Você está na página 1de 3

Leia o texto a seguir e responda às questões.

Uma paz punitiva


Impôs-se à Alemanha uma paz punitiva, justificada pelo argumento de que o Estado era o único responsável
pela guerra e todas as suas consequências (...), para mantê-la permanentemente enfraquecida. Isso foi
conseguido não tanto por perdas territoriais (...); essa paz punitiva foi, na realidade, assegurada privando-
se a Alemanha de toda uma marinha e uma força aérea efetivas; limitando-se seu exército a 100 mil homens;
impondo-se “reparações” teoricamente infinitas; (...) privando-se a Alemanha de todas as suas antigas
colônias no ultramar.
HOBSBAWM, Eric. Era dos extremos: o breve século XX (1914-1991). São Paulo: Companhia das Letras, 1995

1) Explique por que o acontecimento histórico a que se refere o texto levaria mais tarde a um novo conflito
mundial.

2) Explique como a questão da Bósnia-Herzegovina influiu na deflagração da Primeira Guerra Mundial.

3) Caracterize a relação política entre esses países no período anterior à Primeira Guerra Mundial.

4) Leia o trecho a seguir e responda a questão.


(...) Ao analisarmos a ideia de nação, uma das características que mais nos chama a atenção é o caráter
histórico dessa ideia. Ao nos perguntarmos o que é uma nação, logo nos defrontamos com o fato de que tal
ideia nem sempre existiu nem existiu em todos os lugares, mas teve um começo e talvez tenha um fim. É
importante percebermos também o caráter impositivo dessa construção discursiva e política, ou seja, toda
nação e todo Estado-nação são fundamentados em uma cultura específica de um grupo dominante que, sob
a justificativa de que seus valores são os verdadeiramente “nacionais”, de que são os que melhor
representam o Estado e o território ao qual pertencem, exclui todas as outras culturas também existentes
em seu território. (...) A construção da nacionalidade, em sua artificialidade, frequentemente recorre a
elementos da tradição, em que o passado é mitificado, criando heróis e momentos épicos que são
apresentados como definitivos na formação do povo e da nação. Obras de literatura e música, e a construção
de uma “história nacional”, são algumas das formas de se construir a nacionalidade. A identidade cultural
é apresentada como natural e harmônica, quando nem sempre os valores desse povo tiveram coesão ou
harmonia.
SILVA, Kalina Vanderlei; SILVA, Maciel Henrique. Dicionário de conceitos históricos. São Paulo: Contexto,
2010. p. 310

Explique a afirmação dos autores de que a ideia de “nação” tem um caráter histórico.
5) A vitória do regime republicano no Brasil (1889) e a consequente derrubada da monarquia podem ser
explicadas, levando-se em conta diversos fatores. Entre eles, explique o papel dos militares apoiados nas
ideias positivistas.

6) É correto afirmar que nos primeiros anos a República brasileira teve um papel excludente? Justifique.

7) Poucos anos após sua proclamação, a república no Brasil já sofria contestações. A Revolta da Armada, que
eclodiu no governo de Floriano Peixoto, refletiu as insatisfações decorrentes da implantação do sistema
republicano no país, somando-se a outras rebeliões como a Federalista, ocorrida na mesma época, no Rio
Grande do Sul. Esta última, apesar de ser uma rebelião regional, também foi influenciada pelas tensões
políticas que caracterizaram esse governo.

Explique um fator que tenha levado os membros da Marinha a se rebelarem contra o governo de Floriano
Peixoto.

8) A charge abaixo, de autor desconhecido, refere-se a um personagem e a um fato histórico.

a) Explique por que ele é comparado a Luís XIV.

b) Identifique o fato histórico referido, suas causas e consequências.


9) “Canudos não se rendeu. Exemplo único em toda a História, resistiu até ao esgotamento completo. [...] Caiu
no dia 5, ao entardecer, quando caíram os seus últimos defensores, que todos morreram. Eram quatro
apenas: um velho, dois homens feitos e uma criança, na frente dos quais rugiam raivosamente cinco mil
soldados.”
Euclides da Cunha, Os Sertões.
Relacione o movimento de Canudos com os problemas econômico-sociais da região.

10) Na repressão à greve de 1917, em São Paulo, o Comitê de Defesa dos Direitos do Homem do Rio de Janeiro
denunciou: Todos os componentes do Comitê de Defesa Proletária e os membros mais ativos dos sindicatos,
das ligas, dos centros e dos periódicos libertários foram agarrados e encarcerados. As oficinas em que se fazia o
semanário A Plebe foram invadidas, tendo sido o seu diretor preso. Para muitos presos, foi preparada a expulsão
do território nacional.
(Adaptado de Paulo Sérgio Pinheiro & Michael Hall, A classe operária no Brasil, 1889-1930. Documentos.
São Paulo: Ed. Brasiliense, 1981, vol. II, p. 265-266).

Qual foi a importância da Greve Geral de 1917 iniciada São Paulo?

Você também pode gostar