Você está na página 1de 18

GANHAR ALMAS - UM TRABALHO QUE VALE A PENA

INTRODUÇÃO - NOSSO TRABALHO NÃO É EM VÃO


“Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto,
meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor,
sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão.”
1 Coríntios 15:57​-​58 ARA

1. Podemos ser gratos a Deus​, pois ele nos dá o propósito e o trabalho a realizar, mas da
mesma forma, em Cristo nos dá os recursos - A Vitória em Cristo.
"Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto;
porque sem mim nada podeis fazer." João 15:5
Às vezes, estamos tão ocupados com nossos problemas pessoais que não temos tempo para
nos ocuparmos de nosso ministério. Desfrutando da vitória em Cristo, sobre o pecado e as
lutas, podemos nos ocupar com o que realmente importa e não é esforço em vão.
2. Em função de tão grande graça podemos ser firmes, inabaláveis e abundantes na obra
do Senhor.
2.1 Firmes​ - Fundamentos firmes em Cristo. Os princípios da Bíblia são a base.
"Firme está o meu coração, ó Deus, o meu coração está firme; cantarei e entoarei
louvores." Salmos 57:7
2.2 Inabaláveis - Temos a vitória em Cristo, por isso o desânimo não nos abala. As
mentiras não abalam a fé. As derrotas não nos fazem desistir, pois sabemos que em
Cristo já temos a vitória.
"Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um
homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os
rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque
fora edificada sobre a rocha. E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as
pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia; e
caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra
aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína." Mateus 7:24-27
2.3 Abundantes - A obra de Deus não será o resto do nosso tempo, mas todo o nosso
tempo. Podemos ir aonde formos com a certeza de que Cristo está conosco e Ele
ministrará as pessoas através de nós.
3. Tudo o que fizermos pela graça de Deus, vencendo em Cristo, terá resultados. Alguns
imediatos, outros a médio prazo, outros a longo prazo. Ainda outros frutos só surgirão dos
que vierem depois de nós. Mas, ainda há resultados que só existirão na eternidade como
galardão.
"Eu plantei, Apolo regou; mas o crescimento veio de Deus. De modo que nem o que planta é
alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento. Ora, o que planta e o que
rega são um; e cada um receberá o seu galardão, segundo o seu próprio trabalho. Porque de
Deus somos cooperadores; lavoura de Deus, edifício de Deus sois vós." 1 Coríntios 3:6-9

4. A obra do Senhor é ganhar almas e cuidar bem delas. Esse trabalho nunca será em vão.
"que retribuirá a cada um segundo o seu procedimento: a vida eterna aos que,
perseverando em fazer o bem, procuram glória, honra e incorruptibilidade;" Romanos 2:6-7

1. A REALIDADE DA ALMA PERDIDA

João 16:8-11
"Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado, porque
não creem em mim; da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais; do juízo,
porque o príncipe deste mundo já está julgado."

1.1 O Passado é marcado pelo pecado de Adão e a nossa decisão de permanecer no


engano, muitas vezes presos a religiosidade.
O salário do pecado é a morte (Rm. 6:23)
Religiões são tentativas do homem se reconciliar com Deus, sem Cristo.
Romanos 3:21-26 "Mas agora, sem lei, se manifestou a justiça de Deus testemunhada pela
lei e pelos profetas; justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo, para todos [e sobre
todos] os que creem; porque não há distinção, pois todos pecaram e carecem da glória de
Deus, sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em
Cristo Jesus, a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para
manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados
anteriormente cometidos; tendo em vista a manifestação da sua justiça no tempo presente,
para ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus."

1.2 O Presente revela o tipo de coração que a pessoa possui para a recepção da Palavra de
Deus. (Parábola do Semeador)
Separadas de Deus - Is. 59:1- 2
"Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados
encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça. Eis que a mão do SENHOR não está
encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para não poder ouvir."
Sentem-se culpadas - Sl. 38:4
Estão sendo acusadas - Ap. 12:10
Está sob pena de morte - Ez.18:4
Vivem uma vida condenada a Morte Eterna - João 3:18
João 3:16-21
"Quem pratica a verdade aproxima-se da luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas,
porque feitas em Deus. Pois todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega
para a luz, a fim de não serem arguidas as suas obras. O julgamento é este: que a luz veio ao
mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más.
Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do
unigênito Filho de Deus. Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que
julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Porque Deus amou ao mundo
de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas
tenha a vida eterna."

1.3. O Futuro reserva uma vida eterna com recompensas para os que se devotam
inteiramente a Cristo, mas tormento eterno para os que não o receberam.
Se morrerem vão para o inferno (Hades/Morte) - Lc. 16:19-31 (Rico e Lázaro)
Se estiverem vivos no tempo da grande Tribulação - sofrerão muito
Após o Juízo do Grande Trono Branco vão para o lago de fogo - Ap. 20:11-15
48 Horas no Inferno

Por John W. Reynolds


(Disponibilizado para Download e compilado por Rosaine Dalila Scruff)

Um dos casos mais interessantes de uma pessoa aparentemente morta que tornou a
viver, que eu conheço, é de George Lennox, um ladrão de cavalos de notoriedade no
condado de Jefferson (EUA). Isto aconteceu enquanto ele estava cumprindo pena pela
segunda vez na prisão. A primeira pena que cumpriu foi quando o judiciário do condado
de Sedwick o condenara pela mesma ofensa: furto de cavalos.

Sendo que sua sentença condenatória estipulava trabalhos forçados, no inverno de 1887
ele trabalhava nas minas de carvão. Foi obrigado a trabalhar num lugar que lhe parecia
bastante perigoso, chegando inclusive, a comunicar este fato ao guarda responsável.
Este, após uma investigação disse que não havia perigo, mandando que continuasse
trabalhando no mesmo lugar. O detento obedeceu, mas antes de completar uma hora de
serviço, o teto desabou, deixando-o totalmente soterrado. Permaneceu assim durante
duas horas.

Foi na hora do almoço que deram conta de sua ausência, sendo iniciada, logo em
seguida, uma busca. Descobriram-no debaixo de um monte de escombros. Tudo indicava
que estava morto. Levado para fora da mina, o médico daquela instituição o examinou,
também dando-o por morto. Seu corpo foi retirado para o hospital onde o banharam e
vestiram para o enterro. Foi confeccionada uma urna na própria prisão e levada para o
hospital.

O capelão chegou para cumprir suas obrigações fúnebres. Um enfermeiro pediu a dois
detentos que tirassem o cadáver da maca e o colocassem na urna, que estava no outro
lado da sala. Cumpriram a ordem, um deles pegando nos seus pés e o outro nos
ombros. Haviam andado mais ou menos a metade da distância quando aquele que lhe
segurava pelos ombros tropeçou num cuspidor. Desequilibrou-se, deixando o cadáver
cair no chão, e, para a surpresa de todos, ouviu-se um profundo gemido. Logo em
seguida seus olhos abriram-se e os demais sinais de vida foram aparecendo. Chamou-se
imediatamente o médico, e, quando este chegou, no espaço de uns trinta minutos, o
"defunto" estava tomando a água que acabara de pedir.

Foi guardada a urna e utilizada posteriormente para enterrar outro detento. Trocou de
roupa, colocando novamente o uniforme de praxe daquela instituição. O exame médico
acusou duas fraturas numa de suas pernas e escoriações generalizadas. Permaneceu
hospitalizado durante seis meses, para em seguida voltar ao serviço.

Fiquei sabendo através de outro mineiro da experiência inusitada que George tivera
enquanto morto. Estimulado pela minha curiosidade, desejei muito conhecê-lo e ouvir de
sua boca o ocorrido. Esta oportunidade não se deu durante uns poucos meses, mas
finalmente deu certo. Fui transferido das minas para o escritório da prisão onde lavrei
uns relatórios de fim de ano. A ressuscitação deste homem estava sendo discutida entre
nós, quando, por acaso alguém passou à porta de nossa sala. Disseram-me que era ele.
Logo mandei um bilhete a ele, pedindo que viesse ao meu local de trabalho. Foi isso que
ele fez e nos conhecemos. Foi de sua boca que ouvi esta história maravilhosa.
Ele é um jovem que não passa dos trinta anos de idade.

Apesar de muito inteligente e bem estudado, tornou-se um criminoso aparentemente


incorrigível. A parte que mais gostei da sua história foi o que ocorrera durante sua
'morte'. Sendo taquígrafo, registrei fielmente as suas palavras:

"Naquela manhã toda tive um pressentimento que algo terrível iria acontecer. Isto me
incomodou ao ponto de procurar o meu supervisor de minas, Mr. Grason. Disse a ele o
que estava sentindo e pedi que vistoriasse o meu local de trabalho onde estava
escavando carvão.

Ele veio, e a meu ver, fez uma vistoria bem feita. Mandou que eu voltasse a trabalhar e
disse que tudo indicava que eu não estava "regulando bem". Voltei a trabalhar e depois
de aproximadamente uma hora, de repente tudo ficou muito escuro. No mesmo instante,
parecia que uma grande porta de ferro estava abrindo, onde eu entrei. Logo me veio o
pensamento de que eu estava morto e me encontrava no mundo do além.

Não pude ver a ninguém por algum motivo que eu próprio desconheço, comecei a me
afastar da porta. Depois de andar bastante, cheguei às margens de um rio bem largo.
Não estava escuro e tampouco era de dia. Havia uma luminosidade semelhante à que se
vê numa noite estrelada. Estive nas margens do rio pouco tempo quando ouvi o rumor
de remos cortando a água. Então foi chegando até onde eu estava uma embarcação,
cujo ocupante estava remando.

Perdi a fala. Depois de me olhar durante uns instantes, ele me disse que tinha vindo me
buscar. Pediu que eu entrasse na embarcação e remasse até a outra margem do rio.
Obedeci. Não trocamos palavra alguma. Queria tanto perguntar quem ele era e onde
estávamos. Parecia que minha língua estava grudada ao céu da boca. Não conseguia
falar. Ao chegarmos à outra margem, desembarquei e o homem que me conduziu,
simplesmente desapareceu.

Novamente sozinho, não sabia o que fazer. Olhando mais adiante, vi dois caminhos por
um vale escuro. Um deles era largo e tinha o aspecto de ser bastante utilizado. O outro
era estreito e saía para outro rumo. Instintivamente escolhi o caminho mais utilizado.
Tinha andado pouco quando percebi que estava ficando cada vez mais escuro.

De quando em quando, bem adiante, via-se uma espécie de relâmpago, através do qual
eu conseguia enxergar o caminho.

Andei mais uma certa distância quando me dei com um ser que sou totalmente incapaz
de descrever. O máximo que posso fazer é apenas dar uma idéia bem vaga quanto ao
seu aspecto aterrorizante. Parecia ligeiramente com um homem, embora muito maior.
Devia ter no mínimo três metros de altura. Nas suas costas havia grandes asas. Era
preto como o carvão que eu retirava da mina e estava totalmente nu.
Na sua mão havia uma imensa lança de pelo menos cinco metros de comprimento. Seus
olhos brilhavam como bolas de fogo. Seus dentes, brancos como pérola, pareciam medir
quase três centímetros. Seu nariz, se bem que nem parecia nariz, era enorme, largo e
achatado. Seu cabelo era grosso, pesado, e comprido. Descia sobre os ombros maciços.
Sua voz parecia mais com o rugir de um leão engaiolado do que com qualquer outra
coisa.

Foi durante um destes relâmpagos que primeiramente o vi. Comecei a tremer como uma
folha de buriti no vento. A mão que segurava a lança estava erguida como se estivesse
na iminência de me traspassar. Parei. Com voz muito mais horripilante do que se pode
imaginar, mandou que o seguisse.

Disse que tinha ordens para ser meu guia durante esta viagem. Segui no seu encalço.
Que mais eu podia fazer? Depois de andarmos uma certa distância, vi à minha frente
uma grande montanha, cuja face parecia ser vertical. Na verdade parecia ter sido
cortada no meio e uma metade retirada. Nesta face vertical vi distintamente as palavras:
ESTE É O INFERNO.

Meu guia se aproximou da montanha e com sua lança bateu com força três vezes.
Abriu-se uma porta enorme e nós entramos. Fui conduzido por uma espécie de corredor
dentro da montanha.

Durante algum tempo caminhamos em trevas absolutas. Me orientei pelos passos


ruidosos e pesados de meu guia. O tempo todo eu ouvia gemidos angustiantes, como de
um moribundo. À medida que andávamos, estes gemidos aumentavam em intensidade,
e agora, ouvia-se claramente alguém clamar: "água! água! água!".

Passei por outra porta, e pude ouvir o que parecia ser o clamor de um milhão de vozes
que clamavam: água, água... Chegamos à outra porta. Meu guia bateu e esta abriu-se.
Vi agora que havíamos transposto a montanha e na minha frente havia uma planície
extensa.

Foi aí que meu guia me deixou e voltou para mostrar o caminho para outros espíritos
perdidos. Fiquei parado nesta planície durante algum tempo quando um ser,semelhante
ao primeiro,se aproximou de mim.

Este, ao invés de carregar uma lança, carregava uma espada enorme. Sua missão era de
me comunicar qual seria meu destino eterno. Sua voz encheu a minha alma de terror.

Disse: "Tu estás no inferno! Para ti não há mais esperança! Ao passar pela montanha
ouviste os gemidos e gritos dos perdidos que estavam pedindo água para aliviar a
sequidão de suas línguas. Naquele corredor há uma porta que dá para um lago de fogo.
Este será agora mesmo teu destino. Antes de seres conduzido a este lugar de tormento,
de onde nunca mais sairás - pois não há mais esperança para aqueles que entram - tu
poderás permanecer nesta planície, onde todos os perdidos têm o privilégio de
contemplar os prazeres que gozariam se não estivessem aqui”.

Agora eu estava sozinho. Não sei se foi em conseqüência do grande medo que passei,
mas tornei-me insensível às coisas. Meu corpo ficou inerte. Fiquei sem força alguma e
minhas pernas não agüentavam mais o peso do meu corpo. Assim, dominado, fui caindo
no chão. Uma sonolência apoderou-se de mim. Meio acordado, meio adormecido, parecia
sonhar. Olhando para cima, bem distante de mim, vi a Linda Cidade, sobre a qual lemos
na Bíblia.

Como eram formosas suas muralhas de jaspe! Olhando além disso, vi vastas planícies
cobertas de linda flores. Vi também o Rio da Vida e o Mar de Cristal. Miríades de anjos
entravam e saíam pelas portas desta cidade, cantando e oh! Como tudo era
maravilhoso!

Entre estes anjos vi minha querida mãe que há poucos anos havia falecido, seu coração
esmagado pela minha maldade. Olhou para mim e parecia estar me chamando. Mas não
tinha condições de me levantar. Sentia-me como se tivesse um grande peso me
imobilizando. Um ventinho trouxe para mim a fragrância daquelas lindas flores, e agora
ouvia-se com mais nitidez a doce melodia das vozes angélicas. Eu disse comigo mesmo,
'Oh!Como queria fazer parte daquela multidão'

Enquanto me deliciava com este cálice de gozo tão perfeito, de repente ele foi-me
arrebatado dos lábios. Acordei do meu sono. Um dos habitantes deste lugar de trevas
me trouxe de volta daquele lindo lugar e me informou que havia chegado a hora de ir
para o lugar de meu destino eterno. Ordenou-me que o seguisse. Voltando pelo mesmo
caminho, entramos novamente no mesmo corredor. Fui seguindo meu guia durante um
tempo até chegar numa porta lateral. Passamos por esta, e logo em seguida por outra.
Então vi, na minha frente, um lago de fogo.

Olhei, e até onde meu olho enxergava, vi um lago literal de fogo e enxofre. Grandes
vagalhões de fogo se amontoavam por cima um do outro e grandes ondas de chamas se
chocavam impetuosamente elevando-se a grandes alturas, como as ondas do mar num
imenso furacão. Na crista das ondas viam-se seres humanos lançados para cima, para
logo em seguida, se afundarem até as profundezas deste lago medonho de fogo. Ao
serem levadas para a crista dos vagalhões, estas almas amaldiçoavam o Deus justo, na
mesma hora em que clamavam angustiosamente, pedindo água. Esta imensidão de fogo
repercutia os gemidos destas almas perdidas.

Depois de algum tempo olhei para trás e, por cima da porta onde entrara, vi as palavras:
"Este é o teu destino! A eternidade não tem fim".

Daí a pouco, senti que o chão debaixo dos meus pés estava começando a ceder em e vi
afundando no lago de fogo. Sobreveio-me uma sede que as palavras não são capazes de
descrever. Pedi água e neste instante meus olhos abriram no hospital da prisão.
Nunca contei esta experiência para os oficiais da prisão, acreditando que me julgassem
louco e me fechassem numa cela especial para os detentos que sofrem das faculdades
mentais. Mas vi tudo isso e tenho certeza que o Céu e o Inferno existem, e que este
inferno é fogo literal assim como lemos na Bíblia. E tenho certeza de outra coisa: Nunca
irei para aquele lugar.

Assim que abri meus olhos no hospital e vi que estava vivo, imediatamente entreguei
meu coração a Deus. Vou viver e morrer como Cristão. É verdade que nunca me
esquecerei das cenas terríveis do inferno, mas tampouco sairão da minha memória as
lindas coisas que vi no Céu. Em breve pretendo me encontrar com minha querida mãe.
Irei me sentar nas margens daquele belo rio e passear com os anjos nas planícies que vi.
Vou andar pelos vales e pelos montes acarpetados com flores fragrantes, cuja beleza
excede qualquer coisa que o ser mortal é capaz de imaginar, e ouvirei as canções dos
salvos.

Isto me recompensará muitas vezes pela minha vida aqui sobre a Terra, mesmo tendo
que me negar dos muitos prazeres mundanos que faziam parte do meu viver antes de
vir para esta prisão. Não quero ter mais intimidade com meus comparsas do mundo vil
do crime. Assim que sair deste lugar, quero ficar na companhia de pessoas boas."

Repasso para o leitor esta experiência de George assim como a ouvi. É uma das
experiências mais lindas que jamais li. Que Deus abençoe esta mensagem de George,
para que através dela muitas almas perdidas ainda despertem da morte espiritual!

Oh, como as pessoas conseguem duvidar da existência de um inferno literal! Diga-me


como é possível, quando têm em suas mãos a Palavra de Deus, e mais ainda quando
ficamos sabendo de uma revelação dessas. Homens e mulheres, parem! Virem-se!
Peçam a Deus que lhes dê uma experiência de salvação que modifique os seus corações.
Caso contrário, poderão passar não apenas 48 horas no inferno, mas toda a
eternidade!*******

(Para outros relatos, visite:


http://www.spiritlessons.com/Documents/a_divine_revelation_of_hell/Portuguese_A_Div
ine_Revelation_Of_Hell.htm )
2. GANHANDO ALMAS PELA ORAÇÃO E O JEJUM
1. Algumas verdades fundamentais...
1.1 Jesus nos escolheu e designou para darmos fruto - prometeu que em nome de Jesus
tudo o que pedíssemos será atendido.
Leitura: Jo. 15:16
"Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos
designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto
pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda."
1.2. Ele declara que nossa alegria será completa…
Leitura: Jo. 16:23-24
"Naquele dia, nada me perguntareis. Em verdade, em verdade vos digo: se pedirdes alguma
coisa ao Pai, ele vo-la concederá em meu nome. Até agora nada tendes pedido em meu
nome; pedi e recebereis, para que a vossa alegria seja completa."

1.3. É a vontade de Deus a salvação de todos


Leitura: 1Tm. 2:3-4 / 2 Pe. 3:9 / Tt. 2:11
"Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens
sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade."

"Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele
é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem
ao arrependimento."

"Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens,"

1.4 Devemos orar por todos os homens


Leitura: 1 Tm. 2:1-4
"Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de
graças, em favor de todos os homens, em favor dos reis e de todos os que se acham
investidos de autoridade, para que vivamos vida tranquila e mansa, com toda piedade e
respeito. Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os
homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade."

1.5 O jejum nos ajuda a orar


Mc.9:29 - o menino liberto
"Respondeu-lhes:Esta casta não pode sair senão por meio de oração [e jejum]."

Dn. 10:2-3 - O jejum de Daniel


"Naqueles dias, eu, Daniel, pranteei durante três semanas. Manjar desejável não comi, nem
carne, nem vinho entraram na minha boca, nem me ungi com óleo algum, até que passaram
as três semanas inteiras."

1.6 A pessoa é convencida pelo Espírito Santo


Leitura: Jo. 16:8
"Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo:"

2. Como orar…
2.1 Faça uma lista
2.2 Veja estas pessoas com olhos de Fé
a) Olhe para elas através da Cruz / Em Cristo
Leitura: 2Coríntios 5:16-17
"Assim que, nós, daqui por diante, a ninguém conhecemos segundo a carne; e, se antes
conhecemos Cristo segundo a carne, já agora não o conhecemos deste modo. E, assim, se
alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram
novas."
b) Veja estas pessoas transformadas
Leitura: Rm. 4:17
"como está escrito: Por pai de muitas nações te constituí. ), perante aquele no qual creu, o
Deus que vivifica os mortos e chama à existência as coisas que não existem."
c) Sonhe com o projeto de Deus na vida delas
2.3 Deseje ardentemente a salvação delas
Leitura: Sl. 37:4
"Agrada-te do SENHOR, e ele satisfará os desejos do teu coração."

2.4 Prepare a terra do coração através da intercessão


a) Parábola do Semeador - Lc. 8:4-15
2.5 Fale sobre a pessoa de acordo com a Fé que você tem
2.6 Persevere em oração
Lc. 18:1 "Disse-lhes Jesus uma parábola sobre o dever de orar sempre e nunca esmorecer:"

3. GANHANDO ALMAS PELO TESTEMUNHO E PELA PREGAÇÃO DO EVANGELHO


1. O Testemunho
Atos 2:42-47 - "E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão
e nas orações. Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por
intermédio dos apóstolos. Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum.
Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que
alguém tinha necessidade. Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de
casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, louvando a
Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o
Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos."

Atos 4:32-35 - "Da multidão dos que creram era um o coração e a alma. Ninguém
considerava exclusivamente sua nem uma das coisas que possuía; tudo, porém, lhes era
comum. Com grande poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor
Jesus, e em todos eles havia abundante graça. Pois nenhum necessitado havia entre eles,
porquanto os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam os valores
correspondentes e depositavam aos pés dos apóstolos; então, se distribuía a qualquer um à
medida que alguém tinha necessidade."

2. A pregação
Romanos 5:1- 11 - "Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso
Senhor Jesus Cristo; por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta
graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus. E não
somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a
tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança.
Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração
pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado. Porque Cristo, quando nós ainda éramos fracos,
morreu a seu tempo pelos ímpios. Dificilmente, alguém morreria por um justo; pois poderá
ser que pelo bom alguém se anime a morrer. Mas Deus prova o seu próprio amor para
conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo, muito
mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. Porque, se
nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho, muito
mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida; e não apenas isto, mas
também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, por intermédio de quem
recebemos, agora, a reconciliação."

2Coríntios 5:14-21 - "Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu
por todos; logo, todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam
mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. Assim que, nós,
daqui por diante, a ninguém conhecemos segundo a carne; e, se antes conhecemos Cristo
segundo a carne, já agora não o conhecemos deste modo. E, assim, se alguém está em
Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas. Ora, tudo
provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o
ministério da reconciliação, a saber, que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o
mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e nos confiou a palavra da
reconciliação. De sorte que somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus
exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, rogamos que vos reconcilieis com
Deus. Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos
feitos justiça de Deus."

-----------------------------------------------------------
GANHANDO ALMAS POR MANIFESTAÇÃO DO PODER DE DEUS
1. O evangelho é o poder de Deus para a salvação
Romanos 1:16-17 - "Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para
a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego; visto que a justiça
de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé."
2. Deus ampara a pregação pela manifestação do Seu poder
Marcos 16:19-20 - "E eles, tendo partido, pregaram em toda parte, cooperando com eles o
Senhor e confirmando a palavra por meio de sinais, que se seguiam. De fato, o Senhor Jesus,
depois de lhes ter falado, foi recebido no céu e assentou-se à destra de Deus."

1Coríntios 2:1-5 - "Eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de
Deus, não o fiz com ostentação de linguagem ou de sabedoria. Porque decidi nada saber
entre vós, senão a Jesus Cristo e este crucificado. E foi em fraqueza, temor e grande tremor
que eu estive entre vós. A minha palavra e a minha pregação não consistiram em linguagem
persuasiva de sabedoria, mas em demonstração do Espírito e de poder, para que a vossa fé
não se apoiasse em sabedoria humana, e sim no poder de Deus."

2.1 A Cura do Coxo - ​Atos 3: 1-9


2.2 O ministério de Filipe -​ Atos 8:4-8
"Entrementes, os que foram dispersos iam por toda parte pregando a palavra. Filipe,
descendo à cidade de Samaria, anunciava-lhes a Cristo. As multidões atendiam, unânimes,
às coisas que Filipe dizia, ouvindo-as e vendo os sinais que ele operava. Pois os espíritos
imundos de muitos possessos saíam gritando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos foram
curados. E houve grande alegria naquela cidade."

​ tos 19:11
2.3 O ministério de Paulo - A
"E Deus, pelas mãos de Paulo, fazia milagres extraordinários,"

3. Ative as manifestações de Deus


3.1 Vá as pessoas… ​(Marcos 16:16)
3.2 Alimente sua fé
a) Com a palavra de Deus
b) Com a prática do Jejum
b) Com oração em línguas
3.3 Imponha as mãos sobre os enfermos e oprimidos ​(Marcos 16:17-18)
3.4 Ore como Jesus orou - declare o que você quer que aconteça (fé)
3.5 Deixe os resultados com Deus (​ ​Atos 19:11)
GANHANDO ALMAS ATRAVÉS DA CÉLULA (Romerio)

Interesses relacionados