Você está na página 1de 22

Segunda-feira, 16 de Fevereiro de 2009 III SÉRIE — Número 6

BOLETIM DA REPÚBLICA
PUBLICAÇÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE

3.º SUPLEMENTO
MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS Concedido o Alvará n.º 84/0P1/030T/2007 à empresa B.J.
E HABITAÇÃO Construções, Limitada, representada por José Mongique de Carvalho
e Bartle, na categoria II (obras hidráulicas) subcategorias 1.ª a 8.ª –
Comissão de Inscrição e Classificação de Empreiteiros 3.ª classe, emitido a 19 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
de Obras Públicas e de Construção Civil Concedido o Alvará n.º 85/0P1/030T/2007 à empresa B.J.
Concessão de Alvarás Construções, Limitada, representada por José Mongique de
Carvalho e Bartle, na categoria III (vias de comunicação)
1. O n.º 3 do artigo 16, conjugado com o n.º 1 do artigo 42 do Regula- subcategorias 1.ª a 13.ª – 3.ª classe, emitido a 19 de Fevereiro de
mento do Exercício da Actividade de Empreiteiro de Obras Públicas 2008 e válido por 12 meses.
e de Construção Civil, aprovado pelo Decreto n.º 68/99, de 5 de Outubro, Concedido o Alvará n.º 146/0P1/030T/2007 à empresa E.A – Emílio
refere que a concessão de alvará é publicada em Boletim da Republica. Alexandre Ladrilhodos, Limitada, representada por Emílio
2. Nestes termos, e por despacho de 30 de Abril de 2008, de Vicente Macuácua, na categoria I (edifícios e monumentos)
S. Ex.ª o Ministro das Obras Públicas e Habitação, foi autorizada a subcategorias 1.ª a 14.ª – 1.ª classe, emitido a 7 de Março de 2008 e
concessão de alvarás às empresas de construção civil que abaixo se válido por 12 meses.
discriminam, procedendo-se à respectiva publicação em Boletim da Concedido o Alvarà n.º 06/CC1/030T/2008 à empresa Calyx Constru-
República: ções, Limitada, representada por Fernado de Brito Monteiro na
Concedido o Alvará n.º 51/0P1/030T/2007 à empresa Ergogeste – categoria única (obra particulares) subcategorias 1.ª a17.ª – 3.ª classe,
Gestão de Projectos, Limitada, representada por Justino José emitido a 7 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
Morgado Pereira, na Categoria I (edifícios e monumentos) Concedido o Alvará nº. 07/CC1/030T/2008 à empresa Rainbow
subcategorias 1.ª a 14.ª – 7ªclasse, emitido a 7 de Fevereiro de 2008 Construções, Limitada, representada por Hussein Mohemed
e válido por 12 meses. Al Yahfoufi, na categoria única (obras particulares) subcategorias
Concedido o Alvará n.º 52/0P1/030T/2007 à empresa Ergogeste – Gestão 1.ª a 17.ª – 2.ª classe, emitido a 12 de Fevereiro de 2008 e válido por
de Projectos, Limitada, representada por Justino José Morgado 12 meses.
Pereira, na categoria II (obras hidráulicas) subcategorias 1.ª a 8.ª – Concedido o Alvará n.º 08/CC1/030T/2008 à empresa Tomás de
7ªclasse, emitido a 7 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses. Oliveira ,Engenhara de Moçambique, Limitada, representada
Concedido o Alvará n.º 53/0P1/030T/2007 à empresa Ergogeste – por José Luis Gravata,na categoria única (obra particulares)
Gestão de Projectos, Limitada, representada por Justino José subcategorias 1.ª a 17.ª – 4.ª classe, emitido a 25 de Fevereiro de 2008
Morgado Pereira, na categoria III (vias de comunicação) e válido por 12 meses.
subcategorias 1.ª a 13.ª – 7ªclasse, emitido a 7 de Fevereiro de 2008 Concedido o Alvará n.º 27/0P1/030T/2008 à empresa Casama de
e válido por 12 meses. Carlos Santana Martins na categoria I (edifícios e monumentos)
Concedido o Alvará n.º 54/0P1/030T/2007 à empresa Ergogeste – subcategorias 1.ª a 14.ª – 5.ª classe, emitido a 31 de Janeiro de 2007
Gestão de Projectos, Limitada, representada por Justino José e válido por 12 meses.
Morgado Pereira, na Categoria IV (obras de urbanização) Concedido o Alvará n.º 28/0P1/030T/2008 à empresa Casama de
subcategorias 1.ª a 5.ª – 7.ª classe, emitido a 7 de Fevereiro de 2008 Carlos Santana Martins, na categoria II (obras hidráulicas)
e válido por 12 meses. subcategorias 1.ª a 8.ª – 5.ª classe, emitido a 31 de Janeiro de 2008 e
Concedido o alvará n.º 55/0P1/030T/2007 à empresa Ergogeste – Ges-
válido por 12 meses.
tão de Projectos, Limitada, representada por Justino José Morgado
Concedido o Alvará n.º 29/0P1/030T/2008 à empresa Casama de
Pereira, na categoria V (instalações) subcategorias 1.ª a 7.ª –
Carlos Santana Martins, na categoria III (vias de comunicação)
7ªclasse, emitido a 7 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
subcategorias 1.ª a 13.ª – 5.ª classe, emitido a 31 de Janeiro de 2007 e
Concedido o Alvará n.º 56/0P1/030T/2007 à empresa Ergogeste –
Gestão de Projectos, Limitada, representada por Justino José válido por 12 meses.
Morgado Pereira, na categoria VI (fundações e captações de Concedido o Alvará n.º 30/0P1/030T/2008 à empresa Construções,
águas) subcategorias 1.ª a 6.ª – 7.ª classe, emitido a 7 de Fevereiro Chemane e Filhos, Limitada, representada por Mário Justino
de 2008 e válido por 12 meses. categoria I (edifícios e monumentos) subcategorias 1.ª a 14.ª – 5.ª
Concedido o Alvará n.º 83/0P1/030T/2007 à empresa B.J. classe, emitido a 1 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
Construções, Limitada, representada por José Mongique de Concedido o Alvará n.º 31/0P1/030T/2008 à empresa Construções,
Carvalho e Bartle, na categoria I (edifícios e monumentos) Chemane e Filhos, Limitada, representada por Mário Justino categoria
subcategorias 1.ª a 14.ª – 3.ª classe, emitido a 19 de Fevereiro de III (vias de comunicação) subcategorias 1.ª a 13.ª – 5.ª classe,
2008 e válido por 12 meses. emitido a 1 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
104–(36) III SÉRIE — NÚMERO 6

Concedido o Alvará n.º 45/0P1/030T/2008 à empresa Hector Concedido o Alvará n.º 67/0P1/030T/2008 à empresa WTA –
Construções, Limitada, representada por Hermâni Cufene Construções Limitada, representada por Franções Menege, na
Sitoe, na categoria V (instalações) subcategoria 1.ª a 7.ª – 3.ª categoria I (edifícios e monumentos) subcategorias 1.ª a 14.ª – 4.ª
classe, emitado a 6 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses. classe, emitido a 12 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
Concedido o Alvará n.º 46/0P1/030T/2008 à empresa Enge Concret, Concedido o Alvará n.º 68/0P1/030T/2008 à empresa WTA –
de Charles António Francisco, na categoria I (edifícios e monumentos) Construções Limitada, representada por Franções Menege, na categoria
subcategorias 1.ª a 14.ª – 6.ª classe, emitido a 7 de Fevereiro de 2008 II (obras hidráulicas) subcategorias 1.ª a 8.ª – 4.ª classe, emitido a 12
e válido por 12 meses. de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
Concedido o Alvará n.º 47/0P1/030T/2008 à empresa Enge Concret, Concedido o Alvará n.º 69/0P1/030T/2008 à empresa WTA –
de Charles António Francisco, na categoria II (obras Construções Limitada, representada por Franções Menege, na
hidráulicas) subcategorias 1.ª a 8.ª – 6.ª classe, emitido a 7 de categoria III (vias de comunicação) subcategorias 1.ª a 12.ª – 4.ª
Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses. classe, emitido a 12 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
Concedido o Alvará n.º 48/0P1/030T/2008 à empresa Enge Concret, Concedido o Alvará n.º 70/0P1/030T/2008 à empresa WTA –
de Charles António Francisco, na categoria III (vias de comunicação) Construções Limitada, representada por Franções Menege, na
subcategorias 1.ª a 13.ª – 6.ª classe, emitido a 7 de Fevereiro de 2008 categoria IV (obras de urbanização) subcategorias 1.ª a 5.ª – 4.ª
e válido por 12 meses. classe, emitido a 12 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
Concedido o Alvará n.º 49/0P1/030T/2008 à empresa Enge Concret, Concedido o Alvará n.º 71/0P1/030T/2008 à empresa Emprep –
de Charles António Francisco, na categoria IV (obras de urbanização) Empresa de Reparações e Pinturas de Construção Civil, de Calú
subcategorias 1.ª a 5.ª – 6.ª classe, emitido a 7 de Fevereiro de 2008 Omar Calú, na categoria I (edifícios e monumentos) subcategorias 1.ª
e válido por 12 meses. a 14.ª – 6.ª classe, emitido a 19 de Fevereiro de 2008 e válido até 9 de
Concedido o Alvará n.º 50/0P1/030T/2008 à empresa Enge Concret, Julho de 2008. Alteração de classe de 5.ª para 6.ª.
de Charles António Francisco, na categoria V (instalações) Concedido o Alvará n.º 72/0P1/030T/2008 à empresa Emprep –
subcategorias 1.ª a 7.ª – 6.ª classe, emitido a 7 de Fevereiro de 2008 Empresa de Reparações e Pinturas de Construção Civil, de Calú
e válido por 12 meses. Omar Calú, na categoria III (vias de comunicação) subcategorias 1.ª a
Concedido o Alvará n.º 57/0P1/030T/2008 à empresa Maguconcreto 13.ª – 6.ª classe, emitido a 19 de Fevereiro de 2008 e válido até 9 de
Limitada, representada por Francisco João Magule, na categoria Julho de 2008. Alteração de classe de 5.ª para 6.ª.
I (edifícios e monumentos) subcategorias 1.ª a 14.ª – 3.ª classe, Concedido o Alvará n.º 73/0P1/030T/2008 à empresa Emprep –
emitido a 8 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses. Empresa de Reparações e Pinturas de Construção Civil, de Calú
Concedido o Alvará n.º 58/0P1/030T/2008 à empresa Yancubo Omar Calú, na categoria IV (obras de urbanização) subcategorias 1.ª
Construções, Limitada, representada por Beatriz da Glóra Nhanala, a 13.ª – 6.ª classe, emitido a 19 de Fevereiro de 2008 e válido até 9 de
na categoria I (edifícios e monumentos) subcategorias 1.ª a 14.ª – 3.ª Julho de 2008. Alteração de classe de 5.ª para 6.ª.
classe, emitido a 11 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses. Concedido o Alvará n.º 74/0P1/030T/2008 à empresa AGM –
Concedido o Alvará n.º 59/0P1/030T/2008 à empresa Yancubo Xyconstruções e Engenharia, Limitada, representada por Albino Gabriel
Construções, Limitada, representada por Beatriz da Glóra Nhanala, Mondlane, na categoria (edifícios e monumentos) subcategorias 1.ª a 14.ª
na categoria III (vias de comunicação) subcategorias 1.ª a 13.ª – 3.ª – 4.ª classe, emitido a 19 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
classe, emitido a 11 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses. Concedido o Alvará n.º 75/0P1/030T/2008 à empresa AGM –
Concedido o Alvará n.º 60/0P1/030T/2008 à empresa Yancubo Xyconstruções e Engenharia, Limitada, representada por Albino
Construções, Limitada, representada por Beatriz da Glóra Nhanala, Gabriel Mondlane, na categoria III (vias de comunicação) subcategorias
na categoria IV (obras de urbanização) subcategorias 1.ª a 5.ª – 3.ª 1.ª a 13.ª – 4.ª classe, emitido a 19 de Fevereiro de 2008 e válido por
classe, emitido a 11 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses. 12 meses.
Concedido o Alvará n.º 61/0P1/030T/2008 à empresa Vicon - Concedido o Alvará n.º 76/0P1/030T/2008 à empresa AGM –
Engineering, Limitada, representada por Ivailo Iordanov Popov, na Xyconstruções e Engenharia, Limitada, representada por Albino Gabriel
categoria I (edifícios e monumentos) subcategorias 1.ª a 14.ª – 4.ª Mondlane, na categoria IV (obras de urbanização) subcategorias 1.ª a 5.ª
classe, emitido a 11 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses. – 4.ª classe, emitido a 19 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
Concedido o Alvará n.º 62/0P1/030H/2008 à empresa Vicon - Concedido o Alvará n.º 77/0P1/030T/2008 à empresa
Engineering, Limitada, representada por Ivailo Iordanov Serralharia e Construções Nasser, Limitada, representada por Akil
Popov, na categoria II (obras hidráulicas) subcategorias 1.ª,.3.ª, Mahamed Nasser , na categoria I (edifícios e monumentos)
6ª a 8.ª – 4.ª classe, emitido a 11 de Fevereiro de 2008 e válido por subcategorias 1.ª a 14.ª – 5.ª classe, emitido a 21 de Fevereiro de
12 meses. 2008 e válido por 12 meses.
Concedido o Alvará n.º 63/0P1/030T/2008 à empresa Vicon - Concedido o Alvará n.º 78/0P1/030T/2008 à empresa Serralharia
Engineering, Limitada, representada por Ivailo Iordanov Popov, e Construções Nasser, Limitada, representada por Akil Mahamed
na categoria IV (obras de urbanização) subcategorias 1.ª a 3.ª – Nasser, na categoria II (obras hidráulicas) subcategorias 1.ª a 8.ª – 5.ª
4.ª classe, emitido a 11 de Fevereiro de 2008 classe, emitido a 21 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
e válido por 12 meses. Concedido o Alvará n.º 79/0P1/030T/2008 à empresa
Concedido o Alvará n.º 64/0P1/030T/2008 à empresa Vicon - Serralharia e Construções Nasser, Limitada, representada por
Engineering, Limitada, representada por Ivailo Iordanov Popov, na Akil Mahamed Nasser, na categoria III (vias de comunicação)
categoria V (instalações) subcategorias 1.ª, 3.ª, 6.ª, a 8.ª – 4.ª classe, subcategorias 1.ª, 4.ª, 5.ª 6.ª, 7.ª, 8.ª, 9.ª e 10.ª – 5.ª classe, emitido a
emitido a 11 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses. 21 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
Concedido o Alvará n.º 65/0P1/030H/2008 à empresa SB Projectos, Concedido o Alvará n.º 80/0P1/030T/2008 à empresa
Limitada, representada por Alzira Branca Figueira do Martins da Serralharia e Construções Nasser, Limitada, representada por
Silva, na categoria I (edifícios e monumentos) subcategorias 1.ª a Akil Mahamed Nasser, na categoria IV (obras de urbanização)
14.ª – 7.ª classe, emitido a 11 de Fevereiro de 2008 e válido por subcategorias 1.ª a 5.ª – 5.ª classe, emitido a 21 de Fevereiro de 2008
12 meses. e válido por 12 meses.
Concedido o Alvará n.º 66/0P1/030H/2008 à empresa SB Projectos, Concedido o Alvará n.º 81/0P1/030T/2008 à empresa
Limitada, representada por Alzira Branca Figueira do Martins da Serralharia e Construções Nasser, Limitada, representada por
Silva, na categoria IV (obras de urbanização) subcategorias 1.ª a Akil Mahamed Nasser, na categoria VI (fundações e captações de
7.ª – 7.ª classe, emitido a 11 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 águas) subcategorias 1.ª a 7.ª – 5.ª classe, emitido a 21 de Fevereiro
meses. de 2008 e válido por 12 meses.
16 DE FEVEREIRO DE 2009 104–(37)

Concedido o Alvará n.º 82/0P1/030T/2008 à empresa Concedido o Alvará n.º 103/0P1/030T/2008 à empresa SSJ
Serralharia Construções, Nasser, Limitada, representada por Akil Construções, de Sulemane Sidi Júnior, na categoria II (obras
Mahamed Nasser, na categoria V (instalações) subcategorias 1.ª a 6.ª hidráulicas) subcategorias 1.ª a 8.ª – 4.ª classe, emitido a 27 de
– 5.ª classe, emitido a 21 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
meses. Concedido o Alvará n.º 104/0P1/030T/2008 à empresa SSJ
Concedido o Alvará n.º 89/0P1/030T/2008 à empresa Construções Construções, de Sulemane Sidi Júnior, na categoria III (vias de
Karina, Serviços e Consultorias Limitada representada por Mário comunicação) subcategorias 1.ª a 13.ª –
da Cruz de Amaral, na categoria I (edifícios e monumentos) 4.ª classe, emitido a 27 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
subcategorias 1.ª a 14.ª – 5.ª classe, emitido a 21 de Fevereiro de 2008 Concedido o Alvará n.º 105/0P1/030T/2008 à empresa SSJ
e válido por 12 meses. Construções, de Sulemane Sidi Júnior, na categoria V (instalações)
Concedido o Alvará n.º 90/0P1/030T/2008 à empresa Construções subcategorias 1.ª a 7.ª – 4.ª classe, emitido a 27 de Fevereiro de 2008
Karina, Serviços e Consultorias Limitada, representada por e válido o por 12 meses.
Mário da Cruz de Amaral, na categoria II (obras hidráulicas) Concedido o Alvará n.º106/0P1/030T/2008 à empresa SSJ
subcategorias 1.ª a 8.ª – 5.ª classe, emitido a 21 de Fevereiro de 2008 Construções, de Sulemane Sidi Júnior, na categoria VI (fundações e
e válido por 12 meses. captações de águas) subcategorias 1.ª a 6.ª – 4.ª classe, emitido a 27
Concedido o Alvará n.º 91/0P1/030T/2008 à empresa Construções de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
Karina, Serviços e Consultorias Limitada, representada por Concedido o Alvarà n.º 107/0P1/030T/2008 à empresa
Mário da Cruz de Amaral, na categoria III (vias de comunicação) Manubombas, Drilling Company de Inácio Moisés Comé, na
subcategorias 1.ª a 13.ª – 5.ª classe, emitido a 21 de Fevereiro de categoria VI (fundações e captações de águas) subcategorias 1.ª
2008 e válido por 12 meses. a 6.ª – 3.ª classe, emitido 21 de Fevereiro de 2008
Concedido o Alvarà n.º 92/0P1/030T/2008 à empresa Vilas e válido por 12 meses.
Construções, Limitada, representada por Abílio Vila Jone, na Concedido o Alvará n.º 109/0P1/030T/2008 à empresa SOGICA –
categoria I (edifícios e monumentos) subcategorias 1.ª a 14.ª – 3.ª Sociedade de Gestão Integral de Construção e Arquitectura
classe, emitido a 21 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses. Limitada, representada por Marinho Ruben Baptista Soberano
Concedido o Alvará n.º 93/0P1/030T/2008 à empresa Marta na categoria I (edifícios e monumento) subcategorias 1.ª a 14.ª – 3.ª
Construções, na categoria I (edifícios e monumentos) subcategorias classe, emitido a 21 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
a 1.ª a 14.ª- 4.ª classe, emitido a 22 de Fevereiro de 2008 e válido por Concedido o Alvará n.º 110/0P1/030T/2008 à empresa SOGICA –
12 meses. Sociedade de Gestão Integral de Construção e Arquitectura
Concedido o Alvará n.º 94/0P1/030T/2008 à empresa Marta Construções Limitada, representada por Marinho Ruben Baptista Soberano,
na categoria III (vias de comunicação) subcategorias 1.ª, 4.ª, 5.ª, 6.ª, na categoria III (vias de comunicação) subcategorias 1.ª a 13.ª –
8.ª, 9.ª, e 10.ª- 4.ª classe, emitido a 22 Fevereiro de 2008 e válido por 3.ª classe, emitido a 21 de Fevereiro de 2008 e válido por 12
12 meses. meses.
Concedido o Alvará n.º 95/0P1/030T/2008 à empresa África Drilling Concedido o Alvará n.º 114/0P1/030T/2008 à empresa Magna, Limitada,
Company Afrodrill, Limitada, representada por Sevi George, na representada por Bantwal Subraya Prabhu, na categoria I (edifícios
categoria VI (fundações e captações de águas) subcategorias 1.ª a 6.ª e monumentos) subcategorias 1.ª a 14.ª – 6.ª classe, emitido a 27 de
- 4ª classe, emitido a 25 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
meses. Concedido o Alvará n.º 115/0P1/030T/2008 à empresa Magna, Limitada,
Concedido o Alvará n.º 96/0P1/030T/2008 à empresa Team representada por Bantwal Subraya Prabhu, na categoria II (obras
Constructors Limitada, representada por Rachid Fabião Tamele hidráulicas) subcategorias 1.ª a 8.ª – 6.ª classe, emitido a 27 de
na categoria I (edifícios e monumentos) subcategorias 1.ª a 14.ª Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
– 3.ª classe, emitido a 25 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 Concedido o Alvará n.º 116/0P1/030T/2008 à empresa Magna, Limitada,
meses. representada por Bantwal Subraya Prabhu, na categoria III (vias de
Concedido o Alvará n.º 97/0P1/030T/2008 à empresa Team comunicação) subcategorias 1.ª a 13.ª – 6.ª classe, emitido a 27 de
Constructors Limitada, representada por Rachid Fabião Tamele Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
na categoria II (obras hidráulicas) subcategorias 1.ª a 8.ª – 3.ª Concedido o Alvará n.º 117/0P1/030T/2008 à empresa Magna, Limitada
classe, emitido a 25 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses. representada por Bantwal Subraya Prabhu, na categoria IV (obras
Concedido o Alvará n.º 98/0P1/030T/2008 à empresa Team de urbanização) subcategorias 1.ª a 5.ª – 6.ª classe, emitido a 27 de
Constructors Limitada, representada por Rachid Fabião Tamele Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
na categoria IV (obras de urbanização) subcategorias 1.ª a 5.ª – 3.ª Concedido o Alvará n.º 118/0P1/030T/2008 à empresa Magna, Limitada,
classe, emitido a 25 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses. representada por Bantwal Subraya Prabhu, na categoria V
Concedido o Alvará, n.º 99/0P1/030T/2008 à Empresa (instalações) subcategorias 1.ª a 7.ª – 6.ª classe, emitido a 27 de
Hidroágua, Limitada, representada por Antonieta Cecília Carlos Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
Mutote, na categoria I (edifícios e monumentos) subcategorias Concedido o Alvará n.º 119/0P1/030T/2008 à empresa Magna, Limitada,
1.ª a 14.ª – 3.ª classe, emitido 25 de Fevereiro de 2008 e válido por representada por Bantwal Subraya Prabhu, na categoria VI
12 meses. (fundações e captações de águas) subcategorias 1.ª a 6.ª – 6.ª classe,
Concedido o Alvará n.º 100/0P1/030T/2008 à empresa Hidroágua, emitido a 27 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
Limitada, representada por Antonieta Cecilia Carlos Mutote, na Concedido o Alvará n.º 141/0P1/030T/2008 à empresa Mocepa,
categoria II (obras hidráulicas) subcategorias 1.ª a 8.ª – 3.ª classe, Limitada, representada por Manuel Augusto Rodrigues Júnior,
emitido 25 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses. na categoria III (vias de comunicação) subcategorias 1.ª a 13.ª – 1.ª
Concedido o Alvará n.º 101/0P1/030T/2008 à empresa Hidroágua, classe, emitido 6 Março de 2008 e válido por 12 meses.
Limitada, representada por Antonieta Cecilia Carlos Mutote, na Concedido o Alvará n.º 144/0P1/030T/2008 à empresa Minc –
categoria VI (fundações e captações de águas) subcategorias 1.ª a 6.ª Construtora, de Abdul Gafur Mahomed Nordino, na
categoria I (edifícios e monumentos) subcategorias 1.ª a 14.ª –
– 3.ª classe, emitido a 25 de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses.
3.ª classe, emitido a 7 de Março de 2008 e válido por 12 meses.
Concedido o Alvará n.º 102/0P1/030T/2008 à empresa SSJ
Concedido o Alvará n.º 145/0P1/030T/2008 à empresa Minc –
Construções, de Sulemane Sidi Júnior, na categoria I (edifícios Construtora, de Abdul Gafur Mahomed Nordino, na categoria IV
e monumentos) subcategorias 1.ª a 14.ª – 4.ª classe, emitido a 27 (obras de urbanização) subcategorias 1.ª a 5.ª – 3.ª classe, emitido a
de Fevereiro de 2008 e válido por 12 meses. 7 de Março de 2008 e válido por 12 meses.
104–(38) III SÉRIE — NÚMERO 6

Concedido o Alvará n.º 155/0P1/030T/2008 à empresa Pirâmide – Concedido o Alvará n.º 159/0P1/030T/2008 à empresa Pirâmide –
Consultoria & Engenharia Civil, Limitada, representada por Pedro Consultoria & Engenharia Civil, Limitada, representada por
Taimo, na categoria I (edifícios e monumentos) subcategorias 1.ª a 14.ª Pedro Taimo, na categoria V (instalações) subcategorias 1.ª a 7.ª
– 2.ª classe, emitido a 13 de Março de 2008 e válido por 12 meses. – 2.ª classe, emitido a 13 de Março de 2008 e válido por 12 meses.
Concedido o Alvará n.º 156/0P1/030T/2008 à empresa Pirâmide – Concedido o Alvará n.º 160/0P1/030T/2008 à empresa Pirâmide –
Consultoria & Engenharia Civil, Limitada, representada por Consultoria & Engenharia Civil, Limitada, representada por
Pedro Taimo, na categoria II (obras hidráulicas) subcategorias Pedro Taimo, na categoria VI (fundações e captações de águas)
1.ª a 8.ª – 2.ª classe, emitido a 13 de Março de 2008 e válido subcategoriasop 1.ª a 6.ª – 2.ª classe, emitido a 13 de Março de 2008
por 12 meses. e válido por 12 meses.
Concedido o Alvará n.º 157/0P1/030T/2008 à empresa Pirâmide – Concedido o Alvará n.º 161/0P1/030T/2008 à empresa Ajsl Karcher,
Consultoria & Engenharia Civil, Limitada, representada por Pedro Limitada, representada por Peter Alexandre Lammu, na categoria
Taimo, na categoria III (vias de comunicação) subcategorias 1.ª a 13.ª
I (edifícios e monumentos) subcategorias 1.ª a 14.ª – 3.ª classe,
– 2.ª classe, emitido a 13 de Março de 2008 e válido por 12 meses.
emitido a 13 de Março de 2008 e válido por 12 meses.
Concedido o Alvará n.º 158/0P1/030T/2008 à empresa Pirâmide –
Consultoria & Engenharia Civil, Limitada, representada por Pedro Comissão de Inscrição e Classificação de Empreiteiros de Obras
Taimo, na categoria IV (obras de urbanização) subcategorias 1.ª a 5.ª Públicas e de Construção Civil, em Maputo, 15 de Setembro de 2008.
– 2.ª classe, emitido a 13 de Março de 2008 e válido por 12 meses. – O Presidente da Comissão, Ângelo Augusto Matos Benesse.

ANÚNCIOS JUDICIAIS E OUTROS

LCI — Linga-Linga ARTIGO QUARTO ARTIGO SEXTO


e Investimentos, Limitada Um)) A sociedade e os restantes sócios gozam (Aumento do capital)

Certifico, para efeitos de publicação, que no dia do direito de preferência, na aquisição da quota Por deliberação da assembleia geral, o capital
nove de Dezembro de dois mil e oito, foi matriculada a ser cedida. social pode ser aumentado sempre que se mostrar
no Registo de Entidades Legais sob o número único Dois) Mediante deliberações dos respectivos necessário, desde que observados os preceitos
de entidade legal 100082462 uma sociedade por sócios poderá a sociedade participar, directamente que regulam a matéria.
quotas de responsabilidade limitada denominada ou indirectamente em projectos que de alguma
LCI — Linga-Linga Consultoria e Investimentos, forma concorram para o preenchimento do seu ARTIGO SÉTIMO
Limitada, que se regerá pelos artigos seguintes: objecto social, bem como aceitar concessões, (Prestações suplementares e
adquirir e gerir participações no capital de suprimentos)
CAPÍTULO I quaisquer sociedades, independentemente do
respectivo objecto social, ou ainda participar em Não serão exigíveis prestações suplementares
Da denominação empresas, associações empresariais, agrupamen- de capital, mas os sócios poderão conceder à
ARTIGO PRIMEIRO tos de empresas ou outras formas de associação. sociedade os suprimentos de que ela necessite
nos termos e condições fixados por deliberação
LCI — Linga-Linga, Consultoria e investi- CAPÍTULO II da assembleia geral.
mentos, Limitada, designada por sociedade tendo
como abreviatura LCI, Limitada. É uma sociedade Do capital social ARTIGO OITAVO
por quotas de responsabilidade limitada, criada ARTIGO QUINTO (Divisão, alienação e oneração de quotas)
por tempo indeterminado e que se rege pelos
presentes estatutos e pelos preceitos legais em O capital social, integralmente subscrito e Um) A divisão e a cessão de quotas, bem
vigor na República de Moçambique. realizado em dinheiro é de vinte mil meticais, e como a constituição de quaisquer ónus ou
correspondente à soma de quatro quotas assim encargos sobre as mesmas, carecem de
ARTIGO SEGUNDO distribuídas: autorização prévia da sociedade, dada por
(Sede) a) Uma quota com o valor nominal de deliberação da respectiva assembleia geral.
sete mil meticais, correspondente a Dois) Será dispensada a reunião da
Um) A sociedade tem a sua sede na cidade de assembleia geral, bem como as formalidades da
trinta e cinco por cento do capital
Inhambane, podendo abrir sucursais, delegações, sua comunicação, quando todos os sócios
social, pertencente ao sócio José
agencias ou qualquer outra forma de representação concordem por escrito que dessa forma se
Fernando Macedo Murripa;
social onde e quando a administração o julgar delibere, ainda que as deliberações sejam
b) Uma quota com o valor nominal de
conveniente.
cinco mil meticais correspondente a tomadas fora da sede social, em qualquer ocasião
Dois) Mediante a deliberação pela assembleia
vinte e cinco por cento do capital e qualquer que seja o seu objecto.
geral pode se transferir a sede para qualquer outro
social, pertencente ao sócio Três) O sócio que pretender alienar a sua
local do territ6rio nacional.
Gonçalves António Ferrão Júnior; quota informará à sociedade, com um mínimo
ARTIGO TERCEIRO c) Uma quota com o valor nominal de de noventa dias de antecedência, por carta
quatro mil meticais correspondente registada, com aviso de recepção, dando a
(Objectivo) conhecer a intenção. Os sócios estão de comum
a vinte por cento do capital social,
Um) A sociedade tem por objectivo principal: pertencente ao sócio Martinho acordo que a pretensão por um sócio ou mais
o desenvolvimento, gestão e investimentos .nas Assane Muatxiwa; sócios da alienação da quota que poderá incluir
áreas de agricultura, pecuária, turismo, hotelaria, d) Uma quota com valor nominal de quato estranhos a sociedade, só pode ocorrer mediante
comércio geral, imobiliária, estudos e consultoria. mil meticais, correspondente a vinte a deliberação da assembleia geral.
Dois) A sociedade poderá desenvolver, outras por cento do capital social, Quatro) A sociedade e os restantes sócios
actividades subsidiárias ou complementares do seu pertencente ao sócio Leonel Leite gozam do direito de preferência, na aquisição da
objecto principal desde que devidamente autorizada. Lopes. quota a ser cedida.
16 DE FEVEREIRO DE 2009 104–(39)

Parágrafo único. Exceptuam-se relativamente aviso de recepção, ou outro meio inequívoco, ARTIGO DÉCIMO SEXTO
ao disposto no numero anterior, as deliberações dirigido aos sócios com antecedência mínima de
(Assinatura que obrigam a sociedade)
que importam a modificação do pacto social, a trinta dias.
dissolução da sociedade ou a divisão e cessão Dois) Em caso urgente, é admissível a Um) Para que a sociedade fique validamente
de quotas, para as quais não poderão dispensar- convocação com antecedência inferior desde que obrigada nos seus actos e contratos é bastante:
se as reuniões da assembleia geral. haja consentimento de todos os sócios. a) Pelas assinaturas do presidente e dos
Três) A convocatória deverá conter pelo menos administradores;
ARTIGO NONO o local, a data e hora da realização e mencionar b) Pela assinatura do procurador especifi-
(Nulidade da divisão, alienação
claramente os assuntos a serem deliberados. camente constituído nos termos do
ou oneração de quotas) Quatro) A assembleia geral, considera-se respectivo mandato.
regularmente constituída para deliberação
É nula qualquer divisão, cessão, alienação ou Dois) as actos de mero expediente poderão
quando em primeira convocação estejam
oneração de quotas que não observe preceituado ser assinados por qualquer empregado
presentes ou devidamente apresentados, pelo
no artigo antecedente. devidamente autorizado.
menos, o correspondente a maioria simples dos
Três) Em caso algum a sociedade poderá ser
votos do capital social e, em segunda convocação
ARTIGO DÉCIMO obrigada em actos ou documentos estranhos às
independentemente do número de sócio presente
operações sociais, designadamente em letras de
(Amortização de quotas) e do capital que representam.
favor, fianças e abonações.
Cinco) A cada quota correspondera a um voto
A sociedade poderá amortizar as quotas, dos por cada duzentos e cinquenta meticais e cada
sócios de acordo com o que for deliberado pela CAPÍTULO IV
capital social respectivo.
assembleia geral nos seguintes casos: Seis) As deliberações da assembleia geral serão Das disposições gerais
a) Por acordo com o respectivo titular; tomadas por maioria simples dos votos presentes
ARTIGO DÉCIMO SÉTIMO
b) Quando, por decisão transitada em julgado, ou representados excepto nos casos em que a lei
o respectivo titular foi declarado falido; exija a maioria qualificada dos votos (Balanço e distribuição de lucros)
c) Quando a quota for arrestada, penhora- correspondentes ao capital social designadamente:
Um) Os exercícios sociais coincidem com o
da, arrolada ou, em geral apreendida a) Aumento ou redução do capital social; ano civil.
judicial ou administrativamente; b) Alteração dos estatutos; Dois) O balanço e contas de resultados fechar-
d) Quando o sócio dê a quota em garantia c) Fusão ou dissolução da sociedade. -se-ão com referência a trinta e um de Dezembro
ou caução de qualquer obrigação de cada ano e serão submetidos à apreciação da
sem o consentimento da sociedade; ARTIGO DÉCIMO QUARTO assembleia geral ordinária.
e) Se a sócia transmitir a sua quota a um (Administração e representação da Três) A administração apresentara a aprova-
terceiro sem previa consentimento sociedade) ção da assembleia geral o balanço de contas e
da sociedade; ganhos e perdas, acompanhados de um relatório
f) Demais casos previstos na lei. Um) A administração da sociedade, bem da situação comercial, financeira e económica
como a sua representação em juízo e fora dele, da sociedade, bem como a proposta quanto à
ARTIGO DÉCIMO PRIMEIRO activa e passivamente, será exercida por um repartição de lucros e perdas.
conselho de administração formado pelos dois Quatro) Dos lucros que o balanço registar,
(Morte ou incapacidade de algum sócios, desde já composto por três
dos sócios) líquidos de todas as despesas e encargos terão a
administradores e por um director executivo por seguinte aplicação:
Um) A sociedade não se dissolve por morte, deliberação da assembleia geral.
Dois) O conselho de administração será a) Cinco por cento para fundo de reserva
extinção ou interdição de qualquer um dos sócios. legal, enquanto não estiver realizado
Dois) No caso de morte ou interdição de executivo, com direito a remuneração conforme
nos termos da lei ou sempre que seja
qualquer um dos sócios, os herdeiros do falecido fixado por deliberação da assembleia geral.
necessário reintegrá-lo;
ou representante do interdito, legalmente Três) O director executivo é indicado pelo
b) Outras reservas que a sociedade
constituídos exercerão os referidos direitos e conselho de administração, resultado de
necessita para um melhor equilíbrio
deveres sociais, devendo mandatar um de entre avaliação curricular.
financeiro;
eles que a todos represente na sociedade. Quatro) O presidente e os administradores
c) O remanescente para dividendos a ser
são dispensados de prestar caução.
distribuído aos sócios na proporção
CAPÍTULO III das suas quotas.
ARTIGO DÉCIMO QUINTO
Da assembleia geral
(Funções do director executivo) ARTIGO DÉCIMO OITAVO
ARTIGO DÉCIMO SEGUNDO
Ao Director Executivo compete realizar as (Dissolução e liquidação da sociedade)
Um) A assembleia geral reunir-se-á seguintes funções:
Em caso de dissolução da sociedade, todos
ordinariamente uma vez por ano, nos primeiros a) Fazer estudos e apresentar pianos de os sócios serão liquidatários procedendo-se à
meses após o fim do exercício anterior, para negócio; partilha e divisão dos bens sociais de acordo
apreciação, aprovação ou modificação do balanço b) Elaborar e submeter à aprovação do com o que for deliberado em assembleia geral.
e contas do exercício. conselho de administração orçamen-
Dois) A assembleia geral reunir-se-á tos e respectivos relatórios de conta; ARTIGO DÉCIMO NONO
extraordinariamente, sempre que for necessário, c) Gerir os Recursos Humanos e materiais
(Omissões)
competindo-lhe normalmente deliberar sabre os alocados a sociedade;
assuntos ligados à actividades da sociedade que d) Apresentar mensalmente os balancetes As omissões nos presentes estatutos serão
ultrapasse a competência da gerência. contendo entre outros as receitas e reguladas e resolvidos por acordo dos sócios
despesas efectuadas durante o mês; bem como pela legislação comercial, em vigor
ARTIGO DÉCIMO TERCEIRO e) Propor medidas para melhor rentabili- na República de Moçambique.
(Convocação) zação da sociedade; Está conforme.
f) Realizar actos de mero expediente, Conservatória dos Registos de Inhambane,
Um) A assembleia geral será convocada pela necessários ao regular funcionamen- nove de Dezembro de dois mil e oito. — O
administração por meio de carta registada, com to da sociedade. Ajudante, Ilegível.
104–(40) III SÉRIE — NÚMERO 6

Grupo de Desenvolvimento Três) Mediante deliberação do conselho de deve-o comunicar ao conselho de administração
Mineiro, S.A. administração, a sociedade poderá ainda celebrar da sociedade, por carta registada com aviso de
contratos de concessão ou de cessão de recepção, com indicação precisa do adquirente e
Certifico, para efeitos de publicação, que por exploração e participar, directa ou indirectamente, de todas as condições de transmissão projectada.
escritura de cinco de Julho de dois mil e sete, em projectos que não sejam estranhos ao seu Quatro) Compete ao conselho de
lavrada de folhas cento e setenta e uma a folhas objecto principal. administração transmitir a comunicação aos
cento e noventa, do livro de notas para escrituras accionistas no prazo de quinze dias a contar da
diversas número duzentos e dois traço A do CAPÍTULO II data de recepção da comunicação.
Quarto Cartório Notarial de Maputo, perante mim Cinco) O silêncio da sociedade e dos outros
Do capital
Miguel Francisco Manhique, ajudante D accionistas durante sessenta dias, contados a
principal e substituto do notário do referido ARTIGO QUARTO partir da data de recepção pela sociedade da
cartório, foi constituída uma sociedade anónima comunicação a que se refere o número cinco
Capital social
denominada Grupo de Desenvolvimento deste artigo, faz caducar o direito de preferência.
Mineiro, S.A., com sede nesta cidade de Maputo, Um) O capital social é de vinte mil meticais, Seis) Exercido o direito de preferência, o
que se regerá pelas cláusulas constantes dos representado por duzentas mil acções de cem accionista efectuará, no prazo de oito dias, a
artigos seguintes: meticais cada, integralmente subscrito e realizado transmissão das acções para o preferente.
em dinheiro. Sete) Havendo mais de um accionista a exercer
CAPÍTULO I Dois) A descrição e escrituração dos elementos o direito de preferência, proceder-se-á a rateio na
Da denominação, duração, sede que integram o património constam dos livros proporção das acções de que cada um seja titular.
e objecto respectivos do património da sociedade. Oito) A transmissão das acções por morte do
respectivo titular far-se-á de acordo com a lei geral.
ARTIGO PRIMEIRO ARTIGO QUINTO
(Denominação, natureza e duração) (Acções) ARTIGO OITAVO

Um) As acções serão repartidas por dois (Aumento do capital)


O Grupo de Desenvolvimento Mineiro, S.A.,
é uma sociedade anónima de responsabilidade tipos, com as seguintes designações e Um) O capital social da sociedade poderá ser
limitada, criada por tempo indeterminado, que características: aumentado, por deliberação da assembleia geral
se rege pelos presentes estatutos e pelos preceitos a) Acções do tipo A, que serão nomina- sob proposta do conselho de administração,
legais aplicáveis. tivas, cuja titularidade apenas poderá emitindo, para o efeito, novas acções.
pertencer aos sócios fundadores; Dois) Nos aumentos de capital os accionistas
ARTIGO SEGUNDO b) Acções do tipo B reservadas à gozarão do direito de preferência na subscrição
(Sede e representações sociais) subscrição pública, podendo ser das novas acções, proporcionalmente ao número
emitidas ao portador ou nominativas, das que já possuírem.
Um) A sociedade tem a sua sede em Maputo. Três) Se algum ou alguns daqueles a quem
conforme instruções do seu titular e
Dois) A sociedade poderá abrir ou encerrar couber o direito de preferência não quiserem
desde que sejam preenchidos os
quaisquer filiais, sucursais, agências, delegações subscrever a importância que lhes devesse caber,
respectivos requisitos legais.
ou qualquer outra forma de representação social, então será dividida pelos outros na mesma
no país ou no estrangeiro, quando o conselho de Dois) Haverá títulos representativos de uma,
proporção.
administração o deliberar, depois de autorização dez, cinquenta, cem e mil acções.
oficial, se for caso disso. Três) Os títulos, provisórios ou definitivos, ARTIGO NONO
serão assinados por dois administradores,
ARTIGO TERCEIRO podendo as assinaturas ser apostas por chancela. (Acções próprias)

(Obejcto social)
Quatro) A titularidade das acções constará Um) Mediante deliberação da assembleia geral,
no livro de registo de acções existentes na sede e nas condições por esta fixadas, a sociedade
Um) O objecto principal da sociedade da sociedade. poderá, se a sua situação económica e financeira
consiste no seguinte: o permitir, adquirir, nos termos da lei, acções
a) Pesquisa e prospecção de recursos ARTIGO SEXTO
próprias, desde que inteiramente liberadas, e
minerais; (Espécie de acções) realizar sobre elas, no interesse da sociedade,
b) Exploração e transformação de recursos quaisquer operações permitidas por lei.
Um) Sem prejuízo do artigo anterior, as
minerais; Dois) Salvo o disposto no número seguinte,
acções serão nominativas ou ao portador e
c) Importação de factores de produção a sociedade não pode adquirir e deter acções
reciprocamente convertíveis à vontade e à custa
nomeadamente equipamentos, próprias representativas de mais de dez por cento
dos seus titulares, com a limitação decorrente do
materiais e serviços destinados as do seu capital social.
número seguinte.
actividades da sociedade; Três) A sociedade pode adquirir acções
Dois) As acções serão sempre nominativas
d) Comercialização de serviços e produtos próprias que ultrapassem o limite estabelecido
enquanto o seu valor nominal não estiver
de pesquisa, prospecção e no número anterior quando:
integralmente pago.
exploração de recursos minerais; a) A aquisição resulte do cumprimento
e) Prestação de serviços e exercício de ARTIGO SÉTIMO pela sociedade de disposições da lei;
outras actividades de comércio b) A aquisição vise executar uma
internacional relacionadas com o (Transmissão das acções)
deliberação de redução do capital;
objecto social. Um) As acções da série A são livremente c) A aquisição seja feita a título gratuito;
Dois) A sociedade poderá, mediante transmissíveis a favor de qualquer entidade d) A aquisição seja feita em processo
deliberação do conselho de administração, pública ou privada. executivo para cobrança de dívidas
exercer qualquer outra actividade comercial ou Dois) A transmissão de acções do tipo A de terceiros ou por transacção em
industrial, que for devidamente autorizada, bem origina a sua transferência para o grupo de acções acção declarativa proposta para o
como deter participações sociais em outras do tipo B. mesmo fim;
sociedades, independentemente do seu objecto Três) Para efeitos do disposto no número e) Seja adquirido um património a título
social. anterior, o accionista que pretenda alienar acções universal.
16 DE FEVEREIRO DE 2009 104–(41)

Quatro) A sociedade não poderá deter por ARTIGO DÉCIMO TERCEIRO Dois) Os accionistas que não possuírem o
mais de três anos um número de acções superior número mínimo de acções referido na alínea a)
(Representação de pessoa colectiva)
ao correspondente à percentagem fixada no do número anterior, podem agrupar-se de forma
número dois deste artigo. Sendo eleito para qualquer dos órgãos sociais a completá-lo, devendo neste caso, fazer-se
Cinco) A alienação de acções próprias um accionista que seja uma pessoa colectiva, representar por um só deles cujo nome será
depende da deliberação da Assembleia Geral, deve ele designar em sua representação, por carta indicado em carta dirigida ao presidente de mesa,
salvo se for por lei ou pelos estatutos, caso em registada ou fax, confirmado por carta registada, com as assinaturas de todos reconhecidas por
que poderá ser decidida pelo conselho de dirigidos ao presidente da mesa da assembleia notário e por aquele recebida até ao momento do
administração, o qual, todavia, informará na geral, uma pessoa singular que exercerá o cargo início da sessão.
primeira assembleia geral seguinte sobre os em nome próprio.
motivos e as condições da operação efectuada. ARTIGO DÉCIMO OITAVO
ARTGO DÉCIMO QUARTO
(Representação de accionistas)
CAPÍTULO III (Preenchimento de vaga nos órgãos
sociais) Um) Os accionistas com direito a voto podem
Dos órgãos sociais fazer-se representar nas assembleias gerais pelo
ARTIGO DÉCIMO Quando por motivo justificado um membro seu cônjuge, por familiar ascendente ou
de um dos órgãos sociais tenha que ser descendente ou por outro accionista com direito
(Órgãos sociais) substituído, poderá ser designado um outro na a voto, mediante simples carta, telegrama, telex
São órgãos sociais a assembleia geral, o condição de co-optado até à deliberação do ou fax dirigido ao presidente da mesa e por este
conselho de administração e o conselho fiscal. preenchimento definitivo do cargo pela recebido até dois dias antes da data fixada para a
assembleia geral imediatamente seguinte. reunião.
SECÇÃO I Dois) No aviso convocatório, o presidente
ARTIGO DÉCIMO QUINTO
Das disposições comuns da mesa da assembleia geral poderá exigir o
(Remuneração dos órgãos sociais) reconhecimento notarial das assinaturas.
ARTIGO DÉCIMO PRIMEIRO Três) Os incapazes e as pessoas colectivas serão
Os membros dos corpos sociais poderão ser
(Eleição e duração do mandato remunerados, cabendo a assembleia geral fixar representados pelas pessoas a quem legalmente
dos órgãos sociais) as respectivas remunerações e a periodicidade couber a respectiva representação, podendo, no
destas ou delegar estas atribuições numa comissão entanto, o representante delegar essa representação
Um) O presidente e secretário da mesa da nos termos do número um deste artigo.
assembleia geral e os presidentes e membros constituída por três membros, designados para o
efeito por períodos de três anos. Quatro) Os documentos da representação
dos conselhos de administração e fiscal são legal, nos termos do número anterior, devem ser
eleitos pela assembleia geral, com observância SECÇÃO II recebidos no prazo previsto no número um deste
do disposto na lei e nos presentes estatutos, sendo
artigo, pelo presidente da mesa, que poderá
permitida a sua reeleição. Da assembleia geral
exigir o respectivo reconhecimento notarial.
Dois) Os membros dos órgãos sociais
ARTIGO DÉCIMO SEXTO Cinco) Compete ao presidente da mesa da
exercem as suas funções por períodos renováveis
assembleia geral verificar a regularidade dos
de três anos, contando-se como completo o ano (Natureza)
mandatos e das representações, com ou sem
civil em que forem eleitos.
Um)A assembleia geral, regularmente audiência da assembleia geral, segundo o seu
Três) Os membros dos órgãos sociais, embora
constituída, representa a universalidade dos prudente critério.
designados por prazo certo e determinado, manter-
accionistas sendo as suas deliberações
se-ão em exercício, mesmo depois de terminado ARTIGO DÉCIMO NONO
vinculativas para todos eles, quando tomadas
o mandato para que foram eleitos, até à nova eleição
e tomada de posse, salvo nos casos de substituição, nos termos da lei e dos estatutos. (Mesa da assembleia geral)
renúncia ou destituição. Dois) As assembleias gerais são ordinárias e
extraordinárias e reunir-se-ão nos termos e com Um) A mesa da assembleia geral é composta
Quatro) Se qualquer entidade eleita para fazer por um presidente, um vice-presidente e um
parte dos órgãos sociais não entrar no exercício a periodicidade estabelecida na lei e de acordo
secretário, eleitos entre os accionistas.
de funções, por facto que lhe seja imputável, com os presentes estatutos.
Dois) Compete ao presidente, para além
nos sessenta dias subsequentes à eleição, Três) Haverá reuniões extraordinárias da
doutras atribuições que lhe são conferidas pela
caducará automaticamente o respectivo mandato. assembleia geral sempre que o conselho de
lei e pelos presentes estatutos, convocar e dirigir
administração ou o conselho fiscal o julguem
as reuniões da assembleia geral, dar posse aos
ARTIGO DÉCIMO SEGUNDO necessário ou quando a convocação seja
membros do conselho de administração e de
requerida por accionistas que representem, pelo
(Sessões conjuntas) conselho fiscal e assinar os termos de abertura e
menos, a vigésima parte do capital social, sem
de encerramento dos livros de actas da
Um) Haverá reuniões conjuntas do conselho prejuízo do disposto no número dois do artigo
assembleia geral, do conselho de administração
de administração e do conselho fiscal, sempre nono do Decreto número vinte e dois barra oitenta
e do conselho fiscal e de autos de posse.
que os interesses da sociedade o aconselhem e e sete, de vinte e um de Outubro, nas Três) Incumbe ao secretário, além de coadju-
ou a lei ou os estatutos, assim o determinem. circunstâncias em que este preceito for aplicável. var o presidente, organizar todo o expediente e
Dois) As reuniões conjuntas são convocadas
ARTIGO DÉCIMO SÉTIMO escrituração relativo a assembleia geral.
por qualquer destes órgãos e serão presididas
pelo presidente do conselho de administração. (Direito de voto) ARTIGO VIGÉSIMO
Três) Os conselhos de administração e fiscal,
não obstante poderem reunir conjuntamente, Um) Tem direito a voto todo o accionista que (Reuniões)
conservam nesta circunstância a sua reúna cumulativamente as seguintes condições: Um) A assembleia geral reúne-se, ordinaria-
independência, sendo-lhes aplicável, sem a) Ter número mínimo de acções registado, mente, até trinta e um de Maio de cada ano e,
prejuízo do disposto no número anterior, as em seu nome, desde o décimo dia extraordinariamente, a pedido de cada um dos
disposições que regem cada um deles, anterior ao da reunião da assembleia outros órgãos sociais ou de accionistas que
nomeadamente as que respeitem a quórum e a geral e manter registo, pelo menos, representem, pelo menos, vinte por cento do
tomada de deliberações. até ao encerramento da reunião. capital social.
104–(42) III SÉRIE — NÚMERO 6

Dois) Em reunião ordinária, a assembleia representados e o montante do capital que lhe -se, serão os mesmos adiados ou suspensos,
geral apreciará e aprovará o relatório do conselho couber, salvo disposições legais ou estatutárias consoante o caso, até ao dia, hora e local que
de administração, o balanço e contas do exercício em contrário. forem no momento indicados e anunciados pelo
findo, com o respectivo parecer do conselho Dois) Qualquer que seja a forma de votação, presidente da mesa, sem que haja de observar-se
fiscal, deliberará quanto à aplicação dos as deliberações serão tomadas por maioria qualquer outra forma de publicação, lavrando-
resultados e elegerá, quando for caso disso, os simples dos votos presentes ou representados, se tudo na competente acta.
membros de sua mesa e dos outros órgãos salvo se disposição legal imperativa ou cláusula Dois) A assembleia geral só poderá deliberar
sociais, podendo ainda tratar de quaisquer estatutária exigirem outra maioria. suspender a mesma reunião duas vezes, não
assuntos de interesse da sociedade, desde que Três) Só podem ser tomadas com votos podendo distar mais de trinta dias entre duas
isso esteja expressamente indicado na respectiva superiores a três quartos partes das acções as sessões.
convocatória. deliberações que tenham por objecto:
Três) É da exclusiva competência da SECÇÃO III
a) Alteração ou reforma dos estatutos da
assembleia geral nomear e destituir os membros sociedade; Do conselho de administração
do conselho de administração e do conselho fiscal, b) Transferência, fusão e dissolução da
apreciar e aprovar os planos anuais e plurianuais sociedade e aprovação das contas de ARTIGO VIGÉSIMO SEXTO
porque se norteará a actuação da sociedade e liquidação da mesma; (Composição)
definir os instrumentos e objectivos a, respectiva- c) Redução, reintegração e aumento do
mente, promover e alcançar pela mesma. capital social; Um) A administração e representação da
d) Aplicação de resultados; sociedade compete a um conselho de
ARTIGO VIGÉSIMO PRIMEIRO administração composto por um mínimo de três
e) Transmissão, cessão ou alienação dos
(Local da reunião) principais bens da sociedade, e; e um máximo de sete membros eleitos em
f) Contracção de dívidas e obrigações assembleia geral.
A assembleia geral reúne-se, em princípio, Dois) A assembleia geral que eleger os
superiores ao capital próprio da
na sede social, mas poderá reunir-se em qualquer membros do conselho de administração
sociedade.
outro local do território nacional, desde que o designará o respectivo presidente e fixará a
presidente da respectiva mesa assim o decida, Quatro) Não tendo comparecido ou se feito caução que devem prestar ou dispensá-la-á.
com os votos conformes do conselho de representar, em assembleia geral convocada para Três) Os administradores poderão ser não
administração e do conselho fiscal. deliberações abrangidas pelo número três do accionistas e, nesse caso, devem ser pessoas
presente dispositivo, accionistas que representem singulares com capacidade jurídica plena.
ARTIGO VIGÉSIMO SEGUNDO uma maioria superior à três quartos partes do Quatro) O conselho de administração poderá
(Convocatória) valor total das acções, poderá a deliberação ser indicar de entre os seus membros
tomada por maioria simples em nova assembleia administradores executivos e administradores
Um) A convocatória da assembleia geral será geral, a efectuar dentro de trinta dias, mas não não executivos.
feita por meio de carta registada com aviso de antes de quinze, desde que a ela compareçam ou
recepção, telegrama, telex ou fax dirigidos aos se façam representar detentores de pelo menos ARTIGO VIGÉSIMO SÉTIMO
accionistas com antecedência de, pelo menos, metade do total das acções.
quinze dias em relação à data da reunião e tornada (Co-optação de administradores)
pública através da imprensa escrita de maior ARTIGO VIGÉSIMO QUARTO Havendo vacatura no número de
tiragem. No caso de assembleia geral extraordi- administradores, o conselho de administração
(Votação)
nária o prazo pode ser reduzido para dez dias. poderá proceder ao preenchimento das vagas por
Dois) Do aviso da convocatória deverá Um) Por cada conjunto de mil acções conta- co-optação, devendo antes ouvir cada um dos
constar: se um voto. accionistas detentores de pelo menos dez por
a) Local da reunião; Dois) Não haverá limitações quanto ao cento do total de acções.
b) Dia e hora da reunião; número de votos que cada accionista possa
c) Agenda do trabalho. dispor na assembleia geral, quer em nome ARTIGO VIGÉSIMO OITAVO
próprio, quer como procurador.
Três) Os avisos serão assinados pelo Três) As votações serão feitas pela forma (Competência)
presidente da mesa da assembleia geral ou no indicada pelo presidente da mesa, excepto quando Um) Compete ao conselho de administração
seu impedimento, pelo vice-presidente. Caso se respeitem a eleições ou deliberações relativos a exercer os mais amplos poderes de gestão e
verifique ausência, impedimento ou recusa de pessoas certas ou determinadas, casos em que representação dos negócios sociais da sociedade,
ambos, os avisos serão assinados pelo presidente serão efectuadas por escrutínio secreto, se com as competências que por lei e por estes
do conselho fiscal. assembleia geral não deliberar previamente estatutos lhe são conferidas e bem assim as que
Quatro) No caso da assembleia geral, adoptar outra forma de votação. a assembleia nele delegar.
regularmente convocada, não poder funcionar Quatro) As actas da assembleia geral, uma Dois) Compete-lhe nomeadamente:
por insuficiente representação do capital social, vez assinadas pelo presidente e pelo secretário
nos termos do artigo seguinte, será convocada ou, no caso de impedimento deste, pelo vice- a) Adquirir, permutar ou, por qualquer
imediatamente uma nova reunião para se efectuar presidente, produzem, acto contínuo, os seus forma, onerar bens móveis ou
dentro de trinta dias, mas não antes de quinze. efeitos, com dispensa de qualquer outra imóveis da sociedade, salvo os casos
formalidade. previstos na alínea e) do artigo
ARTIGO VIGÉSIMO TERCEIRO vigésimo terceiro dos presentes
ARTIGO VIGÉSIMO QUINTO estatutos;
(Validade das deliberações)
b) Adquirir e ceder participações em
(Suspensão da reunião)
Um) A assembleia geral considera-se quaisquer outras sociedades,
regularmente constituída e poderá deliberar Um) Quando a assembleia geral esteja em empreendimentos ou agrupamentos
validamente, em primeira convocatória, quando condições legais de funcionar, mas não seja de empresas constituídas ou a
estiverem presentes ou representados accionistas possível, por insuficiência do local designado, constituir;
titulares de, pelo menos, cinquenta e um por cento ou por outro motivo, dar-se-á início aos c) Tomar ou dar de arrendamento, bem
do capital e, em segunda convocatória, qualquer trabalhos, ou tendo-se-lhes dado início, eles não como aluguer ou locar quaisquer
que seja o número dos accionistas presentes ou possam, por quaisquer circunstâncias, concluir- bens ou parte dos mesmos;
16 DE FEVEREIRO DE 2009 104–(43)

d) Trespassar estabelecimento de sua Dois) Qualquer administrador poderá fazer- CAPÍTULO IV


propriedade ou tomar de trespasse se representar na reunião por outro
quaisquer estabelecimentos, bem administrador, mediante carta, telex ou fax Da aplicação dos resultados
como adquirir ou ceder a exploração dirigidos ao presidente, mas cada instrumento ARTIGO TRIGÉSIMO SEXTO
dos mesmos; de mandato não poderá ser utilizado mais de
e) Contrair empréstimos ou prestar quais- uma vez. Um) O exercício social coincide com o ano
quer garantias, através de meios ou Três) As deliberações serão tomadas por civil.
formas legalmente permitidas, desde maioria simples de votos dos administradores Dois) O balanço e conta de resultados fechar-
que não contrarie o estabelecido na presentes ou representados, tendo o presidente se-ão com referência a trinta e um de Dezembro
alínea f) do artigo vigésimo terceiro voto de qualidade. de cada ano e serão submetidos à apreciação da
dos presentes estatutos; assembleia geral.
f) Constituir mandatários para, em nome ARTIGO TRIGÉSIMO SEGUNDO
Três) Os lucros apurados em cada exercício
da sociedade, praticarem os actos (Modo de obrigar a sociedade) da sociedade terão, depois de tributados, a
jurídicos previstos no instrumento seguinte aplicação:
do respectivo mandato. Um) A sociedade fica obrigada:
a) Pela assinatura de dois administradores; a) Cinco por cento para o fundo de reserva
Três) O exercício das competências previstas legal, enquanto não estiver realizado
b) Pela assinatura de mandatários da
na alínea a) do número dois da presente ou sempre que seja necessário
sociedade, no âmbito dos respectivos
disposição, carece sempre de parecer favorável reintegrá-lo;
mandatos.
do conselho fiscal. b) As quantias que por deliberação da
Quatro) O conselho de administração poderá Dois) Os actos de mero expediente poderão
assembleia geral, se destinarem a
delegar a gestão dos assuntos correntes da socieda- ser assinados por um administrador, ou por
constituir quaisquer fundos ou
de num director geral por si escolhido e contratado. qualquer empregado devidamente autorizado.
reserva;
ARTIGO VIGÉSIMO NONO SECÇÃO IV c) O remanescente constituirá o dividendo
a distribuir pelos accionistas.
(Responsabilidades) Do conselho fiscal

Um) A competência do conselho de CAPÍTULO V


ARTIGO TRIGÉSIMO TERCEIRO
administração está, em qualquer caso, sujeita às Das disposições diversas
limitações impostas pelo expresso nos artigos (Composição)
e transitórias
vigésimo e vigésimo terceiro destes estatutos. Um) A fiscalização da sociedade incumbe a
Dois) Os administradores serão sempre um conselho fiscal composto por três membros ARTIGO TRIGÉSIMO SÉTIMO
pessoalmente responsáveis pelos actos que efectivos e dois suplentes, eleitos pela assembleia (Dissolução)
praticarem no desempenho das suas funções, res- geral, que também designará entre eles o
pondendo perante a sociedade e/ou os accionistas respectivo presidente. Um) A sociedade dissolve-se nos casos
pelo estrito cumprimento do seu mandato. Dois) Não podem ser eleitos ou designados estabelecidos na lei e nos presentes estatutos.
membros do conselho fiscal as pessoas, Dois) Salvo disposição em contrário, tomada
ARTIGO TRIGÉSIMO singulares ou colectivas, que estejam abrangidas nos termos do parágrafo primeiro do artigo cento
(Reuniões) pelos impedimentos estabelecidos na lei. e trinta e um do Código Comercial, serão
Três) A assembleia geral pode confiar a uma liquidatários os membros do conselho de
Um) Cabe ao presidente do conselho de administração que estiverem em exercício quando
empresa independente de auditoria o exercício
administração convocar e dirigir as reuniões do a dissolução se operar, os quais terão, além das
das funções do conselho fiscal, não procedendo
conselho de administração, assim como promover atribuições gerais mencionadas nos diferentes
então à eleição deste.
a execução das deliberações tomadas por este órgão. números do artigo cento e trinta e quatro daquele
Dois) O conselho de administração reunirá ARTIGO TRIGÉSIMO QUARTO código, todos os poderes especiais abrangidos
pelo menos, uma vez por mês e sempre que nos parágrafos primeiros e segundos do mesmo
convocado pelo respectivo presidente ou por (Competência)
artigo.
outros dois administradores. A competência do conselho fiscal e os direitos Três) O fundo de reserva legal que estiver
Três) As convocações deverão ser feitas por escrito e obrigações dos seus membros são os previstos realizado no momento da dissolução da
e de forma a serem recebidas com um mínimo de sete na lei e nos presentes estatutos. sociedade será partilhado entre os accionistas
dias de antecedência relativamente à data das com observância do disposto na lei geral.
reuniões, a não ser que este prazo seja dispensado ARTIGO TRIGÉSIMO QUINTO
pelo consentimento unânime dos administradores. (Reuniões) ARTIGO TRIGÉSIMO OITAVO
Quatro) A convocatória deverá incluir a
Um) O conselho fiscal reúne-se mediante (Exame de escrituração)
ordem de trabalho, bem como ser acompanhada
de todos os documentos necessários à tomada convocação do respectivo presidente com a O direito dos accionistas a examinar a
de deliberação, quando for esse o caso. antecedência mínima de quinze dias. escrituração e a documentação concernente às
Cinco) As reuniões do conselho de administração Dois) O presidente convocará o conselho operações sociais só pode ser exercido dentro
serão efectuadas, em princípio, na sede social, podendo fiscal, pelo menos, todos os trimestres e sempre dos prazos indicados no parágrafo segundo do
realizar-se noutro local do território nacional, desde que lho solicite qualquer dos seus membros ou artigo cento e oitenta e nove do Código Comercial
que a maioria dos administradores o aceite. conselho de administração. e recai apenas sobre os documentos a que se
Três) As deliberações do conselho fiscal serão refere aquele parágrafo, parágrafo primeiro e os
ARTIGO TRIGÉSIMO PRIMEIRO tomadas por maioria simples dos votos dos seus diversos números do mesmo artigo. Fica, porém,
(Deliberações) membros, devendo os membros que com elas ressalvado o disposto no artigo cento e sessenta
não concordarem fazer inserir na acta os motivos e oito do mesmo código.
Um) Para que o conselho de administração da sua discordância.
possa deliberar devem estar presentes ou Está conforme.
Quarto) O presidente do conselho fiscal tem
representados, pelo menos, mais de metade dos voto de qualidade no caso de empate nas Maputo, vinte e oito de Janeiro de dois mil e
seus membros. deliberações. nove. — O Ajudante, Ilegível.
104–(44) III SÉRIE — NÚMERO 6

Auto Network, Limitada António Agostino Massimbe, casado com Mucambe Guambe; uma no valor de cinquenta
Rute Carlos Mathombe, em regime de comunhão mil meticais, correspondentes a vinte e cinco por
Certifico, para efeitos de publicação, que por de bens, de nacionalidade moçambicana, cento do capital, pertencente ao sócio António
acta de vinte de Maio de dois mil e oito, nesta residente na cidade de Maputo, portador do Agostinho Massimbe, e outra no valor de
cidade de Maputo e na sede da sociedade Bilhete de Identidade número 110076830A, cinquenta mil meticais, correspondentes a vinte
comercial por quotas de responsabilidade emitido pelo Arquivo de Identificação Civil de e cinco por cento do capital, pertencente ao sócio
limitada, Avenida Ho Chi Min, número mil Maputo, aos vinte e oito de Janeiro de dois mil e Bakary Traore.
setecentos e trinta traço rés-do-chão, denominada nove.
Auto Network, Limitada, os sócios Okey E ARTIGO QUINTO
Umeano, Emeka Kenneth e Uche Geoffre Bakary Traore, casado com Kadidiatou Diop, (Alteração do capital social)
Umeano, totalizando assim cem por cento do em regime de separação de bens, de
capital social, deliberaram. em aumento de nacionalidade maliana, residente na cidade de O capital social poderá ser alterado sob
capital, entrada de nova sócia. Maputo; portador do DIRE número 08764199, proposta da gerência, fixando na assembleia
Os sócios elevam o capital social de cento emitido pela Direcção Nacional de Migração, geral as condições da sua realização e reembolso.
oitenta e cinco mil oitocentos oitenta meticais aos seis de Janeiro de dois mil e nove,
para um milhão de meticais, sendo a importância ARTIGO SEXTO
Celebram entre si o presente contrato de
do aumento de oitocentos e catorze mil cento e sociedade por quotas de responsabilidade ( Divisão e cessão de quotas)
vinte meticais, por suprimentos feitos à caixa limitada, que se regerá pelos artigos seguintes:
social pela nova sócia Bibian Ifeoma Umeano, Um) A cessão e divisão de quotas, no todo
alterando-se por conseguinte a redacção do artigo ARTIGO PRIMEIRO ou em parte, a estranhos, depende de consenti-
quinto, que passa a ter a seguinte nova redacção: mento da sociedade, gozando os sócios do direito
Denominação de preferência.
ARTIGO QUINTO A sociedade adopta a denominação de Cherif Dois) É livre e permitida a cessão e divisão
O capital social, integralmente subscrito Brightland Limitada, é sociedade por quotas de de quotas a favor de outro sócio, bem como dos
e realizado em dinheiro, é de um milhão de responsabilidade limitada, criada por tempo seus herdeiros.
meticais, correspondente à soma de quatro indeterminado e rege-se pelos presentes
quotas desiguais, sendo uma no valor de estatutos e demais legislação aplicável. ARTIGO SÉTIMO
setecentos e cinquenta mil meticais, (Órgãos sociais)
equivalente a setenta e cinco por cento do ARTIGO SEGUNDO
A sociedade tem os seguintes órgãos sociais:
capital social, subscrita pelo sócio Okey (Sede)
Umeano duas quotas iguais no valor de a) A assembleia geral dos sócios;
A sociedade tem a sua sede na cidade de b) A administração e gerência.
cem mil meticais, equivalente a dez por
Maputo, podendo por deliberação dos sócios
cento do capital social cada uma, subscrita
abrir sucursais, delegações ou outras formas de ARTIGO OITAVO
pelos sócios Emeka Kenneth Umeano
representação em território nacional ou
Uche Geoffre Umeano; e última no valor (Assembleia geral dos sócios)
estrangeiro.
de cinquenta mil meticais, equivalente a
Um) As assembleias gerais dos sócios são
cinco por cento do capital social, subscrita ARTIGO TERCEIRO convocadas por qualquer dos sócios por sua
pela sócia Bibian Ifeoma Umeano.
(Objecto social) iniciativa, por simples carta, com antecedência
Em tudo não alterado continuam as mínima de quinze dias.
disposições do pacto social anterior. Um) A sociedade tem por objecto: Dois) É permitida a representação de algum
Está conforme. a) Pesquisa e prospecção de recursos dos sócios mediante o consentimento do outro
Maputo, vinte e dois de Setembro de dois mil minerais; sócio.
e oito. — O Técnico, Ilegível. b) Exploração e transporte dos recursos
minerais; ARTIGO NONO
c) Compra e venda dos recursos minerais; ( Administração e gerência)
Cherif Brightland, Limitada d) Tratamento e exportação dos produtos
minerais; Um) A administração e gerência da sociedade
Certifico, para efeitos de publicação, que no
e) Importação de factores de produção bem como a sua representação em juízo e fora
dia onze de Fevereiro de dois mil e nove, foi
destinada a actividade da sociedade. dele, activa e passivamente, serão exercidas por
matriculada na Conservatória dos Registos de
Entidades Legais de Maputo, sob NUEL um dos sócios, que desde já fica nomeado sócio
Dois) A sociedade poderá exercer outras
100088223 a sociedade denominada Cherif gerente, com dispensa de caução, com ou sem
actividades em qualquer outro ramo de comércio
Brightland, Limitada. ou indústria, que os sócios resolvam explorar, remuneração, conforme vier a ser deliberado pela
É celebrado o presente contrato de sociedade distintas ou subsidiárias ao objecto principal, assembleia geral.
nos termos do artigo noventa do Código desde que para tal tenham as necessárias licenças. Dois) A sociedade fica obrigada em todos os
Comercial; seus actos pela assinatura de dois sócios,
Bassirou Ndiaye, casado com Fatoumata ARTIGO QUARTO nomeadamente Bassirou Ndiaye e Chapu Isseu
Diallo, em regime de separação de bens, de (Capital social)
Mucambe Guambe.
nacionalidade maliana, residente na cidade de
Maputo; portador do DIRE número 07653399, O capital social subscrito e integralmente ARTIGO DÉCIMO
emitido pela Direcção Nacional de Migração, realizado em bens e em dinheiro é de duzentos (Morte ou interdição)
aos dezassies de Dezembro de dois mil e oito, mil meticais, que corresponde à soma de quatro
Chapu Isseu Mucambe Guambe, solteiro, quotas, uma de cinquenta mil meticais, Em caso de falecimento ou interdição de
maior, de nacionalidade moçambicana, residente correspondentes a vinte e cinco por cento do qualquer sócio, a sociedade continuará com os
na cidade de Maputo, portador do Bilhete de capital, pertencente ao sócio Bassirou Ndiaye; herdeiros ou representantes do sócio falecido
Identidade número 030083177M, emitido pelo uma no valor de cinquenta mil meticais, ou interdito, os quais nomearão de entre si um
Arquivo de Identificação Civil de Maputo, aos correspondentes a vinte e cinco por cento do que represente a todos na sociedade enquanto a
vinte e sete de Março de dois mil e oito. capital, pertencente ao sócio Chapu Isseu quota permanecer indivisa.
16 DE FEVEREIRO DE 2009 104–(45)

ARTIGO DÉCIMO PRIMEIRO ARTIGO QUARTO ARTIGO OITAVO


(Aplicação de resultados) (Objecto social) (Sócios fundadores de primeira classe)

Um) O exercício económico coincide com o O Futebol Clube Liberbulls tem por objectivo: São sócios fundadores de primeira classe,
ano civil, balanço de contas de resultados será a) Promover a prática de actividades aqueles que elaboraram e assinaram o projecto
fechado com referência a trinta e um de gimnodesportivas, educacionais, da fundação do clube.
Dezembro de cada ano e será submetido à cívicas, de benemerência, recreativas ARTIGO NONO
apreciação da assembleia geral. e culturais, dentro das orientações
Dois) Os lucros que se apurarem líquidos de superiormente traçadas, de modo a (Sócios fundadores de segunda classe)
todas as despesas e encargos sociais, separada a proporcionar a todos os associados, São sócios fundadores de segunda classe,
parte para o fundo de reserva legal e as deduções um desenvolvimento físico e uma aqueles que aderiram ao projecto de fundação
acordadas pela sociedade serão distribuídos entre mentalidade sã; do clube e que apoiaram moral e materialmente o
os sócios na proporção das respectivas quotas. b) Participar de outras sociedades, como mesmo, antes da sua filiação na Associação
quotista ou accionista, mediante Provincial de Futebol de Maputo.
ARTIGO DÉCIMO SEGUNDO
aprovação da Direcção do Clube.
(Dissolução da sociedade) ARTIGO DÉCIMO
CAPÍTULO II (Sócios fundadores de terceira classe)
A sociedade dissolve-se por acordo dos
sócios ou nos casos fixados na lei, e a sua Do emblema, bandeira e equipamento São sócios fundadores de terceira classe, os
liquidação será efectuada pelos gerentes que associados que apoiaram o projecto e participaram
ARTIGO QUINTO
estiverem em exercício a data da sua dissolução. na assembleia constituinte de aprovação dos
(Emblema, Bandeira e Equipamento)
estatutos do clube, tendo assinado a acta da reunião.
ARTIGO DÉCIMO TERCEIRO
Um) A bandeira e o emblema, serão
(Casos omissos) aprovados em Assembleia Geral convocada para ARTIGO DÉCIMO PRIMEIRO

Os casos omissos serão regulados pelas o efeito e ostentarão as cores principais do clube (Sócios fundadores de quarta classe)
que são: preto, vermelho e branco.
disposições aplicáveis em vigor na República de Um) São sócios fundadores de quarta classe
Dois) A bandeira destina-se a ser hasteada
Moçambique. os associados que inscreveram-se no prazo de
nas instalações do clube e será também utilizada
Está conforme. em festivais e cerimónias do mesmo. cento e oitenta dias a contar da data de aprovação
Três) O emblema assim como a bandeira serão dos presentes estatutos.
Maputo, treze de Fevereiro de dois mil e
também usados como objectos publicitários para Dois) Para tal os mesmos devem preencher a
nove. — O Técnico, Ilegível.
a divulgação da existência do clube. ficha de inscrição de sócios, pagar no acto da
sua admissão a jóia correspondente e proceder
Quatro) O equipamento principal do clube será
de camisetes de riscas verticais, de cores vermelha ao pagamento regular da quota mensal.
Associação Liberbulles e preta, calções brancos e meias brancas, podendo ARTIGO DÉCIMO SEGUNDO
da Liberdade alternar-se com calções pretos e meias pretas.
Cinco) O Equipamento alternativo será todo (Sócios efectivos)
CAPÍTULO I
ele branco ou todo ele preto (camisetes, calções Um) São considerados efectivos os
Da denominação, fundação, sede, e meias) com numeração de cor vermelha, indivíduos que tendo aceite o presente estatuto,
duração e objecto social podendo-se escolher outras cores caso assim se preencham a ficha de sócio e paguem no acto da
defina em Assembleia Geral. sua admissão a jóia correspondente, paguem
ARTIGO PRIMEIRO
regularmente a quota mensal e estejam no pleno
(Denominação) CAPÍTULO III gozo dos direitos estabelecidos nestes estatutos.
Dos sócios e sua classificação Dois) Os sócios efectivos classificam-se em:
A Associação Liberbulls da Liberdade, é um
Clube desportivo designado por Futebol Clube a) Sócios;
ARTIGO SEXTO
Liberbulls, com sigla FC Liberbulls, (FCL) sem b) Menores; e
fins lucrativos, dotado de personalidade jurídica (Associados) c) Infantis.
e autonomia administrativa e patrimonial, regendo- Um) Podem ser sócios do clube os ARTIGO DÉCIMO TERCEIRO
se pelos estatutos, pelos regulamentos de gestão, indivíduos que por si ou através de representação
regulamentos que venham a ser aprovados e pela (Sócios)
legal solicitem e sejam admitidos como tais pela
legislação desportiva em vigor no país. direcção do clube. São sócios os associados que, inscreveram-
Dois) Os sócios classificam-se em: se findo o prazo de cento e oitenta dias a contar
ARTIGO SEGUNDO da data de aprovação dos presentes estatutos.
a) Fundadores;
(Fundação e sede) b) Efectivos; ARTIGO DÉCIMO QUARTO
O Futebol Clube Liberbulls, foi fundado em c) Atletas;
d) Honorários; (Sócios menores e infantis)
vinte e cinco de Abril de dois mil e oito, no
Bairro Novo da Liberdade. Tem a sua sede e) De mérito. São sócios menores e infantis do clube, os
provisória no Bairro da Liberdade, Rua de indivíduos de ambos os sexos com idade inferior
ARTIGO SÉTIMO
Lichinga, número cento quarenta e oito, parcela a dezoito, por emancipação dos seus
setecentos vinte e cinco quarteirão B (no Recinto (Sócios fundadores) representantes legais maiores de idade.
do Café Bar Fazenda).
Os sócios fundadores classificam-se em ARTIGO DÉCIMO QUINTO
ARTIGO TERCEIRO quatro categorias, que são:
(Sócios menores)
a) Fundadores de primeira classe;
(Duração)
b) Fundadores de segunda classe; São considerados menores, nos termos dos
O FC Liberbulls, constitui-se por tempo c) Fundadores de terceira classe; e presentes estatutos, os associados do Clube com idade
indeterminado, a partir da data da sua fundação. d) Fundadores de quarta classe. inferior a dezoito anos e superior ou igual a doze anos.
104–(46) III SÉRIE — NÚMERO 6

ARTIGO DÉCIMO SEXTO Três) A pena de suspensão será aplicada pela c) Suspensão até sessenta dias;
direcção devendo a deliberação ser comunicada ao d) Suspensão até cento e oito dias;
(Sócios infantis)
associado por carta registada com aviso de recepção. e) Expulsão.
São considerados infantis, nos termos dos Quatro) A jóia de inscrição para os sócios
Nota – As penalizações acima referidas serão
presentes estatutos, os associados do Clube com fundadores de quarta classe é fixada em taxa
aplicadas pela Direcção, devendo as referentes
idades inferior a dose anos. única de quinhentos meticais.
as alíneas b), c), d) e e) serem comunicadas ao(s)
Nota um – Os sócios menores e/ou infantis, podem Cinco) A jóia de inscrição para os sócios efec-
sócio(s) em questão, por meio de carta registada
gozar do estatuto de fundadores desde que os seus tivos é fixada em taxa única de setecentos meticais.
com aviso de recepção, com indicação dos
representantes legais os inscrevam dentro dos prazos Seis) As quotas dos sócios fundadores e
motivos que levaram à tal decisão.
estabelecidos para tal nos presentes estatutos. sócios efectivos do clube devem ser pagas
Dois) Será expulso do clube todo o sócio
Nota dois – Os associados menores assim como mensalmente, nas seguintes categorias:
que não efectuar o pagamento de quotas por um
os infantis passam automaticamente à categoria a) Os sócios maiores de idade (dezoito período superior a doze meses, se após aviso
seguinte logo que completem a idade corres- anos em diante) pagam duzentos da Direcção, não liquidar o seu débito dentro de
pondente, gozando de todos os direitos e meticais; setenta e cinco dias.
submetendo-se à todos os deveres da nova categoria. b) Os sócios menores pagam cinquenta Único. Aos sócios assiste o direito de recorrer
meticais; á Assembleia Geral, sempre que não concordem
ARTIGO DÉCIMO SÉTIMO c) Os sócios infantis pagam vinte e cinco com as decisões da direcção que sobre eles
(Sócios atletas) meticais. recaiam. Os recursos deverão ser apresentados
Sete) Os sócios fundadores de primeira, ao presidente da mesa da Assembleia Geral ou a
São sócios atletas os que representam o clube
segunda, e terceira classes, gozam da plenitude quem o substitua, por escrito, indicando os
em competições de qualquer modalidade motivos que levam à tal procedimento num prazo
dos direitos estabelecidos nestes estatutos e a
desportiva e em qualquer área de actividade. de dez dias a contar da data em que o sócio teve
eles é facultativo o pagamento de quotas.
conhecimento da deliberação.
ARTIGO DÉCIMO OITAVO
CAPÍTULO V
(Sócios honorários) ARTIGO VIGÉSIMO QUINTO
Da admissão, expulsão, readmissão
São sócios honorários, nos termos deste e exoneração (Readmissão)
estatuto, os indivíduos, entidades ou colectivi- A readmissão do sócio a luz do número dois do
dades que ao clube e/ou a causa desportiva em ARTIGO VIGÉSIMO SEGUNDO
artigo vigésimo quarto, só terá lugar mediante a
geral tenham prestado serviço relevante. (Modo de admissão) liquidação do débito e ao pagamento simultâneo de
Um) A admissão de sócios fundadores de uma multa a ser estipulada pelo regulamento interno.
ARTIGO DÉCIMO NONO
quarta classe, sócios efectivos e correspondente
(Sócios de mérito) é feita mediante proposta de admissão efectuada ARTIGO VIGÉSIMO SEXTO
Um) São sócios de mérito os que pela sua por qualquer sócio em pleno gozo dos seus (Exoneração)
reconhecida dedicação na prática de qualquer direitos ou pelo próprio candidato.
Dois) Depois de publicada em lista nas Os associados podem exonerar-se a qualquer
modalidade, ou por notáveis serviços prestados ao momento, desde que liquidem as suas dívidas
instalações do Clube durante oito dias, se não
clube sejam considerados dignos desta distinção. para com o clube.
houver reclamações a Direcção em reunião,
Dois) Podem também, ser considerados
aprovará ou não a admissão do candidato.
sócios de mérito, nos termos deste estatutos CAPÍTULO VI
Três) Qualquer sócio durante o período
aqueles que pelo seu trabalho e/ou apoio material referido no número anterior deste artigo, pode
ao clube mereçam esse reconhecimento. Dos direitos e deveres dos sócios
opôr-se por escrito a admissão de um ou mais
ARTIGO VIGÉSIMO propostos a sócio, fundamentando a sua oposição. ARTIGO VIGÉSIMO SÉTIMO
Quatro) A apresentação de um protesto contra
(Modo de atribuição) (Direitos dos sócios)
a admissão de um ou mais candidatos a sócio(s)
Os sócios honorários e sócios de mérito, a da lista publicada, dá lugar a que a Direcção Um) São direitos dos sócios:
que se referem os artigos décimo oitavo e décimo proceda a investigação acerca da idoneidade a) Tomar parte nas assembleias gerais;
nono serão atribuídos pela Assembleia Geral sob do(s) candidato(s). Se pelas averiguações feitas, b) Eleger e ser eleito para qualquer cargo
se concluir que o(s) proposto(s) tem idoneidade social do clube, mediante o exposto
proposta da direcção do clube ou de algum(ns)
será(ao) admitido(s) como sócio(s). no artigo quarenta e nove;
sócio(s) e sejam aceites como tal por mais de
metade dos sócios em pleno gozo dos seus direitos. c) Poder representar o clube como delegado
ARTIGO VIGÉSIMO TERCEIRO
junto das entidades desportivas oficiais;
CAPÍTULO IV (Admissão de sócios atletas) d) Resignar, por escrito, o estatuto, de sócio;
Das jóias e quotas e) Frequentar a sede, parque dos jogos ou
A admissão de sócios atletas é aprovada pela Direc-
dependências do clube;
ARTIGO VIGÉSIMO PRIMEIRO ção mediante informação por escrito do departamento
f) Utilizar as instalações de acordo com os
da modalidade desportiva a que se propuser. respectivos regulamentos ou
(Jóias e quotas)
ARTIGO VIGÉSIMO QUARTO decisões da Direcção;
Um) Todos os sócios fundadores e sócios g) Participar nas festas ou provas
efectivos, além da Jóia de inscrição, devem pagar (Penalidades e expulsão) desportivas entre sócios ou provas
uma quota, fixada e revista pela Assembleia em que o clube se inscreve de acordo
Geral, sob proposta da Direcção. com os respectivos regulamentos.
Um) Aos associados que infrinjam os
Dois) O atraso no pagamento das quotas por h) Solicitar a sua ficha de sócio para o
presentes estatutos e/ou os regulamentos internos
período superior a seis meses, determina a controlo e actualização;
do FC Liberbulls, ou que, pela sua conduta, se i) Pronunciar-se sobre a vida do clube;
suspensão de todos os direitos associativos,
tornem indignos de pertencer ao clube; serão j) Os sócios fundadores de primeira
devendo ser levantada a mesma após o
aplicados as seguintes penalizações: gozam de um voto de qualidade nas
pagamento das mesmas num prazo de seis meses
findo os quais a Direcção aplicará o exposto no a) Advertência/repreensão oral; deliberações da Assembleia Geral
numero dois do artigo vigésimo quarto. b) Advertência/ repreensão escrita; por meio de votação.
16 DE FEVEREIRO DE 2009 104–(47)

Dois) Só podem eleger/votar ou ser eleitos Dois) Nas suas faltas ou impedimentos, o ARTIGO TRIGÉSIMO SEXTO
para os cargos sociais do clube: presidente será substituído pelo vice-presidente.
(Representatividade)
a) Os sócios fundadores e sócios Três) Compete ao presidente da Mesa ou a
efectivos maiores de dezoito anos, quem o substitua, abrir, suspender e encerrar as Um) A Direcção do clube é o órgão principal
sessões, dirigir os trabalhos e assinar as actas. de gestão do clube e o presidente da Direcção é
desde que tenham a situação das
Quatro) Compete ainda ao presidente da Mesa o mais categorizado representante do mesmo.
quotas e outras obrigações para com
da Assembleia Geral ou a quem o substitua, Dois) Nas suas faltas ou impedimentos, o
o clube regularizadas;
investir os sócios eleitos na posse dos presidente do clube será substituído pelo vice-
b) No entanto, os associados de outras
respectivos cargos, assinando juntamente com presidente.
categorias podem assistir as assem- eles os autos de posse que mandara lavrar.
bleias gerais com excepção dos Cinco) Compete ao secretário redigir as actas ARTIGO TRIGÉSIMO SÉTIMO
sócios, de mérito, menores e infantis. das assembleias gerais.
(Competência da Direcção)
ARTIGO VIGÉSIMO OITAVO ARTIGO TRIGÉSIMO TERCEIRO Compete à Direcção, administrar e representar
(Deveres dos sócios) (Funcionamento da Assembleia Geral) o FC Liberbulls e, em especial:
São deveres dos sócios: Um) A Assembleia Geral reúne-se, ordinaria- a) Representar o FC Liberbulls activa e
a) Efectuar com regularidade o pagamento mente, uma vez por ano ou, extraordinariamente, passivamente em juízo e fora dele;
de quotas e outros encargos sempre que for necessário, convocada pelo b) Definir as funções e as actividades dos
voluntariamente consentidos; presidente da Mesa ou quem o substitua membros da direcção e sua
b) Acatar as resoluções dos órgãos legalmente, sendo os trabalhos dirigidos pela Mesa remuneração caso seja aplicável;
directivos; da Assembleia Geral. c) Definir as funções, actividades e remune-
c) Observar as disposições do regula- Dois) A Assembleia Geral não pode funcionar ração do pessoal recrutado para o se-
mento de gestão e outros que venham legalmente sem a presença ou representação cretariado executivo e exercer acções
a ser aprovados; de metade dos referidos sócios mais um. Na falta disciplinares sobre os mesmos;
d) Contribuir por todos os meios legais de quórum reunirá com qualquer número de d) Zelar pelo cumprimento da lei e dos
sócios, trinta minutos depois, desde que assim estatutos;
ao seu alcance para o progresso e
conste do aviso convocatório. e) Deliberar sobre a admissão, suspensão
prestígio do clube;
Três) As assembleias gerais extraordinárias e expulsão de associados;
e) Desempenhar com zelo e assiduidade
são convocadas pelo presidente da Mesa da f) Elaborar e submeter à Assembleia Geral
os cargos para os quais sejam eleitos
Assembleia Geral, a pedido da Direcção, ou do o programa anual de actividades;
ou nomeados. Conselho Fiscal; ou dos sócios fundadores de g) Apresentar à Assembleia Geral o rela-
primeira, ou segunda classe; ou ainda de um tório e contas do exercício anterior;
CAPÍTULO VII
número de sócios fundadores e/ou efectivos maio- h) Dirigir os serviços que a Assembleia
Dos órgãos sociais res de idade (dezoito anos em diante) não inferior a venha a criar;
dois terço, que se encontrem em pleno gozo dos
ARTIGO VIGÉSIMO NONO i) Dinamizar e incentivar as actividades
seus direitos, quinze dias antes da data marcada.
estatuárias.
( Princípios de funcionamento) Nota – Os sócios que desejem convocar a
j) Elaborar a proposta de regulamento
Assembleia Geral à luz do número três do artigo
Os órgãos de gestão regem-se no seu funcio- interno a ser apreciado e aprovado
trigésimo terceiro; deverão fazê-lo através de
namento de acordo com os princípios orientadores carta assinada e dirigida ao presidente da Mesa pela Assembleia Geral;
superiormente definidos no campo desportivo. da Assembleia Geral com a indicação do assunto k) Resolver conflitos que lhe sejam
ou agenda de trabalho. submetidos pelos demais órgãos do
ARTIGO TRIGÉSIMO Clube, ou pelos associados.
(Enumeração)
ARTIGO TRIGÉSIMO QUARTO l) Submeter à Assembleia Geral os assuntos
que entende por convenientes serem
(Competência da Assembleia Geral)
Os órgãos sociais do clube são: do pelouro desta;
a) Assembleia Geral; Um) A competência e forma de funcionamento m) Adquirir, arrendar ou alienar, mediante
b) Direcção; da Assembleia Geral são as prescritas nas parecer do Conselho Fiscal os bens
c) Conselho Consultivo; e disposições legais aplicáveis no Código Civil. móveis e imóveis, que se mostrem
d) Conselho Fiscal. Dois) Compete ainda à Assembleia Geral: necessários à execução das
a) Eleger e destituir os membros dos actividades do FC Liberbulls, sem
ARTIGO TRIGÉSIMO PRIMEIRO órgãos sociais do clube; prejuízo da observância das
b) Aprovar os regulamentos internos; disposições pertinentes;
(Assembleia Geral)
c) Aprovar o plano de actividades e o n) Compete ainda à Direcção, deliberar
Um) A Assembleia Geral é a reunião de todos respectivo orçamento; sobre as propostas do Conselho
os sócios fundadores e efectivos maiores de d) Aprovar o relatório de contas; Consultivo.
dezoito anos em pleno gozo dos seus direitos. e) Aprovar ou alterar os estatutos do clube;
Dois) As deliberações da Assembleia Geral, f) Deliberar sobre os recursos de decisões ARTIGO TRIGÉSIMO OITAVO
tomadas em conformidade com a lei e com os tomadas pela Direcção.
(Funcionamento da Direcção)
presentes estatutos, são obrigatórias para todos
os associados. ARTIGO TRIGÉSIMO QUINTO Um) A Direcção reunirá pelo menos duas
(Composição da direcção) vezes por mês mediante a convocação do seu
ARTIGO TRIGÉSIMO SEGUNDO presidente ou a pedido de dois dos seus membros.
A Direcção do clube é composta por: Dois) A Direcção reunirá extraordinariamente
(Composição da Mesa da Assembleia
Geral) a) Presidente; sempre que for necessário. A convocação da
b) Vice-presidente; reunião será feita pelo presidente ou a pedido de
Um) A Mesa da Assembleia Geral é composta c) Director desportivo; dois dos seus membros.
por um presidente, um vice-presidente e um d) Director para os assuntos sociais; Três) A Direcção não pode deliberar sem que
secretário. e) Um vogal. esteja presente a maioria dos seus membros.
104–(48) III SÉRIE — NÚMERO 6

Quatro) As deliberações são tomadas por d) Dar parecer sobre o relatório de contas ARTIGO QUADRAGÉSIMO SÉTIMO
maioria de votos dos presentes, tendo o do exercício apresentado pela
(Património)
presidente mais um voto de desempate. Direcção;
Cinco) Das deliberações devem ser e) Assistir as reuniões da Direcção, Constitui património do FC Liberbulls todos
elaboradas actas. através do seu presidente, quando os bens móveis e imóveis presentes e os que adqui-
convocado; rir ou lhe for oferecido, devendo-se elaborar anual-
ARTIGO TRIGÉSIMO NONO f) Formular parecer sobre operações mente, um inventário com vista a ser, nomeada-
(Composição do Conselho Consultivo) financeiras ou comerciais a serem mente, publicado na assembleia geral ordinária.
desenvolvidas pela Direcção do
O Conselho Consultivo é composto pelos Clube, sempre que forem solicitados CAPÍTULO IX
membros da Direcção e mais quatro sócios eleitos para o efeito. Da representação do Fc Liberbulls
em Assembleia Geral, sendo o seu coordenador
o presidente da Direcção e reúne quando CAPÍTULO VIII ARTIGO QUADRAGÉSIMO OITAVO
convocado pelo seu coordenador ou por dois
Do exercício financeiro, meios, (Obrigação)
elementos da Direcção, ou ainda por pelo menos
dois sócios eleitos. receitas, despesas e património O FC Liberbulls fica obrigado conforme
ARTIGO QUADRAGÉSIMO QUARTO abaixo exposto:
ARTIGO QUADRAGÉSIMO a) Todo o expediente relevante, credenciais e/
(Exercício financeiro)
(Competências do Conselho Consultivo) /ou que tenha em vista a movimentação
O exercício financeiro do FC Liberbulls dos fundos/contas, assim como o
Compete ao Conselho Consultivo analisar e património do FC Liberbulls, obriga-se
inicia-se no dia um de Janeiro e encerra a trinta
resolver questões de emergência que por sua pela assinatura conjunta de três membros
um de Dezembro de cada ano.
delicadeza a Direcção não se sinta com da Direcção e o carimbo do clube,
capacidade de solucionar, durante o intervalo das ARTIGO QUADRAGÉSIMO QUINTO devendo as assinaturas do presidente ou
sessões da assembleia geral, após a referida vice-presidente serem obrigatórias;
(Meios) b) Os actos de mero expediente poderão ser
Direcção ou parte dos sócios em consenso não
acharem necessário de se convocar uma O FC Liberbulls tem como meios para assinados por qualquer um dos
assembleia geral extraordinária. concretização dos seus objectivos os seguintes: membros da direcção ou pelo empregado
qualificado credenciado para o efeito.
ARTIGO QUADRAGÉSIMO PRIMEIRO a) Jóias e quotas dos seus associados;
b) Patrocínios; CAPÍTULO X
(Composição do Conselho Fiscal) c) Doações;
d) Mecenas; Das disposições genéricas
Um) O Conselho Fiscal é composto por um
presidente, um vice-presidente e um secretário. e) Troca de serviços; ARTIGO QUADRAGÉSIMO NONO
Dois) Nas suas faltas ou impedimentos o f) Financiamentos;
(Duração dos mandatos)
presidente será substituído pelo vice-presidente. g) Promoção de espectáculos, concertos,
Três) As deliberações do Conselho Fiscal saraus, concursos, exposições de Os membros da Mesa da Assembleia Geral,
são tomadas por maioria simples de votos, desde carácter cultural, competições da Direcção, do Conselho Consultivo e do
que esteja presente a maioria dos seus membros, (jogos) de equipas federadas ou não, Conselho Fiscal, serão eleitos na segunda
estrangeiras ou não, em várias assembleia geral convocada para o efeito por um
cabendo a cada membro um único voto.
modalidades e outras actividades período inicial de quatro anos, findo os quais os
ARTIGO QUADRAGÉSIMO SEGUNDO legais, como forma de obtenção de mandatos passarão a ter a duração de cinco anos,
fundos para a concretização e sendo permitida a reeleição por tempo
(Funcionamento do Conselho Fiscal) indeterminado, desde que a Assembleia Geral
expansão das suas actividades e
Um) O Conselho Fiscal reunirá sempre que assim o delibere e manter-se-ão nos seus cargos
objectivos.
for necessário para o cumprimento das suas até à eleição e posse de novos membros.
ARTIGO QUADRAGÉSIMO SEXTO Único – Nos primeiros quinze anos da funda-
atribuições e ordinariamente uma vez por
ção do clube só poderão candidatar-se aos cargos
trimestre. (Receitas e despesas) de presidente e vice-presidente da Direcção, os
Dois) O Conselho Fiscal reunirá por
sócios fundadores de primeira, Fundadores de
convocação do seu presidente ou a pedido da Um) Entre outras, são receitas do FC
segunda e fundadores de terceira classes.
Direcção do FC Liberbulls. Liberbulls as quotas e jóias dos associados, as
No entanto, em caso de não haver candidatos
Três) Das suas reuniões serão sempre liberdades e subvenções que lhe sejam atribuídas destas categorias, os sócios fundadores de
lavradas actas. e os rendimentos de bens próprios. primeira e segunda indigitarão três candidatos
Dois) Constituem despesas todos os gastos que disputares os respectivos cargos.
ARTIGO QUADRAGÉSIMO TERCEIRO necessários para a realização das actividades do
(Competência do Conselho Fiscal) FC Liberbulls, devendo serem efectuadas ARTIGO QUINQUAGÉSIMO
mediante a movimentação das respectivas (Norma transitória)
Compete ao Conselho Fiscal: receitas.
Três) As despesas do clube dividem-se em Sem prejuízo do disposto em lei imperativa, até
a) Examinar a escrita, a proposta do plano ao preenchimento dos órgãos associativos para os
de actividades e do orçamento para despesas ordinárias e despesas extraordinárias:
primeiros quatro anos, será criada uma comissão
o ano seguinte e demais documentos a) As despesas ordinárias deverão cingir- constituída por três elementos a nomear entre os
do clube, apresentando o respectivo se aos planos anuais e respectivos sócios fundadores a qual competirá designadamente:
parecer; orçamentos; a) Admitir sócios que solicitem a sua ins-
b) Diligenciar para que a escrita do clube b) As propostas que deêm origem à crição, com dispensa de proponentes;
esteja organizada segundo os despesas extraordinárias deverão ser b) Promover as eleições para os titulares
princípios de contabilidade; apreciadas pelo Conselho dos órgãos sociais para os primeiros
c) Fiscalizar as contas bem como verificar Consultivo, se a Direcção do Clube quatro anos;
a caixa e os bens do clube; assim o achar. c) Representar a associação perante terceiros.
16 DE FEVEREIRO DE 2009 104–(49)

ARTIGO QUINQUAGÉSIMO PRIMEIRO os mesmos poderão representar-se uns dos ARTIGO TERCEIRO
outros ou nomear um que lhes represente
(Casos omissos) Objecto social
mediante um instrumento legal.
Os casos omissos nestes estatutos serão Está conforme. Um) A sociedade tem por objecto principal a
analisados e resolvidos caso a caso pela Direcção exploração e o desenvolvimento da actividade de:
Conservatória dos Registos de Vilankulo, um
em conformidade com o regulamento interno a a) Prestação de serviços de consultoria,
de Dezembro de dois mil e oito. — O Ajudante,
ser aprovado pela Assembleia Geral, e pela fiscalização e gestão;
Ilegível.
legislação em vigor na parte em que seja aplicável. b) Prestação de serviços de elaboração,
gestão, implementação, supervisão e
ARTIGO QUINQUAGÉSIMO SEGUNDO
fiscalização de projectos técnicos de
(Entrada em vigor) ATP Moçambique – Engenharia engenharia nas áreas de construção
Os presentes estatutos entram imediatamente e Consultoria, Limitada civil e obras públicas, infra-estruturas
em vigor logo que for obtido o despacho de de estradas, transportes, rodovias,
Certifico, para efeitos de publicação, que no
reconhecimento do FC Liberbulls, pelas ferrovias, portos, aeroportos e
dia dois de Fevereiro de dois mil e nove, foi
autoridades competentes. empreendimentos imobiliários,
matriculada na Conservatória do Registo de
comerciais e industriais;
(Nota – O despacho de reconhecimento foi publicado no Boletim Entidades Legaissob NUEL 100087073 a
c) Elaboração de planos directores urbanos
da República, 3,ª série, n.º 6, suplemento, de 12 de Fevereiro corrente.) sociedade denominada ATP Moçambique –
e de estudos e projectos variados;
Engenharia e Consultoria, Limitada:
d) Execução e/ou gestão de obras e
Entre:
engenharia civil e obras públicas,
António Carlos Perruci Loureiro Alves, natural
Khanimambo, Limitada inclusive, mas não se limitando,
do Recife-PE, Brasil, casado, em regime de
obras de drenagem, terraplenagem,
Certifico, para efeitos de publicação, que por comunhão universal de bens, com Maria
pavimentação e sinalização de vias,
escritutra de trinta de Julho de dois mil e oito, Angela Collier Perruci Alves, titular do
incorporação e/ou construção de
exarada de folhas setenta e duas verso e seguintes Passaporte n.º CX 751719, emitido aos dez
edifícios e condomínios, execução e
do livro de notas para escrituras diversas número de Dezembro de dois mil e oito pela
acompanhamento de obras de
vinte e três da Conservatória dos Registos de Embaixada do Brasil, em Luanda, residente e
engenharia civil em geral;
Vilankulo, a cargo de Orlando Fernando domiciliado em Luanda, Angola, e
João Ricardo Brito De Souza, natural de João e) Execução de serviços, projectos e gestão
Messias, ajudante D de primeira e substiuto legal de limpeza pública compreendidos
do conservador em pleno exercício de funções Pessoa-PB, Brasil, casado, em regime de
participação especial dos aquestos com a colecta e transporte de lixo
notariais, procedeu-se na sociedade em epígrafe, domiciliar urbano, hospitalar,
a alteração parcial do pacto social, em que os Debora Bello Castro De Souza, titular do
Passaporte n.º CX 560942, emitido aos cinco industrial, especiais, e outros;
sócios José Julião Nhanombe e Lionel Victor de serviços de variação de ruas, praças
Vos, cedem na totalidade as suas quotas a novos de Agosto de dois mil e oito pela Embaixada
do Brasil, em Luanda, residente e domiciliado e logradouros públicos; operação e
sócios Goomal Venketsamy Naidoo, Vinish manutenção de sistemas de
Goomal Naidoo, Lorenzo Gallino, Raffaele em Luanda, Angola.
disposição de resíduos sólidos e
Gallino e Joaquim Santos Damanica e com todos As partes decidiram constituir a sociedade
demais serviços inerentes e
direitos e obrigações, pelo seu valor nominal com base nos preceitos legais em vigor na
correlacionados;
apartando-se dela e nada tem haver, e que em República de Moçambique e devendo-se reger
f) Execução de projectos para a construção
consequência da referida operação ficam pelos presentes estatutos:
e gestão de linhas de transmissão e
alterados os artigos quarto e quinto que regem a
CAPÍTULO I distribuição de energia eléctrica,
dita sociedade para a redacção seguinte:
hidroeléctricas, termoeléctricas,
Da denominação, duração, sede e objecto barragens, adutoras, estradas
ARTIGO QUARTO
ARTIGO PRIMEIRO vicinais, poços e electrificação em
Capital social áreas urbanas e rurais;
Denominação e duração g) Actuação como agentes, representantes
O capital social, integralmente realizado
e subscrito em dinheiro, é de trinta mil A sociedade adopta a denominação de ATP ou intermediários com relação a
meticais, correspondente à soma de cinco Moçambique – Engenharia e Consultoria, negócios, contratos comerciais,
quotas desiguais, sendo vinte e dois vírgula Limitada, doravante denominada sociedade, e é ordens de encomendas, concursos,
cinco por cento do capital social, constituída sob a forma de sociedade comercial concessões ou outros actos conexos.
equivalente a seis mil setecentos e cinquenta por quotas de responsabilidade limitada e por Dois) A Sociedade poderá ainda exercer
meticais, para um dos sócios Goomal tempo indeterminado, regendo-se pelos presentes quaisquer actividades comerciais conexas,
Venketsamy Naidoo, Vinish Goomal estatutos e pela legislação aplicável. complementares ou secundárias às suas
Naidoo, Lerenzo Gallino e Raffaele Gallino principais, tendentes a maximizá-las através de
e os restantes dez por cento do capital social, ARTIGO SEGUNDO
novas formas de implementação de negócios e
equival ente a três mil meticais, para o sócio Sede como fontes de rendimento, desde que legalmente
Joaquim Santos Damanica, respectivamente. autorizadas e a decisão aprovada pelo conselho
Um) A sociedade tem a sua sede na Travessa
ARTIGO QUINTO Baptista de Carvalho, número noventa e três, de administração.
cidade de Maputo. Três) Mediante deliberação da assembleia
Administração e gerência geral, a sociedade poderá participar no capital
Dois) Mediante deliberação do conselho de
A administração e gerência da sociedade administração, a sociedade poderá abrir social de outras sociedades ou associar-se com
e sua representação, em juízo e fora dele, sucursais, filiais ou qualquer outra forma de elas de qualquer forma legalmente permitida a
activa e passivamente, será exercida por representação no país e no estrangeiro, bem empresas nacionais ou estrangeiras, bem como
todos os sócios, com dispensa de caução, como transferir a sua sede social para qualquer participar directa ou indirectamente em projectos
bastando as assinaturas para obrigar a outro local do território nacional, quando e onde de desenvolvimento que, de alguma forma,
sociedade em todos os actos ou contratos, achar conveniente. concorram para o objecto da sociedade.
104–(50) III SÉRIE — NÚMERO 6

CAPÍTULO II Dois) A exclusão de sócio requer a prévia ARTIGO DÉCIMO


deliberação da assembleia geral e só poderá ter
Dos sócios e capital social Representação em assembleia geral
lugar nos seguintes casos:
ARTIGO QUARTO a) Acordo com o respectivo titular; Os sócios podem fazer-se representar na
b) Se a quota for arrestada, arrolada ou assembleia geral por outro sócio, pelo cônjuge,
Capital social
penhorada; mandatário, por descendente ou ascendente,
Um) O capital social da sociedade, realizado c) Em caso de falência ou insolvência do mediante carta por ele assinada, com
em dinheiro, é de vinte mil meticais, dividido em sócio; reconhecimento de assinatura por notário.
duas quotas desiguais, assim distribuídas: d) Dissolução de sócio pessoa colectiva.
ARTIGO DÉCIMO PRIMEIRO
a) Uma quota no valor nominal de
dezasseis mil meticais, correspon- ARTIGO OITAVO Votação
dente a oitenta por cento do capital Aquisição de quotas próprias Um) A assembleia geral considera-se regular-
social, pertencente ao sócio António mente constituída para deliberação quando, em
Carlos Perruci Loureiro Alves; A sociedade poderá mediante deliberação da
assembleia geral adquirir quotas próprias a título primeira convocação, estejam presentes ou
b) Outra quota no valor nominal de quatro devidamente representados os sócios que
mil meticais, correspondente a vinte oneroso, e por mera deliberação do conselho de
administração, a título gratuito. detenham, pelo menos, participações correspon-
por cento do capital social, pertencente dentes a um terço do capital social e, em segunda
ao sócio João Ricardo Brito de Souza. convocação, independentemente do número de
CAPÍTULO III
Dois) O capital social poderá ser aumentado sócios presentes e do capital que representem.
por deliberação da assembleia geral da sociedade. Dos órgãos sociais, administração Dois) As deliberações da assembleia geral são
Três) Os sócios têm direito de preferência e representação da sociedade tomadas por maioria simples dos votos dos sócios
nos aumentos de capital em proporção da sua ARTIGO NONO presentes ou representados excepto nos casos em
participação no capital social. que a lei ou os estatutos exijam maioria qualificada.
Convocatória e reuniões da assembleia Três) Para que a assembleia possa deliberar,
ARTIGO QUINTO geral
em qualquer convocatória, sobre matérias que
Prestações suplementares e suprimentos Um) A assembleia geral ordinária reunir-se- exijam maioria qualificada ao abrigo da lei ou
á uma vez por ano dentro dos três meses após o dos presentes estatutos, devem estar presentes
Não são exigíveis prestações suplementares fecho de cada ano fiscal para: ou representados sócios que detenham, pelo
de capital, podendo, porém, os sócios conceder menos, metade do capital social.
a) Deliberar sobre o balanço e o relatório
à sociedade os suprimentos de que necessite, os
do conselho de administração
quais vencerão juros, nos termos e condições ARTIGO DÉCIMO SEGUNDO
referentes ao exercício;
fixados por deliberação da assembleia geral
b) Deliberar sobre a aplicação de Administração e gestão da sociedade
aprovada por maioria absoluta de votos
resultados;
representativos do capital social. Um) A sociedade é gerida e administrada por
c) Eleição dos membros dos órgãos
um conselho de administração composto por um
ARTIGO SEXTO sociais.
ou mais membros, eleitos pela assembleia geral.
Transmissão e oneração de quotas Dois) A Assembleia geral pode ser convocada Dois) O conselho de administração terá os
por qualquer administrador, por meio de carta poderes gerais atribuídos por lei para a
Um) A divisão e a cessão de quotas, bem expedida com uma antecedência mínima de administração dos negócios da sociedade,
como a constituição de quaisquer ónus ou quinze dias, salvo se a lei exigir outras representando-a em juízo e fora dele, activa e
encargos sobre as mesmas, carecem de formalidades ou estabelecer prazo maior para passivamente, podendo delegar parte desses
autorização prévia da sociedade, dada por determinada deliberação. poderes a directores executivos ou gestores
deliberação da respectiva assembleia geral. Três) A assembleia geral da sociedade poderá profissionais nos termos a serem deliberados
Dois) A sociedade em primeiro lugar, e os reunir extraordinariamente sempre que for
sócios em segundo lugar na proporção das suas pelo próprio conselho de administração.
necessário, por iniciativa do conselho de Três) Os membros do conselho de
quotas, gozam do direito de preferência na administração ou de qualquer sócio detendo pelo
aquisição de quotas. administração estão dispensados de caução.
menos, dez por cento do capital social, Quatro) A sociedade vincula-se pela
Três) Caso a sociedade não exerça o direito observadas as formalidades previstas no número
de preferência, este transfere-se automaticamente assinatura de, pelo menos, um membro do
dois acima.
aos sócios. conselho de administração ou de procurador nos
Quatro) O aviso convocatório deverá no limites do respectivo mandatos ou procuração.
Quatro) O sócio que pretenda alienar a sua quota mínimo conter a firma, sede e número de registo
comunicará à sociedade, por carta, com um mínimo Cinco) A sociedade não fica obrigada por
da sociedade, local, dia e hora da reunião, espécie
de trinta dias de antecedência relativamente à data quaisquer fianças, letras, livranças, e outros
de reunião, ordem de trabalhos, e a indicação actos, garantias e contratos estranhos ao seu
da intencionada venda, na qual lhe dará a conhecer dos documentos a serem analisados e que se
o projecto de alienação, o comprador e as respectivas objecto social, salvo deliberação em contrário
devem encontrar na sede para apreciação caso
condições contratuais. da assembleia geral.
existam. Seis) O mandato dos administradores é de
Cinco) A sociedade e os demais sócios não poderão
Cinco) A assembleia geral reunir-se-á, em quatro anos, podendo os mesmos serem reeleitos.
exercer o seu direito de preferência para além de quinze
princípio, na sede social, mas poderá reunir-se em
dias e trinta dias respectivamente, contados a partir da
qualquer outro local do território nacional, desde ARTIGO DÉCIMO TERCEIRO
data da recepção da notificação da intenção de
que o conselho de administração assim o decida,
transmissão, sob pena de nulidade do acto. Convocação das reuniões do conselho
ou no estrangeiro com o acordo de todos os sócios.
de administração
ARTIGO SÉTIMO Seis) A assembleia geral poderá reunir-se sem
a observância de quaisquer formalidades prévias, Um) O conselho de administração deverá
Amortização de quotas desde que todos sócios estejam presentes ou reunir-se, no mínimo, duas vezes por ano,
Um) A amortização de quotas só pode ter representados e todos manifestem a vontade de podendo realizar reuniões adicionais
lugar nos casos de exclusão ou exoneração de considerar a reunião devidamente constituída e informalmente ou sempre que convocado por
sócio. possa deliberar validamente. qualquer administrador em qualquer altura.
16 DE FEVEREIRO DE 2009 104–(51)

Dois) A menos que seja expressamente Três) Em cada assembleia geral ordinária, o Mansintonto Ecoturismo, Limitada
dispensada por todos os administradores, a conselho de administração submeterá à aprovação
Certifico, para efeitos de publicação, que por
convocatória das reuniões do conselho de dos sócios o relatório anual de actividades e as
escritura pública de vinte e nove de Janeiro de dois mil
administração deverá ser entregue em mão ou demonstrações financeiras (balanço, demons- e nove, lavrada de folhas noventa e seis a cento e onze
enviada por fax a todos os administradores, com tração de resultados, fluxo de caixa e respectivas do livro de notas para escrituras diversas número
uma antecedência mínima de cinco dias de notas) do ano transacto e ainda a proposta de duzentos e cinquenta e dois traço A do Quarto Cartório
calendário, devendo ser acompanhada pela aplicação de resultados. Notarial de Maputo perante Hermenegilda Ilda Bazar,
agenda dos assuntos a ser discutida na reunião, Quatro) Os documentos referidos no número licenciada em Direito, técnica superior dos registos e
bem como todos os documentos necessários a três anterior serão enviados pelo conselho de notariado N1, e Notária em exercício no Quarto
serem circulados ou apresentados durante a administração a todos os sócios, até quinze dias Cartório Notarial de Maputo, foi constituída entre
reunião. Nenhum assunto poderá ser discutido antes da data de realização da reunião da Açucareira de Xinavane, SA e sociedade Tongatt Hullet
pelo conselho de administração a menos que assembleia geral. Açucar, Limitada uma sociedade por quotas de
tenha sido incluindo na referida agenda de responsabilidade limitada, denominada Mansintonto
trabalhos ou quando todos os administradores ARTIGO DÉCIMO SEXTO Ecoturismo, Limitada, com sede na Vila de Xinavane,
assim o acordem. distrito da Manhiça, província do Maputo, que se regerá
Distribuição de lucros pelas cláusulas constantes dos artigos seguintes:
Três) Não obstante o previsto no número dois
anterior, o conselho de administração poderá Conforme deliberação da assembleia geral,
dirigir os seus assuntos e realizar as suas reuniões sob proposta do conselho de administração, dos CAPÍTULO I
através de meios electrónicos ou telefónicos que lucros apurados em cada exercício serão Das disposições gerais
permitam a todos os participantes ouvir e deduzidos os seguintes montantes, pela seguinte
ARTIGO PRIMEIRO
responder simultaneamente, desde que as ordem de prioridades:
respectivas deliberações constem de acta lavrada a) Cinco por cento para constituição do Denominação e duração
no livro de actas e assinada por todos os fundo de reserva legal, até ao A sociedade adopta a denominação de
administradores, ou em documento avulso momento em que este fundo sociedade Mansintonto Ecoturismo, Limitada,
devendo as assinaturas ser reconhecidas doravante denominada Masintonto, e é
contenha o montante equivalente a
notarialmente. constituída sob a forma de sociedade comercial
vinte por cento do capital social ou
sempre que seja necessário por quotas de responsabilidade limitada e por
ARTIGO DÉCIMO QUARTO
restabelecer tal fundo; tempo indeterminado, regendo-se pelos presentes
Quórum constitutivo e deliberativo
b) Amortização das suas obrigações estatutos e pela legislação aplicável.
Um) O quórum para as reuniões do conselho perante os sócios, correspondentes ARTIGO SEGUNDO
de administração considera-se constituído se a suprimentos e outras contribuições
para a sociedade, que tenham sido Sede
nelas estiverem presentes ou representados, pelo
menos, dois administradores quando o conselho entre os mesmos acordadas e sujeitas Um) A sociedade tem a sua sede na Vila de Xi-
de administração seja composto por dois a deliberação da assembleia geral; navane, distrito da Manhiça, província do Maputo.
membros ou mais. c) Outras prioridades aprovadas em Dois) Mediante deliberação do conselho de
Dois) Qualquer membro do conselho de assembleia geral; administração, a sociedade poderá abrir
administração temporariamente impedido de d) Dividendos aos sócios na proporção sucursais, filiais ou qualquer outra forma de
participar nas reuniões do conselho de das suas quotas. representação no país e no estrangeiro, bem
administração poderá fazer-se representar por como transferir a sua sede social para qualquer
CAPÍTULO V outro local do território nacional.
qualquer outro membro por meio de carta ou fax
endereçado ao presidente do conselho de Da dissolução e liquidação ARTIGO TERCEIRO
administração. da sociedade Objecto social
Três) O mesmo membro do conselho de
administração poderá representar mais do que ARTIGO DÉCIMO SÉTIMO Um) A sociedade tem por objecto a exploração
um administrador. Dissolução e liquidação turística de acampamentos turísticos, turismo
Quatro) As deliberações do conselho de cinegético, caça e pesca, hotelaria, desenvolvimento
Um) A sociedade dissolve-se nos termos de fazenda de bravio, safaris e actividades conexas.
administração são aprovadas por maioria dos
fixados na lei. Dois) A sociedade poderá desenvolver outras
votos dos seus membros.
Dois) Declarada a dissolução da sociedade, actividades, subsidiárias ou complementares do seu
CAPÍTULO IV proceder-se-á à sua liquidação gozando os objecto principal, desde que devidamente autorizadas
liquidatários nomeados pela assembleia geral,
Das contas e distribuição dos mais amplos poderes para o efeito. CAPÍTULO II
de resultados
Do capital social
ARTIGO DÉCIMO QUINTO ARTIGO DÉCIMO OITAVO
ARTIGO QUARTO
Contas da sociedade Omissões
Capital social
Um) O exercício social coincide com o ano Qualquer matéria que não tenha sido tratada
civil e o balanço fechar-se-á com referência a nestes estatutos reger-se-á pelo disposto no Um) O capital social da sociedade, realizado
Código Comercial e outra legislação em vigor em dinheiro, é de cinquenta mil meticais, correspon-
trinta e um de Dezembro de cada ano.
em Moçambique. dente à soma de duas quotas assim distribuídas:
Dois) As demonstrações financeiras da
a) Uma quota no valor nominal de quarenta
sociedade deverão ser elaboradas e submetidas
Está conforme. e nove mil meticais e correspondente
à apreciação da assembleia geral ordinária até ao a oitenta por cento do capital social,
dia quinze do mês de Março do ano seguinte a Maputo, quatro de Fevereiro de dois mil e pertencentes à Sociedade Açucareira
que se referem os documentos. nove. — O Técnico, Ilegível. de Xinavane, SA;
104–(52) III SÉRIE — NÚMERO 6

b) Outra no valor nominal de dez mil meti- ARTIGO DÉCIMO ARTIGO DÉCIMO QUARTO
cais e correspondente a vinte por cento
Relações entre os sócios Votação
do capital social, pertencente à socie-
dade Tongatt Hullet Açucar, Limitada. As relações entre os sócios e a sociedade Um) A assembleia geral considera se regular-
Dois) Mediante deliberação da assembleia serão reguladas pelos presentes estatutos. mente constituída para deliberação quando, em
geral, o capital social da sociedade poderá ser primeira convocação, estejam presentes ou
ARTIGO DÉCIMO PRIMEIRO devidamente representados os sócios que
aumentado uma ou mais vezes.
detenham, pelo menos, participações correspon-
Três) Quaisquer aumentos de capital serão Direitos dos sócios
dentes a um terço do capital social e, em segunda
deliberados por unanimidade de votos
Os direitos e obrigações dos sócios, constantes convocação, independentemente do número de
representativos do capital social.
dos estatutos não poderão ser alterados sem o sócios presentes e do capital que representam.
Quatro) Os sócios gozam do direito de
consentimento prévio e em forma escrita dos Dois) As deliberações da assembleia geral são
preferência nos aumentos de capital da sociedade
titulares desses direitos e obrigações. tomadas por maioria simples dos votos dos sócios
na proporção das percentagens das suas quotas.
presentes ou representados, excepto nos casos em
ARTIGO QUINTO CAPÍTULO III que a lei ou os estatutos exijam maioria qualificada.
Três) As seguintes deliberações serão tomadas
Prestações suplementares e suprimentos Dos órgãos, gerência e representação por maioria qualificada de setenta e cinco por
da sociedade cento dos votos correspondentes ao capital social:
Não são exigíveis prestações suplementares de
capital podendo, porém, os sócios conceder à sociedade SECÇÃO I a) Aumento ou redução do capital social;
os suprimentos de que necessite, os quais vencerão Da assembleia geral
b) Cessão de quota;
juros, nos termos e condições fixados por deliberação c) Transformação, fusão ou dissolução da
da assembleia geral aprovada por maioria absoluta de ARTIGO DÉCIMO SEGUNDO sociedade;
votos representativos do capital social. d) Quaisquer alterações aos estatutos da
Convocatória e reuniões da assembleia sociedade;
geral e) Nomeação e destituição de administradores.
ARTIGO SEXTO
Um) A assembleia geral ordinária reunir-se- Quatro) Para que a assembleia possa deliberar,
Transmissão e oneração de quotas
á uma vez por ano dentro dos três meses após ao em primeira convocatória, sobre matérias que
Um) A divisão e a cessão de quotas, bem fecho de cada ano fiscal para: exijam maioria qualificada ao abrigo da lei ou dos
como a constituição de quaisquer ónus ou a) Deliberar sobre o balanço e o relatório presentes estatutos, devem estar presentes ou
encargos sobre as mesmas é livre, não carecendo do conselho de administração representados sócios que detenham, pelo menos,
de autorização prévia da sociedade. referentes ao exercício; dois terços do capital social da sociedade.
Dois) A cessão de quotas far-se-à sempre b) Deliberar sobre a aplicação de resultados.
com os direitos e obrigações que lhe estejam ARTIGO DÉCIMO QUINTO
associados, constantes do estatuto da sociedade, Dois) A assembleia geral pode ser convocada
por qualquer administrador, por meio de carta Administração e gestão da sociedade
acordo parassocial e acordo de uso e serviços
celebrado entre os sócios. expedida com uma antecedência mínima de Um) A sociedade é gerida e administrada por
Três) A sociedade e os sócios gozam de quinze dias, salvo se a lei exigir outras um conselho de administração composto por três
direito de preferência na cessão de quotas. formalidades para determinada deliberação. a cinco membros, eleitos pela assembleia geral.
Três) A assembleia geral da sociedade poderá Dois) O conselho de administração terá os
ARTIGO SÉTIMO reunir extraordinariamente sempre que for poderes gerais atribuídos por lei e pelos presentes
necessário, por iniciativa do conselho de estatutos, conducentes à realização do objecto
Nulidade da divisão, cessão, alienação
ou oneração de quotas
administração ou de qualquer sócio detendo pelo social da sociedade, representando-a em juízo e
menos dez por cento do capital social, observadas fora dele, activa e passivamente, podendo delegar
É nula qualquer divisão, cessão, alienação ou as formalidades previstas no número dois acima. estes poderes a directores executivos ou gestores
oneração de quotas que não observe o Quatro) O aviso convocatório deverá no mínimo profissionais nos termos a serem deliberados
preceituado no artigo sexto. conter a firma, sede e número de registo da sociedade, pelo próprio conselho de administração.
local, dia e hora da reunião, espécie de reunião, ordem Três) Os membros do conselho de adminis-
ARTIGO OITAVO de trabalhos, e a indicação dos documentos a serem tração estão dispensados de caução.
Amortização de quotas analisados e que se devem encontrar disponíveis na Quatro) A sociedade vincula-se pela assina-
sede para apreciação, caso existam. tura conjunta de pelo menos três administradores
Um) A amortização de quotas só pode ter lugar Cinco) A assembleia geral reunir-se-á, em ou de procurador, nos limites do respectivo
nos casos de exclusão ou exoneração de sócio. princípio, na sede social, mas poderá reunir-se em mandato ou procuração.
Dois) A exclusão de sócio requer a prévia qualquer outro local do território nacional, desde Cinco) A sociedade não fica obrigada por
deliberação da assembleia geral e só poderá ter que o conselho de administração assim o decida, quaisquer fianças, letras, livranças, e outros
lugar nos seguintes casos: ou no estrangeiro com o acordo de todos os sócios. actos, garantias e contratos estranhos ao seu
a) Acordo com o respectivo titular da quota; Seis) A assembleia geral poderá reunir-se sem objecto social, salvo deliberação em contrário
b) Se a quota for arrestada, arrolada ou a observância de quaisquer formalidades prévias, da assembleia geral.
penhorada; desde de que todos sócios estejam presentes ou Seis) O mandato dos administradores é de
c) Em caso de falência ou insolvência do representados e todos manifestem a vontade de quatro anos, podendo os mesmos serem reeleitos.
sócio; considerar a reunião devidamente constituída.
d) Dissolução de sócio pessoa colectiva. ARTIGO DÉCIMO SEXTO
ARTIGO DÉCIMO TERCEIRO
Convocação das reuniões do conselho
ARTIGO NONO Representação em assembleia geral de administração
Aquisição de quotas próprias Os sócios podem fazer se representar nas Um) O conselho de administração deverá
A sociedade poderá mediante deliberação da reuniões da assembleia geral por outro sócio, reunir-se, no mínimo, duas vezes por ano,
assembleia geral adquirir quotas próprias a título pelo cônjuge, mandatário, que poderá ser um podendo realizar reuniões adicionais
oneroso, e por mera deliberação do conselho de procurador, ou administrador mediante informalmente ou sempre que convocado por
administração, a título gratuito. procuração emitida por período de seis meses. qualquer administrador em qualquer altura.
16 DE FEVEREIRO DE 2009 104–(53)

Dois) A menos que seja expressamente c) Assinatura de dois administradores ARTIGO VIGÉSIMO QUARTO
dispensada por todos os administradores, a executivos nos termos dos poderes
(Quórum constitutivo e deliberativo)
convocatória das reuniões do conselho de que lhe foram atribuídos pelo
administração deverá ser entregue em mão ou conselho de administração; Um) Para que o conselho fiscal possa deliberar
enviada por fax a todos os administradores, com d) Assinatura de um ou mais mandatários será indispensável que estejam presentes ou
uma antecedência mínima de quinze dias de dentro dos limites dos poderes que representados a maioria dos seus membros.
calendário, devendo ser acompanhada pela lhe hajam sido conferidos; Dois) Cada membro do conselho fiscal,
agenda dos assuntos a ser discutida na reunião, e) Assinatura do director-geral ou de incluindo o seu presidente, tem direito a um voto.
bem como todos os documentos necessários a algum funcionário ou agente da Três) As deliberações serão tomadas pela
serem circulados ou apresentados durante a sociedade autorizado pelo conselho maioria de votos dos membros presentes ou
reunião. Nenhum assunto poderá ser discutido de administração. representados.
pelo conselho de administração a menos que Dois) Qualquer trabalhador devidamente Quatro) O presidente do conselho fiscal não
tenha sido incluindo na referida agenda de autorizado poderá assinar actos de mero expediente. possui voto de desempate.
trabalhos ou quando todos os administradores
assim o acordem. ARTIGO VIGÉSIMO CAPÍTULO IV
Três) Não obstante o previsto no número dois (Gestão diária da sociedade) Das disposições comuns
acima, o conselho de administração poderá dirigir
os seus assuntos e realizar as suas reuniões Um) A gestão diária da sociedade poderá ser ARTIGO VIGÉSIMO QUINTO
através de meios electrónicos ou telefónicos que confiada a um director-geral.
Disposições comuns
permitam a todos os participantes ouvir e Dois) A designação do director-geral compete
responder simultaneamente, desde que as ao conselho de administração, podendo recair Um) Poderão ser realizadas reuniões conjuntas
respectivas em pessoa alheia à sociedade. do conselho de administração e do conselho fiscal,
deliberações constem de acta lavrada no livro Três) O director-geral pautará a sua actuação sempre que os interesses da sociedade o
de actas e assinada por todos administradores, pelo quadro de poderes e funções que lhe forem aconselhem ou quando a lei o determine.
ou em documento avulso devendo as assinaturas determinados pelo conselho de administração. Dois) As reuniões conjuntas serão
ser reconhecidas pelo notário. convocadas e presididas pelo presidente do
SECÇÃO II conselho de administração.
ARTIGO DÉCIMO SÉTIMO Do conselho fiscal Três) Não obstante reunirem conjuntamente e
sem prejuízo do disposto no número anterior, os
Quórum
ARTIGO VIGÉSIMO PRIMEIRO dois órgãos e os respectivos membros conservam
Um) O quórum para as reuniões do conselho a sua independência, sendo aplicáveis as disposições
(Composição)
de administração considera-se constituído se que regem cada um deles, nomeadamente as que
nelas estiverem presentes ou representados, pelo Um) A supervisão de todos os negócios da respeitem a quórum e à tomada de deliberações.
menos, metade dos administradores. sociedade incumbe a um conselho fiscal,
Dois) Qualquer membro do conselho de composto por cinco membros efectivos e um CAPÍTULO V
administração temporariamente impedido de suplente, ou em alternativa poderão os sócios
atribuir esta função um auditor de contas ou Das disposições gerais
participar nas reuniões do conselho de
administração poderá fazer-se representar por sociedade de auditores de contas. ARTIGO VIGÉSIMO SEXTO
qualquer administrador por meio de carta ou fax Dois) Os membros do conselho fiscal são eleitos
pela assembleia geral , com mandatos de três anos. Contas da sociedade
endereçado ao presidente do conselho de
administração. Três) A assembleia geral, quando eleger o Um) O exercício social coincide com o ano
Três) Um mesmo membro do conselho de conselho fiscal, deverá indicar também aquele civil e o balanço fechar-se-á com referência a
administração não poderá representar mais do que dos respectivos membros exercerá as trinta e um de Dezembro de cada ano.
que um administrador. funções de presidente. Dois) As contas da sociedade deverão ser ela-
boradas e submetidas à apreciação da assembleia
ARTIGO DÉCIMO OITAVO ARTIGO VIGÉSIMO SEGUNDO
geral ordinária até ao final do mês de Março do
(Deliberações do conselho de administração) (Competências) ano seguinte a que se referem os documentos.
Três) Em cada assembleia geral ordinária, o
As deliberações e quaisquer outros assuntos O conselho fiscal exercerá as competências
conselho de administração submeterá à aprovação dos
que tenham tido origem numa reunião do atribuídas por lei, sem prejuízo de outras
sócios o relatório anual de actividades e as
conselho de administração serão decididos por deliberadas em assembleia geral.
demonstrações financeiras (balanço, demonstração de
maioria dos votos presentes ou representados, e resultados, fluxo de caixa e respectivas notas) do ano
ARTIGO VIGÉSIMO TERCEIRO
deverão ser lavradas em actas inseridas no transacto e ainda a proposta de distribuição de lucros.
respectivo livro de actas e assinadas por todos (Convocatórias) Quatro) Os documentos referidos no número
os administradores presentes ou representados Um) O conselho fiscal reunir-se-á sempre três anterior serão enviados pelo conselho de admi-
nessa reunião. que necessário e a pedido de qualquer dos seus nistração a todos os sócios, até quinze dias antes da
membros ao presidente, por convocatória escrita data de realização da reunião da assembleia geral.
ARTIGO DÉCIMO NONO
entregue com pelo menos catorze dias de
(Vinculação da sociedade) antecedência à data da reunião e, pelo menos, ARTIGO VIGÉSIMO SÉTIMO
uma vez por trimestre. Distribuição de lucros
Um) A sociedade obriga-se pela:
Dois) A convocatória deverá incluir a ordem de
a) Assinatura do presidente do conselho trabalhos e ser acompanhada de quaisquer documentos Conforme deliberação da assembleia geral,
de administração nos termos dos ou elementos necessários à tomada de decisões. sob proposta do conselho de administração, dos
poderes que lhe foram atribuídos Três) As reuniões do conselho fiscal deverão, lucros apurados em cada exercício serão
pelo conselho de administração; em princípio, realizar-se na sede da sociedade, deduzidos os seguintes montantes, pela seguinte
b) Assinatura conjunta do presidente do mas poderão realizar-se noutro local do território ordem de prioridades:
conselho de administração e de um nacional, conforme seja decidido pelo presidente a) Vinte por cento para constituição do
administrador; deste conselho. fundo de reserva legal;
104–(54) III SÉRIE — NÚMERO 6

b) Amortização das suas obrigações ARTIGO SEGUNDO Dois) É dispensada a reunião da assembleia
perante os sócios, correspondentes geral e dispensadas as formalidades da sua
Objecto
a suprimentos e outras contribuições convocação, quando todos os sócios
para sociedade, que tenham sido Um) A sociedade tem por objecto principal o concordarem que por esta forma se delibere,
entre os mesmos acordadas e sujeitas exercício das seguintes actividades: considerando-se válidas, nessas condições, as
a deliberação da assembleia geral; a) Comércio geral e de artigos de publicidade; deliberações tomadas ainda que reduzidas fora
c) Outras prioridades aprovadas em b) Marketing, publicidade e actividades da sede social, em qualquer ocasião e qualquer
assembleia geral; afins; que seja o seu objecto.
d) Dividendos aos sócios na proporção c) Prestação de serviços;
das suas quotas. ARTIGO SEXTO
d) Importação e exportação;
e) Exercer o comércio de comissões, Deliberações por maioria qualificada
ARTIGO VIGÉSIMO OITAVO
consignações de agenciamento e
Um) Sem prejuízo do disposto na lei, só
Dissolução e liquidação representações nos diferentes
poderão ser tomadas por unanimidade de votos
segmentos de mercado.
Um) A sociedade dissolve-se nos termos correspondentes do capital social, as deliberações
fixados na lei. Dois) A sociedade pode ainda participar no sobre os assuntos seguintes:
Dois) Declarada a dissolução da sociedade, capital de outras empresas, nelas adquirir interesses a) Alteração dos estatutos;
proceder se á à sua liquidação gozando os e exercer cargos de gerência ou administração. b) Fusão, cisão, transformação e dissolu-
liquidatários nomeados pela assembleia geral, ção da sociedade;
dos mais amplos poderes para o efeito. ARTIGO TERCEIRO
c) Contrair empréstimos no mercado
Capital social nacional e internacional;
ARTIGO VIGÉSIMO NONO
Um) O capital social, integralmente realizado d) Política de dividendos;
Omissões e subscrito em dinheiro, é de vinte mil meticais, e) A subscrição ou aquisição de participa-
assim distribuídos: ções noutras sociedades e a sua
Qualquer matéria que não tenha sido tratada
alienação ou oneração;
nestes estatutos reger-se-á pelo disposto no a) Uma quota do valor de dezassete mil
f) Aprovação de qualquer acordo ou
Código Comercial e outra legislação em vigor quinhentos meticais, correspondente
transacção incluindo qualquer
em Moçambique. a setenta e cinco por cento do capital
pagamento a quaisquer empresas em
Está conforme. social, é pertença do sócio
que qualquer sócio tenha uma
Maputo, trinta de Janeiro de dois mil e nove. Mohomed Hassane Hagi;
participação directa ou indirecta com
— A Notária, Ilegível. b) Uma quota do valor de dois mil e
a sociedade;
quinhentos meticais, correspondente
g) Aprovação de quaisquer obrigações da
a vinte e cinco por cento do capital
sociedade perante empreendimentos
social, é pertença do sócio Jorge
não relacionados directamente com
Alexandre Lopes Garcia.
Display, Limitada a sociedade.

Certifico, para efeitos de publicação, que no ARTIGO QUARTO


ARTIGO SÉTIMO
dia vinte e dois de Janeiro de dois mil e nove, foi Assembleia geral
Administração, gerência e representação
matriculada na Conservatória do Registo de
Um) A assembleia geral reunirá ordinaria-
Entidades Legais sob NUEL 100085461 Um) A administração e gerência da sociedade
mente, uma vez por ano, para apreciação,
sociedade denominada Display, Limitada. é exercida por uma direcção eleita em assembleia
aprovação ou modificação do balanço e contas
Entre: geral, composto por três membros, os quais
do exercício e para deliberar sobre quaisquer
Primeiro: Mohomed Hassane Hagi, solteiro, poderão ser designados dentre os sócios, ou
outros assuntos para que tenha sido convocada e
maior, natural de Maputo, de nacionalidade pessoas por estes indicadas.
extraordinariamente sempre que necessário.
Moçambicana, portador do Bilhete de Identidade Dois) A assembleia geral nos casos em que a Dois) Os membros de direcção são designados
n.º 100183767E, emitido pelos Serviços de lei não determine formalidades especiais para a sua por um mandato de três anos renováveis, ou em
convocação será convocada por qualquer sócio, conformidade com deliberação da assembleia geral.
Identificação Civil de Maputo a dezasseis de
por meio de carta com nota de recepção, dirigida Três) Os membros de direcção são dispensados
Março de dois mil e quatro, residente em Maputo.
aos demais sócios, cumprindo os prazos da lei. de prestar caução e serão remunerados de confor-
Segundo: Jorge Alexandre Lopes Garcia,
Três) A assembleia geral reunirá na sede da midade com a deliberação da assembleia geral.
solteiro, maior, natural de Maputo, de
sociedade podendo ter lugar noutro local quando as Quatro) Compete à direcção exercer os mais
nacionalidade Sul-Africana, portador do DIRE amplos poderes, representando a sociedade em
circunstâncias aconselharem desde que tal não
n.º 06095299, emitido pelos Serviços de juízo e fora dele, activa e passivamente, e prati-
prejudique os direitos e legítimos interesses dos sócios.
Migração em Maputo, a vinte e um de Agosto cando todos os demais actos tendentes a realização
Quatro) A assembleia geral considera-se
de dois mil e seis, residente em Maputo regularmente constituída quando, em primeira do objectivo geral que a lei ou os presentes
constituem entre si uma sociedade por quotas de convocação, estejam presentes ou devidamente estatutos não reservarem à assembleia geral.
responsabilidade limitada, mediante as condições representados cem por cento do capital social, e Cinco) A direcção pode delegar poderes e
e cláusulas seguintes: em segunda convocação, decorridos pelo menos constituir mandatário.
quarenta e oito horas, com qualquer número de
ARTIGO PRIMEIRO sócios presentes. ARTIGO OITAVO
Denominação, sede, duração Modos de obrigar a sociedade
ARTIGO QUINTO
A sociedade que adopta a denominação de Um) A sociedade fica obrigada pela
Deliberações
Display, Limitada, é uma sociedade por quotas assinatura de dois membros de direcção.
de responsabilidade limitada, com sede na Um) As deliberações da assembleia geral são Dois) Em caso algum a sociedade poderá ser
Avenida da Tanzânia, número cento e trinta, rés- tomadas por maioria dos votos presentes ou obrigada a actos e contratos estranhos ao seu
do-chão, cidade de Maputo, criada por tempo representados, excepto nos casos em que a lei ou objecto, nomeadamente, em letras e livranças de
indeterminado. os presentes estatutos exijam maioria qualificada. favor, fianças e abonações.
16 DE FEVEREIRO DE 2009 104–(55)

ARTIGO NONO ARTIGO SEGUNDO ARTIGO QUINTO


Lucros e perdas e dissolução da (Sede) (Cessão ou divisão de quotas)
sociedade
A sociedade tem a sua sede na província do A cessão ou divisão de quotas é livre entre os
Um) Os lucros da sociedade e as suas perdas Maputo, podendo transferir a sede da sociedade sócios, mas para estranhos a decisão fica
serão divididos pelos sócios na proporção das para outra província, bem como abrir sucursais, dependente do consentimento escrito dos sócios
suas quotas. filiais ou outras formas de representação permanente, não cedentes, aos quais é reservado o direito de
Dois) Antes de repartidos os lucros líquidos onde e quando os sócios acharem necessário. preferência na sua aquisição. No caso de nem a
operados em cada exercício, deduzir-se-á, em sociedade, nem os sócios desejarem fazer uso
primeiro lugar, a percentagem indicada para ARTIGO TERCEIRO do direito de preferência, o sócio que deseja
constituir o fundo de reserva legal, enquanto não (Objecto) vender a sua quota poderá fazê-lo livremente
estiver realizado nos termos da lei ou sempre fora da sociedade.
que seja necessário reintegrá-lo, e, seguidamente, Um) A sociedade tem por objecto o exercício
a percentagem das reservas especialmente criadas de todas as actividades do foro económico, jurídico CAPÍTULO III
por decisão unânime da assembleia. e social, incluindo entre outras as seguintes:
Da administração e gerência
Três) Os lucros serão pagos aos sócios no a) Prestação de serviços gerais de consulto-
prazo de seis meses a contar da data da ria nas áreas de saúde pública, sócio- ARTIGO SEXTO
deliberação da assembleia geral que os tiver económicos e demográficos; (Administração e gerência)
aprovado e serão depositados à sua ordem em b) Prestação de serviços de monitoria e
conta bancária. avaliação de projectos e programas; Um) A administração e gerência da sociedade
c) Prestação de serviços auditoria, será exercida pela sócia Sandra Gonçalves que
ARTIGO DÉCIMO contabilidade e informática; desde já fica nomeada directora executiva com
O ano social coincide com o ano civil e o d) Realização e promoção de formações e ou sem dispensa de caução. Compete a directora
balanço e contas de resultados fechar-se-ão com capacitações nas diversas áreas e executiva a representação da sociedade em todos
referência a trinta e um de Dezembro de cada matérias de carácter sócio-cultural e os seus actos e passivamente, em juízo e fora
ano e serão submetidos à apreciação da informático; dele, na ordem jurídica interna a como
assembleia geral. e) Produção e divulgação de trabalhos internacionalmente, dispondo dos mais amplos
sociais e artísticos; poderes legal mente consentidos para a
ARTIGO DÉCIMO PRIMEIRO f) Aluguer de equipamentos para eventos. prossecução e realização do objecto social,
designadamente quanto ao exercício de gestão
Um) A sociedade só se dissolve nos casos Dois) A sociedade tem ainda por objecto a
corrente dos negócios sociais para obrigar a
determinados na lei e será então liquidada como prestação de quaisquer outros serviços conexos
sociedade é suficiente a assinatura de um dos
os sócios deliberarem. ao seu objecto principal.
Três) A sociedade poderá desenvolver outras sócios.
Dois) Por estarem assim, justos e
actividades comerciais, subsidiárias ou Dois) O director executivo poderá delegar
contratados, os sócios obrigam-se a cumprir o
complementares/conexas do seu objecto principal todos ou parte dos seus poderes a pessoas
presente contrato.
e participar no capital de outras sociedades ou com estranhas a sociedade, desde que outorguem a
Está conforme. respectiva procuração a este respeito, com todos
elas associar-se, sob qualquer forma legalmente
Maputo, vinte e sete de Janeiro de dois mil e admissível, independentemente do seu objecto ser os possíveis limites de competência. Os actos
nove. — O Técnico, Ilegível. ou não idêntico, conexo ou complementar. de mero expediente poderão ser assinados por
qualquer empregado de sua escolha.
CAPÍTULO II
ARTIGO SÉTIMO
Montage, Limitada Do capital social
(Composição da direcção executiva)
Certifico, para efeitos de publicação, que por
ARTIGOQUARTO
escritura de trinta de Janeiro de dois mil e nove, Um) A direcção executiva é o órgão executivo
lavrada de folhas oitenta e três e seguintes do livro (Capital social) da sociedade a quem compete a direcção
de notas para escrituras diversas número duzentos administrativa e financeira, a gestão dos negócios
Um) O capital social, integralmente subscrito
e quarenta e nove traço D do Segundo Cartório e actividades da sociedade.
e realizado em numerário, é de vinte mil meticais
Notarial de Maputo, perante Isménia Luísa Dois) A composição deste órgão, duração do
e corresponde à soma de duas quotas, assim
Garoupa, notária do referido cartório, foi constituída seu mandato, competências e tarefas serão
distribuídas:
entre Sandra Dzidzai Gonçalves e Euclides Filipe definidas em actas da assembleia geral dos sócios.
Dois) Constituem sócios da Montage,
Gonçalves uma sociedade por quotas de Limitada, os seguintes detentores de quotas no
responsabilidade limitada denominada Montage, CAPÍTULO IV
respectivo capital social.
Limitada, com sede em Maputo, que se regerá pelas Da assembleia geral
cláusulas constantes dos artigos seguintes: a) Uma quota de dezoito mil meticais,
correspondente a noventa por cento ARTIGO OITAVO
CAPÍTULO I do capital, pertencente a sócia
(Assembleia geral e sua convocação)
Sandra Dzidzai Gonçalves;
Da denominação, sede e objecto b) Uma quota de dois mil meticais, corres- Um) A assembleia geral reunirá ordinaria-
ARTIGO PRIMEIRO pondente a dez por cento do capital, mente uma vez por ano, para apreciação,
pertencente ao sócio Euclides Filipe aprovação ou modificai do balanço e contas do
(Denominação) Gonçalves. exercício e para deliberar sobre quaisquer outras
A Montage, Limitada, adiante designada Três) O capital social poderá ser aumentado questões para que tenha sido convocada e,
simplesmente por sociedade, é uma sociedade ou reduzido, numa ou mais vezes, mediante a extraordinariamente, sempre que for necessário.
comercial por quotas de responsabilidade deliberação da assembleia geral. Dois) A assembleia geral será convocada pela
limitada, constituída por tempo indeterminado, Quatro) Compete a assembleia geral deliberar direcção executiva, ou por qualquer sócio, por
regendo-se pelos presentes estatutos e pelos os termos e as condições dos aumentos do capital escrito, com aviso de recepção, dirigida aos sócios
preceitos aplicáveis. social. com antecedência mínima de vinte e um dias.
104–(56) III SÉRIE — NÚMERO 6

ARTIGO NONO Quatro) A assembleia geral considera-se Dois) Dos lucros que o balanço registar,
constituída quando em segunda convocação, líquidos de todas as despesas e encargos,
(Competências da assembleia geral)
estejam presentes ou devidamente representados, deduzir-se-á a percentagem requerida para
Dependem especialmente de deliberação dos os sócios cujas quotas perfaçam, no mínimo, constituição da reserva legal enquanto esta não
sócios em assembleia geral os seguintes actos, dois terços do capital social. estiver realizada ou sempre que seja necessário
além de outros previstos na lei: reintegrá-la.
ARTIGO DÉCIMO PRIMEIRO
a) Aprovação do programa de actividades Três) A parte restante dos lucros será
e de investimentos; (Cedência de contas por morte conforme deliberação social, repartida entre os
b) A nomeação e exoneração dos membros e incapacidade) sócios na proporção das quotas a título de
da direcção executiva e a atribuição dividendos, ou afectados a quaisquer reservas
Um) Por morte ou interdição de qualquer sócio,
de tarefas e responsabilidades; os herdeiros ou representantes do falecido exercerão gerais ou especiais criadas por decisão da
c) A fusão, cisão, transformação e em comum os respectivos direitos enquanto a quota assembleia geral.
dissolução da sociedade; permanecer indivisa, devendo de entre eles nomear
d) A alteração dos estatutos da sociedade; um que a todos represente na sociedade. ARTIGO DÉCIMO TERCEIRO
e) A amortização de quotas, aquisição, Dois) A cedência de quotas entre os sócios e
alienação e oneração de quotas e con- (Dissolução da sociedade)
os seus sucessores legais é livre. A transmissão
sentimento para a cedência de quotas; de quotas para estranhos deverá ser de prévia Um) A sociedade só se dissolverá nos termos
f) A afectação de resultados e distribuição consentimento da sociedade, em deliberar; ao da legislação em vigor ou por acordo total dos
de lucros; tomada para o efeito em assembleia geral, sócios. Declarada a dissolução da sociedade,
g) A aprovação e modificação de balanços gozando a sociedade de direito de preferência proceder-se-á a sua liquidação ao de acordo com
de contas; em primeiro lugar e os sócios em segundo lugar, a legislação em vigor sobre a matéria.
h) A admissão ou demissão de sócios. conforme a proporção das respectivas quotas. Dois) Dissolvendo-se por acordo dos sócios
Três) O sócio que quiser ceder a sua quota
ARTIGO DECIMO todos eles serão liquidatários. O remanescente,
assim comunicará, declarando o nome do
pagas as dívidas, será distribuído pelos sócios
(Funcionamento da assembleia geral) adquirente e o preço que lhe é oferecido. A
na proporção das suas quotas.
direcção executiva, dentro de quinze dias
Um) As deliberações da assembleia geral serão convocará a assembleia geral dos sócios e estes
tomadas par consenso ou maioria simples dos resolverão se a sociedade consente ou não e em CAPÍTULO V
votos presentes ou representantes, salvo os que caso afirmativo se deve ou não optar.
envolvam alterações aos presentes estatutos, Das disposições finais
Quatro) É dispensável de autorização da
dissolução ou liquidação da sociedade as quais serão sociedade a divisão de quotas entre os herdeiros ARTIGO DÉCIMO QUARTO
tomadas por maioria de três quartos dos votos. A de sócios. A qualidade dos votos dos sócios (Casos omissos)
cada quota corresponde um voto por fracção de está em função da parcela da sua participação no
duzentos e sessenta meticais do capital respectivo. capital social da sociedade. Em tudo o que fica omisso, regularão as
Dois) Os sócios deverão fazer-se representar disposições do Código Comercial da lei que
em assembleias gerais por pessoas físicas, para ARTIGO DECIMO SEGUNDO regula as sociedades por quotas e restante
o efeito, designadas por simples carta dirigida legislação aplicável e em vigor na República de
(Contas e aplicação de resultados)
ao presidente da assembleia geral. Moçambique.
Três) A assembleia geral considera-se Um) O exercício social corresponde ao ano
regularmente constituída quando, em primeira civil e o balanço de contas de resultados, serão Está conforme.
convocação, os sócios se fizerem presente e/ou, encerrados com a data de referência de trinta e
quando assim o justificar, dois terços dos sócios e um de Dezembro de cada ano e serão submetidas Maputo, trinta de Janeiro de dois mil e nove.
estejam presentes ou devidamente representados. à aprovação da assembleia geral. — O Técnico, Ilegível.

Preço — 11,00 MT

IMPRENSA NACIONAL DE MOÇAMBIQUE