Modo Congelar] (modo de leitura):


A tecla Dual Mode (Modo Dual) seleciona a posição de visualização seguinte, sem ativar o
modo de tempo real, permitindo assim o pós-processamento (ampliação de leitura, cine,
etc.) de uma imagem congelada. Caso não haja imagem armazenada na posição
seguinte, o modo de tempo real é ativado na posição seguinte.
A tecla direita do trackball:

Modo de tempo real:


A tecla [Atualizar 2D] congela a imagem 2D em tempo real na posição de exibição
atualmente ativa e ativa a imagem 2D em tempo real na posição de exibição seguinte.
Freeze Mode (Modo Congelar)
A tecla [Atualizar 2D] ativa a posição de exibição seguinte em modo de tempo real.

A tecla superior do trackball:

A tecla superior do trackball alterna entre as posições Cine e imagem 2D da imagem 2D


congelada.

Tecla Freeze (Congelar):

Modo de tempo real:


A tecla Freeze (Congelar) congela a imagem 2D em tempo real na posição de
visualização efetiva.
Freeze Mode (Modo Congelar)
A tecla [Freeze] (Congelar) aciona o modo de tempo real da imagem 2D congelada na
posição de visualização efetiva. As mais recentes definições de tempo real serão
empregadas novamente na nova posição de visualização selecionada.

Funcionamento:
1.Selecione o modo de visualização Duplo (Dual).
Observação:Até o momento o formato horizontal não foi implementado.
2.Congele a imagem.
3.Selecione a posição de visualização seguinte utilizando a tecla de formatação.
4.Congele a imagem seguinte.
Se a imagem estiver congelada e você utilizar a função [Atualizar 2D] (a tecla direita do
trackball), a posição de exibição contrária será ativada.
Se a imagem estiver ativa (em modo de tempo real), ao usar a função Update (Atualizar)
2D (a tecla direita do trackball), a imagem seguinte é selecionada e ativada.
Pressione a tecla Single (Formato Único) para voltar ao modo de visualização único.

Voluson® i Manual básico do usuário 5-11


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

5.2.15.2 Formato de
Tela Quádrupla

[Quad] Tecla de formatação de tela (tecla de hardware):


Pressione esta tecla para mudar do formato de exibição Única ou Dupla para o formato de
exibição Quádrupla.
modo de tempo real (modo de escrita):
A tecla de modo Quad (Quádruplo) congela a imagem 2D de tempo real na posição de
visualização efetiva e mostra a imagem 2D em tempo real, ao vivo, na posição de
visualização seguinte. Posição seguinte (Quad): 1 > 2 >3>4>1 e assim sucessivamente
Freeze Mode [Modo Congelar] (modo de leitura):
A tecla do modo Quad (Quádruplo) seleciona a posição de visualização seguinte sem
ativar o modo de tempo real, permitindo assim o pós-processamento (ampliação de
leitura, Cine, etc. ) de uma imagem congelada. Caso não haja imagem armazenada na
posição seguinte, o modo de tempo real é ativado na posição seguinte.
A tecla direita do trackball:

modo de tempo real:


A tecla [Atualizar 2D] congela a imagem 2D atualmente ativa e ativa a imagem 2D em
tempo real na posição de exibição seguinte.
Freeze Mode (Modo Congelar)
A tecla [Atualizar 2D] ativa a imagem 2D em tempo real na posição de exibição seguinte.

A tecla superior do trackball:

Freeze Mode (Modo Congelar)


A tecla superior do trackball altera as posições Cine e imagem 2D da posição real.

Tecla Freeze (Congelar):


modo de tempo real:
A tecla Freeze (Congelar) congela a imagem 2D em tempo real na posição de visualização
efetiva.
Freeze Mode (Modo Congelar)
A tecla [Freeze] (Congelar) aciona o modo de tempo real da imagem 2D congelada na
posição de visualização efetiva. As mais recentes definições de tempo real serão
empregadas novamente na nova posição de visualização selecionada.
Funcionamento:
1.Selecione o modo de apresentação Quad (Quádruplo).
2.Congele a imagem.
3.Selecione a posição de visualização seguinte utilizando a tecla de formatação.
4.Congele a imagem seguinte.
Se a imagem estiver congelada e você utilizar a função [Atualizar 2D] (a tecla direita do
trackball), a imagem seguinte será selecionada e ativada.
Se a imagem estiver ativa (em modo de tempo real), ao usar a função Update (Atualizar)
2D (a tecla direita do trackball), a imagem seguinte é selecionada e ativada.

5-12 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

Pressione a tecla Single (Formato Único) para voltar ao modo de visualização único.

5.2.16 Cine Mode

Durante a realização de um exame, um determinado número de imagens (imagens 2D da


última seqüência em exame) é armazenado na memória cine mediante o uso da função
Freeze (Congelar). A seqüência está sujeita a revisão imagem por imagem.

Mova a o trackball na direção horizontal para exibir as imagens 2D da seqüência


armazenada, uma a uma.
A última seqüência armazenada consiste de imagens derivadas do último exame e será
armazenada até o próximo exame por intermédio da função Freeze (Congelar).

Visor: "Cine: xxx" na área de estado do monitor.


Para função Cine-Split para formato Dual (Duplo) e Quad (Quádruplo), ver: Função Cine-
Split Veja Função Cine-Split na página 5-13 para mais informações.) Auto-Cine 2 D para
formatos Single (Único), Dual (Duplo) e Quad (Quádruplo), ver: Auto-Cine 2 D Veja 2D Auto
Cine na página 5-14 para mais informações.
Observações:
O número de imagens memorizadas depende do número de linhas do exame, da
profundidade e ampliação do exame. Em modo de leitura, o comprimento da
seqüência é indicado no monitor. Exibir: Cine xxx
Iniciando-se o modo Cine, as marcas e apresentações de medição são apagadas.
A função Cine (operação e armazenamento) é idêntica em modo 2D e em modo CFM.
5.2.16.1 Função Quando estiver em modo de exibição Dupla ou Quádrupla, um dos dois lados ou
Cine-Split quadrantes terá uma seqüência de cines associada a ele.

Mova a o trackball na direção horizontal para mostrar as imagens 2D da seqüência


armazenada.

Ao utilizar as teclas [Formato] é possível alternar para a próxima seqüência de imagens


2D congeladas para reproduzir a memória cine de volta.

Voluson® i Manual básico do usuário 5-13


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

Observações:
Em modo cine 2D de imagem Dupla (Dual), cada imagem utiliza metade da memória,
tal como no modo Único (Single).
Em modo 2D cine de imagem Quad (Quádrupla), cada imagem utiliza apenas um
quarto da memória.
A função Cine-Split (formato múltiplo) também é possível comAuto-Cine 2D Veja 2D
Auto Cine na página 5-14 para mais informações. ).
5.2.16.2 2D Auto Com a função Auto Cine 2D , o usuário pode revisar uma seqüência definida (início, fim)
Cine dos formatos Single (Único), Dual (Duplo) e Quad (Quádruplo) de imagens 2D e 2D/Cor. A
revisão da velocidade e o zoom de leitura estão disponíveis.
1.Memorizar uma imagem 2D ou uma imagem CFM.
NOTE: Nos formatos Dual (Duplo) e Quad (Quádruplo), selecione a imagem pretendida utilizando as
teclas de formatação [Format].

2.Pressione a tecla esquerda trackball Auto Cine. O menu 2D Auto-Cine aparece na tela.

3.Selecionar a velocidade de revisão. 100% corresponde à velocidade registrada (tempo


real).

4.Para selecionar o zoom de leitura, pressione [+] ou [-] no menu (fator 0,8 até 2,4) .

5.Selecionar a direção de revisão do Modo Cineloop.


Apresentam-se as imagens de início ao fim e vice-versa.

5-14 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

Apresentam-se as imagens somente de inicio ao fim.

8.Iniciar/Parar a função 2D Auto-Cine com a tecla direita ou esquerda do trackball. Nos


formatos duplos (dual) e quádruplos (quad), exibi-se somente a seqüência Cine da
imagem 2D ativada (indicada pelo ponto verde).

Observações:
A função 2D Auto-Cine só é possível em modo de leitura.
A função 2D Auto-Cine também é possível em múltiplos formatos.

No formato de tela Dupla ou Quádrupla, selecione a imagem desejada antes de pressionar


[Auto-Cine]. Para mudar para o próximo lado ou quadrante, pressione a tecla [Exit] (Sair),
escolha a imagem usando a tecla de formato, ative [Auto-Cine] e, em seguida, escolha
[Iniciar] para reproduzir novamente a memória cine da imagem 2D ativa (indicada com o
ponto verde).
Se a função Auto-Cine 2D for interrompida, mova o trackball na direção horizontal
para exibir as imagens 2D da seqüência armazenada, uma a uma.
Pressione a tecla [Saída] no painel de controle para voltar ao menu principal do modo
e 2D.

5.2.17 Zoom de leitura

A imagem pode ser ampliada no modo de leitura e de escrita com a função Zoom.

Utilize o controle Zoom para ajustar o fator de zoom. Existem nove posições: do fator 0,8
ao fator 2,4
Ao pressionar o controle, define-se automaticamente o fator 1,0. Isso também é possível
se o Zoom de Alta Resolução (PanZoom ou HDZoom) estiver ativado; o que não afeta a
área, selecionada na imagem Panorâmica (Overview).
Observação:
A função Zoom é possível nos modos de leitura e de escrita.

5.2.18 PanZoom e HDZoom

A imagem 2D pode ser ampliada em modo de escrita. A caixa zoom apresentada pode ser
colocada sobre toda a área da imagem 2D. Além disso, o tamanho da caixa zoom pode ser
alterado. A freqüência de imagem e o número da linha do exame são automaticamente
otimizados com a caixa zoom ativa em modo de escrita.
1.Pressionar a tecla [Zoom] .

Voluson® i Manual básico do usuário 5-15


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

2.Coloque a caixa de zoom sobre a região de interesse.

O trackball possui duas funções: regular a posição e o tamanho da caixa de zoom. A


função ativada é exibida na área da barra de estado no monitor.

Pressione a tecla superior do trackball para alterar a função do mesmo de posição para
tamanho ou vice-versa.

3.Altere o tamanho da caixa de zoom deslocando o trackball.


Deslocando:
reduza o tamanho da caixa na direção vertical, amplie o tamanho da caixa na direção
vertical, amplie o tamanho da caixa na direção horizontal, reduza o tamanho da caixa na
direção horizontal

Prima a tecla direita ou esquerda do mouse trackball para selecionar manualmente o


modo Zoom desejado. Estão disponíveis o modo PanZoom e HDZoom.

Em alternativa, pode pressionar o botão Zoom para introduzir o modo Zoom desejado.
Especifique o modo padrão nas configurações do sistema. Ver Veja Geral na página 16-4
para mais informações. para mais informações.

5-16 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

Para alternar entre o PanZoom e HDZoom durante a aquisição ativa, prima a tecla
esquerda do mouse trackball.
Para reajustar as configurações da janela panorâmica, ver Configurações de Usuários
Veja Configurações do usuário na página 16-8 para mais informações.
Observações:
Na imagem panorâmica, a caixa do zoom possui uma margem amarela, sendo
idêntica à do setor submetido ao zoom (setor ampliado) na tela. A utilização do zoom
de leitura não tem qualquer efeito na caixa do zoom na imagem panorâmica.
A janela panorâmica está em Tela inteira, Tela Quádrupla e Tela dual em seguintes
modos disponíveis: Modo-B, Modo CFM e Modo PD.
A janela panorâmica não é exibida nos seguintes modos:
modos PW, M e 3D/4D.
Oculta-se a janela panorâmica ativando-se um destes modos.
A janela panorâmica reaparece ativando-se o modo novamente.
NOTE: Observação: Todos os ajustes (zoom ligado/desligado, tamanho e posição da imagem
panorâmica, posição/tamanho da caixa do zoom, etc.) são aplicados somente à tela
ativada no momento (logotipo GE verde) e a todas novas telas (atualizados após o ajuste).
NOTE: No modo Doppler de potência e Doppler em cores o tamanho da caixa e a posição de caixa
da caixa de Zoom é a mesma como o tamanho de caixa de cores +10% . Quando o
tamanho ou a posição da caixa são alterados, a caixa de cor e a caixa do zoom são
ajustadas para que a relação acima seja constante.
NOTE: A caixa do zoom está ligada à caixa de cor. As alterações devido ao direcionamento, tanto
no ângulo de direção ou no tamanho da caixa, ocorrem da também na caixa de zoom.
NOTE: A cor só é visível na janela panorâmica se esta tiver sido ligada antes de o HD Zoom ter sido
ativado. A cor não se movimenta na imagem panorâmica.
NOTE: Ajuste do mapa cromático de cinzentos também afeta a imagem panorâmica
Prima a tecla [Zoom] para sair da função Zoom.

5.3 Visualização XTD


XTD-View é uma opção. Se não estiver instalado, o botão XTD-View fica oculto.
A função XTD-View oferece a capacidade de construir e ver uma imagem 2D estática, que
é mais ampla que o campo de visão de um determinado transdutor. Esta função permite
visualizar e medir a anatomia que não se adaptar à imagem de ultra-som normal.
XTD-View cria uma imagem alargada a partir das imagens individuais à medida que o
operador faz deslizar o transdutor ao longo da superfície da pele. O transdutor é orientado
paralelo à direção do movimento ao longo de todo o exame. A qualidade da imagem
resultante depende de alguma forma do usuário. São precisas algumas capacidades
adicionais e prática para desenvolver uma técnica adequada e ficar completamente
profissional.

Voluson® i Manual básico do usuário 5-17


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

Os exemplos incluem o exame das estruturas vasculares e dos tecidos conjuntivos nos
braços e nas pernas.

Esse símbolo lembra o usuário que a utilização acidental desta


funcionalidade pode levar a medidas imprecisas. Para mais detalhes,
ver:Veja Medições na imagem XTD na página 5-24 para mais
informações.

5-18 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

5.3.1 Menu Principal de Visualização -XTD

Premindo o botão XTD, o sistema comuta para o modo de preparação de XTD-View.


Aparece uma moldura azul à volta da imagem 2D.

No menu principal, é possível selecionar entre centralizar ou deslocar a Captação.

O exame 2D atual é colocado no centro da tela. A imagem XTD resultante desloca-se para
a esquerda ou direita do ecrã, dependendo da orientação do transdutor.

A imagem 2D captada desloca-se até atingir a extremidade da tela. Um exame mais


profundo faz com que a imagem captada se desloque na direção oposta.
Pode igualmente ativar SRI (Imagiologia com redução de ruído). Para mais informações ver
Veja SRI (Imagiologia com redução de ruído) na página 10-80 para mais informações.

Voluson® i Manual básico do usuário 5-19


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

5.3.2 Iniciar a captação

A qualidade e utilidade das imagens XTD-View é influenciada pelo movimento do


transdutor. Uma técnica incorreta pode contribuir para a distorção da imagem.
Orientação e precauções para o movimento uniforme:
Certifique-se de que existe gel em quantidade suficiente ao longo do percurso do
exame.
Desloque o transdutor lenta e firmemente. Conseguirá obter os melhores resultados
movendo o transdutor numa relação de 2cm/s (no máx. 4cm/s).
É obrigatório um contacto contínuo durante todo o tempo de utilização da imagem
alargada.NÃO levante o transdutor da superfície da pele.
Mantenha o transdutor sempre perpendicular à superfície da pele.NÃO abane, rode
ou incline o transdutor durante o exame.
Mantenha o movimento dentro do mesmo plano do exame, se possível.NÃO deslize o
transdutor lateralmente.
NÃO mude a direção do movimento durante o exame, por exemplo, NÃO o mova
para a frente e para trás durante o exame..
O sistema acomoda uma gama razoável de velocidade de movimento.NÃO faça
alterações de movimento ou velocidades bruscas.
Normalmente, os exames mais profundos requerem velocidades de captação
reduzidas.
Realize um exame detalhado da anatomia/patologia e otimize os parâmetros para
textura de tecidos e janela visível ANTES DE ativar o XTD-View.

Para começar a captar a imagem, prima a tecla direita do mouse de bola.


Para completar o exame, pressione novamente a tecla direita do mouse de bola [Stop], ou
a tecla [Freeze].
Depois de completar o exame, o sistema apresenta a imagem XTD-View captada.
Se pretender regressar ao modo de preparação e eliminar a imagem obtida, pressione a
tecla direita do mouse de bolta (XTDpre).

5-20 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

5.3.3 Depois da aquisição XTD-View

Orientações e precauções para a interpretação das imagens XTD:


Adote sempre uma atitude crítica relativamente às imagens criadas em modo XTD.
Convém salientar que qualquer conclusão de diagnóstico não pode basear-se
apenas em imagens XTD, mas tem de ser avaliada juntamente com outros
procedimentos de diagnóstico.
Se tiver dúvidas sobre um estrutura vista no modo XTD-View, consulte os slides 2D
originais na apresentação panorâmica (Veja Apresentação panorâmica na
página 5-23 para mais informações.).
Convém referir que a precisão das medições em imagens XTD é limitada e pode ser
inferior às medições em imagens B. Nota para usuários na Alemanha: Die
Genauigkeit kann die KBV-Richtlinien unterschreiten.

Uma boa imagem XTD apresenta


as extremidades lisas, sem curvas
apertadas. Tem uma direção clara,
quase sem curvas. Quando visto
com as imagens 2D
correspondentes, o cursor move-se
linearmente ao longo da imagem
XTD. Por exemplo, as distâncias
iguais realizadas com o trackball
levam a um movimento igual do
retângulo azul. Todas as estruturas
visíveis nas imagens 2D podem ser
claramente encontradas na
imagem XTD.

Voluson® i Manual básico do usuário 5-21


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

Uma imagem XTD de fraca


qualidade pode ser facilmente
identificada pelas suas
extremidades irregulares e
curvadas. Além disso, há secções
que se parecem com ruído junto
às secções de estruturas mais
claras. Se o transdutor estava
inclinado durante o exame, ou se
perdeu o plano do exame, a
imagem fica curvada, mesmo
que o transdutor tenha sido
deslocado a direito. Quando visto
com as imagens 2D
correspondentes, surgirão
regiões em que o retângulo azul
parece estar preso na imagem
XTD. Nestas áreas, as estruturas
que podem ser vistas claramente
nas imagens 2D são bastante
distorcidas ou não são de todo
mostradas em XTD-View.

Caso se aplique qualquer uma das descrições acima sobre uma má imagem XTD, o
exame tem de ser repetido e a imagem obtida deve ser considerada sem valor.

5.3.4 Funções após a aquisição

Veja Apresentação panorâmica na página 5-23 para mais informações.


Veja Zoom XTD na página 5-24 para mais informações.
Veja Rotação XTD na página 5-24 para mais informações.
Veja Régua na página 5-24 para mais informações.
5.3.4.1 Panorâmica O formato de tela predefinido para as imagens XTD-View.

5-22 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

5.3.4.2 Apresen- Estão disponíveis dois formatos de "Ecrã dividido" para visualização das imagens
tação panorâmica captadas.

Ecrã de imagem horizontal

Ecrã de imagem vertical

Tamanhos da imagem na
apresentação panorâmica

Ajuste: A imagem XTD é ajustada à margem


do ecrã. Esta é a predefinição.

Exame: A imagem XTD é ajustada a um limite


imaginário (20% maior que a tela) O limite azul
da imagem 2D é mostrado novamente para
orientação.Indica a posição da imagem 2D
por cima da imagem XTD do exame.

Observações:
É apresentada a margem azul da imagem 2D para orientação.Indica a posição da
imagem 2D na imagem XTD.
As margens azuis não mudam quando se utiliza o zoom na imagem 2D.

O mouse trackball possui duas funções na apresentação panorâmica: moldura e


posição (pos) (a moldura move a caixa azul na imagem XTD e a posição mode a própria
imagem B. A função ativada é exibida na área da barra de estado no monitor.

Voluson® i Manual básico do usuário 5-23


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

Para mudar a função atual, pressione a tecla superior do trackball.

5.3.4.3 SRI Há dois níveis de SRI disponíveis: Baixo e Alto. Pode também desligar o SRI. Para mais
informações ver Veja SRI (Imagiologia com redução de ruído) na página 10-80 para mais
informações.
5.3.4.4 Régua

A régua está exibida por predefinição. Pode ser


desligado/ligado premindo o botão Régua.

5.3.4.5 Rotação XTD

Pressione o botão XTD Rot. por forma a rodar a


imagem XTD-View com o mouse de bola.

5.3.4.6 Zoom XTD

Mude o nível do zoom da imagem XTD-View com


os botões +/- do menu. O controlo do XTD-Zoom
apenas está disponível no modo de
apresentação Panorâmica.

5.3.4.7 Zoom 2D

Mude o nível do zoom da imagem 2D com os


botões +/- do menu. O controlo do 2D-Zoom
apenas está disponível no modo de
apresentação Panorâmica.

5.3.5 Medições na imagem XTD

Se uma função de medição for ativada em Modo XTD-View, aparece o símbolo . Esse

símbolo lembra o utilizador que a UTILIZAÇÃO ACIDENTAL desse recurso pode resultar em
medições incorretas (inferior à precisão mencionada no capítulo 13,7).Esse símbolo
também aparecerá no relatório do doente (no cabeçalho de relatório), se as medições
feitas em Modo XTD-View forem memorizadas no relatório. (ver: capítulo 14.2.1).

5-24 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

Situações que podem levar a problemas durante as medições:


Objeto de impulsos
Deformação do objeto durante o exame
Imagens longas, distância de exame longa (= propagação do erro com aumento do
número de imagens)
Diagnóstico fora do plano (percurso em curva)

5.4 Sub Menu 2D


O modo 2D Principal deve permanecer ativado.

Selecione o item [Sub-menu].

As funções do Sub-menu 2D são exibidas tanto na área do menu como na área de status.
NOTE: As alterações só são possíveis no modo de escrita! Somente as alterações no mapa
cromático de cinzentos também são possíveis no modo de leitura.
Estão disponíveis as seguintes funções:
Qualidade Veja Qualidade na página 5-26 para mais informações.
Filtro de linha Veja Filtro de linha na página 5-26 para mais informações.
Melhorar Veja Melhorar na página 5-26 para mais informações.
Controle da Dinâmica Veja Controle da Dinâmica na página 5-27 para mais informações.
Filtro de Persistência Veja Filtro de Persistência na página 5-27 para mais informações.
Rejeitar Veja Rejeitar na página 5-27 para mais informações.
Mapa cromático de cinzentos Veja Mapa cromático de cinzentos na página 11-3 para
mais informações.
Composto de focagem e freqüência (FFC) Veja Composto de focagem e freqüência (FFC)
na página 5-28 para mais informações.

Voluson® i Manual básico do usuário 5-25


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

5.4.1 Qualidade

A definição Qualidade permite ao usuário a possibilidade de troca entre a resolução da


imagem e a freqüência de imagem.

Existem três passos para a Qualidade:


alta: maior resolução / menor freqüência de imagem
normal:resolução normal / freqüência de imagem média
baixa: menor resolução / maior freqüência de imagem

5.4.2 Filtro de linha

O Filtro de linha suaviza a imagem na direção paralela à superfície do transdutor (ou em


uma curva). O usuário pode ajustar a quantidade de filtros utilizada. Quanto maior essa
quantidade, menor o ruído às custas do detalhe na imagem.

Para aumentar ou diminuir utilize os botões do mouse trackball.

5.4.3 Melhorar

Com a função Enhance (Realçar), as informações sobre o eco são processadas


digitalmente de tal forma que determinadas informações existentes ficam mais
facilmente visíveis a olho nu (por exemplo, camadas de meios adjacentes). Devido à
função Enhance, é produzida uma impressão mais nítida e clarificada da imagem.
O estado de Melhorar é apresentado na área da tela dedicada à informação da imagem.

Para aumentar ou diminuir utilize os botões do mouse trackball.

5-26 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

5.4.4 Controle da Dinâmica

O Controle da Dinâmica permite realçar uma parte da escala de cinzentos, facilitando a


visualização da patologia. É possível selecionar entre doze curvas de Controle da dinâmica
diferentes.

Para aumentar ou diminuir, utilize os botões do trackball:


O controle da dinâmica é apresentado na área da tela dedicada à informação da imagem.
Dynamic Control: C1 a C12
Observação:A ocorrência de valores de cinzentos também depende do mapa de
cinzentos selecionado. Para selecionar um mapa de cinzentos 2D, ver: Mapa Cromático de
Cinzentos Veja Mapa cromático de cinzentos na página 11-3 para mais informações..

5.4.5 Filtro de Persistência

Persistence (Persistência) corresponde a uma função média de freqüência de imagens


que permite eliminar o ruído das imagens 2D. Com configurações de persistência
(persistence) mais elevadas, é produzida uma média maior de imagens. A Persistência
(Persistence) pode ser definida no sub-menu 2D em modo de escrita.

Para aumentar ou diminuir utilize os botões do mouse trackball.

5.4.6 Rejeitar

As informações de eco baixo não serão apresentadas na tela abaixo do nível de rejeição
ajustado. A função Reject (Rejeitar) determina o nível de amplitude abaixo, onde os ecos
são eliminados (rejeitados). A rejeição definida para níveis altos leva a uma má
apresentação do tecido. Por exemplo, utilize Reject (Rejeitar) para eliminar artefatos
dentro dos vasos.

Altere a faixa movendo o trackball.


Faixa de rejeição máx.:255, Faixa de rejeição mín: 0 tamanho da etapa:5

Voluson® i Manual básico do usuário 5-27


H48671HH Revisão 4
Modo 2D

5.4.7 Imagiologia Otimizada de Tecidos (ITO)

A função OTITM permite que o examinador "adapte bem" o sistema para que diferentes
tipos de tecidos possam ser examinados.
Utilize o botão [OTI] para ajustar o parâmetro respectivo. São possíveis quatro posições:
tecido adiposo, sólido, cístico ou normal.
Observação:
A definição do parâmetro relevante melhora a qualidade da imagem.

5.4.8 Composto de focagem e freqüência (FFC)

A tecnologia Composto de focagem e freqüência (FFC) utiliza duas freqüências de


transmissão diferentes e duas gamas focais diferentes na imagem 2D. Esta função
combina uma freqüência mais baixa para aumentar a penetração e uma freqüência mais
alta para manter uma resolução elevada. Reduz o ruído e os artefatos na imagem 2D para
facilitar o exame de certos pacientes.

Ligar/desligar a função FFC Composto de Focagem e Freqüência em modo 2D.

5.4.9 Sair do sub menu 2D

Pressione a tecla[Saída] no painel de controle para sair do sub-menu 2D.

5-28 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Capítulo 6

Modo M -Modo de Movimento

Descreve o modo Movimento e seus recursos.

Voluson® i Manual básico do usuário 6-1


H48671HH Revisão 4
Modo M -Modo de Movimento

6. Modo M

As imagens em modo M fornecem informações de Tempo e Movimento sobre o eco


derivadas de um feixe de ultra-sons estacionário. O modo M é usado junto com uma
imagem 2D. Uma linha reta atravessando a imagem 2D, chamada de cursor M, identifica a
posição do feixe de ultra-sons estacionário a partir do qual as informações do eco estão
sendo coletadas. O movimento ou mudança que ocorre nessa posição ao longo do tempo
é usado pelo sistema para gerar a visualização em modo M em deslocamento.
O modo M é principalmente um modo de cardiologia. O modo M grava estruturas
anatômicas em movimento e produz padrões sutis de movimento. Esses padrões
permitem a elaboração de um gráfico de relacionamento temporal entre eventos no ciclo
cardíaco. Medições precisas de estruturas são possíveis com o modo M. O modo M
também fornece informações tissulares que permitem distinguir entre tecido normal e
anormal.
A visualização em modo M contém informações de sistema, uma escala de profundidade,
uma escala de tempo, uma curva TGC, e um padrão de mapa de cinzentos. Existem três
opções de formato no modo M; veja: FormatoVeja Formato na página 6-7 para mais
informações..
A atualização contínua da exibição no modo M permite o reconhecimento imediato de
mudanças na posição anatômica com relação ao cursor M. Com essas informações
instantâneas, é possível mirar imediatamente a linha M às estruturas de interesse,
ajustando a sonda.
A descrição do modo M está subdividida em dois grupos. Nesses grupos você verá como
usar o modo M e como ajustar as definições de modo M.
Para usar o modo M veja::Menu Principal MVeja Menu principal M na página 6-3 para mais
informações.) Para ajustar a definição M veja:Sub-menu MVeja Sub Menu M na página 6-7
para mais informações.
Para utilizar a análise de utilitários especial, ver: Utilitários Veja Utilities (Utilitários) na
página 11-2 para mais informações. e Mapa Cromático de cinzentos Veja Mapa cromático
de cinzentos na página 11-3 para mais informações.
O modo M também é possível em combinação com o modo CFM:
veja: Modo MCFM (Modo de Fluxo de Cores M) Veja Modo MCFM (Modo de Fluxo de Cor M)
na página 6-9 para mais informações.

6-2 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo M

6.1 Menu principal M


Tecla do modo M (tecla de hardware)
Pressionando o controle [M] o modo M muda para o modo de modo de preparação,
apenas o cursor M é exibido na imagem ativa 2D.
Para iniciar e usar o modo M veja: Operação MVeja Operação M na página 6-3 para mais
informações.)Para ajustar as definições M veja: Sub-menu M Veja Sub Menu M na
página 6-7 para mais informações.
O menu M Main é exibido na tela. (modo de escrita)
Observações:
No modo de leitura Gain, Speed e Frequency não são possíveis.

6.1.1 Princípio

A visualização em modo M é derivada de uma visualização de imagem 2D. Ao trocar para


o modo M, a linha do cursor M é inserida na imagem 2D. Ela simboliza o feixe de ultra-sons
e define a posição de traço em modo M. O traço de modo M é inicializado com a tecla de
trackball direita ou esquerda.
Modo simultâneo:
Com transdutores eletrônicos, os traços 2D e M serão exibidos simultaneamente. O traço
de modo M é exibido no modo de deslocamento (as informações mais recentes são
sempre exibidas à direita do traço).

6.2 Operação M
A operação M é composta de:
Posição do Cursor Veja Posição do Cursor na página 6-4 para mais informações.
Ativação do Modo MVeja Ativação do Modo M na página 6-4 para mais informações.
Sweep Speed Veja Velocidade de Varrimento na página 6-4 para mais informações.
Invert Veja Inversão na página 6-5 para mais informações.
Freqüência Veja Freqüência na página 6-5 para mais informações.
Controles do interruptor TGC Veja Controles do interruptor TGC na página 6-5 para mais
informações.
Potência de EmissãoVeja Potência de Emissão na página 6-5 para mais informações.
Modo de Profundidade M Veja Modo de Profundidade M na página 6-5 para mais
informações.
Controle de amplificação M Veja Controle de amplificação M na página 6-6 para mais
informações.
M Cineloop Veja Cineloop M na página 6-6 para mais informações.

Voluson® i Manual básico do usuário 6-3


H48671HH Revisão 4
Modo M -Modo de Movimento

6.2.1 Posição do Cursor

Após pressionar o controle [M] ajuste o cursor M usando o trackball na imagem única 2D.

6.2.2 Ativação do Modo M

Pressione a tecla esquerda ou direita do trackball e o modo 2D e o traço do modo M


estarão ativos.
A tela é dividida assimetricamente. Na imagem acima, a imagem 2D é exibida. Na
imagem abaixo o traço de modo M começa a rodar.

Três formatos de exibição são possíveis, veja: FormatoVeja Formato na página 6-7 para
mais informações.
A tecla [Freeze] congela a imagem 2D e o traço de modo M. Pressionando a tecla [Freeze]
novamente o cursor M é exibido na imagem 2D ativa.

6.2.3 Velocidade de Varrimento

Na área de estado você irá encontrar a tecla [Speed]. veja: Menu Principal MVeja Menu
principal M na página 6-3 para mais informações.) Tocando para cima ou para baixo,
quatro velocidades diferentes de varrimento poderão ser selecionadas. Use o controle [+]
e [-] do Menu para aumentar ou diminuir a velocidade.

1 = 3,5 cm/s
2 = 5,0 cm/s
3 = 7,5 cm/s
4 = 10,0 cm/s (em relação ao monitor do sistema)

6-4 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo M

6.2.4 Inversão

Essa função inverte o traço de modo M de Up para Down na área de exibição do modo M.
tecla apagada:visualização em M mode (modo M) normal
tecla iluminada:visualização em M mode (modo M) invertida
Observação:A função Inverter só está disponível para transdutores endo-vaginais.

6.2.5 Freqüência

Mesma que a freqüência no modo 2D.


veja: Gama de freqüência do receptor Veja Gama de Freqüência do Receptor na
página 5-8 para mais informações.

6.2.6 Controles do interruptor TGC

As definições [TGC] são as mesmas para o traço M e a imagem 2D.


Veja definição TGC: Controles do interruptor TGC Veja Controles do Interruptor TGC na
página 5-6 para mais informações.

6.2.7 Potência de Emissão

Essa função é a mesma para o traço M e a imagem 2D. veja: Potência de Emissão Veja
Potência de Emissão na página 5-7 para mais informações.

6.2.8 Modo de Profundidade M

A função é a mesma que a profundidade do modo 2D. veja: Profundidade de Modo 2D Veja
Profundidade de Modo 2D na página 5-5 para mais informações.

Voluson® i Manual básico do usuário 6-5


H48671HH Revisão 4
Modo M -Modo de Movimento

6.2.9 Controle de amplificação M

Com o controle [Active mode] o brilho total do traço do modo M pode ser ajustado. O
ajuste do controle Gain determina a quantidade de amplificação aplicada para os ecos
recebidos. Todos os ecos recebidos são amplificados com o mesmo valor,
independentemente da profundidade do exame. A função M Gain influencia apenas o
traço M.
Tecla [Active mode]: gire-a para ajustar a sensibilidade (brilho) da imagem inteira..
Quando o controle GAIN é girado em sentido horário, a imagem inteira fica mais brilhante.
Quando o controle GAIN é girado em sentido anti-horário, a imagem inteira fica menos
brilhante.
Observações:
Gama de GAIN: -15dB a 15dB. O valor de amplificação atual é apresentado na tela
[GN ...].
Só é possível alterar M Gain com o M Mode altivo (modo escrita).

6.2.10 Cineloop M

Várias imagens 2D e informações de traço em M mode (modo M) podem ser recuperadas.


Quando se congela um dado, um determinado período de tempo (informação M da última
seqüência do exame) fica armazenado na memória de circuito fechado. A seqüência pode
ser analisada segundo a segundo.
Visualização:
Cine para imagens 2D ou Loop para traço M no monitor (barra de estado) comprimento
mín: 60 segundos
Funcionamento:
1.Congele a imagem.
Após o congelamento, o trackball fica ativo para traço em modo M loop / 2D cine.

2.A tecla superior do trackball muda de M-loop para cine 2D, e vice-versa. O cine ativo é
visualizado no monitor.
Cine/Loop xxx ou Cine xxx/Loop

3.Use o trackball para recuperar a seqüência armazenada, movendo-o horizontalmente.

6-6 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo M

6.3 Sub Menu M


O menu M Main deve estar ativo.

Selecione o item [Sub-menu].

As funções do Sub-menu M são exibidas tanto na área do menu como na área de status.
NOTE: As alterações só são possíveis no modo de escrita.
NOTE: Apenas alterações no Mapa Cromático de Cinzentos no modo de leitura são possíveis.
Estão disponíveis as seguintes funções:
Formato Veja Formato na página 6-7 para mais informações.
Melhorar Veja Melhorar na página 6-8 para mais informações.
Controle da Dinâmica Veja Controle da Dinâmica na página 6-8 para mais informações.
Rejeitar Veja Rejeitar na página 6-9 para mais informações.

6.3.1 Formato

Para seleção de três relações de visualização diferentes Formato: (60/40, 50/50 e 40/60).

Voluson® i Manual básico do usuário 6-7


H48671HH Revisão 4
Modo M -Modo de Movimento

Formato: grande (60/40) Formato: médio (50/50) Formato: pequeno (40/60)

6.3.2 Melhorar

Com a função Enhance (Melhorar) , as informações sobre o eco são processadas


digitalmente de tal forma que determinadas informações existentes ficam mais
facilmente visíveis (por exemplo, camadas de meios adjacentes). Devido à função
Enhance, é produzida uma impressão mais nítida e clarificada da imagem.

O estado de Melhorar é apresentado na área da tela dedicada à informação da imagem.

Para aumentar ou diminuir utilize os botões do mouse trackball.

6.3.3 Controle da Dinâmica

Dynamic Control permite realçar uma parte da escala de cinzentos para ser mais fácil
visualizar a patologia. É possível selecionar entre doze curvas de Controle da dinâmica
diferentes.

O controle da dinâmica é apresentado na área da tela dedicada à informação da imagem.


Dynamic Control: C1 a C12
Para aumentar ou diminuir, utilize os botões do trackball:
Observações:
O aspecto dos valores de cinzentos depende também do mapa de cinzentos
selecionado. Para selecionar um mapa de cinzentos no modo M, veja o capítulo: Mapa
Cromático de Cinzentos Veja Mapa cromático de cinzentos na página 11-3 para mais
informações.

6-8 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo M

6.3.4 Rejeitar

A função Reject (Rejeitar) determina o limiar de amplitude acima do qual os ecos de


ultra-som são exibidos na tela (supressão dos ecos menores). Visualização (gama de
controle) 0 a 255. O status Reject é apresentado na área da tela dedicada à informação da
imagem.

Para alterar valor utilize o trackball:


Reject range (Gama de rejeição) máx.: 255
Reject range (Gama de rejeição) mín.: 0
tamanho do passo: 5

6.3.5 Sair do Sub-menu M

Pressione a tecla [Exit] no painel de controle para sair do sub-menu M.

6.4 Modo MCFM (Modo de Fluxo de Cor M)


O Modo de Fluxo de Cores e o Modo de Cor M são modos Doppler destinados a adicionar
informações qualitativas codificadas por cores referentes à velocidade relativa e direção
de movimento de fluido dentro do modo 2D ou imagem de modo M. Fluxo de Cores
sobrepõe cor no traço de modo M usando mapas de cor de velocidade e variação. A cunha
de Fluxo de Cores sobrepõe a imagem em modo 2D e o timeline em modo M.
A descrição do modo MCFM está subdividida em dois grupos.
Para usar o modo MCFM veja:Menu Principal MCFMVeja Menu Principal MCFM na
página 6-9 para mais informações. Para ajustar a configuração do MCFM veja:Sub-menu
MCFMVeja Sub Menu MCFM na página 6-14 para mais informações.
Para usar os utilitários especiais, veja: Utilitários Veja Utilities (Utilitários) na página 11-2
para mais informações. e Mapa Cromático de Cinzentos Veja Mapa cromático de
cinzentos na página 11-3 para mais informações.

6.4.1 Menu Principal MCFM

[M Mode] + [CFM Mode] (teclas de hardware)


Pressionando o controle [M] e o controle [CFM], o modo MCFM é alterado para o modo de
preparação. O cursor M com a janela M-Color é exibido na imagem 2D ativa. Essas teclas
de hardware são também o controle Gain para o modo MCFM (apenas no modo de
escrita); veja: Controle de Ganho MCFMVeja Controle de amplificação M na página 6-6
para mais informações.

Para iniciar e usar o modo MCFM veja: Operação MCFM Veja Operação MCFM na
página 6-10 para mais informações.) Para ajustar as definições MCFM, veja: Sub-menu
MCFM Veja Sub Menu MCFM na página 6-14 para mais informações.
O menu MCFM Main é exibido na tela (modo de escrita).

Voluson® i Manual básico do usuário 6-9


H48671HH Revisão 4
Modo M -Modo de Movimento

Observações:
No modo de leitura, alterar Speed, Wall Motion Filter, PRF e Gain não é possível.
No modo MCFM, apenas uma zona de foco está disponível.
Quando MCFM-box é movido, a posição do foco é configurada para o meio da caixa
Cor.

6.4.2 Operação MCFM

A operação MCFM consiste em:


Tamanho da Caixa de Cor e Posição do Cursor Veja Tamanho da Caixa de Cor e Posição
do Cursor na página 6-11 para mais informações.
Ativação do Modo MCFM Veja Ativação do Modo MCFM na página 6-11 para mais
informações.
Controle de Ganho MCFM Veja Controle de amplificação M na página 6-11 para mais
informações.
Invert Veja Inversão na página 6-12 para mais informações.
Wall Motion Filter (WMF) Veja Filtro de movimento de parede (WMF) na página 6-13 para
mais informações.
Faixa de Velocidade (PRF) Veja Taxa de Velocidade (PRF) na página 6-13 para mais
informações.
MCFM Cineloop Veja Cineloop MCFM na página 6-14 para mais informações.
Todas as outras funções de otimização de imagens são as mesmas que para o M mode
(modo M). Para detalhes, veja: Operação M Veja Operação M na página 6-3 para mais
informações.

6-10 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo M

6.4.2.1 Tamanho da
Caixa de Cor e
Posição do Cursor

Após pressionar o controle [M] e o controle [C], ajuste o tamanho da caixa de Cor e a
posição do cursor usando o trackball na imagem única 2D.

A tecla do trackball superior muda entre a posição do cursor e o tamanho da caixa de Cor
e vice-versa.

6.4.2.2 Ativação do
Modo MCFM

Pressione a tecla esquerda ou direita do trackball e o modo 2D e o traço do modo MCFM


estarão ativos.
A tela é dividida assimetricamente. Na imagem acima, a imagem 2D é exibida. Na
imagem abaixo, o traço de modo MCFM começa a rodar.

Três formatos de exibição são possíveis, veja: FormatoVeja Formato na página 6-7 para
mais informações.
A tecla [Freeze] congela a imagem 2D e o traço de modo MCFM.

NOTE: Pressionando a tecla [Freeze] novamente o cursor M é exibido na imagem 2D ativa.


6.4.2.3 Controle de O ajuste do controle Gain determina a quantidade de amplificação aplicada para os ecos
amplificação M recebidos. Todos os ecos recebidos são amplificados com o mesmo valor,
independentemente da profundidade do exame.
Para aumentar ou diminuir o ganho, gire a roda [Active mode]. Para alternar entre os
modos pressione a tecla [Active mode].

NOTE: A função [M] Gain influencia apenas o traço M.


NOTE: A função [CFM] Gain influencia apenas a intensidade da cor.
Observações:
O valor de amplificação real é apresentado na tela [GN ...].

Voluson® i Manual básico do usuário 6-11


H48671HH Revisão 4
Modo M -Modo de Movimento

6.4.2.4 Inversão Essa função inverte a visualização de cor na imagem de modo MCFM. A cor da cunha de
cor inverte-se em torno da linha de base.
Visualização normal de cor MCFM visualização invertida de cor MCFM
 vermelho  azul  azul  vermelho

6-12 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo M

6.4.2.5 Filtro de O Wall Motion Filter (Filtro de movimento de parede) é usado para eliminar "ruídos" de Cor
movimento de causados por movimentos de paredes vasculares ou paredes cardíacas que são baixos
parede (WMF) em freqüência, porém altos em intensidade. Utilize um filtro de parede que seja
suficientemente elevado para eliminar o batimento audível das paredes dos vasos ou do
coração, mas suficientemente sensível para reter a informação espectral da escala de
cinzentos junto da linha de base. O controle WMF é usado para mudar o filtro de
movimento de parede. As configurações são: low1 , low2 (baixas), mid1, mid2 (médias),
high1, high2 (altas) e max.

Use o controle do Menu [WMF] para ajustar o Filtro de movimento de parede. Ao acioná-lo
para cima, há aumento do filtro; ao acioná-lo para baixo, diminuição.
Observações:
O Wall Motion Filter (Filtro de movimento da parede) é selecionável pelo usuário, mas
as freqüências de corte reais variam em função da configuração do controle PRF. As
freqüências de corte mais baixas do filtro de movimento da parede não podem ser
utilizadas com a definição mais elevada da PRF.
O filtro WMF adequado é automaticamente calculado e ajustado assim que a PRF é
alterada.
6.4.2.6 Taxa de A faixa de velocidade da visualização é regulada pela freqüência de repetição das
Velocidade (PRF) pulsações (PRF). O controle [PRF] altera a gama de visualização. À medida que aumenta a
gama de Velocidades através desse controle, a PRF aumenta. À medida que a escala do
visor aumenta, a informação de deslocação do Doppler máxima que pode ser
apresentada sem distorção aumenta também.

Utilize o controle de Menu [PRF] para ajustar a gama de velocidades. Pressione para cima -
a PRF aumenta; pressione para baixo - a PRF diminui
Dependendo da profundidade da Caixa, a freqüência de amostragem máxima será
automaticamente reduzida. (Se a freqüência de amostragem não for mais adequada para
a profundidade selecionada.)
Alterando a unidade de visualização da PRF de kHz para m/s ou cm/s; veja Sub-menu
MCFMVeja Sub Menu MCFM na página 6-14 para mais informações.)
Observação:A freqüência de amostragem atual é exibida na tela [PRF ...].

Voluson® i Manual básico do usuário 6-13


H48671HH Revisão 4
Modo M -Modo de Movimento

6.5 Cineloop MCFM


veja: M CineloopVeja Cineloop M na página 6-6 para mais informações.

6.6 Sub Menu MCFM


O menu "MCFM Main" (principal MCFM) deve ser ativado.

Selecione o item [Sub-menu].

As funções do Sub-menu MCFM são exibidas tanto na área do menu como na área de
status.
NOTE: As alterações só são possíveis no modo de escrita!
NOTE: Também é possível efetuar alterações no Display Mode (modo de visualização), Scale
(escala), MCFM Map e Baseline (linha de base) no modo de leitura.
As configurações do sub-menu são as mesmas que as do modo CFM. Para detalhes, veja:
Sub-menu CFM Veja Sub Menu CFM na página 8-7 para mais informações.

6-14 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Capítulo 7

Modo PW - Modo de onda pulsada

Descreve o Modo de onda pulsada e seus recursos

Voluson® i Manual básico do usuário 7-1


H48671HH Revisão 4
Modo PW - Modo de onda pulsada

7. Modo PW

A imagiologia de doppler abrange uma análise espectral que descreve o sinal de mudança
do doppler a partir dos refletores em movimento dentro de um volume de amostra. A
visualização espectral desloca-se da direita para a esquerda e reproduz a distribuição
espectral dos componentes da freqüência de mudança do doppler ao longo do tempo. Os
valores de freqüência ou de velocidade aparecem no eixo vertical e os de tempo junto
com o eixo horizontal. As amplitudes do componente aparecem como sombras de cinza.
Quanto mais brilhante a sombra, maior a amplitude.
A visualização do doppler pode ser utilizada sozinha, mas normalmente o é com uma
imagem 2D. A imagem 2D contém um cursor de doppler que define a localização do feixe
de ultra-som do doppler em relação à visualização da imagem 2D.
O cursor de direção do fluxo pode ser alinhado com a direção do fluxo dentro do vaso para
determinar o ângulo do doppler. O sistema utiliza o ângulo do doppler para calibrar a
visualização da velocidade do doppler. Quando a visualização da freqüência do doppler é
utilizada, a visualização da freqüência não está calibrada em relação ao ângulo do
doppler.
A visualização do doppler consiste dos seguintes itens: visualização da análise espectral
dos dados de ultra-som, dados e identificação do paciente, informações relativas à
imagem, mapa de escala de cinzentos, escala de velocidade ou freqüência e escala de
tempo.
Os valores TI e MI no monitor dependem dos valores definidos pelos controles do doppler.
Consulte Segurança Veja Segurança na página 2-2 para mais informações. e Sondas e
biópsia Veja Sondas e biópsia na página 18-2 para mais informações. para obter uma
explicação completa sobre a potência acústica.
para Doppler de onda pulsada, veja: Modo PW Veja Modo PW (Pulsed Wave Doppler) na
página 7-2 para mais informações.

7.1 Modo PW (Pulsed Wave Doppler)


Um cursor de volume de amostra está localizado no cursor PW e indica onde, ao longo do
feixe de ultra-sons, a análise espectral vem sendo realizada. Pode ser adicionado um
cursor de direcionamento de fluxo ao volume de amostra.
O modo PW está subdividido em dois grupos. Nesses grupos será mostrado como utilizar
o modo PW e como ajustar suas configurações.
Para utilizar o modo PW, veja:Menu principal PW Veja Menu principal PW na página 7-3
para mais informações.) Para ajustar a configuração do PW, ver:Sub-menu do PW Veja
Sub Menu PW na página 7-10 para mais informações.
Para utilizar a análise de utilitários especial, ver: Utilitários Veja Utilities (Utilitários) na
página 11-2 para mais informações. e Mapa Cromático de cinzentos Veja Mapa cromático
de cinzentos na página 11-3 para mais informações.

7-2 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo PW

7.2 Menu principal PW


Tecla do Modo PW (tecla de hardware)
Pressione o controle [PW] para ativar o modo PW no modo de preparação. Primeiro
aparecerá apenas o cursor PW na imagem 2D ativa.
Para iniciar e usar o modo PW, veja: Operação PW Veja Operação PW na página 7-3 para
mais informações. Para ajustar as configurações PW, veja: Sub-menu PW Veja Sub Menu
PW na página 7-10 para mais informações.
O menu "PW Main" (principal PW) aparece na tela (modo de escrita).
Observações:
Não é possível alterar a amplificação, a velocidade, a largura da porta, o volume das
colunas, o filtro de movimento da parede e a PRF no modo de leitura.
A função de direção só é possível com sondas lineares.

7.3 Operação PW
A operação PW inclui:
Posição da porta e largura da porta Veja Posição da porta e largura da porta na
página 7-3 para mais informações.
Ativação do Modo PW Veja Ativação do Modo PW na página 7-4 para mais informações.
Controle de amplificação PW Veja Controle de amplificação PW na página 7-5 para mais
informações.
Otimização automática PW Veja Otimização automática PW na página 7-5 para mais
informações.
Sweep Speed Veja Velocidade de Varrimento na página 7-5 para mais informações.
Invert Veja Inversão na página 7-6 para mais informações.
Correção do ângulo Veja Correção do ângulo na página 7-6 para mais informações.
Linha de base Veja Linha de Base na página 7-7 para mais informações.
WMF Veja WMF na página 7-7 para mais informações.
Faixa de Velocidade (PRF) Veja Taxa de Velocidade (PRF) na página 7-8 para mais
informações.
Rastreamento em tempo realVeja Rastreamento em tempo real na página 7-8 para mais
informações.
Congelar Veja Congelar na página 7-9 para mais informações.
Cineloop PW Veja Cineloop PW na página 7-9 para mais informações.

7.3.1 Posição da porta e largura da porta

No doppler de onda pulsada é realizada uma amostra em uma área específica ao longo
do feixe de ultra-sons. Essa área é chamada de porta. A porta está localizada no feixe do
ultra-som e é visualizada por duas linhas perpendiculares à linha do feixe. A localização e
o tamanho da porta podem ser modificados. A localização e o ângulo da porta podem ser
modificados pelo trackball (pressione a tecla do trackball superior para modificar a função
do trackball). A localização da porta permite o exame do fluxo sangüíneo nesse local. A
largura da porta pode ser modificada pela tecla Controle de menu. Quando o tamanho da

Voluson® i Manual básico do usuário 7-3


H48671HH Revisão 4
Modo PW - Modo de onda pulsada

porta é modificado, nos modos de atualização ou simultâneo, seu valor atual é mostrado
em milímetros no lado esquerdo da tela, nas informações de imagem.

Ajuste o cursor PW e a Posição da porta com o trackball na imagem 2D única.


Posição do cursor PW
Profundidade da posição da porta

O tamanho da porta pode ser ajustado em doze etapas: 0,7mm, 1mm, 2mm, 3mm, 4mm,
5mm, 6mm, 7mm, 8mm, 9mm, 10mm e 15 mm.

A tecla superior do trackball permite mudar entre a posição da porta e o ângulo da porta.
Pressione a tecla superior do trackball para mudar da posição da porta para o ângulo da
porta. Pressione-a mais uma vez para retornar à mudança de posição.

diminuir o tamanho da porta


aumentar o tamanho da porta

7.3.2 Ativação do Modo PW

Pressionando as teclas da esquerda ou da direita do trackball a tela divide-se


assimetricamente. A imagem 2D aparece acima. O espectro PW aparece abaixo. Três
formatos de exibição são possíveis, veja: FormatoVeja Formato na página 7-11 para mais
informações.
A área de status mostra os controles de ativação do modo PW.

Pressione a tecla esquerda do trackball para dar início à visualização do espetro. A


imagem 2D ficará congelada. Pressione novamente a tecla esquerda do trackball; o
espectro PW ficará congelado e a imagem 2D retornará ao modo de escrita.

Pressione a tecla direita do trackball e ambos os modos (2D e espetro PW) serão ativados.

7-4 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo PW

7.3.3 Controle de amplificação PW

A amplificação PW controla a amplificação dos sinais do doppler de entrada. A


amplificação de doppler deve ser ajustada para um nível que preencha a escala de
cinzentos na forma de onda da análise espectral sem criar ruídos.
tecla [Modo PW]
Para modificar a amplificação do modo PW, utilize a roda [Active mode], modo de
ativação.
Quando o controle de amplificação é acionado no sentido horário, todo o espetro fica
mais brilhante. Quando o controle de amplificação é acionado no sentido anti-horário,
todo o espetro fica mais escuro.
Observações:
O valor de amplificação real é apresentado na tela [GN ...].
Só é possível modificar a amplificação PW no modo de escrita independentemente de
modos adicionais, tais como a cor.

7.3.4 Otimização automática PW

Essa função otimizará as seguintes configurações: PRF: detecção automática das


velocidades de fluxo mais elevadas e ajuste da escala de velocidade Linha de base: serão
trocadas para que o espectro de fluxo seja centralizado.
Pressionando a tecla [auto] será possível a otimização automática da PRF e da Linha de
base.
Quando a tecla for pressionada novamente, a otimização será atualizada.
Pressione a tecla [auto] duas vezes para desligar o a otimização automática no modo
PW.
Observações:
Quando a função de otimização automática estiver ativada, a tecla [auto] fica
bastante iluminada.
A PRF e a Linha de base podem sempre ser modificadas manualmente!

7.3.5 Velocidade de Varrimento

O controle de velocidade permite selecionar diversas velocidades de varrimento. A


velocidade de varrimento mais intensa pode ser útil na análise de curvas de fluxo. Por
exemplo, para calcular o gradiente de pressão médio é muito mais fácil fazê-lo a uma
velocidade mais intensa do que o contrário. A tecla [Speed], velocidade, está na área de
status. Veja: Menu principal PWVeja Menu principal PW na página 7-3 para mais
informações.
Pressionando [+] ou [-] no controle do menu, podem ser selecionadas quatro diferentes
velocidades de varrimento.

1 = 3,5 cm/s
2 = 5,0 cm/s
3 = 7,5 cm/s

Voluson® i Manual básico do usuário 7-5


H48671HH Revisão 4
Modo PW - Modo de onda pulsada

4 = 10,0 cm/s (em relação ao monitor do sistema)


7.3.5.1 Sinal Áudio O controle do Menu muda o volume do sinal áudio obtido a partir do espectro PW.

+ ambas as colunas com o som mais alto


- ambas as colunas com o som mais baixo
O volume é ajustável entre 0 e 96 dB.

7.3.6 Inversão

Essa função inverte a visualização do espectro PW em relação à direção do fluxo. O


espetro visualizado é invertido em torno da linha de base. A escala da velocidade ou
freqüência muda em conformidade com isso. Utilize a função [DopInv] quando for
necessário alterar a orientação da visualização espectral.. É possível fazê-lo no modo de
leitura e de escrita.
Fluxo para a frente indica:Fluxo sangüíneo sobre o transdutor Fluxo inverso indica:Fluxo
sangüíneo distante do transdutor

Fluxo para a frente acima da


tecla
Normal: linha de base Fluxo invertido
apagada:
abaixo da linha de base

Fluxo invertido acima da linha


tecla
Invertido: de base Fluxo para a frente
iluminada:
abaixo da linha de base

7.3.7 Correção do ângulo

Para obter excelente resolução e precisão das medidas do doppler, o ângulo existente
entre o feixe de ultra-som e o fluxo sangüíneo deve ser mantido entre 0 e 20 graus.
Entretanto, por causa de limitações anatômicas, um ângulo de 55 a 65 graus é comum
nas aplicações vasculares periféricas. O cálculo da velocidade do fluxo sangüíneo com
base no ângulo incidental do feixe de ultra-som para o eixo do vaso pode ser determinado
dessa maneira. O vaso deve ser apresentado na seção longitudinal e o cursor do ângulo
deve ser posicionado paralelamente ao eixo do vaso (na área do volume de medição). A
correção do ângulo ajusta a escala do doppler e é apenas necessária para a visualização
da velocidade (cm/s, m/s) de acordo com a equação do doppler.
O ângulo do cursor pode ser alterado continuamente em incrementos de 1° em ambas as
direções. Use as teclas de função do trackball para alternar entre a posição da porta e
ângulo.
Observações:
O ângulo real é apresentado na tela [SV Angle ...], ângulo SV.
O ajuste do ângulo sempre é possível nos modos de escrita e de leitura.

7-6 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo PW

7.3.8 Linha de Base

A mudança na linha de base do espetro PW aumenta a gama de velocidade em uma


direção. As velocidades visualizadas (cm/s, m/s) ou freqüências (kHz) nas margens superior
ou inferior da tela (escala, borda branca) marcam a velocidade máxima (gama de medição
máxima).

A linha de base pode ser aumentada em 8 etapas ou diminuída em 8 etapas utilizando a


tecla para cima ou para baixo do controle do Menu.
Observação:É possível ajustar a linha de base no modo de escrita e de leitura.

7.3.9 WMF

Um Wall Motion Filter (filtro de movimento da parede) é utilizado para eliminar o "ruído"
do doppler que é causado pelo movimento das paredes dos vasos ou das paredes
cardíacas e que tem uma freqüência baixa mas uma intensidade elevada. Utilize um filtro
de parede que seja suficientemente elevado para eliminar o batimento audível das
paredes cardíacas, mas suficientemente sensível para reter as informações espectrais da
escala de cinzentos próxima à linha de base. O controle do Menu [WMF] é usado para
mudar o filtro de movimento de parede.
As configurações são: 70 Hz, 120 Hz, 155 Hz, 190 Hz, 230 Hz, 300 Hz, 500 Hz

Use o controle do Menu [WMF] para selecionar o filtro de movimento de parede desejado.
Pressione para cima para aumentar e para baixo para diminuir o filtro.
Observações:
O Wall Motion Filter (Filtro de movimento da parede) é selecionável pelo usuário, mas
as freqüências de corte reais variam em função da configuração do controle PRF. As
freqüências de corte mais baixas do filtro de movimento da parede não podem ser
utilizadas com a definição mais elevada da PRF. Da mesma maneira, as freqüências
de corte mais altas do filtro de movimento de parede não podem ser utilizadas com a
definição mais baixa da gama de velocidades (PRF).
O filtro WMF adequado é automaticamente calculado e ajustado assim que a PRF é
alterada.

Voluson® i Manual básico do usuário 7-7


H48671HH Revisão 4
Modo PW - Modo de onda pulsada

7.4 Taxa de Velocidade (PRF)


A gama de velocidades no visor é regulada pela freqüência de repetição das pulsações
(PRF). O controle [PRF] altera a faixa visualizada. À medida que a gama de velocidades é
aumentada pelo controle do Menu [PRF], a PRF aumenta. À medida que a escala do visor
aumenta, a informação de deslocação do doppler máxima que pode ser apresentada sem
distorção aumenta também.

Utilize o controle de Menu [PRF] para ajustar a gama de velocidades. Pressione para cima
para aumentar a PRF e para baixo para diminuí-la.

7.5 Rastreamento em tempo real


Com a função "Real Time Auto Trace" (rastreamento automático em tempo real), a curva
de envelope do espetro de doppler (velocidades máximas) e a avaliação correspondente
são automaticamente visualizadas no monitor.
1.Selecione o item [RT Trace], rastreamento RT para visualizar a curva para as velocidades
máximas (curva de envelope) simultaneamente com o espectro do doppler.

apagada: o rastreamento em tempo real está desligado. acesa:o rastreamento em tempo


real está desligado.
Ao iniciar o espetro do doppler, os resultados (de acordo com as configurações Auto/
Manual Trace , rastreamento automático/manual), são exibidos e atualizados todas as
vezes que um novo ciclo cardíaco for detectado. Para selecionar os resultados de medição
do doppler, veja: Parâmetros de aplicação . Veja Parâmetros da aplicação na
página 17-20 para mais informações..

2.Pressione [Trace], rastreamento, para abrir o sub-menu e selecionar o modo de


rastreamento.

3.Selecione a sensibilidade da curva do envelope (para eliminar artefatos).


Para aumentar ou diminuir, utilize os botões do trackball:
Nota importante:
A determinação da curva do envelope requer uma gravação clara e com pouco ruído
do espetro do doppler. Caso contrário, não é possível garantir a fiabilidade dos
resultados de medição apresentados!
Observação: A ativação do rastreamento em tempo real só é possível no modo de escrita.
Sem função no modo de leitura.

7-8 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo PW

7.6 Congelar
A tecla [Freeze], congelar, aciona e interrompe a imagem 2D e o doppler PW. veja: Para
congelar uma imagem Veja Para congelar uma imagem na página 4-6 para mais
informações.

7.7 Cineloop PW
Várias imagens 2D e as informações do espetro doppler podem ser recuperadas. Quando
se congela o espetro, um determinado período de tempo (espetro D da última seqüência
de exame) fica armazenado na memória de circuito fechado. A seqüência pode ser
analisada segundo a segundo.
Visualização:
Cine para imagens 2D ou Loop para espectro doppler no monitor. Duração mínima: 60
segundos
Funcionamento:
1.Congelar a imagem.
Após o congelamento o trackball fica ativado para cine 2D.

2.A tecla superior do trackball muda de loop D para cine 2D, ângulo e para trás.

O Cine ativo é exibido no gráfico do trackball no monitor: Cine/Loop xxx ou Cine xxx/Loop

3.Use o trackball para recuperar a seqüência armazenada, movendo-o horizontalmente.

Voluson® i Manual básico do usuário 7-9


H48671HH Revisão 4
Modo PW - Modo de onda pulsada

7.8 Sub Menu PW


O menu PW Main (principal PW) tem que estar ativo.

Selecione o item [Sub-menu].

As funções do Sub-menu PW são exibidas tanto na área do menu como na área de status.
NOTE: As alterações só são possíveis no modo de escrita!
NOTE: No entanto, também é possível fazer alterações no mapa cromático de cinzentos, no ângulo
e na linha de base no modo de leitura.
Estão disponíveis as seguintes funções:
Escala Veja Escala na página 7-10 para mais informações.
Formato Veja Formato na página 7-11 para mais informações.
Freqüência Veja Freqüência na página 7-11 para mais informações.
DinâmicaVeja Dinâmica na página 7-12 para mais informações.

7.8.1 Escala

Nas margens superiores e inferiores da tela os valores máximos (em relação ao marco
zero) e a unidade de medida selecionada são exibidos.
p.ex.:97 cm/s (velocidade máx. exibida) 20/DIV (espaço entre 2 pontos 20 cm/s)

kHz:Freqüência de mudança do doppler


cm/s:velocidade do fluxo
m/s:velocidade do fluxo

7-10 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo PW

7.8.2 Formato

Esses controles servem para selecionar um dos três formatos (60/40, 50/ 50 e 40/ 60) em
que se pretenda fazer a visualização. Pressione [Format], formato, para abrir o sub-menu e
selecionar o modo de formato.

Formato: grande (60/40) Formato: médio (50/50) Formato: pequeno (40/60)

7.8.3 Freqüência

Esse controle serve para selecionar a freqüência de transmissão requerida na posição da


porta real. Normalmente trabalha-se com a freqüência de transmissão que corresponde
às propriedades do elemento de ultra-som [mid], médio. Com uma freqüência de
transmissão mais elevada [high], a amplitude do espectro do doppler é apresentada com
um tamanho maior (vantagem: melhor visualização das velocidades de fluxos mais
lentos), mas a profundidade de penetração é reduzida. Com uma freqüência de
transmissão mais baixa [low], a amplitude do espectro do doppler é apresentada com um
tamanho menor (vantagem: visualização de velocidades de fluxos mais altos), no entanto,
a profundidade de penetração é aumentada (maior sensibilidade).
A freqüência de transmissão é apresentada na área da tela dedicada à informação da
imagem.

baixa:A freqüência de transmissão é mais baixa do que a freqüência média do cristal.


média:A freqüência de transmissão é a freqüência média do cristal.
alta:A freqüência de transmissão é mais alta do que a freqüência média do cristal.
Acione a tecla [Frequency] para abrir o sub-menu e selecionar a freqüência central
desejada.
Informações sobre freqüências, ver: Sondas e biópsia / Especificações Veja
Configurações na página 18-11 para mais informações..

Voluson® i Manual básico do usuário 7-11


H48671HH Revisão 4
Modo PW - Modo de onda pulsada

7.8.4 Dinâmica

A dinâmica refere-se à compressão das informações da escala de cinzentos em uma


gama adequada para a visualização. A dinâmica permite realçar uma parte de interesse
da escala de cinzentos para facilitar a visualização da patologia. Ela ajusta o corte
visualizado da forma de onda da análise do doppler.

Para aumentar ou diminuir, utilize os botões do trackball:


gama máx.:40
gama mín.:10
tamanho do passo: 2
Observações:
O aspecto dos valores de cinzentos depende também do mapa de cinzentos
selecionado. Para selecionar um mapa de cinzentos PW, veja: Mapa cromático de
cinzentos Veja Mapa cromático de cinzentos na página 11-3 para mais informações..

7.8.5 Sair do submenu PW

Pressione a tecla [Exit], sair, no painel de controle para sair do Sub-menu PW.

7.9 PW + 2D + Informação de Cor (Modo Triplex)


O modo triplex é a visualização simultânea e em tempo real do modo 2D, do doppler
espectral e do doppler em cores.
Há duas possibilidades para combinar o doppler da onda pulsada (PW) com as
informações em cores:
PW + modo 2D + Modo doppler em cores (CFM)
PW + modo 2D + Modo doppler de potência (PD)

Para iniciar o modo triplex, pressione o botão trackball [Simult].

Para iniciar o Dual Mode (modo dual) (somente 2D+PW), pressione o botão trackball
[Simult].

7-12 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Capítulo 8

Modo de fluxo a cores

Descrição do Modo de Fluxo a Cores e Modo Triplex.

Voluson® i Manual básico do usuário 8-1


H48671HH Revisão 4
Modo de fluxo a cores

8. Modo CFM (Modo de Fluxo a Cores)

O Modo de Fluxo de Cores é um Modo Doppler destinado a adicionar informações


qualitativas codificadas por cores referentes à velocidade relativa e direção de movimento
de fluido dentro da imagem em Modo B. Esta informação é então utilizada para revestir
uma imagem colorida na imagem de escala de cinza 2D.
A imagiologia a cores ajuda a identificar distúrbios do fluxo sangüíneo. A imagiologia a
cores também ajuda a identificar o volume da amostra para a análise espectral do
doppler de onda pulsada.
O doppler de onda pulsada fornece a informação mais precisa sobre a velocidade máxima
quando o eixo do feixe do transdutor e o eixo do fluxo estiverem quase paralelos. A relação
entre a precisão e o ângulo também existe para a cor mas não é tão crítica como no
doppler de onda pulsada. Pode-se ainda detectar um fluxo anormal e tirar-se conclusões
com o fluxo colorido derivado em uma situação próxima a perpendicular. Já que a cor não
está especificamente projetada para detectar a velocidade absoluta, ela não está limitada
por prováveis considerações angulares como o doppler de onda pulsada. A visualização
no Modo a Cores incorpora o seguinte, com o visor 2D: uma escala de cor com uma linha
de base colorida, valores limites Nyquist, um Filtro de Movimento da Parede, uma escala
de cinzentos com um marcador de equilíbrio de gravação da repetição da cor e
observações das configurações de controle do Fluxo Colorido 2D.
O modo CFM está subdividido em dois grupos. Nesses grupos você verá como usar o CFM
e como ajustar as configurações do CFM.
Para usar o modo CFM veja:Menu Main CFMVeja CFM Main Menu na página 8-2 para mais
informações.)
Para utilizar a análise de utilitários especial, ver: Utilitários Veja Utilities (Utilitários) na
página 11-2 para mais informações. e Mapa Cromático de cinzentos Veja Mapa cromático
de cinzentos na página 11-3 para mais informações.

8.1 CFM Main Menu


Tecla do Modo C (tecla de hardware)
Ao pressionar [C] ativa-se o modo CFM; a caixa CFM aparece na imagem ativa 2D.
Para utilizar o modo CFM, ver: Operação CFM Veja Operação CFM na página 8-3 para
mais informações.)
O menu CFM Main (principal CFM) aparece na tela (modo de escrita).
Observações:
A alteração da qualidade, freqüência, filtro de movimento de parede, PRF,
amplificação, inversão e 2D+2D/C só é possível no modo de escrita.
A direção do feixe apenas é possível com sondas lineares e no modo de escrita.

8-2 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo CFM (Modo de Fluxo a Cores)

8.2 Operação CFM


A operação CFM é composta por:
Posição da caixa CFM e tamanho da caixa CFM Veja Posição da caixa CFM e tamanho da
caixa CFM na página 8-3 para mais informações.
Controle de ganho CFM Veja Controle de ganho CFM na página 8-4 para mais
informações.
Qualidade Veja Qualidade na página 8-4 para mais informações.
WMF Veja Filtro de movimento de parede (WMF) na página 6-13 para mais informações.
PRF (Faixa de Velocidade) PRF (Taxa de Velocidade) na página 8-5
FreqüênciaVeja Freqüência na página 8-5 para mais informações.
InversãoVeja Inversão na página 8-6 para mais informações.
2D + 2D/CVeja 2D + 2D/C na página 8-6 para mais informações.
LimiarVeja Limiar na página 8-6 para mais informações.

8.2.1 Posição da caixa CFM e tamanho da caixa CFM

Na imagiologia 2D, o relacionamento entre a freqüência de imagem 2D, a densidade da


linha e o campo de visão são fatores bem conhecidos a serem considerados para obter
imagens 2D ótimas. Existem relacionamentos semelhantes na imagiologia a cores. No
sub-menu CFM a seleção da densidade da linha ajusta o equilíbrio entre da densidade da
linha 2D e a densidade da linha do modo a cores. Os valores disponíveis estão
dependentes da cabeça do aparelho.
A capacidade para mudar o tamanho e a posição da caixa CFM proporciona flexibilidade
na imagiologia CFM. O trackball altera o tamanho e a posição da caixa CFM.
Ajuste a posição da caixa CFM na imagem 2D com o trackball (no modo único, duplo ou
quádruplo).

Posição horizontal da caixa CFM


posição vertical da caixa CFM
A caixa é regulável dentro de toda a área da imagem 2D.

Pressione a tecla superior do trackball para mudar de posição de caixa CFM para
tamanho de caixa CFM.
Pressionando-a mais uma vez ela retornará à mudança de posição.

diminui o tamanho da caixa CFM vertical


aumenta o tamanho da caixa CFM vertical
aumenta o tamanho da caixa CFM horizontal
diminui o tamanho da caixa CFM horizontal

Voluson® i Manual básico do usuário 8-3


H48671HH Revisão 4
Modo de fluxo a cores

8.2.2 Controle de ganho CFM

A amplificação do CFM deve ser devidamente regulada para assegurar uma visualização
de fluxo contínuo, onde for apropriado. A amplificação do CFM deve ser definida para o
maior valor possível sem exibir ruído de cor aleatório. Se definir o controle de amplificação
CFM para valores muito baixos, a falta de sensibilidade tornará difícil detectar pequenas
anomalias no fluxo e irá, possivelmente, resultar na subestimação das grandes
perturbações do fluxo.
[Modo Ativo] tecla
Quando o controle de amplificação é girado no sentido horário, a cor fica mais intensa.
Quando o controle de amplificação é girado no sentido anti-horário, a cor fica menos
intensa.

8.2.3 Qualidade

Este controle melhora a resolução da cor reduzindo a freqüência de imagem,


alternativamente reduz a resolução da cor aumentando a freqüência de imagem.

Controle de Qualidade (Menu Control) Há três passos para o Controle de Qualidade:


alto: resolução de cor mais alta / freqüência de imagem mais baixa
norm: resolução de cor normal / freqüência de imagem média
baixo: resolução de cor mais baixa / freqüência de imagem mais alta
Observações:
O estado da qualidade atual é exibido na área de estado e na tela [Qual ...]

8.2.4 WMF

O controle WMF é usado para mudar o filtro de movimento de parede.


As configurações são: low1 , low2 (baixas), mid1, mid2 (médias), high1, high2 (altas) e max.

Use o controle do Menu [WMF] para ajustar o Filtro de movimento de parede. Pressione
para cima para aumentar o filtro. Pressione para baixo para diminuir o filtro.

8-4 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo CFM (Modo de Fluxo a Cores)

Observações:
O Wall Motion Filter (Filtro de movimento da parede) é selecionável pelo usuário, mas
as freqüências de corte reais variam em função da configuração do controle PRF.
O filtro WMF adequado é automaticamente calculado e ajustado assim que a PRF é
alterada.

8.2.5 PRF (Taxa de Velocidade)

A faixa de velocidades no visor é regulada pela freqüência de repetição das pulsações


(PRF). Ao aumentar a PRF a faixa de velocidades aumenta. À medida que a escala do visor
aumenta, a informação de deslocação do doppler máxima que pode ser apresentada sem
distorção aumenta também. A distorção acontece quando a velocidade sangüínea
excede a velocidade máxima mensurável, fazendo com que o fluxo apresentado dentro do
vaso mostre o fluxo na direção errada. A desvantagem em se utilizar a PRF está na perda
da sensibilidade para a redução das velocidades de fluxo.

Utilize o controle de Menu [PRF] para ajustar a gama de velocidades. Para aumentar a PRF,
selecione-a para cima. Para diminuir a PRF, selecione-a para baixo.
Se uma PRF não estiver disponível para a profundidade selecionada, a PRF será
automaticamente reduzida.
A alteração da unidade de visualização da PRF de kHz para m/s ou cm/s deve ser efetuada
noSub-Menu CFMVeja PRF (Taxa de Velocidade) na página 8-5 para mais informações..
Observações:
A freqüência de amostragem atual é apresentada na tela [PRF ...]

8.2.6 Freqüência

A configuração de freqüência controla a Freqüência de transmissão. É comum trabalhar


com a freqüência de transmissão que é a freqüência central (Mid) do cristal de ultra-som.
Com uma freqüência de transmissão mais alta (High) velocidades mais baixas de fluxo são
exibidas em um determinado PRF (vantagem: melhor exibição de velocidades mais baixas
de fluxo), mas a profundidade de penetração fica reduzida. Com uma freqüência de
transmissão mais baixa (Low) a velocidade do serrilhado aumenta em um determinado
PRF (vantagem: exibição de velocidades mais altas de fluxo), com maior sensibilidade de
fluxo com a profundidade.

Acione a tecla [Frequency] para abrir o sub-menu e selecionar a freqüência de


transmissão adequada.
baixa: A freqüência de transmissão é mais baixa do que a freqüência central do cristal.
média: A freqüência de transmissão é a freqüência central do cristal. alta: A freqüência de
transmissão é mais alta do que a freqüência central do cristal.
Informações sobre freqüências, ver: Sondas e biópsia / Especificações Veja
Configurações na página 18-11 para mais informações..

Voluson® i Manual básico do usuário 8-5


H48671HH Revisão 4
Modo de fluxo a cores

8.2.7 Inversão

Esta função inverte a visualização da cor em relação à direção do fluxo. A cor da cunha de
cor inverte-se em torno da linha de base.

tecla
Fluxo para o transdutor VERMELHO. Fluxo no
apaga Normal:
sentido oposto ao do transdutor AZUL.
da:

tecla
Invertid Fluxo para o transdutor AZUL. Fluxo para o
ilumina
o: transdutor AZUL.
da:

8.2.8 2D + 2D/C

A função 2D+2 D/C altera a visualização de imagem única para duas semi-imagens em
simultâneo. A imagem esquerda mostra apenas a imagem em modo 2D. A imagem direita
mostra a imagem em modo 2D também com informações em cores.

Ligue/desligue esse modo selecionando o item [2D+2D/C].

8.2.9 Limiar

Após [Freeze] (Congelar) pode-se ajustar o limiar de cor. Essa função elimina pequenos
ruídos de cor ou sinais de movimento na imagem colorida ou, alternativamente, pode ser
vista de forma semelhante ao controle de ganho no modo escrever.

Para alterar valor utilize o trackball:


Um número pequeno corta menos sinais do que um número elevado.

8-6 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo CFM (Modo de Fluxo a Cores)

8.3 Sub Menu CFM


O menu "CFM Main" (principal CFM) deve ser ativado.

Selecione o item [Sub-menu].

NOTE: As alterações só são possíveis no modo de escrita!


NOTE: As alterações no mapa cromático de cinzentos, modo de visualização, escala, mapa CFM e
linha de base são também possíveis no modo de leitura.
Estão disponíveis as seguintes funções:
Modos de visualização Veja Modos de visualização na página 8-8 para mais informações.
Escala Veja Render View Direction (Apresentação direção de visualização) na
página 10-34 para mais informações.
Filtro de linhaVeja Filtro de linha na página 8-11 para mais informações.
Coloração suaveVeja Coloração suave na página 8-11 para mais informações.
Supressão de artefatos Veja Supressão de artefatos na página 8-12 para mais
informações.
Linha de base Veja Linha de Base na página 8-12 para mais informações.
Conjunto Veja Conjunto na página 8-12 para mais informações.
Densidade da linha Veja Densidade da linha na página 8-13 para mais informações.

Voluson® i Manual básico do usuário 8-7


H48671HH Revisão 4
Modo de fluxo a cores

Mapa CFM Veja Mapa CFM na página 8-13 para mais informações.
Equilíbrio Veja Equilíbrio na página 8-13 para mais informações.
Resolução de fluxo Veja Resolução do fluxo na página 8-14 para mais informações.
Alisamento Veja Alisamento na página 8-14 para mais informações.

8.3.1 Modos de visualização

Os seguintes modos de exibição de cores podem ser selecionados: Velocidade,


Turbulência (também denominada Variação) e suas combinações Velocidade e
Turbulência, Velocidade e Força, Força e Turbulência.

A Velocidade mostra o ritmo e a direção do fluxo sangüíneo. A Turbulência mostra a


variação do fluxo sangüíneo (fluxos turbulentos).
Acione a tecla [Disp Mode] para abrir o sub-menu e selecionar o modo de exibição
desejado.
Exibição de velocidade(V)
Direção e velocidade são codificadas por cores numa escala de duas cores:
Fluxo em direção à sonda = VERMELHO
Fluxo na direção oposta a sonda = AZUL

fluxo baixo < ---- >fluxo alto

Fluxo de
vermelho escuro - alaranjado - alaranjado claro
Mapa 1 CFM avanço:

Fluxo Reverso: azul escuro azul claro - ciano

Fluxo de
vermelho-escuro laranja
Mapa 2 CFM avanço:

Fluxo Reverso: azul escuro - azul claro

Fluxo de
vermelho-escuro laranja
Mapa 3 CFM avanço:

Fluxo Reverso: azul-escuro verde

Fluxo de
vermelho-claro rosa
Mapa 4 CFM avanço:

Fluxo Reverso: azul-escuro violeta

Fluxo de
vermelho-escuro - laranja - amarelo
Mapa 5 CFM avanço:

Fluxo Reverso: azul-escuro - azul-claro - ciano

Fluxo de
vermelho-escuro - laranja - amarelo
Mapa 6 CFM avanço:

Fluxo Reverso: azul-escuro azul-claro - ciano

8-8 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo CFM (Modo de Fluxo a Cores)

Fluxo de
vermelho-escuro - vermelho-claro
Mapa 7 CFM avanço:

Fluxo Reverso: azul-escuro - azul

Fluxo de
vermelho-escuro - laranja - amarelo
Mapa 8 CFM avanço:

Fluxo Reverso: vermelho-escuro - laranja - amarelo

O fluxo baixo é identificado em vermelho escuro ou azul escuro (dependendo da direção).


Com aumento da velocidade, a cor muda de vermelho escuro para amarelo e de azul
escuro para branco respectivamente (dependendo da curva do mapa CFM selecionada).
Exibição de Turbulência (T)
A Turbulência está codificada em uma única cunha de cor:

verde-escuro verde-claro (muito


Menos turbulento: mais turbulento:
(pouco brilho) brilho)

Exibição de Velocidade e Turbulência (V-T)


Esse é o modo para fluxos baixos com turbulência (exibição de variação).

fluxo baixo < ---- >fluxo alto

Fluxo de
Mapa 1 CFM vermelho-escuro - vermelho-claro
avanço:

- Turbulência: laranja-escuro - laranja

Fluxo Reverso: azul escuro - azul claro

- Turbulência: verde-escuro - verde

Fluxo de
Mapa 2 CFM vermelho - laranja
avanço:

- Turbulência: amarelo-escuro - amarelo

Fluxo Reverso: azul - ciano

- Turbulência: verde - verde-claro

Fluxo de
Mapa 3 CFM vermelho-escuro - vermelho-claro - amarelo
avanço:

- Turbulência: vermelho-escuro - verde

Fluxo Reverso: azul-escuro - azul-claro - ciano

- Turbulência: azul-escuro verde-claro

Fluxo de
Mapa 4 CFM vermelho - vermelho-claro
avanço:

- Turbulência: amarelo - verde-claro

Fluxo Reverso: azul - ciano

- Turbulência: verde - verde-claro

Fluxo de
Mapa 5 CFM vermelho-escuro - amarelo
avanço:

- Turbulência: verde-escuro - verde

Voluson® i Manual básico do usuário 8-9


H48671HH Revisão 4
Modo de fluxo a cores

Fluxo Reverso: azul-escuro - ciano

- Turbulência: verde-escuro - verde-claro

Fluxo de
Mapa 6 CFM vermelho - amarelo
avanço:

- Turbulência: verde - verde-claro

Fluxo Reverso: azul - ciano

- Turbulência: verde-escuro - verde-claro

Fluxo de
Mapa 7 CFM vermelho-escuro - vermelho-claro
avanço:

- Turbulência: verde - verde-claro

Fluxo Reverso: violeta - violeta-claro

- Turbulência: verde - verde-claro

O fluxo baixo é identificado em vermelho escuro ou azul escuro (dependendo da direção).


Com aumento da velocidade, a cor muda de vermelho escuro para amarelo (dependendo
da curva do mapa CFM selecionada) ver: Mapa CFM Veja Mapa CFM na página 8-13 para
mais informações..
Exibição de Velocidade e Força (V - F)
Direção e velocidade são codificadas por cores numa escala de duas cores:

fluxo baixo < ---- >fluxo alto

Fluxo de
Mapa 1 CFM vermelho-escuro - vermelho-claro
avanço:

- Força: violeta - violeta-claro (rosa)

Fluxo Reverso: azul-escuro - azul

- Força: violeta ciclâmen

Fluxo de
Mapa 2 CFM vermelho-escuro - vermelho-claro - amarelo
avanço:

- Força: verde-escuro - verde-claro

Fluxo Reverso: azul-escuro - azul-claro - ciano

- Força: verde-escuro - verde-claro

Fluxo de
Mapa 3 CFM vermelho - amarelo
avanço:

- Força: verde - verde-claro

Fluxo Reverso: azul - ciano

- Força: verde - verde-claro

Fluxo de
Mapa 4 CFM vermelho-escuro - amarelo-claro
avanço:

- Força: violeta-escuro - violeta

Fluxo Reverso: azul-escuro - azul - ciano

- Força: violeta escuro - violeta

8-10 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo CFM (Modo de Fluxo a Cores)

A potência é a amplitude de ecos do doppler, exibida sob a forma de brilho na imagem.


Exibição de Força e Turbulência (F-T)
A cor está codificada em uma cunha de cor:

Força: - Turbulência:

Fluxo baixo: violeta-escuro -> verde-escuro

Fluxo alto: violeta claro -> verde-claro

8.3.2 Escala

As velocidades máximas são apresentadas acima e abaixo da escala de cor. (kHz, cm/s, m/
s)

kHz:Freqüência de mudança do doppler cm/s:velocidade do fluxo m/s:velocidade do fluxo

8.3.3 Filtro de linha

O valor de filtro lateral pode ser selecionado para fornecer um equilíbrio entre a resolução
lateral e o ruído na imagem.

Existem sete passos.


Para alterar valor utilize o trackball:

8.3.4 Coloração suave

Suave define a transição entre a informação de cor e de escala de cinzentos. Com a


coloração suave [Gently Color], a implementação da cor no modo 2D é efetuada de forma
suave com menos flash de cores. Conseqüentemente, os vasos coloridos têm uma borda
suave e uma aparência menos digital.

Ligue/desligue a coloração suave no sub-menu CFM.

Voluson® i Manual básico do usuário 8-11


H48671HH Revisão 4
Modo de fluxo a cores

8.3.5 Supressão de artefatos

Artefact suppression (Supressão de artefatos) reduz a exibição de artefatos de movimento


na imagem.
Para aplicação cardíaca, recomenda-se desligar a supressão de artefato.

Ligue/desligue a supressão de artefatos no sub-menu CFM.

8.3.6 Linha de Base

A mudança da linha de base CFM pode ser utilizada para prevenir distorção numa direção
de fluxo semelhante à mudança da linha de base do doppler PW. A mudança da linha de
base CFM aumenta a faixa de velocidades em uma direção. Altera-se também a linha zero
da barra de cores.

Há 8 passos em cada direção. No passo 8 observa-se apenas a cunha de cor numa


direção (velocidade máxima). A outra direção é 0 (kHz, cm/s, m/s).
Possível somente em Modo de Visualização V, V-T e V-F
O valor máximo e mínimo das velocidades dos fluxos são exibidos na borda superior e
inferior da cunha de cor.

8.3.7 Conjunto

Esta função controla o número de pulsações para uma linha de doppler a cores exibida.
Visto se analisarem várias pulsações para se visualizar um resultado, a qualidade da
visualização a cores aumenta com o número de pulsações avaliadas. Com o aumento do
conjunto CFM, a freqüência de imagem diminui.

Para aumentar ou diminuir, utilize os botões do trackball:


valor máx.: 31
valor mín.: 7
tamanho do passo: 1

8-12 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo CFM (Modo de Fluxo a Cores)

8.3.8 Densidade da linha

Esta função determina a densidade da linha dentro da caixa CFM. Quanto mais baixa a
densidade da linha, maior a distância entre linhas e o tamanho dos pixels de cores.

Para aumentar ou diminuir, utilize os botões do trackball:


valor máximo:10
valor mín.: 1
tamanho do passo: 1

8.3.9 Mapa CFM

Essa ação permite selecionar codificação em cores para visualização do fluxo sangüíneo
(semelhante às curvas pós-processamento com escala de cinzas 2D). É especialmente útil
com velocidades de fluxos lentos. Pode ser alterada em tempo real ou no modo imobilizar,
respectivamente.
As exibições da velocidade (Exibição V), da velocidade-turbulência (Exibição V-T) e da
velocidade-força (Exibição V-F) têm individualmente mapas de cores padrão disponíveis
para serem selecionados.
Seleção de uma curva do mapa CFM:

Para aumentar ou diminuir, utilize os botões do trackball:

8.3.10 Equilíbrio

O "Equilíbrio" controla a quantidade de cor exibida sobre ecos brilhantes e ajuda a


confinar a cor dentro das paredes dos vasos. O aumento desse equilíbrio exibe a cor em
estruturas mais brilhantes. Se houver cor nas paredes dos vasos é porque provavelmente
o equilíbrio foi definido para valores muito elevados. Ademais, as sombras de movimento
das paredes podem ser eliminadas com uma definição baixa do equilíbrio.

Para alterar valor utilize o trackball:

Voluson® i Manual básico do usuário 8-13


H48671HH Revisão 4
Modo de fluxo a cores

A linha de orientação do equilíbrio apenas é visível nos modos em cores. A linha


representa a posição do valor de cinzentos ajustado na escala de cinzentos.
No caso em que a linha de orientação do equilíbrio está em um passo cinzento, será
exibido o valor de cinzentos (apenas se existir um valor de cor, como é óbvio). Por exemplo,
se o valor de cinzas for superior a 96 enquanto um valor de cor estiver presente, será
exibido o valor de cinzas.

8.3.11 Resolução do fluxo

Esta função controla a resolução axial da cor no visor. Ajusta a profundidade da amostra
axial dos pixels de cores.
Com um valor mais alto, as amostras de cores na direção axial são menores.

Para aumentar ou diminuir, utilize os botões do trackball:


Ao rodar para a esquerda, a informação das cores é mais nítida (bordas com mais pixels).
Ao rodar para a esquerda, a informação das cores fica menos nítida (contornos mais
suaves).

8.3.12 Alisamento

Suavização [Smoothing performs] é um dispositivo temporário que melhora a aparência


das imagens coloridas. Diferentes valores de suavização podem ser selecionados para
aumento de velocidade e queda de velocidade.

Para aumentar ou diminuir utilize os botões do mouse trackball.

8-14 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo CFM (Modo de Fluxo a Cores)

O filtro do aumento da velocidade leva à eliminação de ruído. Para


utilizar com fluxos laminares pequenos. Evitar movimentos rápidos do
AUMENTAR: transdutor, pois o fluxo é "acumulado" lentamente. Quando se
visualizam pulsações, o filtro de aumento deve ser definido para um
valor baixo.

Este filtro leva ao prolongamento do fluxo visualizado. Para utilizar com


QUEDA: pulsações rápidas ("flashes de cor" curtos) para prolongá-las no sentido
de obter uma melhor avaliação no monitor.

8.3.13 Sair do sub-menu CFM

Pressione a tecla [Saída] no painel de controle para sair do sub-menu CFM.

8.4 CFM + 2D + Spectral Doppler (Triplex Mode)


O modo triplex é a visualização simultânea e em tempo real do modo 2D, doppler a cores e
doppler espectral.
Há uma possibilidade para combinar a informação do modo de fluxo a cores (CFM) com a
do doppler espectral:

Para iniciar o modo triplex, pressione o botão trackball [Simult].

Para iniciar o Dual Mode (modo dual) (somente 2D+PW), pressione o botão trackball
[Simult].

Voluson® i Manual básico do usuário 8-15


H48671HH Revisão 4
Modo de fluxo a cores

Esta página foi deixada intencionalmente em branco.

8-16 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Capítulo 9

Modo doppler de potência

Descreve o modo doppler de potência.

Voluson® i Manual básico do usuário 9-1


H48671HH Revisão 4
Modo doppler de potência

9. Modo PD (Modo doppler de potência)

Os diagnósticos sonográficos podem ser consideravelmente ampliados por sonografia de


doppler em cores. No entanto, a sonografia de doppler em cores apresenta imperfeições,
especialmente na exibição de velocidades de fluxos muito lentos - como a
neovascularização que se encontra em tumores malignos. O doppler de potência destina-
se a eliminar essa imperfeição exibindo as referidas velocidades de fluxos lentos. Em
casos ginecológicos e obstétricos, é possível ver claramente as vantagens na visualização
da circulação sangüínea da placenta. Em se tratando de um feto eutrófico, é possível ver o
fluxo sangüíneo em toda a extensão da placenta. No campo da radiologia é também
possível observar as vantagens com fluxos lentos (por exemplo, rim, fígado, próstata, etc.).
Vantagens em relação ao doppler em cores:
menos dependente do ângulo incidente
não tem distorção
menos dependente da direção
Descrição funcional:
O sistema de Imagens Power Doppler é uma técnica de mapeamento de fluxo de cores
utilizada para mapear a potência do sinal Doppler que vem do fluxo em vez da mudança
de freqüência do sinal. Ao usar esta técnica, o sistema de ultra-som mapeia o fluxo de
cores com base no número de refletores que estão se movendo, independentemente de
suas velocidades. O sistema de Imagens Doppler de potência não mapeia a velocidade;
portanto, não está sujeito a distorções.
A imagiologia por doppler de potência gera uma imagem em cores utilizando os princípios
do doppler. Essa imagem em cores é sobreposta na imagem em 2D. A imagem por doppler
de potência fornece informações sobre a energia (potência) do movimento das células
sangüíneas. As amplitudes do sinal do doppler em cores são avaliadas e exibidas com
códigos de cores especiais. Todas as funções determinadas por velocidade (linha de base,
escala, modo de visualização, etc.) não estão disponíveis na imagiologia de doppler de
potência.
O doppler de potência pode ser combinado com o doppler espectral. O doppler de
potência só é possível com transdutores eletrônicos.
O modo TD está subdividido em dois grupos. Nesses grupos você verá como usar o PD e
como ajustar as configurações do CFM.
Para utilizar o modo PD, ver:Menu principal PDVeja Menu principal PD na página 9-3 para
mais informações.) Para ajustar as configurações PD, ver:Sub-menu PD Veja Sub Menu PD
na página 9-7 para mais informações.)
Para utilizar a análise de utilitários especial, ver: Utilitários Veja Utilities (Utilitários) na
página 11-2 para mais informações. e Mapa cromático de cinzentos Veja Mapa cromático
de cinzentos na página 11-3 para mais informações..

9-2 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo PD (Modo doppler de potência)

9.1 Menu principal PD


Tecla do Modo CFM (tecla de hardware)
Pressionando o botão de controle [Power] o modo PD é acionado e a caixa PD aparece na
imagem 2D ativa.

Para usar o modo PD, ver: Operação PDVeja Operação PD na página 9-3 para mais
informações.) Para ajustar as configurações PD, ver: Sub-menu PDVeja Sub Menu PD na
página 9-7 para mais informações.
O menu PD Main (principal PD) aparece no painel de toque (modo de escrita).
Observações:
A alteração da amplificação, qualidade, freqüência, WMF, PRF e 2D+2D/PD só é
possível no modo de escrita!
A direção do feixe apenas é possível com sonda linear e no modo de escrita.

9.2 Operação PD
A operação PD é composta por:
Posição da caixa PD e tamanho da caixa PD Veja Posição de Caixa PD e Tamanho da
Caixa PD na página 9-3 para mais informações.
Controle de amplificação PD Veja Controle de ampliação PD na página 9-4 para mais
informações.
Qualidade Veja Qualidade na página 9-4 para mais informações.
FreqüênciaVeja Freqüência na página 9-5 para mais informações.
WMF Veja WMF na página 9-5 para mais informações.
PRF (Faixa de Velocidade) Veja PRF (Taxa de Velocidade) na página 9-6 para mais
informações.
2D + 2D/PDVeja 2D + 2D/PD na página 9-6 para mais informações.
LimiarVeja Limiar na página 9-6 para mais informações.

9.2.1 Posição de Caixa PD e Tamanho da Caixa PD

Na imagiologia 2D, as relações entre a freqüência da imagem 2D, a densidade da linha e a


largura do setor foram especificadas para mostrar como esses três fatores podem ser
utilizados para obter ótimas imagens 2D. Existe um relacionamento semelhante na
imagiologia de doppler de potência. No submenu PD, a seleção da densidade da linha
ajusta o equilíbrio entre a densidade da linha 2D e a densidade da linha PD. Os valores
disponíveis estão dependentes da cabeça do aparelho.
A capacidade para mudar o tamanho e a posição da caixa PD proporciona flexibilidade na
imagiologia de doppler de potência.

Voluson® i Manual básico do usuário 9-3


H48671HH Revisão 4
Modo doppler de potência

O trackball altera o tamanho e a posição da caixa PD.


Utilize o trackball para ajustar a posição da caixa PD na imagem 2D (única, dupla,
quádrupla).

Posição horizontal da caixa PD


Posição vertical da caixa PD
A caixa é regulável dentro de toda a área da imagem 2D.

Pressione a tecla superior do trackball para mudar de posição de caixa PD para tamanho
de caixa PD. Pressionando-a mais uma vez ela retornará à mudança de posição.

diminui o tamanho da caixa PD vertical


aumenta o tamanho da caixa PD vertical
o tamanho da caixa PD horizontal
diminui o tamanho da caixa PD horizontal

9.2.2 Controle de ampliação PD

A amplificação PD deve ser devidamente regulada para assegurar uma visualização de


fluxo contínuo, onde for apropriado. A amplificação PD deve ser definida para o valor mais
elevado possível sem exibir ruído de cor aleatório. Em caso de definição do controle de
amplificação PD para valores muito baixos, a falta de sensibilidade tornará difícil detectar
pequenas anomalias no fluxo e resultará na subestimação das grandes perturbações do
fluxo.
Tecla [Modo ativo]: Ao rodar ajusta a intensidade do sinal PD.
Quando o controle de amplificação é girado no sentido horário, a cor fica mais intensa.
Quando o controle de amplificação é girado no sentido anti-horário, a cor fica menos
intensa.

9.2.3 Qualidade

Este controle é utilizado para melhorar a resolução da cor reduzindo a freqüência de


imagem, ou para reduzir a resolução da cor aumentando a freqüência de imagem.

Há três passos para a qualidade da cor:

9-4 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo PD (Modo doppler de potência)

alto: resolução de cor mais alta / freqüência de imagem mais baixa


norm: resolução de cor normal / freqüência de imagem média
baixo: resolução de cor mais baixa / freqüência de imagem mais alta
Observação:O status da qualidade atual é exibido na área que exibe o status e na tela
[Qual ...].

9.2.4 Freqüência

A configuração de freqüência controla a Freqüência de transmissão. É comum trabalhar


com a freqüência de transmissão que é a freqüência central (Mid) do cristal de ultra-som.
Com uma freqüência de transmissão mais alta (High) velocidades mais baixas de fluxo são
exibidas em um determinado PRF (vantagem: melhor exibição de velocidades mais baixas
de fluxo), mas a profundidade de penetração fica reduzida. Com uma freqüência de
transmissão mais baixa (Low) a velocidade do serrilhado aumenta em um determinado
PRF (vantagem: exibição de velocidades mais altas de fluxo), com maior sensibilidade de
fluxo com a profundidade.

Acione a tecla [Frequency] para abrir o sub-menu e selecionar a freqüência central


desejada.
baixa: A freqüência de transmissão é mais baixa do que a freqüência central do cristal.
média: A freqüência de transmissão é a freqüência central do cristal.
alta: A freqüência de transmissão é mais alta do que a freqüência central do cristal.
Informações sobre freqüências, ver: Sondas e biópsia / Especificações Veja
Configurações na página 18-11 para mais informações..

9.2.5 WMF

Os filtros de movimentos das paredes são utilizados para eliminar o ruído do movimento
das paredes dos vasos, que é baixo em termos de velocidade, mas alto em intensidade.
Use um filtro de parede que seja alto o suficiente para remover artefatos de movimento,
porém sensível o suficiente para exibir fluxos de baixa velocidade em vasos pequenos. O
controle WMF é usado para mudar o filtro de movimento de parede.
As configurações são: low1 , low2 (baixas), mid1, mid2 (médias), high1, high2 (altas) e max.

Use o controle do Menu [WMF] para ajustar o Filtro de movimento de parede. Ao acioná-lo
para cima, há aumento do filtro; ao acioná-lo para baixo, diminuição.
Observações:
Os filtros de parede são selecionáveis pelo usuário, mas as freqüências de corte reais
variam em função da configuração do controle PRF.

Voluson® i Manual básico do usuário 9-5


H48671HH Revisão 4
Modo doppler de potência

9.2.6 PRF (Taxa de Velocidade)

A faixa de velocidade da visualização é regulada pela freqüência de repetição das


pulsações (PRF). O controle [PRF] altera a gama de visualização. O aumento da definição
da faixa de velocidade aumentará a PRF. À medida que a escala de visualização aumenta,
a informação de mudança do doppler máxima que pode ser apresentada sem distorção
aumenta também.

Acionar o controle do Menu para cima aumentará a PRF. Acioná-lo para baixo diminuirá a
PRF.
Dependendo da profundidade da caixa, a freqüência de amostragem máxima será
automaticamente reduzida. (Se a freqüência de amostragem não for adequada para a
profundidade selecionada.)
Observações:
A freqüência de amostragem atual é apresentada na tela [PRF ...].

9.2.7 2D + 2D/PD

A função [2D+2D/TD] altera a visualização de imagem única para duas semi-imagens


simultâneas. A imagem esquerda mostra apenas a imagem em modo 2D. A imagem
direita mostra a imagem em modo 2D também com informações em cores.

Ligue/desligue esse modo selecionando o item [2D+2D/PD].

9.2.8 Limiar

Após o modo [Freeze], imobilizar será possível ajustar o limiar de potência. Essa função
elimina pequenos ruídos de cor de sinais de artefatos de movimento na imagem em cores.

Para aumentar ou diminuir, utilize os botões do trackball:


Um número pequeno corta menos sinais do que um número elevado.

9-6 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo PD (Modo doppler de potência)

9.3 Sub Menu PD


O menu PD Main (Principal PD) tem que estar ativo.

Selecione o item [Sub-menu].

As funções do Sub-menu PD são exibidas tanto na área do menu como na área de status.
NOTE: As alterações só são possíveis no modo de escrita!
NOTE: Apenas alterações no mapa cromático de cinzentos e no mapa PD podem ser feitas no
modo de leitura.
Estão disponíveis as seguintes funções:
Filtro de linha Veja Filtro de linha na página 9-8 para mais informações.
Coloração suave Veja Coloração suave na página 9-8 para mais informações.
Supressão de artefatos Veja Supressão de artefatos na página 9-8 para mais
informações.
Conjunto Veja Conjunto na página 9-8 para mais informações.
Densidade da linha Veja Densidade da linha na página 9-9 para mais informações.
Mapa PD Veja Mapa-PD na página 9-9 para mais informações.
Equilíbrio Veja Equilíbrio na página 9-10 para mais informações.
Resolução de fluxo Veja Resolução do fluxo na página 9-10 para mais informações.
Alisamento Veja Alisamento na página 9-11 para mais informações.

Voluson® i Manual básico do usuário 9-7


H48671HH Revisão 4
Modo doppler de potência

9.3.1 Filtro de linha

Principalmente a resolução lateral pode ser otimizada com esse algoritmo de correlação
inovador. Com esse novo processo, os sinais das pulsações vizinhas são menos
ponderados para a visualização da pulsação real, o que melhora consideravelmente a
resolução detalhada e a relação sinal/ruído.

Para aumentar ou diminuir, utilize os botões do trackball:

9.3.2 Coloração suave

Suave define a transição entre a informação de cor e de escala de cinzentos. Com a


[Gently Color], coloração suave, a implementação da cor no modo B é efetuada de forma
suave com menos flash de cores. Conseqüentemente, os vasos coloridos têm uma borda
suave e uma aparência menos digital.

Ligue/desligue a função [Gently Color], coloração suave, no submenu PD.

9.3.3 Supressão de artefatos

Artefact suppression (Supressão de artefatos) reduz a exibição de artefatos de movimento


na imagem.
Para aplicação cardíaca, recomenda-se desligar a supressão de artefato.

Ligue/desligue a supressão de artefatos no Sub-menu PD.

9.3.4 Conjunto

Essa função controla o número de pulsações para uma linha de doppler de potência
exibida. Uma vez que existem várias pulsações a serem avaliadas para que se visualize
um resultado, a qualidade da visualização em cores aumenta com o número de pulsações
avaliadas. Com um conjunto PD crescente, a freqüência de imagem diminui.

Acione a tecla [Ensemble], conjunto, e selecione o número de pulsações por linha de cor.

9-8 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo PD (Modo doppler de potência)

Para aumentar ou diminuir, utilize os botões do trackball:


valor máx.: 31
valor mín.: 7
tamanho do passo: 1

9.3.5 Densidade da linha

Essa função determina a densidade da linha da caixa do doppler de potência. Quanto


menor for a densidade da linha, maior a distância entre linhas e o tamanho do pixel de cor.

Selecione a tecla [Line D.], linha D, e ajuste a densidade da linha. Selecione-a para cima ou
para baixo para aumentar ou diminuir a densidade da linha.
Para aumentar ou diminuir, utilize os botões do trackball:
valor máx.: 10 valor mín.: 1 tamanho do passo: 1

9.3.6 Mapa-PD

Essa função permite a seleção de codificação por cores para uma otimização da
visualização do fluxo sangüíneo (semelhante às curvas de pós-processamento com escala
de cinzas 2D). É especialmente útil com velocidades de fluxos lentos. Pode ser alterada em
tempo real ou no modo imobilizar, respectivamente.

Para aumentar ou diminuir, utilize os botões do trackball:


A potência é a amplitude de ecos do doppler, exibida sob a forma de brilho na imagem.
A cor está codificada em uma cunha de cor:

Mapa1 PD Mapa 2 PD Mapa 3 PD Mapa 4 PD

ciclâmen cinzento-verde marrom vermelho escuro

vermelho violeta vermelho vermelho

laranja cor-de-rosa laranja vermelho claro

amarelo amarelo claro amarelo amarelo

Mapa 5 PD Mapa 6 PD Mapa 7 PD Mapa 8 PD

ciclâmen violeta azul escuro cinza escuro

vermelho claro violeta claro azul claro cinza claro

laranja laranja ciano branco

amarelo claro amarelo

Voluson® i Manual básico do usuário 9-9


H48671HH Revisão 4
Modo doppler de potência

Eco forte: tonalidade mais clara (muito brilho) Eco fraco: tonalidade mais escura (pouco
brilho)

9.3.7 Equilíbrio

O controle "Balance" (equilíbrio) estabelece a quantidade de cor exibida sobre ecos


brilhantes e ajuda a confinar a cor dentro das paredes dos vasos. O aumento desse
equilíbrio exibe a cor em estruturas mais brilhantes. Se houver cor nas paredes dos vasos
é porque provavelmente o equilíbrio foi definido para valores muito elevados. Ademais, as
sombras de movimento das paredes podem ser eliminadas com uma definição baixa do
equilíbrio.

Para alterar valor utilize o trackball:

A linha de orientação do equilíbrio apenas é visível nos modos em cores. A linha


representa a posição do valor de cinzas visualizado e ajustado na cunha de cinzas.
No caso em que a linha de orientação do equilíbrio está em um passo cinzento, será
exibido o valor de cinzentos (apenas se existir um valor de cor, como é óbvio). Por exemplo,
se o valor de cinzas for superior a 96 enquanto um valor de cor estiver presente, será
exibido o valor de cinzas.

9.3.8 Resolução do fluxo

Esta função controla a resolução axial da cor no visor. Ajusta a profundidade da amostra
axial dos pixels de cores.
Com um valor mais alto, as amostras de cores na direção axial são menores.

Para aumentar ou diminuir, utilize os botões do trackball:


Quando o valor aumenta, as informações em cores são mais nítidas (contornos com mais
pixels). Quando o valor diminui, as informações em cores são menos nítidas (contornos
mais suaves).

9-10 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo PD (Modo doppler de potência)

9.3.9 Alisamento

Uma média temporal é determinada a partir de várias imagens em cores, para que
períodos de filtros diferentes possam ser selecionados para o aumento de velocidade e a
queda de velocidade.

Para aumentar ou diminuir, utilize os botões do trackball:

O filtro do aumento da velocidade leva à eliminação de ruído. Para


utilizar com fluxos laminares pequenos. Evitar movimentos rápidos
AUMENTAR: do transdutor, pois o fluxo é "acumulado" lentamente. Quando se
visualizam pulsações, o filtro de aumento deve ser definido para
um valor baixo.

Este filtro leva ao prolongamento do fluxo visualizado. Para utilizar


QUEDA: com pulsações rápidas ("flashes de cor" curtos) para prolongá-las
no sentido de obter uma melhor avaliação no monitor.

9.3.10 Sair do Submenu PD

Pressione a tecla [Exit] - saída no painel de controle para sair do sub-menu PD.

9.3.11 PD + 2D + Spectral Doppler (Triplex Mode)

O modo triplex é a visualização simultânea e em tempo real do modo 2D, do doppler de


potência e do doppler espectral.
PD + 2D Mode + PW Doppler (Doppler de onda pulsada)

Voluson® i Manual básico do usuário 9-11


H48671HH Revisão 4
Modo doppler de potência

9.4 Fluxo HD
Doppler de Potência Direcional (Fluxo HD) é um modo de Doppler de Potência que
incorpora a direção do fluxo (similar ao Doppler em Cores) na imagem exibida. O foco das
configurações para o Doppler de Potência Direcional é a resolução espacial alta e a
visibilidade baixa do artefato, permitindo que os vasos sejam vistos com menos
amplificação de luminosidade e em mais detalhes.
O modo de fluxo HD está disponível no modo 2D, modo M e cárdiofetal.
O modo TD está subdividido em dois grupos. Nesses grupos você verá como usar o HD-
Flow e como ajustar as configurações do CFM.

9.4.1 Menu principal do fluxo HD

Prima a tecla [CFM] para mudar para o modo Fluxo de cor.

Selecione o item do fluxo HD no menu


lateral.

NOTE: Assim que o fluxo HD tenha sido ativado, fica automaticametne ativo de cada vez que a
tecla [CFM] é premida.

9-12 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo PD (Modo doppler de potência)

O menu principal do fluxo HD surge na


barra do menu esquerda. Selecione o
programa desejado.

Mudança combinada visor do fluxo 2D e


HD. A activação deste botão muda para a
vista dupla, enquanto que a moldura
esquerda exibe a imagem no modo 2D
sem informação da cor e e moldura
direita a imagem do fluxo HD.

Selecione este item para chamar o


submenu do fluxo HD. Veja Submenu
fluxo HD na página 9-15 para mais
informações.

Ajuste a resolução da cor. Veja


Qualidade na página 9-4 para mais
informações.

Ajuste o filtro de movimento das paredes.


Veja WMF na página 9-5 para mais
informações.

Voluson® i Manual básico do usuário 9-13


H48671HH Revisão 4
Modo doppler de potência

Ajuste o nível de zoom. Veja Zoom de


leitura na página 5-15 para mais
informações.

Ajuste a frequência de repetição de


impulsos. Veja PRF (Taxa de Velocidade)
na página 9-6 para mais informações.

Ajuste o ângulo de orientação. Veja Orientação do feixe na página 5-9 para mais
informações.

A alteração da qualidade, WMF, PRF, orientação e 2D+2D/HD só é possível no modo de


varredura!
A caixa TD aparece na imagem 2D ativa.
A direção do feixe apenas é possível com transdutor linear e no modo de exame.

9.4.2 Operação do fluxo HD

9.4.2.1 Posição da Na imagiologia 2D, as relações entre a freqüência da imagem 2D, a densidade da linha e a
caixa do fluxo HD e largura do setor foram especificadas para mostrar como esses três fatores podem ser
tamanho da caixa utilizados para obter ótimas imagens 2D. Existe um relacionamento semelhante na
do fluxo HD imagiologia de doppler de potência. No submenu HD-Flow, a seleção da densidade da
linha ajusta o equilíbrio entre a densidade da linha 2D e a densidade da linha HD-Flow. Os
valores disponíveis estão dependentes da cabeça do aparelho.
A capacidade para mudar o tamanho e a posição da caixa HD-Flow proporciona
flexibilidade na imagiologia de doppler de potência. O trackball altera o tamanho e a
posição da caixa HD-Flow.
Utilize o trackball para ajustar a posição da caixa HD-Flow na imagem 2D (única, dupla,
quádrupla).

  Posição horizontal da caixa D-Flow


  Posição vertical da caixa D-Flow

A caixa é regulável dentro de toda a área da imagem 2D.

A tecla superior do trackball se alterna entre a posição da caixa HD-Flow e o tamanho da


caixa HD-Flow. Pressione a tecla superior do trackball para mudar de posição de caixa
HD-Flow para tamanho de caixa HD-Flow. Pressionando-a mais uma vez ela retornará à
mudança de posição.

9-14 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo PD (Modo doppler de potência)

diminui o tamanho da caixa HD-Flow vertical


aumenta o tamanho da caixa HD-Flow vertical

o tamanho da caixa HD-Flow horizontal


diminui o tamanho da caixa HD-Flow horizontal

9.4.2.2 Controle de A amplificação HD-Flow deve ser devidamente regulada para assegurar uma visualização
amplificação do de fluxo contínuo, onde for apropriado. A amplificação HD-Flow deve ser definida para o
fluxo HD valor mais elevado possível sem exibir ruído de cor aleatório. Em caso de definição do
controle de amplificação HD-Flow para valores muito baixos, a falta de sensibilidade
tornará difícil detectar pequenas anomalias no fluxo e resultará na subestimação das
grandes perturbações do fluxo.
Tecla [Active mode] : a rotação ajusta a intensidade do sinal do fluxo HD.
Quando o controle de amplificação é girado no sentido horário, a cor fica mais intensa.
Quando o controle de amplificação é girado no sentido anti-horário, a cor fica menos
intensa.
A alteração da amplificação só é possível no modo de varredura!

9.4.2.3 Inversão Esta função inverte a visualização da cor em relação à direção do fluxo. A cor da cunha de
cor inverte-se em torno da linha de base.

tecla não realçada: Normal:


tecla
Normal: Fluxo ao transdutor REDFlow
apagada:
distante do transdutor AZUL

tecla não realçada: Normal:


tecla
Invertido: Fluxo ao transdutor REDFlow
iluminada:
distante do transdutor AZUL

9.4.3 Submenu fluxo HD

O menu HD-Flow Main (principal PD) tem que estar ativo.

Voluson® i Manual básico do usuário 9-15


H48671HH Revisão 4
Modo doppler de potência

Selecione o item do submenu ou prima a tecla [S]. O submenu HD-Flow aparece.

Conjunto (capítulo Conjunto na


página 9-16)
Alisamento (capítulo Alisamento na
página 9-16)
Equilíbrio (capítulo Equilíbrio na
página 9-17)
Freqüência (capítulo Freqüência na
página 9-17)
Densidade da linha (capítulo Densidade
da linha na página 9-18)
Filtro da linha (capítulo Filtro de linha na
página 9-18)
Resolução do fluxo (capítulo Resolução do
fluxo na página 9-18)
Supressão de artefatos (capítulo
Supressão de artefatos na página 9-18)
Mapa HD (capítulo Mapa HD na
página 9-18)
Mapa de Cinzentos (capítulo Mapa
cromático de cinzentos na página 11-3)
Utilidades (capítulo Utilities (Utilitários) na
página 11-2)

NOTE: A maioria das alterações só são possíveis no modo de varredura. No modo de


congelamento só são possíveis alterações do mapa HD.
Estão disponíveis as seguintes funções:
9.4.3.1 Conjunto Essa função controla o número de pulsações para uma linha de doppler de potência
exibida. Uma vez que têm de ser avaliados vários impulsos para ser exibido um resultado,
a qualidade do visor a cores aumenta com o número de impulsos avaliados. Com um
conjunto PD crescente, a freqüência de imagem diminui.
Prima +/- no item do menu [conjunto] para selecionar o número de impulsos por linha de
cor.

Valor máx.: 31 Valor mín.: 7 Tamanho do passo: 1


9.4.3.2 Alisamento Suavização [Smoothing performs] é um dispositivo temporário que melhora a aparência
das imagens coloridas. Diferentes valores de suavização podem ser selecionados para
aumento de velocidade e queda de velocidade.
Prima +/- no item do menu [Sua.aumento] para selecionar o filtro de aumento.

AUMENTO: O filtro do aumento da velocidade leva à eliminação de ruído. Para utilizar com
fluxos laminares pequenos. Evitar movimentos rápidos do transdutor, pois o fluxo é
"acumulado" lentamente. Quando se visualizam pulsações, o filtro de aumento deve ser
definido para um valor baixo.

9-16 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo PD (Modo doppler de potência)

Prima +/- na tecla [Sua.redução] para selecionar o filtro de redução.

REDUÇÃO: Este filtro leva ao prolongamento do fluxo visualizado. A utilização com


pulsações rápidas ("flashes de cor" curtos) prolonga-as no sentido de obter uma melhor
avaliação no monitor.
9.4.3.3 Equilíbrio O controle "Balance" (equilíbrio) estabelece a quantidade de cor exibida sobre ecos
brilhantes e ajuda a confinar a cor dentro das paredes dos vasos. O aumento desse
equilíbrio exibe a cor em estruturas mais brilhantes. Se houver cor nas paredes dos vasos
é porque provavelmente o equilíbrio foi definido para valores muito elevados. Ademais, as
sombras de movimento das paredes podem ser eliminadas com uma definição baixa do
equilíbrio.
Selecione a gama de equilíbrio com o item do menu [Balance].

A linha de orientação do equilíbrio apenas é visível nos modos em cores. A linha


representa a posição do valor de cinzas visualizado e ajustado na cunha de cinzas.
No caso em que a linha de orientação do equilíbrio está em um passo cinzento, será
exibido o valor de cinzas (apenas se existir um valor de cor, como é óbvio). Por exemplo, se
o valor de cinzas for superior a 96 enquanto um valor de cor estiver presente, será exibido
o valor de cinzas.
9.4.3.4 Freqüência A configuração de freqüência controla a Freqüência de transmissão. É comum trabalhar
com a freqüência central [Frequ.Mid] do cristal de ultra-som. Com uma freqüência de
transmissão mais alta [Frequ.High], velocidades mais baixas de fluxo são exibidas em um
determinado PRF (vantagem: melhor exibição de velocidades mais baixas de fluxo), mas a
profundidade de penetração fica reduzida.. Com uma freqüência de transmissão mais
baixa [Frequ.Low] a velocidade de alisamento é conseguida num determinado PRF
(vantagem: exibição de velocidades de fluxo maiores), com menor sensibilidade e
profundidade de fluxo.
Selecione a frequência desejada do campo de queda no item de menu [Freqüencia].

Voluson® i Manual básico do usuário 9-17


H48671HH Revisão 4
Modo doppler de potência

Baixa: A freqüência de transmissão é mais baixa do que a freqüência central do cristal.


Média: A freqüência de transmissão é a freqüência central do cristal. Alta: A freqüência de
transmissão é mais alta do que a freqüência central do cristal.
Informações sobre freqüências, ver: Sondas e biópsia / Especificações Configurações na
página 18-11.
9.4.3.5 Densidade Esta função determina a densidade da linha dentro da caixa HD-Flow. Quanto menor for a
da linha densidade da linha, maior a distância entre linhas e o tamanho do pixel de cor.
Prima +/- no item do menu [Line Dens] para ajustar a densidade da linha.

valor máx.: 10 valor mín.: 1 tamanho do passo: 1


9.4.3.6 Filtro de O valor de filtro lateral pode ser selecionado para fornecer um equilíbrio entre a resolução
linha lateral e o ruído na imagem.
Existem oito passos.
Prima +/- no item do menu [Line Filter] e seleccione a filtragem.

9.4.3.7 Resolução do Esta função controla a resolução axial da cor no visor. Ajusta a profundidade da amostra
fluxo axial dos pixels de cores.
exemplos de alta cor na direção axial pequenos exemplos de cor inferior na direção axial
maiores
Prima +/- no item do menu [Flow Res] e selecione a resolução axial.

Existem quatro passos para resolução do fluxo.


9.4.3.8 Supressão de Supressão de artefatos [Artefact suppression] reduz a exibição de artefatos de movimento
artefatos na imagem. Para aplicação cardíaca é recomendado desligar a supressão de artefatos.

Ativar/desativar a supressão do artefato no Submenu HD-Flow.


9.4.3.9 Mapa HD Essa função permite a seleção de codificação por cores para uma otimização da
visualização do fluxo sangüíneo (semelhante às curvas de pós-processamento com escala
de cinzas 2D). É especialmente útil com velocidades de fluxos lentos. Pode ser alterada em
tempo real ou no modo congelar imagem, respectivamente.
A cor está codificada em uma cunha de cor:

Mapa1 HD Mapa 2 HD Mapa 3 HD Mapa 4 HD

amarelo claro branco branco branco


vermelho vermelho claro vermelho escuro vermelho escuro
azul escuro azul claro azul escuro azul escuro
azul claro branco branco branco

9-18 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Modo PD (Modo doppler de potência)

Mapa 5 HD Mapa 6 HD Mapa 7 HD Mapa 8 HD

ciano cor-de-rosa branco amarelo


azul escuro vermelho escuro cinza escuro vermelho escuro
azul escuro vermelho escuro cinza escuro vermelho escuro
ciano cor-de-rosa branco amarelo

Eco forte: tonalidade mais clara (muito brilho) Eco fraco: tonalidade mais escura (pouco
brilho)
Seleção de uma curva do Mapa HD-Flow:
Prima +/- no item do menu [HD Map] para selecciona a curva do mapa HD.

Voluson® i Manual básico do usuário 9-19


H48671HH Revisão 4
Modo doppler de potência

Esta página foi deixada intencionalmente em branco.

9-20 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Capítulo 10

Volume Mode (Modo volume)

Descreve o Modo Volume 3D/4D e suas caraterísticas.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-1


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10. Volume Mode (Modo volume)

10.1 Primeiros passos


Tecla do modo Volume (hardkey)
Ao premir a tecla [4D] liga a função do modo Volume e a caixa do volume surge na área da
imagem.
O menu 3D/4D Pre surge na tela (modo de escrita).

A caixa Volume aparece na área de imagem.


1. Caixa de volume X Y
2. Caixa de volume Z (ângulo de varredura)
Existem diferentes possibilidades de executar uma captação de volume 3D estática ou 4D
em tempo real. Ver Modos de captação na página 10-5 para uma lista de modos de
captação e a sua finalidade.

10.1.1 A caixa de apresentação

Para obter uma boa imagem tridimensional, os três seguintes elementos são muito
importantes (semelhante a uma fotografia):
a direção da visualização
a área/dimensão da visualização
visão desimpedida do objeto (modo superfície)
Esta tem de ser regulada com a caixa de apresentação. A caixa de apresentação
determina a dimensão do volume a apresentar. Deste modo, os objetos que não se
encontram dentro da caixa não serão incluídos no processo de apresentação e serão
cortados (é importante que o modo de superfície corte objetos, que interferem com uma
linha de visão desobstruída). O posicionamento da caixa dentro do volume examinado faz-
se com a ajuda dos planos secionais ortogonais A, B e C, secionando cada um dos quais a
caixa no meio.

10-2 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Analise o seguinte diagrama para compreender como a caixa de apresentação determina


a direção da visualização. São possíveis seis direções diferentes da caixa de apresentação.

Para selecionar a direção de visualização, veja: Render View Direction Render View
Direction (Apresentação direção de visualização) na página 10-34)

10.1.2 3D Controle de tela

Para girar e controlar as visualizações 3D/4D, ative o ponteiro do mouse e use os ícones de
controle de tela.

Ícone Controle da tela Significado

Gire em torno do eixo X quando em ref image A


Rotação X
(eixo respectivo em B, C, 3D).

Gire em torno do eixo Y quando em ref image A


Rotação Y
(eixo respectivo em B, C, 3D).

Gire em torno do eixo Z quando em ref image A


Rotação Z
(eixo respectivo em B, C, 3D).

Mudança
Mudar na direção Z
paralela

Início da
apresentação Mover início da apresentação curva
curva

Voluson® i Manual básico do usuário 10-3


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Ícone Controle da tela Significado

Mover Mover ao redor da imagem

Limites da caixa
Para redimensionar a caixa
de apresentação

Altera a imagem 3D apresentada de volta à


Home 3D
posição 3D inicial.

Comuta entre visualização 3D e visualização 3D


Home 3D plana
plana.

Em alternativa pode alterar a orientação da imagem através do Botão de Modo Ativo.

Prima o botão de modo Ativo para comutar entre Rotação X,


Rotação Y, Rotação Z e Mudança Paralela.

Rode a roda de modo Ativo de forma a executar a ação de


orientação da imagem anteriormente selecionada.

O Menu 3D/4D está ativo, e os marcadores de orientação são exibidos no modo 3D/4D.
NOTE: As marcas de Orientação aparecem no Eixo de Rotação no Plano A, B e C.
Elas mudam de acordo com a rotação dos cortes.

Os seguintes marcadores de orientação estão


A Anterior
disponíveis:

P Posterior

REDUZI
Esquerda
DO

SEJA Direita

10-4 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Cr Craniano

Ca Caudal

Também são possíveis combinações desses marcadores, como AL, PRCa, etc.
NOTE: As marcas de orientação são visíveis se forem apresentados cortes no T.U.I. (não em Render
Full-Screen [Tela completa]). Elas ficam visíveis contanto que não sejam desligadas,
pressionando-se a tecla [Off] no menu de orientação do transdutor.
Veja: Imagiologia Tomográfica de Ultra-sons T.U.I. (Cortes paralelos) Veja Imagiologia
tomográfica de ultra-som (TUI) na página 10-63 para mais informações.)

10.1.3 Início da Renderização Sono

Início da Renderização Sono não está disponível em todos os países.

Use Início da Renderização Sono para ajustar automaticamente a curva de renderização e


separar o tecido sólido na frente do objeto renderizado. O algoritmo busca a transição de
líquidos para tecido sólido. O tamanho da Caixa de Renderização transversal à direção de
renderização e a posição da Caixa de Renderização não serão alterados.
Pressione o botão Auto para calcular a curva de renderização. Os pré-requisitos a seguir
devem ser atendidos:
O modo de captação for leitura 3D ou leitura/gravação 4D (não possível no Vol. pre)
O modo de visualização é Render .
O modo de edição estiver Ligado
Se nenhuma área de início da renderização válida for encontrada, será exibida uma
mensagem de advertência. Reposicione a caixa de renderização e tente novamente.
Clique duas vezes para desfazer todas as alterações do Início da Renderização Sono.

10.2 Modos de captação

Veja 4D Real Time na página 10-6 para mais informações.


Veja 4D Biopsy (Biópsia 4D) na página 10-16 para mais informações.
Veja Imagiologia de contraste do volume (VCI plano A) na página 10-18 para mais
informações.
Veja Imagiologia de contraste de Volume (VCI Plano C) na página 10-20 para mais
informações.
Veja Captação de volume: estático 3D na página 10-22 para mais informações.
Veja STIC (correlação da imagem espaço-temporal) na página 10-25 para mais
informações.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-5


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.2.1 4D Real Time

O modo 4D Real Time é obtido através da captação contínua de volume e cálculo paralelo
das imagens apresentadas em 3D. No modo 4D Real Time a caixa de captação de volume
é ao mesmo tempo a caixa de apresentação. Todas as informações na caixa de volume
são utilizadas no processo de apresentação. Deste modo, o tamanho e a posição da caixa
volume são importantes para um bom resultado na apresentação. O tamanho de uma
imagem 3D calculada é definido automaticamente de modo que o conteúdo da caixa de
apresentação caiba na área do modo de visualização escolhido. Depois de congelar, o
tamanho da imagem 3D pode, caso se pretenda, ser regulado manualmente ou pode
reproduzir-se em 4D cine. Este algoritmo garante que, independentemente do tamanho
da caixa volume, toda a imagem 3D será sempre visualizada da forma correta.
Condição para 4D Real Time:
Uma sonda 4D Real Time está conectada e selecionada.
Opção do software "4D Real Time" está instalada.

Item do menu Descrição

Selecione o Acquisition Mode [4D Real Time]


da área de menu.

Selecione um Programa do usuário 4D (ex.,


Pré-configuração). Os valores predefinidos
são carregados.

Selecione entre o modo de operação Classic


r Smart.

NOTE: Dependendo do modo de visualização selecionado [4D Rendering] ou [Sect.Planes], serão


exibidos diferentes menus durante e após a captação 4D Real Time. Para mais pormenores
ver: Controles 4D na página 10-8)

Selecione o formato da tela desejado.

NOTE: O formato selecionado será apresentado no modo de leitura depois de captação 4D Real ser
executada. A tecla do formato de tela [Dual] só está disponível no modo de apresentação
4D Real Time!

10-6 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Coloque a caixa Volume sobre a região de interesse.

O trackball possui duas funções: posição e tamanho da caixa Volume.


A função ativada é exibida na área Status do trackball.

Pressione a tecla superior do trackball para alterar a função do mesmo de posição para
tamanho ou vice-versa.

Altere o tamanho da caixa Volume deslocando o trackball.


Deslocando:

 diminuir o tamanho da caixa no sentido vertical

 aumentar o tamanho da caixa no sentido vertical

 aumentar o tamanho da caixa no sentido horizontal

 diminuir o tamanho da caixa no sentido horizontal

Item do menu Descrição

Regule o ângulo de varredura do volume utilizando o


comutador apresentado na área de estado.

Selecione a qualidade com Quality. Esta função altera a


densidade de linhas relativamente à velocidade de
captação.

Fast speed / low scan density Este modo só é selecionado no caso de


baixa: artefatos de movimento previstos. Resultará numa perda de resolução do
volume

média 2: Exame de VOL padrão/densidade média de exame

max: Velocidade baixa/ densidade elevada de exame

Voluson® i Manual básico do usuário 10-7


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Para iniciar a captação 4D, prima a tecla [Freeze], respetivamente a tecla direita do
mouse trackball (Iniciar-> exibido na área de estado do mouse trackball).

A captação do volume começa e as imagens adquiridas e funções correspondentes são


exibidas no monitor

Pressione a tecla [Freeze] novamente para interromper a captação. ver: After the 4D Real
Time Acquisition Após a captação 4D Real Time na página 10-13)
10.2.1.1 Controles
4D

Prima a tecla esquerda do mouse trackball para selecionar uma imagem de referência.
Selecionar uma imagem de referência determina automaticamente as funções de
controle dos controles rotativos e o mouse trackball para o ajuste liberal do plano
seccional. A que foi escolhida como referência está marcada em amarelo. O plano da
imagem está realçado com uma caixa.

Pressione a tecla superior do trackball para alterar a função do mesmo de posição para
tamanho ou vice-versa.

Para voltar ao menu 4D Pre , pressione o botão direito do trackball (Volpre exibido na
área Status do trackball).

Mova o mouse trackball para alterar a posição ou o tamanho da imagem da caixa de


volume. A função ativada é exibida na área Status do trackball.

10-8 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Item do menu Descrição

Para acionar o programa do usuário após o


início da captação, clique no item do menu
Set Rendering (definir apresentação) ou
prima a tecla U.

Reset the render curve to its default


position Este item retorna a curva de
apresentação inicial para sua posição
default (start) position. O ajuste da curva só
é possível na vista Dual ou Quad.

Ajuste o brilho e o contraste da imagem 3D.

Misturar os dois modos de apresentação. A


mistura pode ser efetuada em etapas de
10% de 0% a 100% utilizando este controle
do Menu. A razão de mistura é exibida em %.
Este contole só está disponível no submenu
Definir apresentação.
Por exemplo:
Produzir uma superfície mais lisa
misturando os modos de alisamento de
superfície e de luz.
Set the Threshold (Rejeitar). Normalmente,
este limiar tem de ser sempre ajustado para
uma boa aparência da imagem de
superfície 3D.
Ao alterar o limiar, todos os ecos abaixo do
nível são reforçados a rosa durante um
certo tempo.
Aplicação:
Com esta função, os pequenos ecos ou
ruídos são eliminados, para obter uma
"visão clara" a partir da margem de início da
caixa de apresentação até a superfície
pretendida.

Set the Zoom control As imagens seccionais


(A, B e C) e a imagem 3D serão ampliadas a
partir do centro de rotação. Se Edit ROI
( Modo 4D ROI (Edit ROI) na página 10-13)
estiver ativo só são ampliados os contéudos
da caixa ROI.

Prima a tecla HI para voltar para a


Imagiologia harmônica. Consulte
Imagiologia harmônica (HI) na página 5-9
para obter mais informações.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-9


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Item do menu Descrição

Select Image Orientation of 4D Real Time


image Com estas teclas a orientação da
imagem 3D pode ser alterada. A orientação
da imagem dos planos seccionais não se
altera.
Observação:
A orientação da imagem 3D pode ser
alterada em modo leitura ou escrita.

Change the Penetration depth Selecionar a


profundidade de penetração da imagem 2D.

10.2.1.2 Exibição dos Varredura contínua de volume. Visualização de planos seccionais com imagem 3D
planos seccionais
A unidade visualiza continuamente os planos seccionais durante a captação de volume
em Tempo real 4D.

Para utilizar os controles durante a captação em Tempo real 4D, ver: 4D Controls Controles
4D na página 10-8)
10.2.1.3 Exibição da Varredura contínua de volume. Visualização completa de plano seccional de referência
imagem de referên- sem imagem 3D
cia

10-10 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

A unidade visualiza continuamente apenas o plano de imagem REF durante a captação


em Tempo real 4D.

Para utilizar os controles durante a captação em Tempo real 4D, ver: 4D Controls
Controles 4D na página 10-8 Controles 4D na página 10-8 Controles 4D na
página 10-8 Controles 4D na página 10-8)
10.2.1.4 Exibição de Varredura contínua de volume (Tempo real 4D) Visualização com um quarto do tamanho
uma ROI 4D de uma imagem apresentada em 3D + planos seccionais
A unidade visualiza continuamente a ROI e a imagem 4D durante a captação de volume
em Tempo real 4D.

Para utilizar os controles durante a captação em Tempo real 4D, ver: 4D Controls )

Voluson® i Manual básico do usuário 10-11


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.2.1.5 Exibição de Varredura contínua de volume (Tempo real 4D) Visualização com um quarto do tamanho
4D de uma imagem apresentada em 3D
A unidade visualiza continuamente apenas a imagem 4D durante a captação de volume
em Tempo real 4D.

Para utilizar os controles durante a captação em Tempo real 4D, ver: 4D Controls )
10.2.1.6 Exibição de Varredura contínua de volume (Tempo real 4D) Visualização dual de uma imagem
A-ROI 4D apresentada em 3D + Imagem de referência A.
A unidade visualiza continuamente a REF e a imagem 4D durante a captação de volume
em Tempo real 4D.

Para utilizar os controles durante a captação em Tempo real 4D, ver: 4D Controls )

10-12 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.2.1.7 Modo 4D Este é o modo para ajuste da caixa de apresentação de volume. A caixa de apresentação
ROI (Edit ROI) de volume determina a ROI para o cálculo 4D que é inserido nos planos ortogonais A, B, C.
O resultado da apresentação é visualizado no quadrante inferior direito.

A tecla [Edit ROI] (Editar ROI) está no menu "Real Time 4D", "ROI 4D", "A-ROI 4D".
Os ajustes de Content (Conteúdo), Size (Tamanho) e Curvature (Curvatura) da caixa de
apresentação são os mesmos que no menu 3D.
Ver: A caixa de apresentação na página 10-2).

10.2.1.8 Aceitar
Modo ROI

A tecla [Edit ROI] (Editar ROI) está no menu "Real Time 4D", "ROI 4D", "A-ROI 4D".
Os ajustes são os mesmos que os do menu 3D.
Ver: Aceitar Modo ROI na página 10-13)
10.2.1.9 Após a Depois de [Freeze] o sistema comuta automaticamente para o modo leitura e aparece o
captação 4D Real menu 4D Cine . O formato selecionado estará presente no monitor.
Time

Auto Cine Start/Stop

Pressione a tecla [Start] do mouse trackball para ativar o 4D Cine. Ao premir a tecla
esquerda do mouse trackball, as últimas 64 imagens de uma seqüência 4D Real Time
será exibida, imagem a imagem, com o mouse trackball.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-13


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Para voltar ao menu 4D Pre , pressione o botão direito do trackball (Volpre exibido na
área Status do trackball).

Item do menu Descrição

Loop Mode Direction


Analise nas duas direções através do bloco de
imagens: Primeira imagem...última imagem,
última imagem...primeira imagem, etc. Analise
em uma direção através do bloco de imagem:
Primeira imagem...última imagem, primeira
imagem...última image, etc.

Cine Speed
A velocidade de seqüência através do número
de imagens pode variar entre: 6%, 12%, 25%,
50%, 100%, 200% e 400%.

Clique no item do menu ou prima a tecla S


para iniciar o cine loop. Use o mouse trackball
para navegar através da seqüência de
imagens e prima qualquer tecla do mouse
trackball para estabelecer o ponto inicial.

Clique neste submenu ou prima a tecla E para


estabelecer o final do cine loop. Use o mouse
trackball para navegar através da seqüência
de imagem e prima qualquer tecla do mouse
trackball para estabelecer o ponto final.

10.2.1.10 Captação Não é possível mudar para 4D


4D em tempo real
enquanto o zoom de
alta resolução está
ativo
Enquanto se encontra no modo 2D, prima a tecla [Zoom].
Coloque a caixa de zoom sobre a região de interesse.

O trackball possui duas funções: regular a posição e o tamanho da caixa de zoom.


A função ativada é exibida na área Status do trackball.

10-14 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Pressione a tecla superior do trackball para alterar a função do mesmo de posição para
tamanho ou vice-versa.

3.Altere o tamanho da caixa de zoom deslocando o trackball.


Deslocando:

 diminuir o tamanho da caixa no sentido vertical

 aumentar o tamanho da caixa no sentido vertical

 aumentar o tamanho da caixa no sentido horizontal

 diminuir o tamanho da caixa no sentido horizontal

4.Pressione a tecla [Zoom] para ativar a função Zoom de Alta Resolução. Em alternativa,
pressione a tecla direita do trackball.
Aparece a janela panorâmica:
Para reajustar as configurações da janela panorâmica,
veja Configurações do Usuário Configurações do usuário na página 16-8

5.Pressione a tecla [4D] para ativar o modo Volume.

6.Selecione o Modo de Visualização pretendido.


Operação: Real Time 4D Acquisition 4D Real Time na página 10-6)
Observações:
A função Real Time 4D Acquisition não é possível em modo PD e CFM.
A janela imagem panorâmica é ocultada quando o modo 3D/4D é ativado. Ela é
exibida novamente se o modo 3D/4D for novamente desativado.

Pressione a tecla [Zoom] novamente para sair da função Zoom de alta resolução.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-15


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.2.2 4D Biopsy (Biópsia 4D)

NOTE: A biópsia 4D é opcional. Contate o seu representante de vendas local para mais
informações.

Antes de efectuar uma biópsia 4D, se certifique que a linha de biópsia exibida
coincide com o percurso da agulha. (pegue uma tigela cheia de água a
aproximadamente 47°C!)
As linhas da biópsia têm de ser programadas uma vez pelo pessoal de assistência ou
pelo usuário. O procedimento deve ser repetido se as sondas e/ou os guias de
biópsia forem trocados.
Leia as instruções para o uso seguro em Questões especiais relativas à biópsia
Questões especiais relativas à biópsia na página 18-24.

NOTE: A linha da biópsia tem de ser programada! Caso contrário, não é possível ativar a tecla [4D
Biopsy]. Ver: Programar Linha de biópsia de ângulo único na página 17-25
Para programar uma Linha de Biópsia de Ângulo Múltiplo Programar Linha de biópsia de
ângulo múltiplo na página 17-27
10.2.2.1 Iniciar a
captação
Item do menu Descrição

Selecione o modo de captação [4D Biopsy] a


partir da área do menu.

Selecione o programa do usuário 4D (p.ex.


Default). Os valores predefinidos são
carregados.

Selecione o modo de biópsia desejado


Guias: 2D image + biopsy line + volume box
aparecem no ecrã.
Freehand:2D image + caixa volume
aparecem no ecrã. (sem biopsy line)

Coloque a caixa Volume sobre a região de interesse.

O trackball possui duas funções: posição e tamanho da caixa Volume. A função ativada é
exibida na área Status do trackball.

Pressione a tecla superior do trackball para alterar a função do mesmo de posição para
tamanho ou vice-versa.

Altere o tamanho da caixa Volume deslocando o trackball.


Deslocando:

10-16 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

 diminuir o tamanho da caixa no sentido vertical


 aumentar o tamanho da caixa no sentido vertical
 aumentar o tamanho da caixa no sentido horizontal
 diminuir o tamanho da caixa no sentido horizontal

Item do menu Descrição

Defina o ângulo de volume mediante os botões do


menu.

Selecione a qualidade com Quality. Esta função


altera a densidade de linhas relativamente à
velocidade de captação.

Fast speed / low scan density (Velocidade baixa / exame


de baixa densidade) Este modo só será selecionado no
baixa:
caso de artefatos de movimento previstos. Resultará
numa perda de resolução do volume

média 1 nível intermédio

média 2: Exame de VOL padrão/densidade média de exame

alto 1 nível intermédio

alto 2 nível intermédio

max: Velocidade baixa/ densidade elevada de exame

Para iniciar a captação 4D pressione a tecla [Freeze], respetivamente a tecla direita do


mouse trackball (Iniciar -> exibida na área de status do mouse trackball).

Inicia-se a captação de volume e visualizam-se as imagens captadas bem como as


funções correspondentes no monitor

10.2.2.2 Durante a Selecionar 3D Orientation (Mirror View)


biópsia 4D

Com esta função é possível alterar a direção da vista de apresentação (linha verde) para
o lado oposto. Ligue/desligue a função Mirror View (Visão espelhada).

Voluson® i Manual básico do usuário 10-17


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

NOTE: Para outros controles e possíveis ajustes, veja 4D Controls Controles 4D na página 10-8).
10.2.2.3 Terminar a Prima o botão Freeze para terminar a captação da biópsia 4D.
biópsia 4D
10.2.2.4 Depois da Depois de terminar a captação o sistema comuta automaticamente para o modo leitura
biópsia 4D e aparece o menu 4D Cine . O formato selecionado estará presente no monitor.
NOTE: Para as possíveis funções, ver Após as captações Real Time 4D Após a captação 4D Real
Time na página 10-13).

10.2.3 Imagiologia de contraste do volume (VCI plano A)

NOTE: A função Volume Contrast Imaging é uma opção. Se essa opção não estiver instalada, a
tecla VCI C-Plane (VCI Plano C) permanecerá ocultada.
Ao definir um ângulo de varredura pequeno, pode examinar um número limitado de cortes
com uma taxa relativamente alta de volume. A caixa de apresentação é muito pequena,
pelo que pode visualizar a informação de tecido de um corte espesso.Utiliza-se uma
mistura dos modos de apresentação de transparência máxima e textura de superfície (30/
70) e uma definição baixa para a transparência de superfície (20-50).A imagem resultante
mostra o valor cinzento (integrado) médio do tecido contido na caixa estreita .A
Imagiologia de Contraste de Volume [VCI] melhora a resolução do contraste e a relação
sinal/ruído, facilitando assim a descoberta de lesões difusas nos órgãos.O resultado é uma
imagem sem padrão de ruído e um contraste de tecido muito melhorado.

Item do menu Descrição

Selecione a tecla [VCI A-Plane] (VCI Plano A).

Selecione uma definição do utilizador VCI-A (ex.,


Pré-configuração). Os valores predefinidos são
carregados.

Selecione a Slice Thickness (Espessura do


corte) ao tocar em uma das teclas do painel de
toque.

Selecione o formato desejado da tela.

NOTE: O formato selecionado estará presente no modo leitura e escrita!


Coloque a caixa Volume sobre a região de interesse.

O rato de bola possui duas funções: posição e tamanho da caixa Volume.A função
ativada é visualizada na área da barra de estado no monitor.

10-18 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Pressione a tecla superior do trackball para alterar a função do mesmo de posição para
tamanho ou vice-versa.

Altere o tamanho da caixa Volume deslocando o trackball.


Deslocando:
 diminuir o tamanho da caixa no sentido vertical
 aumentar o tamanho da caixa no sentido vertical
 aumentar o tamanho da caixa no sentido horizontal
 diminuir o tamanho da caixa no sentido horizontal

Item do menu Descrição

Selecione a qualidade com Quality. Esta função


altera a densidade de linhas relativamente à
velocidade de captação.

Para iniciar a captação VCI-A, pressione a tecla [Freeze] (Congelar), ou a tecla direita do
mouse trackball (Start -> exibido na Barra de status do monitor).

Inicia-se a captação de volume e visualizam-se as imagens captadas.


Pressione a tecla [Freeze] novamente para interromper a captação.
10.2.3.1 Depois da Depois de [Freeze] (Congelar), o sistema muda automaticamente para o modo de
captação VCI-A congelamento e o menu Vol.Cine (Volume Cine) é exibido. O formato selecionado e o
último volume captado estarão presentes no monitor.
Ao selecionar [Freeze] um certo número de volumes serão memorizados na memória
cine.É possível analisar a seqüência um volume de cada vez.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-19


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.2.4 Imagiologia de contraste de Volume (VCI Plano C)

NOTE: A função Volume Contrast Imaging é uma opção. Se esta opção não estiver instalada, a
tecla VCI C-Plane permanecerá ocultada.
Ao definir o ângulo de varredura necessário para a ROI pretendida, o sistema fornecerá
um plano coronal (VCI Plano C). A caixa de apresentação é muito fina e, por isso, pode
visualizar a informação do tecido de um corte fino. É utilizada a mistura da textura de
superfície e dos modos de apresentação máximos transparentes (70/30) juntamente com
uma definição reduzida da transparência da superfície (20-50). A imagem resultante exibe
o valor médio (integrado) de cinzentos do tecido dentro da caixa estreita. A imagiologia de
contraste de volume [VCI] melhora a resolução de contraste e razão sinal / ruído,
facilitando a descoberta de lesões difusas em órgãos. O resultado é uma imagem sem um
diagrama de pontos e um contraste de tecidos altamente melhorado.

Item do menu Descrição

Selecione a tecla [VCI C-Plane] (VCI Plano C).

Selecione uma configuração de usuário VCI-C


(como Default [Padrão]) Os valores predefinidos
são carregados.

Mova a linha pontilhada verde horizontal com o trackball até a posição desejada da
imagem ultra-som na tela.

Item do menu Descrição

Selecione Espessura do corte e ângulo do volume


no menu.

Selecione o formato desejado da tela.

10-20 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

NOTE: O formato selecionado estará presente no modo leitura e escrita!

Para iniciar o modo VCI-A prima a tecla [Freeze] ou a tecla direita do mouse trackball
(Iniciar -> exibida na área da barra de estado no monitor).

Inicia-se a captação de volume e visualizam-se as imagens captadas. Coloque o corte de


volume por cima da região de interesse.

O mouse trackball possui duas funções: posição e rotação do corte de volume. A função
ativada é visualizada na área da barra de estado no monitor.

Prima a tecla superior do mouse trackball para alterar a função do mouse trackball de
posição para rotação ou vice-versa.

Altere o ângulo do corte de volume movendo o mouse trackball.


Deslocando:
 roda o corte de volume no sentido dos ponteiros do relógio
 roda o corte de volume no sentido contrário dos ponteiros do relógio

Item do menu Descrição

Selecione a qualidade com Quality. Esta função


altera a densidade de linhas relativamente à
velocidade de captação.

Densidade velocidade rápida / varredura baixa (uma perda da resolução


baixa: do volume no modo resultante é selecionada apenas no caso do
movimento esperado de artefatos.

baixa: Exame de VOL padrão/densidade média de exame

alta: Velocidade baixa/ densidade elevada de exame

Prima novamente a tecla [Freeze] para avançar para o modo de leitura.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-21


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.2.4.1 Após a Depois de [Freeze] o sistema muda automaticamente para o modo de leitura e surge o
captação VCI-C menu Auto Cine . O formato selecionado e o último volume captado estarão presentes no
monitor.
Ao selecionar [Freeze] um certo número de volumes serão memorizados na memória cine.
É possível analisar a seqüência um volume de cada vez.
Selecione Espessura do corte utilizando os botões do controle do menu.

Outros controles estão disponíveis para o ajuste da imagem (p.ex. modos de apresentação
misturados). Ver Após a captação 4D Real Time na página 10-13 para mais informações
sobre os controlos disponíveis.

10.2.5 Captação de volume: estático 3D

Item do menu Descrição

Selecione o modo de captação 3D estático

Selecione o Modo de Visualização pretendido.

Selecione o formato da tela desejado.

NOTE: O modo e o formato de visualização selecionado será apresentado no modo de leitura após
a finalização da captação e também pode ser acionado.
Coloque a caixa Volume sobre a região de interesse.

O trackball tem 2 funções: posição e tamanho da caixa de Volume.


A função ativada é exibida na área Status do trackball.

10-22 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Pressione a tecla superior do trackball para alterar a função do mesmo de posição para
tamanho ou vice-versa.

Altere o tamanho da caixa Volume deslocando o trackball.


Deslocando:
 diminuir o tamanho da caixa no sentido vertical
 aumentar o tamanho da caixa no sentido vertical
 aumentar o tamanho da caixa no sentido horizontal
 diminuir o tamanho da caixa no sentido horizontal

Para iniciar a captação 3D prima a tecla [Freeze], respetivamente a tecla direita do


mouse trackball (Iniciar -> exibido na área de status do mouse trackball).
A captação de volume inicia-se e após um breve período de cálculo é exibido o volume
captado.

NOTE: Se CRI for ativada em 2D Mode, também será utilizada em modo prévio 3D Static e durante
a captação 3D estática. As definições (valor de CRI) são obtidas a partir das definições 2D.
NOTE: A utilização de CRI vem indicada no bloco de informações.
Durante a captação de um volume 3D, a unidade visualiza apenas a área da caixa de
volume. Após a captação, a unidade muda para modo de leitura. veja: Após a Captação
3D Após a captação 3D na página 10-23)

Para interromper a captação, pressione a tecla [Exit] no painel de controle. A captação é


interrompida e volta a aparecer o menu 3D Pre .

NOTE: As informações registradas serão limpas!


10.2.5.1 Após a Após a captação de planos seccionais 3D, o sistema troca automaticamente para o menu
captação 3D de leitura. O formato selecionado estará presente no monitor (ex: modo de Plano seccional
A,B e C).
Modo de apresentação na página 10-30
Planos seccionais na página 10-44
SonoAVC follicle na página 10-45
Veja VOCAL II* na página 10-50 para mais informações.
Veja Imagiologia tomográfica de ultra-som (TUI) na página 10-63 para mais informações.
Veja SonoVCAD Heart - Exibição do volume auxiliada por computador na página 10-66
para mais informações.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-23


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.2.5.2 Captação 1.Pressionar a tecla [Zoom] .


3D enquanto o zoom
de alta resolução
está ativo
2.Coloque a caixa de zoom sobre a região de interesse.
3. Pressione a tecla [Zoom] novamente para ativar a caixa de Zoom.

O trackball tem 2 funções: posição e tamanho da caixa de Volume. A função ativada é


exibida na área Status do trackball.

Pressione a tecla superior do trackball para alterar a função do mesmo de posição para
tamanho ou vice-versa.

4.Altere o tamanho da caixa de zoom deslocando o trackball.


Deslocando:
diminuir o tamanho da caixa no sentido vertical
aumentar o tamanho da caixa no sentido vertical
aumentar o tamanho da caixa no sentido horizontal
diminuir o tamanho da caixa no sentido horizontal
5.Pressione a tecla [4D] para ativar o modo Volume.
Observação:A janela imagem panorâmica é ocultada quando o modo 3D/4D é ativado.
Ela é exibida novamente se o modo 3D/4D for novamente desativado.

6.Selecione o Modo de Visualização pretendido.

Funcionamen Captação de volume:Planos secionais 3D estáticos Captação de


to: volume: estático 3D na página 10-22)

Captação de volume: 3D Rendering Modo de apresentação na


página 10-30)

10-24 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Pressione a tecla [Zoom] novamente para sair da função Zoom de alta resolução.

10.2.6 STIC (correlação da imagem espaço-temporal)

NOTE: STIC é opcional. Contate o seu representante de vendas local para mais informações.
10.2.6.1 Introdução Com esse método de captação, o coração de um feto ou uma artéria podem ser
visualizados em 4D. Não é uma técnica 4D em tempo real, e sim uma captação 3D pós-
processada.
O modo STIC-Fetal Cardio só está disponível nos transdutores RAB & RIC do aplicativo
OB/GYN.
O modo STIC-Vascular só está disponível no transdutor RSP do aplicativo Peripheral
Vascular (Vascular periférico).
Os dados são captados por um período de tempo predefinido (7,5 15 seg.). As imagens
captadas são pós-processadas para calcular uma seqüência de 4D Volume Cine (Cine
Volume 4D) que represente um ciclo cardíaco completo.
Para conseguir um bom resultado, experimente ajustar o tamanho da caixa de volume e o
ângulo de varredura no menor valor possível. Quanto maior o tempo de captação, melhor
será a resolução espacial. O usuário deve garantir para que haja o mínimo de movimento
das pessoas participantes (como mãe e feto), e que o transdutor fique absolutamente
parado durante todo o período de captação. Movimentos farão com que a captação falhe.
Se o usuário (operador treinado) reconhecer claramente um distúrbio durante o período
de captação, esta precisa ser cancelada.
Um bom conjunto de dados STIC mostra um bombeamento regular e sincronizado do
coração de um feto ou de uma artéria. Por favor verifique se as bordas do coração do feto
ou da artéria estão lisas e se não há descontinuidades repentinas.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-25


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Um ou mais dos seguintes artefatos no conjunto de dados indicam um distúrbio durante a


captação:
Descontinuidades súbitas na imagem de referência B:
Estas devem-se ao movimento da mãe, do feto ou a aritmia fetal durante a captação.
Descontinuidades súbitas no visor a cores:
O movimento da mãe, do feto ou a arritmia fetal afeta o fluxo de cor da mesma forma
que afecta a imagem cinzenta.
A freqüência do coração fetal é muito baixa ou muito alta:
Depois da captação, é exibida a freqüência cardíaca fetal. Se o valor não
corresponder às estimativas baseadas em outros métodos de diagnóstico, a captação
falhou e precisa ser repetida.
Movimento assíncrono em diferentes partes da imagem:
p.ex., a parte esquerda da imagem contrai-se e a parte direita expande-se ao mesmo
tempo.
A cor não se adequa às estruturas exibidas no modo cinzento:
A cor está exibida por cima ou por baixo do vaso atual.
A cor move-se através da imagem numa certa direção:
Este artefato é causado por uma falha na deteção da freqüência cardíaca devido à
taxa da imagem de captação. Use uma freqüência de imagem de captação mais alta
para obter resultados melhores.

Em todos os casos acima, o conjunto de dados precisa ser descartado e a captação,


repetida.

Quando não é permitido realizar a captação cardíaca fetal STIC?


arritmia fetal grave

Não são permitidos diagnósticos feitos somente com a avaliação da captação 3D/4D.
Todos os achados de diagnósticos precisam ser avaliados também em 2D.

Item do menu Descrição

Selecione o item do menu STIC ou prima a


tecla T.

Selecione uma configuração de usuário STIC


(como Default [Padrão]). Os valores
predefinidos são carregados.

Selecione o formato da tela desejado.

NOTE: Ao usar STIC CFM (2D+CFM), STIC PD (2D+PD) ou STIC HD-Flow (2D+ HD-Flow) é possível
realizar ajustes das configurações de cores. O ajuste "Use 2D Color for STIC" (Usar Cor 2D
para STIC) está em User Settings (Configurações do usuário) Configurações do usuário na
página 16-8 possible (possível). Para obter mais detalhes, verSub-menu CFM Sub Menu
CFM na página 8-7 Sub-menu PD Sub Menu PD na página 9-7 Sub-menu HD-Flow
Submenu fluxo HD na página 9-15

10-26 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

NOTE: O formato selecionado estará presente no modo Freeze (Congelar) depois que a captação
estiver concluída. A tela de formato de tela [Dual] (Duplo) só está disponível no modo STIC
Render (Apresentação STIC)!
Antes de iniciar a captação, configure o tamanho da caixa de volume e o ângulo de
volume para conter todas as estruturas cardíacas, incluindo os grandes vasos. Entretanto,
a caixa deve ser pequena o suficiente para conter somente o coração, não o tórax inteiro.
Coloque a caixa Volume sobre a região de interesse.

O trackball possui duas funções: posição e tamanho da caixa Volume. A função ativada é
visualizada na área da barra de estado no monitor.

Pressione a tecla superior do trackball para alterar a função do mesmo de posição para
tamanho ou vice-versa.

Altere o tamanho da caixa Volume deslocando o trackball.


Deslocando:

 diminuir o tamanho da caixa no sentido vertical

 aumentar o tamanho da caixa no sentido vertical

 aumentar o tamanho da caixa no sentido horizontal

 diminuir o tamanho da caixa no sentido horizontal

NOTE: Altere as configurações para obter uma freqüência de imagem 2D de pelo menos 25
imagens por segundo. Em geral se recomenda uma freqüência de imagem entre 25 e 30
imagens por segundo.

Item do menu Descrição

Defina o ângulo de abertura do volume utilizando os


botões do menu.

Selecione o tempo de captação.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-27


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

NOTE: Para arquivar um bom resultado, experimente ajustar a caixa de volume e o ângulo de
varredura no mais baixo possível. Quanto maior o tempo de captação, melhor será a
resolução espacial.

Mantenha o transdutor imobilizado e peça ao paciente para não se mexer.


Para iniciar a captação, pressione a tecla [Freeze] (Congelar), ou a tecla direita do mouse
trackball (Start -> exibido na Barra de status do monitor).
Inicia-se a captação de volume e visualizam-se as imagens captadas.

NOTE: Se o modo CRI for ativado no modo 2D, ele também será utilizada em modo prévio STIC e
durante a captação STIC. As definições (valor de CRI) são obtidas a partir das definições 2D.
A utilização de CRI vem indicada no bloco de informações. Também é possível combinar CRI
com STIC Color (CFM).
NOTE: O usuário deve garantir que nenhum participante (mãe, feto, usuário) se mova durante a
captação. Qualquer movimento causaria falha na captação. Se o usuário perceber um
movimento durante o exame, deverá cancelá-lo com a tecla [Exit Stop acquisition] (Exit Stop
acquisition (Sair de Parar captação))!
Observações:
As configurações de cores ajustadas no modo CFM também serão utilizadas no modo
STIC CFM.
Se a freqüência de imagem for baixa demais para uma captação STIC de baixa
qualidade (< 18MHz), será exibida a seguinte mensagem na tela:

Apesar da advertência, a captação pode ser iniciada normalmente.


Espere até o sistema ter concluído o cálculo. ver Após o cálculo STIC (capítulo Depois do
cálculo STIC na página 10-28)
10.2.6.2 Depois do Após o cálculo, será exibida a freqüência cardíaca estimada no painel de toque. O formato
cálculo STIC selecionado anteriormente e a última seqüência 4D captada serão exibidos no monitor.

10-28 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Orientações e precauções para a interpretação das imagens STIC:


Julgue se a freqüência cardíaca estimada é razoável. Exclua visualmente erros de
fase e outras falas na captação antes de confirmar o exame, tocando na tecla
[Accept] (Aceitar).
Adote sempre uma atitude crítica relativamente às imagens criadas em modo STIC.
Convém salientar que qualquer conclusão de diagnóstico não pode se basear
apenas em imagens STIC, mas tem de ser avaliada juntamente com outros
procedimentos de diagnóstico.
Se você estiver em dúvida em relação a uma estrutura vista em modo STIC, consulte
as imagens 2D originais para obter esclarecimento.
Convém referir que a precisão das medições em imagens STIC é limitada e pode ser
inferior às medições em imagens B. Nota para usuários na Alemanha: Die
Genauigkeit kann die KBV-Richtlinien unterschreiten.

Se a captação falhar, prima o botão [Cancel] (cancelar) e execute novamente a captação.


Isto irá levá-lo ao modo de pré-captação.
Se o resultado o agradar, prima a tecla [Accept] (aceitar). Surge o menu Vol.Cine no modo
congelado.
Ao selecionar [Accept] (Aceitar), um certo número de volumes será memorizado na
memória cine. A seqüência 4D pode ser analisada volume a volume. Ver: Volume Cine
(capítulo Cines na página 10-81)
Será exibido o menu 3D.
10.2.6.3 Medições
na imagem STIC

Se a função de medição for ativada no modo STIC, será exibido o símbolo . Esse símbolo

lembra o utilizador que a UTILIZAÇÃO ACIDENTAL desse recurso pode resultar em


medições incorretas (inferior à precisão mencionada no capítulo Precisão de medição do
sistema na página 12-21). Esse símbolo também aparecerá no relatório do paciente (na
área do cabeçalho) se as medições feitas em Modo STIC forem memorizadas no relatório.
(ver capítulo Visualizar uma folha de trabalho na página 13-6).

Voluson® i Manual básico do usuário 10-29


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.3 Modos de visualização

10.3.1 Modo de apresentação

Selecione este item a partir do menu dos modos de visualização ou prima a tecla 1 para
definir a apresentação como um modo de visualização ativo.

10.3.1.1 Menu prin-


cipal
Item do menu Descrição

Para acionar o programa do usuário após o


início da captação, clique no item do menu
Set Rendering (definir apresentação) ou
prima a tecla U.

Veja Operação MagiCut na página 10-76


para mais informações.

Veja Cine rotação 3D na página 10-82 para


mais informações.

Clique neste item do menu ou prima I para


devolver todos os planos de imagem ao seu
estado inicial. Estado inicial dos diversos
transdutores na página 10-94

Selecione esta opção para acionar a


visualização da caixa ROI.

Reset the render curve to its default


position Este item retorna a curva de
apresentação inicial para sua posição
default (start) position. O ajuste da curva só
é possível na vista Dual ou Quad.

Clique neste item do menu ou prima E para


efetuar ajustes no ROI. Veja A caixa de
apresentação na página 10-2 para mais
informações.

Clique neste item do menu ou prima S para


aceder ao submenu Apresentação. Veja
Submenu na página 10-31 para mais
informações.

10-30 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.3.1.2 Submenu

Item do menu Descrição

Veja Ajuda de orientação de definições de


dados 3D/4D (orientação da sonda) na
página 10-31 para mais informações.

Veja Apresentação de parâmetros - Modo


básico e algoritmo de apresentação na
página 10-36 para mais informações.

Veja Render View Direction (Apresentação


direção de visualização) na página 10-34
para mais informações.

Veja Índices Térmicos na página 11-11 para


mais informações.

Veja Mapa de Cromático na página 11-6


para mais informações.

Veja Mapa de Cromático na página 11-6


para mais informações.

Veja Informação da Imagem na


página 10-35 para mais informações.

Veja SRI na página 5-24 para mais


informações.

Veja Background (fundo) na página 10-35


para mais informações.

10.3.1.3 Ajuda de A fim de simplificar a orientação em um conjunto de dados 3D ou 4D, o usuário pode
orientação de ativar a visualização das direções, como craniana, caudal, esquerda, direita, anterior,
definições de dados posterior, na margem do conjunto de dados 3D ou 4D. O usuário tem de selecionar a
3D/4D (orientação posição e a rotação do transdutor relativamente ao paciente (ou em obstetrícia
da sonda) relativamente ao feto) na altura da captação. Em seguida, a visualização real das direções
tem de ser ativada manualmente. Quando o volume é rodado, as orientações na margem
da imagem são automaticamente ajustadas de modo correspondente. A visualização
mantém-se ativa até se realizar uma nova captação ou até a mesma ser desligada pelo
usuário. Se a visualização for ativada e o conjunto de dados for guardado, as definições de
orientação do transdutor são memorizadas no conjunto de dados. No entanto, se a
visualização for desativada, as definições de orientação do transdutor não são
memorizadas.
Iniciar a captação no modo 3D ou 4D pretendido;
Veja: Captação de volume com sondas de volume Primeiros passos na página 10-2).

É absolutamente necessário certificar-se de que a posição do transdutor corresponde


exatamente ao ajuste de orientação do transdutor.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-31


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

É necessário cuidado especial se o Modo de captação selecionado for 4D.


Mover a sonda causa variações no ajuste de orientação da sonda.

Selecione o item [Probe Orientation].


O menu Probe Orientation (Orientação do transdutor) é exibido, e o sistema muda
automaticamente para a tela Quad (Quádrupla):

O quadrante inferior direito exibe o padrão corporal e o marcador do transdutor,


independentemente do modo de visualização selecionado. A posição do padrão corporal
(visualização corporal e rotação corporal) e o marcador do transdutor são armazenados
no programa de usuário 3D/4D.
O ponto verde no marcador da sonda indica sua rotação (como o GE-Logo em 2Dimage).

Item do menu Descrição

Selecione [Front] para exibir o padrão corporal


pela parte da frente.
O padrão corporal pode ser rotacionado em 45°
graus.

Selecione [Back] para exibir o padrão corporal


pela parte de trás.
O padrão corporal pode ser rotacionado em 45°
graus.

Selecione [Top] para exibir o padrão corporal


pela parte de cima.
O padrão corporal não pode ser girado.

Selecione o item [Bottom] para exibir o padrão


corporal pela parte de baixo.

O padrão corporal não pode ser girado.

10-32 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Pressione a tecla superior do trackball para alternar entre "Scan" (Varrer) e "No Function"
(Nenhuma função) ou vice-versa. Se "Scan" for selecionado, use o trackball para posicionar
o marcador do transdutor no padrão corporal.
A tecla direita tem a mesma função que a tecla [Activate] (Ativar) acima.
10.3.1.4 Submenu O item [Sub Menu] encontra-se disponível em todos os menus de Captação de volume
(modo leitura e escrita).

Selecione o item [Sub-menu].

NOTE: Os itens de Render Direction bem como algumas funções de Sub Menu não se encontram
disponíveis no modo Static 3D Sectional Planes.
NOTE: As funções Balance (Equilíbrio) e Power Threshold (Limiar de potência) só se encontram
disponíveis se for captada uma imagem 3D+CFM ou 3D+PD.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-33


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

O sub-menu 3D/4D contém diversas funções:


Render View Direction (Apresentação direção de visualização) Render View Direction
(Apresentação direção de visualização) na página 10-34)
3D Gray Chroma Map (Mapa cromático de cinzentos) 3D Gray Chroma Map (Mapa
cromático de cinzentos) na página 10-34)
3D/4D Info Informação da Imagem na página 10-35)
Contrast (Contraste Contraste na página 10-35)
Background (fundo) Background (fundo) na página 10-35)
Power Threshold (limiar de potência) Power Threshold (limiar de potência) na
página 10-36
10.3.1.5 Render A caixa de apresentação 3D determina a ROI (região de interesse) para o cálculo 3D e
View Direction determina a direção de visualização através do bloco de volume. A regulação da caixa de
(Apresentação apresentação faz-se com a ajuda dos 3 planos ortogonais A, B e C, dividindo cada um dos
direção de visualiza- quais a caixa ao meio. Veja também: A caixa de apresentação A caixa de apresentação na
ção) página 10-2)
Selecione o Modo de apresentação pretendido.

Explicação para a direção Cima/Baixo da Caixa de apresentação:


Plano A: A direção de visualização é de cima para baixo no plano C.
Plano B: A direção de visualização é de cima para baixo no plano B.
Plano C: A direção de visualização é normal no plano C (visão geral).
A linha verde na caixa de apresentação no plano A e B simboliza a direção da visualização
e a margem para início da análise.
NOTE: As teclas Render View Direction não se encontram disponíveis no modo Static 3D Sectional
Planes.
10.3.1.6 3D Gray Ver operação: 3D Gray Map Mapa de cinzentos 3D na página 11-4
Chroma Map (Mapa
cromático de cin-
zentos)

10-34 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.3.1.7 Informação
da Imagem

Interruptor on/off para mostrar o parâmetro completo ou reduzido de informações da


imagem na tela.
On (completo): Off (reduzido):
inclui 3D/4D, 2D & CFM Mode 3D/4D Info apenas

NOTE: Se o volume foi comprimido usando imagem com perda de informação f, um Wxx" amarelo,
onde xx é a qualidade de compressão (ex. 90), é exibido abaixo da linha de tipo (ex. 3D Static)
NOTE: Consulte: Configuração do SonoView Configuração do SonoView na página 16-33
10.3.1.8 Contraste

Visualização gráfica na tela:


Este gráfico é fornecido apenas para a imagem 3D/4D.
Eixo horizontal:valores de cinzento de 0 a 255 Eixo vertical:brilho de preto a branco

1.Defina o contraste da flexão.


NOTE: As definições requerem uma observação atenta da influência sobre a imagem 3D! Estas
teclas não se encontram disponíveis no modo Planos seccionais 3D estáticos.
10.3.1.9 Back- Com a função de seleção do brilho da tela de fundo (Background), define-se o fundo da
ground (fundo) tela e a imagem B. Esta função só tem relevância no exame B, quando uma parte do fundo
da tela se encontra visível.

Regule o contraste do fundo do écran de escuro para claro.


NOTE: Essa tecla não se encontra disponível no modo Static 3D Sectional Planes (Planos seccionais
3D estáticos).

Voluson® i Manual básico do usuário 10-35


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.3.1.10 Power Esta função elimina os sinais de artefatos de ruído de movimento de cor fraca nos cortes
Threshold (limiar de seccionais bem como na imagem com apresentação 3D.
potência)

Um número inferior de cortes produz menos sinais do que um número superior.


NOTE: Esta tecla só se encontra disponível se uma imagem 3D+CFM ou 3D+PD for captada.
Estado para ativar a Apresentação de imagens 3D:
1.É realizado um exame de volume em Static 3D Sectional Plane e em modo leitura.
10.3.1.11 Apresen- Para uma boa imagem 3D, convém referir as seguintes sugestões de aplicação:
tação de
1.Modos de superfície:
parâmetros - Modo
básico e algoritmo Regule a caixa de apresentação de modo a ter uma visão desobstruída entre a área de
de apresentação início de apresentação e a superfície a visualizar. A imagiologia de superfície requere
estruturas hipoecóicas (ex: líquidos) entre a área de início de apresentação e a superfície a
visualizar. Com o controle [TH.low] é possível "cortar" as estruturas de eco contíguas à
superfície desde que os respectivos valores cinzentos sejam muito inferiores aos valores
cinzentos das estruturas da superfície. Corte sempre o ruído de sinal com o controle [TH.
Low].
2.Modos transparentes:
Para uma boa impressão 3D as imagens em modo transparente precisam de um certo
número de vistas diferentes, que são mostradas numa seqüência cine rotativa. O ângulo
de aumento/etapa deve ser de cerca de 5 graus. A impressão 3D resulta dos movimentos
diferentes das várias estruturas.

1.Seleccione o item [Parameter] a partir do submenu. Aparece o menu Render Mode


(menu apresentação).

10-36 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

2.Selecione o Modo Básico entre: Gray Modo de apresentação de cinzentos na


página 10-37) Color Modo de apresentação de cor na página 10-39) Glass Body Modo de
apresentação Glass Body na página 10-40)
3.Selecione o Render Algorithm (ex., Surface e Transp.: X-ray).
Exemplo: S./Xray = Surface e X-Ray.
Por exemplo:
Produzir uma superfície mais lisa misturando os modos de alisamento de superfície e de
luz.
Volte ao menu 3D Render (Apresentação 3D).

10.3.1.12 Modo de No modo Gray Rendering apenas se utilizam as informações cinzentas do conjunto de
apresentação de dados, mesmo que se visualize uma imagem de Volume a cores. No caso de conjunto de
cinzentos dados sem informação de cor, este modo é automaticamente ativado.
1.Ative Gray Render Mode (se não estiver ativo).

2.Selecione o algoritmo de apresentação pretendido.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-37


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

NOTE: Selecione sempre 2 modos!


Surface Texture: Texture:
Uma superfície será apresentada em modo "texture". Os valores cinzentos da superfície
são idênticos aos valores cinzentos do exame original.

Uma superfície será apresentada em modo "light". As estruturas


Light: Light mais próximas do observador serão visualizadas mais claras; as
estruturas mais afastadas do observador serão mais escuras.

A superfície a visualizar tem de estar rodeada de estruturas


Aplicação:
hipoecóicas (ex. líquidos).

Surface Smooth: Texture:


A superfície é visualizada num modo de "texture" lisa. Os valores cinzentos da superfície
são idênticos aos valores cinzentos do exame original.

A superfície será visualizada como se estivesse sendo iluminada


Gradient Light:
a partir de um foco de luz.

A superfície a visualizar tem de estar rodeada de estruturas


Aplicação:
hipoecóicas (ex. líquidos).

Maximum Mode: São visualizados os valores máximos de cinzento da ROI.

Aplicação: Representação de estruturas ósseas.

Minimum Mode
São visualizados os valores mínimos de cinzento da ROI.
(Modo mínimo):

Aplicação: Representação de vasos e de estruturas ocas.

X-Ray Mode: Representação de todos os valores cinzentos na ROI.

Aplicação: Tecido bloqueado por tumor ou semelhante.

O módulo de software permite a seleção de 2 modos que são calculados em simultâneo. O


modo selecionado real é sempre visualizado com 100%. Com a tecla [Mix], é possível
misturar os modos escolhidos. A seleção em si é livre, exceto o modo Light, que combina
apenas com a visualização Surface.
10.3.1.13 Controle Função dos valores de limiar (apenas Surface Mode)
de limiar no modo
No caso de selecionar Surface Mode, será normalmente necessário regular o limiar baixo
de apresentação de
para o reconhecimento de margens da superfície. Estes valores de limiar não se aplicam
cinzentos
aos modos Transparent!
Threshold Low (Reject):

Normalmente, este limiar tem sempre de ser regulado para um bom aspecto da imagem
3D de superfície.
Ao alterar o limiar [TH.low], todos os ecos abaixo do nível são reforçados em rosa durante
um certo tempo.

10-38 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Aplicação:Com esta função, os pequenos ecos ou ruídos são eliminados, para obter uma
"visão clara" a partir da margem de início da caixa de apresentação até à Superfície
pretendida.
10.3.1.14 Transpar-
ência no modo de
apresentação de
cinzentos

número pequeno = pouca transparência Um número mais elevado torna as informações


da escala de cinzentos mais transparentes.
NOTE: O controle da Transparência encontra-se na área de estado.
10.3.1.15 Modo de Em Color Rendering, podem utilizar-se informações de Cor ou sinal Power-Doppler para a
apresentação de cor visualização 3D.

1.Ative Color Render Mode (se não estiver ativo).

2.Selecione o algoritmo de apresentação pretendido.


NOTE: Selecione sempre 2 modos!
Surface Mode:
Visualização de superfície de informações de cor de fluxos sanguíneos
Modo Light: Light:
Uma superfície será apresentada em modo "light". As estruturas que se encontram perto
do observador são visualizadas mais claras e as que se encontram afastadas do
observador encontram-se mais escuras.

Maximum Mode: São visualizados os valores máximos de cinzento da ROI.

Representação de todos os vasos na ROI. A impressão 3D pode


Aplicação:
ser observada com a rotação da visualização.

X-Ray Mode:
Todos os valores das cores na ROI são utilizado para o cálculo, fazendo-se a média dos
mesmos (a impressão será uma imagem de Raio-X)
O módulo de software permite a seleção de 2 modos que são calculados em simultâneo. A
seleção em si é livre, exceto o modo Luz, que combina apenas com a visualização de
Superfície.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-39


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

São possíveis as seguintes combinações de apresentação:


Surface + Light
Surface + Maximum
Surface + X-Ray
No caso de selecionar o modo Surface, será normalmente necessário regular os limiares
baixo e alto para o reconhecimento de margens da superfície. Estes valores de limiar não
se aplicam aos modos Transparent!
10.3.1.16 Controle Threshold Low (Reject):
de limiar no modo
de apresentação de
cinzentos

Normalmente, este limiar tem sempre de ser regulado para um bom aspecto da imagem
3D de superfície.
Ao alterar o limiar [Threshold], todos os ecos abaixo do nível são reforçados a rosa durante
um certo tempo. Todos os valores de cor abaixo deste nível (rosa no exame B) não serão
considerados para o cálculo da superfície.
10.3.1.17 Transpar-
ência no modo de
apresentação de
cinzentos

número pequeno = pouca transparência Um número mais elevado torna as informações


da escala de cinzentos mais transparentes.
NOTE: O controle da Transparência encontra-se na área de estado.

Se for captada uma imagem 3D+CFM ou 3D+PD, os controles para [Balance] e para o
[Power Threshold] são visualizados depois de selecionar o item Sub Menu.
veja:
Balance Equilíbrio na página 9-10) Power Threshold Power Threshold (limiar de potência)
na página 10-36)
10.3.1.18 Modo de No modo de Glass Body Render, as informações de cor e de cinzento são processadas
apresentação Glass para um volume 3D/PD ou 3D/CFM.
Body

1.Ative o modo de apresentação Glass Body (se não estiver ativo).

10-40 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

2.Selecione o algoritmo de apresentação pretendido.


NOTE: Selecione sempre 2 modos!
São possíveis as seguintes combinações de apresentação:
Gray mode (modo cinzento):
Transp. Textura
Transp. Textura
Transp. Max
Transp. Max
Color mode (Modo a cores)
Superfície
Transp. Max
Superfície
Transp. Max
No caso de selecionar o modo Surface, será normalmente necessário regular o limiar
baixo para o reconhecimento de margens da superfície. Estes valores de limiar não se
aplicam aos modos Transparent!
Para a regulação de Threshold low e de Transparency, ver o modo Color Render:
Threshold low Controle de limiar no modo de apresentação de cinzentos na
página 10-40)
Transparency Transparência no modo de apresentação de cinzentos na
página 10-40)
Para a regulação de Balance e de Power Threshold, ver Sub Menus:
Balance Equilíbrio na página 9-10)
Power Threshold Power Threshold (limiar de potência) na página 10-36)
10.3.1.19 Medições É possível medir-se também a distância e a área (genérica e calculada) na imagem
na imagem apre- apresentada.
sentada

Se a função de medição for ativada em Modo apresentação, aparece o símbolo . Esse

símbolo lembra o usuário que a UTILIZAÇÃO ACIDENTAL desta caraterística pode resultar
em medições incorretas (inferior à precisão mencionada no Precisão de medição do
sistema na página 12-21. Este símbolo também aparecerá no relatório do paciente (no
cabeçalho de relatório), se as medições feitas em Render Mode forem memorizadas no
relatório. (veja: Visualizar uma folha de trabalho na página 13-6.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-41


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.3.1.20 Conselhos MODO B


gerais para obter
Uma qualidade inferior do exame do volume traduzir-se-á numa qualidade inferior da
boas imagens de
imagem tridimensional.
apresentações 3D
Para uma boa qualidade da imagem tridimensional, regule o contraste elevado no
modo bidimensional das estruturas interessantes antes de iniciar o exame do volume.
Apenas serão calculados e visualizados os dados ecográficos dentro da ROI (caixa de
apresentação).
A colocação correta da ROI é essencial para um bom resultado, uma vez é esta que
determina a visão sobre o objeto de interesse.
Surface Mode (modo de superfície): repare que a superfície de interesse tem de estar
rodeada de estruturas hipoecóicas; caso contrário, o sistema não consegue definir a
superfície. Com a função "THRESHOLD", é possível "cortar" as estruturas de eco
contíguas à superfície desde que os respectivos valores cinzentos sejam muito
inferiores aos valores cinzentos das estruturas da superfície.
Minimum Mode (modo mínimo): repare que os objetos de interesse (vasos, cistos)
devem estar rodeados de estruturas hiperecóicas. Evite as áreas escuras (sombras
provocadas por atenuação, apresentação escura dos tecidos) dentro da ROI, caso
contrário, grandes extensões das imagens tridimensionais serão visualizadas escuras.
Maximum Mode (modo máximo): evite ecos de artefatos brilhantes dentro da ROI,
caso contrário, esses artefatos serão visualizado nas imagens tridimensionais.
X-Ray Mode (modo raio X): repare que todos os valores cinzentos dentro da ROI são
visualizados. Deste modo, a fim de aumentar o contraste das estruturas dentro da
ROI, a profundidade da ROI deve ser regulada para o mais baixo possível.
COLOR MODE:
Uma qualidade inferior de imagem a Cores no modo bidimensional resultará numa
qualidade inferior na imagem a cores tridimensional.
No modo Power-Doppler (controle "PD"), é fornecida uma visualização pura do fluxo
sem codificação direcional.
Utilize uma caixa de VOL pequena e um ângulo de varredura pequeno para reduzir o
tempo de captação.
O Smoothing Filter (Filtro de alisamento) (Subida e descida na imagem 2D) resulta num
fluxo mais regular e uma boa visualização 3D a cores dos vasos (ex: filtração de vasos
altamente pulsáteis). Desvantagem: quanto mais elevada for a definição do filtro,
mais prolongado será o tempo de captação.
Surface Mode (modo superfície): visualiza a superfície dos vasos (sinais de cores) no
volume de tecido.
NOTE: Se o controle Mix de mistura for regulado para 100% cor, as informações de tecidos na
escala de cinzento tornam-se transparentes.

10-42 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.3.1.21 Exemplos Surface mode: apresentação a cinzento


de imagens apre-
sentadas Mão do feto Rosto do feto e cordão umbilical

Transparent mode (modo transparente): apresentação a cinzento

Modo Maximum: esqueleto fetal Modo Minimum: vasos do fígado

Voluson® i Manual básico do usuário 10-43


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.3.2 Planos seccionais

Selecione este item a partir do menu dos modos de visualização ou prima a tecla 2 para
definir os planos seccionais como um modo de visualização ativo.

10.3.2.1 Menu prin-


cipal

Item do menu Descrição

Modo Niche Display na página 10-68

Veja VCI Static (VCI estático) na


página 10-70 para mais informações.

SonoVCAD labor na página 10-71

Gráfico de ajuda de orientação na


página 10-80

Clique neste item do menu ou prima I para


devolver todos os planos de imagem ao seu
estado inicial. Estado inicial dos diversos
transdutores na página 10-94

Submenu na página 10-44

10.3.2.2 Submenu Ver Submenu na página 10-31 para uma lista completa de itens no submenu 3D/4D.

Interruptor On/Off para mostrar uma


imagem captada em 3D+CFM ou 3D+PD
com ou sem a informação da cor.

10.3.2.3 Otimização Esta função otimizará a resolução do contraste dos Planos seccionais (A, B e C) de acordo
Automática em com o histograma da área de exame. No entanto, a imagem apresentada NÃO será
Modo Volume afetada. O resultado principal é um valor para o ponto final da esquerda e da direita do
histograma real.
Pressionar a tecla [auto] provoca a otimização automática da escala de cinzento para
melhorar a resolução de contraste dos planos seccionais (A, B e C). Quando a tecla é
pressionada novamente, a otimização segundo o histograma será atualizada e
permanecerá ativa.
Pressione a tecla [auto] duas vezes para desligar a Otimização automática.
Observações:
Quando a função de otimização automática estiver ativada, a tecla [auto] fica
bastante iluminada.
A imagem apresentada NÃO é afetada (não otimizada).

10-44 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.3.2.4 Escolhendo
uma imagem de
referência

Pressione repetidamente a tecla esquerda do trackball [Ref.Image] para selecionar a


imagem de referência. Ao selecionar a imagem de referência, determina
automaticamente as funções de controle dos comandos rotativos e do trackball para o
ajuste amplo de um plano seccional.
Com a visualização simultânea dos Planos seccionais A, B e C (modo 3 secções), aquele
que foi escolhido como referência é marcado com uma letra amarela (ex.,A ):
Se um único plano seccional A, B ou C for visualizado (modo tela completa, modo plano
arbitrário), trata-se da imagem de referência. Esta pode ser alterada.
10.3.2.5 Posição da Esta função permite determinar a posição de uma imagem de referência A, B ou C em
Imagem relação ao campo de visualização.

Pressione o botão superior do trackball para alterar a função de posição de eixo para
posição de imagem.

Com a ajuda do trackball a imagem de referência é desviada e posicionada na direção X


e Y, respectivamente. O centro de rotação mantém-se fixo, apenas o volume é alterado.

10.3.2.6 Amplifica- Esta função permite determinar a relação de aspecto de uma imagem de referência A, B
dor de imagem ou C em relação ao campo de visualização.

Através deste desvio, as imagens seccionais (A, B e C) serão ampliadas a partir do centro
de rotação.

10.3.3 SonoAVC follicle

NOTE: SonoAVC follicle é opcional. Contate o seu representante de vendas local para mais
informações.
NOTE: Para facilitar o manuseamento dos SonoAVC follicle conjuntos de dados em 4DView (a partir
da versão 7.0) ligue o dongle 4DView numa das Voluson® iportas USB. O dongle é
programado automaticamente.
SonoAVC follicle (Contagem de Volume Automatizado por Sonografia) detecta
automaticamente objetos pouco ecogênicos (por exemplo, folículos) em um órgão (por
exemplo, ovário) e analisa a sua forma e volume. A partir do volume calculado do objeto

Voluson® i Manual básico do usuário 10-45


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

pode ser calculado um diâmetro médio. Todos os objetos detectados dessa forma serão
listados de acordo com o tamanho.

Clique no botão SonoAVC follicle ou pressione 3 no modo estático 3D para chamar o


SonoAVC follicle pré-modo.

10.3.3.1 Pré-modo

Ajuste a RDI para obter uma boa visão dos objetos ecogênicos baixos, usando as técnicas
descritas em A caixa de apresentação na página 10-2 e pressione o botão Ovário
Esquerdo ou Ovário Direito, dependendo da imagem adquirida. Após alguns segundos de
cálculo o Voluson® i avança para o SonoAVC follicle modo principal.

10-46 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.3.3.2 Modo prin-


cipal

10.3.3.3 Tabela de Os resultados do cálculo são exibidos no canto superior direito. Os objetos são listados de
objetos pouco acordo com o tamanho. Todos os objetos diferentes são codificados por cores, ou seja, a
ecogénicos cor em redor do número do objeto também identifica o objeto na imagem. Se o cursor do
mouse ficar por cima de um item específico na lista, o respetivo objeto na imagem é
realçado e vice-versa. A cor do objeto está limitada à sua posição na lista. O maior objeto
será sempre exibido a vermelho, o segundo maior a verde, etc.

O diâmetro é calculado como se


d (V) o objeto se tratasse de um esfera
perfeita

Valor médio do eixo x, eixo y e


mn. d
eixo z

V Volume do objeto

Voluson® i Manual básico do usuário 10-47


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.3.3.4 Menu prin-


cipal
Item do menu Descrição

Clique neste item do menu ou prima E para


voltar para o pré-modo e efectuar ajustar no
ROI.

Clique neste item do menu ou prima I para


devolver todos os planos de imagem ao seu
estado inicial.

Selecione o limite. opção para salientar os


segmentos, exibindo os limites com uma
linha colorida.
Selecione a opção Cheio para salientar os
segmentos, enchendo a área do segmento
com cor.

Clique neste item do menu ou prima A para


adicionar a lista de volumes ao relatório
GYN. Ver SonoAVC follicle na página 13-13

Clique neste item do menu ou prima C para


reverter os volumes autogerados ao seu
estado inicial.

Clique neste item do menu ou prima R para


repor a última operação mediante o
comando Anular.

Clique neste item do menu ou prima U para


anular a última operação Cortar/fundir.

Selecione esta opção para acionar a


visualização da caixa ROI.

10.3.3.5 Parâmetros
de imagem

Altere o limiar para a apresentação de inversão utilizando os botões do menu +/-. Esse
parâmetro não influencia o SonoAVC follicle cálculo

Defina se o volume atual foi recolhido do ovário esquerdo ou direito utilizando os botões
do menu +/-.

10-48 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Ajuste o zoom utilizando os botões do menu +/-.

Separação consiste em controlar um parâmetro do algoritmo de segmentação que define


um limiar inicial para separar objetos. O aumento deste parâmetro evitará que os objetos
não sejam identificados como objetos múltiplos (p.ex. quando existe ruído no interior do
objeto) e pode evitar que os objetos pequenos sejam encontrados incorretamente.
Aumento consiste em controlar um parâmetro no algoritmo de segmentação que define a
forma final dos objetos encontrados. O aumento deste parâmetro permitirá que os objetos
caibam no limite visível. Um valor demasiado elevado poderá fazer com que os objetos
fiquem maiores do que o limite e que sejam cobertas áreas que não fazem parte do objeto
de interesse.
10.3.3.6 Editar vol- Para cortar um volume:
umes auto-gerados

1. Pressione a tecla esquerda do trackball para começar a desenhar um percurso ao


longo da área que pretende cortar.
2. Pressione novamente para definir o ponto final do percurso. Se o percurso não for
fechado, o software irá ligar o ponto inicial e final com uma linha reta.
3. A área no interior do percurso é cortada e inserida como novo volume.

Para adicionar ou remover volumes:

Aponte o cursor para um volume gerado automaticamente e pressione a tecla superior


do trackball para removê-lo.
Aponte o cursor para um objeto pouco ecogênico na imagem, que não foi contado pelo
algoritmo, e pressione a tecla superior do trackball para adicioná-lo à lista.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-49


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Para fundir volumes:

1. Pressione a tecla direita do trackball para começar a desenhar um percurso que inclui
ou passa pelos volumes que pretende fundir.
2. Pressione novamente para definir o ponto final do percurso. Se o percurso não for
fechado, o software irá ligar o ponto inicial e final com uma linha reta.
3. Todos os volumes ao longo do percurso surgem agora como um único segmento.

10.3.3.7 Anular Utilize os botões Anular / Refazer / Anular tudo no menu principal para corrigir as suas
operações mais recentes ações de edição, tal como descrito em Menu principal na página 10-48.

10.3.4 VOCAL II*

NOTE: VOCAL II é opcional. Contate o seu representante de vendas local para mais informações.

Selecione o item do menu dos modos de visualização ou prima a tecla 4 para definir
VOCAL II como um modo de visualização ativo.

10.3.4.1 Introdução O programa de imagiologia VOCAL II oferece possibilidades completamente inovadoras no


diagnóstico do câncer, no planejamento de terapêuticas e no controle de terapêuticas de
acompanhamento. Proporciona diversas funções:
Detecção manual do contorno de estruturas (como, por exemplo, lesão tumoral,
quisto, próstata, etc.) e posterior cálculo de volume. A precisão do processo pode ser
controlada visualmente pelo examinador numa visualização multi-planar.
Construção de um invólucro virtual em torno do contorno da lesão. A espessura das
paredes do invólucro pode ser definida. Este pode ser imaginado como uma camada
de tecido em torno da lesão, onde se desenvolve a vascularização do tumor.
O controle de acompanhamento do volume do tumor e da vascularização fornece
informações sobre a dose correta de medicação ou de radiação, constituindo assim
uma medida do sucesso do tratamento. Após a definição de um contorno no espaço 3D,
existe um grande leque de funções disponíveis:
definição do contorno do invólucro
visualização de um contorno (invólucro) como superfície ou rede de arame
cálculo de volume de um contorno (invólucro)
cálculo de histograma do tecido ecográfico no interior do contorno (invólucro)
visualização do tecido ecográfico no interior do contorno (invólucro) como imagem
apresentada
apresentação de nicho do contorno e dos cortes
cálculo da rotação cine

10-50 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

A idéia básica por trás do VOCAL II é a possibilidade de combinar tecido ecográfico 3D


(apresentado como voxels) e informações geométricas de superfícies num conjunto de
dados em 3D. O principal interesse do VOCAL II é a possibilidade de cálculo de volume de
tumores ou lesões.
Os principais passos a dar para o funcionamento deste modo são indicados neste
diagrama.

10.3.4.2 Definições Definição de Surface Geometry


A Surface Geometry define-se pela rotação de um plano de imagem em torno de um eixo
fixo (eixo principal do contorno) e pela definição de contornos em 2D em cada plano. Os
contornos em 2D podem ser definidos semi-automaticamente (Magic Finger),
manualmente ou através de uma esfera automática. O passo de rotação para cada plano
de contorno depende do Modo VOCAL e dos passos de rotação selecionados.
A Surface Geometry (Geometria de superfície) define-se pela triangularização 3D dos
contornos em 2D, o que significa que cada ponto do contorno 2D no plano N é ligado
através de uma rede de triângulos aos pontos correspondentes no plano N-1 e no plano
N+1.
Definição de Shell Contour (Geometry)
A idéia básica de um Shell Contour (Contorno do invólucro) consiste em definir uma
espessura da geometria de superfície de referência .

Os contornos paralelos exibidos na imagem definem a geometria de superfície paralela


(que descreve o invólucro). Os contornos paralelos são definidos simetricamente em
relação ao contorno de referência ou limitados a uma única direção, dentro ou fora. A
Shell Geometry consiste numa superfície externa e numa superfície interna, possibilitando
assim distinguir entre pontos contidos na geometria do invólucro e pontos fora da mesma.
Um Shell Contour (Contorno do invólucro) representa todos os pontos contidos pela
geometria de superfície interior e exterior. Se nenhum Shell Contour (Contorno do
invólucro) for definido explicitamente, a Shell Geometry (Geometria do invólucro) consistirá
na superfície de referência (superfície externa) e num ponto interior (a superfície interna
que se está a degenerar).
Visualização de uma geometria de invólucro (apresentação de contorno)
A geometria do invólucro pode ser visualizada como Skin (Pele) ou Wire Mesh (Tela
metálica).
ver Modo de apresentação e visualização da geometria de invólucro Modo de
apresentação e exibição da geometria de invólucro na página 10-61 )
A imagem exibe diferentes técnicas de visualização. O VOCAL mostra uma rede de
superfície.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-51


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Imagem com apresentação de volume de um contorno de invólucro

O contorno de invólucro é utilizado para definir os voxels do conjunto de dados


ecográficos 3D que fazem parte da geometria do invólucro e os que não. Os voxels que se
encontram fora do contorno do invólucro não são visualizados na imagem Volume
Rendered.
(Shell) Volume Calculation (cálculo de volume )
O volume (shell) é definido como a diferença entre o volume definido pela superfície
externa
(da geometria do invólucro) e o volume definido pela superfície interna (da geometria do
invólucro).
(Shell) Niche presentation

A apresentação de nicho permite a visualização de cortes e do contorno do invólucro


numa imagem. A apresentação permite uma visão panorâmica em 3D da orientação dos
cortes e do contorno do invólucro.

Definições resumidas

Uma rede em triângulo fechada de pontos do contorno em


Surface Geometry:
3D.

Shell Geometry: Uma geometria de superfície interna e externa definida.

Pontos dentro da superfície interna e externa da geometria


Shell Contour:
do invólucro.

Termo genérico de contorno do invólucro e da geometria do


Shell:
invólucro.

10-52 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Imagem do contorno do invólucro


10.3.4.3 VOCAL - Funcionamento:
Definir um novo
O menu VOCAL Modes aparece na área de menu do monitor.
contorno

Selecione o modo de geração de contornos pretendido.


Para detalhes, ver Seleção de um modo VOCAL Generation (Geração VOCAL) Seleção de
um modo de geração VOCAL na página 10-55 Seleção de um modo de geração VOCAL
na página 10-55
NOTE: Caso pretenda, pode alterar as definições em "VOCAL Settings" do Modo de geração VOCAL.
escolhido.
NOTE: Para detalhes, ver Configurações VOCAL Definições VOCAL na página 10-54)

Para começar a definir um novo contorno, selecione o item [Start].

Voluson® i Manual básico do usuário 10-53


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.3.4.4 Definições Seleção das etapas de rotação


VOCAL
As Etapas de rotação definem quantos contornos são gerados. O ângulo das etapas de
rotação é de influência primordial no nível de detalhes.
Por exemplo:
Uma definição de ângulo de [30°] significa que, depois de concluído o primeiro traço, o
conjunto de dados do volume roda 30°, tendo em seguida de ser executado o traço
seguinte, e assim por diante. Com o passo de rotação de [30°], são necessários 6 traços.

6º = 30 traços

9º = 20 traços

15º = 12 traços

30º = 6 traços

Sugestões e truques:
Para estruturas simétricas arredondadas é suficiente um passo de rotação de 30º . Para
formas irregulares, seleccione 15º e inferior para o traçado manual.
Seleção da imagem de referência

A seleção da imagem de referência define os plano(s) das imagens para gerar os


contornos. Pressione repetidamente a tecla esquerda do trackball para selecionar a
imagem de referência.
Para gerar os contornos, a imagem de referência é rodada em relação ao:
eixo vertical (para imagem de referência A ou B)
eixo horizontal (para imagem de referência C)
O centro da rotação encontra-se indicado por uma linha vermelha pontilhada.

Selection of the Zoom level O nível de ampliação pode ser manipulado através dos botões
do menu.
Começar a definir o contorno

Depois de selecionar o item [Start], aparece o menu VOCAL Generation do modo de


geração de contornos selecionado.
Para detalhes, ver Seleção de um modo VOCAL Generation (Geração VOCAL )

10-54 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.3.4.5 Seleção de O eixo de contorno principal deve situar-se no centro da lesão 3D. (o objeto tridimensional
um modo de ger- deve estar centralizado em relação ao eixo de rotação). Todos os contornos definidos (em
ação VOCAL diferentes planos) cruzam o eixo principal de contorno na posição das setas verdes. Caso
contrário, altere a posição desta linha utilizando o trackball.
Existem duas formar de gerar um contorno (invólucro):
Manual - Traço Manual - Traço na página 10-55)
Automático - Esfera Automático - Esfera na página 10-56)
10.3.4.6 Manual - Esta função permite contornar manualmente qualquer lesão utilizando o trackball. O
Traço número de contornos gerados manualmente depende do passo de rotação selecionado.
Para mais informações, ver Ajustes de VOCAL Definições VOCAL na página 10-54)

1.No menu VOCAL, selecione o item do modo de contorno do traço.


2.Para definir o contorno, selecione o item [Start].
3.Posicione o cursor para iniciar o contorno com o mouse trackball e pressione a tecla
direita ou esquerda do mouse trackball [Set] (definir). Descreva o primeiro contorno com o
trackball. Para fixar o contorno, pressione novamente a tecla direita ou esquerda [Set]
(Definir) do trackball.
As duas setas verdes dos pontos de contorno são posicionadas automaticamente no eixo
de contorno principal. O contorno delineado só é válido se o eixo de rotação for
atravessado exatamente duas vezes.

4.Selecione o próximo plano de imagem mediante os botões do menu ou selecione o


próximo item na área do menu.
O contorno é copiado para o plano de imagem seguinte, podendo ser redefinido
desenhando um novo contorno. Sempre que se começa a delinear um contorno, o novo
contorno neste plano de imagem substitui o antigo.
5.Trace todos os contornos restantes da mesma forma.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-55


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

6.Depois de ter definido todos os contornos em todos os planos de imagem, selecione


[Done].
O resultado é visualizado no monitor e o menu VOCAL Edit aparece novamente. Para
editar o contorno, ver VOCAL - Editar VOCAL - Editar na página 10-56).
10.3.4.7 Automático Esta função de modo contorno assistido por computador só tem utilidade se pretende
- Esfera delinear a superfície de uma esfera. Utilizando esta função, é possível gerar entre as duas
setas verdes uma esfera em torno do eixo de contorno principal. O número de contornos
gerados depende do passo de rotação selecionado. Para mais informações, ver Ajustes de
VOCAL Definições VOCAL na página 10-54)

1.No menu VOCAL, selecione o modo de contorno Esfera] .


2.Para começar a definir o contorno, selecione o item [Start] (iniciar). O resultado é
visualizado no monitor.
10.3.4.8 VOCAL - Edi- A tela do monitor apresenta a seguinte informação:
tar
A imagem de referência exibe o primeiro contorno gerado, delineado por pontos
vermelhos e amarelos.
Nos cortes ortogonais, as curvas de interseção entre a geometria do invólucro e os
diversos planos de imagens são delineadas sob a forma de contorno amarelo.
A geometria do invólucro é visualizada no quadrante inferior direito.

Aparece o menu VOCAL Edit Contour na área de menu no monitor.

No menu VOCAL Edit Contour :


1. é possível manipular os contornos; ver Modificar um contorno Modificar um contorno
na página 10-57)
2. gera-se um contorno de invólucro; ver: Definir um contorno de invólucro Definir um
contorno de invólucro (geometria de invólucro) na página 10-57)

10-56 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Pressionando este botão, sai do contorno atual e regressa ao menu VOCAL - Definir
Contorno.
10.3.4.9 Modificar Quando desloca o rato de bola, os pontos mudam para amarelo em relação à posição do
um contorno cursor. Quanto mais perto o cursor estiver do contorno, menos pontos estarão realçados
em amarelo.
1.Pressione a tecla superior do trackball e com ele desloque os pontos amarelos. Pressione
novamente a tecla superior do trackball para armazenar o contorno modificado.
2.Repita essas etapas, se necessário. Todos os resultados importantes (contorno do
invólucro, volume, etc.) são atualizados automaticamente.

3.Selecione o próximo plano de imagem utilizando os botões do menu e modifique o


contorno para este plano.
4.Selecione o Modo de Invólucro pretendido. Para mais informações, rever: Definir um
contorno de invólucro Definir um contorno de invólucro (geometria de invólucro) na
página 10-57)
5.Depois de ter modificado os contornos nos planos de imagem selecionados, prima a
tecla Exit.
O contorno do invólucro é aceite e memorizado. O menu VOCAL - Static 3D (ver: VOCAL -
estático 3D na página 10-59) aparece.

10.3.4.10 Definir um
contorno de invólu-
cro (geometria de
invólucro)

Shell [OFF] (Invólucro [Desl.])


A superfície externa é igual aos contornos gerados (geometria da superfície de
referência).
A superfície interna é representada por um ponto interior (a superfície interna está a
degenerar-se).
A seleção de outros estados de invólucro significa:

Voluson® i Manual básico do usuário 10-57


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Shell [Inside] (Invólucro [Interno])


A superfície externa é igual à geometria da superfície de referência.
A superfície interna é a geometria de superfície dos contornos internos 'paralelos' com
a distância Shell Thickness (Espessura de invólucro) em mm.
Se um dos contornos internos não for válido, a superfície interna é representada por um
ponto interior (a superfície interna está a degenerar-se). (Um contorno só é válido se o eixo
de rotação for atravessado exatamente duas vezes.)
Shell [Outside] (Invólucro [Externo])
A superfície externa é a geometria de superfície dos contornos externos 'paralelos'
com a distância Shell Thickness (Espessura de invólucro) em mm.
A superfície interna é igual à geometria da superfície de referência.
Shell [Sym.] (Invólucro [Sim.])
A superfície externa é a geometria de superfície dos contornos externos 'paralelos'
com a meia-distância Shell Thickness (Espessura de invólucro) em mm.
A superfície interna é a geometria de superfície dos contornos internos 'paralelos' com
a meia-distância Shell Thickness (Espessura de invólucro) em mm.
Se um dos contornos internos não for válido, a superfície interna é representada por um
ponto interior (a superfície interna está a degenerar-se). (Um contorno só é válido se o eixo
de rotação for atravessado exatamente duas vezes.)

A espessura do invólucro pode ser ajustada usando-se os botões do menu.


O contorno do invólucro é aceite e memorizado. O menu VOCAL - Static 3D (ver: VOCAL -
estático 3D na página 10-59) aparece.

O contorno de invólucro não é aceito e o usuário volta ao menu VOCAL Modes , onde
pode definir um novo contorno.
Obviamente, apenas os contornos de referência válidos geram um contorno de
invólucro válido.

10-58 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.3.4.11 Exibição O volume (invólucro) é definido como a diferença entre o volume definido pela superfície
do volume (invólu- exterior (da geometria do invólucro) e o volume definido pela superfície interior (da
cro) geometria do invólucro). Uma superfície degenerada é simbolizada na visualização por
xxxxx.
O Volume é visualizado no monitor no quadrante inferior direito:
Shell Vref. Interior Exterior
xxx.xx cm³ xxx.xx cm³ xxx.xx cm³ xxx.xx cm³
Se a geometria da superfície de referência não for válida, todos os volumes serão inválidos
e exibidos como xxxxx.
10.3.4.12 VOCAL - Neste menu, é possível selecionar vários modos de visualização. Entrará neste menu
estático 3D depois de aceitar o contorno do invólucro.
Prima a tecla Exit. O contorno (invólucro) definido é aceite, memorizado e os resultados
são visualizados.
O seguinte menu aparece na área de menu do monitor.

Regule um contorno definido.

Defina um novo contorno.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-59


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

çO botão do Modo Ativo e o rato de bola são atribuídos à imagem de referência


selecionada para regular a posição, a amplificação e a rotação da imagem do invólucro.
Para rodar e deslocar a imagem 3D VOCAL e de referência

Prima o botão de modo Ativo para comutar entre Rotação X, Rotação Y, Rotação Z e
Mudança Paralela.

Rode a roda de modo Ativo de forma a executar a ação de orientação da imagem


anteriormente selecionada.

Dependendo da definição do Render Mode , o quadrante inferior direito visualizará a pele


(do contorno do invólucro) ou a imagem de volume apresentada dentro do contorno do
invólucro. ver Modo de apresentação e visualização da geometria de invólucro Modo de
apresentação e exibição da geometria de invólucro na página 10-61 Modo de
apresentação e exibição da geometria de invólucro na página 10-61 Modo de
apresentação e exibição da geometria de invólucro na página 10-61 )
Dependendo da definição do Render Mode , a pele (do contorno do invólucro) ou a
imagem de volume apresentada dentro do contorno do invólucro será visualizada em
formato completo. ver Modo de apresentação e visualização da geometria de invólucro )

Aplique as Configurações de Apresentação do Programa do usuário na superfície VOCAL.

ver Modo de apresentação e visualização da geometria de invólucro )

Editar VOCAL Surface no modo MagiCut. Veja Operação MagiCut na página 10-76 para
mais informações.

Criar um cine rotação 3D a partir de VOCAL Surface. Veja Cine rotação 3D na


página 10-82 para mais informações.

10-60 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

A superfície do contorno (invólucro) é cortada e os cortes da imagem 3D e a superfície do


contorno (invólucro) é visualizada numa imagem. Saia do menu VOCAL Niche (Nicho
VOCAL), toque novamente na tecla [Niche] (Nicho).

ver Volume limiar Volume do limiar na página 10-61)

ver Histograma de volume Histograma do volume na página 10-62)


10.3.4.13 Modo de
apresentação e exi-
bição da geometria
de invólucro
1.Selecione o item [Rendering] (apresentação).
Aparece o menu Render Mode na área de menu.

2.Selecione o modo de apresentanção desejado (p.ex., superfície artificial). 3.Selecione a


visualização da geometria do invólucro entre as opções [Skin] ou 4.Selecione o item
[Surface Color] para alterar a cor da geometria de invólucro
10.3.4.14 Volume do Após o cálculo do volume através do programa de imagiologia VOCAL II- Imaging program
limiar (Virtual Organ Computer-aided AnaLysis), é possível visualizar um volume de limiar
calculado automaticamente.

Selecione o item [Threshold Volume] do menu Vocal.


o painel de toque exibe o volume de limiar calculado (de acordo com a visualização no
monitor).

Voluson® i Manual básico do usuário 10-61


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Visualização no monitor (por exemplo, Hidronefrose)

Regule o valor de limiar. Um número pequeno corta menos sinais do que um número
elevado.
10.3.4.15 Exibição A disposição e a posição da visualização dos resultados VOCAL tem de ser igual à
da medição Vocal selecionada em Measurement Setup (Configuração medição) Global Parameters
(parâmetros globais), ver . Se a posição do resultado for dependente do modo, as
definições para 2D também se aplicam a VOCAL.

Se a função de medição estiver ativada no VOCAL, surge o

como símbolo. Esse símbolo lembra o usuário que a UTILIZAÇÃO ACIDENTAL desta
caraterística pode resultar em medições incorretas (inferior à precisão mencionada no
Precisão de medição do sistema na página 12-21). Este símbolo também aparecerá no
relatório do paciente (no cabeçalho de relatório), se as medições feitas em Modo VOCAL
forem armazenadas no relatório. (consulte a: Veja Visualizar uma folha de trabalho na
página 13-6 para mais informações.).

O mesmo se aplica à janela de resultado de Threshold Volume. Ver (Veja Volume do limiar
na página 10-61 para mais informações.)
10.3.4.16 Histo- Após o cálculo de volume através do programa de imagiologia VOCAL II - Imaging
grama do volume program, é possível visualizar um Histogram (Color Angio) do volume calculado
automaticamente.

Selecione o item [Histogram] no menu Vocal.

10-62 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

A seguinte janela com o histograma calculado aparece na tela.

Se um invólucro for definido, o histograma será calculado a partir do conteúdo do


invólucro. Se um contorno sem um invólucro for definido, o histograma será calculado a
partir do conteúdo do contorno.

Selecione o botão [Return] na tela para sair da função Volume Histogram.


NOTE: A função Volume Histogram (Histograma de volume) não é possível após a captação
3D+CFM.

10.3.5 Imagiologia tomográfica de ultra-som (TUI)

Selecione este item do menu dos modos de visualização ou prima a tecla 5 para definir
TUI como o modo de visualização ativo.

10.3.5.1 Introdução Os dados são apresentados em cortes através do conjunto de dados, que estão paralelos
uns aos outros. Uma imagem panorâmica ortogonal aos cortes paralelos mostra as
partes do volume que são visualizadas nos planos paralelos. Este método de visualização
é consistente com a forma como outros sistemas médicos, como a TC ou a IRM,
apresentam os dados para o usuário. A distância entre os vários planos pode ser ajustada
de modo a adaptar-se aos requisitos do conjunto de dados específico. Além disso, pode
definir-se o número de planos.
Os planos e a imagem panorâmica também podem ser impressos numa impressora
DICOM, para uma comparação mais fácil dos dados ultra-sonográficos com os dados da
TC e/ou da IRM.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-63


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.3.5.2 Operação O menu principal TUI:

Use o trackball para definir a posição ou o tamanho da caixa de apresentação de


volume.

Use o trackball superior para alternar entre a posição e o tamanho da apresentação de


volume.

10-64 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Use o trackball direito para iniciar a apresentação de volume.

Item do menu Descrição

Utilize o controle Focus Depth (Profundidade do Foco)


para selecionar a posição de profundidade do campo
do foco real. Utilize as teclas up (para cima) e down
(para baixo) para alterar a Profundidade do Foco. As
setas do marcador determinam a posição da
profundidade da(s) zona(s) focal/ais.

Selecione a qualidade com Quality. Esta função altera a


densidade de linhas relativamente à velocidade de
captação.

Muda o ângulo da caixa de apresentação de volume.


Escolha entre 5° e 85°.

Slices: Pode ser ajustado de 3 a 19 cortes

Dist.: A distância de cortes pode ser selecionada de


0,5mm a 10mm

Use os botões [Prev/Next] para selecionar o próximo


corte ou o anterior.

Zoomkey: Zoom aos cortes.

Muda o número de cortes na tela. Escolha entre


[2x2]e[3x3] cortes.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-65


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.3.6 SonoVCAD Heart - Exibição do volume auxiliada por computador

NOTE: SonoVCAD Heart é opcional. Contate o seu representante de vendas local para mais
informações.

Selecione este item a partir do menu dos modos de visualização ou prima a tecla 6 para
definir VCAD como o modo de visualização ativo.

10.3.6.1 Descrição VCAD é uma tecnologia que gera automaticamente um número de visualizações do
geral coração fetal para facilitar o diagnóstico.
10.3.6.2 Antes da Faça a captação de visualização 3D/4D do coração fetal. De maneira ideal, a captação
operação VCAD deveria começar com uma vista de quatro câmaras.

Item do menu Descrição

Pressione essa tecla para ligar e desligar a


forma do coração

Se o feto estiver na posição de costas, prima


esta tecla para girar a imagem 180º em
redor do seu eixo.

Toque nesta tecla para repor as rotações e


translações de uma secção de volume na
posição inicial (start), ver Estado inicial dos
diversos transdutores na página 10-94.

Pressione essa tecla para exibir o menu de


aplicação do VCAD, ver Operação na
página 10-67

Prima esta tecla para ligar ou desligar o SRI


( SRI (Imagiologia com redução de ruído) na
página 10-80

10-66 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Item do menu Descrição

Veja Submenu na página 10-33 para mais


informações.

10.3.6.3 Operação 1. Se você já puder ver a forma do coração no monitor, pode começar os ajustes. Se
você não puder ver a forma do coração no monitor, pressione o botão [Plane Graphic]
(Gráfico de Plano). A forma do coração aparece.

2. Ajuste a imagem US, utilizando o controlo rotativo de modo ativo e o botão zoom, de
forma a caber no modelo. Para ajustar o centro de rotação, ver 3D Controle de tela
na página 10-3
3. Pressione o botão [Set Starting Plane] (Localizar Plano de Início). Se você não estava no
modo TUI, o monitor irá mudar para o modo TUI agora. Os seguintes itens do menu
irão aparecer na barra esquerda do menu

Item do menu Descrição

Selecione entre a exibição de 9 (3x3) cortes


TUI ou de 4 (2x2) cortes TUI.

Prima o botão [Set New Plane] (definir novo


plano) para voltar ao menu principal do
coração SonoVCAD, ver Antes da operação
VCAD na página 10-66

ou prima [Start Plane] (iniciar plano) para


visualizar novamente Start Plane.

Prima [Cardiac 1] (cardíaco 1) para ver o


tracto de saída esquerdo.

Ou pressione [Cardiac 2] para visualizar o


trato de saída direito,

ou pressione [Cardiac 3] (Cardíaco 3) para


ver o estômago fetal.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-67


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Item do menu Descrição

Pressione o botão [Cardiac 4] (Cardíaco 4)


para ver Venoso.

Pressione o botão [Cardiac 5] (Cardíaco 5)


para ver DA.

10.4 Modos de exibição e modos de visualização especial

10.4.1 Formatos da tela

10.4.1.1 A,B,C -
Modo de Plano
Secional

Este modo de visualização fica ativo quando se pressiona a tecla de formato [Quad]. Os 3
planos seccionais A, B e C encontram-se numa posição normal uns relativamente aos
outros. As linhas de intersecção dos planos são os eixos do sistema relativo de
coordenadas e são visualizadas a cores nos diversos planos de imagens. Este modo de
visualização é básico em relação aos outros modos de visualização.
10.4.1.2 Reference
Image Mode (modo
imagem de referên-
cia)

Pressionar o formato de tela [Single] irá ampliará 2x e visualizará a imagem de referência


A, B ou C. Para a seleção do plano da imagem REF, aplicam-se as mesmas regras que para
o modo de planos seccionais. Não é possível a visualização gráfica da ajuda de
orientação.

10.4.2 Modo Niche Display

Parte das seções ortogonais A, B e C são compiladas de modo a obter uma aspeto de
seção 3D. Optou-se pela designação Niche porque o aspecto mostra um corte quase
espacial executado na imagem de referência.
1.Selecione o item de formato de visualização [Niche]. O modo de visualização Niche
(Nicho) aparece no monitor.

10-68 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

2.Selecione as imagem de referência A, B ou C, pressionando repetidamente a tecla


esquerda do trackball. (ex. A) A imagem de referência selecionada é circundada por uma
linha verde.
NOTE: É possível que esta tecla tenha de voltar a ser selecionada, dependendo da função do
trackball.

4.Mova o trackball para a direção de visualização desejada para o modo niche e pressione
a tecla direita ou esquerda do trackball [Set].
1. Desloque o trackball para rotacionar a imagem em modo nicho em torno do eixo
selecionado.
Eixo Y [horizontal]

Voluson® i Manual básico do usuário 10-69


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Eixo X [vertical]

Posicione as imagens na visualização do modo nicho com o trackball.

Pressione a tecla superior do trackball para alterar a função do mesmo de posição da


imagem para posição do eixo.

Observações:
A seleção e a rotação da imagem de modo Niche também podem ser realizadas com
a roda de navegação.
Use o formato de tela [Single] e o formato de tela [Quad] para mudar da visualização
completa para a visualização quádrupla de Niche (Nicho) e vice-versa.
Utilize os controles rotativos [X-axis] , [Y-axis] , [Z-axis] para rotacionar o volume em
torno de qualquer um dos eixos. Podem realizar-se muitas rotações em torno dos
eixos X, Y e Z.
Efetue os cortes paralelos do eixo da imagem rodando o controle rotativo [Par.shift]
para a imagem de referência selecionada.

10.4.3 VCI Static (VCI estático)

NOTE: A função Volume Contrast Imaging é uma opção. Se esta opção não estiver instalada, a
tecla [VCI Static] (VCI estático) estará oculta.
[VCI Static] (VCI estático) é um modo de "Visualização" especial (em comparação ao Plano
VCI A (Veja Imagiologia de contraste do volume (VCI plano A) na página 10-18 para mais
informações.) e Plano VCI C (Veja Imagiologia de contraste de Volume (VCI Plano C) na
página 10-20 para mais informações.), que são modos de Captação"). Os dados são
representados como nos Planos seccionais 3D estáticos. No entanto, os três planos são

10-70 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

apresentações VCI (informações de tecido de um corte espesso), computados a partir de


um conjunto de dados 3D.

1. Selecione [Sectional Planes] (planos seccionais) para chamar o menu dos


planos seccionais.

2. Selecione [VCI Static] (VCI estático) para


chamar o menu VCI estático

10.4.4 SonoVCAD labor

NOTE: SonoVCAD labor é opcional. Contate o seu representante de vendas local para mais
informações.
Esta característica permite a supervisão da tarefa usando medições específicas
auxiliadas por marcações de orientação na tela.
10.4.4.1 Operação

Item do menu Descrição

Clique neste item do menu ou prima A para alinhar o


volume automaticamente como descrito em Marcação
da posição da púbis - auto-ajuste na página 10-73.

Clique neste item do menu ou prima P depois de ter


terminado de alinhar o volume como descrito em
Marcação da posição da púbis - manual na
página 10-72.

Clique neste item do menu ou prima B para realinhar o


volume como descrito em Marcação da posição da púbis
- manual na página 10-72.

Clique neste item do menu ou prima G para comutar o


visor das medidas anteriores na tela.

Clique neste item do menu ou prima K para definir o


contorno do crânio como descrito em Definir contorno
fetal na página 10-74. A caixa de verificação controla se
a linha de controle é exibida ou não na imagem de ultra-
som.

Clique neste item do menu ou prima H para definir a


direção da cabeça como descrito em Defina a direção
da cabeça na página 10-74. A caixa de verificação
controla se a linha é exibida ou não na imagem de ultra-
som.

Clique neste item do menu ou prima M para definir a


linha média como descrito em Definir a linha média na
página 10-75. A caixa de verificação controla se a linha é
exibida ou não na imagem de ultra-som.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-71


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Item do menu Descrição

Clique neste item do menu ou prima D para medir a


progressão da cabeça do feto como descrito em
Distância de progressão da cabeça na página 10-75. A
caixa de verificação controla se a linha é exibida ou não
na imagem de ultra-som.

Clique neste item do menu ou prima A para medir a


progressão da cabeça do feto como descrito em Ângulo
de progressão da cabeça na página 10-76. A caixa de
verificação controla se a linha é exibida ou não na
imagem de ultra-som.

Clique neste item do menu ou prima V para eliminar


todas as medidas do volume atual.

Função do trackball O que faz

Contorno do crânio: define um novo ponto de fixação.


Direção da cabeça: define o ponto inicial / final.
Linha média: define o ponto inicial / final.
Distância de progressão: define ponto final.
Ângulo de progressão: define ponto final.
SonoVCAD labor principal: define a imagem de
referência.

Contorno do crânio: desenho final.


Direção da cabeça: Sem função atribuída.
Linha média: nenhuma função designada.
Distância de progressão: Sem função atribuída.
Ângulo de progressão: Sem função atribuída.
SonoVCAD labor principal: nenhuma função designada.

Contorno do crânio: anula a última definição do ponto


de fixação.
Direção da cabeça: anula a última definição do ponto
inicial / final.
Linha média: anula a última definição do ponto inicial /
final.
Distância de progressão: anula a definição do ponto
final.
Ângulo de progressão: anula a definição do ponto final.
SonoVCAD labor principal: sair para Volpre.

10.4.4.2 Marcação Coloque o volume na posição correta usando a rotação, translação e zoom.
da posição da púbis
- manual

10-72 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Alinhe o plano da imagem A com a marcação da longitude da púbis e o plano de imagem


B com a marcação transversal da púbis. Confirme o alinhamento correto clicando no item
do menu Set Position (definir posição).

10.4.4.3 Marcação Auto-ajuste é uma característica conveniente para alinhar automaticamente a imagem
da posição da púbis de ultra-som.
- auto-ajuste
Trace uma linha consistindo num ponto inicial e final ao longo do osso púbico quer no
pano de imagem A, B ou em ambos. Os outros planos de imagem são alinhados
automaticamente. Pode afinar o resultado usando a rotação, translação e zoom. Confirme

o alinhamento correto clicando no item do menu Set Position (definir posição).

Voluson® i Manual básico do usuário 10-73


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.4.4.4 Definir con- Trace a posição do coração fetal ponto por ponto.
torno fetal

10.4.4.5 Defina a Trace uma linha de dois pontos ao longo do diâmetro máximo da cabeça. Em seguida
direção da cabeça marque o ponto mais distante do contorno da cabeça. A direção da cabeça é
automaticamente calculada como uma linha octogonal em relação ao diâmetro máximo
que passa pelo ponto distal

10-74 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.4.4.6 Definir a Marque a posição da linha média com uma linha de dois pontos. O resultado de medição é
linha média o ângulo calculado entre o eixo vertical e a linha média. Como a rotação pode efetuar-se
para a esquerda ou para a direita, é necessário iniciar a medição no occiput para
conseguir resultados exatos.

10.4.4.7 Distância Efetue esta medição no plano de imagem A. O ponto de medição da origem está
de progressão da bloqueado verticalmente na púbis. Marque o ponto distal da cabeça fetal para medir a
cabeça distância entre a púbis e a cabeça em milímetros.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-75


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.4.4.8 Ângulo de Efetue esta medição no plano de imagem A. Comece a partir do centro da púbis, defina o
progressão da ponto final ao qual a linha tracejada está tangente em relação à cabeça do feto. A
cabeça medição que resulta é o ângulo diedral entre a púbis e a linha definida.

10.4.5 Operação MagiCut

Este software tem a capacidade de editar eletronicamente as imagens, permitindo cortar


"artefatos em 3D".

A imagem da esquerda acima visualizada é apresentada sem cortes, ao passo que à da


direita foram aplicadas técnicas de corte que permitiram obter uma visão mais clara do
objeto de interesse.
A função de corte proporciona seis métodos de corte. Estes métodos diferentes podem ser
utilizados em diversos casos, permitindo obter uma visão desobstruída do objeto de
interesse.

10-76 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

A imagem que se segue mostra uma imagem apresentada em 3D antes e depois de lhe
serem aplicados cortes 3D. Os cortes foram executados através da rotação da imagem
para lhe conferir a melhor visão e utilizando o método de 'contorno interno'.

Para a operação veja: Operação MagiCut Operação MagiCut na página 10-77


NOTE: A função de corte só se encontra disponível numa imagem apresentada em 3D.
NOTE: Num modo de visualização combinado (Modo Pictogram: imagem 3D + planos seccionais
2D) a informação de corte permanece nos planos 2D.
10.4.5.1 Operação
MagiCut

1.Selecione o item [MagiCut].


Aparece o seguinte menu na área de menu.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-77


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Observação:
O sistema comuta para o modo ROI 3D Quad mode (se não estiver ativo) para editar
a caixa de apresentação.
A visualização de imagem 3D é ativada, caso não esteja já ativa.
2.Use o controle de tela para rotacionar a imagem 3D apresentada para umaposição em
que os artefatos 3D ou as informações indesejadas possam ser cortados. Veja 3D
Controle de tela na página 10-3 para mais informações.
3.Selecione Cut Mode (Modo cortar) e defina a região de interesse a ser cortada
Trace Mode dentro, fora

Trace Inside: a imagem no interior do contorno será eliminada. Trace Outside: a imagem
no exterior do contorno será eliminada.
Posicione o primeiro ponto, introduza-o com o botão direito ou esquerdo [Set] do trackball
e desloque a cruz ao longo do traço pretendido. As linhas vermelhas que marcam o traço
ficam automaticamente definidas. Pressione novamente o botão direito ou esquerdo [Set]
do trackball. A região dentro/fora do traço será cortada da imagem apresentada em 3D.
Se um contorno for deixado aberto, o programa fechá-lo-á automaticamente com uma
linha que vai diretamente do ponto final para o ponto inicial.
Caixa dentro, Caixa fora

Box Inside: todas as informações dentro da caixa serão cortadas. Box Outside: todas as
informações fora da caixa serão cortadas.
Posicione o ponto superior esquerdo com o trackball e introduza-o com o botão direito ou
esquerdo [Set] do trackball. Posicione o ponto inferior direito com o trackball no sentido
diagonal de modo a criar uma caixa. O traço vermelho da caixa é visualizado
imediatamente. Pressione novamente o botão direito ou esquerdo [Set] do trackball. A
região dentro/fora da caixa será cortada da imagem apresentada em 3D.
Apagador

Eraser Small/Big: Todas as informações abaixo do apagador serão cortadas.


Posicione o primeiro ponto, introduza-o com o botão direito ou esquerdo [Set] do trackball
e desloque o apagador sobre a parte da imagem que pretende apagar. Pressione
novamente o botão direito ou esquerdo [Set] do trackball. A região abaixo do apagador
será cortada da imagem apresentada em 3D.
4.Tipo de corte

10-78 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Esta seleção só é possível em modo de apresentação Glassbody.


Posicione o primeiro ponto, introduza-o com o botão direito ou esquerdo [Set] do trackball
e desloque a cruz ao longo do traço pretendido. Pressione novamente o botão direito ou
esquerdo [Set] do trackball. Utilize a tecla [Depth] para definir o corte.
Para concluir:
Pressione o botão direito ou esquerdo [Done] do trackball. A região abaixo do traço será
cortada da imagem apresentada em 3D.
5Executar o corte seguinte
Rode a imagem apresentada para outra posição e continue com os pontos 2 Para 4.
novamente.
6Cut Undo

Apaga o último corte executado (um a seguir


último:
ao outro).

All: Apaga todos os cortes executados.

7Desligar o Modo MagiCut


Pressione esta tecla no painel de controle. O menu Static 3D é exibido novamente.

NOTE: Se for visualizada uma imagem 3D cortada e se mudar para o modo 3D ROI, aparece um
aviso no monitor.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-79


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.4.6 Gráfico de ajuda de orientação

A imagem de ajuda de orientação mostra apenas a posição do plano de imagem de


referência real dentro do corpo de volume sem relação direta com o paciente.
A imagem de ajuda de orientação só é visualizada no quadrante inferior direito no modo
Sectional Planes.

Para ativar ou desativar o gráfico de ajuda de orientação selecione [O.H.Graphic] no menu


3D/4D Main .

Ex: Gráfico de ajuda de orientação de um transdutor abdominal.


Nota: O gráfico O.H. do transdutor de volume transvaginal 3D é invertido.
NOTE: O alinhamento do corpo de volume NÃO é o alinhamento do corpo do paciente.

10.4.7 SRI (Imagiologia com redução de ruído)

A Imagiologia com redução de ruído (SRI) é um filtro de tipo alisamento para reduzir o
ruído na imagem de ultra-sons. Pode ser utilizada com qualquer sonda ou aplicação
clínica quando o ruído da imagem interfere com o detalhe pretendido da mesma.

Este filtro alisa a imagem final (as estruturas podem estar esborratadas).
Para fins de diagnóstico, a opção Região de interesse [Region of Interest] deve ser
selecionada sem filtro SRI.

Ative a função [SRI] no modo 2D e altere o nível de alisamento pressionando entre [SRI II
Low] e [SRI II High].
Modos de visualização que suportam SRI:
Modo 2D, modo Power Doppler, modo fluxo de cor, modo fluxo HD.
No modo 2D, podem ser combinados SRI e CRI (ver Composto de Resolução de
Imagem (XBeam CRI) na página 5-7).

10-80 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.5 Cines

10.5.1 Auto-Cine

1.Prima a tecla superior do mouse trackball [Auto Cine] para visualizar o menu 4D
Volume Cine .
O seguinte menu é exibido:

2. Para iniciar a seqüência pressione o botão esquerdo ou direito do trackball. O volume


selecionado é simultaneamente exibido na tela.

3.Selecionar a velocidade de revisão

Analise nas duas direções através do bloco de imagens: Primeira imagem...última imagem,
última imagem...primeira imagem, etc. Analise em uma direção através do bloco de
imagem: Primeira imagem...última imagem, primeira imagem...última image, etc.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-81


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Pressione o botão direito do [Start], , Cine fica ativo. A tecla muda para [Stop].
Ao tocar nessa tecla novamente, os volumes selecionados de uma seqüência Real Time
4D serão exibidos volume a volume com o trackball.

10.5.2 Cine rotação 3D

Para obter uma impressão geral em 3D do objeto apresentado, é visualizado um certo


número de vistas calculadas, imagem por imagem, em rápida sucessão. O objeto
apresentado, por assim dizer, vai rodando para o observador.
Modo Transparent:
Apenas a rotação do objeto permite obter uma impressão tridimensional devido ao
movimento da estrutura.
10.5.2.1 Para calcu-
lar uma 3D Rotation
Cine Sequence
(Seqüência do cine
de rotação 3D): 1.Ative o modo de exibição [3D Rot.Cine].
O monitor exibe o menu 3D Rot.Cine Edit (Editar cine rotação 3D).

2.Selecionar o eixo de rotação


Selecione entre a rotação X e Y da seqüência cine 3D.

10-82 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

3.Selecionar o ângulo de rotação


Selecione o ângulo de rotação pretendido.

4.Selecionar o ângulo de escalão


A trama escalonada define a quantidade de rotação entre imagens 3D contíguas.

5.Selecionar Calculate

Pressione alternadamente a tecla direita ou esquerda [Calculate] do trackball. É


calculada e memorizada uma imagem após a outra na memória cine. Uma vez
terminado o cálculo, a seqüência cine de rotação é visualizada na tela.

Para quebrar o cálculo Cine:

Ativação da tecla direita ou esquerda [Stop] do trackball interrompe o cálculo atual. Se,
nesta altura, não tiver sido realizado qualquer cálculo de imagem, verificar-se-á um
retorno automático ao menu 3D ROI.

Se, contudo, pelo menos um cálculo de imagem estiver concluído (linha de estado
Calculating image mostra número > 1), a saída do cálculo, a seqüência cine calculada
(até a interrupção) são exibidas e o menu cine aparece.
Possível operação de uma seqüência cine exibida veja: Start/Stop the calculated Sequence
Start/Stop the Calculated Sequence (Iniciar/Parar a seqüência calculada) na
página 10-84

Voluson® i Manual básico do usuário 10-83


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.5.2.2 Start/Stop
the Calculated
Sequence (Iniciar/
Parar a seqüência
calculada)

Toggle function: [Start / Stop] Pressione a tecla direita ou esquerda do trackball para
iniciar a seqüência 3D cine. Na tela, a seqüência cine começa a rodar (se não estiver já
rodando).

Loop Mode Direction


Se várias imagens 3D tiverem sido calculadas, podem ser automaticamente visualizadas
numa seqüência.
As imagens em modo Transparent só irão apresentar o efeito 3D desta forma.

Analise nas duas direções através do bloco de imagens: Primeira imagem...última imagem,
última imagem...primeira imagem, etc. Analise em uma direção através do bloco de
imagem: Primeira imagem...última imagem, primeira imagem...última image, etc.
Selecione a velocidade de rotação

A velocidade de seqüência através do número de imagens pode variar entre: 6%, 12%,
25%, 50%, 100%, 200% e 400%.
Selecione o nível de zoom

A amplificação da imagem 3D pode variar mediante a utilização dos botões do menu.


Seleção de imagens únicas

Depois de pressionar a tecla direita ou esquerda [Stop] do trackball, desloque o mesmo


na horizontal, podendo selecionar cada imagem individual passo a passo. Pressione a
tecla direita ou esquerda [Start] do trackball para retomar a rotação automática. O
número visualizado indica: ( 2 / 10 ): número da imagem na seqüência.

10-84 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Misturar os modos de cálculo

Pressionar esse controle do Menu regula a relação de mistura entre os dois modos
calculados.
Editar a seqüência Cine calculada

Ao selecionar este item, aparece novamente o menu 3D CinePre .

10.6 Volume ultra-som - teoria

10.6.1 Descrição geral

O modo Volume permite examinar um volume de tecido e proceder posteriormente à


análise tridimensional do mesmo por seções. A ampla seleção de seções nesse volume e a
visualização simultânea 4D em tempo real de três planos ortogonais bem como uma
imagem com apresentação tridimensional representa uma nova dimensão, por exemplo,
o diagnóstico de anomalias fetais. O modo Volume fornece acesso a seções que eram
inatingíveis com a técnica de exame bidimensional.
Uma interface paralela permite memorizar dados de volume num disco rígido para repetir
a análise em qualquer altura.
Exemplo de "faces" fetais através de amplas seleções de seções:

Os conjuntos de dados de volume podem ser processados mediante o modo de


visualização Rendering (apresentação) para imagens no modo de superfície ou
transparente.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-85


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.6.2 Princípio da captação de volume

A captação de conjuntos de dados de volume é realizada por exames bidimensionais com


transdutores concebidos para exames bidimensionais, a varredura 3D e os exames 4D em
tempo real. A captação de Volume inicia-se utilizando uma imagem bidimensional com
sobreposição da Caixa VOL ou utilizando uma imagem bidimensional e a cores. No caso
de uma imagem bidimensional e a cores a Caixa de cor é simultaneamente a Caixa VOL. A
imagem bidimensional de início representa o exame bidimensional central do volume. O
exame do volume propriamente dito varre de uma margem para a outra do volume a
captar.

A CAIXA VOL enquadra a Região de Interesse (ROI) que irá ser memorizada durante a
varredura do volume. A visualização apresenta o exame bidimensional real.
O tempo de varredura varia e depende da dimensão da CAIXA VOL (alcance de
profundidade, ângulo) e da qualidade (6 posições). O transdutor tem de ser segurado com
firmeza e mantido no devido lugar durante o exame tridimensional do volume. A
visualização em tempo real de imagens B obtidas por varredura permite uma observação
contínua da qualidade do exame. Durante o exame 4D em tempo real, não é necessário
manter o transdutor imobilizado devido à constante captação de volume.

10-86 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.6.3 Principais modos de exame

O exame do volume é automaticamente realizado por um movimento de inclinação da


cabeça do aparelho 2D. O volume examinado é semelhante à seção de uma tumefação.
Tipo de transdutor:

Abdominal Pequenas partes Transvaginal

10.6.4 O que é apresentação de imagem em 3D interativa?

A apresentação 3D Image Rendering é um processo de cálculo destinado a visualizar


determinadas estruturas de um volume examinado em 3D através de uma imagem
bidimensional. O valor cinzento para cada pixel da imagem 2D é calculado a partir dos
voxels, ao longo do percurso de projeção correspondente (feixe de análise) através do
volume. O modo transparente ou de superfície do algoritmo (cálculo) da apresentação é
que decide quais as estruturas tridimensionais a visualizar.
Veja também: Captação de volume: 3D Rendering )

10.6.4.1 O que sig- Interativo significa que cada uma das operações/regulações relativas ao resultado do
nifica interativo? processo de apresentação pode ser seguida em tempo real. O hardware rápido e o
software inteligente permitem obter imagens apresentadas em tempo real. Depois de
uma etapa da operação, os resultados são apresentados com uma resolução mais fraca
de modo a acelerar o feedback interativo, e quando não se verifica uma operação o
resultado é apresentado com uma elevada resolução.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-87


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.6.5 Orientação da imagem (Todos os modos de aquisição)

Estado inicial:
Imagem B:
Regule um exame longitudinal do objeto pretendido. Ative o modo 3D e inicie a captação
de volume.
Orientação na imagem B: cima -> baixo

Orientação resultante dos planos secionais (modo leitura).

Orientação da imagem B: cima -> baixo

10-88 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Orientação resultante dos planos secionais (modo leitura).

10.6.6 Princípio da análise de imagem seccional

A tela de visualização mostra o plano seccional situado no volume, que foi selecionado
através da rotação e desvio de um corpo de volume em relação ao plano de visualização.
Deslocamento do corpo de volume relativamente ao plano de visualização:

Rotação do corpo de volume em relação ao plano de visualização:

Voluson® i Manual básico do usuário 10-89


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

A rotação pode ser feita em relação ao eixo X ou ao eixo Y do plano de visualização ou em


relação ao eixo Z que é normal no plano de visualização.

Situação inicial Rotação (em relação ao eixo X)

A posição do corpo de volume em relação ao plano de visualização é determinada por um


sistema relativo de coordenadas. Este é composto por três eixos ortogonais, sendo que a
intersecção comum dos quais é o centro de rotação triaxial. Estes eixos são visualizados
no plano de visualização - exatamente nos sentidos X, Y e Z e apresentam-se coloridos. A
rotação em torno de qualquer um destes eixos e o deslocamento do centro de rotação
tornam visualizável qualquer plano imaginável dentro do volume. A posição INIT (inicial) do
corpo do volume em relação ao plano de visualização pode ser redefinida; trata-se da
situação inicial após a conclusão de um exame do volume.
A representação padrão: modo de 3 seções. Os 3 planos seccionais ortogonais são
visualizados em simultâneo no campo do monitor dividido em quartos. Cada quarto de
campo apresenta uma visualização seccional através do corpo do volume, como se ilustra
a seguir.

Planos seccionais A, B, C Visualização de A, B, C

As linhas de intersecção dos planos são visualizadas com cores:


AB = azul
AC = vermelho
BC = amarelo

10-90 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Orientação das linhas de intersecção na tela:

Seção/campo A B C

Linha de intersecção
V V N
AB
V = Vertical
Linha de intersecção H = Horizontal
H N H
AC N = Normal
Linha de intersecção
N V V
BC

Através desta definição, também se define a relação da posição das 3 imagens A, B, C


(como se pode comprovar pela direção em que apontam as setas). A apresentação dos 3
planos seccionais ortogonais pode resultar em não conformidade com a orientação
personalizada convencional em relação ao paciente em sonografia bidimensional. Um
sistema de identificação - a visualização automática da direção da secção - irá esclarecer
este assunto.
Nota:Sempre que se seleciona uma secção longitudinal normal (do paciente) para o
campo de visualização A, a orientação normal para as secções longitudinal e transversa é
válida.
NOTE: Para ativar o controlo da tela: 3D Controle de tela na página 10-3
10.6.6.1 Rotação e
imagens de referên-
cia

Através da rotação do corpo de volume relativamente ao plano da tela no sentido dos


ponteiros do relógio (como se ilustra), calculam-se os novos planos seccionais em tempo
real e visualizam-se na a tela.
Rotação em torno do eixo Y de uma imagem de referência (ex: A).
Rotação do controle rotativo [Y-axis] no sentido dos ponteiros do relógio:

Voluson® i Manual básico do usuário 10-91


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Através da rotação do corpo de volume relativamente ao plano da tela no sentido dos


ponteiros do relógio (como se ilustra), calculam-se os novos planos seccionais em tempo
real e visualizam-se na tela.
Rotação em torno do eixo Z de uma imagem de referência (ex: A).
Rotação do controle rotativo [X-axis] no sentido dos ponteiros do relógio:

Através da rotação do corpo de volume relativamente ao plano da tela no sentido dos


ponteiros do relógio (como se ilustra), calculam-se os novos planos seccionais em tempo
real e visualizam-se na tela.
Notas importantes para o usuário:
A rotação deve ser executada lentamente para entender a orientação.
Não rotacione com ângulos grandes exceto quando pretende alterar a orientação
esquerda/direita ou cima/baixo. Com um ângulo de rotação de 90° em torno de um
eixo, as seções A, B, C serão alteradas:
Imagem de referência ex., A:
Eixo X::A ´ C
Eixo Y:A ´ B
Eixo Z:B ´ C
Antes de fazer a rotação, coloque o centro de rotação na parte da imagem que você
não deseja perder.

10-92 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

10.6.6.2 Traduções A tradução permite um deslocamento do centro de rotação ao longo das linhas de
intersecção dos Planos seccionais A, B e C. O deslocamento do centro de rotação resulta
na visualização de imagens seccionais paralelas.
Para obter cortes paralelos de imagens, rotacione o controle rotativo Parallel shift.
Rotação do controle rotativo [X-axis] no sentido dos ponteiros do relógio:

Imagem de referência: A

O plano seccional migra da frente para trás através do corpo de volume.

Imagem de referência: B

O plano seccional migra da esquerda para a direita através do corpo de volume.

Imagem de referência: C

O plano seccional migra de cima para baixo através do corpo de volume.


Nota importante:
Os termos "frente, esquerda, cima" etc. não estão orientados para o paciente, mas servem
como explicação. É óbvio que o "paciente" poderia hipoteticamente ser rodado para
conseguir a posição descrita.
O movimento paralelo da imagem de referência visualizará as novas linhas de intersecção
com as imagens que não são de referência. Os planos seccionais das imagens que não
são de referência não se alteram.

Voluson® i Manual básico do usuário 10-93


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Posicionamento do eixo do centro de rotação na imagem de referência:

O centro de rotação pode ser posicionado em termos de X/Y pelo trackball. Este fato
também provoca um deslocamento paralelo dos planos apresentados pelas imagens
que não são de referência. A linha de intersecção das imagens que não são de referência
com a imagem de referência sofrerá um desvio paralelo correspondente do eixo X ou Y.

O posicionamento do centro de rotação da imagem de


IMPORTANTE: - referência marca o ponto que não se irá perder durante a
rotação.

Recomenda-se a utilização do controle rotativo [Par.shift]


juntamente com a seleção de referência para a realização de
- secções paralelas. Neste modo, apenas uma das imagens é
atingida pelas alterações, o que resulta numa velocidade de
transferência de imagens mais rápida.

A execução de seções paralelas é simples e fácil de


- compreender, devendo, por isso, ser preferida para a
exploração pormenorizada de um objeto.

Característica do sistema:
O centro de rotação não pode deixar o campo de visualização A, B ou C. No caso de uma
linha de intersecção atingir a margem do campo, a linha permanecerá nesse lugar e a
imagem (deslocando um pouco mais) continuará a mover-se na direção do deslocamento.
Esta característica é particularmente útil quando, devido à ampliação, o campo de
visualização é pequeno relativamente à área do plano a observar.
10.6.6.3 Estado ini-
cial dos diversos
transdutores
Pressione a tecla [Init] para reinicializar as rotações e traduções de uma seção de volume
para a posição inicial.
Estado inicial da:
Sonda abdominal
Sonda para órgãos pequenos
Sonda endocavitária

10-94 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Estado Init (inicial) de um transdutor abdominal:

Visualização no monitor:

A imagem seccional A representa a imagem bidimensional a partir da qual começou a


captação de volume. Se a imagem de iniciar VOL for uma seção longitudinal (Cr à
esquerda da tela que se segue), obtêm-se as seguintes posições Init:

A anterior (ventral)P posterior (dorsal)Cr cranianoCa caudalR direitaL esquerda

Voluson® i Manual básico do usuário 10-95


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Estado Init (inicial) de uma sonda de pequenos órgãos:

Visualização no monitor:

A imagem seccional A representa a imagem bidimensional a partir da qual começou a


captação de volume. Se a imagem de iniciar VOL for uma seção longitudinal (Cr à
esquerda da tela que se segue), obtêm-se as seguintes posições Init:

A anterior (ventral)P posterior (dorsal)Cr cranianoCa caudalR direitaL


esquerda

10-96 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Estado Init (inicial) de uma sonda endocavitária:

Visualização no monitor:

A imagem seccional A representa a imagem bidimensional a partir da qual começou a


captação de volume. Se a imagem de iniciar VOL for uma seção média-sagital (lado
esquerdo da tela corresponde à posição posterior), obtêm-se as seguintes posições Init:

A anterior (ventral)P posterior (dorsal)Cr cranianoCa caudalR direitaL


esquerda

Voluson® i Manual básico do usuário 10-97


H48671HH Revisão 4
Volume Mode (Modo volume)

Esta página foi deixada intencionalmente em branco.

10-98 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Capítulo 11

Utilities (Utilitários)

O menu Utilities (Utilitários) permite-lhe ajustar várias configurações do sistema

Voluson® i Manual básico do usuário 11-1


H48671HH Revisão 4
Utilities (Utilitários)

11. Utilities (Utilitários)

Depois de pressionar a tecla [Utilities] . A área do menu muda para o menu Utilities
(utilitários).

No menu Utilities (utilitários) encontrará itens para


programar o sistema e para ativar diversas funções.
Funções diversas, ver:
Cinzentos/CromáticosVeja Mapa cromático de
cinzentos na página 11-3 para mais informações.
HistogramaVeja Histograma na página 11-8 para
mais informações.
InternetVeja Internet na página 11-10 para mais
informações.
BiópsiaVeja Visualização a Linha-guia da biópsia na
página 11-10 para mais informações.
Índices térmicosVeja Índices Térmicos na
página 11-11 para mais informações.
Ativar a Porta VGA Veja Ativar a Porta VGA na
página 11-11 para mais informações.
Para configuração do sistema, ver:
Configuração do sistema Configuração do sistema na
página 16-2
Configuração da mediçãoVeja Páginas da
configuração de medição na página 17-4 para mais
informações.

11-2 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Utilities (Utilitários)

11.1 Mapa cromático de cinzentos


Um mapa de cinzentos determina o brilho que um eco terá em relação à sua amplitude.
Um mapa de cinzentos determina o brilho que um eco terá em relação à sua amplitude.
Dependendo dos requisitos individuais, pode obter com esta função uma imagem "mais
dura" ou "mais suave", imagem essa que pode ser ajustada em modo de leitura e em
modo de escrita (pós-processamento). A cunha da escala de cinzentos apresentada
corresponde à curva ajustada do mapa de cinzentos. As diferentes curvas do mapa de
cinzentos podem ser associadas a diferentes modos de imagiologia.
Para selecionar um mapa de cinzentos 2D, ver:Mapa de cinzentos 2DVeja Mapa de
cinzentos 2D na página 11-3 para mais informações.
Para selecionar um mapa de cinzentos 3D, ver:Mapa de cinzentos 3DVeja Mapa de
cinzentos 3D na página 11-4 para mais informações.
Para selecionar um mapa cromático, ver:Mapa cromáticoVeja Mapa de Cromático na
página 11-6 para mais informações.

11.1.1 Mapa de cinzentos 2D

Isso define a relação entre a amplitude do eco (entrada) e o brilho (saída) numa tabela de
procura. No total, estão disponíveis 9 mapas de cinzentos predefinidos e 3 mapas de
cinzentos do usuário. Pode selecionar um determinado mapa de forma independente para
cada um dos modos de imagiologia 2D, D, M (por exemplo: mapa 5 para imagiologia 2D e
mapa 2 para imagiologia M, etc.).
Pressione a tecla [Utilities] independentemente do modo que esteja ativo.
Funcionamento:

1.Selecione [Gray/Chroma] (Cinzentos/Cromáticos). O menu Gray Chroma (cromático de


cinzentos) aparecerá.
2.Selecione o modo onde vai alterar a curva do mapa de cinzentos. Tecla iluminada: a
seleção do mapa de cinzentos atribuída a este modo

Voluson® i Manual básico do usuário 11-3


H48671HH Revisão 4
Utilities (Utilitários)

3.Selecione a curva Gray Predefined (cinzentos predefinidos) ou Gray User (usuário de


cinzentos) com o controle de menu.
Regressa ao último menu ativo.

Para criar a sua própria curva do mapa de cinzentos, ver: Menu Gray Edit (editar
cinzentos)Veja Menu Edit (Editar) Cinzentos na página 11-5 para mais informações.

11.1.2 Mapa de cinzentos 3D

1.Pressione a tecla [Utilities] depois da aquisição de volume.

2.Selecione [Gray/Chroma] para ver o menu Gray Chroma (cromáticos de cinzentos).

3.Selecione o modo de visualização do mapa de cinzentos [3D].


Visualização gráfica na tela:

11-4 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Utilities (Utilitários)

Este gráfico é fornecido apenas para a imagem 3D/4D.


Eixo horizontal:valores de cinzentos de 0 a 255 Eixo vertical:brilho do preto ao branco

5.Defina o contraste da curva.


NOTE: Estas definições requerem uma observação atenta da influência sobre a imagem 3D!

Regule o contraste do fundo do écran de escuro para claro. Esta função só tem relevância
no exame B, quando uma parte do fundo da tela se encontra visível.
Regressa ao último menu ativo.

11.1.3 Menu Edit (Editar) Cinzentos

Com a função Edit (editar), é possível criar uma curva de mapa de cinzentos.

Quando se liga a função editar, o menu Edit (editar) aparece na área de estado e a
visualização gráfica do mapa de cinzentos é exibida na caixa de estado.
NOTE: Certifique-se de que a tecla [Trackball Menu Navigation] não está iluminada!
Funcionamento:

Voluson® i Manual básico do usuário 11-5


H48671HH Revisão 4
Utilities (Utilitários)

1.Selecione a posição a modificar ativando o controle de menu correspondente [Point Sel.]


que é apresentado na área de estado.
2.O ponto selecionado pode agora ser posicionado com o trackball nas direções X e Y.
3.Para alterar a posição dos outros pontos, continue conforme indicado em 1. e 2.
4.Selecione um dos itens [User 1] (usuário 1) a [User 3] (usuário 3) para memorizar a curva
de cinzentos ajustada.Utilize o comutador indicado na área de estado para comutar entre
as curvas de cinzentos.
Observações:
Um algoritmo de espinha produz a curva ao longo de todos os 6 pontos.
Visualização gráfica na tela:

Voltar ao menu anterior. Note que as alterações no menu Edit (editar) não serão
memorizadas. O mapa de cinzentos válido antes de se introduzir outro novo no menu Edit
(editar) voltará a ser válido.

Ao ativar este controle de menu, seleciona uma determinada função na curva de


cinzentos.
NOTE: Se fizer [Exit] (sair) agora, as alterações no menu Edit (editar) são memorizadas e a posição
da tecla permanece ativa no Menu de cinzentos.

11.1.4 Mapa de Cromático

Isto define a relação entre a amplitude do eco (entrada) e o valor cromático (tom e
saturação da cor) numa tabela de procura. O mapa de cinzentos atual define o brilho. A
partir de um total de 5, pode selecionar um mapa independente para cada um dos modos
de imagiologia 2D, D, M ou 3D. (Por exemplo: vela para imagiologia 2D e azul para
imagiologia M, etc.)
1.Pressione a tecla [Utilities] independentemente do modo que esteja ativo.

2.Selecione [Gray/Chroma] (Cinzentos/Cromáticos). O menu Gray Chroma (cromático de


cinzentos) aparecerá.

11-6 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Utilities (Utilitários)

3.Selecione o modo a colorir (2D, M, D, 3D).Tecla iluminada: a seleção do mapa de


cinzentos atribuída a este modo.

4.Selecione um Mapa cromático.O Mapa cromático selecionado é ligado e atribuído ao


modo selecionado.
Observações:
A entrada para o mapa cromático são os valores dados pelo mapa de cinzentos atual. Por
isso, o mapa cromático pode ser modificado alterando o mapa de cinzentos.
Regressa ao último menu ativo.

Voluson® i Manual básico do usuário 11-7


H48671HH Revisão 4
Utilities (Utilitários)

11.2 Histograma
Com esta função a distribuição da escala de cinzentos ou da cor dentro de uma região de
interesse (ROI) marcada será apresentada em forma gráfica. Podem ser apresentados três
histogramas na tela simultaneamente.
Há três possibilidades para calcular a distribuição da escala de cinzentos ou da cor:
Histograma 2DVeja Histograma 2D na página 11-8 para mais informações.
Histograma 3DVeja Histograma 3D na página 11-9 para mais informações.

11.2.1 Histograma 2D

Funcionamento:
1.Memorizar uma imagem em modo 2D, modo CFM ou PD.
2.Ative Histograma pressionando a tecla [Utilities] e selecionando [Histogram].
A área do menu muda para o menu Utilities (utilitários).

3.Selecione o número do histograma: 1, 2 ou 3.


4.Utilize o trackball para colocar o retângulo sobre a ROI.
5.A tecla superior do trackball muda de posição para tamanho da ROI e outra vez para o
mesmo.
6.Pressione a tecla direita ou esquerda do trackball para calcular o histograma. O
histograma e número correspondente (à esquerda e abaixo da caixa) serão calculados e
apresentados.
Observações:
Não é possível introduzir medições, anotações de texto, marcas no corpo assim como
todas as definições pós-processamento no modo histograma.
Visualização do histograma em escala de cinzentos

Eixo X: valores da escala de cinzentos de 0 a 255


Eixo Y: incidência em %, incidência normalizada a máxima
A: Valor médio

11-8 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Utilities (Utilitários)

A = Soma de [valores x presença]Número de valores na ROI


SD: Desvio padrão
Visualização de um histograma a cores:

Eixo X: valores de cores de acordo com a barra de cores


Eixo Y: incidência em %, incidência normalizada a máxima
C: Valores das cores em %
SD: Desvio padrão

11.2.2 Histograma 3D

Funcionamento:
1. Memorizar uma imagem em modo 3D, modo 3D/PD ou 3D/CFM.
2. Depois de pressionar a tecla [Utilities] e selecionar o item [Histogram], o menu
Histograma é apresentado na tela.
3. Selecione o número do histograma: 1, 2 ou 3.
4. Utilize o trackball para colocar a ROI sobre um dos planos secionais.
5. A tecla superior do trackball muda de posição para tamanho da ROI e outra vez para o
mesmo.
6. Pressione a tecla direita ou esquerda do trackball [Calculate]. O histograma com o
número correspondente será calculado e apresentado.
NOTE: A visualização é a mesma que a visualização do Histograma 2DVeja Histograma 2D na
página 11-8 para mais informações. ver:

Voluson® i Manual básico do usuário 11-9


H48671HH Revisão 4
Utilities (Utilitários)

11.3 Internet
Com esta função o usuário será automaticamente ligado à World Wide Web.
Funcionamento:

Chame o browser (explorador) da Internet selecionando o item [Internet] no menu


Utilities (utilitários) (tela inteiro)
O cursor do mouse é atribuído ao trackball.

O clique e o duplo clique podem ser efetuados com as teclas esquerda e direita do
trackball (corresponde à tecla esquerda do mouse). O menu Context (contexto) pode ser
chamado com a tecla superior do trackball (corresponde à tecla direita do mouse).

Pressione a tecla [Exit] no painel de controle para sair do explorador da Internet.


Observação:
Esta função só está disponível se o sistema estiver ligado à internet!

11.4 Visualização a Linha-guia da biópsia


AVISO!
As linhas de biópsia devem ser programadas uma vez pelo pessoal de assistência ou
pelo usuário. O procedimento deverá ser repetido se os transdutores e/ou os guias de
biópsia forem trocados!
Antes de realizar a biópsia, certifique-se que a linha de biópsia em exibição coincide
com o percurso da agulha (verifique em um recipiente com água aquecida a
aproximadamente 47ºC). Para mais instruções, ver:Para programar uma Linha de
Biópsia de Ângulo ÚnicoVeja Programar Linha de biópsia de ângulo único na
página 17-25 para mais informações. .
Para programar uma Linha de Biópsia de Ângulo Múltiplo Programar Linha de biópsia de
ângulo múltiplo na página 17-27
Leia "Instruções para uma utilização segura" em Sondas e Biópsia/ Questões
especiais relativas à biópsiaVeja Questões especiais relativas à biópsia na
página 18-24 para mais informações. .
Funcionamento:
Pressione a tecla [Utilities].

Selecione o item [Biopsy] (biópsia).


A linha-guia da biópsia está ligada se a tecla Biopsy estiver iluminada.
Para desligar a linha-guia da biópsia, selecione novamente o item [Biopsy]. Comuta entre
ON (ligar) e OFF (desligar).
Para programar uma linha de biópsia, ver:

11-10 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Utilities (Utilitários)

Para programar uma Linha de Biópsia de Ângulo Único Veja Programar Linha de biópsia
de ângulo único na página 17-25 para mais informações..
Para programar uma Linha de Biópsia de Ângulo Múltiplo Veja Programar Linha de
biópsia de ângulo múltiplo na página 17-27 para mais informações.
Observações:
Para o Manuseamento, Esterilização, Montagem de um guia de biópsia, etc., ver:
Questões especiais relativas à biópsiaVeja Questões especiais relativas à biópsia na
página 18-24 para mais informações. .
É possível programar uma linha-guia de biópsia para cada transdutor.

11.5 Índices Térmicos


Com esta função, o usuário pode selecionar o índice térmico que pretende visualizar:
TIS(Índice Térmico de Tecidos Moles)
TIB(Índice Térmico do Osso)
TIC(Índice Térmico do Osso Craniano)
Funcionamento:
1.Pressione a tecla [Utilities].

2.Selecione o item [TI sel.] para abrir o menu pendente.


3.Selecione o índice térmico desejado.
Observações:
Ao fazer o diagnóstico, note os números de índices que está a utilizar e quais são os
controles que afetam as leituras.
Tente manter os números de índices o mais baixos possíveis, enquanto mantém a
informação de diagnóstico dentro da imagem. Isto é especialmente importante
quando se está a fazer um exame a um feto.
Ver também: Derivação e significado dos índices térmicos e mecânicos Veja Derivação e
Significado dos Índices Térmicos e Mecânicos na página 2-16 para mais informações. e
Vetores de limitação Veja Vetores de Limitação na página 3-6 para mais informações.

11.5.1 Ativar a Porta VGA

Ative esta função para ativar a saída para um monitor no externo.


NOTE: Ligue o monitor externo à Porta VGA do seu Voluson® i antes de o ativar.
Pressione a tecla [Utilities].

Selecione o item Ativar a porta VGA.


A porta VGA está agora ativada.
NOTE: A saída VGA permanece ativada até desligar o sistema. Não há opção para desativar a
porta VGA.

Voluson® i Manual básico do usuário 11-11


H48671HH Revisão 4
Utilities (Utilitários)

11.5.2 Tela de Proteção

11.5.2.1 Introdução Bloqueio do écran é uma função de segurança. Protege o sistema através de senha contra
intrusos indesejados. Existem três formas de ativar o bloqueio do écran:
pressionando a tecla [Screenlock]
ou no arranque
assim que o protetor de tela inicia
Quando o Bloqueio do écran está ativado, aparece um diálogo de ecrán completo sem
barra de título nem menu. Para obter acesso total ao sistema, introduza a senha no
campo de texto no canto inferior esquerdo. No caso de você ter esquecido a senha, pode
entrar no sistema no modo de emergência pressionando o botão de emergência. O modo
de emergência não lhe permite obter acesso total, mas permite-lhe examinar e salvar
pacientes.
Quando o bloqueio do écran é ativado, o sistema fica configurado do seguinte modo:
Todas as atividades de diagnóstico são interrompidas, como se o botão Freeze
(Congelar) ou Cancel (Cancelar) tivesse sido pressionado.
Todas as teclas ficam desativadas exceto o botão do trackball esquerdo e direito e o
botão de ligação à corrente.
O hardware é colocado em modo de poupança de alimentação.

11.5.2.2 Ativando a O bloqueio do écran tem de ser ativado antes para poder proteger seu sistema:
tela de proteção
Pressione a tecla de hardware [Utilities] (Utilitários).
Pressione S ou clique na tecla [System] (Sistema) para chamar o écran de configuração do
sistema.
Clique no cartão de preenchimento General (Geral).
Selecione a caixa de verificação Screen Lock (Bloqueio do écran) (4) para ativar o
Bloqueio do écran.
Selecione a caixa de verificação (5), se desejar que a Tela de Bloqueio proteja
automaticamente seu sistema sempre que o protetor de tela iniciar.

11-12 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Utilities (Utilitários)

Ao ativar a Tela de Bloqueio pela primeira vez, é necessário que digite uma senha.

Introduza a senha e clique em [Save & Exit] (Salvar e sair). As regras, sobre o que é uma
senha válida, aparecem numa bolha.

Confirme que deseja ativar o bloqueio do écran com [Save & Exit] (Salvar e sair)

Voluson® i Manual básico do usuário 11-13


H48671HH Revisão 4
Utilities (Utilitários)

Você acabou de ativar a Tela de Bloqueio e o menu de utilitários alterou-se.

11.5.2.3 Opções da Existem três opções.


Tela de Proteção
[Screenlock]: Pressione [Screenlock] para ativar o bloqueio do écran.
[Chg Password]: Clique em [Chg Password] (Mudar senha) se desejar mudar a senha do
bloqueio do écran.
[Full Access]:Esta tecla aparece a cinzento durante a utilização normal. Está disponível
apenas no modo de emergência. Quando desejar obter acesso total ao sistema, clique em
[Full Access] (Acesso total).
11.5.2.4 Modo Quando o bloqueio do écran está ativo, existem duas possibilidades para entrar
Emergência novamente no sistema. Em primeiro lugar, pode obter acesso total digitando a senha ou,
em segundo lugar, pode clicar na tecla [Emergency] (Emergência) para entrar no Modo de
emergência.

O modo de emergência permite-lhe examinar um novo paciente e salvar seus dados, mas
não tem acesso aos últimos exames do paciente ou à lista de trabalho.
Clique na tecla [Full Access] (Acesso total) para sair do Modo de emergência e obter

novamente acesso total. É-lhe pedido que introduza sua senha.

11-14 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Capítulo 12

Medições genéricas

Descreve as funções de medição

Voluson® i Manual básico do usuário 12-1


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

12. Medições genéricas

Medição básica - Tecla Caliper (Calibre) (tecla de hardware)


Pressionando a tecla [Caliper] a função de Medição básica é ativada e aparece um cursor
na área da imagem congelada.
Para obter uma descrição sobre a funcionalidade da Medição genérica, ver: Operações
básicasVeja Operações básicas na página 12-3 para mais informações. .
Por exemplo: Modo 2D+D (o menu ativo é para o modo 2D)

Com estes itens, o modo pode ser alterado e as medidas correspondentes aparecerão na
área do menu na tela.
Medições no modo 2DVeja Medições no modo 2D na página 12-5 para mais
informações.
Medições no modo MVeja Medições no modo M na página 12-13 para mais
informações.
Medições no modo DVeja Medições no modo D na página 12-15 para mais
informações.
Funções adicionais no menu Generic Measurement (Medição genérica):
Para Trocar as Aplicações de MediçãoVeja Para Trocar as Aplicações de Medição na
página 12-19 para mais informações.
Para Ver a Folha de Trabalhos GenéricaVeja Para Ver a Folha de trabalhos genérica
na página 12-20 para mais informações.

12-2 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

12.1 Operações básicas


NOTE: As medições apenas são possíveis no modo de leitura.
Pressionando a tecla [Caliper] no painel de controle, ativa-se a função de Medição
genérica. O visor da área de menu depende do modo de captação e das definições
Genéricas na Configuração de medição. Para mais detalhes, ver: Medição e cálculoVeja
Medição e cálculo na página 17-4 para mais informações.
A seleção das marcas de medição desejadas é feita com a roda de navegação ou
pressionando a tecla de atalho correspondente.

A colocação das marcas de medição é feita com o trackball.

A introdução e o armazenamento das marcas de medição são feitos com a tecla direita
ou esquerda do trackball [Set] (Definir).

Para alterar as marcas de medição antes de terminar pressione a tecla superior do


trackball [Change] (Alterar). Se desejar reajustar uma linha traçada, pressione a tecla
superior do trackball repetidamente [Undo] (Anular).

A área de estado (no canto inferior direito da tela) mostra a função atual do trackball.
Para eliminar os resultados do último item medido, pressione a tecla [Backspace] no
teclado.

Para eliminar os resultados de medição do Estudo selecionado do monitor, bem como da


folha de trabalho correspondente, selecione [Clear Group] (Eliminar grupo), ou pressione a
tecla [Delete] no teclado.

Para apagar a medição e setas pressione a tecla [Clear] (Limpar).

Voluson® i Manual básico do usuário 12-3


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

Para sair do programa Medição genérica: - pressione a tecla [Exit] (Sair) no painel de
controle, - ou pressione a tecla [Caliper] (Calibre) no painel de controle

Dependendo da definição na Configuração da medição, também pode utilizar a tecla


[Freeze] (Congelar) para confirmar a última marca de medição da medição atualmente
executada.
Para obter uma resolução e precisão ótima das medições de doppler, o cursor de
correção [Angle] (Ângulo) deve ser colocado paralelo ao eixo do vaso (na área do
volume de medição).
Quando o visor de resultados estiver cheio, (máx. 4) a primeira medição será escrita
por cima em primeiro lugar.
Exceto no que respeita às medições de traço automático, todos os resultados de
medição serão automaticamente incluídos na folha de trabalho genérica
correspondente. Para salvar os resultados de medição do traço automático, pressione
a tecla direita ou esquerda do trackball [Set] (Definir) previamente.
Dependendo da Configuração da aplicação e do ajuste na Configuração de medição:
RI e PI serão calculados utilizando ED (Diástole Final) ou MD (Diástole Média)
NOTE: Vdiastole = Vend-diastole ou Vmin (dependendo desta seleção)
todas as marcas de medição previamente definidas são apagadas quando se
inicia um novo diagnóstico (descongelar -> modo executar), ou os resultados de
medição são mantidos na tela.
a curva do envelope de doppler espectral é executada com uma linha de traço
contínuo ou por pontos de definição
os resultados de medição do doppler (de acordo com a definição de Auto/
Manual Trace ) são apresentados a seguir à medição de rastreamento
automático ou manual
Para mais detalhes, ver: Parâmetros da aplicaçãoVeja Parâmetros da aplicação na
página 17-20 para mais informações.
Dependendo da definição na configuração da medição:
todas as marcas de medição anteriormente definidas são apagadas quando se
ativa o modo cine, ou os resultados de medição são mantidos na tela.
aparece um novo cursor para repetir a medição, ou não
o calibre (a última marca de medição da medição atual) é fixado quando se prime
as teclas [Freeze](Congelar), [Print A] (Imprimir A) ou [Print B] (Imprimir B),
[Save](Salvar), etc., ou não.
Para mais detalhes, ver: Parâmetros globaisVeja Parâmetros globais na página 17-22
para mais informações.
Além disso, muitas propriedades do visor dependem da definição na configuração de
medição. Por exemplo: o cursor e o tamanho de letra do resultado de medição são
apresentados em tamanho pequeno, médio ou grande
Para mais ajustes e informações, ver: Parâmetros globaisVeja Parâmetros globais na
página 17-22 para mais informações.

12-4 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

Para alterar a aplicação de medição atual selecione o item [Application] (Aplicação) na


área do menu. Para mais detalhes, ver: Para Alterar a Aplicação de MediçãoVeja Para
Trocar as Aplicações de Medição na página 12-19 para mais informações. .
Para ver, modificar, imprimir, etc. a folha de trabalho genérica, selecione o item
[Worksheet] na área de menus. Para mais detalhes, ver: Para Ver a Folha de Trabalho
Genérica Veja Medições de distância genéricas na página 12-6 para mais informações.
Veja Para Ver a Folha de trabalhos genérica na página 12-20 para mais informações..

12.2 Medições no modo 2D


Para mais detalhes sobre as configurações, ver: Configuração de medição - Medições e
cálculosVeja Medição e cálculo na página 17-4 para mais informações.

A subcategoria genérica de Fábrica para o modo de imagem em 2D (ver imagem acima)


suporta 4 tipos de estudo para os seguintes Métodos de medição:

Estudo Medição

Distância 2 pontos Veja Medições genéricas de área


na página 12-7 para mais informações. Veja
Distância 2 pontos na página 12-6 para mais
informações. Distância 2 linhas Veja Distância 2
linhas na página 12-6 para mais informações. Traço
de comprimento Veja Traço de comprimento na
página 12-7 para mais informações. Comprimento
entre pontos Veja Comprimento entre pontos na
página 12-7 para mais informações. Estenose
%distância Veja Estenose % distância na
página 12-7 para mais informações.

Traço da área Veja Medição genérica do volume na


página 12-9 para mais informações. Veja Traço de
área na página 12-7 para mais informações. Ponto da
área Veja Ponto de área na página 12-8 para mais
informações. Área 2 distâncias Veja Área 2 distâncias
na página 12-8 para mais informações. Elipse Veja
Elipse na página 12-8 para mais informações.
Estenose % área Veja Estenose % área na
página 12-8 para mais informações.

Voluson® i Manual básico do usuário 12-5


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

3 distâncias Veja Medição genérica do ângulo na


página 12-12 para mais informações. Veja 2
distâncias na página 12-9 para mais informações.
Elipse Veja Elipse na página 12-9 para mais
informações. 1 distância + Elipse Veja 1 Distância +
Elipse na página 12-9 para mais informações. 1
distância Veja 1 Distância na página 12-11 para mais
informações. Multi-plano Veja Multiplano na
página 12-11 para mais informações.

Ângulo 3 pontos Veja Ângulo 3 pontos na


página 12-12 para mais informações. Ângulo 2 linhas
Veja Ângulo 2 linhas na página 12-12 para mais
informações.

12.2.1 Medições de distância genéricas

12.2.1.1 Distância 2 1. Para medir a distância entre dois pontos, toque no item [Dist.2Point] na área do menu.
pontos Aparece o cursor na tela.
2. Utilize o trackball para deslocar o cursor para o ponto inicial da medição e pressione a
tecla direita ou esquerda do trackball [Set] (Definir) para fixar o marcador. Aparece um
segundo cursor.
3. Desloque o segundo cursor para o segundo ponto da medição e pressione [Set]
(Definir) novamente.
NOTE: Para reajustar o ponto inicial, pressione a tecla superior do trackball [Change] (Alterar)
antes de terminar a medição. Isto alterna o controle de um cursor para outro.
12.2.1.2 Distância 2 1. Para medir a distância entre dois pontos, toque no item [Dist.2Line] na área do menu.
linhas Aparece uma linha na tela.
2. Desloque a linha para o ponto inicial da medição e pressione a tecla direita ou
esquerda do trackball [Set] (Definir).
NOTE: Para reajustar o ponto inicial, pressione a tecla superior do trackball [Change] (Alterar).
3. Desloque o trackball para ajustar o ângulo e, em seguida, pressione [Set] novamente.
Aparece uma segunda linha (paralela à primeira).
4. Desloque esta linha, utilizando o trackball, para o ponto final da medição e, em
seguida, pressione [Set] (Definir).

12-6 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

12.2.1.3 Traço de 1. Para medir a distância entre dois pontos utilizando o traço selecione o item [Length
comprimento Trace] (Traço de comprimento) na área de menu. Aparece o cursor na tela.
2. Utilize o trackball para deslocar o cursor para o ponto inicial da medição e pressione a
tecla direita ou esquerda do trackball [Set] (Definir) para fixar o marcador. Comece a
traçar.
NOTE: Para reajustar a linha traçada, pressione a tecla superior do trackball [Undo] (Anular)
repetidamente.
3. Trace até ao fim e pressione a tecla [Set] (Definir) novamente para fixar a marca.
12.2.1.4 Compri- 1. Para medir a distância entre vários pontos (tantos quantos desejar), selecione o item
mento entre pontos [Length Point] (Comprimento entre pontos) na área de menu. Aparece o cursor na tela.
2. Utilize o trackball para deslocar o cursor para o ponto inicial da medição e pressione a
tecla direita ou esquerda do trackball [Set] (Definir) para fixar o marcador.
3. Desloque o trackball novamente para ajustar a linha seguinte entre dois pontos e, em
seguida, pressione [Set] (Definir) novamente.
NOTE: Para reajustar uma linha, pressione a tecla superior do trackball [Undo] (Anular)
repetidamente.
4. Defina o maior número de pontos, consoante necessário, da mesma maneira.
5. Para terminar a medição e para apresentar o resultado, pressione a tecla [Set] (Definir)
mais uma vez.
12.2.1.5 Estenose % 1. Para medir uma estenose, selecione o item [Stenosis %Dist] na área de menu. Aparece
distância o cursor na tela.
2. Efetue a medição da distância exterior da estenose utilizando o trackball e a tecla
direita ou esquerda do trackball [Set] (Definir). Aparece um segundo cursor.
3. Efetue a medição da distância interior da estenose e pressione a tecla [Set] (Definir).
Observação:
Os resultados (tais como diâmetro externo e interno e estenose %) aparecem
automaticamente..

12.2.2 Medições genéricas de área

12.2.2.1 Traço de 1. Para medir a circunferência e a área utilizando o traço, selecione o item [Area Trace]
área (Traço de área) na área de menu. Aparece o cursor na tela.
2. Utilize o trackball para deslocar o cursor para o ponto inicial da medição e pressione a
tecla direita ou esquerda do trackball [Set] (Definir) para fixar o marcador. Aparece um
segundo cursor.
3. Desloque o segundo cursor à volta da forma a ser medida.

Voluson® i Manual básico do usuário 12-7


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

NOTE: Para reajustar a linha traçada, pressione a tecla superior do trackball [Undo] (Anular)
repetidamente.
4. Quando o segundo cursor está próximo da posição do cursor inicial, ou se pressionar
a tecla direita ou esquerda do trackball [Set] (Definir) novamente o traço é
automaticamente completado por uma linha direita.
12.2.2.2 Ponto de 1. Para medir a circunferência e a área definindo vários pontos (tantos quanto desejar),
área selecione o item [Area Point] (Ponto de área) na área do menu. Aparece o cursor na
tela.
2. Utilize o trackball para deslocar o cursor para o ponto inicial da medição e pressione a
tecla direita ou esquerda do trackball [Set] (Definir) para fixar o marcador.
3. Desloque o trackball novamente para ajustar a linha seguinte entre dois pontos e, em
seguida, pressione [Set] (Definir) novamente.
NOTE: Para reajustar uma linha, pressione a tecla superior do trackball [Undo] (Anular)
repetidamente.
4. Defina o maior número de pontos necessários à volta da forma a ser medida.
Quando prime a tecla [Set] (Definir) novamente, uma linha direita completa
automaticamente o traço.
12.2.2.3 Área 2 dis- 1. Para medir a circunferência e a área de um ovóide utilizando 2 distâncias, selecione o
tâncias item Area 2 Dist na área de menu. Aparece o cursor na tela.
2. Mova o cursor para o ponto inicial da medição e pressione a tecla direita ou esquerda
do trackball [Set] para fixar o marcador. Aparece um segundo cursor.
3. Desloque o segundo cursor para o segundo ponto da medição e pressione [Set]
(Definir) novamente.
NOTE: Para reajustar o ponto inicial, pressione a tecla superior do trackball [Change] (Alterar)
antes de terminar a medição. Isto alterna o controle de um cursor para outro.
4. Meça a segunda distância conforme descrito acima.
12.2.2.4 Elipse 1. Para medir a circunferência e a área de um ovóide utilizando uma elipse, selecione o
item [Ellipse] (Elipse) na área de menu. Aparece o cursor na tela.
2. Coloque o cursor no perímetro da forma a ser medida. Pressione a tecla direita ou
esquerda do trackball [Set] (Definir) para fixar a marca. Aparece um segundo cursor.
3. Desloque o segundo cursor (para formar uma elipse apropriada) e pressione [Set]
(Definir) novamente.
NOTE: Para reajustar o ponto inicial, pressione a tecla superior do trackball [Change] (Alterar)
antes de terminar a medição. Isto alterna o controle de um cursor para outro.
4. Ajuste a largura da elipse com o trackball e, em seguida, pressione a tecla direita do
trackball [Set] (Definir).
12.2.2.5 Estenose %
área

O procedimento de medição é o mesmo da medição na Área genérica - ElipseVeja


Medições genéricas na página 12-13 para mais informações. Veja Elipse na página 12-8
para mais informações. Veja Elipse na página 12-8 para mais informações. .

1. Para medir uma estenose, selecione o item [Stenosis %Dist] na área de menu. Aparece
o cursor na tela.
2. Efetue a medição da distância exterior da estenose utilizando o trackball e a tecla
direita ou esquerda do trackball [Set] (Definir). Aparece um segundo cursor.
3. Efetue a medição da distância interior da estenose e pressione a tecla [Set] (Definir).
Observação:
Os resultados (tais como diâmetro externo e interno e estenose %) aparecem
automaticamente..

12-8 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

12.2.3 Medição genérica do volume

12.2.3.1 2 distâncias 1. Para medir o volume de um ovóide utilizando três distâncias, selecione o item [3 Dist]
na área do menu.Aparece um cursor no écran.
2. Mova o cursor para o ponto inicial da medição e pressione a tecla direita ou esquerda
do trackball [Set] para fixar o marcador. Aparece um segundo cursor.
3. Desloque o segundo cursor para o segundo ponto da medição e pressione [Set]
(Definir) novamente.
NOTE: Para reajustar o ponto inicial, pressione a tecla superior do trackball [Change] (Alterar)
antes de terminar a medição. Isto alterna o controle de um cursor para outro.
4. Meça a segunda distância conforme descrito acima.
NOTE:
Quando utilizar um modo de imagem única, meça as duas distâncias. Pressione
[Freeze] (Congelar) para regressar ao modo de exame e digitalize a segunda imagem.
Pressione [Freeze] (Congelar) novamente. Aparece um novo cursor para a terceira
distância.
Se digitalizou a segunda imagem em modo Dual anteriormente, pode medir a terceira
distância dentro desta segunda (meia) imagem.
5. Execute a medição da terceira distância da mesma maneira.
12.2.3.2 Elipse

O procedimento de medição é o mesmo da medição na Área genérica - Elipse ).

Observação:
Depois da medição é apresentado o volume da elipse.
12.2.3.3 1 Distância 1. Para medir o volume de um ovóide utilizando uma distância e elipse, selecione o item
+ Elipse [1 Dist Ellipse] na área de menu. Aparece o cursor na tela.
2. Mova o cursor para o ponto inicial da medição da distância e pressione a tecla direita
ou esquerda do trackball [Set]. Aparece um segundo cursor.
3. Desloque o segundo cursor para o segundo ponto da medição e pressione [Set]
novamente.
NOTE: Para reajustar o ponto inicial, pressione a tecla superior do trackball [Change] (Alterar)
antes de terminar a medição. Isto alterna o controle de um cursor para outro.

Voluson® i Manual básico do usuário 12-9


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

NOTE:
Quando utilizar um modo de imagem única, meça as duas distâncias. Pressione
[Freeze] (Congelar) para regressar ao modo de exame e digitalize a segunda imagem.
Pressione [Freeze] (Congelar) novamente. Aparece um novo cursor para a terceira
distância.
Se digitalizou a segunda imagem em modo Dual anteriormente, pode medir a terceira
distância dentro desta segunda (meia) imagem.
4. Desloque a linha para o ponto inicial da medição e pressione a tecla direita ou
esquerda do trackball [Set]. Aparece um segundo cursor.
5. Desloque o segundo cursor (para formar uma elipse apropriada) e pressione [Set]
(Definir) novamente.
NOTE: Para reajustar o ponto inicial, pressione a tecla superior do trackball [Change] (Alterar).
6. Ajuste a largura da elipse com o trackball e, em seguida, pressione a tecla direita do
trackball [Set] (Definir).

12-10 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

12.2.3.4 1 Distância Para medir o volume de um volume tipo globo utilizando uma distância, selecione o item
[1 Dist] na área de menu. Aparece o cursor na tela.
1. Utilize o trackball para deslocar o cursor para o ponto inicial da medição e pressione a
tecla direita ou esquerda do trackball [Set] (Definir) para fixar o marcador. Aparece um
segundo cursor.
2. Desloque o segundo cursor para o segundo ponto da medição e pressione [Set]
(Definir) novamente.
NOTE: Para reajustar o ponto inicial, pressione a tecla superior do trackball [Change] (Alterar)
antes de terminar a medição. Isto alterna o controle de um cursor para outro.
12.2.3.5 Multiplano Este programa de medição permite a determinação do volume de qualquer órgão que
tenha sido salvado por um diagnóstico de volume. São colocados vários planos paralelos
através do órgão e são determinadas as áreas destes planos. Um programa de medição
calcula o volume das áreas medidas e distância entre as áreas. Quanto maior o número
de áreas mais exato será o resultado do cálculo do volume.
Condição: uma digitalização do volume armazenado (exibição de Planos Seccionais).

Para medir o volume utilizando o método multi-plano no modo 3D:


1. Selecione a imagem de referência na qual deverá ser executada a medição. (A, B ou C)
2. Selecione o item [Multiplane] (Multi-plano). A área do menu muda para o menu 3D
MultiPlane.
NOTE: A primeira seção deverá ser definida na extremidade do objeto medido.
4.Meça a área (faça como na medição da área). Coloque o ponto inicial da área a ser
girada com o trackball e salve-o. Circunde a área com o trackball, pressione o botão direito
ou esquerdo [Set] (Definir).
A área é calculada e apresentada. A área até pode ser "zero" (ponto no rebordo).
5.Pressione a tecla [Set] (Definir) duas vezes!
6.Selecione a próxima seção paralela com o digipot [Ref.Slice] e meça a área.
7.Repita 5. e 6. até que a extremidade do objeto medido seja alcançada.
Observações:
O contorno da área medida não é apagado se ajustar uma nova seção. A partir do
desvio na nova seção é possível decidir se deverá marcar uma nova área. Com a nova
marca o contorno antigo é apagado.

Para apagar os resultados, selecione o item [Init].

Voluson® i Manual básico do usuário 12-11


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

12.2.4 Medição genérica do ângulo

12.2.4.1 Ângulo 3 1. Para medir o ângulo definindo 3 pontos, selecione o item [Angle 3 Point] (Ângulo 3
pontos pontos) na área de menu. Aparece o cursor na tela.
2. Utilize o trackball para deslocar o cursor para o ponto inicial da medição e pressione a
tecla direita ou esquerda do trackball [Set] (Definir) para fixar o marcador. Aparece um
segundo cursor.
3. Desloque este cursor para o segundo ponto da medição e pressione [Set] (Definir)
novamente.
NOTE: Para reajustar o ponto inicial, pressione a tecla superior do trackball [Change] (Alterar)
antes de terminar a medição. Isto alterna o controle de um cursor para outro.
4. Desloque o terceiro cursor para o ponto final da medição do ângulo.
Observação:
O ângulo entre as duas linhas é apresentado.
12.2.4.2 Ângulo 2 1. Para medir o ângulo entre duas linhas, selecione o item [Angle 2 Line] (Ângulo 2 linhas)
linhas na área de menu. Aparece o cursor na tela.
2. Utilize o trackball para deslocar o cursor para o ponto inicial da medição e pressione a
tecla direita ou esquerda do trackball [Set] (Definir) para fixar o marcador. Aparece
uma linha horizontal.
3. Utilizando o trackball, rode a linha para ajustar o ângulo e, em seguida, pressione [Set]
novamente.
NOTE: Para reajustar o ponto inicial, pressione a tecla superior do trackball [Change] (Alterar)
antes de terminar a medição. Isto alterna o controle de um cursor para outro.

12-12 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

12.3 Medições no modo M


Para mais detalhes sobre as configurações, ver: Configuração de medição - Medições e
cálculosVeja Medição e cálculo na página 17-4 para mais informações.

A subcategoria genérica de Fábrica para o Modo M (ver imagem acima) suporta 1 tipo de
estudo para os seguintes Métodos de medição:

Estudo Medição

Distância 2 pontos Veja Medições genéricas na


página 12-16 para mais informações. Veja Distância
2 pontos na página 12-6 para mais informações. Veja
Distância 2 pontos na página 12-13 para mais
informações. Inclinação Veja Inclinação na
página 12-13 para mais informações.) Tempo Veja
Tempo na página 12-14 para mais informações.)
Estenose %distância Veja Estenose % distância na
página 12-7 para mais informações. Veja Estenose %
distância na página 12-14 para mais informações. HR
(Ritmo cardíaco) Veja HR (Ritmo cardíaco) na
página 12-14 para mais informações.

12.3.1 Medições genéricas

12.3.1.1 Distância 2
pontos

Mede a distância vertical (profundidade do tecido) entre dois pontos. O procedimento de


medição é o mesmo do que a medição no modo 2D. ver: Distância 2 pontos ( Distância 2
pontos na página 12-6 ).

12.3.1.2 Inclinação 1. Para medir o tempo e a inclinação, selecione o item [Slope] (Inclinação) na área de
menu. Aparece o cursor na tela.
2. Mova o cursor para o ponto inicial da medição e pressione a tecla direita ou esquerda
do trackball [Set] para fixar o marcador. Aparece um segundo cursor.
3. Desloque este cursor para o segundo ponto da medição e pressione [Set] (Definir)
novamente.

Voluson® i Manual básico do usuário 12-13


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

NOTE: Para reajustar o ponto inicial, pressione a tecla superior do trackball [Change] (Alterar)
antes de terminar a medição. Isto alterna o controle de um cursor para outro.
12.3.1.3 Estenose %
distância

Mede a distância vertical (profundidade do tecido) entre dois pontos. O procedimento de


medição é o mesmo do que a medição no modo 2D. ver: Estenose %distância ).

12.3.1.4 Tempo 1. Para medir um intervalo de tempo horizontal, selecione o item [Time] (Tempo) na área
de menu. Aparece uma linha na tela.
2. Desloque a linha para o ponto inicial da medição e pressione a tecla direita ou
esquerda do trackball [Set] (Definir).
NOTE: Para reajustar o ponto inicial, pressione a tecla superior do trackball. Aparece uma
segunda linha (paralela à primeira).
3. Desloque esta linha, utilizando o trackball, para o ponto final da medição e, em
seguida, pressione [Set] (Definir).
12.3.1.5 HR (Ritmo 1. Para medir o ritmo cardíaco, selecione o item [HR] na área do menu. Aparece uma
cardíaco) linha na tela.
2. Desloque a linha para o ponto inicial do período e pressione a tecla direita ou
esquerda do trackball [Set] (Definir).A segunda linha aparece.
3. Desloque a segunda linha para o ponto final do período.

4. Selecione o número de ciclos do ritmo cardíaco para medição utilizando este digipot.
5. Pressione a tecla direita ou esquerda do trackball [Set] (Definir) novamente. O ritmo
cardíaco é apresentado.

12.3.2 Vaso Genérico

Itens de medida padrão incluem Área do vaso, Diâm. do vaso, Área da estenose, Diâm. de
estenose, IMT e Diâm. do fluxo. Para obter informações sobre como realizar essas
medições, leia:
Área do vaso/Diâmetro do vaso na página 13-15
Área da estenose/Diâmetro da estenose na página 13-16
Área da estenose/Diâmetro da estenose na página 13-16

12-14 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

12.4 Medições no modo D


Para mais detalhes sobre as configurações, ver: Configuração de medição - Medições e
cálculosVeja Medição e cálculo na página 17-4 para mais informações.

A subcategoria genérica de Fábrica para o Modo Doppler (ver imagem acima) suporta 2
tipos de estudo para os seguintes Métodos de medição:

Estudo Medição

Rastreamento automático Veja Medições do GP


(gradiente de pressão) na página 12-18 para mais
informações. Veja Traço automático na página 12-16
para mais informações. Rastreamento manual Veja
Traço manual na página 12-17 para mais
informações.) Velocidade Veja Velocidade na
página 12-17 para mais informações. Aceleração Veja
Aceleração na página 12-17 para mais informações.)
RI (Índice de resistividade) Veja IR (Índice de
resistividade) na página 12-17 para mais
informações.) PI (Índice de pulsatilidade) Veja IP
(Índice de pulsatilidade) na página 12-17 para mais
informações.) PS/ED (relação sístole de pico/diástole
final) Veja PS/ED (relação sístole de pico/diástole
final) na página 12-18 para mais informações.) Tempo
Veja Tempo na página 12-18 para mais informações.
HR (Ritmo cardíaco) Veja HR (Ritmo cardíaco) na
página 12-18 para mais informações.

PG máx (Gradiente de pressão máximo)Veja PG máx


(gradiente de pressão máximo) na página 12-18 para
mais informações. PG médio (Gradiente de pressão
médio) Veja PG médio (gradiente de pressão médio)
na página 12-18 para mais informações.

Voluson® i Manual básico do usuário 12-15


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

12.4.1 Medições genéricas

12.4.1.1 Traço 1.Para traçar automaticamente o espectro do doppler e apresentar os resultados (de
automático acordo com a definição na configuração de medição), selecione o item [Auto Trace] (Traço
manual) na área de menu.

2.Selecione a sensibilidade da curva do envelope (para eliminar artefatos).

3.Selecione o canal do modo de traço da curva do envelope (superior, ambos, inferior).


4.Se necessário, ajuste [Angle] (Ângulo) e [Baseline] (linha de base).

Aparece uma linha verde à esquerda do espetro. Pressione a tecla superior do trackball
[Change] (Alterar) para deslocar a linha e reajustar o ciclo de início (a linha muda para
amarelo). Pressione a tecla direita ou esquerda do trackball [Set] (Definir) para fixar a
linha. Aparece uma linha verde à esquerda do espetro. Pressione a tecla [Change]
(Alterar) (a linha muda para amarelo), desloque a linha para reajustar o ciclo final e fixe-a
com [Set] (Definir).

A área de estado (no canto inferior direito da tela) mostra a função atual do trackball.
5.Prima a tecla direita ou esquerda do trackball [Set] (Definir) para fixar a linha.
Observação:

12-16 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

Para selecionar resultados de medição do doppler, que seriam apresentados a seguir a


uma medição de traço automático, ver: Parâmetros da aplicação Veja Parâmetros da
aplicação na página 17-20 para mais informações..

A determinação da curva do envelope requer uma gravação clara e com pouco ruído
do espetro do doppler. Caso contrário, não é possível garantir a fiabilidade dos
resultados de medição apresentados!

12.4.1.2 Traço man- 1. Para rastrear manualmente o espectro do Doppler e apresentar os resultados (de
ual acordo com a definição "Rastreamento automático" na Configuração de medição),
selecione o item [Manual Trace] (Rasteamento manual) na área de menu. Aparece um
cursor no espetro do doppler.
2. Mova o cursor para o ponto inicial do período e pressione a tecla direita ou esquerda
do trackball [Set] (Definir) para fixar o marcador. Comece a traçar.
NOTE: Para reajustar a linha traçada, pressione a tecla superior do trackball [Undo] (Anular)
repetidamente.
3. Trace até ao fim do período e pressione a tecla [Set] (Definir) novamente para fixar a
marca.
Observação:
Para selecionar os resultados de medição do doppler, que deverão ser apresentados a
seguir à medição (= Auto/Manual Trace ) e para selecionar a curva do envelope que será
executada com uma linha de traço contínuo ou por pontos de definição (= Manual Trace
Mode ), ver: Parâmetros da aplicação Veja Parâmetros da aplicação na página 17-20
para mais informações..
12.4.1.3 Velocidade 1. Para medir a velocidade no modo de doppler espectral, selecione o item [Vel] na área
de menu. Aparece um cursor na tela.
2. Desloque a linha para o ponto inicial da medição e pressione a tecla direita ou
esquerda do trackball [Set] (Definir).
12.4.1.4 Aceleração 1. Para medir a velocidade no modo de doppler espectral, selecione o item [Vel] na área
de menu. Aparece o cursor na tela.
2. Mova o cursor para o ponto inicial da medição e pressione a tecla direita ou esquerda
do trackball [Set] para fixar o marcador. Aparece um segundo cursor.
3. Desloque este cursor para o segundo ponto da medição e pressione [Set] (Definir)
novamente.
NOTE: Para reajustar o ponto inicial, pressione a tecla superior do trackball [Change] (Alterar)
antes de terminar a medição. Isto alterna o controle de um cursor para outro.
12.4.1.5 IR (Índice de 1. Para medir o índice de resistividade bem como a velocidade sistólica de pico e
resistividade) diastólica final no modo de doppler espectral, selecione o item [RI] na área do menu.
Aparece um cursor na tela.
2. Desloque a linha para o ponto inicial da medição e pressione a tecla direita ou
esquerda do trackball [Set] (Definir). Aparece uma segunda linha.
3. Desloque a segunda linha para o fim da diástole e pressione [Set] (Definir) novamente.
12.4.1.6 IP (Índice de 1. Para medir o índice de pulsatilidade, a velocidade máxima média bem como a
pulsatilidade) velocidade sistólica de pico e a velocidade diastólica final no modo de doppler
espectral, selecione o item [PI] na área de menu. Aparece o cursor na tela.
2. Utilize o trackball para deslocar o cursor para o ponto inicial da medição e pressione a
tecla direita ou esquerda do trackball [Set] (Definir) para fixar o marcador. Comece a
traçar.
NOTE: Para reajustar a linha traçada, pressione a tecla superior do trackball [Undo] (Anular)
repetidamente.
3. Trace até ao fim e pressione a tecla [Set] (Definir) novamente para fixar a marca.

Voluson® i Manual básico do usuário 12-17


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

12.4.1.7 PS/ED 1. Para calcular a relação de sístole de pico/diástole final no modo de doppler espectral,
(relação sístole de selecione o item [PS/ED] na área de menu. Aparece um cursor na tela.
pico/diástole final) 2. Desloque a linha para o ponto inicial da medição e pressione a tecla direita ou
esquerda do trackball [Set] (Definir). Aparece uma segunda linha.
3. Desloque a segunda linha para o fim da diástole e pressione [Set] (Definir) novamente.
12.4.1.8 Tempo

O procedimento de medição do tempo no modo de doppler espetral é ao mesmo que na


medição no modo M. ver: TempoVeja Tempo na página 12-14 para mais informações..

12.4.1.9 HR (Ritmo
cardíaco)

O procedimento de medição é o mesmo do que a medição no modo M. ver: HR (Ritmo


cardíaco)Veja HR (Ritmo cardíaco) na página 12-14 para mais informações..

12.4.2 Medições do GP (gradiente de pressão)

12.4.2.1 PG máx 1. Para medir a velocidade máxima e o gradiante de pressão máximo no modo de
(gradiente de doppler espectral, selecione o item [PG max] na área de menu. Aparece o cursor na
pressão máximo) tela.
2. Utilize o trackball para deslocar o cursor para o ponto inicial da medição e pressione a
tecla direita ou esquerda do trackball [Set] para fixar o marcador.
12.4.2.2 PG médio 1. Para medir o gradiente de pressão média no modo de doppler espectral, selecione o
(gradiente de item [PG mean] (PG médio) na área de menu. Aparece o cursor na tela.
pressão médio) 2. Utilize o trackball para deslocar o cursor para o ponto inicial da medição e pressione a
tecla direita ou esquerda do trackball [Set] (Definir) para fixar o marcador. Comece a
traçar.
NOTE: Para reajustar a linha traçada, pressione a tecla superior do trackball [Undo] (Anular)
repetidamente.
3. Trace até ao fim e pressione a tecla [Set] (Definir) novamente para fixar a marca.

12-18 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

12.4.3 Vaso Genérico

Veja Vaso Genérico na página 12-14 para mais informações.<

12.5 Para Trocar as Aplicações de Medição

1.Selecione este item na área de menu para alterar a aplicação de medição atualmente
utilizada.

2.Selecione outra aplicação.


NOTE: Se desejado, mude também a predefinição e a subcategoria.
3.Regresse ao menu Generic Measurement (medição genérica).

Quando ocorre uma troca para uma outra aplicação de medição, a aplicação principal
(escolhida no menu Probe Selection" (Seleção de transdutores)) não se altera! Quando se
seleciona uma aplicação "principal " no menu "Probe Selection" (seleção da sonda), o
menu de Medição genérica á automaticamente definido (alterado) para esta aplicação.

Voluson® i Manual básico do usuário 12-19


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

12.6 Para Ver a Folha de trabalhos genérica


1.Pressione a tecla [Report] (Relatório) para ver a folha de trabalho da aplicação atual.

A apresentação da folha de trabalho depende da aplicação de medição atualmente


selecionada (por exemplo, folha de trabalho de obstetrícia).

2.Selecione o item [Generic] para ver todos os resultados de medição genérica


previamente calculados.

Por intermédio do controle Menu podem ser selecionadas páginas de folhas de trabalho
adicionais.
Para mais descrições, possíveis ajustes e funções, ver: Funções básicas da folha de
trabalhos do pacienteVeja Funções básicas da folha de trabalho do paciente na
página 13-6 para mais informações. .
3.Regresse ao menu Generic Measurement (medição genérica).

12-20 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

12.7 Precisão de medição do sistema


As medições nunca devem ser feitas às pressas e é necessário colocar corretamente a
cruz de medição ou os pontos de medição especialmente nas medições de área/
circunferência. Apesar da elevada precisão técnica da geometria de diagnóstico e do
sistema de medição do equipamento Voluson® i, deve-se, contudo estar consciente das
imprecisões provocadas pelas propriedades do feixe de ultra-sons e das propriedades
fisiológicas das estruturas, tecidos e fluidos diagnosticados. Para uma resolução lateral
melhorada, você deverá selecionar a cabeça de transdutor adequada à gama de
profundidade da estrutura a ser medida.
A tabela mostra as imprecisões a serem tidas em conta relativamente às medições.

Precisão

Distância +/- 3 %

Área +/- 6 %

Circunferência +/- 3 %

Volume +/- 9 %

Explicação:
Erro de distância:< +/- 3% (ou máx. 1mm pra um objeto < 30mm)
Área: < +/- 6% = distância 1 x distância 2
Volume:< +/- 9% = distância 1 x distância 2 x distância 3
a) Fantoma de teste: Fantoche multi-funções, modelo 539, da ATS Laboratories Inc, b)
Fantoma de grade de arame em água a 47° C, precisão do espaçamento do arame de 0,2
mm

Voluson® i Manual básico do usuário 12-21


H48671HH Revisão 4
Medições genéricas

Esta página foi deixada intencionalmente em branco.

12-22 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Capítulo 13

Cálculos e folhas de trabalho do


paciente

Descreve os cálculos e o manuseamento das folhas de trabalho do paciente

Voluson® i Manual básico do usuário 13-1


H48671HH Revisão 4
Cálculos e folhas de trabalho do paciente

13. Cálculos e Folhas de Trabalho do Paciente


(Relatórios)

A função de cálculo suporta pacotes de cálculo para as seguintes aplicações:

Veja Cálculos do abdômen na página 13-13 para mais


Cálculos do abdômen
informações.

Cálculos das partes Veja Cálculos das partes pequenas na página 13-22
pequenas para mais informações.

Veja Cálculos obstétricos na página 13-25 para mais


Cálculos obstétricos
informações.

Veja Cálculos cardíacos na página 13-40 para mais


Cálculos de cardiologia
informações.

Veja Cálculos de urologia na página 13-57 para mais


Cálculos de urologia
informações.

Veja Cálculos vasculares na página 13-60 para mais


Cálculos vasculares
informações.

Veja Cálculos ginecológicos na página 13-62 para mais


Cálculos ginecológicos
informações.

Veja Cálculos pediátricos na página 13-65 para mais


Cálculos pediátricos
informações.

Veja Cálculos de neurologia na página 13-68 para mais


Cálculos neurológicos
informações.

Cálculos músculo- Veja Cálculos musculo-esqueléticos (MSK) na


esqueléticos (MSK) página 13-70 para mais informações.

Para alterar a aplicação de medição atual (e/ou a sub-categoria), selecione este item na
área de menu.

Para Funcionalidade de cálculo básico, ver: Veja Funcionalidade de cálculo básico na


página 13-3 para mais informações. ) Veja Abdômen - Folha de trabalho na página 13-21
para mais informações.

O sistema suporta as seguintes folhas de trabalhos do paciente consoante a aplicação


(relatórios):
Abdômen - Folha de trabalho Partes pequenas - Folha de trabalho Obstetrícia - Folha de
trabalho Cardiologia - Folha de trabalho Urologia - Folha de trabalho Vascular - Folha de
trabalho Ginecologia - Folha de trabalho Pediatria - Folha de trabalho Neurologia - Folha
de trabalho Cálculos Músculo-esqueléticos (MSK)

13-2 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Cálculos e Folhas de Trabalho do Paciente (Relatórios)

Veja Partes Pequenas - Folha de trabalho na página 13-24 para mais informações. Veja
Obstetrícia - Folha de trabalho na página 13-34 para mais informações. Veja Cardiologia -
Folha de trabalho na página 13-56 para mais informações. Veja Urologia - Folha de
trabalho na página 13-59 para mais informações. Veja Vascular - Folha de trabalho na
página 13-61 para mais informações. Veja Ginecologia - Folha de trabalho na
página 13-64 para mais informações. Veja Pediatria - Folha de trabalho na página 13-67
para mais informações. Veja Neurologia - Folha de trabalho na página 13-70 para mais
informações. Veja MSK - Planilha na página 13-71 para mais informações. )

Para Funções básicas da folha de trabalho do paciente, ver: Veja Funções básicas da
folha de trabalho do paciente na página 13-6 para mais informações.

13.1 Funcionalidade de cálculo básico


Tecla Calculation (tecla de hardware)
Premindo a tecla [Calc] a função Calculation (Cálculo) é ativada e aparece um calibre
dentro da área da imagem congelada.

NOTE: As medições apenas são possíveis no modo de leitura.


A seleção da medição desejada é feita com a roda de navegação ou pressionando a
tecla de atalho correspondente.

A colocação das marcas de medição é feita com o trackball.

A introdução e o armazenamento das marcas de medição são feitos com a tecla direita/
esquerda do trackball [Set] (Definir).

Para alterar as marcas de medição antes de terminar pressione a tecla superior do


trackball [Change] (Alterar). Se desejar reajustar uma linha traçada, pressione a tecla
superior do trackball repetidamente [Undo].

Para eliminar os resultados do último item medido, pressione a tecla [Backspace] no


teclado.

Voluson® i Manual básico do usuário 13-3


H48671HH Revisão 4
Cálculos e folhas de trabalho do paciente

Para eliminar os resultados de medição do Estudo selecionado do monitor, bem como


da folha de trabalho correspondente, selecione [Clear Group] (Eliminar grupo), ou
pressione a tecla [Delete] no teclado.

Para apagar todas as medições e setas prima a tecla [Clear] (Limpar).

NOTE: É possível configurar o Voluson® i para limpar automaticamente as medições e anotações


em Descongelar. Veja Configurações do usuário na página 16-8 para mais informações.

Para sair do programa Calculation (Cálculo): - pressione a tecla [Exit] (Sair) no painel de
controle, - ou pressione a tecla [Calc] no painel de controle

Dependendo da definição na Configuração da medição, também pode utilizar a tecla


[Freeze] (Congelar) para confirmar a última marca de medição da medição atualmente
executada.

Para obter uma resolução e precisão ótima das medições de doppler, o cursor de
correção [Angle] (Ângulo) deve ser colocado paralelo ao eixo do vaso (na área do
volume de medição).
Quando o visor de resultados estiver cheio, (máx. 4) a primeira medição será escrita
por cima em primeiro lugar.
Se forem efetuadas mais medições, a medição atual será colocada no canto inferior
direito. As medições anteriores são apresentadas acima (em ordem sucessiva, como
num organograma).
Exceto no que respeita às medições de traço automático, todos os resultados de
medição serão automaticamente incluídos na folha de trabalho correspondente. Para
salvar os resultados de medição do traço automático, pressione a tecla direita ou
esquerda do trackball [Set] (Definir) previamente.
Dependendo da Configuração da aplicação e do ajuste na Configuração de medição:
RI e PI serão calculados utilizando ED (Diástole Final) ou MD (Diástole Média)

13-4 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Cálculos e Folhas de Trabalho do Paciente (Relatórios)

NOTE: Vdiastole = Vend-diastole ou Vmin (dependendo desta seleção)


todas as marcas de medição previamente definidas são apagadas quando se
inicia um novo diagnóstico (descongelar -> modo executar), ou os resultados de
medição são mantidos na tela.
a curva do envelope de doppler espectral é executada com uma linha de traço
contínuo ou por pontos de definição
os resultados de medição do Doppler (de acordo com a definição de Auto/
Manual Trace (rastreamento automático/manual)) são apresentados a seguir a
uma medição de rastreamento automático ou manual (a definição será ignorada
nos cálculos cardíacos).
os itens de medição (por ex. BPD) aparecem com ou sem o Nome do autor.
Para mais detalhes, ver: Parâmetros da aplicaçãoVeja Parâmetros da aplicação na
página 17-20 para mais informações.
Dependendo da definição na configuração da medição:
todas as marcas de medição anteriormente definidas são apagadas quando se
ativa o modo cine, ou os resultados de medição são mantidos na tela.
aparece um novo cursor para repetir a medição, ou não
o calibre (a última marca de medição da medição atual) é fixado quando se prime
as teclas [Freeze](Congelar), [Print A] (Imprimir A) ou [Print B] (Imprimir B),
[Save](Salvar), etc., ou não.
Para mais detalhes, ver: Parâmetros globaisVeja Parâmetros globais na página 17-22
para mais informações.
Além disso, muitas propriedades do visor dependem da definição na configuração de
medição. Por exemplo: o cursor e o tamanho de letra do resultado de medição são
apresentados em tamanho pequeno, médio ou grande
Para mais ajustes e informações, ver: Parâmetros globaisVeja Parâmetros globais na
página 17-22 para mais informações.

Com estes itens, o modo pode ser alterado e as medidas correspondentes aparecerão na
área do menu na tela.

Para ver, modificar, imprimir, etc. a Folha de trabalho do paciente dependente da


aplicação , pressione a tecla [Report] (relatório) no painel de controle. Para mais detalhes,
ver: Funções básicas da folha de trabalho do paciente Veja Funções básicas da folha de
trabalho do paciente na página 13-6 para mais informações..

Em certas medições o método de medição (por exemplo traço, elipse, tira flexível ,...) pode
ser comutado através do botões do menu.

Voluson® i Manual básico do usuário 13-5


H48671HH Revisão 4
Cálculos e folhas de trabalho do paciente

Utilizando este controle do Menu, o lado a ser medido pode ser alterado. (por ex. para
passar do rim esquerdo para o rim direito).

13.2 Funções básicas da folha de trabalho do paciente


Todos os resultados de cálculo são gravados nas folhas de trabalho do paciente
dependentes da aplicação. Premindo a tecla [Report] (Relatórios) no painel de controle.
(Sempre comece com a primeira página da Folha de trabalho do paciente.)
Para visualizar uma Folha de trabalhoVeja Visualizar uma folha de trabalho na
página 13-6 para mais informações.
Para editar uma Folha de trabalhoVeja Para editar uma Folha de trabalho na
página 13-8 para mais informações.
Para mudar de AplicaçãoVeja Mudar de aplicação na página 13-8 para mais
informações.
Comentários em relação ao exameVeja Comentário em relação ao exame na
página 13-9 para mais informações.
Para transferir uma Folha de trabalhoVeja Para transferir uma Folha de trabalho na
página 13-10 para mais informações.
Para ver as Folhas de trabalho anterioresVeja Ver as folhas de trabalho anteriores na
página 13-10 para mais informações.
Para imprimir um RelatórioVeja Imprimir um relatório na página 13-11 para mais
informações.

A folha de trabalho de obstetrícia oferece algumas funções adicionais. Para mais


detalhes ver: Obstetrícia - Folha de trabalhoVeja Obstetrícia - Folha de trabalho na
página 13-34 para mais informações. .

13.2.1 Visualizar uma folha de trabalho

Pressione a tecla [Report] (Relatório) no painel de controle, ou selecione o item


[Worksheet] (Folha de trabalho) no Menu de cálculo para visualizar a folha de trabalho do
paciente que contém os resultados dos cálculos.
A folha de trabalho tem o seguinte aspeto (por ex. obstetrícia relatório abreviado Calc ).

13-6 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Cálculos e Folhas de Trabalho do Paciente (Relatórios)

Com este controle do Menu podem ser selecionadas


páginas de folhas de trabalho adicionais.

Para fechar a folha de trabalho, pressione a tecla [Exit] (Sair).

NOTE: É agora possível alternar entre folhas de trabalho de ginecologia e obstetrícia (se ambas as
folhas de trabalhos existirem).
Ver: Primeiro trimestre em obstetrícia na aplicação ginecologia Primeiro trimestre de
obstetrícia na aplicação ginecologia na página 17-17 .

Utilize os seguintes itens para comutar entre os diferentes relatórios abreviados.


NOTE: A visualização depende da aplicação selecionada..

Voluson® i Manual básico do usuário 13-7


H48671HH Revisão 4
Cálculos e folhas de trabalho do paciente

13.2.2 Para editar uma Folha de trabalho

Quaisquer medições salvadas na folha de trabalho do paciente podem ser editadas.

Desloque o cursor para o campo desejado, pressione a tecla direita ou esquerda do


trackball [Set] (Definir) e digite as alterações. Os valores editados estão marcados com um
asterisco (* ao lado do valor alterado).

Adicionalmente alguns parâmetros ou definições podem ser alterados clicando no campo


específico na página da lista de trabalho. Por exemplo: Método: Média, Mínimo, Máximo ou
último

13.2.3 Mudar de aplicação

1.Para alterar a aplicação da folha de trabalho, selecione este item na área de menu.
2.Selecione outra aplicação e pressione [Exit](Sair).

13-8 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Cálculos e Folhas de Trabalho do Paciente (Relatórios)

13.2.4 Comentário em relação ao exame

Selecione este item para ver o relatório abreviado Exam Comment (comentário do
exame), para introduzir um comentário utilizando o teclado, ou para introduzir um
comentário previamente definido tocando no item [Comment A], [Comment B] ou
[Comment C] na área do menu.

Se já estiver salvado um comentário:


digite o comentário desejado utilizando o teclado alfanumérico, ou
selecione a tecla [Comment A], [Comment B] ou [Comment C] para introduzir um
comentário previamente definido
Se não estiver salvado nenhum comentário e quiser salvar um:
a. digite o comentário desejado utilizando o teclado alfanumérico, ou
b. Selecione o item [Save as] na área de menu.
c. Salve o comentário introduzido como [Comment A], [Comment B] ou [Comment
C].
d. Pressione [Exit] (Sair).
Para eliminar todos os comentários introduzidos, selecione o item [Delete] na área de
menu.

Voluson® i Manual básico do usuário 13-9


H48671HH Revisão 4
Cálculos e folhas de trabalho do paciente

13.2.5 Para transferir uma Folha de trabalho

Clique neste item na área de menu para transferir os dados da folha de trabalhos do
paciente para o endereço IP selecionado ou para um PC que esteja ligado através de uma
porta série.
NOTE: Se houver um Servidor de relatório estruturado [Structured Report Server], os dados são
transferidos usando o Relatório Estruturado DICOM, independentemente da existência de
outros servidores de relatório (rede, serial) disponíveis.
NOTE: O item [Transfer Data] (Transferir dados) apenas pode ser selecionado se estiver
especificado um destino Service: REPORT na configuração do sistema; ver: Especificar um
endereço DICOMVeja Para especificar um Endereço DICOM na página 16-29 para mais
informações. .
NOTE: Receber dados do relatório
Um exemplo de software que consegue receber e salvar relatórios é o sistema de
documentação PIA para arquivo de diagnósticos médicos e imagens digitais a partir de
ViewPoint . (www.viewpoint-online.com)
NOTE: Com esta versão do software APENAS é possível transferir uma folha de trabalho de
obstetrícia e ginecologia!

13.2.6 Ver as folhas de trabalho anteriores

No caso de exames diferentes do mesmo paciente, podem visualizar-se todas as folhas de


trabalho anteriores utilizando a mesma ID.

Selecione este item na área de menu para ver todas as folhas de trabalho do paciente
existentes da aplicação de medição atualmente selecionada.

1. Selecione a data desejada.

13-10 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Cálculos e Folhas de Trabalho do Paciente (Relatórios)

2. Clique no botão [View] (Visualizar) para mostrar a folha de trabalho do paciente


selecionado na tela.

13.2.7 Imprimir um relatório

1.Selecione as páginas do Relatório abreviado para impressão.

NOTE: A visualização depende da aplicação selecionada..

O [R] marca cada relatório abreviado que está incluído no relatório impresso. Para os
excluir da impressão, retire a seleção do item [Include in Report] (incluir no relatório) na
área de menu.

2.Para verificar a sua seleção e para pré-visualizar as páginas do relatório, selecione este
item na área de menu.
Aparece a seguinte janela:

Selecione se deseja imprimir apenas o relatório atual ou


todos os relatórios disponíveis (todas as aplicações). A
seleção afeta também o botão Print (Imprimir) no
Menu Worksheet (Folha de trabalho).

Imprimir os relatórios disponíveis ou apenas o relatório


Imprimir tudo/Imprimir atualmente apresentado.
Depende da configuração.

Página anterior Apresenta a página do relatório anterior.

Página seguinte Apresenta a página do relatório seguinte.

Zoom In (mais zoom) Mais zoom no relatório apresentado.

Zoom Out (menos zoom) Menos zoom no relatório apresentado.

Voluson® i Manual básico do usuário 13-11


H48671HH Revisão 4
Cálculos e folhas de trabalho do paciente

Aplicação Selecione o relatório da aplicação que quer apresentar.

Fechar Fechar a janela de pré-visualização sem imprimir.

3.Imprimir o relatório do paciente da aplicação de medição presentemente selecionada


na impressora do relatório selecionada na configuração do sistema.
Para selecionar a impressora de Relatórios pretendida, ver: Configuração da impressora
na página 15-4.

13.2.8 Páginas especiais da folha de trabalho

13.2.8.1 BI-RADS® BI-RADS® é um guia de garantia da qualidade projetado pelo American College of

Radiology para padronizar o relato de imagens do peito e facilitar o monitoramento do


resultado. Não há medições apresentadas nesta página da folha de trabalho. Você pode
digitar uma categoria de BI-RADS e verificar vários itens de um exame ao peito. Use os
botões do Menu para alternar os lados para digitar os dados da mama esquerda e da
mama direita.

13-12 Voluson® i Manual básico do usuário


H48671HH Revisão 4
Cálculos e Folhas de Trabalho do Paciente (Relatórios)

13.2.8.2 SonoAVC Após a tabela de folículo ter sido adicionada ao Relatório (via botão Add to Report
follicle

(adicionar ao relatório) - ver Menu principal na página 10-48) pode ser examinado na
folha de trabalho respectiva do relatório de ginecologia.
Ver SonoAVC follicle na página 10-45 para mais informações sobre esta característica do
software.
13.2.8.3 SonoVCAD A SonoVCAD labor seção da folha de trabalho CALC é composta de valores calculados
labor

automaticamente e campos de formulário para entrada manual. Sempre que uma


medição é adquirida com SonoVCAD labor uma nova linha será adicionada na página da
folha de trabalho. Pressione o botão Limpar para excluir o histórico de medições.
Ver SonoVCAD labor na página 10-71 para mais informações sobre esta característica do
software.

13.3 Cálculos do abdômen


A aplicação Abdomen , (Fábrica - Sub-categoria: Predefinição) permite medições/
cálculos no modo 2D/3D, modo M e de Doppler Espectral, utilizando vários itens de
medição. Para mais detalhes sobre as configurações, ver: Configuração de medição -
Medições e cálculosVeja Medição e cálculo na página 17-4 para mais informações.
Os métodos de obtenção de medições no menu Abdômen Calculations (cálculos do
abdômen) são semelhantes às funções de medição genérica no modo 2D, M e de doppler
espectral.

13.3.1 Itens dos cálculos do abdômen

Os itens dos cálculos do abdômen em cada modo são os seguintes:

fígado, vesícula, pâncreas, baço, rim esquerdo/direito, artéria renal


Modo 2D/3D:
esquerda/direita, aorta (proximal, média, distal), vaso

M mode
artéria renal esquerda/direita, aorta (proximal, média, distal), vaso
(modo M):

Modo de
artéria renal esquerda/direita, aorta (proximal, média, distal), vaso
doppler:

Voluson® i Manual básico do usuário 13-13


H48671HH Revisão 4
Cálculos e folhas de trabalho do paciente

13.3.2 Antes de iniciar os cálculos do abdômen

1. Prima a tecla [Patient] (paciente) no painel de controle, selecione a página [ABD] e


introduza todas as informações do paciente para os cálculos do abdômen. Para mais
detalhes consulte: Introduzir dados do pacienteVeja Introduzir dados do paciente na
página 4-7 para mais informações.

NOTE: Para cancelar todos os cálculos efetuados anteriormente a para iniciar uma nova medição,
pressione esta tecla e selecione [End Exam] (Terminar Exame) ou [Clear Exam] (Apagar
Exame).
2. Certifique-se de que a sonda e a aplicação foram selecionadas de forma adequada.
Se estiver selecionada outra aplicação, prima a tecla [Appl.] no painel de controle, e
mude-a para Abdomen. Para mais detalhes consulte: Seleção da sonda/
programaVeja Seleção transdutor/programa na página 4-5 para mais informações.

13.3.3 Cálculos do abdômen: no modo D2

Medições de distânciaVeja Medições de distância na página 13-14 para mais


informações. ) (como comprimento, altura, etc.)
Área do vaso/Diâmetro do vasoVeja Área do vaso/Diâmetro do vaso na página 13-15
para mais informações.
Área da estenose/Diâmetro da estenoseVeja Área da estenose/Diâ