Você está na página 1de 49

REFERÊNCIAS E CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS:

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA

ELABORAÇÃO DE MANOGRAFIAS, DISSERTAÇÕES, TESES,

TRABALHOS, ETC.
SUMÁRIO

APRESENTAÇÃO .............................................................................................................. 1

1 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO ............................................................... 2


1.1 Entrada para autores................................................................................................ 2
1.2 Título .......................................................................................................................... 3
1.3 Subtítulo..................................................................................................................... 3
1.4 Edição......................................................................................................................... 3
1.5 Local de publicação................................................................................................... 3
1.6 Editor ......................................................................................................................... 3
1.7 Data ............................................................................................................................ 4
1.8 Páginas ....................................................................................................................... 4

2 EXEMPLOS DE REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .......................................... 5


2.1 Livros (considerado no todo) ................................................................................... 5
2.1.1 Com um autor .......................................................................................................... 5
2.1.2 Com dois autores ..................................................................................................... 5
2.1.3 Com três autores (e indicação de tradutor) .............................................................. 5
2.1.4 Com mais de três autores......................................................................................... 5
2.1.5 Autor repetido.......................................................................................................... 6
2.1.6 Entidade coletiva que já traz no nome o país que publica....................................... 6
2.1.7 Autores corporativos................................................................................................ 6
2.1.7.1 Entidades governamentais .................................................................................. 6
2.1.8 Com indicação de responsabilidade intelectual....................................................... 6
2.1.9 Obra anônima (entrada pelo título).......................................................................... 7
2.1.10 Com indicação de edição ......................................................................................... 7
2.1.11 Com diferentes locais e editoras de publicação....................................................... 7
2.1.12 Com editoras diferentes e mesmo local de publicação............................................ 7
2.1.13 Vários autores e colaboradores, não aparecendo o responsável .............................. 7
2.2 Livros (considerados em partes).............................................................................. 7
2.2.1 Capítulo com autoria específica .............................................................................. 7
2.2.2 Capítulo sem autoria específica ............................................................................... 8
2.2.3 Capítulo sem autoria e sem título específico ........................................................... 8
2.3 Teses, dissertações, monografias, etc....................................................................... 8
2.4 Memoriais .................................................................................................................. 9
2.5 Bíblia .......................................................................................................................... 9
2.5.1 Considerada no todo ................................................................................................ 9
2.5.2 Considerada em parte .............................................................................................. 9
2.6 Eventos científicos (Congressos, Seminários, Jornadas, Proceedings,
etc.)........................................................................................................................ 9
2.6.1 Considerados no todo .............................................................................................. 9
2.6.2 Considerados em parte............................................................................................. 9
2.7 Entrevista (publicado em revista ou não) ............................................................. 10
2.8 Conferência, discurso, palestra.............................................................................. 10
2.8.1 Conferência não publicada .................................................................................... 10
2.8.2 Conferência ou discurso realizado em um evento mas não publicado .................. 11
2.9 Artigos de jornais.................................................................................................... 11
2.9.1 Jornal no todo ........................................................................................................ 11
2.9.2 Edição comemorativa ............................................................................................ 11
2.9.3 Artigo com autor.................................................................................................... 11
2.9.4 Artigo sem autor .................................................................................................... 11
2.9.5 Suplementos, cadernos especiais dentro do jornal ................................................ 11
2.10 Publicações periódicas consideradas no todo (coleção) ....................................... 11
2.11 Publicações periódicas consideradas em partes ou fascículo.............................. 12
2.11.1 Fascículo no todo, sem título específico................................................................ 12
2.11.2 Fascículo no todo, com título específico ............................................................... 12
2.11.3 Fascículo comemorativo........................................................................................ 12
2.11.4 Números especiais, suplementos, etc. ................................................................... 12
2.12 Artigos de periódicos .............................................................................................. 13
2.12.1 Artigos com autoria específica .............................................................................. 13
2.12.2 Artigos sem autoria específica............................................................................... 13
2.12.3 Artigos publicados sem indicação do volume e número do fascículo................... 13
2.12.4 Artigos publicados com fascículos acumulados .................................................... 13
2.12.5 Editoriais................................................................................................................ 14
2.12.6 Artigos em publicação (no prelo) .......................................................................... 14
2.12.7 Correspondências (letters) ..................................................................................... 14
2.12.8 Resumos de artigos ................................................................................................ 14
2.12.9 Resumos publicados em "Abstracts" ..................................................................... 14
2.13 Legislação................................................................................................................. 14
2.13.1 Publicada em diários oficiais ................................................................................. 14
2.13.2 Publicada em revistas ............................................................................................ 15
2.13.3 Constituição ........................................................................................................... 15
2.14 Patentes .................................................................................................................... 15
2.14.1 Documento citado.................................................................................................. 15
2.14.2 Documento original ............................................................................................... 15
2.15 Relatórios técnicos .................................................................................................. 15
2.15.1 Com autoria específica .......................................................................................... 16
2.15.2 Sem autoria específica (entrada pelo nome da entidade)....................................... 16
2.16 Censos....................................................................................................................... 16
2.17 Trabalhos mimeografados...................................................................................... 16
2.18 Resenhas, resumos e recensões .............................................................................. 16
2.19 Separatas.................................................................................................................. 16
2.19.1 Separata de periódico............................................................................................. 17
2.19.2 Separata de livro (capítulo).................................................................................... 17
2.20 Publicação da OMS ou WHO (Organização Mundial da Saúde ou
World Health Organization) ............................................................................ 17
2.20.1 Publicação pertencente a uma série, mas cada fascículo possui um título
diferente ........................................................................................................... 17
2.20.2 Livro editado pela OMS ........................................................................................ 17
2.21 Materiais especiais .................................................................................................. 17
2.21.1 Discos .................................................................................................................... 17
2.21.2 Fita cassete............................................................................................................. 17
2.21.3 Filmes .................................................................................................................... 18
2.21.4 Vídeo ..................................................................................................................... 18
2.21.5 Diafilmes ............................................................................................................... 18
2.21.6 Diapositivos ........................................................................................................... 18
2.21.7 Transparências ....................................................................................................... 18
2.21.8 Partituras ................................................................................................................ 18
2.21.9 Mapas..................................................................................................................... 18

3 PALAVRAS E ABREVIATURAS LATINAS.......................................................... 20

4 CITAÇÕES DE AUTORES NO TEXTO ................................................................. 22


4.1 Tipos de citações...................................................................................................... 22
4.1.1 Citação textual ....................................................................................................... 22
4.1.1.1 Citação de até três linhas................................................................................... 22
4.1.1.2 Citação de mais de três linhas........................................................................... 22
4.1.2 Citação livre........................................................................................................... 23
4.2 Citação de trabalhos de um autor ......................................................................... 23
4.3 Citação de trabalhos de dois autores..................................................................... 23
4.4 Citação de trabalhos de três ou mais autores....................................................... 23
4.5 Citação de trabalhos que entram pelo título ........................................................ 23
4.6 Documentos cujo autor é uma entidade coletiva.................................................. 24
4.7 Citação de vários trabalhos de um mesmo autor e mesmo ano .......................... 24
4.8 Citação de trabalhos de um só autor e mais de um documento, em anos
diferentes ............................................................................................................ 24
4.9 Citação de vários autores para uma mesma afirmação ...................................... 25
4.10 Citação de autores com mesmo sobrenome e obras com mesmo ano de
publicação .......................................................................................................... 25
4.11 Citação de autores com mesmo sobrenome e obras com mesmo ano de
publicação, cujas iniciais dos prenomes são iguais, indica-los por
extenso ................................................................................................................ 25
4.12 Congressos, seminários, conferências ................................................................... 26
4.13 Sistema de chamada alfanumérico ........................................................................ 26

5 NOTAS DE RODAPÉ................................................................................................. 27

6 TIPOS DE TRABALHOS CIENTÍFICOS............................................................... 29


6.1 Monografias............................................................................................................. 29
6.1.1 Definição ............................................................................................................... 29
6.1.2 Estrutura................................................................................................................. 29
6.2 Teses e dissertações ................................................................................................. 29
6.2.1 Conceito................................................................................................................. 29
6.2.2 Apresentação Física ............................................................................................... 29
6.2.2.1 Preparo dos Originais........................................................................................ 29
6.2.2.2 Paginação .......................................................................................................... 30
6.2.3 Estrutura................................................................................................................. 30
6.2.3.1 Elementos do pré-texto ..................................................................................... 30
6.2.3.2 Elementos do texto............................................................................................ 33
6.3 Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC)............................................................. 37
6.3.1 Definição ............................................................................................................... 37

7 CURRICULUM VITAE ............................................................................................. 38


7.1 Definição .................................................................................................................. 38
7.2 Estrutura.................................................................................................................. 38

8 ANEXOS ...................................................................................................................... 39

9 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ...................................................................... 46


Referências e citações bibliográficas 1

APRESENTAÇÃO

Diante da necessidade de parâmetros para a elaboração de dissertações e

teses, visando facilitar a assimilação e o uso de regras existentes, foi compilado o

presente manual que esperamos se mostre didático e prático quando de sua utilização.

Reuniu-se aqui normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas

Técnicas) com algumas adaptações.

Com Referências e citações bibliográficas: manual de orientação espera

contribuir de forma significativa na elaboração dos trabalhos propostos.


Referências e citações bibliográficas 2

1 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO

Os elementos de referência de um documento devem ser tirados, sempre que


possível, da folha de rosto.
Na apresentação das referências, manter a margem da 2a. linha em diante, sob
a 3a. letra da entrada.
A entrada se faz pelo sobrenome do autor em maiúscula, seguido de vírgula e
das iniciais do prenome.
A indicação do prenome dos autores poderá ser por extenso ou abreviado.
Quando um documento entra pelo título, a primeira palavra, inclusive o artigo
que a precede, deverá ser maiúscula.
Quando uma entidade publica um trabalho, ela é tratada como autor, na
língua que consta no texto.
Quando a entidade coletiva tiver uma denominação genérica, seu nome deve
ser precedido da região geográfica (País, Estado, Cidade ou Município a que pertence).
Informações de caráter pessoal, tais como, cartas, comunicação oral,
anotações de aula, palestras, debates, etc., deverão ser citados como notas de rodapé.
Os meses, quando indicados, deverão ser abreviados no idioma original da
publicação, indicando-se apenas as três primeiras letras, com "ponto". Os meses com
quatro letras não serão abreviados. Em inglês e alemão indicam-se os meses com letras
maiúsculas, nas demais em minúsculas.

1.1 Entrada para autores

Quando a obra tem até 3 autores, mencionam-se todos, separados por ponto e
vírgula.
Se a obra tem mais de 3 autores, pode-se mencionar apenas o primeiro,
seguido da expressão "et al.", ou todos os autores separados por ponto e vírgula.

Nome de autor em espanhol

Emilio Mira y Lopes --> indicar : MIRA Y LOPES, E.

Nomes ligados por hífen

MERLEAU-PONTY, M.

Nomes que indicam parentesco

ALMEIDA FILHO, A.
ALMEIDA JÚNIOR, A.
ALMEIDA NETO, A.

Nomes com partículas de ligação

FARO, A.M.M. e
Referências e citações bibliográficas 3

OLIVEIRA, A.M. de

Nomes constituídos por palavras que formam uma expressão

YASLLE ROCHA, J.S.


ESPIRITO SANTO, A.C.

Nomes de origem estrangeira com prefixo

VAN WOUR, S.
DEL CASTILHO, J.

1.2 Título

O título da obra deverá ser grifado e citado com apenas a primeira letra em
maiúscula, salvo quando for nome próprio.
Os títulos de periódicos deverão ser abreviados de acordo com as abreviaturas
preconizadas pelo Index Medicus ou obras similares. Recomenda-se a indicação por
extenso nos casos em que não se tem acesso a essas normas.

1.3 Subtítulo

Será sempre precedido de dois pontos e com a primeira letra minúscula, sem
grifo.

1.4 Edição

Quando mencionada na publicação, deverá ser indicada em algarismos


arábicos, seguida da abreviatura ed. para edição em português, inglês, italiano e francês
e Aufl. para edição em alemão. Primeira edição não deve ser indicada.

1.5 Local de publicação

Deverá ser indicado tal como aparece na publicação. Quando há mais de um


local, indicar o que aparece em primeiro lugar.
Na falta de indicação do local, usar s.l.

1.6 Editor

Deverão ser supridos do nome da editora, as expressões livraria, editora, S/A,


etc. Quando houver mais de um editor, indicar o que vier em primeiro lugar ou o que
estiver mais destacado, ou também, os demais, acompanhados dos locais de publicação.
Referências e citações bibliográficas 4

Não se indica o editor quando este for o autor. Na falta deste elemento usar
s.ed.
Exemplo: New York, Collier Books/London, Collier Macmillan.

1.7 Data

É indicada logo após o editor, precedida de vírgula e sempre em algarismos


arábicos.
Quando a data não aparece na folha de rosto ou ainda pode ser determinada,
indicá-la entre barras ou parênteses.
Na ausência deste elemento, usar s.d. Na ausência de todas as notas
tipográficas (local, editor e data), usar s.n.t.

1.8 Páginas

O número total de páginas de uma publicação é indicado seguido da


abreviatura p. (330p.) e o número de páginas de parte de uma publicação é precedido da
abreviatura p. (p.32-55).
Referências e citações bibliográficas 5

2 EXEMPLOS DE REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

2.1 Livros (considerado no todo)

Ordem dos elementos


• autor(es)
• título
• subtítulo
• edição
• local de publicação
• editora
• data de publicação
• série (quando houver)

2.1.1 Com um autor

GRAEF, F.G. Drogas psicotrópicas e seu modo de ação. 2.ed. São Paulo,
E.P.U., 1990.

2.1.2 Com dois autores

RAW, I.; COLLI, W. Fundamentos de bioquímica. 3.ed. São Paulo,


EDART, 1969.

2.1.3 Com três autores (e indicação de tradutor)

YOMANS, G.P.; PATERSON, P.Y.; SOARES, H.M. Bases biológicas e


clinicas das doenças infecciosas. Trad. de Paulo Nalasco Pedrosa. São
Paulo, Artes Médicas, 1983.

Obs.: Documentos traduzidos poderão ter seu título no idioma original


acrescentados logo após a indicação do título traduzido.

SHELDON, S. Um estranho no espelho. (A stranger in the mirror). Trad.


de Ana Lúcia Deiró Cardoso. São Paulo, Círculo do Livro, 1981.

2.1.4 Com mais de três autores

• indicação apenas do primeiro autor

WILSON, E.D. et al. Principles of nutrition. New York, J. Wiley, 1965.

• indicação de todos os autores

PARO, V.H.; FERRETTI, C.I.; VIANNA, C.P.; SOUZA, D.T. Escola de


tempo integral: desafio para o ensino público. São Paulo, Cortez, 1988.

2.1.5 Autor repetido


Referências e citações bibliográficas 6

O nome do autor de várias obras referenciadas sucessivamente pode ser


substituído, nas referências seguintes à primeira por um travessão simples (8 dígitos)

VINHA, V.H.P. Amamentação materna: incentivo e cuidados. São Paulo,


Savier, 1983.

________. Amamentação materna: incentivo e cuidados. São Paulo,


Savier, 1987.

2.1.6 Entidade coletiva que já traz no nome o país que publica

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Rio de Janeiro.


Normalização da documentação do Brasil. Rio de Janeiro, Instituto
Brasileiro de Bibliografias e Documentação, 1964.

2.1.7 Autores corporativos

A entrada é feita pelo nome da entidade.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Sistema Integrado de Bibliotecas.


Guia das bibliotecas SIBI/USP. 2.ed. São Paulo, 1988.

ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE BIBLIOTECÁRIOS. Grupo de


bibliotecários biomédicos. Referências bibliográficas em ciências
biomédicas. São Paulo, Divisão de Biblioteca e Documentação, 1971.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Dengue hemorrágico:


diagnóstico, tratamento e controle. Genebra, 1987.

2.1.7.1 Entidades governamentais

BRASIL. Instituto Nacional da Propriedade Industrial. Setor de Publicação.


Patentes industriais: registros. Rio de Janeiro, 1963.

SÃO PAULO. Coordenadoria do Bem Estar Social. Creches: programação


básica. 2.ed. São Paulo, 1990.

2.1.8 Com indicação de responsabilidade intelectual


Organizador (org.) Coordenador (coord.) Editor (ed.)

MARCONDES, E. (coord). Ecopediatria: a força do ambiente sobre a saúde


da criança. São Paulo, Savier, 1981. (Monografias Médicas. Série
Pediatria, v.17)

2.1.9 Obra anônima (entrada pelo título)

OS PERIGOS do entusiasmo. Lisboa, Rollandiana, 1834.


Referências e citações bibliográficas 7

2.1.10 Com indicação de edição

ZANINI, A.C.; OGA, S. Farmacologia aplicada. 4.ed. São Paulo,


Atheneu, 1989.

DIEBOLD, O. et al. Klinische chirurgie fur die praxis. 2.Aufl. Stuttgart,


Georg Thiene Verlag, 1963. 4v.

2.1.11 Com diferentes locais e editoras de publicação

AKCEBRUD, I. O Oriente Médio. São Paulo, Atual/Campinas,


UNICAMP, 1984.

2.1.12 Com editoras diferentes e mesmo local de publicação

BERNADET, J.C.; RAMOS, A.F. Cinema e história do Brasil. São Paulo,


Contexto/EDUSP, 1988.

2.1.13 Vários autores e colaboradores, não aparecendo o responsável

GRANDE enciclopédia portuguesa e brasileira. Lisboa, Enciclopédia, s.d.

2.2 Livros (considerados em partes)

2.2.1 Capítulo com autoria específica

Ordem dos elementos


• autor(es) do capítulo
• título do capítulo
• autor(es) ou editor(es) do livro
• título do livro
• edição
• local de publicação
• editora
• data de publicação
• número do capítulo
• páginas do capítulo

SELULIBA, P. et al. The economy of a destrict hospital. In: KING, M. (ed.)


Medical care in developing countries. Nairobi, OUP, 1977. cap. 2, p.
79-141.

2.2.2 Capítulo sem autoria específica

Ordem dos elementos


• autor(es) do livro
Referências e citações bibliográficas 8

• título do livro
• edição
• local de publicação
• editora
• data de publicação
• número do capítulo
• páginas do capítulo
• título do capítulo

SCHUSTER, F.F.; COPPOLA, G.M. Allenes in organic synthesis. New


York, John Wiley, 1984. cap.3, p.57-85: Additions to allene
hydrocarbons.

2.2.3 Capítulo sem autoria e sem título específico

SACCONI, L.A. Não erre mais. 8.ed. São Paulo, Ática, 1986. p.51-2

2.3 Teses, dissertações, monografias, etc.

Ordem dos elementos


• autor
• título
• local
• data
• páginas
• grau de dissertação ou tese
• unidade onde foi defendida

MARTINEZ, R. Aspectos do metabolismo do ferro na blastomicose sul


americana. Ribeirão Preto, 1975. 82p. Dissertação (Mestrado) -
Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo.

MARTINS, C.R. Imagem da escola: um estudo de atitudes entre estudantes


universitários. Piracicaba, 1988. 274p. Tese (Livre Docência) - Escola
Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de São Paulo.

MORGADO, M.L.C. Reimplante dentário. São Paulo, 1990. 51p.


Monografia (Curso de Especialização) - Faculdade de Odontologia,
Universidade Camilo Castelo Branco.

2.4 Memoriais

IAZIGI, N. Memorial: apresentado à Faculdade de Medicina de Ribeirão


Preto. Universidade de São Paulo, concurso para Docência do
Departamento de Clínica Médica. Ribeirão Preto, 1976. 76p.
Referências e citações bibliográficas 9

2.5 Bíblia

2.5.1 Considerada no todo

BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Trad. de Antônio Pereira de


Figueiredo. Lisboa, Barsa, 1966.

2.5.2 Considerada em parte

BÍBLIA. Gêneses. Português. Bíblia sagrada. Trad. de Antônio Pereira de


Figueiredo. Lisboa, Barsa, 1966. p.1-41

2.6 Eventos científicos (Congressos, Seminários, Jornadas,


Proceedings, etc.)

2.6.1 Considerados no todo

Ordem dos elementos


• nome do evento
• número do evento
• local de realização (cidade)
• data
• título da publicação
• local da publicação
• editora
• data de publicação

CONGRESSO BRASILEIRO DE UROLOGIA, 11., Rio de Janeiro, 1961.


Anais. Rio de Janeiro, Sociedade Brasileira de Urologia, 1962.

Obs.: Dois eventos realizados simultaneamente, mesmo local e mesmo


assunto, indicar o mais importante em primeiro lugar.

CONGRESSO BRASILEIRO DE UROLOGIA, 11.; JORNADA DE


UROLOGIA, 3., Rio de Janeiro, Sociedade Brasileira de Urologia, 1962.
v.1

2.6.2 Considerados em parte

Trabalho apresentado e publicado em anais

RISCH, M. Profilaxia da infecção na cirurgia urológica. In: CONGRESSO


BRASILEIRO DE UROLOGIA, 11., Rio de Janeiro, 1961. Anais. Rio de
Janeiro, Sociedade Brasileira de Urologia, 1962. p. 219-33

Trabalho apresentado e publicado sob a forma de resumo


Referências e citações bibliográficas 10

AUGUSTO, E.F.P. et al. Estudo da bioconservação de sorbito e sorbose em


processo descontínuo alimentado para produção de vitamina C. In:
CONGRESSO E FEIRA NACIONAL DE BIOTECNOLOGIA, 1., Rio de
Janeiro, 1988. Programa e resumos. Rio de Janeiro, Associação
Brasileira das Empresas de Biotecnologia, 1988. p.32

Trabalho apresentado e divulgado como artigo

ALVES, M.A.M.; MENEGAZ, R. Depósito legal: esperança ou realidade.


Rev. Bras. Bibliotecon., v.15, n.1, p. 35-44, 1987. /Apresentado ao 20.
Congresso Brasileiro de Publicações , 20. Seminário de Reprografia, São
Paulo, 1984/

Trabalho apresentado e não publicado

CAVALCANTI, C.R. Experiência de mecanização em processos técnicos


em bibliotecas. /Apresentado ao 2. Congresso Regional sobre
Documentação, Rio de Janeiro, 1969/

Proceedings

DIXON, A. D. et al. Fundamentals of bone growth: methodology and


application. In: INTERNATIONAL CONFERENCE HELD AT THE
UNIVERSITY OF CALIFORNIA, 3., Los Angeles, 1990. Proceedings.
Los Angeles, Center for Health Sciences, 1990. p.30-7

2.7 Entrevista (publicado em revista ou não)

FERRAZ, M.A. Pesquisa bibliográfica. São Paulo, 07 ago. 1980.


Entrevista com Diva de Andrade, no Departamento de Biblioteconomia,
Escola de Comunicação e Artes da USP, em 07 ago. 1980.

2.8 Conferência, discurso, palestra

2.8.1 Conferência não publicada

HAMAR, A.A. Biblioteca do futuro. São Paulo, 1971. Conferência


realizada no SESC, em 17.4.1971.

2.8.2 Conferência ou discurso realizado em um evento mas não publicado

HAMAR, A.A. Biblioteca do futuro. São Paulo, 1978. Conferência


realizada no SESC - 5. Bienal Internacional do Livro, em 15.8.1978.
Referências e citações bibliográficas 11

2.9 Artigos de jornais

Ordem dos elementos


• autor (es)
• título do artigo
• título do jornal
• local de publicação
• dia, mês, ano
• número ou título do caderno, seção ou suplemento
• páginas

2.9.1 Jornal no todo

O ESTADO DE SÃO PAULO. São Paulo, 12 ago. 1978.

2.9.2 Edição comemorativa

O DIÁRIO DA NOITE, São Paulo. Ed. Comem. à 11. Copa Mundial de


Futebol, 17 jul. 1978.

2.9.3 Artigo com autor

CAIDIERI, T.; BRAUNE, P. Negociação: uma arte essencial. Folha de S.


Paulo, São Paulo, 01 mar. 1990. p.f-2.

2.9.4 Artigo sem autor

O NORDESTE continua um desafio. Estado de São Paulo, São Paulo, 07


ago. 1987. p.4

2.9.5 Suplementos, cadernos especiais dentro do jornal

ROMANO, R. A luta das ciências exatas. Folha de S. Paulo, São Paulo, 5


dez. 1985. Suplemento Cultural, p. 21

2.10 Publicações periódicas consideradas no todo (coleção)

Ordem dos elementos


• título do periódico
• local de publicação
• editora
• ano inicial
• ano final da publicação (quando for publicação encerrada)

REVISTA BRASILEIRA DE GEOGRAFIA. Rio de Janeiro, IBGE, 1939 -

2.11 Publicações periódicas consideradas em partes ou fascículo


Referências e citações bibliográficas 12

2.11.1 Fascículo no todo, sem título específico

Ordem dos elementos


• título do periódico
• local de publicação
• volume
• número
• mês
• ano de publicação

AMERICAN JOURNAL OF ROENTGENOLOGY. Baltimore, v.137, n.6,


Dec. 1981.

2.11.2 Fascículo no todo, com título específico

Ordem dos elementos


• título do periódico
• título do fascículo
• local
• volume
• número
• mês
• ano

CARING. Aids and home care. Washington, v.8, n.11, Nov. 1989.

2.11.3 Fascículo comemorativo

REVISTA DO LIVRO. Ed. comem. ao cinqüentenário da morte de Machado


de Assis. Rio de Janeiro, INL, v.3, n.11, set. 1978.

2.11.4 Números especiais, suplementos, etc.

REVISTA POLITÉCNICA. 50 anos de minas e metalurgia: 1939-1989. São


Paulo, v.84, n.202, nov. 1989. Edição especial

BLOCK, C.H.; HORAN, M.J.; KRIEGER, M. Epideology of blood pressure


and predictors of hypertension. Hypertension, v.15, n.2, p.5115-21, 1990.
Supplement 3.

2.12 Artigos de periódicos

2.12.1 Artigos com autoria específica

Ordem dos elementos


• autor(es) do artigo
Referências e citações bibliográficas 13

• título do artigo
• título do periódico
• volume
• número
• páginas
• ano de publicação

SIMMONS, J.A.; BEWLEY, D.K. The relative affectiveness of a fast


neutrons in creating stable free radicals. Radiat. Res., v.65, n.2, p.197-
201, 1976.

2.12.2 Artigos sem autoria específica

Ordem dos elementos


•título do artigo
•título do periódico
•volume
•número
•página
•ano

NEW traction device for radiography of the lower. Am. J. Roentgenol.,


v.137, n.6, p.1203-8, 1981.

2.12.3 Artigos publicados sem indicação do volume e número do fascículo

WYLIE, E. A mulher no contexto populacional. Saúde Mundo, p.14-7,


1984.

2.12.4 Artigos publicados com fascículos acumulados

ALMEIDA, M.M.G. O enfermeiro no planejamento familiar. Rev. Bras.


Enfermagem, v.38, n.3/4, p.215-30, 1985.

2.12.5 Editoriais

YAZLLE ROCHA, J.S. O urgente e o importante. /Editorial/ Medicina,


v.23, n.3, p.149-50, 1990.

2.12.6 Artigos em publicação (no prelo)

MADEIRA, L.M. Processo ensino-aprendizagem: relato de experiência.


Rev. Esc. Enfermagem USP, v.24, n.3, 1990. /no prelo/

Obs: a referência deverá constar da lista de referência bibliográficas.

2.12.7 Correspondências (letters)


Referências e citações bibliográficas 14

RIES, K.M. Atypical mycobacterium infection. /Letters/ New England. J.


Med., v.322, n.9, p.633, 1990.

2.12.8 Resumos de artigos

BANTLEON, H.H. et al. Fortschritte in der praprothertischen


kieferorthopädie. Zeitschrift für Stomatologies, v.8, n.85, p.53, 1988.
/Resumo/

2.12.9 Resumos publicados em "Abstracts"

ALAM, I.A.; SADIQ, M. Metal contaminations of drinking water from


corrosion of distribution pipes. Envirommental Pollution, v.57, n.2,
p.167-78, 1989. /Resumo 315 em Trop. Dis. Bull., v.87, n.2, p.94, 1990/.

Obs.: a menção do local e mês da publicação da revista são opcionais.

2.13 Legislação

Ordem dos elementos


• nome do país, estado ou município
• número da lei, decreto, portaria, etc.
• ementa
• dados da publicação que transcreveu a lei ou decreto

2.13.1 Publicada em diários oficiais

BRASIL. Leis etc. Lei n.7.679 de 23 de novembro de 1988. Dispõe sobre a


proibição da pesca de espécies em períodos de reprodução. Diário Oficial
da União, Brasília, 05 dez. 1988. Seção 1, p.10.

SÃO PAULO (Estado). Leis etc. Decreto n. 25.555 de 13 de março de 1987.


Cria... Diário Oficial do Estado, São Paulo, 14 mar. 1987. Seção 1, p.1,
c.3.

SÃO PAULO (Cidade). Leis etc. Lei n. 8.765 de 14 de fevereiro de 1987.


Aprova... Diário Oficial do Município, São Paulo, 15 fev. 1987. Seção
2, p.240.

2.13.2 Publicada em revistas

BRASIL. Leis etc. Lei n. 5.172 de 25 de outubro de 1966. Revista dos


Tribunais, v.5, n.9, p.12-4, 1966.

2.13.3 Constituição
Referências e citações bibliográficas 15

BRASIL. Constituição, 1988. Constituição da República Federativa do


Brasil, 1988. São Paulo, Ed. Revista dos Tribunais, 1989.

2.14 Patentes

Ordem dos elementos


• nome do depositante, inventor e do titular
• título da invenção na língua original
• classificação internacional de patentes
• país, n. do depósito, data do depósito, data da publicação do pedido de
privilégio, data da expedição da carta patente, quando houver
• indicação da publicação onde foi citada a patente

2.14.1 Documento citado

COMMODITIES TRADING AND DEVELOPMENT LIMITED, Andre


Aspa. Processo e instalação para alcalinizar e pasteurizar as sementes de
cacau antes de seu esmagamento. Int. CL3A23G1/02. Br.n.Pi. 8002165. 2
abr. 1980; 25 nov. 1980. Rev. Propr. Ind., n.527, p.15, 1980.

2.14.2 Documento original

ALLIED CHEMICAL CORPORATION. HECKLINGER, C.F.; CROOCK,


D.E. Recovery of sodium nitrite from by product process liquors
containing sodium chloride. Int. CL2CO1B21/50 US3, 965,247. June
22, 1976.

2.15 Relatórios técnicos

Ordem dos elementos


• autor(es)
• título
• local
• editora
• ano
• nome da série (quando houver)

2.15.1 Com autoria específica

HEHL, M.E. Fortran 8X: o novo padrão. São Carlos, ICMSC, 1988.
(Relatório Técnico ICMSC - USP, 1)

2.15.2 Sem autoria específica (entrada pelo nome da entidade)


Referências e citações bibliográficas 16

INSTITUTO TECNOLÓGICO DA AERONAÚTICA. Divisão de


Engenharia Aeronaútica. Notas sobre a redação de relatórios. São José
dos Campos, ITA, s.d. /Mimeografado/

2.16 Censos

FUNDAÇÃO IBGE. Censo demográfico: famílias e domicílios: São Paulo.


Rio de Janeiro, 1983, v.1, t.6, n.19. (9. Recenseamento Geral do Brasil,
1980).

2.17 Trabalhos mimeografados

LAURENTI, R. Mortalidade perinatal. São Paulo, Centro Brasileiro de


Classificação de Doenças, 1978. /Mimeografado/

2.18 Resenhas, resumos e recensões

CALDEIRA, J.P.B. A política dos outros. São Paulo, Brasiliense, 1984.


/Resenha de: SANTOS, P.M. Cometa: divindade momentânea ou bola de
gelo sujo? Ci. Hoje, v.5., n.30, p.20, 1987/

2.19 Separatas

Publicação avulsa de parte de um trabalho, podendo ser preprint ou reprint.

• Preprint: quando antes de sair da editora a obra completa, publica-se uma


parte para o autor verificar.

• Reprint: após a publicação da obra completa, publica-se uma parte.

2.19.1 Separata de periódico

LIMA, E.L. et al. Esboço da situação matemática do Brasil. Ci. Cult., São
Paulo, v.18, n.1, p.45-7, 1966. /Separata/

2.19.2 Separata de livro (capítulo)

KNOWLES, W.H. Industrial conflict and unions. Berkeley, Institute of


Industrial Relations, 1961. Separata de MOORE, W.E. (ed.) Labor
commitement and social change in developing area. New York, 1960.
p. 291-312
Referências e citações bibliográficas 17

2.20 Publicação da OMS ou WHO (Organização Mundial da Saúde ou


World Health Organization)

2.20.1 Publicação pertencente a uma série, mas cada fascículo possui um título
diferente

ORGANIZACION MUNDIAL DE LA SALUD. Uretrites nogonocócia y


otras enfermedades de transmision para la salud pública: informe.
Ginebra, 1981. (Série de informes técnicos, 660)

2.20.2 Livro editado pela OMS

SOMER, A. Fields guide to the detection and control of xerophtalmie.


2.ed. Geneva, WHO, 1982.

2.21 Materiais especiais

2.21.1 Discos

BACH, J.S. The well tempered clavier (disco). Joerge Vemus, Piano.
Westminster. XW N5501. 5 discos. 33 rpm. mono. 12 pol.

BACHIANAS brasileiras n.8 e 9(discos). Heitor Villa-Lobos. Rio de


Janeiro, Odeon, 1965. 33 1/3 rpm. mono. (Série Brasileira, 4)

2.21.2 Fita cassete

CÉLDRAN, P. El infant D. Juan Manuel, su vida, su tiempo y su obra.


(fita cassete). Madrid, Ministério de Cultura España, 1983. 1 fita cassete.

2.21.3 Filmes

STANDART OIL COMPANY. Cidade lar (filme). Estados Unidos, 1970.


14 min. color. son. 16 mm.

2.21.4 Vídeo

SALES, J.M. América (filme-vídeo). Brasil, 1956. 1 cassete VHS, 120


min. color.

OS PERIGOS do uso de tóxicos (filme-vídeo). Produção de Jorge Ramos de


Andrade; coord. de Maria Isabel Azevedo. São Paulo, CERAVI, 1983. 1
cassete VHS, 30 min. color. son.

2.21.5 Diafilmes
Referências e citações bibliográficas 18

HITCHCOK, A. O homem que sabia demais (diafilme). Estados Unidos,


1956. p.&b. 44 fotogramas. c.texto.

2.21.6 Diapositivos

EMBRATUR. Minas Gerais: cidades históricas (diapositivos + cassete).


Rio de Janeiro, V-Som Audiovisuais Ed., s.d. 42 diapositivos, color. + 1
cassete.

NIEMEYER, O. Capela Nossa Senhora de Fátima. (diapositivos).


Brasília, 1958. 8 diapositivos, color.

2.21.7 Transparências

O QUE ACREDITAR em relação à maconha (transparência) São Paulo,


CERAVI, 1985. 22 transparências. (2 superposições soltas) color. 25 X
20cm.

2.21.8 Partituras

BRAHMS, J. Valsas op. 39 (partitura). Piano. New York, Kalmus, s.d. 14


p. (Kalmus Study Scores, 1155)

HISTORICAL anthology of music (partitura). Archibald T. Davison; Will


Apel, eds. Cambridge, Harvard University, 1968. 2v.

2.21.9 Mapas

SALVADOR. Prefeitura do Município. Mapa do Município de Salvador e


adjacências. Salvador, 1970. Escala 1:50.000. 1 mapa.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria dos Negócios do Interior. Carta de


utilização da terra do Estado de São Paulo. São Paulo, IGC, 1980.
Escala 1:250.000. 19 mapas
Referências e citações bibliográficas 19

3 PALAVRAS E ABREVIATURAS LATINAS


et al. - abreviatura de et alius (e outro) e de et alii (e outros). Emprega-se para
indicar que o documento foi elaborado por outros autores, além do indicado na
referência bibliográfica.

Exemplo:
CARVALHO, E. M. et al.

apud (citado por) - emprega-se para indicar uma fonte de citação indireta, isto
é, quando a citação refere-se a informações de autores que não teviram acesso ao
documento original.

No texto, a citação indireta deverá obedecer a seguinte ordem:


• autor do documento não consultado, em minúsculo.
• apud
• autor do documento consultado, em maiúsculo, seguido da data de
publicação.

Exemplo:
Souza apud SINELLI (1983)...

Na lista de referência bibliográfica deverá constar apenas a referência


completa do autor consultado, ou seja, SINELLI...

In (dentro de, contido em) - emprega-se, seguido de dois pontos, nas citações
de parte de uma obra.

Exemplo:
MIYADAHIRA, S. Avaliação da vitalidade fetal. In: NEME, B.
Patologia da gestação. São Paulo, SARVIER, 1988. cap. 27, p.407-
27.

Id ou idem - significa do mesmo autor. Evita-se o uso de id. e ibid., uma vez
que, estando na mesma obra, o autor será sempre o mesmo.

Ibid ou ibidem - significa na mesma obra. É usada numa seqüência de notas


de rodapé que repetem a mesma obra de um autor.

Exemplo:
5. Ibid, p.444

Op. cit. (opus citatum) - significa na obra citada.


Referências e citações bibliográficas 20

Exemplo:
Ruiz, João Álvaro. Op. cit., p.179.

loc. cit (opus citatum) - significa na obra citata.

e. g. (exempli gratia) - significa por exemplo. Às vezes aparece no texto.


Referências e citações bibliográficas 21

4 CITAÇÕES DE AUTORES NO TEXTO


No texto, as citações devem ser feitas de modo uniforme, de acordo com o
estilo do pesquisador ou critério adotado pela Revista em que o trabalho será publicado.
Contudo, o sistema escolhido deve estar relacionado com a ordenação das referências
bibliográficas.
Só devem ser mencionados nas referências bibliográficas as fontes ou os
autores que foram citados no texto. Os documentos consultados, porém não citados,
deverão constar de notas de rodapé, não fazendo parte da lista de referências
bibliográficas.

4.1 Tipos de citações

4.1.1 Citação textual

Transcrição literal extraída do texto consultado, respeitando-se redação,


ortografia e pontuação original. A citação pode ser ou não em itálico.

4.1.1.1 Citação de até três linhas

A citação de até três linhas deve ser inserida no parágrafo entre aspas. No
caso da citação já vir entre aspas no texto original, substituí-las pelo apóstrofo ou aspas
simples.

Exemplos:

... aqui considerado como "Programa que regula previamente uma série
de operações que se devem realizar, apontando erros evitáveis, em vista de um
resultado".

"... ao despedir-me dela, disse: 'Espero que a quatro de julho (cerca de


um mês depois) esteja a celebrar a sua declaração de independência'."

4.1.1.2 Citação de mais de três linhas

Deve aparecer em parágrafo distinto, a 4 cm da margem esquerda, terminando


1 cm antes da margem direita. As citações longas devem ser datilografadas em espaço
um, com intervalo de dois espaços dois entre a citação e os parágrafos anterior e
posterior, com ou sem aspas.

Exemplo:
"um texto pertence à categoria de 'memória científica
original' quando contribui para ampliar sensivelmente o
conhecimento ou a compreensão de um problema e está de
tal maneira redigido que um pesquisador qualificado
pode, a partir das indicações fornecidas, reproduzir a
Referências e citações bibliográficas 22

experiência e obter os resultados descritos com a mesma


precisão."

4.1.2 Citação livre

Transcrição não literal das palavras do autor, mas que reproduz o conteúdo e
as idéias do documento original, devendo-se indicar sempre a fonte de onde foi retirada.
Neste tipo de citação o uso de aspas é dispensável.

4.2 Citação de trabalhos de um autor

Estes documentos são indicados pelo sobrenome do autor e o ano de


publicação, separados por vírgula.

Exemplo:
... (PALMER, 1954). ou ... BAKER (1976)...

4.3 Citação de trabalhos de dois autores

Os sobrenomes dos dois autores devem ser ligados por "&", seguido do ano
da publicação.

Exemplos:

"Sem duvida deve-se dizer que a obra de ... (COFFER & APPLEY,
1972)

BALAY & ANDREW (1975) constataram que ...

4.4 Citação de trabalhos de três ou mais autores

Citar apenas o primeiro autor seguido da expressão et al. (e outros)

Exemplo:

Tendo em vista que o trabalho ... (PARENTE et al., 1987)

Como tão bem salientaram LAING et al. (1974), para a compreensão ...

4.5 Citação de trabalhos que entram pelo título

É necessário citar o título (primeira palavra em maiúscula) e o ano. No caso


de títulos longos, citar somente as primeiras palavras seguidas de reticências e o ano.
Referências e citações bibliográficas 23

Exemplo:

De acordo com a definição encontrada na GRANDE enciclopédia


portuguesa e brasileira (s.d.)...

(TROPICAL..., 1980)...

4.6 Documentos cujo autor é uma entidade coletiva

Estes documentos devem ser citados pelo nome da entidade por extenso e em
maiúsculo.
Esse procedimento deve ser adotado quando a citação for feita pela primeira
vez. Nas seguintes, pode-se usar a sigla correspondente à instituição.
Para Organismos e Instituições conhecidas internacionalmente por sua sigla,
poderão ser citados de forma abreviada.

Exemplo:
... (ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE, 1983) ou (OMS, 1983)

4.7 Citação de vários trabalhos de um mesmo autor e mesmo ano

No caso de coincidência nos anos de publicação é necessário acrescentar


letras minúsculas após o ano citado, para distingui-las, tanto no texto quanto na lista de
referências bibliográficas.

Exemplos:

a) no texto

Esta aprendizagem auto-iniciada que envolve (...), da qual


repetidamente fala ROGERS (1973a, 1973b).

b) na lista de referências

ROGERS, A.M. ... 1973a

ROGERS, A.M. ... 1973b

Neste caso, considerar na alfabetação: título, número do capítulo, páginas,


ano ou , em caso de Revistas, considerar: título da publicação, volume, número,
páginas, ano.

4.8 Citação de trabalhos de um só autor e mais de um documento, em


anos diferentes
Referências e citações bibliográficas 24

Os trabalhos devem ser citados pelo sobrenome do autor e datas em ordem


cronológica.

Exemplo:
... REY(1972,1987)

Obs.: Na lista de referências bibliográficas, considerar primeiro os trabalhos


individuais e em seguida os trabalhos em colaboração, obedecendo a ordem cronológica
para cada caso.

Exemplo:

VINHA, V.H.P. ... 1987


VINHA, V.H.P. ... 1993
VINHA, V.H.P.; COLICHIO, T.A. ... 1991
VINHA, V.H.P.; SHIMO, A.K.K. ... 1992
VINHA, V.H.P.; NANTES, M.G.D.; PALLA, G.A. ... 1986
VINHA, V.H.P.; ANGELIS, J.A.; SETECHINI, M.A.M.F. ... 1987
VINHA, V.H.P. et al. ... 1991
VINHA, V.H.P. et al. ... 1993

4.9 Citação de vários autores para uma mesma afirmação

Os trabalhos devem ser citados de acordo com a ordem cronológica das


publicações e separados entre si por ponto e vírgula.

Exemplo:
... (VERBANCK et al., 1957; BARBANEL, 1972)

4.10 Citação de autores com mesmo sobrenome e obras com mesmo ano
de publicação

Deve-se indicar as iniciais dos prenomes.

Exemplo:
... OLIVEIRA, M.M. (1983); OLIVEIRA, V.M.B. (1983)

4.11 Citação de autores com mesmo sobrenome e obras com mesmo ano
de publicação, cujas iniciais dos prenomes são iguais, indica-los por
extenso

Exemplo:
OLIVEIRA, Mateus M. (1984)
OLIVEIRA, Mauro M. (1984)
Referências e citações bibliográficas 25

4.12 Congressos, seminários, conferências

Cita-se o nome do evento com letras maiúsculas.

Exemplo:

O tema "valores entre adolescentes, pais e professores" foi objeto de


grande debate no 2o. ENCONTRO NACIONAL DE PSICÓLOGOS
(1980),...

4.13 Sistema de chamada alfanumérico

Se o sistema adotado for o alfanumérico, as referências bibliográficas serão


ordenadas alfabeticamente e numeradas seqüencialmente.

Exemplo:

1. ROGERS, A.M. ... 1973


2. ROGERS, A.M. ... 1980
3. ROGERS, A.M. ... 1981
4. ROGERS, A.M. et al. ... 1981
5. ROGERS. A.M. et al. ... 1983
Referências e citações bibliográficas 26

5 NOTAS DE RODAPÉ
São notas colocadas ao pé da página, escritas em espaços simples de
entrelinhas, separadas do corpo do texto por um traço horizontal contínuo de 5 cm
aproximadamente, iniciando na margem esquerda.
Cada nota deve ser indicada numa nova linha, precedida por asterisco ou
números arábicos seqüenciais. No entanto, os asteriscos só poderão ser utilizados para
indicar até 3 notas.

Quando e como utilizar

• indicar um livro de onde se extraiu uma frase ou do qual se utilizou uma


idéia ou afirmação.

• indicar trabalho submetido para publicação, porém ainda não aceito.

• indicar trabalho em elaboração.

• fornecer a tradução de uma citação que era essencial transcrever em língua


estrangeira ou, o inverso, apontar a versão original, que para maior fluência
do discurso, foi feita em tradução.

• fazer observações pertinentes, comentários adicionais, etc. que apesar de


úteis, não foi possível incluir no corpo do texto.

• remeter o leitor a outras partes do trabalho, outras obras ou autores


relacionados com o tema apresentado, usando a nota "cf." (= confrontar).

Exemplo:
* cf. DAIR AILY FRANCO DE CAMARGO. Um estudo quantitativo
sobre a reprodução no curso primário. Cadernos de Pesquisa, n.12, p.3-
18

• introduzir uma citação de reforço que, caso colocada no próprio texto,


quebraria a seqüência lógica do raciocínio que está sendo desenvolvido.

• indicar dados obtidos por meios informais, tais como, comunicações


pessoais, anotações de aulas, conferências e correspondência pessoal.

Exemplo:
DUTRA DE OLIVEIRA* (1995) constatou que as vitaminas...

Obs.: Todas as obras citadas em notas de rodapé não deverão constar da lista
final de referências bibliográficas, com exceção deste último caso, que devem ser
registrados na forma mais completa possível, uma vez que só aparecem em notas.

* DUTRA DE OLIVEIRA, J.E. (Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/USP). Comunicação pessoal,


1995.
Referências e citações bibliográficas 27

6 TIPOS DE TRABALHOS CIENTÍFICOS

6.1 Monografias

6.1.1 Definição

Monografia é um trabalho que aborda um tema único, não se caracterizando


por sua extensão ou nível de aprofundamento do tema. As monografias podem ser
científicas ou não.

6.1.2 Estrutura

Compõem-se dos elementos a seguir: capa, folha de rosto, dedicatória,


agradecimentos, sumário, introdução, texto, referências bibliográficas, anexos,
apêndices, índices.

6.2 Teses e dissertações

6.2.1 Conceito

Segundo a ABNT* (Associação Brasileira de Normas Técnicas) são assim


definidas:

Dissertação: "Documento que representa o resultado de um trabalho


experimental ou exposição de um estudo científico recapitulativo, de tema único e bem
delimitado em sua extensão, com o objetivo de reunir, analisar e interpretar
informações. Deve evidenciar o conhecimento de literatura existente sobre o assunto e a
capacidade de sistematização do candidato. É feito sob orientação de um pesquisador,
visando a obtenção do título de Mestre."

Tese: "Documento que representa o resultado de um trabalho experimental


teórico de tema específico e bem delimitado. Deve ser elaborado com base em
investigação original, constitunido-se em real contribuição para a especialidade em
questão. Visa a obtenção do título de Doutor ou Livre-Docente."

6.2.2 Apresentação Física

6.2.2.1 Preparo dos Originais

Papel: para datilografia do texto deve ser utilizado papel branco, de boa
qualidade.
Margens: devem permitir reprodução e encadernação corretas.

* A nomenclatura oficial, de acordo com o Estatuto da Universidade de São Paulo e normas do Conselho
Federal de Educação, nomina o trabalho de mestrado em dissertação que pode ser uma monografia ou
trabalho experimental de qualquer natureza.
Referências e citações bibliográficas 28

margem esquerda 4,0cm margem superior 3,5cm


margem direita 2,5cm margem inferior 2,5cm

O texto deve ser datilografado em um gabarito de 14,5cm x 23,7cm.


Deve ser usado espacejamento dois para o texto; para as notas de rodapé,
legendas de figuras, títulos de tabelas e transcrições com mais de três linhas deve-se
usar espaço um.
De preferência deve ser usado apenas o anverso da folha.
Para efeito de alinhamento da margem direita não devem ser usados barras,
travessões ou outros sinais gráficos.
Cada capítulo deve ser iniciado em um nova página, com o título a quatro
espaços duplos do início do módulo.
O início de cada parágrafo deve ficar recuado oito espaços da margem
esquerda.
Desenhos: os originais dos desenhos devem ser de preferência em papel
vegetal e tinta nanquim preta.

6.2.2.2 Paginação

As páginas devem ser numeradas seqüencialmente, em algarismos arábicos, a


partir da Introdução até Referências Bibliográficas. Os números devem ser colocados no
canto superior direito, sem traços, pontos ou parênteses.
Páginas preliminares: sua numeração é opcional. Caso sejam numeradas,
deve-se utilizar algarismos romanos representados por letras minúsculas (iii, iv ...),
centrados na parte inferior da página. O anverso e o verso da folha de rosto são contados
mas não numerados, iniciando-se a paginação na página seguinte: iii.
As páginas do resumo e apêndices não são numeradas.

6.2.3 Estrutura

6.2.3.1 Elementos do pré-texto

Capa

A capa deve conter dados que permitam a correta identificação do trabalho,


devendo ser mencionados pelo menos o nome do autor, título do trabalho, local e data.
(ver modelo em anexo).

Errata

Deve ser utilizada quando detecta-se erros de qualquer natureza após o


trabalho estar pronto. Se houver necessidade de sua inclusão, deve ser inserida antes da
página de rosto, com a seguinte disposição:

Exemplo:

ERRATA
Referências e citações bibliográficas 29

Pagina 12 linha 4
Onde se lê: A gastrectomia é o melhor tratamento para...
Leia-se: A gastrectomia não é o melhor tratamento para...

Página de rosto

A página de rosto deve conter os seguintes elementos:


• nome completo do autor
• título: deve ser claro, preciso e objetivo, definindo e limitando com exatidão
o assunto tratado; as palavras escolhidas devem ser representativas do tema, visando
auxiliar a indexação do documento e sua posterior divulgação. Pode ser complementado
por um subtítulo, cuja subordinação deve ficar evidente.
• especificação do tipo de trabalho: dissertação ou tese
• unidade e instituição à qual será submetido
• título acadêmico pretendido
• área de concentração
• nome do orientador em dissertações de mestrado e teses de doutorado
• número de volumes, se houver mais de um
• local (cidade)
• ano da defesa de tese ou de dissertação.

Ficha catalográfica

Obrigatória. Deve ser elaborada pela Biblioteca Central do Campus


Administrativo de Ribeirão Preto e colocada no verso da folha de rosto.
A ficha catalográfica visa a facilitar a identificação e futura indexação do
trabalho pelos órgãos competentes. (ver modelo em anexo)

Dedicatória

Opcional

Agradecimentos

Opcionais. Caso incluídos, devem ser dirigidos apenas aos que tenham
contribuído de maneira relevante na elaboração do trabalho.
Os agradecimentos às instituições responsáveis pelo apoio financeiro podem
figurar em página à parte.

Sumário

Enumeração das principais seções do trabalho, na ordem em que se sucedem


no texto e com indicação da paginação inicial (ver modelo em anexo).
O sumário deve ser numerado em algarismos arábicos a partir da Introdução
até Referências Bibliográficas.
As listas, resumos e apêndices não são considerados capítulos e portanto não
são numerados.
Referências e citações bibliográficas 30

Havendo subseções, deve ser adotada a numeração progressiva, que permite a


exposição mais clara da matéria e sua imediata localização. A numeração progressiva
também utiliza algarismos arábicos; no máximo devem ser empregados 5 seções e 6
algarismos.
A subordinação das seções (primária, secundária etc.) deve ser destacada na
apresentação gráfica do sumário. Maiores informações na Biblioteca Central do Campus
Administrativo de Ribeirão Preto - USP.
Os capítulos sempre têm título; as subseções podem ou não ter título, mas o
critério adotado deve ser consistente ao longo de todo o texto, evitando-se que no
mesmo documento seções do mesmo nível ora tenham título ora não.
A disposição da matéria no texto, bem como a subdivisão das seções ficam a
critério do autor ou do orientador.
Havendo mais de um volume, em cada um deve constar o sumário completo
do trabalho.

Listas

Opcionais. Enumeração de elementos selecionados do texto: figuras, tabelas,


abreviaturas, símbolos, na ordem de sua ocorrência e com indicação de página.

Lista de figuras

Havendo necessidade, as figuras (gráficos, lâminas, fotografias etc.) serão


relacionadas em lista à parte, onde deverão constar: número da figura, legenda e página.
A numeração poderá ser única ou específica por tipo de material.

Lista de tabelas

Havendo necessidade, as tabelas serão relacionadas em lista à parte, onde


deverão constar: número, título e página.

Lista de abreviaturas

As abreviaturas poderão ser relacionadas em lista, acompanhadas de seus


respectivos significados. Quando forem pouco numerosas serão definidas na primeira
vez em que forem mencionadas no texto.

Lista de símbolos

Os símbolos também poderão ser enumeradas em lista à parte, acompanhados


de seus respectivos significados.
As abreviaturas e símbolos devem ser os recomendados pela International
Standardization Organization (ISO), Associação Brasileira de Normas Técnicas
(ABNT) e/ou pelos órgãos normativos ou científicos de competência na área.

Resumo
Referências e citações bibliográficas 31

Apresentação dos pontos relevantes do trabalho, ressaltando o objetivo,


método empregado, resultados e conclusões.

Quando da redação do resumo:


• usar seqüência corrente de frase concisas e objetivas
• utilizar os descritores ou palavras-chaves selecionados
• empregar a voz ativa na terceira pessoa do singular
• evitar termos e frases que não contenham informações relevantes
• evitar adjetivação
• não fazer parágrafos
• não usar abreviaturas
• não incluir referências bibliográficas.

Deverão ser elaborados 3 resumos:

1. Resumo em português

• inserido antes da Introdução


• aproximadamente 500 palavras

2. Resumo para registro em bases de dados

• de acordo com sugestão do SIBi/USP o resumo deve conter ate 1400


caracteres, considerando espaços e pontuações.

3. Resumo em inglês (summary)

• versão para o inglês do resumo em português


• inserido após as conclusões
• aproximadamente 500 palavras

6.2.3.2 Elementos do texto

Introdução

Nesta primeira parte do texto o autor deve incluir:


• apresentação geral do assunto do trabalho;
• definição sucinta e objetiva do tema abordado;
• justificativa sobre a escolha do tema e métodos empregados;
• delimitação precisa das fronteiras da pesquisa em relação ao campo e
período abrangidos;
• esclarecimentos sobre o ponto de vista sob o qual o assunto será tratado;
• relacionamento do trabalho com outros da mesma área;
• objetivos e finalidades da pesquisa, com especificação dos aspectos que
serão ou não abordados.

Revisão da literatura
Referências e citações bibliográficas 32

Apresentação do histórico da evolução científica do assunto do trabalho


através da citação e de comentários sobre a literatura considerada relevante e que serviu
de base à investigação.
Em algumas áreas já existe a tendência de limitar a revisão apenas aos
trabalhos mais importantes e diretamente ligados à pesquisa desenvolvida, dando-se
ênfase aos mais recentes.
Quando não houver necessidade de um capítulo exclusivo para revisão da
literatura ela será incluída na Introdução

Material e métodos / Casuística e métodos

Descrição precisa dos métodos, materiais e equipamentos utilizados, de modo


a permitir a repetição dos ensaios por outros pesquisadores.
Quando o trabalho for baseado em pesquisa envolvendo seres humanos esta
seção deverá se denominar Casuística e métodos.
Técnicas e equipamentos novos devem ser descritos com detalhes; entretanto,
se os métodos empregados já forem conhecidos, será suficiente a citação de seu autor.
A especificação e origem do material utilizado poderá ser feita no próprio
texto ou em nota de rodapé.
Neste capítulo o autor do trabalho deverá demonstrar sua capacidade de
síntese e clareza.

Resultados

Apresentação sistemática dos resultados obtidos, sem interpretações pessoais.


Para maior facilidade de exposição, podem ser acompanhados por gráficos,
tabelas etc.

Discussão

Neste capítulo os resultados da pesquisa são analisados, interpretados,


criticados e comparados com os já existentes sobre o assunto na literatura citada; são
discutidas suas possíveis implicações, significados e razões para concordância ou
discordância com outros autores.
A discussão deve fornecer elementos para as conclusões. É o mais livre dos
itens e o que mais evidencia a vivência do pesquisador.

Conclusões

Devem ser fundamentadas nos resultados e na discussão, contendo deduções


lógicas e correspondentes, em um número igual ou superior, aos objetivos propostos.
Constitui-se em um regresso à introdução, fechando-se sobre o início do
trabalho.

Anexos
Referências e citações bibliográficas 33

Constituem-se em suportes elucidativos e indispensáveis à compreensão do


texto. A paginação deve ser contínua à do texto principal. Havendo mais de um anexo, a
identificação deve ser feita por letras maiúsculas.

Exemplo:
Anexo A. ...
Anexo B. ...

Apêndices

Constituem-se em suportes elucidativos e ilustrativos, porém não essenciais à


compreensão do texto. Seu uso é opcional. As páginas do apêndice não são numeradas.

Casos específicos

Figuras e tabelas: regras gerais

As figuras e tabelas ilustram e complementam o texto, devendo ser inseridas


o mais próximo possível do trecho onde são mencionadas. Porém, se causarem
interrupção à seqüência do texto, poderão ser apresentadas em forma de anexo e
colocadas antes das referências bibliográficas. Neste caso, no texto, serão designadas
por Anexo e seu número de ordem. Os anexos poderão se constituir em volume à parte.

Fig. 4, Anexo
Tab. 1, Anexo A
Fig. 37, Anexo B, v.2

Caso seja utilizado material reproduzido de outro documento, são necessárias


a prévia autorização do autor e a indicação precisa da fonte.
A referência bibliográfica completa referente à fonte da ilustração utilizada
deve figurar nas Referências Bibliográficas.
As ilustrações devem se enquadrar nas margens adotadas para o texto.
Se necessário podem ser utilizados outros formatos de papel, desde que
dobrados resultem no formato proposto para as dissertações e teses: A4 (21,0cm x
29,7cm)
Os dados das figuras ou tabelas não devem ser repetidos no texto.

Figuras

São desenhos, gráficos, fotografias, lâminas etc.


Devem ser numeradas consecutivamente em algarismos arábicos, geralmente
sem distinção entre os diferentes tipos de figura. Se necessário, pode-se atribuir
numeração individualizada para determinado tipo de material.

Por exemplo, em uma tese de Histologia:


Lâm. 1, Lâm. 2.
Referências e citações bibliográficas 34

As legendas devem ser breves e claras; são colocadas abaixo da figura, fora
da moldura, no sentido horizontal e designadas por Fig. e número de ordem. Quando a
figura ocupar toda a página, a legenda deve ser colocada na página oposta.
No texto devem ser indicadas por Fig. e número de ordem.

(legenda)
Fig. 37 Utilização dos fios de Kirchner.

(no texto)
... foram utilizados fios de Kirchner (Fig. 37).

Tabelas

O objetivo das tabelas é apresentar dados numéricos e valores comparativos


tornado-os mais compreensíveis.
Devem ser apresentadas de acordo com as "Normas de apresentação tabular"
da Fundação IBGE, à disposição para consultas na Biblioteca Central do Campus
Administrativo de Ribeirão Preto (ver modelo de tabela em anexo).
As tabelas devem ser auto-explicativas, prescindindo de consultas ao texto ou
a outras tabelas.
Os dados numéricos devem ser ordenados em filas ou colunas com as
especificações equivalentes à natureza dos mesmos.
As tabelas devem ser centradas nas larguras úteis das páginas.
A numeração deve ser consecutiva, em algarismos arábicos e precedida de
Tab.; as linhas verticais externas não devem ser traçadas.
O título deve ser colocado na parte superior, após a numeração e indicar com
precisão a natureza do fato estatístico, o espaço geográfico abrangido e a referência no
tempo a que o fato corresponde.
A fonte, isto é, a indicação da entidade responsável pelo levantamento dos
dados, deve ser colocada no rodapé da tabela.
Quando a matéria contida na tabela exigir esclarecimentos, pode-se fazer uso
de notas e chamadas colocadas no rodapé.
Quando a tabela ocupar mais de uma página, não deve ser delimitada na parte
inferior, repetindo-se o cabeçalho na página seguinte; neste caso os cabeçalhos devem
ser acompanhados de (continua) e (continuação).

6.3 Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC)

6.3.1 Definição

É uma dissertação sobre um assunto determinado, não necessitando, no


entanto, ser um estudo tão completo em relação ao tema escolhido, por se tratar de mais
um requisito para complementação de um curso de graduação e a obtenção do título de
bacharel.
O tema e o enfoque não serão necessariamente originais, mas deverão
expressar conhecimentos do assunto escolhido, que será obrigatoriamente emanado das
disciplinas ministradas durante o curso.
Referências e citações bibliográficas 35

Sua estrutura segue os mesmos critérios adotados para elaboração de uma


dissertação.
Referências e citações bibliográficas 36

7 CURRICULUM VITAE

7.1 Definição

Curriculum Vitae é uma comunicação que relata as atividades anteriores e


atuais de um profissional e indica as diretrizes de sua carreira.

7.2 Estrutura

• dados pessoais
• documentos
• formação educacional
• estágios
• atividades profissionais
• trabalhos publicados
• participação em congressos, simpósios, seminários, etc
• atividades artísticas
• projetos
• dados honoríficos (prémios, medalhas, homenagens, etc)
• conhecimentos linguísticos

Obs.: Nos dados acima, é evidente que itens não pertinentes devem ser
ignorados.
Referências e citações bibliográficas 37

8 ANEXOS
(modelo de capa)

VERA HELOISA PILEGGI VINHA

PROJETO ALEITAMENTO MATERNO:


DETERMINAÇÃO DA SUA EFICÁCIA COM VISTAS DO
AUTO-CUIDADO COM A MAMA PUERPERAL

Tese apresentada à Escola de


Enfermagem de Ribeirão Preto da
Universidade de São Paulo para
obtenção do título de Professor Livre
Docente junto ao Departamento
Materno Infantil e Saúde Pública

Ribeirão Preto
1988
Referências e citações bibliográficas 38

(modelo de página de rosto)

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO


FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS DE RIBEIRÃO
PRETO

CARACTERIZAÇÃO DE ÉSTERES DERIVADOS


DA
N-2-HIDROXIETILFTALIMIDA E ENSAIOS
BIOLÓGICOS NA DOENÇA DE
CHAGAS EXPERIMENTAL

Dissertação de Mestrado apresentada à


Faculdade de Ciências Farmacêuticas de
Ribeirão Preto da Universidade de São
Paulo para obtenção do título de Mestre
em Fármacos e Medicamentos, Área de
concentração: Química e Biologia

Aluna: Ana Amélia Carraro

Orientadora: Profa Dra Ana Maria T.T.


Nasi

Ribeirão Preto
1995
Referências e citações bibliográficas 39

(modelo de ficha catalográfica)

FICHA CATALOGRÁFICA
Preparada pela Biblioteca Central do Campus Administrativo
de Ribeirão Preto / USP.

Carraro, Ana Amélia


Caracterização de ésteres derivados da N-2-
hidroxietilftalimida e ensaios biológicos na doença de
Chagas experimental. Ribeirão Preto, 1995.
155 p. : il. ; 31 cm

Dissertação de Mestrado, apresentada à Faculdade de


Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto / USP - Depto de
Física e Química.
Orientadora: Nasi, Ana Maria T. T.

1. Doença de chagas. 2. N-2-hidroxietilftalimida.


Referências e citações bibliográficas 40

(modelo de sumário)

SUMÁRIO

Lista de abreviaturas

Lista de tabelas

Resumo

1 INTRODUÇÃO ................................................................................................... 1

1.1 A regeneração hepática ..................................................................................... 3

1.2 Ciclosporina e regeneração hepática ................................................................. 6

2 REVISÃO DA LITERATURA ........................................................................... 8

3 MATERIAL E MÉTODOS ................................................................................10

3.1 A ciclosporina e as substâncias controle ..........................................................12

3.2 Os animais e a formação dos grupos ...............................................................15

3.3 Hepatectomias ..................................................................................................17

3.3.1 Técnica operatória .........................................................................................20

4 RESULTADOS ..................................................................................................22

4.1 Avaliação clínica dos animais ..........................................................................26

5 DISCUSSÃO ......................................................................................................33

6 CONCLUSÕES ..................................................................................................42

8 ANEXOS .............................................................................................................48

9 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ...............................................................55

Summary

Apêndice
Referências e citações bibliográficas 41

(modelo de resumo)

RESUMO
O preparo das paredes do canal radicular, com o uso concomitante de

instrumentos e substâncias químicas, resulta na produção de aparas de dentina que

associadas a porção orgânica pré-existente no interior do conduto e as substâncias

químicas auxiliares, comporão o magma ou lama dentinária. Este, ao par de se depositar

nas paredes do canal, tende a se acumular nas porções apicais formando um tampão

dentinário, que com o decorrer da instrumentação, pode extruir via forame para a região

periapical. Avaliou-se o efeito de diferentes substâncias químicas, soro fisiológico, água


oxigenada/soda clorada (técnica de Grossman), Endo PTC/líquido de Dakin (técnica

Paiva & Antoniazzi), e da feitura ou não de esvaziamento prévio do conteúdo do canal,

na quantidade de material extruído durante o preparo químico-cirúrgico das paredes do

canal. Os resultados indicam ser a extrusão de material via forame apical inerente ao

processo de instrumentação e independe da execução ou não do esvaziamento prévio ou

da substância química auxiliar utilizada. A técnica de Grossman e de Paiva &

Antoniazzi, pelo poder de dissolução tecidual e pela efervescência provocada pela

reação entre as substâncias químicas, previnem a formação do tampão dentinário na

região apical do canal. Constatou-se que uma parte do material extravasado é

constituído de líquido, sendo marcante sua presença mais acentuada quando do

esvaziamento prévio. Da mesma forma, o extravasamento foi freqüentemente maior nos

dentes superiores, como também, quando não se realizou o esvaziamento prévio. Da

mesma forma, o extravasamento foi freqüentemente maior nos dentes superiores, como

também, quando não se realizou o esvaziamento prévio, no que concerne ao material

sólido.
Referências e citações bibliográficas 42

(modelo de summary)

SUMMARY
We have studied esters derivatives of N-2-hydroxyethylphtalimide, N-2-

acetoxyethylphtalimide (F-1), N-2-propionoxyethylphtalimide (F-2), N-2-butyroxy-

ethylphtalimide (F-3), N-2-succinoxyethylphtalimide (F-4), N-2-

valeroxyethylphtalimide (F-5), N-2-benzoyloxyethylphtalimide (F-6), N-2-(3-

nitrobenzoyloxy)ethylphtalimide (F-7), N-2-(3,5-dinitrobenzoyloxy)ethylphtalimide

(F-8) and N-2-monophtaloxyethyl-phtalimide (F-9). They were characterized by

infrared, nuclear magnetic ressonance and mass spectra. After structural identification
and purity determination, biological assays in vitro and in vivo have been carried out in

experimental Chagas' disease. In the in vitro assays, the tested substances have been

added to mice blood contanning trypomastigotes forms from Y strain of T. cruzi and

maintainned at 4°C during 24 hours. The substances F-1, F-3, F-4, F-7 and F-8 showed

a significant reduction in the number of parasites, however, none of them promoted the

total elimination of the blood forms from the studied parasite. In the in vivo assays,

mices have been infected with a suspension containning 2x104 trypomastigotes forms

of T. cruzi Y strain. They were divided in four groups: mices infected and not treated

(control) and mices infected and treated with the above named substances in doses of

10, 20 and 40 mg/Kg/day during 7 days. The results showed that the tested substances

did not present total activity against the T. cruzi in experimental assays. There was a

significant reduction of parasitemia in the animals treated with the substance containnig

the nitro group (F-7), however this reduction did not lead to the total cure. The others

parasitemic curves showed to be similar to the control groups with small decrease or

small increase in the parasitemic levels.


Referências e citações bibliográficas 43

(modelo de tabela)

Tab. 10. Presos provisórios recolhidos durante o ano aos estabelecimentos prisionais,
por grupos de idade e sexo, segundo as Unidades da Federação - 1982

PRESOS PROVISÓRIOS RECOLHIDOS DURANTE O ANO


UNIDADES DA Grupos de idade e sexo
FEDERAÇÃO Total De 18 a 21 anos De 22 a 25 anos
Masculino Feminino Masculino Feminino
BRASIL 119 190. 26 801 . 1 844 . 26 861 . 1 616 .

Rondônia 1 902. 223 . 38 . 297 . 54 .


Acre 111. 22 . 2 . 24 . 2 .
Amazonas 1 216. 238 . 22 . 254 . 19 .
Roraima 94. 26 . 1 . 16 . - .
Pará 12 262. 4 037 . 258 . 3 025 . 198 .
Amapá 64. 17 . - . 19 . 1 .
Maranhão 1 127. 126 . 6 . 174 . 17 .
Piauí 566. 77 . 15 . 106 . 17 .
Ceará 1 021. 226 . 9 . 194 . 22 .
Rio G. do Norte 734. 164 . 16 . 169 . 5 .
Paraíba 789. 123 . 16 . 201 . 15 .
Pernambuco 1 459. 135 . 13 . 177 . 16 .
Alagoas 3 246. 518 . 65 . 624 . 65 .
Sergipe 279. 64 . 1 . 91 . 1 .
Bahia 9 162. 1 692 . 107 . 1 596 . 99 .
Minas Gerais 5 211. 957 . 88 . 1 093 . 68 .
Espírito Santo 1 474. 291 . 13 . 418 . 22 .
Rio de Janeiro 24 613. 5 228 . 114 . 4 363 . 140 .
São Paulo 24 671. 7 411 . 587 . 5 526 . 462 .
Paraná 12 935. 2 334 . 262 . 2 112 . 204 .
Santa Catarina 2 832. 434 . 45 . 480 . 19 .
Rio G. do Sul 3 805. 718 . 52 . 1 103 . 69 .
Mato G. do Sul 2 718. 437 . 34 . 392 . 33 .
Mato Grosso 1 710. 260 . 10 . 274 . 18 .
Goiás 4 517. 981 . 68 . 991 . 44 .
Distrito Federal 582. 62 . 2 . 142 . 6 .
Referências e citações bibliográficas 44

9 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Comissão de Estudos de


Documentação. Rio de Janeiro. Referências bibliográficas. Rio de Janeiro, ago.
1989.

GRANJA, E.C.; KREMER, O.S. Citações no texto e notas de rodapé: manual de


orientação. São Paulo, Serviço de Biblioteca e Documentação do Instituto de
Psicologia da USP, 1987.

HERANI, M.L.G. Normas para a apresentação de dissertações e teses. São Paulo,


Bireme, 1990.

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE. Núcleo de Documentação. Manual de


normalização de trabalhos técnicos, científicos e culturais. Niterói, 1989.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Normas de


apresentação tabular. Rio de Janeiro, 1979.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Escola de Enfermagem. Serviço de Biblioteca e


Documentação. Manual de orientação: referências bibliográficas. São Paulo, 1991.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Faculdade de Medicina. Serviço de Biblioteca e


Documentação. Estrutura e apresentação de dissertações e teses. São Paulo,
1993.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Sistema Integrado de Bibliotecas. Grupo de


estudos de Referências Bibliográficas. Referências bibliográficas: exemplos. São
Paulo, 1990.