Você está na página 1de 54

DIREITO EMPRESARIAL APLICADO II

Aula 1- Apresentação do Plano de Ensino


Evolução Histórica dos Títulos de Crédito

Professora Maria Lucia Azevedo Viana Dória


Email: advmalus@yahoo.com.br
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DESTA AULA

 Apresentação do Plano de
Ensino.
 Referências Bibliográficas.
 Contextualização da
Disciplina Direito empresarial
 Evolução histórica dos Títulos
de Crédito
PLANO DE ENSINO

 Objetivos Gerais
 Ementas
MODELO DE MOLDURA PARA
 Referencias Bibliográficas IMAGEM COM ORIENTAÇÃO
VERTICAL

 Coletâneas dos Casos


Concretos
 Avaliação
OBJETIVOS GERAIS DE DIR. EMP.
APLICADO II

Contextualizar a evolução histórica dos Títulos de Crédito.

Conceituar Títulos de Crédito .

Características e Atributos dos Títulos de Crédito.


Ementa Dir. Emp. Aplicado II III
Evolução histórica dos Títulos de Crédito. Conceito. Princípios. Atributos dos
Títulos de Crédito. Classificação dos Títulos de Crédito.
Atos Cambiais: Saque e Emissão. Legislação. Lei Uniforme de Genebra. Endosso.
Aceite. Aval. Vencimento e Pagamento dos Títulos de Crédito.
Protesto e Ação Cambiária.
Letra de Cambio e Nota Promissória
Cheque.
Duplicata.
Contratos Empresariais.
Contratos Bancários.
Recuperação Judicial, Extrajudicial, Especial e Falência: Disposições Preliminares
Disposições comuns a recuperação e a falência.
Recuperação extrajudicial: Conceito, Pressupostos e Processamento.
Recuperação judicial e especial: Conceito, Pressupostos e Processamento.
Falência: conceito, princípios, objetivos, legitimidade e pressupostos.
Sentença no processo de falência: natureza jurídica, elementos constitutivos,
efeitos e recursos.
Ações incidentais. Liquidação do ativo e Pagamento do Passivo. Encerramento da
Falência e Crimes falimentares.
REFERÊNCIAS
BIBIOGRÁFICAS
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS - BÁSICA

COELHO, Fábio Ulhôa.


Curso de Direito Comercial.
17 ed. v 1 São Paulo:
Saraiva. 2013.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS – COMPLEMENTAR

COELHO, Fábio Ulhôa.


Manual de direito
comercial. 28. ed. rev. e
atual. São Paulo: Saraiva,
2017.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS – COMPLEMENTAR

MARTINS, Fran. Títulos de


Crédito. 18ª. ed. rev. e
atual. São Paulo: Forense,
2017.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS – BÁSICA

F. da ROSA JUNIOR, Luiz Emygdio.


Títulos de Crédito -Jurisprudência
Atualizada- Esquemas Explicativos.
7. ed. rev. e atual. Rio de Janeiro:
Renovar, 2011.
COLETÂNEAS DOS CASOS CONCRETOS

Apresentação dos casos concretos para validação


Observância do regulamento das coletâneas dos casos
concretos.
Valoração de até 1,0 ponto acrescido na AV1.
Avaliação – Calendário (*)

AV1 xx de outubro de xxxx.

AV2 xx de novembro de xxxx.

AV3 xx de dezembro de xxxx.

OBS: Calendário (*)


• Para as aulas de sexta-feira.
• Salvo orientação extraordinária
da diretoria de ensino.
TÍTULOS DE CRÉDITO – EVOLUÇÃO
HISTÓRICA
O QUE É CRÉDITO ?
CRÉDITO

ou
CRÉDITO

CRÉDITO
Vem de
Credere
Alguém DATA DO
DATA DA
acreditou VENCIMENTO
EMISSÃO
Crer
confiar
COMO TUDO COMEÇOU ...
Evolução Histórica dos Títulos de Crédito
FASE ITALIANA FASE FRANCESA FASE DIREITO
Litera Cambi Surge o Código ALEMÃ UNIFORME
Período feudal Comercial Frances A Alemanha O Direito Cambiário
Exploração da terra Surge a transferência começou a dar um passa a ser
Entrando saindo do valor do debito e destaque aos títulos universal uma lei
para o não apenas o de credito com a única que regula os
mercantilismo pagamento mas a utilização da lei títulos de crédito
1. Problema a criação do endosso. especial. em todo o mundo.
violência Criado por Napoleão Deu inicio ao Reuniu alguns
2. Cada cidade Bonaparte legislativo aos países em Genebra.
cunhava sua títulos de crédito.
própria moeda

Idade Média De 1848 à A partir de 1930


De 1673 à
1673 1930 até hoje
1848
OBS: instrumento OBS: criou uma Lei Uniforme de
OBS: circulação
pgto lei especial Genebra
endosso
By the way...
Você acredita em mim?
PLANO B
DIR. CAMB. = CAMBIAR
TROCAR
CONJUNTO DE NORMAS
ESPECÍFICAS
Títulos de Crédito:
Conceito
“ Todo documento necessário
para o legítimo exercício de um
direito literal e autônomo nele
mencionado”
Cesare Vivante.

Princípios: basilares
Cartularidade ( Documentalidade) , Literalidade e Autonomia
PRINCÍPIOS DOS TÍTULOS DE CRÉDITO

 Documentalidade (Cartularidade)
Ex: batida do carro/transformação da obrigação em documento - força
executiva/titulo executivo posso sacar um cheque
1.Eu não posso anexar xerox salvo exceções legais
2. Realidade on line títulos virtuais (não podemos afirmar que hoje não
existe mais o princípio da cartularidade. O juiz exige o doc. original

 Literalidade
Ex: do carro continuando, poderá ser cobrado juros pelo atraso no
pagamento sendo cobrado além do que está contido no título.
“Não” só vale o que está escrito.

Autonomia
AULA 02
DOCUMENTALIDADE (CARTULARIDADE)

AULA 02
LITERALIDADE

ESCREVEU NÃO LEU.....


Ex: assinatura do marido conta conjunta
Embargos de terceiro princípio da literalidade.
AULA 02
Princípio Da Autonomia
Dir. Cambiário oposto ao Dir. Civil

Direito Derivado – Direito Civil


No direito civil o vício contamina toda a
cadeia na compra do imóvel.
Obs: o direito cambiário não adotou
esse princípio do dir. civil. Pq os
papeis vieram para circular.
Princípio da autonomia

O terceiro e mais importante princípio relacionado aos títulos de


crédito, considerado a pedra fundamental de todo o regime jurídico
cambial, é o princípio da autonomia. Por esse princípio, entende-se
que o título de crédito configura documento constitutivo de direito
novo, autônomo, originário e completamente desvinculado da
relação que lhe deu origem. Assim, as relações jurídicas
representadas num determinado título de crédito são autônomas e
independentes entre si, razão pela qual o vício que atinge uma
delas, por exemplo, não contamina a(s) outra(s). Melhor dizendo: o
legítimo portador do título pode exercer seu direito de crédito sem
depender das demais relações que o antecederam, estando
completamente imune aos vícios ou defeitos que eventualmente as
acometeram. Assim, como bem ensinou o próprio Cesare Vivante, o
direito representado num título de crédito é autônomo porque a sua
posse legítima caracteriza a existência de um direito próprio, não
limitado nem destrutível por relações anteriores
25
PRINCÍPIO DA AUTONOMIA

MENOR POSTO DISTRIBUIDORA REFINARIA


PRINCÍPIO DA AUTONOMIA
Temos a seguir três situações autônomas

MENOR CONDUTOR ------------- POSTO DE GASOLINA

POSTO DE GASOLINA ---------- DISTRIBUIDORA

DISTRIBUIDORA ------------- REFINARIA


PRINCÍPIO DA AUTONOMIA
ART. 7º DEC. 57.663/66
Art. 7º - Se a letra contém assinaturas de pessoas
incapazes de se obrigarem por letras, assinaturas
falsas, assinaturas de pessoas fictícias, ou assinaturas
que por qualquer outra razão não poderiam obrigar
as pessoas que assinaram a letra, ou em nome das
quais ela foi assinada, as obrigações dos outros
signatários nem por isso deixam de ser validas.

DIREITO DERIVADO – DIREITO CIVIL


AULA 02
PRINCÍPIO DA INOPONIBILIDADE
EXCEÇÕES PESSOAIS
PRINCÍPIO DA
AUTONOMIA
OBS: um eventual vicio não
contamina os demais atos.

PRINCÍPIO DA INOPONIBILIDADE DAS


EXCEÇÕES PESSOAIS
OBS: in significa não
Não pode apresentar oposição com
base em defesas pessoais.

AULA 02
PRINCÍPIO DA INOPONIBILIDADE
EXCEÇÕES PESSOAIS

A B C E
D

AULA 02
PRINCÍPIO DAS EXCEÇÕES PESSOAIS
Art. 17 – Dec. 57.663/66
As pessoas acionadas em virtude de uma letra não
podem opor ao portador as exceções fundadas
sobre as relações pessoais delas com o sacador ou
com os portadores anteriores, a menos que o
portador ao adquirir a letra tenha procedido
conscientemente em detrimento do devedor.
Títulos de Crédito: Características
Negocibilidade veio ao
mundo para circular

Empresário/
Não Força
Empresário executiva

Representativos da
Obrigação
EX: o título pode representar
uma obrigação por Formais
exemplo pagar em cheque A lei define a
forma dos títulos
um prejuízo causado em um de crédito
acidente de transito.

EU TENHO A FORÇA !!!!


COMO SE CLASSIFICAM

OS TÍTULOS DE CRÉDITO ?
CLASSIFICAÇÃO DOS TÍTULOS DE CRÉDITO

QUANTO À ESSÊNCIA
CREDITÍCIA

QUANTO À QUANTO À
CIRCULAÇÃO EMISSÃO

QUANTO AO QUANTO À
MODELO ESTRUTURA
TÍTULO DE CRÉDITO : QUANTO À ESSÊNCIA
CREDITÍCIA

PRÓPRIOS
ESSÊNCIA
CREDITÍCIA
O que é credito?

IMPRÓPRIOS
TÍTULOS DE CRÉDITO PRÓPRIOS

CRÉDITO

DATA DA DATA DO
EMISSÃO VENCIMENTO
OBS: O CHEQUE É UM TITULO IMPROPRIO PQ FALTA A ELE O LAPSO
TEMPORAL. (ORDEM DE PAGAMENTO Á VISTA)
TÍTULOS DE CRÉDITO IMPRÓPRIOS

TÍTULOS DE TÍTULOS DE
INVESTIMENTOS LEGITIMAÇÃO
EX: Certificado EX: bilhete do metrô
Depósito Bancário Prêmio, raspadinha
renda fixa
TÍTULOS DE
REPRESENTAÇÃO
TÍTULOS DE
EX: conhecimento
FINANCIAMENTO
de deposito, ações,
EX: EMPRÉSTIMO
debêntures.
TÍTULO DE CRÉDITO : QUANTO À EMISSÃO

ABSTRATOS
90%
EMISSÃO
Entregar o título

CAUSAIS
A lei determina ou vc
tornou causal

Obs: emissão (entregar o título) é diferente de criação (fazer o cheque criar)


AI ! MEU DEUS !!! PAGUEI TUDO COM CHEQUE...

ELE É UM TÍTULO ABSTRATO OU CAUSAL ?


ABSTRATO pq a bolsa é meramente o motivo a razão de ser do saque do cheque ela
se desvincula do titulo, pois ele tem vida própria. A razão da causa do cheque é
denominada causa debendi, ou seja, a compra da bolsa perdeu o sentido porque o
título tem vida própria.
TÍTULOS DE CRÉDITO : ABSTRAÇÃO

Qual foi o motivo/causa da emissão do


cheque ?
TÍTULO DE CRÉDITO : QUANTO À ESTRUTURA

ORDEM DE
PAGAMENTO
ESTRUTURA

PROMESSA DE
PAGAMENTO
TÍTULO DE CRÉDITO : QUANTO À ESTRUTURA

ORDEM DE PAGAMENTO
TRÊS FIGURAS JURÍDICAS
Ex: LC, CH e DP

A B
SACADOR SACADO
Da a ordem Recebe a ordem
OBS: A ESTACIO ENVIA
BOLETO DE COBRANÇA...
BENEFICIÁRIO/
C TOMADOR
TÍTULO DE CRÉDITO : QUANTO À ESTRUTURA

PROMESSA DE PAGAMENTO
DUAS FIGURAS JURÍDICAS
Ex: Nota Promissória/CCB

A B

SACADOR/ BENEFICIÁRIO/
EMITENTE TOMADOR
devedor
TÍTULO DE CRÉDITO : QUANTO AO MODELO

LIVRES

MODELO

VINCULADOS
TÍTULO DE CRÉDITO : QUANTO AO MODELO

Títulos de créditos livres –


não há um padrão a ser
seguido, deve apenas
obedecer os requisitos
da lei (exemplo: nota
promissória). Títulos de
créditos vinculados –
adotam um padrão
especial de acordo
com o previsto na lei
O beneficiário pode transferir o título
encaminhado à ele para uma terceira
pessoa ?

TRANSFERÊNCIA

A B C

EMITENTE BENEFICIÁRIO TERCEIRA PESSOA


CHEQUE NOMINAL Á ORDEM
CIRCULAÇÃO

Ao Nominativo
Portador*
CC: somente
por lei
especial À Ordem Não A
Ordem

Lei 8.021/90 Endosso Cessão Ordinária


Cheques: até De Crédito
100,00

Obs: *Art. 907. É nulo o título ao portador emitido sem autorização de lei
especial."
VIA VIA CESSÃO
ENDOSSO DE CRÉDITO

INST. CAMBIÁRIO INST. DIR. CIVIL


PURO E SIMPLES NÃO ESTÁ
CONDICIONADO
VINCULADO A NADA

VALOR TOTAL  TOTAL OU PARCIAL

TÁCITO OU EXPRESSO  CLÁUSULA EXPRESSA

MANIFEST. UNILATERAL MANIFEST. BILATERAL


DE VONTADE DE VONTADE CEDENTE/CESSIONÁRIO
COOBRIGAÇÃO : todos são responsáveis
ENDOSSO X CESSÃO

A B C E
D

ENDOSSO
EXISTE A
COOBRIGAÇÃO
COOBRIGAÇÃO :
ENDOSSO X CESSÃO

A B C E
D

CESSÃO ORDINÁRIA DE CRÉDITO


A RESPONSABILIDADE EXISTE ENTRE
CEDENTE E CESSIONÁRIO
AULA 02
Classificação dos Títulos : Cheque x Duplicata

DUPLICATA CHEQUE
Crédito Tít. Crédito Próprio Tít. Crédito Impróprio
pq não tem prazo lapso temporal

Emissão Causal Abstrato

Estrutura Ordem Pagamento Ordem Pagamento

Modelo Vinculado Vinculado

Circulação Nominativo à Portador (até R$100,00)


Ordem (sempre endosso) Nominativo (à ordem/não a ordem)
CASO CONCRETO: Fernando emitiu um título de crédito em favor de
Renata, o qual circulou através de diversos endossos até o atual
portador. Após o prazo de vencimento, o portador decidiu executar um
dos endossantes, tendo em vista que o título não foi pago pelo devedor
original. Todavia, ao ser executado, o endossante alegou em sua defesa
que não poderia ser executado, haja vista que recebeu o título de um
menor, o qual não teria capacidade civil, e o que tornaria nula a cadeia
de endossos. Diante dessa situação hipotética, pergunta-se:

a) Tem fundamento a defesa apresentada pelo endossante?

b) Qual o princípio que pode ser aplicado no caso em tela?


QUESTÃO OBJETIVA 1: São princípios gerais dos títulos de crédito:
a) literalidade, forma e causa.
b) forma, causa e abstração.
c) negociabilidade, anterioridade e literalidade.
d) modelo, cártula e autonomia
e) cartularidade, literalidade e autonomia

QUESTÃO OBJETIVA 2: Quanto à classificação dos títulos de crédito, é


incorreto afirmar:
a) Quanto ao modelo, os títulos podem ser classificados como livres (letra
de câmbio e nota promissória) e vinculados (cheque e duplicata).
b) quanto à estrutura, os títulos se classificam como ordem de pagamento
ou promessa de pagamento.
c) como exemplo de ordem de pagamento, temos a letra de câmbio, e
como promessa de pagamento a nota promissória.
d) quanto às hipóteses de emissão, os títulos de créditos podem ser
classificados em causais e não causais.
e) todos os títulos de crédito existentes no Brasil podem ser considerados
não causais, visto que não dependem de causa específica para serem
emitidos.