Você está na página 1de 26

FÍSICA

Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1


FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

SUMÁRIO

NOÇÕES DE REFERENCIAL ______________________________________________________ 3


ANÁLISE GRÁFICA: M.U. E M.R.U.V. ______________________________________________ 8
EXERCÍCIOS DE COMBATE _____________________________________________________ 12
GABARITO__________________________________________________________________ 25

2
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

MOVIMENTOS UNIDIRECIONAIS
NOÇÕES DE REFERENCIAL

Imagine que você esteja sentado dentro de um carro que está se locomovendo ao longo de uma rodovia. Qual
a velocidade do carro? Depende. Para você, que está no carro, o banco não se move, nem as janelas, por
exemplo. Se não puder ver o velocímetro e as janelas estiverem tampadas, será impossível ter qualquer noção
de movimento. Perde-se qualquer referência (árvores, prédios, outros carros). Para você, o carro
simplesmente não se move. Já para uma pessoa na estrada, o carro tem velocidade. São dois movimentos
distintos. O movimento de um móvel depende do referencial. Em relação à estrada, a velocidade do carro é
de 60 km/h, por exemplo. Mas para as pessoas dentro do carro, a velocidade é zero.

Vamos supor que uma pessoa dentro do carro deixe cair uma moeda. Para os passageiros, a moeda irá cair na
vertical. E como será que uma pessoa na estrada irá ver o movimento da moeda? Para ela, a moeda se
desloca junto com o carro, na horizontal, com a mesma velocidade dele, mas também se movimenta para
baixo. Os dois movimentos combinados, sincronizados. Para baixo e para o lado, formando um arco de
parábola.

Abaixo temos uma situação análoga. Um piloto irá deixar cair do avião uma caixa. Vamos imaginar que o ar
não interfere no movimento. Como será o movimento da caixa?

Para o piloto a caixa irá cair em linha reta, já para uma pessoa em repouso, em relação ao solo, o movimento
da caixa será de um arco de parábola. Isso acontece porque a velocidade da caixa, inicialmente, é a mesma do
avião. Como estamos desprezando a resistência do ar, a velocidade horizontal da caixa será sempre a mesma.
Na vertical, por outro lado, a velocidade inicial é zero e vai aumentando a cada instante de tempo, devido à
gravidade. Mais tarde iremos estudar com mais detalhes esse tipo de movimento.

3
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

O movimento da horizontal que a caixa possui é o mesmo do avião, conhecido como movimento uniforme, já
que o vetor velocidade é constante. Podemos dizer que a caixa vai acompanhando-o, com a mesma
velocidade. Vamos supor que a caixa leva 10 segundos para cair. O seu deslocamento na horizontal será o
mesmo do avião. Se este estiver a 360 km/h, em 10 s, qual será o seu deslocamento?

km
360km 360000m 100m h m
  
h 3600s s 3,6 s

Se o nosso avião percorre 100 m em 1 s, podemos dizer que, em 10 s, percorrerá 1000 m ou 1 km. A caixa irá
cair a 1 km do ponto onde foi abandonada do avião.

Podemos intuir, então, que velocidade nada mais é do que deslocamento (ΔS) por intervalo de tempo (Δt) em
que o deslocamento ocorreu:

S S  S0
v 
t t  t0

Onde S é a posição no instante t e S0 é a posição no instante inicial t0.

Unidade do Sistema Internacional (S.I.): m/s

Vamos imaginar que estamos em uma rodovia de mão dupla. Em uma parte os carros vão, por exemplo, do
km 60 para o km 78 em 30 min, em média. Do outro lado da rodovia, o sentido é oposto, do km 78 para o km
60, no mesmo intervalo de tempo.

No 1º caso, a velocidade dos carros, em relação à rodovia, é:

v
 78  60   36km / h ou 10m / s
0,5

Esses carros estão em movimento progressivo ( v > 0 )

No 2º caso, a velocidade dos carros, em relação à rodovia, é:

v
 60  78   36km / h ou  10m / s
0,5

4
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

Esses carros estão em movimento retrógrado ou regressivo (v < 0)

Mas existem casos onde a velocidade varia linearmente no tempo. Veja a tabela abaixo:

Velocidade(m/s) 0 2 4 6 8

Tempo(s) 0 1 2 3 4

Podemos notar que, a cada segundo, a velocidade do móvel aumenta em 2 m/s. A grandeza que mede a
variação de velocidade por tempo é a aceleração. Nesse caso, como a velocidade aumenta 2 m/s a cada
segundo, a aceleração do movimento vale 2 (m/s)/s = 2 m/s2.

v v  v 0
a 
t t  t0

Onde v é a velocidade no instante t e v0 a velocidade no instante inicial t0. Nesse caso o vetor aceleração
permanece constante. Sendo assim, o movimento é uniformemente variado.

Unidade de aceleração no Sistema Internacional (S.I.): m/s2.

Vamos voltar ao exemplo do capítulo anterior. A nossa rodovia de mão dupla. Vamos imaginar que os carros
que estão em movimento progressivo, do km 60 para o km 78, estão em movimento retilíneo e
uniformemente variado (M.R.U.V.). Duas situações são possíveis:

Módulo* da velocidade aumentando com o tempo: movimento progressivo e acelerado.

Módulo da velocidade diminuindo com o tempo: movimento progressivo e retardado.

Agora vamos imaginar que os carros que estão em movimento retrógrado, do km 78 para o km 60, também
estão em M.R.U.V. Teremos duas situações possíveis:

Módulo da velocidade aumentando com o tempo: movimento retrógrado e acelerado.

Módulo da velocidade diminuindo com o tempo: movimento retrógrado e retardado.

5
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

Resumindo

V > 0 e a > 0  movimento progressivo e acelerado

V > 0 e a < 0  movimento progressivo e retardado

V < 0 e a > 0  movimento retrógrado e retardado

V < 0 e a < 0  movimento retrógrado e acelerado

EXERCÍCIO RESOLVIDO:

Um carro freia a uma taxa de 4 m/s2. Quanto tempo, um carro que está a 72 km/h, em relação à rodovia, leva
para parar completamente?

RESOLUÇÃO:

Se o módulo da velocidade está diminuindo, temos que a aceleração é negativa, – 4 m/s2. Temos que ficar
atentos a unidade de medida da velocidade. Está em km/h. Temos que transformar em m/s, dividindo por 3,6.
Logo:

72 v 0  20
v0   20  a   4  t  5,0s
3,6 t t

S
Mas e se quisermos saber o deslocamento do carro nesse intervalo de tempo? Não podemos usar v 
t
porque a velocidade muda a cada instante. Essa equação funciona apenas no caso de movimento uniforme,
onde a velocidade é constante. Perceba:

v  v0
a ; fazendo t0  0, temos: v  v0  at
t  t0

Essa é a equação horária da velocidade.

Vamos supor que um móvel está a 1 m/s e que a sua velocidade aumenta 1 m/s. O gráfico abaixo mostra
como a velocidade muda com o tempo:

6
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

Se, para cada intervalo de tempo, multiplicarmos pela sua respectiva velocidade, teremos os deslocamentos
para cada pequeno intervalo de tempo. Somando todos os pequenos deslocamentos, teremos o
deslocamento o seu total. Quanto menor o intervalo de tempo, mais preciso será o deslocamento total. Para
termos, com precisão, o deslocamento total, faremos a área do gráfico:

Área 
 v0  v  t v0  v0  at t 2v0t at 2
   S  v t 
at 2
S  S
at 2
0 0  v0t 
2 2 2 2 2 2

Essa é a equação horária da posição.

No nosso exercício resolvido, qual foi o deslocamento do móvel durante os 5,0 s de movimento?

4 . 52
S  20 . 5   50m
2

E se o problema não informar o intervalo de tempo ocorrido, e apenas nos der as velocidades inicial e final, e
quiser o deslocamento? Sabíamos que a velocidade inicial, no nosso exercício, era de 20m/s e que a final era
zero. Mas, mesmo sem o intervalo de tempo, somos capazes de descobrir o deslocamento do carro. Veja só:

at 2
S  v0t  e v  v0  at
2

 v  v0   a  v  v 0 
2

S  v0
a 2a2
2a S  2v0 v  v0   v  v0 
2

2a S  2v0v  2v02  v 2  v02  2v0v

v 2  v02  2a S

Essa equação é a equação de Torricelli. Nos será de grande ajuda durante vários momentos ao longo do nosso
curso.
7
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

Voltando ao problema, pode usar a equação acima a fim de descobrirmos o deslocamento:

0  202  2  4  S  S  50m

ANÁLISE GRÁFICA: M.U. E M.R.U.V.

l. M.U.

1) Posição x tempo (S x t)

Temos o movimento de três móveis representados no gráfico acima. Um deles tem posição inicial 0, o outro 1
m e o outro, 4 m. Dois possuem movimento progressivo e um, retrógrado. Com relação aos primeiros, o que
possui maior inclinação tem maior velocidade. De fato, inclinação do gráfico S x t significa, numericamente, a
velocidade. Um tem velocidade de 3 m/s e o outro, 2 m/s. Já o retrógrado, sua velocidade é de – 1 m/s.

Observe que suas velocidades são constantes.

2) Velocidade x tempo (V x t)

8
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

Temos as velocidades dos móveis anteriores representadas pelo gráfico acima. Quais são os seus
deslocamentos durante 3 s? Em um gráfico v x t, a área é numericamente igual ao deslocamento. O móvel
cuja velocidade em relação à estrada é de 3 m/s apresentou um deslocamento de 9 m. Já o que possui v = 2
m/s, seu deslocamento foi de 6 m. O outro, - 3m. Como sua velocidade é negativa, sua posição final é menor
que a inicial. Significa que, se a estrada fosse uma reta horizontal que aponta para a direita, o carro estaria se
movendo para a esquerda.

ll. M.R.U.V.

1) Posição x tempo (S x t)

at 2
O gráfico acima mostra como as posições de dois móveis variam no tempo. Como S  S0  v0t  , a curva
2
característica é um parábola. Uma parábola pode ter sua concavidade voltada para cima (a > 0) ou para baixo
(a < 0). Podemos ver também que a posição inicial de um é zero, e a do outro, 3 m.

Como a inclinação da curva em um gráfico S x t representa a velocidade do móvel, no ponto


A, a velocidade do móvel é nula. Antes desse instante a velocidade do carro estava
diminuindo, até que, nesse momento, em t = 2 s, parou. Então, instantaneamente, a
velocidade passou a aumentar, em módulo, porém, no sentido oposto ao inicial. Imagine
que um motorista pegue um retorno em uma estrada. Antes sua velocidade era positiva.
Ao se aproximar do retorno, diminui sua velocidade até zerar, e passou a aumentá-la, à
medida que ia iniciando seu movimento no sentido oposto ao anterior.

9
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

2. Velocidade x Tempo (v x t)

Agora sabemos que a velocidade inicial de um móvel vale 1 m/s e a sua aceleração é de -0,5 m/s2. Já a do
outro é zero, e a sua aceleração vale 0,25 m/s2. As acelerações são numericamente iguais às inclinações das
retas. Para o 1º, podemos classificar seu movimento como:

t[0,2): movimento progressivo (v > 0) e retardado (a < 0).

t = 2 s: instante de tempo onde houve a mudança no sentido do movimento, como descrevemos


anteriormente.

t(2,∞): movimento retrógrado (v < 0) e acelerado (a < 0).

Vamos ver o deslocamento dos móveis durante os 4 primeiros segundos. Para isso faremos as áreas:

1.4 1.2 1.2


S   2m; S   0
2 2 2

Veja o gráfico das posições. Vai notar que em um caso, o móvel retorna para a mesma posição inicial, ou seja,
não houve deslocamento. O outro está na posição 2 m quando t = 4 s, sendo que a sua posição inicial era zero.

10
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

3. Aceleração x tempo (a x t)

Podemos, através da área, descobrirmos a variação de velocidade dos móveis. Por exemplo, até t = 2 s:

v  0.25*2  0.5m / s; v  0.5*2  1m / s

11
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

1. (UEL 2014) A gôndola é um meio de transporte comumente usado nos famosos canais de Veneza e
representa um dos principais atrativos turísticos da cidade. Um pedestre caminha no sentido oeste-leste com
velocidade constante de 3 km/h em relação à margem do canal e observa duas gôndolas em movimento: a
primeira, no sentido oeste-leste, com velocidade constante de 10 km/h em relação à margem do canal; e a
segunda, no sentido leste-oeste, com velocidade constante de 6 km/h também em relação à margem do
canal. Além disso, um veneziano observa, de sua janela, o pedestre caminhando no sentido oeste-leste e em
sua direção.
Ao colocar o sistema referencial inercial no pedestre, as velocidades relativas da primeira gôndola, da segunda
e do veneziano, em relação ao pedestre, são, respectivamente, de
a) 7 km/h para o leste, 9 km/h para o oeste, 3 km/h para o oeste.
b) 7 km/h para o oeste, 9 km/h para o leste, 3 km/h para o leste.
c) 13 km/h para o leste, 3 km/h para o oeste, 3 km/h para o leste.
d) 13 km/h para o oeste, 3 km/h para o leste, 3 km/h para o oeste.
e) 13 km/h para o leste, 9 km/h para o oeste, 3 km/h para o leste.

2. (IBMECRJ 2013) Um motorista viaja da cidade A para a cidade B em um automóvel a 40 km/h.


Certo momento, ele visualiza no espelho retrovisor um caminhão se aproximando, com velocidade relativa ao
carro dele de 10 km/h, sendo a velocidade do caminhão em relação a um referencial inercial parado é de
50 km/h. Nesse mesmo instante há uma bobina de aço rolando na estrada e o motorista percebe estar se
aproximando da peça com a mesma velocidade que o caminhão situado à sua traseira se aproxima de seu
carro. Com base nessas informações, responda: a velocidade a um referencial inercial parado e a direção da
bobina de aço é:

a) 10 km/h com sentido de A para B


b) 90 km/h com sentido de B para A
c) 40 km/h com sentido de A para B
d) 50 km/h com sentido de B para A
e) 30 km/h com sentido de A para B

12
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

3. (UFSM 2012) Numa corrida de revezamento, dois atletas, por um pequeno intervalo de tempo, andam
juntos para a troca do bastão. Nesse intervalo de tempo,

I. num referencial fixo na pista, os atletas têm velocidades iguais.


II. num referencial fixo em um dos atletas, a velocidade do outro é nula.
III. o movimento real e verdadeiro dos atletas é aquele que se refere a um referencial inercial fixo nas
estrelas distantes.

Está(ão) correta(s)
a) apenas I.
b) apenas II.
c) apenas III.
d) apenas I e II.
e) I, II e III.

4. (G1 - CFTPR 2006)Imagine um ônibus escolar parado no ponto de ônibus e um aluno sentado em uma de
suas poltronas. Quando o ônibus entra em movimento, sua posição no espaço se modifica: ele se afasta do
ponto de ônibus. Dada esta situação, podemos afirmar que a conclusão ERRADA é que:
a) o aluno que está sentado na poltrona, acompanha o ônibus, portanto também se afasta do ponto de
ônibus.
b) podemos dizer que um corpo está em movimento em relação a um referencial quando a sua posição
muda em relação a esse referencial.
c) o aluno está parado em relação ao ônibus e em movimento em relação ao ponto de ônibus, se o
referencial for o próprio ônibus.
d) neste exemplo, o referencial adotado é o ônibus.
e) para dizer se um corpo está parado ou em movimento, precisamos relacioná-lo a um ponto ou a um
conjunto de pontos de referência.

5. (PUCMG 2004)Um estudante, observando seus colegas assentados em seus lugares e recordando seus
conceitos de movimento, julga CORRETAMENTE que:
a) como não há repouso absoluto, nenhum de nós está em repouso em relação a nenhum referencial.
b) a velocidade de todos os estudantes que eu consigo enxergar agora assentados em seus lugares, é nula
para qualquer observador.
c) mesmo para o professor, que não para de andar, seria possível achar um referencial em que ele estivesse
em repouso.
d) eu estou em repouso em relação aos meus colegas, mas todos nós estamos em movimento em relação à
Terra.

13
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

6. (UFJF 2003) Uma lancha passa com velocidade constante em frente a uma mangueira na margem de um
rio, como está ilustrado na figura a seguir. Nesse momento, uma manga madura cai da árvore. Não sopra
nenhum vento e a resistência do ar na queda da manga pode ser desprezada. Qual das figuras mostra as
trajetórias da manga no referencial da mangueira e no da lancha?

7. (UFV 2000) Um aluno, sentado na carteira da sala, observa os colegas, também sentados nas respectivas
carteiras, bem como um mosquito que voa perseguindo o professor que fiscaliza a prova da turma.
Das alternativas abaixo, a única que retrata uma análise CORRETA do aluno é:
a) A velocidade de todos os meus colegas é nula para todo observador na superfície da Terra.
b) Eu estou em repouso em relação aos meus colegas, mas nós estamos em movimento em relação a todo
observador na superfície da Terra.
c) Como não há repouso absoluto, não há nenhum referencial em relação ao qual nós, estudantes,
estejamos em repouso.
d) A velocidade do mosquito é a mesma, tanto em relação aos meus colegas, quanto em relação ao
professor.

8. (G1 1996)Um patrulheiro viajando em um carro dotado de radar a uma velocidade de 60 km/h em relação
a um referencial fixo no solo, é ultrapassado por outro automóvel que viaja no mesmo sentido que ele. A
velocidade indicada pelo radar após a ultrapassagem é de 30 km/h. A velocidade do automóvel em relação ao
solo é, em km/h, igual a:
a) 30
b) 45
c) 60
d) 75
e) 90

14
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

9. (UERJ 2014) Em um longo trecho retilíneo de uma estrada, um automóvel se desloca a 80 km/h e um
caminhão a 60 km/h, ambos no mesmo sentido e em movimento uniforme. Em determinado instante, o
automóvel encontra-se 60 km atrás do caminhão.

O intervalo de tempo, em horas, necessário para que o automóvel alcance o caminhão é cerca de:
a) 1
b) 2
c) 3
d) 4

10. (FEI 1997)Dois móveis A e B, ambos com movimento uniforme percorrem uma trajetória retilínea
conforme mostra a figura. Em t = 0, estes se encontram, respectivamente, nos pontos A e B na trajetória.
As velocidades dos móveis são vA = 50 m/s e vB = 30 m/s no mesmo sentido.

Em que instante a distância entre os dois móveis será 50 m?


a) 2,0 s
b) 2,5 s
c) 3,0 s
d) 3,5 s
e) 4,0 s

11. (CN) Um motorista viaja de uma cidade A para uma cidade B. Faz a 1ª metade do percurso com uma
velocidade de 40 km/h, e a 2ª metade, a 60 km/h. Qual a velocidade média do seu percurso?

12. Dois trens estão a uma distância de 200 km e se aproximam um do outro com uma velocidade de 50 km/h
cada um, em relação ao solo. Uma mosca voa constantemente entre as locomotivas dos dois trens. De um
para-choque ao outro, com uma velocidade de 75 km/h, até o instante em que os trens se chocam e a mosca
morre esmagada. Qual foi a distância total percorrida pela mosca?

15
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

13. (UERJ 1999) A figura abaixo representa uma escuna atracada ao cais.

Deixa-se cair uma bola de chumbo do alto do mastro - ponto O. Nesse caso, ele cairá ao pé do mastro - ponto Q.
Quando a escuna estiver se afastando do cais, com velocidade constante, se a mesma bola for abandonada do
mesmo ponto O, ela cairá no seguinte ponto da figura:
a) P
b) Q
c) R
d) S

14. (Mackenzie 1997)Uma partícula descreve um movimento retilíneo uniforme, segundo um referencial
inercial. A equação horária da posição, com dados no S . I., é x = – 2 + 5 t. Neste caso podemos afirmar que a
velocidade escalar da partícula é:
a) – 2 m/s e o movimento é retrógrado.
b) – 2 m/s e o movimento é progressivo.
c) 5 m/s e o movimento é progressivo
d) 5 m/s e o movimento é retrógrado.
e) – 2,5 m/s e o movimento é retrógrado.

15. (G1 1996)A equação horária S = 3 + 4 . t + t2, em unidades do sistema internacional, traduz, em um dado
referencial, o movimento de uma partícula. No instante t = 3 s, qual a velocidade da partícula?

16. (IFSUL 2011)Se um corpo se desloca em movimento uniforme, é correto afirmar-se que ele, com certeza,
a) tem vetor aceleração nulo.
b) encontra-se em MRU.
c) percorre distâncias iguais em intervalos de tempos iguais.
d) possui velocidade vetorial constante.

16
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

17. (UERJ 2009) Dois móveis, A e B, percorrem uma pista circular em movimento uniforme. Os dois móveis
partiram do mesmo ponto e no mesmo sentido com as velocidades de 1,5 rad/s e 3,0 rad/s, respectivamente;
o móvel B, porém, partiu 4 segundos após o A.
Calcule o intervalo de tempo decorrido, após a partida de A, no qual o móvel B alcançou o móvel A pela
primeira vez.

18. (Mackenzie 2009) Certo garoto, com seu "skate", desliza pela rampa, descrevendo o segmento de reta
horizontal AB, com movimento uniforme, em 2,0s. As resistências ao movimento são desprezíveis.
Considerando d igual a 20m e o módulo de g igual a 10m/s2, o intervalo de tempo gasto por esse garoto para
descrever o segmento CD é, aproximadamente, de:

a) 1,0 s
b) 1,4 s
c) 1,6 s
d) 2,0 s
e) 2,8 s

19. (UEPG 2008)A respeito dos conceitos de velocidade média, velocidade constante e velocidade
instantânea, assinale o que for correto.
01) No movimento variado, a média das velocidades é obtida pela razão entre a soma das n velocidades
instantâneas pelo número delas.
02) No movimento variado, a velocidade instantânea varia e, com exceção de um ponto, ela é sempre
diferente da velocidade média.
04) No movimento variado, a velocidade média é menor que a velocidade instantânea.
08) No movimento uniforme, a velocidade é constante e numericamente igual à velocidade média.

17
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

20. (G1 - CFTMG 2006)Um carro move-se ao longo de um trecho retilíneo da avenida Amazonas, variando sua
posição com o tempo, de acordo com a tabela a seguir.

Nessa situação, é correto afirmar que o carro


a) está parando.
b) tem velocidade constante.
c) apresenta aceleração negativa.
d) possui movimento uniformemente retardado.

21. (UNESP 2005) Um corpo parte do repouso em movimento uniformemente acelerado. Sua posição em
função do tempo é registrada em uma fita a cada segundo, a partir do primeiro ponto à esquerda, que
corresponde ao instante do início do movimento. A fita que melhor representa esse movimento é:

22. (UNIFESP 2002) Às vezes, as pessoas que estão num elevador em movimento sentem uma sensação de
desconforto, em geral na região do estômago. Isso se deve à inércia dos nossos órgãos internos localizados
nessa região, e pode ocorrer
a) quando o elevador sobe ou desce em movimento uniforme.
b) apenas quando o elevador sobe em movimento uniforme.
c) apenas quando o elevador desce em movimento uniforme.
d) quando o elevador sobe ou desce em movimento variado.
e) apenas quando o elevador sobe em movimento variado.

18
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

23. (UERJ 2001) O movimento uniformemente acelerado de um objeto pode ser representado pela seguinte
progressão aritmética:

711 15 19 23 27...

Esses números representam os deslocamentos, em metros, realizados pelo objeto, a cada segundo. Portanto,
a função horária que descreve a posição desse objeto é:
a) 3t + 4t2
b) 5t + 2t2
c) 1 + 2t + 4t2
d) 2 + 3t + 2t2

24. (UERJ 2009) Um avião sobrevoa, com velocidade constante, uma área devastada, no sentido sul-norte,
em relação a um determinado observador.
A figura a seguir ilustra como esse observador, em repouso, no solo, vê o avião.
Quatro pequenas caixas idênticas de remédios são largadas de um compartimento da base do avião, uma a
uma, a pequenos intervalos regulares. Nessas circunstâncias, os efeitos do ar praticamente não interferem no
movimento das caixas.
O observador tira uma fotografia, logo após o início da queda da quarta caixa e antes de a primeira atingir o
solo.
A ilustração mais adequada dessa fotografia é apresentada em:

19
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

25. (G1 - IFCE 2014) Um objeto desloca-se numa trajetória retilínea durante 18 segundos. O gráfico ilustra as
posições em função do tempo deste objeto.

A análise deste movimento nos permite concluir que


a) o objeto tem velocidade nula no instante t = 18,0 s.
b) a velocidade do objeto no instante t = 9,0 s é zero.
c) trata-se do movimento do objeto lançado verticalmente para cima.
d) o objeto somente é acelerado entre os instantes 0 e 9,0s.
e) trata-se de um movimento uniformemente acelerado.

26. (FGV 2013) Um carro deslocou-se por uma trajetória retilínea e o gráfico qualitativo de sua velocidade (v),
em função do tempo (t), está representado na figura.

Analisando o gráfico, conclui-se corretamente que


a) o carro deslocou-se em movimento uniforme nos trechos I e III, permanecendo em repouso no trecho II.
b) o carro deslocou-se em movimento uniformemente variado nos trechos I e III, e em movimento uniforme
no trecho II.
c) o deslocamento do carro ocorreu com aceleração variável nos trechos I e III, permanecendo constante no
trecho II.
d) a aceleração do carro aumentou no trecho I, permaneceu constante no trecho II e diminuiu no trecho III.
e) o movimento do carro foi progressivo e acelerado no trecho I, progressivo e uniforme no trecho II, mas foi
retrógrado e retardado no trecho III.

20
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

27. (G1 - CFTMG 2008) Um ônibus, que trafega em uma via plana, com movimento uniforme, diminuiu sua
velocidade até parar, no instante em que o sinal luminoso do semáforo muda para o vermelho. Dentre os
gráficos, o que melhor representa esse movimento é

28. (FATEC 2007) Dois móveis M e N partem de um mesmo ponto e percorrem a mesma trajetória. Suas
velocidades variam com o tempo, como mostra o gráfico a seguir.

Analise as seguintes afirmações a respeito desses móveis.

I. Os dois descrevem movimento uniforme.


II. Os dois se encontram no instante t = 10 s.
III. No instante do encontro, a velocidade de M será 32 m/s.

Deve-se afirmar que apenas


a) I é correta.
b) II é correta.
c) III é correta.
d) I e II são corretas.
e) II e III são corretas.

21
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

29. (UFAL 2006)Considere o gráfico v × t do movimento de um corpo que parte da origem de um referencial e
se desloca em linha reta. A seguir, analise as afirmações.

a) ( ) Nos intervalos de tempo de 2,0 s a 4,0 s e de 6,0 s a 8,0 s o corpo permanece em repouso.
b) ( ) De 0 até 8,0 s só há um trecho de movimento uniformemente acelerado.
c) ( ) De 0 até 8,0 s só há um trecho de movimento uniformemente retardado.
d) ( ) O afastamento máximo da origem do referencial é maior do que 40 m.
e) ( ) O corpo passa somente uma vez pela posição 30 m.

30. (UFPR 2006) Um trem de passageiros executa viagens entre algumas estações. Durante uma dessas
viagens, um passageiro anotou a posição do trem e o instante de tempo correspondente e colocou os dados
obtidos no gráfico a seguir:

Com base no gráfico, considere as seguintes afirmativas:

I. Nessa viagem, o trem para em quatro estações diferentes.


II. O trem retorna à primeira estação após oito horas de viagem.
III. O trem executa movimento uniforme entre as estações.
IV. O módulo da velocidade do trem, durante a primeira hora de viagem, é menor do que em qualquer outro
trecho.

22
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

Assinale a alternativa correta.


a) Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.
b) Somente as afirmativas I e II são verdadeiras.
c) Somente as afirmativas I e III são verdadeiras.
d) Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras.
e) Somente as afirmativas III e IV são verdadeiras.

31. (PUCCAMP 2000) Um móvel executa um movimento retilíneo cuja velocidade está representada no
gráfico, em função do tempo.

A distância, em metros, percorrida por esse móvel no trecho de movimento uniforme é igual a
a) 20
b) 30
c) 40
d) 50
e) 80

32. (Mackenzie 1997) Um automóvel se desloca num trecho retilíneo de estrada com movimento
uniformemente acelerado, quando é detectado pelo radar da polícia rodoviária. Neste instante, o motorista
percebe que o automóvel está a 144 km/h e pisa no freio, parando após alguns segundos, com movimento
uniformemente retardado. Considerando zero o instante de detecção pelo radar, o gráfico da velocidade do
automóvel em função do tempo que melhor representa esta situação é:

23
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

33. (AFA_2011) Duas partículas, A e B, que executam movimentos retilíneos uniformemente variados, se
encontram em t = 0 na mesma posição. Suas velocidades, a partir desse instante, são representadas pelo
gráfico abaixo.

As acelerações experimentadas por A e B têm o mesmo módulo de 0,2m s2 . Com base nesses dados, é
correto afirmar que essas partículas se encontrarão novamente no instante
a) 10 s
b) 50 s
c) 100 s
d) 500 s

24
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

1) A

2) E

3) D

4) D

5) C

6) C

7) E

8) E

9) C

10) B

11) 48 Km/h

12) 150 Km

13) Q (era para Q estar na mesma vertical que O)

14) C

15) 10 m/s

16) C
FÍSICA
Prof. RICARDO FAGUNDES PROMILITARES  COLÉGIO NAVAL/EPCAR  MÓDULO 1

17) 8 s

18) B

19) 2 + 8 = 10

20) B

21) C

22) D

23) B

24) A (na verdade os objetos não apareceriam equidistantes na foto)

25) B

26) B

27) D

28) C

29) F F V F F

30) A

31) B

32) B

33) D

34)