Você está na página 1de 22
1 Em um laboratório foi montado o circuito da figura abaixo para medir a indutância
1 Em um laboratório foi montado o circuito da figura abaixo para medir a indutância

1

Em um laboratório foi montado o circuito da figura abaixo para medir a indutância L de uma bobina e a resistência r do seu enrolamento.

L de uma bobina e a resistência r do seu enrolamento. Medidas obtidas com um voltímetro:
Medidas obtidas com um voltímetro:

Medidas obtidas com um voltímetro:

V ab =

V bc =

84V

70V

V a c = 120V

V ac = 120V

a) Um aluno observou que o valor V ac era diferente do valor da soma das tensões V ab e V bc , e afirmou: "as medidas são incoerentes,

portanto devem estar erradas." Analise essa afirmativa.

(valor: 4,0 pontos)

b) Determine o valor da resistência r do enrolamento da bobina.

(valor: 6,0 pontos)

2

Considere o seguinte arranjo de números:

2 Considere o seguinte arranjo de números: Observe que cada linha do arranjo triangular começa e

Observe que cada linha do arranjo triangular começa e termina com o número 1. Cada um dos números internos é a soma de dois números da linha anterior, o imediatamente acima e o à esquerda deste, conforme indicado no arranjo. A seguir é apresentado um algoritmo em pseudocódigo, que gera e imprime 7 linhas desse arranjo. Indique nas lacunas, no Caderno de Respostas, as instruções adequadas à solução do problema.

Início Inteiro : I, J; Tipo : MAT = matriz [ 1:5, 1:5 ] inteiro; A : MAT; Procedimento GERAR_DADOS; Início

Para I de 1 até 7 passo 1 faça

LACUNA 1 J = 1 ou J = I Então LACUNA 2 LACUNA 3 Adicionar
LACUNA 1
J = 1 ou J = I
Então
LACUNA 2
LACUNA 3
Adicionar 1 a J
Imprima A[I,J]
LACUNA 4

Se

Para J de 1 até

Senão Fim-se Fim-para; Fim-para; Fim; { GERA_DADOS } Procedimento IMPRESSAO; Início Atribuir 0 a I Repetir Adicionar 1 a I Atribuir 0 a J Repetir

Até que

Até que

LACUNA 5

passo 1 faça

(valor: 2,0 pontos)

(valor: 2,0 pontos)

(valor: 2,0 pontos)

(valor: 2,0 pontos)

(valor: 2,0 pontos)

Fim; { IMPRESSAO } // Chamadas dos procedimentos GERAR_DADOS; IMPRESSAO;

Fim.

3 A Figura 1 apresenta o diagrama de blocos de um sistema de controle, e

3

A Figura 1 apresenta o diagrama de blocos de um sistema de controle, e a Figura 2, o seu lugar das raízes para K > 0. Com base nas duas figuras, resolva os itens abaixo.

a) Determine a função de transferência do sistema em malha fechada.

(valor: 3,0 pontos)

b) Calcule o valor do ganho K para que, em malha fechada, o sistema apresente pólos complexos conjugados com parte real

(valor: 6,0 pontos)

igual a

10,0.

c) Obtenha a faixa dos valores de K para que o sistema com a malha fechada seja estável.

(valor: 1,0 ponto)

de K para que o sistema com a malha fechada seja estável. (valor: 1,0 ponto) Figura

Figura 1

de K para que o sistema com a malha fechada seja estável. (valor: 1,0 ponto) Figura

Figura 2

4

Você é o Gerente de Produção de uma pequena indústria brasileira que monta um equipamento eletroeletrônico a partir de três componentes: A, B e C. Objetivando demonstrar o impacto causado no custo unitário de produção pela desvalorização inicial e pela valorização subseqüente do real em face do dólar, atenda ao que se pede.

a) Desenhe um gráfico "CUSTO UNITÁRIO EM R$ versus TEMPO" com a evolução do custo unitário de produção dos equipamentos,

destacando os dias da TABELA 1. Considere que a taxa de variação da cotação do dólar é constante em cada um dos intervalos

(valor: 8,0 pontos)

da tabela.

b) Determine os aumentos percentuais do custo unitário de produção dos equipamentos nos dias 01 MAR 99 e 01 ABR 99, em relação

(valor: 2,0 pontos)

ao custo unitário de 12 JAN 99.

Dados/Informações Técnicas:

- Cada equipamento é montado com as quantidades de componentes da TABELA 2.

- O componente A custa R$ 25,00 a unidade.

- O componente B custa R$ 2.000,00 por lote de 100 unidades, mais o frete de R$ 50,00 por lote.

- O componente C, o único dos três que é importado, custava em 01 JAN 99 R$ 25.000,00 por lote de 1.000 unidades, acrescidos de 12% de impostos de importação.

- O custo mensal da mão-de-obra e dos encargos sociais é R$ 46.000,00.

- As despesas gerais montam em R$ 17.200,00 por mês.

- A produção mensal é de 800 equipamentos.

- As cotações do dólar em quatro dias do primeiro quadrimestre de 1999 são apresentadas na TABELA 1.

TABELA1

(Ano: 1999)

TABELA2

DIA

COTAÇÃO DO DÓLAR (R$)

COMPONENTE

QUANTIDADE

01

JAN

1,22

A

2

12

JAN

1,22

B

3

01

MAR

2,15

C

1

01

ABR

1,72

5

Na figura abaixo, o circuito é alimentado por uma fonte de tensão senoidal com: e(t) = 500 cos (100 t + 40°) volts.

∑ ∑ a) Determine os valores dos fasores E ∑ , I ∑ , E
a) Determine os valores dos fasores E ∑ , I ∑ , E R
e
.
E L

b) Trace o diagrama fasorial.

c) Determine a expressão, no domínio do tempo, da queda de tensão e R (t) no resistor.

Dados/Informações Técnicas:

NOTAÇÃO

O símbolo X é empregado para denotar o fasor da variável X.

(valor: 5,0 pontos)

(valor: 3,0 pontos)

(valor: 2,0 pontos)

6 Considere a bobina apresentada abaixo e determine a corrente no enrolamento de 200 espiras.

6

Considere a bobina apresentada abaixo e determine a corrente no enrolamento de 200 espiras.

S onde: é o fluxo magnético em Wb;
S
onde:
é o fluxo magnético em Wb;

Dados/Informações Técnicas:

A

densidade de fluxo magnético no ferro fundido é B FF = 0,6 Wb/m 2 .

=

B

ƒ

B é a densidade de fluxo magnético em Wb/m 2 ;

S é a área da seção reta em m 2 ;

ƒ indica produto vetorial.

F = N . I

onde:

F

N é a quantidade de espiras no enrolamento da bobina;

I é a corrente que flui na bobina em Ampères [A].

é a força magnetomotriz (fmm) em Ampères [A];

F = H .

m

onde:

F

H é a intensidade de campo magnético em A/m;

é a força magnetomotriz (fmm) em Ampères [A];

m

é o comprimento médio em m.

(valor: 10,0 pontos)

Na solução do problema utilize a curva B versus H.

médio em m. (valor: 10,0 pontos) Na solução do problema utilize a curva B versus H.

AF

LFN

7

Você é o engenheiro responsável por um laboratório que dispõe de fontes de alimentação CC, construídas segundo o esquema abaixo.

de alimentação CC, construídas segundo o esquema abaixo. D1 Fusível R Prot Osciloscópio D3 D4 Rede
D1 Fusível R Prot Osciloscópio D3 D4 Rede Carga C 110 V rms 60 Hz
D1
Fusível
R Prot
Osciloscópio
D3
D4
Rede
Carga
C
110 V rms
60 Hz
D2

Como cinco dessas fontes apresentaram defeitos, seu chefe pediu-lhe o parecer sobre a possível causa do defeito de cada uma delas.

Analisando as formas de onda obtidas com o osciloscópio (fontes 1, 2 e 3) e os sintomas observados (fontes 4 e 5), indique a provável

(valor: 10,0 pontos)

causa do defeito de cada uma das fontes.

Formas de onda obtidas com o osciloscópio:

uma das fontes. Formas de onda obtidas com o osciloscópio: Sintomas observados: Fonte 4: Tensão sobre

Sintomas observados:

Fonte 4: Tensão sobre a carga igual a zero.

Fonte 5: Queima do fusível do primário.

Dados/Informações Técnicas:

- Os diodos e o capacitor são os únicos elementos passíveis de apresentar defeitos.

- Em cada fonte há um único componente defeituoso.

- Os defeitos possíveis são: curto-circuito ou interrupção (componente aberto).

ATENÇÃO!

1 - A seguir serão apresentadas as questões de n os 8 a 22, relativas às matérias de Formação Profissional Específica, distribuídas de acordo com as seguintes ênfases:

ELETROTÉCNICA:

Questões 8, 9 e 10

ELETRÔNICA:

Questões 11, 12 e 13

TELECOMUNICAÇÕES:

Questões 14, 15 e 16

COMPUTAÇÃO:

Questões 17, 18 e 19

AUTOMAÇÃOECONTROLE:

Questões 20, 21 e 22

2 - Deste conjunto, você deverá responder a apenas 3 (três) questões, que deverão ser livremente selecionadas por você, podendo, inclusive, ser de ênfases (especialidades da Engenharia Elétrica) diferentes.

3 - Você deve indicar as 3 (três) questões que escolheu no local apropriado no Caderno de Respostas.

4 - Se você responder a mais de 3 (três) questões, as excedentes NÃO serão corrigidas.

3 (três) questões, as excedentes NÃO serão corrigidas. 8 - ELETROTÉCNICA Uma concessionária de energia elétrica

8 - ELETROTÉCNICA

Uma concessionária de energia elétrica pretende analisar o comportamento dos fluxos de potência ativa em seu sistema, tendo em vista a previsão de carga para um horizonte de dez anos. Para isso, como engenheiro da Divisão de Planejamento dessa concessionária, você foi encarregado de estudar o problema. A figura abaixo representa o diagrama unifilar do sistema com as cargas futuras previstas.

a) Calcule os fluxos de potência ativa nas linhas de transmissão, considerando a Barra 1 como a referência angular do sistema

(valor: 5,0 pontos)

(

1

=

0 rad).

b) Supondo que o fluxo de potência máximo permitido na linha 1 2 seja 0,5 pu, determine a reatância, em pu, do menor banco de capacitores que deverá ser instalado na linha 1 3, de modo que o limite máximo na linha 1 2 não seja ultrapassado. (valor: 5,0 pontos)

na linha 1 2 não seja ultrapassado. (valor: 5,0 pontos) Dados/Informações Técnicas: P = B ,

Dados/Informações Técnicas:

P = B

,

onde P é o vetor de injeção de potência ativa nas barras, B é a matriz de susceptância de barras e de barra.

é o vetor do ângulo das tensões

P Gi é a potência ativa gerada na Barra i.

P Li é a potência ativa consumida na Barra i.

x i,j é a reatância série da linha de transmissão i j.

O efeito capacitivo e a resistência série das linhas de transmissão são desprezados.

9 - ELETROTÉCNICA

Um sistema de potência não está imune a distúrbios inesperados, como, por exemplo, uma descarga atmosférica ou um curto-circuito.

A figura abaixo mostra um sistema de potência com um gerador (G) alimentando uma carga (C) através de um transformador elevador

(T1), uma linha de transmissão (LT) e um transformador abaixador (T2), bem como as ligações do gerador e dos transformadores.

Determine as correntes de curto-circuito por fase, para um curto-circuito fase-terra na fase a da Barra 3. As reatâncias de seqüências

(valor: 10,0 pontos)

positiva e zero são fornecidas na tabela.

TABELA Reatância (pu) G T1 LT T2 C Seq. Positiva 0,10 0,05 0,20 0,075 0,8
TABELA
Reatância (pu)
G
T1
LT
T2
C
Seq. Positiva
0,10
0,05
0,20
0,075
0,8
Seq. Zero
0,03
0,05
0,45
0,075
0,5

Dados/Informações Técnicas:

- Considere que a tensão antes do defeito na Barra 3 seja igual a 1,0 pu.

10 - ELETROTÉCNICA

Afigura abaixo mostra uma carga indutiva trifásica equilibrada ligada, em estrela, sem acesso ao terminal neutro, alimentada por uma fonte trifásica equilibrada com a seqüência de fase abc. Supondo que você disponha de dois wattímetros, pede-se que:

a) esboce o diagrama esquemático de ligação dos wattímetros, para que se obtenham as potências trifásicas ativa e reativa da carga; (valor: 4,0 pontos)

b) deduza as expressões das potências ativa e reativa trifásicas, a partir das leituras P 1 e P 2 obtidas dos wattímetros. (valor: 6,0 pontos)

e P 2 obtidas dos wattímetros. (valor: 6,0 pontos) Dados/Informações Técnicas: ∑ P i é a

Dados/Informações Técnicas:

P i é a leitura da potência obtida pelo wattímetro i.

Z é a impedância de carga por fase (Z = |Z| e j

v a = |v a | e j0 .

);

< 30°.

11 - ELETRÔNICA O conversor digital-analógico (D/A) da figura abaixo faz parte de um sistema

11 - ELETRÔNICA

O conversor digital-analógico (D/A) da figura abaixo faz parte de um sistema de controle de temperatura de um forno industrial. Esse conversor D/A é de 4 bits, e sua saída excursiona de 0 V a 10 V. As entradas V D0 , V D1 , V D2 e V D3 trazem as informações dos bits de dados D0, D1, D2 e D3, respectivamente, discretizados em 0V ("zero" lógico) ou 5V ("um" lógico). Calcule:

a) os valores de R 1 , R 2 e R 3 ;

(valor: 3,0 pontos)

b) a saída V D quando a entrada for igual ao número binário 1010;

(valor: 3,0 pontos)

c) o valor de R a para que a saída V an excursione de acordo com a Tabela do Conversor D/A.

(valor: 4,0 pontos)

acordo com a Tabela do Conversor D/A. (valor: 4,0 pontos) Dados/Informações Técnicas: Tabela de Conversão do

Dados/Informações Técnicas:

Tabela de Conversão do D/A

D3

D2

D1

D0

V

an

0

0

0

0

0 V

0

0

0

1

0,625 V

0

0

1

0

1,25 V

0

0

1

1

1,875 V

0

1

0

0

2,5 V

0

1

0

1

3,125 V

0

1

1

0

3,75 V

0

1

1

1

4,375 V

D3

D2

D1

D0

V

an

1

0

0

0

5,0 V

1

0

0

1

5,625 V

1

0

1

0

6,25 V

1

0

1

1

6,875 V

1

1

0

0

7,5 V

1

1

0

1

8,125 V

1

1

1

0

8,75 V

1

1

1

1

9,375 V

12 - ELETRÔNICA

Um aparelho de TV com controle remoto infravermelho parou de responder aos comandos remotos. Analisando o circuito de recepção infravermelho desse aparelho, você concluiu que o fototransistor XYZ 333 estava "queimado". Foi então utilizado, para substituir o componente danificado, o fototransistor ABC 222, o único encontrado no comércio local. Agora, porém, a TV só responde quando os comandos remotos são gerados a uma curta distância do aparelho. Não conseguindo solucionar completamente o defeito, você decidiu fazer uma análise mais cuidadosa do circuito. A partir do exposto:

a) explique, utilizando o conceito de reta de carga, por que, após a substituição do fototransistor, a TV só responde se os comandos forem enviados de uma pequena distância;

(valor: 5,0 pontos)

b) viabilize a recepção de forma a obedecer às especificações técnicas do manual, uma vez que só foi possível conseguir o fototransistor

(valor: 5,0 pontos)

ABC 222.

Dados/Informações Técnicas:

Esquema do Receptor de Infravermelho

Esquema do Receptor de Infra-vermelho

5V

1 k Tratamento dos A1 Comandos Remotos XYZ 333 Observação: O inversor A1 tem alta
1 k
Tratamento
dos
A1
Comandos
Remotos
XYZ 333
Observação: O inversor A1 tem
alta impedância de entrada.

mA

6

5

4

3

2

1

I C ABC 222 - Fototransistor (Sensível (Sensível em em todo todo o espectro espectro
I C
ABC 222 - Fototransistor
(Sensível (Sensível em em todo todo o espectro espectro infravermelho) infra-vermelho)
50
mW/cm 2
40
mW/cm 2
30
mW/cm 2
20
mW/cm 2
10
mW/cm 2
Corrente de Escuro
V CE
V
1
23
4
56

Curva característica simplificada.

O manual técnico especifica que:

- o fototransistor XYZ 333 trabalha na saturação ou no corte, de acordo com a presença ou a ausência de luz infravermelha;

- o controle remoto tem alcance de 6m, e nessa situação a potência luminosa recebida pelo fototransistor é 20 mW/cm 2 .

13 - ELETRÔNICA Você é um engenheiro que vai avaliar um sistema ainda em desenvolvimento,

13 - ELETRÔNICA

Você é um engenheiro que vai avaliar um sistema ainda em desenvolvimento, que fotografa as placas dos veículos que ultrapassam

o limite de velocidade de 90 km/h. O sistema consiste em três sensores: dois sensores de pressão, denominados P1 e P2, que,

colocados na pista, indicam o instante de passagem das rodas dos carros, e um terceiro sensor magnético M, que indica a presença

da massa metálica do veículo. O sensor magnético é colocado entre os dois sensores de pressão, como indicado na Figura 1.

D

T

1 m Pista P1 M P2 T D D T - roda dianteira - roda
1 m
Pista
P1
M P2
T
D
D
T
- roda dianteira
- roda traseira
1
4
P1
Controle do
2
5
Fotografar
M
Disparo da
D
T
P2
Fotografia
3
6
Tp

Figura 1

Ao passar um veículo, o sistema responde com os eventos (pulsos) listados a seguir, e que também estão marcados no diagrama de tempo da Figura 1:

1 - roda dianteira passa sobre o sensor P1;

2 - sensor magnético registra a massa metálica do veículo;

3 - roda dianteira passa sobre o sensor P2;

4 - roda traseira passa sobre o sensor P1;

5 - sensor magnético não mais registra a massa do veículo;

6 - roda traseira passa sobre o sensor P2.

Com base no intervalo de tempo Tp, é possível determinar a velocidade do veículo e disparar a máquina fotográfica, se for o caso. Para

o controle do sistema, foi proposto o circuito da Figura 2, onde o comando da máquina fotográfica foi simplificado através da saída MF.

fotográfica foi simplificado através da saída MF. Figura 2 a) Calcule o valor do número "n",

Figura 2

a) Calcule o valor do número "n", a ser programado pela autoridade de trânsito.

(valor: 5,0 pontos)

b) Indique a menor velocidade do veículo, em km/h, que pode ser monitorada pelo sistema.

(valor: 5,0 pontos)

14-TELECOMUNICAÇÕES

Um Sistema de Comunicações Móveis Celulares é composto, basicamente, de uma Central de Comutação e Controle (CCC), de Estações Rádio Base (ERB) e de Estações Móveis (EM), conforme mostra a figura. Determine a máxima atenuação do sinal que permita a operação do radioenlace ERB EM, considerando que a potência mínima na entrada do receptor da EM deve ser 108 dBm. (valor: 10,0 pontos)

do receptor da EM deve ser 108 dBm. (valor: 10,0 pontos) Dados/Informações Técnicas: Acesso: TDMA (Acesso

Dados/Informações Técnicas:

Acesso: TDMA (Acesso Múltiplo por Divisão no Tempo)

Acesso: TDMA (Acesso Múltiplo por Divisão no Tempo) Modulação: 4 DQPSK Velocidade de trasmissão ERB

Modulação: 4 DQPSK

Velocidade de trasmissão ERB

Móvel: 8 kbps

ERB(transmissão):

Potência de transmissão: 10 Watts

Ganho da antena de transmissão: 14 dBi

Perda total no cabo de ligação transmissor-antena: 3 dB

EM(recepção):

Ganho da antena de recepção: 0 dBi

15 - TELECOMUNICAÇÕES A figura mostra um satélite de um sistema global de comunicações móveis

15 - TELECOMUNICAÇÕES

A figura mostra um satélite de um sistema global de comunicações móveis operando na

de um sistema global de comunicações móveis operando na freqüência de 2,4 GHz. Considerando o enlace

freqüência de 2,4 GHz.

Considerando o enlace do terminal móvel para o satélite, calcule:

a) a potência na entrada do receptor do satélite, em dBm;

(valor: 5,0 pontos)

b) a máxima taxa de transmissão (R b ), em kbps, a fim de garantir que a probabilidade de erro de bit (P b ), na recepção, não seja

(valor: 5,0 pontos)

superior a 3,2x10 5 .

Dados/Informações Técnicas:

O ruído no receptor do satélite é Gaussiano, com média zero e densidade espectral de potência N 0 = 8x10 21 W/Hz.

A modulação empregada no enlace usuário-satélite é do tipo BPSK não codificado.

A potência de transmissão do terminal móvel (P T ) é 0 (zero) dBW.

Ganho da antena do terminal móvel (antena transmissora): G T = 2,15 dB i .

Ganho da antena do satélite (antena receptora): G R = 20 dB i .

Perda no espaço livre: L 0 : perda no espaço livre ( ) 2 h:
Perda no espaço livre:
L 0 : perda no espaço livre
(
) 2
h: altura da órbita
L =
0
4
h

Probabilidade de erro para o caso de modulação BPSK

P

b

= Q

= Q

2 E b N 0
2 E
b
N
0

P b : probabilidade de erro

Q(z): definida abaixo

E b : energia do sinal, por bit

N 0 : densidade espectral de potência de ruído

Q

( z

) =

• 1 u 2 exp 2 2 z
1
u
2
exp
2
2
z

du

Z

Q(z)

3,4

0,000337

3,5

0,000233

3,6

0,000159

3,7

0,000108

3,8

0,000072

3,9

0,000048

4,0

0,000032

16 - TELECOMUNICAÇÕES

Um enlace entre dois terminais utiliza cabos de fibras ópticas. Há duas opções para a escolha do cabo óptico, mostradas na tabela a seguir:

CARACTERÍSTICAS

Cabo óptico 1

Cabo óptico 2

Atenuação da fibra (dB/km)

3,2

2,5

Comprimento em que o cabo é fornecido (km)

2,5

2,0

Custo por km de cabo (R$)

R

1,25 R

Atenuação de cada emenda (dB)

0,35

0,25

Custo de cada emenda (R$)

9,5 R

7 R

Atenuação total nas conexões dos distribuidores ópticos para cada cabo (dB)

3,2

2,5

Em ambas as opções, o emissor é um LASER com potência de saída de 0 dBm; a sensibilidade do detector é 50 dBm e a margem de confiabilidade é 7 dB. Assim sendo, atenda ao que se pede.

a) Calcule o comprimento máximo L do enlace, se for utilizado o cabo óptico 1.

(valor: 6,0 pontos)

b) Determine qual o cabo óptico a ser escolhido para uma distância de 12 km entre os terminais, considerando apenas os custos

(valor: 4,0 pontos)

fornecidos na tabela. Justifique sua resposta.

17- COMPUTAÇÃO Você é o engenheiro responsável pela rede de computadores da Universidade UNIMAGEM, que

17- COMPUTAÇÃO

Você é o engenheiro responsável pela rede de computadores da Universidade UNIMAGEM, que está estruturada conforme o esquema abaixo. Ela é constituída de três sub-redes e permite o acesso à Internet sob o protocolo TCP/IP.

e permite o acesso à Internet sob o protocolo TCP/IP. Quanto a essa rede, responda às

Quanto a essa rede, responda às perguntas a seguir.

a)

A

que classe pertence o endereço IP 204.140.111.0? Justifique sua resposta.

(valor: 2,0 pontos)

b)

Qual é a quantidade total de endereços de "hosts" com o referido endereço IP? Justifique sua resposta.

(valor: 2,0 pontos)

c)

Qual é a faixa de variação do referido endereço, com relação ao número máximo de endereços de "hosts"?

(valor: 1,0 ponto)

d)

Utilizando somente o endereço IP recebido, a UNIMAGEM tem as três sub-redes configuradas, cada uma contendo no máximo

32 pontos de conexão. Assim sendo, a máscara de rede 255.255.255.224 pode ser usada para distribuir subfaixas de endereços

a

todas as sub-redes? Justifique. Em caso de resposta negativa, qual deve ser a máscara de rede?

(valor: 3,0 pontos)

e)

Se o ambiente contivesse uma única sub-rede em vez de três, qual seria a máscara de sub-rede a ser empregada, utilizando o

endereço IP 204.140.111.0?

Dados/Informações Técnicas:

(valor: 2,0 pontos)

Para a configuração TCP/IP, a UNIMAGEM recebeu um endereço IP 204.140.111.0.

18 - COMPUTAÇÃO

O responsável pelo Setor de Suporte de Informática da empresa "TOC Consultoria de Sistemas" precisa determinar os parâmetros de uma unidade de disco rígido com as seguintes características:

.

8000 cilindros;

.

2 kbytes/setor;

.

100 setores por trilha;

.

6,4 Gbytes de capacidade total;

.

as faces externas dos pratos das extremidades da pilha não são utilizados para armanezar dados.

Com base nos dados fornecidos, determine:

a) a quantidade total de pratos que a unidade possui;

(valor: 3,0 pontos)

b) a quantidade de cabeças de leitura e gravação;

(valor: 1,0 ponto)

c) a capacidade de armazenamento de cada face;

(valor: 1,0 ponto)

d) a taxa de transferência, considerando:

.

o tempo de latência médio com o disco girando a 4.800 rpm;

.

o tempo de busca ("seek time") igual à metade do tempo de latência médio;

.

o tempo de 800 ms para transferência de 2 Mbytes de dados.

(valor: 5,0 pontos)

Dados/Informações Técnicas:

Taxa de Transferência: número de bytes transferidos do disco para a Memória Principal, por segundo.

bytes transferidos

Taxa transferência =

t

acesso

t acesso = t seek + t latência + t transferência

onde:

t seek é o tempo que a unidade despende para posicionar o cabeçote de leitura e gravação sobre o cilindro desejado.

t

t

é o tempo despendido na espera pelo setor desejado; varia de 0 a 16,67 ms para disco girando a 3.600 rpm.

é o tempo despendido na transmissão dos dados (leitura ou gravação).

latência

transferência

19 - COMPUTAÇÃO Você está desenvolvendo um sistema e precisa utilizar as ferramentas da Análise

19 - COMPUTAÇÃO

Você está desenvolvendo um sistema e precisa utilizar as ferramentas da Análise Essencial. Empregando a notação constante do QUADRO I, apresente o Diagrama Entidade-Relacionamento (DER) correspondente às situações a seguir.

a) Situação 1: Um Banco de Dados representado pelas classes de entidades ALUNO e MATÉRIA, visualizado na Figura 1. (valor : 5,0 pontos)

e MATÉRIA, visualizado na Figura 1. (valor : 5,0 pontos) Observações: ∑ cada aluno pode inscrever-se
e MATÉRIA, visualizado na Figura 1. (valor : 5,0 pontos) Observações: ∑ cada aluno pode inscrever-se
e MATÉRIA, visualizado na Figura 1. (valor : 5,0 pontos) Observações: ∑ cada aluno pode inscrever-se

Observações:

cada aluno pode inscrever-se em várias matérias, mas pode ainda não se inscrever em nenhuma (caso do Edson, por ter trancado matrícula e não estar cursando nada no momento);

uma mesma matéria pode aceitar matrículas de vários alunos, havendo, obrigatoriamente, pelo menos um aluno matriculado.

b) Situação 2: Um Banco de Dados, neste caso representado pelas classes de entidades FABRICANTE DE HARDWARE ou

(valor: 5,0 pontos)

SOFTWARE e EMPRESAS, visualizado na Figura 2.

5,0 pontos) SOFTWARE e EMPRESAS, visualizado na Figura 2. Observação: ∑ toda entidade da classe FABRICANTE
5,0 pontos) SOFTWARE e EMPRESAS, visualizado na Figura 2. Observação: ∑ toda entidade da classe FABRICANTE
5,0 pontos) SOFTWARE e EMPRESAS, visualizado na Figura 2. Observação: ∑ toda entidade da classe FABRICANTE

Observação:

toda entidade da classe FABRICANTE DE HARDWARE ou SOFTWARE é uma EMPRESA FORNECEDORA DE HARDWARE ou SOFTWARE, mas nem toda entidade da classe EMPRESA é um FABRICANTE DE HARDWARE ou SOFTWARE. Na classe EMPRESAS existem aquelas que atuam nas áreas de desenvolvimento de sistemas, ou consultoria, ou treinamento.

Dados/Informações Técnicas:

Existem diversas notações que podem ser usadas para expressar um Diagrama Entidade-Relacionamento (DER), sendo as mais usuais a de P. Chen e a de J. Martin. A seguir é apresentada uma notação análoga à deste último autor, resumida no QUADRO I a seguir.

Dados / Informações Técnicas :

Dados / Informações Técnicas : Existem diversas notações que podem ser usadas para expressar um Diagrama
Dados / Informações Técnicas : Existem diversas notações que podem ser usadas para expressar um Diagrama
Dados / Informações Técnicas : Existem diversas notações que podem ser usadas para expressar um Diagrama

Existem diversas notações que podem ser usadas para expressar um Diagrama Entidade-Relacionamento (DER), sendo entre as mais usuais as de P. Chen e a de J. Martin. A seguir é apresentada uma notação análoga à deste último autor, resumida no QUADRO I a seguir:

à deste último autor, resumida no QUADRO I a seguir: Cada entidade da classe ALFA está
à deste último autor, resumida no QUADRO I a seguir: Cada entidade da classe ALFA está

Cada entidade da classe ALFA está associada a quantas entidades da classe BETA ?

ALFA está associada a quantas entidades da classe BETA ? ALFA BETA ALFA   BETA ALFA

ALFA

ALFA BETA

BETA

ALFA

 

BETA

ALFA   BETA

ALFA

ALFA BETA

BETA

ALFA

ALFA BETA

BETA

ALFA BETA

QUADRO I

BETA ALFA   BETA ALFA BETA ALFA BETA QUADRO I RELACIONAMENTO MÍNIMO 1 1 0 0
BETA ALFA   BETA ALFA BETA ALFA BETA QUADRO I RELACIONAMENTO MÍNIMO 1 1 0 0
BETA ALFA   BETA ALFA BETA ALFA BETA QUADRO I RELACIONAMENTO MÍNIMO 1 1 0 0
BETA ALFA   BETA ALFA BETA ALFA BETA QUADRO I RELACIONAMENTO MÍNIMO 1 1 0 0

RELACIONAMENTO

MÍNIMO

1

1

0

0

MÁXIMO

1

várias

1

várias

I RELACIONAMENTO MÍNIMO 1 1 0 0 MÁXIMO 1 várias 1 várias SIGNIFICADO Cada entidade da
I RELACIONAMENTO MÍNIMO 1 1 0 0 MÁXIMO 1 várias 1 várias SIGNIFICADO Cada entidade da

SIGNIFICADO

Cada entidade da classe

“ALFA” está associada a uma única entidade da classe “BETA”

Cada entidade da classe

“ALFA” está associada a uma ou a várias entidades da classe “BETA”

Cada entidade da classe

“ALFA” está associada a zero ou a uma única entidade da classe “BETA”

Cada entidade da classe

“ALFA” está associada a zero, a uma ou a várias entidades da classe “BETA”

20 - AUTOMAÇÃO E CONTROLE

Necessita-se fazer a modelagem matemática de um processo desconhecido, cujos dados e condições de experimento constam de um relatório. O processo está representado na figura a seguir:

O processo está representado na figura a seguir: Para uma entrada u(t) do tipo degrau unitário,

Para uma entrada u(t) do tipo degrau unitário, obteve-se a saída y(t), como mostram a tabela abaixo e o gráfico da página seguinte, ambos extraídos desse relatório.

Tempo (s)

Saída y (t)

Tempo (s)

Saída y (t)

0

0

5,25

0,2475

0,25

0,0670

5,50

0,2455

0,50

0,2018

5,75

0,2439

0,75

0,3122

6,00

0,2433

1,00

0,3503

6,25

0,2438

1,25

0,3215

6,50

0,2446

1,50

0,2635

6,75

0,2453

1,75

0,2159

7,00

0,2456

2,00

0,1995

7,25

0,2454

2,25

0,2120

7,50

0,2450

2,50

0,2369

7,75

0,2447

2,75

0,2574

8,00

0,2446

3,00

0,2644

8,25

0,2447

3,25

0,2591

8,50

0,2448

3,50

0,2483

8,75

0,2450

3,75

0,2395

9,00

0,2450

4,00

0,2365

9,25

0,2450

4,25

0,2388

9,50

0,2450

4,50

0,2434

9,75

0,2450

4,75

0,2472

10,00

0,2450

5,00

0,2485

   

Assim sendo, encontre a função de transferência G(s), de menor ordem, que representa o processo.

Dados/Informações Técnicas:

(valor: 10,0 pontos)

K s : Ganho estático do sistema.

y( ): Valor de regime do sistema.

t p : Instante de ocorrência do sobressinal máximo.

n : Freqüência natural de oscilação.

t s (5%) = 3 . t p = 2 1 n
t s (5%) = 3 .
t p =
2
1
n

: Constante de tempo do sistema.

t s (5%): Tempo de acomodação do valor de regime com 95% de precisão.

y p = y(t p ): Valor do sobressinal máximo.

: Coeficiente de amortecimento. y (t s (5%)) = 0,95 y( • ). y (
: Coeficiente de amortecimento.
y (t s (5%)) = 0,95 y( • ).
y
(
t
)
y
(
)
p
M
=
=
exp
p
y (
)
2
1
ENGENHARIA ELÉTRICA 2 0

ENGENHARIA ELÉTRICA

20

ENGENHARIA ELÉTRICA 2 0

21 - AUTOMAÇÃO E CONTROLE

A camada de enlace de dados de uma estação de rede recebeu a seqüência de bits abaixo:

111001101110

Considerando que a técnica de detecção de erros adotada é a CRC ("Cyclic Redundancy Check"), e que o polinômio gerador utilizado é

G (x) = x 4 + x 3 + 1,

verifique se os dados serão aceitos pelo receptor como corretos. Justifique sua resposta.

(valor: 10,0 pontos)

22 - AUTOMAÇÃO E CONTROLE A aplicação de injeções diárias de insulina para diabéticos é

22 - AUTOMAÇÃO E CONTROLE

A aplicação de injeções diárias de insulina para diabéticos é um problema que atinge milhões de pessoas em todo o mundo.

A engenharia de controle tem dado sua contribuição à área por meio do desenvolvimento de sistemas automatizados que, realizando

as funções de um pâncreas humano, reduzem significativamente o número de injeções de insulina e o perigo de seu esquecimento.

Um sistema automatizado, que poderia ser denominado pâncreas artificial, consiste em um reservatório de insulina e um motor

controlado para suprir ao organismo a quantidade de insulina necessária nos momentos adequados. As principais características desse aparelho são:

-

o reservatório de insulina tem autonomia para períodos de uso relativamente longos (alguns dias);

-

o sistema pode ser projetado para fornecer insulina ao organismo em diferentes períodos do dia, coincidindo com as principais refeições: café da manhã, almoço e jantar;

-

o paciente não precisa lembrar-se do momento exato das injeções.

O

diagrama de blocos representa esse sistema automatizado:

diagrama de blocos representa esse sistema automatizado: A taxa de liberação de insulina é dada por
diagrama de blocos representa esse sistema automatizado: A taxa de liberação de insulina é dada por

A

taxa de liberação de insulina é dada por uma função do tipo:

() =

i t

Ate

at

;

t

0

As constantes A e a devem ser definidas segundo o histórico clínico do paciente.

A EcaBio Ltda. é uma empresa que desenvolve, sob demanda, esses sistemas automatizados, e recebeu o pedido para atender a

um paciente com as seguintes especificações:

o motor começa a liberar insulina assim que o paciente inicia sua refeição, em t = 0 segundo;

o valor máximo da taxa de liberação de insulina i máx deve ocorrer uma hora após o início da refeição (t p = 3.600s);

t p : tempo em que ocorre a máxima liberação de insulina i máx ;

o total de insulina liberada deve ser

 

i

T

=

i(t )dt

=

0,17 cm

 

0

3

.

Devido a problemas de importação e às características necessárias, a EcaBio restringiu o projeto a um único tipo de motor com os seguintes parâmetros:

 

= 5 segundos

K

= 2,3 x 10 6 cm 3 / volts.segundos.

Um engenheiro júnior, que trabalha subordinado a você, propôs a seguinte solução:

( ) =

R s

2 85

,

x

10

4

5 70

,

x

10

5

+

s

+ 2 78

,

x

10

5

(, s + 2 78

x

10

5

)

2

Em face das graves conseqüências que uma solução incorreta poderia provocar, calcule as especificações obtidas na solução do

(valor: 10,0 pontos)

engenheiro: t p , i máx (t p ) e i T . Decida se ela pode ser aceita ou não, justificando sua decisão.

Dados/Informações Técnicas:

A

i

(

t

) =

 

Ate at

i ( t ) =   Ate a t I ( s ) =

I

(

s

) =

 

(

s

 

s + 1

 

=

K

1

+

K 2

(

s

+

a

)

2

(

s

+

a

)

(

s

a

+ ) 2

 

Ate

 

at

dt =

A

 
 

2

0

 

a

+

a )

2

IMPRESSÕES SOBRE A PROVA

IMPRESSÕES SOBRE A PROVA 6 As questões abaixo visam a levantar sua opinião sobre a Em

6

As questões abaixo visam a levantar sua opinião sobre a

Em que medida os conteúdos abordados nesta prova foram trabalhados no seu curso?

qualidade e a adequação da prova que você acabou de realizar

(A)

A

grande maioria, com profundidade.

e também sobre o seu desempenho na prova.

(B)

Muitos, com razoável profundidade e alguns, de forma superficial.

Assinale as alternativas correspondentes à sua opinião e à

(C)

Muitos, de forma superficial e alguns, com razoável profundidade.

razão que explica o seu desempenho nos espaços próprios

(D)

A grande maioria, de forma superficial.

(parte inferior) do Cartão-Resposta. Agradecemos sua colaboração em respondê-las.

(E)

A maioria sequer foi trabalhada no meu curso.

1

Segundo a sua visão, e levando em conta o que você vivenciou durante o seu curso, qual o grau de dificuldade desta prova?

(A)

Muito fácil.

(B)

Fácil.

(C)

Médio.

(D)

Difícil.

(E)

Muito difícil.

2

Quanto à sua extensão, como você considera a prova?

(A)

Muito longa.

(B)

Longa.

(C)

Adequada.

(D)

Curta.

(E)

Muito curta.

(C) Adequada. (D) Curta. (E) Muito curta. 3 Para você, como foi o tempo destinado à

3

Para você, como foi o tempo destinado à resolução da prova?

(A)

Excessivo.

(B)

Pouco mais que suficiente.

(C)

Suficiente.

(D)

Quase suficiente.

(E)

Insuficiente.

(D) Quase suficiente. (E) Insuficiente. 4 Você considera que, na sua elaboração, os enunciados da

4

Você considera que, na sua elaboração, os enunciados da prova apresentam clareza e objetividade?

(A)

Sim, todos os enunciados apresentam.

(B)

Sim, a maioria dos enunciados apresenta.

(C)

Sim, mas apenas cerca da metade dos enunciados apresenta.

(D)

Não, muito poucos enunciados apresentam.

(E)

Não, nenhum dos enunciados apresenta.

(E) Não, nenhum dos enunciados apresenta. 5 Como você considera as informações fornecidas em cada

5

Como você considera as informações fornecidas em cada questão para a sua resolução?

(A)

Sempre excessivas.

(B)

Sempre suficientes.

(C)

Suficientes na maioria das vezes.

(D)

Suficientes somente em alguns casos.

(E)

Sempre insuficientes.

7

Como você avalia a adequação da prova aos conteúdos defini- dos para o Provão/99 desse curso?

(A)

Com abrangência ampla e abordagem adequada.

(B)

Com abrangência ampla, mas com abordagem inadequada.

(C)

Com abrangência parcial, mas com abordagem adequada.

(D)

Totalmente inadequada.

(E)

Desconheço os conteúdos definidos para o Provão/99.

Desconheço os conteúdos definidos para o Provão/99. 8 Como você avalia a adequação da prova para

8

Como você avalia a adequação da prova para verificar as habi- lidades que deveriam ter sido desenvolvidas durante o curso, conforme definido para o Provão/99?

(A)

Plenamente adequada.

(B)

Medianamente adequada.

(C)

Pouco adequada.

(D)

Totalmente inadequada.

(E)

Desconheço as habilidades definidas para o Provão/99.

Desconheço as habilidades definidas para o Provão/99. 9 Como você considera a coerência entre a prova

9

Como você considera a coerência entre a prova e o perfil do graduando tomado como referência para o Provão/99?

(A)

A prova guarda total coerência com o perfil esperado do graduando.

(B)

A

prova guarda razoável coerência com o perfil esperado do

graduando.

(C)

A

prova demonstra pouca coerência com o perfil esperado do

graduando.

(D)

A

prova não demonstra coerência com o perfil esperado do

graduando.

(E)

Desconheço o perfil esperado do graduando, tomado como referência para o Provão/99.

do graduando, tomado como referência para o Provão/99. 10 Com que tipo de problema você se

10

Com que tipo de problema você se deparou mais freqüentemente ao responder a esta prova?

(A)

Desconhecimento de conteúdo: temas não abordados em meu curso.

(B)

Desconhecimento de conteúdo: temas abordados no curso, mas não estudados por mim.

(C)

Dificuldade de trazer a resposta à tona da memória, porque

o

conteúdo foi estudado há muito tempo.

(D)

Espaço insuficiente para responder às questões.

(E)

Não tive qualquer tipo de dificuldade para responder à prova.

Como você explicaria o seu desempenho em cada questão da parte comum da prova?

Números referentes ao CARTÃO-RESPOSTA.

 

11

12

13

14

15

16

17

 

Números das questões da prova.

Q1

Q2

Q3

Q4

Q5

Q6

Q7

O assunto

             

(A)

não foi ensinado; nunca o estudei.

             

(B)

não foi ensinado; mas o estudei por conta própria.

             

(C)

foi ensinado de forma inadequada ou superficial.

             

(D)

foi ensinado há muito tempo e não me lembro mais.

             

(E)

foi ensinado com profundidade adequada e suficiente.