Você está na página 1de 9

RESIDENCIA MULTIPROFISSIONAL 2015 – PSICOLOGIA

QUESTÕES 1 A 20: Políticas Públicas em Saúde, SUS

01. A Lei 8.080/1990, além de constituir um instrumento legal e normativo do SUS, é também uma fonte de conceitos
operacionais. Neste sentido, sua integralidade é entendida no âmbito do SUS como:
(A) um conjunto articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para
cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema.
(B) um conjunto de ações capaz de eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas sanitários
decorrentes do meio ambiente.
(C) uma conjugação dos recursos financeiros, tecnológicos, materiais e humanos, com vistas ao fortalecimento sanitário 1
decorrente do meio ambiente.
(D) uma estratégia que prioriza as atividades curativas, sem prejuízo dos serviços preventivos, mediante o repasse federal de
verbas proporcional ao perfil demográfico e epidemiológico.

02. A Política Nacional de Atenção Básica instituiu os Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) com o objetivo de ampliar
a abrangência e o escopo das suas ações e da sua resolubilidade. Estes Núcleos são constituídos de equipes compostas por
profissionais de diferentes áreas de conhecimento, que devem atuar de maneira integrada às Equipes Saúde da Família. Os
profissionais que podem fazer parte das equipes do NASF são:
(A) Médico Pediatra, Assistente social e Pedagogo.
(B) Médico do Trabalho; Médico Homeopata e Arte-educador.
(C) Médico Veterinário, Médico Acupunturista e Odontólogo.
(D) Médico Oftalmologista; Psicólogo e Fonoaudiólogo.

03. Dentro da Política Nacional de Humanização, colocar em ação o acolhimento como diretriz operacional requer uma nova
atitude de mudança no fazer em saúde com diversas implicações, dentre elas:
I. A reorganização do serviço de saúde a partir da problematização dos processos de trabalho de modo a possibilitar a
intervenção de toda a equipe multiprofissional.
II. Um processo dinâmico de identificação dos pacientes que necessitam de tratamento imediato, de acordo com o
potencial de risco, agravos à saúde ou grau de sofrimento.
III. A permanência de um médico e/ou enfermeiro no atendimento de porta de entrada da unidade para que o usuário seja
classificado de acordo com sua vulnerabilidade à doença.
IV. O aumento da responsabilização dos profissionais de saúde e elevação dos coeficientes de vínculo e confiança.

Assinale a alternativa que apresenta apenas respostas CORRETAS:


(A) II e III
(B) III e IV
(C) I e IV
(D) II e IV

04. A Promoção de Saúde é uma importante política nacional que objetiva melhorar a qualidade de vida das pessoas. Qual das
alternativas abaixo NÃO representa uma das estratégias desta política?
(A) Redução da morbimortalidade por acidente de trânsito.
(B) Prevenção e controle do tabagismo.
(C) Realização de atividades programadas e de atenção à demanda espontânea.
(D) Promoção do desenvolvimento sustentável.

05. A Política Nacional de Educação Permanente em Saúde (EPS) agrega, em seu bojo, um conjunto de propósitos, princípios
e finalidades. No que se refere a esta política, é CORRETO afirmar que:
(A) Sua função é incorporar o ensino e o aprendizado à vida cotidiana das organizações.
(B) Sua característica é a realização de cursos periódicos, em categorias profissionais isoladas.
(C) É centrada na atualização de conhecimentos e baseada em técnicas de transmissão.
(D) Destina-se a públicos multiprofissionais, focando-se principalmente em processos técnicos.
RESIDENCIA MULTIPROFISSIONAL 2015 – PSICOLOGIA

06. Sobre atividades básicas da Estratégia Saúde da Família, marque (V) para as assertivas verdadeiras e (F) para as falsas.
( ) Desenvolver processos educativos através de grupos voltados à recuperação da auto-estima, troca de experiências, apoio
mútuo e melhora do autocuidado.
( ) Conhecer a realidade das famílias pelas quais são responsáveis com ênfase nas suas características socioeconômicas,
psicoculturais, demográficas e epidemiológicas.
( ) Jamais perder de vista o usuário, responsabilizando-se pelas referências necessárias e recebendo as contra referências,
para continuar atuando no nível de cuidados básicos.

A sequência CORRETA é: 2
(A) V, V, F
(B) F, V, V
(C) V, F, V
(D) V, V, V

07. Um dos fundamentos e diretrizes da Política Nacional da Atenção Básica à Saúde é o da longitudinalidade do cuidado. A
definição do significado deste termo na legislação é:
(A) a construção de relações de afetividade e confiança entre o usuário e o trabalhador da saúde.
(B) o processo de vinculação de pessoas e/ou famílias e grupos a profissionais/equipes, com o objetivo de ser referência para
o seu cuidado.
(C) a continuidade da relação clínica, com construção de vínculo e responsabilização entre profissionais e usuários ao longo
do tempo e de modo permanente.
(D) estabelecimento de mecanismos que assegurem acessibilidade e acolhimento pressupondo uma lógica de organização e
funcionamento do serviço de saúde.

08. A Política Nacional da Atenção Básica define a organização de Redes de Atenção à Saúde (RAS) como estratégia para um
cuidado integral e direcionado as necessidades de saúde da população. Neste sentido, são funções a ser cumpridas pela
atenção básica:
(A) Coordenar o cuidado e ser resolutiva.
(B) Garantir o acolhimento e ofertar educação permanente.
(C) Ser sua base e assegurar uma escuta qualificada dos usuários.
(D) Ordenar a rede e organizar as ações intersetoriais.

09. Segundo a Lei 8.142/90, a Conferência de Saúde para avaliar a situação de saúde e propor as diretrizes para a formulação
da política de saúde nos diversos níveis do sistema deve ser realizada a cada:
(A) Seis anos.
(B) Oito anos.
(C) Quatro anos.
(D) Dez anos.

10. A Educação Permanente em Saúde é o enfoque educacional reconhecido como sendo o mais apropriado para produzir as
transformações nas práticas e nos contextos de trabalho, fortalecendo a reflexão na ação, o trabalho em equipes e a
capacidade de gestão sobre os próprios processos locais. Sua principal característica é a de que se baseia em:
(A) pedagogia da autonomia.
(B) controle social.
(C) aprendizagem significativa.
(D) gestão participativa.

11. As ações e serviços públicos de saúde integram uma rede regionalizada e hierarquizada e constituem um sistema único.
Não faz parte dos princípios e diretrizes dispostos pela Lei 8080/90:
(A) Descentralização político-administrativa, com direção única em cada esfera de governo.
(B) Conjugação dos recursos das três esferas de gestão na prestação de serviços de assistência à saúde da população;
(C) Participação da comunidade.
(D) Direção única centralizada no governo federal.
RESIDENCIA MULTIPROFISSIONAL 2015 – PSICOLOGIA

12. O controle social sobre a gestão do Sistema Único de Saúde é exercido pelos Conselhos e Conferências de Saúde. A Lei
8142/90 estabelece as características de composição e as atribuições destas instâncias colegiadas. Qual opção corresponde a
uma destas características?
(A) A representação dos gestores nos Conselhos de Saúde e Conferências será paritária em relação ao conjunto dos demais
segmentos.
(B) As deliberações dos Conselhos de Saúde não precisam ser homologadas pelo chefe do poder legalmente constituído em
cada esfera de governo.
(C) O Conselho de Saúde é constituído por representantes do governo, prestadores de serviço, profissionais de saúde e
usuários. 3
(D) As Conferências de Saúde e os Conselhos de Saúde têm sua organização e normas de funcionamento definidas em
regimento próprio, definidos pelo chefe do poder executivo em cada esfera de gestão.

13. O Sistema Único de Saúde, conforme estabelecido pela Lei 8080/90 é constituído pelo conjunto de ações e serviços de
saúde prestados por:
(A) todas as esferas de governo (federal, estadual e municipal).
(B) órgãos e instituições públicas e de forma complementar pela iniciativa privada.
(C) órgãos e instituições públicas e de forma complementar pelos serviços filantrópicos.
(D) por órgãos e instituições públicas e de forma complementar pelos planos e seguros de saúde.

14. As Regiões de Saúde são recortes territoriais inseridos em um espaço geográfico contínuo, identificadas pelos gestores
municipais e estaduais a partir de identidades culturais, econômicas e sociais, de redes de comunicação e infraestrutura de
transportes compartilhados do território. Assinale a opção que corresponde a uma das Diretrizes das Regiões de Saúde,
conforme estabelecido no Pacto de Gestão:
(A) organizar a rede de ações e serviços de saúde a fim de assegurar a universalidade do acesso, a equidade e a
integralidade do cuidado.
(B) pactuar as responsabilidades não compartilhadas, que são as referentes à média e à alta complexidade.
(C) pactuar com o governo federal, o conjunto das ações complementares;
(D) assumir o conjunto das responsabilidades entre os municípios integrantes da região, sem necessidade de apoio dos
estados e da União.
15. O Pacto pela Vida é constituído por um conjunto de compromissos sanitários entre os gestores do SUS, em torno de
prioridades que apresentam impacto sobre a situação de saúde da população brasileira. São definidas por:
(A) estabelecimento de prioridades municipais, que não podem ser agregadas às prioridades nacionais estaduais ou
regionais.
(B) estabelecimento de prioridades nacionais estabelecidas pelo Ministério da Saúde aplicáveis universalmente aos estados,
regiões e municípios.
(C) estabelecimento de metas nacionais, estaduais, regionais ou municipais, sendo que prioridades estaduais ou regionais
podem ser agregadas às prioridades nacionais.
(D) pactuação dos municípios com o governo federal das ações necessárias para o alcance das metas e dos objetivos
propostos.

16. A Política Nacional de Promoção da Saúde (PNPS) objetiva promover a qualidade de vida e reduzir vulnerabilidade e
riscos à saúde relacionados aos seus determinantes e condicionantes. Uma das características das diretrizes e estratégias da
PNPS é
(A) Fortalecer ações de promoção da saúde inovadoras utilizando diferentes linguagens culturais e formas de manifestação.
(B) Estimular a inserção de ações de promoção da saúde, exclusivamente nas atividades da atenção básica.
(C) Promover iniciativas voltadas para a promoção da saúde, considerando metodologias participativas, sem incorporar
saberes populares, por se tratar de ação de saúde.
(D) Estimular parcerias entre os diferentes níveis de complexidade do SUS, mas não inclui parcerias intersetoriais.

17. A Atenção Básica considera o sujeito em sua singularidade e inserção sociocultural, buscando produzir a atenção integral à
saúde. Qual das opções expressa corretamente um dos princípios e diretrizes estabelecidos na Política Nacional de Atenção
Básica (PNAB)?
(A) utiliza tecnologia de baixa complexidade e elevada densidade.
(B) reconhece a Saúde da Família como estratégia de expansão, consolidação qualificação da Atenção Básica.
(C) corresponde ao conjunto de ações apenas no âmbito individual de promoção e proteção à saúde.
(D) organiza o processo de trabalho em torno de procedimentos e profissionais.
RESIDENCIA MULTIPROFISSIONAL 2015 – PSICOLOGIA

18. A Carta dos Direitos dos Usuários da Saúde é uma importante ferramenta para que este conheça seus direitos e deveres
quando procurar atendimento em saúde e está organizada em seis princípios de base. Assinale um dos critérios de acesso
previstos no documento:
(A) Nas situações de urgência/emergência o atendimento se dará exclusivamente em unidades do sistema próxima à
residência do usuário.
(B) O acesso se dá prioritariamente pelos serviços da Atenção Básica próximos ao local de moradia do usuário.
(C) A adequação do tratamento é responsabilidade exclusiva das equipes de saúde, não cabendo corresponsabilidade do
cidadão com o seu tratamento.
(D) O acesso ao prontuário será garantido ao paciente somente por meio de concordância do profissional responsável pelo 4
tratamento ou por decisão judicial favor.

19. A transferência dos recursos federais para as ações e serviços de saúde é feita na forma de blocos de financiamento. O
bloco de financiamento da Atenção Básica é constituído por uma parte de recursos fixos e outra de recursos variáveis. Os
recursos fixos, chamados de Recursos per capita, são transferidos, automaticamente, em parcelas mensais do Fundo Nacional
de Saúde aos Fundos Municipais de Saúde e do Distrito Federal. O valor de transferência dos Recursos per capita é calculado
por:
(A) valor variável de acordo com as ações adotadas em áreas estratégicas.
(B) valor em R$ multiplicado pelo número de atendimentos.
(C) valor fixo em R$ multiplicado pela população do município.
(D) remuneração variável por procedimentos na prestação de serviços.

20. No âmbito da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde, estão definidas as responsabilidades compartilhadas
pelos níveis federal, estaduais e municipais de gestão. Qual das opções abaixo reflete corretamente uma das
responsabilidades compartilhadas?
(A) Instituir mecanismos de monitoramento e avaliação institucional participativa nesta área.
(B) Articular, junto às Instituições de Ensino Técnico e Universitário, mudanças nos cursos técnicos, de graduação e pós-
graduação de acordo com as necessidades do SUS.
(C) Organizar um Sistema Nacional de Informação com dados referentes à formação em nível técnico, de graduação e
especialização.
(D) Elaborar o Plano de Ação Regional para Educação Permanente em Saúde.

QUESTÕES 21 A 50: Conteúdo Específico

21. De acordo com Pires e Braga (2008), a atuação do psicólogo no campo da saúde é fundamental. Entretanto, a prática e a
formação destes profissionais, em geral, são insuficientes para lidar com a demanda da área. De acordo com estes autores,
um problema apontado acerca da atuação dos psicólogos na área da Psicologia da saúde é que:
(A) Os psicólogos não se disponibilizam a atender a demanda com a atenção necessária.
(B) Os psicólogos não utilizam o modelo clínico em suas práticas profissionais, de modo que a sua contribuição no contexto da
saúde passa a ser questionável.
(C) Os psicólogos desconhecem totalmente as legislações e regulamentações do Sistema Único de Saúde, o que torna a sua
prática profissional limitada.
(D) Os psicólogos continuam a utilizar o modelo clínico em instituições que exigem ajustes e aprimoramento profissional
contínuo.

22. A clínica mãe-bebê convoca o psicólogo a estar atento a sinais de sofrimento precoce no bebê e à instauração do laço
primordial com o objetivo de intervir a tempo de impedir que se instalem patologias na relação que está sendo construída com
os pais ou cuidadores e que será fundamental para a constituição psíquica do bebê. A partir disso, podemos afirmar que:
(A) É a função paterna que fará com que o laço primordial com o Outro tenha as condições necessárias para a constituição
psíquica do bebê, podendo prescindir da função materna, já que é a função que fará valer a castração.
(B) A função materna é a função que deve ser primordialmente exercida para a constituição psíquica adequada do bebê, uma
vez que sem ela não é possível a construção da dimensão da alteridade.
(C) As funções materna e paterna são antagonistas e não complementares.
(D) No estabelecimento do laço primordial com o Outro devem estar presentes as funções maternas e paternas para que ele
tenha as condições necessárias ao desenvolvimento do psiquismo do bebê.
RESIDENCIA MULTIPROFISSIONAL 2015 – PSICOLOGIA

23. Sobre as ansiedades e os medos relacionados ao período puerperal, é correto afirmar que:
(A) A ansiedade na gestação é um quadro patológico, que se opõe ao que é esperado e desejado em uma gravidez e,
portanto, precisa ser tratado.
(B) A cesárea a pedido é uma escolha que reflete um estilo de vida moderno e independe de fatores psicológicos associados.
(C) O medo e a ansiedade relacionados à possibilidade de uma má formação do bebê costuma ser particularmente
intensificado em mulheres que vão ser mães pela primeira vez, inclusive mais do que em mulheres que já passaram por
situações de aborto provocado.
(D) Os quadros de ansiedade na gestação podem ter efeitos na motilidade uterina, o que pode levar a um parto prematuro.
5
24. Há no Brasil várias políticas públicas relacionadas ao incentivo à amamentação, com programas próprios, e a construção
de estratégias para fortalecer o aleitamento materno por entender que é um importante instrumento na redução da
morbimortalidade infantil e no fortalecimento do vínculo mãe-bebê. Marque a alternativa correta:
(A) A amamentação é um processo fisiológico e depende exclusivamente do desejo e determinação da mulher em
amamentar.
(B) Um dos fatores indicados como muito importante para o sucesso da amamentação é a “maternalização da mãe” no
período anterior e posterior ao parto, oferecendo-lhe ajuda em suas necessidades e tarefas.
(C) O medo e a ansiedade são fatores que interferem na amamentação, já que esta é basicamente proporcionada pelo desejo
materno. Fatores como o cansaço e a dor não interferem nesse processo.
(D) A decisão de amamentar é uma decisão materna e a equipe de saúde não tem um papel decisivo em relação a esse
processo.

25. Considerando a dimensão psicológica do trabalho em unidades neonatais, qual é, de acordo com Mathelin (1999), a função
primordial da equipe de saúde?
(A) Desempenhar a “hiper-maternagem”.
(B) Estimular o vínculo na díade mãe-bebê.
(C) Desencadear a agressividade entre mãe e bebê.
(D) Mediar a relação entre mãe e bebê.

26. A boa evolução psicológica dos bebês prematuros submetidos à longa hospitalização depende das condições favoráveis
de sua estada na unidade neonatal. É DESFAVORÁVEL quando a equipe:
(A) É simbolicamente “uma” no desejo de curar a criança.
(B) Deixa-se capturar numa relação em que há interação e troca com a criança.
(C) Fala com a criança supondo nela um “sujeito”.
(D) Reproduz as condições intra-uterinas, fazendo a criança crer que ainda não nasceu.

27. Sobre o quadro denominado blues do pós-parto, é correto afirmar que:


(A) Pode ser desencadeado até o final do primeiro mês após o parto.
(B) Na maioria dos casos, a intervenção profissional não se faz necessária.
(C) Caracteriza-se pela ausência de afeto materno em relação ao bebê.
(D) Trata-se de fenômeno raro, acometendo apenas 5% das mães.

28. Zornig (2010) afirma que tornar-se mãe e tornar-se pai é um processo que vai muito além do momento de nascimento de
um filho. Sobre o processo de construção da parentalidade é correto afirmar que:
(A) A inserção do bebê enquanto produto e alteridade depende de um espaço que se coloca entre a mãe e o bebê.
(B) A partir da modernidade as relações familiares passam a depender da parentalidade.
(C) Durante o período pré e pós-natal o complexo edípico passa a ser o eixo organizador dominante da vida psíquica da mãe.
(D) A gestante faz ligações de sua gravidez atual com lembranças de seu passado aumentando, com isso, seu investimento
no mundo exterior.

29. Sobre a clínica do luto e da melancolia, pode-se afirmar segundo Freud, que:
(A) Ao ouvir um paciente melancólico, é indicado que o clínico tente atenuar seu sofrimento, refutando suas afirmações auto-
acusatórias quando necessário.
(B) O luto e a melancolia devem ser tratados como processos patológicos do ego a serem eliminados.
(C) As autorecriminações do melancólico são recriminações ao objeto amado e perdido.
(D) Quando um paciente afirma que tem a sensação do mundo estar pobre e vazio, trata-se necessariamente de um paciente
melancólico.
RESIDENCIA MULTIPROFISSIONAL 2015 – PSICOLOGIA

30. O luto pela morte de um bebê não é facilmente reconhecido por aqueles que cercam os pais. A partir das considerações de
Iaconelli (2005) sobre o luto perinatal, assinale a alternativa correta, no que concerne o papel do psicólogo:
(A) O papel do psicólogo, em caso de um óbito fetal que seja desmentido pelo entorno, é ajudar os pais a nomearem a sua
dor.
(B) É recomendável que o psicólogo sempre incentive a realização de procedimentos ritualísticos em caso de morte de um
bebê (pré ou pós termo).
(C) A antecipação da chegada do bebê a partir de identificações e fantasias pode dificultar a construção de uma ambiência
psíquica, na medida em que provoca ansiedade materna e deve ser desaconselhada pelo psicólogo.
6
(D) O desmentido da experiência psíquica revela-se como representação simbólica do evento traumático no psiquismo e,
nesse caso, não haveria necessidade de intervenção do psicólogo.

31. Garrafa et al. (1997) defendem a equidade como princípio ético norteador no campo da saúde porque:
(A) A equidade possibilita a titularidade do direito à saúde.
(B) A equidade garante a universalidade do acesso à saúde.
(C) O conceito de equidade está subjacente aos direitos humanos.
(D) O princípio de equidade é uma das diretrizes do SUS.

32. De acordo com Rabello (2011), o elemento central da abordagem da capacidade de Amartya Sem é:
(A) A capacidade de cuidar da saúde.
(B) As necessidades oriundas das desigualdades sociais.
(C) A política pública voltada para a educação.
(D) A participação individual e societária.

33. Segundo Campos (1996), a opção que melhor representa os fundamentos da psicologia social comunitária latino-
americana:
(A) Ênfase na promoção da saúde e educação popular.
(B) Formação de uma consciência crítica, concepção histórico-dialética.
(C) Prática assistencialista e trabalho com grupos.
(D) Análise institucional e transformação social.

34. Segundo Almeida-Filho (2011) a diferença conceitual entre iniquidade e inequidade proposta por Breilh se baseia em:
(A) elementos simbólicos e sociais das desigualdades.
(B) elementos estrutural e político-jurídico das desigualdades.
(C) modelo dos determinantes sociais de saúde.
(D) fatores sócio econômicos e condições de justiça social.

35. O psicólogo poderá contribuir para a atenção integral ao usuário na perspectiva das diretrizes da Política Nacional de
Promoção da Saúde atuando de forma a deixar de ter uma rede de cuidado:
(A) com os usuários e estabelecendo parcerias com outros profissionais da área psicologia, trabalhando de forma
interdisciplinar.
(B) apenas com os usuários e estabelecendo parcerias com outros profissionais da área da saúde, trabalhando de forma
transdisciplinar.
(C) apenas com os usuários e estabelecendo parcerias com outros profissionais da área da saúde, trabalhando de forma
cooperativa.
(D) apenas com os usuários e estabelecendo referências com outros profissionais da área da saúde, trabalhando com
referência e contra-referência.

36. No campo da Interconsulta, o termo “profissional de ligação” se refere ao profissional de saúde mental que:
(A) É membro efetivo da equipe de saúde.
(B) Atua na atenção secundária e na atenção primária.
(C) É especialista em distúrbios interpessoais.
(D) Aproxima a psicologia da psiquiatria.
RESIDENCIA MULTIPROFISSIONAL 2015 – PSICOLOGIA

37. A função continente de um coordenador de grupo se refere à capacidade que ele tem de conter:
(A) O gosto pela liderança e falas exortativas de alguns pacientes no grupo.
(B) A emergência de temas polêmicos e de aspectos regressivos no campo grupal.
(C) Sua própria angústia e as fortes emoções que emergem do campo grupal.
(D) Sentimentos hostis e confrontos entre os membros de uma grupoterapia.

38. Escolha a melhor resposta no que se refere às implicações entre a relação profissional de saúde-paciente e a síndrome de
7
burnout.
(A) O número excessivo de pacientes é o principal motivo para uma relação profissional de saúde-paciente deficitária e,
consequentemente, para o desenvolvimento da síndrome de burnout no profissional.
(B) O tipo de problema que o paciente apresenta é o principal eliciador de dificuldades na relação, e por isso se constitui no
grande determinador da síndrome de burnout.
(C) A relação do profissional com o paciente pode contribuir para o desenvolvimento da síndrome de burnout, especialmente
quando ocorre intenso estresse emocional por parte do profissional.
(D) A maior causa de burnout está na onipotência do profissional de saúde em resolver os problemas do paciente, pois
frequentemente se frustra e, assim, desiste de seus objetivos.

39. Escolha, dentre as alternativas abaixo, a melhor resposta no que se refere às consequências das doenças crônicas na
qualidade de vida do indivíduo.
(A) As doenças crônicas afetam a qualidade de vida do indivíduo, principalmente, por exigirem o uso contínuo de várias
medicações, concomitantemente, que possuem efeitos colaterais desagradáveis para o paciente.
(B) A qualidade de vida do indivíduo com doença crônica depende de seu nível de adaptação à doença, ao tratamento e a
seus efeitos, pois é necessário aprender a conviver com as limitações na vida cotidiana.
(C) Os sintomas físicos das doenças crônicas têm relação direta com prejuízos na qualidade de vida por causarem baixa
autoestima, dificuldade no relacionamento familiar, distanciamento de atividades sociais e perda da liberdade.
(D) O controle da depressão e da ansiedade, que estão sempre presentes no dia a dia de pacientes com doenças crônicas, é
o principal elemento para a manutenção de uma boa qualidade de vida nesses indivíduos.

40. De acordo com Tonetto e Gomes (2007), a melhor resposta no que se refere às dificuldades encontradas quanto à
inserção do psicólogo em instituições de saúde é:
(A) O fato de os demais profissionais de saúde não valorizarem a presença do psicólogo e suas ações na equipe e, por isso,
não encaminharem os pacientes para tratamento psicológico.
(B) Dos próprios psicólogos que se isolam dentro da instituição de saúde por não compreenderem a linguagem clara e
objetiva dos demais profissionais da equipe, sendo, portanto, os principais responsáveis pelas dificuldades de inserção.
(C) A desconfiança por parte dos demais profissionais de saúde quanto aos métodos utilizados pelos os psicólogos em suas
práticas profissionais.
(D) A falta de clareza relacionada às atribuições do psicólogo na instituição e quanto ao que se espera de suas ações.

41. Segundo Julien (2004), no século XX foi característico pensar que o equilíbrio e a estabilidade do adulto era garantida a
partir da intermediação, durante o período da infância, de “um terceiro social”. Segundo o autor, este “terceiro social” é melhor
definido, entre as opções abaixo, como:
(A) A figura paterna, biológica ou de criação da criança que garante a posição de intermediação social entre mãe e bebe.
(B) O bem-estar familiar que constituem o corpo e o coração da mãe: paraíso originário, que se deve perder, mas constituirá a
base para um desenvolvimento psíquico saudável.
(C) As figuras do professor, da pediatra, da psicóloga, da assistente social, do juiz de menores, do juiz de varas de família.
(D) A representação privada composta pela família nuclear, onde essa criança é cuidada e protegida, garantindo assim seu
desenvolvimento psíquico, físico e social saudável.
RESIDENCIA MULTIPROFISSIONAL 2015 – PSICOLOGIA

42. Segundo Julien (2004), a lei do desejo funda a conjugalidade. Segundo o autor, assinale a opção que melhor articula o
conceito da conjugalidade e parentalidade.
(A) A família de origem não deve ser fundada sobre a parentalidade, mas, ao inverso, é a conjugalidade de um homem e de
uma mulher que funda a parentalidade.
(B) Só um pai e uma mãe, independente se foram ou ainda continuam sendo um para o outro mulher e homem, podem
transmitir a lei do desejo a seus filhos.
(C) Só um pai e uma mãe, independente se foram ou ainda continuam sendo um para o outro mulher e homem, podem
transmitir a parentalidade. 8
(D) Por causa da parentalidade, os pais permanecem na sua geração e não fazem recair sobre os filhos tornados adultos o
peso de uma dívida de reciprocidade.

43. Segundo Kubbler-Ross (1996), na atualidade, a sociedade considera a morte um tabu, onde debates sobre ela são
considerados mórbidos, e as crianças afastadas sob pretexto de que seria “demais” para elas. Escolha a opção que melhor
descreve as conseqüências da exclusão da criança nas situações de morte de familiares.
(A) A criança percebe algo de errado, mas as colocações dos adultos que dão significação a perda através de histórias como
“mamãe foi fazer uma longa viagem”, protegem a criança de situações traumáticas, possibilitando o luto.
(B) A criança percebe algo de errado e sua desconfiança nos adultos tende a crescer à medida que evitam suas perguntas e,
futuramente, ao perceber a mudança familiar, sentirá um pesar irreparável.
(C) A criança é protegida de situações onde, por sua fragilidade psíquica, não tem condições de elaboração e, portanto, de
lidar com a situação de perda e morte.
(D) A criança é protegida de situações onde, por sua fragilidade psíquica, não pode dar sentido à perda, sendo necessário
construir histórias reparadoras, tais como “ mamãe foi fazer uma longa viagem”, para evitar o trauma.

44. Segundo Kubbler-Ross (1996), a raiva é um sentimento que atravessa freqüentemente o familiar de um paciente terminal.
Segundo a autora, assinale a afirmação mais correta, concernente ao sentimento de raiva no contexto da terminalidade da
vida.
(A) A tolerância da raiva dos familiares, por parte da equipe de saúde, quer seja dirigida à própria equipe, ao paciente, ou
contra Deus, possibilitará ajudá-lo a dar passos largos na aceitação sem culpa.
(B) A intervenção no familiar do paciente, de forma que este vislumbre a inadequação do seu sentimento de raiva frente à
situação de perda, possibilitará que esta raiva seja ultrapassada e passe ao sentimento de aceitação.
(C) A interpretação da significação do sentimento de raiva, demonstrando a sua não pertinência à situação de perda, deve ser
realizada ao familiar do paciente por parte de toda equipe multidisciplinar.
(D) A equipe de saúde deverá atuar multidisciplinarmente, e de forma congruente entre si, a fim de evitar a qualquer custo que
recaia sobre ela o sentimento de raiva por parte do familiar do paciente terminal.

45. O sofrimento gerado pela hospitalização: eis o desafio do psicólogo hospitalar. Quando se trata de uma criança
hospitalizada, e com risco de morte iminente, este desafio se faz maior. Segundo Kubbler-Ross (1996), isso se deve:
(A) À necessidade de minimizarmos o medo do outro: da criança doente, dos seus familiares, e da equipe de saúde.
(B) À morte ser um assunto que não gera temor em todos os homens, causando apenas angústia, pânico e impotência frente
ao seu caráter conhecido.
(C) À possibilidade de intervenção apenas nos instantes que precedem a morte.
(D) À morte constituir-se, ainda, como um acontecimento medonho, pavoroso, um medo universal, mesmo sabendo que
podemos dominá-lo em vários níveis.

46. Assinale a alternativa que caracteriza a melancolia, diferenciando-a do luto, segundo Freud (1974).
(A) Diminuição do amor próprio e atitude de autorrecriminação.
(B) Sonolência e perda do interesse pelas atividades do cotidiano.
(C) Insônia e perda do apetite.
(D) Inibição generalizada do eu.
RESIDENCIA MULTIPROFISSIONAL 2015 – PSICOLOGIA

47. Nos últimos anos vem aumentando a inserção do psicólogo nas instituições de saúde e, consequentemente, ampliando a
visão para o entendimento dos aspectos psicológicos implicados no processo de adoecer. No entanto, ainda há um limite na
ciência, não do ponto de vista tecnológico, mas da ética em relação ao respeito à pessoa. Entre os aspectos de Bioética a
serem preservados em relação à criança hospitalizada, estão:
(A) Atitude de cuidado e apoio familiar.
(B) Apoio social e respeito a sua família.
(C) O respeito à privacidade e a confidencialidade.
(D) Respeito à autonomia da criança com responsabilidade na atenção a sua saúde.
9
48. A entrada do psicólogo no setor público de saúde, se dá através do modelo medico-assistencial privatista. Tal modelo
privilegia as práticas médicas curativas, individuais, assistencialistas e especializadas, em detrimento da saúde coletiva.
Segundo Dimenstein, em Santos et al. (2010), esse tipo de prática remete à:
(A) Um sistema de relações mais autônomas que decorre do debate/ação entre cidadãos iguais de direito
(B) Buscar a autonomia dos sujeitos e das coletividades e procurar estabelecer possibilidades crescentes de saídas coletivas
(C) Intervenções sustentadas pela articulação intersetorial e de participação social voltada para a consecução do direito à
saúde.
(D) Falta de compromisso do profissional com as instituições de saúde, com a qualidade e humanização das práticas e com o
acolhimento e vínculo com os usuários

49. De acordo com Schraiber et al. (2009), qual das afirmativas abaixo define de forma mais correta e completa o fenômeno da
violência de gênero no Brasil:
(A) A principal forma de violência contra a mulher é o estupro cometido por desconhecidos, no espaço público, vitimando
principalmente jovens e meninas, sendo uma faceta da violência urbana.
(B) A violência atinge igualmente os homens em suas relações conjugais e familiares, porém esses crimes são subnotificados
por não existir no Brasil uma legislação específica de proteção aos homens.
(C) A violência sexual atinge igualmente os homens, porém os serviços de saúde priorizam o atendimento às mulheres, com a
contracepção de emergência e a realização do aborto legal.
(D) A violência contra a mulher se manifesta principalmente nas formas física, psicológica e sexual, tendo como principal
agressor o parceiro íntimo, ou ex-parceiro, caracterizando a violência doméstica.

50. A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM) tem entre os seus objetivos específicos implantar um
modelo de atenção à saúde mental das mulheres sob o enfoque de gênero. Que estratégias são propostas para alcançar esse
objetivo?
(A) Aumentar o número de leitos psiquiátricos para mulheres em hospitais gerais.
(B) Melhorar a informação sobre as mulheres portadoras de transtornos mentais no SUS e qualificar a atenção à saúde
mental das mulheres.
(C) Implantar serviços específicos para mulheres com problemas de uso/abuso de álcool e outras drogas.
(D) Promover no acompanhamento pré-natal ações de prevenção à depressão puerperal.

Você também pode gostar