Você está na página 1de 5

Sequência 3.

Camilo Castelo Branco Teste 3

Grupo I

Lê atentamente o excerto de Amor de Perdição que se segue.

Às onze horas da noite, ergueu-se o académico e escutou o movimento interior da casa:


não ouviu o mais ligeiro ruído, a não ser o rangido da égua na manjedoura. Escorvou 1 de pól-
vora nova as duas pistolas. Escreveu um bilhete sobrescrito a João da Cruz, e juntou-o à carta
que escrevera a Teresa. Abriu as portadas da janela do seu quarto, e passou dali para a varanda
5 de pau, da qual o salto à estrada era sem risco. Saltou, e tinha dado alguns passos, quando a
fresta, lateral à porta da varanda, se abriu, e a voz de Mariana lhe disse:
– Então adeus, senhor Simão. Eu fico pedindo a Nossa Senhora que vá na sua companhia.
O académico parou, e ouviu voz íntima que lhe dizia: – “O teu anjo da guarda fala pela
boca daquela mulher, que não tem mais inteligência que a do coração alumiado pelo seu
10 amor”.
– Dê um abraço em seu pai, Mariana – disse-lhe Simão – e adeus… até logo, ou…
– Até ao Juízo Final… – atalhou ela.
– O destino há de cumprir-se… Seja o que o Céu quiser.
Tinha Simão desaparecido nas trevas, quando Mariana acendeu a lâmpada do santuário, e
15 ajoelhou orando com o fervor das lágrimas.
Era uma hora, e estava Simão defronte do convento, contemplando uma a uma as janelas.
[…]
Às quatro horas e meia, ouviu Simão o tinido de liteiras2, dirigindo-se àquele ponto.
Mudou de local, tomando por uma rua estreita, fronteira ao convento. […]
Momentos depois, viu Simão chegar à portaria Tadeu de Albuquerque, encostado ao
20 braço de Baltasar Coutinho. O velho denotava quebranto e desfalecimento a espaços. O de
Castro Daire, bem composto de figura e caprichosamente vestido à castelhana, gesticulava
com aprumo de quem dá as suas irrefutáveis razões, e consola tomando a riso a dor alheia.
– Nada de lamúrias, meu tio! – dizia ele. – Desgraça seria vê-la casada! Eu prometo-lhe
antes de um ano restituir-lha curada. Um ano de convento é um ótimo vomitório3 do coração.
25 Não há nada como isso para limpar o sarro4 do vício em corações de meninas criadas à discri-
ção. Se meu tio a obrigasse, desde menina, a uma obediência cega, tê-la-ia agora submissa, e
ela não se julgaria autorizada a escolher marido.
– Era uma filha única, Baltasar! – dizia o velho, soluçando.
– Pois por isso mesmo – replicou o sobrinho. – Se tivesse outra, ser-lhe-ia menos sensível
30 a perda, e menos funesta a desobediência.
CASTELO BRANCO, Camilo, 2016. Amor de Perdição.
Porto: Porto Editora (Capítulo X, pp. 112-114) (1.ª ed.: 1862)

1. deitou pólvora na escorva (orifício destinado à pólvora nas armas antigas);


2. antigos veículos sem rodas, sustentados por dois varais compridos, conduzidos por homens ou por animais de carga;
3. substância/medicamento que provoca o vómito e limpa o organismo (figurado);
4. crosta.
Sequência 3. Camilo Castelo Branco Teste 3

Apresenta as tuas respostas ao questionário de forma bem estruturada.


1. Divide o texto nas suas partes constitutivas, fundamentando a divisão que efetuares.
2. Interpreta os pensamentos de Simão no momento em que é surpreendido por Mariana.
3. Considerando os sete primeiros parágrafos, aponta dois dos traços caracterizadores de Mariana.
Justifica a tua resposta com elementos textuais.
4. Atenta no momento em que se descreve a chegada de Tadeu e Baltasar.
4.1. Interpreta a expressão com que o narrador conclui a sua observação de Baltasar: “gesticulava
com aprumo de quem dá as suas irrefutáveis razões, e consola tomando a riso a dor alheia”
(ll. 21-22).

4.2. Caracteriza a relação existente entre tio e sobrinho, comprovando as tuas afirmações com
passagens do excerto.

Grupo II
Lê atentamente o texto que se segue.
★★

Amor Impossível
Estreia Há, na narrativa de “Amor Impos- 15 “Amor Impossível” é o filme que tenta pôr em
sível”, um momento-chave: é a cena da aula de cena essa paixão – e, como aquelas a que se
literatura em que o professor (António-Pedro refere, em tempos idos, não terá me-lhor
Vasconcelos) interroga a aluna Cris- tina desfecho. Postas as coisas neste pé, ape-tece
5 (Victoria Guerra) sobre a sua escolha do entrar por este filme dentro, o problema é a
romance “O Monte dos Vendavais”, de Emily 20 altura da fasquia que para ele definiu.
Brontë, como tema para uma dissertação. É que Romeu e Julieta1, Heathcliff e
A resposta que ela lhe dá deixa entender um Catherine2, Alfredo e Violetta3, Livia Serpieri
desejo profundo: viver uma paixão absoluta e Franz Mahler4 são habitantes de um terri-
10 num mundo onde, ao contrário do que acon- tório que não admite nada menos do que
tece em toda uma linhagem de literatura ro- 25 criaturas sublimes. E nem as personagens tão
mântica e trágica, as diferenças de classe, a alto se alcandoram5, nem os diálogos de Tiago
oposição das famílias ou tão-só os precon- R. Santos chegam lá perto, nem a realização
ceitos morais não fossem obstáculo. nos arrebata. Entendamo-nos:

1. protagonistas da obra dramática de William Shakespeare a que dão nome e que se centra na sua fatídica relação amorosa. 2.
protagonistas de O Monte dos Vendavais, romance de Emily Brontë que narra a sua história de amor, marcada pela tragédia. 3.
protagonistas da ópera La Traviata, de Giuseppe Verdi, cuja ação se centra no seu romance e final infeliz. 4. protagonistas de Senso,
filme baseado na novela romântica de Camillo Boito, e que se desenvolve em torno da sua ligação sentimental de contornos trágicos.
5. elevam, engrandecem.

2
OEXP11 © Porto Editora
Sequência 3. Camilo Castelo Branco Teste 3

“Amor Impossível” é, profissionalmente, boa direção de atores e um elenco adequado.


30 um filme correto, mesmo dando de barato Não consegue é despertar os sentimentos
alguns escusados maneirismos6. Tem uma fortes que estão no programa de intenções.
RAMOS, Jorge Leitão, 2015. “Amor Impossível”.
E (Expresso), n.º 2252, 24 de dezembro de 2015 (p. 75)

6. afetações de estilo.

Responde aos itens apresentados.


1. Identifica o género textual a que pertence o artigo, confirmando a tua resposta com a referência a
duas das suas marcas específicas.
2. Explicita a estrutura do texto, delimitando as diferentes partes da sua organização interna.
3. Justifica a alusão aos casais “Romeu e Julieta, Heathcliff e Catherine, Alfredo e Violetta, Livia
Serpieri e Franz Mahler” (ll. 21-23).
4. Para responderes a cada um dos itens de 4.1. a 4.5., seleciona a opção correta.
4.1. Os pronomes pessoais utilizados em “A resposta que ela lhe dá deixa entender um desejo
profundo” (ll. 8-9) têm como antecedentes, respetivamente,
(A) “a sua escolha do romance “O Monte dos Vendavais”, de Emily Brontë” (ll. 5-7) e “o
professor (António-Pedro Vasconcelos)” (ll. 3-4).
(B) “a aluna Cristina (Victoria Guerra)” (ll. 4-5) e “o professor (António-Pedro Vasconcelos)”
(ll. 3-4).

(C) “a aluna Cristina (Victoria Guerra)” (ll. 4-5) e “[d]o romance “O Monte dos Vendavais”, de
Emily Brontë” (ll. 6-7).
(D) “aula de literatura” (ll. 2-3) e “um desejo profundo” (ll. 8-9).
4.2. A oração introduzida por “onde”, na linha 10, é
(A) subordinada substantiva relativa.
(B) subordinada adjetiva relativa restritiva.
(C) subordinada adjetiva relativa explicativa.
(D) subordinada adverbial concessiva.
4.3. Constitui um mecanismo de coesão frásica
(A) o uso do pronome pessoal “ele” (l. 20) para substituir “este filme” (l. 19).
(B) a utilização do predicativo do sujeito “habitantes de um território que não admite nada
menos do que criaturas sublimes” (ll. 23-25).
(C) o recurso às orações coordenadas em “E nem as personagens tão alto se alcandoram,
nem os diálogos de Tiago R. Santos chegam lá perto, nem a realização nos arrebata.” (ll.
25-28).

(D) o emprego reiterado de “Amor Impossível” (ll. 1-2, 15 e 29).

3
OEXP11 © Porto Editora
Sequência 3. Camilo Castelo Branco Teste 3

4.4. A exemplificação da “linhagem de literatura romântica e trágica” (ll. 11-12) por meio das
referências a “Romeu e Julieta, Heathcliff e Catherine, Alfredo e Violetta, Livia Serpieri e Franz
Mahler” (ll. 21-23) corresponde, em termos de coerência textual,
(A) ao respeito pelo princípio da relevância.
(B) ao respeito pelo princípio da não tautologia.
(C) ao respeito pelo princípio da não contradição.
(D) ao desrespeito dos princípios da não contradição e da não tautologia.
4.5. O constituinte sublinhado em “Tem uma boa direção de atores e um elenco adequado.” (ll. 31-
32) desempenha a função sintática de

(A) predicativo do complemento direto.


(B) complemento oblíquo.
(C) complemento do adjetivo.
(D) complemento do nome.
5. Transcreve da primeira frase do segundo parágrafo uma oração subordinada e classifica-a.
6. Refere a função sintática desempenhada por “que”, na linha 34.

Grupo III

A par do seu estatuto de novela passional, […] a obra representa igualmente um grito de
denúncia de uma sociedade repressiva que atua através da instituição familiar (autoritarismo
paterno, casamentos de conveniência, situação de inferioridade da mulher). Ao reagirem
contra a instituição familiar, Simão e Teresa caem sob a alçada de outras instituições
repressivas: a Igreja (conventos) ou a Justiça (prisão). […] Camilo faz do seu romance um
grito de reivindicação dos valores dos jovens, que são os do coração e de liberdade do
sentir.
PAIS, Amélia Pinto, 2004. História da Literatura em Portugal – Uma Perspetiva Didática.

Vol. 2. Porto: Areal Editores (pp. 81-82)

Partindo da tua experiência de leitura de Amor de Perdição, reflete sobre a perspetiva apresentada
na citação acima transcrita.
Redige uma exposição bem estruturada, de duzentas a trezentas palavras, respeitando as
características do género.

4
OEXP11 © Porto Editora
Sequência 3. Camilo Castelo Branco Teste 3

Cotações do Teste 3

Questões Cotação
Total por questão Total do grupo
Grupo I (C) Conteúdo (F) Forma*

1. 9 6 15

2. 9 6 15

3. 12 8 20 90 pontos

4.1. 12 8 20

4.2. 12 8 20

Grupo II Total por questão

1. 6 4 10

2. 6 4 10

3. 6 4 10

4.1. – – 5

65 pontos
4.2. – – 5

4.3. – – 5

4.4. – – 5

4.5. – – 5

5. – – 5

6. – – 5

ETD** CL*** Total por questão


Grupo III 45 pontos
27 18 45

TOTAL 200 pontos (20 valores)

* Estruturação do discurso e correção linguística


** Estruturação temática e discursiva
*** Correção linguística

5
OEXP11 © Porto Editora