Você está na página 1de 10

r.

2
0 4

60
º

r.13
2 t18

r.2
5

r.1
32 t18
58
+4
0

r.1
0 8
r 25

r.3
0 0
caixa

disjuntores.
kW
kW

Maio/2012
TABELA B
MODELOS
PG-1 NG-1 CG-1 EG-1 NG-2 CG-2 EG-2 NG-3 CG-3 EG-3 NG-4 CG-4 EG-4
MEDIDAS
A 1105 1275 1475 1805 1500 1730 2120 1815 2025 2395 1975 2175 2525
D 490 660 860 1190 630 860 1250 664 874 1244 785 985 1335
F 190 190 190 190 315 315 315 390 390 390 470 470 470
G 350 350 350 350 500 500 500 550 550 550 800 800 800

H 450 450 450 450 440 440 440 590 590 590 715 715 715
I 248 248 248 248 240 240 240 320 320 320 390 390 390
Is 168 168 168 168 240 240 240 320 320 320 390 390 390
J 170 170 170 170 100 100 100 140 140 140 140 140 140

Maio/2012
K 17 17 17 17 23 23 23 27 27 27 35 35 35
L - - - - 65 65 65 75 75 75 85 85 85

TROLES ARTICULADOS

Maio/2012

Raios Mínimos: R0 - Permitido para troles fixos em uso descontínuo.


R1 - Para troles articulados com um livre e um motorizado.
R2 - Para troles articulados com ambos motorizados.
Dimensões construtivas e modelos especiais sob consulta.
X

1.185 420
765 423 480 270 880 130 250 6"
1.185 420

1.355 590
765 593 480 270 880 130 280 6"
1.355 590

1.555 790
765 793 480 270 880 130 300 6"
1.555 790
1.885 1.120
765 1.123 480 270 880 130 300 6"
1.885 1.120
1.575 1.010 565
630 555 280 1.200 165 500 8"
1.635 1.070 565
1.805 1.010 795
860 555 280 1.200 165 500 8"
1.865 1.070 795
2.195 1.010 1.185
1.250 555 280 1.200 165 550 8"
2.255 1.070 1.185
1.915 1.310 605
664 605 310 1.400 240 950 12"
2.015 1.410 605
2.125 1.310 815
874 605 310 1.400 240 1.050 12"
2.225 1.410 815
2.495 1.310 1.185
1.244 605 310 1.400 240 1.100 12"
2.595 1.410 1.185

~2.215 1.550 665 785 650 310 1.850 300 1.500 15"

~2.415 1.550 865 985 650 310 1.850 300 1.600 15"
Maio/2012

~2.765 1.550 1.215 1.335 650 310 1.850 300 1.900 15"

DIMENSÕES EM mm EXCETO VIGA I.


(*) PARA OS MODELOS ACIMA DE 13 TONELADAS OU DE 3 OU 6 CABOS, CONSULTAR A TABELA A.
NOTA: AS DIMENSÕES ‘B’ E ‘C’ PODERÃO VARIAR ENTRE SI EM FUNÇÃO DO NÚMERO DE CABOS E DA POSIÇÃO DO GANCHO
(SUPERIOR-INFERIOR).
1.260 510
750 670 700 340 550 140 300 200
1.260 510
1.430 680
750 840 700 340 550 140 350 200
1.430 680
1.630 880
750 1.040 700 340 550 140 350 200
1.630 880
1.960 1.210
750 1.370 700 340 550 140 400 200
1.960 1.210
1.640 610
1.030 735 700 460 810 170 600 300
1.700 670
1.870 840
1.030 965 700 460 810 170 650 300
1.930 900
2.260 1.230
1.030 1.355 700 460 810 170 700 300
2.320 1.290
1.965 575
1.390 976 900 615 950 240 1.100 350
2.065 675
2.175 785
1.390 1.186 900 615 950 240 1.100 350
2.275 885
2.545 1.155
1.390 1.556 900 615 950 240 1.200 350
2.645 1.255

2.280 1.490 790 1.185 1.125 750 1.000 300 1.700 400

2.480 1.490 990 1.385 1.125 750 1.000 300 1.800 400
Maio/2012

2.830 1.490 1.340 1.735 1.125 750 1.000 300 2.100 400

DIMENSÕES EM mm.
(*) PARA OS MODELOS ACIMA DE 13 TONELADAS OU DE 3 OU 6 CABOS, CONSULTAR A TABELA A.
NOTA 1: AS ALTURAS ‘‘G’’ E ‘‘H’’ SOFREM ALTERAÇÕES EM FUNÇÃO DA BITOLA ‘‘X’’ E DO NÚMERO DE CABOS (VALORES EXATOS
MEDIANTE CONSULTA)
NOTA 2: AS DIMENSÕES ‘‘B’’ E ‘‘C’’ PODERÃO VARIAR ENTRE SI EM FUNÇÃO DO NÚMERO DE CABOS E DA POSIÇÃO DO GANCHO
(SUPERIOR-INFERIOR)
A DIMENSÃO ‘‘A’’ REFERE-SE À TALHA COM VELOCIDADE NO TROLE ACIMA DE 12m/min.
SEM OPCIONAIS = 0
CÓDIGO NO 11° DÍGITO = 2 COM OPCIONAIS =

ACIONAMENTO DA ELEVAÇÃO POR INVERSOR


Na hipótese da exigência de uma determinada marca ou modelo, indicar na consulta.

5
As Talhas FEBA são indicadas para as capacidades constantes da Tabela ‘‘A ’’.

A vida útil efetiva, sob condições corretas de uso, decorre diretamente da classe de funcionamento (medida em horas/dia) e do
cubo da fração da capacidade nominal efetivamente utilizada, definida como estado de solicitação.

A classe de funcionamento, respectivamente tempo médio de funcionamento diário em horas é determinado pela fórmula seguinte,
para o mecanismo de elevação:

2 x curso médio utilizado do gancho (m) x levantamentos / hora x horas/dia


60 x velocidade de elevação (m/minuto)

Para o trote, basta substituir as expressões correspondentes à elevação pelas de percurso.


O estado de solicitação é definido simplificadamente na Tabela ‘‘D’’, abaixo, onde a média cúbica (fator ‘‘k’’) foi calculado pela fór-
mula e esclarecimentos constantes da Norma NBR-9967 bem como da Norma FEM-9511.

TABELA D
ESTADO DE DEFINIÇÃO MÉDIA
SOLICITAÇÃO CÚBICA ‘‘K’’

1 <
= 0,5
(leve) Comumente cargas pequenas – Excepcionalmente cargas máximas.

2 Comumente cargas pequenas, porém, também médias e máximas. <


<
0,5
(moderado) = 0,63

3
Comumente cargas médias, porém, freqüentemente máximas.
<
<
0,63
(severo) = 0,8

Maio/2012
4
Comumente cargas máximas ou próximas das máximas. <
<
0,8
(muito severo) = 1,0

Pela Tabela ‘‘E’’ verifica-se a adequação da talha FEBA ao uso específico, conforme o grupo requerido.

TABELA E
Estados Classes de funcionamento

de V 0.12 V 0.25 V 0.5 V1 V2 V3 V4 V5

Solici- Médias Cúbicas Tempos médios de funcionamento diário, em horas

tação <
= 0.25
<
= 0.5
<
= 1
<
= 2
<
= 4
<
= 8
<
= 16 < 16

1 <
k= 0.50 1 Dm 1 Cm 1 Bm 1 Am 2m 3m 4m

2 0.50 <k=
<
0.63 1 Dm 1 Cm 1 Bm 1 Am 2m 3m 4m 5m

<k=
Maio/2012

< 4m
3 0.63 0.80 1 Cm 1 Bm 1 Am 2m 3m 5m

4 0.80 < k = 1.00


< 1 Bm 1 Am 2m 3m 4m 5m

Se o grupo requerido for mais alto do que o encontrado na Tabela ‘‘A’’, deve ser especificada talha com maior capacidade nominal,
utilizando-se o fator 1,25 para cada grupo adicional.

Por exemplo:
Capacidade exigida: 2.000 kg.
Grupo requerido conforme Tabela‘‘E’’: 4m.
~ 4.000 kg.
Capacidade nominal necessária no grupo 1AM: 2.000 x 1,25 x 1,25 x 1,25 = 3906 =
Modelo apropriado conforme tabela ‘‘A’’: G2 de 4 cabos.

É indispensável verificar se a velocidade de elevação do novo modelo escolhido não o situa em outra classe de funcionamento
(horas/dia) da qual resultaria outra classificação.

A reclassificação não pode ser usada de forma inversa, ou seja, se a classe requerida for mais baixa do que a constante na Tabe-
la ‘‘A’’, nem por isso a talha pode ser especificada para capacidade nominal menor do que a máxima carga que ela deve elevar.
PARA LEMBRAR

SEGURANÇA É PRIORIDADE

MANUSEAR CARGAS É PERIGOSO E DEVE-SE UTILIZAR OS MEIOS CORRETOS COM


RESPONSABILIDADE E CAUTELA.

AO INCLUIR A SISTEMÁTICA DE ESCOLHA DO EQUIPAMENTO DE ELEVAÇÃO E MANUSEIO


APROPRIADO PARA EXECUTAR O SEU TRABALHO, BUSCAMOS CONTRIBUIR COM UM
PASSO FUNDAMENTAL TAMBÉM NA PRESERVAÇÃO DE SUA SEGURANÇA.

SEGURANÇA É OBRIGAÇÃO DE TODOS

OS EQUIPAMENTOS FEBA SÃO ACOMPANHADOS DE MANUAIS DE INSTRUÇÕES


ABRANGENTES E DETALHADAS DE MONTAGEM, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO, E DEVEM
SER DIVULGADOS A TODOS OS ENVOLVIDOS EM SEU MANUSEIO.

CONTE COM A FEBA PARA AUXILIÁ-LO A ENCONTRAR SOLUÇÕES PARA SUAS


NECESSIDADES DE MANUSEIO DE CARGAS COM SEGURANÇA.
COM A PERMANENTE DISPOSIÇÃO PARA ATENDÊ-LO, OUVI-LO E AJUDÁ-LO A
RESOLVER QUESTÕES DE APLICAÇÃO, NOSSO COMPROMISSO É AMPLIAR A
SATISFAÇÃO POR UM TRABALHO BEM FEITO.
FUNDADA EM 1964, A FEBA INDÚSTRIA MECÂNICA LTDA,
CONTA ATUALMENTE COM UMA ÁREA CONSTRUÍDA DE 10.000 M², EM
DIADEMA - SP.

DENTRE OS PRINCIPAIS EQUIPAMENTOS PRODUZIDOS PELA FEBA,


DESTACAM-SE:

TALHAS ELÉTRICAS UNITÁRIAS E GEMINADAS,


PADRONIZADAS
NAS CAPACIDADES DE 1 A 100 TONELADAS.

PONTES ROLANTES E PÓRTICOS NAS VERSÕES UNIVIGA E


DUPLAVIGA,
COM TALHA, CARRO-TALHA E CARRO-GUINCHO, PADRONIZADOS NAS
CAPACIDADES RESPECTIVAS DE 1 A 25, 2 A 50 E 60 A 300
TONELADAS
E ESPECIAIS ATÉ 400 TONELADAS

PONTES ROLANTES E TALHAS PARA ÁREAS EXPLOSIVAS E


PARA ÁREAS LIMPAS

EQUIPAMENTOS ESPECIAIS NO CAMPO DA MOVIMENTAÇÃO


HORIZONTAL E VERTICAL DE MATERIAIS DIVERSOS COM SOLUÇÕES
ESPECÍFICAS PARA REQUISITOS NÃO CONVENCIONAIS

FEBA INDÚSTRIA MECÂNICA LTDA.


Av. Sete de Setembro, 1629 - Diadema - SP
CEP: 09912-010 - FONE/FAX: (11) 4053-5900
E-mail: comercial@feba.com.br - Home Page: www.feba.com.br